O Que É Uma Franquia E Como Funciona?

Início / O que significa franquia? GUIA COMPLETO: o que é franquia, taxas, tipos

O Que É Uma Franquia E Como Funciona?

Você já deve ter ouvido falar das franquias e de como esse segmento tem crescido no mercado brasileiro. Mas você realmente sabe o que é franquia?

  • Para aqueles que se interessam pelo universo do empreendedorismo, saber o que é uma franquia é fundamental.
  • Isso porque, a franquia pode ser uma ótima opção para abrir o próprio negócio, principalmente para os empreendedores de primeira viagem.
  • Além da possibilidade de investimento em franquias, é também uma saída iniciar uma empresa do zero.
  • Mas, neste caso, é necessário montar um plano de negócios, fazer vários testes e se preparar para atuar sozinho, até alcançar o sucesso.
  • Uma franquia, por sua vez, entrega ao franqueado um plano de negócios completo.

Nele há todos os passos que o empreendedor deve seguir para abrir a franquia e gerenciar o dia a dia de trabalho. Há também informações sobre o aspecto jurídico, financeiro, auxílio para o marketing e mais. 

É importante destacar que este é um segmento em expansão e com inúmeras possibilidades de atuação.

Além disso, é possível investir em uma franquia tradicional em modelo de loja ou até em modalidades mais modernas, como as franquias virtuais, em formato quiosque, foodtruck e container. 

A seguir, contamos tudo o que você precisa saber para entender o que é uma franquia. Vantagens, cuidados, tipos de franquias, como escolher a melhor para o seu perfil, taxas associadas, entre outras informações.

O texto é longo, mas será de grande ajuda porque está bem completo. Então, se você pretende descobrir tudo o que é necessário para investir em franquias, continue a leitura!

O que é franquia?

A franquia nada mais é do que uma estratégia de negócio cada vez mais atrativa.

O formato consiste em permitir que um empreendedor use da marca e tecnologia de uma empresa que já atua no mercado. Ou seja, o futuro franqueado.

  1. Porém, para isso, o franqueado precisa realizar o pagamento de algumas taxas que concedem o direito de uso da marca, transferências de know- how, treinamentos e suportes oferecidos pela rede.
  2. Tudo é estabelecido com base na Lei de Franquias, assunto que abordaremos mais à frente.
  3. No empreendedorismo comum, o empresário precisa passar por várias etapas para consolidar o negócio no mercado.
  4. Os estágios vão desde a escolha do nome e formulação de um produto, até campanhas de marketing.

Não é difícil entender que, para alguém com pouca experiência no assunto, o trabalho pode se tornar um empecilho. É comum, até, que todo o trabalho desmotive o investidor.

  • Investir em um modelo de franquia é a certeza de colocar o seu dinheiro em uma empresa que já deu certo, passou por desafios e que deseja ampliar o alcance.  
  • O investidor adquire o direito de abrir a loja física ou home office (em marcas que possibilitam essa atividade) e começa a executar as atividades da marca de acordo com as suas regras.
  • Outro ponto que o interessado deve observar é a possibilidade de oferecer um produto e/ou serviço que já foi testado, comprovado e aprovado pelo público. 
  • Como tudo já está à disposição do franqueado, ele só precisa garantir a qualidade do trabalho, a divulgação, a capacitação dos seus colaboradores e o controle de gastos.
  • Mesmo que a marca não pertença a você, será sua responsabilidade administrar os gastos e investimentos na sua unidade. 
  • Para saber todos os detalhes sobre a franquia, assista ao vídeo abaixo.

A criação das franquias

Historiadores contam que o sistema de franquias surgiu há muito tempo, ainda no século XII, em Londres, por práticas bem semelhantes ao sistema que conhecemos hoje.

Mas esse tipo de negócio cresceu e passou a funcionar de forma mais padronizada nos Estados Unidos, logo após a Guerra Civil.

Isso porque, muitos soldados voltaram para casa sem emprego e sem nenhuma experiência de trabalho. Mas, eles precisavam sustentar as suas famílias.

Na época, a I.M Singer & Co., empresa de máquinas de costura, decidiu conceder o direito de uso da marca Singer para que fossem comercializadas as máquinas aos comerciantes independentes.

O Que É Uma Franquia E Como Funciona?A Singer foi a empresa que iniciou propriamente o franchising e estabeleceu um modelo semelhante ao que existe hoje.

A ideia deu tão certo que logo apareceram outros modelos de empresas que “vendiam” o seu nome. Como a General Motors e a Coca-Cola.

Nas décadas de 1950 e 1960, todo esse movimento fez com que as marcas mundialmente famosas ganhassem espaço.

Como o McDonald’s, até hoje, uma das maiores referências do mercado de franquias no mundo, além de outras como o Burger King e a KFC.

