Como Saber Que O Hímen Rompeu?

Foto: iStock

Por Raquel Praconi Pinzon

Aquela velha imagem de lençóis manchados com sangue celebrados como prova de pureza de uma mulher (mais provavelmente uma menina!) pode não existir mais nos dias de hoje, mas ela nos deixou com algumas impressões equivocadas sobre o hímen.

Dessa forma, muitas jovens ainda se preocupam com o rompimento precoce dessa membrana, pois isso significaria que elas “não são mais virgens”. Se esse é o seu caso, pode desencanar!

Como você vai ver a seguir, o hímen não tem tanto mistério assim e não deve ocupar seus pensamentos mais do que outras coisas verdadeiramente importantes, como a prevenção de uma DST ou gravidez indesejada. Veja só:

1. Cada um é de um jeito

Como Saber Que O Hímen Rompeu?

Foto: iStock

O hímen é um pedaço de tecido rosado com um orifício no centro que está localizado a 1 ou 2 centímetros depois da abertura da vagina. Porém, assim como o cabelo, as unhas ou o nariz, cada mulher tem um hímen diferente em relação ao tamanho e ao formato.

2. Outras espécies também têm hímen

Como Saber Que O Hímen Rompeu?

Foto: iStock

Várias outras espécies de mamíferos também têm hímen, como as fêmeas dos porquinhos-da-índia, das toupeiras, das hienas, dos golfinhos, das baleias e dos elefantes-africanos. Porém, entre eles, não existe nenhuma polêmica em relação à virgindade.

Alguns pesquisadores acreditam que a presença do hímen em algumas dessas espécies se deve à sazonalidade da reprodução, pois ele se reconstituiria e impediria o acesso ao canal vaginal depois da temporada de acasalamento.

3. Não se sabe ao certo qual é a sua função

Como Saber Que O Hímen Rompeu?

Foto: iStock

Assim como não temos certeza sobre a função do hímen nas outras espécies, também não existe um consenso sobre o papel dele no nosso corpo – inclusive, especula-se que ele seja completamente inútil.

Alguns pesquisadores imaginam que ele ajude a evitar a entrada de bactérias no canal vaginal, mas ainda não há nada que comprove essa hipótese.

4. Ele não desaparece depois do rompimento

Como Saber Que O Hímen Rompeu?

Foto: iStock

Embora não seja uma regra, o hímen costuma se romper depois da primeira relação e causar um sangramento, mas isso não significa que ele desapareça. Na verdade, a membrana continua ali, só que um pouco mais alongada.

5. Nem todo hímen sangra na primeira relação

Como Saber Que O Hímen Rompeu?

Foto: iStock

Pobres das nossas antepassadas! Como se sabe hoje em dia, um tipo de hímen mais elástico, chamado de hímen complacente, é capaz de se esticar para permitir a passagem do pênis sem sangrar. Por isso, algumas das mulheres que têm esse tipo de membrana só vão apresentar um sangramento nas relações posteriores, enquanto outras nunca vão sangrar.

Ainda, o hímen pode já ter se rompido durante a masturbação ou a prática de algumas atividades físicas, de forma que não haverá sangramento na primeira relação sexual da mulher – o que não significa que ela não era virgem!

6. Às vezes, ele pode ser visto externamente

Como Saber Que O Hímen Rompeu?

Foto: iStock

Por estar localizado a 1 ou 2 centímetros a partir da entrada da vagina, algumas vezes é possível enxergar o tecido remanescente do hímen entre as dobras dos pequenos lábios.

Com ajuda de um espelho, em geral você pode identificá-lo como pequenas protuberâncias de pele rosa-avermelhada, as quais não oferecem nenhum problema para o nosso corpo.

7. Você pode ter nascido sem o hímen

Como Saber Que O Hímen Rompeu?

Foto: iStock

É uma situação rara, mas algumas meninas nascem sem o hímen e vão continuar assim pelo resto da vida, pois ele se forma durante a fase fetal. E isso, como você já deve desconfiar, não representa nenhum prejuízo para o corpo da mulher.

8. O hímen pode ter mais de um orifício

Como Saber Que O Hímen Rompeu?

Foto: iStock

O mais comum é o hímen conhecido como anular, que tem um orifício no centro para permitir a passagem da menstruação. Contudo, existe também o hímen septado, que tem um fio de pele atravessando a abertura, o que dá origem a dois orifícios. Ainda, existe o hímen cribiforme, que é parecido com uma rede com vários buraquinhos.

Esses dois tipos oferecem uma resistência maior do que a do anular, mas não impedem a penetração nem atrapalham a menstruação.

9. E ele pode ser completamente fechado

Como Saber Que O Hímen Rompeu?

Foto: iStock

O tipo de hímen mais raro de todos é o imperfurado, ou seja, que não tem nenhum orifício e oferece a maior resistência ao pênis.

