O Que São Royalties E Como São Cobrados?

O Que São Royalties E Como São Cobrados?

Nesses anos, tenho observado que as abordagens tradicionais de valoração apresentadas no artigo “Métodos de Valoração de Tecnologias” funcionam bem em contextos de transferência ou cessão de tecnologias e patentes (quando precisamos de um valor financeiro para a tecnologia).

O Que São Royalties E Como São Cobrados?

No entanto, essas abordagens têm limitações em situações de licenciamentos baseados em royalties sobre a receita líquida (quando precisamos de valores em porcentagens da receita). Como essa é uma situação bastante comum no contexto de transferência de tecnologias, apresento aqui algumas abordagens que vêm sendo utilizadas em alguns de nossos clientes.

O Que São Royalties E Como São Cobrados?

Abordagens para o cálculo de royalties:

a)Padrões Industriais

Essa abordagem possui uma certa similaridade à abordagem de múltiplos, uma vez que está baseada em outras referências de mercado.

Essa referência pode ser baseada em paradigmas de setores (por exemplo, em determinada indústria, o valor de referência é 5%, variando entre 3% e 7%), em outras transações que se têm conhecimento ou mesmo em rankings que combinam informações de mercado e a avaliação daquela tecnologia específica.

Desenvolvemos uma abordagem interessante nesse sentido no artigo A Framework for Assessing a Portfólio of Technologies for Licensing out. (Santiago, Leonardo ; Martinelli, Marcela; Elói-Santos, Daniel T.; Hortac, Luciana Hashiba, 2015).

Apesar de ser simples e de fácil compreensão, o grande desafio dessa abordagem é o levantamento de informações.

O desafio é ainda maior em tecnologias de processo (que não estão diretamente ligadas a um produto) e também em situações em que o produto incorpora diversas patentes (por exemplo, no setor aeroespacial, em que uma aeronave incorpora centenas ou milhares de patentes e tecnologias), uma vez que há ainda menos informações disponíveis.

b) Regra dos 25%

Esta é uma regra simples e usual em algumas indústrias para se calcular royalties no contexto de licenciamento.

Nela, assume-se que 75% dos ganhos gerados pela tecnologia pertencem ao licenciado e 25% ao licenciante.

Essa diferença deve-se ao fato do licenciado ser o responsável por investimentos necessários para explorar a tecnologia comercialmente e também por ele ficar mais exposto aos riscos mercadológicos.

Os ganhos podem calculados de duas formas, dependendo do tipo de benefício da tecnologia. No caso de redução de custos, relaciona-se a redução de custos à receita obtida do produto ou serviço. Os royalties representarão 25% dessa economia.

Por exemplo, se os custos totais representam 50% da receita e se a tecnologia propicia uma redução de 10% dos custos, há uma relação de 5% entre Custos Economizados / Receita.

Aplicando a Regra de 25%, o licenciado deveria pagar 1,25% (5% x 25%) de royalties sobre a receita para o licenciante.

O Que São Royalties E Como São Cobrados?

No caso de lançamento de novos produtos, os royalties representarão 25% do lucro operacional gerado pela venda do produto.

O Que São Royalties E Como São Cobrados?

Esta é uma abordagem interessante, especialmente no contexto de negociações de menor porte em que uma abordagem mais detalhada de valoração não é necessária. Isso se deve à sua praticidade e facilidade de entendimento.

Suas principais limitações são em relação à estimativa dos benefícios gerados (da redução de custos ou do lucro operacional esperados) e também em relação à subjetividade dos 25% que podem não ser justos em contextos de altos investimentos em P&D, altos riscos técnicos ou mercadológicos.

c) Método de Excess Earnings (Lucro Excedente)

Esta abordagem utiliza o conceito de Fluxo de Caixa Descontado para medir os ganhos gerados pela tecnologia para o licenciado (de forma similar à abordagem de Fluxo de Caixa Descontado Tradicional). A grande diferença é que a negociação, nesse caso, é baseada na taxa de desconto utilizada no fluxo de caixa descontado.

