Foliculite O Que É E Como Tratar?

  • Veja o que é importante saber sobre a foliculite, como cuidar e evitar essa infecção de pele
  • Foliculite é uma infecção de pele que se inicia nos folículos pilosos (cavidades na pele onde nascem os pelos).
  • Geralmente, a foliculite é motivada por uma infecção bacteriana ou fúngica (causado pela presença de bactérias, parasitas, fungos ou vírus), mas também pode ser causada por vírus e, até mesmo, por uma inflamação de pelos encravados.

Dessa maneira, a foliculite pode ser causada por vários patógenos e tende a ser potencializada por transpiração, trauma, fricção e oclusão (falta de hidratação) da pele.

Logo, podem aparecer em diferentes locais do corpo – com exceção das palmas das mãos, plantas dos pés e membranas mucosas, como os lábios. Eles são mais densos no couro cabeludo.

Conheça mais sobre a foliculite, os sintomas, como evitar e tratamento abaixo:

O processo inflamatório responsável pelas espinhas e cravos 

O que é foliculite?

O agente causador da foliculite é a bactéria Staphylococcus aureus, mas ocasionalmente conhecida por Pseudomonas aeruginosa (foliculite da banheira de hidromassagem).

A infecção se apresenta no formato de pequenas espinhas de pontas brancas em torno de um ou mais folículos pilosos. Assim, nódulos inflamatórios ao redor do folículo piloso são sinais de que a pessoa está com foliculite.

  1. A maioria dos casos de foliculite é superficial, mas pode coçar e doer.
  2. Todavia, quando a inflamação atinge áreas mais profundas da pele, pode haver, também, a formação de furúnculos.
  3. 10 dicas para evitar o aparecimento de espinhas 
  4. Resistência microbiana: saiba o que é e como evitar

Sintomas

De acordo com Manual da MSD a foliculite pode apresentar: dor leve, prurido ou irritação.

Como evitar a foliculite? 

Alguns cuidados fáceis devem ser inseridos na rotina para evitar e também prevenir a foliculite.

São passos simples que contribuirá para uma a pele lisa, macia e livre de manchas. Como:

  • Lavar bem as mãos antes de tocar nas lesões.
  • Manter a pele limpa, seca e livre de escoriações ou irritações.
  • Evitar lavagens antissépticas rotineiramente, pois deixam a pele seca e eliminam as bactérias protetoras.
  • Manter a pele hidratada.
  • Tomar cuidado ao fazer a barba, usar gel de barbear, espuma ou sabão para lubrificar as lâminas e evitar cortes.

No caso dos homens, o mais indicado para fazer a barba é usar barbeador elétrico, a fim de evitar a pseudofoliculite da barba. Isso porque o crescimento de pelos grossos na pele pode provocar irritação ou inflamação crônica, que simulam a foliculite infecciosa (pseudofoliculite da barba).

Já as mulheres precisam ter um cuidado parecido ao usarem as lâminas depilatórias. A retirada dos pelos exige cuidados nas três fases: antes, durante e depois. Muitas optam pela depilação a laser como uma forma de também evitar que os pelos se encravem.

De acordo com a Universidade de Medicina de Minas Gerais também é importante vestir as crianças com roupas de tecidos mais leves, como algodão.

O que é bom para foliculite? Como tratar

  • Dentro desses cuidados com a pele, o indicado o uso de sabonetes neutros no banho e também ter cuidados com a temperatura da água, que não deve ser muito quente, para, assim, não ressecar e nem agredir a pele.
  • Além disso, é importante lembrar que somente um médico dermatologista é capaz de indicar o melhor tratamento para aliviar os sintomas do paciente.
  • Sabonetes: pele limpa e bem cuidada

Foliculite O Que É E Como Tratar?

Qual pomada usar para foliculite?

  1. O tratamento pode ser feito com medicamentos, bem como cremes ou pomadas com esteroides tópicos aplicadas no local.
  2. No caso da foliculite causada por bactérias ou fungos, pode ser recomendado o uso de shampoo antifúngico, normalmente composto por Cetoconazol.

  3. Além disso, em casos de pacientes específicos, como os portadores do vírus  HIV, por exemplo, além dos esteroides tópicos, o médico pode receitar anti-histamínicos via oral.
  4. Contudo, somente um médico pode orientar sobre o melhor tratamento para cada caso de foliculite.

     

Como tratar foliculite nas virilhas

Na área das virilhas costumam aparecer bolinhas vermelhas. As formas mais comuns de se tratar a foliculite nessa região é fazer uma higiene local com água morna e sabonete antisséptico, e, se o médico achar necessário, o uso tópico de pomadas que contenham antibióticos, bem como cremes com corticoides.

Qual o melhor antibiótico para foliculite?

