Como Saber Que O Bebe Tem Fome?

As mães costumam ter muitas dúvidas, no início da amamentação, para compreenderem os sinais de seus bebês e isso pode ser um fator de muito estresse e ansiedade. Neste artigo, mostramos para você que não é preciso se preocupar com os sinais mais comuns que os bebês costumam emitir para sinalizarem que estão com fome.

Acontece com todas as mães. No princípio, nos primeiros tempos de amamentação, a mãe, principalmente se for seu primeiro bebê, têm receios de várias ordens: será que o meu leite é fraco? O meu bebê está bem alimentado? Será que ele quer mais? E esse choro? Será de fome?

Como Saber Que O Bebe Tem Fome?Sim, as dúvidas, para além de serem muitas, são perfeitamente naturais. Por exemplo, poderemos começar pela importância de encontrar a pega correta para amamentar o seu bebê. O primeiro sinal é que não há dor durante a amamentação.

  • O bebê, ao pegar o seio da mãe, abocanha a aréola, permitindo que o queixo do bebê toque na mama da mãe, conseguindo respirar pelo nariz.
  • Outro sinal de que a pega está correta, é o ritmo da movimentação da sucção do bebê na mama: inicia com movimentos curtos e, na sequência, mais profundos e lentos.
  • Para além de verificar se a pega está correta, alguns sinais podem ajudar a mãe a identificar sinais de fome do seu bebê.

Qual é quantidade de leite materno indicado para satisfazer a fome do bebê?  

Para responder a essa pergunta, primeiro é importante saber quais são os sinais que indicam que o bebê pode estar com fome. Por isso, é recomendável uma observação atenta dos movimentos do seu bebê.

O ser humano, mesmo enquanto bebê, encontra estratégias de comunicação com o meio externo, e neste caso, em especial com a mãe. O primeiro sinal é que o bebê começa a ficar mais alerta, atento e movimentando os dedos e colocando-os na posição de sucção na boca.

Ou seja, de forma instintiva, recria o movimento da amamentação. A mãe, também poderá estar alerta, a outro tipo de movimentos e sinais. Por exemplo, o bebê poderá bater os lábios, colocar a sua língua para fora. E também mover a cabeça ou o queixo em direção ao peito da mãe.

Como Saber Que O Bebe Tem Fome?Sabemos que a amamentação é um fator de estreitamento dos laços entre mães e bebês, por isso, nada mais natural, que o bebê recrie o movimento mecânico da sucção para sinalizar a mãe que ainda não está satisfeito. Mas será diferente, no caso em que a mãe não pode amamentar, e faz recurso a mamadeiras?

Na verdade, em ambos os casos, o bebê pode manifestar-se da mesma maneira. Mas e o choro? Quantas vezes as mães ficam irrequietas para identificarem se o choro do seu bebê é uma evidência de sono, dor ou fome. Com o tempo, a mãe consegue identificar, sem problemas, o que cada choro quer dizer. Mas como saber que o choro do seu bebê é de fome?

Normalmente, quando o bebê começa a chorar ou até mesmo lamber os lábios, assim que é tirado do peito ou da mamadeira, é sinal de que ele ainda quer mais. Uma boa dica é voltar a apresentar a mama ou a mamadeira e perceber como o bebé reage e se ele deixa de chorar.

Mas há um momento em que a mãe deve preocupar-se? A mãe deve ficar atenta, caso verifique que as fraldas do seu bebê não estão molhadas ou sujas ou em menos frequência. Este é um sinal de que a alimentação não está adequada.

Mas não é só o bebê que dá sinais. O organismo da mãe também.  Se houver sintomas de mastite, como a dor na amamentação, no corpo ou outros relacionados, é sinal de que a amamentação não está de acordo com as necessidades do bebê.

0

Quais são os sinais de fome do bebê e quando devo me preocupar?

Você tem ideia de quanto seu bebê mama? Será que seu leite está sendo suficiente? Como saber quando ele NÃO está mamando bem? 

O bebê recém nascido nasce e muitas vezes está muito sonolento, ou chora a todo momento, mas será que é fome? Quando devo me preocupar? E mesmo quando o bebê não é recém nascido, queremos saber também, né?

Veja aqui bebê agitado no peito

Escrevi na primeira e a segunda  parte do post alguns parâmetros importantes que podemos avaliar, como ganho de peso, xixi ou cocô e avaliação da mamada. Acesse também! Hoje vamos falar um pouco sobre alguns sinais indiretos que a mãe pode e deve observar  no seu próprio corpo e em seu bebê.

Agora…pensando por outro lado..como saber se meu bebê está com fome? Quais são os sinais de alarme que devo ficar atenta? Quando saber se o bebê não está mamando adequadamente? Veja no post de hoje!

  • Leia mais sobre como saber se o bebê está mamando bem 
  • Saiba interpretar os sinais do bebê
  • É importante ainda saber interpretar alguns sinais de fome do bebê, que podem ser muito sutis a princípio, mas uma observação atenta é capaz de identificar! Veja:
  • Sinais de fome do bebê: 
  • Inquietação aparente;
  • Vira o rosto para os lados, abrindo a boca;
  • Suga as mãos;
  • Choro (é o último sinal);

Como Saber Que O Bebe Tem Fome?

