Como Saber Que O Periodo Esta Para Vir?

Ginecologia

Como Saber Que O Periodo Esta Para Vir?

Os primeiros sinais e sintomas da gravidez podem ser muito pouco específicos, parecendo-se bastante com os sintomas pré-menstruais. Para algumas mulheres, pode ser bastante difícil distinguir as duas situações.

 Os sinais precoces de gravidez podem ser tão enganosos que é até possível que, nos primeiros dias de gravidez, a mulher apresente um discreto sangramento vaginal procado pela implantação do ovo na parede do útero.

Não é incomum, portanto, encontrarmos casos de mulheres que só descobrem estar grávidas após 3 ou 4 meses de gestação, simplesmente porque confundiram os sintomas inicias de gravidez e o seu pequeno sangramento vaginal com os sintomas pré-menstruais e com a menstruação propriamente dita.

Neste artigo vamos tentar mostrar as diferenças entre os sintomas de gravidez e menstruação. Para facilitar a leitura, iremos redigir o texto em forma de perguntas e respostas.

É possível menstruar estando grávida?

Não, a gestante pode apresentar sangramentos vaginais durante a gravidez, mas tecnicamente ela não menstrua.

Por que o sangramento da gestante não pode ser considerado menstruação?

Durante o ciclo menstrual, as células do endométrio (parede do útero) se proliferam, fazendo com que o útero fique mais espesso e com camadas altamente vascularizadas. O endométrio se expande para se tornar um local propício para receber um óvulo fecundado e iniciar uma gravidez.

Se a mulher ovula e esse óvulo não é fecundado, o estímulo para a expansão e manutenção desta espessa parede uterina desaparece, fazendo com que todo esse tecido que cresceu durante toda a primeira metade do ciclo menstrual pare de receber suprimentos de sangue e acabe por desabar.

A menstruação, portanto, não é exatamente uma perda de sangue, mas sim a eliminação de tecido uterino junto com vasos sanguíneos e sangue coagulado.

Durante a gravidez, a parede do útero não desaba, caso contrário, o feto seria levado junto, caracterizando um abortamento. Logo, qualquer sangramento que ocorra na gravidez não pode ser considerado menstruação. Menstruação e gravidez são eventos incompatíveis.

Quais são as causas de sangramento no início da gravidez que podem ser confundidas com menstruação?

Entre 20 a 40% das gestantes apresentam pelo menos um episódio de sangramento vaginal durante o primeiro trimestre de gravidez. As causas são várias, incluindo implantação do ovo (óvulo fecundado) no útero, variações hormonais, lesões ou feridas na vulva, vagina ou útero, abortamento, ameaça de abortamento, gravidez ectópica, etc.

A principal dica é uma alteração das características habituais e do tempo de sangramento menstrual. Se você está em idade fértil, teve relações sexuais recentemente sem a devida proteção anticoncepcional (seja camisinha, pílula ou qualquer outro método contraceptivo) e apresentou um sangramento vaginal diferente daquele que está habituada a ver, isso pode ser um sinal de gravidez.

Os sangramentos da gravidez costumam ser vermelho vivo, exceto em causas como gravidez ectópica e abortamento completo, quando o sangramento é mais escurecido. De qualquer modo, as características do sangue costumam ser bem diferentes da menstruação.

Então, é fácil distinguir uma menstruação de um sangramento vaginal durante a gravidez?

Nem sempre, principalmente se a mulher ainda não sabe que está grávida. As características do sangramento menstrual são diferentes de mulher para mulher. Há aquelas que têm um fluxo menstrual pequeno e de curta duração, que pode se parecer com sangramentos que ocorrem durante a fase inicial da gravidez.

Portanto, não é incomum encontrar casos de mulheres que sangram durante os primeiros meses de gestação e acham que estão a menstruar normalmente.

Três questões devem ser levadas em conta na hora de distinguir sangramentos vaginais:

O sangramento está vindo na data esperada da menstruação?O sangramento tem a mesma duração e volume habituais da menstruação?

As características do sangue são semelhantes às da menstruação?

Se você respondeu sim para pelo menos 2 das 3 perguntas, a chance de ser apenas menstruação é bem grande.

Se eu não souber que estou grávida e usar a pílula anticoncepcional, posso menstruar ao final da cartela?

As pílulas contém hormônios que simulam o ciclo menstrual. Em alguns casos, a grávida pode apresentar um sangramento mensal por causa desses hormônios, mas, tecnicamente, isso não é menstruação.

Quais são os outros sintomas de gravidez que se parecem com os sintomas da menstruação?

Alguns sintomas pré-menstruais, como cólicas, retenção de líquido, aumento dos seios, varição do humor e outros, podem ocorrer tanto em uma gestação inicial como no período pré-menstrual. A dica aqui é a mesma usada para distinguir os sangramentos: comparar as caraterísticas dos sintomas.

Habitualmente, os sintomas da gravidez podem ser parecidos, mas não são iguais aos do período pré-menstrual.

