Quando Jejuardes Não Faça Como Os Fariseus?

Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo segundo São Mateus(Mt 6, 1-6.16-18)

Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos: “Ficai atentos para não praticar a vossa justiça na frente dos homens, só para serdes vistos por eles. Caso contrário, não recebereis a recompensa do vosso Pai que está nos céus.Por isso, quando deres esmola, não toques a trombeta diante de ti, como fazem os hipócritas nas sinagogas e nas ruas, para serem elogiados pelos homens. Em verdade vos digo: eles já receberam a sua recompensa. Ao contrário, quando deres esmola, que a tua mão esquerda não saiba o que faz a tua mão direita, de modo que, a tua esmola fique oculta. E o teu Pai, que vê o que está oculto, te dará a recompensa.Quando orardes, não sejais como os hipócritas, que gostam de rezar em pé, nas sinagogas e nas esquinas das praças, para serem vistos pelos homens. Em verdade, vos digo: eles já receberam a sua recompensa. Ao contrário, quando tu orares, entra no teu quarto, fecha a porta, e reza ao teu Pai que está oculto. E o teu Pai, que vê o que está escondido, te dará a recompensa.

Quando jejuardes, não fiqueis com o rosto triste como os hipócritas. Eles desfiguram o rosto, para que os homens vejam que estão jejuando. Em verdade, vos digo: Eles já receberam a sua recompensa.

Tu, porém, quando jejuares, perfuma a cabeça e lava o rosto, para que os homens não vejam que estás jejuando, mas somente teu Pai, que está oculto.

E o teu Pai, que vê o que está escondido, te dará a recompensa”.

O Evangelho de hoje pode ser dividido em duas grandes partes. Na primeira, Cristo nos manda não praticar a justiça na frente dos homens.

Isto não implica, evidentemente, que não possamos nunca praticar o bem diante dos outros; de fato, se observássemos tal preceito ao pé da letra, apenas o mal teria visibilidade e a caridade cristã, que deve ser luz para o mundo e para os corações, permaneceria ooculta “debaixo do alqueire” (cf.

Mt 5, 15), incapaz, portanto, de produzir tanto quanto lhe é possível. Na verdade, o Senhor nos adverte que, ao realizarmos obras de justiça, temos de ter em vista, como finalidade de nossas ações, não a nossa glória — que é tola e vã —, mas a de Deus: “Non nobis, Domine”, rezemos com humildade, “non nobis, sed nomini tuo da gloriam”.

Sem jactância e com reta discrição, podemos e devemos ser bons e justos sempre que se nos deparar a oportunidade; vencendo os respeitos humanos e as “vergonhas” tão típicas destes tempos, temos de dar testemunho do amor de Cristo, “que foi derramado em nossos corações pelo Espírito Santo que nos foi dado” (Rm 5, 5).

Na segunda parte, como consequência do que acabara de dizer, Jesus propões três obras pela quais o cristão pode vencer aqueles três perigos do mundo (cf. 1Jo 2, 16).

Contra a concupiscência da carne, o jejum: “Quando jejuardes, não fiqueis com o rosto triste como os hipócritas”; contra a concupiscência dos olhos, a esmola: “Quando deres esmola, não toques a trombeta diante de ti”; contra a soberba da vida, enfim, a oração: “Quando tu orares, entra no teu quarto, fecha a porta, e reza ao teu Pai que está oculto.” Pelo jejum, sempre aconselhado por um diretor espiritual de confiança, disciplinamos os ímpetos da carne; pela esmola, vencemos nossa ânsia desordenada por comprar e possuir; pela oração, feita no silêncio do quarto, combatemos nossa inclinação para o orgulho, que quer a todo custo pôr-nos “acima” de Deus. Roguemos, pois, à Virgem Santíssima, para que ela nos alcance hoje a graça de sermos mais fiéis às palavras de seu Filho e aos nossos compromissos de Batismo.

11:16Quando Jejuardes Não Faça Como Os Fariseus?09:55Quando Jejuardes Não Faça Como Os Fariseus?10:12Quando Jejuardes Não Faça Como Os Fariseus?10:57Quando Jejuardes Não Faça Como Os Fariseus?10:41Quando Jejuardes Não Faça Como Os Fariseus?10:25Quando Jejuardes Não Faça Como Os Fariseus?10:19Quando Jejuardes Não Faça Como Os Fariseus?10:24Quando Jejuardes Não Faça Como Os Fariseus? mais vídeos carregando…

Mateus 6:16 Quando jejuardes, não vos mostreis com aspecto sombrio como os hipócritas; pois desfiguram o rosto com a intenção de mostrar às pessoas que estão jejuando

Versos Paralelos

Bíblia King James AtualizadaQuando jejuardes, não vos mostreis com aspecto sombrio como os hipócritas; pois desfiguram o rosto com a intenção de mostrar às pessoas que estão jejuando.

João Ferreira de Almeida AtualizadaQuando jejuardes, não vos mostreis contristrados como os hipócritas; porque eles desfiguram os seus rostos, para que os homens vejam que estão jejuando. Em verdade vos digo que já receberam a sua recompensa.

   King James BibleMoreover when ye fast, be not, as the hypocrites, of a sad countenance: for they disfigure their faces, that they may appear unto men to fast. Verily I say unto you, They have their reward.

English Revised VersionMoreover when ye fast, be not, as the hypocrites, of a sad countenance: for they disfigure their faces, that they may be seen of men to fast. Verily I say unto you, They have received their reward.