Quando devo me preocupar? 

Existem sinais de que o bebê pode não estar recebendo leite de forma adequada e precise de mais atenção, então fique atenta! Nesses casos procure um pediatra o mais rápido possível e auxílio na amamentação.

  • O bebê não está tendo fraldas molhadas ou sujas;
  • O bebê está com xixi escuro (concentrado) após o 3º dia (a cor usual é amarelo clarinho);
  • O bebê está com cocô escuro, semelhante ao mecônio após o 4º dia  (a cor usual é amarelo mostarda, sem mecônio);
  • O bebê está com menos fraldas molhadas ou sujas, mamadas menos frequentes que o usual;
  • A mãe tem sintomas de mastite, como dor no peito com febre, calafrios, dor no corpo ou fissura mamilar ou dor na amamentação.

Consultório Espaço Médico Descomplicado – São Paulo: (11) 5579-9090/ whatsapp (11) 93014-0007

Como saber se o bebê esta com fome?

Claro, cada uma de nós quer ter certeza de que a criança está satisfeita, mas, infelizmente, os bebês não podem nos dizer isso diretamente. No entanto, eles enviam vários sinais que podem ser uma pista para nós. Descubra os sinais de como saber se o bebê esta com fome!

Para muitos pais, o primeiro sinal de que o bebê está com fome é o choro. Claro, às vezes isso não pode ser evitado, mas em muitos casos você pode adiantar-se no processo.

Principalmente porque é muito mais difícil se acalmar e alimentar uma criança já irritada. Ela pode acabar sugando o seio por um tempo para se acalmar, depois adormece de cansaço e logo acorda com raiva e com fome novamente.

Ok, mas como você reconhece os sinais da fome de um bebê então? Aqui estão algumas dicas.

bebê chorando com fome – Foto: Freepik

Primeiros sinais de fome:

  • Morder ou lamber os lábios
  • Abrindo e fechando a boca
  • Chupando lábios, língua, mãos, dedos, roupas

Sinais posteriores de fome

  • Procurando seios no peito da pessoa que o segura
  • O bebê se movimenta de um lado para o outro
  • O bebê fica batendo no ombro ou no peito da pessoa com a cabeça
  • O recém-nascido mostra aborrecimento
  • Apresenta respiração rápida

Sinais tardios de fome:

  • Girando rapidamente a cabeça de um lado para o outro
  • Chorando
  • Gritando

Como você saberá quando o bebê está com fome?

bebê chorando de fome – Foto: Freepik

Existem várias orientações que o ajudarão a determinar se seu filho está sendo amamentado com frequência suficiente.

  • Ganho de peso: em média, os recém-nascidos podem perder até 7% do peso ao nascer nos primeiros dias. Mais tarde, os bebês amamentados ganham cerca de 170 g por semana. Durante as consultas de acompanhamento com o pediatra, você poderá verificar se está ganhando peso de maneira adequada.
  • Fraldas sujas: bebês evacuam 3-4 vezes ao dia, mas cocô pode ocorrer com mais frequência, embora haja bebês que evacuam uma vez por semana. As fezes normais de um bebê amamentado são soltas, cor de mostarda e ligeiramente ácidas.
  • Fraldas molhadas: após a primeira semana de vida, o bebê suja pelo menos 5 a 6 fraldas por dia. Para verificar a aparência de uma fralda suficientemente úmida, coloque 3 colheres de sopa de água em uma fralda limpa. Isso torna mais fácil avaliar se as fraldas do seu bebê estão molhadas o suficiente.
  • Quando cheios, os bebês afastam a cabeça da mamadeira ou do seio ou simplesmente dormem. Se o seu bebê está ganhando peso de maneira adequada e evacuando regularmente, fique tranquila.

E algumas informações, vale a pena combinar leite materno com fórmula?

bebê com mamadeira – Foto: Freepik

Lembramos que bebês amamentados comem quando precisam. Eles decidem por quanto tempo e com que frequência querem mamar. Algumas crianças sinalizam a necessidade a cada 2-4 horas, outras com mais frequência do que a cada duas horas. Isso pode estar relacionado não tanto à fome, mas ao desejo de matar a sede.

Cuidado com a alimentação mista! Às vezes, as mães ficam preocupadas se os bebês amamentados estão realmente satisfeitos e decidem alimentá-los com fórmula artificial de vez em quando. Essa ação pode aumentar o risco de obesidade. Por quê? Você pode se concentrar mais em fazer seu bebê beber toda a fórmula da mamadeira, em vez de prestar atenção às reais necessidades dele.

Você sabia que bebês amamentados têm níveis mais elevados de leptina, o hormônio que regula o apetite?

