Como Saber Que A Menstruação Vai Descer?

Este artigo está disponível também em: English, español

*Tradução: Jade Augusto Gola

Coisas importantes a saber:

  • Se você puder, pergunte à sua mãe biológica quando ela teve a primeira menstruação.
  • Preste atenção em mudanças em seus mamilos, pelos pubianos, formas do corpo e corrimentos em sua roupa íntima.
  • Abaixo um resumo do que você precisa saber sobre quando terá sua primeira menstruação.
  • O primeiro passo para estimar a sua primeira menstruação é perguntar, se você puder, para sua mãe biológica quando foi que isso aconteceu para ela.
  • Além disso, seu corpo demonstrará alguns sinais.

Antes da sua primeira menstruação, você pode notar mudanças em:

  • Mamilos/seios
  • Pelos pubianos
  • Formas do corpo
  • Corrimentos na roupa íntima

A coisa mais importante a lembrar é que seu corpo é único. Não há um tempo “certo” para nada acontecer. Todo corpo saudável tem seus próprios padrões e tempo para as coisas acontecerem.

Como Saber Que A Menstruação Vai Descer?

Baixe o Clue para monitorar seus sangramentos e descobrir padrões pessoais.

  • Como Saber Que A Menstruação Vai Descer?
  • Como Saber Que A Menstruação Vai Descer?

4.8

mais de 2M+ avaliações

Mamilos/seios

Mudanças em seus mamilos e seios podem ser as primeiras coisas que você observará.

Inicialmente, surgem os primeiros carocinhos ao redor dos mamilos. Logo, a parte mais escura dos mamilos crescerão e ficarão salientes—você pode sentir que há um pequeno calombo em seu peito.

Estes são chamados de “botões mamários”. Isso pode acontecer em ambos os lados ao mesmo tempo, ou apenas em um lado inicialmente.

Se acontece em apenas um lado, pode levar até 6 meses para o outro lado surgir e igualar-se (1).

A primeira menstruação chega para a maioria das pessoas cerca de 2—3 anos após os primeiros sinais de crescimento dos seios (1,2).

Se seus botões mamários começam a crescer ao redor dos oito ou nove anos, pode levar até três anos para sua menstruação ter início.

Se seus botões mamários se desenvolvem mais tarde do que a maioria das pessoas na sua sala de aula, por volta dos 13 anos, pode levar menos de um ano para sua menstruação acontecer pela primeira vez (2, 3).

A forma do seu corpo e sua altura também mudarão ao redor desta idade. Ao notar os botões mamários, seu corpo inteiro já vai ter começado a se desenvolver mais rapidamente (4).

Pelos pubianos

Depois dos botões mamários, você pode notas os primeiros sinais de pelos pubianos. Apenas alguns longos fios podem brotar inicialmente. Mais pelos irão surgir com o tempo, e os fios ficarão mais crespos, grossos e espalhados em direção às suas coxas (1).

Há uma chance de você notar alguns pelos pubianos surgirem antes dos seios surgirem, mas a maioria das pessoas nota o contrário (5). Você provavelmente não verá nenhum pelo nas axilas até a época do início da menstruação, ou logo antes disso (5).

Forma do corpo

A forma e o tamanho do seu corpo também mudarão rapidamente antes de sua menstruação começar.

O seu maior momento de “espichão” (de crescimento rápido) pode ser cerca de seis meses a um ano antes da sua primeira menstruação (é o caso para a maioria das pessoas, mas pode ser logo antes, dois anos antes, ou até mesmo após a primeira menstruação) (6—8). Se você está observando sua altura e percebeu que ela muda rápido e depois desacelera, a sua primeira menstruação pode estar chegando.

Junto de mudanças na altura e no peso, também é normal que suas calças comecem a ficar apertadas já que seu quadril se alarga (8). Algumas partes do seu corpo ficarão mais volumosas e arredondadas, enquanto outras partes continuam do mesmo jeito. Você pode notar essa transformação por volta do mesmo tempo que seus botões mamários começam a surgir.

Toda a área abaixo do seu abdômen é chamada de pélvis. A sua vagina, seu útero e seus ovários se localizam aí, e também crescem em tamanho (1). O tempo exato do crescimento do seu corpo é único para você.

Fluidos vaginais e cervicais

Algum tempo após seus seios começarem a crescer, você pode notar uma mudança dos corrimentos da sua vagina: você pode senti-la mais molhada do que antes (9). Algumas pessoas notarão isso cerca de 6–12 meses antes da primeira menstruação (10). É um tipo de líquido fino e esbranquiçado, sem muito cheiro.