  • Tesouro da Escritura
  • when.
  • Mateus 9:14,15Então, chegaram os discípulos de João e lhe perguntaram: “Por que jejuamos nós, e os fariseus, muitas vezes, e os teus discípulos não jejuam?” …
  • 2 Samuel 12:16,21Davi buscou a Deus em favor de seu filho, observou rigoroso jejum e, recolhendo-se, passou a noite toda prostrado no chão.…
  • Neemias 1:4Tendo ouvido este relato, assentei-me e chorei amargamente, lamentei por alguns dias; e coloquei-me em jejum e oração diante do Deus dos céus.

Ester 4:16“Vai, ajunta a todos os judeus que se acharem na capital, Susã, e jejuai por mim, e não comais, nem bebais por três dias, nem de noite nem de dia; eu e as minhas servas também jejuaremos. Depois, irei ter com o rei, ainda que esse seja um gesto considerado rebelde e contra a lei; se perecer por isso, pereci!”

  1. Salmos 35:13Da minha parte, entretanto, quando estiveram doentes, usei vestes de lamento; humilhei-me com jejum e derramei sobre meu próprio peito muitas orações.
  2. Salmos 69:10Com jejum e muitas lágrimas afligi minha própria alma, e isso ainda mais os enfureceu.
  3. Salmos 109:24Os joelhos tremem de tanto que jejuo, e o corpo definha de fraqueza.
  4. Daniel 9:3Então voltei meu o rosto ao Eterno Elohim, a fim de buscá-lo mediante orações e súplicas, em jejum, vestido de luto, em panos de saco, e coberto de cinza.

Lucas 2:37e desde então permanecera viúva até a idade de oitenta e quatro anos. Jamais deixava o templo: adorava a Deus, jejuando e orando dia e noite.

  • Atos 10:30Ao que Cornélio lhe declarou: “Faz hoje quatro dias que eu estava em jejum, orando em minha casa, por volta desta hora, às três horas da tarde. Subitamente, apresentou-se diante de mim um homem com roupas resplandecentes
  • Atos 13:2,3Enquanto serviam, adoravam e jejuavam ao Senhor, o Espírito Santo lhes ordenou: “Separai-me, agora, Barnabé e Saulo para a missão a qual os tenho chamado”. …
  • Atos 14:23Então Paulo e Barnabé lhes constituíram presbíteros em cada igreja; e, tendo orado e jejuado, eles os consagraram aos cuidados do Senhor, em quem haviam crido.

1 Coríntios 7:5Portanto, não vos negueis um ao outro, exceto por mútuo consentimento, e apenas durante algum tempo, a fim de vos consagrardes à oração. Logo em seguida, uni-vos novamente, para que Satanás não vos tente por causa da vossa falta de controle.

  1. 2 Coríntios 6:5em açoites, prisões e tumultos; em trabalhos árduos, noites sem dormir e jejuns;
  2. 2 Coríntios 11:27Trabalhei arduamente; por diversas vezes, fiquei sem dormir, passei fome e sede, e, muitas vezes atravessei longos períodos em jejum; suportei frio e nudez.
  3. be.

Mateus 6:2,5Por essa razão, quando deres um donativo, não toques trombeta diante de ti, como fazem os hipócritas, nas sinagogas e nas ruas, para serem glorificados pelos homens. Com toda a certeza vos afirmo que eles já receberam o seu galardão. …

1 Reis 21:27Ao ouvir as palavras do profeta, Acabe rasgou suas vestes, cobriu-se de pano de saco e jejuou; ele se deitava sobre panos grosseiros e caminhava triste e abatido, com toda a mansidão entre as pessoas.

Isaías 58:3-5E questionam: ‘Por que jejuamos regularmente se tu não o reparas? Temos mortificado e humilhado sobremaneira as nossas almas e tu não tomas conhecimento de tudo isso?’ A razão está em que, no dia mesmo do vosso jejum, correis atrás dos vossos próprios desejos e negócios, assim como também explorais os vossos trabalhadores.…

Zacarias 7:3-5com a seguinte indagação aos sacerdotes do Templo do SENHOR Todo-Poderoso e aos profetas: “Devemos lamentar, chorar e jejuar durante todo quinto mês do ano, lembrando o mês em que o Templo foi destruído, como temos feito ha décadas?…

Malaquias 3:14Tens comentado que é inútil servir a Deus, e murmuram: ‘Que vantagem temos tido por termos cuidado em obedecer os preceitos de Deus, e por ficarmos orando e lamentando perante o Eterno dos Exércitos?

Marcos 2:18Os discípulos de João e os fariseus estavam jejuando. Algumas pessoas vieram ter com Jesus e inquiriram: “Por que os discípulos de João e os discípulos dos fariseus jejuam, mas os teus discípulos não jejuam?”

Lucas 18:12Jejuo duas vezes por semana e dou o dízimo de tudo quanto ganho’.

Ligações

MATEUS 6:16 A 18 – E QUANDO JEJUARDES ..

16 E, quando jejuardes, não vos mostreis contristados
como os hipócritas; porque desfiguram os seus rostos, para que aos homens
pareça que jejuam. Em verdade vos digo que já receberam o seu galardão.

  • 17 Tu, porém, quando jejuares, unge a tua cabeça, e lava
    o teu rosto,
  • 18 Para não pareceres aos homens que jejuas, mas a teu
    Pai, que está em secreto; e teu Pai, que vê em secreto, te recompensará
    publicamente.
  • JEJUM NA VISÃO ESPÍRITA 

“Quando jejuarem, não mostrem uma aparência triste
como os hipócritas, pois eles mudam a aparência do rosto a fim de que os outros
vejam que eles estão jejuando.

