Quanto Tempo Posso Ficar Em Portugal Como Turista?

Se você deseja prorrogar o seu visto de turista em Portugal, nós ensinamos para você o passo a passo.

Mesmo com todas as cautelas necessárias, é possível que hajam imprevistos durante uma viagem. Dependendo do motivo, às vezes o tempo concedido pelo visto pode parecer pouco e você precisará estender sua estadia no país.

Em Portugal, os brasileiros não precisam de visto para entrarem no país como turistas. É permitida a permanência de turistas brasileiros legalmente em Portugal por até 90 dias.

  • Este período pode ser prorrogado, desde que a pessoa interessada se dirija a uma SEF – Serviço de Estrangeiros e Fronteiras em Portugal e faça a solicitação da prorrogação.
  • Cabe ao SEF decidir se ela pode ou não permanecer no país por mais tempo.
  • Veja a seguir como estender o visto de turista em Portugal.
  • Quem pode solicitar a prorrogação do visto de turista em Portugal?
  • Brasileiros que estejam em território português como turistas e que desejem ou precisem ficar mais tempo no país por motivos plausíveis.
  • Em que casos posso é possível pedir a prorrogação?

Recomenda-se a prorrogação por motivos plausíveis, mas a SEF não define as hipóteses. Os casos mais comuns são tratamento médico e cursos de curta duração.

  1. Quando deve-se fazer o agendamento?
  2. O pedido de prorrogação deve ser feito antes de vencer os 90 dias já concedidos.
  3. Onde fazer a solicitação da prorrogação do visto de turista em Portugal?
  4. Para realizar a solicitação de prorrogação de estadia, você deverá procurar a sede do Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF) referente à sua regional para que seu atendimento seja realizado.
  5. O agendamento pode ser feito por telefone.
  6. Após o agendamento, a pessoa interessada deverá comparecer munida de toda a documentação necessária no SEF.

Quanto Tempo Posso Ficar Em Portugal Como Turista?

Quais os documentos necessários para solicitar prorrogação do visto de turista em Portugal?

Os documentos exigidos para o pedido de extensão do visto de turista e que deverão ser levados na SEF são:

  • Pedido impresso preenchido e assinado;
  • Duas fotografias atualizadas 4,5cm x 3.5 cm, em fundo liso;
  • Passaporte brasileiro válido;
  • Comprovante de meio de subsistência para o tempo de extensão, conforme a Portaria nº1563/2017, de 11/12;
  • Comprovante de morada (reserva de hotel, aluguel, etc.);
  • Passagem de volta para o Brasil antes do término da extensão do visto;
  • Carta apresentando o motivo do pedido de extensão.

Há cobrança de taxa?

Sim, a SEF cobra uma taxa que varia de acordo com o tempo de extensão do visto de turista. Os valores ficam em torno de 49 a 65 euros.

  • Quanto tempo demora?
  • Em geral não é demorado, mas isso pode variar de cada lugar.
  • Por isso, é recomendado o agendamento com antecedência de, pelo menos, dois meses antes da expiração da autorização inicial.

Atenção! Cidades como Porto e Lisboa costumam ter uma procura bem grande e a espera às vezes pode chegar a três meses para o agendamento, portanto, fique atento à região em que você está.

E se a extensão do visto demorar para sair?

Você deve fazer a solicitação com a máxima antecedência para evitar problemas. Se você estiver legal (dentro dos 90 dias) enquanto aguarda, não haverá qualquer tipo de problema.

  1. Mas se a prorrogação demorar ou não for aceita e você ultrapassar os 90 dias concedidos, há o risco de ser deportado.
  2. E se o pedido de prorrogação de visto não for aceito?
  3. Caso o pedido de extensão do visto não seja aceito e você estiver dentro do período de 90 dias já concedido, não haverá problema algum, poderá continuar no país até que o prazo expire.
  4. Mas se este prazo já estiver sido ultrapassado, aí é necessário deixar Portugal para evitar problemas.
  5. Quantas vezos é possível pedir a prorrogação do visto?
  6. Não há nenhum número definido em lei.
  7. É importante ressaltar que a extensão do visto de turista dá direito a permanecer somente em Portugal dentro do período concedido pela SEF.
  8. Como pode observar, o processo é simples, basta ficar atento às datas e fazer a solicitação dentro do tempo hábil.

Você pretende residir em Portugal? Há duas opções: Tendo a Nacionalidade Portuguesa ou algum Visto para Portugal. Obtenha mais informações nas imagens abaixo:

           Quanto Tempo Posso Ficar Em Portugal Como Turista?            Quanto Tempo Posso Ficar Em Portugal Como Turista?

