Como Sei Quando Posso Mudar De Faixa Ar De Via?

  • Como Sei Quando Posso Mudar De Faixa Ar De Via?
  • O trânsito intenso e o fluxo de diversos tipos de veículos na mesma via acabam demonstrando uma série de diferenças na forma de condução dos motoristas.
  • Diferentes motoristas trafegam em velocidades distintas, e isso leva à necessidade de executar manobras para que ninguém seja prejudicado.
  • Em uma via de mão dupla com apenas uma faixa para cada sentido, por exemplo, são as ultrapassagens que permitem um desenvolvimento mais tranquilo do trânsito, respeitando o ritmo de cada condutor.

O Código de Trânsito Brasileiro (CTB) prevê uma série de normas a serem seguidas no tráfego de veículos. Entre seus objetivos, está manter a segurança no trânsito.

No caso da ultrapassagem não seria diferente. Se feita dentro das regras, ela não gera danos e contribui para manter a fluidez nas vias.

Mas você sabe em que locais pode ultrapassar e como é feita essa demarcação?

Com a Lei nº 13.281, a partir de novembro de 2016, a multa por ultrapassar em faixa continua ficou ainda mais cara.

  1. Neste artigo, você vai conhecer as regras para realizar ultrapassagens, prescritas no CTB, além de saber quais as infrações e suas consequências por uma ultrapassagem indevida.
  2. Ainda, fornecerei a você algumas dicas para dirigir com mais segurança e não ser autuado por uma infração de trânsito.
  3. Você já recebeu uma multa por ultrapassar em faixa contínua?
  4. Ao final deste artigo, explicarei como funciona o Processo Administrativo por Infração de Trânsito e como recorrer da multa.
  5. Em 3 etapas, você poderá cancelar a multa e demais penalidades decorrentes da infração.
  6. Tenha uma boa leitura!

O Que Configura Uma Ultrapassagem?

Em primeiro lugar, é preciso definir o que é ultrapassagem.

No final do CTB, há uma série de definições de termos usados ao longo da Lei. Um deles é “ultrapassagem”.

Conforme exposto no Código de Trânsito, ultrapassar um veículo é mover-se de forma a tomar a dianteira de um automóvel que está a sua frente na via, porém, que circula em velocidade inferior.

Para ser uma ultrapassagem, o condutor deve retornar à faixa onde se encontrava antes da manobra.

Porém, é claro, essa manobra requer muito cuidado do condutor. Se não for realizada com segurança, a ultrapassagem pode ocasionar graves acidentes.

Portanto, no próximo tópico explicarei quais os cuidados devem ser tomados para realizar uma ultrapassagem.

Como Realizar a Ultrapassagem com Segurança

Como Sei Quando Posso Mudar De Faixa Ar De Via?Tomando os devidos cuidados, a manobra pode ser realizada sempre que necessário.

A ultrapassagem entre veículos nas vias é bastante comum e necessária. No entanto, ela tem regras para sua execução, as quais objetivam manter o trânsito um ambiente seguro para todos.

O Código de Trânsito dá algumas diretrizes sobre como essa manobra pode ser realizada.

No art. 29, estão descritas as primeiras normas sobre o assunto.

  • O inciso IV define que, quando uma pista for composta por duas ou mais faixas com mesmo sentido de circulação, as faixas da direita destinam-se ao deslocamento de veículos pesados e mais lentos.
  • Por exemplo, caminhões devem circular pelas pistas da direita, assim como condutores que mantiverem velocidades mais baixas.
  • O texto do inciso continua, deixando claro que as pistas da esquerda são reservadas aos veículos circulando a velocidades mais altas e às ultrapassagens.
  • Ou seja, somente é permitido ultrapassar pela esquerda.
  • No mesmo artigo, o inciso IX determina que as ultrapassagens, além de serem feitas pela esquerda, respeitem a sinalização presente no local.

A única exceção a isso se dá quando o automóvel à frente, o qual você deseja ultrapassar, estiver sinalizando que entrará à esquerda. Nessa situação, você poderá passar pela lateral direita.

Como perder o medo de dirigir?

Como Sei Quando Posso Mudar De Faixa Ar De Via?O medo de dirigir está ligado ao processo de ansiedade, causando um sentimento que acaba por prejudicar o nosso dia a dia. Nesses casos, a melhor forma de perder o medo de dirigir é aceitar que esta ansiedade existe.

Conheça as principais causas e saiba como combater o medo de dirigir

Atualmente, a ansiedade é apontada como o vilão da humanidade.