Eu digo verdadeiramente que eles já receberam
sua plena recompensa. Ao jejuar, arrume o cabelo e lave o rosto, para que não
pareça aos outros que você está jejuando, mas apenas a seu Pai, que vê em
secreto.

Leia também:  Como Saber A Quem Pertence Um Terreno?

E seu Pai, que vê em secreto, o recompensará.” (Mateus 6:16-18)

  1. Moisés, instituiu a prática de jejuar, e disse que era
    pedido divino, proclamando que Jeová castigaria aqueles que não a observassem.
  2. Como acontece com todo culto exterior, em breve o jejum
    deixou de servir à religião para servir ao religioso. 
  3. Os judeus submetiam-se ao
    jejum, não por empenho de purificação, mas apenas para mostrar que observavam
    com rigor os pedidos divinos.
  4. Os fariseus, por exemplo, jejuavam duas vezes por semana. 

Nesses dias, para evidenciarem que isto representava sacrifício para eles,
apresentavam as vestes mal arrumadas, barba e cabelos em desalinho, expressão
torturada . . . 

  • É provável que nem mesmo estivessem jejuando, já que o
    importante era a aparência.
  • Jesus combate o comportamento hipócrita, recomendando que
    o jejuante se mantenha sereno, dentro da normalidade, em sua apresentação
    pessoal, buscando não a apreciação dos homens, mas a aprovação de Deus.
  • Jejum não se trata da mera abstenção de alimentos. 
  • Algumas horas ou todo um dia ingerindo apenas líquidos é prática saudável que
    desintoxica o organismo, se bem orientada, mas não tem nada a ver com nossa
    edificação espiritual. 
  • Se fosse assim, multidões que estão abaixo da linha da
    pobreza, submetidas a um jejum permanente, não por opção, mas por carência,
    seriam criaturas santas. 
  • Pelo contrário, fome e agressividade, geralmente,
    dão-se as mãos. 
  • O jejum a que se refere Jesus é de ordem MORAL. 
  • Se quisermos
    nos renovar, é necessário combater nossas mazelas, cultivando a Virtude e o
    Bem.
  • Então, nos períodos de jejum é preciso seguir a
    recomendação de Jesus: erguer a cabeça, mantendo expressão serena, calando a
    própria dor, confiantes em Deus. 
  • E Ele, que tudo vê, encontrará em nós a
    posição ideal para que nos possa ajudar.
  • RICHARD SIMONETTI – A VOZ DO MONTE
  • O JEJUM
  • “Quando jejuardes,não vos mostreis contristados como
    os hipócritas.” (Mateus, 6:16)

Afirmou Jesus:”Quando jejuardes, não vos mostrais
contristados como os hipócritas; porque desfiguram o rosto para que aos homens
pareça que jejuam.

Em verdade vos digo que já receberam o seu galardão.

Porém,
tu, quando jejuares, unge a cabeça e lava o rosto; para não pareceres aos
homens que jejuas, mas a teu Pai, que está oculto; e teu Pai que vê em oculto,
recompensar-te-á” (Mateus, 6:16-18),

  1. Os judeus, bem como os adeptos de várias regiões, têm em
    alta conta a prática do jejum. 
  2. Prática essa que consiste na abstenção da ingestão
    de alimentos em determinados dias da semana ou do mês, ou de pelo menos alguns
    tipos de alimentação.
  3. Na Parábola do Fariseu e o Publicano, vemos o orgulhoso
    fariseu afirma de forma solene: “Jejuo duas vezes por semana, e dou o
    dízimo de tudo quanto possuo” e, não obstante, a sua prece não foi aceita
    por Deus, porque foi proferida com arrogância e com egoísmo.
  4. O grande profeta Isaías (58:4-8) esclarece que o
    verdadeiro jejum consiste em “soltar as ligaduras da impiedade, desfazer
    as ataduras do jugo, libertar os quebrantados, despedaçar todo o jugo repartir
    o pão com o faminto, acolher os pobres desabrigados, cobrir o nu”,
    acrescentando que quem fizer isso “romperá a tua luz como a alva, e a tua
    cura apressadamente brotará, e a tua justiça irá diante de tua face, e a glória
    do Senhor será a tua retaguarda”.
  5. Indaga ainda o profeta: “Chamarias de dia aprazível
    ao Senhor afligir a tua alma, inclinar a tua cabeça como o junco e estender
    debaixo de ti saco e cinza?”
  6. O jejum, portanto, é algo mais do que deixar de ingerir
    determinados alimentos, em certos dias ou hora. 
  7. O verdadeiro jejum consiste em
    procurar ser bom, “romper as ligaduras da impiedade”, abster-se da
    prática da imoralidade, “despedaçar o jugo” da vaidade, do ódio, do
    egoísmo e de muitos outros vícios que degradam o homem.

Por isso pergunta o profeta: “(Chamarias de dia
aprazível ao Senhor afligir a tua alma?”.

