Como Sei Que Estou A Perder Liquido Amniotico?

O líquido amniótico é o fluido que envolve o bebê em desenvolvimento e preenche a bolsa e cavidade uterina. Quando a bolsa rompe é esse líquido que escoa pelas pernas. Ele começa a ser produzido já no 12º dia após a concepção e possui algumas funções muito importantes para que a gestação transcorra sem problemas e para o desenvolvimento do bebê

Como Sei Que Estou A Perder Liquido Amniotico?

Bolsa contendo o feto e o preenchida por líquido amniótico.

O que é o líquido amniótico?

Enquanto o bebê ainda está dentro do útero, ele é envolvido pela bolsa amniótica. Esta bolsa é formada por duas finas membranas, chamadas córion e âmnion. A olho nú as membranas parecem ser uma só pois estão bastantes aderidas e são muito finas. Nas gestações gemelares podemos ter uma ou duas bolsas.

Além do bebê, a bolsa contém também uma boa quantidade de líquido. Inicialmente este líquido é um transudato (líquido semelhante ao plasma sanguíneo). Como nas primeiras semanas da gestação a pele do bebê não é queratinizada, esse líquido passa através da pele do bebê para a bolsa.

Já na segunda metade da gravidez a pele do bebê se torna queratinizada e o líquido não consegue mais passar através da pele. Entretanto com o início do funcionamento dos rins, a urina do feto passa a ser o principal componente do líquido amniótico. Isso mesmo, a maior parte do líquido amniótico é a urina do bebê.

O líquido amniótico contém diversos componentes vitais, como nutrientes, hormônios e citocinas que protegem o bebê contra infecções. Porém, como o líquido é eminentemente urina fetal, 99% dele é simplesmente água.

Aonde o líquido amniótico é produzido?

Além da urina, que é a principal fonte do líquido amniótico, ele também é composto pela secreção pulmonar do feto. Uma pequena parte de líquido passa da mãe para a bolsa (chamada via transmenbranosa) e outra parte do líquido vem diretamente da placenta (via intramenbranosa).

Assim como o líquido é constantemente produzido, ele também é absorvido, fazendo com que todo o líquido da bolsa seja trocado a cada 24 a 48 horas.

A principal via de reabsorção do líquido é a deglutição fetal porém uma pequena parte também pode passar para a mãe ou para a placenta (as vias transmenbranosa e intramembranosa respectivamente).

Para evitar o acúmulo ou falta de líquido este transporte por meio das membranas é regulado por proteínas presentes na membrana chamadas de aquaporinas.

Como Sei Que Estou A Perder Liquido Amniotico?

Vias de absorção e produção do líquido amniótico.

Qual é a função do líquido amniótico?

O líquido amniótico tem várias funções importantes para o desenvolvimento fetal. Atualmente existem importantes evidências de que o líquido amniótico não apenas protege o feto, mas também atua na sua nutrição e maturação. As suas principais funções são:

  • Protege o feto contra traumas externos, distribuindo o impacto em toda a cavidade uterina;
  • Evita a compressão do cordão umbilical;
  • Permite o crescimento simétrico do feto;
  • Protege contra bactérias;
  • Confere estabilidade térmica;
  • Permite a movimentação fetal, auxiliando no desenvolvimento muscular;
  • Auxilia o desenvolvimento pulmonar;
  • É capaz de nutrir o feto;
  • Auxilia na maturação do trato gastrointestinal;
  • Auxilia o desenvolvimento e maturação pulmonar;

Como saber se o volume de líquido amniótico está normal?

O volume de líquido varia durante a gestação. No começo o volume é relativamente pequeno (pois o bebê também é pequeno). Esse volume aumenta atingindo o seu máximo por volta de 34 semanas de gestação. Depois ocorre uma pequena redução no seu volume até o parto.

Como Sei Que Estou A Perder Liquido Amniotico?

Volume de líquido amniótico ao longo da gestação.

Não é possível medir esse volume de líquido durante a gestação, nem mesmo com o ultrassom. Isto ocorre por dois motivos.

Em primeiro lugar porque o ultrassom produz imagens bidimensionais e medidas de volume são feitas tridimensionalmente. Em segundo lugar o ultrassom produz imagens de partes da cavidade uterina e não dela como um todo.

Dessa forma nem mesmo o ultrassom 3D pode medir o volume de líquido amniótico dentro da cavidade uterina.

Então com essa avaliação é feita? O médico que realiza o exame de ultrassom irá medir um número chamado Índice de Líquido Amniótico (ou ILA).

Esse índice é obtido dividindo a cavidade em quatro quadrantes e medindo o maior bolsão de líquido em cada um destes quadrantes. A soma dos quatro quadrantes é o Índice de Líquido Amniótico.

Este índice não tem um valor fixo para a normalidade, os limites mínimo e máximo variam durante a gravidez (veja uma tabela com esses valores).

Os maiores problemas relacionados a quantidade de líquido amniótico são o seu excesso (tecnicamente chamado de polidrâmnio ou polihidrâmnio) e a sua falta (oligoâmnio ou oligohidrâmnio).

