Quem Nao Pode Comer Glúten Como Se Chama?

Confira hoje como é a alimentação de quem não pode comer glúten

Você descobriu recentemente  que é celíaco e não sabe como vai ser o seu novo cardápio daqui para frente? De acordo com os dados da Fenacelbra (Federação Nacional das Associações de Celíacos do Brasil) esta é a realidade de 2 milhões de brasileiros.

Confira no post de hoje uma lista de alimentos para quem é intolerante ao glúten.

Pode parecer que a vida vai ficar mais difícil, mas atualmente já existem disponíveis diversas opções de alimentos substitutos para quem é celíaco ou possuí algum nível de intolerância ao glúten.

Alimentos glúten free
Estamos acostumados a consumir massas, pães e biscoitos em boa parte das nossas refeições. Pensando assim, parece uma missão impossível ter uma alimentação em que não tenha o glúten. Contudo, ao parar para pensar, existem diversas opções de alimentos glúten free. Vamos conhecer alguns?

  1. Frutas, legumes e verduras

Quem Nao Pode Comer Glúten Como Se Chama?

  1. Carnes, aves, peixes e frutos do mar

Ricos em proteínas, estes alimentos não contém glúten em sua composição. Você pode consumí-los de diversas maneiras, como frito, assado, ensopado, refogado e por aí vai.

Batata, batata doce, mandioca e mandioquinha são alimentos versáteis e livres de glúten. Eles podem ser servidas cozidos, em forma de purê, fritas, chips e com sua criatividade mandar.

Leite, iogurte, queijo, manteiga, requeijão… todos os produtos lácteos podem fazer parte da dieta de um celíaco. Só lembre de optar pelas opções mais saudáveis, como zero, light e diet.

Além de saudáveis e nutritivas, as oleaginosas são uma boa opção de lanche para quem não pode consumir o glúten.

Você adora preparar as suas próprias receitas de bolos, tortas e salgados, mas não sabe como vai ser agora que não pode usar mais glúten? A boa notícia é que existem diversas opções de farinhas e féculas sem glúten para substituir a opção com trigo nas receitas. Entre elas, temos a de fubá, milho, arroz, amêndoa e os dois tipos de polvilho (doce e azedo).

Quem Nao Pode Comer Glúten Como Se Chama?

Existem diversas opções de grãos e sementes livres de glúten. Entre elas, temos: arroz, milho, soja, feijão, lentilha, grão-de-bico, quinoa, painço, amaranto, linhaça, chia, gergelim e aveia.

Substitutos para o glúten
Apesar de todos alimentos livres de glúten, você acha que não vai conseguir viver sem as massas, tortas, pães e biscoitos? Não se preocupe. Atualmente, existem disponíveis no mercado diversas versões destes alimentos para celíacos.

Por exemplo: macarrão de milho ou arroz, biscoitos de arroz, pães e tortas feitas com outras farinhas e muito mais. Para não correr riscos, é fundamental que você saiba ler rótulos e confira se há ou não glúten na composição do produto.

Leia os rótulos com atenção
Se você é celíaco, ler rótulos dos alimentos vai se tornar parte do seu dia a dia.

De acordo com a legislação brasileira, todos os produtos devem ter escrito na embalagem se ele contém ou não glúten em sua composição.

É comum comprar um alimento achando que ele é glúten free porque no rótulo está escrito “livre de trigo”. Porém, fique atento, a proteína do glúten está presente em outros grãos que não sejam o trigo.

Quais produtos eu preciso ficar atento?
Para facilitar a sua vida, separamos uma lista de alimentos em que você precisa ter cuidado redobrado para confirmar se há glúten.

  1. Barrinha e cereal matinal

Boa parte destes alimentos contém glúten em sua composição. Vale ter uma atenção redobrada com os cornflakes (cereais feitos de milho), mesmo sem a farinha de trigo eles podem conter extrato de malte, que também possui glúten em sua fórmula.

Quem Nao Pode Comer Glúten Como Se Chama?

Produtos industrializados costumam contar com glúten em sua fórmula. Mesmo as sopas e molhos correm o risco de ter a proteína na composição, pois muitas empresas utilizam o trigo como espessante. Como já falamos, sempre leia o rótulo.

Muitas bebidas são livres de glúten, como, por exemplo, os sucos de frutas. Quanto aos produtos alcoólicos, os celíacos precisam passar longe de bebidas maltadas.

Muita gente não sabe, mas nem todos os remédios e vitaminas industrializadas são livres de glúten. Portanto, se você é celíaco é essencial que você converse com o médico ou farmacêutico antes de ingerir o remédio.

Se descobrir celíaco pode ser um choque e tanto. Mas, como mostramos no post de hoje existem diversos alimentos para quem é intolerante ao glúten consumir. Com o passar do tempo, os novos hábitos se tornam rotineiros e mais fáceis de serem mantidos. A Vitao Alimentos conta com mais de 50 produtos sem glúten para ajudar na sua nova vida, são doces, snacks, cookies, pães, bolos e muito mais.

