De Onde Vem O Plastico E Como Ele E Feito?

Atualizado em Outubro de 2020

Sua História

O primeiro plástico sintético foi desenvolvido no início do século XX, e registrou um desenvolvimento acelerado a partir de 1920. Este material, relativamente novo se comparado a outros como o vidro e o papel, passou a estar presente em grande parte dos nossos utensílios.

Composição

O plástico vem das resinas derivadas do petróleo e pertence ao grupo dos polímeros (moléculas muito grandes, com características especiais e variadas).

A palavra plástico tem origem grega e significa aquilo que pode ser moldado. Além disso, uma importante característica do plástico é manter a sua forma após a moldagem.

Tipos de Plásticos

Existem muitos tipos de plásticos. Os mais rígidos, os fininhos e fáceis de amassar, os transparentes, etc…

Eles são divididos em dois grupos de acordo com as suas características de fusão ou derretimento: termoplásticos e termorrígidos.

Os termoplásticos são aqueles que amolecem ao serem aquecidos, podendo ser moldados, e quando resfriados ficam sólidos e tomam uma nova forma. Esse processo pode ser repetido várias vezes. Correspondem a 80% dos plásticos consumidos. Ex: polipropileno, polietileno.

Os termorrígidos ou termofixos são aqueles que não derretem quando aquecidos, o que impossibilita a sua reutilização através dos processos convencionais de reciclagem. Ex: poliuretano rígido.

Em alguns casos, estes materiais podem ser reciclados parcialmente através de moagem prévia e incorporação no material virgem em pequenas quantidades, como ocorre com os elastômeros (borracha).

Tipos Aplicações
TERMOPLÁSTICOS
De Onde Vem O Plastico E Como Ele E Feito?
Plastivida, 1997
PET – (polietileno tereftalado)Frascos de refrigerantes, produtos farmacêuticos, produtos de limpeza, mantas de impermeabilização e fibras têxteis, etc;saiba mais
De Onde Vem O Plastico E Como Ele E Feito?
Plastivida, 1997
PEAD – (polietileno de alta densidade)Embalagens para cosméticos, frascos de produtos químicos e de limpeza, tubos para líquidos e gás, tanques de combustível para veículos automotivos, etc;
De Onde Vem O Plastico E Como Ele E Feito?
Plastivida, 1997
V ou PVC – (policloreto de vinila)Frascos de água mineral, tubos e conexões de encanamento, calçados, encapamentos de cabos elétricos, equipamentos médico-cirúrgicos, esquadrias e revestimentos, etc.
De Onde Vem O Plastico E Como Ele E Feito?
Plastivida, 1997
PEBD – (polietileno de baixa densidade)Embalagens de alimentos, sacos industriais, sacos para lixo, lonas agrícolas, filmes flexíveis para embalagens e rótulos de brinquedos, etc;
De Onde Vem O Plastico E Como Ele E Feito?
Plastivida, 1997
PP – (poliproprileno)Embalagens de massas e biscoitos, potes de margarina, seringas descartáveis, equipamentos médico-cirúrgicos, fibras e fios têxteis, utilidades domésticas, autopeças (pára-choques de carro);
De Onde Vem O Plastico E Como Ele E Feito? 
Plastivida, 1997
PS – (poliestireno)Copos descartáveis, placas isolantes, aparelhos de som e tv, embalagens de alimentos, revestimento de geladeiras, material escolar;
De Onde Vem O Plastico E Como Ele E Feito? 
Plastivida, 1997
OUTROS – Plásticos especiais e de engenharia, CDs, eletrodomésticos, corpos de computadores;
TERMORRÍGIDOS
PU – Poliuretanos, EVA – Poliacetato de Etileno Vinil etc Solados de calçados, interruptores, peças industriais elétricas, peças para banheiro, pratos, travessas, cinzeiros, telefones e etc.

No Brasil, o uso das embalagens PET (politereftalato de etileno) está crescendo e substituindo embalagens como: latas de flandres, vidros, multilaminados (tipo “longa vida” ou “caixinha”) e até de outros plásticos. Hoje é comum observar o PET em garrafas de suco, refrigerantes, óleos vegetais, água mineral.

A matéria-prima do plástico

Os plásticos são polímeros produzidos a partir de processos petroquímicos. O PET é um deles, e foi desenvolvido em 1941 pelos químicos ingleses Whinfield e Dickson.

Por ser um material inerte, leve, resistente e transparente, passou a ser utilizado na fabricação de embalagens de bebidas e alimentos no início da década de 1980.

Em 1985 cerca de 500 mil toneladas de vasilhames já haviam sido produzidos, somente nos Estados Unidos.

De Onde Vem O Plastico E Como Ele E Feito?
Símbolo de identificação do PET.

Processo de reciclagem do PET

  • Depois de coletadas por um sistema seletivo, as embalagens PET passam por uma triagem para separá-las por cor.
  • Para viabilizar o transporte para as fábricas recicladoras é necessário, em muitos casos, o enfardamento, utilizando prensas hidráulicas ou manuais.
  • O processo de reciclagem do PET se dá através de moagem e lavagem das embalagens, daí os polímeros são novamente transformados em grânulos, os chamados grãos ou pellets.

De Onde Vem O Plastico E Como Ele E Feito?

