E Agora O Que É Que Eu Faço Como Inscrever?

Chegou a hora de tentar a tão sonhada vaga na universidade. Após escolher o curso e decidir para qual faculdade pretende prestar o vestibular, surge uma dúvida: como fazer a inscrição?! 

Não se apavore! O Brasil Escola traz para você um guia de como fazer a inscrição no vestibular sem erro. Vamos nessa?!

1 – Antes de tudo, leia o edital!

Os vestibulares e provas como o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) têm suas próprias regras, as quais são detalhadas no Edital. Antes de se inscrever para um processo seletivo, leia o regulamento para saber se você está apto a participar. 

Veja também: como ler o edital do vestibular e do Enem

O Edital conta com as datas de cada procedimento do vestibular, explica como cada evento será composto (inscrição, prova e resultado), detalha como é o cálculo das notas, a divisão das vagas – se existe cotas ou não – e descreve como será o ingresso do candidato na instituição. 

2 – Saiba como é a seleção

É fundamental saber como a instituição seleciona os candidatos para seus cursos superiores. Nem sempre o Vestibular é composto pela realização de provas. Confira os tipos mais comuns de seleções:

  • Vestibular Tradicional: Provas aplicadas pelas universidades/faculdades públicas ou particulares. A realização é feita pela própria instituição ou pode ser aplicada por organizações especialistas em processos seletivos.   
  • SiSU: O Sistema de Seleção Unificada (SiSU) é uma plataforma digital do Ministério da Educação (MEC) que utiliza as notas do último Enem para o ingresso em instituições públicas de ensino superior. O SiSU é gratuito.   
  • Seleção via Enem (Processo Seletivo Complementar, Seleção Simplificada, Ingresso Extravestibular): Seleção de responsabilidade das instituições de ensino e que considera somente as notas do Enem. O MEC não é responsável pelo gerenciamento do processo seletivo como no SiSU, a participação é feita pelas páginas das universidades ou de forma presencial.      
  • Vestibular Misto: Mais raro, este tipo de vestibular é composto pelas provas da universidade mais a pontuação do Enem. O exemplo mais conhecido é o Vestibular Misto da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp).   
  • Vestibular com Habilidades Específicas: Seleção realizada em duas partes, sendo uma das etapas o aproveitamento da nota do Enem substituindo as provas objetivas e de redação, enquanto a outra fase é composta pelos testes de habilidades específicas. Essa modalidade de ingresso costuma ser utilizada quando o curso exige prova específica (teórica e prática) e, por isso, não pode ser oferecido pelo SiSU. São cursos como Música, Dança, Moda e Arquitetura.

            É bom prestar atenção! Os Vestibulares Tradicionais (com prova própria) também podem ter uma etapa de habilidades específicas. 

Veja também: O que é teste de habilidade específica?

3 – Providencie os documentos necessários

Você leu o edital, conferiu o tipo de vestibular da sua faculdade dos sonhos e sabe que está apto a participar da seleção.

Agora, tenha em mãos documentos pessoais com foto (RG, Carteira de Nacional de Habilitação, Carteira de Trabalho, Passaporte, Identidade Funcional etc); CPF; Certidão de Nascimento ou Casamento e endereço com CEP

Os documentos podem ser solicitados de diferentes maneiras no momento da inscrição. É comum que os sistemas utilizados pelas universidades exijam que o candidato digite o CPF para fazer seu cadastro ou gerar o login. Atenção ao preencher seus dados pessoais, nem sempre é possível alterar as informações após a confirmação da inscrição. 

4 – Preencha corretamente a inscrição

Conferidas as orientações de inscrições no Edital, acesse o endereço informado pela instituição e faça sua inscrição

  • Login: A forma mais comum de inscrição é o cadastramento de CPF, RG, senha, e-mail pessoal para gerar o login (local de acesso ao cadastro).  
  • Dados pessoais e escolares: o candidato deve informar os dados pessoais solicitados e também preencher corretamente a escolaridade, já que somente pessoas matriculadas no 3º ano do ensino médio ou que já terminaram os estudos podem concorrer, os demais participam como treineiros. 