12 alimentos sem glúten (para usar na dieta)

O grupo de alimentos que não contém glúten são as frutas, vegetais e carnes, já que não possuem essa proteína em sua composição. Além disso, existem algumas farinhas que podem ser utilizadas para substituir a farinha de trigo ou de centeio no preparo de pães, biscoitos e bolos, por exemplo, assim como alguns produtos em que é indicado que são “sem glúten”.

Esses alimentos sem glúten são importantes para as pessoas que possuem doença celíaca, intolerância ou sensibilidade ao glúten e também para pessoas com autismo, já que essa proteína pode causar inflamação no intestino e sintomas como diarreia e dor abdominal, dificultando a absorção de alguns nutrientes.

No entanto, todas as pessoas podem se beneficiar ao diminuir o consumo de alimentos que contém glúten, já que ão carboidratos que causam inflamação, inchaço e desconforto abdominal.

Quem Nao Pode Comer Glúten Como Se Chama?

Os alimentos que não contém glúten em sua composição são:

  1. Todas as frutas;
  2. Todos os legumes, vegetais e tubérculos como inhame, mandioca, batata e batata doce;
  3. Carnes, ovos, mariscos e peixes;
  4. Feijão, ervilha, lentilha e soja;
  5. Farinha de arroz, mandioca, amêndoa, coco, alfarroba, quinoa e ervilha;
  6. Arroz, milho, trigo sarraceno e quinoa;
  7. Maisena (amido de milho);
  8. Goma de tapioca;
  9. Fécula de batata;
  10. Polenta
  11. Sal, açúcar, chocolate em pó, cacau;
  12. Gelatina;
  13. Óleos e azeite de oliva;
  14. Frutos secos como amêndoas, nozes, castanha, amendoim e pistache;
  15. Leite, iogurte, manteiga e queijos.
  • Existem também outros alimentos sem glúten que podem ser comprados facilmente em lojas de produtos naturais como pão e macarrão, por exemplo, mas neste caso o rótulo do produto deve indicar “alimento sem glúten” ou “gluten free” para poderem ser consumidos.
  • Confira no vídeo a seguir uma receita de pão sem glúten fácil de fazer:

Quem Nao Pode Comer Glúten Como Se Chama?

A farinha de milho e a aveia podem conter traços de glúten, já que esses alimentos podem ser processados em lugares em que a farinha de trigo, centeio ou cevada também são processados. Por isso, é muito importante ler o rótulo dos alimentos antes de comprá-los, não só desses produtos, mas de qualquer produto industrializado.

Além disso, no caso das pessoas celíacas, a aveia deve ser consumida sob a orientação de um nutricionista, porque apesar de não conter glúten, em alguns casos foi observado que o organismo pode criar uma reação imune contra as proteínas da aveia, o que pode piorar a crise.

Como fazer uma dieta sem glúten

Uma dieta sem glúten consiste em eliminar uma série de alimentos e preparações que contenham farinha de trigo, cevada ou centeio, incluindo bolos, bolachas, biscoitos ou pão, por exemplo. Veja outros alimentos que contém glúten.

Essa dieta é muito utilizada por pessoas que possuem intolerância ao glúten e cuja finalidade é diminuir a inflamação do intestino para aumentar a absorção de nutrientes e, por sua vez, aliviar os sintomas gastrointestinais como diarreias e dor abdominal, que são comuns nessas pessoas. Saiba mais sobre a dieta sem glúten e quando é indicada.

No entanto, a dieta sem glúten também está sendo implementada com o objetivo de perder peso, já que a sua utilização implica na eliminação de farinhas refinadas e de alguns carboidratos que favorecem o aumento de peso. Seja qual for o motivo, é importante que para realizá-la, um nutricionista seja consultado, pois assim é possível garantir que todos os nutrientes essenciais para o bom funcionamento do organismo sejam consumidos.

Veja no vídeo a seguir algumas dicas para fazer uma dieta sem glúten:

Quem Nao Pode Comer Glúten Como Se Chama?

O que um intolerante ao glúten pode comer? Te ajudamos nessa tarefa!

Quem Nao Pode Comer Glúten Como Se Chama?

Nos últimos anos, ser intolerante ao glúten parece que virou moda. Muita gente resolveu adaptar a dieta com alimentos sem glúten. Isso sem ao menos fazer um exame para saber se, de fato, precisaria ajustar o cardápio. Nas redes sociais, famosos cortaram o glúten das refeições e surgiram várias dietas restritivas prometendo enxugar os quilinhos extras.

Mas afinal, o que é o glúten? Preciso aboli-lo da minha dieta? Retirá-lo da alimentação emagrece? Só os celíacos precisam fazer essa restrição? Neste artigo, vamos esclarecer então as principais dúvidas sobre o glúten e verificar se ele é vilão ou mocinho pra você.

Leia também:  Reencarnação Como Saber Quem Eu Fui Na Vida Passada?