Geralmente, esse tipo de hímen é descoberto na adolescência, pois ele impede a passagem da menstruação e leva a um acúmulo de sangue no canal vaginal, o que pode causar dores intensas. Essa malformação pode ser corrigida por meio de uma pequena cirurgia.

10. Romper o hímen não dói

Como Saber Que O Hímen Rompeu?
Veja também
10 razões que podem explicar um sangramento em você após o sexo

Foto: iStock

É comum que muitas mulheres sintam dores de intensidade variada na primeira relação sexual. Porém, diferente do que se imagina, isso não acontece por causa do rompimento do hímen, pois ele não tem terminações nervosas.

Na verdade, a dor é causada pelo estiramento da pele e dos músculos da própria vagina, que precisam se adaptar pela primeira vez para receber o pênis. Dessa forma, quanto mais relaxada a mulher estiver, menos desconforto ela vai sentir.

Aliás, essa é uma coisa sobre a qual nós precisamos conversar: a primeira relação sexual não precisa ser um sinônimo de sofrimento. Muitas vezes, as meninas sentem dor justamente pelo medo que elas têm desse momento, já que sempre ouvimos dizer que “perder a virgindade” é muito dolorido.

Quando a jovem já conhece seu corpo e a primeira relação sexual acontece porque ela decidiu assim, em um ambiente tranquilo e seguro e com uma pessoa legal, as chances de ela estar relaxada e aproveitar o momento sem todo esse desconforto são bem maiores. E, claro, sem se esquecer da camisinha – algo muito mais importante do que o fato de o hímen romper ou não!

As informações contidas nesta página têm caráter meramente informativo. Elas não substituem o aconselhamento e acompanhamentos de médicos, nutricionistas, psicólogos, profissionais de educação física e outros especialistas.

Hímen complacente ou elástico: entenda o que é e como resolver

O hímen complacente é mais elástico que o normal e tende a não se romper durante o primeiro contato íntimo, podendo permanecer na vagina mesmo após vários meses de vida sexual ativa e, em casos mais raros, só se rompem durante o parto normal.

O hímen é uma pele localizada logo na entrada do órgão sexual feminino, que possui uma pequena abertura que permite a saída da menstruação e de secreções vaginais. Normalmente, ele se rompe quando é pressionado para dentro, durante a primeira relação sexual ou introdução de objetos na vagina, como o copo menstrual. É comum observar um pequeno sangramento quando ele rompe.

Dúvidas mais comuns sobre o hímen

1. O absorvente interno tira a virgindade por romper o hímen?

Os menores absorventes internos ou o copo menstrual podem ser colocados com muito cuidado no interior da vagina por mulheres que ainda não tiveram relação sexual. No entanto, com a introdução destes objetos, é possível que haja o rompimento do hímen.

  • Como Saber Que O Hímen Rompeu?
  • Como Saber Que O Hímen Rompeu?

2. Como saber se tenho hímen complacente?

A única forma de saber se o hímen é complacente é por meio da tentativa de rompê-lo. Se o hímen ainda puder ser visto após a relação sexual, durante o exame em consulta com um ginecologista, é possível que ele seja complacente.

Mulheres com hímen complacente podem sentir dor durante o ato sexual e precisam ir ao ginecologista para avaliar o desconforto.

3.  Quando o hímen rompe sempre há sangramento?

Como o hímen possui pequenos vasos sanguíneos, quando ele rompe pode gerar um pequeno sangramento — porém, isso pode não acontecer na primeira vez. No caso de hímen complacente, isto nem sempre acontece, porque ele não se rompe ou não se rompe completamente, mas a cada tentativa de rompimento podem ocorrer pequenos vestígios de sangue.

4. O que fazer para romper um hímen complacente?

Apesar da elasticidade do tecido, todo hímen pode ser rompido, mesmo que ele seja complacente. Assim, a recomendação é o rompimento de forma natural, por meio de relações sexuais. No entanto, o hímen complacente pode não se romper mesmo após várias penetrações, sendo aberto somente durante o parto normal.

5. Existe cirurgia para hímen complacente?

  • Não existe uma cirurgia específica para quem tem hímen complacente, mas existem cirurgias em que ele é cortado ou removido, procedimentos feitos principalmente em mulheres com hímen imperfurado.
  • Se a mulher estiver apresentando desconforto ou dor durante o contacto íntimo, o melhor é falar com seu ginecologista para uma avaliação e, assim, obter orientações sobre seu caso.
  • (Com informações do portal Tua Saúde)

Hímen complacente: o que é, quando rompe (e 5 dúvidas comuns)

O hímen complacente é um hímen mais elástico que o normal e tende a não romper durante o primeiro contato íntimo, podendo permanecer mesmo após meses de penetração. Apesar de ser possível que ele se rompa em algum momento, durante a penetração, em algumas mulheres o hímen complacente só é rompido durante o parto normal.

O hímen é uma pele localizada logo na entrada da vagina, que possui uma pequena abertura que permite a saída da menstruação e de pequenas secreções vaginais. Normalmente, ele se rompe quando é pressionado para dentro, durante a primeira relação sexual ou introdução de objetos na vagina, como copo menstrual, sendo comum um pequeno sangramento quando ele rompe.

