Porque Meu Gato Corre Como Louco?

Porque Meu Gato Corre Como Louco?

Porque Meu Gato Corre Como Louco?

Ver fichas de  Gatos

Se você tem um ou mais gatos em casa, provavelmente já presenciou um momento de loucura felina no qual o seu gato sai correndo do nada. Embora em muitos casos esse seja um comportamento normal e não represente qualquer tipo de problema, em outros pode ser um indício que algo não está bem e que o seu felino precisa da sua atenção.

Nesse artigo do PeritoAnimal, te explicamos o que pode dar origem a esse comportamento agitado sem motivo aparente e o que fazer para minimizá-lo – Gato correndo como louco: causas e soluções.

É comum ver um gato correndo pela casa como um louco, especialmente durante a noite, a hora perfeita para despertar o/a tutor/a que quer descansar depois de um dia cansativo. Existem várias razões que podem explicar o comportamento “maníaco” do seu felino:

Higiene

Uma das teorias que explicam por que o seu gato corre como louco é que o faz por motivos de higiene, um fator muito importante para um felino. Se você notou que o seu felino corre como um louco depois de usar a caixa de areia, a razão óbvia seria que, depois de defecar, ele quer sair de perto das fezes com urgência, uma vez que eles amam a limpeza.

No entanto, outras afirmações1 indicam que isso ocorre porque o odor das fezes atrai predadores, pelo que os gatos ativam seu instinto de segurança e fogem da caixa de areia depois de enterrarem o cocô, de forma a não serem detectados por animais ameaçadores.

Problemas digestivos

Os problemas digestivos são outra possível razão pela qual os gatos saem correndo do nada. Um gato que esteja experienciando desconforto pode correr pela casa para intentar aliviar o sintoma.

Contudo, nem todos os especialistas estão de acordo com esta justificação, uma vez que este é um comportamento apresentado por muitos felinos que não demonstram sinais clínicos de problemas digestivos.

Instinto de caça

Como predadores naturais, os gatos domésticos também apresentam comportamentos relacionados com esse instinto. Um comportamento agitado sem incitação prévia pode ser uma demonstração de técnicas de luta ou de caça.

Quando um gato não necessita aplicar essas técnicas para obter comida, ele pode estar correndo pela casa simplesmente por manter esse instinto de caça que apresentaria no seu estado selvagem.

Pulgas

As pulgas podem explicar a agitação repentina de um felino, já que ele pode estar sofrendo de uma alergia à picada da pulga ou simplesmente estar sentido muita coceira em algum sítio e correr em busca de alívio.

Se você suspeita que o seu felino pode ter pulgas, deve consultar o seu veterinário para que ele recomende um fármaco adequado para desparasitá-lo e fazer uma limpeza intensiva do ambiente. No artigo “O meu gato tem pulgas – remédios caseiros”, você encontrará algumas dicas sobre o que fazer nesse caso.

Excesso de energia

A explicação mais comum para ver o seu gato correndo como louco é a energia acumulada. Os gatos passam muito tempo dormindo ou simplesmente descansando, mas eles possuem níveis de energia para gastar como qualquer outro animal.

De acordo com a investigadora e consultora de comportamento felino Mikel Delgado2, os gatos costumam ser mais ativos quando os seus tutores são mais ativos. Isso indica que, quando o/a tutor/a passa o dia fora, o gato está menos ativo, o que muda repentinamente quando o/a tutor/a chega a casa e ele tem toda essa energia por gastar.

Síndrome de hiperestesia felina (SHF)

A síndrome de hiperestesia felina é uma condição rara e misteriosa de origem desconhecida que origina um comportamento obsessivo nos gatos.

Pode provocar sintomas como a perseguição da cauda, mordedura ou lambedura excessivas, vocalização incomum, midríase (dilatação da pupila em função da contração do músculo dilatador da pupila) ou, por fim, corridas ou pulos anormais e fora de controle.

Se você suspeita que o seu gatinho está apresentando comportamentos obsessivos, consulte o seu veterinário o quanto antes.

Disfunção cognitiva

Se o seu gatinho é idoso e sai correndo como um louco, é possível que ele esteja sofrendo de algum tipo de disfunção cognitiva ou demência. À medida que os felinos envelhecem, podem surgir comportamentos anormais devido ao funcionamento diferente do cérebro deles.

Porque Meu Gato Corre Como Louco?

Para melhorar a convivência com o seu felino e garantir que ele tem uma vida saudável e feliz, você deve aprender a interpretar a linguagem corporal dos gatos. O comportamento do felino pode ser uma forma de comunicar com o tutor ou tutora, pelo que é importante conseguir decifrar o que ele está dizendo.

Cada gato é diferente, pelo que o ideal é tomar atenção às circunstâncias e contextos nos quais o seu pet demonstra esse comportamento agitado e corre de um lado para o outro.