           →  Algumas instituições exigem alguns dados complementares para a inscrição, por isso, leia bem o edital e qualquer outra orientação presente na página do vestibular escolhido.

A Universidade de São Paulo (USP), por exemplo, solicita que o candidato insira uma foto de rosto para que o sistema faça o reconhecimento facial, medida adotada para evitar fraudes nos dias de provas. 

  • Questionário socioeconômico: outra medida comum dos vestibulares (também presente no Enem) é o preenchimento do questionário socioeconômico. A coleta de informações permite que as instituições ou até mesmo o MEC façam um perfil de quem busca uma vaga no ensino superior. Em alguns casos, o questionário é usado para a concessão de isenção da taxa de inscrição em seleções de universidades públicas.  
  • Informe se precisa de atendimento especial: se necessitar de atendimento especial ou especializado, informe em sua inscrição. Tenha em mãos laudo médico ou outro comprovante que seja necessário. 

Leia também: atendimento especial no Enem

  • Isenção de taxa: instituições públicas costumam aceitar solicitações de isenção parcial ou total da taxa de inscrição. O mais comum é que a gratuidade ou desconto seja concedido aos candidatos de baixa renda e, em alguns casos, para doadores de sangue e/ou medula óssea. 

            Quer saber se tem o direito de pedir isenção? Leia o regulamento no site da instituição e veja se a universidade oferece o benefício e quais as exigências para a solicitação. 

  • Escolha a cidade de prova: opte pela cidade em que você estará no dia do vestibular. Caso saiba que não poderá fazer a prova em seu município de residência, por exemplo, assinale o local no qual terá a possibilidade de comparecer. 

      → Se só houver uma cidade de prova e ela for diferente da sua, tenha certeza de que poderá comparecer ao se inscrever. As instituições de ensino não costumam aceitar mudanças nos locais de prova após a finalização da inscrição. 

  • Escolha o curso: Chegou o grande momento! Leia atentamente os cursos, a quantidade de vagas oferecidas, as cidades em que há oferta e, se for o caso, as modalidades de cotas ou ações afirmativas disponíveis. Após conferir tudo, escolha a graduação para a qual deseja concorrer. 

        → Alguns vestibulares dão ao candidato a opção de escolher mais de um curso, assim a chance de aprovação na universidade é maior. Está em dúvida em mais de uma graduação? Essa é a sua chance! 

=> O que são cotas?

As cotas são reservas de vagas para determinados candidatos para promover a democratização do acesso ao ensino superior público. A Lei Federal 12.

711, de 29 de agosto de 2012, regulamenta a reserva mínima de 50% das vagas de universidades, institutos e centros federais de educação para estudantes de escolas públicas.

Dentro deste percentual há oportunidades específicas para pretos, pardos e indígenas; pessoas de baixa renda e pessoas com deficiência. 

E Agora O Que É Que Eu Faço Como Inscrever?

As instituições de ensino podem reservar parte de suas vagas também para as Ações Afirmativas, tipos de cotas que não são regulamentadas pelas Lei 12.711/2012 e têm critérios definidos pelas próprias universidades. 

Não pare agora… Tem mais depois da publicidade 😉

5 – Gere o boleto da taxa e faça o pagamento

Ao finalizar a inscrição no vestibular, gere o boleto para poder pagar a taxa. Faça o pagamento dentro do cronograma definido no edital para participar da seleção. A inscrição só é confirmada quando o banco envia para a faculdade a informação de que o valor foi pago. A chamada compensação bancária pode demorar alguns dias úteis (excluem-se sábados, domingos e feriados). 

Caso você seja isento, a inscrição será imediatamente confirmada após a finalização do cadastro. Guarde seu comprovante de inscrição (impresso ou digital) para sua segurança. 

Inscrição confirmada, agora é aguardar as provas.

Não perca tempo e já comece a estudar! No Brasil Escola você confere diversos conteúdos escolares, dicas, exercícios, videoaulas, simulados, provas anteriores de vestibulares e do Enem, além de poder treinar sua redação e ter seu texto corrigido gratuitamente!

Leia também:  Como Ligar Um Telemovel Que Nao Liga?

