O Que É Uma Startup E Como Funciona?

O Que É Uma Startup E Como Funciona?
O Que É Uma Startup E Como Funciona?

O Que É Uma Startup E Como Funciona?

iStock
Uma empresa startup normalmente é fundada já com boas perspectivas de lucratividade

No mundo empresarial, é comum ouvir o termo “startup”. A definição dessa palavra representa empresas – geralmente de tecnologia – que estão iniciando sua operação no mercado. Estas companhias ainda não têm seu desenvolvimento completo e, por isso, passam pela fase de pesquisas.

Leia também:
 Entenda a importância do Ebitda e saiba como fazer o cálculo

O espírito empreendedor das empresas é uma das características do startup.


A modalidade, desde sua proliferação durante a bolha da internet, é baseada na ideia de fazer um trabalho que foge do comum e pode assegurar um bom lucro.

Uma companhia que atua nestes moldes, portanto, transforma seu trabalho em dinheiro a partir do modelo de negócios implementado. Cabe a cada empresa encontrar o plano ideal.

Existem, no entanto, algumas divergências em relação à definição exata do conceito que nomeia estas empresas. Há especialistas que afirmam que qualquer companhia iniciante no mercado se encaixa nesta modalidade, enquanto outros dizem que é necessário ter sido fundada com baixos custos e crescer rapidamente, garantindo uma lucratividade grande para se enquadrar neste conceito.

Apesar das discordâncias, a ideia de que a empresa precisa apresentar um trabalho inovador, que mostre a possibilidade de um futuro promissor, com um bom modelo de negócios, é consenso para que as organizações sejam encaixadas nesta categoria.

Investimento nas empresas

O quadro geral de empresas neste modelo prevê que a maioria delas já seja fundada com uma boa perspectiva de gerar receita.

Isso faz com que seja mais fácil atrair investidores para colocar dinheiro na companhia e fazer com que ela cresça ainda mais rapidamente, tendo em vista que o dinheiro será somado a um trabalho diferenciado, capaz de solucionar problemas e facilitar a vida de muitas pessoas.

É possível que estas empresas criem um modelo de negócios em que sejam, até mesmo, compradas integralmente por organizações maiores, mas também existe a possibilidade de surgir um investidor-anjo interessado no negócio.

Um investidor-anjo é uma pessoa física que coloca seu próprio dinheiro na empresa em que deseja investir e aposta no modelo de negócios. Geralmente são pessoas experientes no ramo empresarial, que, além de capital, também ajudam as companhias iniciantes com seus conhecimentos no mundo do empreendedorismo.

Nestes casos, os investidores não passam a agregar alguma função executiva na startup. O trabalho deles costuma ser apenas como o de um “conselheiro”, dando suporte ao empreendedor responsável pela empresa.

O que é uma startup?

  • Em resumo, para uma empresa ser considerada uma startup ela precisa se enquadrar nos seguintes parâmetros, sendo o primeiro e mais importante ser uma operação em fase inicial:
  • 1-      Ter uma proposta inovadora para apresentar ao mercado;
  • 2-      Ter um modelo de negócio escalável;
  • 3-      Ser desenvolvida em uma base tecnológica;
  • 4-      Primordial ter baixo custo para iniciar as atividades;
  • 5-      Ser apresentada ao mercado com uma ideia com potencial de se transformar em negócio.

Cases de sucesso

O conceito de startup
passou a ser difundido no Brasil em 2011. O formato é simples, se enquadra como startup uma ideia inovadora que seja capaz de ter alta rentabilidade em curto período de tempo.

Exemplificando, o Uber é um caso clássico, que em pouco tempo foi difundido pelo mundo, trouxe lucro aos fundadores Travis Kalanick, Garrett Camp.

A empresa foi fundada em 2009 e mesmo com toda polêmica que envolve o uso de aplicativos de motoristas particulares, a precificação dos serviços, a remuneração dos motoristas e demais temáticas relacionadas ao assunto, ela se consolidou como uma empresa de tecnologia de mobilidade que deu certo.

O seu desenvolvimento e ideia inovadora deixou os taxistas brasileiros em pânico, o que gerou muitas desavenças entre as categorias e o tema precisou ser discutido na esfera política. No País, é discutida uma regulamentação ao uso do aplicativo de mobilidade. 

O Que É Uma Startup E Como Funciona?

Divulgação
Uber é considerado um grande case de sucesso no mundo das startups

Assim como a ideia de inovação, a necessidade de gerar valor aos consumidores é fundamental para os empreendedores com ideias geniais.

Logo, a replicação do modelo de negócios acontece e é justamente nesse momento que a inovação tem que prevalecer.

No mercado hoje temos outras startups de mobilidade humana, sendo elas a Cabify, que nasceu na Espanha em 2011 e tem o mesmo conceito que o Uber, o de oferecer motoristas particulares 24 horas.

Leia também: Administração de empresas: você sabe gerir um negócio? Veja dicas

Com uma política de precificação agressiva, sempre com promoções e parcerias para desconto para viagens, a Cobify fará investimentos no Brasil na ordem de US$ 200 milhões. O valor foi anunciado no final de março de 2017 pelo CEO e fundador da empresa, Juan de António, durante sua visita a São Paulo. Em abril foi confirmada pela filial brasileira do app.

Na época, o diretor geral da Cabify no Brasil, Daniel Velazco-Bedoya, afirmou que a empresa tinha uma boa visão do mercado brasileiro de tecnologia para mobilidade, sendo que mesmo em ano de crise econômica foi feito o aporte milionário.

