Como Saber Que Tipo De Sangue Eu Tenho?

Saber qual é o seu tipo sanguíneo é uma informação relevante e que pode ser bastante útil em um momento de emergência.

Como Saber Que Tipo De Sangue Eu Tenho?

Dentre os tipos de sangue, você sabe qual é o seu? Infelizmente, boa parte da população nunca fez um exame de sangue no qual obtivesse essa informação. Todavia, esse é um detalhe que pode fazer toda a diferença na hora de uma cirurgia ou de algum procedimento que requeira transfusão.

Antes de conhecermos quais são os tipos de sangue, precisamos compreender por qual razão eles são classificados dessa forma. Há tipos sanguíneos que são incompatíveis com outros, enquanto certos fatores fazem com que algumas pessoas sejam consideradas “doadores universais”.

Tipos de sangue: o que isso significa?

Os grupos sanguíneos foram descobertos no início do século XX pelo cientista austríaco Karl Landsteiner. Após colher amostras de sangue de diversas pessoas ele isolou os glóbulos vermelhos e fez diferentes combinações entre plasma e hemácias. Com isso, constatou que em alguns casos havia aglutinação dos glóbulos e em outros não.

Essa descoberta foi fundamental para compreender porque algumas pessoas morriam depois de receber transfusões de sangue. Avançando nas pesquisas, ele concluiu que a presença de antígenos na superfície das hemácias tem natureza bioquímica variada. Ou seja, eles podem ser compostos por carboidratos, por lipídeos, por proteínas ou até mesmo por uma mistura entre eles.

Pelo seu trabalho, Landsteiner recebeu o Prêmio Nobel de Medicina em 1930. A partir dali, o sangue passou a ser classificado em quatro tipos e mais algumas variações, de acordo com o sistema ABO.

Sangue do tipo A

Considerado um dos tipos sanguíneos mais comuns, o sangue do tipo A contém anticorpos contra o sangue do tipo B. Por essa razão, esse grupo sanguíneo também é conhecido como “anti-B”. Na prática, indivíduos com sangue do tipo A só podem ser doadores para outras pessoas com sangue “A” ou “O”.

Sangue do tipo B

O sangue do tipo B, ao contrário, é considerado um grupo mais raro. Ele contém anticorpos contra o sangue do tipo A – e por essa razão leva também o nome de “anti-A”. As pessoas com sangue do tipo B só podem receber sangue dos tipos “B” e “O”.

Como Saber Que Tipo De Sangue Eu Tenho?

Sangue do tipo AB

Ainda mais raro, o sangue do tipo AB tem como característica o fato de não possuir anticorpos nem contra o sangue do tipo A e nem contra o sangue do tipo B. Isso significa que as pessoas desse grupo sanguíneo podem receber sangue de qualquer tipo sem que haja risco de reações adversas.

Sangue do tipo O

O quarto tipo sanguíneo é “O”. Ele é o mais comum entre todos. Ele tem como característica o fato de possuir anticorpos “anti-A” e “anti-B”. Por essa razão, os indivíduos desse grupo sanguíneo só podem receber doações de sangue do tipo”O”. Por outro lado, são conhecidos como “doadores universais”.

A influência do fator Rh

Além dos tipos sanguíneos de acordo com o sistema ABO, o sangue é classificado ainda pelo fator Rh. Ele diz respeito à presença de um antígeno nas hemácias. Podemos ter o fator “Rh+” e o “Rh-“. A lógica que se aplica a essa classificação é a seguinte:

Pessoas com sangue fator Rh+

  • Podem receber sangue de pessoas com fator Rh+ e Rh-
  • Só podem doar sangue para pessoas com fator Rh+

Pessoas com sangue fator Rh-

  • Podem doar sangue para pessoas com fator Rh+ e Rh-
  • Só podem receber sangue de pessoas com fator Rh-

Podemos resumir os tipos sanguíneos e suas compatibilidades de acordo com a tabela abaixo:

Tipo
sanguíneo
Pode doar para: Pode receber de:
Sangue A+ AB+ e A+ A+, A-, O+ e O-
Sangue A- A+, A-, AB+ e AB- A- e O-
Sangue B+ B+ e AB+ B+, B-, O+ e O-
Sangue B- B+, B-, AB+ e AB- B- e O-
Sangue AB+ AB+ A+, B+, O+, AB+, A-, B-, O- e AB-
Sangue AB- AB+ e AB- A-, B-, O- e AB-
Sangue O+ A+, B+, O+ e AB+ O+ e O-
Sangue O- A+, B+, O+, AB+, A-, B-, O- e AB- O-

Rh nulo: o “sangue dourado”

Há que se mencionar ainda um tipo raríssimo de sangue, o chamado Rh nulo. Isso significa que os glóbulos vermelhos não têm nenhum tipo de antígeno Rh. Esse tipo sanguíneo foi detectado pela primeira vez na década de 60 e desde então apenas 43 casos foram registrados no mundo.