  • Deus considera mais aprazível que o homem procure
    despertar em si sentimentos de fraternidade, de amor, de tolerância, do que
    vê-lo cobrir-se com sacos e cinzas, mera formalidade praticada pelos nossos
    antepassados, que em nada melhorava suas qualidades espirituais.
  • Praticar o jejum ou aplicar em seu corpo uma mancha
    cinza, de forma alguma apaga pecados ou outorga virtudes. 
  • O pecado somente
    poderá ser resgatado em novas vidas do Espírito no corpo carnal e as qualidades
    morais e espirituais de relevo somente são conseguidas no desenrolar das vidas
    múltiplas, em prolongado processo de aprimoramento, tendo como destinação a
    eternidade.
  • Indubitavelmente, o verdadeiro jejum consiste na
    abstinência da prática de atos maus, de imoralidades, de orgulho, e não na
    prática de deixar de comer alimentos desta ou daquela espécie, em determinados
    dias da semana ou do ano.
  • Muitos dos praticantes do jejum mostravam seus rostos
    desfigurados, para que todos vissem que eram autênticos seguidores das normas
    religiosas. 
  • Esses mereciam os aplausos dos homens, mas nada mais lhes restava
    receber na vida futura, “já haviam recebido suas recompensas”.
  • Conforme deparamos no Evangelho segundo Mateus (9:14), os
    apóstolos de Jesus não jejuavam. 
  • O Mestre jamais poderia ensinar uma prática
    inócua a Seus discípulos.
  • Discorrendo ainda sobre certas práticas dos judeus, o
    Mestre ensinou: “Não é o que entra pela boca o que contamina o homem, mas
    o que sai da boca, isso sim, contamina o homem” (Mateus, 15:11).
  • “Não compreendeis que tudo o que entra pela boca
    desce para o ventre, e depois é lançado em lugar escuso?

Mas o que sai da boca vem do coração, e é isso que
contamina o homem. Porque do coração procedem maus desígnios, homicídios,
adultérios, prostituição, furtos, falsos testemunhos, blasfêmias.

  1. São estas as coisas que contaminam o homem”.
    (Mateus, 15:17-20)
  2. Paulo Alves Godoy – OS 4 SERMÕES DE JESUS
  3. O JEJUM VERDADEIRO
  4. “Tudo o que, de fora, entra no homem, não o pode
    contaminar,
  5. porque não entra no coração, mas no ventre, e é lançado
    fora”. (Marcos, 7:18-19)

Após proferir essas palavras, Jesus Cristo sentenciou:
“Porque do interior do coração dos homens saem os maus pensamentos, os
adultérios, as prostituições, os homicídios, os furtos, a avareza, a blasfêmia,
a soberba, a loucura. Todos esses males procedem de dentro e contaminam o
homem.” (Marcos, 7:21-23)

Os judeus, bem como alguns segmentos do Cristianismo, dão
grande apreço ao jejum, evitando, assim, a ingestão de alimentos, durante
algumas horas ou dias da semana, principalmente quando ocorrem a chamada
Quaresma e a chamada Semana Santa. Isso no caso dos cristãos.

  • Conforme se depara em (Lucas, 5:33-34) nem Jesus nem os
    Apóstolos praticavam o jejum. 
  • Por isso, o Mestre foi admoestado pelos
    detratores, que lhe fizeram a seguinte indagação: “Por que jejuam, muitas
    vezes, os discípulos de João Batista e fazem orações como os fariseus, mas os
    teus discípulos comem e bebem?”
  • Jesus, por sua vez, mostrou a inocuidade do jejum que
    consiste na ingestão de alimentos, mas recomendou um jejum diferente, pela
    abstinência na prática de atos atentatórios à moral, cuja contaminação é
    causada pelo que sai da boca e não pelo que entra pela boca. 
  • O jejum da
    abstinência de ingerir alimentos é mera formalidade, criada pelo homem, e de
    nada serve para o aprimoramento do Espírito.
  • Na prece do publicano e do fariseu, mencionada em (Lucas,
    18:9-14), observamos que o fariseu proclamou, alto e bom som, que jejuava duas
    vezes por semana, porém, logo a seguir, passou a lançar vários impropérios
    contra o publicano que ali orava cabisbaixo, “sem levantar os olhos ao
    Céu”.

O fariseu acusava o publicano de “ladrão, adúltero e
injusto”, e agradecia a Deus de não ser igual a ele. O fariseu jejuava na
ingestão de alimentos, mas não jejuava nas más palavras que emanavam do seu
coração.

  1. No episódio da Mulher Adúltera (João, 8:1-11), vemos uma
    quantidade apreciável de judeus que observavam as leis de Moisés, e, como
    decorrência, praticavam o jejum. 
  2. E eles trouxeram ao Mestre uma pobre mulher
    que havia cometido adultério, sugerindo que fosse apedrejada, não o fazendo
    apenas porque o Mestre sentenciou: “Atire a primeira pedra aquele que se
    julgar sem pecado.”
  3. O evangelista Mateus (17:14-20) nos informa que um homem
    levou o seu filho lunático para ser curado por Jesus. 
  4. Aproximando-se do Mestre,
    disse que já havia levado o seu filho aos Apóstolos, mas estes não conseguiram
    curá-lo. 
  5. Jesus, aproximando-se do menino, ordenou ao Espírito obsessor que se
    afastasse imediatamente, no que foi prontamente obedecido.

Diante dessa cura operada pelo Cristo, os Apóstolos
formularam uma questão: por que eles não conseguiram fazer com que a cura se
operasse? Face a essa pergunta, o Mestre disse: “Esta casta de Espírito
não se expulsa senão pela oração e pelo jejum”.

