Quanto Se Deve Dar Em Dinheiro Como Prenda De Casamento?

Quando somos convidados para um casamento sempre temos duas grandes preocupações, o que vestir no dia e o que dar de presente para os noivos. Como você, certamente, já encontrou muitas dicas de looks para madrinhas e convidadas aqui no Zankyou, agora nós vamos te ajudar a presentear os noivos.

Quando se casam, alguns casais já têm muitas coisas e outros já até moram juntos em uma casa toda montada. Para eles, ganhar presentes para o lar acaba não fazendo tanto sentido.

Existem também os casais que estão em fase de reforma da casa, aqueles que estão se programando para a lua de mel dos seus sonhos e os que vão morar em outra cidade.

Nestes casos, e para os casais que já têm uma casa montada, a melhor opção de presente é o dinheiro, pois eles poderão utilizar onde realmente precisam e da forma que for melhor para eles, seja em uma viagem, na finalização da reforma ou até mesmo para o enxoval do futuro bebê.

Como pedir presente de casamento em dinheiro?

salvarQuanto Se Deve Dar Em Dinheiro Como Prenda De Casamento?

Na maioria dos casos, os noivos costumam fazer sites incluindo a lista de presentes casamento, como a lista de casamento Zankyou, que é fácil e prática de usar, além de muito segura.

Porém, caso os noivos não tenham feito a lista, também é possível presentear com dinheiro. Algumas pessoas ainda têm certo receio, mas dar dinheiro de presente para os noivos está se tornando uma coisa cada vez mais frequente e existem várias formas de fazer isso, desde as mais práticas até as mais divertidas.

Transferir o dinheiro diretamente para a conta dos noivos é a forma mais prática de presenteá-los com dinheiro. Porém, essa forma acaba sendo um pouco impessoal e mais distante. Talvez seja uma opção para quem não é tão íntimo dos noivos ou para quem não é muito ligado em tecnologia.

Se você é bastante próximo dos noivos e quer fazer uma coisa diferente e até ver a reação dos noivos ao receber o presente, existem várias formas originais de dar dinheiro de presente de casamento.

O que escrever no cartão do presente de casamento? Dicas inspiradoras!

Presenteando com dinheiro de formas originais

Se os noivos vão se mudar para outra cidade ou estão planejando uma viagem dos sonhos para a lua de mel, que tal colocar o dinheiro dentro de uma pequena malinha personalizada para os noivos?

salvarQuanto Se Deve Dar Em Dinheiro Como Prenda De Casamento?Foto: The Meta Picture / Pinterest

Em muitas lojas de festas é possível encontrar malinhas pequenas de enfeite feitas em madeira ou até mesmo papelão. Você pode personalizar a mala com noivinhos, com os nomes dos noivos e também se inspirar no destino da viagem do casal para personalizar a malinha.

Se o casal vai para a Europa, por exemplo, uma ideia é cobrir a mala com bandeirinhas de alguns dos países que o casal vai visitar. Se os noivos vão para a Disney, nada melhor do que personalizar com esse tema mágico e colocar um Mickey.

salvarQuanto Se Deve Dar Em Dinheiro Como Prenda De Casamento?Foto: The Meta Picture / Pinterest

Depois, é só guardar o dinheiro dentro da malinha, lacrar de uma forma segura, se ela tiver espaço para cadeado fica ainda mais legal, e entregar diretamente nas mãos dos noivos.

Que tal presentear os noivos com uma chuva de dinheiro? Essa é uma forma bem divertida e fácil de dar dinheiro de presente para o casal. É só pegar várias cédulas, colocar um clipe ou prendedor na ponta de cada nota e em seguida amarrar um fio de náilon em cada prendedor e na parte de metal de um guarda-chuva.

Arrume as cédulas de uma forma que elas não fiquem visíveis no guarda-chuva fechado e entregue o objeto dessa forma para os noivos com algum cartão ou aviso para que o presente seja aberto.

Dar ou não dar presentes em casamentos que não comparecerá?

salvarQuanto Se Deve Dar Em Dinheiro Como Prenda De Casamento?Foto: This Little Street / Pinterest

No momento em que os noivos abrirem o guarda-chuva, as notas irão cair (mas não vão voar, pois estarão presas no náilon) simulando uma chuva de dinheiro. Diferente, original e muito divertido.

Outra dica bem legal, principalmente se você pretende dar um valor bem considerável ou tiver vários membros da família convidados para o mesmo casamento é colocar o dinheiro em um cofre de porquinho, que também pode ser personalizado.

salvarQuanto Se Deve Dar Em Dinheiro Como Prenda De Casamento?

  • Qual a criança que nunca sonhou em ter o cofrinho cheio só para poder quebrá-lo e ver tudo o que tinha lá dentro?
  • Para ficar ainda mais divertido, junto com o porquinho você pode dar também um objeto que os noivos podem usar para quebrar o cofrinho.
  • Para aqueles noivos apaixonados por doces e chocolates, uma boa e divertida ideia também é preparar uma linda caixa de chocolates, porém, no lugar dos doces, colocar cédulas de dinheiro dobradinhas.

salvarQuanto Se Deve Dar Em Dinheiro Como Prenda De Casamento?Foto: Life as Mom / Pinterest

Com certeza os noivos ficarão muito surpresos e bem encantados com o presente. Ah! Aqui também vale colocar um pequeno chocolate acompanhando, só para não deixar os noivos na vontade de comer um doce.