  “Temos um apetite de crescimento bastante forte e esse investimento vem no momento certo para que possamos ampliar ainda mais nossa estrutura e nosso time.

Estamos com um ritmo de contratações acelerado e vamos aumentar ainda mais nossa oferta de vagas disponíveis”, disse o executivo.

Foram mencionados dois cases, mas existe um número – e ele é crescente – de startups que têm apostado na mobilidade urbana. Easy e 99 são apenas alguns dos concorrentes que buscam pegar uma fatia desse mercado.

Outros setores também contam com ideias inovadoras como o segmento pet; statups que oferecem serviços para facilitar a vida dos consumidores; ideias relacionadas ao segmento de educação a distância; iniciativas relacionadas ao segmento financeiro também estão despontando em todo o território nacional.

Crescimento exponencial

Dados consolidados no setor no Brasil são escassos, mas é possível ter uma noção do quanto esse tipo de empreendedorismo pode fomentar os negócios e a economia brasileira.

No ano passadoum estudo apontou que entre junho de 2014 e junho de 2015 as startups estruturadas no mercado brasileiro movimentaram financeiramente R$ 784 milhões. O montante representa crescimento de 14%, isso mesmo dois dígitos em um País em crise econômica, a mais que o igual período de 2013 e 2014.

Vale ressaltar que o crescimento ocorreu no período conturbado na economia e política brasileira, que resultou na recessão que ainda persiste.

Acompanhando esse crescimento, os investidores anjos cresceram 3% no período, ao passar de 7.060 para 7.260. As informações foram retiradas da Pesquisa Lado A e Lado B do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), publicado em 2015.

A pesquisa identificou ainda que os empreendedores desse setor são jovens, com média de 33 anos e têm alto grau de escolaridade. Quase metade deles, ou seja, 48% dos empreendedores tinha emprego antes de iniciar a startup; depois disso, 73% passaram há dedicar seu tempo integralmente a ela.

A pesquisa do Sebrae identificou também os segmentos que recebem o maior número de aportes vindo de investidores.

Foi identificado que operações relacionados ao setor de serviços são as que mais recebem aporte, com 97% de busca por inovações nesse nicho por parte dos investidores.

Em seguida, os setores mais procurados são: comércio com 50%, indústria com 47% e o agronegócio com 23% de interesse por parte dos investidores.

 Dentro do setor de serviços, os nichos de preferência desses endinheirados em busca de um negócio inovador está educação com 30% de interesse, seguido de tecnologia com 30%; saúde com 27% de interesse, transporte/mobilidade urbana com 22% e serviços financeiros com 17%.

A maioria dos investidores, ou seja, 80% deles têm por costume procurar startups já em fase de operação. Entretanto, 63% afirmaram também buscar empreendedores na ideação, ou seja, ainda estruturando seu negócio. Sobre o valor dos investimentos, os aportes variam de R$ 50 mil a R$ 3 milhões.

Apoio ao empreendedorismo

Um número significativo de entidades e empresas que operam no País têm desenvolvido projetos, como uma espécie de incubadora, para fomentar esse mercado no País.

Entre as entidades e empresas que têm apoiado essas ideias inovadores está o Sebrae, a Vallourec Soluções Tubulares do Brasi, o Consulado da França, Fundep e Fundepar e co-realizada pela TecMall, SEBRAE, FAPEMIG, SIMI, Governo de Minas e UFMG – por meio do programa Lemonade, entre tantas outras iniciativas públicas e privadas.

Em São Paulo, uma das iniciativas que tem tido grande destaque é a da a Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp) – por meio do Concurso Acelera Startup
.

Nas últimas edições do evento, foram recebidas mais de 22 mil inscrições de todo o Brasil e participaram mais de 300 mentores e mais de 250 investidores. Somando as edições anteriores (2011, 2012, 2013, 2014, 2015 e 2016), o evento já gerou investimentos de mais de R$ 10 milhões. No site da entidade é possível encontrar todas as informações sobre o concurso.

Uma iniciativa que está com as inscrições abertas é a EDP Open Innovation 2017. Os interessados de qualquer localidade podem se candidatar até o dia 23 de agosto, por meio do site edpopeninnovation.edp.pt.

Em seguida, os grupos serão avaliados por um júri formado por representantes da EDP e do Grupo Impresa, empresa de comunicação parceira da companhia na edição deste ano.

Os 15 melhores serão levados para um programa de aceleração em Portugal, no qual terão a chance de desenvolver e testar a solidez e a viabilidae dos seus negócios.

Tem uma ideia inovadora? Que tal tirá-la do papel!

Leia também: Saiba quais são os modelos de negócios de startups que mais devem crescer

Leia tudo sobre:

Startup: entenda como funciona esse tipo de empresa

O Que É Uma Startup E Como Funciona?Conheça o trabalho de uma startup.

Você conhece a forma de trabalho de uma startup?

O mundo dos negócios é como a vida: se movimenta o tempo todo. Transformações na economia, na tecnologia e no estilo de vida das pessoas refletem em como o mercado funciona. Como resultado, modelos tradicionais passam a dividir espaço com empresas que nascem sob uma nova lógica.

O número de startups no Brasil praticamente dobrou em cinco anos. Segundo dados da Associação Brasileira de Startups (ABStartups), em 2012, início esse novo mercado, haviam cerca de 2.519 startups. Em 2017, esse número pulou para 5.147.