Quantas pessoas ouvimos dizer diariamente “eu sou muito ansioso(a)”? A verdade é que a ansiedade não é sempre ruim, ela é considerada saudável se não atrapalhar as atividades cotidianas.

Isso porque ela funciona como um estímulo, um alerta. Já a ansiedade patológica geram sofrimento e podem ser reconhecidas por sinais como, por exemplo, tremores, falta de ar, tensão muscular, insônia e irritação.

A ansiedade patológica se desenvolve de diversas formas, entre elas, fobias, transtornos de pânico e transtorno obssessivo-compulsivo, ou seja, em forma de medo.

 Esta característica normal e acentuada também está presente no medo.

Em níveis normais garantem a sobrevivência do indivíduo diante de um ameaça real, já em níveis mais altos, leva ao afastamento de situações, como dirigir.  

Quais os motivos que levam uma pessoa a ter medo de dirigir?

O medo de dirigir, assim como todos os outros, é ocasionado por um estímulo exterior e está associado a sentimento de raiva ou vergonha, por exemplo.

Traumas passados e o trânsito agitado das cidades grandes ou de estradas podem ser apontados como motivos para sentir medo de dirigir.

Além disso, a insegurança gerada pela má formação de motoristas também podem ocasionar o medo.

Entre as preocupações de quem sente medo de dirigir estão errar na frente dos outros, atrapalhar o trânsito, machucar alguém ou ser criticado.

O melhor tratamento é com ajuda de um profissional e muito treino. Abaixo apresentamos algumas dicas que irão te ajudar a perder o medo de dirigir com mais facilidade. Na maioria das vezes, isso tudo não passa de uma fobia ou trauma que você já tenha passado no trânsito.

Consulte um psicólogo

O tratamento com um profissional será fundamental para que você possa controlar o lado emocional, se reequilibrando, para que volte a treinar na direção. O mais indicado é que se busque a Terapia Comportamental Cognitiva.

Pratique

O importante neste passo é ir com calma, passo a passo, sem acelerar se você não se sentir confortável o suficiente, mas também colocando e enfrentando pequenas metas e evitando a frustração.

Comece tirando e colocando o carro da garagem, quantas vezes forem necessárias até que os sintomas de nervosismo acabem. Dê continuidade com uma volta no quarteirão, depois dois quarteirões, aumentando o trajeto até que a volta se estenda ao bairro.

Estipule uma meta de dez destinos a serem completados e vá tentando alcançá-los na ordem dos mais fáceis aos mais difíceis.

Mantenha a calma

Durante a prática procure ruas não tão movimentadas, porém, mentalize vias mais agitadas, faça exercícios trocando as marchas, realizando ultrapassagens, acelere e desacelere, e procure relaxar ao máximo. Outra dica é colocar músicas agradáveis e relaxantes.

Lembre-se sempre: o enfrentamento é a base para perder o medo de dirigir e não sofra por antecipação pensando no que pode acontecer.

Faça outro curso de direção

Se você não se sentir seguro sobre a sua habilidade de dirigir, faça mais um curso de direção para habilitados. Relembrar conteúdo, aprender novas regras nunca é demais.

Pense nestas aulas extras como um investimento que irá te habilitar para seguir em frente e dirigir.

Utilize as dicas de direção defensiva à seu favor e deixe de lado o medo de dirigir.

Quer reforçar o que já aprendeu e perder o medo de dirigir? Continue seguindo nossas dicas aqui do blog e, caso tenha alguma dúvida, não deixe de perguntar nos comentários abaixo.

Como Sei Quando Posso Mudar De Faixa Ar De Via?

Multa terá que ser comprovada com foto

  • Tramita na Câmara dos Deputados uma proposta polêmica e, no mínimo, inusitada: a ideia é exigir que os agentes de trânsito só possam multar quando conseguirem provas de que o motorista, de fato, cometeu uma infração.
  • A proposta altera o Código de Trânsito Brasileiro (CTB) e derruba a famosa “fé pública” do agente de trânsito, invertendo completamente a lógica atual em que é o proprietário do veículo/condutor quem tem provar que não errou.
  • VEJA TAMBÉM:

Pela proposta, descrita no Projeto de Lei 8377/2017, serão os órgãos e agentes de trânsito que terão que comprovar, mediante equipamento audiovisual ou eletrônico, que a infração existiu.

Atualmente há essa obrigatoriedade nos casos de excesso de velocidade em que é exigida a foto para a comprovação da infração.