Lista de casamento Zankyou combina a lista clássica com pedir dinheiro como presente

Sites de lista de presente

Para quem ainda deseja escolher uma peça ou item, mas também sabendo que os noivos tenham a possibilidade de fazer uma troca, a lista de casamento da La Ville Casa é uma ótima opção para os noivos mais requintados.

Tanto na loja física quanto no site é possível encontrar itens de marcas internacionais conceituadas e muito desejadas, como Christian Dior, Missoni, Valentino, Versace, Le Creuset, Baccarat, entre outras, que vão deixar o novo lar do casal ainda mais elegante. No site da La Ville, o frete é grátis para compras de listas de casamento.

Prendas de casamento: o que oferecer ou quanto dinheiro dar aos noivos?

Hoje decidimos abordar uma dos temas que, muito provavelmente, mais atormenta os convidados de um casamentodecidir o que oferecer aos noivos e quanto gastar! É claro que é difícil definir com precisão um montante generalizado para as prendas de casamento, já que existem inúmeros factores que irão influenciar a escolha, nomeadamente a capacidade financeira dos convidados, as circunstâncias, a personalidade dos noivos e até mesmo a própria cultura.

De qualquer forma, há uma regra mais ou menos estabelecida, que determina que o valor das prendas de casamento deve corresponder ao preço da refeição de casamento por pessoa. Mas, calma, não comece a fazer contas à vida e a achar que é desta que vai ficar na ruína.

E logo este ano, que vai ter dois ou três casamentos! Cada casamento é único, com várias condicionantes, e não existem equações exatas para chegar ao montante final.

 E lembre-se: se foi convidada é porque os noivos querem mesmo que esteja presente no seu grande dia, para partilhar consigo a sua enorme felicidade, independentemente das prendas de casamento que tem ou não para oferecer. O mais importante é o gesto, não importa o preço.

  • Sabe quanto os noivos vão pagar por pessoa?
  • O que oferecer aos noivos como prendas de casamento?
  • Três factores essenciais
  • Prendas de casamento originais

guardarQuanto Se Deve Dar Em Dinheiro Como Prenda De Casamento?Foto: NARA – Wedding and Lifestyle Photography

Se souber, o ideal é, então, que a prenda de casamento pague a sua parte, sendo sempre simpático dar mais um bocadinho.

Estudos recentes dizem que a média dos presentes de casamento ronda os 150€, mas cada um tem as suas possibilidades e circunstâncias, pelo que este é apenas um indicador.

A verdade é que cada um deve dar o que pode, mas acima dos 50€, e dependendo da proximidade que os convidados têm com o os noivos, o valor já é aceitável.

Quem optar pelas prendas de casamento em dinheiro tem de ler este post: 9 formas originais de oferecer dinheiro aos noivos.

guardarQuanto Se Deve Dar Em Dinheiro Como Prenda De Casamento?

No que diz respeito às prendas de casamento, quando há uma lista de casamento, tudo fica mais fácil.

Muitas vezes os noivos já vivem juntos ou têm casa montada, pelo que não dá para oferecer as tradicionais “utilidades” que davam sempre jeito e que, hoje em dia, acabam por “sobrar”, pois há grande probabilidade de já terem, como louça, talheres, máquina de café ou um aspirador… Por isso, nada como uma lista de casamento onde os noivos expressam  o que gostariam de receber, evitando assim receber aquelas prendas que nenhum noivo gostaria de receber.

Sabia que há 60 anos este “problema” não era tão comum? Havia até quem oferecesse lâmpadas aos noivos, ou uma simples camisa de noite à noiva. Ora leia, Lista de casamento de 1957: Nem imagina o que os seus avós pediram!

guardarQuanto Se Deve Dar Em Dinheiro Como Prenda De Casamento?

Não havendo lista de casamento, o pior mesmo é ter de escolher um presente ou determinar um valor em dinheiro.  Assim, existem três factores essenciais a ter em consideração na altura de escolher uma prenda de casamento.

Três factores essenciais

1. Os laços

Tem de se ter em conta o tipo de relação entre convidados e os noivos, por isso não se sinta mal se o que oferecer ao seu colega de trabalho não for tão dispendioso como a prenda que deu à sua irmã.

Se por outro lado, for o seu melhor amigo a casar, não será mal pensado dar-lhe também um um tratamento fraterno. Afinal, desde que se conheceram na primeira classe, nunca mais se largaram.

Já se o casamento for de alguém que conhece mal e só vê esporadicamente, a conversa será outra.

2. A situação financeira do convidado

Já o dissemos acima: não se vai encalacrar por causa de uma prenda de casamento! Lembre-se que os noivos convidaram-no, acima de tudo, porque quiseram partilhar consigo o dia mais importante das suas vidas.

