Como Se Chama A Pessoa Que Faz O Workshop?

Os workshops estão cada vez mais populares, visto que são bem mais objetivos se comparados com os cursos. Por serem termos parecidos, o workshop pode trazer algumas dúvidas sobre a forma de funcionamento. Portanto, veja em nosso post o que é workshop e sua finalidade.

Para tirar todas suas dúvidas, leia nosso post na íntegra.

Veja também: modelo de certificado de treinamento: como montar o seu.

Como Se Chama A Pessoa Que Faz O Workshop?

Saiba o que é workshop

Workshop, em termos gerais, é um tipo de treinamento voltado para questões específicas. Esse tipo de treinamento visa se aprofundar dentro de um determinado tema pré determinado pelos organizadores. Por se tratar de temas mais mais específicos, o workshop tem como principal diferença a elaboração de atividades práticas.

Em geral, o público participa ativamente do treinamento, seja em debates sobre casos práticos ou mesmo atividades. Os workshops são mediados por um ou mais moderadores, responsáveis pela fomentação e norte da discussão.

Cada sessão, em um parâmetro geral, funciona através da exposição do tema, da discussão em grupos ou equipes e da conclusão de todos sobre o tema.

Por se tratar de um treinamento prático, geralmente, o workshop não tem uma duração muito longa.

Como Se Chama A Pessoa Que Faz O Workshop?

  • Agora que você já sabe o que é um workshop, conheça as principais diferenças deste treinamento para um curso.
  • Leia também: saiba como fazer uma apostila de treinamento em 5 passos.
  • Conceito de curso

Os cursos, diferente do workshop, têm uma duração mais longa. Contudo, isso não é uma regra. Existem cursos de longa e curta duração, tudo depende do tema que será abordado.

Os cursos são voltados para um público que busca ter uma base sobre determinado assunto ou aprofundar-se nele.

Isso porque o professor organizador do curso separa os temas que serão abordados dentro do curso e delimita o tipo de público que irá alcançar.

Essas exposições de temas são, em sua maioria, feitas de forma teórica, abordando os assuntos desde o básico até seu aprofundamento. Contudo, essa metodologia não exclui a utilização de casos práticos durante a execução do curso.

Leia também: o passo a passo para criar um plano de curso online.

Conheça os outros tipos de treinamentos

Os principais tipos de treinamentos ofertados no mercado atualmente são em formatos de workshop e cursos. Agora que você já sabe o que é um workshop e as principais diferenças entre ele e um curso, saiba os outros tipos de treinamentos existentes:

  • Palestras – tem curta duração e visa explanar sobre uma novidade de maneira sucinta;
  • Mesa redonda – geralmente utilizado dentro do ambiente acadêmico. É moderado por uma autoridade no assunto;
  • Simpósio – é discussão sobre um determinado tema, visando o aprofundamento teórico e científico;
  • Seminários – são debates sobre ideias inovadoras ou mesmo pouco debatidas dentro do meio acadêmico;
  • Congressos – um evento que visa ter palestras de especialistas sobre assuntos específicos.

Te ajudamos a entender a prática de workshops? Se restou alguma dúvida, nos deixe aqui nos comentários!

[wen_cta id=”6628″]

Qual a diferença entre congresso, feira, workshop e seminário? – Minister

Como Se Chama A Pessoa Que Faz O Workshop?

Se você está organizando um evento de qualquer porte, precisa conhecer os principais tipos: congresso, feira, workshop e seminário. Isso porque, quanto mais você souber das características peculiares de cada um, mais facilmente escolherá o melhor formato para atingir os seus objetivos.

Você também tem dúvidas sobre o assunto? Então, fique tranquilo! Neste post, vamos apresentar as diferenças entre os principais tipos de eventos. Assim, você escolhe o melhor formato para o seu. Vamos lá?

Congresso

O congresso é um encontro de diversas pessoas que se reúnem para discutir um objetivo em conjunto. Esses indivíduos estudam determinado assunto do seu interesse e se preparam para realizar uma espécie de “intercâmbio de conhecimento”.

Normalmente, reúnem-se no congresso os profissionais da mesma área de atuação para discutir os problemas da sua área, apresentando soluções para a algumas dores e também apresentar e refletir sobre as principais tendências do segmento.

No congresso, existe uma pessoa que vai apresentar um determinado trabalho, expondo e defendendo o seu ponto de vista para que os participantes compreendam a abrangência do tema — o assunto dessa apresentação é o que norteará todo o evento.

Esse apresentador (que também pode ser chamado de expositor, orador ou palestrante) precisa saber estimular a interação do seu público. Ao apresentar o tema, ele pode trabalhar em formato de palestras, simpósios, painéis e exposições.