Mas para a grande maioria das infrações não há necessidade de comprovação alguma por parte da autoridade que multa. São comuns, por exemplo, os registros eletrônicos por avanço de sinal, mas são igualmente válidas as autuações ‘apenas’ anotadas por agentes que presenciaram o fato. O que vale para quase todas as autuações.

O PL 8377 propõe acabar com qualquer tipo de registro de infração de trânsito que não seja comprovado “mediante aparelho eletrônico, equipamento audiovisual ou quaisquer outros meio tecnologicamente disponíveis”.

Como Sei Quando Posso Mudar De Faixa Ar De Via?Foto Shutterstock

Justificativa

Na justificativa estão ressaltados os princípios do contraditório e ampla defesa, previstos na Constituição Federal, assim como a consideração de que a legislação atual prejudica o cidadão “socialmente inferior ao poder do Estado”.

Leia também:  Como Ver Os Programas Que Arrancam Com O Windows?

A justificativa do PL 8377 toca, ainda, em outro ponto frágil do sistema atual: o fato de que há muita multa e pouca educação. “Não são realizadas campanhas educativas com a mesma frequência com que realizam blitz para multar motoristas”.

Bem… Não se pode negar nenhum desses argumentos e muito menos esquecer que foram exatamente os princípios do contraditório e ampla defesa que nortearam várias mudanças no CTB no decorrer das suas duas décadas de existência. Mas inverter completamente a lógica num país em que os abusos no trânsito resultam num cenário de guerra, parece temerário.

É preciso reconhecer que comprovar que não se cometeu uma infração de trânsito em alguns casos é muito difícil, quando não é impossível. Como provar, por exemplo, que você não avançou um sinal (nos caso em que não há foto) ou que não estava sem o cinto de segurança?

Por outro lado, no entanto, como um equipar o Estado e possibilitar que todos os agentes de trânsito – e é preciso pensar no país como um todo, dos mais ricos aos mais pobres municípios – estejam munidos, por exemplo, de potentes celulares que não deixem passar uma infração sequer?

Seria, sim, um  mundo ideal, desde que sem aumento de impunidade. É assunto para ser discutido e debatido com a população. Devagar com o andor, pois estamos no Brasil…

  • Link para íntegra do PL 8377/2017

O radar também multa por andar devagar? Veja no vídeo

SOBRE

PREFERÊNCIA NA ROTATÓRIA

Como Sei Quando Posso Mudar De Faixa Ar De Via?

Mesmo sendo um importante instrumento viário, muitos motoristas ainda desrespeitam as regras de circulação da rotatória e se confundem quanto à preferência de passagem. Mas você sabe o sabe qual é o objetivo da rotatória?

A “rotatória” é um recurso de engenharia cujo objetivo é evitar o encontro de fluxos que se cruzariam, dispensando também a instalação de semáforos.  Não há no Código a definição do que seja “rotatória”, apesar de haver regra de como se portar diante dela.

A regra principal que deve ser cumprida pelos motoristas é observar as sinalizações feitas pelo Detran, uma delas é a placa de “Pare” em frente a cada um dos entroncamentos, que tem em praticamente todas as cidades.

Outra observação importante é sempre sinalizar com a seta para indicar em qual lado você vai seguir.

Em geral, aqueles que estão na via mais movimentada passam adiante, enquanto aqueles que vêm de uma via menos movimentada aguardam uma brecha para fazer a conversão.

É válido observar que a placa ‘Pare’ é obrigatória. Se cada um dos motoristas respeitar essa sinalização, todos os sentidos da rotatória iram fluir igualmente. É importante lembrar que o desrespeito à placa é uma infração gravíssima e mais sete pontos na CNH.

De acordo com o artigo 29 do Código de Trânsito Brasileiro (CTB), tem a preferência na rotatória aquele veículo que já estiver em circulação.

Isso significa que, mesmo que o motorista esteja parado, ele deve esperar aquele que estiver circulando passar.

No caso de não haver ninguém em circulação e dois carros chegarem ao mesmo tempo, em acessos distintos da rotatória, a preferência será daquele motorista que estiver à direita.

Em resumo, têm preferência aquele que estiver circulando na rotatória. Quem está na faixa da esquerda pode ir em frente, dobrar a esquerda ou circular pela esquerda. Quem está na faixa da direita pode ir em frente, dobrar a direita ou circular pela direita.

Se você estiver dentro da rotatória permaneça na mesma faixa, você não deve trocar de faixa uma vez que vai fechar outro carro. Você pode mudar de faixa contanto que você não invada ou atrapalhe a passagem do outro carro, geralmente você troca de faixa quando tem 3 ou mais faixas. Geralmente a rotatória tem as 2 faixas, então use corretamente.