Esteja especialmente atento/a aos tipos de som que ele emite, aos movimentos da cauda, ao momento do dia e ao comportamento em si, já que podem ajudar a encontrar padrões de atitudes e, consequentemente, entender a motivação das ações do seu gato.

Assim, você pode detectar comportamentos fora do normal do seu gatinho e saber o que origina esse comportamento louco no seu pet.

Quando o comportamento cai fora do habitual, é essencial que você contate o seu veterinário de confiança para que sejam feitos os exames pertinentes para diagnosticar eventuais problemas de saúde como os mencionados antes.

Se você suspeita que os motivos pelos quais você vê o seu gato correndo como louco pela casa podem estar associados a problemas de saúde, consulte um profissional de imediato.

Se deseja ler mais artigos parecidos a Gato correndo como louco: causas e soluções, recomendamos-lhe que entre na nossa seção de Problemas de comportamento.

O seu gato corre sem explicação pela casa? Veja algumas razões para isso – Notícias sobre variedades

Porque Meu Gato Corre Como Louco?Arquivo pessoal/Camilla Nascimento
Salem começou a correr dentro de casa, do nada, de forma costumeira

Tem quem acha que gato é um bicho místico, que vê fantasma , que tem conexão com o além. Esse tipo de pensamento é sustentado muitas vezes por comportamentos que os gatos apresentam no cotidiano. Um exemplo é quando eles começam a  correr dentro de casa, sem explicação ou um sentido claro.

Algumas vezes parece que eles estão caçando algo invisível. De acordo com a veterinária Izabel Monteiro, as pessoas costumam achar esse comportamento ‘louco’ por compararem com o comportamento deles ao dos cachorros.

“O gato tem institutos e formas de brincar muito diferente do cão. O cão é muito dependente, o gato não. O gato brinca durante toda a vida. Ele pode ter 20 anos e vai continuar brincando.

Quando jovem, ele brinca muito só. E velho isso diminui, mas a gente é quem tem que estimular.

Essa inclusive pode ser uma das explicações para esse comportamento dos gatos, a brincadeira, o instinto de caça também”, explica.

Camilla do Nascimento, 28, é mãe de gato há dois anos. Ela conta que seu gatinho preto Salém começou a ter esse comportamento inesperado há um ano.

“A primeira vez que Salém ficou correndo dentro de casa foi bem assustador, porque eu não sabia o que era que fazia ele ficar correndo e não parecia ter nada que ele estivesse correndo atrás de ou caçando ou brincando com alguma coisa.

Ele corria do nada mesmo. Depois da primeira vez, ele continuou fazendo sem nenhuma causa específica”.

Ao levar para uma consulta de rotina com uma veterinária, Camilla descobriu o que provavelmente provocava o comportamento estranho e Salem. “A veterinária observou umas ondas que passavam pelo corpo de Salem. Ela falou que ele tinha hipersensibilidade. E, durante um carinho ou quando ele está estressado, essas ondas podem ser desencadeadas e ele ficar correndo, se lambendo bem agitado”.

Camilla conta que a veterinária explicou que essa condição atinge a alguns gatos e que isso pode ter interferência do meio externo. “Quando pegamos a nossa segunda gatinha ele passou a brincar mais, ele brinca o dia todo com ela. A partir disso os ‘tremiliques’ dele ficaram bem mais espaçados”.

Para a Izabel Monteiro, é importante cuidar da saúde dos gatos para evitar causas patológicas desse tipo de comportamento, como pulgas e carrapatos.

“Algumas pessoas não sabem que os gatos podem ter carrapato, piolho e outros problemas como esse. Um gato que começa a correr do nada dentro de casa, se coçar, pode ser pulga.

Então as pulgas, carrapatos, dermatite também podem ser outra causa desse comportamento”, afirma.

Para diferenciar se o gato está brincando ou se tem algum problema de saúde, o ideal é leva-lo ao veterinário. “Mas se for uma pessoa criteriosa, que conhece o gato, ela geralmente consegue identificar a diferença com facilidade”, pontua.  Segundo a veterinária, estresse do ambiente e questões comportamentais também são causas para esses comportamentos estranhos.

Porque Meu Gato Corre Como Louco?Arquivo pessoal/Camilla Nascimento
Camilla descobriu o que provavelmente provocava o comportamento estranho de Salem ao levá-lo ao veterinário

Uma outra causa possível seria a síndrome de hiperestesia felina, que é uma condição rara e misteriosa de origem desconhecida, que origina um comportamento obsessivo nos gatos.

“Ele corre, ele grita, tenta se morder, tenta se mutilar, tem convulsão. É algo bem específico”, conta a veterinária, que também tem um gato com essa condição e só descobriu após descartar todas as outras possibilidades. “O gato não é para estar na rua, ele é domesticado. Ele tem que estar em casa. Tem que cuidar dele, dar as vacinas. Ele merece atenção devida igual ao cão”.

Leia também:  Como Recuperar Um Documento Do Word Que Foi Substituido?

