Que Grupo Sanguíneo É Considerado Como Sendo Doador Universal?

É comum ouvirmos que alguém está precisando receber uma bolsa de sangue para tratamento de alguma enfermidade, mas que deve ter compatibilidade com um determinado tipo sanguíneo.

Você já deve ter ouvido falar também sobre pessoas que são doadoras ou receptoras universais, ou seja, podem doar ou receber qualquer tipo de sangue. Vamos conhecer quais tipos sanguíneos são doadores e receptores universais, como é feita essa classificação e muito mais!

O que é tipo sanguíneo?

No final do século XIX, o médico Karl Landsteiner descobriu os tipos sanguíneos após observar que quando algumas amostras de sangue eram misturadas, formavam-se aglomerados de hemácias, gerando um coágulo.

Anos mais tarde, foi possível concluir que essas reações se davam por causa da incompatibilidade entre os tipos sanguíneos. Antes da descoberta, muitas pessoas morriam durante as transfusões de sangue.

Além disso, é importante frisar que a maior parte do sangue é representado pelo plasma (55%), composto de água, proteínas e nutrientes.

As células sanguíneas formam a outra parte (45%), que são as plaquetas, os glóbulos vermelhos (chamados também de hemácias ou eritrócitos) e glóbulos brancos (leucócitos).

Existem diversos tipos de sangue, sendo os mais importantes o Sistema ABO e Fator Rh. Todos os tipos sanguíneos são responsáveis por transportar nutrientes, oxigênio, anticorpos, gás carbônico e outras substâncias para todo o organismo.

Classificação dos tipos sanguíneos

Os tipos sanguíneos servem para classificar o sangue de acordo com a presença de duas proteínas, no plasma, chamadas de aglutinogênio A ou aglutinogênio B.

Sendo assim, o tecido sanguíneo foi classificado de acordo com os tipos: A, B, AB e O, conhecido como sistema ABO.

Além disso, provavelmente você já ouviu alguém falar que possui sangue positivo ou negativo, certo? Isso deve-se ao fator Rh, que determina a presença ou a ausência de aglutinina nas hemácias. O sangue que tem Rh- não possui aglutinina, enquanto o Rh+ possui.

Assim, os tipos sanguíneos podem ser classificados de acordo com o tipo e com o fator Rh. Os tipos sanguíneos são: A+, B+, O+, AB+, A-, B-, O- e AB-.

Abaixo podemos ver qual a presença de aglutinogênio e aglutinina em cada grupo:

Que Grupo Sanguíneo É Considerado Como Sendo Doador Universal?

Incompatibilidade sanguínea

  • Que Grupo Sanguíneo É Considerado Como Sendo Doador Universal?
  • Quando os sangues incompatíveis se misturam, acontecem reações imunológicas entre as substâncias das hemácias (aglutinogênios) e do plasma (aglutinina).
  • Esse segundo elemento atua como anticorpo e, quando percebe a presença de um aglutinogênio não compatível, vai coagular o sangue tentando defender o organismo da presença estranha.

Se uma pessoa receber transfusão de um sangue incompatível, poderá ter sérios problemas de circulação, levando a febre, pressão baixa e coração acelerado. Já os rins são afetados com a baixa da pressão e a hemoglobina sai pela urina. O quadro pode se agravar e levar à morte.

Doador universal

Os tipos mais comuns de sangue, no Brasil, são A e O, que correspondem a quase 90% da população. O restante é formado por B (10% das pessoas) e AB (apenas 3%). Quanto ao Rh, aproximadamente 85% das pessoas é positivo. Sendo assim, os tipos mais comuns no país são O positivo e A positivo.

O doador universal é aquele indivíduo que pode doar seu sangue para qualquer pessoa, sem problemas de coagulação, que é o caso de tipo sanguíneo O negativo.

Esse tipo sanguíneo é muito importante nos bancos de sangue de todo o país. Por isso, é recomendado às pessoas com esse tipo sanguíneo doarem sangue pelo menos uma vez ao ano, afinal, apenas uma bolsa de 450ml é capaz de salvar até quatro vidas.

Receptor universal

O receptor universal, por sua vez, pode receber qualquer tipo sanguíneo sem correr riscos de a aglutinina reagir contra o aglutinogênio e formar coágulos. Esse é o grupo sanguíneo AB+.

Como você já viu, o portador do sangue AB+ possui o aglutinogênio A e B e, devido ao fator Rh positivo, já que não possui a aglutinina. Sendo assim, os dois aglutinogênios presentes nesse grupo não sofrem reações adversas com a presença de outro sangue.

Para facilitar a compreensão, vamos analisar o esquema abaixo com quem pode doar e quem pode receber cada tipo sanguíneo:

Que Grupo Sanguíneo É Considerado Como Sendo Doador Universal?

Doação de sangue

A doação de sangue é uma atitude simples que pode salvar vidas. Trata-se de um ato de solidariedade que não representa risco algum ao doador, desde que siga todos os requisitos.

