Como Se Chama Uma Pessoa Que Critica Tudo?

Como Se Chama Uma Pessoa Que Critica Tudo?

Pessoas críticas demais são aquelas que não conseguem ver nada de positivo nas pessoas e nas coisas. Elas criticam todas atitudes com furor e são ainda mais rígidas quando se trata da opinião que elas tem delas mesmas.

Certamente isso faz muito mal para a pessoa que é assim, mas o pior é que afeta também quem convive com essa pessoa, que acaba absorvendo o negativismo e sofrendo uma onda de desânimo, baixa autoestima e daí para baixo – até uma possível depressão.

Devido à esta péssima influencia que podem ter no emocional de outras pessoas, quem é crítico demais também pode ser chamado por alguns de vampiro de energia – pois essa pessoa acaba “sugando” tudo que há de feliz no outro.

Como Se Chama Uma Pessoa Que Critica Tudo?
Veja também
Yoga e sexo: 7 posições para melhorar sua vida sexual

Imagine aquela pessoa que já é insegura ouvir alguém fazer uma crítica forte sobre ela? Isso desanima ainda mais quem já não está muito animado.

Para ajudar a diminuir os efeitos dessas pessoas nos outros, selecionamos oito sugestões de como lidar com pessoas críticas demais e assim você pode aprender a conviver com elas sem ser tão afetado por seus comentários.

1 – Não leve para o lado pessoal

Geralmente as pessoas que são críticas demais são assim com todos os outros com quem ela se relaciona. Por isso não há motivos para levar essas críticas para o lado pessoal. Se essa pessoa parece estar sempre te desencorajando e criticando ferrenhamente tudo que você diz, esteja certa de que ela também faz o mesmo com os outros.

Na dúvida, faça um teste. Tente presenciar uma conversa dessa pessoa com outra e observe se ela também é crítica demais nessa situação. Sendo assim, nada de levar esses comentários para o lado pessoal.

Como Se Chama Uma Pessoa Que Critica Tudo?
Veja também
Fetiche: entenda o que é e saiba se ele pode ser um problema

2 – Entenda as mensagens de forma objetiva

Para que o que você ouve deste tipo de pessoa não te faça mal, é preciso ouvir essas mensagens de forma objetiva sem tentar relacionar sentimento à elas. Em vez de reparar em como a pessoa está dizendo algo, preste atenção no que exatamente ela quer dizer.

Desta forma, em vez de ouvir e reagir, você ouve e capta a mensagem correta que a pessoa quis passar. Por exemplo, se uma amiga que é assim te responde que a sua roupa não está bonita ou combinando, isso não quer dizer necessariamente que ela está querendo te ofender dizendo que você não entende nada de moda.

Quando alguém fizer comentários extremamente secos e diretos, não veja isso como uma ofensa, mas entenda que essa é a forma que aquela pessoa usa para se comunicar e talvez até seja a única maneira que ela domine para se comunicar.

3 – Considere essa pessoa uma fonte de feedback verdadeiro

Em geral, pessoas críticas demais podem ser uma fonte de opinião sincera. Se não gostam de algo, certamente não vão esconder isso de quem quer que seja – mesmo sabendo que podem magoar alguém. Por isso, essas pessoas podem ser uma boa fonte de feedback verdadeiro.

4 – Descubra porque certos comentários te abalam

Quando algo te magoar, vá até a raiz do problema.

Se alguém criticou seu visual e você se ofendeu, será que foi realmente por causa do que a pessoa disse ou sua opinião própria sobre seu visual anda meio abalada? Descubra quais são seus pontos fracos – seu calcanhar de Aquiles – e invista na recuperação da imagem que você tem de si. Desta forma será mais fácil não ser atingida por esses comentários e críticas.

5 – Não peça opiniões se não estiver pronta para ouvir

Uma coisa é certa: se você pedir opinião à pessoas críticas demais, terá que ser forte para encarar a resposta. Caso você já esteja insegura quanto ao assunto, é melhor deixar para perguntar para outra pessoa. Porque um comentário negativo a respeito de algo que já está incerto pode causar um resultado desastroso.

6 – Não dê tanto valor às críticas

As pessoas costumam atribuir um grande valor à opinião alheia e quando isso se refere à opinião de pessoas próximas, o valor é ainda maior. Porém, quando se trata da opinião de pessoas próximas, mas que são críticas demais, essa atribuição de valor pode ter um sério impacto na sua vida.

Valorizar demais a opinião de pessoas excessivamente críticas pode te levar acreditar que você não tem nada de bom, que tudo no mundo é negativo e que você não deve investir em tentativa alguma – afinal o que essas pessoas mais fazem é desencorajar as idéias e vontades do outro.

Levando isso em consideração, mesmo que a pessoa seja alguém que você ame muito, procure não valorizar tanto a opinião dessa pessoa – especialmente a seu respeito. E invista em você mesma, acredite em você e deixe as críticas um pouco de lado.