Porque seu Gato esta agindo como Louco de repente

Seu gato age feito louco em explosões repentinas de energia, e corre sem parar ou faz um coro de miados? Você pode ser surpreendido por este comportamento “louco”. E definitivamente, a linguagem corporal dos gatos não é tão fácil de entender quanto a dos cães. Se você está se perguntando por que seu gato tem esse tipo de comportamento do nada, veja algumas das possíveis razões.

Diferenças de Comunicação: Gatos e Cães

Muito tempo foi gasto ao longo dos anos aprendendo sobre comportamento dos cães, treinando cães, e compreendendo cães. A maioria das pessoas entende a linguagem e comportamento básico do cão, mas não reconhece o comportamento básico do gato.

Cães têm faces expressivas e linguagem corporal que é possível ler com bastante precisão. Eles balançam suas caudas, fazem barulhos diferentes para nos alertar sobre seu humor e seguem facilmente os comandos básicos para nos agradar.

Os gatos, por outro lado, geralmente são mais conhecidos por sua imprecisão emocional e por serem reservados. Mas, acredita-se cada vez mais que os gatos são tão expressivos quanto os cães. No entanto, nós ainda não entendemos o que ou como eles estão tentando se comunicar.

Quando se trata de gatos, miados, movimentos da cauda, ronronar e até piscadas podem significar muitas coisas. Os felinos estão realmente tentando se comunicar com você.

Além disso, gatos são muito independentes, por isso são facilmente mal interpretados. Isso não significa que você não pode descobrir por que seu gato está fazendo algo.

É importante observar os sinais e reações para compreendê-los.

Porque Meu Gato Corre Como Louco?

Gatos Selvagens

Não importa a raça, todos os gatos têm momentos em que correm pela sala, miam como loucos e agem como se estivessem em uma pista de corrida sendo perseguidos. Eles se lançam cada vez mais rápido, olhando por todo lado e, de repente, param.

Este comportamento selvagem repentino é por vezes referido como “loucos da meia-noite” quando acontece à noite. Seu gato pode divertir-se sozinho com essa atividade selvagem ou pular em sua cama,   em seus pés, e rosto para que você possa participar da diversão. As razões para este comportamento divertido e selvagem podem variar.

Instintos Predatórios

Os gatos são predadores natos e os gatos domésticos mantêm esse instinto até certo ponto. Às vezes, quando estão agindo como loucos, podem estar se exibindo e treinando seus comportamentos de caça, manobras de combate e técnicas de fuga.

Gatos domésticos não têm que caçar a sua comida, por isso precisam gastar sua energia reprimida. Muitas vezes eles fazem isso através desse comportamento explosivo e meio louco.

Oferecer brinquedos como ratinhos, laser e varinhas de penas que incentivam o bichano a perseguir, pular e agarrar são boas maneiras de permitir que seu gato utilize seus instintos naturais, caso ele não tenha acesso ao ar livre.

Instintos noturnos

Outra razão para o comportamento maluco do seu gato pode ser porque os gatos são noturnos e se tornam mais ativos à noite. Se eles não estão se exercitando o suficiente durante o dia, estarão especialmente loucos quando a noite chegar.

Muitos gatos domésticos passam os dias sozinhos enquanto seus donos estão no trabalho. Quando o dono chega em casa à noite, o gato quer brincar e estará muito ativo. Se eles não têm saída para essa energia, eles podem exibir essa explosão/loucura momentânea. Especialmente filhotes.

Porque Meu Gato Corre Como Louco?

Senilidade

Se você tem um gato mais velho, é possível que ele esteja apresentando esse comportamento de correr pela casa, miar sem parar devido a alguma disfunção cognitiva ou senilidade. À medida que os animais de estimação envelhecem, seus cérebros podem começar a funcionar de maneira diferente e fazer com que exibam comportamentos estranhos sem nenhuma explicação razoável.

Pulgas

Às vezes os gatos agem como loucos e ficam se mordendo esporadicamente porque têm pulgas. Particularmente quando o miado está envolvido. Alguns gatos podem simplesmente estar com uma coceira em um lugar que ele não alcança ou ser hipersensível a picadas de pulgas.

Se você suspeitar que seu gato tem pulgas, lembre-se de tratar todos os animais peludos da casa com um produto projetado para matar e prevenir pulgas. Lembre-se que você também precisará tratar o ambiente aspirando, lavando roupa e usando anti-pulgas para ambientes. Uma vez que as pulgas tenham sido eliminadas, seu gato deve parar com este comportamento.

Síndrome da Hiperestesia Felina

A Síndrome da Hiperestesia Felina é uma razão bastante rara para os gatos agirem como malucos. Essa síndrome gera uma hipersensibilidade na região lombar dos gatos.

Se a pele das costas parecer estar ondulando enquanto o gato estiver correndo, ou se ele freqüentemente morder a região acima da cauda (e você já tiver descartado a possibilidade de pulgas), converse sobre SHF com seu veterinário.