Geralmente, uma bolsa doada pode ser dividida em até quatro partes (plasma, plaquetas, hemácias e o crioprecipitado).

Recebem transfusão de sangue pacientes que sofreram hemorragias, anemia grave, hemofilia, transplante de órgãos, queimaduras de terceiro grau, entre outros.

Restrições na doação de sangue

Para doar sangue, é preciso ter entre 16 e 69 anos, estar em boas condições de saúde, ter estilo de vida saudável, não se expor a situações de risco como ter perfurado o corpo, pesar mais de 50 kg, entre outras observações.

Não podem doar sangue: menores de 16 anos, quem teve hepatite após 11 anos de idade, quem ingeriu bebida alcoólica nas últimas 12 horas, quem já utilizou drogas injetáveis, quem fez tatuagem nos últimos 12 meses, quem fez tratamento dentário recente, entre outros.

Como vimos, o sangue é essencial na manutenção das nossas vidas. Conhecer cada tipo sanguíneo e seus fatores e saber sobre a incompatibilidade é de extrema importância e pode evitar graves problemas de saúde.

Agora que você já aprendeu muito sobre o que é tipo sanguíneo, quais são os doadores e receptores universais, está na hora de praticar exercícios de Biologia para aprimorar seus conhecimentos.

Além da lista de atividades, o Stoodi oferece videoaulas, resumos e muito conteúdo de qualidade para você mandar bem no Enem e nas provas. Faça seu Plano de Estudos do Stoodi e descubra como você pode ir bem nos vestibulares!

Que Grupo Sanguíneo É Considerado Como Sendo Doador Universal?

Tipos de sangue: A, B, AB, O (e grupos compatíveis)

Os tipos de sangue são classificados de acordo com a presença ou ausência de aglutininas, também chamadas de anticorpos ou proteínas no plasma sanguíneo. Assim, o sangue pode ser classificado em 4 tipos de acordo com o sistema ABO em:

  • Sangue A: é um dos tipos mais comuns e contém anticorpos contra o tipo B, também chamado de anti-B, só podendo receber sangue de pessoas do tipo A ou O;
  • Sangue B: é um dos tipos mais raros e contém anticorpos contra o tipo A, também chamado de anti-A, só podendo receber sangue de pessoas do tipo B ou O;
  • Sangue AB: é um dos tipos mais raros e não possui anticorpos contra A ou B, o que significa que pode receber sangue de todos os tipos sem que haja reação;
  • Sangue O: é conhecido como o doador universal e é um dos tipos mais comum, possui anticorpos anti-A e anti-B, só podendo receber sangue de pessoas do tipo O, caso contrário pode a aglutinação das hemácias.

As pessoas com sangue do tipo O podem doar sangue para qualquer pessoa mas só podem receber doações de pessoas com o mesmo tipo de sangue.

Por outro lado as pessoas do tipo AB podem receber sangue de qualquer pessoa mas só podem doar para pessoas com o mesmo tipo sanguíneo.

É importante que a transfusão só seja feita em pessoas que possuem compatibilidade, caso contrário pode haver reações transfusionais, o que pode gerar complicações.

De acordo com o tipo sanguíneo, existem diferentes tipos de alimentação que pode ser mais adequados. Veja como deve ser a dieta para pessoas com sangue A, sangue B, sangue AB ou sangue O.

Que Grupo Sanguíneo É Considerado Como Sendo Doador Universal?

Além da classificação dos tipos sanguíneo de acordo com o sistema ABO, os tipos sanguíneos também são classificados de acordo com o fator Rh em + e -. O fator Rh corresponde a um antígeno presente nas hemácias e que também deve ser levado em consideração no processo de transfusão, caso contrário pode haver graves complicações relacionados à transfusão sanguínea.

As pessoas que possuem o fator Rh são classificadas como Rh+ e podem receber sangue de pessoas que são tanto Rh+ quanto Rh-, no entanto só podem doar para outras que também possuem Rh+. Por outro lado, as pessoas que não possuem o fator Rh são classificadas como Rh- e podem doar sangue para pessoas que possuem ou não o fator Rh, no entanto só podem receber de pessoas Rh-.

Tabela de compatibilidade para doação de sangue

A tabela a seguir mostra para quem se pode doar sangue e de quem se pode receber:

Pode doar para: Pode receber doação de:
Sangue tipo A+ AB+ e A+ A+, A-, O+ e O-
Sangue tipo A- A+, A-, AB+ e AB- A- e O-
Sangue tipo B+ B+ e AB+ B+, B-, O+ e O-
Sangue tipo B- B+, B-, AB+ e AB- B- e O-
Sangue tipo AB+ AB+ A+, B+, O+, AB+, A-, B-, O- e AB- (todos)
Sangue tipo AB- AB+ e AB- A-, B-, O- e AB-
Sangue tipo O+ A+, B+, O+ e AB+ O+ e O-
Sangue tipo O- A+, B+, O+, AB+, A-, B-, O- e AB- (todos) O-
Leia também:  Como Evitar Que A Bolsa Estoure?