O que glúten

O glúten é uma importante proteína (ou melhor, a junção de dois grupos de proteínas: a gliadina e a glutenina) encontrada em muitos cereais, como a cevada, o trigo e o centeio. Ele está no pão, no bolo, no macarrão, na pizza. Tem a função de deixar a massa mais elástica para ser trabalhada e, ao mesmo tempo, resistente e macia.

Por exemplo: quando o padeiro sova a massa, ele está criando uma espécie de “conjunto de conexões” de glúten, formando uma rede protetora que não deixa o gás carbônico escapar.

É esse gás, que fica no interior da massa, que faz o pão crescer para dar mais resistência e não arrebentar depois.

Outra importante função do glúten é auxiliar no crescimento do alimento e dar uma textura mais macia e fácil de mastigar.

Glúten faz mal?

Para aqueles que são intolerantes ao glúten e sensíveis à proteína, sim. De acordo com a Organização Mundial da Saúde, cerca de 1% da população mundial tem a doença celíaca. No Brasil, no entanto, não há estatísticas que definam ao certo o número de vítimas da doença.

O que é doença celíaca?

Quem tem a doença celíaca, ou seja, quem tem intolerância ao glúten não pode consumir alimentos com essa proteína. Em linhas gerais, a doença celíaca é uma doença autoimune.

Em outras palavras, o sistema imunológico do corpo ataca as células saudáveis. É uma intolerância hereditária ao glúten, proteína que causa alterações no revestimento do intestino delgado, resultado na diminuição da absorção dos alimentos.

Geralmente, esse revestimento se inflama após o consumo de alimentos com glúten.

Alguns dos principais sintomas de quem tem a doença celíaca são: diarreia crônica, prisão de ventre, desconforto abdominal, anemia e sensação de barriga inchada. O diagnóstico da doença não é tão simples, mas pode incluir exame de sangue (para analisar a presença de anticorpos específicos do problema) e biópsia do intestino delgado.

Alimentos permitidos para quem é intolerante ao glúten

A seguir, listamos alguns alimentos que podem e devem fazer parte da dieta para quem tem intolerância ao glúten:

  • grãos e farinhas: lentilha, ervilha, grão de bico, arroz, milho, feijão, quinoa, edamame;
  • tubérculos: batata, batata doce, mandioca, polvilho doce e azedo, goma de tapioca, sagu, inhame, por exemplo;
  • pães e massas: qualquer pão e massa isenta de glúten, biscoito de polvilho, biscoitos de soja, tapioca;
  • bebidas: água de coco, café, suco de fruta;
  • leite e derivados: iogurtes, queijos, leite com baixa lactose, leites vegetais (coco, arroz, soja, castanhas);
  • condimentos: cebola, alho, tomate, pimentão, salsa, alecrim, orégano, manjericão, tomilho, pimenta em grão;
  • proteínas: carnes de boi, frango, porco, cordeiro, peixe, ovos;
  • doces: chocolate amargo (acima de 70% de cacau), geleia de frutas sem açúcar, alfarroba;
  • frutas: todas são permitidas. Alguns exemplos: banana, abacaxi, maça, coco, laranja, limão, morango, uva, manga, melão, melancia, etc.;
  • legumes e verduras: todas são permitidas. Alguns exemplos: cenoura, chuchu, beterraba, espinafre, couve, alho poró, abóbora, vagem, etc.;
  • sementes e oleaginosas: castanhas, amendoim, nozes, avelã, gergelim, linhaça, chia, semente de abóbora, semente de gergelim, pistache;
  • gorduras: azeite de oliva.

veja todos nossos produtos sem glúten

Alimentos proibidos para quem é intolerante ao glúten

Já que citamos os alimentos permitidos, fizemos uma breve lista dos alimentos proibidos para quem tem intolerância a glúten.

Confira os principais: trigo, centeio, cevada, aveia, farinha de rosca, trigo de kibe, farofa industrializada, pão francês, pão integral, pão doce, tortas, empadão, salgadinhos, pizza e massas à base de trigo, cerveja, whisky, achocolatados que contém malte, iogurtes que contém aveia, molho shoyo, empanados, bife à milanesa, nuggets, bolos, tortas, doces de festa, torta alemã, amendoim japonês.

Se você está buscando uma alimentação mais equilibrada, a Liv Up pode te dar uma mãozinha. Receba mais dicas se inscrevendo na nossa newsletter.

Você também pode gostar

Se não pode comer glúten, evite estes alimentos (uns óbvios, outros improváveis)

O que é esta doença, que, segundo diversos estudos publicados, pode demorar, em média, cerca de nove anos a ser descoberta? Segundo Paulo Oliveira Ratital, médico gastrentrelogista no hospital CUF Descobertas, é “uma patologia crónica, autoimune, que surge em indivíduos geneticamente suscetíveis e que se caracteriza por atrofia das vilosidades do intestino delgado na sequência da ingestão de glúten, presente no trigo, na cevada, no centeio e na aveia. É diagnosticada em crianças e adultos, com predominância no sexo feminino”.