A SHF não é comum, mas afeta geralmente gatos maduros. Os sinais clássicos de SHF ocorrem quando você vai acariciar seu gato na base da cauda ou nas costas e ele então começa a arranhar e morder a área excessivamente e, em seguida, correr pela casa feito louco. A causa da SHF ainda é desconhecida.

Sempre que suspeitar do comportamento do seu Gato, procure o seu Médico Veterinário de confiança. Dessa forma, você poderá descartar problemas de saúde ou procurar o melhor tratamento.

Comentários

7 sinais de que seu gato é feliz com você

Porque Meu Gato Corre Como Louco?

É comum que gatos sejam descritos como animais misteriosos e retidos, principalmente em comparação com os cachorros. Por seu comportamento por vezes independente e o jeito mais discreto, há quem ache que os felinos não criam vínculos com os humanos e preferem estar sozinhos, ficando inclusive infelizes morando numa casa. Porém, há estudos recentes que comprovam o contrário – como o publicado recentemente no periódico Behavioral Processes, que identificou que os gatos preferem os humanos à comida (veja aqui). De fato, é só ter um gatinho em casa para perceber: os gatos podem sim ser animais carinhosos, que demonstram de diversas maneiras sua felicidade. Veja algumas delas!

1 – Ronronadas de amor

O ronronar dos gatos é bem mais complexo do que se pode imaginar, e pode aparecer em diversos momentos, como cientistas têm observado. Um deles é para expressar prazer e alegria, expondo uma situação de relaxamento. É por isso que o som normalmente aparece quando acompanhado do carinho dos donos e chegam até um cochilo no colo.

2 – Soltando a voz

Uma das formas de comunicação utilizada pelos gatos é a vocalização, que também tem objetivos variados. Em geral, os miados serão utilizados para o contato com humanos e muitas vezes são formas que o gato encontra de pedir o que necessitam.

Mas os miados também podem ser simplesmente um chamado para brincar, apenas uma conversa (já viu gatinhos interagindo com humanos como se estivessem respondendo?) ou mesmo uma expressão da alegria de ver os donos – há aqueles que miam quando os donos chegam em casa! Esse é um sinal a ser observado juntamente com outros, para entender que ele está mesmo confortável.

3 – “Toquinhos” para dar carinho

Se o gato chega até você para esfregar o corpinho ou dar leves cabeçadas, ele tem confiança o suficiente em você para isso e está feliz. O único motivo de fazê-lo é a certeza de que você não fará mal nenhum a ele. Inclusive, com o ato os gatos liberam feromônios que estão associados ao prazer e à demarcação de território. Quer maior prova de amor que essa?

4 – Rabinhos que falam

É possível saber muito sobre o humor dos gatos pela observação do rabo dos bichinhos. Quando a cauda está com os pêlos eriçados, algo está errado – ele pode estar assustado ou muito agitado. Mas se os pêlos estão normais e a cauda está para cima, com a ponta curvada (formando uma espécie de gancho), é sinal de que o bichano está amigável ou feliz da vida.

Porque Meu Gato Corre Como Louco?A ponta da cauda curvada é um indicativo de que o gato está contente e despreocupado

5 – Linguagem corporal diz tudo

Fora o rabo, há outras formas de o próprio corpo expressar a sensação de alegria e conforto. A mais clara é a barriga para cima: os gatos só ficam nessa posição quando estão completamente tranquilos com relação a ameaças.

É um sinal de proteção bem claro, portanto, se seu gatinho tem o costume de mostrar a barriga e ainda aceita carinhos ali, você é muito amado por ele! Os olhos semicerrados, com piscadinhas lentas, também demonstram a despreocupação com ameaças ao redor.

6 – Amassos/afofar

Este é um comportamento que os gatos têm desde pequenos, utilizado para estimular o fluxo de leite nas mamães. Por isso mesmo, o ato de afofar/amassar cobertores, almofadas ou a barriga dos donos está associado ao prazer e representa a segurança que o gato tem no dono para reproduzir o costume com ele.

7 – Higiene em dia

Para os gatos, a higiene também é um indicativo de bem-estar e saúde em ordem.

As sessões de lambida e o cuidado com a caixinha de areia fazem parte do ritual dos bichinhos para manter a limpeza em dia, e inclusive podem indicar que algo esteja errado caso não estejam acontecendo.

Além disso, se o gato dedica alguns momentos para lamber os donos também, olha que honra: ele está zelando também pelo tutor e cuidando da forma que entende ser boa!

A melhor forma de fazer seu gato feliz é importar-se com ele e demonstrar isso de todas as formas que puder, respeitando também, claro, o seu espaço e tempo de descobrir e aventurar-se. Rapidamente ele verá em você uma figura de segurança e conforto, para todas as horas. ????

Leia também:  Como Ver Quem Visualizou Meu Video No Instagram?

