O Que E Vasectomia E Como É O Procedimento?

A vasectomia é uma cirurgia, relativamente simples, realizada em homens que não desejam ter filhos, sendo, portanto, um método contraceptivo.

Esse método é considerado definitivo, por envolver uma cirurgia que garante a interrupção dos vasos deferentes, os quais são responsáveis por levar os espermatozoides até a uretra, por meio do corte e da selagem dos vasos deferentes.

Ao realizar a interrupção dos vasos, o espermatozoide não é eliminado no processo de ejaculação, sendo assim, o líquido ejaculado passa a conter apenas secreções da vesícula seminal e próstata. Entretanto, vale salientar que, em alguns casos, o procedimento pode ser revertido.

Leia também: Quais são os riscos dos anticoncepcionais orais?

Como é feita a vasectomia?

Para realizar a vasectomia, o homem receberá apenas uma anestesia local. Após a anestesia, será feito um pequeno corte no saco escrotal para que o médico possa ter acesso aos vasos deferentes. O médico, então, cortará e amarrará esses vasos e, posteriormente, fechará o corte no saco escrotal. Não é feito nenhum tipo de corte na região do pênis.

O Que E Vasectomia E Como É O Procedimento? Na vasectomia, ocorre o corte dos vasos deferentes.

O procedimento é rápido e não há necessidade de internação. A cirurgia pode ser realizada no ambulatório e, geralmente, dura entre 15 e 20 minutos. É importante destacar aqui que a vasectomia é um procedimento muito mais simples que a laqueadura, que é realizada em mulheres.

Como é a recuperação da vasectomia?

Por ser um procedimento simples, o paciente é liberado no mesmo dia em que o procedimento é realizado. No primeiro dia, recomenda-se repouso e que bolsas com gelo sejam colocadas na região da cirurgia.

Vale destacar que é recomendado que, nos primeiros 60 dias após a cirurgia, um método contraceptivo seja utilizado durante as relações sexuais.

Isso se deve ao fato de que em alguns casos pode ocorrer recanalização ou a cirurgia pode ter sido realizada de maneira inadequada.

Recomenda-se que seja feito um espermograma dois meses após a cirurgia para verificar se o paciente não apresenta espermatozoides no material ejaculado.

Não pare agora… Tem mais depois da publicidade 😉

Apesar de muitos homens temerem alteração em seu desempenho sexual, a vasectomia é responsável apenas por fazer com que a ejaculação não tenha espermatozoides. Sendo assim, o homem continuará com seu desejo sexual inalterado, assim como o volume da sua ejaculação.

Leia também: Gravidez – sintomas, sinais de alerta, semana a semana

A vasectomia é reversível?

Apesar de a vasectomia ser chamada de um método contraceptivo definitivo, é possível garantir, em alguns casos, a reversão desse procedimento.

A taxa de sucesso, no entanto,é variável e nem sempre o sucesso é garantido.

Outro ponto importante é o fato de que a maior taxa de sucesso é conseguida quando a reversão é feita antes dos primeiros 10 anos de cirurgia. A cirurgia de reversão é mais complicada que a vasectomia.

Quem pode fazer a vasectomia?

O Que E Vasectomia E Como É O Procedimento? Nem todos os homens apresentam os requisitos necessários para a vasectomia. Converse com um médico.

De acordo com o Ministério da Saúde, os critérios para a realização da vasectomia são:

  • ter no mínimo 25 anos de idade;
  • ter no mínimo 2 filhos vivos;
  • ter estabilidade conjugal (se estiver casado);
  • haver comum acordo do casal;
  • existir indicação psicológica e/ou social;
  • em caso de pessoas absolutamente incapazes mediante laudo psicossocial e/ou médico, poderá ocorrer a esterilização com autorização judicial.

Quais as vantagens da vasectomia?

Dentre as principais vantagens da vasectomia, podemos citar:

  • Alta taxa de eficácia;
  • Cirurgia simples;
  • Não há necessidade de interrupção do ato sexual;
  • Ajuda no planejamento familiar.

É importante destacar que apesar de ser um eficiente método contraceptivo, a vasectomia não protege contra infecções sexualmente transmissíveis. Por isso, use camisinha!

  • Por Vanessa Sardinha dos Santos
  • Professora de Biologia

Vasectomia: o que é, vantagens, desvantagens e pós-operatório!

Entender o que é a vasectomia pode ser muito útil para os estudantes.

Além de compreender mais sobre seus próprios direitos, prepara-os para resolver questões de Biologia, além decontribuir para a reflexão de temas importantesna vida da população brasileira, como é o caso do planejamento familiar e do crescimento populacional.

Caso a proposta de redação do Enem esteja conectada com esse tema, você estará bem preparado para desenvolver sua argumentação.

Neste post, você vai entender o que é o procedimento de vasectomia e quais são as vantagens, desvantagens e os cuidados que devem ser tomados no pós-operatório. Quer ficar bem informado sobre o assunto? Então, boa leitura!

O que é vasectomia?

Também chamado de deferentectomia, esse procedimento cirúrgico consiste no corte dos dois canais deferentes, que são os ductos que levam os espermatozoides à vesícula seminal. De lá, eles seguiriam para a uretra e, depois, ao exterior do corpo masculino.

Com a interrupção desse trajeto, impede-se que os espermatozoides cheguem ao encontro do óvulo após a ejaculação. Por isso, a vasectomia é considerada uma das formas mais eficazes de esterilização, pois apresenta baixo risco à saúde do paciente, além de ser reversível.

Como é feita a vasectomia?

