Como Saber Que Musica Tocou Na Radio?

Tocar na rádio é fundamental para o sucesso de qualquer artista. Aqui na Playax, acompanhamos quase 5000 emissoras, em todas as regiões do Brasil, 24 horas por dia. Veja abaixo como você, artista, produtor, empresário ou divulgador de rádio, pode ter acesso a esses dados.

Dentro do menu Acompanhe, na sessão Execuções, você tem acesso às páginas Desempenho, Mapa, Linha do Tempo e Meus Relatórios. 

Veja abaixo uma imagem da página de Desempenho. No filtro superior, você pode escolher o período, o meio, a fonte, a localidade e a faixa. No segundo filtro, pode escolher agrupar os dados por dia, semana ou mês. E, na legenda, pode observar em azul o número de plays e em preto o número de pontos de audiência.

Como Saber Que Musica Tocou Na Radio?

Como sei quais são as minhas músicas mais tocadas nas rádios?

Ao final da página de Desempenho, basta clicar em Músicas para ver quais são aquelas que alcançaram o maior número de pessoas. Mais do que saber quantas vezes sua música tocou, acreditamos que é melhor saber quantas vezes ela foi ouvida.

Por isso, no exemplo abaixo, ordenamos a lista por Pontos de Audiência. Um ponto de audiência equivale a um público estimado entre 1.000 e 1.500 ouvintes. Esses pontos levam em conta a potência da rádio, a densidade demográfica da região, o horário em que houve a detecção e a popularidade da emissora.

 Basta clicar no botão Exportar para ter acesso ao relatório em PDF ou Excel. 

Como Saber Que Musica Tocou Na Radio?

E como sei quais foram as emissoras que tocaram as minhas músicas e alcançaram a maior audiência

É simples, basta clicar em Emissoras, que a lista será reordenada de acordo com as emissoras que alcançaram maior audiência. Aqui, novamente, estamos olhando Pontos de Audiência. Se você quiser, também poderá gerar um relatório clicando no botão Exportar.  

Como Saber Que Musica Tocou Na Radio?

E se eu quiser saber quais os lugares que tiveram maior audiência?

Basta clicar em Localidades, que a lista será reordenada de acordo com os estados que alcançaram o maior número de pessoas. 

Como Saber Que Musica Tocou Na Radio?

Se preferir, clique em Cidades para que a lista seja reordenada dessa forma. 

Como Saber Que Musica Tocou Na Radio?

Por exemplo, como vejo o desempenho das minhas músicas em uma cidade específica?

No campo Buscar localidade/minhas rádios, basta você buscar a cidade, o estado, a região ou a praça que deseja.

Como Saber Que Musica Tocou Na Radio?

E se eu quiser saber o desempenho de uma música específica? 

Basta digitar o nome da música no campo Buscar Faixa.

Como Saber Que Musica Tocou Na Radio?

Outra página que pode te ajudar a acompanhar o seu desempenho é a página Mapa. Conforme vemos na imagem abaixo, você pode selecionar um período, escolher entre Estados ou Cidades; Pontos de Audiência ou Plays; Rádio, TV ou Webrádio. 

Como Saber Que Musica Tocou Na Radio?

Ou, se preferir acompanhar o seu desempenho em tempo real, você pode usar a página Linha do Tempo. No filtro superior, você poderá escolher o período, o meio, a fonte, a localidade e a faixa. Pode ainda ouvir a gravação ou falar diretamente com a rádio. 

Como Saber Que Musica Tocou Na Radio?

Na página Meus Relatórios, você pode criar relatórios para acompanhar a negociação com uma emissora de rádio, que envolva dinheiro ou não. Veja no exemplo abaixo:

Como Saber Que Musica Tocou Na Radio?

E aí? Pronto para saber onde sua música toca? Cadastre-se agora na Playax.

Qualquer dúvida, comente no post ou entre em contato através do [email protected]

Categories: Dicas, Geral, Relatório Semanal

5 aplicativos para reconhecer a música que está tocando

Você está na balada, uma música incrível começa a tocar e você fica se perguntando que música é aquela ou quem é o autor dela? Simples, baixe um aplicativo em seu smartphone, deixe-o “escutar” a música um pouco e em instantes ele vai responder todas essas perguntas para você.

