Como Se Chama Os Profissionais Que Se Dedicam À Exploração Florestal?

Para o estudante obter sucesso na escolha de uma profissão de Engenharia Florestal é necessário conhecer bem o curso, a carreira e como anda o mercado de trabalho. A Natureza anda apanhando muito dos homens, e muitas florestas entraram em situação de risco.

Se você se interessa pelas matérias de exatas e biológicas, e tem vocação para a vida no campo ou nas indústrias, fazer o curso de graduação em Engenharia Florestal pode ser uma opção. Mas antes, conheça melhor e avalie bem se você realmente se identifica com a profissão.

Antes de tudo, é preciso saber que Engenharia Florestal não é a mesma coisa que Engenharia Ambiental. Apesar de ambas colaborarem para a preservação da natureza e de recursos, essas duas engenharias são bem diferentes.

Os engenheiros ambientais se dedicam ao controle de resíduos depositados pelo homem na natureza e à recuperação de solos e áreas degradadas. Enquanto que a Engenharia Florestal atua na exploração sustentável de florestas.

Como Se Chama Os Profissionais Que Se Dedicam À Exploração Florestal?

QUEM É O ENGENHEIRO FLORESTAL?

O engenheiro florestal é o profissional que estuda os recursos da floresta com o objetivo de elaborar projetos de exploração sustentáveis e de reflorestamento.

É ele quem avalia as melhores formas de aproveitamento dos recursos, garantindo a preservação das florestas e dos ecossistemas. Geralmente, o trabalho do engenheiro florestal está ligado à prática junto às florestas, exigindo o contato direto com a natureza.

MERCADO DE TRABALHO

Dentre os locais onde o engenheiro florestal pode atuar estão os órgãos ambientais, indústrias ligadas à extração da madeira e celulose, empresas de consultoria ou organizações de desenvolvimento sustentável.

Com o aumento da consciência das pessoas sobre a preservação do meio ambiente, que se deve principalmente ao aquecimento global, a solução de muitos problemas tem sido ligada à engenharia florestal.

A fiscalização mais efetiva e a revisão do Código Florestal também fazem com que este tipo de profissional seja cada vez mais requisitado. A média salarial de um engenheiro florestal em início de carreira varia de R$ 3 mil a R$ 4 mil.

Veja como é o curso e a carreira de Engenharia Florestal com este vídeo produzido pela Universidade Federal de Goiás – UFG. É rapidinho, e você logo percebe se é para a sua praia ou não.

O PROFISSIONAL FORMADO EM ENGENHARIA FLORESTAL

A carreira de engenharia florestal oferece ao profissional formado algumas opções de caminhos a serem seguidos. Entre as diversas possibilidades, o profissional pode trabalhar com:

  1. pesquisa e desenvolvimento de tecnologias para a extração de recursos florestais, como madeiras, óleos e resinas;
  2. administração de reservas e parque, buscando preservar os recursos naturais presentes;
  3. recuperação de florestas e áreas degradadas; gerenciamento de unidades de conservação; educação ambiental, incentivando a preservação da biodiversidade dos ecossistemas; e,
  4. planejamento e execução de projetos de reflorestamento.

Dicas do Blog do Enem para você mandar bem no Enem!

Dica 1: Quer uma boa nota na redação do Enem? Entenda a importância de fazer rascunho: http://blogdoenem.com.br/redacao-enem-importante-rascunho/

Dica 2: Saia na frente nas provas de Biologia com a revisão sobre esquistossomose: http://blogdoenem.com.br/enem-2013-esquistossomose/

Dica 3: O Blog do Enem te ajuda a garantir uma vaga na universidade com diversas apostilas gratuitas. Confira: https://blogdoenem.com.br/apostilas-gratis/

Dica 4: Saiba quais são os cursos mais concorridos e as notas de corte com os resultados do Sisu 2015:https://blogdoenem.com.br/resultado-sisu-2015/