Essa é uma cirurgia bem menos invasiva se comparada à ligadura de trompas, que é feita em mulheres que não desejam ter mais filhos.

Na cirurgia de vasectomia, o médico faz dois cortes de 1 cm cada no saco escrotal: no lado esquerdo e no lado direito. Depois, é feita a separação (isolamento) dos ductos deferentes e o corte (secção) que vai interromper a passagem dos espermatozoides. O cirurgião, então, faz a sutura dos canais e dos cortes. Todo esse processo é bem rápido: demora cerca de 30 minutos.

O procedimento é simples: não há necessidade de internação hospitalar. Além disso, a anestesia é local. Desse modo, o paciente pode sair da clínica ou hospital ao término da cirurgia.

Vasectomia é reversível?

Muitos homens temem fazer a vasectomia por vários motivos. Na verdade, são mitos que envolvem o tema, como medo de impotência, de sentir dor no pênis durante a relação sexual e de não saber se vasectomia tem reversão.

A vasectomia é reversível sim, embora esse procedimento seja um pouco mais complicado e não esteja contemplado pelo Sistema Único de Saúde (SUS).

O Que E Vasectomia E Como É O Procedimento?

Reversão de vasectomia

Para reverter vasectomia, é necessário que as duas partes do canal deferente que foram separadas anteriormente sejam reconectadas.

Isso só é possível quando o corte realizado não for muito grande. É nesse momento que entra a microcirurgia.

Deve-se fazer uma incisão na região do saco escrotal com tamanho de 3 a 5 centímetros.

O primeiro passo é localizar as pontas e prepará-las para o procedimento que consistirá na costura que vai religar as partes com fios finos. Ao final, o saco escrotal deve ser novamente costurado.

O procedimento normalmente é realizado com anestesia geral, sem necessidade de intubação, mas com o uso de máscara laríngea. Caso a cirurgia aconteça pela manhã, o homem já pode receber alta até o fim do dia, dependendo da condição clínica.

Depois de 45 dias, o paciente realiza um espermograma para verificar a quantidade de espermatozoides presentes no sêmen, além da sua morfologia, isto é, seu formato.

Tem vasectomia pelo SUS?

Esse procedimento cirúrgico está previsto na Lei nº 9.263, de 12 de janeiro de 1996, também conhecida como Lei do Planejamento Familiar. Ela estabelece parâmetros para a realização da vasectomia, como:

  • idade mínima de 25 anos;
  • ter tido 2 filhos nascidos vivos;
  • ter consentimento expresso de ambos os cônjuges.
  • Para que a cirurgia de secção dos canais deferentes seja realizada pelo Sistema Único de Saúde (SUS), o paciente deve ser submetido à avaliação de uma equipe composta por médicos, psicólogos e outros profissionais da saúde com objetivo de esclarecer todas as dúvidas do paciente em relação à esterilização e confirmar seu desejo.
  • Essa avaliação dura no mínimo 60 dias, pois, mesmo havendo possibilidade de reversão, é preciso garantir que o homem esteja convicto de seu desejo de se tornar estéril e esteja consciente dos riscos e dos efeitos colaterais que possam surgir.
  • Caso a vasectomia seja realizada em clínicas particulares autorizadas, ainda assim o SUS deve ser notificado, já que se trata de uma questão que envolve a saúde pública e interessa a toda a sociedade.

Vasectomia: preço

Enfim, quanto custa uma vasectomia? Fazer a vasectomia pelo SUS não requer que o paciente disponha de nenhum valor, pois o procedimento é oferecido gratuitamente. Porém, pode demorar até 2 anos, dependendo da cidade.

Caso opte por um hospital ou uma clínica particular, vai precisar desembolsar em torno de R$ 3.000 ou recorrer ao plano de saúde, que também cobre as despesas.

Vasectomia: vantagens e desvantagens

Você viu que apenas homens com mais de 25 anos ou que já tenham tido dois filhos podem se submeter à vasectomia. Essa é uma decisão séria e as vantagens e desvantagens da vasectomia devem ser analisadas.

  1. Um dos pontos positivos, segundo informações do SUS, é que a vasectomia garante sucesso em 99,86% dos casos, ou seja, os riscos de o procedimento não funcionar são quase inexistentes e a cirurgia é bastante eficaz como método contraceptivo masculino.
  2. Se compararmos ao que ocorre no corpo feminino durante e após a laqueadura das trompas, as vantagens são maiores, pois a esterilização feminina garante 95% de eficácia.
  3. Outro ponto a se comparar é a permanência dos efeitos: enquanto, no homem, o processo pode ser revertido caso ele mude de ideia, na mulher isso não é possível: a esterilização por ligação das tubas uterinas é irreversível.
  4. Um dado interessante é que, segundo o Ministério da Saúde, cerca de 3% dos homens se submetem à vasectomia, enquanto 21% das mulheres recorrem à laqueadura, o que nos leva a pensar que ainda há muito desconhecimento e as vantagens desse método estão permeadas pelos fantasmas que assombram os homens.

Vasectomia: pós-operatório

Muitos pacientes que passam pela cirurgia acreditam que a vasectomia pode falhar. Como apontamos, a eficácia é de quase 100%, isto é, é quase impossível dar errado. O que ocorre, geralmente, é que o paciente retoma suas atividades rotineiras imediatamente e não mantém o período exigido de resguardo.

Até 3 meses após o procedimento, ainda pode haver espermatozoides vivos. O ideal é fazer um espermograma para verificar a presença de espermatozoides no sêmen: só então o paciente estará liberado para retomar as atividades sexuais sem chance de engravidar a parceira.

