Como Saber Que O Telemovel Esta Sob Escuta?

A tua segurança deve estar sempre protegida. Se fizeres uso de alguns códigos de sistemas, podes conhecer alguns detalhes sobre os ajustes do teu smartphone, para descobrir se os teus dados e mensagens de texto estão realmente seguros ou se há alguém a que te esteja espiar.

Reunimos os códigos mais úteis e atuais para os smartphones modernos, assim como dicas para evitar a ação de “espiões” indesejados.

Como Saber Que O Telemovel Esta Sob Escuta?

Com este código, é possível descobrir se o encaminhamento de ligações, mensagens de texto e outros dados está habilitado. Na tela, verás o status de todo tipo de encaminhamento (ou desvio) e o número de telefone para o qual os dados são redirecionados.

  • Como Saber Que O Telemovel Esta Sob Escuta?
  • Tem este número anotado para saberes para onde as tuas ligações, mensagens de texto e dados são encaminhados no momento em que alguém não consegue entrar em contacto contigo por telefone.
  • Como Saber Que O Telemovel Esta Sob Escuta?

É um código universal para desabilitar todo tipo de desvio no teu telefone. É muito prático para quando estiveres numa área de roaming, pois as ligações encaminhadas à caixa postal deixarão de ser cobradas.

Como Saber Que O Telemovel Esta Sob Escuta?

Usando este código, podes descobrir o IMEI (Identificador Internacional de Equipamento Móvel). Com esta informação, é possível localizar o teu aparelho caso seja roubado.

Como Saber Que O Telemovel Esta Sob Escuta?

Existem alguns códigos especiais que nos ajudam a rastrear localizações e também a descobrir se existe alguém a espiar-nos. Para comprovar, é preciso o aplicativo netmonitor. Entra com um destes códigos:

Para iPhone: *3001#12345#*

Para Android: *#*#4636#*#* ou *#*#197328640#*#*

Passo 1. Entra em UMTS Cell Environment, depois em UMTS RR info e anota os números de Cell ID (CID). São os números das estações básicas situadas perto de onde estás. O teu telefone vai se conectar àquela que ofereça melhor sinal.

Passo 2. Volta ao menu principal, acede ao MM info, e depois, Serving PLMN. Anota os números de Local Area Code (LAC).

Passo 3. Usando estes dois dados e uma página web, serás capaz de rastrear a localização no mapa da estação básica à qual o teu telefone estiver conectado.

Como Saber Que O Telemovel Esta Sob Escuta?

Caso uses o Android, confere periodicamente se o teu telefone encontra vírus.

O PlaceRaider é um dos mais perigosos. Desenvolvido por pesquisadores norte-americanos, o vírus demonstrou como os nossos dispositivos são vulneráveis.

Ao entrar num smartphone, este trojan, com a ajuda da tua câmera, faz uma série de fotos do espaço ao teu redor, cria um modelo em 3D do ambiente e, quando estiveres conectado à Internet, envia todos os dados junto com as senhas e informações do smartphone.

Como Saber Que O Telemovel Esta Sob Escuta?

Os serviços secretos de praticamente todos os países colaboram com as operadoras, que dão acesso a qualquer número mediante ordem judicial, passando os dados coletados nos últimos três meses.

Se os serviços secretos estiverem a espiar o teu telemóvel, é possível que nem percebas.

Problemas como interferências durante ligações, descarregamento rápido da bateria, superaquecimento e reinícios inesperados do aparelho são motivos para começares a pensar.

Muitas pessoas não se sentem à vontade para falar de tudo ao telefone, então os espiões acham muito mais prático usar dispositivos especiais (microfones) instalados dentro do edifício. Eles podem ser encontrados com a ajuda de um detector de ondas de rádio.

10 sinais que indicam se o teu telemóvel está a ser espiado

Com a vasta gama de aplicações e ataques que são conhecidos, é importante saber se o nosso equipamento está a ser espiado ou não. É necessário tomar medidas de segurança, proteger os nossos dados pessoais e a nossa privacidade.

Existem sinais por vezes ignorados, para percebermos se o telemóvel poderá estar sobre espionagem ou infetado com algum malware. Prejudica o desempenho, e mais grave, poderá utilizar os nossos dados de forma ilegal e possível venda para entidades desconhecidas.

1. Presença de aplicações não desejadas

Como Saber Que O Telemovel Esta Sob Escuta?

Habituamo-nos à disposição das aplicações e atalhos do nosso telemóvel e temos aplicações que são mais utilizadas que outras. Por isso, é normal que ignoremos as restantes não tão utilizadas.

