Tens Um Nao Sei Que Que Me Deixar Nao Sei Como?

Tens Um Nao Sei Que Que Me Deixar Nao Sei Como?

O amor de verdade é uma relação de cumplicidade e companheirismo.
Descubra outros sinais. 

Segundo os psicólogos, é comum querer descobrir se o relacionamento que vivemos é ou não um amor de verdade. Não importa se esse namoro acabou de começar ou se vocês já estão juntos há muitos e muitos anos.

Os mais
românticos dizem que os casais apaixonados vivem uma relação de cumplicidade,
uma sensação de constante bem-estar, de estar vivendo no paraíso. Mas será que
isso de fato é verdade?

Para te ajudar – afinal, esse é o papel do psicólogo – nesse texto vamos mostrar alguns sinais de que você encontrou mesmo o seu amor de verdade. Acompanhe!

9
sinais que indicam que você encontrou o amor de verdade

1.
Você já não pensa mais nos seus relacionamentos passados

Segundo os psicólogos, o verdadeiro amor é uma relação sem medos, na qual se tem certeza que quem está ao seu lado vê você como uma prioridade..

Quando se está com o seu amor de verdade as dúvidas deixam de existir e os antigos relacionamentos são meras lembranças, histórias que serviram de aprendizado para a relação que você vive agora.

2.
Você se sente confortável com o seu parceiro mesmo quando vocês estão em
silêncio

Sabe aquele silêncio constrangedor? Não existe quando o amor é
verdade. Esse amor transmite segurança e confiança.

  • ANSIEDADE
  • ESTRESSE
  • DEPRESSÃO

FAZER O TESTE

Quando você se
sente amado não há necessidade de falar continuamente para preencher os espaços
vazios. É possível se comunicar com o seu parceiro por meio de um simples olhar
e o silêncio se torna um amigo.

3.
Faz com que você se sinta bem

O amor de
verdade fará com que você se sinta melhor nos dias em que não estiver bem. É
uma relação baseada no respeito e na construção da felicidade.

4.
Você se sente livre para ser quem realmente é

Uma relação que tem o amor de verdade como guia é livre de julgamentos e é por isso que você se sente livre para ser quem realmente é.

Pensamentos como “o que ele(a) vai dizer?” e “o que ele(a) vai achar?” dão lugar ao “ele(a) me ama pelo que sou”.

5.
Não há espaço para o ciúme

Muitos psicólogos relatam que onde o amor de verdade está presente, não há lugar para o ciúme. Isso ocorre porque existe confiança entre o casal e ambos já demonstraram, em diversas ocasiões, o quanto se importam um com o outro.

6.
Ele(a) te vê sempre como prioridade

Quando o amor
é de verdade, ele(a) te leva a fazer coisas que nunca pensou que faria por
ninguém. Você irá a lugares que não gosta tanto de ir como um show ou um jogo
em um estádio de futebol.

Toda atividade
será prazerosa desde que vocês dois tenham a companhia um do outro.

7.
Ele(a) entende a sua vontade de passar um tempo com a sua família

Sempre que você precisar visitar a sua família, o seu amor irá com você sem reclamar e sem fazer rodeios. O que é importante para você e para a sua felicidade também é para ele(a).

Isso acontece porque a sua família faz parte da sua vida e o seu amor deseja compartilhar essa vida com você.

8.
O seu parceiro/sua parceira te admira

Você acha o
seu parceiro(a) uma pessoa impressionante, que te inspira a ser cada vez
melhor. De fato, o amor nos torna melhores e capazes de realizar tudo aquilo
que desejamos.

Além disso,
você sabe que o seu amor te admira e acredita nas coisas que faz e diz.

9.
É a primeira vez que você se sente assim

Quando você
encontra um amor de verdade se sente de uma maneira que nunca se sentiu antes.
Sente que o que vive agora é especial e é aí que reside a magia do amor.

Quem leu esse texto também se interessou por:

  • Construir um relacionamento saudável demanda tempo e comprometimento dos envolvidos, de acordo com psicólogos. Localização do consultório em São Paulo
  • Viver relacionamentos felizes e enfrentar o medo de se relacionar não é tarefa facil para algumas pessoas. Consultório da psicóloga em São Paulo
  • Tens Um Nao Sei Que Que Me Deixar Nao Sei Como?Um relacionamento feliz precisa ser construído ao longo do tempo e depende do esforço do casal. Confira algumas dicas do psicólogos localizado em São Paulo

*Os textos do site são informativos e não substituem atendimentos realizados por profissionais.