  • Além do uso de cremes e pomadas específicas, dependendo do tipo de foliculite faz-se necessário o uso de antibótico tópico , oral ou uma combinação dos dois.
  • Contudo, somente um médico pode realizar a prescrição do antibiótico, bem como orientar sobre a duração e dosagem do tratamento. 
  • Para medicamentos terem mais eficácia, é necessário seguir algumas dicas

Tratamento caseiro para foliculite

Para completar o tratamento médico e ajudar a aliviar os sintomas de foliculite, alguns tratamentos caseiros ajudam, como:

  • Colocar uma compressa morna  ou com chá de camomila sobre a região afetada, para reduzir a coceira;
  • Não coçar ou cutucar as espinhas.
  • Tomar banho com sabonete antisséptico logo após sair da piscina, spa ou outros locais públicos – uma água mal tratada pode transmitir bactérias, vírus ou fungos.
  • Usar cremes calmantes após se barbear

Micose: Além da pele

Foliculite O Que É E Como Tratar?

Foliculite tem cura?

Normalmente, esse tipo de inflamação se cura sozinha. Porém, casos mais graves e recorrentes merecem atenção e um correto tratamento com um dermatologista, pois, seu uso incorreto, de acordo com a Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD), podem levar a perda permanente do pelo e cicatrizes.  

Todavia, se a pessoa seguir corretamente a orientação médica, os sintomas da foliculite tendem a ter uma boa melhora por cerca de 10 dias. Caso não melhore, o ideal, então, é que a pessoa volte a consultar o dermatologista para adequar o tratamento.

A responsabilidade do farmacêutico na prescrição médica

Conclusão

A foliculite é uma infecção de pele que podem acontecer em qualquer parte do corpo. No entanto, o couro cabeludo e as extremidades, são os locais mais propícios a aparecerem. Assim, elas se apresentam como pequenas espinhas vermelhas, de pontas brancas, com ou sem pus, na base dos pelos.

  1. Qualquer pessoa pode desenvolver a foliculite, contudo, as foliculites superficiais são as mais comuns em crianças.
  2. Nos adolescentes, a foliculite é comum na região das nádegas e coxas.
  3. Cuidados simples com a pele ajudam na prevenção.

Normalmente, a inflamação do pelo se cura sozinha. No entanto, como forma de aliviar os sintomas, o tratamento é feito com orientação médica, geralmente de um dermatologista, com sabonetes anti sépticos, pomadas, cremes e, em casos mais profundos, com antibióticos tópicos.

  • Cuidados simples ajudam na prevenção.
  • Não se automedique, consulte um profissional de saúde.
  • Fontes:
  • Manual da MSD – versão para profissionais de saúde 
  • Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD)
  • Faculdade de Medicina de Minas Gerais (FMMG)
  • Fonte: Guia da Farmácia
  • Fotos: Shutterstock
  • Cadastre-se no nosso Whatsapp

Foliculite: o que fazer para tratar e evitar esse problema de pele

    Se você está com algum desses sintomas e não sabe o que fazer, a indicação é sempre consultar um profissional da área da saúde, como um dermatologista.

    Tipos de foliculite

    A Dra. Adriana Cuglianna explica que existem diferentes tipos de foliculite, de acordo com os possíveis agentes causais e pela profundidade do acometimento.

    Foliculites superficiais

    São as que ficam instaladas na parte superior do folículo piloso e são infecções mais brandas.

    • Foliculite estafilocócica: a manifestação da bactéria Staphylococcus aureus é a mais comum. Ela penetra a pele por meio de ferimentos e infecta os folículos, gerando nódulos.
    • Foliculite por pseudomonas: pseudomonas são bactérias que estão presentes em diversos ambientes e que sobrevivem até mesmo em piscinas aquecidas que não estejam reguladas. As lesões causadas coçam bastante e são cheias de pus.
    • Pseudofoliculite da barba: é bastante comum e trata-se da infecção causada por pelos encravados. Pode acontecer em depilações feitas com cera quente ou lâminas.
    • Foliculite pitirospórica: infecção causada pelo fungo Pytirosporum ovalle (Malassezia). É frequente em adolescentes e causa papulopústulas, erupções cutâneas.

    Foliculites profundas

    Diferente da foliculite superficial, na profunda a inflamação alçança a raiz do folículo piloso. É mais grave e pode deixar cicatriz.

    • Foliculite gram-negativa: costuma aparecer em pessoas que fazem tratamentos longos para acne com uso de antibióticos.
    • Furúnculos e carbúnculos: quando a inflamação atinge áreas mais profundas da pele, pode haver a formação de furúnculos, nestes casos apresentando grandes áreas avermelhadas; lesões elevadas com pus amarelado no meio; as partes atingidas ficam muito sensíveis e doloridas.
    • Foliculite eosinofílica: aparece principalmente em pessoas com doenças autoimunes, como portadores de HIV. As lesões parecem com espinhas comuns e deixam manchas escuras.

    Vale lembrar que a foliculite pode aparecer tanto em homens quanto em mulheres. É comum em áreas de atrito ou trauma, glúteos e pernas, área da barba e couro cabeludo.

    Como tratar a foliculite

    Foliculite O Que É E Como Tratar?

    iStock

    O tratamento para foliculite vai depender do tipo e da gravidade de cada infecção. É importante frisar que mesmo se o tratamento ajudar, a infecção pode voltar em algum momento.

    Medicação

    As inflamações mais graves ou recorrentes podem ser tratadas com antibiótico para foliculite, que pode ser tópico, oral ou uma combinação dos dois. As infecções causadas por bactérias são tratadas com remédios específicos. Por isso, é importante a avaliação correta do caso para que a forma de tratar seja assertiva.