7 – Seja bondosa com pessoas assim

Essas pessoas críticas demais não são assim porque ficam felizes em fazerem comentários negativos a respeito de tudo e todos, elas são assim por terem uma infelicidade tão grande dentro de si que acreditam ser impossível achar algo de bom no mundo.

E o fato de estarem sempre criticando tudo faz com que isso se torne uma bola de neve, porque quando mais ela se autocritica, mais ela destrói a imagem que tem de si.

E quanto mais ela critica os outros, mais ela destrói a esperança que o ser humano pode ter de ser feliz.

Em vista disso, podemos perceber que essas pessoas não precisam ser julgadas ainda mais, elas já se julgam em excesso e com muita rigidez. Elas precisam de carinho, afeto e precisam que os outros as mostrem que há coisas maravilhosas para serem descobertas a respeito da vida.

8 – Evite pessoas extremamente críticas

Se mesmo com todos esses conselhos você acha que ainda é muito afetada negativamente pelos comentários e críticas dessas pessoas, o ideal é ignora-los. Se você não consegue conviver com quem é crítico demais sem sofrer influencia do negativismo dessas pessoas, é melhor mesmo se afastar delas e evitar conversas com essas pessoas.

Como Se Chama Uma Pessoa Que Critica Tudo?
Veja também
Sapiossexual: saiba mais sobre a atração por inteligência

Mas, se você não pretende se afastar desse alguém porque ama ele ou ela, invista em atitudes positivas e encoraje uma visão mais positiva do mundo. Combata a crítica com elogios, isso pode “desarmar” a pessoa excessivamente crítica e ajuda-la a conviver melhor com outras pessoas.

O poder destrutivo da crítica: pratique o reforço positivo

Esse texto vai soar muito estranho vindo de uma cara como eu, afinal, sou um crítico inveterado. Porém, em algum ponto da minha vida, descobri que não existe tal coisa como “crítica construtiva”. As críticas têm um caráter destrutivo, poderoso e único.

Então, toda crítica, da maneira como conhecemos, é destrutiva. Troquemos a expressão “crítica construtiva” por outra que represente melhor o significado oculto do que, em teoria, se pretende; “ensinamento”, “questionamento” ou qualquer coisa que esteja de fato ligado à criação, construção.

Quem critica não quer ensinar ou construir nada, quer causar mal-estar alheio e alimentar seu próprio ego, pois o tom de uma crítica é sempre negativo, destrutivo. Caso contrário, não teríamos sempre que avisar ao outro que “faremos uma crítica construtiva”. É como dizer: “vou socar sua cara, vai doer, mas não fique bravo”.

Leitura recomendada: Caminhe suas palavras: um exemplo vale mais que mil delas

Sou crítico, detalhista. Mas, com o passar do tempo, estou mudando a forma como abordo as pessoas. “Críticas construtivas” se tornaram “questionamentos”, de forma que, no lugar de apontar uma suposta falha, eu questiono “como aquilo poderia ser feito de outra forma”.

Como Se Chama Uma Pessoa Que Critica Tudo?

E, quando estou emitindo uma opinião, deixo claro que se trata de minha opinião, nada mais. Quem a escuta tem o direito de gostar (ou não), mas, jamais, pode questionar uma opinião. É como gosto, cada um tem o seu.

As pessoas reagem melhor quando são levadas a repensar seus atos, através de um questionamento educador. As chamadas “devolutivas” são perguntas que “devolvemos” às pessoas após uma colocação ou atitude.

Por exemplo: fulano chega e reclama para você de um colega de trabalho. Em vez de criticar a atitude (ou ajudar a falar mal), você dá uma devolutiva: “você já pensou que ele pode estar passando por algum problema? Já tentou conversar com ele?”

É impressionante o poder de transformação das “devolutivas”, de forma que, com o passar do tempo, criamos o hábito de nos questionar antes de agir. Afinal, a maior transformação vem de nós mesmos, e que jeito melhor do que promover o uso da razão, no lugar de desmotivar o próximo?

Uma vez que o questionamento é aprendido, é importante lembrarmos do “reforço positivo”, ou, simplesmente, elogio.

Vivemos em uma sociedade viciada em criticar, cobrar resultados e punir quando eles não chegam. No entanto, elogios são raros, pois os acertos são vistos como “nada além da obrigação”.

E o que isso traz? Pessoas desmotivadas, que produzem só o necessário, afinal, qual o incentivo de ir além?

Leitura recomendada: 10 Características separam os chefes dos líderes (descubra em que lado você está)

Não tenha medo de elogiar um bom desempenho, ou mesmo recompensá-lo. Seja de seus liderados ou em sua casa, o reforço positivo tem um poder enorme de fazer as pessoas irem além do comum.

Grandes líderes e empresas já entenderam isso: pessoas precisam estar motivadas e reconhecimento é uma das armas mais poderosas para isso. Mesmo que o desempenho seja “apenas o esperado”, reconheça, elogie. Afinal, sabemos que, mesmo pessoas com desempenho mediano e regular, são difíceis de se encontrar. (A rima foi acidental).