Confira como se inscrever e atualizar seu Cadastro Único

Apesar de importante para grande parcela da população, muitas pessoas encontram dificuldade para se inscrever no Cadastro Único, mais conhecido como CadÚnico. O Agora separou dicas e um passo a passo detalhado de como conseguir acessar a ferramenta para ter acesso a programas sociais como o Bolsa Família e desconto na conta de luz.

Auxílio emergencial chega ao fim E Agora O Que É Que Eu Faço Como Inscrever?

O CadÚnico busca identificar públicos vulneráveis e prioritários para políticas públicas. Podem se cadastrar famílias com renda até meio salário mínimo por pessoa (R$ 550), famílias com até três salários mínimos (R$ 3.300) ou famílias com renda superior a três salários mínimos, desde que estejam pleiteando algum programa social.

Apesar de o agendamento poder ser feito online pelos sites das unidades do Cras (Centros de Referência da Assistência Social) e do Descomplica SP, a entrevista de cadastro é obrigatoriamente presencial.

“O cadastramento é feito por meio de entrevistadores sociais nas unidades dos Cras do município. Também é possível realizar em postos de cadastramento que alguns municípios disponibilizam.

Na família, basta apenas uma pessoa, chamada de responsável familiar, informar os dados de todos os familiares que residem com ela”, diz Beatriz Moreira, Coordenadora Estadual do CadÚnico pela Secretaria de Desenvolvimento Social de São Paulo.

Esse responsável familiar, preferencialmente uma mulher, deve ter mais de 16 anos e condições de repassar informações sobre todo o grupo familiar. Para a entrevista, a pessoa deve levar apenas o próprio título de eleitor ou CPF. O comprovante de endereço é sugerido para não haver erros na hora de abrir o cadastro.

Caso tenha dúvida se já está cadastrado no sistema, é possível verificar pelo site ou pelo aplicativo de celular, ambos de mesmo nome, “Meu CadÚnico”. Nele, é possível encontrar os dados das pessoas que já se inscreveram no CadÚnico há mais de 45 dias (prazo necessário para atualizar a base de dados no aplicativo ou site).

É necessário atualizar esse cadastro obrigatoriamente a cada dois anos da data da última atualização ou sempre que houver alguma mudança no grupo familiar, como endereço, número de membros, renda, trabalho, entre outros.

Vale destacar que o CadÚnico é a porta de entrada para uma série de benefícios, programas e serviços, tanto federais quanto estaduais e municipais.

Os principais são: Bolsa Família, Tarifa Social de Energia Elétrica, BPC/Loas, isenção da inscrição em concursos públicos, Renda Cidadã, Ação Jovem, Carteira do Idoso (gratuidade do transporte interestadual), Gratuidade de Serviço Funerário, Leve Leite, Viva Leite, Passe Livre, entre outros serviços.

No caso da conta de luz, as famílias de baixa renda inscritas no CadÚnico têm direito à Tarifa Social de Energia Elétrica.

O benefício, cujo desconto no valor da conta de luz varia de 10% a 65%, é calculado de acordo com o consumo mensal de energia do domicílio.

Para mais informações, o solicitante pode entrar em contato com a distribuidora de energia elétrica de sua cidade, com o Cras da região ou com a Aneel pela central 167.

O que é?

  • Ferramenta que serve para indicar públicos vulneráveis e prioritários para políticas públicas, além de ser a porta de entrada única para uma série de programas, benefícios e serviços públicos
  • Nele são registradas informações como: características da residência, identificação de cada pessoa, escolaridade, situação de trabalho e renda, entre outras
  • É obrigatório para a concessão dos benefícios do Programa Bolsa Família, da Tarifa Social de Energia Elétrica, do Programa Minha Casa, Minha Vida, entre outros
  • Também pode ser utilizado para a seleção de beneficiários de programas ofertados pelos governos estaduais e municipais

Quem pode se cadastrar?

