Revisão Bibliográfica O Que É Como Fazer?

Dando continuidade a nossa série de artigos sobre métodos de pesquisa, apresentada no artigo Como escolher o método de pesquisa mais adequado para seu estudo?, vamos começar com um dos métodos de pesquisa mais aplicados pela comunidade acadêmica, a Revisão Sistemática da Literatura.

A revisão sistemática da literatura é um dos tipos de revisão da literatura que tem como objetivo resumir toda a informação existente sobre um fenômeno de maneira imparcial e completa.

Em contraste com o processo não sistemático, a revisão sistemática é feita de maneira formal e meticulosa. Isso significa que devemos seguir o plano definido no protocolo da revisão que, dentre outras coisas, estabelece uma sequência bem definida de passos.

Devido a essa meticulosidade, uma das vantagens da  revisão sistemática da literatura é permitir que outros pesquisadores façam futuras atualizações da revisão, caso sigam o mesmo conjunto de passos estabelecidos no protocolo.

Revisão Bibliográfica O Que É Como Fazer?Etapas de execução da revisão sistemática

Podemos resumir os estágios de uma revisão da literatura em três fases: Planejando a Revisão, Conduzindo a Revisão e Reportando a Revisão. Vamos detalhá-los a seguir.

Planejando a Revisão da literatura

A fase de planejamento deve ser executada com bastante atenção, pois qualquer erro que aconteça terá impacto nas outras fases e sua revisão poderá ser totalmente comprometida. A principal saída dessa fase é o protocolo da revisão.

Para realizar o planejamento você deverá seguir os seguintes passos:

  1. Identificar a necessidade da revisão da literatura. Para isso você tem que refletir e tentar responder as seguintes questões:
    • A área de pesquisa é madura o suficiente, com bastante estudos publicados?
    • Já existe alguma revisão recente sobre o mesmo tema?
  2. Definir as questões de pesquisa que você pretende responder com a revisão.
    • Parte critica da revisão, essas questões são usadas para construir as strings (palavras-chave) para buscar os artigos nas bases bibliográficas.
    • Elas determinam quais informações serão extraídas dos artigos que serão analisados, os quais chamamos de estudos primários.
    • Uma vez definidas na fase de planejamento, essas questões não poderão ser alteradas nas fases seguintes.
    • Recomendamos que um especialista no tema da revisão revise as questões ainda na fase de construção do protocolo.
    • Revisões da literatura feitas anteriormente na mesma área, ou em áreas semelhantes, poderão ajudar na definição dessas questões.
  3. Criar o protocolo da revisão
    • Nesse protocolo todo o passo a passo para fazer a revisão é definido. Os passos devem ser bem definidos e seguidos a risca para reduzir a possibilidade de erros na execução da revisão.
    • Todos os autores da revisão devem participar da elaboração do protocolo.
    • É importante simular a execução do protocolo, o que ajudará a encontrar possíveis erros em cada um dos passos. Durante a simulação, as questões de pesquisa ainda podem ser alteradas.
  4. Validar o protocolo
    • Passo fundamental que deve ser feito com o auxilio do orientador ou especialista da área.
    • Essa etapa é muito importante, uma vez que esse protocolo irá determinar como toda a pesquisa será conduzida.
    • IMPORTANTE: Você só deverá seguir para a fase seguinte quando tiver certeza de que seu protocolo está pronto. Repita os passos do planejamento quantas vezes for necessário para ter essa certeza. Lembre que qualquer erro no planejamento poderá comprometer toda a sua pesquisa.

Conduzindo a Revisão da literatura

A condução da revisão deve seguir rigorosamente o protocolo que foi elaborado. Veja a seguir as etapas da condução da revisão.

Buscar os estudos primários

  • Existem três estratégias e busca de estudos primários, são elas:
    • Busca Manual: quando visitamos os sites e/ou anais de conferências e periódicos em busca dos artigos sobre o tópico pesquisado.

    O que é Revisão Bibliográfica: como fazer, exemplo, ABNT e metodologia

    A revisão bibliográfica é um importante estudo acadêmico que tem como objetivo rever diferentes conteúdos que já foram publicados sobre um determinado assunto. Ao realizar esse tipo de pesquisa, o estudante precisa se preocupar com a metodologia empregada ao estudo, normas ABNT para formatação e estruturação, e muito mais.