Quais são os sinais de início do trabalho de parto?

Perda do tampão, ruptura da bolsa, contrações uterinas: saiba reconhecer os sinais de que seu corpo está entrando em trabalho de parto e o momento adequado de ir para o hospital

Como Sei Que Estou A Perder Liquido Amniotico?Foto: Katia Ribeiro

Saber identificar os sinais de início do trabalho de parto é importante para se preparar e definir quando é a hora de acionar a equipe que está te acompanhando ou ir para o hospital (no caso de um parto hospitalar).

Do início do trabalho de parto até o nascimento do bebê, o corpo passa por diversos processos: as contrações uterinas vão ficando cada vez mais frequentes e intensas, o colo do útero afina e dilata até alcançar uma abertura de 10 cm e ocorre a descida do feto pela pelve materna.

Veja abaixo alguns dos indícios que revelam que seu corpo está se preparando para o início do trabalho de parto.

Saída do tampão mucoso

O tampão mucoso é uma secreção gelatinosa, produzida no início da gestação, que fica no orifício do colo do útero. Sua cor pode ser transparente, esbranquiçada, amarelada ou até mesmo avermelhada, por conta da eventual presença de sangue misturado ao muco.

O tampão tem como função formar uma barreira de proteção entre o canal vaginal e o útero, impedindo que bactérias e outros microorganismos entrem em contato com o feto.

Normalmente, o tampão mucoso é expelido quando a gestação está a termo (ou seja, entre 37 e 42 semanas), e sua saída pode indicar que o colo do útero está se preparando para o trabalho de parto.

No entanto, é importante ressaltar que a perda do tampão pode ocorrer semanas ou dias antes do início do trabalho de parto, e esse intervalo varia bastante de acordo com cada gestação. Por isso, recomenda-se que a mulher fique calma e preste atenção a outros sinais associados, como contrações regulares e saída de líquido amniótico pela vagina.

Perda de líquido pela vagina

A perda de líquido amniótico pela vagina indica que a “bolsa das águas” se rompeu.

Normalmente, as mulheres relatam a sensação de uma grande quantidade de líquido morno escorrendo pelas pernas, com odor semelhante ao de água sanitária.

Na maioria das vezes, a ruptura das membranas acontece durante a fase ativa do trabalho de parto, mas é possível ocorrer antes, ou até no momento do nascimento.

Caso a mulher ainda não esteja em trabalho de parto e perceba que sua bolsa rompeu, esse é um sinal de que as contrações devem se intensificar – mas não é preciso correr ou se desesperar.

Segundo dados do Colégio Americano de Ginecologistas e Obstetras (ACOG), 80% das mulheres com ruptura precoce de membranas entrará em trabalho de parto espontâneo nas primeiras 12 horas, e 95% dentro de 24 horas.

Portanto, nesses casos, é indicado que a mulher comunique sua equipe para definir os próximos cuidados, ou se dirija a um serviço de saúde para que ela e o bebê sejam avaliados. Caso o líquido apresente uma coloração escura ou tenha odor muito forte, sugestivo de infecção, deve-se procurar imediatamente o hospital.

Contrações uterinas

Como Sei Que Estou A Perder Liquido Amniotico?Foto: Kátia Ribeiro

As contrações uterinas podem ser descritas como uma sensação de enrijecimento da barriga, provocado pelo estiramento das fibras musculares, que começa na parte alta do útero e irradia para a parte baixa da barriga. Elas são responsáveis pela dilatação do colo uterino e pela descida do bebê na pelve, associadas a hormônios específicos do trabalho de parto. Tais contrações não devem ser confundidas com as “contrações de treinamento” (ou contrações de Braxton Hicks), que podem ser percebidas a partir do segundo trimestre de gestação e preparam o útero para a atividade intensa do trabalho de parto.

Mas como diferenciar as contrações de treinamento das contrações de trabalho de parto? Aqui vão algumas dicas:

  • Frequência e duração: enquanto as contrações de Braxton Hicks costumam ser irregulares e “espaçadas” umas das outras, as verdadeiras contrações ocorrem em intervalos regulares e, com o passar do tempo, ficam cada vez mais longas (maior tempo de duração) e mais frequentes (menor intervalo entre elas).
  • Intensidade: as contrações de treinamento costumam ser fracas e não aumentam sua intensidade, já as contrações de trabalho de parto ficam cada vez mais fortes.
  • Sensação de dor: as contrações de Braxton Hicks costumam ser pouco doloridas, e normalmente são sentidas na parte da frente da barriga. Elas costumam passar quando a mulher descansa ou toma um banho com água morna, por exemplo. Já as contrações de trabalho de parto continuam presentes, independente do que a gestante faça, e a dor normalmente é sentida na lombar, irradiando para a parte baixa da barriga.

Quando ir para o hospital?

Se tudo estiver correndo bem, é possível aguardar em casa até que o trabalho de parto entre na fase mais avançada (fase ativa), para então ir ao hospital.

Estudos observacionais demonstram que a admissão na fase inicial do trabalho de parto está associada a maiores taxas de cesariana, maior uso de ocitocina e de antibióticos por febre materna intraparto.

