Como Saber Que Guppy Vai A Parir?

Como Saber Que Guppy Vai A Parir?

Se você tem um aquário, deve saber que os peixes podem dar cria de duas maneiras diferentes. A primeira é colocando os seus ovos escondidos em plantas ou em terra para que depois um macho espalhe o seu sêmen por cima e estes possam nascer. Por outro lado, outro tipo de peixes pode engravidar como se fosse um gato ou um cão. Portanto, para saber se seu peixe está grávida em primeiro lugar deve descobrir se é das que bota ovos ou das que dá à luz; depois, distinguir entre os machos e as fêmeas; e por último, prestar atenção a certas mudanças anatômicas no caso delas.

Também lhe pode interessar: Como os peixes se reproduzem

A única espécie de peixe que fica grávida é a de vivíparos. Se você não souber se a espécie à qual seu peixe corresponde é essa e dá a luz, ou se é ovíparo e coloca ovos, procure na Internet para averiguar essa situação.

Os peixes lebistes (guppys), xiphophorus (espada) e mollienesia (molly) são os mais comuns dentro da espécie dos vivíparos. Neste caso, as fêmeas formam primeiro os ovos em seu interior e depois cruzam com os machos. Por último, estes ovos se transformam em peixinhos e suas mães dão à luz.

Como Saber Que Guppy Vai A Parir?

Depois de reconhecer se seu peixe é vivíparo ou ovíparo, faça a distinção dos machos e fêmeas através de suas cores. Desta forma poderá saber quando um peixe macho está tentando cruzar com uma fêmea ou se, pelo contrário, dois peixes machos ou dois peixes fêmeas estão brigando.

Normalmente os peixes vivíparos machos têm uma cor mais elaborada e brilhante que as fêmeas e também contam com uma barbatana anal estreita e longa. Por outro lado, as fêmeas costumam ter uma cor marrom e sua barbatana anal é triangular.

Como Saber Que Guppy Vai A Parir?

Para descobrir se seu peixe fêmea está grávida, observe os seus peixes todos os dias para conferir se acontecem mudanças fisiológicas.

Quando a fêmea está grávida, desenvolve de 20 a 40 dias uma saliência por baixo do abdômen que indica que está gordinha e grávida, pois os ovos estão se formando em seu interior.

A sua aparência é alongada e redonda, mas também pode ser quadrada, principalmente quando está a ponto de dar à luz.

Assim, quando o peixe fêmea estiver grávida, notará a zona inchada, porém se for um peixe molly balão pode ser que confunda a sua gravidez com sua anatomia natural: esta espécie tem uma saliência na parte dianteira, logo abaixo das brânquias. Por outro lado, também é habitual confundir o sobrepeso dos peixes macho com uma gravidez, pois o evidenciam com uma saliência na zona peitoral.

Além disso, as fêmeas também podem mostrar uma espécie de mancha no abdômen de cor vermelha brilhante ou preta que indica que estão grávidas. Essa mancha são os olhos dos alevinos, que logo antes de nascer deslocam-se para a zona anal. No entanto, alguns peixes sempre têm esta mancha, que pode crescer durante a gravidez, mais escura ou brilhante.

Como Saber Que Guppy Vai A Parir?

Quando a fêmea vai dar à luz pela primeira vez, pode ser que fique um pouco nervosa. Ela demonstra esse nervosismo subindo e descendo pelo aquário até se cansar. Se desce até ao fundo e fica ali quieta por um tempo não se assuste: a dor das contrações a impede de estar ativa, mas então dará à luz e voltará ao normal.

Por outro lado, as que já tiveram crias antes e têm experiência procuram um pouco de tranquilidade se escondendo atrás da decoração do aquário.

Além disso, é normal que, durante as contrações, a respiração e o pulso da fêmea acelerem, por isso talvez ela suba à superfície para procurar por oxigênio.

Como Saber Que Guppy Vai A Parir?

Se pretende ler mais artigos parecidos a Como saber se meu peixe está grávida, recomendamos que entre na nossa categoria de Animais de estimação.

Guppy – reprodução, alimentação, variedades e classificação quanto ao formato da cauda

Como Saber Que Guppy Vai A Parir?

Os machos do guppy são menores que as fêmeas, mas apresentam cores muito vivas e bonitas.