É muito importante lembrar que a placa “Dê a preferência” orienta que você não tem a preferência de passar não só em relação aos carros, mas sim aos pedestres, nesse caso antes de entrar na rotatória você deve verificar não somente os carros, mas se existe pedestres aguardando para passar. Entre sempre devagar e com segurança na rotatória.

Como andar de moto no trânsito? Confira 8 dicas de segurança!

Está cansado de ficar esperando transporte público? Saiba que esse tem sido um dos principais motivos do aumento de 357% da frota de motocicletas entre 2000 e 2011, de acordo com a seguradora Líder. Se é nisso que você está pensando, lembre-se de que deve pensar muito na segurança. E com toda razão. Afinal, as motocicletas assumem a fatia de 32% do total de acidentes.

Entre os fatores que mais propiciam acidentes estão o desrespeito à sinalização, ultrapassagens incorretas, falta de atenção nos cruzamentos, consumo de álcool e outras drogas, excesso de velocidade e conversões proibidas. Se você está pensando em trocar o ônibus pelas duas rodas, talvez se pergunte: como andar de moto no trânsito de forma segura?

A resposta? Direção defensiva, que implica dirigir sempre com o foco em evitar acidentes. Por isso, preparamos este post com 8 dicas simples de como pilotar de forma segura. Confira!

1. Use o capacete adequado

Que o capacete é a proteção primária do motociclista você já sabe. Mas não serve qualquer modelo. Ao escolher, é importante analisar o tipo de pista a ser percorrida e da moto, tamanho e até a cor. Veja a importância de cada um desses quesitos.

Tipo de pista

Quem pega muita estrada deve optar por um capacete mais robusto e que fique bem firme na cabeça. Já os que andam por estradas de terra podem optar por um que tenha boa entrada de ar e com óculos de proteção embutido.

Tipo de moto

Consegue imaginar um piloto da MotoGP usando aqueles capacetes de 50 reais? Improvável. A regra é: quanto maior a potência, maior deve ser a proteção.

Tamanho e cor

Se você não puder experimentar o capacete, como no caso de compra pela internet, meça a circunferência da sua cabeça e escolha um modelo que se ajuste bem.

E as cores claras são mais recomendadas, porque permitirão que o condutor seja visto mais facilmente por outros motoristas.

2. Use a seta

Esquecer a seta ligada ou, pior ainda, se esquecer de usá-la pode ser um erro fatal. A função da seta é comunicar. E como toda falta de comunicação é ruim, com a seta não é diferente. Ela deve ser acionada em torno de 5 segundos antes de se fazer uma manobra.

3. Aprenda a usar o retrovisor

Ele serve não apenas ao mudar de faixa ou entrar em outra rua, mas também quando precisar reduzir a velocidade ou parar a moto em cada de emergência. Isso vai diminuir as chances de uma possível colisão por trás.

Saber usar o retrovisor significa também não confiar 100% nele. Sempre ao fazer qualquer mudança de direção, a dica é dar uma rápida olhada sobre os ombros. Com isso você verá algum outro veículo que talvez tenha ficado oculto no ponto cego do retrovisor.

4. Seja visto

Tão importante quanto ver é ser visto. Principalmente quando o assunto é motocicleta. Você faz ideia de quantas formigas já matou simplesmente por não ter visto? Com uma moto a realidade é a mesma, embora o número de formigas mortas seja bem mais elevado de acordo com o maior site de pesquisas biológicas da internet.

Brincadeiras à parte, sabemos que por ser um veículo menor, muitos motoristas afirmam não ter visto a moto antes de um acidente. Principalmente os condutores dos carros grandões, ônibus e caminhões, têm essa dificuldade. Por isso, posicione-se de modo a ficar sempre no alcance do retrovisor alheio.

5. Aprenda a usar os freios

Entre os amadores no assunto, há a teoria de que o freio dianteiro não deve ser usado. Grande engano! Na verdade, na maioria dos casos, será o freio da frente que vai parar de fato a motocicleta. Com a ajuda da Física, é fácil de entender. A terceira Lei de Newton diz que toda ação resulta em uma reação no sentido oposto.

Por isso, quando qualquer veículo é frenado, a carga sobre ele tende a ir para frente. Ou seja, em torno de 70% da frenagem será feita pelo freio dianteiro. A dica é não usar a força total das mãos para o acionamento, pois isso pode fazer você perder o controle da moto.

Outro macete importante se refere às curvas. Nessas situações, é o freio traseiro que deve ser usado em conjunto com a redução de marchas.

