Como Saber Quanto Se Ganha Por Hora?

Como Saber Quanto Se Ganha Por Hora?Precisando calcular salário por hora? Este conteúdo vai ensinar um passo a passo para fazer o cálculo do salário por hora

Você quer saber quanto deve receber pelas horas que trabalha ou quanto tem que pagar aos seus funcionários? Para isso você deve como calcular salário por hora. Existem algumas ferramentas para calcularas horas trabalhadas, mas par fazer esta conta é necessário compreender como funciona a distribuição dos valores por hora.

Duração da Jornada de Trabalho Normal

Para saber como calcular salario por hora é preciso entender como funciona a duração da jornada de trabalho normal. Segundo o inciso XIII, artigo 7º da Constituição Federal, a carga horária a que está obrigado o empregado durante o dia, semana e mês corresponde a 8 horas diárias, 44 horas semanais e 220 horas mensais.

Além disso, é importante ressaltar que o descanso semanal remunerado deve ser concedido preferencialmente aos domingos. Se o empregado trabalha em uma escala de segunda a segunda, consequentemente, tem que folgar uma vez por semana e, pelo menos, uma vez por mês no domingo. Caso este direito não seja respeitado, o trabalhador deve receber o dobro pelo domingo trabalhado.

Exemplo de Cálculo do Salario Por Hora Trabalhada

Para calcular o salario por hora passo a passo acompanhe o exemplo:

Considere um empregado que trabalha de segunda a sexta-feira das 8:00 às 17;00, e aos sábados das 8:00 ao 12:00. O intervalo para descanso e refeição é de 1 hora. O trabalhador ter uma carga horária de 44 horas semanais, 220 horas mensais, com um salário de R$ 1.500,00, por um mês com 30 dias.

A fórmula para calcular o salario por hora é: 44horas semanais x 5 semanas = 220. Em seguida, faz-se: 1500,00/220= 6,82. Por isso, o valor do salário por hora é de R$ 6,82.

Como Calcular a Hora de Trabalho Com Carga Horária de 36 Horas

Como Saber Quanto Se Ganha Por Hora?Exemplo de cálculo de salário por hora

Agora, considere o exemplo de um funcionário que trabalha 6 horas por dia, durante 6 dias por semana, totalizando uma carga horária de trabalho de 36 horas, tendo um salário mensal de R$ 2.000,00.

A fórmula para calcular o salário por hora de uma carga horária de 36 horas é: horas semanas/ quantidade de dias úteis da semana X 30 dias do mês, ou seja, 36/6 X 30 = 180. Posteriormente, divide-se: 2000,00/180 = 11,11. Portanto, o valor do salário por hora é de R$ 11,11.

Como Calcular o Valor da Hora do Diarista

Considere o exemplo de um trabalhador diarista que tem uma jornada diária de 07 horas e 20 minutos, durante 6 dias por semana, recebendo uma remuneração de R$ 60,00 por dia.

Nesse caso, o primeiro passo é transformar os minutos em porcentagem de horas, que equivale a: 20/60 – 0,33 minutos. Adicione às 07 horas os 0,33 minutos, resultando em 7,33.

O segundo passo consiste em efetuar o cálculo do salário-hora, use a seguinte fórmula: salário-hora/ pelo número de horas trabalhadas, ou seja, 60/7,33+ 8,19. Portanto, o valor do salário por hora é de R$ 8,19.

Dúvidas sobre o cálculo do salário por hora? Não se preocupe, deixe nos comentários abaixo que auxiliamos você!

Como Saber Quanto Se Ganha Por Hora?

Advogado desde 2001 com registro OAB/RS 53.531, com forte atuação em prol dos trabalhadores e dos consumidores.

Pós-graduado em direito e processo do trabalho, com cursos de extensão em processo coletivo do trabalho e diversos congressos.

Como Calcular a Hora de Trabalho dos Funcionários [Guia 2021]

Calcular a hora de trabalho de funcionários pode ser tão simples quanto dividir o salário pelas horas trabalhadas, mas há outras variáveis que influenciam nesse cálculo, como horas extras, adicional de periculosidade, insalubridade e muito mais.

Como calcular hora de trabalho? Essa é uma das perguntas mais comuns entre gestores e funcionários do Departamento Pessoal.

Especialmente para empresas que acabaram de surgir, é normal ter essa dúvida. Isso porque fazer o cálculo não é uma tarefa tão simples, especialmente se a empresa não conta com um controle de ponto moderno.

Deve-se levar em consideração fatores como horas extras, faltas justificadas e outras várias questões.

Claro, existem muitos softwares que facilitam a vida de quem precisa calcular a hora de trabalho, contudo, adquirir esses programas não é a realidade de todas as empresas.

Sendo assim, criamos este texto para ajudar você a não passar mais por esse sufoco todo fim de mês. Entenda tudo sobre o cálculo da jornada de trabalho neste guia! Vamos lá?

Para facilitar a sua leitura, siga nosso índice.

Como Saber Quanto Se Ganha Por Hora?

O que é a jornada de trabalho? Entenda como funciona

Como Saber Quanto Se Ganha Por Hora?

A jornada de trabalho é um conceito relativamente simples. Trata-se das horas diárias nas quais o trabalhador está à disposição do empregador, ou seja, desempenhando as funções delegadas a ele.

