Como Se Chama O Actor Que Fez O Gladiador?

O filme de 1999 teve a participação notória do ator para interpretar o mentor de Maximus, mas não contava com um infeliz evento

Wallacy Ferrari Publicado em 16/04/2020, às 11h51

Oliver Reed tinha duas personalidades notáveis além das tantas interpretadas em 41 anos de carreira: a primeira, conhecida mundialmente, era a de um excelente ator com muita versatilidade. Apesar de não fazer o tipo galã para Hollywood, soube usar o humor, movimentação e simpatia para participar de produções premiadas com Globos de Ouro e Oscars.

A segunda, também era conhecida, mas vista apenas com uma grande brincadeira. Sempre bem-humorado, brincava com o estilo de vida “hellraiser”, uma espécie de jeitão pirata de beber e brincar. No início da carreira, contava histórias em programas de entrevistas sobre noites de bebedeiras em diversos lugares do mundo, sempre relatando algum ponto cômico.

Em um talk show, Reed chegou a relatar que, junto a 36 amigos, conseguiu consumir 60 litros de cerveja, 32 garrafas de uísque, 17 garrafas de gin, quatro de vinho e uma de espumante em apenas uma noite. Além disso, diversas personalidades notórias chegaram a relatar que Oliver realmente era ótimo em se embriagar.

O ator e stuntman Steve McQueen chegou a relatar que, durante uma viagem a Londres em 1973, Reed ficou tão bêbado que chegou a vomitar nele. Outro amigo de bebedeira foi o baterista Keith Moon, do The Who, também conhecido pelos exageros alcoólicos, e Christopher Lee, que uma vez relatou que os episódios de embriaguez do amigo “eram horríveis de ver”.

As personalidades, no entanto, não se confundiam; Oliver sabia separar a brincadeira e a bebedeira do trabalho e evitava ao máximo a informalidade.

Durante uma entrevista ao The Tonight Show com Johnny Carson, em 1975, chegou a ter um copo de uísque despejado sobre sua cabeça por outra convidada após fazer comentários machistas.

Após o episódio, fez questão de reposicionar sua imagem de maneira mais responsável.

Como Se Chama O Actor Que Fez O Gladiador?Oliver Reed sendo entrevistado por David Letterman (à esq.) e por Johnny Carson (à dir.) / Créditos: Divulgação

Passou a solicitar que as entrevistas dessem ênfase aos filmes divulgados e não ao perfil boêmio do ator.

Em 1987, ficou bastante irritado com David Letterman por não cumprir a solicitação e chegou a dar uma aspirina ao apresentador, afirmando que não era ele quem estava bêbado.

Com o passar dos anos de sua carreira, o profissionalismo do ator deu a oportunidade de receber propostas para papéis sérios.

Interpretando figuras associadas a paternidade e sabedoria, foi convidado, no final da década de 1990, a realizar o papel que poderia reedificar sua carreira de maneira mais incisiva. Ridley Scott gostava do passado boêmio mesclado com a personalidade responsável que havia desenvolvido nos últimos anos de carreira e o convidou para interpretar Antonius Proximo, mentor de Maximus.

O fim de um hellraiser

As gravações de Gladiador estavam sendo realizadas na cidade de Valetta, capital de Malta, em maio de 1999. Entre as gravações, chegou a fazer algumas cenas, mas aproveitou para conhecer a cidade durante uma pausa nas filmagens. De acordo com o que relatou para a equipe, não bebia há meses e fazia questão se abster, o que era uma inverdade. Na primeira oportunidade, buscou um bar.

Em um bar chamado The Pub, foi reconhecido por militares de um navio da marinha inglesa, que fizeram questão de certificar se a fama de bom beberrão era verdadeira.

Com muitas brincadeiras, estimulou Oliver a participar de uma competição de bebidas.

Testemunhas afirmam que, em apenas uma tarde, conseguiu beber oito litros de cerveja alemã, meia garrafa de uísque, doze doses de rum e algumas de conhaque, ganhando a competição.

Como Se Chama O Actor Que Fez O Gladiador?Cena com Oliver Reed adicionado digitalmente em Gladiador / Créditos: Divulgação

Completamente alterado, sua conta no bar totalizava cerca de 270 liras maltesas (aproximadamente 3 mil reais), além de vencer cinco marinheiros — bem mais jovens — na queda de braço. Em uma grande festa, teve um mal súbito, desmaiando de repente. Socorrido pelos soldados, foi levado ao hospital rapidamente, mas morreu a caminho, aos 61 anos.

A morte repentina de Oliver mudou os projetos do filme, que tinha mais três dias de gravação com o ator. No roteiro, o mentor Proximo teve de ser morto para justificar a ausência nas cenas.

Além disso, um ator foi contratado para servir de dublê na reprodução de seu rosto em algumas cenas digitalizadas.

O bar aproveita a fama de Reed até os dias atuais e se renomeou para The “Oliver Reed Died Here” Pub (O Pub Onde Oliver Reed Morreu, em tradução livre).