  • É óbvio que se tratava do jejum verdadeiro, do jejum que
    moraliza e enobrece o homem, dando-lhe autoridade até para afastar Espíritos
    trevosos. 
  • O jejum de ingerir alimentos está longe de conceder esse poder ao
    homem, pois essa formalidade nada acrescenta à sua qualidade moral.
  • No caso de Jesus Cristo, um Espírito da mais elevada
    hierarquia, não havia necessidade nem de oração, nem de jejum, porque, como
    dirigente espiritual do nosso Planeta, recebeu de Deus todo o poder no Céu e na
    Terra.
  • A prática do jejum, nos moldes preceituados por algumas
    teologias terrenas, não passa de mera observância de uma vã tradição, que
    nenhum benefício acarreta para a alma, salvo no caso de ser uma pessoa já
    dotada de profundos dotes morais, que desfruta de autoridade independente de
    ter ou não praticado o jejum.
  • É agradável a Deus o jejum da abstinência de atos
    atentatórios às suas Leis Eternas, dentre eles o adultério, a maledicência, a
    avareza, o uso de entorpecentes e de bebidas alcoólicas, a prática de roubos,
    de crimes, de suicídio, de sequestro, de estupro, de corrupção e de toda gama
    de atos imorais.
  • Prejudiciais à vida humana, os quais retardam o ciclo
    evolutivo do Espírito, perturbando a sua caminhada ascensional rumo ao Criador
    de todas as coisas.
  • Paulo A. Godoy – JESUS CRISTO
  • A QUESTÃO DO JEJUM
  • O significado geral da palavra jejum é abstinência,
    ausência do elemento que entra em nós, ou do elemento que deveria viver
    conosco.
  • Há o jejum do alimento, da água, da roupa, e até daqueles
    que conviviam conosco, mas de nós se ausentaram por qualquer motivo, ou deles
    nos ausentamos. 
  • Nos tempos farisaicos, o jejum era um dos preceitos máximos da
    Lei. 
  • Os fariseus e escribas usavam muito do jejum. 
  • Em geral, os judeus eram
    jejuadores. 
  • Julgavam que a religião consistia em não comer e não beber, ou em
    não comer e não beber isto ou aquilo. 
  • A religião daquela gente consistia em
    comida e bebida e não na prática da caridade, no amor a Deus.
  • João Batista, homem de autoridade singular, obedecia o
    preceito judaico do jejum, mas pregava o batismo do arrependimento das faltas. 
  • Queria certamente mostrar aos judeus que, submetendo-se aos preceitos judaicos,
    não era um herege; portanto sua palavra deveria ter autoridade e ser recebida
    com amor, com boa vontade, e ser executada tal como era ordenada.
Leia também:  Como Saber Quanto Desconto Para Irs?

Os discípulos de João forçosamente haviam de seguir as
pegadas do seu Mestre. Demais, João Batista e seus discípulos não traziam
missão alguma religiosa. 

  1. Seu único escopo, ou, por outra, a exclusiva tarefa
    que lhe fora confiada, resumia-se em aparelhar o caminho para Jesus passar, em
    apresentar o Messias ao público, mostrar às gentes o “Cordeiro de
    Deus”, o Agnus Dei, como dizia ele “qui tolle pecoata mundi”. 
  2. As
    relações de João com Jesus foram passageiras. 
  3. Descoberto o Cristo, pela
    Revelação que João havia recebido do Alto:
  4. “Este é meu Filho Amado, ouvi-o”, o Profeta do
    Deserto seguiu o seu rumo, até ser preso e degolado. 
  5. Jesus, ao contrário, foi o
    grande missionário e sua missão consistia numa embaixada de Amor e de Verdade; 
  6. Ele tinha que plantar no mundo uma Árvore Nova, a Árvore da Vida, e precisava
    suplantar toda mentira, toda falsidade, todas as convenções, todos os preceitos
    humanos que mantinham a aparência de religião, para que a sua Doutrina não
    fosse sufocada por esses espinhos.
  7. E o jejum era um desses mandamentos que o sectarismo
    judaico fazia prevalecer com aparência religiosa. 

Como poderiam seus discípulos
sentir ausência do que não estava ausente? Como poderão os convidados jejuar
enquanto o noivo se acha com eles sentado à mesa, servindo-os de finas iguarias
e deliciosos manjares? 

  • E que oração precisavam mais fazer os seus discípulos,
    se o Representante de Deus se achava junto deles, dando-lhes ainda muito mais
    do que precisavam?
  • O que teriam os discípulos de rogar, de pedir a Deus? 
  • Estando eles com o Mestre, assim como os convivas à mesa com o noivo, só lhes
    cabia ouvir os ensinos que o Senhor lhes dava e se alegrarem com Jesus, como os
    convidados para um banquete se alegram com o dono da casa e procuram
    corresponder às gentilezas que lhes são feitas.
  • Chegariam, porém, dias em que lhes seria tirado o
    “noivo”; então, nesses dias, não poderiam deixar de jejuar. 
  • Num
    banquete não se jejua, porque o dono das bodas proporciona aos convidados todos
    os comestíveis e bebidas que possam satisfazer os convivas.
  • Pela mesma forma, não podem jejuar os que convivem em
    companhia de Jesus, pois assim como o “noivo” dá aos convidados os
    comestíveis que alimentam o corpo, Jesus dá los seus “chamados” o
    alimento que vivifica a alma e a conserva para a Vida Eterna. 
  • Jejum implica a
    falta de alguém ou de alguma coisa. 
  • Quem está com Jesus não pode sentir falta
    de quem quer que seja, nem de coisa alguma.
  • Mesmo um amigo, um parente que se tenha de nós separado
    pela morte, se nós estivermos de verdade com Jesus, fácil nos será reatarmos as
    relações com esse parente ou com esse amigo, direta ou indiretamente. 
  • O jejum é
    sinal de tristeza, de inapetência, de desânimo da vida, e aqueles que se
    esforçam por estar com Jesus, que cultivam os seus ensinos, estudando-os com
    amor, não podem jejuar: comem e bebem como faziam os discípulos do Senhor.
  • Resta-nos dizer algo sobre o último trecho da passagem
    evangélica, mas os leitores encontrarão a explicação dos odres e dos remendos
    no livro: “Parábolas e Ensinos de Jesus” (verificar no Ícone
    Parábolas). 
  • Pela concordância dos Evangelistas, vemos mais que Levi é o próprio
    Mateus, escritor do primeiro Evangelho contido no Novo Testamento.
  • Cairbar Schutel – O ESPÍRITO DO CRISTIAN9ISMO

Mateus 6:16

E, quando jejuardes, não vos mostreis contristados como os hipócritas; porque desfiguram os seus rostos, para que aos homens pareça que jejuam. Em verdade vos digo que já receberam o seu galardão.