  • Há conceitos mais amplos que dizem que a jornada de trabalho também deve considerar outros momentos em que o trabalhador não estiver efetivamente desempenhando suas funções específicas, mas aguardando instruções, ou seja, ainda à disposição.
  • Indo mais além, podemos incluir que a jornada de trabalho soma o tempo de transporte para ir ao local de trabalho e retornar para a sua residência.
  • Apesar de serem conceitos interessantes para elevar a discussão sobre o tema, o que deve ser considerado para o cálculo da hora trabalhada é o acordado em contrato.

Horas trabalhadas e a Reforma Trabalhista

  1. É praticamente conhecimento geral que o limite de horas trabalhadas expresso na constituição são de oito horas diárias ou 44 horas semanais.
  2. Contudo, após a Reforma Trabalhista sancionada pelo então presidente Temer, o trabalhador pode estar sujeito a jornadas de trabalho de até 12 horas.

  3. Vale deixar claro que isso não altera o que está na Constituição Federal, os limites semanais e mensais (220 horas) continuam os mesmos.

O empregador também não pode mudar a jornada de uma hora para outra.

Para aderir à nova regra é necessário firmar acordo individual com o trabalhador ou com o sindicato.

  • Depois disso, o trabalhador deverá desempenhar suas atividades de forma muito semelhante aos plantões de profissionais da saúde, o chamado 12×36: ele trabalha por 12 horas e descansa por 36 horas.
  • Vale ressaltar que nem todos os segmentos podem adotar esse tipo de jornada de trabalho.
  • Confira também:???? Entenda como funciona o decreto de simplificação de leis trabalhistas???? Salário emocional: entenda esse conceito e veja por que oferecê-lo???? Salário sob demanda: entenda já essa nova forma de remuneração???? Como funciona o reajuste salarial? Aprenda os principais detalhes e cálculos

Modelos de contratação por hora

O modelo de contratação por hora é bastante comum fora do Brasil. Apesar de não ser o modelo mais comum por aqui, também é uma possibilidade e está ganhando certa popularidade.

A mudança também foi introduzida pela Reforma Trabalhista, como descrito no trecho abaixo:

O contrato de trabalho intermitente deve ser celebrado por escrito e deve conter especificamente o valor da hora de trabalho, que não pode ser inferior ao valor horário do salário mínimo ou àquele devido aos demais empregados do estabelecimento que exerçam a mesma função em contrato intermitente ou não. (Incluído pela Lei nº 13.467, de 2017)”

Art. 452-A

O texto da Lei explica muito sobre os direitos do trabalhador sob regime intermitente, contudo, existem algumas diferenças primordiais entre o regime de salário e o trabalho intermitente, como:

  • não ter direito ao seguro-desemprego;
  • FGTS, 13° salário, aviso-prévio, verbas rescisórias e férias são proporcionais ao tempo trabalhado.

Resumidamente, as novas formas de trabalho instituídas pela Reforma foram:

  • jornada parcial;
  • jornada 12×36;
  • trabalho intermitente;
  • teletrabalho ou home office.

A importância de calcular as horas trabalhadas

Por que controlar as horas trabalhadas de perto? Essa é uma pergunta mais que relevante para se fazer, já que monitorar a jornada é uma atividade necessária para que a empresa esteja de acordo com a legislação.

Contudo, responder essa pergunta buscando estar somente dentro da lei é algo bastante simplório. Existem diversos outros motivos.

Caso esteja ansioso para ir direto para o cálculo, basta pular para o próximo tópico onde falaremos sobre a matemática da coisa e daremos diversos exemplos. [CLIQUE AQUI]

Respeitar a legislação do trabalho

Esse pode ser considerado um motivo clichê, contudo, é uma forma de honrar o pacto entre empregador e empregado, além, claro, de manter a empresa fora dos tribunais da Justiça do Trabalho.

Um exemplo relevante aqui é ter o controle de horas extras. Não se deixe enganar, esse é um assunto seríssimo! Segundo o Tribunal Superior do Trabalho, hora extra foi um dos principais assuntos das estatísticas dos processos trabalhistas.

Até julho de 2020 foram um total de 22.214 processos, sendo a principal causa trabalhista.

  1. Dessa forma, podemos afirmar que o monitoramento das horas trabalhadas oferece segurança tanto para o trabalhador quanto para o empregador.
  2. O primeiro tem certeza de que está sendo devidamente remunerado, enquanto o segundo sabe que os funcionários estão cumprindo o acordado em contrato.
  3. Uma empresa pequena, que não toma esse cuidado, pode ter que arcar com altos custos judiciais e ainda ter que indenizar o trabalhador que só está atrás dos seus direitos.

Analisar o desempenho e melhorar a produtividade

Entender como os funcionários desempenham suas funções pode trazer insights muito interessantes para a gestão, podendo resultar até mesmo em um aumento da produtividade.

Aqui é possível identificar os funcionários que estão desempenhando um trabalho inferior ao que é esperado em sua faixa salarial. A partir desse dado, é possível tomar uma série de atitudes. Recomendamos sempre praticar a cultura do feedback.

Fazer uma auditoria nos gastos

Fazer conta nem sempre é uma tarefa fácil, contudo, não tem como deixar isso de lado. 

Saber como calcular a hora de trabalho vai fazer toda a diferença na hora de colocar todos os gastos na ponta do lápis. Sendo especialmente relevante se você conta com horistas, onde o valor costuma variar mês a mês.

Não somente, isso também permite encontrar falhas em departamentos inteiros que precisam ser reestruturados a fim de otimizar o desempenho da empresa como um todo.