Os produtos da reciclagem do PET são muito variados. É possível fabricar desde fibra de poliéster para a confecção de roupas à produção de novas embalagens (exceto embalagens para a indústria alimentícia). Veja a tabela abaixo:

De Onde Vem O Plastico E Como Ele E Feito?
Fonte: ABIPET

Por que reciclar

  • Em sua maioria os materiais plásticos ocupam muito espaço nos aterros devido a dificuldades de compactação e por sua baixa degradabilidade.
  • As embalagens plásticas lançadas indevidamente no ambiente contribuem para entupimentos, propiciam condições de proliferação de vetores, prejudicam a navegação marítima e agridem a fauna aquática, além de causarem mau aspecto estético.

Existem hoje, no país, programas de coleta seletiva desenvolvidos por prefeituras, empresas, universidades, condomínios, escolas, etc. Procure saber se alguma destas iniciativas está sendo implementada em sua região, lembrando ainda que o material separado também pode ser encaminhado para cooperativas e sucateiros.

Para saber mais sobre a reciclagem de Embalagens PET usadas, entre em contato com as seguintes entidades ou empresas:

RECIPET
Rua Humaitá, 965
CEP: 13 330-510 – Indaiatuba, SP

Tel.: (019) 375 6677

ABIQUIM – Associação Brasileira da Indústria Química
Rua Santo Antônio, 184 – 18o Andar
1314-900 – São Paulo, SP

Tel. (011) 3242 1144

ABIPET
Associação Brasileira dos Fabricantes de Embalagens de PET
Rua Joaquim Floriano, 72 conj. 85
04534-000 – São Paulo, SP

(011) 3078-1688

Fontes:

 Acervo Recicloteca
 A Reciclagem de Plástico e o Meio Ambiente – Adilson Santiago Pires
 Plastivida – www.plastivida.org.br
 ABIPET – www.abipet.org.br

Reciclagem

Para facilitar a reciclagem dos diferentes tipos de plástico foram criados códigos numéricos e abreviações como apresentados no quadro acima. Muitos fabricantes já estão incluindo estes códigos em seus produtos.

RECICLAGEM ENERGÉTICA – O plástico é queimado liberando um calor muito forte (superior ao do carvão e próximo ao produzido pelo óleo combustível) que é aproveitado na forma de energia. Porém, esta prática resulta em emissão de CO 2, agravando ainda mais o efeito estufa e emissão de dioxinas, que são compostos altamente tóxicos.

RECICLAGEM QUÍMICA – O plástico sofre reações químicas e, portanto, se transforma em outro tipo de plástico que então poderá ser utilizado na indústria. Ex: reciclagem do PET para a produção de resina de poliéster, usada na fabricação de fibras para a confecção de roupas.

RECICLAGEM MECÂNICA – no Brasil, é a mais utilizada; é mais barata e mantém uma boa qualidade do produto. Os plásticos são submetidos a processos físicos (ex:polietileno, polipropileno).

Fique por dentro:

A praticidade e a resistência do plástico tornaram este material um dos mais usados no mundo. No Brasil eles já representam cerca de 20% dos resíduos, e acredita-se que sua utilização e conseqüentemente seu descarte aumentem ainda mais nos próximos anos.

  • Às vezes usamos embalagens de mais para produtos de menos: alguns produtos vêm com excesso de embalagens plásticas. Fiquem atentos!
  • Na reciclagem do plástico os produtos finais normalmente não são usados na indústria de alimentos para evitar algum tipo de contaminação. No caso do PET, um dos plásticos mais usados e com crescentes índices de reciclagem, 41% do volume reciclado é transformado em fio de poliéster para a produção de tecidos.
  1. Na página abaixo você terá acesso a uma série de publicações da ABIPLAST sobre a reciclagem de plásticos e sustentabilidade no setor.
    Sustentabilidade ABIPLAST
  2. Baixe no link a seguir o EBOOK – PERGUNTAS E RESPOSTAS SOBRE RECICLAGEM DE PLÁSTICO.
  3. Poltrona de Pet: passo-a-passo
  4. Vassoura de Pet: passo-a-passo
  5. Reciclagem de plásticos
  6. Como identificar os vários tipos de plásticos
  7. Agora você pode ser um apoiador do Projeto Recicloteca.
  8. Já imaginou poder contribuir para semear a educação ambiental por aí?
  9. Agora você pode!

Não importa o valor da doação, o que importa é ajudar a difundir informações sobre coleta seletiva, meio ambiente em geral e reciclagem. Todas as doações terão uma recompensa!!

Acesse o site abaixo e saiba mais:
https://apoia.se/recicloteca

Este texto está protegido por uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional
Link para atribuição de créditos: http://www.recicloteca.org.br/?post_type=material-reciclavel&p=73

A Ecomarapendi é a ONG (organização não-governamental) responsável pela Recicloteca. Além do centro de informações sobre meio ambiente e reciclagem, oferece diagnóstico participativo, estudos de impacto ambiental e de vizinhança, treinamento e capacitação.

  • Pontos de Reciclagem
  • Seja um patrocinador
  • Faça uma doação

Assuntos relacionados

Compartilhe nas redes sociais

Deixe um comentário

Sorry, there was a YouTube API error: API key expired. Please renew the API key. Please make sure you performed the steps in this video to create and save a proper server API key.

Instagram has returned invalid data.