Devemos ter atenção para a presença de um novo aplicativo que não tenha sido instalado por nós.

2. Drenagem da bateria

Poderá ser um indicador de utilização em segundo plano. O aplicativo infetado age de forma invisível e a deteção poderá ser feita quando analisamos o desgaste da nossa bateria. Existe uma perda enorme num espaço de tempo em que o telemóvel não foi usado, ou então, o descarregamento não tem sido uniforme e sofre perdas anormais.

3. Textos e Pop-ups estranhas

Como Saber Que O Telemovel Esta Sob Escuta?

Quem nunca recebeu uma SMS estranha, um pop-up incomum e simplesmente ignorou? Este é um dos sinais mais óbvios que poderemos ter o nosso telemóvel infetado. Claro que a receção de um SMS estranho implique que estejamos a ser atacados, mas não podemos ignorar.

O caso mais óbvio, são as pop-ups intrusivas enquanto utilizamos o telemóvel, sem que estejamos a usar o navegador de Internet. Nesse caso deveremos logo tomar cuidados e perceber a origem do problema.

4. Consumo de dados móveis acima do normal

Ao estarmos infetados, o hacker envia remotamente as informações monitorizadas para o seu computador. Para isso necessita de uma ligação à Internet e uma anormalidade na utilização dos nossos dados móveis poderá um sinal de que algo não está bem.

Mantêm-te informado e esporadicamente procura saber a utilização geral dos teus dados móveis. Poderás facilmente aceder a essa informação a partir das definições.

5. Mau funcionamento do equipamento

Os novos equipamentos e flagships são equipados com hardware e software muito poderosos. Hoje em dia qualquer telemóvel consegue executar várias funções em simultâneo sem que notemos um travamento ou atraso na resposta do equipamento.

Caso seja notada uma repentina quebra no bom funcionamento do telemóvel devemos tentar perceber a razão e suspeitar de um possível controle e monitorização do equipamento.

6. Sobreaquecimento do dispositivo

O sobreaquecimento pode dar-se por diversas razões. O invasor poderá estar a aceder à nossa localização e isso implica que funcionamento do GPS sobreaqueça o equipamento. Quando o telemóvel está parado, sem utilização, nem atualizações a correr em segundo plano e percebemos que o equipamento está excessivamente quente, sem razão aparente.

Claro que com a capa protetora é mais difícil perceber a temperatura do telemóvel, mas será um dos indicadores mais alarmantes. Não é normal um dispositivo aquecer sem ser utilizado.

7. Ruído anormal em chamada

No passado, as linhas sofriam muitas interferências e ruídos de fundo, hoje em dia o sinal é mais forte e as ligações são mais estáveis. Logo não é normal ouvirmos sons estáticos, vozes sobrepostas ou até ruídos estranhos.

Não fácil de ser detetado, basta estarmos junto a um micro-ondas, um router ou qualquer outro equipamento que seja composto por campos eletromagnéticos e podemos notar alguma interferência.

Como Saber Que O Telemovel Esta Sob Escuta?

8. Dispositivo encerra/reinicia sem aviso prévio

Não é normal um equipamento desligar sem aviso, poderá até ser um problema de software ou hardware, mas é um dos indícios que mostra um possível ataque ao equipamento. Mais estranho será se o dispositivo se mantiver desligado por largos minutos, sem que o consigamos ligar.

9. Equipamento demora muito a desligar

Tal como um computador, quando é dada a instrução para desligar, os processos ativos são encerrados e desligados por definitivo. Acontece o mesmo nos telemóveis, e quando o processo de encerramento demora mais que o habitual, significa que existem processos a decorrer.

Caso seja normal o dispositivo levar algum tempo a desligar, não é motivo para alerta. Caso seja incomum demorar, poderá ser um processo de transmissão de dados do software espião.

10. Histórico navegador

Atividade anormal, websites não procurados e encontrados no nosso histórico, podem indicar que o nosso equipamento poderá estar infetado. Alguém poderá ter aberto um link que incluía a aplicação infetada e caso encontremos a origem será bem mais fácil proceder à sua remoção.

Dicas para removeres o aplicativo espião

Como Saber Que O Telemovel Esta Sob Escuta?

Redefinir o dispositivo (Factory Reset)

É a maneira mais fácil e rápida de nos livrarmos de todas as aplicações e conteúdos indesejados do nosso equipamento. Basta ir às configurações e redefinir as configurações de fábrica do dispositivo. Alertamos que optando por este método todo o conteúdo do dispositivo desaparecerá. Pode ser feita em iOS e Android.