    Neste post, falaremos em detalhes como deve ser a metodologia de uma revisão bibliográfica, como fazer esse tipo de projeto acadêmico, quais são as Normas ABNT aplicadas a revisão bibliográfica e vários exemplos desse tipo de estudo.

    O que é revisão bibliográfica?

    A revisão bibliográfica é utilizada em diversas pesquisas científicas. Há pesquisas baseadas apenas na revisão de dados antigos, enquanto que outras pesquisas são desenvolvidas com experimentos, observações, entre outras metodologias, mas que necessitam posteriormente de uma revisão bibliográfica para sustentar os fatos identificados.

    Embora seja algo demorado e até mesmo cansativo, ela poderá poupar muito tempo quando comparado ao que você poderia ter que fazer em campo ou no laboratório para chegar a resultados que já existem na literatura.

    Ou seja, a revisão bibliográfica é importante para que o cientista tenha um resumo completo de tudo que já foi descoberto, assim seu trabalho é otimizado para descobrir pontos que ainda não foram descobertos.

    Considerando essa principal função da revisão bibliográfica, podemos concluir que é indispensável fazê-la, mesmo que ela não seja uma exigência da sua instituição de ensino, pois, este é um trabalho que poupará muito do seu tempo e estudo, já que você poderá se concentrar no que realmente deve ser estudado em seu projeto científico.

    Tipos de revisão bibliográfica

    • Histórica: documenta o desenvolvimento da
      pesquisa em determinada área;
    • Expositiva: expõe um tema a partir de
      análise e síntese de várias pesquisas e requer para isso maturidade intelectual;
    • Opinativa: esclarece a respeito de um
      determinado tema na perspectiva de mudança.
    • Questionadora: objetiva identificar as
      perspectivas para o futuro imediato da pesquisa sobre o tema em revisão;

    Metodologia para revisão bibliográfica

    Há várias metodologias diferentes para elaborar uma revisão bibliográfica. No entanto, todas elas são baseadas no planejamento, pesquisa e escrita da revisão bibliográfica. Seguindo essa lógica simples, veja a seguir um passo a passo completo de como fazer uma revisão bibliográfica seguindo essa metodologia de planejamento, ação e conclusão!

    Planejamento da revisão

    Nesta primeira fase, é preciso planejar todos os detalhes de como será a pesquisa da revisão bibliográfica. Isso significa que você terá que planejar vários aspectos da pesquisa, incluindo os seguintes elementos:

    1. Necessidade de revisão: você deverá identificar o que é preciso revisar de fato. Para isso, utilize perguntas como: “a área de pesquisa já é madura o suficiente? Já existe revisões recentes sobre esse tema?”.
    2. O que será respondido: também é preciso planejar o que você pretende responder ao realizar essa revisão. É a partir desse raciocínio que você poderá, por exemplo, empregar palavras-chave para pesquisar trabalhos acadêmicos publicados sobre o tema. Ao definir o assunto principal do seu estudo, você poderá utilizar as palavras-chave que mais se encaixam em sua pesquisa para encontrar tudo que precisa na literatura.
    3. Protocolo de ação: com tantos conteúdos para revisar, pode acreditar, você terá problemas se não utilizar um protocolo de ação. O protocolo nada mais é do que um plano de ação que determinará todos os passos da pesquisa, sendo seu principal objetivo a redução de erros na revisão.
    4. Validação do protocolo: nesse ponto da sua metodologia, é interessante que o protocolo seja validado por um especialista na área ou pelo próprio orientador do trabalho acadêmico. A validação desse protocolo é uma das etapas mais importantes, pois, todo erro no planejamento poderá resultar em problemas posteriormente.