3. O papel do convidado

Imagine que é madrinha de casamento da noiva! É possível que tenha de “abrir os cordões à bolsa”, pelo menos para lhe comprar o vestido de noiva.

Isto, se quiser cumprir a tradição, (apesar de já não ser o que era). Por outro lado, se a tal questão da situação financeira não estiver na sua melhor forma, a noiva há-de compreender se não conseguir oferecer-lho.

Não se preocupe que ela convidou-a para sua madrinha, devido ao amor que sente por si.

Os pais dos noivos, como convidados especiais que são, também se sentem na obrigação de dar algo “melhor” aos filhos. Os da noiva, por exemplo, de acordo com a tradição, é que arcam com as despesas do casamento. Atualmente, a tendência já é dividirem.  Saiba tudo aqui: Gastos numa boda: quem paga o quê

Leia também:  Como Lidar Com Pessoas Que Te Ignoram?

guardarQuanto Se Deve Dar Em Dinheiro Como Prenda De Casamento?Foto: Mémorelle – Photography&Video

Se os noivos não fizeram nenhuma lista de casamento, aqui ficam 8 prendas de casamento originais:

  1. Conhece bem os noivos e sabe que gostam de desporto, porque não oferecer a inscrição e um ou dois meses num ginásio? Melhor: junte-se a mais amigos e ofereça o ano inteiro!
  2. Sabe para onde vão de lua-de-mel? Contacte o hotel onde vão ficar e ofereça-lhes um pequeno almoço, uma atividade que o local ofereça ou , se tiver SPA, um tratamento ou massagem, por exemplo.
  3. Eles adoram séries? Ofereça-lhes a assinatura do Netflix ou HBO.
  4. Adoram fotografar? Ofereça-lhes uma boa máquina fotográfica para eternizarem os melhores momentos da sua vida em comum. Existem máquinas de todos os tipos, umas mais modernas, outras mais vintage, polaroid, reflex… Tem inúmeras opções e preços também.
  5. Ofereça-lhes a noite de núpcias. Procure informar-se se os noivos já têm a noite planeada, senão, diga-lhes que fica por sua conta. Marque um hotel TOP, serviço de pequeno almoço no quarto, check-out tardio e, se for um hotel com serviço de massagens, inclua-as no “pacote”.
  6. Nesta mesma onda de prendas de casamento não físicas, porque não oferecer experiências? Vouchers para workshops, uma viagem ou, se tem um budget  mais limitado, um fim-de-semana a dois (juntem-se vários amigos para facilitar a despesa), etc. Aqui terá mais ideias: 8 presentes de casamento para os noivos desfrutarem (mas não tocarem)
  7. Se os seus amigos têm alma de artistas, ofereça uma peça de arte. Pode optar por um quadro, uma escultura, uma peça de mobiliário exclusiva ou até uma joia. Se sabe que os noivos são fãs de algum pintor ou escultor em específico, tente comprar-lhes uma peça do artista em questão. Se não tiver orçamento para isso, junte-se também a outros amigos.
  8. Tem talento para pintar, bordar ou fazer cerâmica? Ofereça algo feito por si, procurando personalizá-lo com algum detalhe que conheça relacionado com a vida dos dois em casal: algo que remeta a uma data especial, a um local favorito, a um filme que tenha bem mais do que uma história, etc.

Como dizer aos vossos convidados que vos dêem dinheiro como presente de casamento

Normalmente os convidados dão prendas aos noivos no seu casamento. No entanto, muitas vezes os casais prefeririam que fosse um presente monetário. Se é o vosso caso e não sabem como fazer este pedido, damos-vos algumas ideias.

Quanto Se Deve Dar Em Dinheiro Como Prenda De Casamento?

Cada vez mais os noivos já têm tudo o que necessitam para começar uma nova etapa da sua vida em comum.

E, ainda que possam fazer uma lista, é mais prático receber uma prenda de casamento em dinheiro para depois fazer face a despesas que possam vir a ter.

A verdade é que um casamento acarreta muitos gastos, a começar no vestido e a acabar no bolo de casamento, as despesas vão-se somando e há noivos que preferem recuperar o que gastaram na festa.

A verdade é que para a maioria dos convidados também acaba por ser mais prático. Assim, a menos que tenham uma prenda com muito significado que tenham pensado oferecer, têm o problema da criatividade resolvido e sabem que vocês vão apreciar o seu presente.

Em suma, pedir dinheiro aos convidados no convite de casamento pode parecer um assunto melindroso, mas tem vindo a ser cada vez mais frequente. Aqui estão algumas formas de o fazer!

Passar a palavra

Melhor do que um convite de casamento original, com toda a informação, a melhor maneira de fazer passar uma mensagem é passando palavra: se alguém perguntar o que gostariam de receber o melhor é serem sinceros e dizer que ficam encantados com a presença dos vossos convidados e convidadas com os seus vestidos de cerimónia curtos mas que, se vos querem oferecer algo, preferiam que fosse em dinheiro.

Podem ainda pedir às pessoas mais próximas que passem a mensagem de uma forma discreta pelos restantes convidados. Assim é mais fácil que todos fiquem a saber qual é o vosso desejo sem serem demasiado diretos.

