Como Saber Quanto Vou Pagar De Portagens?

Neste artigo das minhas dicas de viagem falarei de como pagar as portagens eletrónicas das antigas SCUTS. As SCUTS (sem custos para os utilizadores) eram autoestradas com portagens virtuais cujos custos eram suportados pelo Estado Português.

O regime das SCUTS foi introduzido em 1997 e eliminado em 2011.  Desde então as passagens nessas autoestradas passaram a ser cobradas através de portagens eletrónicas.

Eis como pagar as portagens eletrónicas (ex-SCUTS)

Se entrar em Portugal com um veículo com matrícula estrangeira, tem quatro opções para pagar as portagens eletrónicas nas ex-SCUTS:

Opção 1 – EASYtoll

EASYtoll é um sistema que associa a matrícula do veículo ao cartão bancário (Visa ou Mastercard).

As portagens devidas serão diretamente debitadas da conta bancária associada ao cartão. A associação da matrícula ao cartão é válido durante 30 dias. Você poderá cancelar a adesão a qualquer momento em portugaltolls.com ou por telefone através do nº 00 351 212 879 555.

Para aderir ao EASYtoll  terá de passar por uma destas quatro entradas do país com este logótipo (ver mapa das autoestradas de Portugal em baixo – A28 – área de serviço de Viana do Castelo; a 3,5 km da fronteira Chaves/Verin; A25 – área de serviço do Alto de Leomil (Vilar Formoso); A22 – Castro Marim/Ayamonte).

Como Saber Quanto Vou Pagar De Portagens?

  • Uns quilómetros depois da sua passagem por uma das 4 entradas referidas anteriormente, irá ver uma sinalização como esta:

Como Saber Quanto Vou Pagar De Portagens?Portagem para automóveis com matricula estrangeira a 11 km

Para chegar ao sistema Easytoll, deverá sair da autoestrada, no sítio indicado. Em 2 dos 4 casos, o sistema Easytoll situa-se área de serviço. Nos 2 outros casos, só precisará de fazer um pequeno desvio (ver foto em baixo).

Como Saber Quanto Vou Pagar De Portagens?Portagem Easytoll para automóveis estrangeiros

Uma vez no terminal Easytoll, só terá de introduzir o seu cartão de crédito/débito. De seguida, sairá um talão comprovativo com a data da adesão, a data de validade (30 dias), o identificador Easytoll, o número da matrícula e os últimos quatro dígitos do seu cartão de crédito/débito.

Como Saber Quanto Vou Pagar De Portagens?

A partir desse momento poderá viajar nas autoestradas (ex-SCUTS e outras) com portagens eletrónicas sem problemas.

Atualização em julho de 2020: além das 4 portagens Easytoll disponíveis nas fronteiras portuguesas, também pode subscrever o sistema Easytoll na Internet.

Visite o site portugaltolls.com, clique em “Easytoll Services” e insira as informações solicitadas. Saiba que este serviço é apenas válido para matrículas estrangeiras.

Informação importante: Ao aderir ao serviço Easytoll vai pagar 0,74 € e por cada trajeto que faça vai pagar a mais 0,32 € de custos administrativos, para além das portagens.

Exemplo: Chega hoje a Portugal e apanha a autoestrada com portagens eletrónicas até ao Porto, irá pagar  0,74 € mais 0,32 € e o preço das portagens.

Amanhã apanha a autoestrada do Porto a Viana do Castelo, irá pagar 0,32 € mais o preço das portagens. À noite faz o trajeto inverso de Viana até ao Porto, vai voltar a pagar o preço das portagens mais os 0,32 €.

Opção 2 – Toll Card

Como Saber Quanto Vou Pagar De Portagens?Cartão pré-pago Toll Card

O Toll Card é um cartão pré-pago (5,10,20 ou 40 €) que é adquirido nas lojas CTT, nas áreas de serviço das autoestradas ou em tollcard.pt. A ativação e associação do cartão à matrícula é feita por telemóvel através de SMS. Você poderá ativar vários cartões ao mesmo tempo e acumular o saldo de cada cartão.

Para saber o saldo terá de ir ao site tollcard.pt ou esperar até receber um SMS informando que o saldo esgotou.

Ao comprar um cartão pré-pago vai pagar a mais do preço do cartão 0,74 € por custos do serviço e por cada trajeto vai pagar a mais das portagens 0,32 €.

Exemplo: Chega hoje a Portugal e apanha a autoestrada com portagens eletrónicas até ao Porto, irá pagar  0,74 € mais 0,32 € e o preço das portagens. Amanhã apanha a autoestrada do Porto a Viana do Castelo, irá pagar 0,32 € mais o preço das portagens. À noite faz o trajeto inverso de Viana até ao Porto, vai voltar a pagar o preço das portagens mais os 0,32 €.

Se comprar o cartão pela internet, não irá receber nenhum cartão virtual – terá de guardar o recibo da compra no seu computador. No lado direito do recibo irá encontrar o n° do pré-pago, o que lhe vai permitir aceder ao site para conhecer o seu saldo.