Qual o tipo de sangue do seu filho

Normalmente o tipo sanguíneo da criança é identificado logo após o nascimento por meio do teste do pezinho. No entanto o tipo de sangue da criança também pode ser identificado por meio de exames de sangue de rotina ou a pedidos do pediatra da criança com o objetivo de de determinar o diagnóstico de alguma doença.

No entanto, sabendo o tipo sanguíneo dos pais é possível saber quais as possíveis possibilidade do tipo de sangue da criança. Confira qual o possível tipo sanguíneo do bebê:

Na gravidez, quando a mãe é Rh negativo e o bebê é positivo existe probabilidade da gestante produzir anticorpos para eliminar o bebê podendo levar a um aborto.

Por isso, as grávidas com este tipo de sangue devem consultar o ginecologista para verificar quando há a indicação de injeção de imunoglobulina anti-D, mas nunca há problemas graves numa primeira gravidez.

Veja o que fazer quando o tipo de sangue da grávida é Rh negativo.

Quem pode doar sangue

A doação de sangue dura em média 30 minutos e para ser feita alguns requisitos devem ser respeitados, como:

  • Ter entre 18 e 65 anos, no entanto pessoas a partir dos 16 anos podem doar sangue contanto que possua autorização dos pais ou responsáveis e preencha os outros requisitos para doação;
  • Pesar mais de 50 Kg;
  • Caso tenha feito uma tatuagem, aguardar entre 6 a 12 meses para certificar que não foi contaminado com nenhum tipo de hepatite e que continua saudável;
  • Nunca ter usado drogas ilícitas injetáveis;
  • Aguardar um ano após a cura de alguma DST.

Os homens só podem doar sangue uma vez a cada 3 meses e no máximo 4 vezes por ano e as mulheres a cada 4 meses e no máximo 3 vezes por ano, já que as mulheres perdem sangue todos os meses por meio da menstruação, demorando mais tempo para repor a quantidade de sangue retirada. Veja em que situações pode ser proibido doar sangue.

Antes da doação é importante evitar consumir alimentos gordurosos pelo menos 4 horas antes da doação, além de evitar ficar em jejum.

Por isso, é recomendado que se faça uma refeição leve antes de doar sangue e após a doação, faça um lanche depois, que normalmente é fornecido no local da doação.

Além disso, é indicado beber bastante líquidos, não fumar pelo menos 2 horas após a doação e não realizar atividades físicas muito intensas, pois pode haver risco de desmaio, por exemplo.

Confira estas informações no vídeo seguinte:

Que Grupo Sanguíneo É Considerado Como Sendo Doador Universal?

Como doar sangue

A pessoa que deseja doar sangue deve ir a um dos postos de colheita de sangue, preencher um formulário com diversas questões sobre sua saúde e hábitos de vida. O formulário será analisado por um especialista e, se a pessoa estiver apta, poderá então sentar-se em uma cadeira confortável para que seja feita a doação.

Um enfermeiro irá colocar uma agulha na veia do braço, por onde correrá o sangue para uma bolsa própria para armazenar o sangue. A doação dura, aproximadamente, meia hora e é possível pedir licença do trabalho neste dia, sem ter o salário descontado.

  • Ao findar a doação, será oferecido um lanche reforçado ao doador, para repor suas energias, pois é normal que o doador sinta-se fraco e tenha tonturas, apesar da quantidade de sangue retirada não chegar a meio litro e o organismo logo recompor esta perda.
  • É seguro doar sangue e o doador não pega nenhuma doença, porque segue normas nacionais e internacionais de segurança do sangue do Ministério da Saúde, da Associação Americana e do Conselho Europeu de Bancos de Sangue.
  • Assista o vídeo seguinte e saiba também em que situações não se pode doar sangue:

Que Grupo Sanguíneo É Considerado Como Sendo Doador Universal?

Tipo sanguíneo O+ é o mais comum entre doadores do Hemoce – Secretaria da Saúde

Que Grupo Sanguíneo É Considerado Como Sendo Doador Universal?

A população cearense apresenta tipos sanguíneos diversificados. Normalmente, as pessoas são classificadas pelo grupo ABO (A, B, AB, O) e Rh (positivo e negativo). No Ceará, os tipos O e A positivos são os mais comuns. Das 599.534 pessoas que doaram sangue nos últimos 21 anos no Centro de Hematologia e Hemoterapia do Ceará, da rede pública da Secretaria da Saúde do Ceará (Sesa), do Governo do Estado, cerca de 45% são O+.

Identificar o tipo sanguíneo é determinante no momento de uma transfusão de sangue. A hematologista e diretora de hemoterapia do Hemoce, Denise Brunetta, explica que, independentemente de o paciente saber qual o seu tipo, é feito o teste de tipagem sanguínea antes de a transfusão ser realizada. A partir dessas informações, será transfundido o sangue do doador compatível.