O “feeling” ou o “sexto sentido” feminino é algo que deve ser sempre levado em conta. Quando a mulher sente que há algo de diferente no seu padrão menstrual ou nos sintomas pré-menstruais, a não ser que ela não tenha tido relações sexuais recentemente, o ideal é sempre fazer um teste de gravidez para tirar a dúvida, principalmente se a menstruação estiver atrasada.

Obviamente, se a mulher não teve relações nos últimos 6 meses, não há como ela estar com uma gravidez inicial. Neste caso, as alterações no padrão menstrual devem ser avaliadas por um ginecologista.

Menstruação atrasada é sempre sinal de gravidez?

Claro que não. Se por um lado, toda gravidez obrigatoriamente causa atraso menstrual, o oposto não é verdadeiro. Nem todo atraso menstrual é sinônimo de gestação em curso.

Há várias causas para o atraso menstrual, incluindo estresse emocional.Portanto, se a sua menstruação atrasou alguns dias, podem haver outras explicações que não uma gravidez.

Porém, toda mulher sexualmente ativa com atraso menstrual maior que uma semana deve fazer um teste de gravidez para descartar uma gestação.

Tentar saber somente pelos sintomas se você está grávida ou não costuma ser muito pouco eficiente. Vira um jogo de adivinhação. O diagnóstico de gravidez é feito com exames e não com bola de cristal.

O mais correto é fazer o seguinte: se a sua menstruação atrasou, e você suspeita que possa estar grávida (mesmo que a suspeita seja bem ligeira), faça o teste de gravidez. Com pelo menos uma semana de atraso menstrual, a imensa maioria dos testes tem uma taxa de acerto elevadíssima, próxima de 100%.

Referências

Menstruação e Ciclo Menstrual

A menstruação ou cataménio, por vezes, também chamado período, é resultado da descamação do interior do útero, sendo composto de sangue e células endometriais.

Com a diminuição das hormonas (sobretudo progesterona), no final do ciclo menstrual anterior, diminui a estimulação desta camada uterina (endométrio), que se desintegra parcialmente, saindo pelo colo do útero e vagina, dando origem ao “período” ou fluxo menstrual. 

O período menstrual ou ciclo menstrual é o intervalo de tempo desde o início de uma menstruação até à menstruação seguinte.

A este intervalo também se dá o nome de interlúnio. Trata-se do conjunto de mudanças cíclicas que permitem a gravidez.

Envolve o equilíbrio de vários órgãos e um conjunto de hormonas cuja sincronia é fundamental para que o ciclo se desenvolva normalmente.

Fases do ciclo menstrual

Por convenção, o ciclo menstrual começa com a menstruação ou cataménio, que se pode entender como um reinício de todo o sistema, na ausência de gravidez no ciclo anterior.

Depois um novo folículo é desenvolvido enquanto se “reconstrói” o endométrio.

Chegando a altura da ovulação, iniciam-se alterações da estrutura endometrial, que voltam a desaparecer na ausência de gravidez, reiniciando o ciclo.

Habitualmente distinguimos duas fases do ciclo, separadas pela ovulação.

A primeira fase, proliferativa, ou fase folicular, relaciona-se com o crescimento de um novo folículo e espessamento gradual do endométrio.

No final desta fase dá-se a ovulação e depois, o conjunto de hormonas em circulação torna o endométrio recetivo a um possível embrião. Esta segunda fase, lútea ou secretora, termina quando a mulher menstruar, iniciando-se o novo ciclo.

Quantos dias tem um ciclo menstrual?

Os ciclos de mulheres adultas saudáveis têm entre 21 e 35 dias, sendo 28 dias a média. Mulheres dos 25-35 anos aproximam-se mais do intervalo 28-35 dias. Em adolescentes pode ter entre 21 e 45 dias.

Os ciclos regulares têm uma variação inferior a 7-9 dias de ciclo para ciclo. Ou seja, a diferença entre os ciclos mais curtos e mais compridos é menor que cerca de 7 dias.

Várias teorias foram sendo apontadas para a duração média do ciclo, mas não existe evidência clara que esta esteja relacionada, nomeadamente, com o ciclo lunar, que tem 29,5 dias. As marés foram relacionadas, por serem resultado da proximidade lunar. A luz proporcionada pela lua também foi apontada como influenciadora.

Ainda relacionado com a lua, uma explicação evolucionária, de eco genético dos nossos antepassados caçadores coletores: estes usariam o ciclo lunar para medir o tempo e caçariam mais durante a lua cheia e menos durante a lua nova, pelo que existiria vantagem evolutiva para as mulheres que ovulassem numa altura específica de menor atividade, por exemplo a lua nova.

Isso levaria a uma seleção dos humanos com esse tipo de ciclos, mais próximos do “calendário” usado.

Apesar de evidência pontual e argumentos terem aparecido ao longo dos anos para as teorias referidas, nenhuma delas foi confirmada em estudos maiores, pelo que não são, geralmente, aceites.