Startup: o que significa?

De acordo com o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), startup é um grupo de pessoas que, em condições de extrema incerteza, trabalha à procura de um modelo de negócio que seja:

  • Repetível – apto a entregar o mesmo produto ou serviço em grande escala;
  • Escalável – capaz de aumentar receita, mas com custos crescendo em um ritmo lento.
Leia também:  Como Saber Que Windows Tiene Mi Pc?

Não basta ter uma ideia na cabeça. Precisa trabalhar duro no planejamento antes de colocar em prática. Montar um plano de negócio e validar a ideia da startup são etapas fundamentais. Não só para aumentar as chances de o projeto dar certo no mercado, mas também para atrair investidores.

Outro jeito de ganhar apoio é com as aceleradoras de startups; algumas contam até com incentivo de governos e universidades.

Como o ambiente on-line permite o crescimento rápido, barato e em larga escala, muitas startups são ligadas à internet e atuam com sites e aplicativos. Mas podem ser de qualquer área, desde que atendam àqueles pré-requisitos: chances de expansão e de alta lucratividade em curto prazo.

Está mais fácil de entender, né? Se a ideia lhe agrada, fique de olho nesse modelo de negócio porque, afinal, ele está vencendo a crise.

Colaboração:
Ana Carolina Monteiro de Souza, docente do Senac Guaratinguetá

Comentários

Comentários

O que é startup: como funciona e 14 startups brasileiras para conhecer

O Que É Uma Startup E Como Funciona?

A palavra startup segue sendo cada vez mais utilizada quando o assunto está centrado no universo profissional e corporativo. Até aqui, no Na Prática, frequentemente tocamos no assunto. Afinal, aplicativos como Uber, o Airbnb, Instagram e Pinterest, por exemplo, já foram startups – sendo hoje companhias multimilionárias.

Não pode ler este texto sobre startups agora? Ouça o conteúdo no player abaixo!

E não pense que apenas empresas internacionais recebem essa classificação.

No Brasil, Nubank, GuiaBolso, QuintoAndar, Loggi, Contabilizei, Creditas e Amaro são startups.

Mas o que, de fato, significa ser uma startup? Por que é diferente de ser uma “empresa”? Você tinha ou acabou de começar a ter essa dúvida?

Leia também: Confira as vagas abertas em startups e empresas de tecnologia

O termo startup em si significa começar algo novo e é comumente relacionado à essa prática no mundo dos negócios voltada para a inovação. Portanto, uma startup, no contexto corporativo, é uma empresa que está em seu início, sem plano de negócios ou produto completamente definido.

Um supermercado nunca passa pela fase de ser uma startup, por exemplo, porque já nasce com mercado e um modelo de operações. De outro lado, quando uma startup encontra um modelo de negócios e um produto certo para o mercado, ela se torna uma empresa.

O que é startup: principais particularidades

Há outras características que diferem elas das companhias regulares, principalmente as três que destacamos a seguir:

Diferença nº1

As possibilidades de crescimento das startups são maiores

As startups são projetadas para crescer rapidamente. Na prática, isso significa que elas têm algo que podem vender para um mercado muito grande. Para a maioria das empresas comuns, esse não é o caso.

Essa é uma das razões pelas quais a maioria das startups são de tecnologia. Apesar de não ser um dos requisitos pertencer desse ramo, as empresas online podem chegar mais facilmente a um grande mercado do que as que são offline.

Diferença nº2

O meio de financiamento das startups é outro

As startups buscam investimento financeiro de forma diferente da maioria das pequenas empresas. Elas tendem a depender do capital que vem de investidores anjos ou companhias de capital de risco, enquanto as companhias regulares geralmente contam com empréstimos e doações.

Nesse modelo, os empreendedores que fundam as startups costumam contar com influência dos investidores nas tomada de decisões, ou até na forma de conselhos. Nessas empresas o papel dos investidores é maior exatamente porque por estarem tomando um risco tão grande.

Leia também: Como foi a jornada da Stone de startup à grande empresa pública

Diferença nº3

As startups têm uma estratégia de negócios “final”

Em um negócio tradicional, não é preciso ter uma estratégia “de saída” logo no começo. O dono é totalmente responsável pelo futuro da sua empresa e dependerá dele administrá-la pelo resto da vida ou decidir vender, fundir ou lançar no mercado de ações.

Para conseguir financiamento, os fundadores de uma startup precisam ter definido o que planejam fazer com a companhia e como os investidores serão recompensados durante esse tempo e depois dele, quando o empreendedor decidir vender ou fundir a startup com outra companhia.

O que são as startups unicórnio?

Uma empresa unicórnio é aquela que conseguiu algo tão difícil quanto encontrar a criatura mítica: ser avaliada em 1 bilhão de dólares antes de abrir seu capital em bolsas de valores.

Ou seja, a startup unicórnio é aquela que arrecada essa quantia antes de vender suas ações para o público e se tornar uma IPO (Initial Public Offering, em português “Oferta Pública Inicial” – OPI).

Histórico das empresas unicórnio

Em 2013, quando a venture capitalist (ou investidora-anjo) Aileen Lee introduziu o termo ao público, a partir do artigo Welcome To The Unicorn Club: Learning From Billion-Dollar Startups, apenas 39 empresas recebiam o título. Hoje, cinco anos depois, o número que compõem o ranking se multiplicou em mais de seis vezes.

