Como Salvar Um Pardal Que Caiu Do Ninho?

Como Salvar Um Pardal Que Caiu Do Ninho?

  • Ave emplumada (3 a 14 dias)
  • -já abre os olhos; -possui plumas e já está desenvolvendo as penas de vôo;
  • -ainda é muito pequena e precisa ser devolvida ao ninho.

Como Salvar Um Pardal Que Caiu Do Ninho?

Jovenzinho (mais de 14 dias) – ave bastante ativa, vocaliza e dá pequenos saltos; – tem todas as penas, mas em menor tamanho em relação ao adulto; – não caíram do ninho e sim desceram do ninho para aprender a viver fora dele;

– os pais estão por perto e virão alimentá-lo.

Como Salvar Um Pardal Que Caiu Do Ninho?

Adulto

muitas das vezes o “filhote” já é um adulto e apenas sofreu algum trauma, como um choque em uma vidraça, ou se encontra incapaz de seguir seu caminho sem uma pequena ajuda.

Para descobrir se a ave é de fato um filhote, atente-se às comissuras (margem amarelada proeminente no bico das aves), presentes em filhotes e aves jovens.

As comissuras possuem a função de aumentar a abertura do bico com o fim de a ave ser alimentada mais facilmente por seus pais.

Alguns casos específicos

Andorinhões, taperuçus: Essas aves têm pernas e pés bem pequenos, anatomicamente incapazes de pousar em poleiros ou erguer voo de uma superfície horizontal.

Eles sempre elegem poleiros verticais como chaminés e pedreiras, das quais erguem voo. Na maioria das vezes, basta levá-lo a uma parede áspera na qual possa se empoleirar e ele conseguirá erguer voo.

Nunca o arremesse, pois pode estar ferido e de fato incapaz de voar.

Como Salvar Um Pardal Que Caiu Do Ninho?

Para mais informações sobre andorinhões e taperuçus leia o artigo  [ Andorinhões – Aves do Extremo  ] Para saber mais sobre a curiosa disposição dos dedos dessas aves vale a pena ler [ As aves e seus pés ]

Beija-flores: Por seu metabolismo acelerado, beija-flores necessitam se alimentar praticamente o dia inteiro.

Alguns minutos perdido sem néctar podem ser o suficiente para deixar a ave fatigada e incapaz de voar.

Neste caso, ao encontrar um beija-flor sem condição de voo, ofereça a ele numa colher uma mistura de água com açúcar, isso por si só será suficiente para dar energia para ele se recompor e alçar voo.

IMPORTANTE:

Por mais que nos esforcemos em seguir todos os passos acima, nada garantirá a sobrevivência do espécime. Estima-se que na natureza apenas 30% de todos os filhotes de aves chegam à idade adulta e é justamente isso que garante que as espécies sobrevivam, afinal filhotes mais fortes tendem a gerar uma descendência mais forte e capaz de sobreviver.

Mesmo que pareça cruel, algumas aves de fato abandonam filhotes que não tenham chances de sobrevivência. Aves muito grandes em geral criam apenas um filhote (embora possam chocar dois ou mais ovos por segurança). Ao ver que determinado filhote tem mais chances de sobrevivência, essas aves provavelmente não mais alimentarão os outros filhotes e investirão tudo no filhote mais forte.

Em rapinantes é comum a prática de cainismo, que ocorre quando um filhote mais forte mata a bicadas ou arremessa do ninho os filhotes mais novos.

Também não é aconselhado interferência direta em casos de predação de algum filhote ou ninho por outra ave, mamífero ou réptil como lagartos e serpentes. O ideal é sempre deixar que a natureza siga seu curso. **

**Vale ressaltar que isto vale única e exclusivamente para animais silvestres e em seu habitat. Gatos domésticos, cachorros ou outros animais de estimação não devem em hipótese alguma caçar animais silvestres.

Gostou do artigo? Então compartilhe o máximo possível. Ajude-nos a divulgar essa informação que salva vidas!

O que um passarinho come? De recém-nascido a adulto!

Como Salvar Um Pardal Que Caiu Do Ninho?

Na estação reprodutiva, não é estranho encontrar no chão passarinhos que ainda não conseguem se alimentar ou voar sozinhos. Se você precisar cuidar de um, o mais importante é saber o que filhote de passarinho come. Vamos explicar tudo neste artigo do PeritoAnimal.

De qualquer forma, se você não puder tomar conta ou não souber como fazer isso, o ideal é recolher o filhote e levá-lo para um centro especializado em recuperação de aves ou, pelo menos, para uma clínica veterinária.

Se você encontrar filhotes de ave na rua, é essencial que tenha informações sobre qual a melhor comida para passarinho recém-nascido. As aves não são mamíferos, por isso seus filhotes não precisam se alimentar de leite quando saem do ovo. Mas isso não significa que eles conseguem comer sozinhos.

Você pode encontrar filhotes de pássaro que, para garantir sua sobrevivência, dependem de um ou ambos os pais para se alimentar. Isso varia de acordo com a espécie, pois existem aves com dietas a base de insetos, grãos, sementes, frutas, etc.

Os pais, para alimentar esses pequenos, precisam introduzir a comida no fundo de sua boca.