Atualizar o equipamento

Poderá ser um solução, isto porque com a atualização, o aplicativo de espionagem não será compatível com a nova versão e o sistema caso reconheça o software, procederá à remoção. Para além disso, a nova atualização corrigirá erros e implementará melhorias para o utilizador.

Excluir manualmente o aplicativo espião

É uma opção mais difícil, trabalhosa, mas possível. Nas definições do nosso dispositivo conseguimos encontrar todas as aplicações instaladas, remove-las e proceder a alterações.

Por vezes, o aplicativo espião, fica camuflado e poderá ter um outro nome. Deveremos ter muita atenção à lista de aplicativos e perceber qual a funcionalidade de cada um.

Obter um anti-vírus

Hoje em dia, inúmeras ferramentas são fornecidas para os nossos equipamentos, deveremos ter o aplicativo instalado e proceder a uma verificação avançada de ameaças. Estas aplicações podem ser facilmente encontradas nas stores oficiais dos dispositivos.

Leia também:  Como Se Diz Porque Em Frances?

Alteração das palavras-passe

Devemos alterar as nossas senhas de maneira oportuna, ou seja, ocasionalmente a alteração deverá ser feita para prevenir perdas de dados pessoais. Além disso, devemos definir as senhas em prol da sua importância, assim caso uma das contas seja comprometida, não afetará as restantes.

Não instalar aplicativos de fontes desconhecidas

Hoje em dia, existem muitas alternativas às stores oficiais do equipamento, mas deveremos ter atenção quando instalamos uma aplicação de uma fonte desconhecida. Não sabemos se o aplicativo é fiável e poderá estar infetado.

Nas fontes externas não existe verificação de ameaças do aplicativo.

Atenção às permissões da app

Normalmente, quando instalamos uma nova aplicação, somos notificados que é necessário dar acesso a certas funcionalidades e serviços. Não deveremos aceitar, sem ler, ou perceber porque razão o aplicativo necessita de tal permissão.

Após seguires este tutorial, saberás se o teu telemóvel está a ser espionado ou está infetado. Dessa forma, sabes quais as medidas a tomar, futura prevenção e os respetivos cuidados para removeres os aplicativos infeciosos.

Caso pretendas algum aplicativo de mensagens seguro e com acesso restrito, poderás utilizar o Telegram, Wickr ou Signal. Existem mais aplicações, mas estes são os mais conhecidos.

Os códigos que permitem saber se o seu celular está sendo espionado

  • Homem casado pagava uma mensalidade aos pais da garota para que deixassem ela dormir na casa dele por alguns dias na semana.
  • Bolsonaro na Cúpula do Clima: “Determinei o fortalecimento dos órgãos ambientais”
  • Como Saber Que O Telemovel Esta Sob Escuta?Реклама•LegacyFX
    • Por que este anúncio?

    Obrigado por seu feedback. Removeremos isso e faremos as alterações necessárias.

    Очевидно, пришло время что вам не нужны никакие Экономические знания чтобы начать получать прибыль на финансовых рынках !!

  • Com uma extensa carreira no cinema e na televisão (só de novelas foram 13), Nicole Puzzi ainda é…

  • O homem forçou uma aproximação com abraço e pediu para “dar um beijo bem gostoso” na garota, além de oferecer-lhe R$ 10

  • A voz empostada e pausada de Caio em conversa com Tiago Liefert logo depois de ser eliminado do…

  • Todo surfista que se preza tem nas areias esperando por ele uma sereia para chamar de sua. E após…

  • Bolsonaro pediu a palavra e fez críticas ao artigo que fala em “autodeterminação informativa”, talvez confundindo com a discussão sobre autodeterminação de gênero

  • Mariane McGowan passou por um grande treinamento para se tornar agente de celebridades: cuidou da…

  • Trancinhas, cores claras, roupas juvenis… tudo o que Viih Tube usa dentro do 'Big Brother Brasil…

  • A defesa da mulher afirmou que ela só sentiu-se segura para falar a verdade após a prisão temporária de Jairinho

  • SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) – Um grupo de 36 artistas do Brasil e dos EUA enviou uma carta ao presidente Joe Biden pedindo que ele não feche um acordo com o governo de Jair Bolsonaro (sem partido) antes que ocorra uma redução real no desmatamento na Amazônia.

    O texto afirma ainda que antes que qualquer compromisso seja firmado, deve-se garantir a livre participação da sociedade civil nos debates ambientais. “Ações urgentes devem ser tomadas para enfrentar as ameaças à Amazônia, ao nosso clima e aos direitos humanos, mas um acordo com o Bolsonaro não é a solução.