  • Você também pode gostar de:
  • Como é morar no Alentejo – Custo de vida, Lazer e mais;
  • Saiba como matricular seu filho na escola pública de Portugal;
  • Conheça os principais entretenimentos em Portugal;
  • Como é morar em Aveiro – Custo de vida, Lazer e mais;
  • Rock in Rio Lisboa: Saiba tudo sobre o festival.

É possível trabalhar com visto de turista?

Quanto Tempo Posso Ficar Em Portugal Como Turista?

A verdade é: Se for possível, venha com contrato de trabalho ou com formas para investir ou se sustentar em Portugal. Dito isto, se ainda assim você quiser morar e trabalhar em Portugal com visto de turista, saiba que é possível. Há bastante oferta na área de restaurantes/alimentação, turismo e TI. Se você quer viver com tranquilidade, mas sem ser rico, Portugal é o lugar para você! Há vagas de trabalho nesta área para quem tem experiência. O problema é o salário, que é um dos mais baixos da Europa, apesar que é possível viver bem com ele.

Repetindo: Recomendamos que você venha através dos meios legais, que é procurar a empresa, solicitar o visto de trabalho e entrar em Portugal com ele.

Mas caso você esteja “turistando” por Lisboa e consiga um trabalho por aqui, saiba que é possível TENTAR a legalização e a autorização de residência diretamente daqui de Portugal. O Artigo 88.º da lei de imigração, fala sobre Autorização de residência para exercício de atividade profissional subordinada:

Artigo 88

1 — Para além dos requisitos gerais estabelecidos no artigo 77.º, só é concedida autorização de residência para exercício de atividade profissional subordinada a nacionais de Estados terceiros que tenham contrato de trabalho celebrado nos termos da lei e estejam inscritos na segurança social.

2 — Mediante manifestação de interesse apresentada através do sítio do SEF na Internet ou diretamente numa das suas delegações regionais, é dispensado o requisito previsto na alínea a) do n.º 1 do artigo 77.º, desde que o cidadão estrangeiro, além das demais condições gerais previstas naquela disposição, preencha as seguintes condições:

  • a) Possua um contrato de trabalho ou promessa de contrato de trabalho ou tenha uma relação laboral comprovada por sindicato, por representante de comunidades migrantes com assento no Conselho para as Migrações ou pela Autoridade para as Condições do Trabalho;
  • b) Tenha entrado legalmente em território nacional;
  • c) Esteja inscrito na segurança social, salvo os casos em que o documento apresentado nos termos da alínea a) seja uma promessa de contrato de trabalho.*
  • 3 — [Revogado].*
  • 4 — A concessão de autorização de residência nos termos dos números anteriores é comunicada pelo SEF, por via eletrónica, à Autoridade para as Condições de Trabalho ou, nas regiões autónomas, à respetiva secretaria regional, de modo que estas entidades possam fiscalizar o cumprimento de todas as obrigações legais da entidade patronal para com o titular da autorização de residência, bem como à administração fiscal e aos serviços competentes da segurança social.
  • 5 — O titular de uma autorização de residência para exercício de uma atividade profissional subordinada pode exercer uma atividade profissional independente, mediante substituição do título de residência, sendo aplicável, com as necessárias adaptações, o disposto no artigo seguinte.

* O n.º 2 deste artigo 88.º foi alterado e o n.º 3 revogado pela Lei n.º 59/2017, de 31/07, quarta alteração à Lei de Estrangeiros, em vigor desde 07-08-2017.

Após reunir toda documentação necessária, você deve acessar o SAPA – Sistema Automático de Pré-Agendamento (https://sapa.sef.pt/an/default) e aguardar o agendamento da sua entrevista no SEF.

Mas atenção: A partir da expiração de seu visto de turista, você estará de forma ilegal no país até receber a autorização de residência. Por isto, recomendo tentar o visto de trabalho a partir de seu país de origem.

5 Documentos Obrigatórios para Viajar para Europa

  • A União Europeia exige que seus visitantes tenham em mãos 5 documentos para viajar para Europa como turistas.
  • Todos os componentes da lista são obrigatórios, mas facilmente obtidos por qualquer viajante que se planeje adequadamente.
  • Toda vez que for programada uma viagem para a Europa, conferir item por item é fundamental para não ser surpreendido durante a sessão de perguntas na imigração, ao desembarcar.
  1. Os 5 documentos obrigatórios para viajar para Europa são:
  2. Abaixo vamos listar as formas mais simples e baratas de conseguir cada um deles sem que isso complique seu planejamento de viagem.
  3. Note que todos os documentos para viajar para Europa exigem sua comprovação feita de maneira adequada.