Quando jejuardes, não vos mostreis contristrados como os hipócritas; porque eles desfiguram os seus rostos, para que os homens vejam que estão jejuando. Em verdade vos digo que já receberam a sua recompensa.

Quando jejuardes, não vos mostreis com aspecto sombrio como os hipócritas; pois desfiguram o rosto com a intenção de mostrar às pessoas que estão jejuando.

“Whenever you fast, do not put on a gloomy face as the hypocrites do, for they neglect their appearance so that they will be noticed by men when they are fasting Truly I say to you, they have their reward in full.

Quando pois deres esmola, não faças tocar trombeta diante de ti, como fazem os hipócritas nas sinagogas e nas ruas, para serem glorificados pelos homens. Em verdade vos digo que já receberam o seu galardão.

E, quando orares, não sejas como os hipócritas: pois se comprazem em orar em pé nas sinagogas, e às esquinas das ruas, para serem vistos pelos homens. Em verdade vos digo que já receberam o seu galardão.

Mas, quanto a mim, quando estavam enfermos, a minha veste era pano de saco; humilhava a minha alma com o jejum, e a minha oração voltava para o meu seio.

Chorei, e castiguei com jejum a minha alma, mas até isto se me tornou em afrontas.

Dizendo: Por que jejuamos nós, e tu não atentas para isso? Por que afligimos as nossas almas, e tu não o sabes? Eis que no dia em que jejuais achais o vosso próprio contentamento, e requereis todo o vosso trabalho.

Jejuo duas vezes na semana, e dou os dízimos de tudo quanto possuo.

E buscou Davi a Deus pela criança; e jejuou Davi, e entrou, e passou a noite prostrado sobre a terra.

E disseram-lhe seus servos: Que é isso que fizeste? Pela criança viva jejuaste e choraste; porém, depois que morreu a criança, te levantaste e comeste pão.

Sucedeu, pois, que Acabe, ouvindo estas palavras, rasgou as suas vestes, e cobriu a sua carne de pano de saco, e jejuou; e dormia em cima de sacos e andava mansamente.

E sucedeu que, ouvindo eu essas palavras, assentei-me, e chorei, e lamentei por alguns dias; e estive jejuando e orando perante o Deus dos céus.

Vai, e ajunta todos os judeus que se acharem em Susã, e jejuai por mim, e não comais nem bebais por três dias, nem de dia nem de noite, e eu e as minhas moças também assim jejuaremos; e assim irei ter com o rei, ainda que não é segundo a lei; e, perecendo, pereço.

De jejuar, estão enfraquecidos os meus joelhos, e a minha carne emagrece.

E eu dirigi o meu rosto ao Senhor Deus, para o buscar com oração, e rogos, e jejum, e pano de saco, e cinza.

disseram aos sacerdotes que estavam na Casa do SENHOR dos Exércitos e aos profetas: Chorarei eu no quinto mês, separando-me, como o tenho feito por tantos anos?

Vós dizeis: Inútil é servir a Deus; que nos aproveitou termos cuidado em guardar os seus preceitos e em andar de luto diante do SENHOR dos Exércitos?

Então chegaram ao pé dele os discípulos de João, dizendo: Porque jejuamos nós e os fariseus muitas vezes, e os teus discípulos não jejuam?

Ora os discípulos de João e os fariseus jejuavam; e foram e disseram-lhe: Porque jejuam os discípulos de João e os dos fariseus, e não jejuam os teus discípulos?

E era viúva, de quase oitenta e quatro anos, e não se afastava do templo, servindo a Deus em jejuns e orações, de noite e de dia.

E disse Cornélio: Há quatro dias estava eu em jejum até esta hora, orando em minha casa à hora nona.

E, servindo ao Senhor, e jejuando, disse o Espírito Santo: Apartai-me a Barnabé e a Saulo para a obra a que os tenho chamado.

E, havendo-lhes, por comum consentimento, eleito anciãos em cada igreja, orando com jejuns, os encomendaram ao Senhor em quem haviam crido.

Não vos defraudeis um ao outro, senão por consentimento mútuo por algum tempo, para vos aplicardes à oração; e depois ajuntai-vos outra vez, para que Satanás vos não tente pela vossa incontinência.

Nos açoites, nas prisões, nos tumultos, nos trabalhos, nas vigílias, nos jejuns,

Em trabalhos e fadiga, em vigílias, em fome e sede, em jejum muitas vezes, em frio e nudez.

Estudo de Mateus 6:16 – Comentado e Explicado

Quando jejuardes, não tomeis um ar triste como os hipócritas, que mostram um semblante abatido para manifestar aos homens que jejuam. Em verdade eu vos digo: já receberam sua recompensa.Mateus 6:16

Comentário de Albert Barnes

Além disso, quando jejuares – A palavra “jejum” significa literalmente abster-se de comida e bebida, seja por necessidade ou como uma observação religiosa. É, no entanto, comumente aplicado na Bíblia a este último. É, então, uma expressão de pesar ou tristeza.