Information: o Toll Card é válido até 1 ano após a sua ativação. Se tiver comprado vários Toll Cards e não os tiver ativado, pode levá-los aos correios portugueses (CTT) para ser reembolsado.

Opção 3 – Toll Service

O Toll Service é um título pré-pago válido por 3 dias com um custo fixo de 20 € (+ 0,74 € de taxas administrativas). O título pode ser adquirido nas áreas de serviço da Cepsa de Viana do Castelo (A28), de Abrantes (A23), de Olhão (A22), no aeroporto do Porto, nos postos de correio (CTT) e em portugaltolls.com.

A associação da matrícula ao título é feito no momento da compra.

Opção 4 – Via Verde Visitors

Como Saber Quanto Vou Pagar De Portagens?Logo Via Verde

  1. Via Verde Visitors é um dispositivo para colocar no para-brisas do veículo e é válido em todas as autoestradas de Portugal (portagens eletrónicas e manuais), o que permite pagar as portagens sem parar.
  2. Após a encomenda do dispositivo no site da Via Verde, pagará 4,99 € no primeiro mês (após a primeira passagem pelas portagens portuguesas) e 1,25 € nos meses seguintes que utilizar o dispositivo (para além do custo das portagens).

O Via Verde Visitors está disponível para veículos com matrícula estrangeira (francesa, belga, etc.) associado a um cartão de crédito Visa / Mastercard de uma conta bancária que não seja portuguesa.

Depois de encomendar o dispositivo Via Verde Visitors pode recebê-lo na sua casa no estrangeiro (2,50 €) ou numa morada em Portugal (hotel, apartamento, etc.). O envio do dispositivo para Portugal é gratuito, mas terá de esperar até 10 dias. Para uma entrega em 2 dias, o custo é de 5 euros.

Informação: Para mim o melhor é a solução n° 1 pois é a mais simples. Se não entrar em Portugal pelas 4 entradas com as portagens Easytoll, escolha então a solução n° 2 ou nº4.

Informação importante: os sistemas Easytoll e Toll Card só permitem o pagamento das portagens eletrónicas. Para as portagens “normais” (com barreiras) terá de parar para tirar um bilhete e, sobretudo, nunca passar na via reservada aos subscritores da Via Verde.

Para poder passar pela via reservada aos subscritores da Via Verde terá de ter o dispositivo Via Verde que pode ser comprado nas lojas Via Verde.

Se apanhar, por engano, uma via reservada aos subscritores da Via Verde, saiba que é possível pagar as portagens após a sua passagem (bem como uma multa) no site pagamentodeportagens.pt.

Saiba também que terá até às 23h59 do dia da sua primeira passagem nas autoestradas com portagens eletrónicas para aderir ao serviço Easytoll ou comprar um cartão Toll Card pré-pago. Passado esse período de tempo, já não poderá pagar as portagens (do seu primeiro dia) – terá de pagá-las no site pagamentodeportagens.pt (portagens + multa).

Se passar por uma autoestrada gerida pelas empresas Via Livre (A27/A28/A22) ou Ascendi (A24/A25/A17/A29/A13/A41/A42/A4) sem ter escolhido uma das 4 opções referidas em cima (Easytoll, Toll Card, etc.), terá de esperar pela receção duma carta em sua casa para pagar as portagens e multa associada. Estas duas empresas não aderiram ao pagamento no site pagamentodeportagens.pt.

Se você chegar de avião a Portugal e alugar um veículo, tem duas opções para pagar as portagens eletrónicas (ex-SCUTS e não só):

Opção 1 – Via Verde

Como Saber Quanto Vou Pagar De Portagens?Logo Via Verde

Quando alugar o veículo, solicite à rent-a-car o dispositivo ViaVerde, que irá permitir que você pague as portagens quando entregar o veículo. A vantagem deste dispositivo é que é válido para todas as autoestradas de Portugal. A desvantagem é que tem de pagar 1,50 € por dia (no máximo 18,50 € por aluguer).

Opção 2 – CTT

Como Saber Quanto Vou Pagar De Portagens?Logo CTT

Se não escolheu a opção da Via Verde ao alugar o carro, irá precisar de ir a um posto dos correios (CTT) para pagar as portagens. Ao dar o número da matrícula do carro alugado, saberá quanto é que terá de pagar.

Tem 5 dias para fazer o pagamento no posto dos correios após cada passagem nas autoestradas com portagens eletrónicas.

Exemplo: se apanhar uma autoestrada com portagens eletrónicas (ex-SCUTS) hoje, terá de esperar 1 dia para que o sistema assuma a sua passagem na autoestrada, depois terá 5 dias para pagar as portagens por onde passou. Amanhã, se apanhar uma autoestrada com portagens eletrónicas, terá de esperar mais 1 dia para que os novos valores das portagens sejam assumidos.

O recomendado é que vá a um posto dos correios a cada 3 dias (após cada passagem numa autoestrada com pagamento automático).

O inconveniente desta opção é o risco de não conseguir pagar todas as portagens. Exemplo: apanhar uma autoestrada com portagens eletrónicas na véspera ou no dia da sua partida. Como não poderá pagar (estará de regresso ao seu país), a empresa de rent-a-car irá receber uma multa que debitará da sua conta bancária.

