Vampiros Emocionais Como Lidar Com Pessoas Que Sugam Você?

Vampiros Emocionais Como Lidar Com Pessoas Que Sugam Você?Você sabe identificar os vampiros emocionais que te afetam na vida profissional?

O ambiente de trabalho é um local em que estamos em contato com os mais diversos tipos de pessoas. Cada um tem suas crenças, com seu modo de pensar, agir e enxergar o mundo ao seu redor e de reagir aos acontecimentos que lhes cercam.

Trata-se de um lugar em que não temos a opção de simplesmente escolher com quem vamos conviver, restando-nos apenas respeitar o modo de ser de cada um, para que assim seja possível todos conviverem em paz e harmonia.

Entretanto, existem pessoas com as quais temos contato no ambiente profissional, que sentimos que não nos fazem tão bem, pois quando estamos próximos a elas, a sensação é que toda a nossa energia está sendo consumida e não conseguimos desempenhar nossas atividades satisfatoriamente.

Você já se sentiu ou se sente assim também ao lado de algum de seus colegas de trabalho? Então te convido a continuar esta leitura, para saber de que maneira você pode lidar com os chamados vampiros emocionais no ambiente profissional. Confira:

Vampiros Emocionais Como Lidar Com Pessoas Que Sugam Você?

Vampiros emocionais no trabalho: quem são eles?

Ao estabelecermos uma relação com alguém, seja no ambiente de trabalho ou não, a intenção é sempre que haja uma troca de ideias, de experiências, algo saudável, em que ambas as partes envolvidas tenham a oportunidade de crescer e se desenvolver, contando com o apoio uma da outra.

Acredito, verdadeiramente, que este seja o pressuposto para todo e qualquer tipo de relacionamento saudável, ou seja, aquele que faz suas partes sentirem-se bem na presença uma da outra.

No entanto, quando nos deparamos com vampiros emocionais, não é bem isso o que acontece.

Pelo contrário, ao termos contato com este perfil de indivíduo e profissional, sentimos que a nossa energia, vitalidade e, principalmente, o nosso ânimo são sugados por ele e vão imediatamente embora.

Assim, podemos definir os vampiros emocionais como pessoas que, por meio de seus comportamentos, atitudes e da maneira como se relacionam conosco, criam contextos altamente negativos e tóxicos, e acabam por, consciente ou inconscientemente, fazer com que nos sintamos facilmente esgotados e desgastados, minando, assim, a nossa saúde mental e física, caso sustentemos a relação por muito tempo ou não façamos nada para nos proteger ou impedir que esta energia chegue até nós.

Na relação com o vampiro emocional não há troca, ou uma comunicação saudável, em que todos possam se manifestar.

Pelo contrário, a sensação que se tem é que não existe aquela reciprocidade necessária para que se construa um relacionamento saudável.

O que existe é uma carga de emoções e sentimentos negativos, que são descarregados sobre aqueles que estão ao seu redor, principalmente os mais próximos, e que, conforme o tempo vai passando, geram estresse, bem como anulação, vulnerabilidade e fuga do outro.

No ambiente de trabalho estas pessoas são caracterizadas por aquelas que vivem falando de seus problemas pessoais e profissionais, que ficam espalhando boatos, fazem fofocas, que estão sempre focadas nos aspectos negativos das situações, são maldosas e maliciosas, vivem criticando os demais, são narcisistas, não se empenham para ouvir o outro na essência, fazem-se de vítimas o tempo todo, querem controlar a tudo e a todos, são constantemente reativas e agressivas, vivem sendo irônicas e sarcásticas com tudo, entre muitas outras características.

Desta maneira, com o passar da convivência, tudo isso vai fazendo com que percamos o ânimo, a motivação, bem como a nossa autoestima, sem nem percebermos ou entendermos o porque estamos nos sentindo assim.

Como lidar com o vampiro emocional no trabalho?

É fundamental que encontremos formas para lidar com os vampiros emocionais no trabalho, pois, além de tudo o que citei até aqui, eles também nos levam ao cansaço, à fadiga, sentimos nossas pálpebras pesadas o tempo todo, dores de cabeça constantes, provocadas pela tensão de estar próximos a pessoas assim, desânimo, frequente sensação e vontade de fugir, falta de concentração e foco, e a pior de todas as consequências, baixo rendimento e desempenho no trabalho.