Daniela Yumi é formada em Comunicação Social pela Universidade de São Paulo. Como todo mundo, teve muitas dúvidas na escolha da profissão. Atualmente, trabalha como redatora freelancer. LinkedIn:br.linkedin.com/daniela-yumi-fujiwara/58/424/a38/pt

como se chamam os profissionais que se dedicam à exploração florestal? heeelllpppp 🙂 – Brainly.com.br

1-Indique os métodos adequados para separar os camponentes de cada umas das misturasA)Água e salB)Água e gasolinaC) Grãos de feijão e grãos de milhoD)

Limanha de ferro e palha2-A evaporação é um método de separação de misturas utilizado para se recuperar o camponente sólido de uma mistura de sólido e líquido por meio de evaporação do solvente (aquecer a mistura para água para estado gasoso) Marque a alternativa compatível com o tipo de mistura que pode-se utilizar esse métodoA) Água e salB)Água e gasolinaC)água e álcoolD)Água e shampoo3-Cite quatro exemplos de misturas homogêneas e heterogêneas:____________________​

3) Leia o texto sobre uma breve história do Brasil e responda as questões abaixo:Diferentemente dos intrusivos paulistas, os criadores de gado nordest

inos adentraramaniam-asmansamente. Faziam-no, aliás, desde a montagem dos primeiros engenhos.

Em 1549, com aO sertão, significando na época as terras apartadas do litoral, era o palco dessa nova ocupação. Avida ali não era fácil. O cotidiano desenrolava-se sob o sol causticante e solo árido.

De agostoradezembro, a falta d'água era tanta que muitas pessoas quase não tinham o que beber. Junto coma seca vinham as crises de abastecimento. Quase nada florescia, nem crescia.1. Qual é o principal assunto tratado no texto acima?2.

De acordo com o texto, qual era o principal objetivo da ocupação das terás do interior3.Explique como eram as condições de vida das pessoas que Vivian na colônia​

 Wanda Horta adaptou sua teoria, das Necessidades Humanas Básicas, à teoria de Abraham Maslow, o precursor da mesma, onde centraliza cinco níveis dist

intos e hierárquicos que o ser humano necessita para sobrevivência. Entretanto, quais são as necessidades básicas do ser humano considerando a pirâmide?​

Explique o que foi o estado novo e quais eram suas principais características?02.Explique as principais propostas políticas vigentes na década de 1930

e o que ocorreu com elas durante o Estado Novo (1937- 1945). 03.Pesquise o que foi a frente negra brasileira e que proposta os seus membros defendiam? 04.

Explique os elementos que garantiram a recuperação econômica dos Estados Unidos nas décadas de 1930 e 1940, destacando:a) como o governo interferiu na economia;b) a contradição entre essa intervenção e os pressupostos liberais. 05.Explique o contexto de divisão da Alemanha e sua relação com a Guerra Fria.06.

Mesmo eu pagando bem não é que compare os governos de Stalin e Kruchev, mostrando:a) o que mudou;b) o que permaneceu.07. Explique as propostas dos pan-africanistas. 08. O que era o Socialismo africano e quais eram as ideias dos seus seguidores? 09.O que foi o apartheid e que fatores contribuíram para seu fim?10. Leia o texto a seguir.

Angola Moçambique e BrasilConforme estudamos neste capítulo, dois países africanos colonizados pelos portugueses conquistaram a Independência na década de 1970: Angola e Moçambique. Os habitantes desses países têm muitas ligações com os brasileiros.

a) Pesquise em enciclopédias ,livros ou internet as seguintes informações sobre esses países:- idiomas oficiais;-religiões predominantes e suas caraterísticas ;-ritmos musicais mais apreciados pela população;- pratos típicos;- festas e tradições.​

Estabeleça comparações entre o documento acima e as características inerentes ao movimento do Cangaço liderado por Virgulino Ferreira (Lampião

