Como Se Chama A Ciencia Que Estuda As Celulas?

A Biologia é uma ciência extremamente importante, uma vez que é responsável por estudar a vida nos seus mais variados aspectos. Ela permite a compreensão de como os organismos funcionam e interagem e, desse modo, torna-se essencial também no âmbito da saúde e meio ambiente. Percebe-se, portanto, que a Biologia é uma ciência que faz parte do nosso dia a dia.

Leia também: Características dos seres vivos

Significado de Biologia

Biologia é uma palavra formada por dois elementos de origem grega:

Bio = Vida + Logos = Estudo

A palavra Biologia significa, portanto, o estudo da vida.

O que a Biologia estuda?

ABiologiaé a ciência que estuda a vida.Ela se preocupa com o estudo de seres unicelulares até os pluricelulares e também dos vírus, que são organismos acelulares. Estuda ainda tanto os seres viventes como aqueles que já foram extintos.

Estudando a Biologia compreendemos a estrutura e funcionamento dos organismos vivos e dos mecanismos evolutivos, descrevemos as espécies do nosso planeta, entendemos as interações que existem entre as diferentes espécies e destas com o meio, entre vários outros aspectos.

Leia também: A história da Biologia

Podemos demonstrar a importância do estudo da Biologia no dia a dia das pessoas quando pensamos, por exemplo, na saúde. Pense no vírus da gripe como exemplo.

A Biologia é capaz de identificar um vírus, suas características, os danos que ele pode causar e como o nosso organismo responde a ele.

Desse modo, a Biologia é fundamental para o entendimento da transmissão, prevenção e tratamento de doenças.

Como Se Chama A Ciencia Que Estuda As Celulas? A Biologia apresenta grande relevância para a área da saúde.

Além disso, quando compreendemos a interação dos organismos entre eles e deles com o meio em que vivem (foco de estudo da Ecologia), somos capazes de criar medidas que visam à proteção desses organismos e à diminuição de impactos ambientais que possam causar danos a nossa saúde e de outros seres. Desse modo, vemos que a Biologia também se preocupa com o futuro do planeta.

Leia também: Aquecimento global e extinção de espécies

Áreas da Biologia

  • A Biologia pode ser dividida em diversas áreas, cada uma com foco em um ponto essencial do estudo dos organismos vivos. Veja algumas das áreas de estudo da Biologia:
  • • Anatomia: estuda a estrutura dos seres vivos.
  • • Biologia Celular: estuda as células.
  • Bioquímica: estuda as reações químicas que ocorrem nos seres vivos.
  • Botânica: estuda as plantas.
  • Ecologia: estuda a interação dos seres vivos entre si e com o meio em que vivem.
  • Como Se Chama A Ciencia Que Estuda As Celulas? A área da Biologia que estuda a relação dos seres vivos entre si e com o meio é chamada de Ecologia.
  • • Embriologia: estuda o desenvolvimento embrionário dos organismos vivos.
  • • Evolução: estuda as mudanças que ocorrem nos seres vivos ao longo do tempo.
  • • Ficologia: estuda as algas.
  • Fisiologia: estuda como o corpo dos seres vivos funciona.
  • Genética: estuda os mecanismos da hereditariedade.
  • • Herpetologia: estuda répteis e anfíbios.
  • • Histologia: estuda os tecidos.
  • • Zoologia: estuda os animais.

Curso de Biologia

O curso de Ciências Biológicas direciona-se para quem quer aprofundar-se na área da Biologia. Ele é oferecido na modalidade de bacharelado ou licenciatura.

No bacharelado, o profissional estará apto a atuar como biólogo; na licenciatura, o profissional estará apto a ministrar aulas no Ensino Fundamental e Médio. Vale salientar que o profissional licenciado pode exercer a profissão de biólogo caso esteja devidamente registrado no Conselho de sua região.

De acordo com o Conselho Federal de Biologia, para ser um biólogo, é necessário ter cursado um curso de História Natural, Ciências Biológicas ou Ciências com habilitação em Biologia.

Durante o curso de Ciências Biológicas, o aluno encara diferentes disciplinas, as quais podem variar de uma instituição de ensino para outra.

As principais disciplinas do curso são: Anatomia, Bioestatística, Biofísica, Biogeografia, Biologia Celular, Biologia Molecular, Bioquímica, Ecologia, Embriologia, Evolução, Fisiologia Humana, Fisiologia Vegetal, Genética, Geologia, Histologia, Morfologia Vegetal, Parasitologia e Zoologia. Nos cursos de licenciatura, temos ainda disciplinas como Didática e Metodologia de Ensino.

Como Se Chama A Ciencia Que Estuda As Celulas? Após a conclusão do curso, o profissional deve registrar-se no Conselho para que possa atuar como Biólogo.