Enquanto isso, bebês alimentados com mamadeira apresentam níveis mais elevados e secreção prolongada de insulina, o que pode causar ganho de peso excessivo, principalmente porque as fórmulas não contêm leptina. Como resultado, a autorregulação pode ser reduzida em bebês alimentados artificialmente

E finalmente…

Se ainda não tiver certeza, apenas abrace-o e alimente-o; especialmente se você estiver amamentando seu bebê. O bebê em seus braços encontrará alívio e ajudará você a manter a lactação. Se você estiver dando mamadeira e seu bebê apresentar sinais frequentes de fome, consulte o pediatra.

Leia também:  Como Fazer Sofa No Minecraft Que Da Para Sentar?

Como saber se o bebê esta com fome: principais dúvidas

bebê mamando – Foto: Freepik

1 – É verdade que mulheres com seios pequenos não conseguem produzir leite suficiente?

Seios pequenos não dão leite suficiente. Isso é completamente errado. Não importa o tamanho dos seios: o que importa é a quantidade de tecido glandular. Isso pode ser menor para uma mulher com seios grandes do que para uma com seios pequenos ou médios. O seio não é um reservatório de leite, mas uma instalação de produção.

Após o parto, sempre leva algum tempo para produzir leite suficiente. Por isso muitas mães ficam sem saber se o bebê está com fome.

2 – Meu bebê sempre adormece durante a amamentação. O que posso fazer contra isso?

Verifique repetidamente se o seu bebê está posicionado corretamente: ele deve envolver o máximo de tecido mamário possível e ficar deitado de forma que não precise virar a cabeça. Sob nenhuma circunstância você deve dar chupeta nesta fase. Caso contrário, o bebê se acostumará com a sucção leve e terá preguiça de sugar.

3 – Ao saber se o bebê esta com fome, você pode acordá-lo para mamar?

amamentação – Foto: Freepik

Em situações especiais, pode ser necessário acordar o bebê para mamar. É o que acontece quando as crianças não ganham peso suficiente. Mesmo os recém-nascidos com icterícia (níveis elevados de bilirrubina) devem ser amamentados regularmente, porque a falta de líquidos e alimentos aumenta os efeitos nocivos da icterícia do recém-nascido.

Em geral, pelo menos para os recém-nascidos, se o intervalo entre duas refeições da mamada nas primeiras semanas de vida for superior a quatro horas, o bebê deve ser acordado suavemente para mamar.

4 – Quanto tempo leva para que o leite materno volte a acumular após a amamentação?

Em geral, não é tão fácil falar, porque o seio não é um reservatório de leite, mas uma unidade de produção. Pouco tempo após a última mamada (por exemplo, após 15 minutos), você já está produzindo leite novamente. Quanto mais você amamenta, mais o leite é produzido.

Necessidade de alimentação em bebês que mamam

No momento em que está amamentando seu bebê, você deve ter percebido que ele não tem horários definidos. Num dia vem de hora em hora, noutros dias só precisa da mama em intervalos de algumas horas. Isso é completamente normal e também depende da fase em que seu bebê está.

Se o seu bebê for saudável, 8 a 12 refeições de amamentação em 24 horas são normais e suficientes. Não existe um esquema claro que possa ou deva ser seguido. Os bebês às vezes mamam com mais frequência e fazem uma pausa mais longa após mamar várias vezes.

O ABC da amamentação

A amamentação constitui o método mais natural e saudável de alimentar o seu bebé.

O leite materno contém uma fórmula única para cada bebé e é, por sua vez, uma fonte de proteínas, células e substâncias protetoras, que conferem uma maior proteção contra infeções e que ajudarão a manter o bebé feliz e saudável.

O aleitamento é um período em que tanto a mãe como o filho podem desfrutar. Embora amamentar possa exigir, no início, alguma prática, existem porém muitas razões para dar o seu melhor.

Por que é melhor amamentar? Benefícios para o bebé.

à aconselhável que as mães amamentem os seus bebés, pelo menos, durante o primeiro ano de vida e, em especial, durante os primeiros seis meses de vida do bebé. E existem muitas e boas razões para tal recomendação. As crianças que foram alimentadas com leite materno têm menos probabilidades de contrair infeções nos ouvidos, ter alergias, vómitos, diarreias, pneumonia, diabetes e meningite.

Investigações recentes sugerem que o leite materno favorece o desenvolvimento do sistema nervoso e cerebral do seu bebé. Os bebés digerem com maior facilidade o leite materno do que o leite adaptado, o leite de vaca ou o leite de cabra. O leite materno contém todos os minerais de que o bebé necessita e possui a proporção correta de nutrientes.

Além disso, o leite materno é prático e conveniente, não só porque é grátis, mas também porque está sempre pronto quando o seu bebé tem fome e não necessita de qualquer preparação.

Os efeitos benéficos do leite materno para a saúde irão manter-se durante todo o período em que a mãe escolher a amamentação como método de eleição de alimentação para o seu filho.