Se por um lado essa exclusividade pode soar “nobre” para alguns, na prática ele também pode ser considerado um risco: os portadores de Rh nulo podem doar sangue para pessoas de qualquer grupo sanguíneo, mas se precisarem de sangue, torna-se muito difícil obtê-lo. Além disso, uma simples anemia pode causar até mesmo a morte do portador dessa tipagem.

Como descobrir qual é o meu tipo sanguíneo?

Uma pesquisa realizada pelo Datafolha em 2017 indicou que quase 40% dos brasileiros não sabem qual é o seu tipo sanguíneo. Para isso, a nossa recomendação é que você procure primeiramente um médico e informe que deseja realizar um exame de sangue para descobrir seu grupo sanguíneo.

Na consulta, o médico fará a guia solicitando a um laboratório o que precisa ser avaliado. Se for necessário, você pode aproveitar o exame de sangue que fará para verificar outros itens, como colesterol ou glicemia. Você pode incluir essa checagem na sua próxima consulta para agendar exames de rotina no Medprev.

O que é o chamado ‘sangue dourado’, o tipo sanguíneo mais raro do mundo – BBC News Brasil

Como Saber Que Tipo De Sangue Eu Tenho?

Crédito, Getty Images

Legenda da foto,

Só são conhecidas cerca de 40 pessoas que possuem o Rh nulo. Esse raro tipo sanguíneo pode salvar vidas, mas também representa grandes riscos a quem é portador.

“Sangue dourado” soa elegante, mas quem tem esse tipo sanguíneo corre mais riscos que a maioria da população em situações de vida ou morte.

O RH nulo, também chamado de sangue dourado, é o tipo sanguíneo mais raro do mundo.

Para entender do que se trata é preciso analisar a classificação dos grupos sanguíneos. Os glóbulos vermelhos que formam o sangue estão cobertos de proteínas chamadas de antígenos.

O sangue tipo A tem antígenos A, o sangue B tem antígenos B, o sangue AB tem antígenos de ambos e o tipo O, nenhum dos dois.

Os glóbulos vermelhos também têm outro tipo de antígeno, o chamado RhD, que é parte de uma família formada por 61 antígenos tipo Rh. Quando o sangue tem RhD, é de tipo positivo. Quando não tem, é tipo negativo.

É assim que se formam os tipos de sangue mais comuns: A+, A-, B+, B-, AB+, AB-, O+, O-.

O tipo de sangue é vital no momento de uma transfusão.

Legenda da foto,

O 'sangue dourado' foi descoberto na década de 60 em uma mulhr australiana

Se uma pessoa é do grupo negativo e recebe sangue de um doador positivo, seus anticorpos vão reagir ao detectar células incompatíveis com seu sangue, o que pode ser fatal.

Com base nessa mesma lógica os portadores de sangue O- são considerados os doadores universais. Como seus glóbulos vermelhos não têm antígenos A, B, nem RhD, o sangue pode mesclar-se com outro tipo sem ser rechaçado como agente estranho.

Entre todas as possíveis combinações, o sangue Rh nulo é o mais raro.

Um tipo de sangue é Rh nulo quando seus glóbulos vermelhos não tem nenhum tipo de antígeno Rh.

Segundo a explicação de Penny Bailey no Mosaic, um portal de investigação biomédica, este tipo de sangue foi detectado pela primeira vez em 1961 em uma mulher australiana. Desde então, só foram registrados 43 casos de pessoas com Rh nulo no mundo todo.

Legenda da foto,

Quem tem Rh nulo pode doar sangue à maioria das pessoas com tipos sanguíneos traficionais

Esse tipo de sangue é adquirido de maneira hereditária, segundo explicou à BBC Mundo Natalia Villarroya, médica especialista em hematologia da Universidade Nacional da Colômbia.

“Pai e mãe devem ser portadores dessa mutação”, afirma.

O sangue Rh nulo pode ser um “tesouro” ou um risco, dependendo do ponto de vista. Por um lado, pode ser doado a qualquer pessoa com os tipos sanguíneos tradicionais dentro do sistema Rh e Rh negativo.

Portanto, em tese, o “sangue dourado” tem alta capacidade de salvar vidas.

No entanto, ele é extremamente difícil de conseguir. “É por isso que recebeu o apelido de sangue dourado”, explica o médico Thierry Peyrad, diretor do Laboratório Nacional de Referência em Imunohematologia de Paris, citado no artigo de Bailey.

Legenda da foto,

Os portadores do 'sangue dourado' podem padecer de anemia leve e ter dificuldade para obter transfusões em situações de vida ou morte

Trata-se de um tipo sanguíneo tão precioso e raro que, ainda que os bancos de sangue sejam anônimos, houve casos de cientistas que conseguiram rastrear os doadores para pedir amostras para investigações científicas.

E o portador deste tipo raro de sangue paga um preço caro. Segundo o Centro de Informação de Doenças Raras dos Estados Unidos, quem tem sangue Rh nulo pode padecer de anemia leve.