Ao se aproximar de sua primeira menstruação, você pode começar a notar os fluidos que saem de sua vagina mudarem a cada dia. Mesmo que ainda não tenha “descido” a primeira menstruação pra você, este é o começo de seu ciclo menstrual, que é muito mais do que apenas a menstruação.

Os hormônios em seu corpo oscilaram para cima e para baixo durante cada ciclo, ao seu corpo de preparar para o lançamento de um óvulo. Isso altera os fluidos que saem de sua vagina. Às vezes haverá mais fluidos, às vezes menos. Os fluidos também terão diferentes aspectos em diferentes estágios de seu ciclo.

Eles poderão ser cremosos por um par de dias, como um hidratante de pele, ou elásticos e transparentes, como clara de ovo. Para algumas pessoas, pode ser difícil notar essas mudanças e diferenças até depois de alguns ciclos logo após a primeira menstruação.

Sua vagina é autolimpante, então certifique-se de lavar apenas com água os lábios internos da vagina ao tomar banho.

Viver estas mudanças, ou esperar que elas aconteçam, pode ser divertido e excitante, ou um desafio estressante. Pode ser especialmente difícil se as mudanças acontecem antes ou depois de muitos de suas colegas de classe.

Todos esses sentimentos são normais! Se você puder, encontre alguém com quem conversar que esteja passando pela mesmo processo, como uma amiga de confiança.

Você também pode perguntar a um adulto de confiança para conversar ou mediar uma roda de conversa com colegas e amigas que estão passando pelas mesmas mudanças.

Compartilhar histórias e experiências pode ser muito útil e fazer com que você sinta que tem apoio.

Como Saber Que A Menstruação Vai Descer?

Baixe o Clue app para monitorar mudanças e a duração de seu ciclo menstrual.

  • Como Saber Que A Menstruação Vai Descer?
  • Como Saber Que A Menstruação Vai Descer?

4.8

mais de 2M+ avaliações

Kat, ex-estagiária do Clue, conta sua experiência sobre a expectativa da primeira menstruação:

“A menstruação pode ser dolorida, frustrante, uma bagunça. No entanto, eu não via a hora que acontecesse pra mim pela primeira vez. Quando eu tinha nove anos, minha mãe me ensinou sobre a menstruação, mas insistiu que eu não deveria esperar por ela tão cedo já que ela teve a dela um pouco mais crescida. Mesmo assim, eu estava determinada que comigo ia ser diferente.

Quando eu tinha 10 anos, eu acordei no meio da noite e fui ao banheiro, olhei para baixo e finalmente vi uma mancha de sangue! A espera havia acabado! Eu era uma adulta agora, pronta para enfrentar qualquer desafio! Corri para contar pra minha mãe, que me deu um absorvente com um olhar não muito convencido. Aquela noite eu estava muito emocionada para dormir, na expectativa de contar a novidade para meus amigos. Você pode imaginar meu desespero quando não havia nenhum sinal mais de nada vermelho, apenas um pequeno corte na parte superior da minha coxa. Alarme falso.

Ao longo da escola primária e do ensino médio eu tive que participar de diversas conversas sobre puberdade, em que professores de educação sexual me deram uma incontável quantidade de absorventes—'só para garantir'.

Tive que assistir a todas minhas amigas chegando na escola contando em detalhes sobre onde e elas estavam e como se sentiram agora que eram 'mulheres de fato'. Eu não era fisicamente tão madura como elas mas tinha certeza que esse marco ia chegar pra mim e eu ia fazer parte. Dias, meses e anos se passaram.

Eu vi todo mundo se desenvolver e conversar sobre como elas 'sincronizavam' e seus sintomas se relacionavam. Eu me sentia excluída.

Até que um dia eu percebi que era a única para quem ainda não tinha acontecido. Todas minhas amigas e colegas de classe haviam experimentado uma sensação que eu não podia compreender.

Perguntei a uma amiga num ano acima do meu se a sensação era como a do xixi, e ela riu. Eu estava assustada, inconsolável. Minha mãe tentava me animar dizendo que eu não deveria desejar isso, que era bobeira.

Eu perguntei à médica se eu era normal. Ela me deu um ano.

Um ano e meio depois, aos 14 e meio, finalmente eu menstruei pela primeira vez. Eu estava sozinha. Eu fui calmamente ao banheiro dos meus pais e peguei um absorvente. Foi na verdade muito anticlímax. Sem bolo, sem parabéns, sem profundas revelações, apenas eu e um pouco de sangue uterino.

Leia também:  Como Ver Quem Segue Minha Playlist No Spotify?

Olhando para trás, eu tive sorte.