Leia também:  Como Tratar Um Homem Que Não Te Valoriza?

Informação: A opção 1 é a mais simples e, se a escolher, não terá de pagar uma multa em caso de não pagamento num posto dos correios (CTT).

Se vive em Portugal e tem um veículo com matrícula portuguesa, tem algumas opções para fazer o pagamento das portagens eletrónicas:

Opção 1 – Via Verde

Como Saber Quanto Vou Pagar De Portagens?Logo Via Verde

A compra do dispositivo Via Verde que custa cerca de 27,50 € e irá permitir que cada vez que passar nas portagens a cobrança seja feita diretamente da sua conta bancária. A vantagem deste dispositivo é que é válido em todas as autoestradas de Portugal.

Opção 2 – CTT

Como Saber Quanto Vou Pagar De Portagens?Logo CTT

Numa loja dos CTT, posto de Correio ou agente Payshop, indicando o número da matrícula. Os CTT dispõem ainda do serviço de pagamento na rede Multibanco e Homebanking devendo, para tal, obter previamente, uma Referência MB. Pode ser online, no site, ou através de SMS para o número 68881 com o texto «CTTMBespaçoMatrículaespaçoNIF» (por ex: «CTTMB AA-00-00 123456789»). O custo do SMS é de 0,30 € + IVA.

Pode ainda aderir a um contrato pré-pagamento adquirindo um Pré-Pago Via Verde ou um Pré-Pago Anónimo que devem ser adquiridos nos CTT. O pré-pago Via Verde é válido para todas as autoestradas e o pré-pago Anónimo só é válido para autoestradas com portagens eletrónicas.

Não se esqueça de pagar durante os 5 dias úteis subsequentes à passagem.

Se vive em Portugal e faz vários trajetos nas autoestradas por ano, aconselho a aquisição do dispositivo Via Verde.

  • Informação:
  • Ao ver esta sinalização
  1. saberá que está a entrar num autoestrada com portagens eletrónicas (ex-SCUTS).
  2. Espero que estas informações acerca de como pagar as antigas SCUTS lhe sejam úteis!

Vai visitar Portugal? Não hesite em reservar o seu hotel, o seu carro ou as melhores atividades passando pelos links aqui em baixo. Vai-me permitir continuar a oferecer-lhe gratuitamente dicas e guias para visitar Portugal. Obrigado!

Também lhe vai interessar:

Portagens: como saberes a que classe o teu carro pertence

“O meu carro é Classe 1 ou Classe 2?” Numa era em que os SUV “tomam conta” do mercado, as classes das portagens levam a que esta pergunta se repita cada vez mais vezes.

Motivo de discórdia e acesos debates, as classes das portagens em Portugal são muitas vezes difíceis de decifrar e até de justificar.

Ora, para que deixes de estar na dúvida acerca da classe a que o teu carro ou o carro que planeias comprar pertencem, neste artigo explicamos-te como funciona o muito criticado sistema.

VÊ TAMBÉM: AdBlue acabou. E agora? Vou ter problemas no motor? Como Saber Quanto Vou Pagar De Portagens?

Classe 1

Começamos pela classe mais comum no nosso parque automóvel, a Classe 1.

Nela inserem-se, além dos motociclos, todos os veículos com uma altura, medida à vertical do primeiro eixo, inferior a 1,10m com ou sem reboque.

Subscreve a nossa newsletter

No entanto, para complicar as coisas, há exceções. Segundo o Decreto-Lei n.º 71/2018, de 5 de setembro, há mais alguns veículos que podem pagar Classe 1 nas portagens.

Para tal têm de utilizar o sistema Via Verde, solicitar a habilitação à “Tarifa Especial Classe 1” (podes fazê-lo aqui) e cumprir os requisitos que te enunciamos a seguir.

No caso dos ligeiros de passageiros e mistos com dois eixos estes são os requisitos:

  • Peso bruto superior a 2300kg e igual ou inferior a 3500kg;
  • Lotação igual ou superior a cinco lugares;
  • Altura medida à vertical do primeiro eixo igual ou superior a 1,1m e inferior a 1,30m;
  • Sem tração integral permanente ou inserível;
  • No caso de modelos cuja matrícula seja posterior à publicação do decreto lei este têm ainda que cumprir a norma EURO 6.

Já para os ligeiros de passageiros, mistos ou de mercadorias com dois eixos aplicam-se os seguintes requisitos:

  • Peso bruto igual ou inferior a 2300kg;
  • Altura, medida à vertical do eixo do veículo, igual ou superior a 1,10m e inferior a 1,30m;
  • Ausência de tração integral permanente ou inserível;
  • Cumprimento da norma EURO 6.

Caso pretendas confirmar se o teu carro se insere em algum destes grupos, o IMT conta com duas listas onde constam os modelos abrangidos por este regime de exceção.

A primeira podes consultá-la neste link e a segunda aqui.