Passaporte válido

Ter um passaporte válido é item obrigatório na hora de planejar uma viagem. E isto vale para a maior parte dos países do mundo, não só para os europeus.

Leia também:  Como Desprezar Um Homem Que Te Magoou?

Para conseguir emitir um passaporte brasileiro, basta acessar o site da Polícia Federal e seguir as orientações conforme enunciadas por lá.

Confira a data de expiração!

No caso dos países da Europa, pelas determinações acertadas no Tratado de Schengen é exigido que o documento de viagem tenha ao menos 90 dias de validade após a data prevista de retorno.

Isto significa que seu passaporte deve ter a data de expiração para, no mínimo, três meses após a data marcada em sua passagem de volta.

Caso seu passaporte não tenha validade suficiente para se adequar às regras, não é necessário aguardar que ele perca a validade para dar entrada em um novo.

O ideal, para uma boa rotina de viajante, é emitir um novo passaporte antes de o antigo entrar em seus últimos seis meses de validade.

Isto garante que o documento esteja válido para viajar para a Europa e para outros países que sejam ainda mais exigentes.

E o Visto para Europa?

Brasileiros, quando viajam a turismo por menos de 90 dias, não precisam de visto para viajar para a quase todos os países da Europa. Isto porque a maioria deles faz parte do Espaço Schengen, de livre circulação, que não exige a autorização prévia de brasileiros.

E mesmo aqueles que não adotaram as diretrizes do Tratado, como o Reino Unido e a Irlanda, ou os que não fazem parte da Uniao Européia, como a Rússia e a Turquia, historicamente também não exigem visto prévio de brasileiros a turismo.

Por um lado esta não exigência do visto facilita bastante o planejamento de viagem. Mas por outro, é justamente por não exigirem autorização prévia que é tão importante checar todos os documentos para viajar para Europa antes de embarcar. Na hora de passar pela imigração, sua entrada pode ser recusada caso você não esteja de posse de algum dos itens obrigatórios da lista.

Como preparativo para a viagem, separe uma pasta com as comprovações necessárias de todos os documentos para entrar na Europa e leve com você em sua mala de mão.

Seguro Viagem

O seguro viagem na Europa é outro item da lista de documentos para viajar pelo continente cujas regras são determinadas pela assinatura do Tratado de Schengen.

Para estar de acordo com as normas, o seguro viagem contratado deve ter uma cobertura mínima de 30 mil euros para despesas médicas e hospitalares.

Viajar para a Europa sem seguro viagem faz com que você seja impedido pela imigração de entrar na União Europeia

Não vale a pena correr o risco. Compre seu seguro antes de embarcar.

Com essa obrigatoriedade, todas as seguradoras hoje oferecem planos privados de seguro viagem já adaptados às exigências europeias. Normalmente estes planos recebem nomes como “Seguro Europa” ou “ Seguro Schengen”, que facilitam a identificação de quais estão adaptados às regras.

  • Opcionalmente, caso seu cartão de crédito seja do segmento Platinum ou superior e suas passagens para Europa tenham sido compradas com ele, o seguro viagem pode já estar incluído, dependendo das condições negociadas em sua adesão.
  • Mas caso seu segmento seja Gold ou inferior, as bandeiras de cartão não cobrem a exigência mínima, sendo obrigatória a contratação de um seguro viagem para se adequar.
  • Para fazer sua cotação de seguro viagem para a Europa, use um comparador de corretoras para encontrar a empresa que tenha a melhor oferta para as suas datas de viagem.
  • Leia mais: 9 Dicas para encontrar o seguro viagem mais barato.

Comprovantes de hospedagem (ou carta-convite)

Dos documentos para viajar para Europa, os comprovantes de hospedagem são os que por mais vezes são exigidos pelos agentes da imigração durante o processo de entrevista.

Em compensação, são também os mais fáceis de serem obtidos, já que é possível não gastar nenhum centavo para conseguir o seu.

Como o Booking.com oferece cancelamento gratuito em boa parte de suas ofertas, basta fazer a reserva de seu hotel/hostel por lá para receber seu comprovante de hospedagem por email sem gastar nada e riscar rapidamente este item de suas pendências.