Leia também:  Como Saber Onde Esta Um Aviao?

Já um estudo randomizado controlado comparou desfechos de mulheres admitidas na fase latente com as admitidas em fase ativa e concluiu que, nas admissões em fase ativa, as taxas de analgesia, uso de ocitocina e o tempo de permanência no hospital foram menores, enquanto a satisfação das parturientes foi maior.

Portanto, é indicado que se aproveite o início do trabalho de parto para tomar um banho, tentar descansar um pouco ou relaxar fazendo alguma atividade prazerosa.

Embora não haja consenso nesse sentido, uma das recomendações é de que a mulher procure o hospital ou avise a equipe que irá acompanhá-la quando tiver 2 a 3 contrações em 10 minutos, com duração de pelo menos 45 segundos. É possível monitorar as contrações cronometrando e anotando em um papel, ou então por meio de aplicativos para celular.

Também é importante procurar um hospital caso a gestante apresente algum sinal de alerta, como sangramento, febre ou diminuição dos movimentos fetais.

REFERÊNCIAS

ACOG. How to tell when labor begins. FAQ 004, 2011 ACOG Committee Opinion number 766 – Approaches to limit intervention during labor and birth. 2019

BRASIL. Diretriz Nacional de Assistência ao Parto Normal. Ministério da Saúde. Brasília (DF). 2016

Como Sei Que Estou A Perder Liquido Amniotico?

Cuidado: aprenda teste muito rápido para saber se está perdendo líquido amniótico

Como Sei Que Estou A Perder Liquido Amniotico? nacroba/Shutterstock

O líquido amniótico que circunda o bebê durante a gestação pode sair aos poucos e lentamente ou repentinamente e em grande quantidade, dependendo da ruptura das membranas da bolsa na hora do parto. Quando acontece, o médico deve ser procurado o mais rápido possível. No entanto, ao contrário do que se pensa, o bebê não nasce assim que a bolsa estoura, e a quantidade de líquido que sai nem sempre é “de lavar o chão”, pode ser apenas o suficiente para umedecer a calcinha. Se a bolsa romper, mas as contrações ainda estiverem leves e espaçadas, não há motivo para desespero.

Como checar se está perdendo líquido?

Para esclarecer a dúvida se há mesmo ruptura da bolsa, ou perda de líquido, faça o seguinte teste:

Se a gestante desconfiar que está perdendo líquido amniótico, deve procurar imediatamente seu médico. Para tirar a dúvida, coloque um absorvente limpo e, depois de meia hora, observe se ele está seco, úmido ou encharcado. É importante que o médico que acompanhou o pré-natal seja informado sobre qualquer sangramento ou perda de líquidos, o que pode indicar ruptura das membranas.

Como Sei Que Estou A Perder Liquido Amniotico? g-stockstudio/shutterstock

No entanto, na maioria dos casos, a perda de líquido amniótico é apenas confundida com a perda involuntária de urina que acontece devido ao peso do útero sobre a bexiga.

Caso seja um alarme falso, descansar e tentar relaxar é o melhor remédio para os dias que compreendem a reta final da gestação.

Também é aconselhável beber muita água nesta fase, para contrariar os inchaços e para prevenir a redução do líquido amniótico.

Qual o risco?

O líquido amniótico possui papéis importantes na gestação: envolve o feto, mantém a temperatura dentro do útero, amortece movimentos bruscos, dentre outras funções importantes. Por isso, igualmente importante é estar atenta aos movimentos do bebê. Se eles diminuírem, você deve ir ao médico para se certificar que está tudo bem.

As grávidas com fatores de risco, como hipertensão arterial, diabetes ou lúpus têm maior probabilidade de apresentarem perda de líquido amniótico, devendo fazer consultas mais regulares no consultório do obstetra.

Cuidados na gravidez

Como saber se estou perdendo líquido amniótico na urina?

  • Aprenda a identificar a perda de líquido amniótico durante a gravidez e saiba quando procurar por ajuda médica.
  • O líquido amniótico é extremamente importante, pois é ele que protege o bebê contra movimentos bruscos e lesões, mantém a temperatura ideal dentro do útero, evita a compressão do cordão umbilical, auxilia no amadurecimento dos pulmões e sistema digestório da criança e permite que ela se movimente melhor.
  • Numa gestação saudável, a quantidade de líquido amniótico vai aumentando gradativamente com o passar dos meses, chegando ao limite de um litro.
  • A perda ocorre no terceiro trimestre, na maioria das vezes de uma única vez, com a ruptura da bolsa e já anunciando a proximidade do parto, mas há casos em que o líquido escapa aos poucos, o que pode acontecer por diversos fatores e deve ter atenção especial.

O que é líquido amniótico?

Produzido inicialmente na placenta, o líquido amniótico fica no saco amniótico. É ele que irá promover o bom desenvolvimento de todas as estruturas do bebê, dentre outras funções.

Como Sei Que Estou A Perder Liquido Amniotico?