Leia também:  Glucosamina Para Que Serve E Como Tomar?

Agora que você sabe um pouco mais sobre o procedimento de vasectomia, reflita se a posição atual do SUS é a mais adequada para garantir o direito de planejamento familiar aos casais. Ter leitura crítica do conteúdo estudado preparará você para argumentar em qualquer proposta de dissertação.

Além disso, relacione esse conteúdo com seus conhecimentos sobre reprodução e faça exercícios sobre o tema para conseguir uma boa nota no vestibular!

Conheça o Plano de Estudos do Stoodi e tenha à mão as principais ferramentas do site para ajudar nos seus estudos!

O Que E Vasectomia E Como É O Procedimento?

Vasectomia: saiba tudo sobre o procedimento

A vasectomia é um procedimento cirúrgico que visa à contracepção. O método consiste em interromper a circulação dos espermatozoides produzidos nos testículos, a fecundação dos óvulos da parceira. Trata-se de uma técnica segura, simples e muito eficaz para se evitar a gravidez.

Embora seja um procedimento realizado há muitos anos e também muito conhecido, a vasectomia ainda gera muitas dúvidas e alguns mitos no universo masculino. Por isso, neste post, nós, do Blanc Hospital, vamos elucidar os principais detalhes sobre a vasectomia. Vamos conferir!?

Como é feita a vasectomia?

A vasectomia é um procedimento rápido e com baixíssimas chances de complicações. A técnica consiste na ligadura dos canais deferentes — ductos que levam os espermatozóides à uretra —, evitando assim, que os gametas masculinos saiam durante a ejaculação e gerem uma gravidez.

Não é necessária internação para a realização da vasectomia.

Após a aplicação da anestesia local e uma simples sedação são feitas duas pequenas incisões de cerca de 1 cm em cada lado da bolsa escrotal para a ligadura dos canais deferentes.

O tempo de cirurgia, em geral, não ultrapassa 30/40 minutos e então, o paciente já pode ir para casa. O cuidados pós-cirúrgicos também são bem simples.

Pós-cirúrgico

Embora a vasectomia seja realizada em uma região sensível para o homem, ela raramente apresenta inconvenientes após a cirurgia.

No entanto, vale ressaltar que, mesmo sendo um procedimento muito simples e seguro, alguns cuidados são importantes: repouso no primeiro dia, evitar dirigir e não realizar atividades físicas por, no mínimo, 7 dias.

Além disso, alguns médicos podem recomendar bolsa de gelo no local e também podem prescrever o uso de anti-inflamatórios e analgésicos.

Mitos sobre a vasectomia

O Que E Vasectomia E Como É O Procedimento?

A vasectomia não gera impotência sexual ou perda da libido, pois todo o processo do organismo para estímulo ao ato sexual permanece igual. Alguns estudos, inclusive, sugerem que o procedimento pode ser benéfico à vida íntima do paciente. Entre os principais fatores relacionados à melhora está, justamente, a perda da ansiedade ocasionada pelo risco de gravidez da companheira.

Não, a vasectomia pode, sim, ser revertida. No entanto, o realinhamento dos canais deferentes não é tão simples como o procedimento anterior, além de ter um custo muito elevado.

Por isso, o diálogo com o cirurgião é muito importante antes da realização da vasectomia.

Deve-se avaliar o momento de vida, a relação com a companheira e uma eventual possibilidade de desejar ter mais filhos em um futuro próximo. 

Existe a possibilidade, no entanto, é bem remota. A chance de recanalização espontânea dos ductos deferentes é de cerca de 1:2000 procedimentos.

Importante ressaltar que continuamos expelindo espermatozóides por aproximadamente 25 ejaculações após a cirurgia e, portanto, para evitar qualquer risco de gravidez é preciso ter cuidado nas primeiras relações sexuais após o procedimento, utilizando preservativo ou qualquer outro método contraceptivo.

Cerca de 60 dias após o procedimento de vasectomia, o paciente realiza um espermograma para avaliar a eficácia, a fim de garantir a segurança completa do processo e voltar à vida sexual normalmente com a companheira sem nenhuma surpresa no futuro.

O Que E Vasectomia E Como É O Procedimento?

A realização da vasectomia traz benefícios como segurança e tranquilidade à vida do casal. Para esclarecer mais dúvidas converse com o seu médico. Gostou das nossas dicas? Nós, do Blanc, queremos sempre trazer as melhores sugestões para você! Deseja saber mais? Acompanhe o nosso blog

Vasectomia

A vasectomia é a ligadura (fechamento) dos canais deferentes no homem.

É uma pequena cirurgia feita com anestesia local em cima do escroto (saco), na qual é cortado o canal que leva os espermatozoides do testículo até as outras glândulas que produzem o esperma (líquido) masculino. Após a vasectomia, a ejaculação continua normal mas não haverá espermatozoides no líquido ejaculado.

Não é necessária a internação. É uma cirurgia de esterilização voluntária definitiva e, por isso, o homem deve ter certeza de que nunca mais quer ter filhos.

A possibilidade de reversão dessa cirurgia existe, mas não é fácil. Portanto, a vasectomia deve ser considerada como um método definitivo.

Esse procedimento geralmente é realizado no consultório médico e o tempo gasto é inferior a uma hora.

Esse método contraceptivo é indicado para homens que já possuem filhos, que tenham mais de 30 anos de idade, visando um planejamento familiar com sua companheira. Também é uma solução alternativa quando suas companheiras não podem tomar anticoncepcional ou possuem problemas de saúde.