O que é uma Startup e como funciona? – Vendus

Saiba o que é uma startup, quais as suas principais características e o que precisa para criar uma empresa inovadora e com grande potencial de crescimento.

O que é uma Startup?

Uma startup é uma empresa inovadora em fase inicial, com grande potencial de crescimento, habitualmente relacionada com a área da tecnologia. A expressão startup (start-começar| up – subir) transmite a ideia de rápida evolução e crescimento elevado numa fase inicial do negócio.

No fundo, o conceito de startup passa por uma visão que se transforma numa criação de um modelo de negócio inovador, repetível e escalável. Ou seja, uma startup encontra soluções criativas e “fora da caixa” para a resolução de determinado problema ou necessidade e consegue crescer rapidamente sem aumentar as despesas de forma proporcional.

Por exemplo, criar um novo hotel não é considerado uma startup, pois este é um modelo de negócio plenamente testado no mercado e com resultados previsíveis. No entanto, criar uma plataforma online como Booking ou Trivago, já poderá ser considerado startup, pois alia a área tecnológica à inovação e à criação de novas soluções.

Fature no seu escritório, restaurante ou loja desde 4€/mês? Experimente 30 dias Grátis!

Experimentar Grátis

Como Criar uma Startup?

Existem algumas questões que devem ser tidas em conta antes de abrir uma startup, salientamos as principais:

Ideia InovadoraNa realidade tudo começa com uma boa ideia, com uma solução inovadora para um problema ou necessidade existente no mercado. Por isso, é importante analisar e identificar um problema e encontrar uma resolução diferente e inovadora.

Protótipo Produto/ServiçoO passo seguinte é tornar a ideia em algo concreto, ou seja, apresentar uma versão básica do produto ou serviço aos potenciais clientes. Receber e analisar o feedback é fundamental para saber se é possível progredir com o negócio.

ParceriasEsta é uma etapa fundamental, pois é pouco provável um só empreendedor consiga fazer tudo o que é necessário para criar uma startup. É importante encontrar parceiros e colaboradores com diferentes skills relevantes para o negócio.

InvestimentoNormalmente criar uma startup implica investimento inicial. Mas como obter o dinheiro necessário para dar asas a um projeto inovador? Deixamos algumas ideias:

  • Bootstrapping – investimento com recursos próprios.
  • Investidores – pessoas que investem dinheiro em troca de participação na empresa.
  • Startup Portugal (Estratégia Nacional de Empreendedorismo) – disponibiliza instrumentos de financiamento e  medidas fiscais. Consulte todas as informações sobre o StartUP Voucher.

CoworkingUm dos locais ideais para iniciar uma startup pode ser um espaço de coworking, devido aos custos escaláveis, capacidade de aumento de área útil de trabalho e networking. Conheça as vantagens e desvantagens de um espaço de coworking.

Startup: o que é e como funciona

A palavra startup está sendo cada vez mais utilizada. No Brasil, Nubank, GuiaBolso, QuintoAndar, Loggi, Contabilizei, Creditas e Amaro são startups. A Uber, o Airbnb, Instagram e Pinterest também já foram startups – hoje são companhias multimilionárias.

Mas o que, de fato, significa ser uma startup? Por que é diferente de ser uma “empresa”? Você tinha ou acabou de começar a ter essa dúvida?

Uma startup é uma empresa que está em seu início, sem plano de negócios ou produto completamente definido. Um supermercado nunca passa pela fase de ser uma startup, por exemplo, porque já nasce com mercado e um modelo de operações. De outro lado, quando uma startup encontra um modelo de negócios e um produto certo para o mercado, ela se torna uma empresa.

O que é startup: principais particularidades

Há outras características que diferem elas das companhias regulares, principalmente as três que destacamos a seguir:

Diferença nº1

As possibilidades de crescimento das startups são maiores

As startups são projetadas para crescer rapidamente. Na prática, isso significa que elas têm algo que podem vender para um mercado muito grande. Para a maioria das empresas comuns, esse não é o caso.

Continua após a publicidade

Essa é uma das razões pelas quais a maioria das startups são de tecnologia. Apesar de não ser um dos requisitos pertencer desse ramo, as empresas online podem chegar mais facilmente a um grande mercado do que as que são offline.

Diferença nº2

O meio de financiamento das startups é outro

As startups buscam investimento financeiro de forma diferente da maioria das pequenas empresas. Elas tendem a depender do capital que vem de investidores anjos ou companhias de capital de risco, enquanto as companhias regulares geralmente contam com empréstimos e doações.

Nesse modelo, os empreendedores que fundam as startups costumam contar com influência dos investidores nas tomada de decisões, ou até na forma de conselhos. Nessas empresas o papel dos investidores é maior exatamente porque por estarem tomando um risco tão grande.

Diferença nº3

As startups têm uma estratégia de negócios “final”

Em um negócio tradicional, não é preciso ter uma estratégia “de saída” logo no começo. O dono é totalmente responsável pelo futuro da sua empresa e dependerá dele administrá-la pelo resto da vida ou decidir vender, fundir ou lançar no mercado de ações.

Para conseguir financiamento, os fundadores de uma startup precisam ter definido o que planejam fazer com a companhia e como os investidores serão recompensados durante esse tempo e depois dele, quando o empreendedor decidir vender ou fundir a startup com outra companhia.

Você sabe o que é um startup unicórnio?

Em 2019, o Brasil fechou o ano com cinco novas startups unicórnios . Entenda o que isso é veja quais são na matéria a seguir:

Leia também:  Como E Que Um Homem Se Mastruba?