No Brasil, as franquias começaram com modelos de escolas de idiomas. Foram marcas como a Yazigi e a CCAA.

Daí em diante, o sistema passou por muitas mudanças, até que surgiu a Associação Brasileira de Franchising (ABF), em meados dos anos 1980.

Algum tempo depois, foi criada a  Lei da Franquia 8.955/04, em 15 de dezembro de 1994. Essa Lei, que até então nunca havia sido alterada, passou por algumas modificações no ano de 2019.

Como Funciona Uma Franquia: O que é, Sistema, Contrato e Dicas

O Que É Uma Franquia E Como Funciona?Aprenda como funciona uma franquia e veja se é um bom negócio no seu caso!

Você cansou de se dedicar intensamente ao seu trabalho e continuar ganhando o mesmo salário? Decidiu dar um basta nesta situação e investir no seu negócio? Existem diferentes caminhos que podem ser seguidos para se tornar o seu próprio chefe, sendo possível começar do zero com um empreendimento ou adquirir uma franquia, que é o meio mais utilizado para quem busca entrar no mercado com segurança.

No Brasil, a abertura de franquias cresceu 127% nos últimos dez anos, o que se deve ao fato desta modalidade de negócio ter se democratizado bastante, uma vez que comporta empresas que atuam em diferentes segmentos, as quais vão desde o ramo alimentício até o de prestação de serviços. O país conta com mais de 220 mil franquias que faturam em torno de um bilhão por dia. Apenas no estado de São Paulo estima-se que a cada hora são abertas duas unidades de franquia.

Comprar uma franquia traz uma série de benefícios para o franqueado, mas antes de fechar negócio com uma marca do seu interesse é recomendado compreender completamente como funciona esta modalidade de negócio. Para te ajudar a entender melhor desenvolvemos este texto ensinando como funciona uma franquia, além de excelentes informações sobre o assunto. Confira abaixo:

Entenda o Que é Uma Franquia

Você certamente já ouviu falar em O Boticário, Bob’s e McDonald’s, não é mesmo? Sabe o que estas grandes marcas têm em comum? Todas elas operam as suas atividades na modalidade de franquia, que tem um funcionamento muito simples. Basicamente, as franquias são empresas que disponibilizam a sua marca e estrutura para que os empresários interessados possam desenvolver a atividade em uma determinada cidade.

Para ter direito a trabalhar com a marca de uma empresa franqueadora é necessário pagar uma quantia específica para a aquisição e arcar com uma mensalidade, que depende dos níveis de faturamento que é possível obter com a unidade franqueada. Todas as questões de valores, além de direitos e deveres, tanto do franqueado quanto do franqueador, são estipulados em um contrato.

É importante frisar que existem franquias que cobram outras taxas e outras sequer cobram sobre o faturamento mensal, por isso é de suma importância ler com atenção a COF (Circular de Oferta Franquia), na qual especificará todos os pontos referentes à franquia.

As franquias estão entre alguns dos principais pilares da economia mundial, visto que algumas das maiores marcas trabalham neste sistema, difundindo os seus serviços e gerando emprego em inúmeros países. Inicialmente, as principais franquias atuantes no Brasil eram estrangeiras, mas na última década este cenário mudou muito, contando com pequenas e grandes franqueadoras nacionais.

Está interessando em trabalhar com empresas estrangeiras? Não tem problema, você pode conferir o nosso texto que trata especificamente das franquias internacionais, as quais mantém uma excelente aceitação no mercado brasileiro.

Ao Abrir Uma Franquia Você se Torna o Seu Próprio Chefe?

Se ao abrir uma franquia o franqueado se torna o seu próprio chefe é uma das dúvidas mais comuns entre as pessoas que se interessam por esta modalidade de negócio. O franqueado tem mais liberdade quanto aos seus horários e lucros financeiros, mas ele ainda não é totalmente independente.

O contrato de aquisição de uma franquia prevê que o franqueado estará sempre ligado à marca, tendo que responder a um superior e seguir à risca as orientações dadas para que o negócio mantenha o seu padrão de qualidade. O franqueado não tem o poder de alterar nenhum produto ou serviço da marca, pois do contrário estará sujeito a arcar com multas.

É comum as pessoas ficarem em dúvida entre abrir um negócio próprio ou franquia, e isso é perfeitamente normal, já que ambos tem vantagens e desvantagens, caso esta seja uma das suas dúvidas, poderá solucioná-la com nosso texto é melhor comprar uma franquia ou começar uma marca nova?

Quais São as Vantagens

O aumento significativo da abertura de franquias no Brasil não é à toa, tendo ocorrido principalmente em razão dos benefícios que esta modalidade de negócio é capaz de proporcionar para os empresários.

Leia também:  Como Recuperar Janelas Que Estão Fora Da Tela?