  • Lembrando que como se trata de um evento que costuma ter muitos participantes, para a sua realização são necessários ótimos recursos tecnológicos (bons equipamentos audiovisuais).
  • Normalmente, o congresso dura de 1 a 5 dias e os textos apresentados devem ser feitos com muita cautela (sem erros, com muita pesquisa e aprofundamento teórico), uma vez que são inclusos em anais e distribuídos entre os convidados.
  • Como Se Chama A Pessoa Que Faz O Workshop?

Feira

  1. O conceito de feira é bem antigo: foi originado na Idade Média quando os comerciantes se reuniam em determinado local para vender os seus produtos para a população — essa prática foi aperfeiçoada e evoluída e ainda é muito comum em todos os países.

  2. As feiras têm um segmento principal (por exemplo: marketing, agronegócios, automotivo, têxtil e outros) e contam com expositores (que normalmente financiam o evento) e mostram os seus produtos e serviços para os participantes.

  3. Dessa maneira, os profissionais têm a liberdade para conhecer a concorrência, apresentar a sua marca para o público, distribuir brindes e trocar uma ideia com colegas da mesma área (proporcionando insights valiosos para a sua empresa).

Durante a realização do evento, podem acontecer atrações como shows, oficinas e outras maneiras de entretenimento para o público. Inclusive, muitas empresas contratam grandes shows (cujo foco principal é promover a cultura) e fazem parceria com expositores de diversos segmentos para expor a sua marca.

Então, fica a dica de que mesmo que você não realize uma feira em específico, você pode trazer esse conceito para o seu evento. Por exemplo, você pode criar um workshop sobre alimentos sem glúten e ceder um espaço (que é remunerado ou não, depende dos objetivos do seu evento) para empresas exporem os seus produtos gluten free.

Workshop

O workshop é um tipo de treinamento sobre um determinado assunto. O objetivo é que os participantes aprofundem seus conhecimentos sobre determinado tema e possam “colocar a mão na massa”.

Em outras palavras, o workshop trabalha mais com a prática do que com a teoria, uma vez que incentiva os participantes a aprenderem os conceitos de uma maneira criativa.

O workshop dura em médio um período do dia (ou o dia inteiro) e normalmente são grupos de poucas pessoas (no máximo vinte) em virtude de ser mais prático.

Primeiramente, o mediador desse tipo de evento apresenta a teoria, promove discussões e depois divide a turma em pequenos grupos para praticar os conhecimentos aprendidos. Ao final, todos debatem sobre as conclusões do assunto.

Seminário

O seminário é um método de estudo. Em outras palavras, ele é uma exposição com base em conhecimentos específicos de uma determinada área. Certamente, você já participou de um seminário na época da escola, não é mesmo?

Ele é muito comum no meio profissional e acadêmico e pode ser apresentado de forma individual ou em grupos. Então, ele deve trazer uma reflexão aprofundada sobre um determinado problema, com muito embasamento teórico.

Primeiramente, apresenta-se o tema aos participantes, induzindo-os a refletir sobre o assunto. Ao final da apresentação, abre-se um espaço para o debate, na qual, os participantes têm a oportunidade de fazer perguntas ao grupo.

Por isso, o tema do seminário precisa ser muito estudado por todos os integrantes para ter domínio da fala e também para saber o que responder em caso de perguntas mais aprofundadas. Afinal, já imaginou um participante perguntar algo que o palestrante não sabe responder? Certamente, ficará uma situação muito desagradável, você concorda?

Veja como escolher o melhor formato de evento

Agora que você aprendeu um pouco sobre o congresso, a feira, o workshop e o seminário, deve estar se questionando: como devo escolher o melhor formato de evento?

A resposta é muito simples: você precisa conferir os objetivos do seu evento. Ao fazer essa análise aprofundada no planejamento estratégico (justificativa do evento, objetivos, público, local, data e outros), certamente, conhecendo um pouco sobre cada tipo de evento, você saberá escolher o melhor formato para o seu.

Ah! Lembre-se sempre de que, seja qual for o tipo de evento escolhido, é fundamental ter total atenção com o local e com a infraestrutura do evento, certo? Imagine criar um workshop sobre fabricação de pães sem lactose, quando o local do evento não tem fornos? Ou criar um seminário para um público de 100 participantes e não ter atenção com a acústica do local? — esses são apenas alguns exemplos para você considerar na hora de fazer o planejamento do seu evento.

Neste post, você conheceu algumas diferenças entre congresso, feira, workshop e seminário. Você gostou das informações apresentadas? Agora, vamos conferir quais são os serviços das Empresas Minister que podem ajudar a tornar o seu evento mais grandioso? Clique aqui e confira agora mesmo quais são as diversas soluções em entretenimento para a sua empresa!

O QUE É WORKSHOP E COMO DIFERENCIÁ-LO DE UM CURSO?