Assim, se você está passando ou convivendo com alguém com todas estas características, aqui vão algumas dicas para lidar com isso com maestria. Confira:

A felicidade é imprescindível para o bom desempenho profissional!Clique aqui, faça nosso “TESTE” e descubra como anda sua felicidade!

Pergunte se está tudo bem

Por mais que o primeiro impulso ao perceber que a sua energia e vitalidade estão sendo sugadas por algum vampiro emocional seja fugir e ficar totalmente distante dele, acredito que o primeiro passo para lidar com a situação seja fazer exatamente o contrário.

Chame a pessoa para uma conversa e pergunte se está tudo bem com ela, se ela precisa de algum tipo de ajuda, veja de que forma você pode contribuir para esta mudança de comportamento. Neste momento, fale aberta e francamente sobre o que você está sentindo e percebendo, tomando cuidado com as palavras para não magoá-la.

Fazendo isso, você pode estar ajudando alguém que talvez não esteja se dando conta de como está agindo, para que assim possa melhorar e mudar de agora em diante.

Afaste-se

Se mesmo depois desta conversa a pessoa continuar com os mesmos comportamentos, o ideal, até mesmo para o seu próprio bem é se afastar ou limitar o seu contato com ela. Ao optar por esta ação, você estará preservando a si mesmo, cuidando do seu próprio bem-estar, para que assim possa manter-se tranquilo e saudável, tanto no ambiente de trabalho, quanto fora dele também.

Fortaleça a sua própria energia

Neste processo, é fundamental que você cuida de si mesmo, fortalecendo-se internamente, para não deixar a sua energia ser consumida e muito menos se deixar abater por esta relação tão tóxica. Neste sentido o que você pode fazer é:

  • Respirar fundo e não levar em consideração o que a pessoa está lhe dizendo;
  • Desconsidere as críticas que ela fizer, seja para você ou outras pessoas;
  • Conte e cerque-se sempre de pessoas com a energia e com o foco no positivo;
  • Caso você se sinta afetado por algo que o vampiro emocional lhe disse, lembre-se que o problema está sempre com ele e não com você;
  • Trabalhe o seu autoconhecimento, a sua autoestima e também a sua autoconfiança, pois serão elementos essenciais para não se deixar cair nas armadilhas deste perfil de colega de trabalho.

A felicidade é imprescindível para o bom desempenho profissional!Clique aqui, faça nosso “TESTE” e descubra como anda sua felicidade!

E caso você perceba que precisa de ajuda profissional para fortalecer a sua energia, para lidar com os vampiros emocionais no ambiente de trabalho, você pode contar também com o apoio do Coaching, realizando a formação Professional & Self Coaching – PSC, que oferece técnicas e ferramentas essenciais para lidar com este tipo de situação da melhor maneira possível.

Agora me conte, querida pessoa: o que você achou deste artigo? Identificou algum vampiro emocional em sua vida? Como você lida com ele? Deixe o seu comentário, me falando sobre suas experiências e lembre-se de compartilhar este conteúdo com seus amigos, em suas redes sociais, para que eles também expandam seus conhecimentos sobre este assunto.

Créditos da Imagem: Por Fred Ho – ID do vetor stock livre de direitos: 300228731

*Esse conteúdo não é fonte para veículos jornalísticos ou matérias para imprensa, para utilização ou referência por favor entre em contato conosco.

Os Vampiros Emocionais: 6 personalidades que sugam o seu bem-estar emocional

Vampiros Emocionais Como Lidar Com Pessoas Que Sugam Você?

Vampiros emocionais são capazes de esgotar suas reservas de otimismo e boas vibrações.
Você já deve ser se encontrado com algumas pessoas que transmitem bons valores e atitudes positivas. Normalmente, tendemos a querer ser amigos e estar em torno de tais pessoas, por razões óbvias.

No entanto, existe um outro tipo de indivíduos que tendem a enfraquecer o nosso estado emocional. As razões pelas quais os vampiros emocionais emanam sentimentos ruins nos outros são variados: pessimismo, egoísmo, narcisismo, imaturidade, falta de empatia …

Os ”vampiros emocionais”: pessoas que criam confusão por onde passam

Hoje vamos aprofundar a personalidade desses vampiros emocionais; indivíduos que, inconscientemente ou não, têm a capacidade de roubar a energia e a alegria das pessoas ao seu redor, criando uma aura de negatividade.