Como a isenção de visto é oferecida a quem viaja a turismo, eles precisam ter a garantia de que é para isso que você está desembarcando no continente e não para viver ilegalmente por lá.

Portanto, mesmo que você seja do tipo que não gosta de planejar seus dias de viagem de maneira rigorosa, reserve sua hospedagem do dia da chegada ao dia da saída da Europa para ter com você as comprovações necessárias.

Caso seus planos mudem durante a viagem, basta cancelar a reserva em questão e seguir um rumo diferente. Depois de ter passado pela imigração você fica livre para montar seu roteiro da maneira que preferir.

A carta-convite

Como alternativa, caso seus planos envolvam ficar hospedado na casa de algum amigo ou parente, seu anfitrião pode produzir uma carta-convite que sirva como sua comprovação de hospedagem.

Para produzir a carta, o anfitrião que assinar o documento deve residir legalmente no país para onde você está viajando. No caso da Europa, ele deve ser cidadão europeu ou possuir um visto que dê direito a residência permanente. Vistos temporários de estudo, trabalho ou turismo não são válidos.

Na internet há vários modelos de carta-convite já prontos para serem preenchidos. Peça ao seu anfitrião que redija a carta no idioma do país onde ele mora e que ao final, leve a um órgão correspondente do país para registrá-la oficialmente.

Comprovação de condições financeiras

O agente da imigração está ali para tentar identificar pessoas que tenham planos de viajar para Europa e não mais voltar. Nenhum país quer bloquear a entrada de viajantes comuns, pois turismo gera dinheiro e movimenta a economia local.

  1. Assim, deixar evidente que você tem condições financeiras de se manter na Europa pelo período de dias planejado para sua viagem é a melhor forma de comprovar suas boas intenções e não gerar problemas com a imigração.
  2. Junte, portanto, a sua lista de documentos para viajar para Europa, todo tipo de comprovação financeira que mostre que você tem condições de bancar o custo de vida europeu pela duração de sua viagem.
  3. Podem servir como documentos que comprovam suas condições financeiras:

O valor mínimo a ser comprovado

O valor mínimo exigido, que deve ser comprovado, costuma ser de 68 euros por dia de viagem, por pessoa.

Este valor, no entanto, serve apenas como orientação. Se seus gastos de viagem serão maiores que este, leve documentos e comprovações compatíveis com seu padrão de viagem.

Passagem de retorno

Não ser confundido com algum possível imigrante ilegal é seu maior objetivo.

Logo, ter a passagem de retorno é item obrigatório na lista de documentos para viajar para Europa. Sem ela, o viajante corre o risco de sequer embarcar, já que muitas companhias aéreas conferem a documentação ainda no momento do check in. Fazem isso para evitar serem obrigadas a custear o retorno de quem foi barrado por não ter a documentação correta.

Mas, e os viajantes que dão a volta ao mundo? E quem viaja a longo prazo, sem uma data de retorno estabelecida?

  • Nestes casos, em seus documentos, ao invés de ter uma passagem de retorno, você pode apresentar uma passagem de saída da área do Tratado de Schengen, desde a data do voo esteja no limite de 90 dias a que turistas têm direito.
  • Você não precisa comprovar que vai retornar para o Brasil, basta deixar evidente que sairá da Europa antes de seu período de permanência expirar e não criarão qualquer problema para sua estadia.
  • Save
  • Save

HOSPEDAGEM

No Booking.com estão cadastradas as melhores opções de hotéis e albergues. Reserve com direito a cancelamento gratuito e viaje com mais tranquilidade.

CONTA GRÁTIS NA EUROPA

Abra uma conta online no Banco N26 para ter um cartão com saldo em euros para suas viagens internacionais.

SEGURO VIAGEM

Use nosso Comparador de Seguro Viagem. Com nossa parceria com a Seguros Promo, vamos te ajudar a encontrar os melhores planos de seguro para o seu destino. Use o cupom VIDACIGANA5 e receba 5% de desconto na hora do check out.

ROAD TRIP

Alugue um veículo com a RentCars.com para sua viagem. Compare os preços de diferentes locadoras, pague em Reais, sem IOF e parcelado em até 12 vezes.

Extensão de visto de turista em Portugal: como solicitar

A extensão de visto de turista em Portugal é uma opção pouco conhecida, mas muito utilizada por aqueles que pretendem ficar mais um pouco no país, além dos 90 dias iniciais permitidos por lei (assim como em todos os países pertencentes ao Espaço Schengen).