VÊ TAMBÉM: 95. Este é o número mais temido da indústria automóvel. Sabe porquê?

Classe 2

É classe das portagens à qual a maioria dos condutores de veículos ligeiros tenta escapar, e as normas para a sua atribuição são relativamente simples.

Integram-se na Classe 2 todos os veículos com dois eixos e uma altura, medida à vertical do primeiro eixo, igual ou superior a 1,10m.

VÊ TAMBÉM: Sistema Start/Stop. Qual o impacto a longo prazo no motor do teu carro? Como Saber Quanto Vou Pagar De Portagens? Como é óbvio, também nas famosas SCUT as Classes das portagens estão presentes.

Classes 3 e 4

A Classe 3 aplica-se a veículos com três eixos e uma altura, medida à vertical do primeiro eixo, igual ou superior a 1,10m.

Já a Classe 4 está destinada a veículos com mais de três eixos e uma altura, medida à vertical do primeiro eixo, igual ou superior a 1,10m.

Classe 5?!

Pois é, desconhecida por muitos, a Classe 5 destina-se a motociclos que contem com o sistema Via Verde.

Ao contarem com este sistema, os motociclos passam a contar com um desconto de 30% no valor das portagens (exceto na Ponte Vasco da Gama).

Como Saber Quanto Vou Pagar De Portagens?

Esperamos que com este artigo tenhamos conseguido ajudar a dissipar as questões que ainda rodeiam o sistema de classes de portagens vigente em Portugal.

Se ainda assim continuas com dúvidas, no site da Via Verde encontras um simulador que te permite descobrir qual a classe do teu veículo. Podes encontrá-lo neste link.

A equipa da Razão Automóvel continuará online, 24 horas por dia, durante o surto de COVID-19. Segue as recomendações da Direção-Geral de Saúde, evita deslocações desnecessárias. Juntos vamos conseguir ultrapassar esta fase difícil.

Como pagar portagens electrónicas, incluindo matriculas estrangeiras? Consulta de portagens por pagar

Como Saber Quanto Vou Pagar De Portagens? – Quanto tempo tenho para pagar as passagens? – Onde posso e como posso pagar as portagens das antigas SCUT? – Que portagens tenho para para pagar e onde posso consultar o valor em dívida? – Matrícula estrangeira. Que devo fazer para pagar a passagem pela via electrónica? – Posso pagar antecipadamente o percurso que vou fazer de carro em Portugal? – Todas os métodos de pagamento de portagens electrónicas já a seguir

Enorme quebra-cabeças para muitos automobilistas continua a ser o pagamento das passagens pelas novas auto estradas com dispositivo electrónico para pagamento.

Principalmente para quem vem do estrangeiro e não encontra muita informação, desconhecendo, por isso, esta forma de cobrança e os métodos disponíveis para pagamento.

Para quem não dispõe de Via Verde, o pagamento das portagens pode ser razão para atrasar uma viagem, sobretudo em zonas de maior tráfego. Por razões económicas ou convicção, há também quem opte por estradas interiores sem portagem.

Contudo, convém ter em conta o tempo eventualmente perdido por causa de acidentes e consequentes engarrafamentos, aos limites inferiores de velocidade e ao número de quilómetros a mais que muitas vezes é necessário percorrer até ao destino.

O portal “Pagamento de Portagens” permite a regularização de dívidas de portagens de viaturas com matrícula nacional ou estrangeira, antes na sua notificação às Autoridade Tributária, desta forma evitando o pagamento de coimas.
Este serviço pode ser utilizado por qualquer condutor, independentemente de ser ou não cliente Via Verde. Numa primeira fase estão apenas disponíveis as indicações de passagens nas concessões Brisa, Brisal, Douro Litoral, Atlântico, Infraestruturas de Portugal (apenas a A21), Baixo Tejo e Litoral Oeste, uma vez que a Via Verde não tem acesso às informações das outras concessionárias: Ascendi, Via Livre, Portvias e Lusoponte.

TEM PORTAGENS EM DÍVIDA POR PAGAR? CONSULTE AQUI

  • O pagamento das passagens pode ser efectuado após o pedido de uma referência multibanco ou através de cartões de débito e crédito das marcas Visa e Mastercard, para facilitar o pagamento por parte de proprietários de viaturas com matrícula estrangeira.
  • Está ainda disponível uma linha de atendimento – 707500251 – para prestar todas as informações.
  • O serviço permite não só pesquisar os valores em dívida associados a uma matrícula, como também é possível, aos condutores que tenham recebido uma notificação com um código de registo, aceder ao detalhe dos seus processos: datas, notificações enviadas, fotografias, etc.

Carros com matrícula portuguesa

Quem não tiver um dispositivo electrónico, como a conhecida “Via Verde” (ainda que esta tenha obrigatoriamente que estar associada a este novo serviço), a forma mais simples de fazer o pagamento da passagem é dirigir-se a qualquer estação dos CTT ou a uma “Pay Shop”. Estas últimas encontram-se geralmente em papelarias.

Deverá fazê-lo nos 5 dias úteis a seguir à passagem, bastando somente referir a matrícula da viatura. Este serviço tem um custo acrescido de 31 cêntimos.