    Revisão bibliográfica em ação

    Esse é o momento de colocar todo planejamento em ação. Para
    isso, tenha sempre por perto o planejamento detalhado de como será realizada a
    revisão bibliográfica, seguindo sempre a metodologia e o protocolo planejado.
    Veja a seguir o passo a passo completo para colocar uma revisão bibliográfica
    em ação:

    1. Busque os estudos primários:

    Guia Completo de como fazer uma Revisão Bibliográfica | Marta Garcia

    Qualquer trabalho científico demanda uma revisão bibliográfica, seja um artigo, um trabalho de conclusão de curso ou projetos de mestrado e doutorado. Isso porque ela apresenta uma importância fundamental no processo de sustentação teórica de uma ideia, teoria ou conceito técnico.

    É ela, então, que proporciona um desenvolvimento científico, visto que reconhece e sintetiza o que já foi publicado na comunidade acadêmica e possibilita a aprimoramento das pesquisas referenciadas, contribuindo para o aumento do conhecimento sobre o tema estudado.

    Mesmo com sua clara importância, não é incomum encontrar estudantes e profissionais com dúvidas sobre como fazer uma revisão bibliográfica impecável. Se esse for o seu caso, fique tranquilo! Neste post, separamos 7 dicas para você construir o seu texto com facilidade. Confira!

    Por que é importante fazer a revisão bibliográfica?

    A partir de uma pesquisa bibliográfica aprofundada, é possível conseguir obter uma visão ampla sobre o assunto e um ponto de partida fundamentado em fatos. Isso se deve ao fato de, por meio desse estudo, facilita a compreensão sobre o que já foi publicado a respeito do assunto.

    Com a revisão bibliográfica se torna possível um melhor planejamento do projeto de estudo, possibilitando que erros sejam evitados e também a realização dos mesmos experimentos que já tiveram um resultado positivo. Dessa forma, são economizados insumos e tempo. Inclusive, a revisão bibliográfica pode viabilizar a otimização dos processos já feitos ao longo da pesquisa, reduzindo o acúmulo de erros.

    Isso melhora confiabilidade e a exatidão dos resultados alcançados, podendo alterar por completo a direção da pesquisa. O fato é que uma boa revisão bibliográfica impulsionará a pesquisa. Logo, ela precisa ser muito elaborada com o intuito de colher todos os seus benefícios.

    Dessa forma, às vezes é melhor deixá-la na mão de profissionais, que irão se dedicar de forma exclusiva para essa revisão, enquanto se dá o prosseguimento em outras áreas da pesquisa.

    Por que vale a pena ter um curso de inglês completo?

    A oportunidade de fazer um curso de inglês completo possibilita uma verdadeira imersão no idioma. Um dos pontos positivos em relação ao curso de inglês é que os alunos se sentem mais seguros quando precisam se comunicar. A confiança deles tende a aumentar, devido ao fato de ficarem boa parte do tempo em contato com o idioma.

    Com um curso mais voltado para quem está fazendo ou deseja fazer mestrado, ou doutorado, você estará muito bem preparado para ser aprovado no Teste de Proficiência do Mestrado, Doutorado, Anpad, Teap e Concurso Público por mais que tenha o nível básico. As pessoas que já está dentro do Mestrado, Doutorado ou realizando concursos conseguirão ler seus artigos em inglês com mais fluidez e qualidade.

    O fato é que o estudo da língua inglesa pode interferir positiva e diretamente na vida acadêmica e profissional de qualquer pessoa. Ter o domínio de uma nova língua pode viabilizar grandes oportunidades que irão se eternizar pela sua vida profissional, elevando as chances de conquistar cargos e empregos diferenciados, com salários maiores.

    Como fazer revisão bibliográfica

    1. Fazer um planejamento para Revisão Bibliográfica

    Como em qualquer área da vida, a organização e o planejamento facilitam bastante os trabalhos. Ter uma orientação clara do que precisa ser feito é imprescindível para a realização de uma boa pesquisa. Portanto, investir no planejamento deve ser o primeiro passo para a construção do referencial teórico.

    Dessa forma, o ideal é montar um plano de ação contendo algumas atitudes práticas para a formulação de uma diretriz. Inicialmente, questione-se sobre a quantidade de estudos publicados na área e se já existe uma revisão do assunto, assim você consegue identificar qual caminho deve seguir.