Como se deu o processo de licitação para a escolha da empresa responsável pela exploração do manganês no Amapá? Por que a ICOMI foi escolhida nesse pr

ocesso?​

Uvodserve a imagem acima e explique com suas palavras essa Moral da historie​

Identifique o ser vivo descrito abaixo: Sou unicelular e não tenho núcleo, meu DNA está espalhado pelo citoplasma. Posso ter a forma de bacilos, cocos

ou vibriões, entre outras. Na cadeia alimentar, sou decompositor​

1º) Os dançarinos ainda se apropriam das bases de movimentos do balé clássico,mas já experimentam criar movimentos próprios e dançam sem sapatilhas. *

Leia também:  Como Saber Que Ovo Esta Estragado?

a- Na dança modernab- Na dança contemporâneac- Na dança da pré- históriad- na dança antiga​

Qual é a definição de Iluminismo de acordo com o filósofo alemão Immanuel Kant?
A) Kant definiu o iluminismo como o uso da religião para explicar os

fenômenos da natureza.

B) Kant definiu o Iluminismo como um processo de “esclarecimento”, a partir do qual o ser humano sairia de sua “menoridade” graças ao uso da razão e ao exercício da liberdade de pensamento.

C) Para Kant o iluminismo foi um movimento ilusório em que os filósofos defendiam o uso do conhecimento como fonte de inspiração.
D) O iluminismo nada mais é que uns simples aglomerados de ideias oportunistas.

Conheça a profissão Silvicultura

Saiba o que faz o profissional de Silvicultura e veja qual faculdade estudar para seguir uma carreira na área.

As ações de conservação ambiental estão longe de ser uma moda ou tendência passageira. Hoje, sabemos que a exploração de recursos naturais só é viável no longo prazo se estiver associada a políticas de sustentabilidade. 

Por isso, é crescente a valorização de profissionais especializados na área de meio ambiente. Entre os cursos superiores mais conhecidos do setor estão os de Engenharia Ambiental, Engenharia Florestal, Ecologia e Gestão Ambiental. 

Outras formações são mais recentes e especializadas, como é o caso da graduação em Silvicultura. Quer saber mais sobre essa área e profissão? Confira os detalhes abaixo.

O que é Silvicultura?

Silvicultura é a ciência e a área de atuação voltadas ao aproveitamento racional e à manutenção de florestas, com o objetivo de atender a interesses sociais, de preservação, científicos e econômicos.

O profissional da área cuida da conservação de florestas e do cultivo de espécies florestais para uso industrial, comercial ou científico. 

Quais as atividades do profissional de Silvicultura?

Veja algumas das atividades exercidas pelo profissional da área de Silvicultura:

  • Cuidar do desenvolvimento de mudas e do plantio de árvores de emprego industrial, como eucalipto, pinus e madeiras de lei (tipos de madeira mais resistentes e aptos para uso industrial e comercial).
  • Planejar e gerenciar a preparação do solo dessas áreas de cultivo, calculando a quantidade necessária de água e adubo e selecionando o equipamento mais adequado para o trabalho.
  • Avaliar a situação de áreas florestais degradadas e definir a melhor estratégia de recuperação.
  • Planejar e executar o controle de pragas.
  • Cuidar da manutenção de vegetação para a conservação de bacias hidrográficas (regiões de escoamento de um rio principal e seus afluentes). 
  • Conduzir estudos de impacto ambiental, com o objetivo de atender a objetivos de conservação e à legislação do setor.
  • Elaborar, quando necessário, planos de retirada e replantio de vegetação. 

Onde trabalha o profissional de Silvicultura?

Conheça os principais setores que empregam profissionais com formação em Silvicultura:

  • Órgãos do governo que realizam atividades de planejamento, manejo e fiscalização ambiental.
  • Parques e unidades de conservação.
  • Empresas de setores de base florestal, como indústrias produtoras de papel.
  • Organizações do terceiro setor (ONGs).
  • Empresas do setor de mineração.
  • Universidades e instituições de educação e pesquisa voltadas à área de meio ambiente.
  • Empresas de consultoria e assessoria ambiental.

Quanto ganha o profissional de Silvicultura?

De acordo com dados do Site Nacional de Empregos (SINE), o salário inicial dos profissionais com formação superior em Silvicultura varia entre R$ 2.000 e R$ 5.000. 