Em geral, os filhotes piam no ninho pedindo comida e instintivamente aprendem a reconhecer seus pais, de modo que, assim que eles chegam, abrem completamente o bico.

Assim, os pais podem depositar alimentos quase dentro da garganta, o que é essencial para os filhotes conseguirem comer.

Por isso, ao se deparar com um filhote recém-nascido que você resgatará sem penas e coberto ou não de plumas, a primeira coisa a fazer é identificar a que espécie ele pertence, para saber o que filhote de passarinho come, uma vez que filhotes de pardal não comem a mesma coisa que melros, por exemplo.

Você pode se guiar pela forma do bico, que geralmente é fino, alongado e reto nas aves insetívoros e mais curto e cônico nas aves granívoras. De qualquer forma, em lojas especializadas, é possível encontrar uma papa de criação apropriada.

Um exemplo de papa caseira pode ser feita com ração de gato embebida em água, ovo cozido e farinha de rosca, tudo misturado até obter uma consistência pastosa.

Mas não é só a comida de passarinho que importa. Para criá-lo com sucesso, também é necessário fazer com que o pássaro abra a boca ao te ver, pois precisa aprender que sua presença está associada à comida. Se isso não acontecer, o passarinho morrerá.

Como Salvar Um Pardal Que Caiu Do Ninho?

No começo da vida do passarinho, eles vão precisar que você os alimente diretamente na boca.

Se você tiver alguma dúvida ou quiser confirmar a espécie, pode procurar ajuda em centros de reabilitação de aves, com biólogos, especialistas em ornitologia, em clínicas veterinárias ou estabelecimentos especializados. Em pouco tempo, esses filhotes vão crescer e poderão comer sozinhos.

Nesta nova fase, saber qual a melhor comida para passarinho filhote também dependerá, mais uma vez, de sua espécie. No mercado, você encontrará diferentes tipos de alimentos e pode incluir na dieta sementes, insetos, migalhas, frutas, etc., sempre dependendo da espécie.

Como já vimos, nem sempre é simples alimentar esses filhotes de passarinho. Eles não são brinquedos e, antes de sequer resgatar uma ave da rua, você deve esperar e ver se os pais estão por perto para voltar e buscá-la.

Também é uma boa ideia tentar localizar o ninho e, se houver nele outros filhotes vivos, você pode devolver para o ninho o filhote que caiu.

Por outro lado, uma vez que tenha resgatado o filhote, se você não conseguir fazê-lo comer, deve entrar em contato com um centro especializado para que pessoas com experiência possam alimentá-lo adequadamente.

Se você tiver encontrado um filhote de pombo saiba quais são os cuidados essenciais e como alimentá-lo nesse artigo do PeritoAnimal.

Como Salvar Um Pardal Que Caiu Do Ninho?

Uma vez que você tenha se informado sobre a comida de passarinho mais adequada, seu objetivo será fazê-lo abrir a boca. Você pode estimulá-lo fazendo uma leve pressão para dentro nos cantos de seu bico.

Isso o abrirá um pouco, o suficiente para introduzir a papa de criação com pinças pequenas ou uma seringa, sem agulha, é claro. Você deve chegar o mais fundo possível na boca.

Obviamente, esse processo deve ser realizado com muita delicadeza.

Pouco a pouco, o filhote vai começar a abrir a boca completamente ao te ver.

No começo você terá que oferecer comida a ele com muita frequência, mas, uma vez que ele se acostumar e ficar satisfeito, você poderá começar a espaçar as refeições. O pássaro vai comer durante o dia, mas não à noite.

O próprio filhote vai te indicar o quanto come pois, após alguns minutos de deglutição, vai parar de abrir a boca, permanecer quieto e fechar os olhos. Isso significa que está cheio.

Quando os pássaros aprenderem a comer sozinhos, você terá que deixar a comida à sua disposição, ou seja, o comedouro precisa ficar cheio para que eles possam bicar o dia todo e eles mesmo regularão a quantidade de comida. Da mesma forma, no bebedouro dos pássaros deve sempre haver água limpa e fresca.

Se você tiver encontrado um passarinho filhote machucado, além de saber o que filhote de passarinho come, é importante que você saiba como cuidar dele. Para isso, leia esse artigo do PeritoAnimal.

Agora que você já sabe o que filhote de passarinho come, às vezes não quer recolher os filhotes da rua e sim colocar comida para as aves que estão por perto porque gosta, pensa que precisam ou simplesmente porque quer atraí-las para seu jardim, horta ou varanda. Como já dissemos, a comida de passarinho dependerá das espécies de ave em questão.

O mais comum é comprar ou fazer um comedouro de pássaros e pendurá-lo nas proximidades da casa.

No comedouro você pode colocar desde migalhas de pão, de preferência integral e sempre umedecido, até misturas de sementes ou guloseimas para aves que podem ser encontradas em lojas.

Quanto aos alimentos caseiros, arroz e ovos cozidos, frutas maduras, sementes de girassol ou milho, mas não pipoca, porque é muito salgada, são alternativas que podemos oferecer.

É claro que colocar comida para os pássaros de rua pode fazê-los se acostumarem com a comida fácil e pararem de procurá-la por conta própria. Não é muito recomendado que eles dependam tanto dos humanos. Não se esqueça de que eles não são animais de estimação.