    Encorajamos você a continuar o diálogo com povos indígenas e comunidades tradicionais da Bacia Amazônica, com governos subnacionais e a sociedade civil (…) antes de anunciar quaisquer compromissos ou liberar quaisquer fundos”, diz o texto.

    O documento foi assinado pelos atores Alec Baldwin, Joaquin Phoenix, Leonardo DiCaprio, Mark Ruffalo e Orlando Bloom, além dos cantores Katy Perry e Roger Waters, entre outros. Do lado brasileiro, subscrevem Caetano Veloso, Fernando Meirelles, Marisa Monte, Sonia Braga e Wagner Moura (veja a íntegra da carta e a lista completa ao final desta reportagem).

    “Nosso futuro climático depende da proteção da Amazônia e do apoio aos defensores indígenas da floresta. Tenho orgulho de prestar minha solidariedade a eles. Nos unimos para exigir: “Presidente Biden: com Bolsonaro não há acordo!”, disse o ator Mark Ruffalo, que interpretou o super-herói Hulk nos filmes do Universo Cinematográfico Marvel.

    “Presidente Biden, não assine nenhum acordo com Bolsonaro. Ele vai traí-lo. Bolsonaro é uma ameaça constante. Não apenas aos povos indígenas e ao meio ambiente mas também às políticas sociais que colocaram o Brasil em sintonia com grandes nações civilizadas”, afirmou a atriz Sônia Braga, de acordo com a Amazon Watch, uma das entidades que atuaram na elaboração da carta.

    O manifesto dos artistas se junta a outros pedidos feitos a Biden nos últimos dias, que o instam a não fechar um acordo com Bolsonaro sem que haja participação da sociedade.

    No começo de abril, mais de 200 entidades brasileiras enviaram uma carta à Casa Branca para pedir ao presidente americano que não fizesse um acordo a portas fechadas com Bolsonaro, pois consideram que a gestão federal não tem legitimidade para representar o Brasil.

    Na semana passada, senadores democratas enviaram uma carta a Biden pedindo que a Casa Branca só libere fundos ao Brasil para ajudar na preservação da Amazônia se houver um compromisso sério do governo Bolsonaro com a redução do desmatamento e punição a crimes ambientais.

    Em reunião recente com membros da equipe de John Kerry, enviado especial da Casa Branca para o clima, organizações enfatizaram que o presidente brasileiro não é confiável e que repassar recursos antes de haver progresso real seria premiar o retrocesso na política ambiental do país e ajudar na estratégia de relações públicas de Bolsonaro.

    O ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, vem tentando convencer os EUA a enviarem dinheiro ao Brasil em troca de metas de redução de desmatamento. Em entrevista ao jornal O Estado de S. Paulo, declarou que conseguiria reduzir a devastação da floresta amazônica em até 40% em 12 meses –mas somente se recebesse US$ 1 bilhão (R$ 5,6 bilhões) de países estrangeiros.

    Na semana passada, em carta enviada a Biden, Bolsonaro se comprometeu a acabar com o desmatamento ilegal em território brasileiro até 2030 e ponderou que a meta “exigirá recursos vultosos e políticas públicas abrangentes”. Como mostrou o jornal Folha de S.

    Paulo, o presidente brasileiro avalia anunciar mais recursos para agências como Ibama e ICMBio durante a cúpula de Biden, mas enfrenta resistência do Ministério da Economia, que não quer ampliar despesas em meio à pandemia e à crise fiscal.

    Os americanos querem que Bolsonaro afirme que não vai mais tolerar o desmatamento ilegal no Brasil e apresente um plano concreto para diminuir os números de destruição das florestas no curto prazo, o que poderia incluir o aumento de verba para órgãos de fiscalização do meio ambiente.

    A Casa Branca realizará nesta quinta (22) e sexta (23) a Cúpula do Clima, durante a qual o presidente americano quer recolocar os EUA como líderes ambientais e que tem como ambição de limitar o aquecimento global a 1,5 ºC. Para isso, Biden vai anunciar novas metas para o país para diminuir até zerar a emissão de gases que geram o efeito estufa.

    O evento, com dezenas de líderes mundiais, será online e transmitido ao vivo. Ao todo, há 40 líderes convidados, incluindo Bolsonaro, o presidente francês, Emmanuel Macron, e a primeira-ministra alemã, Angela Merkel. O Brasil deve discursar na sessão de abertura, assim como a China.