Leia também:  Como Saber Que A Fralda Esta Pequena?

O principal problema que os vampiros emocionais causam não é apenas a atmosfera nublada da sua presença, mas como interagimos com eles diariamente, isso acaba gerando altos níveis de estresse e fadiga emocional.

Devemos considerar que o estado emocional das pessoas ao nosso redor, eventualmente, nos afeta: as emoções são contagiosas, tanto para o bem quanto para o mal. E quando as emoções negativas se mantém por um bom tempo, os problemas psicológicos (e até algumas doenças) podem começar a aparecer.

É por esta razão que, se não tivermos outra escolha a não ser conviver com um vampiro emocional, precisamos aprender a identificar as suas características distintivas e saber lidar com as suas más vibrações.

Seis personalidades típicas de vampiros emocionais

Indivíduos que se alimentam da energia emocional dos outros são susceptíveis a manipular emocionalmente suas ‘vítimas’ para atingir seus objetivos. Muitas vezes eles se aproximam das pessoas ao seu redor para exteriorizar a sua negatividade e se aproveitar do poder do seu interlocutor.

Além disso, uma vez que descarregam seus pensamentos e emoções negativas, eles deixam a cena e se preparam para encontrar outra pessoa para descarregar o seu desconforto.

Empatia zero

Vampiros emocionais se caracterizam por ter muito pouca empatia. Se mostram claramente egoístas ao usar a presença de outra pessoa para esvaziar toda a sua negatividade acumulada, não se importando que isso possa gerar desconforto e angústia  para o seu interlocutor. Eles não se colocam no lugar do outro.

Embora tenham certos aspectos em comum, vampiros emocionais podem assumir várias formas. É por isso que segmentamos um total de sete personalidades típicas de pessoas que roubam o seu otimismo.

1. Personalidade exigente

Não só se encarrega de apontar suas falhas como também contraria tudo o que você faz ou diz. O seu objectivo principal é fazer você se sentir inferior a ele. Você está sempre errado e ele sabe a verdade de tudo. Além disso, se você questionar a sua atitude, o normal é que ele se justifique dizendo que “só quer o melhor para você.”

Se você ficar perto dessa pessoa por algumas horas vai notar que muito do que ela diz são críticas e mais críticas. Nada parece certo, desde coisas banais como o último filme que você viu ou a série de televisão que está na moda, até as suas idéias, seus gostos ou o seu comportamento.

Este tipo de vampiro emocional é tão intransigente que acaba sendo irritante e pode levá-lo a um estado emocional terrível. Tenha cuidado para não se infectar e começar a criticá-lo também!

2. Personalidade pessimista

O vampiro emocional também pode assumir a forma de pessimista inveterado. Sempre vê a vida com o copo meio vazio, tudo parece negativo e você vai sofrer horrores para convencê-lo de que está sendo pessimista demais … porque ele sempre prepara um contra-argumento que “prova” que a existência não vale a pena.

Se você conviver com este tipo de pessoa, pode acontecer de você acabar se convencendo de que a sua visão das coisas estava errada e se tornar também uma pessoa pessimista, negativa e sem esperança de melhoras.

3. Personalidade catastrófica

Os vampiros emocionais também podem ser alarmantes. Esta personalidade leva o pessimismo ao extremo, para eles qualquer fato ou situação leva a uma escala apocalíptica.

Seus tópicos de conversação favoritos se referem a catástrofes e matanças que ouviram nos programas de notícias ou mesmo desastres que não ocorreram, mas que na sua opinião, acreditam que poderiam acontecer.

Este tipo de vampiro emocional acredita firmemente que a vida se resume a enfrentar uma longa lista de perigos iminentes e infortúnios. Se você tiver a infelicidade de conviver com alguém assim, vai logo perceber que se sente exausto com frequência e, na pior das hipóteses, pode começar a incorporar algumas de suas paranóias.

4. Personalidade vitimista

É aquela típica pessoa que não para de reclamar sobre tudo o que acontece. Indiferente se as coisas estão indo bem ou mal, ela sempre encontra razões para se queixar e se fazer de vítima.