    Pomada para foliculite

    Pomadas antibióticas, antifúngicas ou com corticoides costumam ser prescritas por médicos principalmente quando a foliculite aparece nas nádegas, virilha, axilas e nas pernas.

    Sabonete para foliculite

    Sabonetes antissépticos podem ser usados tanto para prevenir quanto para tratar a foliculite. Use o sabonete antes e depois da depilação. Importante: o uso exagerado pode trazer malefícios, deixando a pele seca e mais suscetível a doenças.

    Compressas mornas são usadas para aliviar os sintomas em tratamentos caseiros de foliculite. No entanto, não use nenhum produto ou medicamento sem a orientação de um profissional.

    Como evitar a foliculite

    Foliculite O Que É E Como Tratar?

    iStock

    Com alguns cuidados você mantém sua pele menos propensa ao surgimento dessas desagradáveis inflamações:

    • Mantenha a pele limpa, seca e livre de escoriações ou irritações;
    • Evite roupas muito justas e que retenham o suor;
    • Mantenha a pele hidratada;
    • Evite usar o mesmo aparelho de barbear por muitas vezes;
    • Não fique com roupas de banho molhadas por muito tempo;
    • Não faça lavagens antissépticas com muita frequência, pois elas eliminam as bactérias protetoras que fazem parte da nossa pele.
      • Assim como a foliculite, um problema frequente é ficar com a pele descascando. Confira quais podem ser as causas e o que fazer para tratar.

Foliculite: sintomas, tratamento e prevenção

Foliculite O Que É E Como Tratar? Imagem de Nicolas Lobos em Unsplash

A foliculite, condição popularmente chamada de “pelo encravado”, é uma doença de pele causada pela infecção nos folículos pilosos (estrutura complexa que sustenta os fios de cabelo e pelos). Em geral, a foliculite é causada por bactérias ou fungos, mas também pode ter sua origem em vírus e inflamações em pelos que não conseguem se desenvolver normalmente. É uma condição caracterizada por coceira, vermelhidão local e pus, podendo ocorrer em qualquer região do corpo que possua pelos ou cabelos.

Sintomas de foliculite

Quando a foliculite é superficial, só é afetada a parte superior do folículo piloso. Nesse caso, os sintomas são: pequenas espinhas vermelhas, com ou sem pus; pele avermelhada e inflamada; coceira e sensibilidade na região. Esse tipo de foliculite raramente causa complicação grave.

Quando a foliculite é profunda pode haver formação de furúnculos. Nesse caso, os sintomas são: grandes áreas avermelhadas; lesões elevadas com pus amarelado no meio; sensibilidade e dor, que em alguns casos pode ser intensa. Nos quadros de foliculite profunda, as chances de cicatrizes são maiores e pode haver destruição do folículo piloso.

O que causa foliculite

Qualquer pessoa pode desenvolver foliculite; entretanto, algumas condições aumentam a vulnerabilidade. Esses casos incluem: doenças que diminuem a imunidade (como diabetes), leucemia crônica e AIDS; presença de acne ou dermatite; uso de medicamentos, como cremes de corticoide ou terapia antibiótica em longo prazo; excesso de peso, entre outras.

As causas mais comuns da foliculite são a fricção do barbear ou de roupas apertadas; calor e suor, como o ocasionado pelo uso de luvas ou botas de borracha; dermatites e acne; lesões na pele por arranhões ou feridas cirúrgicas; depilação, curativos de plástico ou fita adesiva nos pelos.

Tipos de foliculite

Foliculites superficiais

Dentre as foliculites superficiais, o tipo mais comum é a foliculite estafilocócica.

Ela acontece quando bactérias – principalmente do tipo Staphylococcus aureus – infectam a pele causando coceira, vermelhidão local e pus, podendo ocorrer em qualquer região do corpo que possua pelos.

Arranhões, ferimentos e escoriações predispõem a pele a desenvolver foliculite estafilocócica, uma vez que os estafilococos que já vivem na superfície corporal se aproveitam do ferimento para adentrar na pele.

Outro tipo de foliculite superficial é a foliculite pseudomonas, conhecida popularmente como “foliculite da banheira quente”.

As bactérias Pseudomonas aeruginosa, que são as causadoras desse tipo de foliculite, se desenvolvem em ambientes aquosos nos quais os níveis de cloro e pH não estejam bem regulados, como banheiras de hidromassagem e piscinas aquecidas. O tempo de desenvolvimento da doença é de oito horas a cinco dias após a exposição à bactéria.

A região da barba também pode ser acometida por foliculite. Nesses casos, o tipo mais comum é a pseudofoliculite. A pseudofoliculite é a inflamação dos folículos pilosos da área da barba causada principalmente pela raspagem dos pelos.

Esses últimos, ao crescerem, se curvam e voltam para o interior da pele. Essa condição afeta principalmente homens negros, na face e pescoço, mas também pode ocorrer em qualquer pessoa que depile os pelos do resto do corpo.

Esse processo leva à inflamação e pode deixar cicatrizes.