Além disso, no caso de precisarem de transfusão, só poderiam receber Rh nulo- algo extremamente complicado, não apenas pela pouca quantidade de pessoas com esse tipo sanguíneo, mas também pelas dificuldades de transporte do sangue de um país a outro.

Atualmente, as pessoas que tem “sangue dourado” vivem em diferentes países, alguns distantes entre si, como Colômbia, Brasil, Japão, Irlanda e Estados Unidos.

Leia também:  Como Saber Qual Mestrado Posso Fazer?

Os portadores de Rh nulo, portanto, costumam tirar sangue para guardar de reserva caso tenham que doar a si mesmos no futuro. Também são encorajados a disponibilizar quantidades para servirem de reservas às outras poucas pessoas que compartilham dessa condição, caso venham a necessitar de transfusões.

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!

Porque você deve saber seu tipo sanguíneo?

#solucaocentraldiagnostica #examelaboratorial #laboratorio #saude #fatorrh #tiposanguineo

Como Saber Que Tipo De Sangue Eu Tenho?

Qual é o seu tipo sanguíneo? Infelizmente muitas pessoas não sabem dar uma resposta para essa pergunta. Muitos nunca fizeram um exame simples, que pode trazer essa informação essencial para momentos de emergência.

Quando o sistema imunológico reconhece que algo estranho invadiu o corpo, ele começa a produzir anticorpos. Essa substância protetora vai defender o organismo, combatendo bactérias e vírus.

Isso significa que em situações que exigem transfusão sanguínea, saber o tipo sanguíneo é fundamental. Os anticorpos atacam tudo o que não deveria estar no sangue, por isso é preciso certificar que o antígeno não seja atacado.

Para entender melhor esse cenário vamos conhecer quais são os tipos de sangue que existem.

Sangue tipo A

Esse tipo é um dos mais comuns entre as pessoas. Ele é considerado como “anti-B” porque contem anticorpos contra o sangue do tipo B. Isso significa que pessoas com esse tipo sanguíneo só podem ser doadores para quem possui sangue “A” ou “AB”.

Sangue tipo B

O sangue B é considerado um grupo mais raro. Como possui anticorpos contra o tipo A ele é considerado anti-A. Quem possui o sangue B só pode receber sangue dos tipos “B” e “O”.

Sangue tipo AB

AB é considerado como o sangue mais raro de todos os tipos. Ele não possui anticorpos contra o sangue A e nem contra o sangue B. Isso significa que quem possui o tipo sanguíneo AB pode receber sangue de qualquer tipo.

Sangue tipo O

Esse grupo é o mais comum entre as pessoas, ele possui anticorpos anti-A e anti-B. Por conta disso, só podem receber sangue do tipo “O”. Porém é doador para todos os outros tipos.

O sistema ABO, também classifica o sangue pelo fator RH. Ele indica a presença de um antígeno nas hemácias, existe o Rh positivo e o negativo e a classificação é a seguinte:

Sangue fator Rh+

  • Podem receber sangue de pessoas com fator Rh+ e Rh-
  • Só doam sangue para pessoas com fator Rh+

Sangue fator Rh-

  • Podem doar sangue para pessoas com fator Rh+ e Rh-
  • Só recebem sangue de pessoas com fator Rh-

Além de facilitar o atendimento em situações de risco, essas informações são essenciais para doações de sangue, transfusões ou até mesmo gestações quando o sangue do bebê é incompatível com o da mãe.

Por isso, comente com seus familiares e amigos sobre seu tipo sanguíneo, isso pode ajudar caso precisem responder alguma emergência sobre sua saúde.

Saber qual é seu tipo sanguíneo evita incompatibilidades e reações imunológicas negativas e isso pode salvar vidas.

Para descobrir seu tipo sanguíneo é feita a tipagem sanguínea, um exame laboratorial de coleta e análise de uma amostra. Um exame de sangue simples, mas vale sempre lembrar que deve ser feito em um laboratório de confiança.

Você sabe qual é o seu tipo sanguíneo?

Powered by Rock Convert

Antes de iniciar uma transfusão ou durante o pré-natal de uma gestante, é comum que sejam realizados exames de sangue para determinar o tipo sanguíneo. Existem duas classificações: o sistema ABO e o fator RH. Ambas são importantes para que não haja reações perigosas no organismo.

O tipo sanguíneo é herança genética, pois durante a fecundação há a transferência de antígenos, aglutininas e aglutinogênios que determinam a tipagem e o fator RH do bebê. Mas calma! Apesar dos termos difíceis, entender a dinâmica entre os diferentes grupos é mais simples do que parece! Quer saber mais sobre o assunto? Então continue a leitura!