Leia também:  Como Saber Qual É O Numero Da Conta No Cartão?

A lua não tem, hoje, nenhum efeito provado na fisiologia humana.

Dizemos hoje porque numa altura sem iluminação elétrica teria certamente um efeito na atividade (ou ausência desta) dos humanos à noite, o que por sua vez poderia ter efeitos na fisiologia.

A variação da duração do ciclo relaciona-se sobretudo com a variação da fase folicular. A fase lútea é relativamente constante.

Quantos dias dura a menstruação?

Numa mulher saudável, com ciclos espontâneos (sem medicação ou pílula), o cataménio (período) tem habitualmente uma duração menor que 8 dias. Dentro deste intervalo, existe grande variação entre mulheres, mas menos variação de ciclo para ciclo, numa mulher com ciclo regulares.

Sinais e sintomas no ciclo menstrual 

Um ciclo menstrual normal dá origem a variações identificáveis objetivamente e percetíveis pela mulher. Começando pela menstruação, que é um sinal objetivo do início do ciclo novo.

Esta é muitas vezes acompanhada por dores menstruais, que por vezes começam ainda antes da menstruação. Não raras vezes, pode ser necessária medicação para aliviar a dor.

Dismenorreia é o termo clínico para menstruação dolorosa, que pode ser debilitante em alguns casos.

As mudanças identificáveis continuam com as alterações do corrimento, que se torna progressivamente mais claro e transparente. Chegando a altura da ovulação, estas características são máximas e o corrimento poderá ser “esticado” entre dois dedos. Também podem ser sentidas dores durante a ovulação.

A ovulação determina mudanças hormonais que, por sua vez, levam a novos sintomas. Tensão mamária, corrimento mais espesso, entre outras alterações variáveis entre mulheres podem ser sentidas, de forma cíclica, nesta fase (fase lútea).

O sangramento antes da menstruação, especialmente se recorrente, merece uma avaliação. É, no entanto, uma queixa habitual e raramente associada a patologia, se aparecer apenas numa ocasião ou raramente.

Síndrome pré-menstrual

A síndrome pré-menstrual é um conjunto de alterações físicas, psíquicas e de humor que normalmente aparecem dias antes do cataménio (menstruação). Devem ser distinguidas de outras patologias, nomeadamente do foro psiquiátrico.

Habitualmente envolvem mudanças de humor e irritabilidade.Esta síndrome varia desde pequenas alterações, que são desvalorizadas pelas próprias mulheres, durante dois ou 3 dias, até sintomatologia severa e limitante que pode durar até duas semanas.

O tratamento, depois de bem caracterizada a situação e feito o diagnóstico, poderá passar pelo uso de fármacos, sendo a pílula um dos mais comuns. Exercício físico, diminuição da cafeína e álcool podem ajudar nos casos leves a moderados e são recomendáveis a todas as mulheres.

Qual o período fértil para engravidar?

A gravidez pode ocorrer sempre que existe fecundação do ovócito (que é gerado em cada ciclo menstrual) por um espermatozoide. Este ovócito poderá ser fecundado em cerca de 12 horas após a ovulação.

O período fértil é de cerca de 6 dias, incluindo o dia da ovulação e os 5 dias anteriores.

A probabilidade aumenta, se existiu uma relação sexual nos cerca de dois dias precedentes à ovulação, e no dia da ovulação.

Com ciclos regulares, será possível calcular a ovulação como cerca de 14 dias antes da próxima menstruação esperada.

De uma forma geral, relações cada dois a três dias poucos dias após cessação do fluxo menstrual aumentam a probabilidade de gravidez, mesmo sem uma precisa identificação da ovulação.

Menstruação irregular

Já vimos, acima, em que consiste um ciclo regular. O ciclo menstrual pode ser irregular por diversos motivos. Interessa, por isso, caracterizar as queixas e um calendário menstrual, em que são registadas as perdas menstruais. A menstruação irregular, dita como tal, tem de ser objetivada.

É frequente, depois de uma análise, explicar que as supostas irregularidades do ciclo se devem a desconhecimento da fisiologia normal. Algumas mulheres queixam-se de “menstruação desregulada” ou período irregular porque atrasam sempre (no dia do mês) quando isso pode significar que têm ciclos regulares e normais de, por exemplo, 34 dias.

Assim, uma menstruação vem sempre mais tarde no dia do mês do que a anterior.

Entre as causas mais frequentes de irregularidades menstruais podemos referir a imaturidade hormonal, (comum na adolescência), alterações estruturais do útero, como miomas ou pólipos, alterações dos ovários, como quistos ou alterações da ovulação.

Saiba, aqui, tudo sobre irregularidades do ciclo menstrual.