    Interlocutores americanos dizem querer ver no encontro mais do que apenas o compromisso de Bolsonaro com o fim do desmatamento ilegal até 2030. Eles insistem que é preciso mostrar ações imediatas para que as promessas produzam resultados tangíveis. O desmatamento na Amazônia cresceu 9,5% entre agosto de 2019 e julho de 2020, segundo dados do governo brasileiro.

    Foi o maior percentual em uma década. A derrubada da mata é acompanhada por um crescimento das queimadas na região. Bolsonaro e membros de sua equipe costumam minimizar o problema, além de fazer críticas ao trabalho de ONGs. Em 2019, Bolsonaro disse que elas eram suspeitas de incendiar a floresta, sem apresentar provas.

    * ÍNTEGRA DA CARTA Carta dos artistas do Brasil e dos EUA ao Presidente Joseph Biden Estados Unidos, Brasil, 20 de abril de 2021 Proteja a Amazônia Caro presidente Biden, Obrigado por seu compromisso de agir pelas mudanças climáticas, pela conservação das florestas e pelo respeito aos direitos e à soberania dos Povos Indígenas.

    Escrevemos para você hoje como artistas e músicos dos Estados Unidos e do Brasil para expressar nosso apoio e solidariedade aos Povos Indígenas e organizações da sociedade civil na Bacia Amazônica —e ao redor do mundo— que expressaram profunda preocupação com relação a possíveis acordos ambientais com o presidente brasileiro Jair Bolsonaro.

    Instamos sua Administração a ouvir nosso apelo e a não se comprometer com nenhum acordo com o Brasil neste momento. Proteger a Floresta Amazônica é essencial para soluções globais para lidar com as mudanças climáticas.

    No entanto, a integridade deste ecossistema crítico está se aproximando de um ponto de não retorno devido às crescentes ameaças à floresta tropical e aos seus guardiões pelo governo Bolsonaro, incluindo desmatamento, incêndios e ataques aos direitos humanos.

    Desde que Bolsonaro assumiu o cargo em janeiro de 2019, a legislação ambiental foi sistematicamente enfraquecida e as taxas de desmatamento triplicaram. As terras indígenas, que são as mais protegidas da Amazônia, foram invadidas, desmatadas e queimadas impunemente. Os direitos dos povos indígenas, guardiões da floresta, foram violados por Bolsonaro e seu governo.

    Estamos preocupados que seu governo possa estar negociando um acordo para proteger a Amazônia com Bolsonaro neste momento. Embora estejamos aliviados que a secretária de imprensa da Casa Branca Jen Psaki tenha declarado recentemente que não haveria nenhum acordo bilateral anunciado na Cúpula dos Líderes do Clima no Dia da Terra, ainda estamos apreensivos. Nós nos juntamos a uma coalizão crescente de mais de 300 organizações da sociedade civil brasileira e norte-americana, povos indígenas, membros do Congresso dos Estados Unidos e legisladores brasileiros para pedir a seu governo que rejeite qualquer acordo com o Brasil até que o desmatamento seja verdadeiramente reduzido, os direitos humanos sejam respeitados e a participação significativa da sociedade civil seja atendida. Compartilhamos suas preocupações de que ações urgentes devem ser tomadas para enfrentar as ameaças à Amazônia, ao nosso clima e aos direitos humanos, mas um acordo com o Bolsonaro não é a solução. Encorajamos você a continuar o diálogo com povos indígenas e comunidades tradicionais da Bacia Amazônica, com governos subnacionais e a sociedade civil, que têm soluções e desenvolveram propostas para sua consideração, incluindo a Plataforma Climática da Amazônia, antes de anunciar quaisquer compromissos ou liberar quaisquer fundos. Agradecemos sua liderança em tomar as medidas necessárias e urgentes para lidar com a emergência climática que enfrentamos coletivamente. Respeitosamente, Mark Ruffalo Leonardo DiCaprio Joaquin Phoenix Jane Fonda Rosario Dawson Orlando Bloom Katy Perry Uzo Aduba Alyssa Milano Alec Baldwin Marisa Tomei Philip Glass Roger Waters Frances Fisher Misha Collins Laurie Anderson Sigourney Weaver Katherine Waterston Ed Begley Jr. Wendie Malick Barbara Williams Sonia Braga Caetano Veloso Gilberto Gil Alice Braga Wagner Moura Fernando Meirelles Walter Salles Marisa Monte Maria Gadú Andrea Beltrão Patrícia Pillar Débora Bloch Marcos Palmeira Bela Gil Fernanda Abreu

  • Na decisão, juiz detalha tortura à criança: 'socos e chutes', 'arremessada contra a parede e contra um barranco de 7 metros' e 'chicoteada com um cabo de TV'

  • Em entrevista à BBC News Brasil, o senador que deve presidir a CPI da Covid diz que é 'a favor da ciência' e que não toma suposto tratamento precoce. 'O que os especialistas me dizem é que não tem nada que previna covid', disse.