Como Salvar Um Pardal Que Caiu Do Ninho?

Se deseja ler mais artigos parecidos a O que filhote de passarinho come?, recomendamos-lhe que entre na nossa seção de Dietas equilibradas.

Leia também:  Como Tirar Publicidade Que Aparece No Pc?

Vídeos relacionados com O que filhote de passarinho come?

Como cuidar de um filhote de pardal

Como Salvar Um Pardal Que Caiu Do Ninho?

Pardal, ou passer, faz referência a uma série de espécies do gênero Passer. As mais conhecidas são Pardal domesticus e Pardal montanus e suas sub-espécies. Apesar de não ser uma espécie originária do Brasil, e sim da Eurásia e do Norte de África, trata-se de uma ave extremamente conhecida em nosso território e presente na avifauna urbana. Essa ave pequena atualmente está distribuída por todo o mundo, sua cor é marrom com tons negros e avermelhados e não mede mais que 16 cm de comprimento. Se você encontrou um filhote de pardal fora do ninho e não tem como devolvê-lo, cuide dele e procure um fiscal do IBAMA. O pardal não é um pássaro doméstico e sua posse é proibida. Neste post do umCOMO explicamos como cuidar de um filhote de pardal para que ele possa voltar à natureza o quanto antes.

Os filhotes de pardal abandonam o ninho entre 10 e 21 dias após o seu nascimento. Portanto, um filhote de pardal fora do ninho nem sempre representa a necessidade de cuidados humanos. Enquanto eles estão no ninho, são alimentados com pequenos artrópodes. Após esse período passam a uma dieta vegetariana

Se ele foi encontrado no solo, temos de verificar se não está perto de seu ninho. Os pardais protegem seus filhotes e acompanham-nos durante seu crescimento.

Da mesma forma, se verificar que está fora de seu ninho e o filhote de pardal ainda não desenvolveu as penas, ele pode ter caído por causa de uma rajada de vento.

Nestes casos, aconselha-se sempre devolver o filhote de pardal ao seu ninho.

É importante garantir que o filhote de pardal esteja em boas condições de saúde. Os pardais não considerados animais domésticos pelo IBAMA[1], portanto a sua posse ilegal é considerada crime.

Se você não pode devolver o filhote de pardal ao ninho, procure o IBAMA e leve o passarinho para que ele possa receber os devidos cuidados e ser reintegrado à natureza.

Se isso não for possível no momento, você pode cuidar dele até receber a ajuda de um fiscal ambiental.

Como cuidar de filhote de pardal

Para poder cuidar de um filhote de pardal, vamos precisar de um ninho ou uma caixa onde seja o refúgio. Outra opção é utilizar uma gaiola a qual aconselhamos manter sempre aberta.

O filhote de pardal a associará a um lugar seguro e a terá como seu lar.

Se a mantiver sempre com comida e bebida, o filhote de pardal voará por toda a casa e voltará à sua gaiola para estar seguro e quentinho.

A gaiola do filhote de pardal deve estar em um lugar ventilado, onde chegue a luz indireta do sol, não é recomendável que o filhote de pardal esteja exposto à luz solar direta por muito tempo. No entanto, também não é aconselhável evitar o sol por completo, pois o filhote de pardal precisa da luz solar para colorir suas asas.

Para que o filhote de pardal esteja confortável, prepare uma cama/ninho no local. Esta pode ser de algodão, tecido suave, alguma meia velha, ou penas, assegurando que não haja nenhum inseto entre o material. Devemos tentar que o filhote esteja quente já que precisa de muito calor. Esta cama deve ser mantida limpa todos os dias.

Mantenha-o limpo e quente. Enquanto eles são pequenos, a temperatura deve ser revisada de vez em quando (entre 40º e 43º é uma temperatura correta).

Água

Se recolhemos o filhote de pardal da rua devemos pensar que possivelmente esteja desidratado depois de passar várias horas fora do ninho.

Em seu ambiente natural, seus pais lhe dariam pequenas gotas de água diretamente no seu bico. Em nosso caso, é aconselhável dar-lhe um pouco de água da nossa boca. Quando notar a frescura da mesma, o filhote de pardal a beberá.

Se não tiver coragem, pode utilizar uma seringa pequena, sem agulha, ou um conta-gotas para que a beba pouco a pouco.

O pardal adulto Pardal domesticus é conhecido pela sua tolerância alimentar e adaptação a ambientes urbanos, onde chegam a se alimentar até de restos de lixo orgânico. Na natureza eles se alimentam de grãos, insetos e pequenos invertebrados.

É importante não dar leite aos filhotes de pardal, já que não o toleram e poderiam morrer por isso. A contribuição de cálcio recebem-na de sua alimentação (insetos triturados, osso de siba, casca de ovo esterilizada).

A alimentação dos filhotes de pardal realiza-se nas primeiras semanas através de uma seringa sem agulha. Aproxime a mesma do bico e o filhote irá comendo da papinha que lhe damos. Comem com uma frequência de 2 a 3 horas. Se detectarmos que eles têm a barriga vazia, também podemos dar-lhes de comer.