Alterações no cataménio (período ou menstruação)

O fluxo menstrual normal dura até 8 dias, com perda de sangue entre 5-80ml, e aparece com regularidade (ver Quantos dias tem um ciclo menstrual?). A cor varia desde que começa até acabar, e entre mulheres. A menstruação prolongada tem mais de 8 dias e deve ser estudada, se habitual.

Algumas mulheres têm um corrimento antes da menstruação diferente, que pode ter características como cor acastanhada.

A menstruação, para além do vermelho em várias tonalidades, pode ser castanha (marrom), por vezes mais escura, raras vezes quase preta, com aspeto “borra de café”.

Estas cores escuras aparecem mais vezes quando o fluxo é em menor quantidade, sendo resultado da decomposição do ferro presente no sangue.

Uma menstruação “adiantada” ou atrasada depende, como vimos, de uma correta interpretação do ciclo menstrual da mulher, e uma análise dos vários ciclos (meses) precedentes.

Tendo em conta que o fluxo menstrual total pode ser de apenas de 5ml, esta pode ser erradamente interpretada como pouca. Nestes casos, é também, como vimos, mais castanha ou escura. Da mesma forma, a menstruação abundante é difícil de objetivar.

Uma menstruação que vaze pensos grandes em pouco tempo (menos de 3 horas), que use mais de cerca de 20 pensos, que vaze habitualmente durante a noite, com coágulos grandes, que cause anemia, ou que de outra forma interfira física, psíquica ou socialmente na qualidade de vida da mulher merece avaliação.

As alterações do fluxo menstrual são interpretadas no contexto do ciclo menstrual da mulher. Daí que a sua normalidade dependerá de uma série de fatores, como a duração, timing previsto da ovulação (e se esta ocorre), idade, etc.

Nunca esquecer que a pílula e outras medicações hormonais alteraram todas estas características, na medida em que, na maioria das vezes, o ciclo menstrual é interrompido e a “menstruação” (mais corretamente chamada de hemorragia de privação), se existente, terá características em relação com o(s) fármaco(s) usado(s).

Menstruação atrasada

Uma menstruação atrasada é causa de grande ansiedade na mulher, quer deseje ou não uma gravidez. Já vimos que a variabilidade normal do ciclo pode ir até 7 dias entre os ciclos mais curtos ou longos. Se a menstruação não for regular, esta diferença pode ser muito superior.

Um atraso menstrual significativo (mais de uma semana num ciclo regular) pode ser um sinal de gravidez, mas nem sempre. Um simples teste de gravidez da farmácia poderá confirmar ou excluir gravidez com enorme certeza em poucos minutos. Atualmente, qualquer teste de urina é extremamente fiável, quando existe um atraso menstrual.

A minha menstruação será normal?

Já vimos que existe grande variabilidade naquilo que se pode considerar normal. Na dúvida, deve consultar o seu médico para esclarecer as suas dúvidas em relação a este aspeto da sua fisiologia.

Alguns sinais que deverão suscitar esclarecimento e/ou acompanhamento, serão:

  • Ausência de menstruação aos 14 anos sem desenvolvimento das características sexuais secundárias (por exemplo, crescimento mamário);
  • Ausência de menstruação aos 16 anos, independentemente do restante desenvolvimento;
  • Ausência de menstruação regular e espontânea;
  • Dores muito fortes durante a menstruação (dismenorreia), especialmente se aparecerem sem nunca as ter tido (ou com essa intensidade) e/ou não cederem facilmente a medicação;
  • Menstruações muito abundantes ou muito prolongadas (mais de uma semana);
  • Perdas sistemáticas ou abundantes de sangue fora do cataménio (período) sem uso de medicação que o justifique.

Primeira menstruação

A primeira menstruação (menarca) acontece em média entre os 12-13 anos, e normalmente até aos 15 anos. Amenorreia primária é o nome para a ausência de menstruação numa jovem que ainda não menstruou aos 16 anos, ou dois anos após o desenvolvimento das suas características sexuais secundárias, como o desenvolvimento mamário.

Puberdade, ou aparecimento de sinais sexuais secundários (desenvolvimento das mamas e pelo púbico) antes dos 8 anos numa menina poderá não ser normal. Ausência da puberdade aos 14 anos merece também estudo.

Qual a idade normal da menopausa?

A menopausa é definida por cessação permanente da menstruação, sem outra causa patológica ou fisiológica. Diagnostica-se 12 meses após a última menstruação. A idade média da menopausa é de cerca de 51 anos, sendo habitual entre os 43 e os 57 anos.

Antes dos 40 anos merece avaliação e estudo, pois nesta faixa define-se como insuficiência ovárica primária (antes chamada falência ovárica prematura).

O diagnóstico da menopausa é clínico, pelo que as análises e exames servirão apenas para avaliar dúvidas clínicas em relação à causa da amenorreia (ausência de menstruação), ou estudo de uma menopausa precoce.