Seu gato sai correndo do nada? Descubra o que pode ser isso

Quem nunca se assustou quando, de repente, o gato sai correndo do nada, sem nenhum motivo aparente? Às vezes, esse comportamento chega até a ser repetitivo – e aí é melhor ter cuidado, pois pode indicar algum problema, como veremos à seguir.

Porque Meu Gato Corre Como Louco?

Passado o susto, a gente cai na gargalhada e logo se pergunta: Por que, afinal, o bichinho saiu com tanta pressa? As respostas são variadas, então vamos começar explicando pelo motivo mais óbvio. Mas, antes, é bom saber que esse comportamento felino tem o nome científico de Períodos Frenéticos de Atividade Aleatória (da sigla FRAPs, em inglês).

Por que o gato sai correndo do nada?

  • Você assistia TV confortavelmente no sofá e não percebeu nenhum barulho ou movimento estranho, então ficou sem entender porque o pet, que há poucos segundos estava também numa boa, partiu abruptamente do seu colo
  • Seus olhos e ouvidos não perceberam nada de estranho, mas lembre-se que seu gato tem reflexos bem diferentes de você e um flash de luz que passou rapidamente pelo corredor foi o suficiente para o bichano, sempre alerta, correr até lá pra conferir o que era.
  • Até mesmo um pequeno inseto passeando pela cozinha fez vir à tona o instinto caçador do seu amado peludinho, que chegou num piscar de olhos até ele. 

Mas o gato só correu em vão

Pois é, por vezes o bichano vai correr sem direção mesmo, lembra que o nome científico tem “atividade aleatória” no meio? Então, essa corrida sem destino faz parte da vida de filhotes e até gatos mais velhos.

A “explosão” seguida de calmaria é uma maneira que os animais encontram para queimar o excesso de energia acumulada, como se fosse uma resposta quase involuntária do corpo do animal.

Imagine receber uma dose grande de adrenalina? É algo parecido.

Podemos até fazer uma comparação com esse tempo em que estamos em quarentena: às vezes não dá vontade de sair correndo por aí sem rumo? É isso! 

E como um gato pode copiar o comportamento de outro, não estranhe se um pet apresentar FRAPs e os demais entrarem na onda também.

Quando me preocupar?

Em ocasiões esporádicas não há motivos para alardes, mas se o comportamento virar rotineiro é melhor tomar providências. Uma delas é deixar o seu gato mais ativo, incentivando brincadeiras e desafios mentais.

Com uma vida mais agitada e menos tempo para ócio, o felino provavelmente mudará seu comportamento. Caso as corridas sejam corriqueiras nas madrugadas, reveja toda a rotina do animal: horários de alimentação, de sonecas e, claro, as doses de atividades físicas.

Uma visita ao médico veterinário também é recomendada para que ele possa fazer uma análise e veja se clinicamente está tudo bem com o seu filho de quatro patas. Em gatos mais velhos, por exemplo, as corridas podem ser um sinal de hipertireoidismo.

Por que meu gato corre feito louco pela casa?

Existem muitas teorias sobre essa atitude particularmente felina. Vamos falar um pouco sobre elas a seguir:

Algumas pessoas associam esse comportamento ao momento em que os gatos defecam em sua caixa de areia. Acredita-se que, quando gatos selvagens fazem suas necessidades, eles as enterram o mais profundamente possível. Além disso, logo depois, correm para fugir. Dessa forma, os predadores não conseguem rastreá-los pelo odor das fezes.

Essa teoria faz muito sentido. Certamente, se você observar o seu gato, é muito provável que essas corridas aconteçam logo após terem feito suas necessidades. Mesmo que seja um felino doméstico e esteja tranquilo em casa, há instintos que são difíceis de abandonar.

Problemas Digestivos

Outro grupo de especialistas afirma que essa atitude pode ser causada por problemas digestivos ou alergias. Essas condições podem gerar um desconforto que é aliviado ao correr.

Essa é uma crença muito comum e disseminada.

Mas há quem a tenha descartado pelo fato de que muitos gatos apresentam esse comportamento, o que torna difícil acreditar que todos sofrem de problemas digestivos.

Limpeza interna

Outra hipótese é que essas corridas sejam parte de uma limpeza interna que os próprios gatos realizam. Levando em consideração o quão importante é a higiene para os felinos, e que eles se cuidam sozinhos, essa é uma hipótese popular entre os especialistas.

Aparentemente, depois de defecar, eles querem fugir o mais rápido possível do excremento, porque amam a limpeza. Porém, Anish Sheth, um doutor especializado em comportamento felino, afirma que existe um nervo que conecta o cérebro e o cólon. Por isso, quando esse nervo é estimulado, isso pode levar aos gatos a se comportarem de maneira estranha.

E se meu gato corre como um louco à noite?

Algumas dessas teorias parecem ter coerência, porém elas perdem o sentido quando pensamos que os gatos correm também durante a noite. Afinal, é possível que o gato eventualmente precise defecar à noite, porém isso não é tão comum.