Inicialmente, as partes definem a taxa de desconto justa para o licenciado no projeto. A partir daí, calcula-se o valor do projeto.

Caso o valor seja positivo, as partes calculam o valor de pagamento de royalties que traria o valor presente do projeto do licenciado a zero.

Isso significa que o licenciado teria a taxa de desconto desejada no projeto (a TIR – Taxa Interna de Retorno – do projeto seria aquela predefinida pelo Licenciado) e o Licenciante ficaria com o lucro excedente.

Apesar de ser uma abordagem interessante, ela depende de uma grande transparência no processo de negociação, já que o cálculo do fluxo de caixa deverá ser feito a quatro mãos – ou seja, com a participação do licenciante e licenciado. Além disso, a negociação da taxa de desconto justa pode se tornar tão desafiadora quanto a negociação dos royalties em si.

d) Análise do valor do projeto em função dos aportes

Esta abordagem é muito interessante para contextos de acordos de desenvolvimento conjunto (também chamados Joint Development Agreements), em que duas ou mais organizações se unem para viabilizar o processo de P&D e a inserção da tecnologia no mercado.

Esta abordagem assume que as partes são “sócias” no negócio de exploração da patente ou tecnologia. Geralmente, uma das partes aporta o know- -how/propriedade intelectual e a outra faz os aportes financeiros e fica a cargo de explorar comercialmente a tecnologia. Geralmente, as duas partes participam tecnicamente do desenvolvimento faltante da tecnologia.

A participação de cada parte na “sociedade” é definida pelo valor do projeto em seu início e o valor dos aportes ao longo do seu desenvolvimento.

Nesta abordagem, o valor do projeto pode ser calculado com base no Fluxo de Caixa Descontado ou com base na metodologia de Opções Reais.

A segunda geralmente é mais indicada quando existe um nível considerável de incerteza tecnológica e o projeto pode ser realizado em etapas.

O valor dos royalties é definido a partir da participação das empresas no “negócio” e da margem líquida do produto a ser explorado.

Se olharmos para a Regra dos 25%, essa “participação” calculada no projeto substituiria os 25% do licenciante e os 75% do Licenciado no cálculo dos royalties.

Assim como na abordagem anterior, exige um trabalho a quatro mãos para o desenvolvimento da análise, o que nem sempre é viável. Além disso, tende a trazer um custo maior de análise. Por outro lado, ela representa bem a participação do Licenciado e Licenciante no projeto.

Prós e Contras de cada abordagem:

O Que São Royalties E Como São Cobrados?

Faça o download abaixo do conteúdo completo!

O Que São Royalties E Como São Cobrados?

Royalties o que é: tudo que você precisa saber Encontre sua Franquia

O Que São Royalties E Como São Cobrados?

Royalties o que é ? Você sabe o que significa e para que serve? Certamente você já deve ter ouvido falar mas não sabe exatamente do que se trata não é mesmo? Não se preocupe, neste texto vamos explicar tudo sobre ele.Veja!

A palavra inglesa vem do termo Royal que diz respeito sobre se apropriar de algo, propriedade e direito. Alguns relatos históricos dizem que ainda na época da realeza os chamados, royalties, eram importâncias pagas aos reis por utilizarem algo que diziam ser de sua propriedade.

Naquela época tudo era propriedade da nobreza, então pagava-se pelo uso dos rios pela pesca, ou pela extração de matéria prima de um determinado local que pertencia a um determinado rei, e assim por diante.

A verdade é que os royalties são uma quantia paga por alguém ao proprietário de um bem ou serviço pelo direito de utilizar daquele recurso. Digamos que seja uma espécie de aluguel.

Nos sistemas de franquias os royalties correspondem a permissão do uso da marca e da transferência de conhecimento para a manutenção da rede. É uma receita que a franqueadora recebe para manter o suporte aos franqueados. Quer saber mais, continue lendo!

Lei de franquias e Royalties

A taxa de cobrança dos royalties está definida e autorizada na Lei n° 13.966/19 e prevê que a cobrança seja periódica e referente ao uso do sistema e da marca ou de serviços que sejam devidamente prestados ao franqueado.