Em uma pessoa vitimista é muito difícil de encontrar apoio emocional, pois ela sempre vai acreditar que seus problemas são muito mais importantes do que os seus.

É provável que você note que o vitimista quer que você faça um download de todos os seus problemas quando ele fala, mas raramente se mostra aberto para ouvir e oferecer apoio quando é você quem precisa falar dos seus problemas pela ele.

5. personalidade agressiva

São pessoas que reagem violentamente sem motivo. Se você dizer ou fazer algo que não lhes parece bom como, por exemplo, um gesto mal interpretado ou por um comentário fora de contexto, isso poderia ser o suficiente para acender a sua fúria.

Suas reações são desproporcionais, de modo que pode ser um problema grave se você não tiver cuidado com o que faz ou diz. É claro que conviver com uma pessoa que o obriga a calcular milimetricamente tudo o que você faz ou diz não é positivo para a sua saúde mental. E, escusado será dizer, que você vai se sentir esgotado após dez minutos de conversa com o vampiro emocional agressivo.

6. Personalidade sarcástica

Esta é a personalidade de um vampiro emocional especialmente irritante. A pessoa sarcástica adora jogar ironias sobre você, dardos envenenados, e ao mesmo tempo se proteger atrás da leveza de uma “simples brincadeira.” Assim, ninguém pode culpá-lo por ser rude, porque “era apenas uma piada”.

Embora, às vezes, as suas observações possam ser engraçadas e espirituosas, a verdade é que muitas vezes excedem os limites do respeito e são cruéis para outras pessoas.

Se você estiver muito exposto a uma pessoa que faz comentários sarcásticos e cortantes sobre você, isso pode acabar com a sua auto-estima. Além disso, é cansativo.

É como um soldado isolado em território inimigo: você só pode rezar para que as bombas não caiam sobre você.

Como são vampiros emocionais comportam?

Vampiros emocionais se aproveitam de dois elementos para começarem a roubar a energia emocional daqueles que os rodeiam: Tempo e proximidade. É preciso que consigam definir certos laços emocionais e de amizade com a outra pessoa. A partir daí, basta tirar proveito de suas fraquezas.

Por isso é muito difícil manter um bom estado emocional se o vampiro emocional é uma pessoa que faz parte do nosso círculo interno: família, amigos ou cônjuge. Quando mais próxima for a relação, mais ela vai lhe causar efeitos nocivos.

O vampiro emocional sabe como escapar

Normalmente, o vampiro emocional tenta humilhar ou desqualificar os outros, mas muitas vezes se escondem atrás de justificativas e pretextos para demonstrar o seu ponto de vista e ”provar” para os outros como é bom.

Alguns vampiros podem não estar cientes de que estão roubando a sua energia emocional

No entanto, é claro que podem haver casos em que a personalidade do vampiro emocional não é experimentada conscientemente. Alguns vampiros emocionais não são capazes de perceber que se comportam assim, e não estão cientes dos efeitos negativos de suas ações sobre as pessoas ao seu redor.

As causas do comportamento vampírico

Às vezes não percebem que o seu comportamento pode ser causado por situações ou eventos traumáticos que viveu anos atrás (ou talvez também por imitar comportamentos e atitudes  disfuncionais que viu em seus pais), e o produto disso é que suas relações com outras pessoas é influenciada por esses mecanismos de defesa que foram adquiridos e consolidados como parte de sua personalidade.

Cabe a você avaliar se o vampiro emocional merece uma segunda chance

Naturalmente, o fato de que alguns vampiros emocionais não estarem completamente cientes de que estão sugando o seu bem-estar emocional não é desculpa para irrelevar o dano que causam em você.

É uma questão de detectar o problema cedo e tomar as medidas adequadas e justas: em alguns casos, uma conversa sincera pode surtir efeito e consertar a situação. Em outros casos, a melhor solução é se distanciar deles.

Fonte: psicologiaymente traduzido e adaptado por Psiconlinews

Vampiros emocionais: quem são, como agem?

Todos nós possuímos os mais variados tipos de contato humano, sejam eles bons ou muito ruins. Contudo, existe um grupo em particular capaz de sugar, literalmente, a sua energia de vida e deixá-lo doente. Vamos conhecer os vampiros emocionais, como agem e como pode identificá-los.