A menopausa ou, mais precisamente, a peri-menopausa ou climatério pode causar várias irregularidades menstruais. Este período de transição pode durar até 5 anos ou mais, sendo altamente variável. As alterações incluem irregularidades da duração do ciclo, intervalos crescentes de amenorreia (ausência de menstruação) e cessação da ovulação.

Leia também:  Como Saber Que Estou Bloqueada No Whatsapp?

Menstruação: tudo que você precisa saber sobre o sangramento feminino

  • WhatsApp
  • Facebook
  • Twitter
  • Pinterest
  • Linkedin
  • Copiar Link

Menstruação: tudo que você precisa saber sobre o sangramento feminino (Foto: Alexander Sergienko/Unsplash)

Aos 16 anos, Carrietta White teve uma surpresa no banheiro da escola: sangue começou a escorrer pelas suas pernas e, com medo que algo de grave poderia estar acontecendo, soltou um grito. “Se refugiou no lado de um dos quatro grandes boxes de chuveiro e lentamente desmoronou, caindo sentada.”

A cena é do livro Carrie, a estranha, de Stephen King, e se tornou uma das mais famosas do cinema, visto que a história foi adaptada para a telona duas vezes — em 1976 e 2013.

A garota teve uma educação severa porque a mãe era extremamente religiosa, e Carrie foi isolada de várias coisas, como o acesso à informação sobre saúde feminina.

Por isso, quando teve a menarca — primeiro fluxo menstrual de uma mulher —, ela ficou desesperada.

saiba mais

Mas as dúvidas, desconhecimento e apreensões relacionadas à menstruação não são exclusivos da ficção. Uma pesquisa realizada pela organização Plan International, no Reino Unido, demonstrou que uma a cada dez mulheres não se sentem confortáveis para conversar sobre o tema com as próprias amigas.

A falta de diálogo faz o assunto permanecer como tabu, e ainda cria condições para que mitos sejam mantidos. Ao longo da história, por exemplo, já foi dito que o sangue menstrual era venenoso, podendo estragar a agricultura e deixar os animais loucos. Além disso, a menstruação era considerada “imunda” e reflexo de doenças mentais.

Por sorte, a ciência desmentiu algumas crenças e trouxe embasamento para afirmar que menstruar é algo natural. “É efeito da anatomia do corpo e acontece com toda mulher”, diz Patricia Bisestre Peres, ginecologista.

“A menstruação, embora seja incômoda, é um sinal de saúde. Demonstra que os órgãos estão funcionando adequadamente”, enfatiza Erica Mantelli, ginecologista e obstetra.

saiba mais

O que é a menstruação?Regra, chico, fluxo, catamênio, paquete, mênstruo, lua, menorreia, menarquia, período menstrual e menstruação são sinônimos e significam a perda de sangue pelo canal vaginal das mulheres. Geralmente acontece todo mês.

Não existe uma “maneira correta” de menstruar, sendo que o ciclo e suas reações atingem cada mulher de jeitos diferentes. Para algo ser considerado anormal, é preciso gerar desconforto social e físico. “A menstruação tem uma variação de normalidade muito grande.

Há mulheres que passam um mês sem menstruar e chega a ser um ciclo normal.

É importante se conhecer, saber seu ciclo, sempre buscar um ginecologista e entender o que é normal para você”, afirma Lívia Daia, ginecologista obstetra e mastologista, da Clínica Daia Venturieri.

O que acontece durante a menstruação? O sistema reprodutor feminino é composto de dois ovários, duas tubas uterinas, um útero, a vagina e a vulva.

A partir da puberdade, o endométrio (parte interna do útero) fica mais grosso, esponjoso e vascularizado (com muito sangue), pois está “programado” para receber um embrião.

“Com a ausência da fecundação há queda de hormônios e o tecido interno do útero se rompe e é perdido em forma de sangramento”, explica Daia. 

saiba mais

Odor, textura e cor: como é a menstruação?Marrom, vermelho escuro ou vermelho muito intenso são as variações de cores que o sangue menstrual pode apresentar. A textura pode ser bem líquida ou em coágulos.

“O odor é característico de sangue. Se tiver cheiro de algo apodrecido ou estragado pode ser algum problema”, comenta Mantelli.

O que é fluxo menstrual?A quantidade de sangue que é eliminado durante o período menstrual representa o fluxo. Há mulheres que possuem hiperfluxo, ou seja, muito intenso, enquanto outras podem sangrar muito pouco, como gotas.

Como não há uma quantidade “ideal” da menstruação, é possível saber o tipo do fluxo observando, por exemplo, quantas vezes é necessário ir ao banheiro trocar de absorvente. “Se a mulher usa o absorvente noturno, e durante o dia o troca numa frequência maior que entre 2 e 2 horas, pode ser considerada anormal”, diz Daia.

saiba mais

Quais recursos existem para lidar com o fluxo?Os principais métodos para “segurar” o sangue menstrual são os absorventes externos e internos descartáveis, coletor (copinho de silicone), calcinha absorvente lavável,  absorventes de pano e protetores diários descartáveis. “Muitas pacientes usam o protetor diário todos os dias, mas isso pode aumentar o índice de corrimento na mulher. A calcinha foi feita para absorver o suor da vagina, e o ideal é usá-lo só na menstruação”, reitera Peres. 