(Foto: Erdbeerlounge)

Uma forma de observação é deitar-se de lado e tossir, caso vaze algum líquido e não consiga controlar a saída, convém procurar um ginecologista.

Perda de líquido ou urina? Não confunda!

  1. Muitas mulheres confundem o líquido amniótico com urina, entretanto, enquanto essa é amarela e tem um cheiro característico, o líquido amniótico não tem cor e tem um odor parecido com água sanitária (algumas mulheres não notam cheiro algum).

  2. Essa confusão é normal, pois como a bexiga fica pressionada pelo aumento do tamanho do útero, nem sempre é possível controlar a saída do xixi e às vezes ocorrem alguns vazamentos involuntários.

  3. Para saber se é realmente o líquido amniótico que está vazando, os médicos recomendam fixar um absorvente na calcinha e verificar o cheiro e a cor do líquido que vazar.

Causas da perda do líquido 

A perda de líquido amniótico pode ter diversas causas, as mais comuns acontecem no final do terceiro trimestre para indicar que o momento do nascimento do bebê está se aproximando.

No entanto, existem outras causas para a perda de líquido amniótico como alguma fissura na bolsa, por onde pode vazar o líquido.

Sintomas: Como saber se estou perdendo líquido amniótico?

Uma forma de observação é deitar-se de lado e tossir, caso vaze algum líquido e não consiga controlar a saída, convém procurar um ginecologista.

Como se trata de um evento involuntário, use um absorvente para analisar o tipo de líquido que você está perdendo.

Características marcantes do líquido amniótico

É comum perguntar mil vezes ao obstetra como você vai conseguir identificar o líquido amniótico quando o vir. A questão é que as características mais marcantes são as seguintes:

  • Cor clara e praticamente inodoro;
  • Pode se apresentar em pouca quantidade (como gotas) ou em grande quantidade (do tipo de formar poça no chão)
  • Sua saída é involuntária. Então, se perceber que não consegue prever quando o líquido sairá e não conseguir segurar (como fazemos com a bexiga), provavelmente se trata de líquido amniótico.

Líquido amniótico ou corrimento?

Durante a gravidez, ocorre o aumento da secreção vaginal, que permanece durante toda a gestação. Caso seja apenas a secreção, não terá nenhum cheiro, não provocará coceira e nenhum outro tipo de desconforto.

Entretanto, algumas secreções possuem outras características, como a candidíase, que provoca o corrimento de um líquido branco e gera coceira, e a tricomoníase, que se associa ao corrimento de uma secreção amarelada ou esverdeada e que apresenta mau cheiro.

Como Sei Que Estou A Perder Liquido Amniotico?

(Foto: Mommyish)

Nesses casos, também é importante conversar com o ginecologista, pois os corrimentos podem desencadear algum tipo de infecção e afetar a mãe, o bebê ou a ambos.

Perda de líquido no início da gravidez

Se a perda do líquido ocorrer no início da gravidez, deve-se ir ao hospital e realizar alguns exames para verificar se não há nenhuma fissura na bolsa, o que pode ser o motivo do vazamento e que pode permitir que infecções cheguem ao bebê.

Caso não seja descoberta nenhuma ruptura, a gestante deve fazer repouso absoluto e ingerir muito líquido para repor a quantidade perdida, além de fazer o ultrassom em intervalos menores para acompanhar o desenvolvimento do bebê e a produção do líquido amniótico.

Ao fazer o ultrassom, o médico pode calcular o índice de líquido amniótico (ILA) presente no útero. Caso seja verificada uma quantidade menor que o recomendado, a gravidez será acompanhada mais atentamente e, dependendo do estágio da gestação, pode ser estudada a antecipação do parto.

Perda de líquido na gravidez com 37 semanas

  • A gravidez é considerada a termo quando chega as 37 semanas, a partir daí o bebê já não é mais considerado prematuro.
  • Caso a perda do líquido aconteça aos poucos, serão realizados ultrassons para verificar a saúde do bebê e se a quantidade de líquido permanece satisfatória para que o bebê permaneça confortável e saudável até a data do parto.
  • Se a quantidade estiver menos que o recomendado, é provável a realização de uma cesariana para que o bebê não seja afetado.

No caso de a ruptura ser abrupta, o líquido sairá de uma só vez, sem que a gestante consiga controlar. Esse é o rompimento da bolsa e significa que o parto deve acontecer no máximo em 48 horas.

Perdendo líquido amniótico com 39 semanas

  1. Com 39 semanas, a perda de líquido amniótico em grande quantidade pode indicar o rompimento da bolsa.

  2. Após esse acontecimento, o parto deverá acontecer no máximo em 48 horas, já que o bebê agora está desprovido da proteção proporcionada pelo líquido e o risco de ocorrerem infecções na mãe e no bebê aumentam.

  3. Caso a gestante se sinta incomodada, tenha receio de que algo não está correto ou tem dúvidas, é sempre importante consultar o ginecologista, pois ele pode analisar o caso particularmente e fazer exames, para que a mãe e o bebê permaneçam saudáveis e a gestação ocorra de modo mais tranquilo possível!