“Existem antígenos presentes ou ausentes no organismo dependendo do tipo de sangue. Por exemplo, se o sangue é do tipo A, quer dizer que possui antígeno A. Se é AB, tem antígenos A e B em seus glóbulos vermelhos. Já quem é O não tem nem A nem B e é considerado o doador universal.

Por isso é tão importante que esses voluntários mantenham suas doações com regularidade”, explica Denise.

As características do sangue precisam ser compatíveis entre doador e paciente para garantir maior segurança transfusional. Além da tipagem sanguínea, o Hemoce realiza a fenotipagem eritrocitária, um estudo mais completo do sangue.

A fenotipagem pesquisa nas hemácias características minuciosas, possibilitando uma transfusão mais compatível. “Com a avaliação, conseguimos identificar o doador com sangue raro. A ausência ou a presença de alguns antígenos pode indicar que o sangue que está sendo avaliado é raro.

Isso permite que tenhamos um banco de sangue raro para atender os pacientes”, conta Denise Brunetta.

O banco de doadores raros do Hemoce é um dos maiores do Brasil e conta com 121 voluntários especiais. Desde 2014, o Hemoce já enviou 32 bolsas de sangue raro para outros estados brasileiros e uma para a Colômbia. Para garantir a segurança e a qualidade no sangue doado, o hemocentro mantém um rigoroso processo de controle.

Cada vez que um voluntário doa, as amostras de sangue passam por testes e exames sorológicos. Além da tipagem sanguínea e da fenotipagem eritrocitária, são realizados eletroforese de hemoglobina e testes para hepatites B e C, sífilis, doença de Chagas, HIV e HTLV (vírus T-linfotrópico humano).

  Também São feitos testes de biologia molecular para verificação e confirmação do vírus HIV e hepatites B e C, chamado de teste NAT.
As doações realizadas no Hemoce atendem pacientes em mais de 450 unidades de saúde no Estado e 100% do Sistema Único de Saúde (SUS). Cada bolsa de sangue é dividida em diferentes hemocomponentes (plaquetas, hemácias e plasma).

Por isso, com uma única doação de sangue, é possível salvar até quatro vidas

Hemoce no RioMar Kennedy

Nesta terça-feira (11), o Hemoce  abre um posto de coleta de sangue no shopping RioMar Kennedy, em Fortaleza. A unidade funcionará no piso L2  até 11 de outubro. De segunda a sábado, o atendimento será das 12h às 21h30. Já aos domingos, das 13h às 21h.

A ação faz parte do projeto “Hemoce Perto de Você”, que tem como objetivo facilitar o acesso da população aos locais de doação de sangue. Uma equipe composta por médico, enfermeiro e técnico de enfermagem receberá os doadores no posto.

O espaço tem capacidade para atender 60 pessoas por dia.

Tipos sanguíneos: o que são e o que significam?

Que Grupo Sanguíneo É Considerado Como Sendo Doador Universal?Imagem de PublicDomainPictures por Pixabay

Os tipos sanguíneos são definidos a partir da presença ou ausência de certos antígenos na superfície das hemácias, também chamadas de glóbulos vermelhos do sangue. Antígeno é toda substância estranha ao organismo que desencadeia a produção de anticorpos. Cada pessoa possui um conjunto de antígenos e suas diferentes combinações formam anticorpos em intensidades diferentes.

Para que uma transfusão de sangue ocorra de forma segura, é preciso haver compatibilidade entre as hemácias do sangue. Então, nesse processo, reconhecer o tipo sanguíneo é fundamental.

O que significam os tipos sanguíneos?

Um tipo sanguíneo é definido a partir de quais antígenos estão na superfície dos glóbulos vermelhos. Esses antígenos desempenham algumas funções no sangue, como transportar outras moléculas para dentro e para fora da célula, manter a estrutura dos glóbulos vermelhos e detectar células indesejadas que podem causar doenças.

Para classificar os tipos de sangue, são considerados dois tipos de antígenos: os antígenos ABO e os antígenos Rh. O sistema ABO define os tipos sanguíneos a partir de quatro classificações: A, B, AB e O. Já o fator Rh determina se o sangue possui Rh positivo ou negativo.

Desse modo, existem oito tipos sanguíneos:

A definição do tipo sanguíneo é herdado dos pais, sendo que cada um deles doa um dos genes ABO para o filho.

O gene A e B são dominantes e o gene O é recessivo, ou seja, se forem doados genes O e A, o tipo sanguíneo será A, porque ele é o dominante.

Isso não significa que o filho não possa nascer com o gene não dominante, apenas é maior a probabilidade de ser do gene dominante. Considerando o dominante, seria assim:

  • AA = tipo sanguíneo A;
  • AO = tipo sanguíneo A;
  • BB = tipo sanguíneo B;
  • BO = tipo sanguíneo B;
  • OO = tipo sanguíneo O;
  • AB = tipo sanguíneo AB.
Leia também:  Como Saber Que A Fralda Esta Pequena?