Quanto Se Deve Dar Em Dinheiro Como Prenda De Casamento?

Escrever no convite

Se não querem deixar espaço para dúvidas, o melhor talvez seja dizer abertamente que, em vez de contribuirem para o vestido de noiva simples, preferem que os presentes de casamento sejam feitos em dinheiro.

Podem incluir o vosso número de conta na altura de fazer o convite de casamento, ou acrescentar-lhe um pequeno cartão em que escrevam que preferem que a prenda seja monetária. Este cartão pode ser a condizer com o convite, no mesmo estilo e em jeito de adenda.

  • Se optarem por esta alternativa, o texto pode ser algo como:
  • “O teu melhor presente, a nossa viagem de lua-de-mel.”
  • “O melhor presente para nós é a tua presença, mas, se estás a pensar em algo mais, podes ajudar-nos a ter a lua-de-mel que sonhámos.”
  • “Quisemos facilitar-vos as coisas e depositámos a nossa lista de casamento na seguinte conta…”
  • “Como a nossa casa já tem frigorífico, máquina de lavar e televisão, pedimos-te ajuda para o nosso desejo de poupar.”
  • “Se nos queres oferecer um presente, podes fazê-lo em dinheiro, colocando-o no pequeno envelope que incluímos.”
  • “Se desejam dar-nos um presente este pode ser em dinheiro na conta…”

Modos de receber

As prendas monetárias podem ser oferecidas através de transferência bancária, dinheiro ou cheque (apesar deste ser um meio cada vez menos usado).

Se não incluíram no convite, podem ter um pequeno cartão para distribuir pelos convidados no dia do casamento com o número de conta.

Como pode haver quem queira dar dinheiro ou cheques no dia do casamento, tenham disponíveis envelopes (que podem ser coloridos) para que os convidados possam colocar as suas prendas. Tenham um baú ou uma caixa bonita para os depositar a todos e nomeiem alguém responsável pelos presentes.

E não se esqueçam de incluir os agradecimentos nos diferentes locais!

Presentes de casamento: tudo o que precisa de saber para acertar à primeira

Recebido o convite para um casamento, pensa-se de imediato na roupa que se vai levar, mas também na prenda que se vai oferecer. Entre valores monetários, uma lista de casamento ou um presente único e original, como sabemos qual a melhor ideia para uma prenda de casamento?

O que conta é a intenção.

Por isso mesmo, saiba qual a intenção dos noivos, ou seja, se é próximo do casal, pergunte o que mais lhes faz falta neste início de vida a dois: dinheiro para pagarem a lua-de-mel ou o serviço de fotografia? Qualquer coisa que conste na lista de casamento ou principalmente as peças do serviço de jantar? Um quadro que viram naquela loja que todos vocês adoram ou alguns conjuntos de lençóis? São eles quem melhor sabem e a si basta-lhe estar atento.

Sim à lista.

Quantas vezes não telefonou aos noivos poucos dias depois de ter recebido o convite, só para lhes perguntar: “têm lista de casamento”? Quando a pergunta é “sim”, ufff, que alívio! A sua tarefa está assim muito mais facilitada, principalmente porque os noivos já tiveram o trabalho de escolher as suas próprias prendas – agora é só encontrar uma que tenha particular gosto em oferecer e que esteja dentro do seu orçamento. Existem ainda outras vantagens: para além de poupar tempo e energia, evita a possível duplicação de prendas, e é o ideal quando não se conhecem bem os noivos!

Não à lista. Claro que ninguém é obrigado a comprar uma prenda da lista de casamento – algumas pessoas são da opinião que este sistema é impessoal, muito restritivo ou não concordam com a ideia dos noivos saberem exactamente quanto gastou cada convidado.

No entanto, pode usá-la a seu favor. Como? Esta lista é uma excelente ferramenta para perceber o estilo pessoal dos noivos, o género de objectos e/ou cores que mais apreciam e os valores que consideram “aceitáveis” no que toca a prendas.

Depois, é só aplicar essa informação na busca da sua prenda única e personalizada!

Noivos “afastados”.

Somos muitas vezes convidados para casamentos onde não conhecemos quase ninguém e, às vezes, nem o noivo ou a noiva! Se os noivos não forem muito chegados, escolher o presente perfeito pode tornar-se ainda mais complicado! Se tiverem lista de casamento, essa será sempre a opção mais segura. Se não, procure saber mais pormenores sobre aquilo que pretendem em matéria de prendas através de familiares ou amigos mais próximos. Em último recurso, ofereça dinheiro.

Dinheiro vivo.

Apesar de muitos apontarem o “dinheiro vivo” como a prenda mais impessoal que existe, é vista com bons olhos por muita gente: é um presente que nunca é devolvido ou trocado e pode ser utilizado de múltiplas formas! E os noivos agradecem! A regra é oferecer um valor que esteja dentro do seu orçamento e que seja representativo do número de pessoas que estão a oferecê-lo. Não se esqueça: nunca encha um envelope com notas de €5 | R$10, passe antes um cheque… é mais elegante e de bom-tom. Afinal, trata-se de um casamento!