Em crescente expansão, o número de turistas brasileiros em Portugal apresentou no primeiro trimestre de 2019 um aumento de 28,6% em relação ao mesmo período do ano anterior. Apenas em julho, Lisboa viu chegar 139 mil turistas brasileiros, um recorde segundo o Instituo Nacional de Estatística (INE).

Leia também:  Como Saber A Que Freguesia Pertenço?

Finalista e ganhador de diversos prêmios no setor de turismo, entre eles o World Travel Awards, o país garantiu o troféu de “Melhor destino”.

Os motivos que levam os turistas a ficarem por mais tempo são variados, seja por um imprevisto ou não, a verdade é que a facilidade da língua, o clima ameno, as diversas cidades para ver e visitar, tudo isto contribui em muito para os pedidos de extensão do visto de turista em Portugal.

Saiba, então, mais detalhes sobre a extensão de visto de turista em Portugal e como fazer para ficar mais tempo em terras portuguesas, de forma legal.

Como funciona o processo extensão de visto de turista em Portugal

Muita gente (mesmo) nos pergunta sobre prolongar a estadia em Portugal. É possível? É complicado? Por isso resolvi contar tudo sobre o assunto para quem pretender estender o tempo no país.

Recomendamos a assessoria boutique da Atlantic Bridge, para quem deseja ir para Portugal de forma planejada, sem contratempos e com a segurança de ser acompanhado pelos profissionais mais experientes do mercado.

A boa notícia para os que desejam prolongar a estadia é que sim, é possível fazer a extensão de visto de turista em Portugal, sem maiores problemas.

Todo cidadão brasileiro que precise prolongar a sua estadia no país pode fazer a solicitação da extensão junto do SEF, o Serviço de Estrangeiros e Fronteiras, através dos contatos: 808 202 653 (rede fixa) ou 808 962 690 (rede móvel). O atendimento é feito todos os dias úteis, das 08h às 20h.

Para evitar confusão futura, entenda que na realidade esse processo se chama de prorrogação de permanência temporária em Portugal.

Leia sobre como funciona o SEF.

Como fazer?

Como referimos, o pedido deve ser feito mediante marcação no SEF, no posto da cidade onde o turista tenha a sua hospedagem confirmada. Os pedidos de marcação devem ser feitos por telefone ou presencialmente. As marcações online funcionam apenas para os detentores de vistos de residência ou estada temporária.

A marcação por telefone funciona como um pré-agendamento. O solicitante recebe então uma data e hora para comparecer ao posto do SEF mais próximo para levar os documentos necessários. Depois é necessário voltar ao SEF para retirar o documento.

Quais os documentos necessários

Para realizar o pedido de extensão de visto de turista em Portugal, os documentos necessários são:

  • Pedido impresso do requerimento assinado pelo solicitante, no caso de menor de idade deve ser assinado pelo responsável que irá realizar a solicitação;
  • Duas fotografias 3×4 a cores, com fundo liso e atualizadas;
  • Passaporte ou outro documento válido de viagem reconhecido;
  • Comprovativo dos meios de subsistência, garantindo para as autoridades que o requerente tem maneira de se manter no país, neste caso, o que diz a lei é que o solicitante deve ter 75€ para cada entrada e mais 40€ por dia de estadia;
  • Comprovativo de alojamento, e aqui pode ser a reserva do Airbnb, a reserva do hotel, ou carta convite autenticada do familiar ou amigo aonde o requerente está hospedado;
  • Requerimento para consulta do registro criminal, sempre que a estadia for maior que 90 dias;
  • Título de viagem que garanta o regresso, ou em situações devidamente comprovadas e documentadas, a reserva da viagem com indicação da data do regresso para estadias até 90 dias;
  • Comprovativo de que se mantém as condições de admissão no território português, ou em casos excepcionais, a ocorrência de outros motivos que justifiquem a permanência por um período maior do que o anteriormente permitido.

Quanto custa a extensão de visto de turista em Portugal?

Para os interessados, os valores da extensão variam de acordo com o período de tempo pretendido, para solicitações até 30 dias, a extensão custa 49,90€. Para os pedidos de extensão superiores a 30 dias, o custo é de 66,60€.

Mais informações sobre viajar para Portugal: saiba tudo sobre visitar e morar no país

Extensão de visto de turista em Portugal: perguntas frequentes

Quais são os motivos aceitos para pedir extensão?

Infelizmente, não basta querer para ter a solicitação aprovada. É necessária uma justificativa válida que fundamente o pedido de extensão de visto de turista em Portugal.