Há uma frase, atribuída ao Prof. Mário Sérgio Cortella, que resume bem o que estou tentando dizer com tudo isso:  “Elogie em público e corrija em particular. Um líder corrige sem ofender e orienta sem humilhar.”

Não precisa ir muito além, precisa? Antes de terminar, vou falar também dos “críticos profissionais”. Milhares – ou milhões – de pessoas são influenciadas a não exercer seu direito de decidir o que gostam, pois há muitos idiotas com poder para persuadi-las.

Leia também:  Como Afastar As Pessoas Que Nos Querem Mal?

Como Se Chama Uma Pessoa Que Critica Tudo?

Nós jamais saberemos quão bom ou ruim é algo até experimentarmos; o melhor juiz para nossas vidas somos nós mesmos e o melhor juri, as experiências que vivemos. Para encerrar, transcreverei um trecho do texto irretocável de “Anton Ego“, personagem de Ratatouille da Pixar, sobre críticas:

“De certa forma, o trabalho de um crítico é fácil. Nos arriscamos pouco e temos prazer em avaliar com superioridade os que nos submetem seu trabalho e reputação.

Ganhamos fama com críticas negativas, que são divertidas de escrever e ler.

Mas a dura realidade que nós críticos devemos encarar é que, no quadro geral, a mais simples porcaria talvez seja mais significativa do que a nossa melhor crítica.”

Pronto para mudar o mindset, ser um líder ou familiar educador? Pronto para experimentar e formar suas próprias opiniões? É um desafio enorme, mas muito recompensador. Fica o meu convite para deixarmos juntos um legado de pessoas experimentadoras, motivadas e, por sua vez, educadoras. Espero você no próximo texto, até lá.

Vídeo recomendado: 5 Atitudes para criar relacionamentos melhores (e enriquecedores)

Como lidar com pessoas críticas demais no trabalho? 6 Dicas que podem ajudá-lo

Você já conheceu aquelas pessoas impossíveis de se agradar?  Elas detectam falhas em tudo, apontam nossos erros sem enxergar o que fizemos de bom e estão em todos os lugares. Podem ser nossos clientes, colaboradores, parceiros, gerentes e etc. Infelizmente, não tem como fugir, então, como lidar com pessoas críticas demais no trabalho? 

Ainda que algumas tentem ser construtivas, pessoas críticas demais tendem a menosprezar nosso esforço e dedicação, vendo tudo que fazemos ou propomos como algo ruim. Neste momento é natural ficarmos na defensiva, desanimados, tristes ou até mesmo ofendidos. Mas, se não aprendermos a lidar com esse tipo de pessoa, podemos  afetar, negativamente, nossas carreiras. 

Por isso, no artigo de hoje eu trouxe algumas dicas de como lidar com pessoas críticas em excesso no trabalho, para você colocar em prática e não deixar que opiniões destrutivas te desanimem! 

Porque alguns sentem a necessidade de criticar?

Uma pessoa muito crítica geralmente já foi muito criticada e conviveu com chefes ou colegas de trabalho que focavam em suas falhas, erros e, dificilmente, reconheciam seus acertos. E acredite, por mais que você sofra por conviver com pessoas assim, quem critica sofre tanto quanto quem é criticado.

Como dizia Freud: “Quando Pedro me fala de Paulo, sei mais de Pedro do que de Paulo” , ou seja, quando falamos de alguém estamos na verdade falando de nós mesmos, através de um mecanismo psicológico chamado projeção. O mecanismo tem esse nome porque, geralmente, projetamos no outro falhas que são nossas, ou seja, colocamos no outro emoções ou comportamentos que estão dentro de nós. 

Sabe quando aquele seu colega de trabalho diz que você não se comunica com ele, quando na verdade é ele que não se comunica com você? É assim que a projeção funciona e, por isso, alguns sentem mais necessidade de criticar que outros. 

Pessoas muito críticas têm dificuldade de reconhecer qualidades e acertos, se cobram demais e, por isso, cobram muito as pessoas também. São perfeccionistas e colocam o foco apenas no que está errado ou precisa de mudanças. Elas projetam toda a sua insatisfação no outro e encontram nas críticas uma maneira de aliviar a pressão. 

Esse é um comportamento, geralmente, inconsciente. Dessa forma, se você convive com alguém que age assim no ambiente de trabalho, a dica é aprender como lidar com pessoas críticas de forma mais impessoal e tentar ajudá-las a reconhecer e mudar essa atitude.

Como diferenciar uma crítica construtiva de uma destrutiva? 

Como eu disse, a maioria das pessoas não gostam de ser criticadas, então é natural nos colocarmos na defensiva neste momento. Mas, nem sempre uma crítica vem com o intuito de nos desmotivar, ela pode sim colaborar com a nossa melhora e crescimento como profissional. 

Dessa forma, vale a pena entender a diferença de uma crítica construtiva e uma destrutiva, para assim saber o que absorver ou não. 