  • +Saiba mais sobre Hollywood por meio de grandes obras disponíveis na Amazon:
  • Hollywood: 131, de Charles Bukowski (1998) – https://amzn.to/2UXDWKe
  • Cenas de uma revolução: o nascimento da nova Hollywood, de Mark Harris (2011) – https://amzn.to/3c6gqAr
  • O pacto entre Hollywood e o nazismo: Como o cinema americano colaborou com a Alemanha de Hitler, de Ben Urwand (2019) – https://amzn.to/2ViwOqO
  • Hollywood Babylon: The Legendary Underground Classic of Hollywood's Darkest and Best Kept Secrets (Edição Inglês), de Kenneth Anger (1981) – https://amzn.to/2RurMWU
  • O livro do cinema, de Vários autores (2017) – https://amzn.to/2VeOS52

Vale lembrar que os preços e a quantidade disponível dos produtos condizem com os da data da publicação deste post. Além disso, a Aventuras na História pode ganhar uma parcela das vendas ou outro tipo de compensação pelos links nesta página.

Aproveite Frete GRÁTIS, rápido e ilimitado com Amazon Prime: https://amzn.to/2w5nJJp

Amazon Music Unlimited – Experimente 30 dias grátis: https://amzn.to/2yiDA7W

Folha de S.Paulo

Texto Anterior | Próximo Texto | Índice

Nova produção de Ridley Scott, ambientada no Império Romano, estréia hoje em todo o país

O neozelandês Russell Crowe perdeu 23 quilos para protagonizar o primeiro sucesso do verão nos EUA Ave, Crowe – Com “Gladiador”, ele é o ator do ano

Divulgação Como Se Chama O Actor Que Fez O Gladiador? O ator Russel Crowe vestido com a armadura do general Maximus, em cena de “Gladiador”

CLAUDIO CASTILHO

ESPECIAL PARA A FOLHA Ele quebrou o pé, fraturou o quadril e viu os tendões do seu bíceps romperem a pele durante as filmagens de “Gladiador”, estréia nacional de hoje. Meros “contratempos” que não provocaram um dia de atraso nas gravações, nem ocuparam as manchetes dos jornais de variedades. É a cara do neozelandês Russell Crowe, 36, o ator do ano depois da indicação ao Oscar deste ano por “O Informante”, de Michael Mann, e da heróica performance no épico de Ridley Scott: discreto e dedicado, o que não o impede de ser um dos solteirões mais cobiçados de Hollywood no momento. O diretor Scott, aliás, afirmou que escolheu Crowe para ser Maximus -camponês transformado em general e homem de confiança do velho imperador romano Marco Aurélio- pela sua postura inquestionavelmente viril. Para o papel, Crowe perdeu os 23 quilos que havia ganho para atuar em “O Informante”. Praticou luta de espadas e contracenou com furiosos tigres em plena arena. Coisas de gladiador e tarefa perfeita para Crowe. Afinal de contas, o ator convive em Hollywood com a fama de machão, mal-humorado e brigão. Mas garante que, na realidade, não é chegado a violência. Leia a seguir trechos de sua entrevista à Folha, realizada no intervalo das gravações de “Proof of Life”, rodado na Polônia, em Londres e no Equador, no qual ele contracena com Meg Ryan. O filme, dirigido por Taylor Hackford, tem estréia prevista para dezembro nos EUA.

Folha – Em “Gladiador”, mais uma vez você interpreta um personagem marcado pela integridade. Esse é um fator que pesa na escolha de seus filmes? Russell Crowe – Não. Para você ter uma idéia, aceitei fazer “Gladiador” antes mesmo de o roteiro estar pronto.

Eu sabia apenas sobre o conceito geral da história. Tinha uma idéia do que seria o filme e trabalhar com Ridley no ano 180 d.C. era tudo o que eu precisava para aceitar o convite.

Esse foi um projeto totalmente diferente de “Los Angeles – Cidade Proibida” (1997) ou “O Informante” (1999), cujos roteiros estavam prontos quando eu fui convidado a integrar o elenco.

Folha – Como você se preparou para o papel de “Gladiador”? Crowe – História foi uma das poucas matérias que me interessaram na escola. Para me informar mais sobre o período do filme e seus personagens, li as “Meditações”, do imperador romano Marco Aurélio.

Folha – O que foi mais marcante para você em relação à época do Império Romano? Crowe – O fato de ser um período estranho e, ao mesmo tempo, fascinante e importante para a humanidade. Uma era de conquistas e comportamentos extremados. Havia uma conscientização tanto social quanto política, mas também um nível altíssimo de brutalidade nos eventos esportivos.

Leia também:  Como Me Vingar De Uma Pessoa Que Eu Odeio?

Folha – E fisicamente? Você perdeu peso desde “O Informante”… Crowe – Mais de 20 quilos. Depois de encontrar Scott na Inglaterra, ele me mandou um bilhete em tom de brincadeira dizendo: “Fortinho é mais atraente”.

