Se Pretender Ultrapassar O Veículo Que Circula À Minha Frente, Como Devo Efectuar A Manobra?

SEGURANÇA RODOVIÁRIA

Todos os dias viajamos junto dos nossos clientes. A nossa prioridade é contribuir para que cheguem ao seu destino com a máxima segurança, o máximo conforto e no menor tempo possível. A sua segurança é uma prioridade nossa!

Se Pretender Ultrapassar O Veículo Que Circula À Minha Frente, Como Devo Efectuar A Manobra?No caso de acidente ou avaria, solicite o apoio através da Linha de Assistência em Viagem 24h – 229 767 767 ou via posto de SOS, que se localizam de 2 em 2 Km.

Se Pretender Ultrapassar O Veículo Que Circula À Minha Frente, Como Devo Efectuar A Manobra? Se Pretender Ultrapassar O Veículo Que Circula À Minha Frente, Como Devo Efectuar A Manobra?

Pneus

Os pneus devem estar com a pressão adequada e não devem apresentar danos ou desgaste do piso. Incluindo o sobressalente.

Se Pretender Ultrapassar O Veículo Que Circula À Minha Frente, Como Devo Efectuar A Manobra?

Luzes

As luzes exteriores devem estar todas a funcionar corretamente e bem reguladas.

Se Pretender Ultrapassar O Veículo Que Circula À Minha Frente, Como Devo Efectuar A Manobra?

Limpa para-brisas

Confirme que as escovas estão em perfeitas condições e que o depósito de água está cheio.

Se Pretender Ultrapassar O Veículo Que Circula À Minha Frente, Como Devo Efectuar A Manobra?

Espelhos retrovisores

Devem estar limpos e ajustados ao condutor. Não os regule de forma a não ver uma parte do carro, pois isso fá-lo perder referências.

Se Pretender Ultrapassar O Veículo Que Circula À Minha Frente, Como Devo Efectuar A Manobra?

Triângulo e colete

Certifique-se que o triângulo de sinalização e o colete refletor estão no lugar correto e em boas condições. Lembre-se que é obrigatório usá-lo se o veículo estiver parado na faixa de rodagem ou berma.

Se Pretender Ultrapassar O Veículo Que Circula À Minha Frente, Como Devo Efectuar A Manobra?

Bagagem

Distribua o peso por toda a bagageira. As malas mais pesadas devem ser colocadas ao meio.

Se Pretender Ultrapassar O Veículo Que Circula À Minha Frente, Como Devo Efectuar A Manobra?

Cinto de Segurança

Confirme que os cintos de segurança estão a funcionar corretamente, quer do condutor, quer dos passageiros.

Se Pretender Ultrapassar O Veículo Que Circula À Minha Frente, Como Devo Efectuar A Manobra?

Documentos

Certifique-se que leva todos os documentos necessários, nomeadamente comprovativo de propriedade, de inspeção periódica obrigatória e certificado do seguro.

Percurso

Defina previamente o roteiro da sua viagem, identificando os locais para descanso e alimentação.

Combustível

Certifique-se que tem combustível para chegar ao destino ou defina os locais para abastecimento.

Boas práticas para diminuir o consumo de combustível:

  • Ligue o veículo apenas quando iniciar a viagem, aquecer o motor apenas contribui para consumir combustível;
  • Conduza sempre com uma distância de segurança, desta forma reduz o número de acelerações e travagens, diminuindo o consumo;
  • Sempre que possível, utilizar rotações do motor mais baixas. Troque de mudanças num carro a gasolina entre as 2000 rpm e 2500 rpm e num carro a gasóleo entre as 1500 rpm e 2000 rpm;
  • Acelere e desacelere suavemente, as acelerações bruscas fazem o veículo consumir mais combustível;
  • Não conduza em velocidades elevadas, isso implica maior risco de acidente e aumenta o consumo de combustível;
  • Nas descidas ou situações de travagem controlada, mantenha uma mudança engrenada. Os veículos com tecnologia moderna cortam a injeção de combustível quando se retira o pé do acelerador e se mantém uma mudança engrenada. Assim aproveita o balanço do veículo para prolongar o seu movimento, sem ser necessário consumir combustível;
  • Em paragens acima dos 60 segundos é recomendado desligar o motor;
  • Evite o uso do ar condicionado, pois aumenta o consumo de combustível. Evite também viajar com as janelas abertas, isso aumenta o consumo de combustível até 10%.
  • Boas práticas que combatem o risco de acidentes rodoviários:
  • VELOCIDADE
  • A velocidade deve ser regulada em função de um conjunto de fatores a que deve estar atento e apenas dentro dos limites estabelecidos no código da estrada.
  • Cumpra os limites de velocidade indicados nos sinais. Quando circula acima dos limites de velocidade previstos na lei significa que está em excesso de velocidade;
  • Para não circular em velocidade excessiva adapte a sua velocidade às condições de circulação: com más condições meteorológicas, com condicionamentos provocados por obras, acidentes, intensidade de tráfego ou outras situações, reduza a velocidade. Lembre-se que quanto maior a velocidade, maior o espaço necessário para parar a viatura;
  • Quanto maior a velocidade, maior o consumo de combustível e o risco de multa, em contrapartida o ganho de tempo é muito pequeno;
  • A velocidade é um fator determinante nas consequências dos acidentes;
  • A velocidade excessiva resulta muitas vezes de avaliação errada quer das condições da via, quer do tráfego, por parte do condutor.