Tudo sobre Plásticos – Como é feito o plástico?

COMO É FEITO O PLÁSTICO? Quando eu era criança, me perguntava de onde vinham os plásticos.

O plástico é feito de látex? Extraído de alguma planta? É um líquido que foi solidificado? Qual e como?

Na verdade, alguns plásticos até são oriundos de plantas, como o acetato de celulose, que é obtido a partir de fibras de algodão.

O látex é usado para a produção da borracha natural, mas a grande maioria dos materiais borrachosos que encontramos por aí são sintéticos e tem uma origem bem diferente. Existe ainda o PVC que, em parte, é obtido de insumos do sal, mas a grande maioria dos plásticos são provenientes do petróleo.

De Onde Vem O Plastico E Como Ele E Feito?Destilação do petróleo Na refinaria, o petróleo é fracionado em subprodutos como a gasolina, a nafta, querosene, óleo diesel, óleos lubrificantes e resíduos utilizados para produzir betume para asfalto; e é da nafta que são extraídas as substâncias necessárias para a produção dos principais plásticos, que equivalem a uma proporção entre 4 e 5% do petróleo. Dessas substâncias as mais importantes são: propeno, eteno, benzeno, butadieno, tolueno e xileno.

Leia também:  Como Se Diz Porque Em Frances?

Propeno – também chamado propileno é um gás incolor e altamente inflamável. É a principal matéria prima do polipropileno, aquele plástico de caixa de bebidas que também está presente em uma série de utilidades domésticas.

Além disso, o propeno também é usado para a produção de acrilonitrila, um dos componentes do ABS, um plástico geralmente brilhante, rígido, e que provavelmente é o material da carcaça do dispositivo eletrônico que você está usando para visualizar essa página.

Eteno – também conhecido por etileno é um gás incolor com odor levemente adocicado usado principalmente para a produção de polietileno, o plástico das sacolas descartáveis e outros produtos de baixo valor.

O PET das garrafas descartáveis (sim, PET é um tipo de plástico), e o PVC, têm parte de seus componentes originada do eteno, a saber, respectivamente: etileno glicol e MVC (monômero cloreto de vinila).

A partir do eteno é obtido o acetato de vinila, que é a matéria-prima para a produção do EVA, uma espécie de espuma usada em artesanato e como solado de calçados.

Benzeno – do benzeno é produzido o ciclohexano, base para o ácido adípico e a caprolactama, respectivamente usados para a fabricação da poliamida 6.

6 e poliamida 6, vulgarmente conhecidas como nylon.

Apesar de serem mais conhecidos pelos tecidos, os nylons são um dos principais plásticos de engenharia e estão presentes em peças que necessitam de alta resistência mecânica.

  • Butadieno – a partir do butadieno é produzido o polibutadieno, uma borracha usada como componente do ABS, citado mais acima, e como componente de pneus.
  • Tolueno – encontra utilização para a fabricação de tolueno disocianato, uma das matérias-primas para poliuretanos.
  • Xileno – beneficiado pode dar origem ao ácido tereftálico, uma das substâncias necessárias para a produção do PET.

Alguns plásticos dependem da combinação de produtos intermediários originados de mais de uma das frações da nafta citadas acima, como é o caso do poliestireno, o plástico dos garfos de festa infantil, produzido a partir do monômero de estireno que por sua vez é proveniente do etilbenzeno, oriundo do benzeno e do eteno. O poliuretano, das espumas de colchão e de alguns materiais borrachosos/elásticos, é formado a partir de substâncias originadas do propeno, benzeno e do tolueno.

Essa etapa da reação dos produtos químicos e sua transformação em plástico é denominada polimerização, e ocorre dentro de reatores em petroquímicas. O material recém saído do reator é então passado por extrusoras, máquinas que deixam o plástico em um estado entre o sólido e o líquido a fim de que o material seja forçado por uma matriz.

A matriz pode ter um desenho que faça com que o plástico tome a forma de fibras podendo assim ser enrolado em carretéis, como é o caso dos fios de nylon; ou então o desenho pode favorecer a extrusão de “espaguetes de plástico”, que em seguida são cortados em seções milimétricas formando grânulos, também chamados pellets.

Os grânulos são embalados em sacos de 25kg ou colocados em big-bags de 1ton, sendo dessa forma, comercializados com as empresas transformadoras. O papel das empresas transformadoras é dar forma a essa plástico granulado, onde dependendo das características da peça que será moldada diferentes tipos de máquinas são usadas.