Porque é que somos alérgicos ao glúten?

O glúten, combinação de duas proteínas presentes nestes quatro cereais, desencadeia, por parte do sistema imunitário, uma resposta inflamatória no intestino delgado, originando a progressiva destruição da mucosa, ou seja, das vilosidades responsáveis pela absorção dos nutrientes.

Como resultado, temos uma absorção deficiente, o que conduz a uma série de problemas relacionados com a falta de nutrientes.

Como se manifesta?

O especialista explica que, sobretudo na criança, a doença celíaca manifesta-se mais frequentemente na sua forma clássica: diarreia crónica, distensão abdominal, emagrecimento e sintomas associados a má absorção intestinal e a carências nutricionais diversas.

Porém, “além dessa forma clássica, pode ainda surgir na forma atípica, com quadro clínico que passa totalmente despercebido durante a idade pediátrica, manifestando-se quase silenciosamente na idade adulta, podendo assim passar décadas antes de um correto diagnóstico”, afirma.

Alimentos com glúten

Os óbvios:

  • • Pão (de todas as formas), farinhas, fermento em pó • Massas • Bolos • Cereais de pequeno-almoço (muesli, granola) • Alguns produtos lácteos: iogurte com cereais, preparações industriais de leite (flãs, musses)
  • • Carne ou peixe panados, croquetes.

Os mais escondidos:

  1. • Ovas fumadas de badejo • Condimentos • Charcutaria • Surimi • Caldo em cubo • Queijo azul • Alguns queijos para barrar • Cerveja • Alguns frutos secos • Nogado • Drageias e hóstias • Açúcar de confeiteiro • Levedura maltada • Bolos de amêndoa moída • Chocolate em pó ou tablete • Molho de soja (o Kikkoman, por exemplo) • Alguns medicamentos
  2. • Preparados à base de batata (fritas no forno, noisettes, croquetes de batata, etc).
  3. Fonte: Livro Eu Como Sem Glúten, de Marion Kaplan e Audrey Etner

Sabia que todos estes alimentos tinham glúten? Complete ainda as suas refeições com estes acompanhamentos sem trigo.

7 alimentos sem glúten que celíacos podem comer sem medo

Quem é celíaco precisa seguir um estilo de vida bem regrado, tomando vários cuidados com a rotina de alimentação.

Afinal, a intolerância ao glúten pode causar diversos sintomas: inchaço abdominal, dores, vômitos e até problemas mais graves, dependendo da situação.

A boa notícia é que existem vários alimentos sem glúten que servem para a dieta básica do dia a dia. Aqui, nós fizemos uma lista com 7 comidas que celíacos podem comer sem medo. Confira!

1. Arroz

O arroz é um dos alimentos mais básicos do cardápio brasileiro e, claro, não pode faltar na dieta dos celíacos. Ele pode ser usado como acompanhamento, no preparo de risotos e receitas diversas.

No entanto, é necessário tomar certos cuidados, pois algumas versões de arroz – como o multigrãos, que vem com soja, lentilha e sementes de girassol – podem sim conter glúten.

Por isso, o ideal é se ater aos tipos de arroz mais básicos, como o arroz, parboilizado e integral.

2. Feijão

A combinação arroz + feijão é uma das mais queridas pelos brasileiros. A boa notícia é que ela pode sim ser consumida por quem é celíaco. Afinal, os diferentes tipos de feijão – preto, carioquinha, branco, vermelho, azuki etc. – são livres de glúten e podem fazer parte da dieta celíaca.

3. Frango

Quando se trata de consumir proteína animal, o frango é uma das melhores opções – rende ótimas receitas e, assim como todas as carnes, não possui glúten em sua composição. A nossa dica para quem é celíaco é preparar frango de diversas formas: frito, grelhado, cozido, assado e por aí vai.

4. Carne vermelha

Para tornar a dieta dos celíacos mais completa, a nossa sugestão é também incorporar carnes vermelhas ao cardápio. Você pode preparar bifes, ensopados e até churrascos sem medo! Apenas lembre-se de que receitas à milanesa não são indicadas para celíacos, pois são preparadas com farinha (alimentos que contém glúten).

5. Batata e outras hortaliças

Tem alimento mais democrático que a batata? Amada por todos – de carnívoros a veganos -, ela atende todas as dietas e é bem nutritiva. Quem é celíaco, inclusive, também pode consumir receitas com batata tranquilamente, pois o alimento é livre de glúten.

Você pode preparar batata frita, cozida, recheada ou até em forma de purê. Além disso, existem outras hortaliças – cenoura, tomate, beterraba e vegetais folhosos (alface, rúcula e espinafre) que também são livres de glúten e podem fazer parte da dieta de celíacos.