Como Saber Que O Hímen Rompeu?

As principais dúvidas sobre o hímen estão respondidas a seguir.

1. O absorvente interno tira a virgindade por romper o hímen?

Os menores absorventes internos ou copo menstrual podem ser colocados com muito cuidado no interior da vagina por meninas que ainda não tiveram nenhuma relação sexual. No entanto, com a introdução destes objetos é possível que haja o rompimento do hímen. Veja como usar absorvente interno de forma segura.

Leia também:  Como Controlar Um Cao Que Ferra?

A virgindade não tem o mesmo significado para todas as meninas, porque é um termo que se refere ao fato de não ter tido nenhum contato íntimo com outra pessoa e, por isso, nem todas as meninas consideram que perderam a virgindade somente porque romperam o hímen. Assim, para estas, o absorvente interno e o copo menstrual, apesar de terem o risco de romper o hímen, não tira a virgindade.

2. Como saber se tenho hímen complacente?

Para saber se possui hímen complacente o mais recomendado é consultar o ginecologista para que seja feita uma avaliação geral e seja avaliado se o hímen ainda é visível. Isso pode ser feito se houver dúvidas sobre ter hímen complacente após relação sexual ou após o uso de absorventes internos.

Mulheres com hímen complacente podem sentir dor durante o ato sexual e precisam ir ao ginecologista para avaliação e observar causas desse desconforto, além de esclarecer as suas dúvidas sobre todas as questões.

3.  Quando o hímen rompe sempre há sangramento?

Como o hímen possui pequenos vasos sanguíneos, quando rompe pode gerar um pequeno sangramento, no entanto pode não acontecer na primeira vez. No caso de hímen complacente isto nem sempre acontece, porque o hímen não se rompe ou não se rompe completamente, mas a cada tentativa de rompimento podem ocorrer pequenos vestígios de sangue.

4. O que fazer para romper um hímen complacente?

Apesar da elasticidade do tecido, todo hímen pode ser rompido, mesmo que seja complacente. Assim, é aconselhado manter as relações sexuais e assim haver o rompimento do hímen de forma natural. No entanto, o hímen complacente pode não se romper mesmo após várias penetrações, se rompendo somente durante o parto normal.

5. Existe cirurgia para hímen complacente?

Não existe uma cirurgia específica para quem tem hímen complacente, mas existem cirurgias em que é cortado ou removido, sendo principalmente em mulheres com hímen imperfurado. Saiba o que é hímen imperfurado, quais os sintomas e características. 

Se a mulher estiver apresentando desconforto ou dor durante o contacto íntimo o melhor é falar com seu ginecologista para uma avaliação e, assim, obter orientações sobre seu caso.

6. O hímen pode regenerar?

O hímen, por ser uma membrana fibrosa, não tem a capacidade de se regenerar depois de rompido. Assim, em caso de dúvida se houve rompimento ou não do hímen, o mais recomendado é consultar o ginecologista para que seja feita uma avaliação.

7. É possível nascer sem hímen?

Sim, sendo essa condição conhecida como atresia de hímen, em que a mulher nasce sem hímen devido a uma alteração urogenital, no entanto essa situação é pouco frequente e não resulta em complicações.

Hímen: 5 coisas que você precisa saber

Quase toda menina já ouviu falar sobre o que é hímen nas aulas de anatomia.

Mas, cá entre nós, essa breve apresentação foi o suficiente para que você saiba explicar a função do hímen feminino e quais são os seus tipos? É exatamente isso o que vamos descobrir agora! O hímen é uma membrana fina que envolve a entrada da vagina e pode ser encontrado em 5 formatos diferentes: hímen anular, hímen imperfurado, hímen cribiforme, hímen septado e hímen complacente (também conhecido como hímen elástico). Historicamente, a existência dessa película representa a virgindade da mulher. Quando ocorre o rompimento do hímen, significa que ela não é mais virgem. No entanto, esse pensamento é antigo e não corresponde, necessariamente, à realidade.

Veja também: Hímen: conheça os diferentes tipos e formatos que existem

A seguir, o Só Delas reúne 5 fatos esclarecedores sobre o hímen: tipos, o que é, qual seu papel no aparelho reprodutivo feminino e mais! Confira.

Como Saber Que O Hímen Rompeu?
O hímen cobre metade da entrada da vagina, podendo ter vários formatos / Foto: Shutterstock

1)  O hímen é uma membrana que cobre a entrada da vagina e não tem função biológica

O hímen é uma película dérmica que cobre parcialmente a entrada da vagina. Há quem diga que essa membrana funciona como uma espécie de barreira para dificultar o acesso de bactérias na vagina. Contudo, sua função biológica não é esclarecida pela medicina.

Acredita-se que o hímen é apenas um resquício da formação embrionária do corpo da mulher e, portanto, não desempenha nenhum papel reprodutivo determinante.