Muitos homens confundem a esterilização com castração. Entretanto, castração é a remoção dos testículos, diferente do procedimento simples de impedir que os espermatozoides sigam para o pênis.

O Que E Vasectomia E Como É O Procedimento?

O homem não fica estéril imediatamente após a vasectomia, pois ainda há espermatozoides armazenados na parte superior do canal, nas vesículas seminais e nos dutos ejaculatórios. A produção dos espermatozoides continua, pois ocorre nos testículos.

São necessárias entre dez a dezesseis ejaculações para que o esperma não contenha mais espermatozoides. Caso haja contato sexual nesse período, recomenda-se o uso de outros métodos contraceptivos como a camisinha, E seu uso deve ser continuado até o médico confirmar que não há mais espermatozoides.

Não se esqueça: a vasectomia não causa impotência, não diminui a libido e não causa perda de sensibilidade do pênis durante o ato sexual.

Fontes:

Dr. Sérgio dos Passos Ramos CRM17.178 – SP

McCarthy, Barry. Trad:Matarazoo, Maria Helena. O que você ainda não sabe sobre a sexualidade masculina. P67-73. 1981. 3ªEdição. Summus. São Paulo- SP. 

Método de contracepção definitivos: Vasectomia, Laqueadura Tubária, DIU e SIU (Dispositivo ou Sistema IntraUterino).

LER MAIS

Entenda como o uso antibiótico pode afetar a ação dos anticoncepcionais…

LER MAIS

Entenda por que cada vez mais mulheres escolhem esse método…

LER MAIS

Se você esqueceu de tomar a pílula anticoncepcional e não…

LER MAIS ACESSE NOSSO GUIA

As opiniões acima possuem caráter meramente informativo e não substituem a consulta a seu médico de confiança.

Não é finalidade deste site a análise, comentário ou emissão de qualquer tipo de diagnóstico aos usuários, tarefa esta reservada unicamente ao seu respectivo médico de confiança.

Vasectomia

 A vasectomia é um procedimento cirúrgico realizado em ambulatório que visa a contraceção masculina de uma forma segura, ou seja, impede que a gravidez ocorra numa relação sexual normal, mesmo com uma ejaculação natural dentro da vagina.

Trata-se de um método de contraceção masculina bastante eficaz (perto dos 100%, como veremos), duradouro e relativamente fácil de levar a cabo, desde que seja realizado por médicos urologistas experientes na técnica cirúrgica.

A cirurgia visa o bloqueio dos canais por onde passam os espermatozoides, por forma a impedir que estes se unam aos restantes elementos do sémen. Através de um pequeno corte de cada lado (bilateral) da bolsa escrotal, os ductos deferentes são cortados e bloqueados.

Nas relações sexuais, a ejaculação permanece e o sémen conserva a maior parte das suas características, mas como não possui espermatozoides viáveis (azoospermia) inviabiliza a hipótese de gravidez.

Ou seja, após o orgasmo masculino é expelido sémen, mas os espermatozoides não são expelidos durante a ejaculação.

Após uma vasectomia, os testículos ainda produzem espermatozoides, mas estes não circulam no canal (porque está bloqueado), sendo progressivamente absorvidos pelo organismo. Veja mais informação em “Como é feita a vasectomia”.

A vasectomia é um método contracetivo, impedindo uma gravidez não desejada, mas que não confere proteção contras as doenças sexualmente transmissíveis (DST). Veja mais informação em “Outros métodos contracetivos”.

Qual a eficácia da vasectomia?

A vasectomia é dos métodos mais eficazes na prevenção da gravidez, com taxas de sucesso superiores a 99% dos casos. Quando comparado com outros métodos, a vasectomia é muito segura, mas à semelhança dos demais não é infalível (risco de falência até 0,05%).

A vasectomia não gera infertilidade imediata. É necessário aguardar 2 meses e 20 a 30 ejaculações para “eliminar” os espermatozoides que ainda estão viáveis no restante trajeto seminal.

Tem de ser certificada a ausência de espermatozoides com um exame, denominado espermograma antes de ter relações desprotegidas. Este exame, deve ser executado aproximadamente 2 meses após o procedimento. Durante este período deve manter outro método anticoncecional.

Vantagens, desvantagens da vasectomia

A reversibilidade da vasectomia com ou sem recurso a técnicas de reprodução médica assistida, embora teoricamente possíveis, não oferece sucesso garantido, pelo que a vasectomia deve ser ponderada como um método definitivo. A vasectomia constitui uma boa opção no planeamento familiar do casal que já não deseja ter mais filhos e permite “libertar” a mulher da responsabilidade da anticoncepção.

Note que a vasectomia possui a vantagem de ser um método definitivo e com grande grau de eficácia, no entanto, apesar de muito seguro ao evitar uma gravidez indesejada, não impede, como o preservativo, a transmissão de doenças sexualmente transmissíveis (DST).

O preservativo (método barreira) é uma alternativa como método contracetivo masculino quando existe preocupação com as DST, principalmente em caso de existência várias parceiras sexuais. No entanto, os preservativos possuem clara desvantagem em termos de comodidade, podendo interferir com a plena satisfação sexual.

O uso prolongado de preservativos necessita sempre de especial cuidado para ser seguro e acarreta custos que se prolongam no tempo.

A vasectomia é uma cirurgia que pode ser executada em ambulatório (o doente volta para casa no mesmo dia) e com anestesia local. Apresenta uma alta taxa de eficácia e uma baixa percentagem de complicações.

Apresenta-se a longo prazo como o método mais económico de contraceção e uma opção mais simples e segura em comparação com a esterilização feminina.