Os benefícios para a mãe

A amamentação tem efeitos benéficos comprovados, tanto para a sua saúde como para a do seu bebé. Para além de ser a maneira ideal de fortalecer a ligação emocional com o seu bebé recém-nascido, a amamentação ajuda a estimular as hormonas necessárias, para que o seu útero recupere o tamanho que tinha antes da gravidez .

Segundo alguns estudos, as mulheres que amamentam os seus filhos têm 50% menos de probabilidades de sofrer de cancro da mama antes da menopausa, além de um menor risco de cancro do ovário e de osteoporose. Amamentar também a ajudará a perder peso depois da gravidez, uma vez que consome o tipo especial de gordura adquirida durante a gravidez antes de esta passar a fazer parte definitiva do seu corpo.

Amamentar irá ajudá-la a perder esse peso a um ritmo preciso.

Ainda que o desejo de perder muito peso logo após ter dado à luz seja grande, as mulheres em período de amamentação necessitam entre 2 a 4 quilos a mais relativamente ao seu peso anterior à gravidez, de forma a poderem manter o organismo saudável enquanto alimentam os seus filhos.

Se perder peso demasiado depressa, a sua produção de leite poderá ser afetada, visto que o seu bebé, à medida que se vai desenvolvendo e crescendo, necessita igualmente de comer mais. Este excesso de peso desaparecerá naturalmente durante os seis primeiros meses.

O que esperar no início?

O leite materno começa a subir poucos dias após o nascimento do seu bebé. Até então, o seu peito estará ocupado a produzir o colostro que o seu filho irá ingerir em vez do leite.

Esta substância, espessa e de cor amarelada, está repleta de proteínas e anticorpos que ajudarão o seu bebé a defender-se de doenças e infeções.

O colostro é, presumivelmente, o primeiro alimento que o seu bebé ingere, o equivalente à sua primeira “imunização” contra doenças.

O seu bebé possui grandes reservas de água e gordura que pode utilizar enquanto ingere esta valiosa substância.

Nesta idade, o estômago do bebé possui capacidade apenas para conter o equivalente a uma pequena colher de líquido, de modo que mesmo uma pequena quantidade será suficiente.

O seu corpo está especialmente preparado para amamentar e o do seu bebé para ser amamentado; no entanto, isto não significa que não vá precisar de um pouco de ajuda no início.

Enquanto estiver na maternidade, alguém deverá ajudá-la a colocar o seu bebé ao peito, logo após o nascimento se possível, para que o seu bebé leve a boca ao mamilo e ensinar-lhe a reconhecer se o seu bebé está a mamar corretamente.

O ideal para facilitar o processo de amamentação é colocar o bebé ao peito assim que nasce. Contudo, se quando voltar a casa necessitar de ajuda, poderá recorrer aos profissionais de saúde ou aos centros de saúde, que continuarão a ser uma boa fonte de apoio, ajuda e informação.

Todos nós necessitamos de ajuda; e até as mães mais experientes se podem ver confrontadas com situações especiais.

Após a descida do leite, é muito possível que o recém-nascido queira mamar de hora a hora durante os seus primeiros dois dias de vida, o que é muito vantajoso, pois é a forma de contribuir para estimular a produção de leite, ideal para satisfazer as necessidades do seu bebé. Num prazo de apenas dois a quatro dias, o seu corpo irá adaptar-se a esta “informação” e o seu bebé necessitará de se alimentar com menor frequência, ou seja, a cada duas ou três horas ou entre 8 a 12 vezes num período de 24 horas.

Isto faz parte do período normal de transição e não significa que o seu bebé não fique satisfeito consigo, com o seu leite ou com os seus cuidados. O desassossego e o choro do seu bebé indicam que ele sabe o que precisa e como fazê-lo saber a quem lho possa dar. Nesta idade, a duração das mamadas é, em geral, entre 10 a 15 minutos em cada peito.

Como conseguir uma boa produção de leite materno?

Quando uma mãe amamenta, uma boa alimentação, uma grande quantidade de líquidos e um bom descanso são elementos essenciais. Uma boa estratégia consiste em dormir sempre que o seu bebé o faça e ingerir muitos líquidos que contribuam para a sua saúde. O leite, a água e os sumos naturais são uma boa opção. Relaxe.

Procure ter poucas visitas, descansar adequadamente e concentrar-se em si e no seu bebé, mesmo que para isso algumas tarefas não sejam realizadas.

à importante manter um regime alimentar saudável, para assim poder continuar a ter uma boa produção de leite materno, não significando com isto que a sua alimentação deva ser demasiado elaborada.

Alguns lactantes são bastante sensíveis a certos alimentos que fazem parte da dieta da sua mãe.

Se o bebé fica inquieto ou desassossegado após a mãe ter comido algo muito condimentado, é provável que seja esse o problema. No entanto, e em geral, as mães em período de amamentação podem comer o que desejarem, sempre e quando se trate de uma alimentação saudável.

As mães vegetarianas que amamentam os seus filhos devem dedicar muita atenção ao seu regime alimentar e incluir vitaminas e minerais em quantidade suficiente.