O peixe Guppy pertence aos Ciprinodontídeos, que incluem os vivíparos (platys, guppys e espadas) e ovíparos (killis). São originários da América Central e América do Sul. Possuem pequenos dentes nas maxilas, muitas vezes chamados carpas dentadas (toothcarps). As fêmeas alcançam até 6,5cm, mas já procriam com 2,5cm.

Os machos são menores e alcançam até 3,5cm. Entretanto, os guppies machos apresentam cores muito bonitas, ao contrário das fêmeas, que são pouco coloridas. Outra característica bastante importante é que os guppies apresentam uma grande variedade quanto à nadadeira caudal, dos mais diversos formatos.

São peixes muito ativos e cheios de vida, nadando a todo o momento.

Outra vantagem é quanto à rusticidade do guppy, pois não exigem muitos equipamentos no aquário e suportam condições adversas de vida por muito mais tempo que os demais peixes ornamentais.

No entanto, fêmeas de guppy grávidas ficam muito sensíveis ao frio, por isso a temperatura da água deverá manter-se a 24ºC. Caso contrário, elas podem sofrer o ataque de uma praga de íctio (ponto branco) ou mesmo fungos.

Nestes casos, além de elevar a temperatura da água, deve-se adicionar, por exemplo, sera-ectopur em conjunção com sera-costapur, conforme as instruções.

Reprodução

Um macho de guppy pode fertilizar de 3 a 5 fêmeas. Os ovos do guppy são fertilizados no corpo da mãe, permanecendo nele, até o momento do nascimento. Com 3 meses as fêmeas do guppy já atingem a maturidade sexual. Sua gestação fica em torno de 22 a 26 dias, sendo o intervalo entre os partos um pouco maior. Geralmente nascem de 30 a 60 alevinos de guppy. Isso depende do tamanho da fêmea e da qualidade da alimentação. A primeira gestação, independente de outros fatores, normalmente produz poucos alevinos. Há mães que ignoram os filhos, há as que os devoram prontamente (canibalismo). Alguma forma de proteção deve ser providenciada, como plantas densas, telas, escorredores plásticos de macarrão ou qualquer outro dispositivo que sirva de abrigo. Os alevinos podem ficar até 2 dias sem alimento, pois nascem com um saco vitelino.

Alimentação

Os guppys são omnívoros e gostam de carne e vegetais. Deve-se alimentá-lo várias vezes ao dia, desde que seja em pequenas porções. Eles adoram alimentos vivos, como artêmias salinas ou enquitreias. Mas também comem alimentos secos, em flocos, granulados ou liofilizados. Jamais deixe restos de comida no fundo do aquário.

Os guppys têm uma boca pequena e um intestino bastante comprido, por isso cerca de duas horas mais tarde já estão com fome, mas restos em demasia são um mau hábito que pode originar a perda da qualidade do aquário de que tanto gosta. Os recém-nascidos podem ser alimentados com sera-mikropan. Você pode fazer uma papa, misturando-o com água.

Da mesma forma, alimente-os várias vezes ao dia, alternando com artemia recém-nascida, para garantir um crescimento saudável. Utilize muitas plantas, umas com raiz e outras flutuantes, para que as crias possam esconder dos pais (que podem comê-los) e, ao mesmo tempo, crescer sem problemas.

Sagittarias, fetos americanos, synnemas, cabombas e muitas outras espécies servem perfeitamente.

Algumas variedades de guppy

A variedade Moscow Black possui cor de um azul intensamente escuro. As atuais variedades se distinguem principalmente pelo formato da cauda. Nesse aspecto, há grande diversidade, desde a delta, mais valorizada, até a véu, a espada, a lira, a bolha, entre outras.

A variedade Gold Red possui o corpo dourado e as nadadeiras dorsal e caudal vermelhas. A variedade HB Yellow possui o corpo escuro e as nadadeiras amarelas. Já o Yellow possui o corpo cinza claro (original) e as nadadeiras amarelas. Há uma gama enorme de cores e combinações, algumas mais valorizadas, outras menos.

Há também a variedade Moscow, totalmente azul, verde ou púrpura metálicos; a variedade  Mikariff, com o corpo todo amarelo (embora com a caudal pequena); o Full Red, totalmente vermelho. Existem padronagens bastante complexas, como as dos cobras (snakeskin) e dos multi.

Leia também:  Como Provar Que Dois Triangulos São Semelhantes?