A foliculite ptirospórica é outro tipo de foliculite superficial comum em adolescentes e homens adultos. Ela é causada por um fungo que causa espinhas, pápulas avermelhadas e coceira acometendo normalmente o dorso, o tórax anterior, o pescoço, os ombros, os braços e a face.

Foliculites profundas

As foliculites profundas são aquelas que acometam o folículo piloso inteiro.

Sicose barba

Esse tipo de foliculite se caracteriza por pequenas inflamações que aparecem primeiro no lábio superior, no queixo e na mandíbula. Essas inflamações podem ser recorrentes, sendo causadas pelo barbear diário. Em casos mais graves, podem deixar cicatrizes.

Foliculite por bactéria gram-negativa

Usar antibióticos durante muito tempo é umas das condições que levam a esse tipo de foliculite.

Isso porque os antibióticos podem desequilibrar a proteção natural da pele, possibilitando que as bactérias gram-negativas se proliferem.

Essa condição não costuma ser grave na maioria das pessoas, principalmente se o uso dos antibióticos for suspendido. Porém, em alguns casos elas podem se espalhar pela face e causar lesões graves.

Furúnculos e carbúnculos

Quando as bactérias estafilocócicas infectam os folículos pilosos, surgem pápulas vermelhas e doloridas, características de furúnculos e carbúnculos.

Com o passar do tempo, as pápulas enchem-se de pus e crescem, ficando mais doloridas e, no estágio final, rompem e vazam uma secreção purulenta. O furúnculos menores normalmente não deixam cicatrizes.

O carbúnculo (aglomerado de furúnculos) e os furúnculos grandes, por serem mais profundos e graves que um único furúnculo, costumam deixar cicatrizes.

Foliculite eosinofílica

Esse caso de foliculite acomete principalmente pessoas com HIV e se caracteriza por manchas avermelhadas e feridas com pus na face e nos braços. As feridas costumam se espalhar e deixam a pele das áreas afetadas mais escura do que a cor normal. A causa exata da foliculite eosinofílica não é conhecida, embora possa envolver o mesmo fungo responsável pela foliculite pitirospórica.

Tratamento convencional para foliculite

O tratamento da foliculite depende das características de cada quadro. As foliculites bacterianas podem ser tratadas com antibióticos e as fúngicas, com antifúngicos. No caso dos furúnculos ou carbúnculos, dependendo do aspecto de cada um, o médico poderá drená-los para alívio dos sintomas.

A foliculite eosinofílica pode ser tratada com corticosteroides, mas em casos graves é necessária medicação oral. Em pessoas com HIV, também podem ser receitados anti-histamínicos. Os casos menos graves costumam melhorar sozinhos.

Tratamento caseiro para foliculite

Compressa quente de água e sal

Uma das formas de aliviar a coceira e inflamação causadas pela foliculite é aplicar compressas mornas de água e sal. Para isso, aqueça a água, adicione sal, mergulhe uma toalha e, depois de torcê-la, coloque sobre a região afetada da pele.

Chá de alho

Na hora de fazer a compressa quente pode ser utilizado chá de alho no lugar da água. Isso porque o alho funciona como um antisséptico.

Aloe vera

O aloe vera, também conhecido como babosa, é outra opção para aplicar sobre as áreas afetadas pela foliculite. Esse método, inclusive, pode ser realizado em conjunto com os métodos anteriores.

Prevenção para foliculite

Uma das formas de prevenir a foliculite é evitar utilizar roupas apertadas.

Outros hábitos que também evitam essa condição são deixar de raspar e depilar os pelos corporais; se for necessário realizar o procedimento, é indicado massagear os pelos para que fiquem mais amolecidos, assim como passar o barbeador sempre no sentido do crescimento dos pelos.

Após terminar o processo, é recomendado passar um hidratante. Também é indicado manter a pele limpa, seca e livre de escoriações ou irritações, e evitar lavagens antissépticas rotineiramente, já que deixam a pele seca e eliminam as bactérias protetoras.

Fontes: Sociedade Brasileira de Dermatologia e Minutosaudavel

Veja também:

Cadastre-se e receba nosso conteúdo em seu email. Comunicar erro

Foliculite: 3 formas para você evitar e tratar inflamações na pele

Foliculite O Que É E Como Tratar?

A foliculite é um problema conhecido para homens e mulheres. Especialmente para quem costuma utilizar métodos de depilação, como giletes ou ceras, a foliculite é um incômodo não somente pela aparência, mas também por provocar coceira e dor. Hoje, a ADCOS separou para você 3 maneiras infalíveis para você prevenir e tratar essa inflamação!

Como a foliculite se forma na pele?

Segundo a Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD), a foliculite é uma infecção na pele iniciada nos folículos pilosos. A inflamação é, geralmente, motivada por uma infecção bacteriana ou fúngica.

Homens podem enfrentar o problema com maior frequência, uma vez que pelos encravados (normalmente pelo uso de giletes, que causam feridas e facilitam a entrada de micro-organismos invasores) são os principais causadores desse problema.

A maioria dos casos de foliculite é superficial, mas pode coçar e doer. E, ao tocar na inflamação, o quadro pode acabar se agravando. Ainda que a foliculite costume curar sozinha, existem alguns métodos fáceis e práticos para tratá-la. No entanto, é bom ter em mente que prevenir é muito mais eficaz.