Dividir despesas.

Se sabe que o que os noivos mais precisam neste momento é aquela máquina de lavar roupa com capacidade para 9 kg ou então como aficionados de cinema, adorariam um plasma ou um sistema de som tipo “home theatre” para a sua nova sala, porque não? Junte uns quantos amigos e/ou familiares (quantos mais melhor!), dividem as despesas e vejam a alegria na cara dos noivos quando abrirem aquele presente perfeito! Na realidade, todos ficam a ganhar!

A apresentação. Na compra de qualquer prenda de casamento certifique-se sempre que o embrulho seja exímio.

Se mesmo depois de sair da loja não está satisfeito com a apresentação visual do presente (os “olhos também comem”, não é verdade?!) compre um papel elegante e vistoso, acompanhado de fitas de seda e faça você mesmo.

Nada de ir rebuscar o papel velho que guardou do último aniversário ou, pior, do seu casamento! Um presente de casamento deve ser sempre acompanhado de um postal: para mais tarde recordar e para que a sua prenda não fique perdida no meio de tantas outras, acabando os noivos por não saber quem ofereceu o quê! Mesmo que ofereça dinheiro, fica sempre mais bonito colocar o cheque dentro de um cartão ou postal apropriado, em vez de ir “sozinho” dentro de um envelope branco vulgar. Faça questão de escrever uma mensagem pessoal e do coração, para que os noivos o possam desfrutar, juntamente com a sua oferta.

Leia também:  Direitos Do Trabalhador Quando Se Despede Como Um Acordo Nos Ctt?

Não vai ao casamento, não tem de oferecer presente? Não raras vezes somos obrigados, por motivos pessoais ou profissionais, a recusar convites de casamento. No entanto, esse motivo não o iliba de presentear os noivos.

Vá ou não vá ao casamento, a etiqueta diz que terá de comprar uma prenda na mesma.

Durante muito tempo, era aceitável que essa prenda pudesse ser entregue até ao primeiro aniversário de casamento dos noivos, hoje exige-se uma actuação bem mais rápida, ou seja, não mais de seis meses após a data do casamento.

Trocas e devoluções. Antes de adquirir o que quer que seja, certifique-se que a prenda que vai oferecer possa ser devolvida ou trocada no caso de os noivos não apreciarem ou receberem duas coisas iguais.

Para além disso, é importante saber quais os prazos previstos para essas trocas, uma vez que os noivos normalmente ausentam-se em lua-de-mel logo após o casamento.

Para facilitar a vida aos noivos, coloque o recibo para troca dentro da própria prenda ou então agrafado no interior do envelope que contém o respectivo cartão.

Peso, conta e medida. A maior prenda que os noivos possam ter é, de facto, a presença de todos os seus convidados no seu grande dia. Pode parecer “lamechas”, mas é verdade! O que significa que não estão preocupados em avaliar monetariamente o que cada convidado decidiu oferecer.

Se veio do coração isso vê-se. Se veio da sua garagem onde tem estado guardado desde o seu casamento, isto também se vê. Se veio da lista de casamento, os noivos ficarão satisfeitos por terem acedido à sua vontade.

Se escolheu uma prenda pessoal, baseada na vossa amizade de longa data, os noivos nunca mais a esquecerão. Há uma linha estreita entre endividar-se para oferecer um presente extravagante e ser considerado o “forreta” da festa.

Não pense que a prenda é o seu “bilhete de entrada” para o casamento – mais do que tudo, isso irá ofender os noivos e resfriar o espírito de celebração que deve caracterizar um casamento.

Foi convidado para um casamento? Saiba quanto gastar e o que oferecer aos noivos

Será sempre difícil definir com precisão um montante generalizado para as prendas de casamento, já que existem muitas condicionantes que irão influenciar a escolha, nomeadamente a sua capacidade financeira, a proximidade que tem com os noivos, a personalidade destes e até mesmo a própria cultura onde estão inseridos.

De qualquer forma, há uma regra que é, geralmente, a mais aceite e utilizada: o valor da prenda deve corresponder, pelo menos, ao preço da refeição de casamento por pessoa. Por isso, se souber (mais ou menos) quanto os noivos vão pagar por pessoa, o ideal é que a prenda de casamento pague a sua parte, sendo sempre simpático dar mais um bocadinho.

Vai oferecer dinheiro?

Se estiver a pensar em oferecer dinheiro, saiba que estudos recentes dizem que a média ronda os 150€, mas claro que cada um tem as suas possibilidades e circunstâncias, pelo que este é apenas um indicador. A verdade é que cada um deve dar o que pode, embora deva ser sempre acima dos 50€, um valor que, dependendo do seu relacionamento com os noivos, já é aceitável.

Quer oferecer uma prenda?

créditos: It’s all about…

Se está a pensar oferecer uma prenda, é claro que quando existe uma lista de casamento tudo fica mais fácil. Nela os noivos certamente incluirão diferentes itens, com diferentes preços, e só terá de escolher algo que lhe agrade a si e à sua carteira.

Caso os noivos não tenham optado por fazer a lista de casamento, tenha em consideração se eles já vivem juntos e se têm ou não “casa montada”.