Sistema ABO

Existem quatro tipos de sangue de acordo com o sistema ABO. A classificação depende da categoria de aglutininas e de aglutinogênios no plasma sanguíneo, observadas em análise laboratorial. São eles:

  • Grupo A: contém aglutinogênio A e aglutinina anti-B, por isso, não pode receber transfusões do tipo B, somente A e O;
  • Grupo B: contém aglutinogênio B e aglutinina anti-A, por isso, não pode receber transfusões do tipo A, somente B e O;
  • Grupo AB: contém aglutinogênios A e B, mas não tem aglutinina anti-A nem anti-B, por isso, pode receber transfusões de todos os tipos (é o receptor universal);
  • Grupo O: não contém aglutinogênios, mas tem aglutininas anti-A e anti-B, por isso, só pode receber transfusões do tipo O. Em compensação, pode doar para todos (é o doador universal).

Uma combinação incorreta pode levar ao entupimento dos vasos sanguíneos. Por exemplo, se uma pessoa com sangue do tipo A (com aglutinogênio A) receber uma transfusão do tipo B (com aglutininas anti-A), haverá aglutinação das hemácias, que começam a se dissolver — processo chamado de hemólise, potencialmente fatal.

Fator Rh

Os tipos sanguíneos também podem ser positivos (+) ou negativos (-). Essa classificação se refere ao fator Rh, um antígeno presente nas hemácias. A avaliação desse fator é relevante para a transfusão e também para o período de gestação, pois o sangue Rh- só pode se relacionar com outro negativo.

Se uma pessoa tem tipo sanguíneo com Rh+, pode receber doações tanto de positivos como de negativos, sem complicações. No entanto, alguém com fator Rh- pode sofrer graves reações de defesa se receber transfusões de grupos positivos, com consequências fatais se não forem controladas a tempo.

Na gravidez, essa é uma das preocupações dos exames de pré-natal. Se for determinado que a mãe tem tipo sanguíneo Rh+, não é necessário intervir. Se for Rh-, verifica-se também se o pai do bebê é negativo ou se é Rh+. Nesse último caso, há grandes chances de o bebê ter herdado o fator positivo do pai.

Se o sangue do feto entrar em contato com as hemácias da mãe, o organismo inicia uma reação imunológica para expulsá-lo, tratando-o como um invasor. A questão é facilmente resolvida com a aplicação de uma vacina na gestante com imunoglobina anti-D, uma substância capaz de evitar os ataques de defesa.

Compatibilidade sanguínea

Depois de entender como cada tipo sanguíneo se relaciona com os outros, tanto em relação ao sistema ABO quanto ao fator RH, veja uma tabela com o resumo da compatibilidade entre os grupos:

TIPO SANGUÍNEO:
RECEBE DOAÇÃO DE:
PODE DOAR PARA:
A+ A+, A-, O+ e O- A+ e AB+
A- A- e O- A+, A-, AB+ e AB-
B+ B+, B-, O+ e O- B+ e AB+
B- B- e O- B+, B-, AB+ e AB-
AB+ Todos (A+, A-, B+, B-, AB+, AB-, O+ e O-) AB+
AB- A-, B-, AB- e O- AB+ e AB-
O+ O+ e O- A+, B+, AB+ e O+
O- O- Todos (A+, A-, B+, B-, AB+, AB-, O+ e O-)

Não é tão complicado, não é? Saber qual é o seu tipo sanguíneo e entender a dinâmica dele com os demais é importante, não só para efeito de doação, mas também para descobrir pistas sobre sua capacidade imunológica e riscos de desenvolver certas doenças.

Viu só como é sempre bom ficar por dentro dos assuntos relacionados ao seu organismo? Agora que você já sabe a importância de conhecer o seu tipo sanguíneo, assine a nossa newsletter e receba nossas atualizações sobre saúde diretamente no seu e-mail!

Powered by Rock Convert

Tipo de sangue pode ter um papel importante na defesa ao coronavírus

© AFP

O tipo de sangue desempenha um papel importante na defesa ao novo coronavírus. A conclusão resulta dos resultados preliminares de uma investigação realizada pela empresa de testes genéticos 23andMe, em que os especialistas descobriram que diferenças num gene, o ABO, que influencia o tipo sanguíneo, podem afetar a suscetibilidade ao SARS-Cov-2.

Os resultados preliminares de um estudo iniciado em abril passado, conta o jornal El Mundo, sugerem que as pessoas que têm sangue tipo O estão mais protegidas contra o novo coronavírus .

Os cientistas da gigante da biotecnologia, com sede na Califórnia, realizaram 750.000 testes (e o estudo ainda decorre) para analisar os fatores genéticos e assim tentar determinar qual a razão que leva algumas pessoas que contraem o novo coronavírus a não apresentarem sintomas, enquanto outras ficam gravemente doentes.

Fechar

Subscreva as newsletters Diário de Notícias e receba as informações em primeira mão.

De acordo com dados publicados pela 23andMe, pessoas com tipo sanguíneo O têm 9% a 18% menos hipóteses de ter resultados positivos a Covid-19 do que pessoas com outros tipos sanguíneos. Estes resultados mantêm-se quando ajustados por idade, sexo, índice de massa corporal e etnia.