  • Famílias com renda mensal de até meio salário mínimo por pessoa
  • Famílias com renda mensal total de até três salários mínimos
  • Podem ser cadastradas famílias que têm renda acima destes valores, desde que sejam público alvo de programas, benefícios e serviços específicos
  • Pessoas que moram sozinhas podem ser cadastradas (famílias unipessoais)
  • Pessoas que vivem em situação de rua — sozinhas ou com a família— também podem ser cadastradas. O caminho, nesse caso, é procurar algum posto de atendimento da assistência social e perguntar como fazer para ser incluído no CadÚnico

Público alvo

  • São as famílias em situação de extrema pobreza, que são aquelas que vivem com até R$ 178 de renda per capita familiar mensal

Agendamento online, mas entrevista presencial

  • Não há como fazer o CadÚnico online, apenas o agendamento é pela internet
  • O cadastro é feito com uma entrevista com um membro da família (ou responsável familiar) que seja preferencialmente mulher, maior de 16 anos e com condições de repassar informações sobre todo o grupo familiar

Como fazer o agendamento?

  • No site (ir ao bloco Cidadania e Assistência Social e procurar por CadÚnico) ou pelo telefone da Central 156
  • Também pode ser feito nas unidades do Descomplica SP no site

Entrevista

  • Com a data agendada, é só comparecer no dia e local escolhido com pelo menos um documento original de cada membro do grupo familiar
  • Os endereços estão nos mesmo sites em que o agendamento foi feito (CRAS e Descomplica SP)

Informações requisitadas

  • Domicílio (condições de moradia, acesso a saneamento básico, energia elétrica, localização)
  • Família (número de membros, gastos familiares, acesso a serviços de saúde e assistência social)
  • Sobre seus membros (raça/cor, local de nascimento, documentos, pessoas com deficiência, escolaridade e grau de instrução, renda e trabalho)

Documentos importantes

  • O responsável familiar precisará levar apenas o próprio título de eleitor ou CPF
  • O comprovante de endereço é sugerido para não haver erros no ato do cadastramento
  • Os demais membros da família precisam ter um desses documentos: CPF, RG, certidão de nascimento, certidão de casamento, carteira de trabalho ou título de eleitor

Estou no Cadastro Único?

  • Essa consulta pode ser feita pela internet, no site ou pelo App Meu CadÚnico
  • Nas duas ferramentas basta lançar alguns dados seus e, se existir um cadastro, irá aparecer

Cadastro em dia

  • As pessoas inscritas no CadÚnico assumem o compromisso de prestar informações verdadeiras e atuais sobre sua família
  • Sempre que houver alguma mudança em sua situação, é necessário atualizar as informações
  • Mesmo sem mudança na família, o cadastro deve ser atualizado a cada dois anos, obrigatoriamente

Exemplos de alterações

  • Nascimento ou morte de alguém na família
  • Saída de um integrante para outra casa
  • Mudança de endereço
  • Entrada das crianças na escola ou transferência de escola
  • Aumento ou diminuição da renda, entre outros

Como fazer a atualização cadastral

  • A família deve procurar o Setor Responsável pelo CadÚnico ou pelo Bolsa Família em sua cidade e fazer uma nova entrevista
  • Alguns municípios oferecem os serviços de cadastramento e atualização cadastral nos Cras (Centros de Referência de Assistência Social)

Posso ter emprego fixo e estar no cadastro?

  • O CadÚnico não se preocupa com esta informação para selecionar o seu público alvo
  • Qualquer família pode ser cadastrada, independentemente do tipo de vínculo do trabalho
  • Esta informação é coletada na entrevista do CadÚnico, mas não impede o acesso ao cadastro

Programa Bolsa Família

  • Direcionado às famílias em situação de pobreza e de extrema pobreza em todo o país

Programa Tarifa Social de Energia Elétrica

  • Dá desconto na tarifa de energia elétrica para pessoas de baixa renda

Isenção de Taxas em Concursos Públicos

Identidade Jovem (ID Jovem)

  • Documento que possibilita acesso aos benefícios de meia-entrada em eventos artístico-culturais e esportivos e também a vagas gratuitas ou com desconto no sistema de transporte coletivo interestadual

Carteira do Idoso

  • Documento que garante à pessoa idosa acesso a passagens interestaduais nos transportes rodoviário, ferroviário e aquaviário gratuitas ou com desconto de, no mínimo, 50%
Leia também:  Como Saber Qual O Meu Tarifario?