Folha – E a luta com espadas? Crowe – Eu já conhecia o esporte antes de fazer o filme.

Mas tive aulas com um dos maiores especialistas do mundo, que chegou a passar um tempo comigo na Austrália, onde moro.

Tentei praticar o máximo com as duas mãos para que elas ficassem com o mesmo nível de agilidade. Quando você usa as mãos como uma arma e a todo momento, o melhor é que saiba usá-las muito bem.

Folha – Como foi a experiência de contracenar com tigres na arena? Crowe – A princípio eu ia lutar contra um rinoceronte. Mudamos de idéia quando a notícia se espalhou pela Internet. Mas o problema é que os tigres não possuem o talento da obediência (risos). O trabalho com eles, que estava previsto para durar seis dias, acabou sendo feito em 12.

Folha – Você chegou a se machucar durante as gravações? Crowe – Várias vezes. Quebrei meu pé, fraturei o quadril, os tendões de meus bíceps saltaram para fora… Vários contratempos que, felizmente, não causaram a suspensão do trabalho.

Texto Anterior: Programação de TV

Próximo Texto: Filme é o resgate do soldado Ben HurÍndice

Biografia de Russell Crowe

Ator neozeland�s

Russell Crowe (1964) � um ator neozeland�s que iniciou a carreira em sua cidade natal e na Austr�lia. Em Hollywood brilhou na interpreta��o do general romano M�ximus, em �O Gladiador�, recendo o Oscar de Melhor Ator.

Russell Ira Crowe nasceu em Wellington, na Nova Zel�ndia, no dia 7 de abril de 1964. Filho de John Alexander Crow e Jocelyn Wemyss, com 4 anos mudou-se com seus pais para Sydney, na Austr�lia.

Come�ou cedo a atuar fazendo pequenos papeis em s�ries de televis�o, como em �Spyforce�, quando estava com 6 anos.

Em 1978 sua fam�lia retornou para a Nova Zel�ndia e com 16 anos Crowe passou a integrar uma banda de rock, �Roman Autix�, onde cantava, tocava guitarra e compunha.

Em 1980 ele retornou para a Austr�lia e realizou v�rias apresenta��es. Entre 1986 e 1988, iniciou�uma turn� e durante tr�s temporadas realizou shows na Nova Zel�ndia e na Austr�lia.

Ap�s participar do musical �Bad Boy Johnny and the Prophet of Doom�, resolveu se especializar na carreira de ator e estudar Arte Dram�tica, mas n�o se desligou de seu grupo musical.

Em 2001, o grupo�j� com outro nome,��30 Odd Fodo f Grunts�,�lan�ou seu �ltimo disco, �The Photograph Kills�.

Paralelamente � carreira musical, Russell Crowe, depois de v�rios�trabalhos no palco,�estreou�no cinema�no filme �Blood Oath� (1989). Em 1990, ainda em papel secund�rio, atuou em �A Prova�, recebendo sua primeira indica��o ao Pr�mio do Cinema Nacional da Austr�lia. Em 1992, atuou em seu primeiro papel principal em �Skiheads � a For�a Branca�, quando recebeu o Pr�mio de Melhor Ator.

Sua estreia em Hollywood se deu em 1995 no filme �Quick and the Dead� (R�pida e Mortal), quando atuou ao lado de Sharom Stone, que o convidou depois de ver sua atua��o em �Skinheads�. Sua maior visibilidade veio no papel do policial Bud White em �L. A. Confidential� (1997) (Los Angeles � Cidade Proibida), que recebeu v�rias indica��es ao Oscar.

Em 1999, Russell Crowe se preparou para a�grava��o de seu pr�ximo trabalho,�quando engordou mais de 20 kg, para atuar no papel de Jeffrey Wigand, em �The Insider� (1999) (O Informante), quando atuou ao lado de Al Pacino. Recebeu diversos pr�mios, entre eles, o �National Board of Review: Melhor Ator� (1999) e o �Critics� Choice Award: Melhor Ator� (2000).

Em 5 de maio de 2000, Russell Crowe estrelou em �Gladiador�, um sucesso de bilheteria, quando interpretou o general M�ximus, recebendo o �Oscar de Melhor Ator� de 2001. Outro sucesso do ator foi �A Beautiful Mind� (2001) (Uma Mente Brilhante), quando interpretou o matem�tico John Mash Jr. Recebeu a indica��o do Oscar de Melhor Ator.

Os mais recentes trabalhos de Russel Crowe foram: �Os Miser�veis� (2012), �Linha de A��o� (2013), �O Homem de A�o� (2013), �No� (2014), �Promessa de Guerra� (2014), �Pais e Filhos� (2015), �Dois Caras Legais� (2016) e �A M�mia� (2017), este, um filme de a��o, aventura, fantasia e terror.

Russell Crowe foi casado com a cantora Danielle Spencer entre 2000 e 2012. Juntos tiveram dois filhos, Charles e Tennyson.