Tais como o método de operação, softwares de gestão e tudo mais que envolver a operação da unidade de franquia, inclusive a transferência do know how que é a experiência e as estratégias de gestão da rede.

Leia também:  Como Aproveitar As Claras Que Sobram?

Acontece que na Lei não é definida a forma com que os royalties serão cobrados, se serão valores fixos ou percentuais de vendas. O que é exigido pela Lei é que a cobrança seja mencionada pela Circular de Oferta de Franquia (COF) .

Quer saber mais sobre os royalties e o que é? Assista no
vídeo abaixo!

Informações que devem constar na COF

A COF é um documento enviado ao candidato assim que demonstra interesse no negócio. Ela indica todas as informações sobre a franquia, desde os modelos oferecidos, as regras que devem ser cumpridas por ambas as partes e sobre os valores que serão cobrados pela manutenção da rede e do suporte ao franqueado.

A exigência da Lei de Franquias é que todas essas informações sejam demonstradas na COF para que o franqueado antes mesmo de iniciar o negócio tenha ciência e esteja de acordo com o processo.

É necessário constar
na COF todas as informações sobre o tipo de cobrança que será feita em relação
aos royalties, essas informações serão confirmadas posteriormente na definição
do contrato definitivo de adesão da franquia.

Como funciona a cobrança de
royalties pelas franquias?

A cobrança de royalties é definida pela franqueadora e normalmente são mensais. Porém algumas franqueadoras podem realizar a cobrança de forma diferenciada, sendo por trimestre, semestre e até anualmente.

 O importante é que conforme já mencionado a forma com que será feita a remuneração para a franqueadora deve estar bem clara tanto na COF quanto no contrato definitivo.

Quanto aos valores
cobrados pelos royalties o que é definido é que podem ser fixos ou não
dependendo da franquia. Algumas franqueadoras realizam a cobrança em cima do
faturamento da franquia como forma de incentivar o alcance de metas.

Esse valor vai depender do tipo de negócio e do modelo da franquia, portanto sempre pode variar. Saiba mais a seguir!

Royalties: como é cobrado

O Que São Royalties E Como São Cobrados?Existem várias formas de cobrar pelo valor do royaltie depende da franquia

Já falamos aqui que existem formas diferentes de cobrança dos royalties, para saber mais como ela é feita veja na descrição de cada uma delas.

Percentual sobre faturamento

Cobrado mensalmente o valor de percentual da franquia é uma porcentagem do faturamento obtido daquele mês.  Por exemplo, se o lucro total da unidade foi de R$ 10 mil em um determinado mês e o percentual cobrado pelos royalties  é de 5%, ele deve repassar ao franqueadora o valor que corresponde a 5% de R$ 10 mil = R$ 500.

  • Percentual de royalties: 5%
  • Faturamento mensal: R$ 10 mil
  • Valor a ser pago: R$ 500

Vale lembrar que o franqueado pode acompanhar esse cálculo para conferir se a cobrança está sendo feita de acordo com o devido.

Cobrança de valor fixo

Nesse caso já é definido no contrato o valor que deverá ser pago a franqueadora e isso vai ser independente do valor faturado.  Sendo assim, é possível um controle fixo mensal por parte do franqueado que sabe que todos os meses o valor a ser pago será X.

A diferença é que ambos ficam a mercê do valor, quer dizer que se o faturamento de um mês for bem alto e do outro for bem menor, a taxa será igual. Diferente do percentual que pode variar de acordo com os ganhos.

Maior valor entre
percentual e valor fixo

Em alguns casos existe uma cobrança que varia entre um percentual e o valor fixo, seria um piso ou valor limite. Essa quantia é fixada independente do quanto foi o faturamento do valor bruto obtido daquele mês.

Quer dizer que a franqueadora determina um piso que será o valor máximo a ser pago, sendo que o percentual é de 5%, por exemplo. Se o valor adquirido naquele mês for menor o valor mínimo é cobrado, caso seja faturado um valor maior independente se superar o teto a franqueadora irá receber o máximo definido no teto.