Outra das vantagens da vasectomia prende-se com a sua eficácia visto que não está dependente de outros fatores como no caso do preservativo e da pilula, facilitando um regresso à espontaneidade da relação sexual.

Como alternativa aos métodos masculinos, existem os métodos contracetivos femininos que são amplamente utilizados. Contudo, estes implicam confiança que a parceira os utilize de forma responsável para serem eficazes. Veja mais informação em “Outros métodos contracetivos”.

  • Saiba, aqui, tudo sobre métodos contracetivos.
  • A maioria dos homens que optou pela vasectomia não se mostra arrependida a longo prazo dizendo, em alguns casos, que a ausência do receio permanente de engravidar a parceira pode reforçar o relacionamento e tornar a intimidade mais agradável para os dois.
  • Ao contrário da pilula e de outros métodos contracetivos usados pelas mulheres, a vasectomia não interfere nos níveis hormonais, no desejo sexual ou na dinâmica da relação sexual, com escassas consequências a longo prazo para a saúde do homem.
Leia também:  Como Saber Qual O Tarifario Que Tenho?

Idade do homem e vasectomia

Geralmente, qualquer homem que não deseje ter filhos possui indicação e pode tomar esta decisão de forma informada e submeter-se a uma vasectomia.

As contraindicações relativas são a idade jovem do homem, ausência de filhos, ausência de relacionamento afetivo atual e/ou estável e dor escrotal.

A escolha do método contracetivo deverá ser partilhada pelo casal.

Uma das principais consequências que deve ser acautelada na vasectomia é o “arrependimento” e querer voltar a ter filhos, podendo ser este fator muito importante na vida do homem.

Neste sentido, os homens mais jovens devem ponderar demoradamente a realização da cirurgia.

A partir de determinada idade o homem terá seguramente mais certezas sobre o seu futuro para se submeter, com mais confiança, à vasectomia.

Ainda que nos países desenvolvidos se trate de um método de contraceção cada vez mais usado, em Portugal o número de homens que recorrem a esta técnica mantem-se relativamente baixo. Todos os anos, mais de 500.000 homens nos EUA optam pela vasectomia para controle de natalidade.

Como é feita a vasectomia?

A vasectomia é efetuada em ambulatório (sem internamento), em contexto hospitalar e, na maioria dos casos, só é necessária anestesia local. O anestésico é injetado para não se sentir dor, mantendo-se, porém, a sensação do toque, tensão e movimento.

O Que E Vasectomia E Como É O Procedimento?

A cirurgia (ou operação) é realizada por uma técnica minimamente invasiva, em se efetua um pequeno corte (orifício na pele), de modo a chegar até aos canais que conduzem os espermatozoides.

Os canais são bloqueados cirurgicamente, impedindo que passem mais espermatozoides, não se juntando ao sémen no momento da ejaculação.

A atividade sexual deverá apenas ser prosseguida assim que o homem se sinta confortável para tal.

Nas primeiras 8 a 12 semanas após a vasectomia é indispensável o uso de outro método contracetivo, pois pode demorar esse período de tempo até “limpar” os restantes espermatozoides dos tubos (canais deferentes). Somente após ser realizada a análise ao esperma (espermograma) se pode assegurar que já não existem espermatozoides funcionais.

É possível reverter uma vasectomia?

A reversão da vasectomia é possível de ser tentada cirurgicamente, no entanto, a sua taxa de sucesso é bastante baixa.

Ou seja, existem métodos para reverter a vasectomia (voltar a permeabilizar o canal) ou para engravidar a parceira por meio de técnicas de procriação medicamente assistida (ex.

colheita de espermatozoides dos testículos ou criopreservação de espermatozoides). Apesar disto, a vasectomia deve ser ponderada como um método definitivo e irreversível.

A reversão microcirúrgica é realizada com recurso a um microscópio e costuma durar 2 a 3 horas. É um procedimento minucioso, pretendendo-se efetuar a reconexão das pontas dos ductos deferentes.

As taxas de sucesso são maiores quanto menor for o intervalo de tempo entre a vasectomia e a tentativa de reversão.

Por exemplo, homens que já foram vasectomizados há mais de 10 anos apresentam menores taxas de sucesso que homens submetidos recentemente à cirurgia.

Existe ainda a hipótese de usarmos técnicas de procriação medicamente assistida (PMA), onde os espermatozoides podem ser aspirados diretamente dos testículos e postos em contacto com o óvulo para a fecundação.

Saiba, aqui, tudo sobre PMA.

Riscos e complicações da cirurgia

Não existem procedimentos médicos e/ou cirúrgicos sem riscos, porém as complicações após uma vasectomia são raras. À semelhança do que acontece com qualquer cirurgia, existe um pequeno risco de sangramento ou infeção, que geralmente resolve após repouso, gelo ou antibioterapia.

Muito raramente, o hematoma escrotal com aumento significativo do volume e a infeção com necessidade de reavaliação médica podem ocorrer. Existe risco de dor escrotal prolongada que afeta a qualidade de vida do homem (muito raro) por epididimite congestiva ou granuloma espermático.

Os estudos indicam que homens que realizaram a vasectomia não mostram maior risco de doenças cardíacas, cancro de próstata, cancro de testículo ou outros problemas de saúde.

Pós-operatório na vasectomia

Genericamente, recomenda-se repouso nos primeiros dias após a cirurgia. Descanso temporário para atividades físicas moderadas e intensas, sendo possível o regresso ao trabalho ao final de 2 a 3 dias, caso não haja desconforto significativo.