Leia também:  Como Se Chama O Medico Que Cuida Das Varizes?

Os CTT oferecem ainda a vantagem de poder limitar os dias de cobrança. Isto é particularmente útil para casos em que há partilha de automóvel.

Outro modo igualmente fácil consiste em enviar um simples SMS com o texto “CTTMBespaçomatrícula” (ex.:CTTMB AA-00-00) para o número 68989 (custo €0,30 c/IVA por SMS) nas 48 horas após a passagem no pórtico de portagens.

O cliente receberá um SMS de resposta com a referência, entidade e valor a pagar bem como a data limite para pagamento da respectiva referência. Além do valor pago pelo envio do SMS, este serviço tem um custo acrescido de 30 cêntimos.

Os sites da Brisa e dos CTT dispõem de mais informações sobre o assunto.

O que atrás foi dito, é apenas válido para carros com matrícula nacional.

Para os veículos com matrícula estrangeira existem outros modos de pagamento:

– “Estrada Livre”, criado pela EP – Estradas de Portugal: é possível calcular o valor das portagens de determinado trajecto para qualquer classe de veículo (seguir este LINK), indicando ainda a distância até ao destino.

– Página oficial dos CTT: oferece a faculdade de pesquisa dos valores em dívida a partir da matrícula da viatura (verificar AQUI). Este serviço obriga a registo com email e morada.

Carros com matricula estrangeira

Como Saber Quanto Vou Pagar De Portagens?

Para os veículos com matrícula estrangeira existem vários modos de pagamento:

– Aluguer de um dispositivo electrónico temporário, que pode ser adquirido em locais próprios junto às principais entradas de fronteira.

O “Dispositivo Temporário Via Verde Visitors” tem um custo do aluguer de 6 euros na primeira semana e de 1,5€ por cada semana seguinte.

A caução inicial é de 27,50€, sendo que este valor é reembolsado no momento de devolução do dispositivo. Poderá comprar esse dispositivo via online AQUI

–  Sistema EASYToll, uma solução de pagamento destinada a turistas e emigrantes com a associação de um cartão bancário (Mastercard e Visa) à matricula da viatura. As portagens passarão a ser debitadas na conta associada ao cartão da matricula e é válida por 30 dias, sendo emitido um talão comprovativo que deverá ser conservado.

TOLLCard, produto activado por uma sms e com um valor fixo a consumir em função da circulação. Solução permite pagamento em numerário ou com cartão bancário, tem a validade de um ano e o seu saldo pode ser consultado na internet. É destinado a turistas e emigrantes. O condutor tem a possibilidade de adquirir AQUI um cartão previamente carregado com 5, 10, 20 ou 40 €.

TOLLSERVICE, sistema através do qual o condutor pode adquirir um título pré-pago, pronto a utilizar, com um custo fixo de 20 €, com utilização ilimitada durante 3 dias.

Este sistema só é válido para veículos ligeiros e a aquisição destes títulos pré-pagos implica viagens previamente definidas (trajecto Espanha-Aeroporto do Porto, via A28 ou A41, ida e volta ou trajecto Espanha–Aeroporto de Faro, via A22, ida e volta).

Pode ser comprado AQUI ou adquirido em vários outros locais.

Todas as soluções que estão descritas neste texto estão bem detalhadas NESTE LINK que pode ser consultado em várias línguas.

–>

Portagens na Europa – Todas as informações para a tua viagem

Tão diferentes como os países em que são cobradas: portagens. Itália, Croácia, França e muitos outros países cobram taxas pela utilização das suas autoestradas ou estradas.

Mas se estiveres bem informado sobre o assunto e as incluíres no teu planeamento de férias, estas portagens são fáceis de gerir. Nós indicamos-te qual o tipo de portagem e qual a sua importância no respetivo país europeu.

Assim, estarás preparado na perfeição.

Naturalmente, não é muito bom teres de pagar pela utilização das estradas, afinal de contas é sempre algo a acrescentar ao orçamento das férias.

Mas fica ainda mais caro se fores apanhado a tentar esquivar-te.

Tal como acontece com a utilização de transportes públicos sem bilhete, também quem não paga portagens nas estradas com portagem na Europa sujeita-se a multas elevadas.

Mesmo que tenhas comprado uma vinheta, se não a tiveres colocado corretamente no para-brisas, podes ainda assim ser multado. Na Áustria, República Checa e Suíça, a taxa é de aproximadamente 180 euros. A Eslovénia exige mesmo coimas até 800 euros. Então, é melhor comprar primeiro e jogar pelo seguro!

O que está por detrás das portagens na Europa?

Basicamente, existem dois tipos de taxas para a utilização das vias rodoviárias: a portagem com base na distância e a vinheta com base no tempo.

As portagens com base na distância nem sempre têm de ser pagas em toda a rede de autoestradas e vias rápidas. Além disso, também são reguladas de uma forma diferente em função de teres de pagar quando entras ou quando sais da via.

Os sistemas de pagamento eletrónico são também utilizados em alguns países.