Avaliar o retorno sobre investimento (ROI) de projetos

  • A sigla ROI provém do inglês Return on Investment, que em tradução livre quer dizer o retorno obtido no investimento feito.
  • Essa métrica é muito útil para comprovar a eficiência de alguma mudança na empresa, desde a adoção de um software para ponto eletrônico até a contratação de novos colaboradores.
  • Especialmente para empresas que trabalham com serviços, criar indicadores que permitem analisar as horas investidas por trabalhador para finalizar um projeto é uma excelente forma de saber se a empreitada foi realmente lucrativa.
  • Isso permite fazer inferências sobre a produtividade da equipe e até mesmo se o contrato está devidamente valorado.

Ao fornecer um novo serviço, nem sempre a valoração é a ideal, e isso é perfeitamente normal. O papel do gestor aqui é, justamente, identificar esse problema o quanto antes e resolvê-lo.

E como fazer isso sem calcular a hora trabalhada? Já adiantamos: não é possível. No próximo tópico te ensinaremos a chegar nesse valor.

Como calcular a hora trabalhada? Veja como fica cada caso

Para realizar esse cálculo, é necessário considerar que o mês comercial tem cinco semanas com jornadas de 44 horas semanais.

Assim, cada funcionário pode trabalhar no máximo 220 horas mensais, como falamos anteriormente.

Antes de cair na matemática, é importante ressaltar que existem quatro casos diferentes para ficar atento. Não se preocupe, vamos falar sobre todos eles.

Calcular a hora de trabalho comum

A hora de trabalho comum é aquela em que o funcionário realiza suas atividades em horário comercial e não está sujeito a riscos ocupacionais como periculosidade ou insalubridade.

Leia também:  Como Eu Gostaria De Explicar Agora O Que Na Altura Nao Sabia?

1° Exemplo

Digamos que um assistente de padeiro ganha um salário mínimo (R$ 1.045,00) com uma jornada de trabalho de 220 horas mensais. Basta inserir esses valores na seguinte fórmula:

Como Saber Quanto Se Ganha Por Hora?valor mensal pago ao trabalhador/horas mensais trabalhadas

Dessa forma, a cada hora que o assistente de padeiro trabalhar, ele deverá receber R$4,75 = 1.045/220.

Atente-se também para o fato de que esse é o valor/hora mínimo que qualquer trabalhador pode receber, uma vez que esse valor foi alcançado utilizando o salário mínimo.

2° Exemplo

Agora, vamos imaginar um profissional que recebe R$ 2.000,00 por mês e trabalha seis horas diárias, sendo um total de 150 horas mensais.

Quanto eu ganho por hora? Descubra o valor e qual é o jeito certo de fazer essa conta

Atualizado em Terça-feira, 20 de Março de 2018 às 13:57

Como Saber Quanto Se Ganha Por Hora? erhui1979/iStock

Diferente do que acontece no Brasil. em países da Europa e principalmente nos Estados Unidos é normal que o cálculo do salário seja feito por horas de trabalho . Por aqui, é comum que esteja estipulado na Carteira de Trabalho o valor mensal da remuneração.

Por isso, muita gente nem imagina quanto ganha por hora. Mas o cálculo não é tão complicado quanto parece e pode ser útil para descobrir se o salário que a empresa paga realmente condiz com seu esforço.

Como fazer o cálculo?

Antes de tudo é preciso saber o valor exato do seu salário – algo que você pode conferir no holerite (no caso de ser registrado CLT) ou na nota emitida pelo empregador (autônomos).

É preciso saber três coisas:

  • Remuneração mensal;
  • Horas trabalhadas por dia;
  • Dias trabalhados no mês.

O primeiro cálculo a ser feito é a multiplicação de horas trabalhadas em um mês. Por exemplo, 8 horas diárias em um mês com 22 dias úteis resulta em 176 horas no mês (22×8=176).

Para descobrir o valor diário do salário, basta dividir a remuneração mensal pela quantidade de dias trabalhados no mês. O valor dessa equação dividido pela quantidade de horas trabalhadas por dia equivale ao salário que você ganha por hora.

Como Saber Quanto Se Ganha Por Hora? fastfun23/iStock

Exemplo

Vamos utilizar como exemplo um trabalhador médio que ganha dois salários mínimos por mês. Como o valor atual do salário mínimo (2016) é de R$ 880, significa que o trabalhador ganha R$ 1.760 mensalmente (880×2).

Digamos que ele tem uma jornada de 40 horas semanais, sendo 8 horas por dia, 5 dias por semana – que, em média, dá 22 dias úteis por mês.

Neste cálculo, o trabalhador ganha uma média de R$ 80 por dia (1.760÷22) e R$ 10 por hora (80÷8).

E você, já sabe quanto ganha por dia ou por hora? Faça o cálculo e descubra.

Mais sobre direitos trabalhistas

Contratação: Como calcular a hora de trabalho do jeito certo

Em vigor desde o fim do ano passado, a nova legislação trabalhista ainda é motivo de muitas dúvidas tanto entre patrões como no meio dos funcionários. Especificamente para o empregador, uma das questões que mais impactaram na gestão corporativa está relacionada às mudanças nas formas de contratação: nesse novo modelo, afinal, como calcular a hora trabalhada?