O termo AOC (any other color) é empregado para as variedades que não se classificam entre as tradicionais, como o Leopardo. Há também variedades albinas, não menos importantes que as demais.

Classificação quanto ao formato da cauda

Guppy Veiltail (cauda véu):  A nadadeira caudal deve ter a forma de um triângulo isósceles de 45º, de 10/10 do comprimento do corpo.

Guppy Triangletail (cauda delta): A nadadeira caudal deve ter a forma de um triângulo de 70º, de 8/10 do comprimento do corpo.Guppy Fantail (leque/ventilador): A nadadeira caudal é delicadamente curva nas bordas superiores e mais baixas. Seu comprimento corresponde a 8/10 do comprimento do corpo.Guppy Scarftail (lenço/bandeira): A caudal tem uma forma retangular e seu comprimento corresponde a 8/10 do comprimento do corpo.Guppy Double Swordtail (cauda dupla espada): A caudal tem uma forma básica oval e duas  extensões em forma de espada nos raios superiores e inferiores da cauda. Guppy Top Swordtail (espada superior): A caudal tem uma forma básica oval e uma extensão em forma de espada no raio superior. Guppy Bottom Swordtail (espada inferior): A caudal tem uma forma básica oval e uma extensão em forma de espada no raio inferior.Guppy Lyretail (cauda Lira): A caudal tem a forma de uma lira. A forma básica é redonda e não deve exceder 4/10 do comprimento do corpo.Guppy Cofertail (cauda em forma de pá): A forma da caudal se parece com uma pá. O início da caudal é redonda e se abre paralelamente ao eixo do corpo.Guppy Speartail (forma de lança): A caudal tem a forma da ponta de uma lança. Seu comprimento corresponde 8/10 do comprimento do corpo. Guppy Roundtail (cauda redonda): A caudal é redonda com um diâmetro de 5/10 do comprimento do corpo.Guppy Pintail  (cauda alfinete): A forma básica da caudal é arredondada, com um diâmetro de 4/10 do comprimento do corpo. A dorsal é fina e se levanta, íngreme no início. Já a extremidade é pontuda e  se afina a partir do último terço de seu comprimento.
Como Saber Que Guppy Vai A Parir?

Características dos machos para concursos

O tamanho ideal é de 3,2 cm, o que faz com que o guppy receba 8 pontos. Se tiver 2,5 cm, receberá só 6 pontos. As fêmeas são maiores e o tamanho de corpo ideal é de 5,70 cm ou maior, o que faz com que receba 11 pontos por isso.

Forma do corpo

O corpo deve ser arredondado, e não curvado. Não pode ter calombos ou convexidades, pois, dessa forma, perderá pontos. Não deve haver depressões após os olhos. Visto de cima, o corpo deve ser reto, sem deformidades na espinha dorsal. O pedúnculo deve ser forte, na proporção de duas unidades de altura para três de comprimento.

Cor do corpo

A cor do corpo deve ser uniforme da dorsal até a caudal, indo até a cabeça. Se o peito do guppy não for colorido, ele perderá alguns pontos. A intensidade da cor é muito importante, o vermelho fraco terá menos pontos do que o vermelho intenso. Uma padronagem fechada terá mais pontos do que uma com falhas ou pouco definidas.

Comportamento

Um guppy prostrado no fundo do aquário obterá o mínimo de pontos. Já o que se movimenta com vivacidade obterá o máximo de pontos.

  • Simetria
  • Aprenda sobre peixes ornamentais, acessando o curso Produção de Peixes Ornamentais, elaborado pelo CPT – Centro de Produções Técnicas.
  • Por Andréa Oliveira.

Uma simetria excepcional terá o máximo de pontos. Já uma desarticulação entre as proporções das partes terá menos pontos quanto maior for o desequilíbrio. Como Saber Que Guppy Vai A Parir? Como Saber Que Guppy Vai A Parir? AVISO LEGAL

Este conteúdo pode ser publicado livremente, no todo ou em parte, em qualquer mídia, eletrônica ou impressa, desde que contenha um link remetendo para o site www.cpt.com.br.