6. Ande devagar

Embora este não seja um blog de conselhos maternos, essa dica não poderia faltar. É verdade que quando se anda devagar também ocorrem acidentes. Mas o ponto em questão é a fatalidade.

Leia também:  Como Saber Qual O Meu Medico De Familia?

Tende a ser muito grande a diferença entre o que ocorre num acidente a 100 km/h  e em outro a 40 km/h. Assim, o melhor é manter a velocidade compatível com a via em que se trafega.

As placas de velocidade servem para dar essa indicação.

Há ainda outra vantagem ao andar com a velocidade reduzida: economia de combustível. Algumas motos conseguem rodar mais de 40 km com 1 litro de combustível, desde que o motor não seja muito exigido.

7. Tenha cuidado com as ultrapassagens

O tamanho reduzido de uma moto faz com que seja mais fácil fazer ultrapassagens. Justamente por se aproveitarem disso, muitos motociclistas fazem manobras entre 2 veículos em sentidos opostos, ultrapassam pela direita e cometem várias outras barbaridades.

Essa facilidade faz com que boa parte dos acidentes com motos ocorram em função das ultrapassagens proibidas. Ao ultrapassar, verifique se o veículo de trás não teve a mesma ideia e se o motorista da frente está vendo você. Essas dicas são importantes principalmente no trânsito urbano.

8. Tenha cuidado com quem está na garupa

Levar alguém na garupa pode ser uma experiência legal, mas que demanda muita responsabilidade e preparo. Se o passageiro não tiver nenhuma noção de como andar de moto no trânsito, o equilíbrio ficará comprometido. Nesses casos, é importante explicar ao transportado que ele deve apenas seguir seus movimentos.

Esperamos que tenha gostado das dicas sobre como andar de moto no trânsito. Todas elas envolvem o uso da direção defensiva e, quando colocadas em prática, ajudam a evitar muitos acidentes. Pergunte a qualquer piloto experiente e você perceberá que as recomendações serão parecidas com as deste post.

Lembrou-se de alguém que precisa ver essas dicas urgentemente? É provável que sim. Então, não demore e compartilhe este texto nas suas redes sociais.

Posso levar multa? Confira as respostas para algumas situações do trânsito

Quando estou levando uma grávida ou uma pessoa doente para o hospital, tenho “passe livre” nos semáforos?

Nem adianta argumentar, não! Apenas ambulâncias, carros de bombeiros e de policiais podem ultrapassar o semáforo com sinal vermelho.

Edson Caram, diretor de operações do DSV, explica que as ambulâncias têm permissão, porque estão identificadas com sinalizador e possuem motoristas treinados. Um condutor particular pode colocar em risco outras vidas.

“Nas defesas normalmente ele perde os recursos”. E a multa é gravíssima. O motorista é autuado com sete pontos na carteira e tem que desembolsar R$ 293,47.

Eu estou parado no sinal vermelho e uma ambulância pede passagem, se houver um radar, serei multado?

A recomendação é tentar dar passagem para a ambulância se deslocando lateralmente. “O avanço do sinal vermelho é sempre uma situação de risco”, diz Caram. Caso o motorista ultrapasse o sinal vermelho, pois não tinha espaço para sair pela lateral, ele pode recorrer a multa. “No próprio radar irá mostrar que tem uma ambulância passando junto com ele”.

E se o semáforo estiver quebrado, é possível ultrapassar?

Ficar plantado esperando o farol consertar magicamente não é uma opção. Mas fique atento, é necessário anotar o dia, horário e endereço da ocorrência para justificar o recurso, porque provavelmente o motorista será autuado.

Por que não sou multado quando estou diante de uma placa de proibido estacionar, mas estou aguardando o farol abrir?

Quando o veículo aguarda o sinal verde para prosseguir viagem, ele não está parado e sim imobilizado. Dessa forma não há infração. No entanto, se o semáforo abrir e o veículo não se locomover, o motorista levará uma multa para casa.

Se eu estou parado no semáforo e aproveito para tirar o agasalho posso ser multado?

Sim. Segundo o Detran, o motorista deve permanecer com as duas mãos ao volante, exceto quando vai fazer sinais específicos como mudar a marcha do veículo ou acionar equipamentos e acessórios. Tirar as mãos do volante é uma infração média de R$ 130,16 e o condutor perde quatro pontos na CNH.

Posso passar sobre a faixa zebrada (No Código de Trânsito Brasileiro, conhecida como marca de canalização)?