CONDIÇÕES METEOROLÓGICAS

A chuva, o nevoeiro, o vento, o gelo e a neve, alteram significativamente as condições de circulação.

Com Chuva

  • Reduza a velocidade
  • Verifique se os pneus estão em bom estado e com a pressão correta
  • Tenha em atenção que as primeiras chuvas propiciam um piso deslizante
  • Ligue os médios
  • Utilize o limpa para-brisas e mantenha as suas escovas em bom estado
  • Trave suavemente para não bloquear a direção
  • Aumente a distância de segurança para os outros veículos

Com Gelo e Neve

  • Reduza a velocidade
  • Ligue os médios e as luzes de nevoeiro
  • Utilize os limpa para-brisas e mantenha as suas escovas em bom estado
  • Trave suavemente para evitar deslizar (a aderência ao pavimento pode ser nula)
  • Aumente a distância de segurança para os outros veículos
  • Se não se sentir seguro pare o veículo

Com Nevoeiro

  • Reduza a velocidade
  • Verifique se os pneus estão em bom estado e com a pressão correta
  • Aumente a distância de segurança para os outros veículos
  • Ligue os médios e as luzes de nevoeiro (não utilizar os máximos) – Fundamental Ver e Ser Visto
  • Preste atenção à sinalização horizontal que servirá de guia
  • Trave suavemente
  • Aumente a distância de segurança para evitar choques em cadeia

Com Vento

  • Reduza a velocidade
  • Evite movimentos bruscos e mantenha o volante firme
  • Tenha cuidado ao ultrapassar, ao passar em viadutos e ao sair de túneis e de zonas resguardadas
  1. CONSUMO DE ÁLCOOL
  2. O álcool afeta muito negativamente todas as capacidades, físicas e psicológicas, necessárias à prática de uma condução segura.
  3. A ingestão de bebidas alcoólicas provoca:
  • Tendência para correr riscos desnecessários;
  • Diminuição das capacidades de perceção visual e perda progressiva da visão periférica;
  • Avaliação deficiente das velocidades e das distâncias;
  • Aumento do tempo de reação;
  • Descontrolo dos movimentos, o que leva a travagens buscas e desnecessárias assim como a grandes golpes do volante;
  • Com uma taxa de 0,50g/l o risco de acidente mortal aumenta 2 vezes; com 0,80g/l aumenta 4 vezes; com 0,90g/l aumenta 5 vezes; com 1,20g/l aumenta 16 vezes.
  • DISTRAÇÃO
  • Conduzir exige a identificação e organização de todas as informações, com o objetivo de tomar as decisões mais corretas a cada momento.
  • As principais causas de distração dos condutores são:
  • Focar o olhar na paisagem, num anúncio publicitário, num acidente ou até mesmo no GPS;
  • Usar o telemóvel;
  • Concentração em problemas pessoais ou profissionais;
  • Estados de depressão, ansiedade ou outras patologias associadas à dispersão de foco e concentração.
  1. FADIGA
  2. A condução, por obrigar a fases de atenção difusa e de concentração intensa numa postura rígida, induz a fadiga, mesmo que no seu estado inicial não seja muito sentida pelo condutor.
  3. A fadiga no condutor geralmente manifesta-se pela tendência a circular demasiado depressa e a avaliar incorretamente a sua velocidade e a dos outros.
  4. Para evitar o estado de fadiga deve:
  • Manter o veículo arejado e regular a climatização;
  • Ligar o rádio com música suave;
  • Beber muita água, não ingerir bebidas alcoólicas e alimentar-se à base de refeições ligeiras;
  • Evitar manter o olhar sempre fixo no centro da via;
  • Evitar marcar uma hora de chegada muito rígida;
  • Evitar iniciar a viagem após um dia de trabalho;
  • Fazer pausas de 10 a 15 minutos entre cada 2 horas de condução.
  • SONO
  • Sono é uma das principais causas de acidentes mortais, sobretudo em autoestrada.
  • Em viagens mais longas lembre-se de:
  • Fazer paragens frequentes para interromper a monotonia;
  • Comer refeições ligeiras;
  • Manter o interior do veículo bem ventilado;
  • Conversar com um passageiro;
  • Parar para refrescar com água fria.