Guppy: conselhos, cuidados e características

Nome científico: Poecilia reticulata
Origem: Rios e lagos de baixa corrente na América Central
Esperança média de vida: 2 anos
Cores: erde, azul, vermelho, tigrado

O guppy (Poecilia reticulata) também é conhecido como lebistes ou barrigudinho, é uma das espécies de peixes de água doce mais populares, e são muitos os motivos para a sua popularidade. São peixes de cores vivas e divertidas de ver (pode passar horas a admirar a beleza destes pequenos peixes). No entanto, algo que sem dúvida os distingue como espécie é o facto de que são muito mais fáceis de manter que a maior parte das outras espécies.

Recomendações para o cuidado do guppy

Como é o comportamento do guppy?

Como Saber Que Guppy Vai A Parir?

São bastante pacíficos, embora há que ter cuidado com os seus acompanhantes, já que tendem a morder as suas grandes e coloridas caudas. Costumam estar a nadar ativamente por todo o aquário. Se um guppy se encontrar parado no fundo do tanque é sinal de que poderá estar doente. Quando se habituam a certos horários para serem alimentados, nadarão até à superfície, sempre que lhe vejam a “pedir’ comida (pedirão mesmo se estiverem com o estômago cheio). Este comportamento significa que associam os seres humanos à comida.

Aquário e manutenção

Como deve ser o aquário dos guppies?

Os guppies são conhecidos pela sua robustez e grande capacidade para se adaptar aos diferentes ambientes, mas se realmente quiser que os seus guppies se sintam confortáveis, há algumas coisas que pode fazer para que o aquário se adapte às suas necessidades exatas. A maneira mais fácil de fazer isso é imitar a atmosfera do seu habitat natural nas águas do rio Amazonas ou dos rios e lagos de toda a América do Sul. Para conseguir esta semelhança, o seu aquário necessita:

  • Boa vegetação.
  • Zonas livres e plantas flutuantes para atenuar a luz.
  • A temperatura do aquário deve ser de 18 a 28 ºC.
  • O pH da água deve oscilar entre 7,0 e 8,0.
  • E a dGH (dureza) de 10 a 25 ºGH.

Os guppies são peixes muito pequenos, mas necessitam de um espaço razoável e terá de se assegurar de que o seu aquário seja grande o suficiente para que possa nadar comodamente (um mínimo de 40 litros).

Como Saber Que Guppy Vai A Parir?

No que diz respeito à quantidade de guppies, é recomendável 1 guppy por cada 5 litros.

Se tiver dúvidas em relação a isso, pode consultar a nossa publicação para calcular quantos peixes cabem no seu aquário.

O ponto fraco destes peixes é o sulfato de cobre (uma substância que se utiliza para eliminar caracóis no aquário), esta substância pode causar graves problemas para eles, inclusivamente a morte.

Alimentação

O que comem os guppies?

O mais delicado para manter os guppies é a alimentação. São omnívoros, alimentam-se de comida congelada, comida em copos ou escamas e comida liofilizada.

Entre os alimentos vivos ou liofilizados mais populares e adequados para os guppies há o camarão salgado, a dáfnia e as larvas de mosquitos.

Alimente os seus guppies só uma ou duas vezes ao dia em pequenas quantidades.

Nesta publicação contamos-lhe quantas vezes deve alimentar os seus peixes e com que quantidade.

Sobretudo é importante não os sobrealimentar porque pode bloquear os seus intestinos e a comida que for ingerida pode contaminar a água.

Como Saber Que Guppy Vai A Parir?

Reprodução

Como é a cria dos guppies?

Os guppies têm uma capacidade reprodutora extraordinária, pelo que terá de tomar uma decisão para que convivam no aquário:

  • Se não tiver a intenção de criar guppies no seu aquário, deve optar unicamente por machos ou fêmeas (os machos costumam ser mais coloridos que as fêmeas).
  • Pelo contrário, se decidir manter ambos os sexos, para que as fêmeas não stressem demasiado, a proporção de machos e de fêmeas deveria ser um macho por cada três fêmeas.

Os guppies alcançam a maturidade sexual aos 3 meses de idade.

Nas fêmeas que estão em gestação, pode observar-se uma mancha negra na parte posterior e, à medida que a mancha for ficando maior e escurecer, vai-se aproximando o momento do parto.

Convém separar os alevins noutro aquário após nascerem para evitar que sejam comidos, até que alcancem um tamanho superior à boca dos peixes com que irão partilhar o aquário.

Leia também:  Como Saber A Quem Pertence Matricula Automovel?