Sua comida pode ser feita de forma fácil. Preparamos uma papinha e introduzimos na seringa. A papinha deve ser dada sem o líquido para que o filhote de pardal a coma sozinho, sem a introduzir na boca.

Para começar podemos fazer estas três papinhas, é muito simples:

  • Podemos molhar meia bolacha Maria com água, até que a bolacha fique uma papinha.
  • Podemos amolecer ração de cachorro moída molhada com água até criar uma massa. Esta papinha é muito completa.
  • Podemos comprar massa de filhote, vendida em viveiros. Elas são feitas à base de ovos e são molhadas com água para criar a papinha.

Quando os alimentarmos temos de estar atentos para não manchá-los com a papinha ou massa, já que esta pode secar e acabar sendo um problema ao colar em suas penas. Por outro lado, devemos observar também que os orifícios nasais do bico não fiquem obstruídos, já que poderia desencadear em um problema maior.

À medida que cresce, o filhote irá alimentando-se sozinho e poderemos utilizar um recipiente para que coma diretamente. Se quer que o filhote esteja nas melhores condições, o ideal será proporcionar-lhe algumas bandejas. Uma com água e outra com areia fina. Deste modo o filhote tomará banho de areia e água para se vermifugar.

Veja mais informações no post que explica como alimentar um pardal. Lembre-se que perante qualquer dúvida, é aconselhável que vá a um especialista ou veterinário para que ajude você.

Se pretende ler mais artigos parecidos a Como cuidar de um filhote de pardal, recomendamos que entre na nossa categoria de Animais de estimação.

  • Referências
  • Bibliografia
  • SILVEIRA, LUÍS FÁBIO. O Pardal vai se extinguir no Brasil?. Cães & Cia, v. 398, p. 48-49, 2012. Disponível em: . Acesso em 12 de março de 2020.

Encontrei um filhote que caiu do ninho, o que devo fazer?

Encontrar um filhote fora do ninho após uma chuva forte, uma rajada de ventos ou mesmo durante um dia habitual onde o animal tentou seu primeiro voo é uma situação comum e que se torna ainda mais corriqueira durante a Primavera, período de reprodução das aves. Mas entrar em contato com essa circunstância é só o princípio de um dilema: o que fazer?

Para começar a auxiliar aquele animal indefeso, o primeiro passo necessário é afastar os predadores potenciais. Dessa forma, cães e gatos devem estar presos e distantes, antes de se fazer qualquer aproximação com o filhote. Caso a situação ocorra pela noite, evitar a chegada de outros animais, como ratos e gambás, também é determinante.

Como Salvar Um Pardal Que Caiu Do Ninho?

Confira dicas sobre o que fazer em caso de encontrar uma ave caída fora do ninho

Assim destaca o biólogo especialista em aves, Luciano Lima: “se isso acontece no final do dia, você pode colocar esse passarinho em uma caixinha e deixá-lo protegido só durante a noite. No outro dia de manhã, você o coloca no mesmo lugar”.

A principal orientação dos especialistas é não intervir no desenvolvimento do filhote, já que o simples fato de o tocar pode fazer com que os pais não o tratem mais ou que a ave se machuque. Mas, estando diante se uma ave caída, o melhor a ser feito é procurar pelo ninho e tentar devolvê-la para esse local.

2 de 6
Primavera é período de reprodução das aves e situações de resgate de aves se tornam comuns — Foto: Ananda Porto

Primavera é período de reprodução das aves e situações de resgate de aves se tornam comuns — Foto: Ananda Porto

Capturar animais silvestres é um crime no brasil e, mesmo quando há a boa intenção de cuidar da ave, não é permitido mantê-la sob sua posse

Caso o ninho não seja detectado, é importante avaliar se o local onde ela estava caída é seguro. Se a reposta for sim, deixá-la por lá e esperar até que os pais apareçam para alimentá-la é uma solução. Mas atenção: a observação da ave deve ser feita com distância, caso contrário, os adultos não aparecem.

E quando o local não for seguro? “Se você não souber onde está o ninho, faça uma caixinha, coloque um pano seco ao fundo, encha essa caixinha de papel e deixe em algum lugar próximo que provavelmente os pais vão encontrar”, explica o biólogo.

3 de 6
Filhotes de pica-pau-verde-barrado foram regatados por família de Tatuí (SP) e se recuperaram com os cuidados dos pais em caixa — Foto: João Meszaros/VC no TG

Filhotes de pica-pau-verde-barrado foram regatados por família de Tatuí (SP) e se recuperaram com os cuidados dos pais em caixa — Foto: João Meszaros/VC no TG

O cuidado feito pelos adultos é primordial para que o filhote se recupere. “Do mesmo jeito que ninguém cuida melhor de um bebê do que a própria mãe, ninguém cuida melhor de um passarinho do que os próprios pais”, compara Luciano Lima.

A alimentação feita pelos pais é um dos processos mais importantes. Além de cada espécie possuir um hábito particular da dieta, ao regurgitarem insetos na boca dos filhotes, os adultos passam anticorpos essenciais para o crescimento deles. Um filhote encontrado perdido pode ainda estar desidratado ou até com hipotermia e se um ser humano alimentá-lo só adiará o processo de recuperação.