Você sabe o que é workshop? Entenda o conceito e descubra como diferenciar um workshop de um curso.

Leia também:  Como Saber Qual O Melhor Processador?

Como Se Chama A Pessoa Que Faz O Workshop?

Você sabe o que é workshop? Provavelmente veio alguma definição a sua mente diante dessa pergunta. Mas, vamos torná-la mais desafiadora. Qual a diferença entre workshop e curso? Ainda há muita confusão entre os dois conceitos, e se você pretende organizar um evento, precisará compreendê-los adequadamente.

Nesse artigo você encontrará a resposta para as duas perguntas acima, além de várias dicas para planejamento e execução de um evento de sucesso. Vamos lá?

O que é workshop?

  • O workshop é um evento voltado ao compartilhamento de conhecimentos teóricos e práticos entre pessoas interessadas em um determinado assunto.
  • Além de explicações de especialistas, a programação inclui o aperfeiçoamento de técnicas, discussões teóricas e uma interação mais próxima entre os participantes.
  • Podemos dizer então, que esse tipo de evento nada mais é do que uma troca de experiências e conhecimentos entre pessoas que possuem objetivos semelhantes.
  • Assim como em outros modelos, o workshop possui uma estrutura bem definida, e geralmente inclui a participação de um palestrante ou instrutor, que irá conduzir toda a programação, orientando cada passo do evento.
  • Vamos entender melhor como esse conceito é trabalhado na prática.

Como funciona um workshop?

Agora que você já sabe o que é workshop, vamos tirar o conceito do papel. Entender a dinâmica desse tipo de evento irá te ajudar a definir se esse é mesmo o modelo que você pretende desenvolver.

Geralmente, a programação de um workshop se divide em quatro momentos:

Exposição do conteúdo

No início do evento é realizada um breve apresentação dos conceitos relevantes ao evento, esse momento segue o formato de uma palestra. Em muitos casos é dada a oportunidade do grupo também compartilhar suas experiências.

Breve discussão

Geralmente, os participantes são divididos em grupos menores para que possam levantar insights sobre os temas abordados.

Prática

A atividade prática pode ser desenvolvida em grupo ou individualmente, o que depende muito do exercício em questão. A tarefa é proposta pelo palestrante, que também auxilia em sua execução. Esse é um momento rico em conhecimento, já que todos tem a oportunidade de treinar o que foi aprendido.

Apresentação do resultado

A finalização do evento é um levantamento de tudo o que foi aprendido e dos resultados da apresentação inicial e da prática.

Essa estrutura é dinâmica, e deve ser trabalhada de acordo com o público-alvo e com os temas abordados, sendo adaptada conforme demanda.

Qual a diferença entre workshop e curso?

Essa é uma dúvida muito comum. É complicado falar sobre o que é workshop sem fazer a diferenciação entre esse tipo de evento e um curso, afinal, muitas vezes esses conceitos se confundem.

De fato, são dois formatos muito similares, principalmente no que diz respeito aos seus objetivos, que são o compartilhamento de conhecimento. Contudo, não são sinônimos.

A primeira diferença está no tempo de duração. Enquanto o curso pode durar semanas e até meses, geralmente com uma finalidade profissionalizante, o workshop é algo mais pontual, durando apenas algumas horas.

No primeiro, as informações são trabalhadas de forma a tornarem-se gradualmente mais complexas, no último, o conhecimento é completamente passado em um curto período.

Outra forma simples de diferenciar os dois modelos é pelo formato. No workshop a didática prática ganha mais ênfase, embora em ambos haja um momento de apresentação, como uma palestra.

Além disso, no modelo workshop, está mais presente a interação entre os participantes, que compartilham seus conhecimentos e experiências, acrescentando ao desenvolvimento teórico e prático do evento.

Esses são os principais aspectos usados para fazer a diferença entre o que é curso e o que é workshop, contudo, de maneira alguma podemos engessar tais conceitos. Bem como outros tipos de eventos, eles devem ser adaptados e trabalhados de acordo com as demandas do público-alvo.

Diz aí, como anda a programação do seu evento? Já escolheu o local ideal? O Centro de Convenções de Vitória é a escolha certa. Temos salas de diferentes tamanhos, ideais para qualquer tipo de evento. Sem falar em nossa localização privilegiada na capital capixaba.

Agende uma visita!

A DIFERENÇA ENTRE PALESTRA, WORKSHOP, OFICINA E CURSO

Como Se Chama A Pessoa Que Faz O Workshop?

Olá, Consultora! Tudo bem?

Na área de Consultoria de Imagem e Estilo você já deve ter visto muitas pessoas (inclusive eu mesma) que ministram palestras, cursos, workshops e oficinas, correto? Mas muitas Consultoras ainda não sabem a diferença entre cada um deles. É muito importante saber sobre as particularidades de cada um, principalmente no caso de você ser convidada ou contratada para ministrar algum deles e se sentir perdida, sem saber exatamente o que fazer.