Se tiver dúvidas sobre a sua alimentação, o seu ginecologista ou o seu pediatra poderão recomendar-lhe um nutricionista para a ajudar a elaborar um regime alimentar adequado.

Três refeições saudáveis e uns dois lanches por dia irão ajudá-la a sentir-se bem e a manter uma boa produção de leite.

Leia também:  Whatsapp O Que É E Como Usar?

Embora a chupeta seja muito útil para tranquilizar o bebé, lembre-se, porém, que se der uma chupeta ao seu bebé durante as primeiras semanas de vida, é possível que ele vá mamar menos, o que, por consequência, afetará a sua produção de leite. Um estudo recente demonstrou que o uso da chupeta pode interferir com o sucesso da amamentação.

Por conseguinte, é aconselhável protelar o uso da chupeta até que a sua produção de leite esteja regularizada, o que geralmente sucede até ao final do primeiro mês. Em vez de usar a chupeta, tente deixar as mãozinhas do bebé perto da boca na altura de o vestir. Desta forma, o bebé poderá levar as mãos à boca, tal como o fazia quando estava no seu útero, e assim se tranquilizará.

A estratégia do biberão

Se deseja que o seu bebé comece a alimentar-se com biberão, deve esperar até que tenha, pelo menos, entre 2 a 4 semanas de vida. Contudo, não se deve surpreender se, no início, o seu bebé rejeitar o biberão, ainda que contenha leite que tenha extraído do peito.

O motivo é simples: um bebé que tenha sido amamentado conhece perfeitamente a diferença entre beber leite de um biberão e mamar, e prefere que a sua mãe esteja próxima dele. O bebé consegue distinguir o cheiro da sua mãe e conhece a rotina. à provável que obtenha melhores resultados se pedir ao pai, à ama ou a avó que lhe dêem o biberão com o leite que extraiu, sem que esteja presente.

Se começar a adicionar leite adaptado à dieta de um bebé que está a ser amamentado, a sua produção de leite diminuirá de maneira proporcional à quantidade de leite que der ao seu bebé.

Na realidade, a decisão é sua, mas pense bem antes de começar a utilizar leite adaptado, especialmente se a sua produção de leite já estiver regularizada.

Independentemente da decisão que tomar, é importante que tenha presente que qualquer quantidade de leite materno, por pequena que seja, é melhor do que nada no momento de pensar na proteção da saúde do seu bebé.

Quando amamentar o seu bebé?

Alimente o seu recém-nascido conforme ele pedir, ou seja, amamente-o sempre que ele quiser.

Nos primeiros dias de vida, o seu bebé não irá mamar muito de cada vez que o alimentar, dado que o seu estômago é muito pequeno, mas quererá fazê-lo com frequência.

A maioria dos recém-nascidos necessita de mamar entre 10 a 12 vezes num período de 24 horas. Por outras palavras, entre uma vez por hora a uma vez a cada três horas.

Enquanto a sua produção de leite se regulariza, acorde o seu bebé para o amamentar se ele dormir mais de três horas seguidas durante o dia ou quatro horas durante a noite. Caso contrário, quando acordar estará demasiado esfomeado e não se irá alimentar devidamente. Quando tudo já estiver a funcionar bem, será o seu bebé a acordá-la quando necessitar.

  • Como saber se o seu bebé tem fome? Procure sinais, tais como:
  • – O reflexo de procura (o bebé abre a boca e roda a cabeça até onde pensa que deve estar o peito da mãe).
  • – O bebé encosta-se ao seu peito.
  • – O bebé realiza movimentos de sucção ou leva as mãos à boca.
  • – O choro (um dos sinais tardios de fome, embora não seja necessário esperar até que o bebé chore a plenos pulmões).

O leite materno é tudo o que o bebé necessita para se alimentar até ao sexto mês de vida. Essa é a idade recomendada para se começar a introduzir alimentos sólidos para complementar a dieta do bebé. No entanto, o seu bebé continuará a obter a maior parte da sua alimentação através do leite materno (ou leite de iniciação) até completar um ano de vida.

Que quantidade é suficiente?

Tal como muitas mães que amamentam pela primeira vez, é possível que não saiba se o seu bebé mamou o suficiente. Mas saberá que o seu bebé se está a alimentar se o ouvir engolir à medida que mama. Outro sinal é se o bebé dorme bem depois de mamar. Se ficar satisfeito e a fralda estiver limpa, é provável que o seu bebé adormeça imediatamente após mamar.

  1. Existem outros indícios que apontam para que o seu bebé se está a alimentar corretamente, que são os seguintes:
  2. – Molha cerca de seis fraldas por dia após mamar e evacua fezes moles e de cor amarelada, entre duas a cinco vezes por dia, até completar seis semanas de vida.
  3. – Alguns bebés digerem tão bem o leite materno que as suas evacuações são muito pouco frequentes.
  4. – A sua urina tem uma cor amarelo pálido, em vez de amarelo escuro ou alaranjado.
  5. – Os seus peitos ficam suaves e “vazios” depois de amamentar o seu bebé.