No caso do Rh, o Rh positivo é o gene dominante:

  • Negativo e Negativo = fator Rh negativo;
  • Negativo e Positivo = fator Rh positivo;
  • Positivo e positivo = fator Rh positivo.

Compatibilidade entre os tipos sanguíneos

Uma transfusão de sangue é responsável por salvar muitas vidas. No entanto, ela precisa ser segura. Para isso, é preciso que os tipos sanguíneos sejam compatíveis.

A compatibilidade ocorre entre os glóbulos vermelhos e o plasma. No grupo sanguíneo A, por exemplo, os indivíduos têm o antígeno A na superfície de suas hemácias e o plasma sanguíneo contém o antígeno anti-B.

Vale destacar que o tipo O- é o único que pode doar para todos os outros diferentes tipos sanguíneos, por isso, é chamado de “doador universal”, enquanto o AB+ é o receptor universal. Confira a tabela de tipo sanguíneo:

Tipos sanguíneos Doa Recebe
A+ A+, AB+ A+, A-, O+, O-
A- A+, B-, AB+, AB- A-, O-
B+ B+, AB+ B+, B-, O+, O-
B- B+, B-, AB+, AB- B-, O-
AB+ AB+ Todos
AB- AB+, AB- AB-, A-, B-, O-
O+ O+, A+, B+, AB+ O+, O-
O- Todos 0-

Como saber o tipo sanguíneo?

Para descobrir o tipo sanguíneo, realiza-se um exame de tipagem sanguínea. Nesse caso, é coletada uma pequena amostra e, em um laboratório, mistura-se o sangue do indivíduo com três substâncias diferentes para verificar como elas reagem.

As substâncias possuem anticorpos A, B ou fator Rh e causarão reações diferentes. Quando o sangue não é compatível, ele forma pequenos grãos e isso permite que o profissional identifique o tipo sanguíneo.

Tendo em vista as complexas relações de compatibilidade entre os tipos sanguíneos, vale dizer que doar sangue é um ato de empatia e solidariedade – em uma única doação é possível salvar até quatro vidas.

  • Doação de sangue: requisitos, como e onde doar

Para doar, basta ter entre 16 e 69 anos, pesar mais de 50 quilos e seguir as instruções de segurança da instituição, tais como não estar em jejum e levar documento oficial de identidade.

Fontes: Blog da Saúde, Medical News Today e Red Cross Blood.

Veja também:

Cadastre-se e receba nosso conteúdo em seu email. Comunicar erro

Doação de sangue: o que significa o seu tipo sanguíneo?

A história da doação de sangue é mais antiga do que muitos imaginam.

Em 1667, o médico francês Jean-Baptiste Denys, que atendia o rei Luís XIV, realizou o primeiro caso documentado de transfusão da história, ao transferir sangue de ovelha a um menino de 15 anos.

O procedimento, surpreendentemente, não causou a morte do garoto. Provavelmente, a quantidade foi pequena e seu organismo conseguiu reagir contra a substância inadequada.

Outras tentativas, porém, acabaram por tirar a vida de várias pessoas. Mesmo assim, já estavam plantadas as sementes da doação de sangue e da transfusão.

No início do século 20, o cientista austríaco Karl Landsteiner descobriu que, dependendo de como combinava as amostras, a reação era diferente.

De lá para cá, os estudos hematológicos e a tecnologia tornaram o ato de doar sangue seguro e indispensável para salvar milhões de vidas.

Quem doa para quem…

Há mais de 30 sistemas (ou grupos) de sangues diferentes. Há tipos muito raros, como o Bombay, também considerado falso O, detectado pela primeira vez em Bombaim, na Índia. Ou o “sangue dourado”, com RH Nulo, o mais raro do mundo. Nele, não há nenhum tipo de antígeno. Porém, o sistema mais conhecido é o ABO, que conta com 8 tipos sanguíneos: A+, B+, AB+, O+, A-, B-, AB-, O-.

Se você ainda não conhece seu tipo sanguíneo, não se preocupe, os hospitais e centros hematológicos fazem testes antes da doação. É importante saber, no entanto, quem doa para quem, principalmente para evitar incompatibilidades, que podem inclusive levar à morte.

  • No sistema ABO, há dois tipos de sangue especiais: o O-, que é doador universal, ou seja, doa para todos os tipos do grupo; e o AB+, o receptor universal, que recebe todos os tipos de sangue desse sistema sanguíneo, sejam fator positivo ou não.
  • Anote as combinações:
  • A+ > doa para A+ e AB+
  • A- > doa para A+, AB+, A-, AB-
  • B+ >; doa para B+ e AB+
  • B- > doa para B+, AB+, B-, AB-
  • O+ >; doa para O+, A+, B+, AB+
  • O- > doa para O+, A+, B+, AB+, A-, B-, AB-, O-
  • AB+ > doa para AB+
  • AB- > doa para AB+ e AB-

… e quem recebe de quem

  1. A+ > recebe doação de A+, A-, O+ e O-
  2. A – > recebe doação de A- e O-
  3. B+ > recebe doação de B+, B-, O+ e O-
  4. B- >; recebe doação de B- e O-
  5. AB+ > recebe doação de A+, B+, O+, AB+, A-, B-, O- e AB-
  6. AB- > recebe doação de A-, B-, O- e AB-
  7. O+ >; recebe doação de O+ e O-
  8. O- > recebe doação de O-
  9. Doe sangue!