Leia também:  Como Saber Que Ovo Esta Estragado?

O que são vampiros emocionais?

Vampiros emocionais se tratam de pessoas capazes de causar desânimo e profunda tristeza nas pessoas ao redor. São como que pessoas doentes, infectando propositalmente o comportamento e a postura dos outros. Como deve imaginar, é altamente recomendável manter distância desses indivíduos.

É um processo quase que automático desse grupo criar uma aura de negatividade muito palpável em qualquer ambiente. Por conta disso, as outras pessoas adquirem um mal-estar muito grande na presença delas. A pior parte disso é saber que alguns vampiros criam propositalmente esse tipo de situação.

A interação constante com esse tipo de pessoa tende a desgastar o corpo e a mente de qualquer um. Tenha em mente que emoções são contagiosas e quando nos expomos a isso por muito tempo sofremos duramente com as sequelas. Em muitos casos, as vítimas podem adoecer e terem seu estado psicológico afetado duramente.

Vampiros Emocionais Como Lidar Com Pessoas Que Sugam Você?

Por que são da forma que são?

É difícil determinar uma única razão que justifique o comportamento dos vampiros emocionais. Muitos acabam se motivando pela falta de empatia, narcisismo, imaturidade ou mesmo pelo egoísmo. Independente de como o outro esteja, não se importa muito em repassar tudo aquilo de negativo que guarda em si para o outro.

Ademais, as experiências traumáticas exercem uma forte influência sobre as ações dos vampiros. Como bem sabe, a nossa postura e comportamento é construído com base na vivência de vida que acumulamos. Neste caso, algo no passado dessas pessoas pode ter remodelado sua forma de enxergar a própria vida e dos demais.

Os pais, principalmente, são fatores determinantes para que aprendamos a nos relacionar com os outros. As disfunções deles podem ser repassadas aos filhos e mudar por completo o comportamento dos jovens. Começando por um mecanismo de defesa, se transforma numa forma de ataque, atraindo a disposição de quem estiver perto.

Como age um vampiro emocional?

Uma das principais armas dos vampiros emocionais é a manipulação, sendo esta a base do seu comportamento. Graças a falta de empatia, conduzem emocionalmente as outras pessoas para que possam ter o que quiserem. E assim como um vampiro verdadeiro, quando sugam toda a força de alguém, buscam outra vítima para repetir o ato.

Contudo, isso somente é possível quando eles se tornam muito próximos desses alvos. Dessa forma, acabam criando amizades e laços emotivos mais fortes com essas pessoas. Assim que essa conexão é estabelecida, podem aproveitar do contato para iniciarem o seu trabalho degradante.

Porém, cabe ressaltar que muitos dos vampiros emocionais não possuem plena consciência de sua postura. Eles não percebem como o seu comportamento é danoso para as pessoas que estão ao redor deles. Além de prejudicarem os demais, fazem isso com eles mesmos.

Leia Também:  O que são Neuroses na psicanálise

Características dos vampiros emocionais

Para a sua própria segurança, é preciso se atentar as características dos vampiros emocionais. Não é tão difícil reconhecê-los, já que possuem as seguintes características.

1. Comportamentos pessimistas

Os vampiros possuem um pessimismo muito forte, carregando uma visão muito negativa sobre tudo. Caso tente mudar a perspectiva deles, certamente colocarão um argumento para rebater as suas palavras. Em suma, a vida é ruim, não vale a pena e nada poderia mudar isso.

2. Personalidade catastrófica

Nada melhor para esses vampiros que tocar em seus assuntos favoritos: tragédias com pessoas e catástrofes. Mesmo que não hajam episódios reais em suas vidas, eles acabam relatando aqueles que imaginam, destacando sempre decepções e perigos. É preciso se atentar a esse ponto para que não se contagie e adquira o mesmo padrão de postura.

3. Agressividade

É comum se tornarem agressivos com tudo aquilo que não agrade a vontade deles. Isso porque não possuem tolerância e autocontrole para que consigam viver saudavelmente em sociedade. Caso conviva com alguém assim, qualquer contato será muito delicado e inseguro, já que teme alguma reação negativa.

4. Vitimismo

Eles costumam reclamar das próprias vidas porque se sentem vítimas irrecuperáveis delas. Ainda que algo muito bom em suas vidas esteja correndo sempre encontrarão motivo para reclamarem. É difícil ter confiança com eles porque acreditam que seus problemas são maiores do que os demais.