à normal os bebés perderem até 10% do peso que tinham ao nascer durante a sua primeira semana de vida. Porém, passada a primeira semana, o seu bebé deverá aumentar de peso de forma constante e recuperar, pelo menos, o peso que tinha ao nascer até ao final da terceira semana de vida.

à também durante a terceira semana, que o seu rosto deverá começar a adquirir um formato mais arredondado. O seu pediatra irá pesar o seu bebé em cada consulta. Se lhe parecer que o seu bebé não está a crescer ou a aumentar de peso de forma adequada ou se está preocupada em saber se estará a ingerir a quantidade suficiente de leite materno, contacte o seu pediatra.

Que quantidade é insuficiente?

à possível que, de vez em quando, sinta que o seu bebé não está a mamar o suficiente.

O seu bebé pode parecer esfomeado mesmo depois de mamar durante bastante tempo e apesar de sentir que os seus peitos estão “vazios.

” Esta é a forma que a natureza tem para adequar a sua produção de leite ao ritmo de crescimento do seu bebé. Para uma maior estimulação do aumento da sua produção de leite, amamente-o todas as vezes que ele pedir.

Também é necessário que ingira uma maior quantidade de líquidos e que descanse o suficiente. Isso pode significar que durante um ou dois dias tenha de dedicar a maior parte do tempo a amamentar e a descansar e não a outras atividades. Pode ficar segura de que o seu bebé estará bem sempre que mamar com energia e continuar a urinar e a evacuar normalmente, tal como descrevemos.

O seu corpo demorará entre 36 a 48 horas a adaptar-se às crescentes necessidades do seu bebé. O seu bebé está encarregado de mamar com frequência, transmitindo assim ao seu corpo os sinais corretos. Por isso, deixe-o fazer o seu papel.

Se lhe oferecer um biberão, o seu bebé terá pouca vontade de mamar e o seu organismo não receberá corretamente a ordem para aumentar a produção.

Toda a mãe que amamenta terá de enfrentar breves períodos em que a sua produção de leite não consegue satisfazer os pedidos do bebé. O método natural de satisfazer esta necessidade crescente é fazer com que o bebé mame. Relaxe e desfrute dos ritmos que a natureza estabeleceu.

Amamentação e trabalho

Se tiver de regressar ao trabalho, pode continuar a alimentar o seu bebé com leite materno. Extraia o leite, uma ou duas vezes por dia enquanto está no trabalho, leve-o para casa e dê-o ao seu bebé no dia seguinte.

O que lhe recomendamos é que o faça. Ã uma boa forma de se sentir mais próxima do seu bebé quando se tiver de ausentar.

Existem muitas formas de extrair o leite, como, por exemplo, com a mão ou com uma bomba tira-leite manual oueléctrica.

Ao amamentar com frequência, à tarde e à noite, irá manter a sua produção de leite materno e dar-lhe-á essa sensação tão especial de proximidade de que sente falta quando está no trabalho. Pode deixar o leite que extraiu entre seis a oito horas à temperatura ambiente, ou entre 3 a 5 dias no frigorífico, se necessário, uma vez que o leite materno contém agentes naturais de conservação.

Também pode congelar o seu leite para o usar posteriormente, se bem que congelar o leite implique perder algumas das suas propriedades essenciais para combater as doenças. Mesmo depois de o ter congelado, o seu leite continua a manter a proporção mais adequada de nutrientes para o seu bebé. Para descongelar o leite, deixe-o à temperatura ambiente ou coloque-o sob um jato de água morna.

Não volte a congelar o leite depois de o ter descongelado. Deve-se misturar suavemente o leite que colocou no frigorífico, já que a gordura tem tendência a separar-se e a ir para a superfície. Misture até obter uma textura homogénea que possa fluir facilmente através da tetina do biberão.

Procure uma sala limpa, privada e sossegada no seu local de trabalho, onde possa extrair o leite comodamente.

 Artigo escrito pelas Dras. Suzanne Dixon e Angela Rosas.

O bebê com fome: saiba como identificar a fome e como amamentar

Nos primeiros meses do bebê, é sempre mais difícil entender os sinais do pequeno. Falando sobre um tema complexo então, é sempre um enigma entender se o bebê está com fome. Como identificar o choro correto? O que fazer para não deixá-lo com fome?

Para os papais de primeira viagem pode ser complicado entender qual tipo de alimentação é a melhor. O aleitamento materno traz diversas dúvidas.

Livre demanda, amamentação programada, ganho de peso do bebê e até mesmo o seu emagrecimento: todas essas questões podem te assustar um pouco.

Não há motivos para tanto medo! O seu bebê com certeza vai passar por esse processo da melhor maneira.

Como saber qual é o melhor momento de fazer a transição da alimentação? A iniciação da criança à alimentação comum, com inserção de alimentos além do leite materno pode trazer receio.

O mais importante é priorizar a saúde da criança e tentar ao máximo dedicar-se ao aleitamento materno exclusivo nos primeiros meses de vida.