De Onde Vem O Plastico E Como Ele E Feito? De Onde Vem O Plastico E Como Ele E Feito?Injetora Peças com formatos complexos – são produzidas com o uso de injetoras. As injetoras possuem um funil onde é despejado o plástico granulado, então esse plástico cai sobre uma rosca que gira empurrando o material para a frente da máquina. Nesse percurso o plástico é aquecido gradualmente, fundindo. Com uma certa quantidade de plástico fundido acumulado à frente da rosca, a rosca passa a assumir a função de um pistão, comprimido o plástico contra uma peça com um orifício chamada bico sendo assim injetado dentro de um molde, que possui internamente cavidades com o desenho da peça. Esse molde possui duas ou mais placas permitindo sua abertura, automática, após cada ciclo de injeção para que a peça seja extraída. De Onde Vem O Plastico E Como Ele E Feito? De Onde Vem O Plastico E Como Ele E Feito?Máquina de rotomoldagem Peças ocas e/ou côncavas – principalmente as de grandes dimensões são produzidas com o uso de máquinas de rotomoldagem. Nesse processo o plástico não chega ao transformador na forma de grânulos e sim em pó. Aqui o plástico é colocado diretamente e manualmente no molde, que é então fechado, e rotacionado dentro e fora de uma espécie de forno, com o objetivo de que o plástico fundido se espalhe por toda a superfície do molde formando a peça. De Onde Vem O Plastico E Como Ele E Feito? De Onde Vem O Plastico E Como Ele E Feito?Extrusora Peças compridas – são produzidas com o uso de extrusoras. Nesse processo o plástico granulado ou moído entra por um funil e cai sobre uma rosca, da mesma forma que nas injetoras, a diferença é que essa rosca não age como um pistão, fazendo o movimento de rotação continuamente. Ao contrário da injetora, que possui um bico de injeção, a extrusora possui uma matriz em sua extremidade fazendo com que o plástico tome a forma desejada. O resfriamento da peça é feito numa banheira com água, assim que a peça sai da matriz. De Onde Vem O Plastico E Como Ele E Feito? De Onde Vem O Plastico E Como Ele E Feito?Máquina de termoformagem Peças côncavas de parede fina – principalmente as de baixo valor, são produzidas através do processo de termoformagem. Aqui uma chapa de plástico (previamente produzida por extrusão) é presa em moldura, aquecida, e em seguida recebe vácuo no lado de baixo com o objetivo de fazer essa chapa tomar a forma de um molde. Em algumas variações desse processo o vácuo pode ser substituído por moldes machos e fêmeas, em um ou nos dois lados. O maquinário pode ser totalmente automatizado como também pode exigir a manipulação da placa e retirada da peça manualmente. De Onde Vem O Plastico E Como Ele E Feito?Sopradora Recipientes fechados – principalmente os de pequenas dimensões, são produzidos através do processo de sopro. A sopradora consiste de uma extrusora com uma matriz que produz uma espécie de mangueira, conhecida como parison, que ao sair da matriz aponta para baixo, por gravidade, onde duas placas de molde se fecham sobre ela. Em seguida, um bico se encaixa na parte superior do molde, no centro do parison, soprando ar para que o parison tome a forma do molde. Este artigo foi destinado àqueles que são leigos na área de plásticos. Espero que tenham entendido a linguagem usada aqui! Em caso de dúvidas use os comentários abaixo. Mais informações de cada processo ou material podem ser encontrados nos links do próprio texto. Bibliografia: HARPER, Charles A.; PETRIE, Edward M. Plastics Materials and Process: A Concise Encyclopedia. Hoboken: John Wiley & Sons, Inc., 2003. CANEVAROLO JR., Sebastião V. Ciência dos Polímeros: Um texto básico para tecnólogos e engenheiros. 2.ed. São Paulo: Artliber Editora, 2002.

WIEBECK, Hélio; HARADA, Júlio. Plásticos de Engenharia: Tecnologia e Aplicações. São Paulo: Artliber Editora, 2005.

© 2010-2021 – Tudo sobre Plásticos. Todos os direitos reservados. Página inicial – Política de privacidade – Contato

De onde vêm e o que são os plásticos?

De Onde Vem O Plastico E Como Ele E Feito?

Você consegue pensar na sua rotina atual sem o uso de plásticos? Celular, escova de dentes, partes do carro, peças do computador, utensílios de cozinha, brinquedos do seu filho… tudo tem plástico e não é por acaso.

Ao longo das últimas décadas, o material entrou com peso em diversos ramos industriais (construção civil, eletrônica, embalagens, móveis, etc.

), substituindo metal, vidro, cerâmica, madeira e papel devido a algumas vantagens, como facilidade de transporte e de processamento, o menor consumo de energia e a grande durabilidade.

Em termos de embalagens, o plástico é imbatível, pois apresenta boas características com relação à higiene, além de resistência ao ataque de animais e manutenção da qualidade do produto nela contido. Mas, afinal, de onde vêm e o que são plásticos?

Origens

A palavra “plástico” vem do grego plastikos, que significa “próprio para ser moldado ou modelado”.

Os plásticos são originados a partir de resinas derivadas do petróleo e pertencem ao grupo dos polímeros, que são longas cadeias moleculares.

Existem tipos diferentes de plásticos que são determinados pela extensão e estrutura dos polímeros. De maneira básica, é possível dividir os plásticos em dois grandes grupos:

Termoplásticos

Essa é a categoria dos plásticos mais “moles”. Eles não sofrem alteração em suas estruturas químicas após o aquecimento. Portanto, podem ser fundidos novamente para constituírem um novo material.

Exemplos são o polipropileno (embalagens de massas e biscoitos), polietileno de alta densidade (embalagens de detergentes), polietileno de baixa densidade (sacolas de mercado), polietileno tereftalato (garrafas PET), poliestireno (potes de iogurte), policloreto de vinila (embalagens de água mineral), entre outros. São recicláveis.

Termorrígidos:

São plásticos que não se fundem com o aquecimento, sendo também insolúveis e não recicláveis. Lentes de óculos, certos utensílios de cozinha e algumas peças plásticas de aparelhos televisores são plásticos termorrígidos.