Após a realização do curso de Ciências Biológicas, que dura, em média, oito semestres (quatro anos), o profissional estará apto para iniciar sua carreira, atuando como professor de Ciências e Biologia ou ainda como biólogo. O profissional pode ainda realizar formação adicional em uma pós-graduação para poder ministrar aulas no Ensino Superior.

Áreas de atuação do biólogo

O Biólogo regularmente registrado nos Conselhos Regionais de Biologia pode atuar nas áreas de Meio Ambiente e Biodiversidade, Saúde e Biotecnologia e Produção.

Na área de Meio Ambiente e Biodiversidade, o profissional pode atuar, por exemplo, nas áreas de bioética, biomonitoramento, controle de vetores e pragas, ecoturismo, educação ambiental, fiscalização/vigilância ambiental, mudanças climáticas, restauração/recuperação de áreas degradadas e contaminadas, saneamento ambiental, treinamento e ensino na área de meio ambiente e biodiversidade.

  1. No que diz respeito à Biotecnologia e Produção, o biólogo pode atuar nas áreas de biodegradação, bioinformática, biossegurança, cultura de células e tecidos, desenvolvimento e produção de organismos geneticamente modificados (OGM), perícia/biologia forense, processos biológicos de fermentação e transformação e treinamento e ensino em biotecnologia e produção.
  2. Como Se Chama A Ciencia Que Estuda As Celulas? Meio Ambiente e Biodiversidade é uma das áreas de atuação do biólogo.
  3. Com relação à saúde, o biólogo pode atuar nas áreas de aconselhamento genético, análises citogenéticas, análises citopatológicas, análises clínicas, gestão de bancos de células e material genético, terapia gênica e celular, saúde pública/vigilância epidemiológica e saúde pública/vigilância sanitária.
  4. Leia também: O que é Biologia Forense?
  5. Por Ma. Vanessa Sardinha dos Santos

Biologia – História animal, genética e reinos do mundo vivo – Brasil Escola

Biologia é uma ciência que se preocupa com o estudo da vida. É importante destacar que seu estudo vai além da identificação dos seres vivos, sendo responsável por entender a vida em vários níveis. A seguir, vamos conhecer mais a respeito dessa importante ciência.

O que significa biologia?

A palavra “biologia” é formada por dois elementos de origem grega:bio + logos. Bio significa vida, e logos significa estudo. Assim, biologia significa, literalmente, o estudo da vida.

Como Se Chama A Ciencia Que Estuda As Celulas?

Leia também: Glossário de Biologia

O que a Biologia estuda?

A Biologia é responsável pelo estudo dos seres vivos em seus mais diferentes aspectos. Isso quer dizer que é um estudo complexo que avalia os diversos níveis de um ser vivo.

Na Biologia, estudam-se desde os aspectos químicos que ocorrem no interior das células (Bioquímica) até as interações existentes entre os seres vivos de diferentes espécies (Ecologia).

Além disso, essa ciência preocupa-se em analisar também os organismos que viveram no passado e os que vivem atualmente em nosso planeta. A Biologia apresenta, portanto, diversas áreas, cada uma especializada em um aspecto da vida.

É importante destacar que a Biologia estuda também diversos aspectos atuais e relevantes para a humanidade, permitindo que compreendamos a vida como um todo e tornando possível que entendamos, por exemplo, nosso papel no planeta e os impactos das nossas ações na vida dos outros seres vivos. Sendo assim, fica claro que essa ciência é fundamental para a preservação do meio ambiente, ajudando-nos a entender processos como perda de biodiversidades e impactos das mudanças climáticas na sobrevivência dos seres vivos.

Além desse papel essencial em relação à preservação do meio ambiente, não podemos deixar de citar a relação entre a Biologia e a saúde.

A ciência biológica é capaz de estudar agentes causadores de doenças, vetores, a ação de uma doença no organismo humano, a reação do organismo a uma infecção e a cura de determinadas doenças.

A Biologia, portanto, tem aplicabilidade direta no nosso dia a dia, ajudando também a manter a saúde da população.

Áreas da Biologia

Por ser uma ciência extremamente complexa, a Biologia é dividida em diversas áreas, cada uma com um enfoque especial sobre a vida. Veja a seguir algumas áreas da Biologia e o que elas estudam:

Como Se Chama A Ciencia Que Estuda As Celulas? A Botânica é uma das áreas de estudo da Biologia.

  • Anatomia: preocupa-se com o estudo da estrutura dos seres vivos.
  • Biologia Celular: realiza o estudo das células.
  • Bioquímica: responsável por estudar as reações químicas que ocorrem nos seres vivos.
  • Botânica: responsável pelo estudo das plantas.
  • Ecologia: compreende a interação entre os seres vivos entre si e com o meio ambiente em que vivem.
  • Embriologia: estuda o desenvolvimento embrionário dos organismos vivos.
  • Evolução: preocupa-se em compreender as mudanças que ocorrem nos seres vivos ao longo do tempo.
  • Fisiologia: responsável pelo estudo do funcionamento do corpo dos seres vivos.
  • Genética: tem como foco o estudo dos mecanismos da hereditariedade.
  • Histologia: responsável pelo estudo dos tecidos.
  • Microbiologia: estuda os micro-organismos, como vírus e bactérias.
  • Zoologia: estuda os animais.