Os profissionais mais experientes (10 anos ou mais na área) costumam receber entre R$ 5.000 e R$ 8.000 mensais, dependendo do porte da empresa.

Como é o curso superior de Silvicultura?

O curso superior de Silvicultura é oferecido em grau tecnológico, com duração típica de 3 anos (6 semestres). Ele é mais especializado, rápido e enxuto do que graduações tradicionais da área, como os bacharelados em Engenharia Florestal e Agronomia. 

O curso de Silvicultura tem as Ciências Biológicas como base, mas os alunos também estudam legislação (Código Florestal e outras normas do setor), gestão e cálculo. Aqui está uma lista das principais disciplinas:

  • Biologia Celular
  • Botânica
  • Bioquímica
  • Cálculo
  • Fundamentos de Administração
  • Segurança do Trabalho
  • Anatomia de Plantas Nativas e Cultivadas
  • Ecologia Florestal
  • Estatística
  • Física
  • Fisiologia Vegetal
  • Ciência do Solo
  • Climatologia
  • Genética e Melhoramento Florestal
  • Geoprocessamento
  • Biotecnologia Vegetal
  • Gestão Florestal
  • Manejo de Bacias Hidrográficas
  • Economia de Recursos Florestais
  • Manejo de Pragas e Doenças

Onde estudar Silvicultura?

Ainda são poucas as instituições de ensino que oferecem a graduação tecnológica em Silvicultura. De acordo com o portal e-MEC, do governo federal, apenas duas instituições brasileiras estão habilitadas a oferecer o curso:

  • Faculdade de Tecnologia (Fatec) de Capão Bonito (SP) – pública
  • Faculdade da Região Serrana (Farese), em Santa Maria de Jetibá (ES) – privada

Outras opções de curso para trabalhar com Silvicultura

As atividades de manejo e conservação florestal não são exclusivas no tecnólogo em Silvicultura. A maioria dos profissionais do setor, aliás, tem formação em outras graduações da área de meio ambiente ? como Engenharia Ambiental, Ciências Biológicas, Gestão Ambiental e Agronomia.

Para quem busca um curso mais rápido e com foco nas necessidades do mercado de trabalho, uma ótima opção é a graduação tecnológica em Gestão Ambiental, com duração de 2 a 3 anos e disponível nas modalidades presencial e EAD (a distância). Entre as instituições que oferecem o curso estão a Fatec, a Cruzeiro do Sul Virtual e a UNOPAR.

O curso é dividido entre um ciclo básico de disciplinas ? voltado para a base teórica de conceitos como preservação da natureza, saúde, desenvolvimento e inovação ? e um ciclo profissionalizante, que aborda estudos ambientais, consultoria, planejamento em gestão ambiental e outros temas específicos.

Já uma das formações mais abrangentes e procuradas na área é a graduação em Engenharia Ambiental, com duração de 5 anos (10 semestres). Entre as vantagens desse curso, está o leque mais extenso de possibilidades de atuação.

O curso de Engenharia Ambiental é oferecido por diversas universidades públicas (como Unicamp, UFRJ e UnB) e instituições particulares (como PUC-Goiás, Universidade Anhanguera e UNIFRAN).

Como decidir onde estudar?

Ao pesquisar instituições de ensino superior e escolher onde estudar, lembre-se de verificar se a instituição é reconhecida pelo MEC. Só assim você terá a garantia de que seu diploma será válido e aceito em todo o território nacional.

Mas podemos ajudar você nessa busca! Preparamos uma lista de universidades particulares reconhecidas pelo MEC que oferecem os cursos de Engenharia e Gestão Ambiental, trabalham com diversas formas de ingresso e têm programas de bolsas e descontos. Confira e clique para saber mais:

  • Navegue pelos sites das universidades acima e fique por dentro de cursos, processos seletivos e sistemas de bolsas de estudos. 
  • Leia mais:
  • Engenharia Ambiental: saiba mais sobre essa carreira
  • Saiba como funciona o curso de Gestão Ambiental a distância

Você se interessou pela profissão de Silvicultura? Está pensando em fazer uma faculdade na área de meio ambiente? Qual? Deixe um comentário e conte para a gente!