Caram explica que esta faixa é como se fosse um canteiro fictício. “A faixa zebrada é a divisão de duas pistas”. No Código de Trânsito Brasileiro, esta infração é considerada gravíssima, são sete pontos na CNH. Além disso, o valor da multa é bem salgado, pois é multiplicado por três, sendo assim o motorista precisa pagar R$ 880,41.

Há também a pergunta clássica: tenho que usar cinto de segurança no banco de trás?

Sim. O código prevê que todos os ocupantes precisam usar o cinto de segurança. Ele somente é dispensável nos veículos que transportam pessoas em pé como ônibus e microônibus. A multa é de R$ 195,23, além do condutor perder cinco pontos na CNH.

Crianças menores de dez anos no banco da frente, pode?

Toda criança com até 10 anos de idade precisa ser transportada no banco traseiro, usando o cinto de segurança. Os pequenos com até 7,5 anos devem obrigatoriamente estar acomodado no dispositivo adequado.

O transporte de criança no banco dianteiro apenas se a quantidade de crianças for maior do que os assentos traseiros e quando os assentos traseiros só forem dotados, de fábrica, com cintos do tipo subabdominal, de dois pontos, porque nesse caso a cadeirinha não se fixa.

Há também uma execeção no caso das picapes, mas o motorista precisa verificar como fixar a cadeirinha ou bebê conforto no veículo. Nos modelos com airbag, por exemplo, não é possível montar a cadeirinha, pois o acionamento do airbag pode provocar lesões e até a morte.

O recomendado é desativar o airbag do passageiro nesses casos.

2 de 2
Criança em cadeirinha para carro (Foto: Shutterstock) — Foto: Auto Esporte

Criança em cadeirinha para carro (Foto: Shutterstock) — Foto: Auto Esporte

Se estou falando no celular no viva-voz, posso ser autuado?

De acordo com o Código de Trânsito Brasileiro, não é permitido usar o celular enquanto o veículo está em deslocamento, mesmo durante paradas temporárias (interrupção de marcha) em semáforos ou pedágios. No entanto, a lei não fala expressamente sobre o uso do viva-voz.

O Detran explica que usar o telefone ao mesmo tempo em que está dirigindo pode distrair o motorista e se o agente identificar que o condutor não está prestando atenção no trânsito, ele pode levar uma multa. “O aparelho só pode ser usado quando o veículo estiver estacionado. Enquanto o veículo estiver em deslocamento o celular pode ser utilizado somente na função GPS”.

Já o diretor do DSV afirma que é difícil aplicar multas para o uso do viva-voz. “Não tem como autuar se o motorista está com as duas mãos ao volante falando no viva voz, mas dirigindo e prestando a atenção”.

Falar ao celular enquanto dirige é uma infração média de R$ 130,16 e quatro pontos na CNH.

Para aqueles que manuseiam o aparelho e tiram uma das mãos do volante, a infração é gravíssima com multa de R$ 293,47 e o condutor perde sete pontos na carteira.

Após receber a notificação da penalidade da multa o condutor tem até 30 dias para recorrer. Se a infração for enviada pelo o Detran, o motorista deve acessar o site do órgão em seu estado, preencher um requerimento e anexá-lo aos documentos solicitados.

O recurso pode ser enviado pela internet, correio ou pessoalmente.

No caso das multas aplicadas pela prefeitura, o processo é semelhante, no entanto o condutor tem até 15 dias para recorrer e precisa verificar os documentos necessários no site da instituição e enviá-los pelo correio ou pessoalmente.

Os recursos em 1º instância são analisados pelo Jari (Junta Administrativa de Recursos de Infrações). Caso não sejam aceitos, pode-se recorrer a 2ª instância no Conselho Estadual de Trânsito.

Dúvidas Frequentes

A quanto equivale 1m³ de consumo de água?
Um metro cúbico equivale a 1.000(mil) litros de água.

Como tiro uma segunda via de minha conta?
A segunda via da conta pode ser emitida diretamente pelo site (www.saaesorocaba.com.br) na área da Agência Virtual.

Para isso o usuário deve estar munido de outra conta para informar o número da Matrícula-DV. A impressão também pode ser solicitada pessoalmente, no atendimento ao público do SAAE.

A emissão da segunda via feita online não tem qualquer custo e a segunda via emitida no atendimento ao público do SAAE possui cobrança conforme tabela de serviços vigentes.

Como incluir/excluir minha conta de água em débito automático?
O consumidor que deseja incluir/excluir sua conta em débito automático precisa dirigir-se ao banco (vide bancos conveniados) e solicitar/preencher formulário de autorização/exclusão de Débito em Conta para sua conta de água e esgoto.