São várias opções disponíveis nas lojas de aplicativos das principais plataformas móveis da atualidade. Por isso, nós escolhemos cinco dos melhores aplicativos para reconhecimento musical e, vale ressaltar, eles funcionam quase que como uma central multimídia, reunindo várias informações sobre os artistas e suas canções.

Confira nossa lista:

1. Shazam

Grande nome do gênero, o Shazam é o principal aplicativo disponível hoje para quem quer descobrir qual música está tocando colocando o celular para “ouvi-la”. Não importa se a música está tocando na balada, na rádio ou na TV: ligue o Shazam e aguarde uns instantes para identificar a canção.

Como Saber Que Musica Tocou Na Radio?

Além de ouvir, ele coloca você em contato direto com lojas para você adquirir a música digitalmente ou ainda com serviços de streaming como Rdio, Deezer e Spotify para você escutá-la integralmente e de graça. Usuários do Rdio ainda podem criar uma playlist só com as músicas “shazamadas” e você ainda pode ver recomendações de outros usuários do app. Ele está disponível para Android, iOS e Windows Phone.

Faça download do aplicativo para AndroidFaça download do aplicativo para iPhone/iPad/iPod touchFaça download do aplicativo para Windows Phone

2. MusicID

Os desenvolvedores garantem que as últimas atualizações tornaram o MusicID ainda mais rápido. Quando um artista é identificado, o programa carrega na tela uma série de informações sobre ele, como biografia, outras músicas, quem os influenciou e por aí vai.

Como Saber Que Musica Tocou Na Radio?

Além disso, você tem contato direto com ainda mais dados relacionados à música reconhecida, como sua letra completa e vídeos no YouTube. Ou seja, você descobre qual é a canção e já fica por dentro de tudo direto da tela do smartphone. O app tem versões para Android e iOS.

Faça download do aplicativo para AndroidFaça download do aplicativo para iPhone/iPad/iPod touch

3. SoundHound

Está com uma melodia na cabeça, mas não consegue se lembrar qual é a música? Não tem problema, basta reproduzir a melodia diante do SoundHound para que o programa faça todo o trabalho pesado por você. Além disso, é claro, ele também reconhece canções ouvidas na rádio, na TV ou em uma festa.

Como Saber Que Musica Tocou Na Radio?

Depois de reconhecer a canção, o app oferece visualização de letra da música para você cantar junto, ver um mapa musical da sua região, no qual aparecem outros usuários do app que reconheceram uma música recentemente, e também adicionar à playlist de serviços como Rdio e Spotify. Ele conta com versões para Android, iOS e Windows Phone.

Leia também:  Como Tratar Alguém Que Te Magoou?

Faça download do aplicativo para AndroidFaça download do aplicativo para iPhone/iPad/iPod touchFaça download do aplicativo para Windows Phone

4. musiXmatch

Com um catálogo respeitável de letras de música, o musiXmatch também é uma opção para quem está ouvindo uma canção e gostaria de saber mais sobre ela. Você pode salvar e etiquetar as canções, separando-as como achar melhor para voltar a ver informações sobre elas em outro momento.

Como Saber Que Musica Tocou Na Radio?

Além disso, o aplicativo oferece contato direto com outros serviços para que você escute a música. Com visual moderno e uma comunidade ampla e ativa, esta é uma das alternativas mais interessantes e divertidas do gênero. O app está disponível para Android, iOS e Windows Phone.

Faça download do aplicativo para AndroidFaça download do aplicativo para iPhone/iPad/iPod touchFaça download do aplicativo para Windows Phone

5. TrackID

Por fim, a última dica da lista é um programa exclusivo para Android. O TrackID é desenvolvido pela Sony e não deve nada para os concorrentes, pois traz um sistema preciso para reconhecimento de canções e ainda oferece biografia e mais músicas dos artistas reconhecidos.

Como Saber Que Musica Tocou Na Radio?

Além disso, ele armazena suas pesquisas em um histórico, então você pode salvar as músicas para ouvi-las posteriormente (quando estiver conectado em um Wi-Fi, por exemplo, para poupar sua internet móvel) em serviços como Spotify, YouTube e Music Unlimited.