Engenharia Florestal

Este engenheiro estuda e promove a exploração sustentável de recursos florestais. Ele avalia o potencial de ecossistemas florestais e planeja seu aproveitamento sempre levando em consideração a manutenção do equilíbrio dos ecossistemas e do bioma.

Encarrega-se da seleção de sementes e mudas de plantas, identifica e classifica espécies vegetais e procura melhorar suas características, analisando as condições necessárias à sua adaptação ao meio ambiente. Elabora e acompanha projetos de preservação de parques e de reservas naturais e cuida de fazendas de reflorestamento.

Leia também:  Como Se Chama Uma Pessoa Que Trabalha Num Cafe?

Gerencia a produção de mudas, planeja a plantação e faz pesquisas voltadas ao melhoramento genético das espécies, em parceria com profissionais de biotecnologia. Também é sua atribuição recuperar áreas degradadas, cuidar da arborização urbana e avaliar o impacto ambiental de atividades humanas em uma determinada área.

Este bacharel faz, ainda, vistorias, perícias e avaliações, emitindo laudos e pareceres. Em sua atuação, visa a garantir a segurança e minimizar impactos socioambientais. Você pode atuar na área com um curso de tecnologia em Silvicultura.

Ecologia aplicada: estudar e administrar parques ecológicos e reservas florestais e gerenciar processos de exploração que preservem os recursos naturais. Recuperar áreas ambientalmente degradadas.

Educação: realizar atividades de educação ambiental e ecoturismo, incentivando as ações de preservação da biodiversidade da fauna e da fora.

Fiscalização: supervisionar empresas que utilizem em suas operações produtos de origem florestal, como usinas termelétricas a carvão, indústrias que utilizem lenha e empreendimentos do setor siderúrgico.

Manejo florestal: elaborar, promover e supervisionar projetos de reflorestamento das espécies arbóreas para aumentar sua produtividade. Pesquisar sementes e o melhoramento genético da vegetação.

Tecnologia de produtos florestais: pesquisar e desenvolver tecnologias para o aproveitamento, a extração e a industrialização de madeiras e de outros produtos da floresta, como óleos essenciais e resinas.

Mercado de Trabalho

O mercado está favorável para o engenheiro florestal. A preocupação crescente com a sustentabilidade e o meio ambiente eleva a procura pelo bacharel.

Pesquisa da Organização das Nações unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO) mostrou que as emissões de carbono no mundo em função do desmatamento caíram 25%, passando de 3,9 para 2,9 gigatoneladas por ano entre 2001 e 2015 (último ano com dados disponíveis). O Brasil, segundo a FAO, respondeu por mais de 50% dessa redução.

Com isso, o país atinge as metas assumidas para a redução das emissões de carbono e cria um campo promissor para o engenheiro e o tecnólogo em Silvicultura, que se dedicam a orientar a extração de madeira, com técnicas de menor impacto.

A crise hídrica que afeta, em maior ou menor grau, diversos estados do país também aumenta a demanda pelo graduado nesta área, devido à sua capacidade de atuar na gestão dos recursos naturais.

Outro setor com boa demanda é o de fiscalização ambiental e reflorestamento. Neste último, ele encontra espaço na indústria de papel e celulose. Órgãos públicos, como o Ministério do Meio Ambiente e o Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), contratam por concurso público.

A implantação de novos empreendimentos no Nordeste e no Centro-Oeste também promete abrir vagas. No interior dos estados – inclusive no Sul e no Sudeste – há demanda para atuação em extensão rural, planejamento e consultoria.

Curso

Os conteúdos das Ciências Agrárias e Biológicas estão presentes em praticamente todo o currículo, com destaque para as disciplinas que envolvem botânica, tecnologia da madeira, fisiologia vegetal, biologia celular e silvicultura. Mas o forte dessa graduação são as técnicas e os métodos de uso racional das matas e áreas de florestas que não comprometam o ecossistema.