Saber o objetivo de cada um deles e suas características deixarão você mais segura sobre o que pode aceitar ou não de propostas e qual o conteúdo mais adequado em cada situação. Vamos lá?

PALESTRA

A maior confusão é feita entre palestra e curso. Muitas pessoas são chamadas para dar palestras, mas, pela carga horária e objetivo, acabam dando praticamente um curso e sequer se dão conta.

OBJETIVO: Informar, portanto, não ensinamos nenhuma técnica em uma palestra, “apenas” passamos informações importantes sobre determinado tema ou assunto, compartilhando nossos conhecimentos.

Em uma palestra na nossa área, por exemplo, podemos dizer como funciona o nosso trabalho, como são feitas as etapas da Consultoria, o que é uma Consultoria de Imagem e Estilo, etc., mas sem ensinar tais técnicas ou procedimentos.

É pura informação.

CARGA HORÁRIA: No máximo, 3 horas. Ou seja, pode ser uma palestra de 20 minutos, 40 minutos, 1 hora e meia, duas horas… até, no máximo, 3 horas, para ser considerada realmente uma palestra.

NÚMERO DE PARTICIPANTES: Não há número limite de participantes. Por ser meramente informativa, uma palestra pode ser dada para um grupo de 15 até 10 mil pessoas ou mais.

CURSO

OBJETIVO: Profissionalizar, ou seja, ensinar algo que os participantes possam colocar em prática e ganhar dinheiro com isso, se profissionalizando/aperfeiçoando em determinada área.

No caso da Consultoria de Imagem e Estilo, não existe um curso profissionalizante credenciado por um órgão superior (como são os cursos técnicos, superiores, etc.)­, por isso encontramos tantos cursos de formação disponíveis no mercado.

Se você pretende desenvolver e ministrar um Curso de Formação em Consultoria de Imagem e Estilo, o principal a saber é que precisa ter um conteúdo que capacite o participante a ser um profissional nessa área e a carga horário deve ser maior.

  • CARGA HORÁRIA: Mais de 15 horas.
  • NÚMERO DE PARTICIPANTES: Isso é definido por quem oferece o curso e não há um limite estabelecido.
  • WORKSHOP / OFICINA

OBJETIVO: Ensinar uma técnica. Quem oferece um workshop ou uma oficina tem que ter em mente que vai ensinar uma técnica e não simplesmente transmitir informações. É preciso mostrar, na prática, como essa técnica funciona, como pode ser aplicada e os participantes, ao final do processo, devem saber como colocar em prática tudo o que aprenderam

DETALHE: Ao contrário do workshop, a oficina DEVE ter uma parte prática em seu conteúdo, ou seja, os participantes vão ter que “colocar a mão na massa” para mostrarem se realmente aprenderam o que foi ensinado. Já, para o workshop, não existe essa necessidade.

CARGA HORÁRIA: Mais de 3 horas (até 15 horas).

NÚMERO DE PARTICIPANTES: Também é definido por quem vai ministrar o workshop/oficina. Lembre-se que, no caso das oficinas, como é preciso ter a parte prática, limitar o número de participantes garante maior qualidade, pois você poderá acompanhar mais de perto cada um dos participantes.

Esclarecidas as diferenças, quero falar de outra dúvida que recebo bastante, tanto das Consultoras que participam desses eventos como daquelas que os promovem: o CERTIFICADO.

Como eu disse anteriormente, nossa profissão não tem um curso oficial regulamentado e, portanto, não existe a obrigação de fornecer um certificado, mas, por outro lado, ele serve como comprovante de participação naquele evento, agregando valor ao seu currículo (tanto de quem participa como de quem ministra). Eu costumo oferecer certificado em todos os cursos e workshops que ministro, pois acho importante que todas as participantes possam ter esse comprovante.

Agora ficou muito mais fácil entender a nomenclatura e o que cada um desses eventos oferece. Assim você fica mais segura quando for chamada/contratada para ministrar algum deles e também, quando for como participante, saberá exatamente o que esperar.

  1. Lembre-se sempre que uma Consultora que compartilha seus conhecimentos com os outros é, com certeza, uma Consultora de sucesso!
  2. Um Super Beijo
  3. Lilian Jordão

Sou Consultora de Imagem e Estilo. Morei em Nova York durante uma temporada, onde estudei Consultoria de Imagem na FIT. Atendo clientes e ministro palestras de forma online e procuro mostrar a moda e estilo de uma forma diferente e fácil, tanto para clientes quanto para consultores. Para saber mais sobre como posso ajudar você, clique aqui.