4 de 6
Tratamento dos filhotes de andorinhão, por exemplo, requer muitos cuidados; alimentação deve ser frequente — Foto: Terra da Gente

Leia também:  Como Recuperar Fotos De Iphone Que Nao Liga?

Tratamento dos filhotes de andorinhão, por exemplo, requer muitos cuidados; alimentação deve ser frequente — Foto: Terra da Gente

“As pessoas tentam dar fubá e várias outras coisas para os passarinhos e com isso, muitas vezes, você piora a situação já que, além dele morrer, isso ocorre de uma forma dolorosa por causa de uma alimentação não adequada”, destaca Luciano Lima.

Algumas espécies de aves necessitam de cuidados muito específicos por conta do desenvolvimento de suas estruturas. Um desses casos é o andorinhão-do-temporal 5 de 6
Aves adultas continuam na alimentação mesmo no solo; na imagem, um tico-tico alimenta um filhote de chupim no bico — Foto: Ananda Porto/TG

Aves adultas continuam na alimentação mesmo no solo; na imagem, um tico-tico alimenta um filhote de chupim no bico — Foto: Ananda Porto/TG

Caso você observe que os adultos não estão se aproximando para alimentá-la, o ideal é entrar em contato com o órgão responsável em sua cidade para o recebimento de animais resgatados. A Polícia Ambiental, os centros de triagem, a Secretaria do Meio Ambiente e até algumas clínicas veterinárias exercem essas funções.

Se mesmo assim, o filhote não resistir, o biólogo ressalta informações de consolo: a taxa de sobrevivência de passarinhos na chamada Região Neotropical (que inclui Brasil, América do Sul e regiões tropicais de um modo geral) é bem pequena. “Em alguns casos até 80% dos filhotes não sobrevivem, então faz parte da natureza. Lógico que a gente pode ajudar e deve ajudar, mas é importante saber que às vezes essas coisas acontecem”, afirma ele.

6 de 6
Confira as orientações caso encontre alguma ave que caiu do ninho — Foto: Arte/TG

Confira as orientações caso encontre alguma ave que caiu do ninho — Foto: Arte/TG

*Como criar pardais

  • /O post não é novo (é de 2005), mas como esta época do ano é propícia ao “encontro” com crias e temos recebido muitos e-mails com questões relacionadas com o tema decidimos republicar.
  • ****
  • NOTA PRÉVIA:
  • Os animais silvestres NÃO SÃO animais de estimação.
  • Se encontrar um pássaro de qualquer espécie deverá levá-lo até ao centro de recuperação mais próximo para que possa ser devidamente alimentado e recuperado, mais tarde, devolvido à natureza (para ver a lista de centros de recuperação de animais selvagens em Portugal clique aqui – ficheiro PDF).
  • Porém, como nem sempre é possível ir de imediato e algumas pessoas vivem longe este post serve apenas de SOS para essas situações.

Assim que chega a Primavera a probabilidade de encontrar um passarinho bebé é elevada. O ano passado, publiquei um post sobre criação de pardais à mão. Mais tarde, algumas linhas sobre como aquecer um pássaro bebé.

  Desde então – e apenas porque em português não há quase nada sobre criação à mão de pássaros silvestres – tenho recebido n pedidos de ajuda e de orientação.

Para começar, não sou veterinária, mas resolvi escrever novamente sobre o tema (caso venha em busca de informação, este post não substitui a leitura dos outros três).

Até agora, criei à mão pardais (já perdi a conta), pintassilgos, verdilhões, serinos (=chamariz), rouxinóis bravos, melros, toutinegras-de-barrete-preto, andorinhas e andorinhões e uso sempre tácticas semelhantes, embora adaptadas a cada espécie.

Como já disse noutro post, a probabilidade de salvar o pássaro não é muito elevada, mas é possível. 

PRIMEIROS CUIDADOS:

Ao encontrar um pássaro bebé, verifique se não existe um ninho próximo e/ou se os pais estão nas redondezas. Se existir ninho e ele for muito pequeno coloque o pássaro lá dentro. Se os pais estiverem próximos e atentos, deixo-o ficar. O mais certo que ele tenha caído ao tentar aprender a voar, mas os pais darão conta do recado.

Se nenhuma destas situações se verificar, leve o passarinho consigo, mas tenha a consciência que assume um compromisso árduo que exige tempo, paciência e disponibilidade durante vários dias ou semanas.

Porém, o mais indicado é dirigir-se a um centro de recuperação de animais silvestres onde existem pessoas com mais conhecimentos e experiência na matéria. Lembre-se que é uma vida que está em jogo.

INSTALAÇÃO:

Se o pássaro ainda for muito bebé como o pintassilgo da foto (isso vê-se se ele não tiver penas, se tiver ainda muita penugem e/ou as comissuras (=os cantinhos do bico) muito amarelas e moles), ainda é cedo para o colocar pura e simplesmente numa gaiola, esperando que ele se segure nos poleiros.

Como Salvar Um Pardal Que Caiu Do Ninho?

É necessário improvisar uma espécie de ninho, num espaço que lhe permita explorar o que o rodeia.