Ao longo da formação as disciplinas teóricas – como conservação de recursos naturais renováveis – alternam-se com práticas de manejo florestal, ecologia aplicada em campo, atividades em laboratórios e viveiros. Mas vale lembrar que as disciplinas das engenharias, com predomínio de matemática, cálculos, física e química, também fazem parte da grade curricular, nos primeiros anos.

  • Para receber o diploma, o estudante deve realizar estágio supervisionado e apresentar um trabalho de conclusão de curso.
  • Duração média: 5 anos.
  • Legenda:
  • Estrelas da Avaliação do Guia do Estudante
  • ★★★★★ – Excelente
  • ★★★★ – Muito bom
  • ★★★ – Bom
  • CPC – Conceito Preliminar de Curso① ② ③ ④ ⑤

O CPC é o indicador do Ministério da Educação que mede a qualidade dos cursos. Ele varia de 1 (menor valor) a 5 (maior valor). Ele está informado na ficha do curso para todas as graduações que tinham esse indicador disponível (fonte: site do Inep, anos 2014, 2013 e 2012). 

  1. Cifrões – Referem-se às faixas de preço da mensalidade:
  2. $ – Até 500,00 reais
  3. $$ – De 500,01 a 750,00 reais
  4. $$$ – De 750,01 reais a 1.000,00 reais

$$$$ – De 1.000,01 a 1.500,00 reais

$$$$$ – Acima de 1.500,01 reais

n/i – Valor não informado

5 profissões para quem gosta de contato com a natureza | PRAVALER

Existem inúmeras possibilidades de carreiras que você pode seguir. Para facilitar a escolha, é importante definir quais são as atividades que você mais gosta de fazer. O passo seguinte é buscar profissões que sejam relacionadas a esses interesses. Quem gosta de ler, por exemplo, pode incluir em sua lista faculdades como Letras e Jornalismo.

Já para quem ama o verde, as melhores profissões são aquelas que permitem contato com a natureza. São carreiras dedicadas ao estudo e à preservação do meio ambiente. Confira algumas sugestões!

5 ótimas profissões para quem ama a natureza

1 – Gestão Ambiental

Se você não só quer ficar perto da natureza, mas também quer trabalhar pela sua preservação, considere cursar a faculdade de Gestão Ambiental.

Quem trabalha nesta área tem como principal objetivo a sustentabilidade e a conservação da biodiversidade do planeta.

Alguns exemplos de atuação do gestor ambiental: programas de reciclagem, recuperação de áreas degradadas, implementação e gestão de educação ambiental.

O gestor ambiental pode trabalhar tanto na cidade quanto no campo. Pode atuar em indústrias, fazendas, secretarias do meio ambiente e organizações não governamentais.

2 – Oceanografia

Quem faz Oceanografia se prepara para investigar não só as características dos oceanos, como também de rios, lagos, mares e zonas costeiras. Nesta profissão, você fica em contato constante com a natureza, coletando amostras para avaliar as condições biológicas de ambientes aquáticos.

O oceanógrafo pode trabalhar fazendo o mapeamento do fundo dos oceanos, elaborar projetos de saneamento para zonas costeiras, desenvolver projetos para promover a conservação de ambientes aquáticos, atuar na recuperação de locais degradados e no cultivo de organismos aquáticos, entre outras atividades.

3 – Agronomia

Você tem interesse em trabalhar com agronegócio? Então, talvez, Agronomia esteja entre os melhores cursos para você. O agrônomo trabalha diretamente com o preparo e com o cultivo do solo.

Também pode atuar no controle de pragas em plantações, com a criação de rebanhos, entre outras atividades. Para atuar nesta profissão, é preciso gostar de estar em contato com animais e com o campo.

No Brasil, as oportunidades para o agrônomo são muitas. Depois de formado, você pode escolher entre áreas como a zootecnia, a administração rural, a defesa sanitária e a engenharia rural. Também pode trabalhar no cultivo e na colheita de safras e na produção de biocombustíveis.