Tal é a constituição do corpo, que em um tempo de tristeza ou tristeza não estamos dispostos a comer; ou, não temos apetite. A tristeza da “alma” é tão absorvente que destrói o apetite natural do “corpo”. As pessoas em profunda aflição comem pouco e muitas vezes se afastam e caem na doença, porque o corpo se recusa, devido à profunda tristeza da mente, a desempenhar as funções da saúde.

“Jejuar, então, é a expressão natural do sofrimento.” Não é arbitrário; é o que toda pessoa em sofrimento faz naturalmente. Este é o fundamento de sua aplicação à religião como um ritual sagrado. É porque a alma, quando oprimida e sobrecarregada pela sensação de pecado, fica tão cheia de tristeza que o corpo recusa a comida.

Leia também:  Como Esquecer Alguem Que Te Traiu?

É, portanto, apropriado para cenas de penitência, de tristeza divina, de sofrimento e para os fatos relacionados à religião que são adequados para produzir tristeza, como a prevalência de iniqüidade ou alguma calamidade iminente, tempestade ou tempestade, pestilência, praga ou fome.

Também é útil nos humilhar, levar-nos à reflexão, direcionar os pensamentos para longe dos atrativos deste mundo, para a felicidade de um melhor. Não é aceitável, exceto que seja a “expressão real” da tristeza; o efeito natural do sentimento de que estamos sobrecarregados com o crime.

Os judeus jejuavam frequentemente. Eles tiveram quatro jejuns “anuais” em comemoração à captura de Jerusalém Jeremias 52: 7 , da queima do templo Zacarias 7: 3 , da morte de Gedalias Jeremias 41: 4 e do início do ataque a Jerusalém Zacarias. 8:19 . Além desses, eles tinham uma infinidade de jejuns ocasionais. Também era costume que os fariseus jejuassem duas vezes por semana, Lucas 18:12 .

De um semblante triste – Ou seja, azedo, melancólico; com expressões assumidas de tristeza não sentida.

Eles desfiguram seus rostos – isto é, eles não se ungem e se lavam como sempre: são desleixados, imundos, esquálidos e abatidos. Dizem que eles costumavam jogar cinzas na cabeça e no rosto; e isso, misturado às lágrimas, serviu ainda mais para desfigurar o rosto.

Tantas dores as pessoas sofrerão, e sofrerão tanto sofrimento, e tantas coisas ridículas que assumirão, para impor a Deus e ao povo. Mas eles também não enganam. Deus vê através do véu frágil. Os olhos humanos podem perfurar um disfarce tão fino. Hipócritas exageram sua parte.

Não tendo os princípios genuínos da piedade no coração, eles não sabem qual é a sua expressão apropriada e, portanto, parecem supremamente desprezíveis e abomináveis.

As pessoas nunca devem exibir externamente mais do que sentem; e nunca deveriam tentar exibir alguma coisa por mero benefício da ostentação.

Eles têm sua recompensa – eles têm tudo o que desejam – o louvor dos homens e “o prazer da ostentação”. Veja as notas em Mateus 6: 2 .

Comentário de Joseph Benson

Mateus 6: 16-18 . Quando jejuamos – Nosso Senhor não ordena o jejum, a esmola ou a oração, todos esses deveres que antes eram totalmente estabelecidos na Igreja de Deus. Não seja como os hipócritas, etc.

– Não siga o exemplo dos hipócritas, que, para mostrar que jejuam, assumem um semblante triste; um olhar abatido, austero e mortificado, como afetam os falsos devotos, que fazem com que a piedade consista na demonstração exterior, e não na verdadeira bondade. Pois eles desfiguram seus rostos – Viz.

, Por poeira e cinzas colocadas sobre suas cabeças, como era habitual em tempos de luto e humilhação solene. Em verdade vos digo que eles têm sua recompensa – garanto-lhe que pessoas desse caráter não terão outra recompensa senão a estima daqueles que enganam com essas aparências. Mas tu, quando mais rápido, unge a cabeça, etc.

– Venha para o exterior em seu traje comum. Os judeus frequentemente ungiam suas cabeças. Que você não aparece, etc.

– Que, desejando a aprovação de Deus, e não os aplausos dos homens, é possível que você principalmente se mostre diante de Deus como alguém que jejua; e Deus, que está sempre contigo e conhece os teus pensamentos mais secretos, conceder-te-á abertamente as bênçãos que pertencem a um verdadeiro penitente, “cuja mortificação, contrição e humildade ele pode discernir sem a ajuda de olhares ou vestimentas, ou expressões externas de qualquer tipo. Mas deve ser lembrado que nosso Senhor está falando aqui de jejum privado, ao qual somente suas instruções devem ser aplicadas; pois, quando os pecados ou calamidades públicas devem ser lamentados, o dever de jejuar deve ser realizado da maneira mais pública possível. ”

Comentário de E.W. Bullinger

Quanto ao jejum. be = becorne.

desfigurar. . . aparecer. Observe a figura da fala Paronomasia (App-6), aphanizousin. . . fanosina.

aparecer. App-106.

Comentário de John Calvin

Ele volta novamente à doutrina anterior: pois, tendo começado a repreender a ostentação vã em esmolas e orações, estabeleceu, antes de prosseguir, a regra para orar da maneira correta.

A mesma injunção é agora dada a seus discípulos sobre o jejum, que ele havia dado anteriormente sobre orações e esmolas, para não ser muito solícito para obter os aplausos dos espectadores, mas para ter Deus como testemunha de suas ações.