Curso de Biologia

O curso de Ciências Biológicas é voltado para aqueles que desejam seguir carreira na área de Biologia. Com duração média de 8 semestres (4 anos), é oferecido em duas modalidades:

  • Bacharelado: o profissional formado estará apto a atuar como biólogo após o registro no Conselho de sua região.
  • Licenciatura: o profissional estará apto a ministrar aulas para o ensino fundamental e médio. Vale salientar que o profissional licenciado em Ciências Biológicas poderá também exercer a profissão de biólogo se registrado devidamente no Conselho de sua região.
Leia também:  Como Se Chama A Arvore Que Da Romã?

Como Se Chama A Ciencia Que Estuda As Celulas? A Genética é uma das disciplinas estudadas nos cursos de Ciências Biológicas.

Independente da modalidade escolhida, o aluno irá cursar disciplinas relacionadas aos seres vivos, as quais podem variar de uma instituição de ensino para outra.

Entre as principais matérias cursadas pelo aluno do curso de Biologia, estão: Anatomia, Bioestatística, Biofísica, Biogeografia, Biologia Celular, Biologia Molecular, Bioquímica, Ecologia, Embriologia, Estatística, Evolução, Física, Fisiologia, Genética, Geologia, Histologia, Imunologia, Morfologia Vegetal, Paleontologia, Parasitologia, Sistemática Vegetal e Zoologia de Invertebrados e Vertebrados.

Leia também: O que é Biologia Forense?

Nos cursos de licenciatura, observa-se ainda a presença de disciplinas voltadas para a área de docência, as quais visam a familiarizar o aluno com a prática em sala de aula. Entre as disciplinas encontradas na licenciatura, podemos citar: Didática, Práticas de Ensino, Políticas Educacionais e Metodologia de Ensino.

Áreas de atuação do biólogo

Como Se Chama A Ciencia Que Estuda As Celulas? O biólogo poderá atuar na área da saúde.

Para atuar como biólogo, o profissional deverá procurar os Conselhos Regionais de Biologia para a realização de seu registro. Após devidamente registrado, o profissional poderá atuar nas seguintes áreas:

  • Meio ambiente e biodiversidade: o profissional poderá atuar, por exemplo, no ecoturismo, educação ambiental, gestão ambiental, microbiologia ambiental, mudanças climáticas, planejamento, criação e gestão de unidades de conservação/áreas protegidas, restauração/recuperação de áreas degradadas e contaminadas, saneamento ambiental e treinamento e ensino na área de meio ambiente e biodiversidade.
  • Biotecnologia e produção: o profissional poderá trabalhar, por exemplo, com biodegradação, bioética, bioinformática, biologia molecular, bioprospecção, biorremediação, biossegurança, cultura de células e tecidos, melhoramento genético e gestão da qualidade.
  • Saúde: o biólogo poderá atuar, por exemplo, no aconselhamento genético, análises clínicas, análises histopatológicas, processos e pesquisas em banco de órgãos e tecidos, reprodução humana assistida, saúde pública, terapia gênica e celular e saneamento.

Por Ma. Vanessa Sardinha dos Santos

Qual é a área da Biologia que estuda os animais? Veja aqui!

Você é apaixonado pela natureza e por todas as suas formas de vida? Tem vontade de transformar essa paixão numa carreira, mas não sabe como chegar lá? Calma, temos uma excelente notícia pra você: existe uma área da Biologia que estuda os animais e suas interações com o meio ambiente com foco total!

É exatamente isso! Na faculdade de Ciências Biológicas, você tem contato com as inúmeras esferas do conhecimento que se dedicam a investigar e a compreender de que forma insetos, aranhas, peixes, anfíbios, mamíferos e demais organismos se adaptam às condições bióticas e abióticas do planeta. Ainda pode se especializar e atuar em projetos de conservação da biodiversidade e de manejo de fauna.

Opa! Você ainda não sabe o que são as Ciências Biológicas? Então, continue por aqui. Além de falar sobre a área da Biologia que estuda os animais, a gente vai mostrar a infinidade de possibilidades profissionais que o curso oferece. Boa leitura!

Quais são as áreas da Biologia?

A Biologia é uma das áreas contempladas pelas Ciências da Natureza — campo do conhecimento que pesquisa os fenômenos naturais e os processos que tornam o mundo o que ele é. A Física, a Química e até a Matemática fazem parte dessa ciência também.

Mas enquanto a Química estuda as propriedades, a constituição e as transformações da matéria (seus átomos, partículas e moléculas), a Biologia fica com os seres vivos e a sua interação com o meio ambiente em que vivem.