Pode colocar-se uma caixa das cotonetes no fundo da gaiola e forrá-la, por exemplo, com papel higiénico ou um pano macio SEM FIOS (para evitar que ele se enrole nos fios e se asfixie). Ou usar uma pantufa velha, sem pêlos. Convém que o pássaro se sinta seguro e agasalhado (mais agasalhado do que na foto. O “ninho improvisado” ainda não estava pronto ).

É preciso que fique num sítio com alguma luz, sem barulho, que não seja de passagem, sem correntes de ar e onde um cão e/ou um gato não o consigam apanhar.

Em suma, que fique o mais sossegado possível, de modo a que os seus longos períodos de repouso sejam respeitados; A propósito, nunca é demais lembrar que não convém estar sempre a pegar no pássaro e a mexer nele.

Para além de ser incómodo para o pássaro, causa-lhe stress e angústia levando-o à morte. Sempre que tratar dele faça-o com calma e fale baixo e delicamente.

Apesar de na Primavera/Verão estar geralmente calor, é fácil um pássaro bebé entrar em hipotermia.

Convém arranjar uma forma de o manter quente permanentemente, seja pondo um saco de água quente por baixo da gaiola, ou colocando-o enrolado num pano dentro de um prato em cima de um tacho com água quente ou comprando uma lâmpada própria para o efeito. Mais pormenores sobre como aquecer uma pássaro aqui.

ADMINISTRAÇÃO DA COMIDA NOS PRIMEIROS DIAS:

Os pássaros bebés devem comer sempre uma papa especial para aves recém-nascidas de pequeno porte. Há quem improvise em casa, mas as de compra são mais equilibradas;

Sem querer fazer publicidade de borla, eu sugiro Baby Papex ou Avi Baby porque os pássaros parecem gostar dos seus sabores, são bem toleradas e não provocam diarreias (vendem-se nas lojas de animais). É claro que podem comprar de outra marca, desde que seja para criação à mão.

A esta papa especial deve juntar-se uns pózinhos de papa insectívora. Esta deverá ser sempre um complemento e nunca a base da alimentação (para dicas sobre como alimentar aves insectívoras bebés, tais como andorinhas, andorinhões e melros vide este link com outros outros posts sobre o assunto).

A cria não deve ser alimentada com papas ou vitaminas para  pássaros adultos porque o seu sistema digestivo não está ainda preparado para uma comida tão “forte”. Muito dificilmente o pássaro sobreviverá se comer apenas pão molhado, cerealac e outras coisas do género.

A papa costuma vir em pó e, por conseguinte, é necessário juntar água. Ficar mais espessa ou mais rala é uma opção que se toma tendo em conta a espécie do pássaro, a sua idade e a forma como come (se tem apetite, se rejeita a comida, se se engasga com facilidade, etc);

É natural que, inicialmente, o pássaro não queira comer. Deixo-o estar sossegado durante um bocado até que ele esteja calmo e mais confiante.

Depois encoste a comida ao bico de forma que ele sinta o sabor. E espere que ele abra o bico. Caso não o faça voluntariamente, force LIGEIRAMENTE. O mais natural é que alguns minutos depois já esteja a comer com gosto. No entanto, se estiver muito fraco e/ou doente precisará de mais calma e tempo para o fazer comer.

É importante que os pássaros bebés comam com muita frequência, tal como o fariam na Natureza. O ideal era comerem de 30 em 30 minutos, mas bem sei que isso é complicado para quem trabalha. No entanto, nunca deve ficar mais de uma hora sem comer (excepto de noite, claro!).

Quando alimentados pelos pais, eles comem pouco, mas muitas vezes. Quando alimentados por nós, eles comem demasiado e menos vezes. Há a tendência para o papo dilatar exageradamente (como se vê na foto) e isso não é bom. À medida que se vai conhecendo o pássaro, há que ajustar a quantidade de comida a administrar de cada vez.

Por outro lado, os pássaros bebés tem tendência a engasgar-se com alguma facilidade. Use uma seringa pequena ou um pauzinho de plástico próprio para mexer o café e vá dando comida aos poucos e MUITO devagar, mesmo que ele peça com muita sofreguidão.

Não esquecer de dar água ao pássaro com uma cotonete embebida (preferencialmente) ou uma seringa pequena (se for um pássaro de maior porte). Apesar da papa ter água, com o calor é fácil ele desidratar. Duas ou três gotas de cada vez são suficientes. Para além de saciarem a sede, servem também para desobstruir o bico.

No fim da refeição, molhe os dedos e limpe o bico para evitar que ele “cole” e crie feridas junto aos cantinhos. Em vez dos dedos, pode usar uma cotonete embebida em água.

OS DIAS SEGUINTES:

Assim que o pássaro estiver estabilizado e habituado à sua nova alimentação, é importante introduzir outros alimentos na dieta tais como: maçã em tiras bem fininhas ou bocadinhos de pão (como se fosse sobremesa. Não deve ser o “prato principal” por causa das diarreias).

Se o pássaro já voar bem e estiver “esperto”, coloque uns comedouros com papa, maçã e sementes indicadas para a sua espécie para ele ir aprendendo a comer sozinho. Não se esqueça do bebedouro.