Uma das principais vantagens de abrir uma franquia é o fato de ser um negócio com menos riscos, pois se trata de negócios que já estão estabelecidos no mercado, são planejados, possuem um modo de operação e contam com um público-alvo definido.

Além disso, ao contrário dos empreendimentos comuns, as franquias têm um retorno financeiro muito rápido, pois se estima que elas possuam um prazo máximo de recuperação de capital de 24 meses, podendo ser antes, dependendo do valor da marca. As franquias também oferecem facilidade de crédito para os franqueados, pois a maioria delas é conveniada à Caixa Econômica Federal, o que permite o financiamento do negócio.

As franquias são opções lucrativas de negócio, pois os franqueados trabalham com uma marca que é facilmente reconhecida pelos clientes, sem a necessidade de ter que passar de forma tão dificultosa pelo processo inicial de conquistar a confiança dos consumidores. Outra vantagem de ser um franqueado é poder adquirir melhores contratos com os fornecedores, pois as franquias podem comprar os suprimentos em uma quantidade maior, recebendo descontos.

A quantidade de segmentos que as franquias atuam é imensa, na verdade, dificilmente você não encontrará uma franquia que suas habilidades não se adequem, já que estão no ramo de alimentação, tecnologia, prestação de serviços e muitos outros.

Outra dúvida bastante comum em relação às franquias é o custo para montá-la. Existem franquias de todos os portes, algumas realmente exigem investimentos altos, contudo, você poderá encontrar facilmente uma vasta quantidade de franquias baratas.

Taxas Para Adquirir Uma Franquia

A aquisição de uma franquia envolve uma relação de dois lados, sendo o do franqueador, quem vende os direitos do sistema do negócio e do seu nome, e o do franqueado, pessoa que compra a franquia. Esta relação é totalmente embasada em um contrato, no qual são indicados os direitos e deveres a serem cumpridos, além das taxas que precisam ser pagas.

Primeiramente, o franqueado paga o valor de aquisição da marca de franquia, o que é feito apenas uma vez como, por exemplo, a do McDonald’d, que custa aproximadamente R$ 1.000.000,00 (um milhão de reais).

Geralmente, nesta taxa inicial estão inclusos os gastos com estruturação do espaço físico da unidade, compra de equipamentos para trabalhar, treinamento de funcionários e gestores, abastecimento do primeiro estoque, entre outras coisas.

Os gastos da abertura e manutenção da unidade de franquia que não fazem parte do valor de aquisição são os de aluguel do imóvel, água, luz, internet e telefone, impostos fixos (ISS e IPTU), além do pagamento dos funcionários e dos sócios.

Normalmente, um contrato de compra de franquia dura dez anos, durante este período o franqueado terá que pagar uma mensalidade, cujo valor depende da marca adquirida.

O contrato pode ser renovado se houver interesse por parte do franqueado e do franqueador.

No valor da mensalidade paga para o franqueador estão inclusos a taxa de royalties, que gira entre 1% e 30%, a taxa de publicidade que é de em média 10% e a taxa de fornecimento de suprimentos, que depende do tipo de produto comercializado.

Cláusulas Restritivas

A maioria das franquias se torna bem sucedida no mercado devido ao modo como operam as suas atividades.

Sendo assim, ao adquirir os direitos de trabalhar com uma marca o franqueado se comprometem com cláusulas restritivas, tendo que manter o segredo dos sistemas operacionais, produtos e métodos da marca, evitando o vazamento das informações para a concorrência. Caso descumpra esta cláusula o franqueado terá que arcar com uma multa.

Além de proteger os segredos de operação da marca, algumas empresas também podem exigir que o franqueado não adquira outra franquia que atue em uma atividade similar durante a vigência do contrato ou em prazo pré fixado após o seu término. As cláusulas restritivas geralmente são maiores em franquias internacionais, famosas e de grande porte.

Uma boa dica para quem não é experiente no segmento de franquias e busca iniciar no negócio é procurar por micro franquias, as quais exigem um baixo investimento e tem uma boa taxa de rentabilidade.

O Franqueado Escolhe o Ponto Para Montar?

O local em que um negócio é montado é de suma importância para o seu funcionamento. Neste caso, as franquias mais bem conceituadas no mercado são as próprias responsáveis por escolher o ponto em que os seus franqueados irão instalar as unidades, estudando se a cidade tem potencial para bons rendimentos, quais são os riscos e focos de concorrência.

O estudo realizado pelas franquias de grande porte é realmente eficiente, sendo que, caso as mesmas averiguem que o negócio não será bem sucedido na localidade, a mesma “nega” o pedido do franqueado. Por isso é cobrado pelas franquias maiores um valor para que os especialistas venham até a localidade e façam todo o estudo prévio do negócio.