Não é tão fácil visualizar sua estrutura, porém, um(a) ginecologista consegue ver a membrana fina através do exame ginecológico.

2) Nem todo hímen é igual: existem 5 tipos diferentes

Nem toda mulher possui o mesmo formato de hímen. Normalmente, o hímen possui um furinho no meio por onde saem a menstruação e outros fluidos vaginais.

No entanto, há diversas variações: alguns são mais fechados, outros mais elásticos e existe até um tipo que é totalmente imperfurado (bloqueando, assim, a passagem do fluxo menstrual e gerando possíveis complicações).

Confira os diferentes tipos de hímen e suas principais características: 

– Hímen anular: é o tipo mais comum de hímen.

Ele leva esse nome porque lembra o formato de um anel, possuindo uma abertura no meio da membrana, por onde passam a menstruação e as secreções vaginais naturais da mulher.

Geralmente, o hímen anular se expande gradativamente durante a primeira experiência sexual da menina até que se rompa por completo. O sangramento proveniente deste rompimento pode acontecer, mas não é obrigatório;

– Hímen septado: também conhecido como hímen biperfurado, é aquele que possui uma pele bem no meio do canal vaginal, dividindo a passagem e dando a impressão de que são dois furinhos (no lugar de apenas um). Assim como o hímen anular, este tipo de hímen também tende a ser rompido na primeira relação sexual;

Hímen cribiforme: em vez de ter um furo maior como os outros, esse tipo de hímen possui diversos pequenos furos como se fosse uma rede.

Sua membrana é mais resistente e, por isso, pode levar mais tempo para ser rompido naturalmente, além de gerar incômodo e sangramento durante a penetração.

Em casos mais raros, pode ser necessário romper o hímen cribiforme através de procedimentos cirúrgicos;

– Hímen complacente: é importante saber o que é hímen complacente. Este é o tipo de hímen mais grosso e elástico e, por essa razão, pode não se romper durante a primeira relação relação sexual da mulher (esticando e voltando ao seu estado normal após a penetração).

Há casos, inclusive, em que o hímen complacente só se rompe durante o parto natural. Não é possível identificar o hímen complacente através de um exame clínico, pois seu formato é parecido com o do hímen anular (ou seja, com um orifício no meio).

Portanto, a menina só vai descobrir que tem hímen complacente na primeira tentativa de rompimento;

– Hímen imperfurado: este é o único tipo de hímen que bloqueia a passagem da menstruação da mulher, porque é completamente fechado (não possui nenhum furinho no meio da membrana).

Nestas circunstâncias, o diagnóstico costuma ser feito com a chegada da primeira menstruação, pois o fluxo menstrual fica retido na vagina e acaba causando sintomas como dores abdominais e outras complicações. Por ter um visual diferente, o hímen imperfurado também pode ser identificado na infância por meio de um exame médico.

O rompimento deste tipo de hímen deve ser feito através de uma cirurgia, que consiste em um pequeno corte na membrana para remover o tecido em excesso;

3) Sangramento após rompimento do hímen não é obrigatório

Ao contrário do que muita gente imagina, nem toda mulher tem sangramento vaginal com o rompimento do hímen na primeira relação sexual.

Na verdade, não ter sangramento na primeira vez é bastante comum! Como explicamos, o hímen é uma fina película que encobre a entrada da vagina. Muitas vezes, essa membrana pode simplesmente se adaptar à mucosa vaginal quando é penetrada e não causar nenhum sangramento.

Além disso, nas mulheres que possuem o hímen complacente (mais elástico e resistente), dificilmente haverá perda de sangue durante o rompimento.

Sendo assim, quando o assunto é hímen rompido: como saber que o episódio ocorreu? O ideal é procurar um(a) ginecologista para uma avaliação individualizada. Através do exame ginecológico, o(a) profissional conseguirá visualizar se ainda há a presença da membrana na entrada da vagina. 

Veja também: Mitos e verdades sobre a primeira vez!

4) Ter o hímen rompido não significa que a menina não é mais virgem

 

Da mesma forma que a presença do hímen não é garantia de virgindade (como no caso do hímen complacente que não costuma romper na primeira vez, por exemplo), o rompimento do hímen também não significa que a menina não seja mais virgem.

Vale entender que a penetração durante a relação sexual não é a única maneira de romper a membrana que cobre a entrada da vagina.

Atividades simples, como um movimento brusco de abertura das pernas, a prática de algum esporte, uma queda ou até mesmo a masturbação, também podem causar o rompimento do hímen.

Por isso, chega de associar o hímen à virgindade da mulher! Afinal, a experiência sexual tem muito mais a ver com o momento em si do que com a presença (ou ausência) de uma pequena pele no canal vaginal.

Veja também: Sintomas depois da primeira vez: o que é comum sentir?

5) Algumas mulheres podem nascer sem hímen

Não é tão comum, mas algumas mulheres nascem sem hímen. A explicação é simples: a membrana simplesmente não se desenvolveu na fase fetal da gravidez da mãe.