6. Milho

Comida clássica de festa junina, o milho cozido com manteiga é a cara do Brasil, né? A melhor parte é que, além de saboroso e nutritivo, esse alimento não tem glúten e, por isso, pode fazer parte da dieta de celíacos. Além de comer milho cozido, você também pode comer pipoca, canjica e outras receitas envolvendo o alimento. Uma maravilha, né?

Leia também:  Porque Meu Gato Corre Como Louco?

7. Maçã e outras frutas

Assim como os vegetais, as frutas podem (e devem) fazer parte da dieta dos celíacos. A maçã, por exemplo, é uma fruta bem docinha, saborosa e pode ser consumida de diversas formas: in natura, através de sucos, vitaminas, saladas e outras receitas. Você também deve consumir outros tipos de frutas, como banana, morango, mamão, laranja, limão e por aí vai.

Bônus: como saber se o alimento tem glúten?

O glúten, para quem não sabe, é uma proteína encontrada em vários tipos de cereais – como trigo, cevada e centeio.

Por conta disso, alimentos como macarrão, pizza, bolos, cookies tradicionais e outras massas – geralmente feitos com farinha de trigo – devem ser cortados do cardápio dos celíacos.

Para não correr o risco de consumir glúten, outra dica interessante é verificar sempre as embalagens dos alimentos antes de comprá-los. Assim não tem erro!

Celíacos: O que eles podem comer? Veja 5 alimentos para substituir o glúten

Substituir o glúten em um plano alimentar saudável pode ser mais fácil do que você imagina! Para os celíacos, pessoas intolerantes ou alérgicos à substância, sobram alternativas deliciosas que ajudam a tornar a vida mais leve e natural. Conheça quais são os alimentos que melhor podem suprir o consumo de trigo, aveia e outros cereais nas dietas e descubra novas opções para o seu dia a dia!

Quando nos deparamos com uma alergia ou intolerância alimentar, automaticamente surge a pergunta: “O que eu vou comer agora?”. Calma! Quando o assunto é alimentação saudável, tudo tem jeito.

No caso do glúten, por exemplo, os celíacos ganham, a cada dia, alternativas gostosas e nutritivas, principalmente ao evitar a farinha de trigo e outras fontes da substância do plano alimentar, como explica a nutricionista Carine Rodrigues:

“A pessoa que possui a doença celíaca não pode consumir alimentos que contenham trigo, aveia, centeio, cevada, malte e seus derivados.

É importante estar sempre atento aos rótulos, além disso, os fabricantes são obrigados a informar se há presença ou não de glúten.

Verificar se na preparação há presença de farinha de trigo, ou gérmen de trigo, ou farelo de trigo, ou malte, ou centeio, ou cevada, ou aveia, ou farinha de rosca”, explica a profissional.

Como substituir o glúten no dia a dia?

Primeiramente, vale ressaltar que, toda e qualquer restrição alimentar deve ser feita mediante um acompanhamento profissional, visto que alguns nutrientes devem ser devidamente substituídos e repostos no plano alimentar.

1 – Farinha de arroz: Na hora de preparar um bolo, uma massa de pizza ou um pão caseiro, substitua o trigo pela farinha de arroz. Esse alimento, além de não conter glúten é fonte de proteínas, fibras alimentares, controla os níveis de açúcar e ajuda no fortalecimento e bom desenvolvimento dos ossos e músculos.

2 – Pães (francês ou de forma): Esses alimentos que fazem parte diariamente dos nossos lanches e café da manhã podem ser substituídos pelos pães sem glúten, disponíveis em diversas prateleiras dos mercados. Ou, se você preferir, podem ser feitos em casa, com a farinha arroz.

3 – Biscoitos: Assim como os pães, os snacks e biscoitos integrais são substituídos pelo biscoito de polvilho, de milho e também de arroz. Esses alimentos são produzidos com as farinhas livres de glúten, impedindo que cause alergia aos intolerantes.

4 – Pizza: É hora de optar pelas pizzas saudáveis… Já pensou em fazer massa de pizza de couve flor? Pois é, alimentos como a couve flor e brócolis podem se tornar massas e transformar o lanche em um prato mais saudável e nutritivo. Outra opção é fazer pizza com os vegetais, tais como berinjela e a abobrinha.

5 – Bebidas: Café e achocolatados também contém glúten, por isso atente-se! É possível optar pelo cacau em pó, porém, se adapte aos chás e sucos naturais, misture suas frutas favoritas e torne a sua alimentação mais equilibrada.

*Bebidas alcoólicas – Cervejas e whisky, podem ser substituídos por cerveja sem glúten, vinhos e champanhe, sempre com a devida moderação.

Os cuidados com a dieta restritiva do glúten

Tirar o glúten do dia a dia não é uma tarefa fácil, principalmente para quem já está acostumado com um plano alimentar. Porém, para quem sofre com a alergia, é necessário estar atento às necessidades do organismo e suprir os nutrientes necessários, por isso, um acompanhamento com um nutricionista é altamente importante para o bem-estar.