Eu queria tanto ser parte de um grupo conectado ao sangue, que não aproveitei o tempo e desfrutei o fato de não ter que manter um abastecimento de produtos menstruais à mão, ou ter que saber tirar manchas de sangue das minhas calcinhas. Eu tinha medo de que eu não era normal. Mas quando se trata do ciclo menstrual, não há absolutamente nenhum 'normal'.

A idade média para a primeira menstruação (também chamada de menarca) tem diminuido assustadoramente por anos. Eu queria que alguém tivesse me aconselhado a ser paciente, a ter apreciado o tempo sem a menstruação e sem ter que ter medo de ser a última a sangrar. Vocês terão, em média, 40 anos de menstruações, e um ano extra ou dois não vai fazer muita diferença.

Você ainda está esperando a sua primeira menstruação?

Tente não se estressar muito sobre isso. Cada pessoa é diferente. Se você se preocupa que a sua menarca está demorando muito, ou se ainda não apareceu o periodo, a menstruação para você aos 15 anos, converse com provedores de saúde.”

Artigo publicado originalmente em 26 de julho de 2017.

Como Saber Que A Menstruação Vai Descer?Oi, eu sou a Steph! Enviaremos histórias educativas e curiosas sobre saúde feminina, além de compartilhar dicas e truques para você aproveitar o Clue app ao máximo!

  1. Sanfilippo J, Jamieson, M. Physiology of puberty. Glob. Libr. Women's Med., 2008;5.
  2. Aksglaede L, Sørensen K, Petersen JH, Skakkebæk NE, Juul A. Recent decline in age at breast development: the Copenhagen Puberty Study. Pediatrics. 2009 May 1;123(5):e932-9.
  3. Martí-Henneberg C, Vizmanos B. The duration of puberty in girls is related to the timing of its onset. The Journal of pediatrics. 1997 Oct 1;131(4):618-21.
  4. Parent AS, Teilmann G, Juul A, Skakkebaek NE, Toppari J, Bourguignon JP. The timing of normal puberty and the age limits of sexual precocity: variations around the world, secular trends, and changes after migration. Endocrine reviews. 2003 Oct 1;24(5):668–93.
  5. Susman, E.J., Houts, R.M., Steinberg, L., Belsky, J., Cauffman, E., DeHart, G., Friedman, S.L., Roisman, G.I. and Halpern-Felsher, B.L., 2010. Longitudinal development of secondary sexual characteristics in girls and boys between ages 9½ and 15½ years. Archives of pediatrics & adolescent medicine, 164(2), pp.166-173.
  6. Karlberg J. Secular trends in pubertal development. Hormone research in Paediatrics. 2002;57(Suppl. 2):19-30.
  7. Biro FM, Huang B, Crawford PB, Lucky AW, Striegel-Moore R, Barton BA, Daniels S. Pubertal correlates in black and white girls. The Journal of pediatrics. 2006 Feb 1;148(2):234-40.
  8. Jones RE, Lopez KH. Human reproductive biology. Academic Press; 2013 Sep 28.
  9. Hickey, RJ, Zhou, X, Settles, ML, Erb, J., Malone, K, Hansmann, MA, Shew, ML, Van Der Pol, B, Fortenberry, JD and Forney, LJ, 2015. Vaginal microbiota of adolescent girls prior to the onset of menarche resemble those of reproductive-age women. MBio, 6(2), e00097-15.
  10. Biro FM, Chan YM. Normal puberty. UpToDate Duryea TK, Snyder PJ, Geffner ME. MA: Upto Date Waltham. 2017.
  11. Hoffman B, Bradshaw KD. Delayed puberty and amenorrhea. InSeminars in reproductive Medicine 2003. 21(04), 353-362

Vai desceeer! Sinais da chegada da primeira menstruação

Como Saber Que A Menstruação Vai Descer?

O assunto menstruação nos acompanha praticamente a vida toda. Ele normalmente começa lá pelos 12 anos e termina a partir dos 40. Porém, enquanto quem já menstruou não vê a hora de a menstruação ir embora, quem ainda não teve a menarca (primeira menstruação), muitas vezes, não vê a hora de ela chegar. Mas como saber se essa hora está se aproximando? Veja agora sinais da chegada da primeira menstruação

Como Saber Que A Menstruação Vai Descer?

“Tudo dói e eu estou morrendo” – Giphy

Quando acontece a primeira menstruação?

A menarca pode acontecer entre os 9 e os 16 anos e marca, fisicamente, o fim da infância e o inicio da vida adulta. Embora cada corpo seja diferente e tenha um tempo próprio para isso acontecer, é possível identificar os sinais que eles dão para a chegada da primeira menstruação…

Cólica

Como Saber Que A Menstruação Vai Descer?

