Como Ver Os Veiculos Que Estao Em Meu Nome?

A transferência de veículos é o processo necessário para registrar a mudança de propriedade de um automóvel. Suas regras estão descritas no Código de Trânsito Brasileiro (CTB), que também determina que ela seja realizada em até 30 dias após a compra ou venda de um veículo.

Deixar de atender o prazo estabelecido pela lei custa aos antigos proprietários R$ 195,23 e a perda de cinco pontos na carteira de habilitação.

Como fazer a transferência de veículos?

O processo deve ser realizado por meio do Departamento Estadual de Trânsito (Detran).

Em primeiro lugar, os envolvidos na transação precisam checar se não há nenhuma pendência relacionada ao carro junto ao Detran, como multas ou impostos atrasados. Para descobrir se existem cobranças em aberto, basta acessar o site do Detran e informar o número da placa ou do Registro Nacional de Veículos Automotores (Renavam) do veículo.

Verificado que não existem débitos, é necessário atualizar os dados do cadastro do veículo no Detran e no Renavam. Para isso, os envolvidos devem preencher um formulário eletrônico disponível no site do departamento de trânsito do Estado, conhecido comunicado de compra e venda, previsto pelo artigo 134 do CTB para resguardar o vendedor de futuros problemas.

Depois de fazer isso, deve-de pagar um Documento de Arrecadação Estadual (DAE), agendar vistoria (em locais em que ela é obrigatória) e solicitar a emissão de novos Certificado de Registro de Veículo (CRV) e Certificado de Registro e Licenciamento do Veículo (CRLV).

Apesar de variar de acordo com o Estado, a transferência de veículos normalmente requer os documentos abaixo:

  • cópia e original da Carteira Nacional de Habilitação (CNH) ou de algum documento pessoal com foto;
  • cópia do comprovante de endereço dos últimos três meses em nome do comprador ou de parente de 1º grau;
  • original do CRV do proprietário anterior, preenchido em nome do comprador (com firma reconhecida tanto do vendedor quanto do comprador);
  • comprovante de pagamento da Taxa de Emissão do novo CRV;
  • comprovante de quitação de eventuais débitos, como IPVA, licenciamento e multas;
  • formulário RENAVAM preenchido em duas (2) vias.

Se o antigo e o novo dono não residirem no mesmo município, é preciso realizar um novo emplacamento.

Taxa de transferência de veículos

O valor da transferência de veículos varia de acordo com o Detran de cada unidade federativa.

Como Ver Os Veiculos Que Estao Em Meu Nome?

Além da multa de R$ 195,23, já citada, se o antigo proprietário não comunicar a venda ao Detran, ficará responsável pelas dívidas e infrações que o novo dono cometer. O novo proprietário, por sua vez, não conseguirá contratar um seguro enquanto o veículo não estiver em seu nome.

  • Você viu? IPVA pode não ser responsabilidade de ex-dono

Carros financiados ou com dívidas

Há duas situações distintas quando o assunto é transferência de veículos financiados. Se o novo comprador pagar o valor do veículo à vista, o processo é mais simples. As dívidas relacionadas ao carro são quitadas junto ao banco e o bem deixa de ser alienado. Nesse caso, só é preciso transferir o veículo para o nome do novo dono.

Quando o comprador quer utilizar de um financiamento, é preciso mais cuidado. Isso porque, apesar de usarmos a expressão “transferir carros financiados”, a verdade é que o primeiro empréstimo é encerrado e um novo é formalizado pelo banco credor em nome do comprador.

O primeiro passo ao fazer a transferência de um carro alienado deve ser, então, procurar a instituição responsável pelo financiamiento e checar se o novo dono está apto a continuar a pagar o carro em parcelas. Se o banco aprovar o crédito, um novo contrato é realizado.

O presidente da comissão de defesa do consumidor da OAB, Bruno Burgarelli, explica: “o contrato de financiamiento não é um contrato de compra e venda. O consumidor está fazendo um empréstimo e, apenas ao final do pagamento, o bem é transferido para o nome do comprador. Os carros ficam alienados, pertencem ao banco, apesar de estarem no nome de uma pessoa física”.