4 tipos de foliculite e suas características

A SBD alerta para quatro tipos principais de foliculite:

1) Foliculite estafilocócica: é o tipo mais comum, que ocorre quando os folículos pilosos são infectados por bactérias. Ela costuma causar coceira, vermelhidão local e pus, podendo acometer qualquer região do corpo com pelos.

2) Foliculite por pseudomonas: também conhecido como “foliculite da banheira quente”, surge das bactérias Pseudomonas auruginosa, que proliferam em ambientes aquáticos nos quais os níveis de cloro e pH não são bem regulados, como banheiras de hidromassagem e piscinas aquecidas. As erupções vermelhas coçam e também podem gerar bolhas com pus.

3) Pseudofoliculite da barba: são as inflamações na área do rosto, que acomete mais homens por conta da barba. Como os pelos são, geralmente, raspados, eles se curvam e voltam para o interior da pele. Essa inflamação pode acometer o rosto e o pescoço, mas também ocorre na região da virilha. Por fim, a inflamação pode gerar cicatrizes.

4) Foliculite ptirospórica: comum em adolescentes e homens adultos, ela é causada por um fungo que causa a acne, pápulas avermelhadas e coceira. Além disso, pode acometer também o dorso, tórax anterior, pescoço, ombros, braços e o rosto, principalmente.

Em casos mais graves, a foliculite pode evoluir para furúnculos. Neste caso, pode haver a necessidade de medicamentos antibióticos para combater a proliferação de bactérias e, quando ineficiente, é recomendada uma cirurgia pontual para extração.

3 formas para evitar a foliculite

Na maioria dos casos, pelos encravados e cortes superficiais são as principais causas que favorecem o aparecimento da foliculite. Por isso, você deve estar atento(a) a práticas do dia a dia para evitar que elas apareçam.

> Evite roupas muito justas e úmidas

O uso prolongado de roupas úmidas (como roupas de banho, biquínis e afins) também podem favorecer o surgimento da foliculite. Regiões do corpo que são quentes e úmidas são os locais preferidos de bactérias e fungos para a proliferação. Por isso, e para evitar outros problemas de saúde, lembre-se de fazer a troca de roupa o mais rápido possível nesses casos.

> Fique atento(a) a banhos muito quentes

A água quente, em conjunto com a higienização com sabonetes, deixa a pele mais ressecada e elimina as bactérias essenciais para a proteção do nosso corpo. A pele pode acabar descamando e até mesmo formando pequenas feridas, favorecendo a invasão de organismos causadores da foliculite.

Dessa forma, evite banhos muito quentes e prolongados, assim como a higienização excessiva com sabonetes antissépticos.

> Mantenha a hidratação da pele

Uma pele hidratada é sinônimo de pele saudável. Além de beber água (a principal fonte de hidratação para o corpo), você deve fazer, sempre, o uso de um hidratante corporal e facial. Assim, você devolve nutrientes importantes que são perdidos com o passar do dia e do tempo, além de deixá-la mais forte para combater bactérias e fungos.

#FicaADica!

Para manter a hidratação do corpo em dia, experimente utilizar o Hidrat Solution Leite Hidratante e Nutritivo! Além de ajudar a prevenir o ressecamento e envelhecimento precoce da pele, ele promove a nutrição intensiva, regenera e protege a pele contra a ação dos radicais livres.

Sua composição funciona como um umectante, cicatrizante, e também auxilia na reposição do colágeno e da vitamina E. Você também pode experimentar o Hidradefense Solution Aqua Pro.Bio, que regenera e reforça a barreira biológica da pele, deixando-a mais forte, luminosa e macia!

É possível tratar a foliculite?

Se você está enfrentando a foliculite, pode utilizar dermocosméticos para tratar e evitar que novas inflamações apareçam. A dica mais importante para isso é investir na esfoliação. Em especial, a esfoliação física favorece a renovação da pele por meio da abrasão com o uso de micropartículas.

Esse é o caso do Peeling de Hortelã Iluminador, que, além de resultar em uma pele mais viçosa, auxilia no aumento da circulação sanguínea. E, com isso, acelera o processo inflamatório, impedindo outros.

Ele pode ser utilizado tanto no rosto, quanto em outras regiões (como axilas, virilhas e pernas). O ideal é que, três dias antes da depilação, você realize essa esfoliação para uma retirada dos pelos com maior facilidade.

E, três dias depois, você pode esfoliar a pele novamente para evitar que os pelos fiquem encravados.

Além disso, você pode também experimentar o Sabonete Suavizante, indicado para peles sensíveis e sensibilizadas. Ele higieniza a pele, deixando-a hidratada e menos irritada. Esse dermocosmético possui prebióticos que fortalecem as barreiras naturais da pele, com uma fórmula rica em componentes naturais da pele (como a pró-vitamina B5 e aminoácidos essenciais).

Para hidratar a pele, você pode usar o Hyalu Water Gel.

Com textura inovadora em gel aquoso, esse hidratante é composto por ácido hialurônico, que ajuda a preencher as pequenas imperfeições da pele (como rugas e linhas de expressão).