Giphy

Você já deve ter ouvido alguma amiga que já menstruou reclamando de cólica. E ela está entre os sintomas. Embora a maioria das girls não sinta dor na primeira menstruação, muitas podem sentir dor abdominal, que pode estar acompanhado de outros sintomas, como dor de cabeça e dor nas pernas.

Sai daqui, acne!

Como Saber Que A Menstruação Vai Descer?

Giphy

As temidas espinhas também podem ser um outro sinal de que a primeira menstruação está chegando, pois no período pré-menstrual há maior produção de hormônios, que intensifica a produção de glândulas sebáceas, gerando, assim, espinhas e acne. Eita!

Corpo aumentando

Como Saber Que A Menstruação Vai Descer?

“Mas, mãe, eu não quero crescer” – Giphy

Os seios e o quadril começaram a crescer? Hmmm, o desenvolvimento dessas partes do corpo são bons indícios de que a primeira menstruação se aproxima. Os seios e o quadril começam a crescer por volta dos 10/11 anos e, ao mesmo tempo, aparecem alguns pelos na região íntima.

Corrimentos

Como Saber Que A Menstruação Vai Descer?

Giphy

Conhece o corrimento, miga? É aquela secreção incolor, esbraquiçada ou amarelada que aparece na sua calcinha. Normalmente, ele surge uns seis meses antes da primeira menstruação e, apesar de ser comum, é importante consultar um ginecologista.

Consultoria: Ladysoft

Como Saber Que A Menstruação Vai Descer? Abby Ouellette

Você provavelmente deve acompanhar alguma influenciadora que já realizou uma cirurgia plástica. Giovanna Chaves, Virgínia Fonseca e Viihtube são alguns nomes recentes.

Para as milhões de pessoas que as seguem, muitas vezes pode parecer que essas personalidades passam uma imagem de que o procedimento pode resolver todos os seus problemas.

Mas será que essa influência é sempre de maneira positiva? Que os procedimentos são sempre mil maravilhas e totalmente seguros?

Conversamos com uma psicóloga para tentar entender se a busca pelo procedimento é só uma vontade pessoal ou tem uma influência externa, um médico para explicar os riscos, que muitas vezes não ficam explícitos na internet, e com a fundadora da página “Explante de silicone” que passou por um procedimento que a trouxe inúmeras consequências, a fim de mostrar algumas coisas que não te contam sobre cirurgias plásticas.

+ PRÊMIO TODATEEN 2020: Veja a lista completa dos indicados e indicadas!

procedimento mais que comum entre brasileiras

De acordo com as informações da Sociedade Internacional de Cirurgia Plástica e Estética, o Brasil é o país que mais realiza cirurgias plásticas, com um número de mais de 1 milhão, além de 969 mil procedimentos estéticos não cirúrgicos. Dentre eles, a prótese de silicone e a lipoaspiração ganham destaque.

Tais números vêm de uma influência imposta há um longo tempo, da época em que os filmes de Hollywood propagavam a imagem da mulher magérrima, com o corpo perfeito.

Isso foi se propagando cada vez mais até chegar nos procedimentos populares, como a prótese de silicone e a nova moda das influenciadoras, Lipo LAD, ou lipoaspiração de alta definição, que tem por objetivo retirar a gordura entre os músculos superficiais, principalmente do abdome, dando maior definição a eles.

+ Harmonização facial: como funciona e quais são os riscos do procedimento estético?

“Em nossa sociedade, o interesse das pessoas pela imagem corporal tem sido grande, e o enfoque principal tem sido dado ao peso e à forma corporal. Os padrões atuais para a beleza enfatizam o desejo de magreza, um ideal aceito por muitas mulheres, mas de difícil alcance para a maioria.

Um ideal buscado a todo custo e risco por muitas pessoas.

Quando se cria um estereótipo social e você encontra alguém que o represente você se sente influenciado por este representante porque ele representa justamente aquilo que você almeja e você vê que de alguma forma isso é possível”, conta Adriana Cancelier, psicóloga especializada em obesidade e emagrecimento.

De acordo com a especialista, essa alta influência presente na nossa sociedade hoje pode trazer vários problemas psicológicos em quem tem contato com padrões corporais, tais como preocupação excessiva com comida, com o corpo, ingestão compulsiva de alimentos e drogas (devido a restrições), desenvolvimento de transtornos alimentares, não aceitação corporal, temor de não ser aceito ou amado, dificuldades de adaptação social, bloqueio social, frustração, dificuldade de lidar com limites, sensação de desamparo, insegurança, intolerância ao diferente, desenvolvimento de baixa autoestima, ansiedade e depressão.

nem tudo são flores

Cirurgias plásticas possuem riscos e nem sempre isso é mostrado.