A data de vencimento da fatura pode ser alterada?
Sim. Essa alteração pode ser feita pelo site (www.saaesorocaba.com.br) na área da Agência Virtual.

Leia também:  O Que É Maçonaria E Como Funciona?

Para isso o usuário deve estar munido de uma conta para informar o número da Matrícula-DV e o CPF (o cadastro deve estar atualizado junto ao SAAE) ou o cliente pode dirigir-se a uma de nossas agências de atendimento.

A mudança pode ser feita para os dias 05,10,15,20,25 e 30 de cada mês, exceto para as contas em débito automático ou com entrega em endereço diferente da ligação.

Paguei minha conta em duplicidade, o que devo fazer?
As restituições por pagamento duplicado são efetuadas automaticamente como crédito em contas futuras.

Quantos dias são necessários para realizar a leitura do consumo?
A leitura deve ser efetuada em intervalos entre 27 (vinte e sete) e 33 (trinta e três) dias.

Como faço para alterar o nome na minha conta de água?
Para mudança de nome na conta, o SAAE solicita que o novo proprietário/USUÁRIO compareça no atendimento ao público e traga além de um documento de identificação (RG e CPF), os seguintes documentos:
No caso de alteração de proprietário: Matrícula Atualizada, Escritura ou Contrato de Compra e Venda.

No caso de alteração para inquilino: Contrato de locação vigente.

Quantas contas vencidas são necessárias para haver o corte da ligação de água?
A partir de uma conta em atraso, desde que o imóvel seja notificado, com prazo de 30 dias de antecedência. Procure manter suas contas em dia e evite transtornos.

Quem define o valor da tarifa aplicada pelo SAAE?
Pelas disposições da Lei Federal nº. 11.445/2007, as tarifas são definidas pela entidade reguladora, neste caso a Agência Reguladora dos Serviços de Saneamento das Bacias dos Rios Piracicaba, Capivari e Jundiaí (ARES-PCJ).

Como é feito o cálculo do consumo?
A forma de cobrança do consumo de água/esgoto é em cascata, considerando a tarifa de cada faixa para determinar o valor final.

Cada faixa tem um valor diferente para o m³, que vai aumentando gradualmente, faixa a faixa. A exemplo da categoria residencial, o cliente que consumir entre 0 e 10m³ (1ª faixa) de água no mês, pagará a taxa mínima. Se ele consumir nas outras faixas, pagará o valor de cada faixa + o proporcional da faixa em que se encontrar seu consumo.

O SAAE fez o faturamento pela média de consumo. Isso está correto?
Sim.

Não sendo possível a realização da leitura em determinado período, em decorrência de anormalidade no hidrômetro, impedimento comprovado de acesso ao mesmo ou nos casos fortuitos e de força maior, o SAAE pode determinar o volume consumido com base na média aritmética dos consumos faturados nos últimos 6 (seis) meses (art. 94, §6º da Resolução ARES-PCJ nº. 50/2014).

Para que serve a caixa d’água?
A caixa d’água ou reservatório doméstico tem duas finalidades: Uma delas é “quebrar” a pressão da água que entra no seu imóvel, deixando-a adequada para seu uso mais econômico, evitando sobrecargas nas tubulações internas. A outra, como uma garantia de continuidade do abastecimento do imóvel quando das interrupções temporárias do fornecimento da água pelo SAAE, por motivos de reparos e manutenções das redes de distribuição.

Por que trocaram meu hidrômetro?
O hidrômetro é um aparelho que mede continuamente o volume de água consumido. Como qualquer outro equipamento mecânico, sofre desgaste e pode perder a exatidão na medição de acordo com as condições de conservação e com o tempo de uso.

Para garantir a leitura correta do consumo mensal de água, e combater o desperdício, o SAAE mantém um programa permanente de substituição e adequação de hidrômetros (medidores de água).

A substituição do hidrômetro antigo por um novo é totalmente gratuita e executada por uma equipe devidamente uniformizada e identificada com crachá, em imóveis com medidores em uso há mais de cinco anos.

Esta ação tem como referência a Portaria 246/00 do Instituto Nacional de Metrologia, Normalização e Qualidade Industrial – o INMETRO.

Os ponteiros do hidrômetro de meu imóvel não param de girar, mesmo fechando o registro do cavalete. O que eu faço?
Se mesmo fechando o registro do cavalete a água continua passando é indicio de que o registro (torneira que veda a passagem de água) não está funcionando corretamente. A melhor opção é solicitar a troca do registro.

Após a troca do registro, é aconselhável que o usuário procure um encanador de sua confiança, para sanar um possível vazamento interno.