Cinco poemas de amor de Fernando Pessoa – Português

Fernando Pessoa, poeta português que ao longo de sua vida produziu não só em língua portuguesa, mas também em língua inglesa, deixou uma vasta contribuição para a literatura universal. Poeta de múltiplas faces, foi vários e ao mesmo tempo um só: seus heterônimos são sua marca registrada, todos eles com biografias e estilos próprios, característica que fez dele um escritor incomparável.

Seus poemas mais conhecidos foram assinados por seus principais heterônimos: Alberto Caeiro, Álvaro de Campos e Ricardo Reis, além de um semi-heterônimo, Bernardo Soares, que seria o alter ego do escritor.

Como o amor sempre foi uma temática constante em sua obra literária, o sítio de Português escolheu cinco poemas de amor de Fernando Pessoa para você adentrar no universo desse enigmático e surpreendente poeta.

Poucos souberam traduzir em palavras, e com tamanha maestria, esse sentimento que nutre a vida humana. Boa leitura!

Leia também:  Como Provar Que Amo A Minha Namorada?

Tens Um Nao Sei Que Que Me Deixar Nao Sei Como? Alberto Caeiro, Álvaro de Campos e Ricardo Reis estão entre os heterônimos de Pessoa. O Livro do desassossego é assinado por Bernardo Soares

Presságio

 O AMOR, quando se revela,  Não se sabe revelar.  Sabe bem olhar p'ra ela,  Mas não lhe sabe falar.    Quem quer dizer o que sente  Não sabe o que há de dizer.  Fala: parece que mente…  Cala: parece esquecer…

   Ah, mas se ela adivinhasse,  Se pudesse ouvir o olhar,   E se um olhar lhe bastasse  P'ra saber que a estão a amar!    Mas quem sente muito, cala;  Quem quer dizer quanto sente  Fica sem alma nem fala,  Fica só, inteiramente!    Mas se isto puder contar-lhe  O que não lhe ouso contar,  Já não terei que falar-lhe

 Porque lhe estou a falar…

Fernando Pessoa

Todas as cartas de amor…

Todas as cartas de amor são Ridículas. Não seriam cartas de amor se não fossem Ridículas. Também escrevi em meu tempo cartas de amor, Como as outras, Ridículas. As cartas de amor, se há amor, Têm de ser Ridículas.

Mas, afinal, Só as criaturas que nunca escreveram Cartas de amor É que são Ridículas. Quem me dera no tempo em que escrevia Sem dar por isso Cartas de amor Ridículas. A verdade é que hoje As minhas memórias Dessas cartas de amor É que são Ridículas.

(Todas as palavras esdrúxulas, Como os sentimentos esdrúxulos, São naturalmente

Ridículas.)

Não pare agora… Tem mais depois da publicidade 😉

Álvaro de Campos

Quando Eu não te Tinha

Quando eu não te tinha  Amava a Natureza como um monge calmo a Cristo.  Agora amo a Natureza  Como um monge calmo à Virgem Maria,  Religiosamente, a meu modo, como dantes,  Mas de outra maneira mais comovida e próxima …

  Vejo melhor os rios quando vou contigo  Pelos campos até à beira dos rios;  Sentado a teu lado reparando nas nuvens  Reparo nelas melhor —  Tu não me tiraste a Natureza …  Tu mudaste a Natureza …

  Trouxeste-me a Natureza para o pé de mim,  Por tu existires vejo-a melhor, mas a mesma,  Por tu me amares, amo-a do mesmo modo, mas mais,  Por tu me escolheres para te ter e te amar,  Os meus olhos fitaram-na mais demoradamente  Sobre todas as cousas.  Não me arrependo do que fui outrora 

  • Porque ainda o sou. 
  • Só me arrependo de outrora te não ter amado.
  • Alberto Caeiro
  • O Amor É uma Companhia

O amor é uma companhia.  Já não sei andar só pelos caminhos,  Porque já não posso andar só.  Um pensamento visível faz-me andar mais depressa  E ver menos, e ao mesmo tempo gostar bem de ir vendo tudo.  Mesmo a ausência dela é uma coisa que está comigo.

  E eu gosto tanto dela que não sei como a desejar.  Se a não vejo, imagino-a e sou forte como as árvores altas.  Mas se a vejo tremo, não sei o que é feito do que sinto na ausência dela.  Todo eu sou qualquer força que me abandona.