  • O filme Matrix fez muito sucesso nos anos 2000 com uma história em que seres humanos vivem em uma realidade simulada por computadores.

    Se eu te disser que isso pode ser verdade, você toma a pílula azul ou a vermelha? O que diz o criador da teoria A teoria da realidade simulada foi criada no começo dos anos 2000, por um filósofo sueco chamado Nick Bostrom.

    Para ele, uma raça evoluída com computadores potentes poderia gerar realidades como a nossa, sem que os envolvidos saibam que aquilo é uma simulação. A hipótese serve como apoio para outras teorias da conspiração que você já ouviu falar, como a Nova Ordem Mundial e reptilianos. Acontece que muita gente séria tem estudado o tema.

    O astrofísico Neil Degrasse Tyson, por exemplo, disse que as chances disso ser verdade são altas. Outro que acredita é o fundador da Tesla, Elon Musk. O bilionário já disse por aí que somos personagens de um videogame extraterrestre.

    Baixe o app do Yahoo Mail em menos de 1 min e receba todos os seus emails em 1 só lugar Assine agora a newsletter Yahoo em 3 Minutos Realidade simulada pode ser verdade As linhas de pesquisa que tentam provar a realidade simulada vão muito além da Física tradicional.

    O que os cientistas querem fazer é enxergar os limites dessa simulação, do mesmo jeito que enxergamos pixels quando nos aproximamos de uma tela. Provar que a gente não vive em uma simulação usando métodos científicos é tão difícil quanto atestar a teoria. Por isso, boa parte dos estudiosos reconhece que as chances de isso ser verdade são de 50%.

    O que sobra agora é torcer para que a gente seja mais do que uma bateria para o PC gamer de um alienígena. Teorias da Conspiração Há uma Nova Ordem Mundial que comanda tudo? Os alienígenas estão entre nós? A realidade pode ser uma simulação? Basta navegar um pouco pela internet para se deparar com essas perguntas – e respostas igualmente surreais. Narrado por Andrei Fernandes, host do Mundo Freak, a série Teorias da Conspiração revisita oito das mais famosas dela e mostra que, apesar de boas histórias, não há nenhuma comprovação científica…Por enquanto. Toda quinta-feira, um novo episódio no Yahoo!

  • LOS ANGELES (Reuters) – A Agência Aeroespacial dos Estados Unidos (Nasa) realizou um novo feito extraterrestre inédito em sua missão mais recente a Marte: converter dióxido de carbono da atmosfera em oxigênio puro e respirável, anunciou a agência na quarta-feira. A extração de oxigênio inédita foi realizada na terça-feira por um dispositivo experimental a bordo do Perseverance, jipe científico que pousou no Planeta Vermelho em 18 de fevereiro depois de uma viagem de sete meses.

  • Plenário também vai discutir validade de 14 recursos impetrados pela defesa do petista

  • O navegador português e sua tripulação enfrentaram tormentas, calmarias e doenças e apenas 500 dos 1,5 mil homens que saíram de Portugal conseguiram voltar para casa.

  • A sessão de tortura que levou uma menina de 6 anos a ser internada em estado grave em Porto Real,…

  • Muita coisa mudou desde a tal reunião. Menos a ânsia, ora aparentemente domesticada, de transformar o país em um grande deserto, inclusive de ideias

  • Duque de Sussex embarcou na manhã desta terça-feira

Leia também:  Como Me Acalmar Quando Estou Com Raiva?

Saiba como descobrir se estão espionando seu celular

Como Saber Que O Telemovel Esta Sob Escuta?Grupo de pessoas usa smartphone em Berlim, em 12 de agosto passado.ANNEGRET HILSE / REUTERS

A tentação é forte: seu companheiro esquece o celular sobre a mesa, e você morre de vontade de xeretar o WhatsApp, as ligações recebidas e os sites que ele visitou, sobretudo se tem dúvidas sobre a fidelidade. Esse desejo não é novo, mas, em vez de pegar o telefone da vítima e navegar no conteúdo, agora existem ferramentas que fazem esse trabalho sujo sem o conhecimento (nem o consentimento) dela. É o chamado stalkerware (algo assim como “vírus do assediador”), e a má notícia é que qualquer um pode ser espionado sem ter consciência disso. Como detectar se o seu celular foi afetado por esse programa?