Gladiador: o valor da liderança

Lançado em 2000, o drama épico Gladiador (Gladiator, EUA/UK, 2000), foi um dos maiores sucessos da década passada. Abocanhou cinco Oscars (incluindo Melhor Filme e Melhor Ator para Russell Crowe), e foi sucesso absoluto de crítica e público.

Dirigido pelo mestre Ridley Scott (de outros inúmeros grandes filmes, como Alien: O Oitavo Passageiro e Blade Runner: O Caçador de Androides), Gladiador permanece como uma potente e emocionante aventura épica de gigantescas proporções e execução primorosa, valorizada por um protagonista por vezes maior que o próprio filme.

A produção acompanha a jornada do general romano Maximus Decimus Meridius (um avassalador Russell Crowe), que em campanha à serviço do Imperador Marcus Aurelius (o falecido Richard Harris, de Os Imperdoáveis), há muito tempo não retorna para casa, para os braços de sua família.

Quando a campanha vai chegando ao seu final depois de inúmeros combates onde o exército de Maximus prevaleceu, o general recebe um duro golpe quando o instável Commodus (o ótimo Joaquin Phoenix), filho do Imperador e invejoso da relação de amor fraternal entre seu pai e Maximus, mata o próprio pai e condena Maximus à morte por traição.

Graças às suas habilidades de combate, Maximus escapa da morte e parte desesperado em busca de sua família, apenas para chegar em sua casa e descobrir que todos foram mortos por ordens de Commodus.

Em mais uma reviravolta do destino, Maximus se torna escravo e acaba indo parar nas mãos de Proximo (o também falecido Oliver Reed, que inclusive faleceu durante as filmagens), um “agenciador” de batalhas clandestinas travadas entre os seus escravos, que são vendidos como gladiadores, apesar de muitos deles não terem nenhuma experiência de batalha.

Proximo de imediato reconhece o dom para a guerra de seu novo guerreiro, e Maximus por sua vez, encontra em sua nova profissão uma oportunidade de voltar à Roma e vingar a morte de sua família.

A jornada do general que virou escravo e se transformou em gladiador é capturada em todas as suas cores pelo diretor Scott e pelo vibrante roteiro de John Logan (que inclusive escreveu o roteiro de Um Domingo Qualquer, filme cujo o qual eu já escrevi um texto aqui mesmo no Portal Administradores), David Franzoni (Amistad, 1997) e William Nicholson (Invencível, 2014). Mas além das grandiosas e empolgantes sequências de batalhas e da dramaticidade da sofrida jornada de seu protagonista, Gladiador é também uma valiosa história sobre a liderança e sua importância para o indivíduo e principalmente, para os que estão ao seu redor.

Maximus era um líder nato. Como general, era o mais temido do Império Romano, admirado e respeitado por seus comandados e por seu superior. Quando a vida o rebaixa à escravo, ainda assim Maximus é reconhecido de imediato como um líder, pelos outros escravos que o acompanham e também pelo seu “proprietário”, por assim dizer.

E é esta liderança nata que impede que Maximus e seu grupo seja dizimado (o que já era esperado pelo César e pela plateia), em sua primeira batalha no Coliseu de Roma, numa das melhores e mais bem orquestradas sequências de ação da história do cinema.

Maximus deixa de ser escravo para se tornar gladiador, ganhando a admiração da mesma plateia que antes pedia sua cabeça.

O papel de liderança exercido por Maximus ao longo da produção salta aos olhos do espectador, muito disso graças à interpretação fenomenal de Russell Crowe, que visivelmente coloca o coração no personagem.

E é interessante observar os fatores que fazem de Maximus um líder tão eficaz, e como tal personagem pode servir de exemplo dentro da vida real e principalmente dentro do mundo corporativo.

Vamos à eles?

Humildade

No início da produção, Maximus era um homem de poder, e nem por isso exalava tal status a todo momento. Sua humildade era transmitida aos seus homens e até aos seus inimigos. Graças à sua humildade, Maximus tinha total confiança e respeito do César.

Um bom líder corporativo reconhece a importância de cada pessoa, o inverso disso é arrogância. O arrogante não escuta o outro e por isso, comete muitos erros.

Leia também:  Como Classificas O Adjetivo Inteligente Quanto Ao Género?

Quem é arrogante é chefe, não é líder, porque só cria medo e não respeito, e o medo diminui a produtividade.

Coragem

Falando em medo, um aspecto que se destaca imediatamente no personagem de Crowe é sua coragem. Mesmo face à face com a morte por diversas vezes, o guerreiro abraça o medo e convida a morte para dançar.

O líder corporativo por excelência é pró ativo e não reativo. Impulsiona, age, cria e avança sem receios. É destemido, e prefere desbravar novos caminhos do que seguir os passos que outros deram antes de si.