Agora já sabe um pouco mais sobre estes peixes. Está animado para os ter no seu aquário? Acredita que estariam melhor num aquário maior? Deveria instalar algumas plantas para que estejam mais a gosto? Já sabe que qualquer coisa que precise para o cuidado dos seus guppies pode encontrar nas nossas lojas Kiwoko ou na nossa web www.kiwoko.pt.

Como saber quando o guppy está prestes a dar à luz?

Escrito por: Debra L Turner

Escrito em: February 04, 2019

Como Saber Que Guppy Vai A Parir?

Embora seja útil saber o momento exato que a guppy fêmea concebeu a ninhada, isso nem sempre é possível.

O período médio de gestação para essa espécie é de 28 dias, mas isso pode variar entre eles e de ninhada para ninhada da mesma espécie, dessa forma, o nascimento pode ocorrer a qualquer momento entre 21 e 40 dias. É mais prático observar o peixe em busca de sinais de que o parto está próximo.

Olhe a guppy grávida todos os dias e observe-a por alguns instantes. Olhe para a barriga do peixe. Esta estará larga e bem redonda, e se apresentará bulbosa de acordo com o progresso da gravidez e a aproximação do parto.

Step 2

Observe a barriga de perto e de todos os ângulos possíveis. Procure por um ponto preto largo que se desenvolverá na parte posterior do abdômen quando o nascimento estiver próximo. Essa área preta é chamada de ponto gravídico. Você deverá ver a silhueta de alguns dos corpos da prole no interior do abdômen distendido.

Preste atenção nos padrões comportamentais da guppy. Quando o abdômen pesado ganhar uma aparência um tanto quanto rígida, ela ficará parada por um tempo. Observe o ponto gravídico de perto e você o verá dilatar momentos antes dela começar a dar à luz.

  • Referências
  • Dica
  • Mova a guppy grávida para um aquário próprio, com capacidade de nove a 18 litros, equipado com um filtro de canto que esteja funcionando, pelo menos alguns dias antes do parto. Ela vai sofrer menos estresse em uma área livre. Essa guppy deve ser mantida sozinha, já que outros peixes se alimentariam da prole assim que ela nascesse. Se você não tem certeza do dia do nascimento, separe-a do resto dos peixes assim que ela aparentar estar bem pesada.
  • Coloque plantas vivas ou de plástico que boiem no aquário da guppy grávida. As plantas devem formar um tapete grosso na superfície. Assim que ela der à luz, os filhotes descerão para o fundo do aquário. Dentro de alguns momentos, a prole irá nadar em direção a superfície onde eles podem se esconder nas plantas. Muitas mães guppies são canibais e comerão a própria prole avidamente.
  • Instale uma rede reprodutora no aquário caso não seja possível relocar a guppy grávida. Coloque plantas que boiem na superfície dentro dos limites da rede reprodutora.

Sobre o Autor

A full-time writer since 2007, Axl J. Amistaadt is a DMS 2013 Outstanding Contributor Award recipient. He publishes online articles with major focus on pets, wildlife, gardening and fitness. He also covers parenting, juvenile science experiments, cooking and alternative/home remedies. Amistaadt has written book reviews for Work At Home Truth.

Créditos Fotográficos

Hemera Technologies/PhotoObjects.net/Getty Images

Como Saber se Seu Peixe Guppy Está Grávida

  1. 1

    Veja se a barriga parece inchada. Assim como a humana grávida, a guppy prenha fica maior, como se estivesse inchada. Esse inchaço nem sempre está relacionado à prenhez. Contudo, constatar que a barriga tem crescido ao longo de várias semanas indica uma guppy prenha.[1]

    • A fêmea guppy estará próxima do parto quando estiver grande e tiver um aspecto quadrado. Leva cerca de um mês para que os filhotes estejam prontos para nascer.
  2. 2

    Observe a mancha de prenhez. Leva algumas semanas para que essa região (próxima à base do ventre do guppy) escureça. Quando isso acontecer, será evidente que a fêmea está prenha. A região pode parecer escura ou alaranjada no início da prenhez e alternar entre essas duas cores no decorrer dela.[2]

    • A fêmea está muito próxima do parto quando é possível observar pontinhos (os olhos dos filhotes) na mancha de prenhez.
  3. 3