Destrutiva 

As críticas destrutivas são aquelas feitas de maneira incorreta, indelicada ou passivo-agressiva, que não agrega e que contém acusações sem nenhum fundamento. Geralmente são feitas por pessoas sem habilidade para oferecer um feedback ou que não sabem lidar com os outros. Nesse caso, o problema está em quem faz e não em quem recebe. 

No ambiente de trabalho uma crítica destrutiva é aquela focada em pontos da personalidade e não contribui em nada para o seu crescimento pessoal ou profissional.

Servindo apenas para acabar com a motivação. Por exemplo, um gerente diz que para o colaborador que ele não sabe passar informações, pois sua comunicação é fraca devido a sua timidez.

Sem oferecer nenhum exemplo ou sugestão de melhora.

Construtiva 

A crítica construtiva, por sua vez, se caracteriza por apresentar o lado positivo de uma situação e alguns pontos que podem ser melhorados com o objetivo de alavancar o crescimento do outro.

Para entender melhor, vamos usar um exemplo: um gerente diz ao colaborador que ele consegue extrair informações valiosas do sistema, mas que ele precisa comunicá-las de uma forma melhor aos clientes para que todos possam ter essa mesma visão. 

Aqui a  intenção não foi julgá-lo ou puní-lo, mas sim ajudá-lo a mudar algo que pode prejudicá-lo futuramente. Em tom de conselho e ajuda. 

Entendeu a diferença? Enquanto uma é dita com o intuito de desmotivar e desencorajar a outra propõe uma melhorias. 

Como Se Chama Uma Pessoa Que Critica Tudo?

Como lidar com pessoas críticas? 

Agora que você entende o que leva uma pessoa a ser assim e sabe diferenciar uma crítica destrutiva de uma construtiva, está na hora de aprender como lidar com pessoas críticas no trabalho

Vamos as dicas:

1- Não leve para o lado pessoal

Difícil não é mesmo? Como separar o emocional do profissional? Afinal, pessoas criticas tendem a apontar seus erros, sejam eles quais forem. Mas, quando ouvir aquela pessoa critica falando algo sobre você, lembre-se que foi dessa maneira que ela aprendeu a se comunicar e se relacionar. 

Por isso, mesmo que a crítica não seja construtiva, saiba que, na maioria das vezes, ela não foi feita com a intenção de lhe ofender, mas sim de suprir uma necessidade interna dela própria e dividir a pressão com você.

E por mais que você saiba que essa pessoa não está certa, tente trabalhar a inteligência emocional e relevar. Apesar de tudo, sempre existem pontos positivos que podem ser explorados dessa opinião negativa.

 

2- Análise a crítica

Como eu disse, é difícil enxergar lado bom na crítica destrutiva, mas não se limite a pensar que a fala dessa pessoa crítica está realmente errada. Muitas vezes, a maneira na qual ela abordou o assunto não foi legal, porém, não é por isso que ela estará sempre errada. 

Observe se existe coerência no que foi dito e reflita de que forma as críticas estão atingindo você. Se você julgar que realmente existe possibilidade de melhorar, assuma sua responsabilidade e se disponha a mudar.

3- Reserve um tempo para falar sobre o problema

Para tentar entender o problema sob todos os ângulos é importante descobrir se o outro lado realmente tem razão. E a melhor maneira de fazer isso é reservando um tempo para discutir o problema. 

Afinal, a comunicação é fundamental em qualquer relacionamento interpessoal, não é? Então, alinhe uma reunião e faça perguntas para entender os motivos da crítica recebida e esteja pronto para ouvir sem se sentir culpado. 

4- Seja assertivo

Resolveu falar sobre o excesso de críticas? Então seja assertivo. Isso significa que você deve manter o respeito. Ou seja, você não deve culpar a pessoa nem a rebaixá-la. Ao invés disso, comunique-se de forma clara e específica e diga que as críticas dela não estão contribuindo para melhorar os resultados do time.

Por exemplo, seu colega crítica, regularmente, o tempo que você demora para atender um cliente, sem ao menos questionar os seus motivos. Nesse caso, você pode dizer a ele que, essa demora tem a ver com a alta demanda que você tem absorvido e que mesmo demorando todos os seus clientes são atendidos com excelência e têm seus problemas resolvidos. 

Não tenha medo de ser assertivo em casos de criticas sem fundamentos. 

5- Seja agradecido e humilde

Embora possa ser difícil, você precisa reconhecer a honestidade da pessoa e ser capaz de agradecer, mesmo que ela não esteja certa. Lembre-se de que fazer críticas costuma ser tão desconfortável quanto recebê-las; portanto, a conversa provavelmente também foi estranha para a outra pessoa.

O ego também pode levá-lo a reagir mal, especialmente a críticas mal feitas. Mas não se esqueça que ninguém é perfeito e provavelmente há alguma verdade no que foi dito, mesmo que seja doloroso. Seu ego tentará protegê-lo, descontando as críticas, não porque sejam imprecisas, mas por causa de uma entrega inadequada. 

6- Lembre-se que você vale a pena

Às vezes é difícil não internalizar as palavras duras que alguém diz sobre nós e nos repreender ainda mais. Neste momento tente  lembrar que nem tudo que as pessoas dizem a seu respeito é condizente com a sua real capacidade e dedicação.