Conselhos importantes de circulação segura em autoestrada

Não se esqueça que uma autoestrada destina-se a trânsito rápido, tem separação física de faixas de rodagem, não tem cruzamentos de nível nem acesso a propriedades marginais e com acessos condicionados.

Nas autoestradas não é permitido:

  • Circulação de peões, animais e veículos que não sejam automóveis ou motociclos;
  • Inverter o sentido de marcha;
  • Fazer marcha atrás;
  • Transpor os separadores de trânsito ou as aberturas neles existentes;
  • Circular sem utilizar as luzes regulamentares;
  • Parar ou estacionar (nem na faixa de rodagem, nem nas bermas). Se necessitar, deverá parar nas áreas de serviço e repouso.

Quando entra ou sai da autoestrada e áreas de serviço deve:

      • Orientar-se pela sinalização existente;
      • Alcançar a velocidade adequada para entrar na via dedicada à entrada/saída;
      • Observar o tráfego:- Se não houver perigo avance, sinalizando devidamente a manobra;- Se houver perigo aguarde até que se possa incorporar na plena via em condições de segurança.

Durante a circulação na autoestrada, lembre-se que deve:

  • Circular sempre na via mais à direita;
  • Sinalizar antecipadamente as manobras, sempre que pretender mudar de via, e verifique se tal é possível em segurança;
  • Manter uma distância de segurança relativamente ao veículo que circula à sua frente;
  • Respeitar a sinalização.
  • Tome atenção às indicações dadas nos Painéis de Mensagem Variável, que o informarão de eventuais incidências no seu percurso.
Leia também:  Como Ver As Skins Que Tenho No Lol?

No caso de acidente ou avaria, solicite o apoio através da Linha de Assistência em Viagem 24h – 229 767 767 ou via posto de SOS,

que se localizam de 2 em 2 Km. Saiba como atuar em segurança:

  • Dê o máximo de informação solicitada;
  • Pare o veículo na berma e ligue de imediato as luzes de emergência;
  • Vista o colete retrorrefletor;
  • Coloque o triângulo sinalizador a 50 m do veículo;
  • Coloque-se num local seguro, nomeadamente atrás dos rails e virado de frente para o sentido de marcha das viaturas que circulam na autoestrada.

Sinalizar para ser entendido – Circula Seguro

Se Pretender Ultrapassar O Veículo Que Circula À Minha Frente, Como Devo Efectuar A Manobra?

É difícil encontrar alguém que não se irrite quando se depara com uma manobra não assinalada. É complicado gerir a surpresa com que somos “presenteados” pelos outros condutores… Mas são só os outros ou você também o faz?

Saiba as consequências, para si e para os outros, de efetuar manobras não assinaladas. Veja como deve sinalizar as manobra. De que forma deverá fazer e que meios deverá usar. Relembre o que aprendeu na instrução. Saiba como pode contribuir para a prevenção rodoviária.

Quando deve sinalizar as manobras

As imprudências no trânsito podem sair caras, não só a nível material como também humano. O Código da Estrada estabelece um conjunto de regras que os condutores devem seguir. Antes de realizar a manobra o condutor deve, previamente, certificar-se que a pode realizar em condições de segurança e sem causar perigo ou entrave para o trânsito.

Como forma de simplificar as situações e a forma de sinalizar, mostro-as agrupadas por tipo sinal que deverá usar. Pisca, serve para indicar: – Mudança de faixa, ou de direção. Ligue-o, antecipadamente, para o sentido que deseja ir.

Mas antes confirme, no retrovisor, se estão reunidas as condições de fazer a manobra e, só então, efetue a manobra; – Se estiver procurando lugar de estacionamento. Isso evitará que o carro de trás fique muito próximo e impeça que a manobra de estacionamento seja realizada.

– Na presença dum ciclista, um veículo de tração animal ou outro obstáculo na via, basta sinalizar com para avisar ao condutor de trás sobre o fato.

Mas não é necessário trocar de faixa, basta desviar a distância regulamentar; – Utilize o pisca mesmo quando for o único veículo na estrada, assim ganhará o hábito de sinalizar as manobras.