Faça download do aplicativo para Android

Conhece algum aplicativo que deveria estar nesta lista, mas ficou de fora? Então não deixe de registrar sua contribuição logo abaixo na seção de comentários.

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.

Minha música tocou na rádio mas não recebi nada. O que aconteceu?

  • Entenda a arrecadação dessa rubrica e veja como a inadimplência das rádios prejudica o pagamento aos artistas
  • Do Rio
  • Como Saber Que Musica Tocou Na Radio?

Se uma rádio tocou uma música, o valor correspondente ao direito autoral deve chegar aos compositores, músicos e intérpretes. Se não chega, é possível que haja algum problema de cadastro da música e que o crédito tenha ficado retido, à espera da correção (Clique aqui e conheça uma ferramenta que ajuda a identificar créditos retidos). Mas, na imensa maioria dos casos, o que leva à ausência do crédito é a inadimplência da rádio junto ao Ecad. Em outras palavras, não há o que repassar ao criador porque simplesmente não houve pagamento por parte da emissora.

Em teoria, toda e qualquer rádio – mesmo as que operam apenas na internet, as web-rádios – deveriam pagar pela execução das músicas tocadas. O Ecad calcula os valores correspondentes de acordo com os critérios do Regulamento de Arrecadação desenvolvido pelos próprios titulares, através de suas associações musicais, a UBC entre elas.

Para enquadrar a cobrança, há uma tabela de preços e valores que variam de acordo com as características das rádios. O primeiro fator a ser levado em consideração é se ela é comercial, educativa, jornalística ou comunitária. Além disso, pesam a potência da emissora, a região socioeconômica e o número de habitantes do local onde ela opera.

Por exemplo, uma rádio comercial FM de até 0,5KW de potência numa região de até 10 mil habitantes pode começar com uma cota mensal de R$ 222,59, o que contempla o uso de todas as músicas naquele mês.

Se a região tem mais de 7 milhões de pessoas, mas a potência for igualmente baixa, a cota mensal passa para no mínimo R$ 14.852,91. Já se a potência é de mais de 100KW, e a região em questão tem os mesmos 7 milhões de habitantes ou mais, o valor mensal a ser pago ao Ecad pela emissora pode alcançar R$ 82.868.

Existem também alguns descontos previstos no regulamento, como, por exemplo, o que leva em consideração o grau de utilização de música, se é uma rádio jornalística ou educativa, se a emissora é associada à Abert ou Abratel. E, assim, vão-se estabelecendo os valores totais pagos pelas rádios.

Tais cifras são definidas em conjunto pelas associações, que são as representantes dos autores, as responsáveis por dar a autorização prévia para a execução pública.

Para realizar a distribuição dos valores arrecadados das rádios, o Ecad utiliza um sistema de amostragem estatística, também empregado em diversos outros países.

“Entende-se como amostragem estatística uma quantidade de execuções musicais que seja representativa de todo o universo de músicas tocadas, em um determinado período, suficiente para estabelecer um repasse proporcional dos valores”, conceitua o Ecad, em nota.

Sempre que for viável economicamente, a distribuição dos direitos autorais é feita de forma direta, ou seja, aferindo-se cada execução individualmente.

O imenso volume de músicas que tocam todos os dias nas rádios brasileiras, porém, inviabiliza a contagem caso a caso, e a amostragem estatística, certificada pelo Ibope Inteligência, é o método escolhido. Segundo estudo do instituto de pesquisas, a margem de erro é de apenas 0,2%, o que praticamente equipara o método por amostragem a uma custosa medição música a música.

Importante esclarecer que apenas as músicas tocadas nas emissoras que pagam direito autoral integram a amostra, que é composta por 800 mil execuções musicais no ano, sendo divididas em 4 períodos, conforme o calendário de distribuição. Ou seja, a cada três meses, o Ecad realiza a captação e compõe uma amostra de 200 mil execuções.

Cada região do país tem seu peso no total

Para compor a amostra de rádio, em primeiro lugar, divide-se a verba arrecadada de acordo com as regiões geográficas do Brasil. Sendo assim, temos cinco segmentos diferentes para distribuição dos valores: Rádio Sul, Rádio Norte, Rádio Nordeste, Rádio Sudeste e Rádio Centro-Oeste.