Claro, talvez você possa melhorar em algumas áreas, afinal todos nós podemos, mas não deixe que isso apague do seu pensamento o quanto você tem conquistas e experiências que não podem ser tiradas ou esquecidas. 

Transforme a cultura de críticas em uma cultura de feedbacks

Uma cultura de feedback é criada por pessoas que entendem o poder da comunicação clara e regular dentro das empresas, bem diferente de uma cultura que valoriza ou cria pessoas críticas. 

Leia também:  Como Saber Qual O Meu Tarifario Yorn?

As empresas que dedicam recursos para estabelecer um ambiente em que os colaboradores aprendam a dar e receber feedback de forma adequada, geralmente têm uma taxa mais alta de engajamento dos funcionários e menos rotatividade. 

A criação de uma cultura de feedback não acontece acidentalmente. Requer prática e treinamento, principalmente para pessoas críticas, pois elas precisam aprender a enxergar qualidades e melhorias, já que o feedback reconhece a importância de ambos.

Uma cultura de feedback é importante porque fornece aos colaboradores informações regulares e consistentes sobre o desempenho de suas funções. Quando isso não acontece, eles provavelmente também não vão dar ao empregador nenhum feedback saudável.

Isso pode resultar em uma falsa sensação de que tudo está bem e que nenhuma melhoria é necessária. Até chegar ao auge do problema, quando uma simples crítica construtiva é recebida como destrutiva, magoando e desmotivando o colaborador ou parceiro.

 

Por isso, o feedback construtivo é um veículo importante para trazer esses problemas à tona e ensinar a essa pessoa crítica que ela também tem pontos a melhorar, seja qual for sua hierarquia. 

Gostou das dicas de como lidar com pessoas críticas

Espero que sim! Pois, o intuito era mostrar a você que lidar com pessoas críticas não é impossível e que pequenas ações podem te ajudar a tornar esse relacionamento menos conturbado. 

E lembre-se: tente ter empatia, saiba que a pessoa critica também sofre com essa atitude e se cobra tanto quanto cobra você e muitas vezes ela nem enxerga o quão rude ou desnecessária sua crítica foi.

Então, antes de se deixar levar pela raiva e pela vontade de revidar ou brigar, tente ser assertivo e dizer como aquilo te desmotivou.

E se ela tiver razão no que diz, absorva o que for construtivo e bola pra frente.

Se você tem uma outras dicas de como lidar com pessoas críticas demais no trabalho, deixe suas observações nos comentários! Sua ajuda será muito útil =) 

Lidando com criticas

 O crítico pode acreditar ser “sincero e verdadeiro”. O critico pode até sentir orgulho ao pensar que está ajudando as pessoas a serem “melhores” – pode considerar que sua idéias são únicas certas.

Para lidar a pessoa critica pode ser útil aprendermos assertividade. Precisamos estar de bem conosco mesmo para sermos assertivos e conseguirmos falar para o critico, de forma elegante e afirmativa, o quanto não aceitaremos que ele continue com esta postura.

Quando não conseguimos esta tranquilidade para nos posicionarmos de forma tranquila diante do critico podemos voltar o olhar para dentro de nós mesmos e procurar o porque disso? O que está te travando? Há algum aprendizado recebido em sua formação que faz com que tenha medo das pessoas?

Como Se Chama Uma Pessoa Que Critica Tudo?E quando a critica nem é tão pesada mas ainda não conseguimos lidar com ela?

Uma pessoa sensível à criticas pode já ter sido muito criticada, e este tornou-se um assunto delicado, também pode ser característica natural desta pessoa.

Existe critica positiva?

É possível que exista algumas pessoas façam criticas para ajudar o outro, em alguns casos isso pode ser verdade, mas quem cresceu ouvindo… “Olha o Joãozinho. Como ele faz tudo direitinho.

Porque você não pode ser como ele”. Isso é comparação, e comparação também é uma forma de critica.

Quem já foi muito comparado com os outros guarda este estresse e acaba explodindo, mesmo quando recebe uma crítica que poderia ser construtiva.

Existem criticas bem intencionadas, a gente não pode negar. Mas também existem pessoas que criticam só para mostrarem o quanto elas se acham melhores , elas se acham superiores.

O que fazer com os críticos?

Não é só na infância que a gente depara com pessoas que dizem coisas do tipo “não me responda, porque sim e pronto”. No trabalho é muito comum aparecer pessoas com essa postura. Muitos chefes autoritários trabalham desta forma, quer a gente goste ou não, eles existem.

Em primeiro lugar você pode aprender a questionar seus críticos. Questionar para você mesmo, fazer uma nova conversa interna, não cair em bate boca, mas fazer a sua análise. Pra isso tem umas perguntinhas que te ajudam muito:

Autoanálise para se entender com os críticos

“Quem disse?”. Quem disse que você é mal vestida? Será algum profundo conhecedor de moda? Se for agradeça a dica, mas se não for despreze a dica, ou melhor, despreze a critica, porque dica que vem de quem não entende nada do assunto não é dica, é critica.