Não é possível negociar “transferências de carros financiados” sem que o banco seja um intermediário. Contratos de gaveta não têm validade jurídica nenhuma, alerta o advogado especialista.

Entregar o carro para o novo dono sem passar por esse processo pode causar problemas. Se comprador não pagar as parcelas ou o seguro obrigatório, por exemplo, o antigo dono é que vai sofrer as sanções, já que o financiamento está ligado ao nome dele.

Alienação fiduciária

Já reparou que no documento dos automóveis financiados consta, no campo das observações, um termo estranho? A expressão ‘alienação fiduciária’ está ali para garantir que ninguém faça transferência de veículos que ainda não foram quitados. O problema é que, muitas vezes, o proprietário já pagou pelo carro e o termo não sai dali.

O processo natural seria, segundo o Departamento Nacional de Trânsito (Denatran), a retirada automática do documento quando o carro fosse quitado.

Como isso funciona? Depois que a instituição credora prestasse a informação relativa ao pagamento do devedor, o órgão ou entidade de trânsito de registro do veículo procederia, de forma obrigatória, automática e eletrônica, a baixa do Gravame constante no cadastro do veículo, no prazo máximo de 10 dias.

Como é comum que isso não ocorra, o proprietário pode solicitar a retirada do Gravame constante no documento do veículo. É como se ele fizesse a transferência de seu próprio veículo. Vale ressaltar, no entanto, que não há um prazo máximo para realizar a solicitação.

  • Clique aqui e entenda o processo para solicitar um novo CRV

Como Ver Os Veiculos Que Estao Em Meu Nome?

Transferência de veículos pode exigir registro de quilometragem

O registro da quilometragem pode passar a ser obrigatório na transferência de veículos e na vistoria dos mesmos.

A decisão é do Projeto de Lei (PL) 3881/2015, que foi aprovado pela Comissão de Viação e Transportes da Câmara dos Deputados.

Para começar a valer, a regra anda precisa ser analisada pela Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania e adicionada ao Código de Trânsito Brasileiro.

O texto explica que o PL tinha como intenção evitar fraudes. “Com as informações arquivadas, o comprador poderá acompanhar a sequência da rodagem do carro” explicou o deputado Leonardo Monteiro.

Leia também:  Como Saber Qual A Minha Taxa De Irs?

Transferência de um veículo adquirido por PcD

As pessoas com deficiência (PcD) têm direito à isenção de Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS). Em julho de 2018, as regras de transferência de veículos retirados com esse desconto mudaram.

O automóvel retirado com o benefício pode ser vendido para outra PcD sem a necessidade da devolução tributária. A transferência de veículos para motoristas que não têm direito à isenção do ICMS, por sua vez, só pode ser realizada depois de cumprido o novo prazo estabelecido, que é de quatro anos.

O Convênio ICMS 50/18 aplica-se somente aos fatos geradores ocorridos após sua ratificação nacional, no dia 26/07/18. Leia a matéria do AutoPapo para esclarecer outras dúvidas sobre o tema.

Carros no meu nome, como saber quantos tem

Como saber quantos carros no meu nome

É muito simples averiguar o número de carros no meu nome que tem registrado em seu nome, ainda que o trâmite tenha a particularidade de que unicamente você poderá realizá-lo.

Assim, ninguém poderia obter esta informação a respeito de quantos veículos é proprietário, nem que você o autorize com sua assinatura. É o Departamento de Trânsito o organismo onde você deve realizar esse serviço.

Vamos explicar para você como saber quantos carros no meu nome.

Como Ver Os Veiculos Que Estao Em Meu Nome?

Instruções

1 – O primeiro passo que deve dar para saber quantos carros no meu nome é pedir agendamento prévio no DETRAN – Departamento Estadual de Trânsito mais próximo de seu domicílio. Você pode agendar por telefone ou, se preferir pela internet no site do DETRAN da sua região.

2 – Quando tiver o agendamento concedido, antes de ir ao mesmo, deve confirmar que está levando com você seu RG ou seu passaporte, que deverá apresentar para o servidor público que realiza o serviço.