O SEF não diz quais são os motivos aceitos por eles, mas na maioria dos casos, são aprovados os pedidos por motivos médicos, motivos humanitários ou por aqueles que desejam realizar algum tipo de curso de curta duração.

Apesar de o consulado dizer que o brasileiro pode prorrogar sua estadia com visto de turista no país, esse motivo deve ser plausível para o SEF.

Ao pesquisar sobre o assunto, vemos que não é tão simples. Muitas pessoas relataram que o pedido de extensão de visto para Portugal deve ter motivos como tratamento médico, acompanhamento de familiar em tratamento, término de curso para quem escolhe fazer um curso de curta duração, etc.

Dá para estender a estadia em Portugal por férias

É possível, se você justificar e provar que de facto vai realizar férias. Ou seja, será necessário comprovar meios de subsistência para esses 90 dias, o local onde vai ficar alojado e se possível até alguns bilhetes de viagens (trem, ônibus, etc).

Veja aqui os vários motivos aceitos para a prorrogação.

Com que antecedência devo pedir a extensão de visto de turista em Portugal?

A extensão deve ser solicitada mal o turista entenda que irá precisar da mesma. Uma vez que o serviço burocrático do órgão responsável pode demorar a disponibilizar vagas para o atendimento, quanto mais rápido, melhor. O tempo recomendado é de 60 dias antes do prazo inicial expirar.

A prova de que não vale a pena esperar para dar entrada no pedido é o comunicado existente no site do SEF que diz que, salvo circunstâncias excepcionais, os pedidos cujas solicitações forem feitas 30 dias após o prazo final da primeira autorização serão automaticamente indeferidos.

É possível estender por quanto tempo?

As extensões para turistas podem ser concedidas em dois prazos diferentes: até 30 dias e até 90 dias.

É possível estender mais de uma vez?

Por norma, não. Apenas em casos muitos raros e especiais. O normal é que as extensões sejam concedidas apenas uma vez.

Demora muito para sair o resultado do pedido?

Os resultados dos pedidos de extensão de visto de turista em Portugal podem demorar principalmente nas cidades aonde o movimento é maior, como Lisboa e Porto. Para tanto, é recomendado que o turista interessado entre em contato com o SEF quanto antes.

E se o resultado não sair até o fim de 90 dias?

Nos meses de maior movimento de requerimentos e processos, o resultado pode demorar mais do que esperado. Neste período, o viajante fica em situação irregular e não ilegal. Isto é, está a espera de uma comunicação do serviço de imigração, mas ainda não tem a sua situação no país completamente regularizada.

E se eles não aceitarem a extensão de visto de turista em Portugal?

Se o pedido de extensão de visto de turista em Portugal não for aceito, você deverá ir embora de Portugal quando o seu período permitido de turismo terminar (os 90 dias). Não ir embora implica irregularidade. Ou seja, você ficará ilegal no país.

O que pode acontecer se eu não for embora após os 90 dias e não pedir a extensão?

Quem não pede a extensão e fica no país mesmo assim está se colocando numa situação de irregularidade e corre o risco de ser deportado ou ter a entrada no Espaço Schengen negada em futuras tentativas, além de precisar pagar uma multa ao deixar o país.

Veja porque você NÃO deve morar ilegalmente na Europa e quais são as consequências.

Com a extensão aprovada posso visitar outros países?

Infelizmente não. A extensão de visto de turista em Portugal é uma cortesia do Governo Português e não se aplica aos restantes países da UE. Quem receber a possibilidade de estender a estadia deve permanecer em território português até a data de regresso.

Se a sua vontade for realmente morar no país, o melhor é sempre fazer o pedido de visto ainda no Brasil ou pedir a sua autorização de residência no SEF quanto antes.

Para realizar a sua mudança para o país legalmente e sem imprevistos, sugerimos que você faça parte do nosso Programa Morar em Portugal.

É um guia completo com 22 vídeo-aulas + livro digital contendo tudo o que você precisa saber como documentos, custo de vida, estilo de vida, o que fazer ao chegar ao país, etc. Vale a pena.

Como morar e trabalhar legalmente em Portugal | ETIAS Brasil

Todos os anos, milhares de brasileiros deixam o país em busca de melhores condições de vida, segurança e melhores salários. Um dos destinos favoritos dos brasileiros é sem dúvida Portugal. Atualmente a comunidade brasileira, de quase meio milhão, representa 25% dos imigrantes em Portugal (um 5% da população total).

Leia também:  Como Saber Quando Vou Receber O Irs 2015?