4 – Biologia

Outra das profissões voltadas para o estudo da natureza é a Biologia. Os trabalhos do biólogo são direcionados ao estudo e à preservação de animais e plantas. Esta também é uma boa profissão para quem apresenta características investigativas, já que o biólogo também pode atuar com pesquisas científicas.

Quem escolhe a Biologia como curso pode trabalhar em laboratórios de análises químicas, em colégios, universidades, empresas privadas, indústrias de alimentos, zoológicos e institutos de pesquisas. Também é possível buscar especialização em áreas como a genética, a biologia molecular, a biologia marinha e a botânica.

Leia também:  Paises Que Falam Ingles Como Segunda Lingua?

5 – Geografia

Quer dedicar sua carreira ao estudo dos efeitos da ocupação humana no planeta? Então, inclua a Geografia entre suas possíveis futuras profissões. Curiosidade, facilidade para trabalhar em equipe e boa capacidade de observação são exemplos de qualidades importantes para o geógrafo.

Para ter bastante contato com a natureza, depois de formado você pode optar por atuar em uma destas áreas da Geografia: planejamento agrícola, ecoturismo ou análise ambiental.

Lembrou de mais profissões ideais para quem gosta de estar em contato com a natureza? Ajude a enriquecer nossa lista e deixe suas sugestões nos comentários!

Sema dá 10 dias para empreendedores e responsáveis técnicos realizarem Cadastro Técnico Federal

A educação é parte essencial na vida de todas as pessoas, sejam crianças, jovens ou adultos. Em Mato Grosso e em qualquer lugar do mundo a educação é um dos principais fatores para a formação de cidadãos conscientes e mobilidade social.

É para amparar e dar todo o suporte técnico e financeiro a este movimento que o governador Mauro Mendes apresentou, o “Programa Educação Já, Mato Grosso”, uma série de ações cujos conceitos centrais são o trabalho em regime de colaboração com prefeitos e secretários municipais para elevar a alfabetização e a aprendizagem de qualidade entre os alunos dos dois primeiros anos iniciais do Ensino Fundamental. 

Vamos trabalhar em regime de colaboração com o Estado, municípios, escola e sociedade organizada pela qualidade no sistema educacional, pelo regime previsto na Constituição Federal (CF) e no Plano Nacional de Educação (PNE). Com boas práticas educacionais, baseadas em evidências de outros estados e do mundo. Juntos, vamos colocar a educação de Mato Grosso em índice alto de qualidade.

A organização do programa requer estabelecer e definir metas, indicadores e governança que serão monitorados permanentemente para que a alfabetização e todo o ciclo inicial da educação da primeira infância tenham resultados satisfatórios de ensino e aprendizagem dos alunos.

Uma das premissas centrais do programa baseia-se no fato de que o aluno é do município, independente da rede. E por isso vamos todos juntos fomentar apoio técnico e financeiro necessários para atingir nossos objetivos.

E para isso, o governador Mauro Mendes, no lançamento do programa, já deixou claro que haverá recursos públicos suficientes e bem aplicados para investir e prover de infraestrutura física e tecnológica as unidades escolares, graças ao acúmulo de verba pública obtida pela redução de gastos e equilíbrio fiscal rigoroso implantado pela gestão estadual entre 2019 e 2020.

Essa atitude de gestão responsável em todo o governo e, especificamente na educação, permitiu os investimentos para criar as condições adequadas para a melhoria do ambiente humano e de infraestrutura das escolas estaduais.

Mas, sabemos que o sonho de entender e interpretar o mundo pelo conhecimento permitido pela educação de qualidade requer um esforço coletivo. Com participação de pais, mães e responsáveis pela longa caminhada de pessoas desde a primeira infância até à formação profissional adulta.

Por isso, vamos perseguir nossas convicções, fundamentos, práticas educacionais e planos traçados para melhorar a educação com foco na alfabetização no primeiro e segundo anos do Ensino Fundamental, amparados em um trabalho diário da Seduc e dos municípios.