3 – Lembre-se, ainda que para fazer outros procedimentos do Departamento Estadual de Trânsito você possa autorizar outra pessoa para que os realize representando você, assinando um impresso e com um xerox do RG, neste caso você deverá ir pessoalmente.

4 – Já na Circunscrição Regional de Trânsito que corresponder a você, levando seu RG, o servidor público entregará um papel impresso que se denomina certificado de dados e no qual constarão todos os veículos que tem em seu nome. Deverá pagar uma taxa, verifique no Ciretran.

5 – No Departamento nunca facilitarão informação a respeito de quantos carros outra pessoa tem em meu  nome e é por isso que só você pode fazer o procedimento de que trata este artigo.

6 – O que conseguiria obter, se interessar a você, por exemplo, na hora de comprar um carro de segunda mão, é saber quem é o titular de um carro em concreto, dando o número da placa.

Duvidas ou sugestões nos contate AQUI

Fonte: umcomo

Use as setas para continuar navegando

Como saber se tem veículo em meu nome online ou pessoalmente

Como Ver Os Veiculos Que Estao Em Meu Nome?

Quando estamos trocando de carro ou vendendo um que já é nosso, temos que companhar a troca do nome do responsável pelo veículo, até mesmo para evitar que multas e que o Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores (IPVA) sejam cobrados no nome da pessoa errada. O que ocorre é que, durante o processo de alteração de nome do responsável por um veículo, por vezes não sabemos com precisão no nome de quem se encontra o bem ou se a troca de nome foi finalizada.

Se você está passando por um problema similar e não sabe como saber quantos carros tem em seu nome nesse artigo do umCOMO.

Apesar de usualmente chamarmos o DETRAN no singular, a verdade é que a sigla faz referência a “Departamento Estadual de Trânsito”, de forma que, sempre que precisamos lidar com assuntos relacionados ao órgão, é necessário que procuremos o responsável de nosso estado, não existindo um similar que lide com assuntos de forma federal.

O DETRAN é o responsável pela avaliação para a emissão da Carteira Nacional de Habilitação, chamada de CHN, que terá, como o nome indica, validade por todo o território brasileiro.

Além disso, o DETRAN de cada estado também é responsável pela fiscalização de veículos e do trânsito, por isso, é o órgão que devemos procurar quando temos dúvidas do tipo como saber se tem algum veículo no meu nome, além de ser o responsável pela emissão de multas de trânsito.

O primeiro passo que deve dar para saber quantos carros tem em seu nome conferir se é necessário o agendamento prévio de horário no DETRAN – Departamento Estadual de Trânsito mais próximo de seu domicílio. Se não for necessário, bastará ir até o local de atendimento mais próximo e, caso for, agende o horário pelo site do DETRAN.

Quando tiver o agendamento concedido, antes de sair para resolver a situação, você deve confirmar que está levando com você algum documento oficial com foto, podendo ser a própria CNH ou então seu RG ou passaporte.

É imprescindível a apresentação de algum documento dos citados pois o servidor público que realiza o serviço precisará conferir se é você de fato responsável pelos veículos sobre os quais você deseja obter informações, afinal, essas são informações sigilosas.

Já que ninguém mais poderá ter acesso a essas informações, evite enviar alguém em seu lugar para a consulta no DETRAN pois o órgão não poderá aceitar terceiros.

Leia também:  Como Perguntar A Um Homem O Que Ele Sente Por Mim?

Na Circunscrição Regional de Trânsito que corresponder a você, o servidor público entregará um papel impresso que se denomina certificado de dados e no qual constarão todos os veículos que tem em seu nome.

Deverá pagar uma taxa, verifique no Ciretran No Departamento nunca facilitarão informação a respeito de quantos carros outra pessoa tem em seu nome e é por isso que só você pode fazer o procedimento de que trata este artigo.

É muito simples averiguar o número de automóveis que tem registrado em seu nome, ainda que o trâmite tenha a particularidade de que unicamente você poderá realizá-lo, assim, ninguém poderia obter esta informação a respeito de quantos veículos é proprietário, nem que você o autorize com sua assinatura. É o Departamento de Trânsito o organismo onde você deve realizar esse serviço.