  Toda a realidade olha para mim como um girassol com a cara dela no meio. 

  1. Alberto Caeiro
  2. Não Sei se é Amor que Tens, ou Amor que Finges

Não sei se é amor que tens, ou amor que finges,  O que me dás. Dás-mo. Tanto me basta.              Já que o não sou por tempo,              Seja eu jovem por erro.  Pouco os deuses nos dão, e o pouco é falso.  Porém, se o dão, falso que seja, a dádiva              É verdadeira. Aceito,              Cerro olhos: é bastante.              Que mais quero? 

Ricardo Reis

Uso dos porquês: por que, por quê, porque ou porquê?

 Por que, por quê, porque ou porquê? É comum ter essa dúvida na hora de escrever. O uso dos porquês depende do sentido que queremos dar a uma frase. Assim, usamos “por que” com o mesmo valor de “pelo qual”, “pelos quais”, “pela qual”, “pelas quais”, “por qual”, “por qual razão” e “por qual motivo”.

Já o “por quê”, no sentido de “por qual razão” ou “por qual motivo”, leva acento quando ocorre no final de frase e antes de ponto-final, ponto de exclamação ou de interrogação.

No entanto, se queremos substituir expressões como “pois”, “já que”, “visto que”, “uma vez que” ou “em razão de”, devemos utilizar o “porque”.

Só colocamos o acento — ou seja, “porquê” — se pretendemos utilizar um sinônimo de “razão” ou “motivo”.

Leia também: Serrar ou cerrar?

Quando usar “por que”?

O uso de por que, por quê, porque e porquê depende do sentido que queremos dar à frase.

  • Usamos “por que” (separado e sem acento) nos seguintes casos:
  • → com o mesmo valor de “pelo qual”, “pelos quais”, “pela qual” ou “pelas quais”
  • Exemplos:
  • O motivo por que lutei tanto foi fazer do mundo um lugar melhor para todos.
  • Os caminhos por que andei eram repletos de rosas e espinhos.
  • Não admito que a dor por que passei seja banalizada!
  • A liberdade e a igualdade são coisas por que vale a pena viver e morrer.
Leia também:  Como Preencher Um Documento Que Esta Em Pdf?

→ com o mesmo sentido de “por qual razão” ou “por qual motivo”

Exemplos:

  • Por que o Sol brilha?
  • Ninguém sabe por que a menina fugiu de casa.

→ com o mesmo valor de “por qual”

Exemplos:

  • Você sabe por que direção o ônibus foi?
  • Por que filme Ruth de Souza ganhou o prêmio de melhor atriz?

Não pare agora… Tem mais depois da publicidade 😉

Como substituir “por que”?

  1. É possível substituir o “por que”, de acordo com o sentido desejado, pelas expressões:
  2. → “pelo qual”, “pelos quais”, “pela qual” ou “pelas quais”
  3. Exemplos:
  • O motivo pelo qual lutei tanto foi fazer do mundo um lugar melhor para todos.
  • Os caminhos pelos quais andei eram repletos de rosas e espinhos.
  • Não admito que a dor pela qual passei seja banalizada!
  • A liberdade e a igualdade são coisas pelas quais vale a pena viver e morrer.

→ “por qual razão” ou “por qual motivo”

Exemplos:

  • Por qual razão o Sol brilha?
  • Ninguém sabe por qual motivo a menina fugiu de casa.

→ “por qual”

Exemplos:

  • Você sabe por qual direção o ônibus foi?
  • Por qual filme Ruth de Souza ganhou o prêmio de melhor atriz?

Veja também: Quando utilizar ratificar e retificar?

Quando usar o “por quê”?

Usamos “por quê” (separado e com acento), com o sentido de “por qual razão” ou “por qual motivo”, no final de frase e, portanto, antes de ponto-final, ponto de exclamação ou de interrogação.

Exemplos:

  • Ele não veio à festa no sábado, e eu imagino por quê.
  • Estou feliz e não sei por quê!
  • Os organizadores cancelaram o espetáculo por quê?

Atenção! Também podemos utilizar “por quê” quando ocorre omissão do verbo usado na oração anterior:

Muitos cachorros do bairro morreram hoje. Descobrir por quê é nossa prioridade.

Portanto, o verbo “morreram” foi omitido na segunda oração:

Muitos cachorros do bairro morreram hoje. Descobrir por que morreram é nossa prioridade.