Brasil se consolida como 3º maior criador de novas startups unicórnio

  • Este artigo foi originalmente publicado pelo Na Prática, portal da Fundação Estudar

Continua após a publicidade

  • Empreendedorismo
  • Empresas
  • Startups

Startup: O que é, exemplos e como criar uma startup – Ideia no Ar

O termo startup surgiu no Vale do Silício, a famosa região da Califórnia especializada em tecnologia e inovação. E apesar de recentes, as Startups já se tornaram conhecidas no mundo todo.

Existem diversas startups de sucesso no mercado atual, como Uber, Airbnb, Apple, etc. Por isso, não são raros os casos de empreendedores que querem investir nesse negócio tão promissor. 

Neste guia completo sobre startup, você vai saber de vez por todas o que é e como funciona esse tipo de negócio. Além disso, vamos te explicar todos os fatores para você criar uma startup de sucesso.

O termo startup ainda é muito recente e, apesar de conhecido, poucos sabem dizer o que o ele realmente significa. Muitos acreditam que uma startup é uma empresa em seu período inicial. Realmente, muitas startups são empresas que estão iniciando. Mas, não é só isso que as define. 

Basicamente, a definição correta de startup é uma empresa que possui um modelo de negócios repetível e escalável. Elas são inovadoras e, normalmente, usam a tecnologia para o seu funcionamento. Também são compostas por um grupo de pessoas com perfil e mindset empreendedor.

Quer tirar suas dúvidas sobre o que é uma startup? Confira o vídeo abaixo:

Lean Startup

O termo “lean” significa enxuta. Unindo esse conceito com o de startup, o pesquisador da Harvard Business School, Eric Ries, criou a metodologia Lean Startup ou Startup Enxuta. Ou seja, um modelo de startup que evita desperdícios de recursos, usando-os de forma inteligente para o crescimento do negócio.

Além disso, esse tipo de startup dá destaque para a execução e privilegia as interações. Isto é, as necessidades do cliente e a solução criada pela empresa vão sendo construídas juntas, a partir das interações práticas. 

Para resumir a Lean Startup existe um esquema chamado Ciclo de Feedback. Ele consiste em um processo de três etapas: construir, medir e aprender.

Assim, o primeiro passo é identificar um nicho de mercado e construir uma solução na forma de MVP. Então, medir os resultados com base nas opiniões dos clientes.

Em seguida, é preciso aprender com os erros e construir algo melhor. E assim sucessivamente.

Nesse ciclo de aprendizado, pode ser necessário mudar o modelo de negócios, incrementar a solução ou pivotar. A grande vantagem é que essa mentalidade traz agilidade e acelera a inovação na empresa. 

Tipos de Startups

As startups são empresas muito variadas e, por isso, podem atuar de várias formas. Alguns dos principais modelos de startups são:

B2B (Business to Business)

O modelo B2B, que significa “negócio para negócio”, atende outras empresas e não, o consumidor final. Um exemplo é o site Alibaba, que ficou famoso por conectar fornecedores e empreendimentos.

B2C (Business to Consumer)

Esse modelo significa “negócio para consumidor” e, envolve o fornecedor de produtos ou serviços e o consumidor final. Existem diversas Startups B2C de sucesso. O Uber, por exemplo, é um Marketplace que conecta motoristas (prestadores de serviços) com passageiros (consumidores finais). 

B2B2C (Business to Business to Consumer)

O modelo B2B2C significa “negócios para empresas para consumidores”. O iFood é um ótimo case desse tipo de startup. A empresa faz parceria com outras empresas, que são os restaurantes, para facilitar a venda aos clientes finais.

Modelos de negócios de startups

Além dos vários tipos de startups, há diferentes opções de modelos de negócios. Algumas delas são:

SaaS 

O Software as a Service (SaaS), ou software como serviço, oferece serviço na nuvem. Em resumo, ele funciona como um software autônomo, capaz de facilitar e automatizar os serviços manuais. Esse modelo de negócios é indicado principalmente para o público empresarial. 

Marketplace

O Marketplace funciona como um shopping virtual. Ele é um modelo de negócio que conecta oferta e demanda por meio de uma plataforma digital. Nessa plataforma, os clientes podem encontrar vários vendedores ou prestadores de serviço, e muitos falam que o marketplace é a evolução do e-commerce.

Como montar uma startup enxuta? O que é e como investir

Startup é uma empresa que tem um modelo de negócio criado em um cenário de incerteza, porém inovador, escalável e rentável. O número de negócios nesse modelo cresce mais a cada dia. No entanto, é preciso muito trabalho e dedicação para realmente entregar ao mercado soluções novas para problemas antigos.

Pensando em abrir empresa? Que tal descobrir mais sobre startup, como é e como funciona? Sim, entre os diversos tipos de negócios que você pode abrir, um deles é uma startup. O termo bastante conhecido e comentado nos últimos anos diz respeito a um modelo de negócio inovador, criado em um cenário de incertezas, mas escalável e repetível.

De uma forma mais simples, podemos dizer que startup é uma empresa iniciada do zero que cria soluções novas para problemas antigos.

Segundo informações da StartupBase, base de dados da Abstartups, Associação Brasileira de Startups, o Brasil já conta com mais de 13.200 startups, distribuídas em 634 cidades.

Muitos consideram que uma startup são apenas empresas voltadas para tecnologia, ou criadas em ambiente virtual, o que não é verdade.