O que conseguiria obter, se interessar a você, por exemplo, na hora de comprar um carro de segunda mão, é saber quem é o titular de um carro em concreto, dando o número da placa.

Se ainda tiver dúvidas, veja como agendar consulta no DETRAN.

Com a evolução da tecnologia, muitos serviços que antes tinham que ser feitos pessoalmente agora têm a possibilidade de serem realizados por meio de sites e aplicativos.

Se você não quer se locomover até uma unidade de atendimento do DETRAN e prefere resolver o assunto sem sair de casa, tem como saber se tem veiculo em meu nome pelo CPF utilizando o site do departamento do estado no qual o carro está cadastrado. Para saber informações sobre carros em seu nome, siga os passos abaixo:

  1. Acesse o site do DETRAN do seu estado pesquisando “DETRAN + nome do estado” no site de busca de sua preferência;
  2. Acesse a página de login e, caso ainda não tiver, crie um login utilizando seus dados como nome e CPF;
  3. No menu disponível após o login, vá em “Veículos” e, então, em “Consultar Veículo”.

Se o carro que você deseja descobrir se está em seu nome aparecer no resultado da pesquisa, é sinal de que está sob sua responsabilidade, afinal, o DETRAN apenas exibe essa informação ao dono do veículo. Selecionando o carro em questão, você também poderá saber outras informações como pendências em relação aos documentos do automóvel, seguro, IPVA, antigos donos, acidentes envolvidos etc.

Agora que você já sabe a resposta para como saber se o veículo está em meu nome, veja também como consultar multas no DETRAN.

Já sabe como saber em nome de quem está um veículo e descobriu que o carro que você imaginou estar no seu nome não vou transferido? No caso da compra de um automóvel, é necessário que a transferência de nome seja feita no período de 30 dias após a compra, sendo assim, o recomendável é que se vá o quanto antes atrás de informações para dar início ao processo de transferência.

Para iniciar o processo de transferência de um automóvel, é necessário levar até o Ciretran da sua cidade os seguintes documentos:

  • CRV (Certificado de Registro de Veículo) com assinatura do vendedor e que tenha firma reconhecida em cartório;
  • RG ou CNH do comprador;
  • Comprovante de residência do comprados;
  • Laudo de vistoria do veículo realizado pelo DETRAN;
  • Comprovante de pagamento da transferência.

Os 30 dias citados após a venda serão contados a partir do dia no qual foi feito o Certificado de Registro de Veículo, primeiro documento na lista dos necessários para pedir transferência. Assim que todos os documentos forem avaliados e aprovados, o veículo passará a estar no nome do novo dono.

Se pretende ler mais artigos parecidos a Como saber quantos carros tenho em meu nome, recomendamos que entre na nossa categoria de Carros.

:: DETRAN-SP :: DEPARTAMENTO ESTADUAL DE TRÂNSITO DE SÃO PAULO

Somente para o serviço solicitado pessoalmente.

  • Documento de identificação pessoal – original

São aceitos:

  • Registro Geral (RG).
  • Carteira Nacional de Habilitação – versão impressa ou CNH digital.
  • Permissão para Dirigir (PPD).
  • Documentos de identidade militar emitidos pelo Ministério da Defesa (Exército, Marinha e Aeronáutica).
  • Documentos de identificação funcional emitidos pelas polícias federal e estaduais.
  • Documentos de identidade de conselhos ou ordens de classe, com foto.
  • Carteiras de identidade funcional de servidores públicos estaduais, emitidas pelas secretarias de Estado, órgão ou unidade a que o servidor esteja vinculado (Lei nº 7.836/92 e Decreto nº 39.670/94).
  • Carteira de Trabalho e Previdência Social (CTPS).
  • Passaporte.
  • Protocolo de refúgio.
  • Registro Nacional de Estrangeiro (RNE).
  • Cédula de Identidade de Estrangeiro (CIE)*.
  • Carteira de Registro Nacional Migratório (CRNM)*.
  • Documento Provisório de Registro Nacional Migratório (DPRNM)*.
  • Carteira de Registro Diplomático (CRD) do Ministério das Relações Exteriores (MRE) com documento que comprove filiação*.
    * Estrangeiro: se solicitou a CIE, a CRNM, o DPRNM ou a CRD, mas ainda não recebeu o documento, clique aqui. Atenção!
    O documento de identidade deve estar em perfeito estado de conservação, com foto atual, sem abertura, fotografia danificada e outras deteriorações que dificultem a identificação do cidadão ou impeçam a avaliação da autenticidade. Clique aqui para mais informações sobre documentos de identidade.
  • Documento de identificação pessoal – original