    Depois, defina quais serão as questões a serem respondidas ou criticadas durante sua revisão, baseados nos objetivos gerais e específicos já estabelecidos. Ainda, lembre-se de listar as palavras-chave mais importantes para ter um melhor direcionamento durante a pesquisa de artigos, dissertações, monografias e teses.

    Por fim, estabeleça metas a serem cumpridas considerando o prazo final da entrega. Essa pequena atitude garante uma visão mais ampliada do que precisa ser feito e do tempo disponível que você tem para a produção.

    2. Ter um objetivo claro para Revisão Bibliográfica

    Além de ter um bom planejamento montado, é preciso saber aonde se quer chegar com a revisão. Qualquer redação, mas sobretudo as acadêmicas, precisam seguir uma linha de raciocínio coerente que guie a leitura do texto, conduzindo o leitor a compreender as ideias ali presentes.

    Por isso, pesquise nos livros clássicos quais são os conceitos principais sobre o assunto escolhido para ter uma visão geral e elencar os pontos centrais a serem investigados.

    Depois, dedique o seu tempo para elaborar um roteiro, considerando todos os elementos que precisam ser explicados para chegar no foco do seu estudo.

     Com isso, você conseguirá achar as informações necessárias sem muita dificuldade.

    3. Selecionar fontes relevantes

    Outra dica para a construção de uma revisão bibliográfica incrível é selecionar fontes relevantes. Esse talvez seja o momento mais importante da construção do texto, então preste bastante atenção!

    A ciência está muito difundida atualmente, o que garante uma enorme quantidade de informações disponíveis sobre os mais variados temas. Contudo, por mais que isso traga uma segurança no sentido de ter mais possibilidades de escrita, traz também uma certa confusão. Afinal, com tantos caminhos a serem seguidos, como escolher o melhor?

    Na verdade, é bastante simples: dedique-se à pesquisa de fontes confiáveis em base de dados. Autores renomados e conhecidos internacionalmente são fundamentais na construção de uma revisão forte e coerente. Isso porque eles destinaram grande parte da sua carreira a pesquisas e comprovações acerca do tema, o que garante mais fidedignidade à sua redação.

    Nesse sentido, procure refinar a sua busca, dando prioridade aos artigos de periódicos internacionais e depois parta para outras fontes, como os publicados nacionalmente, por bons editores, as teses e dissertações de universidades conhecidas e em anais de conferências internacionais e nacionais.

    É claro que existirão diversos conteúdos disponíveis e, por isso, você precisa tomar cuidado para não perder o seu tempo com artigos que não serão produtivos. Assim, procure fazer uma leitura dinâmica de cada texto arquivado, focando nos títulos, resumos e abstract, e, caso necessário, na introdução e conclusão de cada um.

    Esse primeiro filtro permitirá um olhar mais crítico quanto aos textos que deverão ser considerados e, também, quanto aos que podem ser excluídos da análise, otimizando seu tempo e refinando sua revisão bibliográfica com conteúdos pertinentes.

    4. Organizar os trabalhos consultados

    Conforme você já deve ter percebido, existem muitas informações disponíveis atualmente. Por isso, invista em ferramentas que facilitem a organização desses trabalhos e, consequentemente, da sua produção.

    Aplicativos como o JabRef e o EndNote podem ser um divisor de águas na hora de escrever o referencial teórico, pois eles arquivam os dados das referências diretamente da internet, permitindo a inserção de citações e a divisão por tema e subtema, fazendo com que você economize tempo e não se perca entre os PDF’s.

    5. Escrever de maneira clara e objetiva

    Uma boa escrita é resultado de muita prática e leitura, mas isso não quer dizer que não existam técnicas a serem exploradas para facilitar o processo. Dessa maneira, evite ao máximo escrever as ideias dos autores de forma separada.

    Por exemplo, não é legal apresentar a ideia de um autor e depois de outro sem fazer uma conexão entre elas. O ideal, então, é fazer uma costura entre os conceitos, apontando os pontos de concordância e divergência que servirão como base para a sustentação argumentativa da sua análise.