Então, provavelmente existem outras causas associadas ao fenômeno. No mínimo, há outras teorias plausíveis. Falaremos sobre algumas delas:

Gastar energia

Muitas pessoas afirmam que os gatos têm grandes doses de energia. Portanto, quando não saem para passear e não se exercitam muito, correr é uma maneira de canalizar essa energia.  Contudo, esse comportamento parece ser mais comum em gatinhos pequenos e jovens.

Pulgas

Se o seu gato tem pulgas, parasitas, ou coceiras em uma área do corpo que não consegue alcançar, é muito provável que ele corra como um método de fuga.

 Se o seu gato não tem esse comportamento com frequência e, de repente, passa a correr, você precisa tomar alguns cuidados.

Primeiro, verifique se o animal não está com pulgas ou qualquer problema de pele que o deixe desconfortável.

Hiperestesia felina

Esta síndrome também é conhecida como síndrome do gato nervoso. Isto se evidencia quando seu gato corre como um louco muito frequentemente. Em geral, esse comportamento vem acompanhado de mordidas e arranhões na cauda e em outras partes do corpo.

Essa síndrome pode se tornar um comportamento compulsivo. Acredita-se que esteja associada a alergias, toxinas ou distúrbios neurológicos.

Pode ser engraçado ver nosso gato correndo como um louco. Porém, pense que por trás desse comportamento pode estar um problema mais sério. Cuidar de seu animal de estimação é sua responsabilidade. Por isso, se você notar que seu gato exibe esse comportamento com frequência, não hesite em levá-lo ao veterinário.

Pode interessar a você…

Conheça os 25 sinais de que seu gato pode estar sentindo dor

Cientistas britânicos identificaram 25 comportamentos dos gatos que podem significar que eles estão sentindo dor.

O novo estudo, publicado na revista Plos One, sugere que atitudes como a perda de apetite e dificuldade de pular podem indicar que o felino não está se sentindo bem.

“Os sinais relatados no estudo podem ajudar tanto os veterinários quanto os donos de gatos a formar uma avaliação inicial do estado de dor dos felinos”, afirmaram os pesquisadores no estudo.

A dupla de cientistas da Universidade de Lincoln, no Reino Unido, recrutou uma equipe internacional com 19 veterinários especialistas em felinos (com idades entre 30 e 60 anos; 10 mulheres e 9 homens).

O estudo contou com três fases de pesquisa, na qual os especialistas deveriam compor uma grande lista de comportamentos que seriam relacionados à dor.

Após um compilado de 91 respostas, os pesquisadores britânicos definiram que os itens que fossem consenso entre os veterinários deveriam ter sido citados 80% das vezes. Utilizando este parâmetro, itens menos citados foram excluídos, resultando em 25 pontos.

  • Leia também:
  • Gato: o animal ideal do século XXI
  • Seu gato não está nem aí para você, confirma estudo

O estudo avaliou a frequência que os gatos com dor apresentam cada um dos itens, e se eles se manifestavam em baixo nível de dor, ou alto nível de dor.

Assim, os cientistas conseguiram mapear 23 comportamentos que eram comuns quando os felinos sentiam dores agudas ou amenas.

Outras cinco atitudes – evitar áreas muito claras, rosnar, mudar o comportamento alimentar, ficar com os olhos fechados e gemer – foram relacionadas apenas a níveis agudos de dor.

Continua após a publicidade

“Ao criarmos este conjunto básico de sinais, nós estabelecemos bases para futuras pesquisas que auxiliem na detecção precoce de dor nos gatos por meio de escalas que são baseadas em observações naturais e não invasivas”, explicou o professor de medicina veterinária comportamental na Universidade de Lincoln e coautor do estudo, Daniel Mills. “Gatos são conhecidos por não demonstrar que estão sentindo dor. Quanto mais informações nós conseguimos sobre o que estes sinais podem significar, mais rápido conseguimos levá-los ao veterinário para diagnóstico e tratamento”, disse Caroline Fawcett, presidente da Feline Friends, uma instituição de caridade dedicada a gatos que apoiou a pesquisa dos britânicos. De acordo com os pesquisadores, novas pesquisas ainda são necessárias para a conclusão de um projeto maior, que procura identificar os sinais de dor ao observar unicamente a expressão facial dos gatos.

Veja abaixo a lista dos 25 comportamentos felinos que podem significar dor:

(Da redação)

Continua após a publicidade

  • Comportamento Animal
  • Gatos
  • Natureza e Meio Ambiente

Linguagem dos Gatos: Entenda o comportamento felino

O COMPORTAMENTO FELINO

Depois de entender os aspectos básicos do comportamento do seu gato, você poderá interpretar rapidamente como ele se sente. Se você está tentando entender o comportamento do seu gato, nosso guia explicará tudo o que você precisa saber para falar o idioma dos gatos!

Leia também:  Como Ter A Certeza Que Ele Está Interessado?