Quando ele lhes pede que ungam a cabeça e lavem o rosto, sua linguagem é hiperbólica: (448) porque Cristo não nos retira de um tipo de hipocrisia, para nos levar a outro.

(449) Ele não nos ordena a falsificar o esplendor, nem nos exorta à temperança nos alimentos de tal maneira que incentive os luxos das pomadas e do vestuário; mas apenas nos exorta a preservar a moderação, sem nada de novo ou afetado; – resumindo, que os jejuns, nos quais nos envolvemos, não devem mudar o nosso modo de vida habitual.

Teu Pai te recompensará Quando ele promete uma recompensa de Deus aos jejuns, esse modo de expressão, como dissemos um pouco antes em relação à oração, não é estritamente preciso. De fato, há uma grande diferença entre oração e jejum.

A oração ocupa a primeira posição entre as palhaçadas da piedade: mas o jejum é uma operação duvidosa e, como esmola, não pertence à classe das ações que Deus exige e aprova.

É agradável a Deus, apenas na medida em que é direcionado a outro objeto: ou seja, nos treinar para a abstinência, subjugar a concupiscência da carne, nos excitar à sinceridade na oração e testemunhar nosso arrependimento, quando somos afetados pela visão do tribunal de Deus.

O significado das palavras de Cristo é: “Deus um dia mostrará que estava satisfeito com aquelas boas obras, que pareciam estar perdidas, porque foram ocultadas aos olhos dos homens”.

Comentário de Adam Clarke

Quando jejuardes – Um jejum é denominado pelos gregos ????? , de ?? não e es?e?? para comer; portanto, rápido significa abstinência total dos alimentos por um certo tempo. Abster-se de carne e viver de peixe, legumes etc. não é rápido, ou pode ser considerado um burlesco no jejum.

Muitos pretendem tirar a verdadeira definição de jejum de Isaías 58: 3 e dizem que isso significa jejum do pecado. Isto é um erro; não existe um termo na Bíblia como jejuar do pecado; a própria idéia é ridícula e absurda, como se o pecado fizesse parte de nossa comida diária.

No jejum mencionado pelo profeta, o povo deveria dividir seu pão com os famintos, Isaías 58: 7 ; mas eles poderiam comer o pão e dar também? Ninguém deve poupar com jejum: deve dar toda a comida que possa ter comido aos pobres. Aquele que economiza um dia em jejum, comete abominação perante o Senhor.

Veja mais em Mateus 9:15 ; (Nota).

Como os hipócritas – de um semblante triste – S?????p?? , seja de s?????? azedo, caranguejo e ?? o semblante; ou de S????? um cita, um phiz sombrio, sombrio e austero, como o de um cita ou um tártaro.

Um hipócrita sempre tem uma parte difícil de agir: quando ele deseja aparecer como penitente, sem ter nenhuma tristeza divina no coração, é obrigado a falsificá-la da melhor maneira possível, com um olhar sombrio e austero.

Comentário de Thomas Coke

Mateus 6:16 . Além disso, quando jejuares, etc. – Nosso Senhor continua a aplicar o conselho geral, antes dado, ao jejum privado e à oração particular. A palavra grega s?????p?? denota adequadamente um semblante irritado e irritado; mas aqui significa “um rosto desfigurado pela mortificação e pelo jejum”.

Os LXX usaram a mesma palavra, Gênesis 40: 7 para expressar um semblante triste. Veja também Provérbios 15:13 . Esta palavra, bem como ‘ ?p????ta?, hipócritas, refere-se ao teatro e aos atores e dissimuladores de lá, que se esforçam para servir a seu propósito.

A palavra afa?????s?, tornados desfiguram, significam fazer desaparecer, desaparecer ou destruir; e é a mesma palavra que foi traduzida, nos versos 19 e 20, corrompida. Esses atores hipócritas afetaram maravilhosamente a fama de extraordinária santidade.

Portanto, eles assumiram uma postura muito austera em seus jejuns; eles apareciam e vestiam os enlutados e induziam uma espécie de palidez, pelo menos o máximo que podiam, sobre o semblante. Em resumo, eles fizeram sua face natural desaparecer, tanto quanto possível; colocando um artificial, como os jogadores antigos costumavam colocar suas máscaras.

Veja Fortuita Sacra, p. 14. Nosso Salvador se refere aqui mais particularmente ao jejum privado e voluntário dos fariseus: jejuavam às segundas e quintas-feiras; mas aqueles que seriam considerados mais devotos que o resto, jejuavam às terças e sextas-feiras e se abstinham de todo tipo de comida até o pôr do sol.

Não há dúvida de que nosso Salvador fala aqui apenas de jejum privado; porque, quando os pecados e calamidades públicas devem ser lamentados , devem ser realizados da maneira mais pública. Doddridge mostra isso: quando você fica em jejum, não seja como os hipócritas, criando um ar sombrio; pois eles deformam seus semblantes, isso etc.

Comentário de Scofield

recompensa

ou seja, o louvor dos homens.

Comentário de John Wesley

Além disso, quando jejuardes, não sejam, como os hipócritas, um semblante triste: pois eles desfiguram seus rostos, para que pareçam aos homens jejuar. Em verdade vos digo que eles têm sua recompensa.

Quando jejuares? – Nosso Senhor não ordena jejum, obras de esmola ou oração: todos esses são deveres que antes eram totalmente estabelecidos na Igreja de Deus.

Desfigurar – Pelo pó e pelas cinzas que eles lançam sobre suas cabeças, como era habitual nos momentos de humilhação solene.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*