Nesta opção é possível que o franqueado tente sempre alcançar o valor acima da média para pagar o valor fixo da cobrança, o que para ele será vantajoso.

Cobrança com base nas compras de produtos para a revenda

Algumas
franquias escolhem a definição de cobrança de royalties em cima dos insumos e
materiais que são adquiridos pela franquia. Ou seja quanto maior a aquisição
maior a venda e assim maior o percentual dos royalties e vice versa.

Outra opção é que quando o franqueador é o fabricante do produto e
pode realizar o controle de abastecimento da franquia de acordo com a
necessidade.

Essa
forma de cobrar facilita o processo de gestão e não necessariamente exige uma
auditoria do processo já que é ele mesmo quem faz o próprio controle, o que
aparentemente permite maior segurança.

A cobrança de royalties é obrigatória?

O Que São Royalties E Como São Cobrados?A cobrança de royalties não é obrigatória mas corresponde ao direito de uso da rede – nesse caso fique atento a franquia escolhida

Uma dúvida que também ocorre é se as cobranças de royalties nas franquias  são obrigatórias, na verdade não. O que deve ficar claro é que depende da franqueadora e do que ela oferece.  Devemos avaliar o seguinte, se o valor é para manutenção das vantagens oferecidas quer dizer que quanto mais estrutura tiver a franquia certamente os royalties serão cobrados.

Na verdade devemos visualizar a cobrança como um cuto-benefício, você arca com a expertise que recebe, portanto é uma espécie de troca pela prestação do serviço, nada mais é que o pagamento pelos serviços prestados.

Vale lembrar que a
cobrança envolve um processo de planejamento definido pelas empresas, muitas
vezes a cobrança dos royalties é o que sustenta a manutenção das franquias e
muitos dos serviços prestados.

Diferença entre Taxa de Franquia
e Taxa de Royalties

Outra questão pode gerar dúvida nesse processo de taxas quando decide adquirir uma franquia, no ato da adesão existem as taxas devidamente autorizadas e que são cobradas pela prestação dos serviços.

Existem outros custos
envolvidos na franquia além dos royalties, um deles é a taxa de franquia,
mas você sabe qual a diferença? Pois bem, a diferença entre as taxas é que a
taxa de franquia corresponde a iniciação do negócio e só é paga uma única vez.  

Nesse primeiro
momento a taxa de franquia é referente a transferência do conhecimento e do
plano de negócios da mesma forma que a taxa de royaltie que é mensal. Mas a
taxa de franquia é o valor inicial de entrada no negócio e também custeia o
planejamento e análise de ponto comercial se a sua franquia for de ponto físico.

Esse valor pode variar de acordo com a região o numero de
habitantes do local onde será instalada a franquia e até de acordo com o modelo
de negócio.  

Os royaties são a manutenção dessa transferência de
estratégias e do suporte que permanece durante todo o franqueamento.

Leis
da área de atuação da franquia

O Que São Royalties E Como São Cobrados?Em algumas cidades é exigida a cobrança de impostos sob a taxa de Royalties – Vale uma análise sobre a questão

Um ponto que precisa ser observado nas franquias é que dependendo
do local de atuação existem formas diferentes de legislação que podem exigir
das franqueadoras uma cobrança de impostos em cima dos valores adquiridos pelos
royalties.

Isso pode
acontecer de acordo com a legislação dos municípios que pode obrigar os
franqueados a reter impostos de ISSQN inclusive sobre os royalties pagos aos
franqueadores.

Essa questão ainda é um impasse que sempre é discutido pela Associação Brasileira de Franchising (ABF) mas que ainda não foi definido um concesso, estando apto a discussão. O importante é que o franqueado e a franqueadora estejam atentos as normas de cada localidade para que esse fator não seja um impedimento para instalação de novos negócios na cidade.

Leia também:  Como Ocultar Quem Sigo No Instagram?

Sendo que, caso ocorra será um gasto a mais para o franqueado, uma
situação de interiorização de franquias por exemplo.  

Lembre-se
sempre de se manter atualizado sobre as informações do negócio antes mesmo de
ingressar no franchising conforme reforçamos sobre a leitura obrigatória da
COF, que permite maior segurança ao candidato a franqueado.