    Veja se há contrações corporais. Outro sinal importante de que a fêmea está em trabalho de parto são as contrações. Isto é: o retesamento de todos os músculos superficiais do corpo, seguido pelo relaxamento deles.[3]

    • Este processo de enrijecimento e relaxamento muscular pode ser repetir várias vezes durante o parto.
  1. 1

    Reconheça o acasalamento entre guppies. Durante o acasalamento, o macho persegue a fêmea até deixá-la exausta ou aproxima-se dela sorrateiramente. Ele então deixa sua barbatana anal ereta e a insere no ventre da fêmea, onde injeta o esperma. Todo esse processo é muito breve e pode parecer aos humanos um mero encontrão entre o macho e a fêmea.[4]

    • O acasalamento é muito breve e normalmente acontece sem que os donos o percebam.
  2. 2

    Observe outros sintomas. Embora uma guppy prenha talvez não apresente todos os sintomas a seguir, eles já são um bom ponto de partida para confirmar a prenhez. Sintomas adicionais de prenhez em guppies incluem:[5]

    • Tremores;
    • Ímpeto de roçar o corpo contra objetos do aquário — paredes, folhas, objetos decorativos;
    • Falta de apetite.
  3. 3

    Observe se a fêmea parece nadar parada. Tal é o indício comportamental mais comum de que ela está prestes a entrar em trabalho de parto. Ela fará os movimentos que peixes normalmente fazem ao se locomover sem, contudo, sair do lugar.[6]

    • Uma guppy em trabalho de parto também pode se esconder ou manifestar comportamentos agressivos, como mordiscar as nadadeiras de outros peixes.
  1. 1

    Minimize o estresse. Lembre-se de cuidar dela apropriadamente e não causar nervosismo. Caso passe por algum evento traumático durante a gravidez, a guppy pode absorver os filhotes ou abortá-los, o que significa que eles não poderão nascer.[7]

    • Um ambiente adverso pode ser danoso para os filhotes e eliminar suas chances de sobrevivência.
  2. 2

    Providencie uma caixa de separação de filhotes. Fazê-lo é uma ótima maneira de assegurar o bem-estar da mãe e da ninhada. Há de se ter cuidado, no entanto, pois estar numa caixa de separação pode ser estressante para a fêmea. Quanto menor o tempo de isolamento, menor o nervosismo a que será submetida.[8]

    • A caixa de separação, também chamada de tela divisória, é uma pequena câmara que se pendura ou prende na parede do aquário para isolar fêmeas prenhas, filhotes e peixes doentes ou agressivos dos demais.
    • Trata-se de um utensílio barato e que pode ser utilizado várias vezes. É um investimento pequeno e importante para um objeto que pode salvar as vidas da guppy e sua ninhada.
    • É preciso manter a fêmea na caixa de separação pelo menor período possível para minimizar o estresse. Fique atento aos sintomas do trabalho de parto e coloque-a na caixa apenas quando ela estiver próxima de dar à luz.
    • Você pode usar uma rede para peixes para, delicadamente, transferir a guppy para a caixa de separação.
  3. 3

    Alimente a guppy prenha. Durante a gravidez, ela precisará de uma dieta balanceada para não desenvolver nenhuma deficiência nutritiva. Isso significa que o cardápio deve ser bem variado enquanto ela não der à luz os filhotes.[9]

    • A cada dia, alterne entre ração em pastilhas ou em flocos, discos de algas, krill, bloodworms e artêmias.
  4. 4

    Devolva a guppy ao aquário. Depois de os filhotes se desenvolverem na caixa de separação ou num aquário separado de 40 L, poderão ser devolvidos ao aquário principal. Todo o processo pode levar até quatro meses. Também é possível criá-los num aquário separado depois de adultos.[10]

    • Conforme nascerem mais filhotes, será necessário um aquário maior. Lembre-se de que cada peixinho terá cerca de 5 cm quando adulto e que eles não devem viver num aquário superlotado.
    • Estar num aquário superlotado é estressante para os peixes, por vezes levando os adultos a devorarem os filhotes.
  5. 5

    Limpe o aquário regularmente. Vivendo em água turva e repleta de bactérias, tanto os peixes adultos quanto os filhotes ficam expostos a doenças potencialmente fatais. Pode haver bactérias mesmo quando a água está transparente, e a proliferação será ainda mais intensa se a água estiver morna.[11]

    • Peixes podem adquirir íctio, um apodrecimento que pode afetar as nadadeiras, o corpo e a boca. Pode matar peixes pequenos em 24 horas e leva alguns dias para começar a se manifestar em animais maiores.
    • Para matar as bactérias responsáveis por doenças como o íctio, trate a água com um medicamento específico, à venda em pet shops.
  • Não cause nervosismo à guppy prenha e aos outros peixes batendo no vidro do aquário, colocando o dedo na água ou fazendo qualquer coisa que poderia irritá-los.
Leia também:  Como Tirar Um Anel Que Ficou Preso No Dedo?