Embora o estudo tenha constatado que o grupo sanguíneo O era protetor apenas entre tipos de sangue rh positivo, as diferenças no fator rh (tipo sanguíneo + ou -) não foram consideradas significativas nos dados recolhidos pela 23andMe. Também não foi visto como um elemento de suscetibilidade ou gravidade nos casos.

Entre os inquiridos para o estudo, a percentagem que registou um teste positivo à Covid-19 é menor entre as pessoas com o sangue tipo O. A percentagem que relatou um teste positivo aumentou entre quem tem tipo sanguíneo AB.

Leia também:  Como Saber A Que Horas Passa O Carteiro?

Os dados do tipo sanguíneo e os resultados genéticos preliminares também parecem apoiar uma variante do gene ABO associada a um menor risco.

Pelo menos dois estudos publicados recentemente, um de investigadores da China e o mais recente de cientistas de Itália e Espanha, analisaram o papel do gene ABO na Covid-19 .

O estudo da China analisou a suscetibilidade, enquanto o italiano e o espanhol encontraram uma associação entre o tipo sanguíneo e a gravidade da doença.

Este estudo analisou os genes de mais de 1.600 doentes em Itália e Espanha que sofreram insuficiência respiratória e constatou que ter sangue tipo A estava associado a um aumento de 50% na probabilidade de um paciente necessitar de um ventilador. Já o estudo na China deu resultados semelhantes em relação à suscetibilidade de uma pessoa ao Covid-19.

Por que há diferentes tipos de sangue? Eles dizem algo sobre nossa saúde?

Temos que ser gratos ao nosso sangue, pois ele trabalha com eficiência em funções de grande importância para manter o corpo todo ativo, como levar oxigênio e nutrientes para as células. Talvez você nunca tenha notado, mas pensamos com tanto carinho sobre o sangue que até damos nomes para ele, O positivo, A negativo, e por aí vai.

Brincadeiras à parte, as classificações dos tipos sanguíneos são muito importantes e fazem uma tremenda diferença na hora da transfusão. Cada tipo de sangue tem características únicas e os médicos sempre conferem tanto a letra quanto se é positivo e negativo, porque receber um sangue diferente do seu pode levar à morte.

“Os cientistas acreditam que as diferenças de tipos sanguíneos decorreram de vantagens evolutivas adquiridas ao longo dos anos em relação a infecções“, explica Edna Harumi Goto, hematologista do Hospital Samaritano, em São Paulo. Os tipos de sangue são: A, B, AB ou O; e eles podem ser positivos ou negativos.

O que determina qual será o sangue de cada um são as características genéticas herdadas dos pais. “Por exemplo, se os pais possuem os tipos sanguíneos A e O, eles só podem ter filhos com sangue A ou O, nunca B ou AB”, comenta Goto.

Para conseguir diferenciar os tipos sanguíneos é preciso analisar se há ou não a presença de moléculas de proteína na superfície da membrana dos glóbulos vermelhos: os antígenos A e B.

“Se seu sangue é tipo A quer dizer que possui antígeno A; se é B, você tem antígeno B; e o sangue O significa a ausência dos antígenos, não tem proteína nenhuma”, diz Tatiana Covas, hematologista do complexo hospitalar Edmundo Vasconcelos, que administra o banco de sangue de São Paulo. “Isso não muda nada na sua saúde, é só uma diferença no organismo que precisa ser levada em consideração se um dia você precisar de sangue”, completa Covas.

Positivo ou negativo

Também depende de uma proteína que fica nos glóbulos vermelhos. A substância que classifica se o sangue é positivo ou negativo é específico do sistema Rh: o antígeno D.

Quando ouvimos que uma pessoa tem tipo sanguíneo A+, por exemplo, significa que ela tem em suas hemácias tanto o antígeno A quanto o D.

Quando o sangue é negativo, ele evidência a ausência do antígeno D.

Por que essas características são importantes?

Médicos testam o tipo de sangue nos fatores ABO e negativo ou positivo para evitar complicações em transfusões ou transplantes

Imagem: iStock O sangue tem milhares de antígenos, essas tais proteínas na membrana dos glóbulos vermelhos, muitos mesmo. Porém, os médicos descobriram que não há necessidade de desvendar cada uma delas, uma vez que quando o assunto é transfusão de sangue os sistemas Rh e ABO são únicos os que precisam ser respeitados obrigatoriamente. “Os fatores também são de extrema importância em casos de transplante”, diz Goto.

Isso porque quem nasce com o sangue A, por exemplo, tem antígeno A e também tem anti-B. Ou seja, o sistema imunológico da pessoa já está programado para reagir com força total e imediatamente caso entre em contato com um sangue B (seguindo o exemplo inicial de um paciente com sangue A).

“Para você entender fica assim: quem é tipo A tem anti-B, então não pode receber sangue B, enquanto quem é tipo B tem anti-A, e não pode ter contato com sangue A.

Já quem é AB tem os dois tipos de proteína, então o corpo não irá estranhar nenhuma, por isso é receptor universal. E se é O tem anti-A e anti-B, vai estranhar sangues A, B e AB, e só pode receber sangue O”, pontua Covas.