Larissa de Almeida (36), fundadora da página @explantedesilicone, foi uma das brasileiras que colocou a prótese de silicone, há oito anos, com o pretexto de que era para sentir-se “mais mulher”.

“Eu via na mídia aquelas mulheres com peito grande e me sentia mal. Sempre fui bem magrinha, pequenininha, então ter peitos maiores era uma coisa que eu coloquei na cabeça que tinha que ter para ser mais mulher”.

Leia também:  Como Saber Quem Fui Numa Vida Passada?

Porém, Larissa afirma que a elevada e, de acordo com ela, falsa autoestima que sentiu com o silicone foi por um curto período de tempo. Logo começou a ter dores na região da mama, na costela e problemas de respiração. “No começo eu deixei levar, mas depois, começou a ficar preocupante“.

Com três anos de prótese Larissa teve contratura capsular – que ocorre quando a cápsula, formada naturalmente ao redor da prótese, aperta ela em uma tentativa de “expulsar” o corpo estranho.

Depois de mais dois anos, teve a segunda. “Foi aí que eu percebi que tinha que tomar uma providência“, diz ela.

Começou a pesquisar sobre os sintomas e descobriu mais problemas que tinha, que nem sonhava serem por conta da cirurgia plástica.

+ Dossiê Lipo LAD: os riscos, resultados e valores do novo procedimento estético preferido das famosas

Olhos secos, problema de visão, perda de memória, problemas nas articulações, dores nas mamas, não conseguir dormir de bruços, ou dar abraços, queda de cabelo e mais outros 20 sintomas por conta da prótese. “Foi um baque não queria aceitar“. Pesquisando mais e mais, Larissa acabou descobrindo inúmeras mulheres que passam pelo mesmo ocorrido e que popularizaram o nome como “Doença do silicone”.

Ela afirmou que faltou muita instrução médica antes de realizar o procedimento e que isso é uma coisa que não te contam quando você pensa em realizar. É cada vez mais importante que páginas como a dela, que mostrem a realidade das cirurgias estéticas, continuem crescendo assim como a influência cada vez maior por parte das famosas do Instagram.

“Meu objetivo com a página é alertar as mulheres na hora desses procedimentos e mostrar que existe beleza no natural e que as mulheres que realizaram o explante também podem ser felizes, se aceitando como são“.

Uma influencer que compartilhou o resultado de uma lipo LAD logo que saiu da mesa de cirurgia, foi Virgínia Fonseca. Os seguidores ficaram assustados com a gravidade de hematomas aparentes no corpo da influenciadora, mas aplaudiram o gesto dela “mostrar que nem tudo são flores”.

7 sinais que sua menstruação dá quando algo não vai bem

“Quando a saúde da mulher está em dia, a menstruação está regular”.

Com esta afirmação, a ginecologista e obstetra Erica Mantelli alerta para algo que deveria ser óbvio, mas às vezes acontece de passar meio batido: precisamos estar atentas ao ciclo menstrual, assim como ao fluxo de sangue que sai (ou deveria sair) do corpo todo mês. Mudanças neles são sinais de que algo não vai bem e precisa ser analisado por um especialista.

Leia também: Por que a menstruação ainda é um tabu em pleno 2017?

E a regra da saúde é clara: quanto antes for detectada qualquer irregularidade, melhor. “Muitas mulheres levam até oito anos para diagnosticar uma endometriose, por exemplo, e ela dá seus sintomas por alterações na menstruação”, diz Alexander Kopelman, ginecologista do Hospital Santa Catarina (SP).

Erica e Alexander explicaram os sete principais indícios menstruais de que alguma coisa merece atenção na saúde. Vamos lá!

Quando o fluxo menstrual aumenta muito e repentinamente

É sinal de alterações hormonais ou na estrutura do útero. Segundo Alexander, o diagnóstico é fácil nesses casos, e costuma indicar mioma, pólipo endometrial (uma proliferação anormal das células do revestimento interno do útero) ou adenomiose (crescimento do tecido do endométrio na musculatura interna da parede uterina). 

Quando o fluxo menstrual diminui de repente e bastante

Em primeiro lugar, é preciso descartar a possibilidade de gravidez. Feitos os exames necessários e descartando a gestação (ou se você simplesmente estiver em uma época sem vida sexual), a atenção se volta ao estilo de vida e a problemas endocrinológicos, que afetam os hormônios e diminuem o fluxo menstrual.

Leia também: É possível mesmo estar grávida sem saber? Sem sequer desconfiar?

Essa escassez de fluxo pode ser causada por dietas de emagrecimento muito rígidas e por condições como hipotireoidismo e hiperprolactinemia (aumento na produção do hormônio prolactina).