Quando deve usar os 4 piscas

Luzes de perigo, vulgo, 4 piscas, devem ser usados para: – Sinalizar e indicar aos outros condutores que o precedem de algo inesperado, como, por exemplo, algum buraco grande, obstáculo ou animais na via; – Avisar ao condutor de trás que irá parar para deixar peões atravessarem em zonas sem semáforo.

Caso se aperceba que o veículo de trás vier em alta velocidade, é aconselhável não parar; – Parar para que passageiros embarquem ou desembarquem no carro; – Avisar que será solidário e dará passagem para que um veículo que se encontra na via lateral entre no fluxo da via principal.

O mesmo deve acontecer se a vez for dada passagem a veículos que estejam a sair de um estacionamento.

Sinalização com as mãos

As mãos também servem para sinalizar manobras e devem ser usadas nos seguintes casos: – Se as luzes do veículo estiverem queimadas, as mãos devem indicar as manobras que o condutor fará.

Mas essa deve ser uma solução de recurso, substitua de imediato as lâmpadas fundidas; – Se circula numa bicicleta, as mãos servem para indicar as manobras da mesma forma indicada acima para os outros veículos.

  • Como sinalizar uma manobra com as mãos: – Se pretende reduzir a velocidade, estenda horizontalmente o braço esquerdo, com a palma da mão voltada para o solo, e oscilar lentamente, repetidas vezes, no plano vertical, de cima para baixo; – Se pretende parar, estenda horizontalmente o braço esquerdo, com a palma da mão voltada para trás; – Se vai virar para a esquerda, estenda horizontalmente o braço esquerdo, com a palma da mão voltada para a frente; – Se vai virar para o lado direito, estenda horizontalmente o braço direito e faz-o oscilar verticalmente, repetidas vezes, de baixo para cima, com a palma da mão voltada para o lado para onde vai mudar de direção;
  • – Se pretende sinalizar que o podem ultrapassar, estenda horizontalmente o braço esquerdo, inclinando-o para o solo, com a palma da mão para a frente e movendo-a repetidas vezes de trás para diante e de diante para trás;

O que diz a lei

O condutor está obrigado a assinalar com a necessária antecedência a sua intenção. Para tal deverá utilizar a luz de mudança de direção prevista no Código da Estrada, no seu Artigo n.º 60. Onde consta que deverá ligar o pisca do lado correspondente ao da deslocação lateral do veículo e, no caso de redução de velocidade, a da direita.

Assim, sempre que um condutor pretender reduzir a velocidade, ou parar, está obrigado a assinalar com a necessária antecedência a sua intenção. Conforme consta no Artigos n.º 48 a 52.

Devendo o sinal manter-se ligado enquanto efetua a manobra e terminar logo que esta esteja concluída. Não esqueça de indicar, antecipadamente, o momento em que irá iniciar a marcha.

Se Pretender Ultrapassar O Veículo Que Circula À Minha Frente, Como Devo Efectuar A Manobra?

A sinalização das manobras deve ser entendida não só pelos outros condutores, como também, pelos peões. Pois assim o peão saberá para onde o condutor pretende se dirigir podendo adequar o seu movimento. O condutor ao adotar uma atitude responsável e consciente, mantêm todos informados das suas intenções.

A falta de sinalização das manobras, a sinalização incorreta ou mesmo a sinalização não atempada da respetiva manobra pode levar os outros veículos a não entenderem o que pretende realizar. Assim, a probabilidade de se envolver num sinistro aumenta exponencialmente.

Uma condução defensiva deve ser executada sempre, independentemente do comportamento dos outros condutores e peões.

Por pior que seja a situação que os outros lhe criam, devido à falta de sinalização das manobras, deve manter a calma e evitar mais complicações.

Já agora, num tom mais ligeiro e caso dúvidas existissem, os gestos obscenos não são considerados como sinalização de manobras.

Foto | Wikimedia (BMW E21), (Turn signal)

Código da Estrada

Algumas manobras em especial

Disposição comum

1 – O condutor só pode efetuar as manobras de ultrapassagem, mudança de direção ou de via de trânsito, inversão do sentido de marcha e marcha atrás em local e por forma que da sua realização não resulte perigo ou embaraço para o trânsito.2 – Quem infringir o disposto no número anterior é sancionado com coima de (euro) 120 a (euro) 600.

Regra geral

1 – A ultrapassagem deve efetuar-se pela esquerda.2 – Quem infringir o disposto no número anterior é sancionado com coima de (euro) 250 a (euro) 1250.