Além do mais, é preciso garantir que os funcionários exerçam suas cargas de trabalho de acordo com o que é permitido pela lei, considerando as diferentes formas de contratação. Aí surge um assunto polêmico: a aprovação da carga horária máxima de 12 horas, sendo que o limite anterior era de 8 horas, a não ser em casos aprovados por acordos coletivos.

Ao longo dos próximos tópicos, esclarecemos os principais pontos sobre as novas formas de contratação, incluindo o trabalho intermitente, o cálculo das horas trabalhadas e a manutenção do controle na empresa. Acompanhe!

Calculadora de horas trabalhadas

Antes de partir para o conteúdo, que tal experimentar essa calculadora exclusiva que indica com rapidez as horas trabalhadas? Olha só…

O que é e como funciona a jornada de trabalho?

O conceito de jornada de trabalho, apesar de simples, comporta mais de uma interpretação. Por isso, principalmente para um empregador, compreender a dimensão desse conceito é fundamental. Inicialmente, a definição mais simples de jornada de trabalho é: o tempo diário em que o profissional está em atividade, efetivamente cumprindo as suas funções, conforme seu contrato de trabalho.

No entanto, existe uma compreensão mais ampla da jornada de trabalho. A partir dela, entende-se que a jornada não só se refere às horas efetivamente trabalhadas por um empregado durante o dia, mas também o tempo que esse profissional eventualmente estiver à disposição do empregador.

Indo além, uma terceira concepção entende que a jornada de trabalho é o somatório das horas de trabalho efetivo, mais o tempo que o profissional esteve à disposição do empregador e, ainda, o tempo gasto pelo empregado para ir e retornar ao local de trabalho — são as conhecidas horas in intinere.

Qual definição adotada pela legislação?

Com a Reforma Trabalhista (Lei 13.467 e a MP nº 808), diversas alterações ocorreram na CLT quanto à mensuração da jornada de trabalho. Com a nova redação dada ao art.

58, §2º, não há mais a mensuração da jornada com somatório do tempo de trajeto.

Atualmente, o entendimento é o de que o tempo gasto pelo empregado no trajeto ao trabalho, não deve ser computado na jornada de trabalho por não ser um tempo à disposição do empregador.

Por que manter o controle de horas trabalhadas?

O controle sobre a jornada de trabalho, do ponto de vista da empresa, é uma ação elementar e de grande importância para a regularidade das suas atividades e da gestão dos seus recursos humanos. Esse controle, por exemplo, é a chave para a redução de erros em cálculos, além de abusos por qualquer das partes envolvidas na relação de trabalho.

No entanto, uma gestão eficiente de horas trabalhadas pode trazer outros benefícios para a empresa e para os seus empregados. A seguir, listamos alguns dos principais deles. Confira!

Cumprimento da legislação

Como se sabe, a jornada de trabalho de um empregado tem suas regras estabelecidas pela legislação vigente. Dessa forma, a observância das diretrizes firmadas em lei é obrigatória, sob pena de se incorrer em sanções legais.

Nesse ponto, fica claro que o primeiro benefício a ser destacado quanto a importância do controle de horas trabalhadas dos empregados é o correto atendimento às leis vigentes. Com isso, a empresa consegue atuar de forma regular, cumprindo com seus deveres, sem incorrer em abusos ou qualquer tipo de transgressão aos direitos dos seus trabalhadores.

Aumento da produtividade

Do ponto de vista operacional, o controle de horas trabalhadas também tem um impacto positivo na questão da produtividade da empresa. Quando se monitora a jornada de trabalho de cada funcionário, fica mais fácil identificar erros e situações que afetam o rendimento, como ociosidade, absenteísmo, atrasos e prolongamentos na jornada.

Desse modo, a empresa que gerencia de forma eficiente e efetiva a jornada de trabalho dos seus funcionários, certamente consegue imprimir uma rotina mais fluida. Isso permite aproveitar melhor as horas de trabalho durante o dia, semana ou mês.

Segurança para ambos os envolvidos na relação de trabalho

Com o monitoramento das horas de trabalho, a relação entre empregador e empresa fica mais equilibrada. Dessa forma, o trabalhador tem a garantia de que não está sendo submetido a jornadas excessivas e de que é corretamente remunerado pelas horas de labor.

Por outro lado, o empregador pode ter a certeza de que os empregados estão cumprindo a jornada corretamente, atendendo à legislação, principalmente. Desse modo, evita-se conflitos trabalhistas, ações judiciais e eventuais penalizações por descumprimento da lei.

Quais são as novas formas de contratação?

Como Saber Quanto Se Ganha Por Hora?Novas jornadas de trabalho

É importante destacar que, mesmo com a inclusão de novas formas de trabalho, o limite de 44 horas da jornada semanal permanece. Além do mais, trabalhadores contratados para uma carga diária de 8 horas não poderão trabalhar 12 horas, conforme a nova legislação permite. Se o empregador achar que se trata de uma mudança necessária, precisará fazer um acordo individual com o funcionário ou fechar um acordo coletivo com o sindicato.

Quanto às novas formas de contratação, foram criadas 4 modalidades:

  • jornada parcial;
  • jornada 12 x 36,;
  • trabalho intermitente;
  • teletrabalho.

Conheça melhor cada uma a seguir!

Jornada parcial

Também conhecida como meio período, essa modalidade agora abrange os mesmos direitos de quem trabalha mais horas. Isso significa que, a partir da reforma, quem tem jornada parcial pode fazer horas extras e também tem 30 dias de férias, o que anteriormente era limitado a 18 dias.