Por não ter os antígenos A ou B, o sangue O é doador universal, pois não causa reação em nenhum outro tipo de sangue.

Também é perigoso não respeitar o fator Rh. O que acontece é que quem possui essa proteína chamada de fator Rh é positivo, quem não tem é negativo. Quando uma pessoa que é negativa recebe um sangue positivo, seu corpo reage a proteína como se fosse uma invasora.

“Os casos de incompatibilidade de Rh são graves, mas não tão severos como os de tipo ABO. Acontece que no ABO o corpo já tem os anticorpos formados para lutar contra as proteínas que não possuem, já com o Rh (D) o organismo precisa de um primeiro contato para estimular o sistema imunológico e produzir um anti-D”, explica Covas.

A resposta corporal em um primeiro contato com o antígeno D (do fator Rh) pode demorar cerca de 14 dias. Depois disso, o corpo do paciente estará com células prontas para atacar em caso de um segundo contato com o tipo sanguíneo, o que causará uma reação mais grave.

Como o corpo reage se receber um sangue diferente?

“Receber um sangue incompatível é gravíssimo, pode trazer reações como calafrio, tremor, insuficiência renal e há risco de óbito”, alerta Covas.

“É isso, caso um paciente do tipo O receba sangue do tipo A ele irá apresentar hemólise do sangue recebido, ou seja, ocorrerá destruição dos glóbulos vermelhos que ele recebeu, pois ele possui anticorpos anti-A que reconhecerão que o sangue recebido não é compatível com o seu“, acrescenta Goto.

Tipos de sangue podem indicar pré-disposição a doenças?

“Existem muitos estudos em andamento que relacionam algumas patologias com tipagens sanguíneas, como prevalência para câncer de pâncreas, infertilidade ou déficit de memória, mas todas as pesquisas são muito iniciais e não devem levar à mudança de conduta da população”, diz Marimilia Pita, hematologista do Hospital Samaritano.

Ou seja, não é porque você tem um tipo de sangue associado a uma maior prevalência de certa doença que deve ter receio e viver fazendo exames para saber se está com o problema. “Na prática do paciente não muda nada, são só hipóteses, é precipitado. Todos têm que continuar com a prevenção da mesma forma, e quando tiverem a doença passarão por tratamento normal”, afirma Pita.

O que pode acontecer e até tem seu fundo de verdade, mas não um grande impacto na vida do paciente ou em atendimentos médicos, é a ligação entre tipos sanguíneos e coagulação.

“Já é sabido que, por exemplo, quem tem sangue O tem menos fatores de coagulação no plasma do sangue, então possui pré-disposição maior a eventos hemorrágicos.

O grupo A tem mais fatores de coagulação, podendo ter mais chance de fenômenos trombóticos“, comenta Marcello Augusto Cesar, hematologista do Hospital e Maternidade São Luiz Itaim, em São Paulo.

De qualquer forma, são eventos que, segundo Cesar, são muito pequenos e também não têm peso durante a rotina hospitalar. Portanto, fique tranquilo com o tipo de sangue que você tem e não se esqueça de agradecer por todo o trabalho que ele faz no seu corpo 24 horas por dia. 

UOL VIVABEM NAS REDES SOCIAIS

Qual a importância de saber o seu tipo sanguíneo?

Muitas pessoas se preocupam com as doenças que podem estar presentes no sangue, mas o tipo sanguíneo também pode fornecer informações importantes sobre seu organismo.

Uma delas está relacionada à sua ascendência 1 afinal, tanto a tipagem sanguínea quanto o fator RH são herdados dos pais. Mas esse não é o motivo mais importante para se conhecer mais sobre seu próprio sangue.

Neste texto, vamos explicar cada um dos tipos de sangue e falar sobre a importância não apenas de saber, mas de ter essa informação anotada sempre junto de si. Confira!

O sangue humano pode ser classificado entre 4 tipos diferentes, além de 2 fatores Rh. Vamos entender melhor como funciona a definição de cada tipo a seguir.

Tipagem sanguínea

Os tipos sanguíneos são determinados pela presença de antígenos e anticorpos nas hemácias. Os antígenos podem ser do tipo A ou B enquanto os anticorpos, que estão presentes no plasma, são responsáveis por “atacar” os antígenos. Sendo assim, o sangue pode ter apenas um dos tipos, ambos ou mesmo nenhum deles.

De forma resumida, a determinação da tipagem sanguínea se dá da seguinte forma:

  • tipo A: presença do antígeno A e do anticorpo B;
  • tipo B: presença do antígeno B e do anticorpo A;
  • tipo AB: presença dos antígenos A e B e ausência de anticorpos;
  • tipo O: ausência de antígenos e presença de anticorpos A e B.

Fator Rh

O fator Rh do sangue está relacionado à presença ou ausência de outro tipo de antígenos nas hemácias. Dessa forma, o fator Rh é positivo quando o antígeno está presente — do contrário, ele é negativo.