Nos dois últimos casos, a mulher deve ser encaminhada a um endocrinologista. “O ginecologista ideal é aquele que faz mais do que o papanicolau anual e a indicação de método anticoncepcional.

É preciso olhar a mulher como um todo e poder acompanhar tratamentos multidisciplinares”, afirma Erica.

– vchal/ThinkStock

Quando o ciclo menstrual fica irregular de uma hora para outra

A primeira hipótese é sempre o estresse, de acordo com os ginecologistas. Pode ser por causa de trabalho, de família, por ansiedade com a chegada de um grande evento (casamento, promoção); o estresse mexe no ciclo menstrual mesmo, e depois que a situação se normaliza, a menstruação volta a ficar regular.

Continua após a publicidade

Alexander também destaca uma fase de noites mal dormidas e Erica chama a atenção para o uso da pílula do dia seguinte ou o uso irregular da pílula anticoncepcional de sempre. De toda forma, os dois garantem que é o caso que menos inspira preocupação.

Leia também: 6 erros do dia a dia que podem estragar demais seu sono

Quando ocorre menstruação mais de uma vez por mês

Significa que o ciclo está com menos de 21 dias – Erica explica que um ciclo menstrual normal pode ter de 21 a 35 dias.

Pode ser algo simples, como estresse ou alguma alteração hormonal, mas também pode ser algo bem preocupante.

“Esse sangramento pode estar escondendo uma doença mais séria, porque às vezes não é menstruação, é uma lesão no colo do útero, que pode levar a um câncer”, adverte Erica.

Nestes casos, é importante consultar um ginecologista o quanto antes e fazer os exames para descartar a possibilidade de uma doença ou pegá-la em um estágio inicial e ter mais chances de sucesso em seu tratamento.

Quando a menstruação é acompanhada de cólicas muito mais fortes que o normal

Erica e Alexander são unânimes: é preciso investigar se há endometriose, já que as cólicas fortes demais são um dos principais sintomas da doença.

Vale ressaltar que aqui estamos falando dos seguintes casos: se a mulher nunca tem cólicas e de repente passa a ter ou se tem cólicas de uma determinada intensidade e elas repentinamente aumentam. São as alterações que chamam a atenção, ok?

– b-d-s/ThinkStock

Quando a menstruação tem a aparência muito diferente em um mês

Pode ser uma etapa intermediária antes do aumento ou da diminuição do fluxo menstrual, aqueles láááá dos dois primeiros itens, ou condições como gravidez ectópica (quando o óvulo é fertilizado fora do útero) e síndrome dos ovários policísticos.

Se for algo que ocorrer em um mês, não tiver outros sintomas (dores, principalmente) e nos meses seguintes se regularizar, não há motivo para preocupação. Mas se houver dor, desconforto e recorrência, é imprescindível procurar ajuda médica.

Quando a menstruação simplesmente não vem

Se não há uma gravidez em curso e não é utilizado anticoncepcional hormonal de uso contínuo, ficar dois ou três meses sem menstruar não é nada normal e pode indicar doenças endocrinológicas, como a síndrome dos ovários policísticos.

Não custa reforçar: SEMPRE que você achar que algo está esquisito na sua menstruação, procure um/a ginecologista. Confie no seu sexto sentido e, principalmente, na medicina. Prevenir ou tratar um problema de saúde garante melhor qualidade de vida e é sempre a melhor solução.

Continua após a publicidade

Como saber se minha menstruação vai descer? Ginecologista lista os sinais que o corpo dá

Reconhecer que sua menstruação está chegando não é tão difícil quanto parece. Nosso corpo é responsável por enviar sinais avisando que o fluxo menstrual descerá em breve. Retenção hídrica, dor nos seios, espinhas no rosto são apenas alguns deles.

Se você não conta com a ajuda de apps de celular pra controlar o ciclo, é bom ficar atenta aos sinais que seu corpo dá para não ser pega desprevenida pela sua menstruação.

Coloque o absorvente extra na bolsa e leia a entrevista com a ginecologista Rachel de Sá para saber no que é importante prestarmos atenção antes da menstruação chegar!

Alguns sinais do seu corpo avisam quando a menstruação está chegando. Fique atenta!

“Um dos principais indicadores é a retenção hídrica, dores nas mamas (mastalgia), lombalgia e cólicas”, diz a médica. Algumas mulheres também podem sentir também cefaléia, ficar mais sensíveis e também com mais apetite.

É importante ressaltar que todos esses sintomas desaparecem após término da menstruação, então, pode ficar tranquila! No mais, fique atenta aos sinais e coloque seus absorventes extras na bolsa para não ser pega desprevenida.