As vinhetas são compradas com antecedência. Estão disponíveis nas passagens de fronteira, em todos os pontos de venda com um símbolo de vinheta e também nas estações de serviço e estações de correio, por exemplo. A taxa é então devida nos respetivos troços da via.

A portagem com base na distância

Oito países da União Europeia têm alguns custos associados à utilização de determinados percursos. Estes incluem França, Grécia, Irlanda, Itália, Croácia, Polónia, Portugal e Espanha.

As portagens são calculadas de acordo com a distância percorrida.

A distância é também um fator decisivo no caso das portagens para a Grã-Bretanha, Bósnia-Herzegovina, Noruega, Sérvia, Turquia e Bielorrússia.

As vinhetas

A vinheta com data limite é utilizada para portagens na Bulgária, Áustria, Roménia, Suíça, Eslováquia, Eslovénia, República Checa e Hungria. A duração da validade depende do respetivo país.

A portagem especial

Para além das portagens convencionais, podem também aplicar-se portagens especiais em determinados países. As portagens na Áustria, Suíça, Itália, França, Dinamarca e Suécia preveem portagens especiais para a utilização de determinadas pontes, túneis e passagens.

O abecedário dos países com portagens

Para que possas encontrar o teu caminho de volta rapidamente e obter as informações sobre as portagens para o teu destino de férias numa vista de olhos, criamos, para ti, o abecedário dos países com portagens. Podes encontrar aqui, por ordem alfabética, os países europeus mais importantes com as respetivas informações sobre os respetivos sistemas de portagem.

A – Em Andorra não se cobram portagens! E na Albânia também não

A – Sistema de portagens da Áustria

Na Áustria, a vinheta é também chamada “Pickerl”. Esta deve ser corretamente colocada, de preferência no canto superior esquerdo do para-brisas ou, no centro, atrás do espelho retrovisor.

Os vidros fumados podem impedir a legibilidade da vinheta, por isso aconselhamos que tenhas cuidado ao colocá-la.

Podem também ser cobradas portagens especiais em pontes, túneis, vias rápidas ou semelhantes.

Preços para veículos a motor até 3,5 toneladas:

  • 10 dias: aprox. 9 €
  • 2 meses: aprox. 26 €
  • 1 ano: aprox. 87 €

B – Portagens na Bósnia-Herzegovina

O montante da portagem na Bósnia-Herzegovina depende do tipo de veículo e da distância percorrida. Um bilhete é retirado à entrada e o pagamento é feito quando deixas a respetiva estrada com portagem.

B – Portagens na Bulgária

A Bulgária tem um sistema de vinhetas eletrónicas. Podes encontrar o link aqui. Além disso, podem ser cobradas portagens especiais para pontes, túneis e ferries. Preços para veículos a motor até 3,5 toneladas:

  • Vinheta diária: grátis
  • 7 dias: aprox. 8 euros
  • 1 mês: aprox. 15 euros
  • 1 ano: aprox. 50 euros

Vias de portagem especial na Bulgária:

  • Giurgiu – Ruse
  • Silistra – Kalarash
  • Vidin – Kalafat
  • Oriahovo – Beket
  • Nikopol – Turnu Magurele

C – Portagens na Croácia

Na Croácia, as portagens só são pagas ao entrar ou ao sair das autoestradas. Todas as outras estradas são gratuitas. Ainda assim, podem ser cobradas portagens especiais pela utilização de túneis e pontes. Os preços variam de percurso para percurso. Estão compreendidos entre os 0,80 euros (Zagreb – Bregana) e os 16,23 euros (Zagreb – Lipovac).

D – Portagens na Dinamarca

Livre trânsito! Na Dinamarca não existem taxas nem portagens! Só nas pontes de Storebaelt, entre as ilhas de Fünen e Seeland, e na ponte de Øresund, entre Copenhaga e Malmö, é que te será solicitado um pagamento. Aqui, as viagens únicas custam para um automóvel de passageiros até 3,5 toneladas entre 34 e 48 euros. No entanto, também existem bilhetes de entradas múltiplas e anuais com desconto.

E – Portagens em Espanha

Em Espanha, todas as estradas assinaladas com “AP” estão sujeitas a portagens à entrada ou à saída. Isto também se aplica a determinados túneis e pontes. Espanha não é propriamente barata quando se trata de portagens. As tarifas podem variar dependendo da hora do dia.

  • Autoestradas ou variantes urbanas gratuitas:
  • Autoestradas urbanas sujeitas a taxas:
  • O percurso entre Saragoça e Bilbao é o mais caro com 32,05 euros, o mais barato vai de La Coruña a Carballo (2,50 euros).
Leia também:  O Que É Um Web Service E Como Funciona?

F – Portagens em França

Em França, as portagens são exigidas à entrada ou saída de autoestradas ou vias rápidas. O quilómetro custa entre 7 e 14 cêntimos. Uma vez que as taxas são calculadas de acordo com os quilómetros percorridos, não é possível fornecer aqui uma informação geral de custos.