E quando a gente fala em “seres vivos”, é sobre todos mesmo: desde organismos unicelulares até os mamíferos altamente especializados em alterar o meio, como os seres humanos.

Só que, além de compreender as características que definem os grupos, cada Reino (das bactérias, dos protozoários, dos fungos, das plantas e dos animais) pode ser estudado de acordo com um viés — o que torna a Biologia uma área bem ampla. Você sabia que consegue aprender sobre os felinos da América do Sul sob a perspectiva da Ecologia, mas também desenvolver pesquisas em Genética a respeito deles?

Isso vale pra todos os organismos. É por essa razão que as Ciências Biológicas são divididas em áreas menores. Afinal, seria impossível ter conhecimento sobre todos os aspectos que envolvem as inúmeras formas de vida na Terra, mesmo com formação acadêmica.

As principais áreas da Biologia são:

  • Biologia Celular — estuda as células, sua estrutura, composição e metabolismo;
  • Embriologia — pesquisa o desenvolvimento embrionário;
  • Histologia — estuda os tecidos dos organismos;
  • Anatomia — compreende as estruturas corporais;
  • Microbiologia — investiga os microrganismos, como bactérias, vírus e protozoários;
  • Fisiologia — estuda o funcionamento dos organismos;
  • Botânica — pesquisa tudo que envolve o universo das plantas;
  • Genética — investiga os processos e as leis que comandam a hereditariedade e a variação de características;
  • Ecologia — pesquisa os ecossistemas e de que maneira os seres vivos interagem com o meio ambiente;
  • Zoologia — área da Biologia que estuda os animais. Justamente a que você queria?

Qual é a área da Biologia que estuda os animais?

Como você acabou de descobrir, a área da Biologia que estuda os animais é chamada de Zoologia. A palavra é formada pela junção dos termos gregos zoon (que significa “animal”) e logos (que é “estudo”). Esse campo se dedica à estrutura, ao desenvolvimento, à evolução, à classificação e ao comportamento das diferentes espécies animais.

Assim como a Biologia é dividida em esferas do conhecimento, cada uma dessas áreas também tem suas subdivisões. Então, a Zoologia se reparte nos seguintes exemplos:

  • Entomologia — estuda os insetos;
  • Carcinologia — estuda os crustáceos;
  • Helmintologia — estuda os platelmintos e os nematelmintos;
  • Ictiologia — estuda os peixes;
  • Herpetologia — estuda os répteis e os anfíbios;
  • Ornitologia — estuda as aves;
  • Mastozoologia — estuda os mamíferos.

Alguns desses campos ainda têm nomes mais específicos. Por exemplo, dentro da Entomologia, a Mirmecologia é a ciência que estuda as formigas. Na Mastozoologia, a Primatologia é a responsável pelos primatas. Bacana, né? Isso é só pra você ter uma ideia da amplitude de possibilidades de atuação na faculdade de Ciências Biológicas.

Como estudar sobre essa área?

Se você achava que só a Medicina Veterinária se dedicava ao estudo dos animais, deve estar bem animado agora, né? Pra ter contato com as áreas que a gente citou (e muitas outras não mencionadas aqui), é preciso fazer o curso de Ciências Biológicas.

Durante a graduação, você vai ter uma grade curricular diversa, com disciplinas voltadas especificamente pra Zoologia. Aqui na Pitágoras, existe uma matéria geral sobre a área no início do curso e, no decorrer dos semestres, disciplinas mais direcionadas, como Zoologia de Invertebrados e Zoologia de Vertebrados.

Ainda assim, os 4 anos de faculdade são pouco pra tratar cada grupo animal na sua totalidade, ou seja, as disciplinas vão ter uma abordagem mais ampla mesmo. A especificidade de cada grupo é alcançada nos estágios realizados ao longo do curso e, claro, nas especializações seguintes.

Depois de formado, você pode, por exemplo, fazer uma pós-graduação em Biologia Animal, focando as espécies de seu interesse, no viés que escolheu. Vamos supor que goste muito de insetos, mais especificamente de coleópteros.

Mas o que você quer entender sobre os besouros? Se gostar da ideia de descrever novas espécies e a evolução do grupo e das suas características, tudo indica que vai se dar bem na área de Taxonomia e Sistemática de Coleópteros. Agora, caso queira saber mais sobre o papel do besouro rola-bosta na ciclagem de nutrientes do ambiente em que ele habita, talvez deva procurar o setor de Ecologia.

Essa é a beleza desse campo de estudos — tudo está interligado. Vale destacar que tanto o Bacharelado quanto o curso de Ciências Biológicas ênfase Licenciatura formam profissionais capazes de atuar na pesquisa acadêmica e na consultoria, com conhecimentos sólidos sobre os animais.

A diferença é que o curso de Licenciatura tem formação pedagógica, qualificando os profissionais pra trabalharem dentro da sala de aula no ensino fundamental e médio. Aqui na Pitágoras, a vantagem dessa ênfase é que ela é oferecida na modalidade de ensino semipresencial — o que é uma baita oportunidade pra quem precisa de mais flexibilidade no horário da faculdade.