Sintomas da TPM são indicadores de que a menstruação está chegando

A TPM é um conjunto de sintomas que ocorrem normalmente entre a ovulação e a menstruação. Ela indica que seu corpo está passando por oscilações hormonais e que em breve o endométrio vai ser expelido do útero em forma de fluxo menstrual.

Leia também:  Como Saber Quem Está Online No Whatsapp?

Os sintomas podem ocorrer com grande parte das mulheres, mas não necessariamente com todas.

Caso a Tensão Pré-Menstrual seja um fator negativo na vida pessoal da paciente a ponto de atrapalhar sua rotina, podem ser prescritas por um especialista algumas medicações para amenizar o problema.

Conheça alguns sintomas comuns a esse período:

  • Cólicas;
  • Dor de cabeça (cefaléia);
  • Alterações constantes de humor;
  • Retenção de líquidos e sensação de inchaço;
  • Aumento de apetite;
  • Cansaço além do normal;
  • Acne no rosto;
  • Irritabilidade;
  • Sensibilidade nas mamas;
  • Baixa autoestima;
  • Insônia (dificuldades para dormir);
  • Alterações no intestino, entre outros.

Controle seu ciclo menstrual com ajuda de aplicativos de celular

Já foi tempo que marcar na agenda e calcular o ciclo era a única forma de identificar o período fértil ou quando será a próxima menstruação. Hoje em dia existem diversos aplicativos para celular e tablet que nos ajudam a controlar o ciclo e enviam alertas quando está próximo.

Para isso, é necessário que você coloque informações sobre sua menstruação nos dados do app: quando foi a última, como é seu fluxo, se você toma pílula, entre outras informações importantes. Mas, lembre-se, como é um aplicativo, há sempre uma pequena margem de erro.

Portanto, vale também ficar atenta aos sinais do seu corpo!

Calcule quando será sua próxima menstruação!

Se você preferir fazer à moda antiga, tudo bem, também não é difícil. É possível calcular quando será a próxima menstruação se você souber quanto dias seu ciclo menstrual possui.

Para chegar a esse cálculo é bem simples: lembre que todo ciclo começa no primeiro dia da menstruação e termina no dia que antecede a próxima. Depois é só contar quantos dias esse intervalo de um ciclo para o outro somou.

 Em um ciclo regular, isso pode ocorrer entre 21 a 35 dias normalmente, então, podemos ter 28 dias como uma boa média.  Sendo assim, sua próxima menstruação provavelmente virá 28 dias após a do último mês. 
 

Este artigo tem a contribuição do especialista:
Rachel de Sá – Ginecologista da Policlínica Granato
CRM: 521019929

Sintomas da menstruação: como saber se vou menstruar? | E aí, rolou?

Sabe aquela dorzinha incômoda nos seios que aparece de repente? Ou aquela mudança de humor repentina? Esses são alguns dos muitos sintomas da menstruação. E, se você começar a prestar atenção com carinho, vai perceber que mês a mês o seu corpo te dá informações valiosas sobre o que está acontecendo.

O ciclo menstrual é algo da natureza feminina que nos acompanha em grande parte da vida. E, apesar de parecer um grande mistério no início, com o tempo você vai se acostumando e percebendo as diferentes fases do ciclo.

Nosso corpo envia muitos sinais e quando a gente começa a entender e prestar atenção no que ele quer comunicar, passamos a ter mais domínio sobre a nossa saúde.

E, então, reconhecer que o seu fluxo menstrual descerá em breve, não é tão difícil quanto você pode pensar. É sobre isso que vamos falar aqui!

Os principais sintomas da menstruação

Alguns dias antes do início da menstruação, no chamado período pré-menstrual, você pode sentir:

  • sensibilidade, inchaço e dor nas mamas;
  • enjôos;
  • lombalgia (dor nas costas e coluna);
  • dores de cabeça;
  • cólicas;
  • alterações constantes de humor;
  • desejo por alimentos altamente calóricos;
  • retenção de líquidos e sensação de inchaço;
  • cansaço físico e mental além do normal;
  • falta de energia;
  • queda de pressão;
  • indisposição;
  • ansiedade;
  • distúrbios emocionais, como depressão;
  • tristeza;
  • crises de choro;
  • irritabilidade;
  • baixa autoestima;
  • insônia (dificuldades para dormir) ou sono acima do normal;
  • alterações no intestino;
  • aparecimento de espinhas, principalmente no rosto;
  • aumento do apetite;
  • dificuldade de concentração;
  • raciocínio lento;
  • desinteresse em atividades cotidianas;
  • sensação de perda de controle.