Existem diversas teorias sobre a alimentação dos bebês, técnicas para transição do aleitamento materno à alimentação comum e outras dicas que vamos trazer para você aqui.

Leia também:  Como Se Classifica O Tipo De Folhas Quanto A Sua Duração?

Como saber se o leite materno não está sustentando o bebê?

O aleitamento materno é motivo de muitas dúvidas e medos por parte de quem nunca amamentou.

Os especialistas indicam que é preciso amamentar exclusivamente com leite até pelo menos o sexto mês de vida. A partir daí é possível incluir alimentos na rotina do bebê.

Além disso, é possível (e indicado pela OMS – Organização Mundial de Saúde) amamentar até os dois anos de idade.

Faça o download deste post inserindo seu e-mail abaixo

Aleitamento materno, será suficiente?

Você pode se perguntar se o leite materno é suficiente, e com toda certeza te dizemos que sim!

O leite materno é composto por todos os nutrientes essenciais ao bebê e não precisa de complementos (a menos que seja uma expressa indicação do seu médico).

Inclusive, é muito importante você ter acesso maior ao seu médico nesse processo de gestação! Não dispense o cronograma do pré-natal, ele é essencial tanto para a saúde da mamãe quanto para a saúde do bebê.

Como saber se meu bebê está se alimentando bem

Na fase de amamentação é normal que o bebê “emagreça”.

Não precisa ficar assombrada com a possibilidade de o seu leite não estar suprindo todas as necessidades do bebê. A verdade é que normalmente, nos primeiros dias de vida, haja uma perda de peso e, esta perda é compensada por um acúmulo de nutrientes que o recém-nascido tem ao final da gravidez.

No ganho de peso é a mesma coisa. Cada bebê pode responder de uma maneira nos primeiros meses de vida.

Se o pediatra do seu filho disser que a saúde dele está perfeita, não se preocupe! Não caia também na velha história da vizinha da tia da avó da sua prima de segundo grau, que diz que o seu leite é “ralo”, ou não é suficiente. Pesquisas recentes mostram que todo leite tem as quantidades corretas e fundamentais ao bebê. Qualquer mudança SÓ DEVE ser feita por sugestão do pediatra.

Há várias vertentes que abordam técnicas para amamentação, vou te mostrar duas delas: a livre demanda e a amamentação programada.

O que é a livre demanda?

Na livre demanda a criança tem acesso ao peito sempre que demonstrar fome e necessidade de mamar.

Ou seja, a mãe está sempre de plantão para dar o ‘mamá’.

O bebê com fome irá dar sinais de que é hora de amamentar, por isso é preciso estar atenta. E, se no início você ainda não sabe identificar um chorinho de fome, o recomendável na livre demanda é, a qualquer sinal de choro, a primeira coisa a ser feita é oferecer o peito.

Mamadeiras, chupetas e bicos artificiais não são utilizados pelas mamães que optam pela livre demanda. Esses objetos podem acabar confundindo a criança e desestimulando a sucção do peito da mãe.

Quem adota a essa técnica afirma que mesmo com a iniciação de alimentos a partir dos 6 meses, é possível manter a livre demanda.

Há uma exceção, mesmo para quem segue a livre demanda. Nos primeiros dois meses, a criança nunca deve ficar mais de 3 horas sem mamar pois, o recém-nascido pode sofrer de hipoglicemia.

O que é amamentação programada?

Já na amamentação programada a criança é alimentada de três em três horas.

Caso o bebê esteja dormindo, na amamentação programada indica-se acordá-lo e dar de mamar (o mesmo deve ser feito na livre demanda, para recém nascidos).

Algumas mães acabam optando pela amamentação programada por conta das longas horas de sono de seus bebês. Nesse caso, os bebês acabam não ganhando peso conforme deveriam por demorarem muito a pedir o leite.

Há o receio de não saber se estaria ou não o bebê com fome. Além da preocupação com o peso.

É importante que você leia bastante e procure informações técnicas a respeito antes de optar por uma ou outra forma. Nenhuma forma é definitiva, afinal, toda criança é diferente e, algumas podem se adaptar melhor a um método e outras a outro. Aprofunde-se no assunto, e você saberá melhores formas de agir com o seu bebê com fome.

  • Recomendado: Com quantos meses o bebê senta sozinho

O que ajuda a produzir leite materno?

1. Mantenha-se hidratada

O número exato de ingestão de líquidos pode variar por indivíduo, mas você deve tomar pelo menos 3 litros de água por dia.

2. Coma uma dieta bem equilibrada

Mães que amamentam precisam de um extra de mais ou menos 500 calorias por dia. Escolha alimentos nutritivos que ofereçam energia, como alimentos ricos em proteínas, como aveia, farinha de linhaça ou iogurtes, ovos e vegetais. 

3. Não esqueça suas vitaminas!

Pergunte ao seu médico que tipo de suplementação de vitaminas, pode tomar. Geralmente são recomendados cálcio, vitamina D, ferro e ácido fólico como vitaminas e minerais importantes para as mães que amamentam. Avalie como o conteúdo do leite materno muda com base na dieta.