O que achou do conteúdo sobre o que é o royalties ? Conseguiu esclarecer as suas dúvidas sobre a cobrança? Se quiser saber mais sobre o universo especifico das franquias e os termos utilizados acesse o nosso site! Assine a nossa newsletter e saiba tudo sobre franquias !

Modalidade de Royalties: Tudo o que precisa saber sobre

Todos nós já conhecemos os benefícios de se investir em franquias. Dentre as inúmeras vantagens as mais destacadas são: visibilidade da marca e know-how no mercado. Mas, também existe uma área que precisa de atenção dentro do mercado de franquias, os tão discutidos: Royalties.

O Que São Royalties E Como São Cobrados?O que são royalties?

Se você não tem certeza o que são os royalties, a gente explica. Veja bem, a palavra “royalty” é de origem inglesa e derivada do termo “royalt”. O seu significado é propriedade e/ou de direito do rei e da rainha.

Ainda não faz sentido? Calma… Historicamente, os royalties no contrato de franquias eram as importâncias pagas pelos plebeus aos rei e rainhas, em contrapartida do uso de seus bens.

Como por exemplo, moinhos, pontes, ou então pela extração de recursos naturais, como, tirar água do rio, pesca, caçar…

Então, esse é o mesmo modelo usado por marcas para cobrança aos franqueados. Para utilização da marca e para aproveitar todos os serviços de apoio o franqueado paga à franqueadora um valor periódico chamado royalties da franquia.

Essa não é uma cobrança obrigatória. A maioria das redes de franquia adotam os royalties no contrato de franquia como a principal remuneração dos franqueados.

Quer entender mais sobre franquias, faça o download do e-book dos erros imperdoáveis que uma franqueadora jamais pode cometer.

A Lei de Franquia Brasileira (Lei 8.955/94) diz que os royalties são a “remuneração periódica pelo uso do sistema, da marca ou em troca dos serviços efetivamente prestados pelo franqueador ao franqueado”. É importante perceber que a lei não estabelece quais tipos de royalties podem ser cobrados. Logo, não são existem restrições relacionadas a como eles poderão ser cobrados do franqueado.

O Que São Royalties E Como São Cobrados?

Como são calculados e cobrados?

O cálculo de cobrança de royalties é sempre algo que deve ser bem pensado, já que essa taxa pode ser determinante para o interesse de novos franqueadores da marca e deve ser pensada oferecendo vantagens a ambas as partes envolvidas.

Então, tendo isso em mente, observe que não faz sentido a rede franqueadora cobrar uma taxa de royalties muito alta, se franqueado não obtiver retorno dentro dos lucros da unidade de franquia.

O cálculo da franquia, geralmente, é feito de acordo com a estrutura e o suporte que a franquia oferece ao franqueado.

Uma dica valiosa é pesquisar quanto as outras redes do mesmo segmento estão cobrando, assim é possível determinar o valor.

Toda e qualquer franquia que tem um valor muito diferente de royalties tem um razão específica para isso e que merece um pouco mais de atenção. Lembre-se de que a melhor estratégia é ter uma visão totalitária do mercado.

Royalties Fixo, Misto e Reverso: como funcionam?

O Que São Royalties E Como São Cobrados?

É uma modalidade simples. O franqueador pré-estabelece uma quantia que deve ser paga periodicamente, independentemente do faturamento da unidade. Usando essa modalidade não é necessário realizar o controle dos valores repassados, já que  facilita a fiscalização do franqueador e o franqueado já sabe exatamente o quanto vai pagar.

Royalties Misto: Cobrança do maior valor entre percentual e valor fixo

O franqueador estabelece um percentual a ser aplicado para o faturamento para cálculo dos royalties e um valor mínimo a ser pago pelo franqueado como royalties. Nessa modalidade, o franqueado paga o maior valor.

Por exemplo: Determinando um valor mínimo de R$ 3.000,00 e a porcentagem de 5%, ele garante que, quando o lucro do mês for de R$ 50.000,00, o franqueado pague R$ 3.000,00 (valor maior), ao invés de R$ 2.500,00 (5%).