Nos primeiros dias de pós-operatório pode ocorrer dor, edema e equimose locais.

Alguma “tensão e sensibilidade” ou dores testiculares também podem suceder, aconselhando-se evitar no período de recuperação ejaculações nos primeiros 7 a 10 dias e aplicação de gelo. A presença de dor testicular pode surgir após a cirurgia e manter-se no tempo.

Não está ainda bem desvendada a causa desta dor prolongada, mas geralmente é tratada e bem tolerada com analgesia e anti-inflamatórios sem efeitos colaterais de registo.

Devem ser tomadas as seguintes precauções:

  • Repouso por pelo menos 48 horas;
  • Evitar atividades físicas nos primeiros 7 dias;
  • Manter a incisão seca e limpa;
  • Evitar relações sexuais nos primeiros dias;
  • Manter os métodos anticoncecionais até que um espermograma seja feito para certificar o sucesso da operação.

Vasectomia e disfunção erétil

A vasectomia não provoca disfunção eréctil ou alteração da “potência sexual masculina” pois não está relacionada em nada com os mecanismos da erecção, nem tao pouco altera ou diminui a testosterona.

Bem pelo contrário, a maior parte dos casais nos quais o homem se submeteu a circuncisão relatam melhoras significativas da sua atividade sexual, em termos de espontaneidade, intimidade e número de relações sexuais por mês. Este facto poderá provavelmente dever-se a um aumento da libido e do prazer sexual nas mulheres quando estas deixam de tomar os contracetivos orais.

Saiba, aqui, tudo sobre disfunção eréctil.

A eficácia da vasectomia mantém-se?

Como vimos, anteriormente, a vasectomia é considerada um método definitivo apesar de poder ser tentada cirurgicamente a sua reversão.

Com o decorrer dos anos a eficácia do método mantém-se inalterada. Contudo, embora muito raro (cerca de 0,5% dos casos) este método pode falhar com o decorrer do tempo, já que alguns homens revertem naturalmente e de forma espontânea o fluxo de espermatozoides pelos ductos deferentes.

Há forma de confirmar a eficácia?

É possível confirmar, em qualquer altura, a eficácia através de um espermograma. Este exame é de fácil execução e permite aferir se existem espermatozoides presentes no sémen.

Após vasectomia, os métodos de contraceção devem ser conservados até que um exame de espermograma assegure a ausência completa de espermatozoides no líquido seminal ejaculado.

O exame será solicitado 60 a 90 dias após a vasectomia e após 20 a 30 ejaculações. Em caso de dúvidas, deve procurar o seu médico urologista.

Quanto custa uma vasectomia?

O preço de uma vasectomia, se realizada a título particular num hospital privado, pode oscilar de acordo com a clínica que a realiza, não sendo, no entanto, uma intervenção onerosa. A longo prazo os estudos documentam que este é um dos métodos mais baratos de contraceção, ultrapassando inclusivamente a pilula ou o preservativo.

No hospital público (Serviço Nacional de Saúde – SNS) a cirurgia pode ser realizada na maior parte dos Centros Hospitalares, embora tenha algum tempo de espera dado não ser considerada uma cirurgia prioritária.

Outros métodos contracetivos

De acordo com estudos da Sociedade Portuguesa de Ginecologia e da Sociedade Portuguesa de Contraceção, uma larga maioria das mulheres sexualmente ativas com idades entre os 15 e os 49 anos recorrem a métodos contracetivos. A Contraceção hormonal combinada (conhecida como “pílula” na sua forma oral) é o meio mais frequentemente usado pelas mulheres.

Os métodos contracetivos femininos mais comumente utilizados são:

  1. Contraceção hormonal combinada (conhecida como “pílula” na sua forma oral);
  2. Contraceção progestativa;
  3. Dispositivo intra-uterino (DIU);
  4. Método de barreira;
  5. Métodos naturais;
  6. Esterilização.
  1. Saiba, aqui, tudo sobre métodos contracetivos.
  2. Todavia, a contraceção não tem forçosamente de ser uma opção da quase exclusiva responsabilidade da mulher, uma vez que existem diversos meios contracetivos masculinos como seja o preservativo (método barreira) ou a vasectomia que discutimos amplamente ao longo deste texto
  3. O êxito da escolha de um método contracetivo vai depender de decisão informada e voluntária sobre a eficácia, custos, segurança, efeitos secundários e reversibilidade dos métodos disponíveis.

Vasectomia. O que é vasectomia? Como é feita?

No sistema genital masculino, os espermatozoides são produzidos nos túbulos seminíferos encontrados nos testículos.

Depois de produzidos, esses espermatozoides são levados, por meio de canais eferentes, até o epidídimo para que adquiram mobilidade.

Os epidídimos são encontrados nos dois testículos, e de cada epidídimo sai um tubo chamado de canal deferente, que é o responsável por levar os espermatozoides até a uretra, onde sairão na ejaculação.

A vasectomia nada mais é do que a retirada de uma parte de cada um dos dois canais deferentes, para interromper a circulação dos espermatozoides e os impedir de chegar até o pênis (onde seriam liberados na ejaculação).

Dessa forma, podemos considerar a vasectomia como um procedimento cirúrgico simples e um método contraceptivo muito seguro.

Esse procedimento torna o homem estéril, mas não interfere de modo algum em sua produção de hormônios e nem em sua virilidade.  

A vasectomia é feita com anestesia local, às vezes sendo realizada no próprio consultório médico, e os pacientes são liberados logo após a cirurgia. Segundo o médico Sami Arap, professor de urologia da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo e médico do Hospital das Clínicas e do Hospital Sírio-Libanês, alguns pacientes saem da cirurgia e vão direto para o trabalho.