Outra pergunta que te ajuda é: “Quantos dizem isso?” Sua amiga disse que você está encalhada porque ainda não casou, mas é só ela que diz isso, quem mais diz? Muitas vezes a pessoa responde “Todo mundo pensa assim” E todo mundo é uma figura muito interessante.

Quem é todo mundo? quantos fazem parte deste “Todo mundo”? Muitas vezes você investiga e descobre que é apenas um, ou dois. Um ou dois não são “Todo mundo”.

“Todo mundo diz que mulher que não casou até 30 anos é encalhada” Será que você deve dar crédito a esse todo mundo? Eu acho que não.

Por quê? Porque tem um outro todo mundo que também diz que hoje as mulheres estão mais independentes, mais dedicadas vida profissional, as mulheres estão mais esclarecidas, e não casam mais com o primeiro namorado, porque elas sabem o que querem. E são muito mais felizes assim.

Agende sua consulta >> Ligue no (11) 3262-0621 ou clique aqui

Críticos aproveitadores

Existem os críticos que se aproveitam da sensibilidade do outro. Ex: Você provavelmente aprendeu que tem a obrigação de ser uma ótima mãe. Mas tem muito filho que usa desse expediente para sugerir que você será uma péssima mãe se não der um carro para ele aos 17 anos. Será uma péssima mãe se não comprar aquela bicicleta caríssima que você não pode pagar. Esse é o critico aproveitador.

Em geral seu pior critico é você mesmo. Você pode pensar “Eu não sou uma pessoa interessante, ele gosta de mim? Humm, deve ter alguma coisa errada com ele”. Pense em todas as pessoas que depois de querer muito uma coisa. Um emprego ou uma paquera.

Depois que consegue passa a achar que o emprego ou a paquera não é tão bom assim “Essa moça está interessada em mim. Não pode ser. Deve ter alguma coisa errada com ela”. Isso é seu critico interno te desmerecendo. “Essa empresa me escolheu…

hii deve ser uma empresa meia boca”

Por exemplo, a Rosa não se acha muito bonita, seu critico interno é tão cruel com ela que faz ela se trancar em casa. Ela anula todas as outras coisas boas que ela possa ter, seu senso de humor, seu interesse pelas coisas, sua inteligência. Tudo isso vira fumaça porque ela só vê uma coisa nela, ela não se acha bonita.

Quem disse que beleza é o mais importante? E mais, quem disse que ela realmente não é bonita? É possível que seu critico interno seja tão poderoso que ela não veja quem realmente ela é pode ter aí uma mulher muito interessante que não se vê como realmente é porque é tão critica com ela mesma que fica cega para o que é obvio.

Pessoas que tem dificuldade em lidar com critica tende a imaginar criticas que nem foram feitas . Tem gente que foge de situações porque imagina que vai ser criticado.

Ex: Quando você vê um conhecido lá na esquina, foge dele porque imagina que ele vai fazer perguntas que você não está a fim de responder, você acha que ele vai perguntar sobre seu trabalho mas você está desempregado. Você acha que ele vai perguntar sobre a família mas você já se separou.

Você acha que ele vai te perguntar sobre a escola mas suas notas estão péssimas. E por aí vai. Você foge da pessoa porque imagina que essas perguntas são criticas. Você acha que a pessoa quer esfregar na sua cara que ele tem emprego, ele tem família e você não.

Agora, pra começar a conversa: Você tanto pode estar certo como pode estar errado. Se estiver certo, se a pessoa quer mesmo é te criticar, então você já percebeu que não precisa responder tudo o que o outro está de interrogando. Você tem saída! Você só não sabe que tem, mas tem sim! Você tem o direito de não responder nada.

Mas pense bem. por outro lado a pessoa pode só te fazer perguntas para puxar assunto é a forma que a gente aprendeu a se relacionar com os outros, fazendo perguntas, pode não ter nada de maldade naquela pessoa e você está aí sofrendo e fugindo dele sem a menor necessidade.

É importante que você aprenda a lidar tanto dos críticos externos como desse seu critico interno. Que pode ser o mais feroz, o critico interno, que é você mesmo.

Quem critica demais o outro, no fundo, está muito mal consigo mesmo!

Existem pessoas maravilhosas por aí, e eu estou a aprender a deixá-las entrar na minha vida. Aquilo que sou, os outros refletem no que são para mim.

A qualidade das nossas conversas é o espelho perfeito daquilo que dizemos a nós mesmos, mesmo sem palavras envolvidas. Quando alguém diz: “és feio” a alguém, provavelmente tem esse pensamento treinado em relação a si mesmo, mesmo que seja bem no fundo do iceberg da sua consciência.

Quer seja diretamente ou indiretamente, aquilo que falamos das pessoas revela exatamente aquilo que achamos de nós. Porque o que sentimos, refletimos nas ações da nossa vida.

Então imaginem aquelas pessoas que falam mal dos outros o tempo todo!