O fato é que qualquer ideia inovadora, que gere uma nova solução e com potencial de lucros pode se tornar uma startup. Mas como conseguir isso? Quais passos seguir? 

Neste artigo você vai descobrir tudo sobre startup, como é e como funciona, por onde começar e muito mais. Acompanhe!

O que é startup?

Ao pé da letra a palavra startup significa “ato de começar algo”. No entanto, a aplicação desse termo é muito mais ampla.

Startup é um modelo de negócio que traz soluções novas para problemas antigos. Ou seja, trata-se de uma empresa que, por meio de uma ideia inovadora, resolve dores antigas dos consumidores.

  • Mas quando falamos em “solução inovadora”, muitas pessoas pensam que as startups se limitam a empresas que têm como base a internet ou soluções digitais.
  • A verdade é que as startups precisam sim de tecnologia para chegar a esse resultado, porém, não se limita a ela.
  • Para ser considerada uma startup a empresa precisa ter algumas características bem particulares. 
  • Assim, além de ser um modelo inovador, é preciso também que seja escalável, repetível e ter sido criada em um cenário de incertezas.

Modelo de negócio inovador

O modelo de negócio de uma startup não diz respeito apenas ao produto ou serviço que a empresa pretende oferecer, mas principalmente ao valor que isso trará para os clientes e ao potencial de lucro que pode gerar para seus idealizadores e investidores.

Escalável

O termo escalável refere-se a uma empresa que consegue gerar lucros sem que sejam necessários gastos extras na mesma proporção ou modificações no seu modelo base.

Repetível

Quanto ao repetível, trata-se de conseguir entregar a solução criada em uma escala ilimitada sem perder a qualidade.

Cenários de incertezas

Por ser baseada em uma ideia que foge do tradicional, nada garante que uma startup realmente dê certo. Por essa característica é que se diz que é uma empresa criada sobre um cenário de incertezas.

A ideia, no entanto, é conseguir fazer com que a empresa sobreviva financeiramente até que sua solução se torne realmente lucrativa.

Uma das maneiras de conseguir passar por essa fase é utilizando o MVP (Minimum Viable Product, ou Produto Mínimo Viável). Nesse molde, a startup lança seu produto e serviço, porém para um número limitados de pessoas.

Dessa forma, é possível avaliar a repercussão e aceitação, bem como identificar falhas que necessitam de ajustes e resolvê-las antes de lançar a solução em larga escala.

Essa abordagem reduz os custos e minimiza perdas financeiras comuns no início desse processo.

Que tipos de negócios podem ser uma Startup?

Ficar por dentro do termo startup, como é e como funciona, inclui também entender que esse tipo de empresa pode atender diferentes públicos. Ou seja, ela pode ser:

  • B2B, Business to Business: modelo de “negócio para negócio” que se refere a empresas que atendem outras empresas e não o consumidor final;
  • B2C, Business to Consumer: esse, por sua vez, é de “negócio para consumidor”, ou seja, as soluções criadas são destinadas diretamente ao cliente final;
  • B2B2C, Business to Business to Consumer: como a sigla sugere, trata-se de uma empresa que atende outra empresa, mas que também tem como foco o consumidor final.

Considerando esses formatos, quais segmentos têm potencial para se tornarem startups? Veja algumas sugestões:

  • aplicativos para celulares;
  • soluções de segurança para TI (Tecnologia da Informação);
  • criação de dispositivos vestíveis;
  • negócios ligados à economia colaborativa;
  • novas redes sociais ou adaptação de modelos estrangeiros;
  • serviços de conveniência;
  • terceirização de atividades;
  • soluções voltadas para aprimoramento de serviços de saúde e educação. 

Como abrir uma startup?

Todas essas possibilidades lhe inspiraram? Pois então este é o momento ideal de saber outra etapa desse trajeto sobre startup, como é e como funciona: o que é preciso para abrir uma empresa desse modelo.

Ainda que o conceito de inovação esteja totalmente relacionado às startups, a formalização de uma empresa desse tipo segue o mesmo padrão de abertura de qualquer outro negócio.

Ou seja, para abrir uma startup também é preciso:

  • elaborar o contrato social;
  • escolher o modelo societário;
  • dar entrada na Junta Comercial;
  • obter o CNPJ, Cadastro Nacional de Pessoas Jurídicas;
  • obter a Inscrição Estadual;
  • obter a Inscrição Municipal;
  • solicitar o Alvará de Funcionamento etc.

Neste artigo vamos focar em mostrar a startup como é e como funciona. Mas não precisa se preocupar, pois não vamos lhe deixar na mão sobre como abrir empresa!

Para resolver essa questão leia o artigo “Como abrir empresa pela internet? Veja o passo a passo” e descubra tudo o que é preciso para abrir seu negócio sem sair de casa!

No entanto, até chegar à etapa de formalização propriamente dita, é preciso passar por diversas fases. 

Para lhe ajudar nesse percurso, separamos as 10 dicas mais importantes de como criar uma startup de sucesso!

1. Comece com uma boa ideia

Descobriu uma forma mais fácil de realizar uma atividade do seu dia a dia? Talvez essa ideia possa se transformar em uma startup.

  1. Porém, por mais que muitas pessoas tenham o conceito de “minha ideia é ótima, só falta dinheiro para pôr em prática” é preciso analisar se ela realmente é viável.
  2. Aqui também não se pode esquecer que startup trata-se de uma empresa que traz soluções inovadoras para problemas já conhecidos. 
  3. Ou seja, querer lançar no mercado algo que já existe não é uma característica desse tipo de negócio.
Leia também:  Como Recuperar Arquivos Do Pen Drive Que Não Abre?