Mas, a boa notícia, é que essa característica não traz nenhum prejuízo para a saúde íntima da mulher e muito menos interfere no desempenho sexual.

Pois, como falamos, o hímen não possui exatamente uma função, então sua ausência nunca será um problema.

Leia também:  Como É Que Se Faz Vidro?

Como saber se o hímen foi rompido – MITOS E VERDADES

Como Saber Que O Hímen Rompeu?

O hímen é uma das partes do corpo feminino que tradicionalmente e até os dias de hoje está rodeada de mitos e suposições, muitos deles completamente falsos. E algumas das questões que mais geram controvérsia envolvem o hímen rompido. O hímen se rompe ao ter a primeira relação sexual? Ele pode ser rompido de outra forma? Dói quando ele é rompido? Há sangramento? Hímen rompido significa perder a virgindade? E como saber se o hímen foi rompido? Neste artigo do umCOMO explicamos as respostas dessas perguntas e comentamos outros mitos e verdades sobre o hímen rompido.

Antes de saber mais sobre o hímen rompido, te explicaremos o que é hímen e onde fica o hímen. O hímen é uma membrana muito fina que fecha o orifício superficial da vagina e que separa o canal vaginal da vulva.

  • Essa membrana está presente no corpo das mulheres desde o nascimento, sendo uma parte da anatomia feminina, mas não desempenha nenhuma função biológica especial ou específica.
  • Antigamente se acreditava que o hímen poderia servir para proteger a vagina de bactérias que pudessem causar infecções, função que agora se sabe que é exercida pelos pêlos pubianos.
  • O hímen apresenta umas aberturas pelas quais passa o fluxo menstrual, no entanto, tanto o seu formato como tamanho podem variar consideravelmente de uma mulher para outra.

Tipos de hímen

Entre os diferentes formatos que podem ter o hímen se destacam os seguintes:

  • Hímen anular: tipo de hímen mais comum, apresenta um orifício no centro, de formato de anel, e, ao seu redor, há uma membrana que costuma a ter uma largura semelhante.
  • Hímen septado: este tipo de hímen conta com uma pele no meio do furo, o que o torna mais resistente que o anterior.
  • Hímen complacente: por ser mais flexível que os dois anteriores, esse hímen pode demorar mais para ser rompido.
  • Hímen cribiforme: esse tipo de hímen conta com vários pequenos orifícios pelos quais a menstruação passa e, por isso, acaba sendo mais resistente que os anteriores.
  • Hímen imperfurado: o tipo mais resistente de todos, o hímen imperfurado também é o mais incomum. Em casos nos quais o hímen é desse tipo, ele se encontra totalmente fechado, sem orifícios, cobrindo por completo a abertura vaginal. Ele pode causar problemas nas mulheres a partir da primeira menstruação já que, por não contar com buracos, não deixa o fluxo menstrual ser expelido do organismo. Esse tipo de hímen deve ser retirado através de um procedimento cirúrgico simples.

Para saber mais sobre esse último tipo de hímen, confira o artigo: Como saber se tenho o hímen imperfurado.

Geralmente, a ideia de hímen rompido se relaciona com a primeira relação sexual. É dela que se origina a teoria de que o hímen se rompe com a penetração e que, por isso, a mulher sofre com sangramento após relação. Com isso, ter o hímen também significaria perder a virgindade.

No entanto, esse pensamento é um mito cheio de erros e equívocos. O hímen pode ser rompido durante a primeira relação sexual e causar um pequeno sangramento, mas isso não deve ser levado como um indicativo de perda de virgindade por uma série de motivos.

O primeiro deles é que o hímen pode não chegar a ser rompido durante o sexo devido a sua grande elasticidade. Já uma outra razão é que algumas mulheres nascem sem hímen.

Além disso, o hímen rompido pode acontecer em várias outras ocasiões anteriores à primeira relação sexual que não geram o sangramento, a dor ou o desconforto presenciados por muitas na “primeira vez”.

Assim, em seguida te detalharemos algumas das circunstâncias nas quais a mulher pode apresentar o hímen rompido de maneira espontânea:

  • Relações sexuais: durante o sexo o hímen pode se romper, mesmo que em alguns casos ele possa se regenerar devido a sua elasticidade, como comentamos anteriormente. Além disso, é importante ressaltar que depois da primeira relação sexual, a dor e o sangramento produzidos nem sempre estão associados com a ruptura do hímen. Esses fatores podem ser também uma consequência de uma penetração brusca do pênis ou de uma falta de lubrificação da vagina, o que pode provocar com que o tecido vaginal se lesione e sangre.
  • Masturbação: mesmo que introduzir um dedo na vagina não vá causar a ruptura do hímen, se são utilizados brinquedos sexuais, como vibradores, de maneira brusca, é possível que essa membrana tão fina e sensível acabe sendo perfurada.
  • Atividades físicas: atividades que causem uma tensão na área vaginal, como montar a cavalo ou andar de bicicleta ou moto, podem resultar em um hímen rompido.
  • Pancada da região: receber uma pancada ou um golpe muito forte na região da virilha também pode resultar no hímen rompido.
  • Uso de absorventes íntimos: o hímen também pode se romper devido à introdução de absorventes íntimos internos durante as menstruações. Então para a “pergunta ob tira hímen?” a resposta é: sim, é possível.