5. Sarcasmo exageradamente incômodo

Os vampiros emocionais possuem um nível elevado de sarcasmo, se tornando uma pessoa extremamente irritante. Por conta disso que se valem constantemente de ironias para atacar disfarçadamente outras pessoas. Mas sempre buscam sair da responsabilidade do que falam justificando que tudo é uma grande brincadeira.

Ainda que isso pareça divertido para ela, na verdade, é um ato muito desrespeitoso com os demais. Chega a ser cruel a forma de degradação com os demais, tornando o convívio com este indivíduo impossível de se fazer. Infelizmente para aqueles que insistem em permanecer perto desse tipo de pessoa, a autoestima e o amor-próprio podem acabar.

Sequelas nas relações com vampiros emocionais

Existe diversos tipos de vampiros emocionais e em mais de um local onde você precisa estar. No trabalho, por exemplo, sempre tem um colega de profissão que e atraído a causar discórdia no ambiente. Com isso, espalha fofocas ou boatos negativos, causando mais cansaço e mal-estar nos outros.

Em casa, esse posto é comumente tomado pelos pais, que se mostram excessivamente tóxicos. Além de sufocarem os filhos, podem demonstrar falta de respeito, empatia ou exalar vitimismo. Outros parentes também podem assumir essa posição e afetar negativamente você.

A verdadeira vítima pode mostrar desânimo, dores, falta de concentração ou mesmo querer fugir disso. O trabalho também fica ameaçado, já que seu rendimento cai bastante.

Como lidar com esses vampiros?

Embora seja complexa a relação com os vampiros emocionais, você pode trabalhar o contato com eles. Para isso, siga as dicas abaixo:

1. Atentar-se ao comportamento deles

Sempre se mantenha atento a postura das pessoas ao redor, especialmente as negativas, para se proteger. Muitas estão afetando você de alguma forma e, em alguns casos, isso é proposital.

Leia Também:  Medo crônico de velocidade: causas e tratamentos

2. Evitar manipulações

Jamais se permita virar alvo de manipulações dos outros, independente da situação que estão vivendo. Como bem sabe, algumas pessoas podem usar desse vínculo para tirar alguma vantagem sobre você.

3. Se possível, converse bastante

Para os casos em que a pessoa não tem plena consciência sobre sua postura, converse com ela. Mostre como a sua presença e argumentos afetando negativamente a todos, inclusive ela. Se possível, a incentive a buscar ajuda para rever o seu comportamento.

Considerações finais sobre vampiros emocionais

Assim como os da ficção, os vampiros emocionais possuem um comportamento parasita e bastante destrutivo a qualquer pessoa. Conviver com esse tipo de indivíduo é um risco sério à saúde mental, já que sugam muito da força de viver que você tem.

Evite se expor a tudo o que eles dizem ou fazem, já que seu comportamento é um veneno contagioso. Não se deixe levar por comentários, piadas ou qualquer tipo de provocação destrutiva que podem fazer.

Para que se blinde completamente aos vampiros emocionais, se inscreva em nosso curso completo de formação em Psicanálise 100% EAD. Através dele, aprenderá as ferramentas necessárias para alcançar a vida que deseja, entendendo suas limitações e seu potencial. Dessa forma, estará em preparo para lidar contra qualquer sanguessuga emocional em seu caminho.

5 tipos de vampiros emocionais

Estão aí fora, esperando-nos, atraindo-nos para nos deixar vazios em seguida. Parecem boas pessoas, e confiamos mais neles que em qualquer outro. Esperamos mais, mas recebemos menos. São eles, os vampiros emocionais. Não procuram rastros de sangue, querem a sua energia emocional.

Da mesma forma como o restante dos vínculos que desenvolvemos ao longo da nossa vida, os vínculos emocionais crescem de uma forma ou de outra, dependendo de como forem alimentados. Naturalmente, se você lhes alimentar com tristeza, inveja, queixas ou revolta constante, o que você fará é criar vínculos pouco saudáveis.

Leia também:  Como Saber Que Baus Vao Sair No Clash Royale?

Existem relações que podem ser excessivamente prejudiciais, produzindo um drama de dimensões enormes e se transformando em um atentado ao seu bem-estar emocional.