Dúvidas das leitoras:

Esse líquido tem cheiro de amônia?

Embora muitas fontes afirmem que o líquido amniótico não tenha odor algum, muitas mulheres afirmam que sim, tem um cheiro de amônia ou água sanitária.

Como é o aspecto do líquido amniótico?

O líquido amniótico é um líquido de cor clara ou praticamente incolor e possui um odor um pouco mais fraco do que o de água sanitária.

Leia também:  Para Que Servem Ficheiros Como O Winzip Ou Jzip?

Avalie este conteúdo!

Como saber se estou perdendo líquido amniótico (e o que fazer)

Ficar com a calcinha molhada na gravidez pode indicar aumento da lubrificação íntima, perda involuntária de urina ou perda de líquido amniótico, e para saber como identificar cada uma dessas situações, deve-se observar a cor e o cheiro da calcinha. 

Quando se acha que se pode estar perdendo líquido amniótico no 1º ou no 2º trimestre é aconselhado ir imediatadamente ao pronto-socorro ou ao obstetra pois, caso o líquido esteja saindo pode prejudicar o desenvolvimento e crescimento do bebê, além de poder colocar a vida da mulher em risco, em alguns casos.

Como Sei Que Estou A Perder Liquido Amniotico?

Como saber se estou perdendo líquido amniótico

Na maioria dos casos, a perda de líquido amniótico é apenas confundida com a perda involuntária de urina que acontece devido ao peso do útero sobre a bexiga.

Uma boa forma para saber se é perda do líquido amniótico, perda de urina ou se é apenas aumento da lubrificação da vagina é colocar um absorvente íntimo na calcinha e observar as características do líquido.

Normalmente, a urina é amarelada e apresenta cheiro, enquanto o líquido amniótico é transparente e sem cheiro e a lubrificação íntima é sem cheiro mas pode ter uma aparência de clara de ovo, tal como acontece no período fértil.

Os principais sintomas e sinais de perda de líquido amniótico incluem:

  • A calcinha fica molhada, mas o líquido não tem cheiro, nem cor; 
  • A calcinha fica molhada mais de 1 vez ao dia;
  • Diminuição dos movimentos do bebê no útero, quando já houve uma perda maior de líquido.

As grávidas com fatores de risco, como pressão alta, diabetes ou lúpus têm maior probabilidade de apresentarem perda de líquido amniótico, mas isso pode acontecer com qualquer gestante.

Saiba identificar a perda involuntária de urina na gravidez, e o que fazer para controlar. 

O que fazer se estiver perdendo líquido amniótico

O tratamento para perda de líquido aminótico varia de acordo com a idade gestacional:

No 1º e no 2º trimestre:

Deve-se buscar ajuda médica imediatamente mas o tratamento geralmente é feito com consultas semanais no obstetra para avaliar a quantidade de líquido ao longo da gestação. Quando o médico faz o ultrassom e descobre que o líquido está muito baixo pode ser recomendado aumentar a ingestão de água e manter o repouso para evitar a perda de mais líquido e evitar complicações para a mulher.

Caso não haja sinais de infecção ou sangramento associada à perda de líquido, o acompanhamento da mulher pode ser feito periodicamente a nível ambulatorial, em que a equipe de saúde verifica a temperatura corporal da mulher e realiza um hemograma para verificar se há sinais de infecção ou de trabalho de parto. Além disso, são feitos exames para avaliar se está tudo bem com o bebê, como ausculta dos batimentos cardíacos do bebê e biometria fetal. Assim, é possível verificar se a gestação está correndo bem, apesar da perda de líquido amniótico.

No 3º trimestre:

Quando a perda de líquido acontece no final da gravidez, isso geralmente não é grave, mas se a mulher estiver perdendo muito líquido o médico pode optar, até mesmo, por antecipar o parto. Se essa perda acontece após as 36 semanas, normalmente, é sinal de rompimento das membranas e, por isso, deve-se ir para o hospital pois pode estar chegando o momento do parto.

Veja o que fazer em caso de líquido amniótico reduzido.

O que pode causar perda de líquido amniótico

As causas de perda de líquido amniótico nem sempre são conhecidas. No entanto, isso pode acontecer devido a quadros infecciosos genitais, sendo, por isso, recomendado consultar o obstetra sempre que surgem sintomas como queimação ao urinar, dor genital ou vermelhidão, por exemplo.

Outras causas que podem provocar perda de líquido amniótico ou levar à redução da sua quantidade incluem:

  • Ruptura parcial da bolsa, em que o líquido amniótico começa vazando por haver um pequeno furo na bolsa. É mais frequente no final da gravidez e normalmente a abertura fecha sozinha com repouso e boa hidratação;
  • Problemas na placenta, em que a placenta pode não estar produzindo sangue e nutrientes suficientes para o bebê e ele não produz tanta urina, havendo menos líquido amniótico;
  • Medicamentos para a hipertensão arterial, pois podem diminuir a quantidade de líquido amniótico e afetar os rins do bebê;
  • Anomalias do bebê: no início do segundo trimestre de gravidez, o bebê pode começar a engolir o líquido amniótico e eliminá-lo pela urina. Quando há perda de líquido amniótico, os rins do bebê podem não se desenvolver corretamente;
  • Síndrome de transfusão feto-fetal, que pode acontecer em caso de gêmeos idênticos, em que um pode receber mais sangue e nutrientes que o outro, fazendo com que um tenha menos líquido amniótico que o outro.