Workshop: o que é, aplicações e tudo o que você precisa saber

Uma das ferramentas mais efetivas para que uma empresa alcance resultados ainda melhores são os workshops. Eles já fazem parte da sua estratégia?

  • Para potencializar a produtividade, uma empresa não pode permitir que seus clientes ou colaboradores permaneçam na zona de conforto.
  • É preciso estimulá-los a aprender, a conhecer novas possibilidades e a renovar o engajamento com a marca.
  • Se um workshop ainda não faz parte da sua estratégia de crescimento, vamos explicar neste artigo os motivos pelos quais você deveria pensar nisso! 
Leia também:  Como Saber Que O Gato Gosta De Voce?

Ao longo dos próximos tópicos mostraremos porque esses eventos são importantes e o que fazer para alcançar os melhores resultados por meio deles. Confira!

O que é workshop?

O workshop é um evento que reúne pessoas interessadas em ampliar seus conhecimentos sobre um assunto específico, especialmente quando a proposta é que essa aprendizagem aconteça por meio de atividades práticas.

O termo workshop pode ser traduzido como oficina. Portanto, trata-se de um evento em que ocorrem mais do que apenas palestras teóricas.

Quem se inscreve tem o objetivo de “pôr a mão na massa”, tirar dúvidas e interagir com outros participantes.

É possível realizar esse tipo de evento sobre os mais diversos assuntos, desde culinária, artes, fotografia, marketing, defesa pessoal, práticas jurídicas e contábeis, métodos de ensino, técnicas de vendas e negociação, entre outros.

Exemplos de workshops

  1. Os workshops podem ser planejados com diversas finalidades, como você verá nos exemplos a seguir. 
  2. Algumas empresas criam workshops de treinamento, voltados principalmente para seu público interno.

  3. É uma forma de proporcionar o aprendizado de questões práticas que interferem no dia a dia, melhorando a performance do grupo e potencializando os resultados do negócio.
  4. Em alguns casos, esses treinamentos da equipe também são realizados para colaboradores de outras empresas, mediante pagamento.

Outro exemplo é o dos workshops para divulgação.

Essa é uma prática comum no setor de cosméticos, que faz workshops ensinando os cabeleireiros e esteticistas a obter melhores resultados usando os produtos lançados pela marca.

Também existem os workshops voltados para captar clientes. Uma ou mais empresas que compartilham o mesmo público-alvo criam um ciclo de oficinas com temas de interesse de possíveis clientes.

Embora elas tragam informações relevantes, elas também vão evidenciar as vantagens ou a necessidade de contratar serviços que os promotores do evento oferecem.

Para tratar de todos os tipos de workshops possíveis, precisaríamos de muito mais que um post dedicado apenas a esse assunto.

Porém, a partir desses exemplos você deve ter percebido o potencial dessa estratégia e pensado em alternativas para usá-la em seu negócio, certo? Continue a leitura para seguir aprendendo!

Diferenças entre workshop e curso

Embora tenham temáticas e dinâmicas semelhantes, existem algumas diferenças básicas entre estes dois modelos de aprendizagem, cursos e workshops.

Os workshops costumam ser mais curtos e extremamente pontuais. Portanto, quem se inscreve está planejando aprender alguma atividade específica de forma prática.

O curso, por sua vez, é um pouco diferente. Embora no mercado também existam opções de cursos de curta duração, eles costumam ter um programa mais abrangente.

O objetivo desse tipo de proposta é encadear conteúdos para que os alunos tenham uma visão do tema desde a base até o aprofundamento.

Na maioria das vezes, os cursos usam uma exposição mais teórica, embora também possam conter algumas atividades práticas.

Como montar um workshop

Workshops são recursos eficientes para gerar oportunidades de negócio e engajamento entre empresas e consumidores. Porém, para que ele seja bem-sucedido, alguns pré-requisitos precisam ser preenchidos. 

Confira o passo a passo de como montar um workshop:

Estabeleça um objetivo

Você pretende capacitar seus colaboradores? Captar consumidores? Manter o engajamento dos seus clientes atuais?

Responder a essas perguntas é o primeiro passo para criar seu workshop e tomar as demais providências. O objetivo é o que norteará todas as suas próximas ações.

Conheça o seu público-alvo

Depois de definir um objetivo, procure conhecer seu público-alvo. Descubra quais são os principais problemas e necessidades deles e como eles podem ser solucionados com o evento.

Afinal, não adianta falar de um tema interessante para seu negócio, mas que não é visto como útil pelo seu público-alvo, concorda?

Escolha um tema

A partir dos resultados do item anterior, estabeleça um tema que atinja as necessidades do seu público-alvo.

Procure desenvolver uma conexão entre as dores que você identificou no seu público-alvo e a solução que a empresa vai oferecer através do workshop.