Além disso, também podem ser cobradas portagens especiais para pontes, túneis ou semelhantes. Desde 2017, um selo ecológico, o designado “Crit’Air Vignette” é obrigatório em algumas cidades de França, mesmo para automóveis estrangeiros.

Desta forma, a longo prazo, as emissões como partículas finas e óxidos de azoto na atmosfera são reduzidas. Link

Estradas gratuitas em França:

  • Circulares de Paris, Lyon, Bordéus e Marselha
  • Alguns percursos na Alsácia/Lorena, Auvergne e Bretanha

G – Portagens na Grécia

Também na Grécia são cobradas portagens à entrada ou saída das autoestradas ou vias rápidas. Tens de planear entre 4 a 16 euros para a utilização da maior parte dos troços do percurso. No entanto, podem ser cobradas portagens especiais pela utilização de túneis e pontes.

Troços de autoestradas sujeitos a taxas entre:

  • Evzoni
  • Thessaloniki
  • Atenas
  • Patras
  • Tripoli

G – Portagens na Grã-Bretanha

As portagens são raras na Grã-Bretanha. São cobradas taxas na M6, de Birmingham a Wolverhampton, e na ligação ao País de Gales. Isto vai custar-te cerca de quatro a seis libras, dependendo da hora do dia. Existem apenas algumas pontes e túneis com portagem.

Obrigação de portagem urbana em:

H – Portagens na Hungria

A Hungria tem um sistema de vinhetas, que se aplica não só a todas as autoestradas e vias rápidas, mas também a numerosas estradas nacionais e principais. Para além da Noruega, a Hungria tem o sistema de portagens mais moderno da Europa, sendo que é totalmente eletrónico.

Preços para veículos a motor até 3,5 toneladas:

  • 10 dias: aprox. 10 euros
  • 1 mês: aprox. 15 euros
  • 1 ano: aprox. 140 euros

I – Portagens na Irlanda

As portagens na Irlanda são normalmente pagas em dinheiro no organismo pagador. No ponto de pagamento electrónico da M50 (chamado eToll) de Dublin, o pagamento só é possível após a passagem.

O pagamento pode ser feito por telefone ou pela Internet. Além disso, há mais de 2000 lojas em todo o país que foram distinguidas com o selo “Payzone”. Também podes pagar a portagem numa dessas lojas.

Estradas/troços sujeitos a portagem:

  • M1 Motorway (Dublin – Belfast)
  • M3 Clonee-Kells (Dublin – Nord-Westen)
  • M4 Kilcock – (Dublin – Sligo ou Galway)
  • M7/M8 Portlaoise (Dublin – Limerick e Dublin – Cork)
  • M50 Dublin (entre as junções 6 e 7)
  • N6 Galway – Ballinasloe
  • N8 Rathcormac – Fermoy Bypass (Dublin – Cork)
  • N25 Waterford City Bypass (Dublin – Waterford)

Túneis/pontes sujeitos a taxas:

  • Túnel de Dublin (extremamente caro na hora de ponta!)
  • Túnel de Limerick
  • East Link Toll Bridge

Preços para veículos a motor até 3,5 toneladas:

  • M 1: 1,90 euros
  • M 3: 1,40 euros
  • M 4: 2,90 euros
  • M 7, M 8: 1,90 euros
  • M 50: 3 euros
  • N 6, N 8, N 25: 1,90 euros
  • East Link Toll Bridge: 2,10 euros
  • Túnel de Limerick: 1,90 euros

I – Sistema de portagens de Itália

Em Itália são cobradas portagens à entrada ou saída das autoestradas ou vias rápidas. O quilómetro lá custa cerca de 7 cêntimos. Além disso, existem portagens especiais para pontes, túneis ou semelhantes.

Obrigação de portagem urbana em:

São proibidos veículos a motor no centro histórico de Roma.

M – Portagens na Macedónia

Na Macedónia, é cobrada uma taxa pela entrada e saída de autoestradas ou vias rápidas. O quilómetro custa cerca de 5 cêntimos. Nem todos os percursos estão sujeitos a taxas.

Percursos sujeitos a taxas entre:

  • Kumanova e Gradsko
  • Tetova e Gostivar
  • Skopje e Tetova

N – Portagens na Noruega

Na Noruega, são, por vezes, cobradas portagens em algumas estradas, pontes, túneis e alguns centros urbanos. No entanto, normalmente, não podes pagar em dinheiro na Noruega.

O denominado “AutoPASS-Box”, um sistema de portagens totalmente eletrónico, é o caminho mais fácil para passar pelos postos de portagens.

Podes encontrar todas as informações sobre o sistema aqui: http://www.autopass.no

P – Portagens dos Países Baixos

As portagens são raras na Holanda. Só existem dois percursos sujeitos a taxas.

Percursos sujeitos a taxas:

  • Kiltunnel (2 euros para automóveis de passageiros)
  • Túnel de Westerschelde (5 euros para automóveis de passageiros)

P – Portagens na Polónia

Na Polónia, existem portagens em alguns percursos, nomeadamente nas autoestradas A1, A2 e A4. Os preços dependem dos quilómetros. Assim sendo, existem taxas diferentes.