Exceções

1 – Deve fazer-se pela direita a ultrapassagem de veículos ou animais cujo condutor, assinalando devidamente a sua intenção, pretenda mudar de direção para a esquerda ou, numa via de sentido único, parar ou estacionar à esquerda, desde que, em qualquer caso, tenha deixado livre a parte mais à direita da faixa de rodagem.2 – Pode fazer-se pela direita a ultrapassagem de veículos que transitem sobre carris desde que estes não utilizem esse lado da faixa de rodagem e:a) Não estejam parados para a entrada ou saída de passageiros;b) Estando parados para a entrada ou saída de passageiros, exista placa de refúgio para peões.3 – Quem infringir o disposto no n.º 1 é sancionado com coima de (euro) 120 a (euro) 600.

Realização da manobra

1 – O condutor de veículo não deve iniciar a ultrapassagem sem se certificar de que a pode realizar sem perigo de colidir com veículo que transite no mesmo sentido ou em sentido contrário.2 – O condutor deve, especialmente, certificar-se de que:a) A faixa de rodagem se encontra livre na extensão e largura necessárias à realização da manobra com segurança;b) Pode retomar a direita sem perigo para aqueles que aí transitam;c) Nenhum condutor que siga na mesma via ou na que se situa imediatamente à esquerda iniciou manobra para o ultrapassar;d) O condutor que o antecede na mesma via não assinalou a intenção de ultrapassar um terceiro veículo ou de contornar um obstáculo;e) Na ultrapassagem de velocípedes ou à passagem de peões que circulem ou se encontrem na berma, guarda a distância lateral mínima de 1,5 m e abranda a velocidade.3 – Para a realização da manobra, o condutor deve ocupar o lado da faixa de rodagem destinado à circulação em sentido contrário ou, se existir mais que uma via de trânsito no mesmo sentido, a via de trânsito à esquerda daquela em que circula o veículo ultrapassado.4 – O condutor deve retomar a direita logo que conclua a manobra e o possa fazer sem perigo.5 – Quem infringir o disposto nos números anteriores é sancionado com coima de (euro) 120 a (euro) 600.

Leia também:  Como Se Diz Quando Um Ovo Não Gerou Pinto?

Obrigação de facultar a ultrapassagem

1 – Todo o condutor deve, sempre que não haja obstáculo que o impeça, facultar a ultrapassagem, desviando-se o mais possível para a direita ou, nos casos previstos no n.º 1 do artigo 37.º, para a esquerda e não aumentando a velocidade enquanto não for ultrapassado.2 – Quem infringir o disposto no número anterior é sancionado com coima de (euro) 120 a (euro) 600.

Veículos de marcha lenta

1 – Fora das localidades, em vias cuja faixa de rodagem só tenha uma via de trânsito afeta a cada sentido, os condutores de automóveis pesados, de veículos agrícolas, de máquinas industriais, de veículos de tração animal ou de outros veículos, com exceção dos velocípedes, que transitem em marcha lenta devem manter em relação aos veículos que os precedem uma distância não inferior a 50 m que permita a sua ultrapassagem com segurança.2 – Não é aplicável o disposto no número anterior sempre que os condutores dos veículos aí referidos se preparem para fazer uma ultrapassagem e tenham assinalado devidamente a sua intenção.3 – Sempre que a largura livre da faixa de rodagem, o seu perfil ou o estado de conservação da via não permitam que a ultrapassagem se faça em termos normais com a necessária segurança, os condutores dos veículos referidos no n.º 1 devem reduzir a velocidade e parar, se necessário, para facilitar a ultrapassagem.4 – Quem infringir o disposto nos n.os 1 e 3 é sancionado com coima de (euro) 60 a (euro) 300.

Ultrapassagens proibidas

1 – É proibida a ultrapassagem:a) Nas lombas;b) Imediatamente antes e nas passagens de nível;c) Imediatamente antes e nos cruzamentos e entroncamentos;d) Imediatamente antes e nas passagens assinaladas para a travessia de peões e velocípedes;e) Nas curvas de visibilidade reduzida;f) Em todos os locais de visibilidade insuficiente;g) Sempre que a largura da faixa de rodagem seja insuficiente.2 – É proibida a ultrapassagem de um veículo que esteja a ultrapassar um terceiro.3 – Não é aplicável o disposto nas alíneas a) a c) e e) do n.º 1 e no n.º 2 sempre que na faixa de rodagem sejam possíveis duas ou mais filas de trânsito no mesmo sentido, desde que a ultrapassagem se não faça pela parte da faixa de rodagem destinada ao trânsito em sentido oposto.4 – Não é, igualmente, aplicável o disposto na alínea c) do n.º 1 sempre que a ultrapassagem se faça pela direita nos termos do n.º 1 do artigo 37.º5 – Quem infringir o disposto nos n.os 1 e 2 é sancionado com coima de (euro) 120 a (euro) 600.