    Além disso, é bom evitar a apresentação da revisão bibliográfica no modelo de ficha de leitura, ou seja, o autor “X” escreveu isso, o autor “Y” escreveu aquilo, o autor “W” já citou outra coisa. Busque os elementos de divergência e de concordância entre os autores e conte a narrativa da pesquisa. Vamos explicar melhor o que é “ficha-de-leitura” pelo seguinte exemplo:

    De acordo com Shingo (1996), a ideia principal do Sistema Toyota de Produção é viabilizar uma movimentação mais harmônica dos materiais entre os setores de trabalho, fabricando peças nas quantidades e nas ocasiões em que são de fato necessários. Para isso, é preciso promover a comunicação entre postos de trabalho de modo eficiente.

    Segundo Ohno (1994), pode ser sintetizado o Sistema Toyota de Produção em como “fabricar nas quantidades certas e no momento em que as peças são necessárias”. Ele ressalta a relevância do trânsito de dados entre os colaboradores nos diversos setores de trabalho.

    Perceba que ambos os autores estão falando praticamente a mesma coisa, por mais que manifestem seus pensamentos de modo diferente. O papel do pesquisador é entender qual a ideia central, perceber os elementos divergentes e os em comum entre os autores e retratar isso maneira objetiva e clara.

    6. Evitar os principais erros

    Existem alguns erros que empobrecem o texto acadêmico, como começar os parágrafos já citando os autores. Essa prática indica ao leitor que não houve um estudo muito aprofundado sobre as obras essenciais, diminuindo o interesse de leitura.

    Para facilitar, separamos alguns pontos para você ficar atento e evitar na sua redação, confira:

    • uso de poucos autores para embasar os argumentos;
    • referências incompletas ou equivocadas;
    • não concluir as ideias principais abordadas no texto;
    • sessões muito curtas, com repetição de ideias e falta de coerência;
    • interpretação e adaptação singular dos conceitos de outros autores.

    7. Contar com apoio profissional

    Toda e qualquer produção científica não é feita sozinha. Ter um apoio profissional é fundamental para a construção de um trabalho fidedigno e que contribua, de fato, para a comunidade acadêmica.

    Assim, não tenha medo de entrar em contato com professores e especialistas da área para tirar suas dúvidas e captar novas ideias.

    Isso não só enriquece o seu texto, como faz você desenvolver um networking de qualidade.

    Por fim, agora você sabe como fazer uma revisão bibliográfica. Você percebe como a produção de uma revisão bibliográfica é sistemática? Lembre-se de que é preciso fazer um planejamento claro e conciso, delimitar um objetivo, ter fontes relevantes e evitar os principais erros. Com essas atitudes, com certeza seu texto ficará impecável.

    Leia também:

    • 7 dicas para prova de proficiência da pós graduação
    • 8 dicas de como fazer um artigo científico
    • 4 dicas de como fazer um abstract

    Como fazer uma revisão bibliográfica

    A revisão bibliográfica é a base que sustenta qualquer pesquisa científica.

    Acredite: algumas horas a mais na biblioteca podem poupar alguns meses de trabalho no laboratório ou a campo.

    Para proporcionar o avanço em um campo do conhecimento é preciso primeiro conhecer o que já foi realizado por outros pesquisadores e quais são as fronteiras do conhecimento naquela (Vianna, 2001).

    Desta forma, a revisão bibliográfica é indispensável para a delimitação do problema em um projeto de pesquisa e para obter uma ideia precisa sobre o estado atual dos conhecimentos sobre um tema, sobre suas lacunas e sobre a contribuição da investigação para o desenvolvimento do conhecimento (Lakatos e Marconi, 2010).

    Além de auxiliar na definição dos objetivos da pesquisa científica, a revisão bibliográfica também contribui nas construções teóricas, nas comparações e na validação de resultados de trabalhos de conclusão de curso e de artigos científicos (Medeiros e Tomasi, 2008).

    Realizar uma revisão bibliográfica faz parte do cotidiano de todos os estudantes e cientistas. É uma das tarefas que mais impulsionam o aprendizado e o amadurecimento na área de estudo. Atualmente, as bibliotecas digitais têm facilitado e simplificado muito essa tarefa, pois trazem recursos de busca e cruzamento de informações que facilitam a vida de todos.