“Ao contrário dos aplicativos de controle parental, estes não são visíveis no celular da vítima”

Antes de analisar as chaves para detectar esse espião no smartphone, é bom conhecer como o stalkerware funciona.

Esses aplicativos operam de forma muito similar à do malware (código malicioso): uma vez instalados no aparelho da vítima, começam a registrar todo tipo de atividade que for enviada posteriormente a um servidor ao qual o espião tenha acesso. Mas a técnica não é exatamente igual.

“Ao contrário do malware, que é instalado de forma maciça, esse software é instalado por alguém que tem acesso ao celular”, disse ao EL PAÍS Fernando Suárez, vice-presidente do Conselho Geral de Associações de Engenharia Informática da Espanha.

Ele cita também outra importante peculiaridade desse tipo de programa: “Ao contrário dos aplicativos de controle parental, esses não são visíveis no celular da vítima.” Mas… como saber se o aparelho está sendo espionado por um stalkerware?

Leia também:  Como Acalmar Bebês Que Choram Muito?

Pop-Ups inesperados aparecem no navegador

Segundo o The Kim Komando Show, programa de rádio dos Estados Unidos sobre tecnologia, uma maneira de descobrir se o celular foi vítima dessa espionagem é através da súbita aparição de janelas emergentes (Pop-Ups) no navegador.

Trata-se de comportamentos fora do normal que não devem ser minimizados pela vítima.

Do mesmo modo, um súbito aumento de spam no e-mail e na recepção de mensagens de texto de desconhecidos, com excessiva frequência, devem ser motivos de preocupação.

  •  O celular sumiu temporariamente?
  • Se o seu smartphone desapareceu por um tempo antes de ter um comportamento estranho (por exemplo, se você o deixou no quarto e ele apareceu na sala horas depois), então pode ser que alguém tenha instalado o programa espião nele.
  • A bateria de repente dura muito menos

Um celular com stalkerware trabalha muito mais que os outros – e essa atividade tem um impacto sobre a duração da bateria. Se você detectar uma súbita queda no rendimento, acompanhada das situações descritas acima, pode suspeitar e tomar as medidas necessárias.

  1. O celular esquenta constantemente
  2. Além do maior consumo da bateria, os aparelhos afetados pelo programa espião precisam desempenhar muito mais tarefas – o que gera um aumento da temperatura.
  3. Instalar apps fora das lojas oficiais

Como saber se seu celular está sendo rastreado

Se o seu celular apresenta picos inesperados no consumo de dados móveis, queda repentina da bateria e anúncios pop-up saltando na tela, é provável que ele tenha sido hackeado e invasores estejam monitorando suas atividades. O TechTudo separou sete indícios que ajudam a descobrir se o smartphone está sendo espionado.

1 de 5
Veja a lista com sete indicativos de que seu celular foi hackeado ou pode estar sendo rastreado — Foto: Bruno De Blasi/TechTudo

Veja a lista com sete indicativos de que seu celular foi hackeado ou pode estar sendo rastreado — Foto: Bruno De Blasi/TechTudo

Quer comprar celular, TV e outros produtos com desconto? Conheça o Compare TechTudo

1. Alto consumo de dados móveis

2 de 5
Picos no consumo de dados móveis podem ser indício de que celular está sendo rastreado — Foto: Reprodução/Ana Letícia Loubak

Picos no consumo de dados móveis podem ser indício de que celular está sendo rastreado — Foto: Reprodução/Ana Letícia Loubak

O aumento no uso de dados móveis é um forte indicativo de que o celular pode estar sendo rastreado.

Isso porque aplicativos espiões usam a Internet para enviar informações sobre a vítima ao hacker, fazendo com que a cota de consumo de dados seja ultrapassada.

Caso desconfie de invasões ao aparelho, acesse as configurações e busque por “dados móveis” para conferir uma lista ordenada com os apps que mais consomem dados. Picos repentinos no gráfico podem indicar atividades de espionagem e rastreamento.

2. Queda drástica da bateria

3 de 5
Spywares podem reduzir a vida útil da bateria do celular — Foto: Reprodução/Helito Bijora

Spywares podem reduzir a vida útil da bateria do celular — Foto: Reprodução/Helito Bijora

Embora não seja um fator determinante, o rápido consumo da bateria pode ser um indício de que o telefone foi hackeado.

Se o usuário passa horas no YouTube ou mantém o brilho da tela no nível máximo, por exemplo, a queda acentuada da carga certamente está relacionada ao modo de uso do celular.

É possível verificar o que está consumindo a energia do aparelho acessando as configurações e pesquisando por “bateria”.