Jornada 12 x 36

A possibilidade de trabalhar 12 horas por dia não permite que o funcionário o faça por dias seguidos. Pelo contrário, esse regime é obrigatoriamente composto por 12 horas de trabalho seguidas por 36 de descanso. Na prática, são 3 dias de trabalho em uma semana e 4 dias na próxima.

Trabalho intermitente

Essa categoria foi criada para englobar aqueles trabalhadores que desenvolvem atividades esporádicas, como aos finais de semana. O intuito é garantir que, mesmo não exercendo as funções todos os dias e não tendo uma previsibilidade de jornada, o profissional possa ter carteira de trabalho assinada e demais benefícios, como férias remuneradas, FGTS e direito a auxílio-doença.

Teletrabalho ou home office

O regime de home office, também conhecido como trabalho a distância, é uma realidade não apenas no Brasil, mas em todo o mundo.

Graças à tecnologia, muitas funções não precisam mais ser desempenhadas nas dependências da empresa. Assim, o funcionário consegue fazer seus próprios horários.

A nova regulação considera esse tipo de jornada, que agora deve ser estabelecida em um contrato de trabalho.

O que é contrato de trabalho intermitente?

De todas as novas formas de trabalho estipuladas, a que costuma gerar mais dúvidas é a modalidade de trabalho intermitente. Até então, esse tipo de trabalho era simplesmente tratado como informal e não garantia nenhum tipo de direito ou benefício aos profissionais. A reforma mudou esse cenário.

O que caracteriza o contrato de trabalho intermitente é o fato de o empregado só ser convocado quando a empresa precisa dele. Não há, assim, continuidade, com as atividades podendo ser exercidas esporadicamente.

O manobrista do final de semana e o garçom que ajuda a equipe de vez em quando são exemplos de trabalhadores que devem se beneficiar com esse novo tipo de contrato. Aliás, o trabalho intermitente foi incluído na reforma trabalhista principalmente para atender às demandas do comércio e do setor de prestação de serviços.

Para que o contrato seja válido, é necessário que especifique o valor da hora de trabalho, que não pode ser inferior à proporção do salário mínimo. O empregador também deve comunicar ao empregado sobre a próxima jornada de trabalho com no mínimo 3 dias de antecedência.

Ao final de cada período de prestação de serviço, o funcionário deve receber o pagamento do salário, mais férias e décimo terceiro proporcionais, além dos adicionais legais.

Quanto ao FGTS, o empregador responsável pelo contrato intermitente deve fazer os depósitos referentes aos salários mensais.

Fora isso, durante seu período de inatividade, o profissional pode prestar serviços a outras empresas.

Como calcular a hora trabalhada?

Como Saber Quanto Se Ganha Por Hora?Saiba quanto ganha por hora

Saiba quanto ganha por hora

A legislação reconhece que o mês comercial tem 5 semanas. Isso significa que o trabalhador com jornada de 44 horas semanais soma 220 horas ao final de cada mês. Assim, para se chegar ao mínimo que ele precisa receber por hora, basta dividir a carga horária mensal pelo salário mínimo de R$ 998,00. Fica assim:

  • jornada mensal: 220 horas;
  • salário mínimo: R$ 998,00;
  • valor mínimo da hora trabalhada: 4,53 = 998 ÷ 220.
Leia também:  Como Fazer Um Curriculo Quando Não Se Tem Experiencia?

Esse exemplo demonstra que 4,53 é o mínimo que o trabalhador deve receber por hora. Mas é claro que a empresa pode considerar um valor superior! No caso do trabalhador intermitente, a lógica de pagamento deve ser a mesma.

Para exemplificar, vamos considerar que um funcionário que trabalha 44 horas semanais e recebe 1500 reais por mês — hora trabalhada valendo 6,81 reais. Um trabalhador intermitente que desempenhe a mesma função receberá o mesmo valor por suas horas, mas de acordo com o que trabalhou. Considerando:

  • a quantidade de horas trabalhadas no mês: 96;
  • o valor da hora trabalhada: 6,81 reais;
  • o pagamento ao final do mês: 653,76 reais.

Quanto ao valor da hora extra, devem ser acrescidos 50%, conforme os exemplos:

  • em um salário de 9 reais a hora: 13 reais é o valor da hora extra;
  • em um salário de 13 reais a hora: 19,50 é o valor da hora extra.

E como manter o controle?

Manter o controle das horas trabalhadas de todos os colaboradores é essencial para a gestão de qualquer empresa. Para a administração, o conhecimento desse tipo de informação é especialmente importante para viabilizar o planejamento da execução de tarefas e, consequentemente, garantir que tudo será feito em tempo hábil.

Hoje, existem diferentes metodologias e recursos para se realizar esse controle. A exemplo, ele pode ser mais facilmente executado com a ajuda de softwares e ferramentas tecnológicas disponíveis no mercado. Basta encontrar uma solução que atenda às necessidades da sua microempresa, de acordo com suas particularidades.

A exemplo, é muito comum encontrar empresas que utilizam equipamentos de biometria em conjunto com softwares de controle de ponto. Dessa forma, o empregado precisa apenas ter as suas digitais cadastradas no sistema para que possa lançar sempre que iniciar, pausar e finalizar sua jornada de trabalho. A grande vantagem é o alto nível de automatização desse tipo de solução.