4. Siga a orientação do seu bebê

Os bebês que amamentam não seguem um cronograma, eles o definem. Portanto, tente seguir o fluxo (de leite) e siga as instruções do seu chefe, especialmente quando ele ainda é recém-nascido.

 As consultoras de amamentação geralmente recomendam a alimentação sob demanda, o que significa que toda vez que seu bebê está com fome, você o alimenta. Isso certamente nem sempre é possível, especialmente para mães que trabalham fora de casa. Você também precisa levar em consideração sua saúde mental.

 Mas, se você estiver procurando uma boa ideia, a alimentação sob demanda pode ser o caminho a percorrer.

5. Deixe o bebê se alimentar completamente de cada lado

A produção de leite é um sistema de suprimento de demanda; portanto, quanto mais freqüentemente o bebê se alimenta, mais produção de leite ocorre.

 Quando seu peito está totalmente vazio, ele envia uma mensagem ao seu cérebro para produzir mais leite.

 Bônus adicional, quando o bebê esvazia completamente um seio, eles com certeza receberam todo o leite materno e gordura necessária, o que é ótimo para o seu desenvolvimento.

E quando o bebê não quer mamar de jeito nenhum? Ele vai ficar com fome?

Para as mamães que optam pela livre demanda, pode acontecer de, a partir de um certo momento, o bebê não pedir para mamar.

E aí, o que fazer?

  • Pode ser que a pegada na hora da mamada não esteja correta. O ideal é que o bebê tenha um encaixe certo na aréola como um todo.
  • Se ele estiver pegando apenas o mamilo, é preciso corrigir a postura e a pegada.
  • Aguardar por um momento mais sonolento do bebê pode ser uma excelente estratégia, já que estará menos relutante. Mas, é preciso tomar cuidado para não forçar mamada. O bebê dormindo não vai mamar e pode ser até perigoso.
  • Uso de chupetas e outros objetos que imitam o bico podem fazer com que o bebê comece a recusar a amamentação no bico do peito.

Também pode acontecer de o seu bebê estar com gripe ou virose, por exemplo. Isso diminuirá a procura do bebê pela alimentação.

De toda forma, esteja preparada para conversar sempre com o pediatra ou especialistas em amamentação para resolver o problema.

Quando o bebê está com fome ele chora? Sinais da fome

  • Você sabia que quando o bebê chora pode ser que ele já tenha dado outros diversos sinais anteriores de fome?
  • Então, como saber quais são esses sinais?
  • O bebê pode ficar inquieto, sem sentir-se confortável apenas com mudanças de posição, por exemplo.

Quando você perceber que seu filho está procurando o que sugar, como as mãos, pode ser que ele esteja com fome. Assim como emitir sons de sucção.

Por último, se você notar que o seu neném está muito sonolento, atente-se, pois pode indicar hipoglicemia, ou fraqueza por falta de comida.

Podemos então destacar os seguintes sinais:

  • estar mais acordado e ativo (pensar em comida deixa os bebês animados)
  • virando a cabeça para o lado, como se procurasse comida
  • abrindo e fechando a boca (como passarinhos esperando pelos pais em um ninho)
  • virando a cabeça em direção ao peito ou seio, ou a uma mamadeira
  • fazendo movimentos de sucção com a boca (mesmo se não tiver chupeta)
  • estalando os lábios, babando mais ou mostrando a língua
  • chupando seus dedos, mãos ou roupas
  • fechando as mãos em pequenos punhos (eles estão ficando um pouco frustrados e impacientes!)
  • olhando para você e seguindo você ao redor da sala com os olhos – se você for a principal pessoa que os alimenta
  • dando-lhe uma sobrancelha franzida, um olhar angustiado que diz: “Quando vamos comer?”
  • fazendo o som “neh!” pouco antes de um choro significa que eles estão com fome, de acordo com a linguagem infantil do Método Dunstan

A hora da amamentação

  1. Há alguns segredos também no momento de amamentar.

  2. Você já sabe que o bebê está com fome e vai dar de mamar, então tome cuidado com: sua posição, posição do bebê, pegada do peito e como encerrar a amamentação.

  3. Você pode amamentar em posição sentada ou deitada, dependerá da situação e da sua comodidade.

Quando sentada, eleve a criança até a altura correta dos seios para que facilite a pegada do bico.

  • Recomendado: Roupas para recém-nascido que não são necessárias

Quando recém-nascido, a barriga deve estar com o corpo bem junto recebendo suporte para ficar estável durante a mamada. É importante também deixar o bebê com uma inclinação, com a cabeça mais alta que a barriga. Isso ajudará a evitar o refluxo, que é muito comum em recém-nascidos.

Você pode deixar o bebê sentado a partir de uma determinada idade, nesse caso a criança consiga se sentar de frente para você no colo de modo que alcance bem a mama e faça o encaixe correto.

Cuidar do seu bebê é uma tarefa e tanto, e essas dicas foram algumas que separamos para você.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*