Mas calma! Esses são os sintomas pré menstruais mais comuns, que desaparecem logo com a chegada da menstruação. Isso não significa que você vai ter todos, muito menos todos ao mesmo tempo. Há quem identifica muitos deles antes de menstruar, outras não sentem nada. Tem meses que você pode sentir alguns sintomas que não aparecem no mês seguinte.

Não há uma fórmula única de sintomas antes da menstruação. A variação é grande, por isso é importante ficar atenta ao que o seu corpo está dizendo e como ele está reagindo. Assim é mais fácil identificar quando o fluxo vai começar a descer.

Sempre importante reforçar: se qualquer um destes sintomas está te afetando muito negativamente, te impedindo de viver uma vida normal em diferentes fases do seu fluxo, procure um médico ou médica ginecologista! 

Entendendo o seu ciclo menstrual

A menstruação é uma resposta do útero para eliminar o endométrio, uma vez que o óvulo não foi fecundado. Esse processo acontece devido às mudanças hormonais que ocorrem durante o ciclo, e fazem com que o nosso organismo funcione com uma rotina.

O ciclo menstrual dura em torno de 28 dias, podendo variar de corpo para corpo. Então, em maior ou menor grau, todas estamos suscetíveis aos hormônios e como eles atuam em nosso corpo e mente em cada fase. Por isso, o autoconhecimento é fundamental para ter os cuidados certos com o corpo e a saúde mental. 

As diferentes fases do ciclo menstrual 

Fase folicular: “sentir-se bem” 

Começa no primeiro dia a menstruação e dura entre 10 e 14 dias. Nesse período, o hormônio estradiol começa a subir. Por isso é bem provável que esse seja o seu momento mais feliz do mês, emocionalmente falando. É possível se sentir mais estimulada a trabalhar, resolver problemas mais estressantes e explorar nossa atividade cerebral.

Fase ovulatória: “sentir-se sexy” 

É o chamado período fértil, quando o hormônio luteinizante aumenta para liberar o óvulo para ser fertilizado. O estradiol ainda em quantidade significativa pode com outros hormônios e aumentar sua libido. E por isso é comum se sentir mais sexy e com desejo sexual. Portanto, é bom tomar cuidado e nunca esquecer da camisinha!

Fase lútea: a TPM

Após a ovulação, o corpo passa a secretar a progesterona para engrossar o revestimento do útero, preparando-o para uma possível implantação do embrião. Com o nível desse hormônio mais alto, o organismo produz mais cortisol, que eleva o estresse e o mau humor. 

É nessa fase que se caracteriza a chamada tensão pré-menstrual (TPM), termo usado para descrever os variados sintomas de menstruação a caminho, que nada mais são que uma resposta do corpo às oscilações hormonais.

Quer saber mais sobre ciclo menstrual?

Como lidar com os sintomas da menstruação

A menstruação é um ciclo biológico de nosso corpo. Para lidar com seus sintomas, o melhor que podemos fazer é entender este ciclo e olhar com carinho para nossa saúde física, mental e emocional, entendendo quando, como e porque sentimos cada sensação. 

Uma das melhores maneiras de lidar com os sintomas da menstruação é passar a anotar e registrar as diferentes fases pelas quais você passa durante o mês.

Além disso, fazer exercícios físicos regularmente, ter refeições ricas em nutrientes, beber bastante água e ter horários regulares de sono são exemplos de hábitos que favorecem o bom funcionamento do corpo.

É também muito importante investir em atividades prazerosas e no seu relaxamento. 

E, se perceber que os sintomas da menstruação estão muito fortes, atrapalhando suas atividades cotidianas, é importante procurar ajuda médica, tá bom? Nada de ficar se automedicando ou seguir receitinhas da internet!  

Por fim, gostaríamos de deixar uma reflexão importante: 

A partir do momento que começar a identificar em qual fase do seu período menstrual está, você será capaz de se preparar mental e fisicamente. E será capaz de buscar alternativas para lidar de forma saudável com cada uma dessas fases hormonais, sem deixar que as oscilações hormonais tomem as rédeas do seu comportamento. 

E não fique triste se você não for capaz de identificar nos primeiros meses. Com atenção e persistência você vai aprender a reconhecer de forma natural seu corpo. E aí vai ser fácil notar os sintomas da menstruação, assim como os sinais fora do normal, que podem indicar é necessário procurar um médico.

Ah, por falar em médico, a consulta com o ginecologista deve ser regular, mesmo quando você já tiver domínio sobre os sinais do seu corpo, ok?!

E aí, gostou desse conteúdo? Que tal compartilhar ele com alguém que também tem essas dúvidas?

E não deixe de nos seguir nas redes sociais:

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*