ESTADO NEUTRO (RELAXADO)

É assim que seu gato passa a maior parte do tempo em que está acordado e é uma parte fundamental da linguagem dos felinos: relaxado, feliz e confortável em um ambiente familiar. Ele deve olhar como se estivesse satisfeito em ver a vida passar.

  • Se ele estiver deitado, pode estar esticado, enroscado em uma bola ou descansando com a cabeça erguida e as pernas bem dobradas sob o corpo.
  • Seus olhos piscarão suavemente ou estarão meio fechados.
  • As orelhas vão estar relaxadas, mantendo-as despreocupadamente na posição vertical e para a frente, embora elas possam virar para os lados independentemente se o gato ouvir ou não alguma coisa ao seu redor.
  • Também os bigodes relaxam, afastando-se das bochechas, dando a sensação de um sorriso.
  • O corpo mantém uma postura elegante e relaxada, sem qualquer tensão que sugira que está prestes a entrar em ação.
  • ESTADO DE ATENÇÃO

Pode parecer engraçado e fofo, mas desde a sua criação seu gato é projetado para ser um excelente caçador: ele pode perseguir e capturar facilmente sua presa, e é capaz de se concentrar 100% em seu alvo.

Se o seu gato se concentrar em um pequeno objeto em movimento, ou algo novo ao seu redor, você notará que a sua linguagem corporal muda à medida que ele tenta decidir qual é a melhor resposta para esse estímulo.

  1. Os olhos se abrem e as pupilas se contraem.
  2. As orelhas e os bigodes são direcionados para a frente, com o corpo inclinado para o centro de sua atenção.
  3. O corpo agachará enquanto estiver perseguindo, com suas patas traseiras grudadas sob o corpo.

A linguagem do rabo do seu gato mostrará a atenção mantendo-o baixo atrás dele. A ponta da cauda, ​​assim como a parte traseira, pode se mover espasmodicamente enquanto se prepara para atacar.

Se o objeto de atenção é você, por exemplo, se ele está tentando obter comida ou mimos, ele pode esfregar-se contra você com a cauda ereta, mas não se deixe enganar: ele segue concentrado em seu objetivo!

ESTADO DE FELICIDADE

Um gato feliz é fácil de reconhecer: você entenderá facilmente a sua linguagem corporal. Este é o estado em que você prefere que seu gato passe a maior parte do tempo, pois é o estado perfeito para desfrutar de um bom tempo juntos.

Se estiver sentado, ele estará relaxado e em posição vertical, com as orelhas voltadas para cima e para frente, mas relaxadas, às vezes orientando-a suavemente em direção a sons conhecidos, como as vozes da família.

Se ele estiver deitado, poderá ter as patas dobradas sob o corpo, ou pode estar estirado de lado ou até de costas com as pernas para fora, indicando que está completamente feliz.

Ele pode cochilar com os olhos fechados ou semifechados, ou parecer que as pálpebras pesam, quase como se estivesse sonhando acordado às vezes. Se ele piscar devagar, tente piscar lentamente você também para mostrar que está relaxado: esse comportamento de imitação é uma maneira fantástica de reforçar o vínculo com o seu gato.

  • Os bigodes relaxarão e a cauda permanecerá imóvel (ou vertical com uma ligeira curva se estiver cumprimentando você).
  • Se você o acariciar, poderá fechar os olhos com satisfação e começar a ronronar gentilmente.
  • ESTADO DE ANSIEDADE

Os gatos são muito sensíveis, especialmente às mudanças. Pode levar algum tempo para os gatos se ajustarem a mudanças inesperadas, de modo que aprender a reconhecer seus sintomas de ansiedade o ajudará a relaxar.

Quanto mais cedo você reconhecer os sinais da linguagem corporal do seu gato, mais cedo poderá dar-lhe uma carícia reconfortante quando se aproximar em busca de confiança e atenção.

Dê o seu gato 2 ou 3 dias depois de qualquer grande mudança para que ele se acostume e volte ao normal.

Os olhos do gato estarão abertos sem piscar, com as pupilas dilatadas em forma oval ou circular.

As orelhas podem mover-se de sua posição frontal relaxada em busca de informações, girando independentemente cada uma delas. Se o gato está muito ansioso, pode até empurrar a cabeça para trás.

  1. Ele começará a abaixar a cabeça, com os bigodes recuados para parecer pequenos e inofensivos, ou até mesmo movê-los para frente em alerta.
  2. À medida que a ansiedade aumenta, o gato começa a encolher ou arquear as costas preparando-se para correr.
  3. A linguagem do rabo do gato é muito importante: ele pode tê-lo quieto ou move-lo lentamente a ponta de um lado para o outro, o que é um sintoma de ansiedade.
  4. ESTADO DE MEDO

O comportamento de um gato ansioso pode ser sutil, mas quando está assustado não deixa dúvidas: se tem medo de algo como um barulho alto, seu gato não se acalmará com um carinho e é até provável que seu brinquedo favorito ou mimos não deem resultado.