    Mas as novas tecnologias não resolvem tudo. Por isso, preparamos este guia com algumas considerações importantes sobre a revisão bibliográfica.

    1. Saiba aonde quer chegar

    Todo texto acadêmico precisa de um “fio condutor”, uma linha de raciocínio que guie a leitura do texto, levando o leitor das premissas às conclusões. Assim, antes de começar a revisão bibliográfica, leia os chamados “livros clássicos” sobre o tema, para descobrir/relembrar os conceitos e as ideias principais relacionados ao seu trabalho (Cervo e Silva, 2006).

    Com uma visão geral sobre o tema, e com os pontos principais em mente, é possível elaborar um roteiro para a revisão bibliográfica, com os itens e subitens que o texto deverá ter para chegar à sua conclusão. Este roteiro é de grande ajuda para manter o foco e não se perder em meio à enorme quantidade de informações a que temos acesso.

    O segredo de uma boa revisão bibliográfica é a organização e o planejamento (Santos, 2015).

    2. Selecione as fontes de referência

    As principais fontes a serem consultadas para a elaboração da revisão bibliográfica são artigos em periódicos científicos, livros, teses, dissertações e resumos em congresso (Medeiros e Tomasi, 2008).

    Como atualmente existe uma exacerbada pressão por publicação de artigos científicos, é bem provável que aquela tese ou dissertação tenha sido publicada também na forma de artigo, assim como os resumos de congressos.

    Desta forma, recomenda-se a preferência por artigos publicados em periódicos científicos, com comitê de editores e processo de revisão por pares. Uma boa dica é observar com cuidado as referências bibliográficas de textos já publicados sobre o tema e, desta forma, identificar os autores e os periódicos que são referência na área.

    • Dê prioridade (nesta ordem) a:
    • (i) artigos publicados em periódicos internacionais; (ii) artigos publicados em periódicos nacionais reconhecidos; (iii) livros publicados por bons editores; (iv) teses e dissertações, (v) anais de conferências internacionais;
    • (vi) anais de conferências nacionais.

    Tome cuidado com referências antigas. A ciência traz novidades em um ritmo relativamente rápido, por isso deve-se evitar utilizar referências com mais de dez anos. Se possível, e isso irá depender do tema pesquisado, tente concentrar a maior parte das citações com menos de cinco anos (Andrade, 2014).

    3. Escreva a revisão bibliográfica de forma clara e objetiva

    Evite apresentar a revisão bibliográfica no formato de ficha de leitura (isto é, o autor “A” disse isso, o autor “B” disse aquilo, o autor “C” disse outra coisa, etc.). Encontre os pontos de concordância e divergência entre os autores e conte a história da pesquisa. Um exemplo de texto do tipo “ficha-de-leitura” é:

    Segundo Shingo (1996), a idéia central do Sistema Toyota de Produção é promover um fluxo harmônico dos materiais entre os postos de trabalho, produzindo componentes nas quantidades e nos momentos em que são necessários. Para tanto, a comunicação entre postos de trabalho deve ser promovida de forma eficiente.

    Para Ohno (1994), o Sistema Toyota de Produção pode ser resumido como “produzir nas quantidades certas e no momento em que as partes são necessárias”. O autor frisa a importância do fluxo de informações entre os trabalhadores nas diferentes células ou postos de trabalho.

    Observe como os dois autores estão dizendo essencialmente a mesma coisa, apesar de manifestarem suas ideias de maneira diferente. O seu trabalho como pesquisador é compreender qual a ideia central, identificar os pontos divergentes e pontos em comum entre os autores e escrever de forma clara e objetiva. Os parágrafos acima poderiam ser resumidos da seguinte forma:

    A ideia central do Sistema Toyota de Produção é promover um fluxo harmônico de materiais entre os postos de trabalho, produzindo componentes nas quantidades e nos momentos em que são necessários. Neste sentido é importante promover um fluxo eficiente de informações entre trabalhadores nas diferentes células ou postos de trabalho (SHINGO, 1996; OHNO, 1994).

    Veja como o texto fica mais fácil de ler, contendo as ideias comuns a ambos os autores expostas de maneira direta, sem repetições. Além disso, os parágrafos não iniciam com “Segundo Ohno (1994)” ou “Para Shingo (1996)”, ou “De acordo com Shingo (1996)”, que são formas não muito elegantes de redação.