Princípios

Maximus era um homem de princípios. Era íntegro tanto dentro quanto fora do campo de batalha. Assim como no filme de Scott como no mundo dos negócios, o líder inevitavelmente serve de exemplo para os colaboradores.

Se um líder apresenta incoerência entre discurso e ação, os colaboradores provavelmente seguirão o exemplo que observam da ação dele.

O líder deve ter em mente que os colaboradores irão seguir o exemplo dado pelo seu comportamento, e, portanto, deve estar consciente do que faz, pois isso influencia na cultura e no desempenho de seus liderados.

O Legado de um Líder

A frase mais célebre de Gladiador, definitivamente é a sentença proferida por Maximus antes de suas principais batalhas: “O que fazemos em vida, ecoa na eternidade”. Quem já conferiu o filme, sabe que após suas sequências finais, tais palavras ganham uma importância ainda maior.

Na vida real, na vida profissional, o legado de um líder resume-se à sua conduta profissional no que diz respeito às pessoas, e nas lições que estes indivíduos carregam de suas experiências profissionais. Muitas vezes por toda uma vida.

Os valores e princípios do verdadeiro líder refletem-se no DNA da organização e de seus comandados, de tal forma que o seu sucessor integre a maior parte dos aspectos positivos de sua liderança.

O verdadeiro líder, quando sai de cena, assim como o inesquecível Maximus deste Gladiador, deixa um grande vazio a ser preeenchido. Entretanto, é na sua sucessão que evidenciam-se os valores deixados pelo mesmo, que quando corretamente aplicados, realmente ecoam pela eternidade.

“A leader is best when people barely know he exists, when his work is done, his aim fulfilled, they will say: we did it ourselves.” — Lao Tzu

Gladiador pode ser encontrado no catálogo da Netflix.

Como estão os atores de “Gladiador” 20 anos após a estreia (e alguns segredos das filmagens)

Gladiador é um drama histórico de ação e aventura protagonizado por Russell Crowe, Joaquín Phoenix e Connie Nielsen. O filme estreou nos Estados Unidos em 5 de maio de 2000 e obteve um grande sucesso de bilheteria.

Além disso, foi importante porque fez ressurgir em Hollywood o gênero épico, inspirado em histórias da Antiguidade.

Gladiador recebeu muitos prêmios e venceu cinco categorias do Oscar, incluindo as de melhor filme e melhor ator, para Russel Crowe.

Hoje, o Incrível.club vai te mostrar como estão os atores principais desse que foi o filme mais premiado do ano 2000. No final do post, trazemos um bônus com alguns dados curiosos sobre as gravações.

© Gladiator / DreamWorks, and co-producers, © russellcrowe / Instagram

O ator Russell Crowe nasceu na Nova Zelândia e também trabalha como produtor, diretor e músico. Após o sucesso inicial na Austrália, foi com Gladiador que passou a ser conhecido internacionalmente. Russell participou de outros grandes sucessos do cinema, entre eles Uma Mente Brilhante, Robin Hood e Os Miseráveis. Seu mais recente trabalho foi na minissérie A Voz Mais Forte.

Joaquín Rafael Phoenix é ator, ambientalista, ativista dos direitos dos animais e produtor de cinema. Além dos muitos trabalhos como ator, Joaquín dirigiu muitos videoclipes e produziu filmes e programas de televisão. Entre os maiores sucessos do ator, destacam-se Johnny & June, Ela, Maria Madalena e, obviamente, Coringa, filme que lhe rendeu o Oscar de melhor ator.

© Gladiator / DreamWorks, and co-producers, © cn_connienielsen / Instagram

Após o Gladiador, Connie Nielsen atuou como protagonista em muitos outros filmes, entre eles Missão Marte, Retratos de uma Obsessão e Caçado. Connie venceu o prêmio de melhor atriz em um festival dinamarquês, por sua atuação em Brothers. O papel também lhe rendeu um prêmio no Festival Internacional de San Sebastián. Seu trabalho mais recente foi no filme Nobody, de 2021.

© Gladiator / DreamWorks, and co-producers, © David M. Benett / Gettyimages

Derek Jacobi é um ator e diretor muito conhecido na Inglaterra.

Além de Gladiador, Derek participou de outros grandes sucessos do cinema, entre eles Grace de Mônaco, Sete Dias com Marilyn, O Discurso do Rei e Assassinato em Gosford Park.

Um dado curioso a seu respeito é que foi nomeado cavaleiro em 1994, bem como membro da Ordem Dinamarquesa de Dannebrog. Seu último trabalho foi na série The Crown.

© Gladiator / DreamWorks, and co-producers, © djimon_hounsou / Instagram

Djimon Gaston Hounsou é um ator, dançarino e modelo beniense, naturalizado americano. Seus maiores sucessos no cinema são Gladiador, Terra de Sonhos, Amistad e Diamante de Sangue. Nos filmes da Marvel, Djimon interpreta Korath. Além disso, encarnou o Rei Fisherman, em Aquaman, e o mago Shazam, em Shazam! Seu próximo trabalho será dar voz ao personagem Sumo, na produção Blazing Samurai.