Além disso, alguns medicamentos, como o Ibuprofeno ou os remédios para a pressão alta, também podem diminuir a produção de líquido amniótico e, por isso, a grávida deve informar o obstetra antes de tomar qualquer medicamento.

Perda de líquido amniótico: sinais, causas e tratamento

O líquido amniótico, que envolve e protege o feto no saco amniótico, desempenha um papel vital durante a gravidez.

Geralmente, esse fluido sai quando você entra em trabalho de parto. Mas, às vezes, pode escorrer pela vagina, fazendo você se perguntar se é o líquido amniótico, corrimento vaginal ou urina. Saber diferenciar o primeiro dos outros pode ajudá-la a descobrir o que fazer a seguir!

Neste post mostramos a diferença entre perda de líquido amniótico e de urina e o que fazer em caso de pouco líquido!

O que é líquido amniótico?

É uma parte muito importante do desenvolvimento fetal. É o fluido que envolve seu bebê enquanto ele cresce dentro do seu útero. Tem como função:

  • Amortecer seu bebê.
  • Permitir que o bebê se mova.
  • Ajudar as partes do corpo do bebê a se desenvolverem normalmente.
  • Manter a temperatura do bebê regulada.
  • Ajudar a prevenir infecções.
  • Ele também ajuda a manter o cordão umbilical flutuando livremente, para que não fique esmagado entre o bebê e a lateral do útero.

De onde vem o líquido amniótico?

Foto: Freepik

Seu corpo começa a produzir líquido amniótico super cedo, cerca de 12 dias após a concepção. Na primeira metade da gravidez, ele é composto de água do seu corpo.

Durante a segunda metade da gravidez, ele é produzido a partir da urina do seu bebê. Por mais estranho que pareça, é uma parte crucial de como o bebê aprende a respirar, engolir, filtrar fluidos pelos rins e fazer xixi.

Como o líquido amniótico é tão importante para o desenvolvimento do seu bebê em crescimento, o baixo nível dele (problema que recebe o nome de oligoidrâmnio) pode ser muito preocupante.

Níveis normais

Geralmente, as mulheres têm entre 500 e 1000 ml de líquido amniótico, embora os níveis normais possam variar de acordo com a idade gestacional.

O líquido serve como uma almofada para o pequeno que cresce no útero e ajuda no desenvolvimento de vários órgãos, como o trato gastrointestinal, rins e pulmões.

Líquido amniótico em falta ou excesso pode causar problemas. O médico geralmente verifica os níveis do líquido através de um ultrassom.

  • O volume médio em torno de 12 semanas de gestação é de 60 ml.
  • Aumenta para 175ml em 16 semanas.
  • O volume é o mais alto entre 34 e 38 semanas, em torno de 400-1200ml.
  • Reduz após 38 semanas de gestação e desce para 800 ml na 40ª semana.

O trabalho de parto pode começar quando os níveis de líquido amniótico diminuem. Mas para avaliar se é de fato o líquido escapando ou apenas urina, verifique também os outros sinais.

Como aumentar o líquido amniótico?

1 – Beba mais líquidos

Foto: Freepik

A qualquer momento durante a gravidez, beber muita água pode fazer uma enorme diferença. A hidratação é muito útil para elevar os níveis de líquido amniótico em mulheres entre 37 e 41 semanas de gravidez.

O legal desse remédio? Há pouco ou nenhum mal em beber mais água, grávida ou não.

2 – Fluidos intravenosos

Seu médico pode recomendar fluidos intravenosos. Isso pode ser útil se você estiver desidratada devido à náusea ou vômito, ou se precisar hidratar (e, portanto, aumentar seu líquido amniótico) mais rapidamente.

Basicamente, essa é outra maneira de colocar esses líquidos importantes em seu corpo.

3 – Tratamento de causas pré-existentes

Como o baixo líquido amniótico pode ser causado por condições subjacentes, como pressão alta ou diabetes, o tratamento dessas condições pode melhorar seus níveis. Isso pode envolver tomar medicamentos, monitorar seu açúcar no sangue ou fazer visitas mais frequentes ao seu médico.

As causas preexistentes também podem criar outros problemas durante a gravidez, portanto, gerenciar a causa é vantajoso duplamente.

4 – Ficar na cama

Foto: Freepik

  • Alguns médicos ainda prescrevem esse método no caso de baixo líquido amniótico.
  • Descansar na cama ou no sofá (exceto para ir ao banheiro ou chuveiro) pode ajudar a melhorar o fluxo sanguíneo para a placenta, o que, por sua vez, ajuda a aumentar o líquido amniótico.
  • É mais provável que isso seja recomendado se você estiver no segundo ou no terceiro trimestre.