Esse modelo é motiva o franqueado a tentar faturar o máximo possível. Assim, o valor pago não terá uma proporção tão alta em relação ao seu lucro.

Royalties Reverso: Cobrança com base nas compras de produtos para a revenda

É muito comum em algumas redes de franquia, os franqueadores serem os principais e até mesmo os únicos fornecedores dos bens. Existem, também,  os modelos em que todos os pedidos realizados pelos franqueados são concentrados nos franqueadores. Assim, eles podem pedir aos fornecedores que farão as entregas e os abastecimentos em cada uma das franquias.

Essa opção é escolhida quando o franqueador precisa facilitar o controle e a qualidade.

Agora, que você entendeu tudo sobre royalties, esperamos que você possa usar seus novos conhecimentos para crescer e se desenvolver no mercado. Lembre-se que a CF Contabilidade estará sempre aqui para te apoiar e te oferecer material para alcançar seus sonhos e objetivos.

Principais elementos de um sistema de franquias: Royalties

Investir no mercado de franchise tem sido uma grande aposta para quem está começando a empreender. No entanto, para investir no mundo de franquias é importante conhecer alguns elementos que fazem parte deste sistema. Hoje vamos abordar no BLOG DO FRANCHISING sobre royalties.

Royalties: o que é

O Royalties é uma taxa mensal que todos os franqueados pagam à franqueadora para manter o funcionamento da operação. Visto que, a Lei das Franquias lei no 8.

955, de 15 de dezembro de 1994, que dispõe sobre o contrato de franquia empresarial (franchising), indica que royalties são: “remuneração periódica em troca dos serviços efetivamente prestados pelo franqueador ao franqueado”.

Por outro lado o Portal do Franchising define royalties como: remuneração do franqueador em contra partida à cessão e manutenção dos direitos da franquia ao franqueado.”

Esses serviços ou direitos prestados pela franqueadora incluem despesas utilizadas para manutenção do funcionamento da rede, como consultoria de campo, treinamentos, atualização de manuais, pagamento de funcionários, custos administrativo e desenvolvimento de novos produtos. É o valor necessário para que a franqueadora possa dar o suporte necessário para a unidade franqueada e possa também investir na expansão e crescimento da rede.

A Lei 8.

955 indica ainda que o “franqueador deve fornecer ao interessado em tornar-se franqueado uma circular de oferta de franquia contendo obrigatoriamente informações claras quanto a taxas periódicas e outros valores a serem pagos pelo franqueado ao franqueador ou a terceiros por este indicados, detalhando as respectivas bases de cálculo e o que as mesmas remuneram ou o fim a que se destinam”. Ou seja, o franqueador deve, necessariamente, deixar clara a cobrança de royalties da franquia, assim como de outras taxas e cobranças relativas à franquia. Porém, não há uma regulamentação de como essa taxa deve ser cobrada. Cada franquia escolhe o melhor modelo e valor para si.

Como é calculado o royalties

O royalties deve ser definido pela franqueadora por meio de um rigoroso estudo técnico e financeiro, que leve em consideração o faturamento, os custos e os impostos. A taxa deve cobrir as despesas da franqueadora de modo que dê conta da manutenção da rede. Porém, não pode ser muito elevada para que não comprometa a saúde financeira da unidade franqueada.

É preciso levar em conta também o plano de expansão da franquia e o número de unidades mínima para que a operação da rede seja viável. No entanto, o royalties não é uma cobrança obrigatória. Já que há redes de franquia que não cobram essa taxa de seus franqueados.

Os royalties podem ser cobrados de diversas formas:

Variável

O franqueado paga ao franqueador um percentual sobre o faturamento líquido, bruto ou mesmo sobre as compras de produtos mensal do franqueado

Fixa

O franqueado paga ao franqueador uma taxa fixa

Mista

O franqueado paga ao franqueado uma taxa fixa e também uma taxa variável

O Que São Royalties E Como São Cobrados?

Em algumas franquias a taxa de Royalties está embutida no custo dos produtos. Foto: Pexels

Leia também:  Como Sei Que Fui Bloqueada No Whatsapp?