Coletores (Foto: Flickr/ squiddles/ Creative Commons)

Quais cuidados tomar com os recursos de absorção?Os absorventes externos são os mais tradicionais. Usá-los por muito tempo pode alterar o pH vaginal, causar assaduras e provocar reações alérgicas por causa dos componentes químicos que dão cheiro, por exemplo. O ideal é trocá-lo a cada três ou quatro horas.

O interno — inserido no canal vaginal — também precisa ser trocado nesse mesmo intervalo de tempo. Caso contrário, pode causar proliferação bacteriana e infecções. 

O coletor também fica no canal vaginal, mas pode ficar por mais tempo. Alguns fabricantes afirmam que é possível utilizá-lo por até 12 horas. O tempo de uso vai depender de cada mulher,  e por isso é importante entender como é seu fluxo para evitar vazamentos. “O coletor deve ser lavado em água corrente e higienizado sempre, a cada troca”, ressalta Peres.

A calcinha absorvente e os absorventes de pano também podem causar alergia. 

saiba mais

Quanto sangue se perde durante a menstruação?“Isso varia bastante, a mulher não consegue fazer a quantificação, a não ser que use o coletor. Mas o mais importante é prestar atenção se há alguma alteração do padrão que a mulher apresenta”, fala Mantelli.  

Exemplo de absorvente interno (Foto: Pixabay/ EME/ Creative Commons)

Quanto tempo dura a menstruação?Segundo Daia, as mulheres ficam, em média, de quatro a cinco dias menstruada. Menstruar por atéoito dias também é considerado normal. 

A menstruação é pausada em algum momento? Durante o período menstrual o sangramento acontece continuamente, seja de dia ou de noite. O sangue só para de escorrer quando o ciclo acaba. 

De quanto em quanto tempo a menstruação ocorre?Cada ciclo menstrual acontece numa variação média de 25 a 30 dias. “A maioria tem um intervalo de 28 dias, mas algumas têm menos e outras mais”, diz Daia.

O período pode ser mais curto ou longo — e isso não representa necessariamente algum distúrbio menstrual.

“É considerado problema o que está fora do comum, ou sintomas que a paciente sente que não estão legais”, avisa Peres. Por isso, ela recomenda que as mulheres conheçam o próprio corpo e seu fluxo menstrual.

Um dica é anotar os dias que costumam acontecer o sangramento, para, assim, saber se há algo fora do padrão. 

saiba mais

(Foto: Flickr/ Hey Paul Studios/ Creative Commons)

O que é a TPM?A sigla significa Tensão Pré-Menstrual ou Tensão Pós-Menstrual. A maioria das mulheres sente os sintomas nos dias que antecedem o sangramento. São eles: alteração no humor, aumento da ansiedade, insônia, dor de cabeça, inchaço, agitação ou até depressão. “Isso acontece por causa da queda dos hormônios progesterona e estrogênio no organismo”, informa Peres.

Menstruação dói? A menstruação não dói, o que pode ser doído é a cólica. 

O que é a cólica?É a contração que útero faz para eliminar o sangue. “Algumas mulheres sentem dor e outras não, depende da sensibilidade de sentir essa contração”, fala Mantelli.

saiba mais

Como os remédios melhoram a cólica?Os anticoncepcionais podem ajudar a diminuir as dores pois diminui o fluxo sanguíneo da menstruação. E menos sangramento representa menos contração do útero. Já os remédios para cólica são antiespasmódicos: ou seja, evitam o espasmo do útero e isso faz a contração ser reduzida.

Quando acontece a primeira menstruação?De acordo com Peres, o mais comum é que a menarca ocorra entre os 12 e 13 anos. O início do fluxo menstrual a partir dos 8 anos e seis meses é considerado normal, mas abaixo dessa idade pode representar puberdade precoce ou alguma doença.

O que é a menopausa?

É quando o ovário para de responder aos estímulos do próprio corpo e não há mais ciclo menstrual. É uma fase que toda mulher passa, podendo apresentar ou não sintomas como insônia, alteração da pele e cabelos, aumento de peso e sensação de muito calor.

Geralmente a menopausa acontece na faixa dos 50 anos. Caso ocorra muito cedo, na casa dos 30 anos, por exemplo, pode ser considerada precoce, trazendo riscos de osteoporose, além de eliminar a possibilidade de gestação. 

(Foto: Flickr/ $pacemilk/ Creative Commons)

Como deve ser feita a limpeza na região íntima durante a menstruação?O ideal é lavar a região com água e sabão neutro. Caso não seja possível, a recomendação é usar lencinhos úmidos. “Como as entradas do ânus, vagina e uretra são muito próximos, a limpeza deve ser sempre do bumbum para fora, para não passar bactérias de um canal para o outro”, lembra Peres.