Pluralidade de vias e trânsito em filas paralelas

Nos casos previstos no n.º 2 do artigo 14.º, no artigo 14.º-A e no artigo 15.º, o facto de os veículos de uma fila circularem mais rapidamente que os de outra não é considerado ultrapassagem para os efeitos previstos no presente Código.

Mudança de direção para a direita

1 – O condutor que pretenda mudar de direção para a direita deve aproximar-se, com a necessária antecedência e quanto possível, do limite direito da faixa de rodagem e efetuar a manobra no trajeto mais curto.2 – Quem infringir o disposto no número anterior é sancionado com coima de (euro) 60 a (euro) 300.

Mudança de direção para a esquerda

1 – O condutor que pretenda mudar de direção para a esquerda deve aproximar-se, com a necessária antecedência e o mais possível, do limite esquerdo da faixa de rodagem ou do eixo desta, consoante a via esteja afeta a um ou a ambos os sentidos de trânsito, e efetuar a manobra de modo a entrar na via que pretende tomar pelo lado destinado ao seu sentido de circulação.2 – Se tanto na via que vai abandonar como naquela em que vai entrar o trânsito se processa nos dois sentidos, o condutor deve efetuar a manobra de modo a dar a esquerda ao centro de intersecção das duas vias.3 – Quem infringir o disposto nos números anteriores é sancionado com coima de (euro) 60 a (euro) 300.

Inversão do sentido de marcha

Lugares em que é proibida

1 – É proibido inverter o sentido de marcha:a) Nas lombas;b) Nas curvas, cruzamentos ou entroncamentos de visibilidade reduzida;c) Nas pontes, passagens de nível e túneis;d) Onde quer que a visibilidade seja insuficiente ou que a via, pela sua largura ou outras características, seja inapropriada à realização da manobra;e) Sempre que se verifique grande intensidade de trânsito.2 – Quem infringir o disposto no número anterior é sancionado com coima de (euro) 120 a (euro) 600.

Realização da manobra

1 – A marcha atrás só é permitida como manobra auxiliar ou de recurso e deve efetuar-se lentamente e no menor trajeto possível.2 – Quem infringir o disposto no número anterior é sancionado com coima de (euro) 30 a (euro) 150.

Lugares em que é proibida

1 – Sem prejuízo do disposto no n.º 2 do artigo 33.º para o cruzamento de veículos, a marcha atrás é proibida:a) Nas lombas;b) Nas curvas, rotundas e cruzamentos ou entroncamentos de visibilidade reduzida;c) Nas pontes, passagens de nível e túneis;d) Onde quer que a visibilidade seja insuficiente ou que a via, pela sua largura ou outras características, seja inapropriada à realização da manobra;e) Sempre que se verifique grande intensidade de trânsito.2 – Quem infringir o disposto no número anterior é sancionado com coima de (euro) 120 a (euro) 600.

Como devem efetuar-se

1 – Considera-se paragem a imobilização de um veículo pelo tempo estritamente necessário para a entrada ou saída de passageiros ou para breves operações de carga ou descarga, desde que o condutor esteja pronto a retomar a marcha e o faça sempre que estiver a impedir ou a dificultar a passagem de outros veículos.2 – Considera-se estacionamento a imobilização de um veículo que não constitua paragem e que não seja motivada por circunstâncias próprias da circulação.3 – Fora das localidades, a paragem e o estacionamento devem fazer-se fora das faixas de rodagem ou, sendo isso impossível e apenas no caso de paragem, o mais próximo possível do respetivo limite direito, paralelamente a este e no sentido da marcha.4 – Dentro das localidades, a paragem e o estacionamento devem fazer-se nos locais especialmente destinados a esse efeito e pela forma indicada ou na faixa de rodagem, o mais próximo possível do respetivo limite direito, paralelamente a este e no sentido da marcha.5 – Ao estacionar o veículo, o condutor deve deixar os intervalos indispensáveis à saída de outros veículos, à ocupação dos espaços vagos e ao fácil acesso aos prédios, bem como tomar as precauções indispensáveis para evitar que aquele se ponha em movimento.6 – Quem infringir o disposto nos n.os 4 e 5 é sancionado com coima de (euro) 30 a (euro) 150.