Não é fácil, mas tente relaxar durante esse período. Encontre aquele programa perfeito da Netflix para curtir.

Sinais de perda de líquido amniótico

Aqui estão alguns sinais que podem ajudá-la a determinar se é ou não uma perda de líquido amniótico.

  • O líquido é claro ou incolor. A urina é amarela clara.
  • O líquido tem um cheiro peculiar, mas a urina ou o corrimento vaginal podem ter odor mais forte.
  • O fluxo de vazamento não pára tão rapidamente quanto a urina.
  • Você pode usar um absorvente para verificar esses aspectos.
Leia também:  Como Se Instala Leds Quando Abro Agua Do Duche?

Geralmente, o líquido amniótico sai quando as membranas se rompem. Isso ocorre principalmente a termo ou durante o parto, devido a contrações.

Causas da ruptura prematura de membrana

Geralmente, a rotura prematura das membranas é inesperada. E não é fácil descobrir a causa. Mas as causas incluem:

  • Fumar
  • Infecção uterina
  • Trauma acidental
  • Polidrâmnio ou excesso de líquido amniótico no saco
  • Alongamento excessivo do saco amniótico e do útero
  • Assistência pré-natal inadequada
  • Parto prematuro anterior
  • Infecções sexualmente transmissíveis
  • Gravidez gêmea ou múltipla

Quando o saco amniótico se rompe após 37 semanas de gravidez, é considerado um sinal de trabalho de parto. Mas antes das 37 semanas está associado a certos riscos.

O que acontece quando se perde o líquido amniótico?

Foto: Freepik

Muitas mulheres entram em trabalho de parto cerca de 24 horas após a ruptura da bolsa e perda do líquido amniótico. Se não começar em 24 horas, o trabalho de parto é induzido para evitar complicações.

A perda do líquido prematuramente pode levar aos riscos abaixo:

  • Infecções (mãe e bebê).
  • Placenta se descolando do útero.
  • Problemas do cordão umbilical.

Quando ligar para o médico?

Quando você descobre que o líquido da vagina não é corrimento ou urina, mas sim líquido amniótico, é hora de ligar para o médico. Você também deve ligar para o médico:

  • Primeiramente, quando você descobre que o líquido é verde ou marrom ou tem um cheiro ruim.
  • Em segundo lugar, quando está com febre ou a sua frequência cardíaca aumenta;
  • E, por fim, se houver dor abdominal.

O médico diagnosticará sua condição com base na sua idade gestacional e também fará um exame interno antes de prosseguir com o tratamento.

Enquanto você espera pelo médico, tente manter a calma e não insira nada, como tampão ou pano, na vagina. Apenas observe quanto vazou e qual é a cor do fluido para informar o médico.

A perda de líquido amniótico significa aborto?

Não! Esse não é um dos motivos comuns para um aborto espontâneo. No entanto, se ocorrer no segundo trimestre e for acompanhado por outros sintomas, como dor abdominal, pode ser um sinal de aborto espontâneo. Resumindo, você deve procurar seu médico antes de concluir que se trata de um aborto espontâneo.

A perda de líquido amniótico, a qualquer momento da gravidez, pode fazer você se preocupar. Mas conhecer os sinais e como gerenciar essa ocorrência pode ajudá-la a ter cuidado e evitar complicações.

Enquanto você faz o necessário, tente manter a calma e ligue para seu familiar ou médico para obter ajuda.

Você tem alguma experiência para compartilhar conosco? Conte-nos sobre ela na seção de comentários!

Sinais que indicam que a gestante está começando o trabalho de parto

Tem gestante que sente exatamente quando a hora em dar à luz está chegando.

No entanto, há quem confunda o estágio inicial do trabalho de parto com sintomas como gases, azia, dor lombar, indigestão ou diarreia.

Compreender as diversas mudanças que ocorrem no corpo de uma grávida e os sinais que indicam que o nascimento do bebê está próximo pode ajudar a mulher a se preparar para o parto e ter uma experiência saudável.

> Confira as melhores dicas de como prevenir o câncer

Segundo Erica Mantelli, ginecologista e obstetra, o trabalho de parto ocorre, gradualmente, podendo levar horas e até dias, até que a gestante perceba que as sensações fazem parte do início do nascimento do bebê.

— À medida que o parto se aproxima, o corpo da gestante sofre mudanças, uma delas é a eliminação do tampão mucoso pela vagina. É uma secreção gelatinosa branca que pode ter um pouco de sangue e ficar avermelhada ou marrom. O tampão mucoso está associado ao afinamento do colo do útero e início da dilatação. Isso pode ocorrer dias antes das contrações começarem – explica.

Leia mais

É importante destacar que, ao entrar em trabalho de parto, a gestante sente contrações no abdome e nas costas que vão se tornando dolorosas, frequentes e intensas.

A partir do sétimo mês já é possível sentir algumas contrações uterinas, porém são mais fracas, rápidas e demoram para se repetir, diferentemente das contrações do trabalho de parto.

A melhor maneira de se certificar de que essas contrações sinalizam o início do trabalho de parto e não um alarme falso, é cronometrá-las.