Por outro lado, se você estiver usando o celular como de costume, e a bateria acabar em poucas horas, é possível que o telefone esteja infectado. Ao executarem ações como download de apps maliciosos e comunicação com servidores de comando e controle em segundo plano, malwares e spywares contribuem para a redução drástica da vida útil da bateria.

3. Envio ou recebimento de mensagens desconhecidas

4 de 5
Ransomwares podem enviar mensagens de texto aos contatos da vítima — Foto: Luciana Maline/TechTudo

Ransomwares podem enviar mensagens de texto aos contatos da vítima — Foto: Luciana Maline/TechTudo

Celulares infectados com ransomwares, classe de malware que sequestra os dados da vítima e cobra quantias em bitcoin pelo resgate, são capazes de acessar a lista de contatos do usuário e enviar, sozinhos, mensagens por SMS ou WhatsApp. Em geral, os recados usam ofertas promocionais ou pornografia para levar novas vítimas a clicarem em links maliciosos.

Cobranças de despesas inesperadas são outro indício de que o aparelho foi infectado com vírus. Os agentes maliciosos enviam mensagens de texto para números de serviços premium, que tarifam a conta telefônica. É provável que os “recibos” dessas transações fraudulentas apareçam na relação de mensagens SMS recebidas.

Além de acarretar custo extra de dados e consumo da bateria, aplicativos espiões podem provocar o superaquecimento do aparelho.

Em alguns momentos específicos, como quando abrimos jogos pesados ou há muitas atividades sendo executadas ao mesmo tempo, o processador do celular eleva a frequência de trabalho, o que pode causar aumento da temperatura.

No entanto, se o telefone está mais quente que o normal em momentos de repouso, algo pode estar acontecendo.

Os códigos que permitem saber se o seu telemóvel está ser espionado

Não importa se o seu telefone seja Android ou IOS: se você digitar uma série de códigos especiais na tela, poderá aceder funções secretas, que são comummente usadas por desenvolvedores e testadores.

Algumas dessas opções são muito técnicas para serem utilizáveis, mas outras são bem interessantes, permitindo que você conheça uma série de dados ocultos e saiba até mesmo se o seu aparelho está grampeado.

Para aceder a essas funções, basta digitar o código no teclado da tela e clicar no botão que faz a chamada. Você visualizará automaticamente as opções.

+#21#

Esse código mostra se as chamadas, dados de terceiros e SMS’s do seu celular foram desviados para outro aparelho. Quem quer ver essas informações? Qualquer um que seja excessivamente ciumento (a) para espionar tudo que você faz.

+#62#

Esse código faz a mesma coisa que o primeiro, mas também mostra para qual número as chamadas foram desviadas.

Em geral, todos os celulares têm ao menos uma chamada desviada para nossa companhia telefónica, em casos em que não há cobertura da área.

É aquele famoso ‘o número que você discou não está disponível’; é o que acontece quando seu aparelho não tem cobertura para receber a chamada, então não entre em pânico.

##002#

Esse é o código universal para desactivar todos os encaminhamentos de chamadas, mensagens e dados. O propósito mais útil para essa função é quando estamos em outro país e começamos a usar as taxas de roaming. Quando utilizado, esse código evita que sejamos cobrados por chamadas que caem na caixa postal.

*#*#197328640#*#* (Android)

Esse código é extremamente interessante. Ele abrirá uma tela chamada Field Test, uma ferramenta que mostra informação técnica detalhada sobre as antenas às quais o celular está conectado no momento.

Com essa informação, você pode saber se alguém está tentando rastrear seu celular. Para tanto, é preciso baixar o aplicativo Netmonitor.

Primeiro, vá até a sessão UMTS Cell Environment, entrando depois em UMTS info. Feito isso, copie todos os números que aparecem na sessão Cell ID. Esses dados pertencem às antenas as quais nosso celular está conectado.

O segundo passo consiste em ir ao menu principal, pressionar a guia MM info e Serving PLMN. Localize os números que estão em Local Area Code e copie-os.

Em seguida, entre no site OpenCellID e cole os dados para encontrar um mapa das antenas às quais seu celular está conectado. Se os códigos se referem a antenas fixas, não tem problema. Mas se a antena estiver localizada na rua, em uma van, por exemplo, pode se tratar de alguém praticando espionagem.

É claro que também pode ser um veículo utilizado pela companhia telefônica para melhorar a cobertura. Isso acontece quando há alguma transmissão de futebol ou de festivais de música, e com esta grande concentração de pessoas, existe um pico de acessos. (Yahoo)

por Néstor Parrondo
Tecnología y redes

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*