2. Valide sua ideia

  • Para atender todos os pontos citados anteriormente, a dica é que você valide a sua ideia antes de tirá-la do papel.
  • Uma boa maneira de fazer isso é pesquisando o mercado no qual vai atuar para verificar se outras empresas já não lançaram soluções semelhantes a sua.
  • Além disso, vale conversar com o maior número possível de pessoas para ver o que o público acha da sua proposta. 
  • Ir a feiras e eventos relacionados ao tema pode ser uma boa estratégia para obter essas informações.

3. Monte seu time

A ideia até pode ser sua, mas é bastante improvável que consiga fazer tudo o que precisa sem ajuda.

Por isso, para ter um negócio de sucesso é bem importante formar um bom time com pessoas que complementam suas habilidades.

De modo geral, uma startup é divida em quatro competências: gestão, tecnologia, operação e vendas. Ou seja, será preciso ter profissionais responsáveis por esses setores para que as responsabilidades e atribuições sejam divididas.

Aqui, vale convidar pessoas que já fazem parte do seu círculo de convivência, bem como lançar mão de networking e indicações de bons nomes.

4. Entre em acordo com seus sócios

Pesquisas apontam que um dos maiores motivos que levam ao fechamento de uma startup é o desentendimento entre os sócios.

Lembra o contrato social que citamos anteriormente? Pois esse documento é essencial para estabelecer o papel de cada um dentro da sociedade, definindo seus direitos e deveres.

Uma dica que, inclusive, aparece na cartilha do Sebrae sobre o tema, é criar também um contrato informal. Nesse, deve-se relacionar as expectativas, objetivos e limitações de cada sócio.

Ou seja, ainda que a pessoa escolhida para trilhar com você esse trajeto seja de sua total confiança e que tenham um ótimo relacionamento, negócios são negócios e devem ser tratados como tal.

Leia este artigo “O que é Contrato Social” e descubra tudo sobre esse documento.

5. Inicie os testes

Anteriormente havíamos citado o MVP, se lembra? Essa estratégia é extremamente importante quando se está iniciando uma startup.

O processo de testes do seu produto ou serviço, que é feita em escala reduzida, vai permitir identificar com clareza se sua ideia realmente será bem aceita no mercado e se tem mesmo potencial para ser lucrativa.

6. Mensure os resultados

As métricas são essenciais para medir a evolução do seu negócio. Por isso, é preciso definir quais serão utilizadas para identificar se metas estão sendo mesmo sendo alcançadas.

Por exemplo, se o teste inicial da sua startup visava constatar quantas pessoas se interessam em baixar seu aplicativo, é preciso ter uma métrica que faça essa mensuração.

Não trabalhar com números pode ocultar a realidade do seu negócio, bem como levar à perda de bons insights para aprimorá-lo.

7. Busque apoio

Considerando que todas as etapas anteriores deram certo, para que sua startup decole é bem importante buscar apoio. Nesse ponto há diversos canais que podem ajudar no crescimento da sua empresa. 

As chamadas “incubadoras” ou “aceleradoras”, são instituições com programas específicos para startups. 

Além de apoio financeiro, o empreendedor também recebe mentoria, ajuda para conseguir clientes, aproximação com outras empresas do segmento, entre outras funções que auxiliam na evolução da startup.

8. Capte investidores

Outra característica bem marcante das startups são os investidores. Porém, ainda que o termo “investidor-anjo” seja bastante utilizado nesse modelo de negócio, esse participante não cai do céu.

Assim, é preciso buscar (com determinação) pessoas e empresas que estejam interessadas em investir na sua ideia. Para conseguir isso é fundamental saber como apresentá-la.

O pitch é uma apresentação breve que deve ser levada aos potenciais investidores. Ainda que resumida, deve trazer os pontos mais importantes do seu negócio, incluindo:

  • qual o produto ou serviço;
  • qual o diferencial;
  • quais as vantagens;
  • o que os testes iniciais apontaram;
  • qual o potencial de lucro;
  • capital necessário para prosseguimento.

Infelizmente, a captação de investimento é o segundo motivo que leva ao fechamento das startups. 

Algumas formas de conseguir recursos financeiros para continuidade das atividades são:

  • convidando um novo sócio;
  • com investimento FFF (family, friends, fools)
  • solicitando um empréstimo e convertendo-o em participação societária;
  • solicitando um financiamento coletivo (crowdfunding).

9. Defina a cultura da sua empresa

A cultura de uma startup é um dos pontos que atrai novos talentos (e até investidores) para a empresa. 

Por isso, quando estiver em expansão, não deixe de manter a característica inicial da sua empresa, o perfil e os propósitos pelo qual ela foi construída.

10. Busque expansão

Seu modelo de negócio deu certo? Então por que não expandi-lo? 

Se a sua startup se tornou realidade na região que propôs cobrir inicialmente, é bastante interessante expandir os horizontes e ir além dessas barreiras, criando uma estratégia que a torne nacional e, por que não, internacional.

Afinal, o objetivo de qualquer startup é se transformar em um negócio de grande sucesso, com crescimento maior e mais reconhecido a cada dia.

Quais empresas no Brasil e no mundo são startups?

  1. Agora que você sabe mais sobre startup, como é e como funciona, é interessante ter em mente também que ter espírito empreendedor é a principal característica que uma pessoa precisa ter para abrir um negócio como esse.