Existem pessoas que, intencionalmente ou não, podem fazer você se sentir deprimido, confuso, chateado e inclusive desgastado.

A verdade é que, sem estratégias de autodefesa para se manter na linha, as vítimas das pessoas tóxicas desenvolvem comportamentos e sintomas pouco saudáveis (comer em excesso, isolar-se, mudar de humor facilmente, constantemente se sentir cansado…).

Estas são chamadas de muitas formas, pessoas tóxicas, vampiros ou depredadores emocionais, parasitas, etc.  Na verdade, ainda que esta classificação não tenha base cientifica, existem pessoas que esgotam e fazem você entrar em um estado de resignação e aflição que é difícil de lidar.

A seguir definiremos 5 tipos de pessoas que intoxicam as emoções, sugando a sua energia como um vampiro e observando você como se fosse um depredador.

Tipos de vampiros emocionais

1 – A pessoa passivo-agressiva

Este tipo de pessoa expressa raiva com um sorriso na cara ou com preocupação excessiva, mas sempre mantém a calma. São especialistas em camuflar e adoçar a hostilidade. Todos já usamos esta técnica alguma vez, mas estas pessoas abusam dela.

A melhor autodefesa é conduzir o seu comportamento mantendo plenamente as suas convicções, criando limites e fazendo-os valer. Você merece ser tratado com amor e sinceridade e não deve permitir que lhe a pessoa lhe fale “como se estivesse lhe perdoando a vida”.

2 – A pessoa narcisista

Tudo gira em torno deles, pois se acham o umbigo do mundo. São egocêntricos, vaidosos e estão famintos por admiração e atenção. Podem aparentar ser pessoas inteligentes e encantadoras, até que veem ameaçada a sua condição de guru, de exemplo a seguir, ou de autoridade intelectual.

Já que o seu lema é “eu primeiro”, revoltar-se ou expressar de forma assertiva as suas necessidades não terá efeito algum sobre eles. Já que costumam carecer de empatia ou tê-la bem enterrada, podem ter dificuldade de entender o amor incondicional fora de si mesmos.

Portanto, a melhor autodefesa é desfrutar das suas boas qualidades, mas sendo realista quanto às suas expectativas em relação a eles. Enquanto isso, não deixe que o esmaguem, ou que o façam se sentir inferior, entenda que o seu narcisismo é a sua necessidade.

Você pode conseguir a sua cooperação sempre que apelar para o seu próprio interesse e lhes mostrar como a sua solicitação irá beneficiá-los.

3 – A pessoa furiosa

Este vampiro tem o ofício de acusar, de atacar, de humilhar, de criticar e de criar conflitos. São viciados na ira, em reter as coisas, em castigar os outros. Congelam você e lhe batem, quebrando-o em mil pedaços com a sua fúria.

A melhor autodefesa é proteger a sua autoestima para que a sua ira não a atropele. Tome o seu tempo, crie pausas e respire. Procure manter-se neutro e equilibrado frente aos seus ataques de fúria e não responda até que você se sinta calmo.

Desta forma, você conseguirá desarmar essa pessoa, deixando-a espairecer para depois expor a sua visão, fazendo com que reconheça e perceba a sua posição.

Fazendo isto, você conseguirá inclusive sentir empatia por elas, perguntando-se sobre a dor que a faz se revoltar dessa forma.

4 – A pessoa mártir

Existem por todo lugar. Os mártires são os reis e rainhas do drama. Eles sabem como fazer você se sentir mal por algo, pressionando os botões da insegurança e jogando sal nas suas feridas.

A melhor autodefesa é deixar de lado a ideia de que você tem que ser perfeito. Todo mundo comete erros. Mas se de verdade você se sente culpado por alguma coisa, então afaste-se para outro lugar e chore se for necessário.

Você também pode responder aos seus ataques com uma declaração positiva como a seguinte: “Compreendo o seu ponto de vista, mas quando você diz … você fere os meus sentimentos. Agradeceria se você parasse de fazer isto”.

5 – A pessoa invejosa e fofoqueira

São as pessoas intrometidas, essas que se deleitam falando dos outros pelas costas, arrastando a sua reputação e propagando rumores maliciosos. Quando fazem isto, todo mundo ao seu redor se sente humilhado e menosprezado.