Como ainda é bebé não espere que comece logo a comer sozinho. Ao princípio, estraga mais do que come ou então nem liga. Não desespere e nunca tire a comida. Se possível, incentive-o colocando um semente na ponta do bico e esperando que ele a tente descascar;

Se for possível, e tiver outras aves, coloque-o de forma a que ele possa ver outros pássaros a comer. Ele acabará por imitar. Atenção, nunca junte um bebé a outros pássaros que não estejam a fazer criação. A probabilidade de o atacarem e matarem é elevada.

Finda esta missão o passarinho deverá ser libertado e devolvido à Natureza. Durante este processo evite ao máximo estar muito tempo em contacto com o pássaro para que não suceda o fenómeno de “impregnação”, ou seja, para que o pássaro não perca a sua identidade, não fique domesticado e mantenha-se independente e autónomo.

Dessa forma, o instinto deles fica menos apurado e podem não procurar comida nem abrigo de noite e, sendo assim, a sobrevivência é muito complicada. 

  1. Mais sobre este assunto:
  2. Criação de pardais à mão
  3. Como aquecer um pássaro bebé
  4. Como criar andorinhas

Filhote Fora Do Ninho: Como Ajudá-lo

A primavera e o verão são duas estações que são ao mesmo tempo refrescantes e quentes, nessas estações procuramos nos refrescar, nos manter bastante hidratados e saudáveis. Também nessas estações os animais tendem a mudar de habitat, para procurar um lugar melhor, seja pelo seu clima ou pelos alimentos. Nessa mudança ocorre a renovação da nossa fauna.

Mudança De Habitat

Os pássaros voam em bando, mas o grande problema das aves com essas mudanças são os filhotes. Quando o filhote está deixando o ninho, normalmente ele já sabe voar ou, no mínimo, ele cai do ninho tentando voar. Com a queda, os filhotes correm o risco de se machucarem ou de serem capturados por predadores como gatos, cobras ou outros animais maiores.

Os filhotes também correm risco de morrer de fome, ou frio… Correm risco principalmente de ficarem feridos devido à queda, com as asas quebradas, acabam sendo impedidos de voar. Muitas vezes, quando vimos um passarinho machucado não os ajudamos não por falta de vontade, mas por não saber como ajudá-lo corretamente já que fazendo algo erroneamente podemos até machucá-lo mais.

Posso Ajudar Um Pássaro Machucado?

Fato é que podemos intervir e ajudar um pássaro machucado. Veja se o filhote não está machucado e se não precisa de cuidados. Uma ajuda muito grande (se você tiver tempo disponível, claro) é a de ficar apenas observando o pássaro. Como citado anteriormente, um pássaro machucado no chão corre o risco de ser pegue por um predador.

No caso, ficaríamos observando para que, se necessário, possamos ajudá-lo caso algum predador queira pegá-lo. Não podemos ficar muito perto do filhote, seus pais podem chegar para socorrê-lo e, vendo-nos muito próximos, podem nos atacar em legítima defesa. 

Recolocar No Ninho/Fazer Um Ninho Simulado

Às vezes o filhote não sabe voar ainda e caiu do ninho, ou caiu quando tentava aprender a voar. O ideal é que procuremos o ninho e seus pais e procurar observar a mamãe pássaro com os outros filhotes.

Na maioria das vezes a mamãe pássaro não está no ninho, pois foi em busca de alimentos para os bebês.

Tome muito cuidado para não interferir no ninho, mas caso a mamãe pássaro não esteja no ninho, você pode apanhar delicadamente o filhote e recolocá-lo no ninho.

Você também pode construir um ninho temporário para esse filhote, improvisando com uma bacia de plástico forrada com toalha de papel. Faça furinhos na bacia para facilitar a drenagem, como em um vaso, e depois prenda o “ninho” em um galho da árvore, até mesmo em um arbusto e coloque o filhote dentro.

Centro De Reabilitação

Devemos ficar atentos porque não podemos interferir muito. Caso interfiramos muito, os pais do filhote vão estranhar e, possivelmente, até rejeitar o bebê. Se você não tem tempo ou condições de visitar e cuidar periodicamente do filhote, leve-o para um centro de recuperação de animais.

Cárcere Privado

Não é recomendável deixar o filhote preso dentro de casa, afinal, é proibido por lei aprisionar animais. Lugar de pássaros é ao ar livre, na natureza. Caso você saiba de alguém que tem um pássaro em cárcere privado, denuncie ao IBAMA, pois esta pessoa está ajudando a destruir nossos pássaros.

Cuidados Domésticos Com Pássaro Machucado

Precisamos tomar certos cuidados para tratar o filhote e não machucar mais o filhote. Depois de providenciar um ninho ou um local em casa como uma gaiola ou uma caixa vamos forrar com um pano.

Pode ser um pano de prato (o pano de prato não pode ser felpudo), podemos usar folhas de papel oficio, toalhas de papel… Só não pode forrar com jornal porque a tinta e o pó são nocivos a qualquer animal, afetando o aparelho respiratório do bichano.

Cuidados Na Alimentação Do Filhote

Filhotes de pássaros precisam ser alimentados de 20 em 20 minutos.

Para alimentar o filhote você vai precisar de um palito que pode ser de dente com a ponta mordida (amolecida) para não machucar o filhote.