A definição da quantidade de execuções musicais que irão compor a amostra total depende do valor arrecadado das rádios, regionalmente, levando em conta a participação percentual que cada região possui em termos de valores arrecadados. Ou seja, se a região Sul representa 20% do total arrecadado de rádios no Brasil, então 20% de execuções musicais das rádios da região Sul deverão compor a amostra de 200 mil execuções no trimestre.

Leia também:  Como Dizer Aos Pais Que Vou Morar Com O Namorado?

Depois de separada a verba para o repasse dos valores e definida a amostra de cada região, é feito o cálculo do valor de cada execução musical, que é dividido para os titulares envolvidos, de acordo com as informações que foram cadastradas pelas associações de música no banco de dados do Ecad.

Como nas rádios há a utilização de música mecânica, ou seja, de fonograma, os valores arrecadados são distribuídos aos titulares de direitos de autor (compositor, versionista e editora musical, quando houver edição) e aos titulares de direitos conexos (intérprete, músicos executantes e gravadora), respeitando os percentuais definidos para cada categoria. Atualmente, dois terços vão diretamente para o compositor ou os compositores. O outro terço é dividido entre os titulares de direitos conexos segundo os seguintes percentuais: 41,7% para intérpretes, 41,7% para produtores fonográficos, e 16,6% para músicos acompanhantes.

Os valores distribuídos são remetidos trimestralmente pelo Ecad às associações que o administram. Que por sua vez, fazem o repasse aos seus respectivos titulares filiados, descontadas as taxas de administração. A UBC, atualmente, tem uma taxa de 5,36%. O Ecad cobra outros 12,14%. Ou seja, ficam com o titular associado 82,5% do que foi pago pelas rádios.

Inadimplência recorde

Importante lembrar que só é possível remunerar devidamente os artistas se houver o respeito ao direito autoral. Se as rádios não realizarem o pagamento da retribuição autoral das músicas tocadas em suas programações, e os titulares não mantiverem seus repertórios cadastrados e atualizados nas suas associações, não será possível repassar os respectivos valores.

Em setembro, o site da UBC revelou que o percentual de inadimplência das rádios brasileiras chegou a 58,3%, um recorde nos últimos anos segundo o Ecad. Esse número inclui o total de rádios comunitárias nacionais registradas no sistema do escritório central de arrecadação. Se excluída essa categoria de emissoras, a inadimplência cai para 40,4%.

Descontada a sazonalidade – tradicionalmente, no início do segundo semestre, segundo a área de Arrecadação do Ecad, sobe o total de rádios que deixam de pagar –, o número alto mostra que segue arraigada entre as emissoras nacionais uma cultura de uso de obras musicais sem retribuição aos seus criadores. “A quantidade de rádios que não pagam tende a subir um pouco no início do segundo semestre por causa dos reajustes das mensalidades, que ocorre anualmente em julho. Nos meses seguintes, a tendência é de redução”, afirma o Ecad.

Antes, em julho, nosso site mostrou que um “pacote de bondades” (para os usuários de música, não para os compositores) tramita numa Comissão Especial da Câmara e, se aprovado, pode representar prejuízo de R$ 431 milhões anuais a menos em direitos autorais para os criadores brasileiros.

Grande parte desse “gato” ficaria com rádios – comerciais, comunitárias e públicas –, maioria no bolo de R$ 188 milhões em atraso em 2015. A relatora do pacote de projetos é Renata Abreu (PTN-SP), e sua família é dona de rádios inadimplentes no seu estado.

O pacote está, no momento, praticamente parado, mas segue como uma ameaça aos direitos dos criadores.

Paralelamente, o deputado federal Otávio Leite (PSDB-RJ) apresentou uma emenda à Medida Provisória 747/2016 do governo federal que trata do processo de renovação das concessões das rádios.

O projeto do deputado vincula tal renovação ao pagamento dos direitos autorais pelas emissoras.