A melhor autodefesa é não se preocupar com o que essa pessoa diz de você e não levar os seus comentários para o lado pessoal. A atitude correta é subir um degrau e ignorá-los. Além disso, se você estiver em um grupo e começarem a falar de alguém, a melhor saída é mudar de tema e nunca participar de nenhuma fofoca.

Ainda assim, é prudente deixar claro que você sabe o que essa pessoa está fazendo e que isso não lhe faz bem. Você pode se dirigir a ela e dizer-lhe algo assim como “Os seus comentários ferem. Como você se sentiria se dissessem isso de você? Por favor, deixe de falar de mim”.

Identifique as pessoas que lhe causam dor e crie os seus próprios mecanismos de autodefesa para proteger o seu bem-estar emocional.

Tomar distância e se afastar das pessoas complicadas melhora a sua saúde.

Vampiros Emocionais – Como lidar com pessoas que sugam você

Não sabe como lidar com pessoas difíceis ?

Neste livro o autor Albert J. Bernstein apresenta de maneira simples o entendimento destas pessoas e a maneira de lidar com elas.

O autor descreve 5 tipos de vampiros emocionais (antissociais, histriônicos, narcisistas, obsessivo-compulsivos e paranóicos) e mostra as qualidades de cada perfil que podem ser boas em um contexto e causar tantos problemas em outro.

Segundo o autor os “vampiros” não são inerentemente maus mas seu vampirismo vem da falta de maturidade destes seres das trevas. A proposta desta obra é ensina-lo a identificar os “vampiros” e o que fazer quando estiver sob ataque destes seres que vêem os demais como meras fontes daquilo que querem ter.

Os vampiros são comparados às crianças de 2 anos de idade e como tal deve-se usar as mesmas estratégias que se usa com crianças: “definir limites, preparar-se para emergências, ser coerente, fazer o mínimo possível de sermões, recompensar o bom comportamento e ignorar o mau e, algumas vezes, deixá-los de castigo”.

Importante destacar que os vampiros tem diferenças inerentes e que se você analisar o que eles fazem conforme seu próprio entendimento você acabará se enganando e sendo usado impiedosamente. Eles não são justos mas são bem coerentes com sua forma de pensar.

À primeira vista eles podem parecer encantadores mas quando percebemos eles já nos deixaram na pior e ainda ficamos nos perguntando se o erro foi nosso.

Os “vampiros” têm um efeito hipnótico. Eles nos atraem e então nos sugam nossa energia emocional. Depois nos deixam para trás exauridos.

  • Os vampiros são egoístas, agem como se as regras fossem apenas para os demais e como se nunca fossem culpados, são imediatistas e dão “xilique” quando não conseguem o que querem.
  • Insensíveis e insaciáveis, tiram tudo de você para satisfazerem os seus desejos.
  • São aproveitadores que sempre tomam mais do que dão.
  • Um ator vencedor do Oscar perde em intrerpretação para estas criaturas das trevas, portanto muito cuidado com suas interpretações absolutamente convincentes.
  • São motivados pelo desejo daquilo que querem.
  • Os vampiros fictícios não se vêem no espelho; os da vida real não se enxergam.
  • Não tem discernimento do que são ou fazem.
  • Os vampiros emocionais provocam fortes reações imediatas, tanto boas quanto más, raramente sendo algo intermediário.
  • Dentre o vampiros antissociais há os aventureiros, os “vendedores de carros usados” e os valentões.
  • Já os histriônicos dividem-se em exagerados e passivo-agressivos.
  •   Os narcisistas podem ser do tipo que “se sente superior a todos os mortais” ou astros.
  • Os obssessivo-compulsivos podem ser perfeccionistas ou puritanos.
  • E finalmente os paranóicos são visionários ou ciumentos.
  • Este livro é de fácil leitura e entendimento e absolutamente necessário para se viver a vida quando se tem que conviver com os “vampiros”.
  • “Para se proteger você precisa saber com quem está lidando.”

Esse post foi publicado em Compras, Livros, Relacionamentos e marcado Albert J. Bernstein, antissocial, campus, elsevier, histriônico, leitura, livro, narcisista, obssessivo-compulsivo, paranóico, pessoa, relacionamento, vampiro. Guardar link permanente.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*