“O tratamento para a doença celíaca é a retirada de alimentos que contenham glúten. Quando um celíaco consome o glúten, o seu sistema imunológico reconhece esta proteína como um “inimigo” e reage contra ela, podendo levar a morte”, finaliza a nutricionista.

Doença celíaca: o que é, sintomas, como tratar e alimentação

A doença celíaca (CID 10 – K90.0) é uma condição autoimune causada pela intolerância ao glúten – proteína encontrada no trigo, aveia, cevada, centeio e seus derivados. Os principais sintomas da condição são dor abdominal, diarreia e flatulência (gases).

Também chamada de “enteropatia sensível ao glúten”, ela é um distúrbio crônico que afeta o intestino delgado de adultos e crianças geneticamente predispostos. A doença causa atrofia da mucosa do intestino, levando à má absorção dos nutrientes, sais minerais e água.

A doença celíaca é diferente da sensibilidade ou intolerância ao glúten. Se você tem sensibilidade ao glúten, pode ter sintomas semelhantes aos da doença celíaca, como dor abdominal e cansaço. Contudo, ao contrário da doença, a sensibilidade ao glúten não danifica o intestino delgado e não tem relação com o sistema imunológico da pessoa.

NÃO PARE AGORA… TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE 😉

NÃO PARE AGORA… TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE 😉

O glúten é uma proteína de tamanho grande, formada por duas proteínas menores chamadas gliadina e glutenina. Ele é encontrado junto ao amido, em cereais como trigo, centeio, cevada, triticale e malte.

No processo de fermentação do pão, por exemplo, o glúten contido na farinha de trigo é responsável pela permanência dos gases no interior da massa, fazendo com que o pão aumente de volume e não diminua após esfriar.

Conheça os prós e os contras do glúten

NÃO PARE AGORA… TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE 😉

NÃO PARE AGORA… TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE 😉

Tipos

  • A doença celíaca pode ser dividida em três tipos, sendo eles:
  • A doença celíaca clássica é comum na infância, entre o primeiro e terceiro ano de vida, quando se introduz alimentação à base de papinha de pão, sopinhas de macarrão e bolachas, entre outros industrializados com cereais proibidos.
  • Porém, isso não impede que a doença também se manifeste em outros estágios, como em adultos.

NÃO PARE AGORA… TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE 😉

NÃO PARE AGORA… TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE 😉

Caracteriza-se por:

  • Diarreia crônica
  • Desnutrição com déficit do crescimento
  • Anemia
  • Emagrecimento
  • Falta de apetite
  • Distensão abdominal (barriga inchada)
  • Vômito
  • Dor abdominal
  • Osteoporose
  • Esterilidade
  • Abortos de repetição
  • Glúteos atrofiados
  • Pernas e braços finos
  • Apatia
  • Morte devido à desnutrição aguda

Nestes casos não há manifestação aparente. É apenas com pesquisa de anticorpos em familiares de primeiro grau que se faz o diagnóstico.

NÃO PARE AGORA… TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE 😉

NÃO PARE AGORA… TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE 😉

Se não tratada, a doença celíaca assintomática pode evoluir com complicações como o câncer do intestino, anemia, osteoporose, abortos de repetição e esterilidade.

A doença celíaca não clássica é caracterizada por apresentar poucos sintomas e, quando gastrintestinais, são sinais discretos. Ocorre, por exemplo, anemia resistente à reposição de ferro, irritabilidade, fadiga, pouco ganho de peso e estatura, obstipação crônica, manchas no esmalte dos dentes, esterilidade e osteoporose antes da menopausa.

Causas

A doença celíaca é causada pela presença geneticamente determinada de anticorpos produzidos pelo sistema imunológico contra o glúten.

NÃO PARE AGORA… TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE 😉

NÃO PARE AGORA… TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE 😉

  1. Com a agressão à mucosa intestinal, que é variável de pessoa para pessoa, estes anticorpos atacam a proteína, causando a inflamação no local, atrofia das vilosidades intestinais e consequente deficiência de absorção de nutrientes.
  2. Os pesquisadores não sabem exatamente o que desencadeia a doença celíaca em pessoas em risco que comem glúten durante um longo período de tempo, mas é possível que isso seja genético.
  3. Cerca de 10 a 20% dos parentes próximos de pessoas com doença celíaca também são afetados.

NÃO PARE AGORA… TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE 😉

NÃO PARE AGORA… TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE 😉

Fatores de risco

A doença celíaca pode afetar qualquer pessoa. No entanto, tende a ser mais comum em pessoas que têm:

Leia também:  Escreve Um Texto Sobre Como Se Forma O Ovo Que Da Origem A Um Novo Ser?

Sintomas

Sintomas de Doença celíaca

Os principais sintomas da doença celíaca são:

NÃO PARE AGORA… TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE 😉

NÃO PARE AGORA… TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE 😉

  • Dor abdominal
  • Diarreia
  • Flatulência
  • Distensão do abdômen
  • Fraqueza
  • Perda ou dificuldade para ganhar peso
  • Queda de cabelo frequente
  • Diminuição do apetite
  • Lesões de pele
  • Anemia
  • Déficit de crescimento em crianças
  • Infertilidade

Algumas pessoas com doença celíaca não apresentam sintomas ao diagnóstico (doença celíaca assintomática). Os sintomas também podem variar muito e são diferentes entre adultos e crianças.