Proibição de paragem ou estacionamento

1 – É proibido parar ou estacionar:a) Nas rotundas, pontes, túneis, passagens de nível, passagens inferiores ou superiores e em todos os lugares de visibilidade insuficiente;b) A menos de 5 m para um e outro lado dos cruzamentos, entroncamentos ou rotundas, sem prejuízo do disposto na alínea e) do presente número e na alínea a) do n.º 2;c) A menos de 5 m para a frente e 25 m para trás dos sinais indicativos da paragem dos veículos de transporte coletivo de passageiros ou a menos de 6 m para trás daqueles sinais quando os referidos veículos transitem sobre carris;d) A menos de 5 m antes e nas passagens assinaladas para a travessia de peões ou de velocípedes;e) A menos de 20 m antes dos sinais verticais ou luminosos se a altura dos veículos, incluindo a respetiva carga, os encobrir;f) Nas pistas de velocípedes, nos ilhéus direcionais, nas placas centrais das rotundas, nos passeios e demais locais destinados ao trânsito de peões;g) Na faixa de rodagem sempre que esteja sinalizada com linha longitudinal contínua e a distância entre esta e o veículo seja inferior a 3 m.2 – Fora das localidades, é ainda proibido:a) Parar ou estacionar a menos de 50 m para um e outro lado dos cruzamentos, entroncamentos, rotundas, curvas ou lombas de visibilidade reduzida;b) Estacionar nas faixas de rodagem;c) Parar na faixa de rodagem, salvo nas condições previstas no n.º 3 do artigo anterior.3 – Quem infringir o disposto no n.º 1 é sancionado com coima de (euro) 30 a (euro) 150, salvo se se tratar de paragem ou estacionamento nas passagens de peões ou de velocípedes e nos passeios, impedindo a passagem de peões, caso em que a coima é de (euro) 60 a (euro) 300.4 – Quem infringir o disposto no n.º 2 é sancionado com coima de (euro) 60 a (euro) 300, salvo se se tratar de estacionamento de noite nas faixas de rodagem, caso em que a coima é de (euro) 250 a (euro) 1250.

Leia também:  Como Saber Quando Mudar De Marcha?

Proibição de estacionamento

1 – É proibido o estacionamento:a) Impedindo o trânsito de veículos ou obrigando à utilização da parte da faixa de rodagem destinada ao sentido contrário, conforme o trânsito se faça num ou em dois sentidos;b) Nas faixas de rodagem, em segunda fila, e em todos os lugares em que impeça o acesso a veículos devidamente estacionados, a saída destes ou a ocupação de lugares vagos;c) Nos lugares por onde se faça o acesso de pessoas ou veículos a propriedades, a parques ou a lugares de estacionamento;d) A menos de 10 m para um e outro lado das passagens de nível;e) A menos de 5 m para um e outro lado dos postos de abastecimento de combustíveis;f) Nos locais reservados, mediante sinalização, ao estacionamento de determinados veículos;g) De veículos agrícolas, máquinas industriais, reboques ou semirreboques quando não atrelados ao veículo trator, salvo nos parques de estacionamento especialmente destinados a esse efeito;h) Nas zonas de estacionamento de duração limitada quando não for cumprido o respetivo regulamento;i) De veículos ostentando qualquer informação com vista à sua transação, em parques de estacionamento.2 – Quem infringir o disposto no número anterior é sancionado com coima de (euro) 30 a (euro) 150, salvo se se tratar do disposto nas alíneas c), f) e i), casos em que a coima é de (euro) 60 a (euro) 300.

Contagem das distâncias

As distâncias a que se referem as alíneas b) do n.º 1 e a) do n.º 2 do artigo 49.º contam-se:a) Do início ou fim da curva ou lomba;b) Do prolongamento do limite mais próximo da faixa de rodagem transversal, nos restantes casos.

Paragem de veículos de transporte coletivo

1 – Nas faixas de rodagem, o condutor de veículo utilizado no transporte coletivo de passageiros só pode parar para a entrada e saída de passageiros nos locais especialmente destinados a esse fim.2 – No caso de não existirem os locais referidos no número anterior, a paragem deve ser feita o mais próximo possível do limite direito da faixa de rodagem.3 – Quem infringir o disposto nos números anteriores é sancionado com coima de (euro) 30 a (euro) 150.

Transporte de pessoas e de carga

Se pretender ultrapassar o veículo que circula à minha frente, como devo efectuar a manobra?

O modo como cada sujeito estabelece relações com os outros indivíduos e com a cultura é o que chamamosEscolha uma opção:a. interação social.b. vida so

cial.c. papel social.d. coerção social.​

1) Assinale a opção correta no que se refere às nulidades no processo penal. 
(A) De acordo com a CF, o juiz, sob pena de nulidade, deverá motivar o d

espacho que receba a denúncia, porquanto sua decisão, nessa fase preliminar da ação penal, reveste-se de conteúdo decisório.