O médico afirma que homens que fazem a vasectomia devem fazer o espermograma um ou dois meses após o procedimento, já que em 2% ou 3%dos casos pode se formar um granuloma espermático na região entre o testículo e o canal deferente, podendo vazar um pouco de esperma. Dessa forma, ainda há a possibilidade de gravidez, já que o sêmen ainda contém espermatozoides.

Não pare agora… Tem mais depois da publicidade 😉

Leia também:  Como Fazer Com Que Uma Pessoa Não Te Siga No Instagram?

Na maioria das vezes, os homens que optam por esse procedimento já têm mais de três filhos. Eles fazem a vasectomia para que suas esposas não precisem fazer a laqueadura (que é uma cirurgia muito invasiva) e o casal deixe de usar outros métodos contraceptivos.

Muitos homens têm medo da vasectomia, por acharem que ela afetará sua vida sexual, mas especialistas garantem que não há nenhuma interferência na virilidade do homem.

“Não existe nenhum prejuízo ou vantagem orgânica objetiva com relação à potência ou à performance sexual”, afirma Arap.

Mesmo depois de fazer a vasectomia, o homem continuará eliminando o líquido espermático na ejaculação, pois este líquido não é composto apenas de espermatozoides, mas também de fluidos produzidos pela vesícula seminal e pelas glândulas bulbouretrais, que não param de produzi-lo. Esse líquido que será ejaculado pode tornar-se mais ralo e, é claro, não conterá espermatozoides.

Após a realização da vasectomia, o testículo continua a produção de espermatozoides que ficam retidos no epidídimo. Com o acúmulo de espermatozoides, o epidídimo se distende e os espermatozoides que estão em seu interior amadurecem. Por esses espermatozoides não serem eliminados, a sua produção diminui consideravelmente.

A reversão da vasectomia é possível, mas trata-se de um procedimento delicado, que exige uma equipe especializada. Na cirurgia de reversão o paciente precisa ser hospitalizado, já que o procedimento é realizado em centro cirúrgico e com o uso de microscópio com aumento de  5 a 20 vezes.

Saiba o que é vasectomia

Promoção da Saúde

O procedimento costuma ser rápido, pouco invasivo e pode ser realizado até em ambulatório, sem necessidade de centro cirúrgico. Em menos de 30 minutos, o homem está liberado e pode ir para casa tranquilamente.

Pós-cirúrgico

É importante manter um método anticoncepcional durante os 60 dias após o procedimento porque alguns espermatozoides permanecem vivos no canal que chega ao pênis. E depois da cirurgia deve-se realizar um espermograma para constatar a ausência dos espermatozoides.

Recomenda-se a aplicação de bolsas com gelo no local e repouso no dia da cirurgia. Também é interessante fazer uso de suspensório escrotal para evitar dores e complicações.

A vasectomia não afeta o desempenho sexual. Os nervos e vasos sanguíneos envolvidos na ereção não são atingidos na cirurgia. O procedimento apenas interrompe a passagem dos espermatozoides dos testículos para o pênis. O líquido seminal produzido pela próstata continua sendo ejaculado, mas sem o sêmen.

Mudando de ideia

A vasectomia é um procedimento reversível, mas a taxa de sucesso da cirurgia de reconexão entre os canais varia de homem para homem. Por isso, a opção pela cirurgia precisa ser muito clara para o paciente e para a companheira.

No SUS

O Sistema Único de Saúde tem ações para facilitar o acesso do homem ao procedimento e a possibilidade de fazer a cirurgia em ambulatório médico, sem necessidade de internação. O procedimento faz parte da Política Nacional de Atenção Integral à Saúde do Homem.

Caso tenha tomado a decisão de fazer a vasectomia, saiba que o SUS só permite que essa cirurgia seja realizada em homens com mais de 25 anos ou que tenham, no mínimo, dois filhos.

O primeiro passo é procurar uma unidade básica de saúde para fazer um levantamento geral da saúde do homem que deseja fazer a vasectomia. Após essa avaliação, o médico encaminha o paciente para um especialista que dará todas as orientações e fará a cirurgia.

A vasectomia vem sendo cada vez mais realizada no Brasil pelo SUS. E os homens têm se engajado na discussão do planejamento familiar inclusive para evitar que suas companheiras sejam submetidas à laqueadura das trompas, um procedimento cirúrgico bastante dolorido, que exige internação e oferece risco à saúde feminina.

Mitos e Verdades

Verdade

  • Cirurgia simples
  • Espermatozoides continuam sendo produzidos
  • É possível engravidar logo após a cirurgia
  • Ajuda no planejamento familiar
  • Há contraindicações

Mito

  • Homem fica impotente
  • Homem perde libido/desejo
  • Homem sente dores durante o sexo
  • O pênis diminui de tamanho
  • A cirurgia é arriscada
  • É como castração
  • Interfere na ejaculação
  • Afeta a masculinidade

Veja também: Câncer de próstata: hábitos saudáveis ajudam na prevenção e Falta de higiene pode causar câncer de pênis 

Luiz Philipe Leite para o Blog da Saúde

Ligadura de Trompas e Vasectomia: como funciona cada procedimento

A Vasectomia e a Ligadura de trompas dizem respeito à esterilização definitiva do homem e da mulher, respectivamente.

Os procedimentos de Esterilização, atualmente, são relativamente simples e não apresentam qualquer efeito colateral. No entanto, é importante lembrar que a legislação brasileira possui regras rígidas para a realização da esterilização.