“A emenda propõe a não renovação das emissoras inadimplentes, visando à proteção da atividade intelectual voltada para a música, bem como toda a sua cadeira de produção, agentes e empresas envolvidas”, conceitua o deputado, cuja equipe levantou um número alarmante de cerca de R$ 2,5 milhões mensais em perdas apenas com as rádios comerciais e educativas inadimplentes. “O direito autoral é uma fonte essencial de subsistência para milhares de pessoas. Portanto, é inaceitável sonegar esse direito aos profissionais envolvidos”, ele conclui.

Como as rádios definem as músicas que serão tocadas? ● Maxcast | Rádio blog

Depois de criar uma rádio, é necessário estruturar uma grade de programação com músicas que estejam de acordo com o público-alvo definido no seu planejamento. Procurar os artistas favoritos da sua audiência e lançamentos que estão subindo nas paradas de sucesso é apenas o início do trabalho.

Hoje em dia, a evolução das plataformas de rádio e web rádio facilitou a maneira de criar um setlist a partir do material definido. Existem várias formas de escolher as músicas que vão tocar nas rádios.

Tradicionalmente, utiliza-se a interação com o público, para que os ouvintes peçam as suas canções favoritas por meio das mídias sociais ou votações realizadas em sites.

Ao abrir a sua rádio para anúncios publicitários, também é possível disponibilizar determinadas músicas conforme o acordo realizado. Durante o lançamento e divulgação de novas músicas e artistas, também são realizados contratos com gravadoras e empresários para que as composições sejam reproduzidas mais vezes durante a programação.

O mais importante é apresentar uma boa programação para a audiência, conforme o que foi planejado durante o processo de criação da rádio. Existem incontáveis ritmos e estilos musicais que podem ser abordados em um setlist, como pop, rock, pagode, samba, gospel, sertanejo etc.

Quer saber como definir as melhores músicas para a sua rádio e agradar o seu ouvinte? Preparamos algumas dicas que vão ajudar você na hora de criar um bom setlist para o seu público. Confira!

Saiba o que a sua audiência quer ouvir

Ao planejar uma web rádio, o público-alvo deve ser definido a partir de determinado estilo musical, que será o carro-chefe da estação, seguido de estilos parecidos ou complementares que possam ser inseridos no setlist. Com essas informações, o trabalho de escolher quais músicas devem fazer parte do repertório se tornará mais prático e rápido.

Leia também:  Como Sei Que Estou A Perder Liquido Amniotico?

Em caso de dúvida sobre quais músicas e artistas incluir na programação, uma busca por sites especializados em música e paradas de sucesso compatíveis com o estilo da sua rádio fornece informações que auxiliam nessas situações.

Crie um setlist variado

  • Nada de jogar um monte de músicas em uma playlist e deixar tocando, pois isso faz com que o seu ouvinte fique entediado e troque a estação, procurando programações variadas.
  • Crie uma sequência de músicas e estilos atrativos, alternando entre artistas e canções atuais ou retrospectivas com sons que fizeram sucesso no passado, fazendo com que o ouvinte fique interessado e entretido com o conteúdo transmitido.
  • O segredo de um setlist que garanta a atenção da sua audiência é a variedade, evitando o risco de apresentar um projeto monótono para quem gosta de ouvir a sua rádio como entretenimento.

Coloque o seu email abaixo para receber gratuitamente as atualizações do blog

Peça indicações aos seus ouvintes

A interação com a audiência é fundamental para a criação de um relacionamento sólido com as pessoas que escutam a rádio. A partir desse contato, é possível ter o feedback sobre seu trabalho e receber dicas sobre a aceitação do público. Essa aproximação também é válida na hora de programar o seu setlist.

Como descobrir qual é aquela música legal que toca na rádio ou na televisão

A abertura da novela, aquele comercial famoso ou a música de fundo de alguma cena cinematográfica: com certeza alguma vez você quis saber o nome de alguma faixa, mas acabou não encontrando exatamente o que procurava.

Embora muitos não conheçam, existem diversos aplicativos especialmente desenvolvidos para auxiliar o usuário nessa tarefa. Neste pequeno artigo selecionamos três dos melhores dentro do gênero para você testar e escolher o mais adequado às suas necessidades..