Neste quesito, as franquias menores e mais baratas oferecem mais liberdade para os seus franqueados, permitindo que eles mesmos escolham o local em que desejam abrir a unidade, desde que respeitem as características do negócio e exigências do contrato.

Aprendeu Como Funciona Uma Franquia? Deixe Suas Dúvidas

★ Dica Importante!

Para qualquer negócio que você for montar é importante fazer um planejamento. Para isso, estude em livros, contrate uma consultoria ou use o Kit Novo Negócio.

Enfim, escolha a opção que mais lhe agrada, apenas NÃO ARRISQUE suas economias e o bem-estar da sua família em um chute!

Franquia: como funciona este modelo de negócio?

Provavelmente, ao passear por shoppings e centros comerciais, você notou que já havia visto muitas marcas que estavam ali em outro lugar. Isto é devido ao fato de shoppings serem um grande centro de concentração de franquias. 

Um fator que normalmente chama a atenção das pessoas é como que esses pontos em diferentes lugares podem ter o mesmo padrão. Como é possível ir em uma loja do McDonald’s em uma cidade e na outra consumir o mesmo produto? 

Estas são características do mercado de franchising e que em muitos casos, é pouco esclarecido e difundido entre as pessoas. Afinal, o que é franquia? Confira e saiba mais! 

Saiba o que você irá encontrar neste artigo:

De uma forma simples, franquia é um modelo de negócio que se baseia na concessão do direito de uso de uma marca, patente, infraestrutura, know-how ou conceito a um investidor. Este modelo é baseado na padronização de processos e produtos. 

Este direito é concedido por um franqueador – proprietário da marca –  a um franqueado – investidor – para replicar, em outros formatos e locais, os serviços e produtos oferecidos pela marca. Portanto, o modelo de franquia é a permissão dada por um proprietário de um negócio reconhecido e bem-sucedido a um investidor interessado em replicar este modelo.

O modelo de negócio baseado no franchising iniciou nos Estados Unidos, no ano de 1850. A primeira empresa a pensar em um formato primário de franquia foi a Singer Sewing Machine, da região de New England. A empresa decidiu conceder licenças de uso da marca para comerciantes que gostariam de revender seus produtos em outras regiões do país. 

Em 1898, outra grande empresa decidiu tomar o mesmo rumo. A General Motors, apostou neste modelo de expansão de seus pontos de venda, quando criou, assim, o conceito de concessionária de veículos. A Coca-Cola também entrou para o mercado neste mesmo período, dando direito a outros empresários de produzir e vender seus refrigerantes por outras localidades dos EUA. 

A proposta de negócio começou a ser reproduzido no Brasil com a pioneira Yázigi Internexus. A escola de idiomas teve sua primeira franquia no Brasil no estado de São Paulo, no ano de 1954. 

A partir disso, outras diversas empresas foram optando por este modelo de expansão. Apostaram no mercado com a esperança de chegar no sucesso que é hoje ao redor de todo o mundo. 

Este formato de negócio é baseado em uma relação de dependência entre franqueador e franqueado. O franqueado, investidor, é responsável pela administração da unidade. Ele tem diversas obrigações para com a marca. O investidor deve pagar as taxas que envolvem o sistema e cumprir com as determinações da marca. 

A parte franqueadora, que detém o direito de uso da marca, é responsável pela prestação de suporte aos franqueados. Os franqueadores têm a obrigação de repassar o know-how e todo o treinamento para funcionamento do negócio. Além disso, a parte detentora pode ter obrigações contábeis, operacionais e de fiscalização da rede. 

Quais são as principais taxas do mercado de franquia? 

Como parte das obrigações dos franqueados com os franqueadores, estão algumas taxas que devem ser pagas para obter o direito de comercializar a franquia. Essas taxas são definidas no contrato de franquia, que o franqueado assina ao comprar o direito de uso da marca. 

Algumas são pagas quando se adquire a franquia e outras funcionam como espécie de remuneração mensal para o franqueador. Essa taxa mensal também engloba os processos administrativos e operacionais que o franqueador deve prover. Confira quais são as principais taxas do franchising:

  • Taxa de franquia: esta taxa única é paga ao adquirir o direito de uso da marca. Este pagamento faz parte do investimento inicial da franquia. É cobrada normalmente para cobrir os custos que a franqueadora terá com suporte, implantação da unidade, processos de treinamento e etc. 
  • Royalties: ao contrário da taxa de franquia, os royalties são cobrados periodicamente; normalmente, a cada mês. Esta taxa funciona como pagamento do franqueado à rede franqueadora pela exploração constante da marca e suporte oferecido, além de uso de eventual serviço prestado pela rede. A cobrança é feita, geralmente, sobre o faturamento bruto da unidade ou sobre as vendas. 
  • Fundo de Propaganda/Marketing: esta taxa, assim como os royalties, é cobrada mensalmente. A cobrança é referente a todo o custo com marketing e campanhas publicitárias que a rede tenha para promover a marca no mercado. Geralmente é cobrada sobre o faturamento bruto ou vendas e variam entre 2% a 5%, apesar de não ser estabelecido um valor fixo. 
Leia também:  Como Descobrir Quanto Ganha Um Youtuber?