Programa Minha Casa, Minha Vida

  • Oferece condições atrativas para o financiamento de moradias nas áreas urbanas para famílias com renda familiar bruta de até R$ 7.000 por mês

Programa Bolsa Verde

  • Programa de apoio à conservação ambiental

Importante!

  • O cadastramento não significa a inclusão automática em programas sociais
  • Esses programas usam as informações do Cadastro Único, mas são gerenciados por outros órgãos
  • A seleção e o atendimento da família ocorrem de acordo com critérios e procedimentos definidos pelos gestores e pela legislação específica de cada um deles

Fontes: Beatriz Moreira, coordenadora Estadual do CadÚnico pela Secretaria de Desenvolvimento Social de São Paulo, e Secretaria Municipal de Assistência e Desenvolvimento Social de São Paulo

Inscrição no auxílio emergencial 2021 será feita com cadastro antigo

Não haverá necessidade de realizar nova inscrição no auxílio emergencial 2021. O governo deverá usar os cadastros antigos como parâmetro. Saiba detalhes.

E Agora O Que É Que Eu Faço Como Inscrever?

A retomada do benefício deverá atender cerca de 40 milhões de brasileiros. – Foto: Divulgação / Governo Federal

É oficial: a inscrição no auxílio emergencial 2021 vai ser feita com base nos cadastros antigos do programa.

O governo federal pretende filtrar a lista de inscritos pelo banco de dados do Ministério da Cidadania, tendo em vista os critérios de renda e hipossuficiência financeira.

No ano passado, quem não estivesse inscrito no CadÚnico tinha que realizar o pedido pelo site da Caixa.

Esse procedimento não será necessário para garantir as novas parcelas do auxílio emergencial em 2021. De acordo a medida provisória do governo brasileiro, a retomada do benefício deverá atender cerca de 45,6 milhões de brasileiros (no ano passado, 68 milhões de pessoas foram contempladas com os pagamentos).

De acordo com o ministro Paulo Guedes, o auxílio emergencial 2021 será liberado a partir de abril. O chefe da pasta, em evento online do Jornal Jota, disse que a prorrogação demorou devido ao tempo próprio da política para aprovar gastos extras.

O Ministério da Cidadania, em portaria divulgada nesta quarta (31/03), também revelou que a primeira parcela será paga entre os dias 06 e 30 de abril. Conforme informações preliminares, a meta inicial é de transferir quatro parcelas até agosto de 2021. 

  • Prepare-se: Questões de Concursos

O primeiro pagamento, de início, será concedido para os trabalhadores inscritos no CadÚnico, seguidos dos informais que se cadastraram no aplicativo da Caixa. As datas para os beneficiários do Bolsa Família, por sua vez, vão seguir o calendário tradicional do programa. Para esse grupo, a primeira parcela seja transferida a partir do dia 16 de abril de 2021.

  • Auxílio emergencial 2021; VEJA calendário com todas as datas de pagamento

Inscrição no auxílio emergencial de 2021 será automática

De acordo com o Jornal Folha de S. Paulo, os membros do Executivo defendem a necessidade de filtrar a lista de beneficiários de maneira automática.

O objetivo é de que os novos pagamentos sejam transferidos somente para os mais pobres, no sentido de manter o controle nos custos do programa.

Assim sendo, não haverá necessidade de realizar nova inscrição no auxílio emergencial 2021.

O ministro Paulo Guedes afirmou que serão liberadas parcelas médias de R$ 250 aos beneficiários.  Entretanto, os pagamentos podem ter valores maiores para as mulheres chefes de família (R$ 350) e menores para quem more sozinho (R$ 150). A variação, dessa maneira, dependerá das composições familiares

“Teremos duas curvas: uma de vacinação em massa subindo para imunizar a população e garantir um retorno seguro ao trabalho, enquanto as camadas protetivas, que eram R$ 600, caíram para R$ 300.

Agora, podem descer, digamos, para R$ 250; uma coisa assim”, explicou no dia 11 de fevereiro de 2021, enquanto conversava com o ex-secretário do Tesouro Nacional e atual economista-chefe do BTG Pactual, Mansueto Almeida.