Você ainda tem benefícios exclusivos com a gente, e um deles é o Canal Conecta. Já pensou conseguir estágio fácil e até sair da faculdade com um emprego certo? Isso é possível, graças a essa parceria da Pitágoras, que te aproxima de boas oportunidades no mercado de trabalho nas Ciências Biológicas.

Leia também:  Como Deixar De Guardar As Imagens Que Me Enviam No Whatsapp?

Quais são as áreas de atuação do profissional formado?

Com a biodiversidade que os animais têm e a variedade de áreas de estudo que se pode investir, você já deve imaginar o leque de oportunidades no mercado de trabalho para o recém-formado em Ciências Biológicas, né? O zoólogo bacharel é capaz de se dedicar pra carreira acadêmica e ser pesquisador em institutos públicos e privados. Aí, desenvolve estudos diversos, projetos de educação ambiental e conservação de espécies.

Também pode trabalhar como consultor, fazendo levantamento e resgate de fauna e elaborando estudos e relatórios de impacto ambiental (EIA-RIMA). Tem afinidade com a Biologia Marinha? Ainda tem esse mercado pra atuar!

A média salarial pra formados em Biologia no país é de R$ 3.289,71*, com possibilidades de aumento de acordo com a experiência profissional, o nível de especialização e a região de atuação. Lembre de que o licenciado pode trabalhar nos mesmos campos que o bacharel. Mas tem mais uma carta na manga: ser professor do ensino básico e do ensino médio.

Agora você já sabe qual é a área da Biologia que estuda os animais e (quase) todas as possibilidades de carreira que pode seguir. Independentemente do grupo animal pelo qual seja fascinado, uma coisa é certa: nunca vai se cansar de se surpreender com a natureza ao cursar Ciências Biológicas!

Já está mais que decidido? Então, pra que perder mais tempo? Faça sua inscrição no vestibular e seja um aluno Pitágoras!

*Sujeito a alterações

Descubra o que se estuda em Ciências Biológicas

Você sabe o que se estuda em Ciências Biológicas? Não? Então descubra agora mesmo!

O profissional formado em Ciências Biológicas estuda tudo o que diz respeito aos seres vivos e sua relação com o meio ambiente. Ele faz pesquisas referentes à origem, evolução, estrutura e funcionamento dos organismos vivos.

O campo de trabalho para o biólogo é bastante amplo e o profissional encontra oportunidades em diversos setores ligados à sua área de atuação. Então, se você quer fazer o curso, não terá dificuldades em encontrar trabalho.

O biólogo pode atuar no campo de pesquisas com células-tronco, na pesquisa de novas vacinas para doenças, na descoberta de novos medicamentos, na área ambiental? enfim, há uma gama de oportunidades infinita. Quem gosta de lecionar também pode trabalhar na rede pública e particular de ensino, além de poder se especializar e dar aulas em faculdades e universidades.

Mas o que se estuda em Ciências Biológicas? É difícil se tornar um biólogo? Vamos responder a essas perguntas a seguir. Confira!

Como funciona o curso de Ciências Biológicas?

O curso de Ciências Biológicas ou Biologia tem duração média de 4 anos e é oferecido nas modalidades bacharelado e licenciatura.

Quem se forma como bacharel pode atuar em empresas de pesquisa, desenvolvimento e aplicação de processos biológicos. Já quem opta por estudar licenciatura em Biologia pode dar aulas no ensino fundamental e médio. Lecionar em faculdades e universidades é uma opção para as duas formações, desde que o graduado faça um mestrado ou doutorado.

O curso de Ciências Biológicas é encontrado tanto em faculdades públicas quanto particulares. A graduação é oferecida nas modalidades presencial e a distância, sendo que a licenciatura em Biologia EAD é mais comum.

Durante o curso, o aluno tem muitas aulas práticas em laboratório, além de visitas técnicas em locais pesquisa. Para se formar, o aluno precisa fazer um estágio e apresentar um TCC (Trabalho de Conclusão de Curso).

O que se estuda em Ciências Biológicas?

O curso de Ciências Biológicas estuda diversos fundamentos da vida. As disciplinas podem variar de acordo com a instituição e a modalidade do curso: bacharelado e licenciatura. Mas as matérias básicas são:

  • Anatomia Humana
  • Biofísica
  • Bioquímica
  • Biotecnologia
  • Citologia Animal e Vegetal
  • Ecologia
  • Ecologia de Ecossistemas
  • Educação Ambiental
  • Evolução
  • Fisiologia Humana
  • Fisiologia Vegetal
  • Genética
  • Genética de Populações
  • Impacto Ambiental
  • Imunobiologia
  • Manejo e Conservação de Recursos Naturais
  • Microbiologia
  • Paleontologia
  • Parasitologia Humana
  • Psicologia
  • Sistemas Circulatório, Linfóide, Muscular, Nervoso, Endócrino e Genito-Urinário
  • Sistemas Digestivo, Respiratório e Tegumentar
  • Sistemática Animal, Vegetal e de Microrganismos
  • Sociologia
  • Zoologia de Invertebrados

O curso de licenciatura também contém disciplinas voltadas para a educação, como gestão escolar e metodologia de ensino ? matérias essenciais para quem pretende dar aulas.