Midomi

O primeiro candidato de nossa lista é muito eficaz na hora de encontrar qualquer música. Com o Midomi, você precisa apenas de um microfone para realizar a tarefa. Ao adentrar no site do programa, que roda diretamente no navegador, clique na função “Click and Sing or Hum” para  você mesmo cantar ou fazer o famoso “nananá”, que muitas vezes surte em bons resultados.

Você também pode posicionar o microfone em frente a qualquer saída de áudio – televisão, aparelho de som ou as próprias caixas do computador – quando a música estiver tocando. Em geral com apenas alguns segundos o Midomi encontra o resultado exato, ou algo muito próximo dele.

Tunatic

Este é outro bom exemplo de aplicativo para encontrar faixas de áudio desconhecidas. O processo de utilização do Tunatic é muito parecido com o Midomi. Ele é baixado e instalado no computador em poucos segundos e não pesa nada para rodar.

O processo de funcionamento dele também consiste em usar um microfone para que o programa capte os sons e tente identificar as músicas. Ao encontrar resultados favoráveis, ele também indica onde comprar as faixas ou visualizar as letras das composições.

Audiggle

Para finalizar a lista, indicamos o Audiggle para quem não conta com um microfone no computador, pois o programa pode ser configurado para captar o áudio diretamente da máquina. Dessa forma você encontra os nomes de músicas em vídeos do YouTube, rádios online e qualquer outra aplicação em instantes.

Novamente, basta deixar o programa captando o áudio durante alguns segundos para que ele encontre os resultados. A eficácia do Audiggle é bastante alta e ele também informa lojas online e sites de letras para as músicas encontradas.

Agora é com você!

Os três aplicativos apresentados são algumas das melhores opções em seu gênero. Sem dúvida uma delas vai satisfazer as suas necessidades. O melhor de tudo é que todos eles são muito leves para baixar, além do Midomi, que funciona diretamente no navegador.

Vale muito a pena testar todos para decidir com qual ficar, o que você faz em poucos minutos. E aí, conhece mais algum programa de boa qualidade para encontrar o nome daquela música do filme ou abertura de novelas e seriados? Não deixe de contribuir com suas experiências e dicas para toda a comunidade do Baixaki!

Startup cria sistema para cantor descobrir onde sua música toca

  • WhatsApp
  • Facebook
  • Twitter
  • Pinterest
  • Linkedin
  • Copiar Link

O músico Daniel Cukier é um dos responsáveis pela plataforma (Foto: Isabela Moreira)

O músico Daniel Cukier e o produtor Juliano Polimeno encontraram uma oportunidade de negócio no gosto que têm pelo meio musical. Os empreendedores, de 35 e 37 anos, respectivamente, criaram a PlayAx, uma plataforma que acompanha a veiculação de músicas no rádio, na televisão e na internet.

A ferramenta conta com tecnologias de identificação automática de áudio. E a partir delas consegue captar, em tempo real, onde e quando as músicas dos artistas estão sendo tocadas. Isso faz com que músicos consigam acompanhar a veiculação de suas produções e identificar possíveis infrações de direitos autorais.

A empresa capta as informações de rádios, TVs e sites parceiras. “Com nossa tecnologia, conseguimos saber a cidade e o nome da rádio que toca o som. E conseguimos saber o número de usuários que acessam a música via aplicativo de rádio na web”, diz Cukier. 

A PlayAx consegue identificar onde as músicas dos artistas estão tocando (Foto: Divulgação)

A PlayAx tem como objetivo ajudar tanto artistas independentes quanto gravadoras. Logo, a plataforma oferece três planos: o professional, que é voltado para um artista e custa R$ 14,90; o master, que engloba 5 artistas por R$ 49,90; e o premium, destinado a 10 artistas por R$ 89,90.

saiba mais

Além das mensalidades, a plataforma também presta um serviço de administração autoral. “É um contrato fechado com o artista. Dependendo de como for a negociação, a porcentagem que ganhamos em cima dos direitos autorais varia entre 10% e 20%”, afirma Cukier.

O site da empresa foi ao ar em agosto de 2014 e desde então, conta com 2000 cadastros, sendo 500 deles perfis ativos. Entre os usuários da PlayAx estão artistas como Caetano Veloso, Ivan Lins, Jorge Vercillo e Fernanda Abreu.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*