É possível escolher não menstruar?Existem medicamentos baseados em hormônios e anticoncepcionais que podem bloquear o espessamento do endométrio — evitando o sangramento.

Leia também:  Como Saber Que Tipo De Sangue Eu Tenho?

Não há contraindicação para esse método, sendo que o mesmo é até recomendado para quem sofre com a menstruação, e para prevenir a endometriose (crescimento anormal do tecido uterino).

“Os efeito indesejável da pílula é o risco de trombose [coagulação sanguínea em uma veia]”, alerta Daia.

Além disso, alguns medicamentos com hormônios usados para tratar tireóide e para emagrecimento, por exemplo, também podem levar à ausência de menstruação.

saiba mais

A mentruação pode ocasionar alguma doença?“Mulheres que tem hiperfluxo podem ter anemia e problemas de circulação. Também pode atrapalhar a vida sexual e gerar infecções por causa dos absorventes”, informa Daia.

Pode transar menstruada?“Isso vai depender do critério de cada pessoa, mas pode sim ter relação sexual, lembrando sempre de usar preservativo”, explica Peres.

Pode usar camisinha feminina ao transar menstruada?O preservativo feminino se encaixa dentro do canal vaginal. Segundo Peres, é possível utilizá-lo para ter relações sexuais, mas algumas mulheres podem ficar incomodadas. Além disso, não é porque há sangramento que a camisinha vai “escapar”. 

Camisinha feminina (Foto: Anka Grzywacz/ Wikimedia Commons)

Como diferenciar a menstruação de sangramento de escape?O escape é um sangramento que acontece entre um ciclo e o outro. “Na maioria das vezes o fluxo é baixo, e acontece por irregularidade menstrual ou uso de anticoncepcional”, explica Daia.

Homem transexual menstrua?Depende. Se o rapaz estiver fazendo tratamento com hormônios, os mesmos irão bloquear a produção hormonal nos ovários ocasionando a amenorreia (ausência de fluxo menstrual). Caso não haja a ingestão de hormônios, o homem irá menstruar.

É possível engravidar menstruada?Não, pois essa fase representa que não há óvulo pronto para receber a fecundação. 

É possível menstruar durante a gravidez?De acordo com Peres, algumas mulheres relatam ter sangramento durante a gestação, mas  ela aponta que não há evidências científicas que comprovam ser sangue de menstruação. “Pode ser por outras causas como alterações no embrião, colo do útero ou placenta”, afirma.

saiba mais

A menstruação é interrompida em casos de gravidez psicológica?O ciclo menstrual é influenciado pelo meio ambiente e saúde da mulher. Caso ela tenha algum distúrbio emocional e ocasione a gravidez psicológica, a ausência da menstruação é um dos primeiros sinais.

Como é a menstruação depois da gravidez?“Não existe regra. As mulheres que amamentam no peito ficam mais tempo sem menstruar”, informa Mantelli. Ela também esclarece que menstruar não irá deixar o leite materno mais fraco. 

A menstruação depois da gravidez volta desregulada?O padrão antigo tende a voltar. Os primeiros meses podem ser diferentes, mas não há regras.

Pode vir falhada, e a primeira vez pode ser entre 30 e 40 dias depois do parto (independente de qual tipo tenha sido).

 “É importante sempre fazer acompanhamento pós-parto, solicitar exames, observar seu padrão e se há cólicas”, recomenda Mantelli. 

Quais recursos absorventes podem ser usados após a gravidez?Coletor e absorvente interno só podem ser utilizados depois de 40 dias do parto, independemente de qual tipo tenha sido.

* Com supervisão de Thiago Tanji

Menstruação ou Sangramento de Nidação: Semelhanças e Diferenças

Se um dos seus sonhos é ser mãe, preste atenção no seu ciclo menstrual. Uma determinada alteração nele pode indicar que o desejo está próximo de se realizar. 

Esta alteração é o sangramento de nidação. Ele não ocorre em todas as mulheres, mas quando ocorre, apresenta algumas características que o diferem da menstruação regular.

Tanto o sangramento de nidação, quanto a menstruação possuem semelhanças. E são elas que causam confusão em muitas mulheres que querem (ou não) engravidar. 

Pensando nisso, preparamos esse texto para te ajudar a esclarecer as semelhanças e diferenças entre menstruação e sangramento de nidação, e quando vale fazer um teste de gravidez para tirar a dúvida.

Desejamos uma boa leitura!

O sangramento de nidação para mulheres que querem engravidar

O sangramento de nidação ocorre quando o embrião finalmente se fixa no endométrio. O endométrio é o tecido que reveste a parede interna do útero, e uma de suas funções é receber a implantação do embrião no estágio inicial da gravidez.

Por essa razão, ele é muito aguardado pelas mulheres que estão tentando engravidar. Sua aparição indica que o processo de fixação provocou a ruptura de pequenos vasos, acarretando na descamação deste tecido. Essa descamação é o sangramento de nidação. 