Refinamento

O plástico é formado a partir do petróleo, que é constituído por uma mistura de compostos orgânicos, principalmente hidrocarbonetos (ricos em carbono e hidrogênio).

O processo se dá da seguinte forma: nas refinarias, o petróleo cru é destilado e tem como resultado algumas frações: o gás liquefeito, a nafta, a gasolina, o querosene, o óleo diesel, as graxas parafínicas, os óleos lubrificantes e o piche.

Para compor o plástico, é necessário submeter as substâncias da fração nafta a um processo de craqueamento térmico (aquecimento na presença de catalisadores). Feito esse processo, são formados os petroquímicos básicos, como etileno e propileno.

Depois de outro processo de refinamento, o petroquímicos básicos se transformam em petroquímicos finos, como polietileno, polipropileno, policloreto de vinila, entre outros.

Para reciclar seus objetos de plástico, visite a seção Postos de Reciclagem da eCycle.

Leia também:  O Que É O Reumatismo E Como Tratar?

Veja também:

Cadastre-se e receba nosso conteúdo em seu email. Comunicar erro

Plástico – história completa, composição, tipos e reciclagem – Evolution

A história do plástico pode ser melhor contada quando começamos pela sua definição: “plastikos”, palavra de origem grega que significa “que pode ser moldado”.

Hoje ele é sinônimo também de praticidade, preço baixo, acessibilidade e, infelizmente, problemas ambientais, já que é um dos materiais mais difíceis de serem biodegradados, e, por isso mesmo, um transtorno do ponto de vista ambiental.

Sua origem (como conhecemos hoje) data de 1920, no entanto, foi em 1860 que começaram as primeiras pesquisas que resultaram na sua invenção e produção em massa.

Foi por meio dos estudos do químico e inventor inglês Alexander Parkes (1813-1890) que se descobriu no Nitrato de Celulose a base para uma das maiores invenções de todos os tempos, apelidada de “Parkesina”, e que consistia num material altamente flexível, impermeável e com características de opacidade.

Apelidado de “Parkesina”, o Nitrato de Celulose tornou-se a base para uma das maiores invenções de todos os tempos.

  • O Nitrato de celulose (o início da história do plástico) é um composto formado por ácido nítrico em altas concentrações e celulose extraída da madeira.
  • Na verdade, ele foi descoberto em 1846 e já impressionava pela facilidade com que podia ser derretido (o que facilitava a sua transformação em vários outros materiais) e dissolvido, mas também pela sua característica de inflamabilidade.
  • Em 1862, Parkes teve a oportunidade de apresentar o “seu” Nitrato de Celulose pela primeira vez, por ocasião da “Great London Exposition”, ou Exposição Internacional de Londres (que expunha novidades da tecnologia, indústria e artes plásticas).
  • Mas foi o inventor norte-americano John Wesley Hyatt (1837-1920) que não perdeu tempo em apresentar (ainda em 1862) um outro material feito à base do Nitrato descoberto por Parkes.
  • Tratava-se da “celuloide” (considerado o primeiro plástico como conhecemos atualmente), que ele apresentaria num concurso na cidade de Albany (capital de NY, EUA), organizado pelas indústrias PhelanandCollander, interessadas em produzir bolas de bilhar com outro material que não fosse o marfim.

Não é difícil imaginar que material Hyatt ofereceria como solução para a produção das bolas de bilhar: a celuloide! (feita à base de Nitrato de Celulose), que, apesar de não ter tido muito êxito com as bolas de bilhar (exatamente por ser altamente inflamável e ter provocado inúmeros acidentes na época), abria o caminho para a sua utilização, mais tarde, na fabricação do plástico moderno.

Hyatt não tinha dúvidas de que estava diante de um material que revolucionaria a indústria, tanto que em 1872 fundou a Albany Dental Plate Company, que, como o nome indica, era uma fábrica especializada em materiais para o ramo odontológico – o primeiro segmento a utilizar a celuloide (o plástico moderno) como base para os materiais que utilizaria em seu dia a dia.

Mas a história do plástico não se resume a isso, pois, em 1920, Hermann Staudinger (químico alemão) descobriu a estrutura molecular do plástico (um novo avanço!), que, basicamente, é um polímero ou composto formado por macromoléculas que formam uma espécie de cordão, cuja unidade essencial é o “mero”.

Mais tarde, essa descoberta possibilitaria a criação de materiais como o PET, poliestireno, nylon, poliéster, entre outros materiais semelhantes.

Já nos anos 30 muita coisa havia se passado, e o plástico agora era uma realidade! Foi quando surgiu, pela primeira vez, na Alemanha (1936) – e com base nos estudos anteriores –, o “poliestireno” (um homopolímero produzido pela polimerização do estireno), fabricado a partir do benzeno e do eteno.

Esse material seria responsável por uma importante revolução na indústria e na história do plástico, principalmente em 1949, com a fundação da Bakol S.A., em São Paulo, no Brasil (considerada a primeira fábrica de poliestireno do planeta).

A marca seria fundamental para os estudos do empresário Frank Henry Lambert, que o utilizaria como uma das matérias-primas para a sua empresa, especializada em chapas de metal decorativas e, mais tarde, joias e relógios com uma sofisticação até hoje reconhecida.