  • Por vezes, pode ser indispensável a realização dos procedimentos para salvar a saúde dos pacientes, como em casos de câncer do ovário ou dos testículos.
  • Pensando nisso, elaboramos este post para que você conheça as diferenças entre os procedimentos de Vasectomia e Ligadura de trompas.
  • Boa leitura.

O que é Laqueadura?

A Laqueadura consiste no bloqueio das trompas como método de anticoncepção definitivo. A obstrução das trompas impossibilita o encontro do óvulo com os espermatozóides, o que seria o processo chamado fecundação. 

Atualmente, a técnica de Laqueadura mais usada é através da colocação de um “stent tubário”, parecido com uma mola. 

A cirurgia pode  ser realizado em regime ambulatorial, sem o uso de qualquer anestesia. 

O procedimento é indicado para a mulher que queira uma anticoncepção definitiva. Em outras palavras, é a esterilização feminina para pacientes que não querem ou, por algum motivo de saúde, não podem mais engravidar. 

Por exemplo, em alguns casos de câncer nos ovários, pode ser necessário retirar as trompas, procedimento conhecido como Salpingectomia. A retirada das trompas também é indicada para prevenção contra infecções pélvicas.

Como funciona?

Existem diversas técnicas de Laqueadura Tubária, podendo ser realizadas através de incisão abdominal, vaginal ou histeroscopia.

De acordo com cada técnica, o procedimento é diferente e deve ser avaliado pelo cirurgião responsável. Pode ser necessário usar anestesia geral ou raquidiana com ou sem sedação, tudo vai depender da avaliação clínica. No caso da colocação do stent tubário, não existe a necessidade do uso de anestésicos.

No caso de incisão abdominal, o procedimento pode ser realizado no pós-parto de tipo cesárea, quando houver risco à vida ou à saúde da mulher ou do bebê e os médicos devem assinar um testemunho sobre a decisão. 

O procedimento deve ser autorizado e assinado por dois médicos. Em casos mais simples, o cirurgião pode optar por fazer pequenos cortes acima do púbis.

No caso da laparoscopia, são realizados pequenos cortes a periumbilical, região da linha média do abdômen, deixando apenas pequenas cicatrizes.

Já os procedimentos vaginais e por histeroscopia não deixam cicatrizes. Nesses casos, a exposição das trompas é realizada pela vagina e o stent é colocado por meio da técnica de histeroscopia, que consiste na introdução de uma haste flexível com uma luz e uma câmera acoplada na ponta, que projeta a imagem para que o médico possa visualizar as trompas e realizar o procedimento.

Todas as especialidades médicas são habilitadas a fazer o procedimento. Caso seja por Laparoscopia ou  Histeroscopia, deve ser realizado apenas por um Ginecologista com especialização nesse procedimento.

O que é a Vasectomia?

  1. Por outro lado, a Vesectomia é o procedimento cirúrgico que interrompe o fluxo de espermatozóides produzidos nos testículos.
  2. O procedimento também é conhecido como Laqueadura, Esterilização masculina ou Ligadura dos ductos deferentes.

  3. Vale salientar que a legislação federal impõe como condição para a realização da esterilização cirúrgica, o registro da expressa manifestação da vontade em documento escrito e firmado, após a informação a respeito dos riscos da cirurgia, possíveis efeitos colaterais, dificuldades de sua reversão e opções de contracepção reversíveis existentes.

     

  4. Além disso, as leis estabelecem que a esterilização depende do consentimento expresso dos dois membros do casal.

Como funciona?

A Vasectomia é uma cirurgia relativamente simples, realizada por um médico Urologista em um hospital ou clínica. 

Os pequenos ductos deferentes que transportam o esperma ficam logo abaixo da pele, e por meio de uma pequena incisão de cada lado da bolsa escrotal, os ductos deferentes são cortados e bloqueados por fios de sutura. Dessa forma, os espermatozóides não serão mais ejaculados.

  • Basicamente, existem dois tipos de Vasectomias: Método com incisão e Método sem incisão.
  • Os métodos sem incisão reduzem o risco de infecção e outras complicações e o tempo de recuperação é bem menor.
  • Os dois tipos de procedimentos são rápidos, duram cerca de 30 a 35 minutos e o paciente pode ir para casa no mesmo dia.
  • Por fim, vale ressaltar que a Vasectomia é uma técnica permanente e só deve ser realizada se o homem e sua parceira estiverem 100% confiantes que não desejam filhos no futuro.

Considerações finais

  1. Como vimos ao longo do post, a Vasectomia e a Laqueadura são os procedimentos de esterilização definitiva para homens e mulheres, respectivamente.

  2. Vale frisar que com os tratamentos de reprodução assistida existentes atualmente, é possível realizar o sonho de ter filhos através de inseminação artificial ou fertilização in vitro, mesmo para pacientes que tenha se submetido a tratamentos De esterilização definitiva.

  3. No caso de realizar o procedimento voluntariamente, é importante lembrar que a legislação brasileira possui regras que regulamentam a esterilização voluntária e que é fundamental estar totalmente convicto/a da decisão.

No entanto, esses procedimentos podem ser realizados para preservar a saúde e a vida do paciente, não deixando como opção de escolha, mas de necessidade.Se você achou que o nosso post ajudou você a conhecer mais sobre as diferenças entre a Vasectomia e a Ligadura de trompas, clique aqui e complemente seus conhecimentos sobre as melhores técnicas de medicina reprodutiva do Brasil.

O nosso compromisso maior é gerar possibilidades para a vida.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*