Sua linguagem corporal dirá que ele está aterrorizado e só voltará ao normal quando se sentir seguro. Tente não se mover abruptamente para tranquilizá-lo, pois ele poderia interpretá-lo como outra ameaça.

Em vez disso, se possível, elimine tudo que possa assustá-lo e espere que ele se acalme.

  • Se seu gato mostrar esse comportamento com frequência, será aconselhável consultar seu veterinário para que ele possa encaminhá-lo para o especialista apropriado.
  • As orelhas do gato vão para trás e a cabeça pode descer com o olhar direcionado para cima.
  • Ele pode fugir ou, se isso não for possível, permanecerá de pé ou agachado muito quieto.
  • Os olhos estarão muito abertos, com pupilas completamente dilatadas e bigodes para trás ou eriçados.
  • Eles podem sibilar ou cuspir em ameaças próximas, grunhir ou dar patadas.
  • Alguns gatos esticam as pernas da frente para parecerem mais altos ou arqueiam as costas e eriçam o pelo para parecerem maiores.
  • O rabo pode permanecer sob o corpo ou mover-se rapidamente de um lado para o outro.
  • ESTADO DE FRUSTRAÇÃO
  • Seu gato pode expressar frustração por um problema imediato, como não ter seu brinquedo favorito, ou sofrer uma frustração contínua de tipo depressivo por falta de estímulos (por exemplo, não ser capaz de expressar sua necessidade de caçar).
  • É fácil interpretar mal um gato com frustração contínua, por isso, se você pensa que ele pode estar sofrendo deste problema, é importante que consulte o seu veterinário para ajudá-lo a recuperar seu estado de ânimo.
  • Um gato intensamente frustrado geralmente se concentra com determinação em sua razão para a frustração, e fará todo o possível para alcançá-la.
  • Todos os seus sentidos estão focados em seu objetivo: os olhos totalmente abertos com as pupilas dilatadas, as orelhas para frente e os bigodes apontando para frente e estendidos.
  • Ele pode andar impaciente de um lado para outro se não for capaz de conseguir o que deseja.
  • Os gatos não podem manter essa frustração para sempre, por isso, se não conseguirem o que querem, podem desistir ou, em alguns casos, cair num estado de constante frustração ou mesmo depressão, dependendo da fonte de sua frustração.
  • Gatos com depressão prolongada podem ser letárgicos com frequência, não têm apetite e não demonstram interesse em brincar ou interagir com os outros.
  • ESTADO DE IRRITAÇÃO

Se seu gato mostra um comportamento irritado, você terá que ser cuidadoso.

Evite sempre provocar um gato raivoso: não olhe para ele nem grite com ele, não faça movimentos repentinos nem tente tocá-lo ou acalmá-lo, pois ele pode interpretar como um gesto ameaçador e atacá-lo.

Em vez disso, retire-se lentamente, elimine ameaças potenciais (se puder fazê-lo com segurança) e dê tempo e espaço para ele se acalmar.

  1. Se o seu gato mostrar sinais de raiva com frequência, você pode pedir ajuda ao seu veterinário ou a um etologista especializado em comportamento de animais de estimação, para entender o motivo dessa linguagem corporal negativa do seu gato.
  2. Um gato furioso ficará rígido, mantendo o rabo rígido e reto, ou enrolado em volta do corpo.
  3. Ele agirá de um modo muito diferente do habitual: ele pode manter o silêncio, sibilar, cuspir ou grunhir.
  4. Ele tentará parecer grande e ameaçador com os pelos eriçados e patas dianteiras muito rígidas, ou agachará em uma pose intimidadora.
  5. As orelhas estarão esticadas e dobradas para trás, e os bigodes estarão rígidos e afastados do rosto.

O olhar será duro e penetrante. Suas pupilas vão estar contraídas, embora alguns gatos possam mantê-las arredondadas sem piscar.

ESTADO DE ALÍVIO

Quando um gato irritado, assustado ou frustrado sente que a ameaça passou, ele começa a se sentir aliviado. Tão importante quanto reconhecer quando ele está com raiva ou com medo, é aprender a reconhecer os sinais de alívio para ajudá-lo a recuperar seu estado normal de relaxamento.

  • Todo o corpo do gato pode mostrar alívio: alguns gatos até esticam todo o corpo para liberar a tensão!
  • Seus olhos, orelhas, cabeça, corpo e cauda relaxam visivelmente.
  • Os bigodes recuperam uma posição calma longe do rosto e a cabeça desce.
  • Alguns podem bocejar, desviar a atenção e fechar os olhos, ou até mesmo podem começar a se lavar.

Com um certo conhecimento de como seu gato reage às mudanças e de como exibe sua felicidade, você poderá ajudá-lo a se manter saudável, tanto física quanto emocionalmente. Se você quiser mais informações sobre o comportamento do seu gato, entre em contato com nossa equipe de Pet Care.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*