  • Como contestar o auxílio emergencial negado? Descubra como funciona

Publicada pelo Ministério da Cidadania, a medida provisória do auxílio emergencial 2021 informa as regras para o recebimento das parcelas. A principal exigência continua sendo a mesma de antes, ou seja, renda familiar per capita de até meio salário mínimo (R$ 550) e total de até três salários mínimos (em torno de R$ 3.300).

Quem passou a ter direito pode solicitar o benefício na Defensoria Pública

Aqueles que não tinham direito ao auxílio emergencial em 2020, por sua vez, poderão requerer as novas parcelas.

No entanto, os interessados precisam comprovar que perderam a renda devido ao contexto de pandemia.

Conforme apurações feitas pelo Jornal O Globo, os requerimentos deverão ser feitos nas unidades da Defensoria Pública. Elas contam com ferramentas necessárias para o cruzamento dos dados.

No momento dos pedidos, os interessados vão ter que apresentar documentos que comprovem a situação financeira. O auxílio emergencial 2021, ao que tudo indica, apenas será transferido para quem tenha:

  • Renda de meio salário mínimo por pessoa da família (ou seja, R$ 550); e
  • Renda familiar total de até três salários mínimos (em torno de R$ 3,3 mil).

Auxílio emergencial: quem ficará de fora?

Em 2020, os beneficiários do Bolsa Família, trabalhadores informais, autônomos, desempregados e MEIs garantiram os pagamentos. Cerca de 68 milhões de pessoas, ao todo, foram atendidas. Por outro lado, a nova lista de beneficiários será reduzida após o cruzamento das inscrições antigas do auxílio emergencial.

Cerca de 45,6 milhões de famílias vão ser contempladas com a nova rodada de pagamentos, desde que tenham recebido as parcelas do ano passado e atendam aos critérios de renda. Confira quem ficará de fora do auxílio emergencial 2021, com base na medida provisória do governo:

  • Tem vínculo de emprego formal ativo;
  • Esteja recebendo benefícios previdenciário, assistencial ou trabalhista ou, ainda, de programa de transferência de renda federal (menos abono salarial e Bolsa Família);
  • Tem renda familiar mensal por pessoa acima de meio salário mínimo (ou seja, maior do que R$ 550);
  • Tem renda familiar mensal total acima de três salários mínimos (ou seja, maior do que que R$ 3.300);
  • Mora fora do país;
  • Recebeu rendimentos tributáveis acima de R$ 28.559,70 em 2019;
  • Tinha a posse ou a propriedade de bens ou direitos, inclusive a terra nua, de valor total superior a R$ 300.000,00 em 31 de dezembro de 2019;
  • Recebeu rendimentos isentos, não tributáveis ou tributados exclusivamente na fonte, que somem quantia superior a R$ 40 mil (no ano de 2019);
  • Foi declarado, no ano de 2019, como dependente na situação de cônjuge, companheiro (com o qual o contribuinte tenha filho ou com o qual conviva há mais de cinco anos), filho ou enteado;
  • Estiver preso ou com CPF vinculado ao auxílio-reclusão;
  • Tem menos de 18 anos, com exceção das mães adolescentes;
  • Possui indicativo de óbito nas bases de dados do governo federal;
  • Esteja com o auxílio emergencial ou residual cancelado no momento da avaliação para as parcelas de 2021;
  • Não movimentou os valores relativos ao auxílio emergencial de 2020;
  • For estagiário, residente médico ou residente multiprofissional, recebendo bolsa de estudo Capes, CNPq ou de outras concedidas por órgão público.

Auxílio emergencial 2021: atualização cadastral no Caixa Tem foi suspensa

Todos os correntistas que têm direito às novas parcelas poderiam atualizar seus cadastros no Caixa Tem. No entanto, o presidente da instituição bancária informou que o procedimento foi suspenso por tempo indeterminado. Vale lembrar que as atualizações cadastrais não estavam vinculadas com o auxílio emergencial, conforme explicou a Caixa.

“A atualização não é obrigatória. É um convite da Caixa. A instituição bancária está chamando os clientes para fazerem a atualização e terem acesso a mais serviços e mais segurança na movimentação da conta, mais proteção contra fraude”, afirmou a assessoria da Caixa em entrevista para o Concursos no Brasil.