Leia também: Como saber se minha vagina é normal

Mas como saber se o hímen foi rompido? Se essa pergunta já passou pela sua cabeça você mesmo pode tentar respondê-la explorando mais a área do corpo.

Para fazer isso, primeiro fique de frente para um espelho, se colocando deitada ou sentada em alguma superfície como uma cama, um sofá ou uma cadeira para que você possa abrir bem suas pernas.

Depois disso, separe os lábios vaginais com os dedos e observe toda a região, localizando seu orifício vaginal, no qual você poderá encontrar essa membrana fina em caso que ela ainda não tiver sido rompida.

Além disso, para saber se o hímen ainda está intacto, você pode tentar apalpá-lo, lembrando sempre de ter cuidado já que a região é sensível. Para isso, introduza um dedo na vagina e, se ao fazer isso o dedo consegue deslizar sem dor ou incômodos, isso quer dizer que você tem um hímen rompido.

  1. Porém se ao tentar introduzir os dedos você sente dor ou desconforto, é possível que o hímen continue intacto.
  2. De todas as formas, o importante é que você leve em consideração que o hímen é algo sensível e que se você tiver outras dúvidas sobre o assunto não deixe de consultar um ginecologista.
  3. Por último, é essencial repetir que o hímen é apenas mais uma parte do corpo feminino e que seu rompimento não significa que a mulher não é mais virgem, já que a virgindade se mantém até que ocorra a primeira relação sexual.
  4. Como explicamos também, nem todas as mulheres tem o hímen rompido durante a primeira relação sexual com penetração por que algumas não nascem com a membrana e em outras o hímen ou se rompeu por outros motivos ou ainda continua intacto graças a sua elasticidade.
  5. Também pode lhe interessar: Quais são as partes da vagina?

Este artigo é meramente informativo, no umCOMO não temos capacidade de receitar nenhum tratamento médico nem realizar nenhum tipo de diagnóstico. Convidamos você a recorrer a um médico no caso de apresentar qualquer tipo de condição ou mal-estar.

Se pretende ler mais artigos parecidos a Como saber se o hímen foi rompido, recomendamos que entre na nossa categoria de Saúde Familiar.

Bibliografia

  • BERNARDES, António. Anatomia cirúrgica do aparelho genital feminino. Manual de Ginecologia. Permanyer Portugal, 2011. Disponível em: . Acesso em 1 abril de 2019.

Como saber se o hímen foi rompido?

Somente através de um exame ginecológico o médico é capaz de afirmar se o hímen foi rompido ou não.

O exame vaginal, realizado pelo ginecologista, permite observar a presença, ausência ou ruptura recente do hímen, que ocorre durante o ato sexual vaginal com penetração, pela introdução de dedos e objetos ou por traumas vaginais.

Algumas mulheres podem apresentar um sangramento vaginal leve logo após a ruptura do hímen. Entretanto, esse sangramento não é obrigatório acontecer, pois o hímen é uma membrana muito fina que fica na entrada da vagina e,em algumas situações, quando é rompido, essa membrana se adapta à mucosa vaginal.

Sintomas do rompimento do hímen

Sangramento

O sintoma mais comum do rompimento do hímen é o sangramento vaginal que pode ocorrer ou não. Quando acontece é em pequena quantidade e tem coloração vermelho vivo.

Em algumas mulheres o rompimento acontece, mas o hímen fica aderido às paredes da vagina sem sangrar. Por este motivo, somente um ginecologista ou médico de família pode detectar a sua ruptura.

Dor

Muitas mulheres têm dúvidas se sentirão ou não dor durante a ruptura do hímen com a penetração. O hímen não possui terminações nervosas e por isso seu rompimento não causa dor. As dores que as mulheres sentem neste momento estão, na verdade, relacionadas à tensão e nervosismo presentes durante o ato sexual.

Sim, pode ser que a ruptura do hímen ocorra com uso dos dedos durante a masturbação, por exemplo. A introdução de dedos ou objetos sexuais pode ser suficiente para haver a ruptura do hímen.

Quanto ao uso do absorventes internos, o melhor é consultar o ginecologista e receber dele a indicação do absorvente interno indicado para você ou mesmo a contraindicação, a depender do seu tipo de hímen.

Na maioria dos casos, a utilização de absorventes internos não é suficiente para haver a ruptura do hímen, uma vez que eles ficam posicionados mais próximos à abertura vaginal.

Em geral, as mulheres que apresentam o hímen não rompidos podem utilizar absorventes internos.