Muitas franquias utilizam a taxa variável, pois ela é interessante, já que, dessa forma, o franqueador participa do sucesso da franqueada, recebendo uma taxa maior de acordo com a expansão da unidade.

Grandes franquias do Brasil

Exemplo de royalties

A rede 5àsec cobra uma taxa de royalties mensal de 5% sobre o faturamento bruto da unidade franqueada.

O Que São Royalties E Como São Cobrados?

Franquia Giraffas. Foto: Divulgação Portal do Franchising

  • A rede Giraffas cobra uma taxa de royalties mensal de 5% sobre o faturamento bruto da unidade franqueada.
  • A rede Bob’s cobra uma taxa de royalties mensal de 6% sobre o faturamento bruto do quiosque franqueado e 6% das vendas brutas da loja franqueada.
  • A rede Contém 1g cobra uma taxa de royalties de 20 % sobre o faturamento (o valor já está incluso no custo dos produtos).
  • A rede Uptime cobra uma taxa variável de royalties por aluno.
  • A rede Usaflex cobra uma taxa de 10% sobre as compras da loja franqueada.

É importante que o franqueado entenda todas as taxas cobradas pelo franqueador na hora de assinar o contrato com a franqueadora.

Isso porque, as taxas são importantes para o negócio, já que o empresário está adquirindo uma marca consolidada, a experiência de negócio e também todo o suporte que sua unidade deve receber.

Tudo isso tem um custo. Mas é preciso que os valores estejam claros e justificados.

Ficou interessado em saber mais sobre o mercado de franquias? Entre em contato com o Franchising Group. Nossos consultores estão prontos para atender você!

[email protected]

Curta a nossa página e Instagram. Fique por dentro das novidades!

  1. Franchising Group –  Consultoria para Franquias com escritórios no Brasil e no exterior, nas seguintes cidades:
  2. Consultoria para Franquias: Rio Grande do Sul: Porto Alegre, Bento Gonçalves, Erechim, Pelotas e Caxias do Sul
  3. Consultoria para Franquias: Santa Catarina – Garopaba e Balneário Camboriú
  4. Consultoria para Franquias: São Paulo – Campinas, São Bernardo do Campo e São Paulo
  5. Consultoria para Franquias: Distrito Federal – Brasília
  6. Consultoria para Franquias: Pernambuco – Recife
  7. Consultoria para Franquias: Minas Gerais – Triângulo Mineiro
  8. Consultoria para Franquias: Bahia – Salvador e Itacaré
  9. Consultoria para Franquias: Maranhão – São Luís
  10. Consultoria para Franquias: Estados Unidos – Orlando
  11. Consultoria para Franquias: Canada – Toronto
  12. Consultoria para Franquias: Chile – Santiago
  13. Consultoria para Franquias: Portugal – Lisboa

Entenda o que são royalties de uma franquia e como eles são cobrados

Os royalties de franquia são remunerações pagas pelo franqueado ao franqueador, que garantem o direito de uso da marca ou produto pelo período previsto no contrato de franquias.

As redes franqueadas são algumas das principais opções de investimento quando o assunto é a abertura de negócios. Muitos empreendedores, experientes e iniciantes, enxergam o setor de franchising como uma alternativa segura para crescer no mercado.

Mas não basta somente entender os benefícios para adquirir uma unidade. A decisão deve considerar diversos fatores, dentre eles: a cobrança de taxa de royalties de franquias.

  • Em linhas gerais: os royalties de uma franquia são valores periódicos que as empresas cobram para manter o processo de expansão de suas redes.
  • Para entender mais a fundo sobre a taxa e como ela é cobrada, navegue nos tópicos abaixo:
  • MENU DE NAVEGAÇÃO
  • 1 – O que são royalties 2 – Para quem servem os royalties de franquias 3 – Como é feita a cobrança de taxas 4 – O que a lei de franquias diz sobre o assunto

1 – O que são royalties?

Os royalties cobrados por uma franquia ou marca são remunerações que conferem o direito de uso de determinados bens por terceiros.