Fazer uma doação é um ato de cidadania. Não hesite em exercê-lo, procurando hospitais ou bancos de sangue de sua cidade. Clique aqui e conheca os requisitos para doar sangue.

Sistema ABO e fator Rh. Características do sistema ABO e fator Rh

Em 1902, o médico austríaco Karl Landsteiner e alguns cientistas conseguiram classificar o sangue humano em quatro tipos: A, B, AB eO.

Durante as pesquisas, descobriu-se que alguns tipos sanguíneos eram incompatíveis, e essa incompatibilidade devia-se a uma reação imunológica entre substâncias dissolvidas no plasma sanguíneo e substâncias presentes nas células do sangue, as hemácias.

Passou-se então a chamar as substâncias aglutinógenas da membrana das hemácias de aglutinogênios; e as substâncias aglutinadoras do plasma de aglutininas. Abaixo podemos ver um quadro ilustrando os aglutinogênios e aglutininas do sistema ABO.

Grupo sanguíneo Aglutinogênios (nas hemácias) Aglutininas (no plasma sanguíneo)
A A anti – B
B B anti – A
AB AB
O ­— anti – A e anti – B

A descoberta dos tipos sanguíneos foi muito importante, pois antes disso muitos acidentes foram causados, inclusive com pacientes indo a óbito por terem recebido um sangue incompatível com o seu. Dessa forma, é de extrema importância que, antes de se fazer uma transfusão sanguínea, se saiba o tipo sanguíneo da pessoa.

Se uma pessoa tiver o sangue tipo A, que apresenta aglutinina anti-B no plasma, ela não poderá receber sangue do tipo B e nem do tipo AB.

O mesmo acontece com uma pessoa que tem o sangue tipo B, que, por apresentar aglutinina anti-A no plasma, não pode receber sangue tipo A e nem tipo AB.

Quem apresenta o tipo sanguíneo AB não possui aglutininas no plasma e por isso pode receber qualquer tipo de sangue, sendo por isso chamado de receptor universal.

Entretanto, as pessoas que apresentam o sangue tipo O e que possuem os dois tipos de aglutininas no plasma só poderão receber sangue tipo O. Por outro lado, essas pessoas podem doar sangue para qualquer indivíduo, pois não apresentam aglutinogênios A e B, e por isso são chamados de doadores universais.

Não pare agora… Tem mais depois da publicidade 😉

Grupo sanguíneo Pode receber sangue de: Pode doar sangue para:
A A e O A e AB
B B e O B e AB
AB A, B, AB e O AB
O O A, B, AB e O

Sistema Rh de grupos sanguíneos

O sistema Rh também foi descoberto por Karl Landsteiner e sua equipe, em uma experiência com um macaco da espécie Rhesus. Eles observaram que quando injetavam o sangue desse macaco em cobaias, as cobaias produziam anticorpos, que eles chamaram de anti-Rh (abreviatura de anti-rhesus).

Fazendo essa mesma experiência, mas com sangue humano, os pesquisadores observaram que 85% das amostras de sangue humano testadas com o anticorpo Rh sofreram aglutinação, o que sugere a presença de antígeno Rh no sangue.

As pessoas que tiveram as hemácias aglutinadas pelo anticorpo Rh foram chamadas Rh positivas (Rh+), indicando que suas hemácias têm um antígeno semelhante ao dos macacos, o fator Rh.

As hemácias dos 15% restantes não se aglutinaram e por isso foram chamadas de Rh negativas (Rh-), indicando a ausência do fator Rh em suas hemácias.

Para saber se uma pessoa tem Rh positivo ou negativo, basta misturar uma gota de sangue da pessoa a uma solução com anticorpos Rh. Caso as hemácias se aglutinem, essa pessoa tem sangue Rh+; caso elas não se aglutinem, essa pessoa tem sangue Rh-.

  • Por Paula Louredo
  • Graduada em Biologia

Exercícios sobre transfusão de sangue – Mundo Educação

Questão 1

  • Conhecer os grupos sanguíneos é fundamental para a realização segura de transfusões de sangue. O sangue tipo A, por exemplo, não pode receber sangue de doadores do tipo:
  • a) B e AB.
  • b) A e O.
  • c) B e O;
  • d) A e AB.
  • e) O e AB.

ver resposta

Questão 2

  1. O sangue tipo O é frequentemente chamado de doador universal. Essa denominação é dada porque o sangue tipo O:
  2. a) possui aglutinogênio A e B.
  3. b) não possui aglutinina.
  4. c) possui aglutinina anti-A.
  5. d) possui aglutinogênio O.
  6. e) não possui aglutinogênio.
Leia também:  Como Lidar Com Uma Pessoa Que Nos?