Possui a niacinamida, com função anti-inflamatória, e a Fração de Geléia Real que reduz a síntese de sebo e diminui o número de glândulas sebáceas ativas. E, assim, reduz a oleosidade excessiva e os poros.

Em caso de dúvidas sobre o tema, converse ou consulte o seu dermatologista.

Foliculite

A foliculite é uma doença de pele comum que afeta os folículos pilosos (estruturas da pele onde os pelos surgem e crescem) provocando a sua inflamação.

Esta doença pode ocorrer em várias partes do corpo (incidindo com mais frequência nas zonas com maior pilosidade, como o couro cabeludo ou a barba), sendo a maioria dos casos ligeiros e com evolução favorável. Contudo, em alguns doentes a doença pode causar complicações graves e que necessitam de tratamento adequado.

A foliculite pode afetar pessoas de todas as idades. É, geralmente, causada por uma bactéria ou fungo que causa a inflamação nos folículos e manifesta-se através de pápulas inflamatórias (borbulhas vermelhas) e pústulas (espinhas com pús).

Causas da foliculite

Embora também possa ser causada por fungos, vírus, parasitas ou pela simples irritação da pele, a foliculite é, geralmente, provocada por bactéricas como Staphylococcus aureus (estafilococos) ou Pseudomonas aeruginosa.

O aparecimento de foliculite pode ser desencadeado por fatores como:

  • Oclusão (por exemplo, roupa muito justa);
  • Barbear;
  • Depilação a cera;
  • Pelos encravados;
  • Aplicação tópica de corticóides (“cremes com cortisona”);
  • Alguns medicamentos orais (comprimidos), como corticóides, antibióticos ou certos tratamentos para o cancro (por exemplo, inibidores do EGFR);
  • Imunossupressão (por exemplo por VIH/SIDA, diabetes ou outras doenças que diminuem as defesas do organismo);
  • Produtos que irritam a pele (como cremes ou desodorizantes);
  • Jacuzzis ou piscinas públicas com níveis de cloro e de pH desregulados;
  • Feridas ou cortes;
  • Obesidade ou excesso de peso;
  • Hiperidrose (suar excessivamente);
  • Outros problemas na pele já existentes.

Sinais e sintomas da foliculite

A foliculite surge em áreas de pele com pelo. Pode afetar apenas uma área localizada ou uma área extensa. Pode durar apenas alguns dias (aguda) ou persistir durante muito tempo (crónica).

Geralmente, são observadas pápulas inflamatórias (borbulhas vermelhas) e pústulas (espinhas com pús) centradas num folículo (pelo), que podem ser acompanhados por:

  • Dor;
  • Prurido (comichão);
  • Sensação de queimadura (pele “a arder”).

Classificação e tipos de foliculite

A foliculite pode ser classificada como superficial (envolve apenas a parte superior do folículo piloso) ou profunda (envolve todo o folículo piloso), dependendo da gravidade da situação. Dentro destas duas classificações, existem vários tipos de foliculite que veremos de seguida.

Tipos de foliculite superficial

1. Foliculite estafilocócica

A foliculite estafilocócica é o tipo mais comum de foliculite. É causada pela bactéria Staphylococcus aureus (estafilococos), que vive habitualmente na nossa pele como agente comensal, mas que pode causar foliculite após barbear, depilação oclusão, ou alguns dos outros fatores acima referidos.

2. Foliculite por Pseudomonas

A foliculite por Pseudomonas é causada pela bactéria Pseudomonas aeruginosa, frequentemente encontrada em banheiras de hidromassagem, jacuzzis e piscinas com os níveis de cloro e pH desregulados.

3. Foliculite pitirospórica ou por Malassezia

A foliculite pitirospórica é causada por diferentes espécies de Malassezia.

Trata-se de uma levedura (fungo) que vive habitualmente na nossa pele sem causar doença, mas que pode provocar foliculite em algumas circunstâncias, nomeadamente se existir hiperidrose (excesso de suor), aumento da produção de sebo, ou após tratamento prolongado com antibióticos ou corticosteróides. Atinge, sobretudo, as costas, os ombros e o peito, e é mais comum em adolescentes e adultos jovens.

Tipos de foliculite profunda

4. Sicose da barba

A sicose da barba é uma infeção profunda e crónica dos folículos pilosos da área da barba. As lesões frequentemente começam a aparecer no lábio superior, propagando-se mais tarde para o queixo e mandíbula. Situações graves levam ao aparecimento de cicatrizes na área infetada.

5. Foliculite gram-negativa

A foliculite gram-negativa surge, geralmente, após o uso prolongado de antibióticos orais para a acne ou para a rosácea. Estes tratamentos alteram o equilíbrio normal da pele, facilitando uma infeção por bactérias gram-negativas.

Saiba, aqui, o que é acne.

Saiba, aqui, o que é rosácea.

6. Furúnculos e carbúnculos

Furúnculos ocorrem quando a porção profunda dos folículos pilosos é infetada por bactérias (geralmente estafilocócicas), dando origem a lesões muito vermelhas e dolorosas com pús que crescem rapidamente.

Um carbúnculo é um grupo ou aglomerado de furúnculos.