    4. Organize os trabalhos consultados

    Para a elaboração de uma boa revisão bibliográfica é preciso pesquisar, selecionar e ler uma grande quantidade de artigos, livros e resumos. E uma boa organização deste material irá facilitar encontrar determinada ideia ou um autor específico em meio aquela salada de PDFs.

    Existem várias ferramentas que permitem gerenciar sua coleção de referências bibliográficas e que podem facilitar seu trabalho. São os Gerenciadores de Referências. Exemplos importantes são o JabRef, ferramenta em código aberto e muito útil especialmente para quem trabalha com LaTex, e o EndNote.

    Essas ferramentas permitem obter os dados das referências diretamente nas bibliotecas digitais, criam uma base de dados com essas informações, permitem inserir as citações e referências diretamente nos textos que estão sendo editados, e também organizam a coleção de textos originais dos artigos. A longo prazo, sua base de dados mantida por um gerenciador de referências é um recurso muito valioso para procurar referências para citar em seus textos.

    5. Evite os principais erros

    Errar é humano, mas a banca avaliadora do seu trabalho normalmente desconsidera este tipo de fato. Sendo assim, consulte sempre o seu orientador sobre a possibilidade de estar cometendo algum dos erros abaixo:

    – revisão bibliográfica muito breve (por pressa, falta de tempo, desinteresse, etc.); obras e autores essenciais não foram incluídos no trabalho.

    1. – revisão bibliográfica construída em cima de muito poucos autores ou estudos (normalmente, este erro ocorre em paralelo com o primeiro erro, acima).
    2. – áreas afins não foram abordadas na revisão bibliográfica.
    3. – referências incompletas ou erradas, indicando que você na realidade não conseguiu encontrar um fio condutor nas obras que consultou.
    4. – ausência de uma seção de conclusões que reúna as ideias principais abordadas no texto.
    5. – má organização do material: revisão bibliográfica com seções muito curtas (com um ou dois parágrafos, apenas), com repetição de ideias (o estilo “ficha-de-leitura”), ou sem uma estrutura ou lógica identificável de apresentação.
    6. – interpretação ou adaptação de ideias de outros autores para que elas fiquem parecidas ou reforcem as suas.
    7. Fonte: Diretrizes para elaboração do Referencial Teórico e Organização de Textos Científicos – Adaptado por José Luis Duarte Ribeiro a partir de texto original elaborado por Flavio Fogliatto e Giovani da Silveira publicado em PosGraduando.

    Revisão bibliográfica: saiba como fazer em seu trabalho acadêmico

    Tempo médio de leitura: 6 minutos

    Esse é um guia com todas as dicas necessárias para fazer uma boa revisão bibliográfica em seu trabalho acadêmico. Vem ver.

    Nós costumamos ouvir muitas queixas dos estudantes que estão escrevendo TCC. E uma queixa bastante comum é sobre não conseguir fazer a revisão bibliográfica.

    Não é por menos. Afinal, a revisão bibliográfica é uma parte fundamental do trabalho, que ajuda a entender o tema da pesquisa em si. Então, é natural que surjam dúvidas nesse percurso.

    A boa notícia é que existem alguns caminhos que ajudam a fazê-la. E nisso nós podemos te ajudar. 

    Esse é um guia com todas as dicas necessárias para fazer uma boa revisão bibliográfica.

    Pega seu café e vem ver ????

    O QUE É UMA REVISÃO BIBLIOGRÁFICA?

    O primeiro grande passo é entender o que é a revisão bibliográfica de um trabalho, que também pode ser chamada de referencial teórico, fundamentação teórica, revisão de literatura, abordagem teórica, embasamento teórico e por aí vai. Então, você pode acreditar quando dizem por aí que esses termos não têm diferença entre si, ok?

    A revisão bibliográfica é, de forma geral, a revisão das pesquisas e das discussões de outros autores sobre o tema que será abordado em seu trabalho. Ou seja: é a contribuição das teorias de outros autores para a sua pesquisa.