Como está o mercado de trabalho para o profissional formado em Ciências Biológicas?

Agora que você já sabe o que se estuda em Ciências Biológicas, está na hora de saber um pouco sobre o mercado de trabalho. Segundo o Conselho Federal de Biologia, os profissionais formados podem atuar em mais de 50 áreas, que oferecem boas e variadas oportunidades de trabalho.

Com a crescente preocupação com a preservação do meio ambiente, a tendência é que apareçam mais vagas para o profissional nos próximos anos. Além disso, a indústria também tem interesse em contratar biólogos para pesquisas relacionadas ao desenvolvimento tecnológico e de produção.

E se o que você busca é estabilidade, saiba que há diversos concursos voltados para biólogos, principalmente para licenciados.

Onde o profissional de Ciências Biológicas pode atuar?

Se você tem interesse em estudar Ciências Biológicas, mas não sabe direito em quais setores pode trabalhar, se liga em algumas das áreas de atuação do profissional.

O campo de atuação do biólogo é muito amplo, por isso, selecionamos apenas algumas das áreas nas quais você pode trabalhar depois de formado. Confira!

Biologia Molecular: esse campo está intimamente ligado à genética, o profissional que atua na área é responsável por estudar e analisar o material genético dos seres vivos. O biólogo molecular encontra oportunidades de trabalho em clínicas e laboratórios.

Biotecnologia: o biólogo que atua no campo da biotecnologia pode trabalhar no gerenciamento e na criação de novos produtos. Além disso, o profissional ainda pode atuar no estudo de bactérias, fungos, protozoários, vírus e doenças causadas por microrganismos, em seres humanos e nas plantas.

Zoologia: profissional que estuda a genética, biologia, anatomia, fisiologia e evolução dos animais. Ele trabalha em laboratórios fazendo um levantamento sobre a diversidade de animais existentes na Natureza e criando formas de preservação das espécies.

O biólogo especialista nessa área também é responsável por identificar novas espécies de animais. Esse profissional pode trabalhar em zoológicos, observando a forma como os animais estão sendo expostos e fazer pesquisas para encontrar maneiras de manter o equilíbrio ecológico em determinados ambientes.

Consultoria ambiental: o profissional dessa área tem como uma das principais funções adequar a atuação as empresas com as legislações ambientais, a fim de reduzir impactos negativos das indústrias no meio ambiente. O consultor ambiental ainda pode trabalhar como autônomo, prestando serviços a diversas empresas.

Além destas, há diversas outras áreas que o biólogo pode atuar. As principais são:

  • Bioinformática
  • Biologia de organismos aquáticos
  • Biologia forense
  • Biologia molecular
  • Controle de pragas e vetores
  • Gerenciamento costeiro
  • Microbiologia

Onde encontrar o curso de Ciências Biológicas?

A graduação em Ciências Biológicas é bastante popular no Brasil e pode ser encontrada em mais de 600 faculdades públicas e particulares. Mas não é porque é fácil encontrar o curso que você não deve ser criterioso na hora de escolher onde estudar.

Lembre-se de que a qualidade do ensino oferecido fará toda a diferença em sua vida profissional. Então, procure uma instituição que seja reconhecida pelo MEC e tenha uma boa estrutura de laboratórios, salas de aula e um corpo docente qualificado.

A seguir, selecionamos algumas faculdades públicas e particulares que oferecem o curso e tem boas notas de acordo com o MEC. Confira!

Essas são apenas algumas instituições que oferecem o curso. Agora que você sabe o que se estuda em Ciências Biológicas, está na hora de escolher uma boa faculdade e ter maiores chances de sucesso na carreira. Entre no site dessas faculdades e descubra mais detalhes sobre o curso.

  • Veja também:
  • Descubra quanto custa uma faculdade de Biologia
  • Biologia Marinha: profissão, carreira e mercado de trabalho

Então você pretende fazer um curso de Ciências Biológicas? Conte os motivos de sua escolha nos comentários!

Histologia

História da Histologia

Histologia significa a ciência que estuda os tecidos (origem grego-histos: rede ou tecido; logia: ramo de aprendizado). Por estabelecer o significado de aspectos microscópicos característicos de células e tecidos, os estudos histológicos elucidam as relações entre estrutura e função.

O termo tecido (do latim texere, tecer) foi introduzido por volta de 1800 pelo cirurgião e anatomista francês Marie François Xavier Bichat (considerado pai da histologia e da patologia), impressionado com as diferentes texturas encontradas em partes de corpos que ele dissecara.