Como substituir “por quê”?

Podemos substituir o “por quê” pelas expressões “por qual razão” ou “por qual motivo”.

Exemplos:

  • Ele não veio à festa no sábado, e eu imagino por qual razão.
  • Estou feliz e não sei por qual motivo!
  • Os organizadores cancelaram o espetáculo por qual razão?

Quando usar “porque”?

O “porque” (junto e sem acento) é uma conjunção causal ou explicativa, e tem o mesmo valor de “pois”, “já que”, “visto que”, “uma vez que” ou “em razão de”.

Exemplos:

  • 23 de abril é o Dia Nacional do Choro porque Pixinguinha nasceu nesse dia.
  • Porque discordei de sua opinião, ela me excluiu do grupo.
  • Bruno fez isso porque já estava cansado de tanta humilhação!
  • Decidiu pesquisar sobre a singularidade porque tinha muita curiosidade acerca dos buracos negros.
  • Por que Edna está emburrada? É porque Fabiana não se despediu dela antes de viajar?
  • Ele desmaiou porque estava sem comer há dias.

Atenção! “Porque” pode ser usado, também, como termo denotativo de realce:

A história fará justiça. Porque, não duvidem: a verdade é sempre soberana.

Nesse exemplo, o “porque” não exerce nenhuma função gramatical, ele apenas é usado para dar ênfase ao que está sendo expresso. Portanto, esse termo poderia ser retirado do enunciado sem comprometer o seu sentido:

A história fará justiça. Não duvidem: a verdade é sempre soberana.

Como substituir “porque”?

É possível substituir o “porque” por expressões como “pois”, “já que”, “visto que”, “uma vez que” ou “em razão de”.

Exemplos:

  • 23 de abril é o Dia Nacional do Choro, pois Pixinguinha nasceu nesse dia.
  • Já que discordei de sua opinião, ela me excluiu do grupo.
  • Bruno fez isso em razão de que já estava cansado de tanta humilhação!
  • Decidiu pesquisar sobre a singularidade, visto que tinha muita curiosidade acerca dos buracos negros.
  • Por que Edna está emburrada? É em razão de que Fabiana não se despediu dela antes de viajar?
  • Ele desmaiou, uma vez que estava sem comer há dias.

Quando usar “porquê”?

O “porquê” (junto e com acento) é um substantivo usado como sinônimo das palavras “razão” e “motivo”.

Exemplos:

  • O governador precisa explicar o porquê de suas ações.
  • Eu procuro um porquê para a minha existência.

Já que é um substantivo, ele pode, também, ser usado no plural:

  • São muitos os porquês relacionados à minha atitude, considerada, por algumas pessoas, desrespeitosa.
  • Esses porquês não bastam para você me deixar em paz?

Como substituir “porquê”?

Podemos substituir o “porquê” pelas palavras “razão” e “motivo”:

  • O governador precisa explicar a razão de suas ações.
  • Eu procuro um motivo para a minha existência.
  • São muitos os motivos relacionados à minha atitude, considerada, por algumas pessoas, desrespeitosa.
  • Essas razões não bastam para você me deixar em paz?

Exemplos de frases com os porquês

Ao usar os porquês, podemos manifestar uma dúvida ou uma certeza, isto é, perguntar ou afirmar.

Leia também:  Como Limpar Bijuteria Dourada Que Escureceu?

A seguir, vamos ler alguns exemplos de frases com os porquês, retiradas do livro A hora da estrela, de Clarice Lispector (1920-1977):

  • “Depois na certa escreverei algo alegre, embora alegre por quê?”
  • “Por que escrevo sobre uma jovem que nem pobreza enfeitada tem?”
  • “A menina não perguntava por que era sempre castigada mas nem tudo se precisa saber e não saber fazia parte importante de sua vida.”
  • “Macabéa pedir perdão? Porque sempre se pede. Por quê?”
  • “E adianto um fato: trata-se de moça que nunca se viu nua porque tinha vergonha.”
  • “Ele acrescentou irritado sem atinar com o porquê de sua súbita irritação e revolta.”
  • “Como eu irei dizer agora, esta história será o resultado de uma visão gradual — há dois anos e meio venho aos poucos descobrindo os porquês.”