 
(B) A competência determinada pelo lugar em que se consumar a infração penal é relativa, devendo ser arguida em tempo oportuno, sob pena de preclusão.

 
(C) Tanto a nulidade absoluta quanto a relativa podem ser reconhecidas de ofício, independentemente de requerimento das partes, já que o ato eivado de vício não se convalida no processo e não há prazo para alegá-lo.

 
(D) A citação de réu preso no distrito da culpa realizada por requisição, caracterizada como mera irregularidade, supre a citação por mandado, desde que convalidada na primeira oportunidade de comparecimento do réu em juízo.
(E) As nulidades da instrução criminal dos processos comuns deverão ser arguidas ao final da audiência de inquirição das testemunhas, ou, de imediato, tão logo ocorram, sob pena de preclusão.

Qual o Filme mais genérico na sua opinião
Obs: tem que ser um filme infantil, pq filme genérico infantil é tudo feito pra ganhar dinheiro sem ter um t

rabalho, um exemplo é o Emoji o filme, se vc olhar, a história é igual a do Detona Ralph

Quando o controle de acesso de todas as medidas devem ser calculadas com zelo tendo em vista que ao limitarem as manobras do delinquente Quando o co

ntrole de acesso de todas as medidas devem ser calculadas com zelo tendo em vista que ao limitarem as manobras do delinquente podem também prejudicar a vítima dificultando a sua fuga ao mesmo um pedido de socorro também prejudicar a vítima dificultando a sua fuga ao mesmo um pedido de socorro​

5) O Código de Defesa do Consumidor (CDC) prevê alguns direitos, tais como a proteção à vida, o direito de informação, dentre outros. Um de suma impor

tância diz respeito ao controle das práticas publicitárias, uma vez que vivemos na era digital, o que favorece um enorme alcance das veiculações de propagandas.

Diante disso, não resta dúvida que o CDC deve abarcar o direito de proteger o consumidor acerca das publicidades, garantindo também outros direitos, como da segurança e da informação.

Sobre o controle das práticas publicitárias, marque a única alternativa correta: Selecione uma alternativa: a) A proteção contra a publicidade enganosa ou abusiva deve ser observada apenas na fase posterior ao negócio jurídico, nunca antecedente ao mesmo.

b) A observação de publicidade enganosa ou abusiva, na fase posterior ao negócio jurídico, se caracteriza por omissão de dado ou inclusão de informação total ou parcialmente falsa.

c) A observação de publicidade enganosa ou abusiva, na fase anterior ao negócio jurídico, se caracteriza por veiculação de valores contrários à dignidade do consumidor, que explore medo, incite violência ou discriminação, etc. d) Com relação à publicidade, o CDC permite a venda casada de produtos. e) O CDC permite, contra a prática de cláusulas abusivas, a modificação destas que estabeleçam prestações desproporcionais ou sua revisão em razão de fatos supervenientes que as tornem, excessivamente, onerosas.

Sobre terra pública: *
A. é incorreto afirmar que o STJ permitiu usucapião de terreno de marinha em regime de aforamento.
B. é correto afirmar que as

terras devolutas podem ser usucapidas, desde que o Estado não exerça a função social da propriedade
C.

é correto afirmar que todas as terras públicas estão afetadas, pois tem alguma destinação pública.
D. é incorreto afirmar que o STJ permitiu posse de bem público, desde que haja posse agrária
E.

é correto afirmar que a terra pública é um bem público, com destinação agrária.

1° A imagem mostra uma cena rural ou urbana?Explique.​

A Constituição Federal e o Direito Tributário prescrevem que não poderá haver instituição e cobrança de tributos de forma desigual entre contribuintes

que se encontram em condições de igualdade jurídica, ou seja, proíbem qualquer distinção, inclusive em decorrência de ocupação profissional ou função exercida. Acerca do princípio a que se refere, classifique V para as opções verdadeiras e F para as falsas:

Quais são os elementos básicos da posse no código civil de 2002?

Sobre o filme “JOBS” e registre suas opiniões e conclusões, procurando identificar os pontos que envolvem o plano de negócios:
• Definição do nome;

Definição dos produtos e serviços;
• Definição dos clientes;
• Definição e importância do cliente e como recebê-lo;
• Percepção da necessidade do cliente;
• Estrutura do negócio.
(É inovação e empreendedorismo a matéria)

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*