© Gladiator / DreamWorks, and co-producers, © ralf.moeller / Instagram

Ralf Rudolf Möller é um ator e fisiculturista alemão. O papel de maior destaque de sua carreira foi no filme Gladiador. Seu último trabalho como ator foi em Sabotage, em 2014.

© Gladiator / DreamWorks, and co-producers, © Gilbert Flores / EastNews

Tommy Flanagan é um ator escocês muito conhecido pela série Filhos da Anarquia e por filmes como Gladiador e Guardiões da Galáxia Vol. 2. Em 2016, apareceu no clipe da canção “Rotting in Vain”, da banda Korn. Seu mais recente trabalho foi na série superpremiada Westworld.

© Gladiator / DreamWorks, and co-producers, © streatclark / Instagram

Spencer Treat Clark é um ator americano que ficou muito conhecido por suas atuações em Gladiador e em Corpo Fechado. Também chamou muito a atenção da crítica e do público pelo trabalho em filmes como Sobre Meninos e Lobos, A Última Casa e, mais recentemente, Vidro.

© Gladiator / DreamWorks, and co-producers, © Dave J Hogan / GettyImages

David Schofield é um ator britânico com uma longa filmografia. Seus maiores sucessos na televisão incluem Band of Gold, Footballers’ Wives e Holby City. Na telona, ficou muito famoso pelo papel de Ian Mercer nos filmes da franquia Piratas do Caribe. Seu último trabalho como ator foi nas séries britânicas The Adventures of Paddington e Shakespeare & Hathaway: Private Investigators.

© Gladiator / DreamWorks, and co-producers, © giorgiocantarini / Instagram

Giorgio Cantarini é um ator italiano que antes do sucesso de Gladiador ficou muito conhecido por interpretar o filho do protagonista no superpremiado filme italiano A Vida É Bela. Em 2001, integrou o elenco de No Amor e na Guerra e seu mais recente trabalho foi na série italiana Distretto di polizia.

© Gladiator / DreamWorks, and co-producers

Na primeira luta de Maximus é possível ver nitidamente um cinegrafista entre os espectadores. Sua roupa contrasta muito com a dos figurantes, todos vestidos de acordo com a época.

© Gladiator / DreamWorks, and co-producers

Em uma das cenas no Coliseu, é possível ver como um dos atores usa um sapato que não tem nada a ver com o figurino do resto do elenco.

© Robin Hood / Universal Pictures, and co-producers

O cavalo George, do personagem de Russell Crowe, é o mesmo usado pelo ator no filme Robin Hood. Russell declarou que os dois tiveram uma ótima conexão e no reencontro, dez anos depois, a primeira coisa que disse ao animal foi: “Você acredita que vencemos um Oscar?”

© Gladiator / DreamWorks, and co-producers

Segundo o próprio Russell Crowe, no início das gravações, o roteiro original de Gladiador tinha apenas 21 páginas, quando uma produção dessa magnitude costuma ter um com mais de 100. O filme, portanto, não tinha um desfecho; ele acabou sendo escrito paralelamente às filmagens.

Russell não acreditou quando seu nome foi chamado na cerimônia. As condições em que o filme foi produzido, o fato de não ter um roteiro e todos os contratempos durante as gravações deixaram o ator completamente sem reação quando anunciado como o vencedor na categoria de melhor ator. Gladiador foi o primeiro sucesso internacional do ator e fez sua carreira deslanchar.

© Gladiator / DreamWorks, and co-producers

Em uma das cenas de luta, Maximus precisa dividir a arena com cinco tigres. Nos bastidores, havia um veterinário com tranquilizantes para alguma emergência. No final, deu tudo certo, mas tanto o ator como os outros colegas foram cautelosos e mantiveram uma distância de 4,5 metros dos tigres em todas as cenas.

© Gladiator / DreamWorks, and co-producers

A descrição que Maximus faz de sua casa no filme é exatamente igual à de sua casa na Austrália. Os cheiros da cozinha foram um detalhe que deu ainda mais sentimentalismo a uma cena completamente improvisada.

© Gladiator / DreamWorks, and co-producers

Se olharmos para esta cena com um filtro da modernidade, podemos pensar que o polegar para cima significa que o gladiador deva ser perdoado e para baixo, que deva morrer.

No entanto, era exatamente o contrário: o polegar para cima significava ação com a espada, ou seja, não havia perdão para a vida do gladiador.

A equipe de produção sabia disso, mas como hoje em dia o polegar para cima é sinal de algo positivo, optaram por inverter a lógica, para não confundir o público.

© Gladiator / DreamWorks, and co-producers

Janty Yates é a estilista que criou o figurino do filme Gladiador. Ela e sua equipe ficaram encarregados de criar mais de 10 mil roupas para todo o elenco e os muitos figurantes da produção.