Em crianças com menos de 2 anos de idade, os sinais e sintomas típicos da doença celíaca incluem:

NÃO PARE AGORA… TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE 😉

NÃO PARE AGORA… TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE 😉

  • Vômito
  • Diarreia crônica
  • Barriga inchada
  • Falha em prosperar
  • Pouco apetite
  • Perda de massa muscular

Saiba mais: Tire dez dúvidas sobre a doença celíaca

As crianças mais velhas podem experimentar:

NÃO PARE AGORA… TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE 😉

NÃO PARE AGORA… TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE 😉

  • Diarreia
  • Prisão de ventre
  • Perda de peso
  • Irritabilidade
  • Baixa estatura
  • Puberdade tardia
  • Transtorno de déficit de atenção e hiperatividade (TDAH)
  • Dificuldades de aprendizagem
  • Dor de cabeça
  • Falta de coordenação muscular.Convulsão

Buscando ajuda médica

Consulte o médico se você ou seu filho tiver diarreia ou desconforto digestivo que dura mais de duas semanas.

Não deixe de consultar o seu médico antes de tentar uma dieta sem glúten. Se você parar ou mesmo reduzir a quantidade de glúten que você come antes de fazer o teste para a doença celíaca, você pode alterar os resultados do teste.

Diagnóstico e Exames

Na consulta médica

Especialistas que podem diagnosticar a doença celíaca são:

  • Clínico geral
  • Endocrinologista
  • Gastroenterologista
  • Nutricionista
  • Nutrólogo

Estar preparado para a consulta pode facilitar o diagnóstico e otimizar o tempo. Dessa forma, você já pode chegar à consulta com algumas informações:

  • Lista com todos os sintomas e há quanto tempo eles apareceram
  • Histórico médico, incluindo outras condições e medicamentos ou suplementos que tome com regularidade

Também é importante levar suas dúvidas para a consulta por escrito, começando pela mais importante. Isso garante que você conseguirá respostas para todas as perguntas relevantes antes da consulta acabar.

Diagnóstico de Doença celíaca

A doença só pode ser diagnosticada por meio de exames de sangue, pois os sintomas são muito variados e constantemente associados com outras doenças. Normalmente se manifesta em crianças com até um ano de idade, quando começam a ingerir alimentos que contenham glúten ou seus derivados.

A demora no diagnóstico leva a deficiências no desenvolvimento da criança. Em alguns casos se manifesta somente na idade adulta, dependendo do grau de intolerância ao glúten, afetando homens e mulheres.

Exames

Os principais exames para diagnóstico da doença celíaca são:

  • Exames de sangue com dosagem de anticorpos específicos para a doença (ex: Anti-endomísio e Anti-transglutaminase)
  • Biópsia do intestino delgado realizada durante exame de endoscopia digestiva alta – observa-se atrofia da mucosa do intestino e aumento no número de células inflamatórias (linfócitos) no intestino do paciente

Tratamento e Cuidados

Tratamento de Doença celíaca

O principal tratamento é a dieta com total ausência de glúten, pois quando a proteína é excluída da alimentação os sintomas desaparecem. Entretanto, a maior dificuldade para os pacientes é conviver com as restrições impostas pelos novos hábitos alimentares.

A doença celíaca não tem cura, por isso, a dieta deve ser seguida rigorosamente pelo resto da vida. É importante que os celíacos fiquem atentos à possibilidade de desenvolver câncer de intestino e a ter problemas de infertilidade.

Dieta sem glúten

Os pacientes devem ser orientados quanto à contaminação cruzada na preparação ou produção de alimentos e, até mesmo, medicamentos. Nos primeiros meses do diagnóstico, deve-se também evitar ingestão concomitante de leite e derivados pela possibilidade de intolerância à lactose secundária.

A avaliação de um nutricionista especializado pode ajudar no aprendizado de mudança dos hábitos alimentares. É de grande importância, também, se habituar a ler e entender os rótulos dos alimentos.

É obrigatório por lei federal (Lei nº 10.674, de 16/05/2003) que todos os alimentos industrializados informem em seus rótulos a presença ou não de glúten para resguardar o direito à saúde dos portadores de doença celíaca.

Saiba mais: Siga oito cuidados além da restrição ao glúten

Se as suas deficiências nutricionais forem graves, o seu médico ou nutricionista pode recomendar tomar suplementos vitamínicos e minerais. Você pode precisar suplementar seus níveis de:

  • Cálcio
  • Folato
  • Ferro
  • Vitamina B12
  • Vitamina D
  • Vitamina K
  • Zinco

Vitaminas e suplementos são geralmente tomados em forma de pílula. Se o seu aparelho digestivo tiver dificuldade em absorver vitaminas, o seu médico pode administrá-las por injeção. Você precisa ter certeza de que as vitaminas e os suplementos são isentos de glúten.