A Revolução Francesa, com a prática de executar transgressores através da guilhotina, proporcionou à Bichat um grande número de corpos para seus estudos anatômicos – cerca de 600 por ano.

Como resultado, em 1798 ele começou a publicar artigos descrevendo o corpo humano como sendo formado por uma variedade de diferentes tecidos (ou texturas); ele identificou 20 “membranas” e suas estruturas normal e patológica, dentre elas tecidos nervoso, vascular e conjuntivo.

Mesmo tendo vivido muito pouco (1771-1802), ele publicou duas importantes obras que muito contribuíram para o avanço da medicina: Traité dês membranes (1800) e o quinto volume de Anatomie générale (1801).

Leia também:  Como Dizer A Um Rapaz Que Gosto Dele Por Sms?

Os órgãos, escreveu Bichat, “são em si mesmos compostos de vários tecidos de natureza muito diferente, que verdadeiramente formam os elementos destes órgãos. A química possui seus corpos simples, que, por várias combinações, formam corpos compostos (…) da mesma forma que a anatomia tem seus tecidos simples, que, por combinação (…

) compõem os órgãos.” A alusão de Bichat à química – ele escreveu uma década antes da morte de Antoine Lavoisier – é uma prova de sua modernidade.

Para perceber o poder da abordagem histológica de Bichat é preciso somente considerar o coração e nada mais: Bichat distinguiu corretamente o tecido muscular estriado cardíaco (miocárdio) do tecido membranoso que o envolve (pericárdio), e do tecido de revestimento interno das câmaras (endocárdio).

Cada um destes tecidos por ser afetado por doenças, levando a três problemas diferentes. Em vez de “inflamação do coração”, Bichat tornou possível distinguir a pericardite, a miocardite e a endocardite. Na classificação de 21 tipos de tecidos (ou texturas), Bichat confiava na aparência externa, bem como na determinação de como cada tipo reagia com substâncias químicas e outros meios de “decomposição”. Ele macerava tecidos, assava-os, fervia-os, secava-os e observava coo se decompunham; examinava como reagiam a álcalis e ácidos; é considerado o precursor da patologia tecidual. Devido às suas importantes contribuições à ciência, seu nome está gravado em um dos lados da Torre Eiffel, em Paris.

O surgimento da histologia como ciência coincide com a criação do microscópio em 1595, pelos holandeses Hans e Zacharias Janssen, fabricantes de óculos (microscópio de Janssen).

O equipamento era constituído por duas lentes de aumento, e ampliava a imagem entre 10 e 30 vezes, e foi sendo aperfeiçoado ao longo do tempo, através dos estudos de Marcello Malpighi (1628-1694), Antonie van Leeuwenhoek (1632-1723) e Robert Hook (1635-1703), para estudar insetos e plantas.

Este último publicou um pequeno livro, em 1665 intitulado “Micrographia”, o qual é reconhecido como a primeira publicação na qual está registrado oficialmente o termo “célula”, através de seus estudos em cortiça.

Uma particular especialização da histologia é a citologia, considerada a ciência das células.

Estuda ela a célula em si, a qual constitui, em definitivo, a base das ciências biológicas, porque a célula é o elemento fundamental de todos os seres vivos.

Citologia e histologia não estudam somente a estrutura da célula e dos tecidos, mas também as relações entre a estrutura e a função, e, portanto, se integram com a fisiologia, com a física e com a química.

Atualmente os tecidos são rotineiramente submetidos a tratamentos mais específicos, para preservação de suas características morfológicas, e suas células são coradas com diversos tipos de corantes e depois observadas ao microscópio – estes procedimentos possibilitam a identificação de possíveis alterações celulares e também o acompanhamento da evolução de doenças já existentes (por exemplo: exame de Papanicolau para câncer de colo de útero; hemograma para estudar alterações nas células sanguíneas; biópsia de fígado).

Atualmente, o conhecimento de histologia se junta a um universo de outros conhecimentos que, não menos importantes, vão se somando e contribuindo de forma muito rápida para o desenvolvimento científico, para a melhoria da qualidade de vida e para a maior longevidade do ser humano.

O que é citologia? Para que serve?

A imagem que abre este post mostra as células sanguíneas humanas sob a visão de um microscópio (Via: Shutterstock)

As Ciências Biológicas constituem um campo de estudos muito interessante, originando uma série de áreas específicas que, por sua vez, são responsáveis por desvendar diferentes segredos sobre a vida e os organismos vivos.

Entre elas, a citologia é um dos campos que mais intrigam e despertam a curiosidade entre os estudantes. Por isso, neste post, contaremos a história da citologia, o que esse segmento estuda e sua importância para as áreas correlatas.

Confira!

O que é citologia?

A palavra citologia tem origem do grego kytos, que significa célula, e logos, cujo significado é estudo.