Nestes casos, será de evitar oferecer as tradicionais “utilidades” que antigamente davam sempre jeito e que, hoje em dia, acabam por “sobrar”, pois há grande probabilidade de já as terem, como louça, talheres, máquina de café ou um aspirador.

Por isso, nada como uma lista de casamento onde os noivos expressam  o que gostariam de receber.

Fatores a considerar

Não havendo lista de casamento e não fazendo ideia de que valor oferecer, mesmo já com um valor de referência, tenha em atenção três fatores essenciais que o vão ajudar a tomar uma decisão:

1. O tipo de relação que tem com os noivos. Os laços que vos unem são um dos principais indicadores. Claro que não vai oferecer o mesmo ao seu colega de trabalho do que à sua irmã! O mesmo se poderá dizer daquele amigo de infância que esteve consigo todos estes anos ou de alguém que mal conhece.

2. A sua situação financeira.

Se foi convidado para um casamento é porque os noivos querem mesmo que esteja presente no seu grande dia, para partilhar consigo a sua enorme felicidade, independentemente da prenda de casamento.

O mais importante é o gesto, não importa o preço. Além de que eles devem ter perfeita noção da sua situação financeira, pelo que não irão querer que fique endividado para estar presente no seu grande dia.

3. O seu papel no casamento. Os pais dos noivos, claro, como convidados especiais que são, darão sempre algo “melhor” aos filhos.

Mas se for madrinha de casamento, neste caso é evidente que terá sempre uma maior despesa do que se for uma simples convidada.

Mesmo que não cumpra a tradição – na qual seria a madrinha a comprar o vestido de noiva – o “mimo” será sempre mais especial. Mas mais uma vez, se não estiver na melhor situação financeira, a noiva há-de compreender.

Sugestões de prendas

créditos: Efeito Espontâneo

Se, mesmo assim, ainda não sabe o que oferecer, aqui ficam algumas prendas originais:

  • Uma inscrição no ginásio (e, se puder, um ou dois meses de mensalidade);
  • Se sabe onde os noivos vão passar a noite de núpcias ou lua-de-mel, ofereça um pequeno-almoço especial ou alguma atividade ou serviço que o local ofereça, como uma massagem no SPA;
  • Ofereça experiências, como um jantar romântico ou um workshop de culinária;
  • Uma peça de arte;
  • Ofereça algo feito por si.

Independentemente da escolha, não se esqueça de acrescentar um cartão de felicitações. É de bom tom escrever uma mensagem no presente que oferecer aos noivos!

Gostaria de saber mais sobre este tema? Leia aqui o artigo completo.

Casamentos. É de bom tom oferecer dinheiro? E levar vestido preto?

Depois do pedido de casamento, às vezes mais discreto, outras com muita pompa e circunstância, começa a verdadeira epopeia, o planeamento de um casamento, tarefa que é, geralmente, assumido quase na totalidade pelos noivos.

E se a procura do vestido e a escolha do destino de lua-de-mel são tarefas mais prazerosas, o mesmo não se pode dizer da elaboração da lista de convidados. Esta é uma das dores de cabeça de quem prepara a festa mas há outras que também atingem quem aceita o convite e se tem de sujeitar a várias regras de etiqueta.

Comecemos pelo rol de convidados.

Há vários fatores a ter em conta, sendo o financeiro um dos mais importantes, mas também possíveis limitações de tamanho do espaço escolhido, famílias grandes de parte a parte em que nem todos os elementos são próximos dos noivos ou a grande questão de todos os convidados terem direito a levar acompanhante, independentemente da durabilidade das relações.

Numa altura do ano em que está aberta a “época” dos casamentos, falámos com três mulheres, antigas noivas, que já passaram por este autêntico “tetris” de convites e duas wedding planners para perceber se existe alguma linha de conduta sobre quem deve ou não convidar para o seu casamento.

Famílias grandes são sinónimo de pesadelos logísticos

Andreia Santos tem 37 anos, é assessora jurídica e, apesar de ser filha única, a família da parte da mãe é bastante extensa, com dezenas de tios e primos. “Quando comecei a planear o meu casamento e me foquei na família da minha mãe, percebi que a lista era interminável”, conta à MAGG.

“Pensei nas minhas duas tias com quem tinha mais afinidade, número que tinha sempre de aumentar devido a já estarem casadas e com filhos, e lembrei-me que, a convidá-las, seria chato não estender o convite aos três irmãos delas, também meus tios, apesar de não ter uma relação com eles que fosse além da cordialidade.”

Este pensamento de Andreia repetiu-se para todos os elementos da família que se lembrava — por cada tio ou primo que se recordasse que gostava de ter no seu casamento, lembrava-se imediatamente dos irmãos desses.

“Quando terminei a lista, só desse lado da família, tinha quase uma centena de pessoas. Por mais que a minha tentativa fosse não ferir suscetibilidades, tive de fazer cortes”, recorda Andreia.