Logo, é comum que essa cobrança seja exigida por proprietários como uma contrapartida para concederem a licença de uso de suas marcas e seus produtos.

Leia também: Conheça e entenda a Lei de Franquias, a lei 8.955

2 – Para que servem os royalties de franquias?

  1. No franchising, a taxa de royalties é um valor pago periodicamente, em geral, a cada mês, pelos franqueados ao franqueador.
  2. Valor que certifica a exploração contínua de uma marca mediante contrato assinado com uma rede de franquias.

  3. O montante arrecadado, além de garantir a licença de uso por parte dos empreendedores das unidades, também é destinado a:
  • transferência contínua de know-how por parte da rede;
  • expansão das operações da franqueadora;
  • investimentos em pesquisa e tecnologia;
  • melhoria de produtos e serviços;
  • remuneração dos franqueadores.
  • Embora haja diversos impactos relevantes nos negócios, a taxa de royalties não é uma obrigatoriedade.
  • Na montagem do seu sistema de franquia, a empresa franqueadora define a necessidade (ou não) da cobrança, a partir do seu plano orçamentário.
  • Logo, mesmo que a maioria das empresas exija o valor, é possível encontrar marcas que trabalhem com essa demanda.

3 – Como é feita a cobrança das taxas?

Os royalties de franquias são de total responsabilidade da franqueadora.

Isto é, assim como os demais valores cobrados dos franqueados (como as taxas de franquia e de marketing), o percentual, a periodicidade da cobrança e a forma de arrecadação devem ser informados com clareza na Circular de Oferta de Franquia (COF) e no contrato de franquias. E, é claro, o recolhimento e a destinação dos recursos é também tarefa da rede.

Quanto as empresas podem cobrar dos franqueados?

Com base na classificação tributária e na estratégia definida pela marca, os valores podem ser fixos ou variáveis (crescentes ou decrescentes).

Além disso, os royalties podem ser cobrados sobre a receita da unidade ou sobre compras e vendas em determinados períodos. Mas, para você ter uma ideia, várias marcas trabalham com a margem de 4% a 30% do faturamento bruto.

É comum que a cobrança do tributo seja mensal, mas isso também não é regra. Assim como o valor, a periodicidade tem relação direta com o planejamento da franqueadora.

Por fim, é importante que, no reconhecimento da franquia, o empreendedor tenha habilidade para ler as documentações. Apesar de o termo “taxa de royalties” ser o mais conhecido, existem empresas que preferem usar outras nomenclaturas, a exemplo de “taxa mensal de franquia” (que não deve ser confundida com a taxa de franquia).

O que a Lei de Franquias diz sobre o assunto?

Conforme o artigo 3, inciso VIII, da Lei 13.966/19, que dispõe sobre o contrato empresarial de franquia, a COF deve trazer:

“VIII – informações claras quanto a taxas periódicas e outros valores a serem pagos pelo franqueado ao franqueador ou a terceiros por este indicados, detalhando as respectivas bases de cálculo e o que as mesmas remuneram ou o fim a que se destinam, indicando, especificamente, o seguinte:a) remuneração periódica pelo uso do sistema, da marca ou em troca dos serviços efetivamente prestados pelo franqueador ao franqueado (royalties);”

Então, como já vimos, todos os detalhes sobre a cobrança de royalties de franquias é de responsabilidade das franqueadoras.

Porém, deve-se observar que a lei não detalha as formas de pagamento nem o percentual que pode ser cobrado. Portanto, para entender se a proposta de aquisição está adequada, é papel do empreendedor fazer uma boa pesquisa das oportunidades de negócio.

  1. A taxa de royalties de franquias é uma das cobranças mais comuns feitas aos novos franqueados, portanto, é indispensável que você busque esse conhecimento para empreender no ramo.
  2. Assim como os demais valores arrecadados pelas marcas, o percentual deve ser bem planejado para que o investimento em uma franqueadora seja positivo desde o começo.
  3. Agora, que tal aproveitar a oportunidade para entender ainda mais sobre o setor Franquias Online, acesse:

Franquias online: o que são e porque investir

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*