Não importa o que essas pessoas que estão a ser mal faladas façam, elas nunca vão agradar a quem as critica. O defeito é de quem fala, e não de quem é falado. Este defeito chama-se emoção negativa.

Leia também:  Como Dizer A Familia Que Estou Gravida?

O erro da pessoa que fala mal é a emoção negativa. É uma necessidade urgente dela se voltar a si mesma, se olhar ao espelho e se ver de fora. Perguntar-se: “o que é que eu posso melhorar em mim?” A resposta é: tens de te sentir melhor.

Ao te sentires melhor contigo mesmo, vais automaticamente sentir-te melhor acerca de tudo. De repente, aquela pessoa não incomoda tanto. Aquele trabalho já não é tão difícil. Aquela notícia já não causa tanto transtorno.

Porque é um trabalho interno! Mas nós fomos tão programados a falar mal de tudo e de todos, que é compreensível que as pessoas julguem tanto umas às outras, nem que seja simplesmente pela cor da camiseta que o outro está a usar!

Vamos acabar com as brigas.

Se tu dizes mal de alguma coisa, estás mal contigo, ponto.

Na minha experiência, o bullying que sofri nos tempos de escola fez-me ver que aquelas pessoas não eram mesquinhas, mas que lhes faltava amor próprio. Não as culpo, agradeço porque me fizeram ver a verdade sobre toda a gente.

  • Uma pessoa que se ama, que pensa nela própria e sente: “sou uma pessoa espetacular”, é a que fala bem de todas as pessoas, e que escolhe não falar mal, porque não faz sentido na cabeça dela.
  • Pode não ser perfeito, mas na vida vamos aprendendo a amar-nos mais e mais, e aqueles que alcançam um nível de amor próprio tão elevado que os outros não podem não notar, surpreendem com a sua atitude positiva para com TODAS as pessoas.
  • Quando se fala daqueles que são arrogantes porque gostam demasiado deles mesmos, que passam por cima dos outros e se acham superiores, não se enganem.

Isso é mentira! Alguém que ama a si próprio jamais trata os outros como inferiores. O amor gera mais amor, quer seja vindo de nós, quer seja vindo dos outros.

Vamos praticar elogiarmo-nos com sinceridade. Vamos falar muito bem de nós! Quanto mais o fizermos, mais teremos vontade de fazer.

Ainda mais importante que isso, vamos aprender a falar bem dos outros. Muito mais. Substituir maldizer por bem-dizer é plantar um jardim de positividade na nossa vida. Quanto mais agradeceres e elogiares, seja o que for, seja quem for, mais vais ter vontade de o fazer, e mais irás irradiar aquela luz própria que tanto te intrigava nas pessoas floridas.

Críticas mexem com a gente: saiba filtrar o que faz bem e o que só machuca

Você sai do sério, fica para baixo ou agradece quando alguém te avalia? Não dá para negar que as críticas que recebemos de chefes, professores, parentes, amigos ou mesmo de desconhecidos mexem com a gente.

Em tempos de redes sociais, é ainda mais complicado lidar com a enxurrada de palpites sobre as nossas vidas. “Muitas pessoas ficam incomodadas com as críticas porque logo pensam numa característica negativa.

E também não se sentem confortáveis quando alguém avalia o que elas fizeram ou expressaram”, afirma Delba Teixeira Rodrigues Barros, professora de psicologia da UFMG (Universidade Federal de Minas Gerais).

Muitos desses comentários têm como finalidade desafiar as nossas convicções ou nos ferir. Mas nem sempre são feitos com essa intenção. “Diante de uma crítica, algumas pessoas podem se assustar, ter medo e, às vezes, até uma reação de negação ou agressão.

Isso acontece com quem teve uma história em que as críticas sempre foram associadas a censuras, punições e ameaças”, diz Paola Esposito de Moraes Almeida, professora de psicologia da PUC-SP (Pontifícia Universidade Católica de São Paulo).

É por isso que tanta gente se defende antes mesmo de terminar de ouvir o que o outro tem a dizer.

Diferente de quem foi criado num ambiente onde esses comentários eram feitos com o objetivo de oferecer uma ajuda depois ou proporcionar algum tipo de aprendizado.

Pessoas que sempre viveram num ambiente acolhedor, em vez de se ofender, aceitam com mais facilidade as críticas construtivas.

E elas não deveriam ser jogadas fora por nenhum de nós, pois nos ajudam a repensar situações, trazem uma luz para algo que não conseguimos ver sozinhos, apontam os aspectos da nossa vida que podemos melhorar, mostram soluções e oportunidades.

A fase mais delicada para lidar com a opinião que os outros têm sobre nós é a adolescência. “É quando os jovens estão reformulando o autoconceito, como se colocam no mundo.

As questões da autoestima são muito sensíveis na fase do desenvolvimento, pois a pessoa ainda não se constituiu com uma percepção de si”, ressalta Barros. Pode vir daí a aversão que muitas pessoas desenvolvem em relação às críticas.