Este sangramento pode ser identificado como nidação por meio de algumas características específicas, tais como:

  • Coloração que pode variar do vermelho claro ao amarronzado;
  • Pouca quantidade;
  • Pouco volume;
  • Duração de dois a três dias, sem fluxo.

Vale lembrar que o sangramento de nidação não é uma regra. Nem todas as mulheres conseguem constatar a gravidez pela ocorrência deste sangramento, já que ele pode se mostrar ausente no processo. Vai depender do organismo da mulher.

Sangramento de nidação ou Menstruação?

Uma das principais questões levantadas sobre o sangramento de nidação é quando ele é confundido com a menstruação – o que se torna frustrante para as mulheres que estão tentando engravidar.

Antes de diferenciar o sangramento de nidação da menstruação, vamos explicar o que é e quais são as principais características da menstruação. 

A menstruação ocorre quando não há a nidação do embrião no útero da mulher. Assim, o tecido que reveste a parede interna do útero – o endométrio – sofre alterações hormonais e descama.

A descamação do endométrio, é a “expulsão” de sangue e de tecido interior uterino por alguns dias – o que caracteriza o início do fluxo menstrual. 

Tanto a nidação quanto a menstruação ocorrem pela descamação do endométrio, mas por razões diferentes. Enquanto a nidação ocorre pela ruptura de vasos devido à aderência do embrião no endométrio, a menstruação flui justamente pela ausência de embrião.

Muitas mulheres confundem a nidação com a menstruação quando há a consumação de relação sexual durante o período fértil – no 14º dia do ciclo menstrual. É o período em que ocorre a ovulação, aumentando as chances de gravidez com a possibilidade de fecundação. 

Se este for o caso e havendo fecundação de fato, esse sangramento de nidação pode acontecer no início do que seria o seu ciclo menstrual habitual – ou seja, no 28º dia do ciclo menstrual, no caso de uma menstruação regular. 

Por outro lado, outras hipóteses devem ser consideradas para a existência desse sangramento. Em alguns casos, a menstruação pode começar rala, até ganhar forma e se tornar mais espessa posteriormente, não havendo fecundação. 

Portanto, a nidação e a menstruação se confundem constantemente, gerando expectativa e ansiedade na mulher.

Como diferenciar o sangramento de nidação da menstruação?

A diferença entre o sangramento de nidação e a menstruação se dá pelas características do sangue e de seu fluxo.

Enquanto o de nidação não apresenta fluxo, exibe pouca quantidade e dura entre dois e três dias, o sangramento oriundo da menstruação é contínuo, tende a ter um volume e quantidade maior, e pode durar entre quatro a sete dias. 

Essas características centrais diferem a nidação da menstruação. Porém, cada corpo reage de uma forma diferente. A melhor forma de averiguar qual pode ser o seu caso é em uma consulta com o ginecologista, que vai recomendar um teste de gravidez.

Escape por privação de medicamento

O sangramento de nidação também pode se confundir com outra circunstância: o escape por falta de medicamento recorrente.

São casos de sangramentos que ocorrem quando a mulher se esqueceu de tomar algum medicamento que visa a prevenção da gravidez, como a pílula anticoncepcional. O mesmo pode acontecer quando a mulher ingere a pílula do dia seguinte. 

Neste caso, o escape é considerado um sangramento irregular, fora do tempo em que se é esperado no ciclo menstrual. 

O sangue de escape possui características bem parecidas com o sangramento de nidação. Ele também não é contínuo, tem pouco volume e possui tom amarronzado.

Por isso ele é muito confundido e pode acabar gerando pânico em mulheres que não desejam engravidar. 

Porém, o sangramento de escape por privação de medicamento é uma das reações já esperadas por conta da ausência de regularidade de um remédio contraceptivo.

Se for o seu caso, espere chegar o dia do início do fluxo menstrual. Em sua ausência, procure um médico especialista para realizar os devidos exames que vão constatar ou não gravidez.

Considerações finais

Embora o sangramento de nidação possua características próprias, ele pode ser confundido com a menstruação. Ambos se assemelham em alguns aspectos, que podem causar ansiedade em mulheres que desejam engravidar.

É recomendado aguardar a chegada do ciclo menstrual para certificar. Em sua ausência, entrar em contato com o médico especialista é a melhor solução. O pedido de um teste de gravidez vai confirmar o quadro e tirar as suas dúvidas.

  • Se ainda houver questões acerca desse assunto, não deixe de entrar em contato com uma equipe especializada e que possa te ajudar a sanar quaisquer dúvidas sobre ciclos e gravidez. 
  • Se você está em busca de profissionais e alternativas que te ajudem a engravidar com saúde, clique aqui e conheça as melhores técnicas de medicina reprodutiva do Brasil.
  • O nosso compromisso maior é gerar possibilidades para a vida.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*