    Você também deve ter em mente que a revisão bibliográfica pode ser uma revisão integrativa ou sistemática. Então, é importante ficar por dentro desses assuntos.

    Todo trabalho acadêmico segue uma estrutura básica que compreende elementos pré-textuais, textuais e pós-textuais. A revisão bibliográfica faz parte dessa estrutura. Quer dizer, é um item obrigatório nos trabalhos.

    PARA QUE SERVE A REVISÃO BIBLIOGRÁFICA?

    A revisão bibliográfica serve, portanto, como embasamento teórico para a pesquisa que você está desenvolvendo.

    Afinal, nenhum texto acadêmico começa do zero. Sempre tem alguém que já escreveu, nem que seja um pouquinho, sobre o tema. É aí que entram as citações e as referências bibliográficas.

    • Nessa perspectiva, você pode incluir textos, artigos, livros, periódicos e demais materiais referentes à bibliografia de um trabalho científico.
    • Só existem dois pré-requisitos: 1) deve ser uma fonte de pesquisa confiável; e 2) toda fonte de pesquisa deve ser devidamente referenciada para evitar que se comenta plágio.
    • A construção de uma narrativa lógica a partir das citações resulta na fundamentação teórica.

    Marco teórico

    Você também pode definir a fundamentação teórica de seu trabalho por marco teórico.

    O marco teórico delimita a abrangência da pesquisa. Isto é, as teorias, os conceitos e os métodos ficam delimitados a partir do tempo, da localidade e da área do conhecimento.

    Isso significa que você deve manter uma coerência na fundamentação teórica do seu trabalho.

    Por exemplo: se você está escrevendo seu trabalho com base em um autor que defende que as prisões deve servir para reintegrar o sujeito que cometeu o crime na sociedade, você não pode agregar à teoria outro autor que entende que “bandido bom é bandido morto”. A não ser que você utilize as duas teorias para mostrar a diferença entre elas. Entende?

    Esse conceito é mais profundamente explorado no mestrado e no doutorado, mas se você pensar nisso desde o TCC, pode ser mais fácil de construir uma fundamentação teórica coerente em sua pesquisa.

    QUAL É A IMPORTÂNCIA DA REVISÃO BIBLIOGRÁFICA NO TCC?

    1. Então, a revisão bibliográfica garante a confiabilidade e a qualidade técnica e científica do trabalho.
    2. Em outras palavras, dá a certificação de que o trabalho possui um embasamento teórico e científico firme.

    3. Para entender melhor, é só você pensar que autores renomados dão credibilidade à produção acadêmica.

    Mas, nesse ponto, tome cuidado.

    Você não pode usar um autor apenas porque ele é reconhecido, mas porque a teoria que ele escreve faz sentido para sua pesquisa.

    Enfim, é a partir disso que você demonstra que sabe sobre o que você pesquisou e entende sobre o tema que está escrevendo.

    COMO FAZER UMA REVISÃO BIBLIOGRÁFICA?

    Tudo bem, você deve estar pensando: ok, já sei o que é a revisão bibliográfica, mas como fazer uma?

    Estou aqui para isso. Mãos à obra.

    Delimite a metodologia da sua pesquisa

    É importante que, antes de começar a sua pesquisa bibliográfica, você tenha muito bem delineado o tema, o problema de pesquisa, os objetivos e a metodologia do seu trabalho.

    Esses elementos direcionam o olhar da sua pesquisa e indicam o que você deve pesquisar.

    Pesquise em fontes confiáveis

    Para que seu trabalho tenha uma boa fundamentação teórica você deve utilizar apenas fontes de pesquisa confiáveis.

    Por esse motivo, ao reunir sua bibliografia, tome cuidado com as ferramentas de pesquisa de internet. Limite as consultas aos sites de instituições conceituadas, como instituições de ensino e de pesquisa.

    Evite pesquisa em conteúdos de opinião e em artigos da wikipédia. Apesar de ser uma fonte de pesquisa colaborativa, o controle de veracidade e de qualidade do conteúdo não é tão rigoroso.

    Enfim, tome cuidado para não espalhar fake news ou informações de site de credibilidade questionável.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*