ver resposta

Questão 3

  • O sangue do tipo AB é denominado como receptor universal. Essa denominação é dada porque o sangue AB:
  • a) não possui aglutinogênio.
  • b) possui aglutinogênio A.
  • c) possui aglutinina A e B.
  • d) não possui aglutinina.
  • e) não possui aglutinogênio e aglutininas.

ver resposta

Questão 4

  1. Conhecer o tipo sanguíneo dos pacientes é fundamental em casos de transfusão de sangue, pois transfusões erradas podem causar até mesmo a morte do receptor. O maior problema da transfusão incorreta está no fato de que:
  2. a) a aglutinina do receptor pode causar a destruição das hemácias do doador.
  3. b) o aglutinogênio do doador pode destruir o aglutinogênio do receptor.
  4. c) a aglutinina do doador pode anular a ação da aglutinina do receptor.
  5. d) as hemácias do receptor podem causar a destruição da aglutina do doador.

ver resposta

Questão 5

Imagine que uma pessoa do sangue B necessite urgentemente de uma transfusão de sangue, entretanto, no hospital, não existe sangue B disponível. Essa pessoa poderá receber sangue de qual outro grupo sanguíneo?

  • a) A.
  • b) AB.
  • c) O.
  • d) AB e O.
  • e) A e O.

ver resposta

Resposta Questão 1

Alternativa “a”. O sangue tipo A, por possuir em seu plasma aglutinina anti-B, não pode receber sangue do tipo B e AB.

voltar a questão

Resposta Questão 2

Alternativa “e”. Por não possuir aglutinogênio (antígeno) em suas hemácias, o sangue tipo O é considerado o doador universal, podendo ser doado para pacientes com qualquer tipo sanguíneo.

voltar a questão

Resposta Questão 3

Alternativa “d”. O sangue AB é considerado receptor universal porque não possui aglutinina (anticorpos) em seu plasma, não causando, portanto, a aglutinação das hemácias dos doadores.

voltar a questão

Resposta Questão 4

Alternativa “a”. A aglutinina presente no plasma do receptor pode atacar as hemácias do doador, causando sua destruição (hemólise).

voltar a questão

Resposta Questão 5

Alternativa “c”. Uma pessoa com sangue tipo B pode receber sangue de doadores com sangue tipo B e sangue tipo O.

voltar a questão

Cientistas convertem sangue tipo A em tipo O – que é doador universal

A compatibilidade sanguínea é um fator chave para o sucesso de procedimentos médicos complexos.

Data de 1667 a primeira transfusão sanguínea da história: o médico francês Jean-Baptiste Denys, que atendia figuras ilustres como o rei Luís XIV, transferiu sangue de ovelha para um menino de 15 anos.

Surpreendentemente, o menino não morreu: a quantidade foi pequena e o corpo dele conseguiu resistir aos problemas causados pelo sangue do outro mamífero.

Pena que só deu certo com esse menino, mesmo: óbitos decorrentes de transfusões mal sucedidas eram comuns.

Em 1901, o imunologista austríaco Karl Landsteiner descreveu um dos fatores responsáveis por tantos fracassos: existem três tipos diferentes de sangue (A, B e O), e eles não podem ser misturados.

Mais tarde, outros pesquisadores atestaram que existia mais um tipo, o AB, e aí nascia oficialmente o sistema ABO.

Beleza, mas por que estamos voltando a aula de biologia do ensino médio? Bem, em um artigo publicado na revista Nature Microbiology, cientistas da Universidade da Colúmbia Britânica, no Canadá, conseguiram realizar um feito inédito: converter, utilizando enzimas naturais do intestino humano, o sangue tipo A em tipo O, que é doador universal.

Como o tipo A é o segundo mais comum do planeta (corresponde a cerca de 30% da população mundial), torná-lo compatível a todas as outros tipos sanguíneos poderia ser um alívio gigante a hemocentros e salas de emergência pelo mundo, que sofrem diariamente com a falta de estoque de bolsas com sangue, principalmente do tipo O.

Você pode estar se perguntando: como eles conseguiram fazer isso? Para entender como essa façanha foi possível, vamos voltar aos conceitos do sistema ABO.

Continua após a publicidade

Revertendo sangues

O pulo do gato das transfusões sanguíneas está nos antígenos e anticorpos característicos de cada sangue. Vamos explicar melhor.

Lembra das hemácias – também conhecidas como glóbulos vermelhos? Elas são as células do sangue responsáveis por carregar o oxigênio para as várias partes do corpo.

Dependendo do tipo sanguíneo, essas células são envoltas por açúcares (glicoproteínas e carboidratos como a galactose) específicos.

Se você injeta o sangue de um tipo em uma pessoa cujo sangue é de outro tipo, esses açúcares estranhos vão acionar um alarme no sistema imunológico da pessoa que recebeu a doação. As células de defesa dela vão atacar o sangue novo. E aí… adeus vida cruel.