Para você, qual é o melhor personagem dessa história? Você gosta de filmes de época? E o que achou dos erros de gravação? Conseguiu encontrar algum outro? Conte para a gente nos comentários.

Leia também:  O Que É O Msconfig Como Acessar E Qual A Sua Finalidade?

Russell Crowe – Wikipédia, a enciclopédia livre

Russell Crowe

Crowe na estreia de Man of Steel em junho de 2013.

Nome completo

Russell Ira Crowe

Nascimento

7 de abril de 1964 (57 anos)Wellington

Nacionalidade

neozelandês

Ocupação

Ator e Produtor

Cônjuge

Danielle Spencer (c. 2003; div. 2018)

Filho(s)

2

Oscares da Academia

Melhor Ator2001 – Gladiator

Globos de Ouro

Melhor Ator – Drama2002 – A Beautiful Mind Melhor Ator em Minissérie ou Telefilme 2020 – The Loudest Voice

Prémios Screen Actors Guild

Melhor Ator Principal2002 – A Beautiful Mind

Prémios BAFTA

Melhor Ator2002 – A Beautiful Mind

Prémios National Board of Review

Melhor Ator 1999 – The Insider Melhor Atuação por um Elenco2012 – Les Misérables

Prémios Critics' Choice

Melhor Ator 2000 – The Insider 2001 – Gladiator 2002 – A Beautiful Mind

Russell Ira Crowe (Wellington, 7 de abril de 1964) é um premiado ator e produtor de cinema neozelandês.[1] Depois do sucesso inicial na Austrália, onde sua família mora desde sua infância, tornou-se um ator de Hollywood no meio da década de 1990; ele ganhou o Oscar de Melhor Ator em 2001 por Gladiator. Ele foi indicado mais duas vezes ao prêmio: em 2000, um ano antes de ter vencido por o Gladiator, ele recebeu indicação por The Insider (prêmio vencido por Kevin Spacey pela atuação em American Beauty); em 2002, ele foi indicado por A Beautiful Mind (prêmio vencido por Denzel Washington por sua atuação em Training Day).

Em 7 de abril de 2003, Crowe casou-se com a atriz e cantora Danielle Spencer. Em 21 de dezembro de 2003, nasceu seu filho Charles Spencer Crowe. Em 2006, nasceu o seu segundo filho.

Os seus dois primos, Martin and Jeff Crowe, foram famosos e antigos capitães de cricket, jogo popular na Nova Zelândia.

Fora do mundo do cinema, ele foi reconhecido também por ter comprado 75 por cento das ações do South Sydney Rabbitohs, um time de rugby league da Austrália por 3 milhões de dólares.

Início da Carreira

Nasceu em 7 de abril de 1964, na Nova Zelândia, logo na infância se mudou com sua família para o país vizinho,[1] seus pais trabalhavam com alimentação em sets de filmagens o que possibilitou seu primeiro contato com a arte.

Começou a atuar em peças de teatro e fazer pequenas participações em séries de TV na infância e na adolescência quando ainda tinha uma banda, após decidir que queria realmente seguir em frente na carreira abandonou os estudos para trabalhar com um grupo de teatro mambembe. Nunca teve uma formação clássica de atuação.

Ganhou o primeiro papel como secundário no filme “A prova” de 1990, pelo qual ganhou sua primeira indicação a prêmio no cinema nacional da Austrália , após algumas atuações como coadjuvante recebeu seu primeiro papel principal na película “Skinheads- a força branca” pelo qual recebeu seu primeiro prêmio, chamando atenção de Sharon Stone que atrasou as filmagens de “Rápida de mortal” para tê-lo no elenco, seu início no cinema americano. Após alguns filmes de pouca visibilidade no seu país e nos EUA teve sua grande chance como policial Bud White no elogiado “L.A. Confidential” de Curtis Hanson que recebeu várias indicações ao óscar, dois anos depois em 1999 engordou mais de 20 quilos para convencer no papel de Jefrey Wigand em “O informante” ao lado de Al Pacino que deu a ele sua primeira indicação ao óscar de melhor ator no ano 2000. No ano seguinte voltou a cerimônia para receber a estatueta de melhor ator por “Gladiador”, filme que viria a ser o mais famoso de sua carreira e o tornar conhecido pela convergência com sua vida pessoal, por ser bastante ríspido com a imprensa e todos as sua volta. Em 2001 foi novamente indicado por “Uma mente brilhante”, mesmo sendo o grande favorito não levou. Recebeu 15 milhões por este filme .Desde então participa de filmes prestigiados nos EUA, se tornando um dos astros mais famosos e bem pagos dos cinema americano.

Oscar

Em 9 de março de 2005, Crowe revelou à revista Gentlemen's Quarterly que agentes do FBI o escoltaram na 73ª edição do Academy Awards (Oscar), em 25 de março de 2001, e disseram a ele que o grupo terrorista islâmico Al-Qaeda estava à procura dele.