— Marque os horários em que as contrações começam e quanto tempo duram, monitore-as por duas horas. Se ela não avançar ou der uma pausa, comece a cronometrar novamente para notar se houve alguma mudança. As contrações merecem mais atenção quando tiverem duração de 30 segundos com intervalos de cinco minutos entre elas – detalha a ginecologista.

> O que causa as espinhas internas e qual a melhor maneira de eliminá-las?

O trabalho de parto é diferente em cada mulher. Algumas gestantes notam os sintomas rapidamente, enquanto outras demoram a sentir contrações. Para aquelas que estão passando pela situação pela primeira vez, o trabalho de parto costuma durar até 16 horas.

Já na segunda gestação esse período fica em torno de 7h ou 8h. A dor e o cansaço sentidos no trabalho de parto também variam entre as gestantes. Por isso, é importante a futura mamãe não criar expectativas a partir de comentários de outras gestantes. Identificar os principais sinais do trabalho de parto serve de alerta e ajuda a grávida a perceber se é o momento certo de ir para o hospital.

  • > Mega da Virada 2020 tem prêmio de R$ 300 milhões e apostas são liberadas; veja como jogar​
  • Colo do útero
  • O colo torna-se cada vez mais fino, amolecido, e dilata em até 10 centímetros.
  • — Essa mudança do colo do útero pode ser comprovada por meio do exame de toque feito pelo obstetra – ressalta a ginecologista.

Para diagnosticar trabalho de parto o colo tem que estar mais fino e acima de 3 – 4 cm de dilatação. Durante o trabalho de parto a dilatação aumenta cerca de 1 cm por hora.

> 10 lugares para conhecer em Santa Catarina

Contrações

Elas acontecem em intervalos regulares e cada vez menores, tornando-se mais longas e intensas. A gestante deve ficar atenta para não confundir as contrações de trabalho de parto com as de Braxton Hicks.

— É normal sentir dificuldade na hora de diferenciar uma contração verdadeira do alarme falso. As contrações que não dilatam o colo uterino são conhecidas como trabalho de parto “falso”. Já as verdadeiras são mais demoradas, fortes e têm intervalos menores entre elas – diz Erica Mantelli.

  1. Durante o trabalho de parto as contrações duram em média 30 – 40 segundos, com frequência de 2 – 3 contrações a cada 10 minutos.
  2. Dores no corpo
  3. A gestante sente uma dor constante na parte inferior das costas ou no abdome, ficando mais forte conforme aumenta a dilatação.
  4. > Conheça a influência do chocolate no sono
  5. Saída do tampão mucoso

No final da gestação, o colo começa a dilatar e ficar fino, causando a perda do tampão mucoso. A partir disso, a mulher irá notar a saída de uma secreção de muco amarronzado ou avermelhado.

— Isso mostra que o trabalho de parto está se aproximando. Geralmente, a gestante entra em trabalho de parto após ocorrer a saída dessa secreção – afirma Erica Mantelli.

A bolsa rompeu

Isso indica a ruptura das membranas conhecida como bolsa d'água, onde fica o líquido amniótico.

— Quando a bolsa se rompe, a gestante não sente dor, apenas a sensação de uma água morna escorrendo pelas pernas, podendo ser confundido com urina.

A diferença é que o líquido amniótico é transparente como água, e em algumas situações pode estar esverdeado (se o bebê tiver evacuado, podendo ser sinal de sofrimento fetal). Normalmente, a mulher perde meio litro de água, mas a quantidade depende se a bolsa rompeu por completo.

Em casos de rupturas altas, a perda de líquido pode ser pequena, apenas suficiente para umedecer a calcinha, sem escorrer – explica a ginecologista.

Qualquer perda de líquido deve ser avaliada pelo obstetra, para identificar se não é líquido amniótico ou corrimento vaginal.

A coloração do líquido amniótico é muito importante para demonstrar se o bebê está bem ou não, então procure médico o quanto antes.

Vale destacar que nas últimas semanas de gestação, é comum ocorrerem contrações irregulares e indolores, sem que isso signifique o início do trabalho de parto.

> Aprenda a fazer pizza de frigideira e ainda conheça cinco recheios para o prato

Não hesite em ligar para o obstetra ao notar qualquer mudança, contração frequente, perda de líquido ou sangramento, principalmente se for antes de completar a 37ª semana de gestação. É importante tirar todas as dúvidas em relação às contrações para identificar se a hora do parto está próxima.

  • — Alerte seu médico ao sentir um aumento na pressão pélvica, apresentar sangramento vaginal e/ou secreção abundante ou notar diminuição acentuada no nível de atividade do bebê – alerta a médica.
  • A gestante deve ir ao hospital quando as contrações durarem 30 segundos ou mais, com cinco minutos de intervalo entre elas, por pelo menos uma hora.
  • Acesse as últimas notícias do NSC Total

Ainda não é assinante? Faça sua assinatura do NSC Total para ter acesso ilimitado do portal, ler as edições digitais dos jornais e aproveitar os descontos do Clube NSC.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*