Em meados dos anos 40, o plástico já estava consolidado no dia a dia das pessoas – substituindo, muitas vezes com louvor, outros materiais, como: couro, metal, lã, vidro etc., tornando os produtos mais baratos, acessíveis, práticos e fáceis de serem manipulados.

Estava, pois, aberto o caminho para a produção de materiais descartáveis, brinquedos, objetos de lazer, eletroeletrônicos, eletrodomésticos e, obviamente, do PET (desenvolvido pelos cientistas ingleses John RexWhinfield e J.T. Dickson a partir de 1941).

O PET (sigla para Polietileno Tereftalado) hoje é considerado, simplesmente, um sinônimo de garrafas, vasilhames e embalagens plásticas baratas e práticas, chegando à produção de quase meio milhão de toneladas desse material em meados dos anos 80, só nos EUA.

Muitos não sabem, mais foi em São Paulo, em 1949, que foi fundada a primeira fábrica de poliestireno do planeta, e que seria fundamental para a evolução do plástico no mundo.

Qual a composição e quais os tipos de plásticos?

  1. Por ser um material derivado do petróleo, os plásticos, além de possuírem uma história ligada ao segmento petrolífero, caracterizam-se por serem bastante inflamáveis e, principalmente, de difícil biodegradação.

  2. Eles também apresentam-se de vários formas: rígidos, maleáveis, opacos, translúcidos, fáceis ou difíceis de derreter pela ação do fogo, entre outras características que permitem inúmeras utilizações e os tornam capazes de servir como matéria-prima para quase todos os produtos existentes no mercado.

  3. Quanto às suas características relacionadas à capacidade de fusão, amolecimento pelo fogo e reciclagem, eles são divididos em: termoplásticos, termorrígidos e elastômeros.

Os termoplásticos caracterizam-se pela sua capacidade de fusão, derretimento sob a ação do fogo, por serem facilmente dissolvidos pelos mais diversos tipos de solventes químicos e também pelo seu valor para a reciclagem. Essa última característica é que os torna os mais populares entre os diversos tipos de plásticos utilizados na indústria  no comércio, e, por isso mesmo, responsáveis por quase 80% de toda a produção.

Já ostermorrígidos (também conhecidos como termofixos), ao contrário dos primeiros, são bem mais inflexíveis, fáceis de serem quebrados e – talvez sua principal característica – bastante resistentes à ação do fogo. Eles não derretem facilmente sob a sua ação e, por isso, dificilmente são utilizados para a reciclagem.

Especificamente com relação a isso, a alternativa que lhes resta é a sua trituração e incorporação em outros materiais, como forma de ao menos reutilizá-los, mesmo que não possam ser transformados em outros produtos, como acontece com os termoplásticos.

Por fim, os elastômeros.

Esses são materiais com algumas características dos termoplásticos e dos termorrígidos, pois, apesar de também não serem ideais para a reciclagem (já que não são facilmente fundidos,pois a ação do fogo desagrega facilmente a sua estrutura), possuem flexibilidade e pouca rigidez, como os termoplásticos. Essa característica, ao menos, permite a sua utilização como matéria-prima para um número maior de produtos.

1. Termoplásticos

  • Polietileno tereftalados (PET) – Definitivamente, os plásticos já fazem parte da história da indústria de bebidas, seja como matéria-prima para a fabricação de garrafas de sucos e refrigerantes, embalagens de cosméticos e de produtos de limpeza ou mesmo como fibras para a produção de sacolas.
  • Polietileno de alta densidade (PEAD) – Esse tipo de plástico é muito utilizado para a fabricação de mangueiras, conduítes, embalagens para cosméticos, frascos para produtos químicos, acabamento de tanques de combustíveis, entre outros.
  • Polietileno de baixa densidade (PEBD) – Sacos de lixo, de supermercados, rótulos de produtos, embalagens de alimentos, lonas utilizadas no setor agrícola e insulfilmes são algumas das aplicações do PEBD.
  • Polipropileno (PP) – O polipropileno é muito utilizado na indústria automotiva, para embalagens de margarinas, massas, biscoitos, instrumentos cirúrgicos, fibras têxteis, entre outros.
  • Policloreto de vinila (PVC) – O famoso PVC já até virou sinônimo de tubulações hidráulicas, sendo essa a sua grande utilidade. Mas também serve como matéria-prima para garrafas de água mineral, revestimento de fios elétricos, instrumentos médicos, outros tipos de revestimentos e muito mais.

2. Termorrígidos

  • Poliuretanos (PU) e Poliacetato de Etileno Vinil (EVA) – São utilizados em solas de sapatos, peças de eletroeletrônicos, objetos de cozinha, objetos de decoração, telefones, entre outros.
  • Baquelite – Resina sintética muito útil para a fabricação de tomadas, cabos elétricos, na Metalografia etc.
  • Poliéster – Serve como reforço para caixas d’água, piscinas, carrocerias, indústria têxtil e diversas outras aplicações.

3. Elastômeros

Podem ser resumidos em borrachas, pneus, mangueiras, materiais para vedação, componentes de estofados e para todo o tipo de utilização semelhante.

O Polietileno tereftalado ou simplesmente “PET”, é o plástico mais produzido atualmente, correspondendo a cerca de 80% do mercado.

Qual o impacto do plástico nos principais ramos de atividade?