Compatibilidade

Para os casos de transfusão de sangue, o cenário mais seguro é realizá-la utilizando o mesmo tipos sanguíneo e fator Rh entre doador e receptor.

Leia também:  Como Saber Qual Office Tenho Instalado?

No entanto, em casos de emergências, é possível fazer o procedimento com tipos sanguíneos compatíveis.

Em tais situações, é preciso ter bastante cuidado, pois cada tipo de sangue possui anticorpos que podem causar um choque anafilático em caso de contato com o tipo errado. Sobre o fator Rh a regra é:

  • fator negativo pode doar para ambos
  • fator positivo apenas para positivo.

Com relação a tipagem sanguínea, as compatibilidades são:

  • tipo O: doador universal;
  • tipo A: doa para os tipos A e AB;
  • tipo B: doa para os tipos B e AB;
  • tipo AB: doa apenas para o tipo AB.

Como descobrir o tipo sanguíneo?

A tipagem sanguínea é feita por meio de exame laboratorial. Para isso, é coletada uma amostra para análise da presença dos antígenos em um exame de sangue simples, realizado por qualquer laboratório de confiança.

Por que essa informação é importante?

Como mencionamos no início deste texto, a tipagem sanguínea pode fornecer informações importantes sobre uma pessoa, como os possíveis tipos sanguíneos dos seus pais e dos seus filhos.

No entanto, existem motivos muito importantes que valem a pena ser mencionados. Ainda nessa questão parental, por exemplo, uma mulher que possui o fator Rh do sangue negativo e engravida de uma criança cujo fator Rh do sangue seja positivo desenvolve anticorpos ao longo da gestação.

Sendo assim, na próxima gravidez de um bebê com fator Rh positivo, esses anticorpos atacam o novo embrião, causando um aborto. Para resolver esse problema, basta que a mãe tome uma medicação específica. No entanto, isso mostra a importância de ter o conhecimento sobre a tipagem sanguínea.

Outra situação em que a informação sobre o tipo de sangue pode ser vital é em casos de acidente mais graves, com perda significativa de sangue.

Nessas situações emergenciais, nem sempre há tempo de enviar uma amostra de sangue para o laboratório para descobrir o seu tipo e fator Rh.

Por esse motivo, ter essas informações disponíveis na carteira, por exemplo, pode agilizar o atendimento e salvar a vida da pessoa.

Como vimos, conhecer o seu tipo sanguíneo é muito importante e pode salvar vidas (de amigos, parentes e até dos seus próximos filhos). Então, se você ainda não sabe qual é o seu, não perca tempo e faça já o seu exame!

Se você gostou deste conteúdo, assine a nossa newsletter para receber novidades em seu e-mail. Até a próxima!

Como saber meu tipo sanguíneo? Confira três maneiras aqui

Saber o próprio tipo sanguíneo é muito importante, principalmente em casos de emergências médicas, e existem diversas maneiras de descobrir essa informação. Então, se você já se perguntou: “como saber meu tipo sanguíneo?”, este texto vai tirar todas as suas dúvidas.

3 maneiras de descobrir o tipo sanguíneo

Se você não sabe o seu tipo sanguíneo, é fundamental buscar essa informação, e existem diversas formas de fazer isso. Confira algumas delas:

Veja exames de sangue antigos

Você já fez um exame de sangue? Se a resposta for positiva, procure pelo exame antigo e verifique qual o seu tipo sanguíneo. É muito comum que médicos peçam esse tipo de exame para fazer um check-up da saúde, então você provavelmente já fez em algum momento da vida.

Faça uma doação de sangue

Se você já se perguntou “como saber meu tipo sanguíneo de maneira barata?”, então esse tópico é para você! Os doadores de sangue precisam realizar exames sanguíneos. Ou seja, ao doar sangue, você consegue descobrir qual o seu tipo de sangue de graça.

Realize o exame de tipagem sanguínea

Outra maneira de como descobrir meu tipo sanguíneo é por meio do exame de tipagem sanguínea. Quem possui convênio médico pode agendá-lo sem grandes dificuldades. Já as pessoas que dependem do sistema de saúde pública precisam consultar um médico que irá indicar o exame. Assim, será possível agendar o procedimento.

Tipos sanguíneos e compatibilidade

Quando falamos sobre tipos sanguíneos, é importante saber que eles são determinados pela presença de antígenos e anticorpos que estão nas hemácias. Nesse sentido, existem os seguintes tipos de sangue: A, B, AB ou O.

Se você já se sentiu confuso em relação à compatibilidade dos sangues, veja como funciona a doação em relação à tipagem:

  • tipo O: conhecido como doador universal;
  • tipo A: pode doar para os tipos A e AB;
  • tipo B: pode doar para os tipos B e AB,
  • tipo AB: pode doar apenas para o tipo AB.

Fator Rh

Além de saber o tipo sanguíneo, é fundamental saber o fator Rh. Ou seja, uma pessoa pode ter sangue O positivo ou negativo, por exemplo. Isso é importante porque o fator positivo pode doar apenas para positivo, enquanto o negativo faz a doação para ambos.