São aceitos:

  • Registro Geral (RG).
  • Carteira Nacional de Habilitação – versão impressa ou CNH digital.
  • Permissão para Dirigir (PPD).
  • Documentos de identidade militar emitidos pelo Ministério da Defesa (Exército, Marinha e Aeronáutica).
  • Documentos de identificação funcional emitidos pelas polícias federal e estaduais.
  • Documentos de identidade de conselhos ou ordens de classe, com foto.
  • Carteiras de identidade funcional de servidores públicos estaduais, emitidas pelas secretarias de Estado, órgão ou unidade a que o servidor esteja vinculado (Lei nº 7.836/92 e Decreto nº 39.670/94).
  • Carteira de Trabalho e Previdência Social (CTPS).
  • Passaporte.
  • Protocolo de refúgio.
  • Registro Nacional de Estrangeiro (RNE).
  • Cédula de Identidade de Estrangeiro (CIE)*.
  • Carteira de Registro Nacional Migratório (CRNM)*.
  • Documento Provisório de Registro Nacional Migratório (DPRNM)*.
  • Carteira de Registro Diplomático (CRD) do Ministério das Relações Exteriores (MRE) com documento que comprove filiação*.
    * Estrangeiro: se solicitou a CIE, a CRNM, o DPRNM ou a CRD, mas ainda não recebeu o documento, clique aqui. Atenção!
    O documento de identidade deve estar em perfeito estado de conservação, com foto atual, sem abertura, fotografia danificada e outras deteriorações que dificultem a identificação do cidadão ou impeçam a avaliação da autenticidade. Clique aqui para mais informações sobre documentos de identidade.
  • Cadastro de Pessoas Físicas (CPF) – original e cópia simples
Leia também:  Como Remover Vírus De Pendrive Que Converte Arquivos E Pastas Em Atalhos?

Substitutos do CPF: 

  • Documento próprio da Receita Federal, como o comprovante de situação cadastral, que pode ser obtido na página da Receita Federal do Brasil na internet.
  • Número do CPF que consta no RG ou na CNH.
  • Documento de identificação pessoal do procurador – original e cópia simples

São aceitos:

  • Registro Geral (RG).
  • Carteira Nacional de Habilitação – versão impressa ou CNH digital. Para este procedimento a cópia simples da CNH impressa ficará retida.
  • Permissão para Dirigir (PPD).
  • Documentos de identidade militar emitidos pelo Ministério da Defesa (Exército, Marinha e Aeronáutica).
  • Documentos de identificação funcional emitidos pelas polícias federal e estaduais.
  • Documentos de identidade de conselhos ou ordens de classe, com foto.
  • Carteiras de identidade funcional de servidores públicos estaduais, emitidas pelas secretarias de Estado, órgão ou unidade a que o servidor esteja vinculado (Lei nº 7.836/92 e Decreto nº 39.670/94).
  • Carteira de Trabalho e Previdência Social (CTPS).
  • Passaporte.
  • Protocolo de refúgio.
  • Registro Nacional de Estrangeiro (RNE).
  • Cédula de Identidade de Estrangeiro (CIE)*.
  • Carteira de Registro Nacional Migratório (CRNM)*.
  • Documento Provisório de Registro Nacional Migratório (DPRNM)*.
  • Carteira de Registro Diplomático (CRD) do Ministério das Relações Exteriores (MRE) com documento que comprove filiação*.
    * Estrangeiro: se solicitou a CIE, a CRNM, o DPRNM ou a CRD, mas ainda não recebeu o documento, clique aqui. Atenção!
    O documento de identidade deve estar em perfeito estado de conservação, com foto atual, sem abertura, fotografia danificada e outras deteriorações que dificultem a identificação do cidadão ou impeçam a avaliação da autenticidade. Clique aqui para mais informações sobre documentos de identidade.
  • Cadastro de Pessoas Físicas (CPF) do proprietário do veículo – original e cópia simples