Este artigo foi escrito em parceria com nossa equipe treinada de editores e pesquisadores que validaram sua precisão e abrangência.

O wikiHow possui uma Equipe de Gerenciamento de Conteúdo que monitora cuidadosamente o trabalho de nossos editores para garantir que todo artigo atinja nossos padrões de qualidade. Este artigo foi visualizado 72 005 vezes.

Categorias: Peixes

Esta página foi acessada 72 005 vezes.

Poecilia reticulata – Wikipédia, a enciclopédia livre

Esta página cita fontes confiáveis, mas que não cobrem todo o conteúdo. Ajude a inserir referências. Conteúdo não verificável poderá ser removido.—Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico) (Outubro de 2011)
As referências deste artigo necessitam de formatação. Por favor, utilize fontes apropriadas contendo referência ao título, autor, data e fonte de publicação do trabalho para que o artigo permaneça verificável no futuro. (Julho de 2013)
Poecilia reticulata
Guppy

Classificação científica
Nome binomial
Lebistes macho (à esquerda) e fêmea (à direita).
Reino: Animalia
Filo: Chordata
Classe: Actinopterygii
Ordem: Cyprinodontiformes
Género: Poecilia
Espécie: P. reticulata
Poecilia reticulataPeters, 1859

O Guppy, também chamado de Barrigudinho ou lebiste (Pœcilia reticulata) é um peixe ornamental de comportamento pacífico, originário da América Central e América do Sul, com vida de aproximadamente 2 anos, usado em exposições aquarísticas. O guppy é da família dos poecilídeos,o comprimento do macho adulto é de aproximadamente 5 centímetros e o da fêmea, 7 cm (quando criado em condições adequada).

Pode ser facilmente encontrado em rios do Sudeste, Norte e Nordeste do Brasil, mesmo poluídos, sendo muitas vezes confundido por leigos com girinos.

Em sua forma original, possui um tom cinzento,nadadeiras curtas e alguns pontos de cor, porém a partir de cruzamentos em cativeiro costuma adquirir cores fortes, dos mais variados tipos[1].

A partir daí, existem diversas “raças”, ou “matrizes”, que podem ser comercializadas por um preço considerável[2].

O barrigudinho em sua forma original não costuma ser utilizado para aquariofilia, sendo o guppy propriamente dito suas variantes coloridas.É um peixe muito prolífico e fácil de criar em aquário

Distribuição e diversidade

O guppy é um pequeno peixe muito resistente nativo do norte da América do Sul e América central, e foi introduzido no Brasil para combater à dengue e à malária.[3] No seu ambiente natural, na América do Sul e no Caribe, os lebistes são normalmente encontrados em populações isoladas, habitando pequenos riachos e lagos de diversos tamanhos.

Espalhadas por vários países de clima tropical ou subtropical, existem também populações de guppies, formadas a partir de peixes que escaparam para a natureza ou que foram deliberadamente introduzidos, para ajudar a combater a doença da malária (entre as principais fontes de alimento dos guppies encontram-se as larvas de mosquito).
Por ser um comedor de superfície e adorarem alimentos vivos como as larvas de mosquito, alguns municípios, como o Rio de Janeiro, estão usando para combater o mosquito da Dengue com muito sucesso[4].

Histórico da nomenclatura

Talvez devido à sua grande área de propagação, foi favorecida a formação de variedades de cores e outras pequenas diferenciações no Guppy.

Como, na época em que o Guppy foi encontrado primeiramente para a descrição e classificação, uma das características principais que determinavam o enquadramento na nomenclatura científica era a cor, torna-se compreensível que o Guppy passasse a adquirir uma sinonímia incomparavelmente grande.