O sangue tipo O é o doador universal justamente porque suas hemácias estão livres desses açúcares – ou seja, não estimulam células de defesa de nenhum tipo sanguíneo.

Se todas os tipos possuíssem hemácias como as do tipo O, as transfusões seriam bem mais simples.

Acontece que o processo atual para tirar os açúcares das hemácias vindas de outros tipos sanguíneos (isto é, neutralizá-las) tem custos elevadíssimos e nem sempre eram eficientes. Até agora.

Calhou que a resposta estava o tempo inteiro na nossa microbiota intestinal. Os pesquisadores notaram semelhanças entre alguns açúcares presentes no sistema digestório e os encontrados em células de sangue tipo A. Com base nisso, resolveram testar se as enzimas das bactérias do intestino que digerem esses açúcares conseguiriam, também, destruir os açúcares das hemácias tipo A.

Nos testes, duas das enzimas resultantes do processo de digestão natural (reproduzido in vitro) conseguiram quebrar eficientemente os açúcares das células do sangue tipo A, desde que trabalhassem simultaneamente. A técnica, segundo os pesquisadores, poupa tempo e recursos. E os resultados se mostraram promissores.

Esse foi o primeiro estudo científico que encontrou essa correlação e conseguiu “converter” um tipo sanguíneo. Os cientistas afirmam que mais pesquisas precisam ser desenvolvidas para aprimorar esse processo de mudança do sangue – e, quem sabe, torná-lo o clinicamente viável para milhões de pessoas que precisam.

Continua após a publicidade

Sistema ABO e as possíveis transfusões sanguíneas. Sistema ABO

Antes da descoberta do sistema ABO muitos acidentes fatais ocorreram devido ao desconhecimento de que o sangue das pessoas não é necessariamente igual.

Foi somente no início do século XX que o médico austríaco Karl Landsteiner, juntamente com sua equipe de colaboradores, descobriu a existência de grupos sanguíneos através de pesquisas feitas a partir do sangue de várias pessoas diferentes. Eles observaram que quando o sangue de uma pessoa era misturado ao de outra pessoa, o sangue podia ou não se aglutinar.

Dessa forma, eles concluíram que na espécie humana existem quatro tipos sanguíneos, conhecidos como tipo A, B, AB e O.

Dando continuidade a suas pesquisas, o médico descobriu que nossas hemácias contêm substâncias chamadas de aglutinogênios, que variam de pessoa para pessoa.

Descobriu-se também que no plasma sanguíneo existem anticorpos batizados de aglutininas, elas têm a capacidade de reagirem com os aglutinogênios.

Tanto os aglutinogênios quanto as aglutininas são determinadas geneticamente.

Pessoas que possuem o sangue do tipo A apresentam aglutinogênio A e aglutinina anti-B. Já as pessoas que possuem o sangue do tipo B apresentam aglutinogênio B e aglutinina anti-A.

As pessoas com sangue do tipo AB apresentam aglutinogênio AB, mas não apresentam nenhum tipo de aglutinina, enquanto as pessoas com sangue tipo O não apresentam nenhum tipo de aglutinogênio, mas possuem aglutinina anti-A e anti B.

Tipo sanguíneo Aglutinogênios encontrados nas hemácias Aglutininas encontradas no plasma sanguíneo
A A Anti-B
B B anti-A
AB AB
ONão pare agora… Tem mais depois da publicidade 😉 anti-A e anti-B

Por exemplo, uma pessoa com sangue do tipo A (que apresenta aglutinina anti-B) poderá receber sangue do tipo A e do tipo O.

Nesse caso, essa pessoa não poderá receber nunca o sangue de pessoas do tipo B e AB, pois esses tipos sanguíneos apresentam aglutinogênio B nas hemácias, o que poderia causar um grave acidente.

Pessoas com sangue do tipo B (que apresentam aglutinina anti-A no plasma sanguíneo) podem receber sangue do tipo B e do tipo O, mas não podem nunca receber sangue do tipo A e AB. Isso ocorre porque nos tipos sanguíneos A e AB encontramos o aglutinogênio A.

Pessoas que apresentam sangue do tipo AB são consideradas receptoras universais, pois podem receber sangue de qualquer tipo. Isso se deve ao fato de que esse tipo sanguíneo não apresenta aglutinina de nenhum tipo. É importante lembrar que esse tipo sanguíneo pode receber sangue de todos os outros tipos sanguíneos, mas pode doar somente para ele mesmo.

Já o tipo sanguíneo O é considerado doador universal, pois por não apresentar nenhum tipo de aglutinogênio, ele pode doar para qualquer grupo sanguíneo, lembrando que esse tipo sanguíneo só pode receber sangue do tipo O.

Tipo sanguíneo Pode receber de Pode doar para
         A         A e O         A e AB
         B         B e O         B e AB
        AB      A, B, AB e O            AB
         O            O      A, B, AB e O

Publicado por: Paula Louredo Moraes

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*