Crowe contou à revista que esta foi a primeira vez em que ele ouviu falar em Al-Qaeda (os ataques de 11 de setembro aconteceram depois da premiação) e comentou: “Quando cheguei a Los Angeles recebi um telefonema tarde da noite do FBI, dizendo: “Nós precisamos falar com você antes que você faça qualquer coisa. Nós temos que conversar, Sr. Crowe”.

Crowe disse que eles comentaram que tudo isto tinha a ver com “alguma coisa que uma policial francesa gravou na Líbia ou Argélia…” Crowe ficou sob a proteção dos agentes do Serviço Secreto por alguns meses, enquanto fazia filmes e ia nas premiações.

(A Scotland Yard também o protegeu enquanto ele promovia o filme Proof of Life em Londres, janeiro de 2001). Ele disse que “nunca entendeu completamente que diabos estava acontecendo”.

O FBI também confirmou a situação de Crowe, o que não é típico da agência, que geralmente nunca comenta nada na mídia.

Foi um dos atores cogitados para interpretar o papel de Robert Langdom, no “Código da Vinci”, que acabou ficando com Tom Hanks.

Premiações e Indicações

Óscar

Ano
Categoria
Indicação
Notas
2000 Melhor Ator The Insider Indicado
2001 Gladiator Venceu
2002 A Beautiful Mind Indicado

Globo de Ouro

Ano
Categoria
Indicação
Notas
2000 Melhor Ator em Filme Dramático The Insider Indicado
2001 Gladiator Indicado
2002 A Beautiful Mind Venceu
2004 Master and Commander: The Far Side of the World Indicado
2006 Cinderella Man Indicado
2020 Melhor Ator em Minissérie ou Telefilme The Loudest Voice Venceu

Russell Crowe em 2009.

Tentativa de Sequestro

Em 2001, o FBI descobriu um plano de sequestro contra Russell por integrantes da Al-Qaeda, como forma de destruir “a cultura americana”. Como o Bureau colocou agentes para seguir o ator, os criminosos desistiram do plano.[2]

Filmografia

  • 2018 – Boy Erased
  • 2017 – A Múmia
  • 2016 – Dois Caras Legais
  • 2015 – Pais e Filhas
  • 2014 – Promessas de Guerra (também diretor)
  • 2014 – Um conto do destino
  • 2014 – Noé
  • 2013 – O homem de aço
  • 2013 – Linha de ação(br)|Cidade dividida(pt)
  • 2012 – Os Miseráveis
  • 2012 – O homem com os punhos de ferro
  • 2010 – 72 Horas (The Next Three Days)
  • 2010 – Robin Hood (Robin Hood)
  • 2009 – Intrigas de Estado (State of Play)
  • 2008 – Rede de Mentiras (Body of Lies)
  • 2007 – Os indomáveis 3:10 to Yuma
  • 2007 – Bra Boys (documentário, narrador)
  • 2007 – O Gângster (American Gangster)
  • 2009 – Tenderness
  • 2006 – A Good Year
  • 2005 – A Luta pela Esperança
  • 2003 – Mestre dos Mares: O Lado Mais Distante do Mundo (Master and commander: The far side of the world)
  • 2001 – Uma Mente Brilhante (A Beautiful Mind)
  • 2000 – Gladiador (Gladiador)
  • 2000 – Prova de Vida (Proof of life)
  • 1999 – O Informante (The Insider)
  • 1999 – Esquentando o Alasca (Mystery, Alaska)
  • 1997 – Amor em chamas (Breaking Up)
  • 1997 – Heaven's burning
  • 1997 – Los Angeles – Cidade Proibida (L.A. Confidential)
  • 1996 – Retorno mortal (No way back) (televisão)
  • 1995 – Viagem mágica (Rough magic)
  • 1995 – Assassino Virtual (Virtuosity)
  • 1995 – Rápida e Mortal (The Quick and the Dead)
  • 1994 – Um caso de amor (Sum of us, The)
  • 1994 – For the moment
  • 1993 – Love in limbo
  • 1993 – Silver – A lenda do cavalo prateado (Silver brumby, The)
  • 1992 – Skinheads – A Força Branca (Romper stomper)
  • 1991 – Livre (Hammers Over the Anvil)
  • 1991 – A prova (Proof)
  • 1991 – Spotswood
  • 1990 – Crossing, The
  • 1990 – Prisoners of the sun

Referências

  1. a b http://www.theage.com.au/lifestyle/celebrity/russell-crowe-rejected-twice-as-australian-citizen-20150324-1m70m7.html?
  2. ↑ 10 famosos que foram sequestrados Observatório do Cinema: edição 9/02/2018 – acessado em março de 2018

Ligações externas

O Wikiquote possui citações de ou sobre: Russell Crowe

O Commons possui imagens e outros ficheiros sobre Russell Crowe

  • Russell Crowe (em inglês) no IMDb
Prémios de Russell Crowe

Obtida de “https://pt.wikipedia.org/w/index.php?title=Russell_Crowe&oldid=59914826”

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*