1. Construção civil

Na área da construção civil, o plástico possui uma história de inovação na engenharia, arquitetura, parte elétrica e hidráulica, comunicação, materiais, EPI’s, entre outros setores desse segmento.

Eles se beneficiam com a sua durabilidade, baixo custo, fácil manuseio e utilização, praticidade, entre outras características que o tornaram uma ferramenta indispensável nesse setor.

2. Indústria Têxtil

Outro segmento a beneficiar-se sobremaneira com a introdução do plástico no seu dia a dia é a indústria têxtil, principalmente pela utilização das fibras sintéticas.

Elas são bem mais duráveis, resistentes, capazes de diversificar as peças do vestuário (masculino e feminino) e ainda com a vantagem de poderem ser recicladas e, consequentemente, reaproveitadas, tornando-as matérias-primas baratas para a confecção de novos produtos.

Leia também:  Como Descobrir Qual O Ascendente Do Meu Signo?

3. Área de saúde

De acordo com o estudo “Análise de polímeros para o mercado médico por produto e por segmento para 2020”, realizado pela empresa de consultoria norte-americana Grand ViewResearch, as exigências pelo plástico nesse setor serão da ordem de 7,15 mil toneladas em 2020, movimentando pouco mais de 17 bilhões de euros.

Essa movimentação será para a fabricação de bolsas de sangue, seringas, fraldas geriátricas, pisos de PVC, preservativos, próteses, cateteres, entre uma infinidade de outras aplicações.

7,15 mil toneladas: é a estimativa da exigência por plásticos até 2020 na área de saúde.

4. Setor automotivo

Aerodinâmica, acabamento, parte mecânica, tanque de combustível. Não há compartimento de um automóvel onde os polímeros não figurem como parte fundamental da sua estrutura.

É praticamente um consenso a opinião de que esse material é incomparável quando se trata de segurança, design, detalhes de acabamento, leveza, resistência às intempéries, entre outras qualidades essenciais.

5. Setor alimentício

A história do plástico também se confunde com a do setor alimentício, pois estima-se que esse setor absorva cerca de 40% de todo o plástico produzido no mundo, dentre outros motivos, pela sua utilização como embalagem e para o transporte de alimentos.

De acordo com especialistas, são vários os seus benefícios: aumenta a vida útil do produto embalado, evita a contaminação por fungos e bactérias, sem contar a sua utilidade para a agricultura.

6. Indústria da tecnologia

Leveza, fácil manuseio, baixo custo de fabricação, aumento da produtividade, e, consequentemente, um menor preço final para os consumidores dos produtos. São apenas alguns dos benefícios do plástico, com sua história singular de evolução tecnológica dentro do setor de telecomunicações no país.

Qual a importância da reciclagem?

Apesar de um movimento que vem se espalhando pelo mundo nos últimos tempos, alertando para a importância da reciclagem dos resíduos produzidos pelo homem, segundo estimativas da ONU, calcula-se que cerca de 8 milhões de toneladas de plástico ainda sejam lançadas, anualmente, nos oceanos, causando a morte de inúmeras espécies marinhas e, consequentemente, contribuindo para o desequilíbrio ambiental.

Apesar do fato de que o plástico tem uma história muito ligada ao progresso científico, e com contribuição inegável para a indústria, o simples fato de ser um material de difícil biodegradação (pode levar até séculos para ser destruído pela natureza), por si só, já serviria como um sinal de alerta para a importância da reciclagem, reutilização e redução do consumo de um modo geral.

Pensando nisso, a Política Nacional de Resíduos Sólidos, lei nº 12.305, Decreto 7.

404/2010, criou a ideia de “responsabilidade compartilhada”, com o objetivo de unir governo, indústria e população em um mesmo objetivo: o descarte responsável dos resíduos sólidos e o retorno desses resíduos (Logística Reversa) para a indústria, para que se encarregue de utilizá-los como matérias-primas para a fabricação de novos produtos.

E, para tornar esse processo ainda mais claro, a Associação Brasileira da Indústria do Plástico identificou os mais indicados para o processo de reciclagem. São eles:

  • Tereftalato de Polietileno (PET) – O plástico mais utilizado na indústria e responsável por mais de 4/5 de toda a produção de plásticos no mundo.
  • Polietileno de Alta Densidade (PEAD) – Matéria-prima para a fabricação de tampas de cosméticos e demais produtos para limpeza.
  • Polietileno de Baixa Densidade (PEBD) – Muito comum na fabricação de embalagens de produtos.
  • Polipropileno (PP) – Plástico muito utilizado na indústria e construção civil para a fabricação de brinquedos, canudos de bebidas, proteção de peças automotivas, tubulação para a saída de efluentes industriais etc.
  • Policloreto de vinila (PVC) – Bastante conhecido por ser a matéria-prima dos “tubos de PVC”, mas também usado para embalagens com maior rigidez, cones de sinalização, entre outras utilizações.

Esse foi o nosso resumo da história e importância do plástico nos dias atuais. Mas, caso queira acrescentar algo mais a esse artigo, deixe um comentário, logo abaixo. E continue acompanhando as nossas publicações.

De onde vem o plástico?

Por Natália Petrin em 28/09/2015

  • Informar erro

O plástico, do grego “plastiko”, que significa “feito para moldagem”, é uma matéria-prima usada em na fabricação de diversos componentes presentes em nossa rotina. Estojo da escola, bonecas, carrinhos, bolas, peças de carros e motos, além de muitas outras coisas que sequer imaginamos, são feitas com esse material. Mas de onde ele vem?