“A decisão depende muito da dimensão que o casamento vai ter”, explica Ana à MAGG, wedding planner e co-fundadora da Sublime Luxury Weddings. “Se for um evento intimista, diria que só deverão ser convidados os familiares com quem os noivos têm maior proximidade. Caso seja um casamento de média ou grande dimensão, já deverão ponderar a lista inteira de tios.”

A wedding planner Carolina, também fundadora da Sublime Luxury Weddings, reforça que, “por vezes, o elemento financeiro entra nesta decisão, nomeadamente quando os pais dos noivos estão a contribuir, de forma parcial ou total, para o casamento. Neste caso, podem 'exigir' que alguns tios (e isto pode ser extensível a outros membros da família) que não são necessariamente tão próximos dos noivos sejam convidados, para haver coerência na lista de convidados.”

No casamento de Andreia, os pais ajudaram com os custos, o que permitiu que a lista de convidados abrangesse elementos da família que não eram imprescíndiveis para os noivos.

Leia também:  Como Reparar Portatil Que Nao Arranca?

Os colegas de trabalho devem ser convidados para o casamento?

Luísa Mariano tem 29 anos e trabalha como produtora de eventos. Conheceu o agora marido na empresa onde trabalhava, um ambiente com muitos colaboradores jovens, onde a relação cresceu junto de muitos outros casais que se foram formando.

“Quase que criámos ali uma família. Erámos muito próximos uns dos outros, principalmente os casais, saíamos juntos, passávamos fins de semana e férias em grupo”, conta Luísa, que já tinha dificuldades em considerar essas pessoas colegas, dado que já eram amigos na verdadeira definição da palavra.

O problema surgiu quando os convites do casamento foram distríbuidos no local de trabalho e alguns colegas ficaram ofendidos por não fazerem parte da lista de convidados. “É óbvio que os meus outros colegas sabiam que existia um grupo mais próximo, mas isso não quer dizer que não nos déssemos bem com outras pessoas.

Podiam não fazer parte dos jantares aos fins de semana mas almoçávamos juntos, falávamos de coisas mais pessoais e admito que, ao longo dos meses de preparação, é bem possível que eu ou o meu marido tenhamos falado dos preparativos do casamento à frente deles, não era propriamente um segredo”, recorda Luísa, que devido a motivos financeiros mas também de ligação afetiva, acabou por não convidar os colegas de trabalho fora do grupo mais íntimo.

A wedding planner Ana explica que os convites aos colegas de trabalho devem ser decididos consoante a relação destes com os noivos.

“É importante distinguir se, para além de uma relação de cordialidade e de se darem bem, existe para além disso uma amizade, ao ponto de terem existido muitas conversas de partilha de informação acerca dos preparativos para o casamento.

Os colegas com quem esta relação de amizade existe, deverão ser incluídos. Tudo o resto, já é acessório.”

Namorados ou casados? Eis a questão

Faltava um mês para o casamento de Joana e Rodrigo quando a noiva foi confrontada com o pedido de dois amigos. “A poucas semanas do meu casamento, no espaço de poucos dias, dois dos nossos amigos pediram-me para levar as namoradas. Eram namoros recentes, eu nem sequer as conhecia e tinha as mesas fechadas”, conta a designer de 33 anos.

Com o casamento mesmo à porta, Joana acabou por recusar o pedido dos amigos. “Expliquei que nem sequer conhecia as pessoas em questão e que me perdoassem, mas sendo relações tão iniciais, não fazia sentido estarem no meu casamento. Ironicamente, ambas as relações se mantiveram e hoje são ambos casados com essas pessoas, uma delas agora até é minha amiga”, recorda Joana, com humor.

A situação de Joana não é inédita. Devemos riscar parceiros que não conhecemos da lista de convidados? Mas esta regra aplica-se a namoros ou também a casamentos? Ana explica que tudo depende da natureza da relação.

“Se o casal tem um relacionamento assumido, seja um casamento ou um namoro, se o amigo/a em questão tiver apresentado alguém como namorado/a, o convite deverá ser dirigido aos dois”, explica a representante da Sublime Luxury Weddings, que acrescenta que, depois de enderaçado o convite, deverão deixar a decisão de levar ou não acompanhante ao convidado.

Exceções aplicam-se quando falamos de casamentos mais pequenos, intimistas, com poucas dezenas de pessoas, sendo aí possível que os namorados e parceiros que não tenham uma relação direta com os noivos sejam deixados de fora.

“No Reino Unido e nos Estados Unidos é comum, em casamentos que são assumidamente eventos íntimos, não incluírem o 'plus one', o que tem vindo a ser um tópico de grande discussão.

É uma conversa que os noivos devem ter para que as pessoas de quem mais gostam estejam presentes no seu dia de casamento e, atrever-me-ia a dizer que, como em qualquer evento, tem que haver consideração e cortesia quando se elabora a lista de convidados”, salienta Carolina, wedding planner.

Outras regras de um casamento: os sins e nãos da etiqueta

Existem outras regras a ter em conta para além de quem se deve ou não convidar. E estas devem ser seguidas pelos convidados.

Não se entregam envelopes vazios, o branco e o preto estão proibidos para as mulheres e ninguém deve chegar depois da noiva — estas são as regras de etiqueta mais reconhecidas no que diz respeito a cerimónias de casamentos, mas será que estão certas ou serão as únicas?