Queremos colocar a educação de Mato Grosso entre as 5 melhores do Brasil. Para atingir a meta, sabemos claramente que 70% do sucesso da educação é gente.

E, paralelo ao programa de alfabetização colaborativa, já temos planos de valorização profissional, formação continuada dos professores e técnicos e a avaliação periódica da qualidade do ensino ofertado aos nossos estudantes de Mato Grosso.  

Sabemos dos obstáculos e barreiras, mas, vamos implementar o regime de colaboração entre o Estado e os municípios na alfabetização para alcançar os sonhos do conhecimento advindo com a educação. E permitir no médio e longo prazo os primeiros degraus da escada para a mobilidade social de que muita gente depende em Mato Grosso e no Brasil para a sobrevivência e a felicidade efetiva.

Cabo Delgado: Marisa defende que UE não tem assumido a sua responsabilidade

Marisa Matias sublinha que “talvez os Estados estivessem mais libertos para agir” caso não existissem multinacionais neste território que se dedicam “à extração dos recursos naturais de forma absolutamente predadora”.

31 de Março, 2021 – 09:00h

Marisa Matias. Foto Daina Le Lardic/Parlamento Europeu

A eurodeputada do Bloco esteve esta terça-feira na TVI24 para falar da situação em Cabo Delgado, Moçambique.

Marisa Matias sublinhou que estamos perante uma “situação complexa que não é de agora” e que a inação da comunidade internacional até ao momento está relacionada com “a descoberta de uma das maiores reservas do mundo em termos de gás natural entre 2010 e 2013”, que veio a traduzir-se numa “maior concentração de multinacionais com intenção de explorar esses recursos”.

A dirigente bloquista assinalou que “a pobreza da população contrasta com a riqueza dos recursos naturais” existentes no território, e que muitas das empresas que se dedicam à sua exploração “investiram numa lógica de militarização para proteger a extração desses recursos”. O que, por sua vez, deu “origem à criação de grupos armados, de mercenários”.

Moçambique: Dezenas de pessoas continuam desaparecidas após ataque a Palma

“Com o reforço e o aumento do terrorismo a partir de 2017”, a situação tornou-se “absolutamente trágica”, acrescentou Marisa Matias. Acresce ainda o impacto da “catástrofe ambiental de 2019, o ciclone que afetou mais de 100 mil pessoas”.

A eurodeputada alerta que as populações “estão reféns, estão encurraladas por um lado por grupos terroristas e por outro lado pelas empresas militares privadas” e sublinha a urgência de garantir a necessária ajuda humanitária. Para tal, é preciso haver “disponibilidade e vontade de alguns dos atores que estão no terreno em permitir e agilizar esse tipo de operações”.

Não pondo de parte o envio de uma força de paz, Marisa Matias destaca que a mesma deve surgir a pedido das autoridades moçambicanas e sem colocar em causa a soberania do país.

Condenando veementemente o extremismo islâmico e os grupos terroristas, a eurodeputada destaca, por outro lado, a dificuldade da União Europeia “em assumir a sua responsabilidade”.

E lembra a posição da França na exploração de gás e a existência de inúmeros beneficiários diretos do negócio, como o BNP Paribas, a Société Générale, o Crédit Agricole.

Estas entidades “não arredam pé” e “beneficiam do apoio de grupos militares que se vão criando para defender as explorações, mas que não defendem de nenhuma forma a população. Pelo contrário, são mais um grupo que ameaça e encurrala as populações”, afirma Marisa Matias.

Organizações alertam para perseguição de ativistas em Moçambique

Se não fosse a presença destas multinacionais, não só da Total, mas de empresas como a ENI/Galp e a Mota Engil, “talvez os Estados estivessem mais libertos para agir”.

De acordo com a dirigente bloquista, a inação da comunidade internacional não tem tem sido alheia “à presença das multinacionais nestes territórios e à extração dos recursos naturais de forma absolutamente predadora, como acontece em Cabo Delgado”.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*