Defina o local, a data e o horário

  • O ideal é fazer essa escolha com bastante antecedência, tanto para ter um bom tempo de divulgação quanto para atrair públicos específicos.
  • Uma loja de artigos para artesanato, por exemplo, pode fazer um workshop de enfeites natalinos em setembro ou outubro, que deve ser divulgado a partir de julho.
  • Esse tempo de antecedência na divulgação do workshop é essencial para que artesãos interessados tenham tempo para se programar, participar e oferecer os produtos aos seus clientes.

Convide os instrutores

Para que seu workshop seja relevante, ele precisa ser dirigido por pessoas que têm bagagem para contribuir.

Por isso, os instrutores que conduzirão o evento precisam ser verdadeiras referências e autoridades no assunto tratado no workshop.

Procure convidar profissionais destacados em sua própria empresa ou esforce-se para convidar referências externas. Isso enriquecerá muito o workshop de sua empresa.

Faça um orçamento

  1. Inclua na programação os custos com o local, os materiais que serão utilizados, a locação de equipamentos, as despesas com os palestrantes e até mesmo custos adicionais, como o coffee break.

  2. Se for conveniente e couber no orçamento de sua empresa, você também pode distribuir um kit de boas vindas aos participantes — ou até mesmo sortear brindes entre eles.

  3. O importante é mapear todos esses custos em um orçamento bem estruturado para o evento, de modo que a conta não estoure e pegue a sua empresa de surpresa.

Defina se o evento será pago ou gratuito

Isso depende muito do objetivo do seu workshop e da reputação que a sua empresa tem no mercado. Se a intenção é treinar seus funcionários, por exemplo, não faz sentido cobrar pelo evento.

Se você é dono de um restaurante natural e vai ensinar receitas às pessoas que desejam alimentar-se melhor, nada impede a cobrança. Inclusive, essa pode ser uma fonte de renda adicional para muitas empresas ou profissionais.

Crie uma estratégia de divulgação

Para divulgar o seu evento, pense mais uma vez no seu público-alvo. Descubra onde ele consome informação e utilize esses meios para atingi-lo.

Para alguns tipos de negócios, os canais digitais são a melhor alternativa. Já para outros, uma parceria com outros estabelecimentos e negócios de interesse desse público-alvo é uma estratégia de divulgação que garantirá melhores resultados.

Por isso, pesquise e descubra qual será a melhor alternativa para a sua empresa. Sempre pense em como atingir o público-alvo do seu evento na hora e no local correto.

Planeje as inscrições

É importante que as pessoas se inscrevam com antecedência. Por isso, estabeleça um prazo máximo e até mesmo um limite de participantes, de acordo com a capacidade do local e as atividades que serão realizadas.

As inscrições oferecem uma base de cálculo para os materiais e equipamentos necessários para comprar ou alugar.

Não se esqueça de inserir no formulário campos para informações de contato, que serão importantes para a coleta de feedback futuro ou mesmo convidá-los para novos workshops.

Prepare o evento

Nos dias que antecedem o workshop, trate de cada detalhe do evento. Certifique-se de que a estrutura física e os equipamentos estão em ordem para receber os participantes.

Na data, coloque uma equipe para receber e orientar os convidados. Garanta que tudo ocorrerá da melhor maneira possível no dia do workshop e o seu evento certamente será um sucesso!

Envie os certificados

As pessoas gostam de guardar uma lembrança ou uma certificação que ateste a participação delas em workshops. Especialmente quando estes workshops tratam de temas profissionais.

Por isso, desenhe e envie certificados de participação no workshop para as pessoas que compareceram. Ao enviar estes certificados, você também demonstrará organização e apreciação — isso se reflete em um aumento de autoridade para a sua empresa.

Invista no pós-evento

Muitas vezes, o resultado de um workshop vem após o evento. Por isso, utilize as informações de contato para criar um relacionamento com os participantes.

Comece solicitando uma avaliação por e-mail, por exemplo, e ofereça a oportunidade de se inscreverem em uma newsletter.

Enviar, periodicamente, conteúdos referentes a assuntos relacionados ao workshop também auxilia na criação de um relacionamento que gera possibilidades e oportunidades para oferecer novos produtos e serviços futuramente.

Workshop online: é possível fazer?

A resposta é sim! É possível oferecer workshops completos e muito ricos pela internet!

Para isso, você deve repetir os mesmos 12 passos para organizar um workshop que citamos acima, tais como:

  • estabelecer um objetivo;
  • conhecer seu público-alvo;
  • escolher um tema;
  • definir a data e o horário;
  • convidar os instrutores;
  • fazer um orçamento;
  • definir se o evento será pago ou gratuito;
  • criar uma estratégia de divulgação;
  • planejar as inscrições;
  • checar no dia se está tudo certo;
  • enviar os certificados;
  • cuidar do pós-evento.