É um facto que muitos de nós já não vivem sem o seu smartphone. São as redes sociais, as aplicações, as diversas edições à mais simples fotografia e, quando damos por nós, andamos constantemente de nariz enfiado nos ecrãs destes aparelhos.

Numa ocasião especial como um casamento, existem algumas regras de conduta em relação aos telemóveis que deve seguir. E, já agora, sugerimos que aproveite a festa e deixe o Instagram para depois.

Evite tirar fotografias durante a cerimónia. Por regra, existe um fotógrafo profissional que se encarrega dessa tarefa. Aproveite o momento e mantenha o seu telemóvel no bolso ou na mala, no modo silêncio.

Não utilize o telemóvel à mesa. Durante a refeição, o uso do telemóvel não é aceitável. Tente conviver com quem está na sua mesa e, mesmo que não esteja sentado com pessoas que conheça bem, faça um esforço.

Cuidado com as redes sociais. As fotos mais divertidas são aquelas tiradas durante a festa, quando todos se estão a divertir. Mas não publique nada nas redes sociais sem a autorização das pessoas que estão nas fotos.

Segundo o portal internacional Zankyou, uma plataforma de casamento presente em 23 países com mais de 50 milhões de visitas anuais, existem várias regras a cumprir, do protocolo das mesas até ao que vestir. Se tem um casamento nos próximos meses, recorde as seguintes diretrizes.

Vestidos das convidadas: o branco está reservado para a noiva, logo completamente proibído para qualquer outra convidada (exceto para as meninas das alianças).

Tons muito próximos desta cor, como o marfim ou o cru, também não devem ser utilizados.

A única exceção é no caso de os noivos terem um dress code em que indiquem especificamente que querem que todos os convidados usem esta cor ou se o casamento for na praia.

O vermelho também não é recomendável. Dado que se trata de uma cor associada à sedução e conhecida como a cor da paixão, é entendido como uma cor provocatória e ligada à tentação. No contexto de casamento, só deve ser usada pela mãe ou irmãs do noivo.

Os chapéus só são indicados para o dia e os vestidos compridos são mais habituais em festas à noite. Em relação ao preto, também se trata de uma cor duvidosa.

Dado que o casamento é um dia de festa, de alegria e de luz, o preto é o inverso e, segundo as tradições mais antigas, quem usa preto num casamento está a marcar uma posição contra o evento, sobretudo se for alguém próximo dos noivos, como a madrinha ou mãe.

No entanto, este é um hábito que caiu um pouco em desuso, sendo já algo habitual ver convidados mais afastados dos noivos usar esta cor. É também aceite em casamentos ao entardecer ou à noite, exceto para as madrinhas, que não a podem usar de todo.

Presentes de casamento: nos dias de hoje, em que muitas pessoas já dividem casa mesmo antes de casar, cada vez são menos comuns as listas de casamento.

Existem listas em agências de viagens para a lua-de-mel dos noivos, em que os convidados podem colocar uma quantia à escolha, ou podem oferecer um valor monetário diretamente, seja através de uma transferência ainda antes da cerimónia (caso os noivos expressem esse desejo no convite e cedam o IBAN) ou nos tradicionais envelopes.

Caso não exista lista em qualquer loja ou agência, nem nada indicado no convite, deve oferecer uma quantia em dinheiro que, em termos protocolares, deve ser proporcional ao número de pessoas que os noivos indicam no convite (e deve entregar o envelope durante a receção, de preferência entre o final da refeição e o início da festa). No entanto, caso queira oferecer um presente em vez de dinheiro, e na ausência de lista, deve contactar os padrinhos, os pais dos noivos e apenas em última instância, os noivos.

Onde se sentar (na igreja e na receção): segundo a etiqueta de casamento, os convidados devem chegar pelo menos 20 minutos antes da hora marcada e, caso cheguem atrasados, devem sentar-se com a maior discrição ao fundo da sala. Tradicionalmente, os convidados da noiva sentam-se à esquerda e os do noivo à direita.

Também de acordo com as regras, a noiva é sempre a última a entrar na igreja, em direção ao altar onde estão os padrinhos e o noivo, que a recebe com o braço esquerdo. Já no copo-d'água, os convidados deverão sentar-se na mesa que lhes foi atribuída, embora os lugares na mesa não devam ser marcados individualmente.

Protocolarmente, a mesa dos noivos deve ser composta por estes e pelos padrinhos e madrinhas de cada um, embora existam muitas pessoas que prefiram sentar-se com os pais. Recentemente, também existem casais que optam por uma mesa de noivos apenas para duas pessoas, evitando ferir suscetibilidades.

O momento do bolo: o bolo de casamento corta-se após a refeição e depois dos discursos dos pais dos noivos, padrinhos e dos próprios noivos.

Manda a etiqueta de casamento que o corte da primeira fatia seja feita em conjunto, com a mão direita do noivo sobreposta sobre a mão direita da noiva.

De seguida, a noiva leva um pouco de bolo à boca do noivo, ficando a restante fatia para ela.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*