Mas por que tantos brasileiros deixam o Brasil para ir morar em Portugal? Uma das razões é a língua, já que ao falar português a adaptação é mais fácil e também ajuda na hora de procurar emprego.

O ensino público em Portugal também é dos melhores na Europa, sendo o único país que desde 2000 vai subindo progressivamente o seu ranking PISA.

Portugal conta ainda com uma baixa taxa de desemprego e um sistema Nacional de saúde público que supera a Inglaterra, Espanha e Itália em um ranking internacional de qualidade. Como vê, não faltam motivos para ir morar em Portugal.

Então o que precisa saber e fazer para morar em Portugal? Neste artigo vamos explicar todos os passos para morar legalmente em Portugal, começando por conseguir o visto adequado, uma oportunidade de trabalho, como estudar, etc.

Quais os documentos necessários para morar em Portugal?

Se você está planejando migrar para Portugal antes de mais terá que ter seu passaporte em dia e se cadastrar no novo sistema de vistos europeu, o ETIAS.

O autorização ETIAS, permite a entrada em Portugal e estadia de 90 dias, o tempo perfeito para tratar de vistos de residência ou de estudante e ainda, dá a possibilidade de viajar pelo resto dos países do velho continente.

Vistos necessários para viver em Portugal

Graças aos acordos que o Brasil tem com Portugal, alguns dos trâmites legais para ir viver para o país foram facilitados.

Uma vez tenha o permisso ETIAS, então poderá começar a tramitar os vistos de residência permanente. Existem várias opções de como permanecer legalmente em Portugal:

  • Dupla Cidadania Portuguesa
  • Visto de Estudante
  • Visto de Trabalho
  • Visto de Empreendedor e Golden Visa
  • Visto de Rendas Próprias (aposentados, por exemplo)
  • Autorização de Residência Permanente

Existe também a possibilidade de pedir a cidadania portuguesa ou de outro país da União Europeia caso tenha ascendência portuguesa ou europeia. Neste caso, uma vez esteja em Portugal poderá tramitar todos os papéis para solicitar a cidadania luso-brasileira e não necessitará de visto.

Dupla cidadania Portuguesa

Todos aqueles que sejam filhos ou netos de um cidadão português, que estejam casadas ou em união estável (há mais de três anos) com portugueses, ou brasileiros que residam em território lusitano por seis anos consecutivos, podem pedir a cidadania Portuguesa. Esta é certamente a maneira mais fácil e barata de viver legalmente em Portugal.

Todos os brasileiros que tiverem a cidadania portuguesa, uma vez em Portugal baixo o autorização ETIAS, terão só que providenciar o Número de Identificação Fiscal (NIF) que lhes tenha sido atribuído (equivalente ao CPF no Brasil), para poder fazer a inscrição no Serviço Nacional de Saúde. Terão que providenciar também o atestado de morada e atualizar o seu cartão cidadão. Uma vez feitos todos estes trâmites, poderá viver legalmente em Portugal, trabalhar ou estudar sem a necessidade de nenhum visado adicional.

Visto para estudar em Portugal

Portugal é conhecido pelo seu ótimo ensino público, sobretudo a nível universitário. É por isso que cada vez mais brasileiros escolhem o país com as fronteiras mais velhas da Europa como destino para estudar.

Existem duas maneiras de Estudar em Portugal. Uma é através do autorização ETIAS. Este permite uma estadia de 3 meses em território nacional que pode ser prolongado por mais 180 dias (6 meses). Tempo suficiente para estudar, ou pedir o Visto de Estadia Temporária (para quem planeia permanecer menos de um ano em Portugal).

Outra maneira seria solicitar directamente o visto de estudante. Este é atribuído a quem for fazer uma graduação, pós-graduação ou intercâmbio em Portugal. A primeira parte do processo é feita no Brasil, no consulado ou embaixada Português.

O primeiro passo seria candidatar-se a uma instituição em Portugal e posteriormente apresentar a carta de aceitação assim como comprovar os meios de subsistência.

Se o estudante quiser estudar por mais que um ano, uma vez já esteja em Portugal, terá que procurar um SEF (Serviço de Estrangeiros e Fronteiras) para solicitar uma autorização de residência, que terá que ser renovada anualmente.

Como trabalhar legalmente em Portugal

Para aqueles que querem trabalhar em Portugal, o primeiro passo seria conseguir uma promessa de trabalho. Hoje-em-dia isso é fácil já que se podem fazer entrevistas à distância usando vários tipos de tecnologia.