Rompimento do hímen e virgindade

Atualmente não se considera que a virgindade está ligada à ruptura do hímen, pois as mulheres podem ter diversos tipos de relação sexual sem penetração vaginal. Deste modo, o hímen permanece intacto. Por isso, a virgindade está mais relacionada com a ausência de práticas sexuais quaisquer que sejam e não apenas à penetração vaginal.

Leia também:  Como Saber A Cor De Cabelo Que Combina Comigo?

Quais são os tipos de hímen?

Existem 5 diferentes tipos de hímen:

1. Hímen complacente

Este tipo de hímen é bastante elástico e, por este motivo, é possível que ele não se rompa durante o ato sexual e volte à sua forma normal após a penetração vaginal. Geralmente é rompido gradualmente a cada relação sexual.

É o tipo mais comum de hímen. Tem o formato de um anel que possui um orifício central por onde passa o fluxo menstrual e as secreções vaginais.

3. Hímen septado

O hímen septado tem uma pele que cobre o seu orifício central e, por este motivo, é mais resistente. Pode incomodar um pouco na primeira relação sexual, mas não causa dor por não ter terminações nervosas.

4. Hímen cribiforme

O hímen cribiforme possui vários pequenos furos em sua membrana que se assemelha à uma rede. É também bastante resistente e difícil de ser rompido. As mulheres que têm este tipo de hímen tendem a ter sangramento e incômodos durante a relação sexual. Em alguns casos, pode ser necessária intervenção cirúrgica para auxiliar o seu rompimento.

5. Hímen imperfurado

O hímen imperfurado é raro entre as mulheres e provocado por uma má formação da membrana que se apresenta completamente fechada, o que impede a passagem da menstruação. Deste modo, a menstruação fica retida no canal vaginal.

  • Este tipo de hímen geralmente é diagnosticado na adolescência com a chegada da primeira menstruação que, ao ficar retida, causa fortes dores abdominais que podem irradiar para as costas.
  • Nestes casos, é indicada intervenção cirúrgica para o rompimento do hímen imperfurado.
  • Para saber mais sobre hímen imperfurado você pode acessar:
  • Quais os sintomas do hímen imperfurado e como é o tratamento?

O hímen pode se romper sozinho?

Não. O hímen normalmente se rompe ao ser pressionado para dentro do canal vaginal com a penetração, durante o ato sexual vaginal. Além disso, esta membrana pode se romper com a introdução de objetos na vagina como, por exemplo, brinquedos sexuais (sex toys).

Depois que o hímen se rompe, os vestígios da membrana se adaptam às paredes da vagina. Deste modo, o hímen não cicatriza e isso não indica problemas de saúde. Caso tenha dúvidas sobre a ruptura do hímen, procure um ginecologista ou médico de família.

  1. Leia também:
  2. 5 dúvidas sobre o hímen complacente
  3. Como posso saber se tenho hímen complacente?
  4. Referência:
  5. FEBRASGO – Federação Brasileira das Associações de Ginecologia e Obstetrícia.

Referências bibliográficas

Só para você saber, seu hímen provavelmente nunca se rompeu

Basicamente tudo que você aprendeu um dia sobre sua virgindade estava errado.

Como se fosse algum tipo de selo de pureza vaginal.

(Spoiler: Isso na verdade está errado.)

Por que sempre andando à cavalo?

“O hímen não é rompido na primeira vez que você faz sexo”, Rose Olson, autora principal de um estudo de revisão sobre “teste de virgindade” publicado na revista Reproductive Health e estudante da Universidade do Minessota, contou ao BuzzFeed.

“Examinar o hímen não pode provar que alguém fez sexo vaginal, ou qualquer outra coisa relacionada ao seu histórico sexual. O hímen de todas as pessoas são diferentes uns dos outros.

Até mesmo os médicos mais experientes não podem distinguir um hímen “virgem” de um hímen “não virgem”.

View this post on Instagram

Pode ser dolorosa a primeira vez que o hímen é esticado para permitir a entrada do pênis (ou qualquer outra coisa), mas essa é apenas uma das fontes de dor e geralmente não é a principal.

View this post on Instagram

“Diversos estudos demonstraram que ferimentos no hímen se regeneram rapidamente e não deixam evidências anteriores de trauma”, diz Olson. “A maioria dos ferimentos se curam tão bem que após dias ou semanas é muitas vezes impossível dizer se o hímen foi ferido ou não.” Portanto você não pode dizer se um hímen foi rompido ou não, porque ele vai se regenerar.

View this post on Instagram

O hímen pode ser bastante perceptível quando você é bem jovem, mas devido aos hormônios, ao atingir por volta de 25 anos, seu hímen provavelmente terá encolhido (termo técnico: atrofiado) para um tamanho que fica quase imperceptível, independentemente de você ter feito sexo ou não.

“O hímen é um pedaço fino e flexível de tecido que se altera com o tempo e a exposição ao estrogênio durante a puberdade”, diz Olson. “Ele pode se esticar e romper facilmente. E já pode ser imperceptível no momento que você fizer sexo pela primeira vez.”