Leia também:  Como Saber Qual Oleo Usar No Motor?

Compartilhe

Concurso IBGE: como fazer inscrições no Cebraspe? Veja!

O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística lançou, na manhã do dia 05 de março de 2020, os editais referentes aos processos seletivos do órgão para contratação temporária de profissionais. São 208.695 vagas sendo ofertadas pelo concurso IBGE! As inscrições IBGE estão abertas e podem ser realizadas até o dia 24 de março de 2020.

Que tal aproveitar essa oportunidade? Há vagas em milhares de municípios em todo o Brasil. São chances de níveis fundamental e médio! As remunerações são de R$ 1.100,00 a R$ 2.100,00. Já os Recenseadores irão receber por produção, ou seja, podem receber bem acima de R$ 1.500,00.

Pensando em facilitar o seu entendimento, o Gran Cursos Online te mostra o passo a passo de como se inscrever na página do site do organizador Centro Brasileiro de Pesquisa em Avaliação e Seleção e de Promoção de Eventos (Cebraspe).

Navegue utilizando o índice:

  • Concurso IBGE: vagas
  • Inscrições IBGE
  • Resumo do concurso
  • Cursos Online IBGE

Concurso IBGE: 208.695 vagas

As oportunidades são para as seguintes ocupações.

OcupaçãoRelação de vagas
Recenseador 180.557
Agente Censitário Supervisor 22.676
Agente Censitário Municipal 5.462

Na seleção haverá 5% de reserva de vagas para pessoas com deficiências (PcDs). Ainda, 20% de vagas são destinadas às pessoas pretas ou pardas.

Concurso IBGE: inscrições

  • O período de inscrições será de 05 de março até às 23h59 do dia 24 de março de 2020 (horário oficial de Brasília/DF).
  • Veja os endereços eletrônicos de inscrições no site do Cebraspe:
  • Os valores das taxas de inscrição são distintas a depender do cargo:
OcupaçãoTaxa de inscrição
Recenseador R$ 23,61
Agente Censitário (Supervisor e Municipal) R$ 35,80

Os interessados poderão se inscrever para as duas ocupações e realizar as duas provas, porém só poderá assumir um cargo.

Concurso IBGE: como fazer as inscrições?

É necessário preencher os seguintes requisitos:

  • Ter idade mínima de 18 anos completos na data de contratação;
  • Estar em gozo dos direitos políticos;
  • Escolaridade:
    • Ensino fundamental completo – Recenseador
    •  Ensino médio completo – Agente Censitário Municipal e Supervisor
  • É vedado a inscrição de Microempreendedores individuais (MEI).

Veja abaixo a página de inscrição/página de acompanhamento do Cebraspe.

Descubra o que você pode fazer com a nota do Enem

Se você estiver pensando em fazer uma faculdade para turbinar a carreira, uma palavrinha deve entrar a partir de agora no seu radar: Enem.

Criado para avaliar a qualidade da educação brasileira, o Enem acabou virando a principal porta de entrada para o ensino superior no País. Além disso, a nota do Exame vem sendo usada como critério em uma série de programas do Governo Federal de democratização de acesso a universidades públicas e privadas.

Vale a pena saber para que serve a nota do Enem e, talvez, encarar o Exame para encurtar seu trajeto rumo a uma melhor qualificação profissional.

Descubra a seguir tudo o que você pode fazer com a nota do Enem!

1. Entrar na universidade pública sem fazer vestibular

Isso mesmo, você leu direito! É possível conquistar uma vaga na universidade pública sem precisar fazer o temido vestibular. Basta participar do Sistema de Seleção Unificada (Sisu), uma iniciativa do Governo Federal que usa exclusivamente a nota do Enem para classificar candidatos a uma vaga em instituições públicas de ensino superior de todo o País.

O Sisu é totalmente informatizado e abre inscrições duas vezes por ano. Não é preciso pagar nenhum tipo de taxa de inscrição e não há limites de renda ou idade para participar.

O critério principal é ter feito o Enem no ano imediatamente anterior e não ter zerado na redação.