Origem do plástico

O plástico é um derivado do petróleo. Isso significa que o petróleo é a matéria-prima para fazer o plástico. Compostos por moléculas, que são pequenos pedaços que formam os materiais, o plástico pertence ao grupo dos polímeros. Esses são aqueles que têm moléculas muito grandes, além de características muito especiais e variadas. Por isso, são divididos em dois tipos. Confira a seguir:

Foto: Pixabay

Os termoplásticos amolecem quando são aquecidos e podem ser moldados. Quando resfriam, endurecem assumindo a nova forma a qual foram moldados.

Nesse tipo de plástico, o processo pode ser repetido muitas e muitas vezes.

Esse é usado para fazer 80% das coisas em que os plásticos são encontrados, como os potes que seus pais usam na cozinha, os baldes usados para limpeza, embalagens de água e refrigerantes, entre outras coisas.

Termorígidos ou termofixos

Esse segundo tipo não derrete e não pode ser moldado depois. Podem, no entanto, ser pulverizados e aproveitados como carga, ou ainda serem incinerados para a recuperação de energia. Pode ser usado, por exemplo, na fabricação de telefones e canecas.

Petróleo

O petróleo é um material de coloração preta e bastante escura, que é extraído com a utilização de grandes bombas que penetram na terra ou no fundo dos oceanos, pois está sempre nas profundezas.

Quando retirado, o petróleo vai para a refinaria e é separado em diversas substâncias que são usadas para a fabricação de diversos materiais diferentes. Um deles é a NAFTA, que nada mais é do que a matéria-prima da indústria dos plásticos.

Degradação do plástico

Esse material, quando no meio ambiente, demora quase 400 anos para se degradar, e isso faz com que seja ainda mais importante a sua reutilização, ou seja, a sua reciclagem.

Esse material é recolhido em diversos pontos de coleta nas cidades para serem levados às indústrias e reaproveitados.

É importante, portanto, que ao eliminar o lixo, você separe os materiais recicláveis dos resíduos não aproveitáveis.

A origem do plástico

Para entender de onde vem o plástico, o primeiro passo é acompanhar os elos da sua cadeia produtiva e a origem das diferentes resinas plásticas.

Para entender de onde vem o plástico, o primeiro passo é assistir ao vídeo acima, e acompanhar os elos da sua cadeia produtiva. Aproveite para descobrir como o Bioplástico é uma inovação importante para o Brasil e para o planeta. E para entender mais sobre o processo de Polimerização que dá origem às diferentes resinas plásticas, siga os próximos passos:

O que é o plástico? Os plásticos são materiais poliméricos, e embora tenham aparência sólida no estado final, em algum estágio do seu processamento podem tornar-se fluidos e moldáveis, por ação isolada ou conjunta de calor e pressão.

  • Entenda a diferença: Moléculas = átomos ligados entre si que compartilham elétrons Macromoléculas = moléculas grandes (centenas, milhares ou milhões de átomos) Polímero = milhares de moléculas grandes formadas por unidades repetitivas)
  • Plástico = formado por macromoléculas, que podem ser moldadas por ação de temperatura e pressão

Muitas vezes as macromoléculas são obtidas pela adição de moléculas menores, através de reações químicas entre elas. A união de milhares de macromoléculas forma um Polímero (do grego poli = muitos e meros = parte).

As propriedades dos polímeros dependem do tamanho (massa molar), da composição, da estrutura química e das interações intra e intermoleculares existentes.

São essas variações que explicam a grande variedade de resinas e a versatilidade dos materiais plásticos.

Classificações dos Polímeros: Os polímeros podem ser classificados de diversas formas. Podem ser de origem natural, como seda e algodão, ou sintéticos, como o poliestireno (PS) e o poli(metacrilato de metila) (PMMA).

A maior parte dos tecidos vivos (com exceção da água) é constituída de materiais poliméricos. Por isso, uma parte importante da tecnologia dos materiais poliméricos é relacionada à produção desses compostos a partir de matérias-primas naturais.

As capacidades de fundir e se dissolver em solventes também são usadas na classificação.

Os polímeros termoplásticos fundem quando aquecidos e solidificam quando resfriados, em um processo reversível. É por isso que os materiais plásticos podem ser moldados. Esses polímeros são normalmente solúveis e seus solventes e a solubilidade variam de acordo com a estrutura química de cada um. Exemplos: PE, PP, PVC, PA, PET.

Os polímeros termorrígidos são constituídos por macromoléculas que reticulam (ligam-se umas às outras, formando uma rede) quando são aquecidas ou passam por um processo de cura, tornando-se insolúveis e infusíveis. Exemplos: Resinas Fenólicas e Resinas Epóxi.

Esses materiais apresentam maior resistência à abrasão e estabilidade dimensional quando comparados aos materiais termoplásticos, que apresentam melhores propriedades de impacto e flexão.

Os polímeros também são classificados conforme o seu comportamento mecânico, podendo ser elastômeros, plásticos ou fibras.

Veja agora como as indústrias transformadoras criam soluções inovadoras a partir desses materiais.

Agora você já sabe #plasticotransforma

Fontes: Impactos ambientais causados pelos plásticos

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*