  2. Um dos motivos é que as startups estão mudando conceitos, alterando processos engessados e, com isso, melhorando a vida de milhares de pessoas e empresas todos os dias.
  3. Mas para chegar a todos esses resultados é preciso muita força de vontade, trabalho, dedicação e, claro, acreditar na sua ideia.

  4. Para lhe inspirar ainda mais, veja algumas das mais startups mais conhecidas no Brasil e no mundo.

Nubank

  • O Nubank é uma startup brasileira que entra na categoria das fintechs, que são empresas que utilizam tecnologia para promover soluções financeiras.
  • Criada em 2013, a instituição financeira recebeu sete rodadas de investimento, sendo a primeira de US$ 2 milhões, que contou com a participação das empresas Sequoia Capital e Kaszek Ventures.
  • No mais recente investimento o Nubank recebeu um aporte de US$ 400 milhões. 

Uber

A startup que revolucionou o serviço de transporte particular em diversos países, foi criada em 2010. Em 2019 abriu capital na Bolsa de Nova York valendo US$ 82,4 bilhões.

iFood

Outra startup brasileira de sucesso é o iFood. A empresa fundada em 2011, mudou a forma de pedir e entregar comida e se tornou líder do segmento na América Latina, com forte presença na Argentina, México e Colômbia.

Em um dos seus últimos aportes, a empresa recebeu US$ 500 milhões investidos pela Movile Naspers e Innova Capital.

Contabilizei

Sim! Nós também somos uma startup! 

Criada em 2013, por Vitor Torres e Guilherme Soares, o propósito da Contabilizei sempre foi inovar os serviços contábeis por meio da oferta de atendimento 100% on-line.

Startup: entenda o que é e como funciona esse tipo de empresa

As primeiras startups sugiram junto com a bolha da internet, entre 1996 e 2001.

No entanto, o conceito pode ter surgido alguns anos antes disso, quando muitas empresas, hoje bilionárias, começaram as suas operações praticamente em uma garagem e com um investimento pequeno.

Relembrando os anos de fundação de empresas como a Microsoft, 1975, HP, 1939, Apple 1976, que até hoje são sinônimo de inovação. Portanto, pode-se dizer que o termo startup começou a partir daí.

Em resumo, uma startup representa uma empresa que está iniciando no mercado de forma escalável e inovadora. Dessa forma, muitos desses novos negócio ainda não têm o seu desenvolvimento completo; fazem experimentos e pesquisas para encontrar a melhor maneira de trabalhar e desenvolver o produto ou serviço. 

Além disso, o espírito empreendedor das empresas é uma das características desses novos negócios. Sendo assim, o formato é baseado na ideia de fazer um trabalho que foge do comum, ou seja, inovador. 

Conceito de startup

Existem algumas divergências em relação à definição exata do conceito que define uma startup. Alguns especialistas afirmam que qualquer empresa inovadora iniciante no mercado se encaixa na modalidade.

 Entretanto, outros especialistas dizem que é necessário que a empresa tenha sido fundada com baixo custo e que possa crescer rapidamente; garantindo uma lucratividade grande e sendo rentável para se enquadrar neste conceito.

Contudo, apesar dessas discordâncias, é possível chegar em um consenso. Para ser considera uma startup a empresa precisa apresentar um trabalho inovador, mostrando a possibilidade de um futuro promissor e com um bom modelo de negócio.

Principais características de uma startup

No universo do empreendedorismo, uma startup é uma nova empresa que possui algumas características específicas, que são:

1. Espírito inovador

A startup precisa ter algo diferente do que já existe no mercado, seja no seu produto/serviço ou no modelo de negócio. Dessa forma, ela precisa oferecer uma vantagem competitiva e uma ideia inovadora.

2. Escalabilidade

O modelo de negócio de uma startup precisa ser escalável, isto é, precisa crescer de forma acelerada, sem exigir na mesma proporção recursos humanos ou financeiros. Ou seja, crescer muito sem exigir de muitos recursos.

3. Ter potencial para atingir grandes mercados

Uma startup busca criar produtos/serviços que possam ser utilizados por milhares e até milhões de clientes. Por isso ela precisa ter uma projeção de crescimento contínuo.

4. Pensar grande

As startups, mesmo começando como pequenas empresas, já nascem com uma grande ideia! Elas desejam ser grandes empresas no futuro. Diferentemente de outras empresas que têm como objetivo apenas a realização pessoal ou sobrevivência do empreendedor.

5. São enxutas e flexíveis

O item acima ressaltou o propósito de grandeza, certo? No entanto, apesar dessa característica, as startups devem ser enxutas, pois elas precisam validar a sua inovação constantemente. Dessa forma, as empresas precisam estar prontas para mudar o seu produto/serviço e/ou modelo de negócio de forma a adequá-los de acordo com a necessidade dos clientes.

START UP!

Agora que você já sabe o que é uma startup e suas características, fica mais fácil para decidir investir em uma, trabalhar nela ou até empreender com a sua ideia. Portanto, se você tem alguma história legal, experiência ou curiosidade sobre esse assunto, é só deixar aqui nos comentários.

Até a próxima!

Leia também

  • Intraempreendedorismo, os empreendedores dentro das empresas
  • Empreendedorismo: 3 artigos inspiradores que você precisa ler
  • Empreendedorismo: seja um MEI e abra o seu negócio durante a faculdade

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*