Segmentos do franchising

O mercado de franquias é dividido em diferentes segmentos, que facilitam divisão de atuação de cada franquia conforme o serviço ou produto que oferece. O franchising, no Brasil, é dividido em 11 segmentos, sendo eles: 

  1. Alimentação;
  2. Saúde, Beleza e Bem-estar;
  3. Serviços e Outros Negócios;
  4. Moda;
  5. Hotelaria e Turismo;
  6. Serviços Educacionais;
  7. Casa e Construção;
  8. Serviços Automotivos;
  9. Comunicação, Informática e Eletrônicos;
  10. Entretenimento e Lazer;
  11. Limpeza e Conservação.

Formatos de franquia

Dentro do modelo de negócios do franchising, existem alguns formatos de atuação que podem ser adotados, conforme disponibilidade da rede. Alguns dos principais formatos são:

  • Loja;
  • Quiosque;
  • Food Truck;
  • Container;
  • Home-based.

Atualmente, no Brasil, o mercado de franquias é regulado pela Lei Nº 13.966, promulgada em dezembro de 2019. A atual lei substituiu a primeira regulamentação feita em 1994. 

A Lei de Franquias estabelece as regras que regulamentam o mercado. A lei estabelece todos os requisitos para funcionamento do negócio. Além disso, também especifica a cobertura jurídica do franqueador e do franqueado. A regulamentação abrange regras sobre ponto comercial, regras de expansão e internacionalização, obrigações trabalhistas e etc. 

Circular de Oferta de Franquia

A Circular de Oferta de Franquia (COF) é o documento exigido pela Lei e que deve ser entregue ao franqueado até 10 dias antes da abertura da unidade. Este documento prevê todas as informações sobre o mercado do franchising e sobre a rede. 

Nesta circular, deve estar definido pontos como as atividades que a rede exerce, histórico de franqueados, investimento e taxas, balanços e demonstrações financeiras e todas as obrigações do investidor como franqueado. Além disso, o documento deve especificar os concorrentes direto da marca e especificações do mercado em que atua.

O mundo dos negócios é repleto de opções de investimento. Cada vez mais têm surgido diferentes modelos de negócios. O empreendedorismo está em alta e tem levado cada vez mais pessoas a se aventurarem tendo seu próprio negócio. Mas e o franchising? Vale a pena investir neste mercado? Saiba quais são os principais benefícios do mercado de franquias: 

Para franqueados:

  • Investir em uma franquia é apostar em um negócio já consolidado no mercado. Dessa forma, o empreendedor corre menos riscos e tem mais chances de obter sucesso;
  • Não é necessário ter experiência no setor que deseja ingressar. Ou seja, você pode empreender na área que deseja sem precisar ter tido outras experiências com a área;
  • Suporte constante de uma rede. Auxílio administrativo, financeiro, operacional, tudo isto está à disposição do investidor para ajuda na gestão do negócio;
  • Equipamentos e fornecedores homologados pela rede. Isto fará com que já tenha os fornecedores confiáveis e evite problemas com serviços mal prestados.

Para franqueadores

  • Para um empresário, expandir seu negócio por meio do franchising é optar por um mercado que cresce cada vez mais. A expansão é mais rápida, descentralizando a gestão e diminuindo investimentos;
  • Optando pelo franchising, o empresário terá mais oportunidades de focar em inovação e criação de novos produtos e serviços. Isto se dá devido a gestão do negócio não estar somente sob seu controle;
  • O modelo de negócios oferece menos riscos para franqueadores. O franqueado assume a maior parte das responsabilidades por seu negócio. Desta forma, você estará expandindo sua marca sem se responsabilizar por todas unidades.

Diante disso, não há dúvidas de que o mercado de franquias é uma ótima opção para quem busca investir e para quem visa sua expansão.

Entenda o que é e como funciona uma franquia – Vem Empreender – Diário do Nordeste

Quando uma pessoa pensa na palavra franquia, imediatamente pode imaginar um grande restaurante, uma lanchonete internacional ou uma loja de grife, que, apenas com a força de sua marca, alcança um faturamento alto todos os meses.

Certamente pode ser um bom negócio tornar-se um franqueado, porém, os bons resultados só virão com muito trabalho e investimento.

Além disso, é possível fazer parte de uma rede de franquias, não necessariamente de grande porte, pois há diversas opções de segmento no mercado.