Se esse é o seu caso, saiba que é possível aprender a conviver com elas de um jeito mais leve. Confira algumas dicas:

Saiba diferenciar

Em alguns casos, fazer essa distinção é como separar o joio do trigo. É verdade que existem as críticas maldosas que são endereçadas a nós com o objetivo claro de nos atingir. Mas há quem não tenha a consciência de que o que está falando é destrutivo.

A pessoa quer ajudar, mas não consegue usar nem as palavras certas nem um tom de voz acolhedor. E acaba nos machucando sem ter intenção.

Já os feedbacks positivos vêm de quem se importa com a gente, de quem quer nos ver crescer ou sair de um caminho que pode levar à frustração e ao sofrimento.

Um bom exemplo são os professores que exigem de nós porque sabem do nosso potencial para aprender mais e mais.

Não se deixe afetar por elas

Uma forma de não receber críticas infundadas ou mal-intencionadas é cortá-las pela raiz. Em outras palavras, se não estamos interessados em ouvir aquela opinião, devemos falar isso de maneira educada.

O que nem sempre será possível, como quando a avaliação vem de um chefe.

Nesse caso, devemos ouvir tudo o que a pessoa tem a dizer, refletir se ela não está descontando um problema pessoal em nós e questionar se o que foi falado faz sentido.

“Por que temos que assumir a crítica do outro como verdadeira? Ela deve apontar uma direção, mas cabe a nós olhar para essa direção e julgar se aquilo procede”, ensina Almeida. Muitas vezes, conversar com alguém que está fora da situação nos ajuda a entender o que de fato aconteceu.

Opinião alheia não é mais importante que a sua

As avaliações sociais costumam ser implacáveis e quem é sensível ou inseguro sofre mais com elas. Uma pessoa com esse perfil tende a achar que se, por exemplo, alguém não elogia a comida que ela fez é porque não gosta dela ou a reprova em tudo.

“Por ouvir na totalidade, o impacto da crítica acaba sendo na totalidade do indivíduo e na percepção que ele tem de si. Geralmente são pessoas cuja autoimagem está muito e profundamente ligada ao que o outro pensa, vê e fala sobre elas”, observa Barros.

Uma dica para não se afetar tanto com uma crítica é avaliar se ela partiu de alguém importante para você, que realmente te conhece e tem algo a acrescentar na sua vida. Vale também se questionar por que considera tanto a opinião alheia e fazer uma autoanálise do seu valor e desempenho nas várias áreas da vida.

Seja flexível consigo mesmo

Às vezes o seu maior crítico é você mesmo.

Esse é um comportamento comum em quem foi muito repreendido pelos erros que cometeu no decorrer da vida, ou presenciou outras pessoas sendo duramente criticadas quando falharam.

Essa baixa tolerância em relação aos próprios erros é nociva porque leva a pessoa a acreditar que precisa ser perfeita em tudo o que faz. E acaba vivendo numa eterna autovigilância.

Para não se cobrar tanto, lembre que os erros podem ser pontes para importantes aprendizados. E conte com a ajuda de pessoas próximas, que podem te ajudar a enxergar que você está sendo severo demais consigo mesmo.

Tome cuidado com quem critica demais

Ao longo da vida, nos deparamos com pessoas que sempre encontram um motivo para nos alfinetar ou chamar a nossa atenção. Elas fazem isso o tempo todo como se fosse um vício, e muitas vezes nem se dão conta.

Se alguém do seu convívio age assim, procure uma forma de mostrar o que ele está fazendo e o quanto isso é desgastante para você.

Procure reagir às críticas como as pessoas seguras que não se deixam abater por elas, principalmente quando são desnecessárias.

Descarte as opiniões gratuitas

Como nem sempre conseguimos impedir as pessoas de falarem o que nos faz mal, um jeito de não sairmos machucados é estabelecer critérios sobre o que vale a pena levar em consideração. “A gente não se acostumou a fazer críticas pertinentes quando solicitados.

Achamos que temos que emitir opinião sobre tudo, mesmo quando não nos perguntaram. E as pessoas que ouvem também não têm esse filtro para dizer que aquela crítica não interessa”, lembra Barros.

Ter esse filtro é importante porque ele nos permite aproveitar o que é bom e rejeitar o que é ruim.

Não dê o troco na mesma moeda

Revidar a um ataque pessoal nunca é uma boa ideia, especialmente quando ele é feito por uma pessoa que pode ter uma reação violenta. É o que acontece quando ouvimos uma frase atravessada de um motorista no trânsito. Nesses momentos, o mais sensato é ouvir o que está sendo dito e sair de perto.

Até porque não vale a pena se desgastar com alguém que não veremos mais. O mesmo vale para pessoas com as quais convivemos. “É importante dar um tempo para que as coisas ocupem os seus lugares. Depois podemos reagir com mais propriedade”, recomenda Barros.

Responder à altura pode provocar uma discussão e sobrar mágoas para os dois lados, além de ser mais difícil apaziguar os ânimos. O silêncio e a reflexão às vezes são os melhores conselheiros.

Podcasts do UOL

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*