No mesmo sentido, o código de barras também é muito comum. Geralmente, o código é impresso em um cartão ou crachá, exclusivo do empregado, que é reconhecido por equipamentos de leitura instalados na empresa.

Por fim, existem as tradicionais planilhas, que embora mais simples, cumprem seu papel com precisão, quando elaboradas de forma correta e com total rigor. No cenário das pequenas e médias empresa, cujas equipes tendem a ser menores, as planilhas de cálculo de horas trabalhadas são ferramentas altamente estratégicas, principalmente por serem acessíveis e de fácil manuseio.

Como utilizar a planilha de cálculo de horas trabalhadas?

Como dito, a planilha é uma ferramenta mais simples, porém extremamente útil para o controle de horas trabalhadas dentro da empresa. Por meio das informações mais importantes, como horário de entrada, saída e de intervalo do funcionário, a planilha pode automatizar uma série de cálculos.

De forma ágil e precisa, a planilha é capaz de gerar o cálculo de horas trabalhadas pelo funcionário no dia, confrontando esse dado com a jornada de trabalho fixa determinada em seu contrato e apresentando o saldo de horas referente ao dia.

Além disso, ao final de um ciclo — semanal ou mensal, por exemplo —, é possível obter um relatório das horas líquidas de trabalho, assim como das horas excedentes ou faltantes da jornada de cada funcionário.

Com esses dados, fica mais fácil monitorar horas-extras e o banco de horas dos empregados.

Lembre-se de que, por mais que pareçam cálculos simples, há diferenças no pagamento de horas extras, sem contar que, de acordo com as diferentes funções na empresa, cada funcionário pode ter um salário específico. Abrir mão dos processos ineficientes e adotar o gerenciamento, controle e pagamento de horas de forma padronizada, é extremamente benéfico para a profissionalização da empresa.

Portanto, de uma forma geral, a planilha de controle de horas trabalhadas reforça a gestão desse aspecto na sua empresa, contribuindo com benefícios como:

  • maior visibilidade sobre a jornada de cada profissional;
  • acessibilidade, visto que é uma ferramenta de simples manuseio;
  • transparência, isso porque apresenta as informações mais úteis de forma clara, servindo bem aos interesses do empregado ou do empregador;
  • objetividade, principalmente na geração de relatórios, ao apresentar os dados que mais importam para a realidade de uma pequena empresa, por exemplo.

Você tem interesse em otimizar o controle da jornada de trabalho dos empregados da sua empresa e não sabe como calcular o valor do dia trabalhado? Então não deixe de baixar nossa planilha e simplifique todo esse processo por meio de uma ferramenta verdadeiramente eficiente!

Aprenda a calcular horas trabalhadas de uma vez por todas

Um dia desses, eu estava conversando com um amigo que acabou de abrir uma empresa e surgiu o seguinte questionamento: como o empregador deve calcular horas trabalhadas? Essa não é uma dúvida rara.

Apesar de parecer algo tão simples quanto contar as horas que o colaborador passou dentro da empresa, ainda há muitos cenários específicos nos quais isso fica confuso, como horas extras, faltas justificadas etc.

Fiz uma pesquisa rápida pela internet e encontrei muitos sites que explicam o cálculo de forma complexa e que indicam programas para fazer as contas automaticamente. Mas para quem está começando, é difícil investir em softwares avançados ou contratar empresas especializadas. Dependendo do tamanho do seu negócio, fazer o cálculo a mão sai mais barato.

Acredito que, assim como meu amigo, muitos empreendedores têm essa dúvida. Pensando nisso, neste post vou falar um pouco sobre a jornada de trabalho e as formas de calcular horas trabalhadas. Se você é um novo empresário ou tem curiosidade sobre o assunto, vem comigo!

O que é jornada de trabalho?

A jornada de trabalho é o tempo que o empregado fica à disposição do empregador. De acordo com a Constituição, o limite máximo da jornada de trabalho é 8 horas diárias e 44 horas semanais. Isso significa que o empregado poderá trabalhar, até o limite da lei, durante 6 ou 8 horas por dia, ou até menos, tudo de acordo com o combinado entre as duas partes na contratação.

Todas as horas trabalhadas além desse limite, antes e depois do expediente, bem como nos fins de semana e feriados, são consideradas horas extras. No entanto, um trabalhador não pode cumprir mais do que 2 horas extras por dia. Se não existisse essa restrição, haveria muita gente usando a brecha de forma nada ética.

Como calcular horas trabalhadas?

Agora chegamos à parte matemática. Pegue calculadora, papel e caneta, pois você vai precisar fazer algumas anotações.

Para fazer o cálculo da jornada de trabalho regular, você precisa saber qual é a carga horária de trabalho semanal dos seus colaboradores, bem como o valor da remuneração. Segundo minhas pesquisas, para o cálculo da hora de trabalho considera-se um mês composto por 5 semanas.

Assim, digamos que a jornada de trabalho na sua empresa é de 44 horas semanais, de segunda a sábado, até 8 horas diárias. Como resultado, temos um total de 220 horas por mês (44 horas por semana x 5 semanas por mês = 220 horas mensais) — um valor considerado padrão hoje em dia.

Vamos supor que o salário do seu colaborador, nesse caso, seja R$ 2.000,00. Dividindo o salário mensal pelas 220 horas de trabalho temos o valor do salário por hora, que nesse exemplo é R$ 9,09. Parece pouco para quem vê assim, mas dá para perceber como ele se acumula.