Complicações da foliculite

A foliculite em regra é uma doença inofensiva, contudo pode causar complicações como:

  • Manchas escuras;
  • Cicatrizes;
  • Perda permanente de pelo/cabelo (devido à destruição dos folículos pilosos);
  • Foliculites recorrentes;
  • Abcessos;
  • Dermohipodermite bacteriana aguda (infeção da pele).

A foliculite é contagiosa?

Em alguns casos, a foliculite poderá ser contagiosa, ou seja, transmissível de pessoa para pessoa, pelo que indivíduos afetados não deverão partilhar toalhas de banho ou jacuzzis, por exemplo.

Diagnóstico da foliculite

O médico mais indicado para diagnosticar a foliculite é o dermatologista (médico especialista em pele) que faz o diagnóstico, geralmente, através do exame físico e da revisão da história clínica do doente.

O exame físico consiste na avaliação das áreas inflamadas ou irritadas.

O dermatologista poderá recolher uma amostra das pústulas (espinhas com pús) para ser avaliada em laboratório, com o objetivo de identificar o agente etiológico (micro-organismo causador da foliculite). Em casos raros, poderá ser realizada uma biópsia de pele.

A foliculite tem cura?

Existem várias opções terapêuticas eficazes para cada tipo de foliculite. Na maioria das vezes, a doença evolui favoravelmente e sem sequelas.

Medidas a tomar

Nos casos mais leves, a foliculite poderá desaparecer sem qualquer tratamento, se forem adotados alguns comportamentos para controlar a infeção e melhorar o desconforto. Saiba, então, o que fazer:

  • Manter a pele limpa e seca;
  • Usar produtos de limpeza da pele (sabonete, gel) suaves;
  • Após o exercício físico e o contacto com agentes químicos, tomar rapidamente banho ou duche;
  • Evitar roupas apertadas e substâncias que irritem a pele;
  • Evitar cortes durante o ato de barbear (utilizando gel ou espuma para lubrificar as lâminas). As zonas com foliculite não devem ser barbeadas;
  • Na presença de lesões da pele, é importante não as coçar, de modo a não agravar o quadro clínico;
  • Limpar a área afetada com sabão antibacteriano e água fria;
  • A depilação a laser poderá ajudar a evitar a foliculite.

É desaconselhável o recurso a tratamentos ou “remédios caseiros” (para além das medidas atrás mencionadas), pois estes podem agravar a situação.

Tratamento médico

O tratamento para a foliculite varia consoante o seu tipo e a sua gravidade. O dermatologista pode optar por terapêuticas como:

  • Antibióticos tópicos (em creme ou gel, por exemplo) ou orais (comprimidos);
  • Anti-fúngicos tópicos ou orais;
  • Anti-parasitários tópicos ou orais;
  • Anti-víricos orais;
  • Corticóides tópicos ou orais;
  • Pequenos procedimentos cirúrgicos (como incisão e drenagem no caso dos furúnculos e carbúnculos).

O monstro da foliculite: o que é e como tratar

  • WhatsApp
  • Facebook
  • Twitter
  • Pinterest
  • Linkedin
  • Copiar Link

Dicas número 1: não deixa a gilete no box do banheiro! (Foto: Deborah Maxx)

Vamos falar a real: se isso fosse uma enquete no Instagram com a pergunta “você cuida da sua pele?”, sua resposta seria sim ou não? Sabemos que o tratar a cútis pode parecer um gasto desnecessário do seu tempo, mas acredite quando dizemos que vale à pena. Já pensou em dar um fim àquela foliculite chata que insiste em aparecer na sua barba? Sim, caro leitor, nós fomos atrás de um tratamento para deixar você ainda mais bonito e saudável.

saiba mais

A farmacêutica bioquímica Marcela Buchaim manja do assunto e recebe homens de todas as idades no Studio Tez para tratar a foliculite.

Ela deixa claro que a Infecção não é genética e, sim, causada pelo escanhoar (raspar os pêlos na “contra-mão”) feito de maneira incorreta.

Sabemos que as dúvidas podem ser muitas, por isso sentamos com a especialista para entender melhor esses pontinhos vermelhos no rosto do homem e como tratá-los.

O que ocasiona a foliculite?A foliculite é ocasionada pelo escanhoar (raspar os pêlos na “contra-mão”) errado, pelo lado errado do fio, quando você faz isso você provoca uma dermatite.

Tudo começa com a inflamação do folículo.

A inflamação dos poros é causada, primeiramente, devido uma agressão e, com isso, ocasiona a liberação da glândula sebácea, com isso vai tornar uma pápula, ou seja uma pequena elevação que pode ou nao infeccionar com bactéria ou fungos.

Existe algum local do rosto mais propenso para a foliculite aparecer?Ela aparece na região das nádegas, no couro cabeludo e virilha, mas ela acontece mais na região do pescoço porque o estrato córneo (camada mais externa da pele) é fino, vascularização é maior e a sensibilidade também.

E aquela gilete que fica no banheiro uma eternidade…

Às vezes a pessoa deixa a gilete meses e meses no banheiro com a umidade enorme! Se você, por exemplo, deixou um pouco de sangue de um machucado anterior na lâmina, a bactéria vai se proliferar e pode causar uma infecção.