A diferença fica mesmo por conta da economia com as despesas relativas ao espaço onde o evento ocorreria, aos profissionais de apoio envolvidos e à infraestrutura para receber os participantes. Por outro lado, é preciso adicionar ao orçamento a assinatura de uma boa plataforma para alocar as atividades do workshop na internet.  

Além disso, realizar um workshop online pode ser mais rápido do que organizar um evento presencial. Afinal, alguns detalhes ficam mais simples quando a oficina acontece remotamente, como, por exemplo, a eliminação da necessidade de um espaço e o alinhamento entre as agendas dos instrutores e a data marcada para a realização do workshop.

Como vimos, promover um workshop é uma maneira de engajar profissionais que trabalham remotamente, de aproximar-se dos seus clientes, de fazer com que a sua empresa seja conhecida por um novo público e de posicionar o seu negócio como uma autoridade em determinado assunto. 

Seja online ou presencial, investir nesse tipo de evento pode trazer excelentes resultados! 

Gostou desse conteúdo? Assine a nossa newsletter e receba materiais como este na sua caixa de entrada em primeira mão!

Como Se Chama A Pessoa Que Faz O Workshop?

10 dicas essenciais para organizar um workshop

Você já se perguntou o que é workshop e como se monta esse tipo de evento? Se sim e ainda não sabe a resposta, não se preocupe! Esse artigo vai tirar todas as suas dúvidas e ainda vai te ajudar a fazer o seu workshop acontecer!

Nos dias de hoje, MUITA gente se interessa pelo formato, o que faz com que muitos organizadores também tenham interesse em organizá-lo, e não é à toa!

O grande atrativo do workshop está na sua estrutura, que permite, de forma prática e rápida, que os participantes se especializem em determinado assunto.

Mas vamos por partes. Primeiro, que tal entender o significado de workshop?

O que é workshop?

Workshop vem do inglês e significa “Oficina”. Vanessa Martin, especialista em eventos, define o workshop da seguinte forma:

“Workshop é muito utilizado pela área empresarial, com objetivo promocional ou comercial.

É um evento de curta duração (poucas horas), dividido em duas partes: a primeira delas é expositiva sobre um tema, serviço ou produto.

A segunda é mais prática, com a apresentação e o teste do produto ou serviço. Tem o mesmo formato da oficina, diferindo desta apenas pelo caráter educacional desta última.”

Do ponto de vista mais acadêmico e científico, o Capes enxerga e define o workshop como:

“Reunião de pesquisadores e/ou técnicos que dão apoio à pesquisa, em torno do desenvolvimento de técnicas, metodologias ou práticas que sejam úteis à condução de pesquisa em determinado campo. O workshop pode ser conduzido por um pesquisador/profissional ou sua condução pode ser compartilhada em função de seus objetivos específicos”.

Em suma, um workshop se trata de uma aula ou oficina que trata de assuntos específicos de forma mais prática. E, por lidar com tanta especificidade, eles costumam ser mediados por especialistas, que são profissionais de grande experiência.

Além disso, o workshop é um evento mais dinâmico quando se comparado a uma palestra, por exemplo. Nele, é possível ter a participação direta do público por meio de debates, da realização de atividades e da troca de experiências.

São alternativas rápidas de adquirir conhecimentos e, principalmente, de colocá-los em prática.

No ambiente corporativo, são muitas as empresas que realizam workshops empresariais internos com o objetivo de capacitar e treinar os seus funcionários quanto ao uso de uma ferramenta ou a implementação de um novo processo, por exemplo. E também workshops para lançar e apresentar novos produtos e serviços a uma rede de médicos, advogados, empresários… Tudo depende do objetivo da empresa.

Para que serve um workshop?

A proposta de um workshop é que os conhecimentos sejam adquiridos através da experiência conjunta gerada em um grupo de discussão. Além disso, uma característica fundamental do workshop é que, nele, os assuntos são abordados de maneira bem mais prática do que teórica.

Claro que os conceitos e a teoria não são deixados de lado! Mas o real objetivo é que o participante coloque em prática aquilo que aprendeu. Como funciona um workshop? Qual a sua duração?

Normalmente, os workshops duram até 8 horas, ocorrendo em um único dia, diferentemente dos cursos, que possuem duração mais longa.

Em geral, os workshops funcionam através da exposição do tema, debates em grupos, exercícios práticos e da conclusão de todos sobre a temática abordada. A oficina é ministrada por um instrutor ou palestrante com expertise na área de conhecimento.

Os participantes, ao saírem do workshop, devem se sentir aptos a colocarem em prática aquilo que aprenderam nas horas de atividade.

Vantagens e desvantagens do workshop

Naturalmente, assim como qualquer outro tipo de evento acadêmico, o workshop possui vantagens e desvantagens.