Essas e outras orientações são básicas para quem pretende ingressar nesse ramo, que apresenta bons índices nos últimos anos no Brasil.

“No Nordeste, o mercado de franquias faturou R$ 5,7 bilhões no primeiro trimestre de 2020, o que representa um aumento de 2% no faturamento da região frente ao mesmo período anterior”, comenta Leonardo Lamartine, Diretor Regional da Associação Brasileira de Franchising (ABF) no Nordeste.

Nesta entrevista exclusiva ao Vem Empreender, Leonardo Lamartine traz mais detalhes a respeito do segmento e explica de que forma os empreendedores podem conseguir melhores resultados ao entrar para o ramo de franquias.

Diário do Nordeste: De que forma podemos definir uma franquia? Leonardo Lamartine: Franquia é um sistema de venda de licença no qual o franqueador (o detentor da marca) cede, ao franqueado (o autorizado a explorar a marca), o direito de uso da sua marca, patente, infraestrutura, know-how e direito de distribuição exclusiva ou semiexclusiva de produtos ou serviços. Esse franqueado, por sua vez, investe e trabalha na franquia e paga parte do faturamento ao franqueador sob a forma de royalties. Eventualmente, o franqueador também cede ao franqueado o direito de uso de tecnologia de implantação e administração de negócio ou sistemas desenvolvidos ou detidos pelo franqueador, mediante remuneração direta ou indireta, sem ficar caracterizado vínculo empregatício.

Diário do Nordeste: Quais são as diferenças (conceituais e de funcionamento) de uma franquia para outros tipos de negócios? Leonardo Lamartine: A franquia oferece um modelo de negócio testado, produtos ou serviços prontos, suporte e treinamento da franqueadora, acesso a uma marca reconhecida, ao poder de compra da rede e ações de marketing, dentre outros. Com isso, vêm também algumas responsabilidades, principalmente a necessidade de seguir padrões e regras, reportar dados à franqueadora, cumprir obrigações contratuais e contribuir com as taxas devidas. Em tese, no negócio próprio, o empresário tem mais liberdade e até agilidade para tomar algumas decisões, mas deve fazer tudo isso sozinho, sem ter acesso à experiência e aos recursos de uma rede. De acordo com o objetivo particular, o empresário deve fazer a ponderação de qual formato se encaixa melhor para ele. Porém, ressaltamos que o modelo de franquias traz muitas vantagens para quem está abrindo seu primeiro negócio, tanto que a taxa de mortalidade é muito inferior à de negócios isolados.

Diário do Nordeste: Quais são os tipos de franquias existentes? Leonardo Lamartine: O sistema de franquias é muito amplo e inclui os mais variados segmentos e valores. O mercado possui cerca de 2,8 mil redes franqueadoras, que variam de R$ 2 mil a R$ 40 milhões. A ABF divide as marcas em 11 segmentos.

Legenda: Leonardo Lamartine: em 2020, o mercado nordestino ampliou em 7% o número de redes, atingindo o patamar de 955 marcas ativas na Região.

Foto: Divulgação

Diário do Nordeste: Como o interessado pode escolher o melhor tipo de franquia? Leonardo Lamartine: O principal conselho para o futuro empreendedor é, acima de tudo, a autoavaliação.

É analisar se há uma identificação com o tipo de negócio a ser investido.

Nesta hora, honestidade com si mesmo é tudo, pois muito mais do que poder aquisitivo para iniciar o negócio, é preciso afinidade e dedicação para mantê-lo.

Diário do Nordeste: Antes de decidir abrir uma franquia, o que o interessado deve saber? Leonardo Lamartine: Antes de escolher uma marca, é importante que o investidor faça uma análise criteriosa que inclui conhecer a fundo o sistema de franchising – que traz muitos benefícios, mas também obrigações. O segundo passo é conhecer em profundidade o segmento em que se quer atuar, o público-alvo e a área geográfica de atuação. O terceiro é estudar com cuidado as informações fornecidas pela rede, especialmente a COF – Circular de Oferta de Franquia. Inclusive, recentemente entrou em vigor o novo marco regulatório do setor, que prevê um grau de transparência maior por parte da franqueadora. É preciso ficar atento a estes detalhes. Conversar com franqueados e ex-franqueados é outra abordagem importante, pois fornece detalhes da operação cotidiana. Outra dica importante é fazer uma avaliação ampla, que abranja aspectos financeiros, de concorrência e de riscos externos. Por fim, antes de fechar, recomendamos levar o contrato de franquia para um advogado especializado, uma vez que se trata de um compromisso de longo prazo e com muitos detalhes importantes envolvidos.