Outro exemplo: se a jornada for de 36 horas semanais, o divisor da remuneração será 180 (36 horas por semana x 5 semanas por mês = 180 horas mensais). Nesse caso, é só dividir o salário por 180 para obter o valor do salário-hora. Para um salário de R$ 1.500,00, por exemplo, o salário-hora será R$ 8,33.

Tente fazer esses mesmos cálculos com alguns dos cargos e salários do seu negócio, ou com seu próprio pagamento regular. Antes de formalizar esse processo e usá-lo para tomar decisões relevantes em seu negócio, é importante pegar um pouco de prática, ok?

Como Saber Quanto Se Ganha Por Hora?

Como calcular o valor da hora extra?

Já falamos um pouco sobre hora extra aqui no blog. Para efetuar o cálculo, o seu valor deverá ser 50% superior ao valor da hora normal. Nos exemplos acima, temos:

  • para o salário de R$ 9,09 a hora, o valor da hora extra será R$ 13,64;
  • para o salário de R$ 8,33 a hora, o valor da hora extra será R$ 12,50;

Estabelecido o valor do salário-hora para a hora extra, basta multiplicá-lo pela quantidade de horas extras realizadas no mês.

Para as horas complementares realizadas nos fins de semana e feriados, o valor da hora extra deverá ser 100% superior ao valor da hora normal trabalhada. Assim, você precisará dobrar o valor do salário-hora para calcular o valor das horas extras realizadas nesses dias.

Esses são os principais aspectos que você deve considerar no cálculo de horas extras. E aqui vai um aviso: é muito importante não abusar delas. Se um projeto está com prazo excepcionalmente apertado, tudo bem. Mas se esse é um problema recorrente, então o defeito está no planejamento, não nos salários.

E no caso da jornada de trabalho noturna?

A hora trabalhada no período noturno é calculada de forma diferente daquela desempenhada durante o dia — já explicamos todos os detalhes sobre o período de trabalho noturno aqui no blog, então dê uma olhada no material para pegar os detalhes sobre o cálculo.

Resumindo alguns pontos importantes, você precisa ter em mente que a hora noturna não tem 60 minutos, mas 52 minutos e 30 segundos. Sendo assim, um total de 7 horas trabalhadas em horário noturno equivale a 8 horas de trabalho em tempo regular.

Também é importante lembrar que o valor da hora extra noturna deve ser 50% superior ao valor da hora de trabalho normal. Assim, o valor do salário deverá ser dividido pela quantidade de horas normais realizadas, e o resultado receberá um adicional de 50% do valor da hora de trabalho normal.

E no caso de uma rescisão contratual?

Quando um colaborador é desligado da empresa, você ainda precisa quitar uma última dívida trabalhista com ele, pagando o valor da rescisão contratual. Porém, o cálculo aqui é feito em dias de trabalho, não em horas.

Em todas as categorias, o trabalhador deve receber um valor proporcional aos dias que trabalhou no mês antes de ser desligado. Via de regra, o mês empresarial equivale a 30 dias.

Por exemplo, se ele recebe R$ 3.000,00, seu dia de trabalho vale R$ 100,00. Se ele foi demitido após 5 dias de trabalho, sua rescisão equivale a R$ 500,00.

Caso o colaborador não seja dispensado por justa causa, você deve oferecer um aviso prévio. Essa parte pode ser um pouco confusa, então optei por organizá-la em tópicos. Preste bastante atenção:

  • colaboradores com menos de 1 ano de casa recebem 30 dias de aviso prévio;
  • aqueles com mais de 1 ano de casa recebem 3 dias a mais para cada 1 ano de serviço prestado na empresa;
  • o limite de acúmulo para esses dias é 60. Assim, um colaborador que trabalhou na empresa por 20 anos deve receber 90 dias de aviso prévio.

Há algumas variações de acordo com o tipo de rescisão de contrato em questão. Então, é melhor se informar sobre o tema o quanto antes para evitar qualquer erro jurídico.

Leia também:  Vpn O Que É E Como Funciona?

Por que é importante sabe calcular horas trabalhadas?

Você sabe a razão pela qual eu estou aqui descrevendo todos esses cálculos para você? Simples: por que eles são muito importantes para a tomada de diversas decisões em um negócio. Para esclarecer ainda mais esse ponto, listei abaixo os 4 benefícios de aplicar esse cálculo em seu trabalho. Confira!

Manter-se dentro da legislação

Já falei bastante sobre como a lei regula o pagamento das horas de trabalho, então é natural concluir que esses cálculos ajudam a evitar alguns processos trabalhistas. Empresas de todos os portes trabalham duro para evitar esse tipo de prejuízo no orçamento. Para um negócio pequeno e ainda em processo de formação, a perda pode ser bem devastadora.

Se você ainda não tem o equivalente a um setor jurídico, é importante que, no mínimo, aprenda quais são as regras de horas pagas e horas extras. A última coisa que você quer no fechamento do mês é uma taxa extra para pagar os honorários de um advogado.

Avaliar suas despesas

Se há uma coisa que você pode fazer ao calcular horas trabalhadas é estabelecer o quanto elas pesam no orçamento mensal da sua empresa. Muitos empreendedores acabam esquecendo desse gasto regular e depois ficam com a cabeça quente para colocar as contas no papel e fazer todos os números baterem. Mais uma vez, as finanças do seu negócio devem ser sagradas!