Convivendo (prognóstico)

Doença celíaca tem cura?

A doença celíaca não possui cura, mas seguindo o tratamento indicado é possível conviver bem com a condição sem problemas.

Convivendo/ Prognóstico

O prognóstico, em geral, é bom, principalmente para aqueles pacientes que fazem uma dieta com total restrição de glúten, pois a resposta ao tratamento dietético costuma ser muito boa.

Os alimentos permitidos para quem segue uma dieta sem glúten são:

  • Arroz: farinha de arroz, creme de arroz, arrozina, arroz integral em pó e seus derivados
  • Batata: fécula ou farinha
  • Milho: fubá, farinha, amido de milho (maisena), flocos, canjica e pipoca
  • Mandioca: fécula ou farinha, como a tapioca, polvilho doce ou azedo
  • Cará
  • Inhame
  • Araruta
  • Sagú
  • Trigo
  • Sarraceno
  • Suco de frutas
  • Vegetais
  • Refrigerantes
  • Chás
  • Vinhos, champagnes e saquê
  • Leite e derivados
  • Açúcar
  • Óleos vegetais
  • Temperos caseiros

Saiba mais: 8 dicas para tirar o glúten da dieta

Os alimentos proibidos para quem segue uma dieta sem glúten são:

  • Trigo
  • Aveia
  • Centeio
  • Malte
  • Cerveja, whisky, vodka e gin
  • Leites achocolatados que contenham malte
  • Patês enlatados
  • Embutidos (salame, salaminho e algumas salsichas)
  • Carnes à milanesa
  • Maionese, ketchup, mostarda e temperos industrializados

A pessoa com doença celíaca não deve se alimentar com utensílios domésticos que foram usados em alimentos com glúten, pois eles podem ser contaminados.

O ideal também é tomar cuidado com itens fabricados em padarias comuns, pois pode haver contaminação tanto na hora de preparar a massa quanto na hora de assar ou servir, já que todos ou outros alimentos preparados ali tem a farinha de trigo como base.

Pão de panela sem glúten: rápido e saudável

Complicações possíveis

As principais complicações da doença sem glúten são:

O dano ao seu intestino delgado significa que ele não pode absorver nutrientes suficientes. A desnutrição pode levar a anemia e perda de peso. Em crianças, a desnutrição pode causar crescimento lento e baixa estatura.

  • A má absorção de cálcio e vitamina D pode levar a um amolecimento do osso (osteomalácia ou raquitismo) em crianças e perda de densidade óssea (osteoporose) em adultos.
  • A má absorção de cálcio e vitamina D pode contribuir para problemas reprodutivos, como infertilidade e aborto espontâneo.
  • Danos ao intestino delgado podem causar dor abdominal e diarreia após a ingestão de alimentos e bebidas que contêm lactose, mesmo que eles não contenham glúten.

Uma vez que seu intestino tenha cicatrizado, você poderá tolerar os produtos lácteos novamente. No entanto, algumas pessoas continuam a ter intolerância à lactose, apesar do tratamento bem sucedido da doença celíaca.

  1. Pessoas com doença celíaca que não mantêm uma dieta isenta de glúten têm um risco maior de desenvolver várias formas de câncer, incluindo linfoma intestinal e câncer de intestino delgado.
  2. Algumas pessoas com doença celíaca podem desenvolver problemas neurológicos, como convulsões ou neuropatia periférica (doença dos nervos que levam às mãos e pés).
  3. Em crianças, a doença celíaca também pode levar à falta de desenvolvimento, puberdade atrasada, perda de peso, irritabilidade e defeitos do esmalte dentário, anemia, artrite e epilepsia.

Prevenção

Prevenção

  • Como a doença tem uma base genética importante, em geral, não há medidas específicas de prevenção, além do aconselhamento genético em familiares portadores da doença.
  • A concordância da doença celíaca entre gêmeos monozigóticos é muito alta (cerca de 75%), enquanto a taxa de concordância entre irmãos não gêmeos é de 11%.
  • Diante dessa elevada prevalência, a maioria dos autores recomendam o rastreamento de familiares de primeiro grau de pacientes portadores de doença celíaca, mesmo se assintomáticos.
  • Associação dos Celíacos do Brasil

Referências

  1. Maria Fernanda Barca, doutora em endocrinologia pela Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (FMUSP), membro da Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia (SBEM) e da Sociedade Europeia de Endocrinologia (SEE)
  2. Jacqueline Moniz Anversa, nutricionista esportiva, clínica e coach, pós-graduada eplo Instituto Valéria Paschoal/UNICSUL e Professional Nutrition Coaching
  3. Mayo Clinic
  4. Associação de Celíacos do Brasil (Acelbra)
  5. National Institute of Diabetes and Digestive and Kidney Diseases

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*