Vantagens do workshop

  • Menor custo quando comparado a um curso
  • O participante aprende na prática
  • Geralmente, tem duração de até 8 horas
  • Possibilidade de ampliar a rede de networking na sua área de conhecimento
  • Forma de se atualizar e se especializar em um assunto específico

Desvantagens do workshop

  • Algumas temáticas requerem um espaço físico e instrumentos apropriados (exemplo: Workshops sobre acupuntura necessitam ter à disposição agulhas, macas, etc.)
  • É preciso deixar claro o nível de conhecimento exigido para a participação no workshop a fim de igualar as expectativas dos participantes.
  • No formato online, é preciso pensar em alternativas para algumas atividades práticas, a depender do tema do workshop. Confira 6 apps de interatividade para eventos online.

Tipos de workshop

Você pode organizar workshops dos mais variados temas: Como elaborar artigos científicos, como fazer naked cakes para vender, oratória para principiantes. É só definir e especificar bem o assunto.

Afinal, o workshop dura apenas algumas horas. Então, a comunicação e o planejamento precisam ser bem assertivos. Você pode fazer:

  • Workshop de culinária;
  • Workshop de primeiros socorros;
  • Workshop de maquiagem;
  • Workshop sobre liderança;

Palestra e Workshop: Qual é a Diferença?

Palestras e workshop, cada vez mais comuns no mundo corporativo, os eventos são uma oportunidade de ampliar a visão de colaboradores e profissionais de um determinado segmento por meio do olhar de quem está, muitas vezes, de fora daquela organização.

Além de contribuir para a gestão do conhecimento, oportunidade para novas parcerias e networking, eventos como palestra e workshop acabam fomentando um espaço propício para a criatividade, com a geração de novos insights que podem se tornar valiosos para a corporação.

No texto de hoje vamos explicar qual a diferença entre palestra e workshop para que você nunca mais fique na dúvida. Confira!

Como funciona uma palestra?

As palestras são apresentações orais de curta duração – geralmente variam entre 1 e 2 horas – em que o palestrante introduz um determinado tema e provoca insights e interações junto ao público. Você certamente já participou de alguma, seja na escola, na faculdade ou mesmo na sua empresa.

Existem diversos formatos de palestras, algumas são abertas para participação do público, e, em geral, o palestrante faz uma apresentação sobre um tema relevante e compartilha alguma experiência marcante na sua trajetória com o público. Pode ser um case de sucesso, uma vivência profissional, ou como foi o processo criativo para o desenvolvimento de um novo serviço.

O palestrante, em geral, é uma referência no assunto a que se propõe falar. Pode ser um nome reconhecido graças a uma visibilidade dada por um canal de comunicação, por exemplo, ou um especialista em uma determinada área acadêmica.

Afinal, o público que foi até ali tem alguma familiaridade (mesmo que seja apenas interesse) com o tema e tem uma expectativa de deixar o local com mais bagagem do que entrou.

Afinal de contas, o que é um workshop?

O nome, por si só, já diz a que veio: workshop quer dizer “oficina”. De maneira geral, essa prática é mais extensa. Existem workshops de algumas horas ou mesmo de um fim de semana inteiro.

A ideia é que o facilitador seja uma referência no assunto (assim como o palestrante) e ajude o público a desenvolver suas habilidades naquele determinado assunto. Ou seja, o workshop também tem um quê de prática, já que o objetivo é que as pessoas desenvolvam um determinado projeto ou ideia e discutam sobre isso no final.

O público é agente ativo nessa prática porque vai construir, junto ao facilitador, alguma solução para um problema abordado ali. Por isso mesmo, o workshop é tratado muito mais como um treinamento do que como um processo de escuta.

Então, qual a diferença entre palestra e workshop?

Não existe só uma diferença entre palestra e workshop. São várias. Uma pessoa que vai a uma palestra esperando um workshop, provavelmente, sairá de lá bastante frustrada.

Em uma palestra, o público é ouvinte, embora muitos palestrantes gostem de encorajar a participação da plateia durante todo o evento. Seu papel é limitado a ouvir o que o palestrante tem a apresentar e, eventualmente tirar alguma dúvida. Na palestra, a estrela é o palestrante. Já no workshop, a colaboração entre facilitador e o público é muito maior.

Outra diferença é a duração dos eventos. A palestra é mais curta e, o workshop, mais longo.

Uma palestra também tem um foco mais teórico e reflexivo. A plateia é convidada a pensar em uma determinada situação e refletir sobre as lições apresentadas pelo palestrante. Já no workshop, o público deve apresentar algo mais concreto, uma solução, protótipo ou ideia em estágio mais avançado.

Agora que você já sabe qual é a diferença entre palestra e workshop, que tal conhecer um pouco mais sobre nosso time de palestrantes?

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*