Diário do Nordeste: Onde o interessado pode conseguir mais informações sobre franquias, antes de decidir por abrir o negócio? Leonardo Lamartine: A ABF possui um portal oficial com informações das marcas associadas, números dos segmentos e outras informações para o interessado no sistema de franquias. Além disso, a ABF oferece cursos e palestras para que o empreendedor possa conhecer profundamente o sistema e fazer uma avaliação sobre o tipo de negócio que irá se dedicar. Temos como objetivo a formação e o constante aprimoramento de profissionais que atuem no setor.

Leia também:  O Que É Sarna E Como Se Pega?

São os 11 segmentos de franquias, de acordo com a Associação Brasileira de Franchising (ABF): Alimentação; Casa e Construção; Comunicação; Informática e Eletrônicos; Entretenimento e Lazer; Hotelaria e Turismo; Limpeza e Conservação; Moda, Saúde, Beleza e Bem Estar; Serviços Automotivos; Serviços e Outros Negócios; e Serviços Educacionais.

Diário do Nordeste: Como está o mercado para as franquias no Brasil e no Nordeste? Leonardo Lamartine: Com a pandemia, o sistema de franquias foi um dos mais impactados.

Mas, uma recuperação gradual começa a se desenhar de forma mais nítida no horizonte do mercado brasileiro. De acordo com um estudo da ABF e da empresa de pesquisas AGP, o setor registrou, em julho, pelo segundo mês consecutivo, uma redução nas perdas de faturamento.

Em junho, a queda média no faturamento das franquias foi de 30,1%, menor do que os 41% em maio e os 48,2% em abril. A reabertura da economia em alguns Estados, a elevação das unidades em operação e o maior desenvolvimento de outros canais de venda a partir do digital são as principais causas desta recuperação.

Em junho, assim como na pesquisa anterior, em todo o País os segmentos de Entretenimento e Lazer, e Turismo e Hotelaria continuam a ser os mais afetados, enquanto Saúde, Beleza e Bem-Estar, Serviços e Outros Negócios, e Serviços Educacionais apresentaram quedas menores de, respectivamente, 1%, 7% e 23%.

Assim como em outros mercados e a economia de forma geral, os estudos da ABF/AGP indicam que essa trajetória tende a se manter nos próximos meses. Os dados regionais são do primeiro trimestre de 2020.

Diário do Nordeste: Na sua visão, abrir uma franquia também pode significar mais credibilidade para o empreendedor – visto que muitas delas são marcas já consolidadas no mercado? Leonardo Lamartine: Sim.

Ao ingressar em uma rede, o franqueado tem acesso a produtos e serviços formatados e experimentados, sistemas de TI e gestão, a uma marca reconhecida, a uma rede de fornecedores credenciados e uma série de padrões visuais para embalagens, comunicações e para o ponto de venda.

Além disso, ele tem acesso ao conhecimento e experiência do franqueador, que também treina e capacita sua rede.

Logo, trata-se de um ambiente muito mais preparado e favorável, tanto para o empreendedor de primeira viagem como para profissionais com alguma experiência – tanto que o índice de mortalidade de franquias, cerca de 5%, é bastante inferior ao de empresas isoladas.

De forma que, sim, começar uma franquia é mais vantajoso para iniciar um negócio – inclusive, costuma ter uma implantação mais rápida –, mas é importante que o empreendedor tenha em mente que todo esse benefício também traz obrigações, como respeitar os padrões da rede e reportar resultados, dentre outros.

Saiba mais

Associação Brasileira de Franchising (ABF)

Sebrae: Como funciona o sistema de franquias

Taxa de franquia: entenda o que é e como funciona

Você sabe o que significa taxa de franquia? Entender o termo é essencial quando se pretende abrir uma unidade franqueada e alcançar o sucesso. Para as empresas, muitas vezes a despesa pode afetar os investimentos se não for considerada no planejamento financeiro. 

Por isso, para evitar surpresas e prejuízos, é importante estar atento a todos os detalhes na hora de optar por uma franquia. Vamos lá?

O que é taxa de franquia?

A relação entre a empresa franqueadora e os franqueados que dirigem suas unidades é pautada por diferentes taxas, que são acertadas ao longo do histórico de desenvolvimento do negócio. Desconhecer esses custos afeta não apenas a estrutura do empreendimento, mas pode prejudicar gravemente o fluxo de caixa no futuro.

Desde o momento da assinatura do contrato aos projetos de ascensão da marca, há custos envolvidos. Os acertos de taxa normalmente têm o objetivo de contribuir para o crescimento do franqueado. São custos de marketing, transferência de know-how ou especializações oferecidas pela marca.

Hoje, o mercado já conta com franquias que não realizam a cobrança de taxas. Essa abertura é estimulada pelo forte crescimento do setor, mas, apesar de estar se tornando mais frequente, não é a postura mais comum adotada pelas franqueadoras. Portanto, fique de olho! É importante que as taxas entrem nos seus cálculos logo na fase inicial do plano de negócios.