Preços para veículos a motor até 3,5 toneladas:

  • A1: Gdansk – Torun (178 km): aprox. 7 euros
  • A2: Swiecko – Konin (269 km): aprox. 17 euros
  • A4: Katowice – Krakau (79 km): aprox. 5 euros

P – Portagens em Portugal

Em Portugal, são cobradas portagens à entrada e saída das autoestradas ou vias rápidas. Os preços variam de acordo com a distância percorrida, bem como com o tipo e tamanho do veículo. O percurso mais caro é Lisboa – Faro, de aprox. 17 euros.  Para a ligação Lisboa – Estoril, só tens de pagar 40 cêntimos. Podem também ser cobradas portagens especiais em pontes, túneis ou semelhantes.

Portagens eletrónicas em Portugal

Em algumas autoestradas e troços de autoestradas, as portagens são pagas eletronicamente. Estes percursos estão assinalados com o aviso “electronic toll only”.

O pagamento para veículos não portugueses é feito antecipadamente em todos os sistemas ou através de cartão de crédito.

Para pagar a portagem eletrónica de veículos com matrículas estrangeiras, o veículo deve estar registado previamente em todos os sistemas.

O sistema EASYToll é recomendado para viagens de até 30 dias e quando se entra numa autoestrada “electronic toll only”.

Podes pagar com cartão de crédito no terminal de pagamento nos “Welcome Points”, localizados junto à fronteira nas autoestradas com portagem eletrónica (A28 – Viana do Castelo; A24 – Chaves; A25 – Vilar Formoso; A22 – Vila Real de Santo António). É aqui que a matrícula é atribuída ao cartão de crédito.

O recibo serve como comprovativo de pagamento e deve ser sempre transportado. O registo e o cancelamento também podem ser feitos online. Podes encontrar mais informações aqui http://www.portugaltolls.com/ ou tollcard.pt

R – Portagens na Roménia

A Roménia tem um sistema de vinhetas. Além disso, algumas pontes, túneis e semelhantes também requerem taxas.

Preços para veículos a motor até 3,5 toneladas:

  • 7 dias: 3 euros
  • 1 mês: 7 euros
  • 3 meses: 13 euros
  • 1 ano: 28 euros

R – Portagens na República Checa

A República Checa tem um sistema de vinhetas. As estradas marcadas com “D” ou “R” estão sujeitas a portagens. Além disso, existe uma portagem com base na distância em todas as estradas assinaladas com “M”. Não existe nenhuma outra marcação, mas as estradas gratuitas são apresentadas separadamente.

Preços para veículos a motor até 3,5 toneladas:

  • 10 dias: aprox. 12 euros
  • 1 mês: aprox. 17 euros
  • 1 ano: aprox. 58 euros

S – Portagens na Suécia

Na Suécia, as portagens só têm de ser pagas no caso de estradas e pontes. A ponte de Öresund custa 46€ para automóveis de passageiros até 6 metros. Podes encontrar mais informações em www.oeresundsbron.dk/de/start.

Gotemburgo e Estocolmo também têm portagens urbanas em determinadas alturas do dia. Podes encontrar mais informações em www.transportstyrelsen.se

S – Portagens na Suíça

As vinhetas também são obrigatórias na Suíça. Aqui, no entanto, há apenas uma vinheta anual que custa 40 francos e é válida por 14 meses. Também podes comprá-la na Alemanha, onde custa 38,50 euros.

Portagens especiais:

  • Túnel rodoviário no Great St. Bernard: 29,30 euros (one-way)
  • Túnel Munt la Schera: 35 euros (ida e volta entre domingo e sexta-feira)
  • Túnel Munt la Schera: 42 euros (sábados)

Além disso, em algumas passagens e túneis na Suíça, existem “transportes de automóveis” que estão sujeitos a taxas. Aqui, os automóveis são carregados em comboios.

S – Portagens na Sérvia

Na Sérvia, são cobradas taxas à entrada ou saída das autoestradas ou vias rápidas. A portagem pode ser paga em dinheiro, em dinares ou euros (notas pequenas ou moedas). O pagamento também é possível com cartão de crédito. O percurso mais caro tem cerca de 240 km, entre Belgrado e Niš, e custa cerca de 6 euros.

S – Portagens na Eslováquia

A Eslováquia tem um sistema de vinhetas. As vinhetas anuais são válidas de 1 de janeiro a 31 de janeiro do ano seguinte, ou seja, durante 13 meses. Estas podem ser obtidas em estações de serviço, em máquinas de self-service na fronteira ou como vinhetas eletrónicas.

Preços para veículos a motor até 3,5 toneladas:

  • 10 dias: 10 euros
  • 1 mês: 14 euros
  • 1 ano: 50 euros

S – Portagens na Eslovénia

A Eslovénia também tem um sistema de vinhetas. A polícia eslovena é muito meticulosa e muito regular no que toca aos seus controlos.

Preços para veículos a motor até 3,5 toneladas:

  • 7 dias: 15 euros
  • 1 mês: 30 euros
  • 1 ano: 110 euros

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*