Também conhecida como biologia celular, a citologia é, assim, o campo das Ciências Biológicas responsável pelo estudo das células presentes nos organismos vivos.

Esse ramo é focado no estudo das estruturas que compõem as células, desvendando os segredos da sua anatomia e do seu metabolismo, compreendendo também quais são suas organelas e as suas funções.

História

Em 1665, o biólogo e físico inglês Robert Hooke observou uma estrutura celular pela primeira vez.

Hooke analisou as células da cortiça, sendo então o primeiro estudioso a perceber as características da célula vegetal.

O curioso é que o próprio nome “célula” também foi escolhido pelo biólogo – a palavra se originou do latim celulla, diminutivo de cella, expressão que pode ser traduzida para o português como “pequeno compartimento”.

A citologia é considerada uma das áreas da ciência que mais demorou para se desenvolver de maneira plena, uma vez que as suas descobertas estiveram diretamente relacionadas ao desenvolvimento dos primeiros microscópios, um equipamento que permite o estudo de estruturas pequenas a olho nu.

A segunda grande descoberta no ramo da citologia foi do microscopista holandês Antoni van Leeuwenhoek, figura responsável pelo primeiro registro das células livres. Leeuwenhoek ainda declarou a descoberta do protozoário em 1674, do espermatozoide humano três anos depois e, por fim, da bactéria em 1683.

Anos mais tarde, foi a vez do botânico e físico escocês Robert Brown fazer sua contribuição. Em 1833, ele descobriu a estrutura que foi nomeada como núcleo celular.

A época também foi marcada pelas ideias do botânico alemão Matthias Schleiden, o primeiro a afirmar que todos os vegetais são constituídos por células.

No ano seguinte, o fisiologista Theodor Schwann estendeu a ideia de Schleiden e defendeu que os organismos animais também são inteiramente constituídos por células.

A cada nova descoberta, há o desenvolvimento de uma nova tecnologia, que aprimora ainda mais as ferramentas de estudo das células.

Enquanto anteriormente esse estudo estava fundamentalmente pautado no uso dos microscópios eletrônicos, grande parte das descobertas mais representativas da área foram feitas após o desenvolvimento das técnicas citoquímicas e lentes ópticas de maior qualidade. Para se ter uma ideia, os equipamentos modernos permitem ampliar as células em até 100 mil vezes. Interessante, não?

A Teoria Celular

Entre os inúmeros avanços da área, é fundamental considerar o trabalho dos pesquisadores Matthias Schleiden e Theodor Schwann, que foi capaz de sintetizar os principais fundamentos nos quais o estudo da citologia é baseado. A dupla é responsável por formular quatro postulados extremamente interessantes que até hoje balizam as generalizações mais importantes da área. Acompanhe:

  • Todos os seres vivos são formados a partir de estruturas celulares;
  • As atividades e reações químicas essenciais à manutenção da vida ocorrem dentro do organismo celular;
  • A divisão celular permite que novas células se formem a partir de células pré-existentes;
  • A célula é a menor unidade da vida.

A importância da citologia

Como mencionamos, a citologia é um ramo da biologia focado no estudo das estruturas celulares e, por isso, seus conhecimentos são de grande valia para a compreensão do funcionamento de todos os organismos vivos. Logo, a área é muito importante, porque ajuda a identificar e catalogar os seres vivos com maior facilidade, conhecendo profundamente as unidades fundamentais para a existência e desenvolvimento da vida.

Além disso, seus saberes são indispensáveis para o desenvolvimento da medicina, impactando o desenvolvimento de novos medicamentos e os tratamentos, e gerando mais facilidade para diagnósticos. A citologia também é uma das precursoras de segmentos modernos muito importantes, como a biotecnologia, por exemplo.

O que a citologia estuda?

Entre os conhecimentos e estruturas estudados pela citologia, existem alguns assuntos que são essenciais e, portanto, fundamentam os conhecimentos básicos para entender a complexidade das células. Confira os principais temas que são alvos de estudo no segmento:

  • Tipos de célula, divididas entre procariontes e eucariontes;
  • As estruturas celulares, sobretudo no caso das eucariontes, que são mais complexas;
  • Transporte e a importância da membrana plasmática para o organismo celular;
  • Processo de endocitose e exocitose;
  • Processos de divisão celular chamados de meiose e mitose;

A citologia e seus conhecimentos trouxeram inúmeros benefícios para o desenvolvimento das Ciências Biológicas. Por isso, conhecer as células e seus principais elementos estruturais é importante para desvendar ainda mais segredos sobre os seres vivos!

Se você curtiu este post, não deixe de ler também:

Como calcular a força elástica

Demais ou de mais? Qual a diferença?

Como calcular juros simples e compostos

Conheça o Coach COC e organize seus estudos!

O aplicativo Coach COC é o seu novo parceiro para os estudos! Ele vai te ajudar a organizar a sua rotina e planejar seu dia a dia. Acesse a página do app e baixe agora mesmo!

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*