View this post on Instagram

“A 'virgindade' não é um termo médico, e sim um conceito cultural e social com base no gênero da pessoa”, diz Olson. “Ele tem sido utilizado para explorar e humilhar sexualmente as mulheres e garotas ao longo da história. Sua definição muda de acordo com quem você está conversando.

Precisamos mudar a forma como falamos sobre virgindade. 'Perder a sua virgindade' implica que você não tem controle sobre ela. Ninguém, exceto você, nem um hímen ou outra pessoa, pode tirar a sua virgindade”.

Você está no controle do seu corpo, e ninguém deveria definir você pelo seu histórico sexual”.

Este post foi traduzido do inglês.

Teste de virgindade e reparação de hímen assombram mulheres no Reino Unido

Pacientes de clínicas médicas particulares no Reino Unido estão sendo submetidas a “testes de virgindade” de acordo com apuração da BBC britânica. Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS) e a Organização das Nações Unidas (ONU), o recurso é considerado uma violação dos direitos humanos, por isso devem ter a comercialização proibida.

Além disso, os testes, que consistem em um exame vaginal para verificar se o hímen está intacto, não possuem base científica para confirmar se a paciente é virgem, já que mesmo com uma relação sexual o hímen pode não ser rompido, assim como ele também pode ser rompido sem a penetração do pênis.

Acompanhado dos testes, que chegam a custar de 150 libras, aproximadamente 1.063 reais, a 300 libras, cerca de 2.126 reais, as clínicas ainda oferecem um procedimento de “reconstituição da virgindade”.

O veículo também encontrou kits à venda na internet por 50 libras, 354 reais.

O comprador recebe em casa um recipiente com 60 ml de gel, que tensiona a vagina, pinças de plástico, uma cápsula de sangue e três sachês, com uma espécie de sangue falso. As instruções não são divulgadas.

Dos 21 espaços em que os testes foram encontrados, 16 foram contatadas pela BBC. Porém, apenas sete afirmaram que os testes são realmente oferecidos. As demais optaram por não se pronunciar sobre o assunto.

Já o procedimento de reparo do hímen foi confirmado por todas as clínicas, que faturam de 1,5 mil libras, o equivalente a 10 mil reais, a 3 mil libras, aproximadamente 21 mil reais. De acordo com o serviço de saúde pública britânico, a reconstituição do hímen foi feita por 69 mulheres na Inglaterra nos últimos cinco anos.

A ameaça do teste de virgindade feita pelos pais foi revelada à BBC por uma mulher, que é amparada pela instituição Karma Nirvana, que apoia vítimas de abuso emocional presente no ambiente familiar.

“Eu tinha um relacionamento emocionalmente abusivo com meus pais, que queriam que eu tivesse um casamento arranjado. Um dia, um ancião da comunidade me viu sair com meus amigos e disse à minha mãe que um dos meninos era meu namorado.

Havia muitos rumores na comunidade sobre isso,” contou sobre o motivo dos abusos.

Continua após a publicidade

“Meus pais e a família do homem com quem eles queriam que eu me casasse disseram que eu precisava fazer um teste de virgindade para provar que ainda era virgem para que o casamento pudesse prosseguir. Eu estava com medo e não entendi o que isso realmente significava. Senti que fugir era minha única opção — então foi o que fiz”, desabafou.

Para Priya Manota, responsável pelo contato das vítimas com a instituição, os testes fragilizaram o emocional de meninas, que já viviam em ambientes familiares opressores.

“O abuso por causa da ‘honra’ e do casamento forçado acontece muitas vezes quando a mulher entra em um relacionamento, escolhe seu próprio parceiro e tem um relacionamento íntimo ou sexual. Sabemos que muitas vítimas em casos extremos chegaram a ser mortas.

Outras vítimas são repudiadas pela família e não têm para onde ir”, pontuou ao veículo.

O rapper americano T.I. gerou questionamentos e indignação, em 2019, ao revelar durante uma participação em um podcast que leva sua filha para fazer o exame. Segundo o artista, para saber se o hímen dela continua intacto, a menina passa pelo teste todos os anos.

Uma campanha para proibir o “teste de virgindade” é articulada pela Organização para Mulheres e Sociedade do Oriente Médio. “Embora desejemos eventualmente proibir a reconstituição do hímen, banir a prática sem a educação adequada fará mais mal do que bem.

A única razão pela qual essas práticas estão em funcionamento é por causa dessa mentalidade retrógrada em relação à virgindade. Se ajudássemos a educar nossas comunidades e a reverter essa crença, não haveria necessidade de reconstrução do hímen.

O procedimento sairia do mercado por conta própria”, afirmou Halaleh Taheri, fundadora da entidade, à BBC”.

O que é mieloma múltiplo e como tratá-lo

Continua após a publicidade

  • Abuso Sexual
  • Comportamento – sexo
  • Direitos da mulher
  • Direitos humanos

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*