Substitutos do CPF: 

  • Documento próprio da Receita Federal, como o comprovante de situação cadastral, que pode ser obtido na página da Receita Federal do Brasil na internet.
  • Número do CPF que consta no RG ou na CNH.
  • Procuração – original e cópia simples. Clique aqui para mais informações sobre procuração. Observação: para a procuração dada a advogado não é exigido o reconhecimento de firma.

São aceitos:

    • por instrumento público (vigente).
    • por instrumento particular com reconhecimento de firma por autenticidade ou semelhança, emitida nos últimos três meses.
  • Documento de identificação pessoal do representante da pessoa jurídica responsável pela solicitação do serviço na unidade de atendimento – original

São aceitos:

  • Registro Geral (RG).
  • Carteira Nacional de Habilitação – versão impressa ou CNH digital.
  • Permissão para Dirigir (PPD).
  • Documentos de identidade militar emitidos pelo Ministério da Defesa (Exército, Marinha e Aeronáutica).
  • Documentos de identificação funcional emitidos pelas polícias federal e estaduais.
  • Documentos de identidade de conselhos ou ordens de classe, com foto.
  • Carteiras de identidade funcional de servidores públicos estaduais, emitidas pelas secretarias de Estado, órgão ou unidade a que o servidor esteja vinculado (Lei nº 7.836/92 e Decreto nº 39.670/94).
  • Carteira de Trabalho e Previdência Social (CTPS).
  • Passaporte.
  • Protocolo de refúgio.
  • Registro Nacional de Estrangeiro (RNE).
  • Cédula de Identidade de Estrangeiro (CIE)*.
  • Carteira de Registro Nacional Migratório (CRNM)*.
  • Documento Provisório de Registro Nacional Migratório (DPRNM)*.
  • Carteira de Registro Diplomático (CRD) do Ministério das Relações Exteriores (MRE) com documento que comprove filiação*.
    * Estrangeiro: se solicitou a CIE, a CRNM, o DPRNM ou a CRD, mas ainda não recebeu o documento, clique aqui. Atenção!
    O documento de identidade deve estar em perfeito estado de conservação, com foto atual, sem abertura, fotografia danificada e outras deteriorações que dificultem a identificação do cidadão ou impeçam a avaliação da autenticidade. Clique aqui para mais informações sobre documentos de identidade.
  • Cadastro Nacional de Pessoa Jurídica (CNPJ) – cópia simples

São aceitos:

Cartão de Cadastro Nacional de Pessoa Jurídica (CNPJ) emitido na página da Receita Federal do Brasil na internet:(www.receita.fazenda.gov.br).

  • Contrato Social ou documento equivalente de criação da pessoa jurídica – cópia simples

Pode ser substituído por:
Estatuto Social, Certificado de Condição de Microempreendedor individual ou certidão de arquivamento dos atos constitutivos emitida pela unidade de atendimento na qual o serviço está sendo realizado.

Observações: Deve constar no documento apresentado a qualificação da Pessoa física com poderes para administrar os bens móveis da pessoa jurídica.

  • Comprovação de poderes para representação legal da pessoa jurídica – original e/ou cópia simples, conforme o documento apresentado

Quando ocorrer representação por procurador:

  • Procuração – original e cópia simples.
    • por instrumento público (vigente).
    • por instrumento particular com reconhecimento de firma por autenticidade ou semelhança, emitida nos últimos três meses.
    • Observação: para a procuração dada a advogado não é exigido o reconhecimento de firma.

  • Ata de eleição – cópia simples

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*