E, também, do romance Quincas Borba, de Machado de Assis (1839-1908):

  • “Quando o testamento foi aberto, Rubião quase caiu para trás. Adivinhais por quê.”
  • “Rubião recordou a sua entrada no escritório do Camacho, o modo por que falou; e daí tornou atrás, ao próprio ato.”
  • “Vossa Senhoria pensa que não vi a maneira por que olhou para aquela moça que passou ainda agora?”
  • “Ia fazer a encomenda de outra assim, fosse por que preço; tinha também de presentear a noiva.”
  • “Mas, por que é que Rubião ia deixá-los?”

Leia também: Traz ou trás?

Resumo das regras de uso dos porquês

PORQUÊS QUANDO USAR EXEMPLOS
Por que Com o mesmo valor de “pelo qual”, “pelos quais”, “pela qual”, “pelas quais”, “por qual”, “por qual razão”, “por qual motivo”.
  • O caminho por que passamos.
  • Os caminhos por que passamos.
  • A estrada por que passamos.
  • As estradas por que passamos.
  • Foi substituído por que médico?
  • Por que estava sorrindo?
Por quê Com o mesmo sentido de “por qual razão” ou “por qual motivo”, no final de frase e antes de ponto-final, ponto de exclamação ou de interrogação.
  • Estava sorrindo por quê?
  • Ela sabe por quê.
  • Eu sei por quê!
Porque Com o mesmo valor de “pois”, “já que”, “visto que”, “uma vez que” ou “em razão de”.
  • Veio porque chamei.
  • Porque estava cansado, não foi ao cinema.
Porquê Como sinônimo de “razão” ou “motivo”.
  • Não entende o porquê de tudo isto.
  • Eu buscava um porquê para seguir em frente.

Exercícios resolvidos

  • Questão 1 – Leia esta estrofe do poema “Motivo”, de Cecília Meireles:
  • Eu canto porque o instante existe e a minha vida está completa. Não sou alegre nem sou triste:
  • sou poeta.
  • A palavra “porque”, em destaque, pode ser substituída, sem prejuízo de sentido, por todas as expressões a seguir, EXCETO:
  • A) uma vez que
  • B) por qual razão
  • C) visto que
  • D) já que
  • E) pois
  • Resolução

Alternativa B.

A palavra “porque” é uma conjunção causal ou explicativa, portanto, pode ser substituída por “uma vez que”, “visto que”, “já que” ou “pois”. Já a expressão “por qual razão” é equivalente a “por que” (separado e sem acento).

  1. Questão 2 – Leia os enunciados seguintes e marque a alternativa em que o uso de “por que”, “por quê”, “porque” ou “porquê” está INCORRETO.
  2. A) Ele perguntou-me por que eu estava sendo tão gentil depois de tudo o que acontecera.
  3. B) A cantora interrompeu o espetáculo porque percebeu uma briga no meio da plateia.
  4. C) Por que você não pede para o professor dar outra prova de biologia amanhã?
  5. D) Porque não encontrei a chave do carro, decidi ir de bicicleta até o trabalho hoje.
  6. E) Vim pedir desculpas e explicar a razão porque não te paguei até agora.
  7. Resolução

Alternativa E. A frase “Vim pedir desculpas e explicar a razão porque não te paguei até agora” pode ser reescrita desta forma: “Vim pedir desculpas e explicar a razão pela qual não te paguei até agora”. Portanto, o correto é utilizar “por que” (separado e sem acento).

Questão 3 – Use os porquês para preencher as lacunas deste texto:

Mário saiu de casa ______ queria caminhar um pouco e pensar nos ______ da existência. Não sabia ______ as coisas não estavam indo bem.

Por um momento, ficou em dúvida se devia ir na direção do supermercado ou da farmácia. Por fim, virou à esquerda. Então, notou que estava sendo seguido por um cachorrinho vira-lata.

Olhou para o animal e perguntou: “Você está me seguindo ______? Hein, totó?”. Logo ficaram amigos inseparáveis.

  • A sequência correta de preenchimento das lacunas é:
  • A) por que, porquês, por que, por quê.
  • B) porque, porquês, por que, por que.
  • C) porque, porquês, por que, por quê.
  • D) por que, porquês, porque, por quê.
  • E) porque, porquês, porque, por quê.
  • Resolução

Alternativa C. A sequência correta de preenchimento das lacunas é: “porque” (pois), “porquês” (substantivo), “por que” (por qual razão) e “por quê” (por qual razão, em final de frase, antes de sinal de interrogação). 

Por Warley Souza Professor de Português

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*