Outra maneira seria graças ao ETIAS, já que permite ao seu portador de permanecer legalmente em Portugal durante 90 días (com possibilidade de adicionar 6 meses mais) o que dá mais que tempo suficiente para encontrar um bom trabalho que permite permanecer de maneira legal em Portugal.

Uma vez tenha uma oferta de trabalho concreta e oficial, a empresa será também parte ativa no processo de solicitação de visto.

Tal como acontece com o visto de estudante, vale, inicialmente, por 4 meses (120 dias) e precisa ser trocado por uma autorização de residência que permite o exercício de atividade profissional.

A autorização de residência será emitida inicialmente por um ano e depois renovada de dois em dois anos.

Outra maneira de conseguir o visto de trabalho é destinada a quem já é autônomo/profissional liberal no Brasil e que consiga comprovar que irá trabalhar dessa maneira em Portugal. Você trabalhará no esquema “PJ”, prestando serviços e emitindo notas fiscais (conhecido como recibo verde em Portugal).

O visto Gold e de empreendedor

O Visto Gold é um tipo de visto privilegiado destinado para quem quer investir em Portugal. Todos aqueles que adquirem um imóvel acima dos 350.000 euros ou montam uma empresa com um mínimo de dez postos de trabalho e com investimento inicial de pelo menos 250.000 euros. A grande vantagem deste visto é o processo rápido de obtenção do visto.

No caso de você ser um empreendedor, mas sem o capital necessário para solicitar um visto gold, existe outra opção. O visto para empreendedores não exige capital social mínimo, apenas um plano de negócio e investimento. O interessado deve ainda abrir uma empresa no país, o que custa em torno de 200 euros.

Visto Português para aposentados

Se o seu sonho é aproveitar a aposentadoria de forma legal em Portugal então terá que solicitar um visto especial.

Para obter o visto de aposentados, será preciso comprovar o recebimento de um rendimento estável (como a própria aposentadoria), e ele precisa ser maior do que o salário mínimo nacional Português, que atualmente é de 649 euros.

O aposentado brasileiro deve ainda apresentar comprovante de residência e um seguro de saúde com validade internacional.

Autorização de Residência Permanente

A autorização de Residência Permanente será facilitada a todos os brasileiros que tenham uma autorização de residência temporária (visto de estudante, trabalho) por pelo menos 5 anos ininterruptos e consecutivos.

Se você vive em Portugal com uma autorização de Residência Permanente pode ainda solicitar a mesma para o seu cônjuge, filhos menores ou incapazes, filhos menores adotados pelo requerente, filhos maiores que sejam solteiros e estejam estudando em um estabelecimento de ensino em Portugal, ascendentes na linha reta e em 1.º grau do residente ou do seu cônjuge, desde que sejam dependentes do residente e os irmãos menores do residente desde que se encontrem sob sua tutela.

As melhores cidades para morar em Portugal

Apesar de este tema ser bem subjetivo, já que depende do gosto e estilo de vida de cada um. Contudo, este ranking está baseado nas comunidades de brasileiros já existentes em Portugal assim como na qualidade de vida que oferece cada cidade, custo de vida e oportunidade de trabalho.

  • Lisboa
  • Porto
  • Braga
  • Faro
  • Coimbra
  • Guimarães
  • Aveiro
  • Sintra
  • Cascais
  • Funchal

Qual é o custo de vida nas principais cidades Portuguesas

O custo de vida em Portugal é considerado um dos mais baixos da Europa, mas isso é também reflexo do salário mínimo baixo. O custo de vida vai depender também da cidade que você escolher para viver e do seu estilo de vida.

De maneira geral, a comida é bastante barata e de muito boa qualidade. A saúde é pública mas não é gratuita.

Cada vez que acceder a um centro de saúde público terá que pagar uma taxa moderadora pelos serviços prestados (as consultas de especialista custam €5, para usar o pronto socorro (emergências) nos hospitais, o valor é de €15, que pode ser mais caso tenha que fazer exames). Para os brasileiros é recomendável fazer o PB4 (seguro de saúde gratuito) que garante atendimento aos brasileiros no sistema público em Portugal.

  • Lisboa seguida do Porto são as cidades mais caras para morar em Portugal, mas também é onde mais tem oportunidades de trabalho e onde pagam melhor. De forma geral o que um brasileiro necessitaria para ter uma excelente qualidade de vida em cada cidade seria:
  • Lisboa – 1100€ Porto – 900€ Braga – 700€ Coimbra – 600€
  • Guimarães – 600€

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*