O antigo museu da Academia de Ciências de Berlin recebera uma remessa de peixes (conservados), provenientes da Venezuela, que foram entregues ao funcionário da seção ictiológica, Wilhem C. h. Peters (1815-1883). Este publicou, no dia 9 de Junho de 1859, uma nota no boletim da Academia, descrevendo uma nova espécie, denominando-a Poecilia reticulata, proveniente do rio Guayre.

Vale a pena ressalvar que a remessa de peixes só continha, entre outras espécies, um exemplar feminino de Guppy, o que parcialmente vai explicar a confusão que em seguida surgiu em torno do nome científico do Guppy.

Em 1861, o Museu de Turim recebeu alguns exemplares e Filippi (1814-1867), baseado na formação do gonopódio, que divergia bastante dos demais Poecilídeos até então conhecidos, achou correto chamá-lo de Lebistes Poeciloides. Cinco anos mais tarde, Albert C.

Guenther (1830-1914) deu-lhe o nome de Gyrardinus Guppyi, numa homenagem ao remetente: reverendo Robert John Lechmere Guppy, que lhe mandara uma remessa coletada na Ilha de Trindade, pois achou que merecia classificação bem distinta das Poecilias.

Ao total foram três classificações independentes do mesmo peixe. Além disso, após esse período, tendeu-se a classificar o peixe ora como espécie, ora como uma subespécie, pertencendo a um ou outro gênero.

Ecologia e comportamento

A variedade de padrões e cores é enorme entre as várias populações, inclusive, em linhagens albinas.

Os que partilham o seu habitat com espécies de peixes predadores têm normalmente cores menos vívidas, enquanto que os que não têm de lidar com esse problema têm cores mais exuberantes.

Na reprodução, os genes de peixes mais ou menos coloridos são favorecidos de acordo com este tipo de fatores.

Pode acontecer que entre os machos da espécie haja comportamentos agressivos (por exemplo morder as barbatanas), como também acontece entre outras espécies como os platys e os cauda de espada, ou ocasionalmente com outras espécies de barbatanas vistosas como os escalares.

Alimentação

Os Guppies podem ser alimentados várias vezes ao dia desde que seja em pequenas porções, o cardápio pode ser variado e incluindo alimentos vivos como por exemplo artêmias salinas ou enquitréias.

Se acha também no mercado alimentos congelados tipo artêmias congeladas ou bloodworms congelados. Os alimentos industrializados também são bastante apreciados, mas sempre em pequenas porções, nunca deixe sobrar comida no fundo do aquário.

Os Guppies podem também alimentar-se de pequenos Annelideos, como minhocas pequenas, ou ainda o pão ralado.

Reprodução

Dentre os peixes ornamentais é o de mais fácil reprodução,Os guppys criam-se de uma forma fácil, basta colocar um trio (2 fêmeas e 1 macho) que logo o macho começará a cortejar as fêmeas e a fecundação ocorrerá.

Após algumas semanas (2 ou 3) a fêmea irá ficar bem inchadinha, sendo mais fácil de perceber ao olhar-la por cima, e ela fica com uma manchinha escura no oviduto, quando perceber estes sinais coloque-a em uma “criadeira” para quando os alevinos nascerem tenham logo local para poderem nadar seguros (o melhor mesmo é ter o aquário com muitas plantas para os filhotes se esconderem, assim evita-se que sejam devorados pelos pais). Os alevinos podem ficar até 2 dias sem alimento, pois nascem com um saco vintelino. Os guppys são ovovivíparos[5].

Referências

  1. ↑ http://www.agostinhomonteiro.com.br/Hereditariedade_do_Guppy.htm
  2. ↑ http://www.cleyson.com.br/guppy/matrizes.php
  3. ↑ «Post». Criar peixes. Consultado em 1 de novembro de 2019 
  4. ↑ «Prefeitura cria peixes em parque aquático abandonado para auxiliar combate à dengue». O Globo. 4 de agosto de 2015 
  5. ↑ Guppy ou Lebistes (exemplo de peixe ovovivíparo) em SaúdeAQnimal.com – Zoo virtual acessado a 29 de maio de 2009

Ligações externas

  • Show Guppy na Piscicultura Michel Bruno
  • Guppy no Aquahobby.com

O Commons possui imagens e outros ficheiros sobre Poecilia reticulata

Obtida de “https://pt.wikipedia.org/w/index.php?title=Poecilia_reticulata&oldid=60422570”

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*