Mas, afinal, o que é a taxa de franquia? Podemos defini-la como o valor pago pelo franqueado para ter direito ao uso da marca e poder aproveitar todos os benefícios oferecidos pela franqueadora. Estão inclusos nesses benefícios: as formatações de negócios, a passagem dos métodos e cultura organizacional, e quaisquer outras vantagens citadas em contrato.

Quais os custos envolvidos?

Uma operação no ramo do franchising envolve algumas taxas que regulamentam a relação entre a marca e seu parceiro. Destacamos a taxa de franquia, mas também vale conhecer outras, como as taxas de royalties e de publicidade, para não perder o rumo das finanças e correr o risco de acabar com o caixa da empresa no vermelho.

Na maior parte das vezes, a taxa de franquia é o principal componente do investimento que o empreendedor realiza inicialmente, junto do capital de giro e do valor de instalação da franquia. Por isso, é preciso levar em conta, especialmente, esses custos na hora de escolher sua franquia e realizar o planejamento financeiro.

A taxa de franquia

A taxa do franchising é o valor cobrado pela empresa franqueadora para ceder o direito de uso da marca ao franqueado. O valor é pago pelo empreendedor no momento da assinatura do contrato e é um valor único e pré-estabelecido.

O custo arcado com o franqueado remunera a franqueadora pela licença do direito de uso da marca, pela capacitação inicial para o franqueado e seu time de colaboradores — antes da inauguração acontecer e pela passagem do know-how da organização a seus novos membros.

O know-how de uma marca corresponde a seus métodos. Ele é traçado de acordo com os princípios e com a cultura organizacional da empresa. Ele padroniza o comportamento de ação do gestor da unidade e também de seus colaboradores, garantindo homogeneidade para todas as unidades da franquia.

Antes de colocar o negócio para funcionar, o franqueado deve ser orientado sobre o sistema de gerenciamento da franquia, sobre sua relação com fornecedores, reformas e instalações necessárias para a sua unidade, material gráfico e identidade visual, bem como todos os outros aspectos necessários para a abertura do negócio.

O franqueador deve entregar ao franqueado os manuais de operação no momento da assinatura do contrato ou, ainda, no programa de capacitação inicial, o que também faz parte do processo de transferência do modus operandi. A taxa de franquia deve vir explícita nesse processo, fazendo parte do investimento inicial do franqueado.

A rede tem a liberdade de optar por não cobrar esse valor, mas isso não quer dizer que ela esteja livre de fornecer os materiais necessários.

Mas fique atento! A decisão por não realizar a cobrança da taxa de franquia pode fazer parte de um plano estratégico para iniciar a expansão da marca, atraindo mais candidatos para se tornarem franqueados.

Essas taxas podem acabar embutidas nas compras para o estoque inicial ou em outros itens, com os quais o franqueado terá de gastar mais à frente.

O que deve ser levado em consideração na hora de escolher a franquia é quais as responsabilidades assumidas pela marca para com seus franqueados. O modelo a ser transferido precisa estar consolidado no mercado e fazer valer o investimento.

A taxa de royalties

A taxa de royalties cobrada por uma franquia é o valor dispendido pelo franqueado periodicamente. Ela remunera a tecnologia prestada pela marca enquanto a relação entre as duas partes perdurar. O percentual costuma ser fixo, estabelecido durante as negociações, e é aplicado sobre o faturamento bruto.

A taxa de propaganda

Uma taxa de propaganda e promoção é aquela paga periodicamente para formar um fundo financeiro. Esse montante é destinado à divulgação da marca, de seus produtos, lançamentos e conceitos. As taxas de propaganda custeiam toda a divulgação necessária para o crescimento do negócio.

A taxa de franquia vale a pena?

Avaliar a taxa de franquia possibilita que o empreendedor analise, durante a escolha da marca na qual pretende investir, se o custo vale a pena diante dos benefícios oferecidos. Para fazer essa mensuração, o franqueador deve ser capaz de responder a algumas perguntas-chave.

O que a companhia oferece em troca da taxa cobrada? Apenas o direito sobre o uso da marca ou serviços de apoio e suporte para ajudar a modelar a unidade do franqueado? Quais os benefícios cobertos na taxa de franquia? Seus colaboradores serão beneficiados pela empresa franqueadora com treinamentos e especializações?

A taxa de franquia que vale a pena para o empreendedor iniciante envolve a prestação de alguns serviços, de forma que o investimento cubra custos que — caso o franqueado fosse obrigado a contratar à parte — fariam parte da matriz de custos iniciais.

Agora que você já sabe o que é uma taxa de franquia e como avaliar se o investimento vale a pena para a sua empresa, fica mais fácil escolher dentre as diversas opções disponíveis do mercado. Para fazer a melhor escolha, entre em contato com a Casa do Pão de Queijo!

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*