Cada universidade pode ter seus próprios critérios de nota mínima e pesos diferentes para as provas do Enem. No período de inscrições você poderá consultar se atende aos requisitos do curso dos seus sonhos.

Vale lembrar que a concorrência pode ser feroz e quanto maior sua pontuação do Enem, maiores as chances de passar no Sisu!
Entenda o que é Sisu.

2. Ganhar uma bolsa de estudos na faculdade particular

Logo depois do processo seletivo do Sisu, abrem as inscrições para o Programa Universidade para Todos, o ProUni.

Essa é mais uma iniciativa do Governo Federal que utiliza a nota do Enem como critério de seleção. A diferença é que o ProUni oferece bolsas de estudo parciais e integrais em faculdades privadas.

Para participar, além de não ter diploma de nível superior e cumprir requisitos de renda, é obrigatório ter participado do Enem do ano imediatamente anterior e ter atingido um desempenho mínimo no Exame de pelo menos 450 pontos nas provas objetivas e nota maior do que zero na redação.

Quanto maior sua nota do Enem, maiores as chances de conseguir uma bolsa do ProUni. A nota de corte também varia de acordo com a faculdade, curso, turno e modalidade de concorrência (cotas ou não). Cursos mais disputados chegam a exigir mais de 700 pontos, mas dependendo da vaga é possível entrar com pouco mais do que o desempenho mínimo.

Se você fez o Enem a partir de 2010, poderá tentar uma vaga no processo de bolsas remanescentes do ProUni.

Veja também: Quantos pontos preciso tirar no Enem para conseguir o ProUni?

3. Financiar a faculdade a juros baixos e prazo longo

  • Em 2015, o programa de financiamento estudantil a juros baixos do Governo Federal, o FIES, passou a exigir que os candidatos apresentam a nota do Enem de qualquer edição a partir de 2010, desde que tenham alcançado  pelo menos 450 pontos na média geral das provas e nota maior do que zero na redação.
  • O FIES também exige renda familiar bruta mensal de no máximo dois salários mínimos e meio por pessoa.
  • Está cada vez mais difícil conseguir o FIES, mas se você optar por cursos nas áreas prioritárias de formação de professores, saúde ou engenharias e morar nas regiões Norte, Nordeste ou Centro-Oeste (exceto Distrito Federal), tem mais chances de conseguir o benefício.
  • O estudante que recebe o FIES só precisa começar a pagar a dívida um ano e meio depois de se formar e o prazo é de três vezes a duração do curso financiado.

4. Entrar na faculdade privada direto, sem fazer nenhuma prova

A nota do Enem também serve para se matricular em inúmeras faculdades privadas brasileiras sem precisar se preocupar em fazer nenhum tipo de prova.

Cada instituição define suas próprias regras e critérios para selecionar seus alunos por meio da nota do Enem. Vale a pena consultar a faculdade de seu interesse para saber mais.

Conheça algumas universidades privadas reconhecidas pelo Ministério da Educação (MEC) que usam o Enem como forma de ingresso direto:

Nelas você vai encontrar também vantagens como ProUni, FIES, bolsas, descontos, convênios e financiamento sem burocracia.

5. Complementar a nota do vestibular

Não são todas as universidades que usam esse recurso, mas é possível utilizar a nota do Enem para complementar a pontuação no vestibular e, assim, aumentar as chances de entrar no curso dos seus sonhos.

Os critérios e pesos atribuídos ao Exame variam bastante entre as instituições. Consulte o Edital do Vestibular para saber se a universidade onde você pretende estudar aceita essa ajuda extra e como funciona o processo.

6. Entrar para uma universidade na Europa

Nem todo mundo sabe, mas é possível usar a nota do Enem para estudar no exterior! Por enquanto, seis universidades de Portugal reservam uma parte de suas vagas para brasileiros, que são selecionados pela nota do Enem.

Mas atenção: é preciso pagar uma taxa de inscrição para participar do processo e, caso passe, arcar com todos os custos de passagem, hospedagem e mensalidades.

Vai encarar o Enem e usar a nota do Exame para entrar na faculdade ? Conte para a gente aqui nos comentários!

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*