Force a abertura do bico na lateral bem de leve, depois de aberto o bico segure-o aberto, mas sem apertar para não machucá-lo, passe o palito na banana e na ração e vá colocando na boca do filhote.

Com o tempo eles vão abrindo o bico mais fácil. Na hora de alimentar o filhote, deixe-o em posição normal para evitar que eles se engasguem, já que isso acontece facilmente. Para dar água use uma colher pequena e coloque o bico dentro d’água, a água entra pela lateral do bico e ele vai beber o líquido sozinho.

Cuidados Básicos

Lembre-se que não devemos apanhar os pássaros que estiverem caídos e levar para casa, exceto quando eles são muito pequenos e caíram do ninho.

Já os passarinhos que já estão com penas e pularam do ninho em sua primeira tentativa de independência, saindo assim para seu 1º voo, você deve deixar no local em que o achou ou colocá-lo em uma árvore mais próxima.

Com certeza seus pais estão procurando-o e vão saber como cuidar deste filhote.

Alimentação Natural Dos Pássaros

Se você ficar muito próximo do filhote, a sua presença pode impedir que seus pais se aproximem dele. Saiba que algumas espécies de aves são alimentadas por seus pais no chão. A presença do homem impede que os pais venham alimentá-los, assim você deve procurar o ninho para devolver o filhote. 

Problemas Com o Ninho

Se o ninho estiver no chão com o filhote dentro devemos colocá-lo novamente na árvore. Se o ninho estiver quebrado você pode improvisar um novo ninho e se o filhote estiver ferido, você deve procurar um veterinário ou alguém licenciado para consultá-lo e receitá-lo.

Vale lembrar que assim como os humanos, os animais também têm suas manias e costumes. Caso o pai do filhote de pássaro estranhe o filhote por alguma interferência humana, o filhote pode chegar à óbito.

O ideal é que quando encontrarmos um passarinho ferido, nós ajudemos ele a se recuperar em seu próprio habitat, para que ele não se acostume com o habitat humano e recupere-se da melhor forma possível para ele.

Caso você ainda tenha medo de ajudar um animal machucado, chame alguém, pois se você mexer no animal sem saber, pode machucá-lo ainda mais.

Categoria(s) do artigo:

Tudo sobre Aves

Gente, ontem achei um pardalzinho todo encolhidinho , só abria o olinho, não sabia oq fazer! Coloquei ele em uma caixinha de sapato, mais como estava na faculdade, não pude fazer muita coisa.. e ele não aguentou

Então falei como uma amiga super experiente, que ja achou mais de 10 pardaizinhos, e até hoje um deles fica na arvore do jardim dela, toda manha ela alimenta ele… achei isso de mais… Então aqui vai as dicas, se vc achar:

♥ Papinhas de pássaros em PetShop/ papinha (farinhada) úmida para filhotes, pode ser industrializada ou caseira, gosto, particularmente, da Alcon Filhotes e a feita em casa, utilizo a gema do ovo cozido esfarinhada, fubá (fino) ou farinha de rosca bem fina e acrescento água misturando os componentes até fazer uma papa, quanto mais filhote o pássaro mais aguada é a papinha, e conforme forem crescendo diminua a quantidade de água (não muito) até que bebam por si e comecem a comer a ração apropriada, o processo leva em média dois meses. Não se esqueça de dar água no conta gotas! ♥ Esses animais comem no mínimo 03 vezes ao dia (manhã, tarde e noite), certifique-se de seus papinhos estão cheios, pois qdo esvaziarem é hora de alimentá-los de novo. Não aconselho a utilização de seringa para pássaros muito pequenos, use um palito de fósforo (lado oposto à cabeça). ♥ Ração de gato! é só deixar de molho na água até amolecer, depois tirar o excesso de água, amassar bem e dar numa seringa de insulina. ♥ Se for filhote ele abre o bico, senão tem que forçar de leve na base, nos cantinhos. ♥ Para pardais que caem desidratados, eu dou água com mel ou açucar… se ele estiver tonto, pode ser que tenha batido a cabeça… aí é bom levar no vet para dar antinflamatorio. Eu dei aqui, mas é arriscado porque tem que calcular bem a dose, senão mata o bichinho…

PODE SER papinha de ração de cachorro mas a de gato é melhor… só NÃO pode ser ração de filhote porque tem leite e eles NÃO digerem lactose.

♥ O pardal pode estar com hiportemia.. E no quesito alojamento procure livrar o pássaro do vento, do frio e da umidade, em um lugar seguro, caixa ou gaiola forrada com panos ou equivalentes.

Lembrem que até a formação total das penas, os filhotes não possuem proteção térmica.. nesses casos, tem que aquecer, deixar a caixa em cima da tv por exemplo….

♥Depoimento: “Já cuidei de filhotes que cairam do ninho ainda com olho fechado… eles me viam como mãe, mas eu fui fazendo um trabalho de readaptação ao ambiente e aos poucos eles foram embora.

Tem um, o Jorgito, que mora na árvore aqui de casa até hoje. Eu o alimento todos os dias. É lindo… cedinho ele fica na tela esperando o café da manhã. Dá uma olhada no meu álbum…

tenho foto de vários que cuidei.”

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*