Após fazer a troca do hidrômetro, o meu consumo pode aumentar?
Com o passar do tempo, as engrenagens do hidrômetro desgastam, fazendo com que a sensibilidade diminua, sendo necessária a troca.

Por isso, é possível que logo após a troca, ocorra uma elevação no consumo, devido ao equipamento ser novo e com sensibilidade adequada, registrando as reais vazões e, com isso, consumos ou vazamentos pequenos não registrados anteriormente.

Quais as principais causas que levam a população ao desperdício de água?
Além de consumo sem consciência, o desperdício pode ser causado por problemas de vazamento na tubulação interna, torneiras gotejando ou válvulas/caixas de descarga com defeito.

O que fazer quando se identifica um aumento injustificado do consumo em uma fatura?
O usuário deverá verificar suas instalações internas e se há vazamentos em seu imóvel. Se não encontrar nenhum vazamento, deve procurar uma agencia de atendimento presencial para esclarecimento de duvidas.

Em caso de vazamento interno localizado e sanado, o SAAE pode recalcular a minha conta?
Nos casos de vazamentos internos sanados, o usuário, munido de documentos originais comprobatórios de reparo do vazamento nas instalações do imóvel, tais como notas fiscais de serviços e materiais utilizados, recibo do encanador/pedreiro, fotos e demais documentos que julgar necessário para a comprovação, deve dirigir-se ao Atendimento Presencial do SAAE.
O prazo para o usuário requerer a revisão das contas por vazamentos internos sanados é de até 90 (noventa) dias após o vencimento original da fatura.

As contas do período mencionado acima poderão, após análise, ser recalculadas pela média de consumo anterior (em m³) acrescida de 25%.

Tenho fossa no meu imóvel e passa rede coletora de esgoto na frente, tenho que ligar meu esgoto na rede coletora de esgotos?
Sim. Quando existe rede coletora de esgotos, é obrigatória a ligação e a desativação do sistema de tratamento independente (fossa, filtro e sumidouro).

Sou obrigado a ligar meu imóvel à rede de água e esgoto da rua?
Nas localidades onde há rede de agua/esgoto disponíveis, de acordo com a Lei Federal do Saneamento (11.

445/07), a conexão à rede é obrigatória e dever do usuário. A coleta e o tratamento de esgotos são essenciais para o meio ambiente, para a saúde pública e para o bem estar de sua família.

Se o seu imóvel não estiver conectado à rede, solicite imediatamente sua ligação.

Água de chuva pode ir para a rede coletora de esgoto?
Não, a água de chuva e o esgoto devem ser separados. A água de chuva deve seguir para a galeria de águas pluviais ou, na inexistência desta, ser lançada na sarjeta na frente do imóvel.

Água do tanque, máquina de lavar ou pia pode ir para a galeria de águas pluviais?
Não. Toda água que sofra alteração pelo uso humano, industrial e comercial é considerada esgoto e deve ser destinada para a rede coletora de esgotos.

Se meu imóvel não tem cota (altura) para ligar o esgoto na rede coletora que passa na frente, o que devo fazer?
Verificar junto ao SAAE se existe rede coletora de esgotos instalada nas proximidades na qual seja possível fazer a ligação passando através de imóveis vizinhos. Se não existir rede coletora ou os vizinhos não autorizarem a passagem para que se efetue a devida ligação, deve-se implantar sistema de recalque (bombeamento) de esgoto. Recomenda-se orientação de profissional habilitado.

Pode haver mais de uma ligação de água e/ou esgoto no mesmo terreno?
No imóvel abastecido por um único ramal predial, com economias de uso distintas e/ou dependências comerciais isoladas, o SAAE poderá executar ligação de água e/ou esgoto independentes, desde que o interessado se adeque as especificações/padrões exigidos.

Posso beber água diretamente da torneira?
Sim. A água fornecida pelo SAAE Sorocaba passa por um rígido processo de tratamento e um rigoroso controle de qualidade. Para que a água das torneiras esteja em condições ideais para o consumo, é necessário que se faça a limpeza dos reservatórios de água domésticos a cada 6 (seis) meses.

Por que a água pode ficar branca? É excesso de cloro?
Não. Esse fenômeno ocorre quando há aumento de pressão na rede de distribuição, que reage com o oxigênio e outros gases naturalmente dissolvidos na água, formando microbolhas e gerando essa aparência “leitosa”.

Essa ocorrência é passageira. Para verificar, coloque a água num copo e observe que ela volta a ficar transparente em alguns segundos. Essa água poderá ser consumida normalmente.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*