Se ficou confuso, a gente explica: uma pessoa com tipo sanguíneo A positivo pode doar apenas para pessoas com sangue A positivo ou AB positivo. Já quem tem o sangue A negativo pode doar para A positivo e negativo e AB positivo e negativo.

Por que preciso saber meu tipo sanguíneo?

Além de perguntar como saber meu tipo sanguíneo, muitas pessoas questionam a necessidade dessa informação. Em um acidente, por exemplo, a pessoa ferida é levada ao hospital e pode precisar uma transfusão de sangue.

Em um caso de hemorragia que precisa ser contida rapidamente, não é possível enviar o sangue para que o laboratório faça os testes necessários, por exemplo. Por isso, quando a pessoa sabe o tipo sanguíneo, ela facilita o trabalho dos médicos, agilizando os procedimentos necessários. 

Então, é indicado que todas as pessoas saibam o próprio tipo de sangue e mantenham essa informação anotada. Deixar um papel na carteira, por exemplo, é uma boa escolha. Assim, se a pessoa estiver inconsciente, o paramédico consegue encontrar esses dados rapidamente.

Faça exames com preços acessíveis

Agora que você já sabe todas essas informações, não precisa perguntar mais como saber meu tipo sanguíneo, basta marcar um exame. Com o POP Saúde, é possível realizar exames a partir de 5 reais!

Além disso, você tem acesso a uma rede de profissionais qualificados e consultas com um preço que cabe no seu bolso. Vale lembrar que nossos planos são trimestrais ou anuais. Assim, você escolhe aquele que melhor atende às suas necessidades. Confira todos os benefícios!

Você sabe qual o seu tipo de sangue e o fator RH? Esse conhecimento pode até salvar sua vida em alguma de emergência

A receptação de sangue por um tipo incompatível pode desencadear uma série de reações alérgicas e destruição de hemácias pelo próprio sistema imunológico do paciente, levando-o até à morte.

Você sabia disso? Não à toa, a identificação sanguínea do doador e do receptor é uma das grandes preocupações dos centros de hemoterapia de todo o País e do Mundo, antes de qualquer transfusão de sangue.

TIPOS DE SANGUE
Os tipos de sangue estão divididos em quatro grupos: A, B, AB e O. É o famoso sistema ABO, descoberto no início do século XX pelo médico e cientista austríaco Karl Landsteiner – prêmio Nobel de Medicina em 1930 -, pois suas pesquisas permitiram salvar vidas e garantiram transfusões de sangue corretas, o que possibilitou maior segurança nos procedimentos cirúrgicos.

Cada tipo sanguíneo é caracterizado pela presença ou pela ausência de determinados antígenos nos glóbulos vermelhos. A presença de aglutinogênio A, de aglutinogênio B, de aglutinogênio A e B e a ausência desses aglutinogênios vão especificar o tipo de sangue de cada indivíduo.

Nas análises laboratoriais, os anticorpos anti-a e anti-b são empregados aos sangues coletados para identificar o tipo do grupo sanguíneo tanto do doador como do receptor. Esse teste é chamado tipagem sanguínea e é realizado por profissionais de saúde – em geral, por biomédicos – que estabelece o tipo de sangue (se A,B, AB ou O) e o fator RH (positivo e negativo) que cada indivíduo possui.

COMPATIBILIDADE
Para saber se o receptor tem compatibilidade sanguínea com o doador, não basta identificar apenas o tipo de sangue, é necessário também conhecer o seu fator RH, que determina se o sangue é do tipo positivo ou negativo.

Assim, pessoas com sangue positivo podem receber sangue de pessoas com qualquer RH, mas só podem doar para quem também é positivo. Já pessoas com sangue negativo pode doar para quem é positivo ou negativo, mas só pode receber de quem é negativo.

COMUNS, RAROS E UNIVERSAIS

*Tipo A:  é um dos mais comuns e contém anticorpos contra o tipo B. Doa sangue para os tipos A e AB. Só recebe sangue de pessoas do tipo A e O;
*Tipo B: um dos tipos mais raros e contém anticorpos contra o tipo A.

  Doa sangue para os tipos B e AB. Só recebe sangue de pessoas do tipo B e O;
*Tipo AB: um dos tipos mais raros e contém anticorpos A. É o receptor universal, por isso pode receber sangue de pessoas de todos os tipos.

Mas só pode doar para pessoas do mesmo tipo sanguíneo;

*Tipo O: é um dos tipos mais comuns e contém anticorpos A e B. É o doador universal, por isso pode doar sangue para pessoas de qualquer tipo. Mas, só recebe sangue de pessoas do mesmo tipo sanguíneo.

Para ilustrar melhor, o projeto Navegação de Pacientes elaborou uma tabela exemplificativa com todos os tipos sanguíneos, seus respectivos fatores RH e para quem é possível doar e/ou receber. Confira!

*Com informações do site do Laboratório Oswaldo Cruz

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*