É importante saber que você deve trocar a gilete frequentemente. Lembre-se de fazer uma higienização nela, lavar, secar bem (pode ser até com secador), e guardá-la em um local sem umidade.

Fazer algumas visitas ao barbeiro é essencial. Ele vai equilibrar o ph da sua pele com os cuidados e produtos  necessários. Lembrando: não é pq você nao tem barba que você não deve ir no barbeiro. Será que você ta usando o shampoo certo e fazendo a higienização correta? Tudo isso é necessário rever. Uma boa orientação de como fazer a barba é de extrema importância e ele pode ser o seu guia.

Sabe aquele cara que lava o cabelo e a barba com sabonete de corpo? O que fazer com ele?Socorro! Nunca faça isso! Ele pode tirar a camada protetora e aumentar a oleosidade. Cada um tem a sua função. Existem shampoos próprios para a barba.

A foliculite é parecida com a acne. Os pontinhos também devem ser espremidos?Não deve-se espremer nunca o pontinho da foliculite. Não adianta apertar que não vai sair nada. A foliculite não é algo “maduro” pra você estourar. Você pode fazer o ressecamento deles para o fechamento do folículo, como fazemos aqui no espaço Tez (até de maneira vegana).

Dá pra eliminar de vez a foliculite ou é um tratamento eterno?A pessoa tem que aprender como ela vai lidar com a foliculite. Se você minimiza os fatores, ela vai diminuindo. O que muda é a predisposição da pessoa, mas o importante é aprender a cuidar.

E se o cara não for muito fã de ir toda vez no Studio Tez, como ele pode cuidar em casa?Primeiramente é importantíssimo usar o shampoo de barba (e não sabonete, hein?). Com barba longa ou não, é necessário tonificar, ou seja equilibrar o ph da sua pele.

Você pode usar um spray para prevenção dela, com extrato de própolis e óleos essenciais.

O ideal é fazer uma avaliação da sua barba para entender como o fio cresce e poder orientá-lo para ele cuidar em casa, mas lembrando que é sempre bom voltar mensalmente para continuar o tratamento e receber uma massagem relaxante na barba, que é sempre bom, não é mesmo?

Foliculite: saiba como tratar

A foliculite é semelhante à acne, mas a infecção é causada por uma bactéria que começa nos folículos pilosos, fazendo com que surjam bolinhas avermelhadas e com pus na pele.

Além disso, a causa pode estar relacionada à inflamação de pelos encravados que, no caso, são aqueles que não conseguem encontrar passagem para nascer e, então, passam a crescer “por dentro”. Assim, causam desconforto estético inicialmente.

Entretanto, se não tratado, pode ocasionar dor, coceira e até deixar cicatrizes.

Causas de foliculite

O quadro de foliculite surge quando os pelos encravados não são tratados. O entupimento dos folículos pilosos é causado pelo atrito da roupa, no ato de barbear-se bem como depilar-se com lâminas. A cera para depilação também é um fator que a favorece, pois deixa a pele frágil devido à frequência de uso que arranca o pelo pela raiz.

Fatores como, por exemplo, excesso de oleosidade na pele, imunidade baixa e muito tempo entre um banho e outro também pode influenciar.

Tipos 

A foliculite pode ser tanto superficial quanto profunda.

  • Superficial: As espinhas avermelhadas podem apresentar pus ou não. Assim, a área fica sensível e com leve coceira;
  • Profundo: Pode desenvolver furúnculo, com presença de pus, sensibilidade e dor intensa na região. Comum afetar couro cabeludo, rosto, pescoço, axilas, virilha, nádegas e pernas, por exemplo.

Prevenção

Para evitar essas inflamações e, por consequência, a piora do quadro é indicado esfoliar a pele uma ou duas vezes por semana, eliminando as células mortas da pele e outras impurezas.

Além disso é importante hidratá-la com cremes indicados para o seu tipo de pele; adotar bons hábitos alimentares; e, no momento da depilação, utilizar cremes e água morna.

Assim como sempre ter a pele molhada ao utilizar lâminas e passar o aparelho no sentido em que o pelo nasce, de maneira cuidadosa. Evitar roupas muito justas também é uma indicação.

Tratamento de foliculite

Geralmente, os pelos encravados desaparecem naturalmente, mas há algumas medidas que podem auxiliar a tratar o problema de forma mais rápida, como:

  • Esfoliação: Recomenda-se aplicar cremes e produtos prescritos pelo especialista, massageando a área em movimentos circulares, enxaguando em seguida;
  • Compressas de água quente: Auxiliam a estimular a circulação sanguínea, abrindo os poros, “amolecendo” a pele. Para isso, umedeça uma toalha com água morna e pressione sobre a região por dez minutos. Realizar o procedimento todos os dias;
  • Uso de pomadas: É indicado pelo médico, de acordo com o tipo de pele da pessoa, é recomendável utilizar em conjunto à esfoliação. Auxilia a reduzir o inchaço causado.

Além disso, de acordo com o tipo e a gravidade da infecção, pode ser necessário o uso de antibióticos e antifúngicos, orais ou tópicos, bem como corticosteroides.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*