Uma avaliação de despesas também permite encontrar gastos considerados desnecessários ou áreas que precisam ser reestruturadas. Nem sempre é o caso de demitir funcionários para equilibrar os custos, mas sim de identificar quais são as prioridades da empresa e como você pode reagir para mantê-la de pé em caso de emergência.

Comparar o custo de um projeto com seu rendimento

Tudo que você faz com o dinheiro do negócio deve ser pensado com base na relação custo-benefício. Sempre se pergunte: se eu gastar X em determinada ação, será que recebo ao menos o mesmo valor de volta no final? Não é tão simples assim responder a essa pergunta, eu entendo, mas é uma questão muito importante.

O valor dedicado exclusivamente ao pagamento de salários também é uma forma de investimento. Sendo assim, o ideal é que você compare o valor envolvido em cada hora de trabalho e veja como ele reflete no retorno obtido pela empresa nos meses seguintes. Não é possível saber se um investimento de fato é bom sem antes fazer as contas.

Analisar e trabalhar o desempenho da equipe

Ainda falando sobre seus colaboradores e no quanto eles ganham, pode ser que alguns não tenham um desempenho tão bom no dia a dia. O resultado aqui é bem simples: você paga um valor alto e não consegue obter o lucro necessário para manter o negócio rodando por muito tempo. Se esse quadro continuar por mais alguns meses, infelizmente você poderá perder o seu investimento.

A partir desses valores, você pode identificar quais colaboradores apresentam um desempenho condizente com o seu pagamento. Da mesma forma, você pode usar isso como referência para entender se o problema está nos colaboradores ou nas metodologias — comparando, por exemplo, o desempenho de diferentes funcionários.

Plano de Cargos, Carreiras e Salários (PCCS)

Você estar aqui, provavelmente significa que a sua empresa ainda não efetivou um plano de cargos, carreiras e salários.

O Plano de Cargos, Carreiras e Salários (PCCS) é essencial para todas as empresas que contratam.

Ele é a forma mais eficiente de definir quais cargos entram nos processos gerais e quais salários ideais para cada cargo.

Além disso, com um PCCS bem feito, é possível que os funcionários tenham uma visão mais clara de suas oportunidades de carreira dentro da empresa, influenciando diretamente na motivação dos colaboradores.

Um plano de cargos tende a direcionar decisões estratégicas, inclusive, em outras áreas da empresa, desde que essas áreas utilizem de recursos humanos, ou seja, na maioria dos negócios TODAS! Mas calma, não adianta se apressar para criar um sem conhecimento prévio, pois criar um PCCS é uma tarefa árdua e complexa, e quando mal feito pode atrapalhar o seu negócio como um todo. Por isso é recomendável que você se qualifique para isso, já que um dos grandes SEGREDOS das empresas de sucesso são as pessoas.

Para te ajudar com esse planejamento nós indicamos o Curso Online Plano de Cargos, Carreiras e Salários (PCCS).

Mas fique tranquilo, pois só aqui no Guia Empreendedor você tem acesso ao desconto exclusivo de 90% na Udemy (Maior loja de Cursos Onlines do MUNDO).

Aproveite e garanta já a sua vaga do Curso Online Plano de Cargos, Carreiras e Salários (PCCS), já com o desconto especial do Guia Empreendedor.

Viu só como é possível calcular horas trabalhadas? Seguindo as dicas acima, você mesmo poderá calcular o salário final de seus funcionários, sem grandes complicações.

E para mais informações sobre o tema, assine minha newsletter e fique por dentro de todas as novidades relacionadas a empreendedorismo. Você receberá diversos conteúdos interessantes diretamente na sua caixa de entrada!

Como calcular o valor da hora trabalhada

Para saber o valor da hora trabalhada, a conta é simples. Existem duas formas de cálculo, uma mais simples e a outra menos simples. Saiba o que diz a lei sobre como calcular o valor da hora trabalhada.

Opção 1 –  Forma simples

Comece por saber qual é o seu salário bruto e qual o número de horas semanais que trabalha. Pode simplesmente dividir o seu vencimento pelo número de horas trabalhadas numa semana ou num mês.

Exemplo prático:

Se ganha € 1000 e trabalhou 160 horas (8 horas por dia, 5 dias por semana, durante 4 semanas) num mês, o valor da hora trabalhada é € 6,25.

Esta forma de cálculo não é muito rigorosa e não lhe dá uma visão geral do valor da hora trabalhada ao longo do ano. Se utilizar este método de cálculo em meses diferentes, obterá resultados diferentes, porque alguns meses têm mais dias (e mais horas) do que outros.

Para alguém que trabalhe de segunda a sexta, com um vencimento mensal fixo de € 1000, e faça 8 horas por dia, esta seria a variação dos valores:

  • Janeiro 2019 (22 dias úteis) – € 1000 / (22 x 8) = € 5,68
  • Fevereiro 2019 (20 dias úteis) – € 1000 / (20 x 8) = € 6,25
  • Junho 2019 (18 dias úteis) – € 1000 / (18 x 8) = € 6,94

Opção 2 –  Forma legal

A maioria dos trabalhadores por conta de outrem não recebe em função das horas que trabalha. Tem um vencimento fixo, igual todos os meses do ano, independentemente de o mês ter 28, 29, 30 ou 31 dias. Se dividirmos o salário bruto pelo número de horas trabalhadas (que são mais nos meses com mais dias) obteremos valores diferentes de mês para mês. 

  • Para contornar esta situação, o valor hora deve ser calculado com recurso à seguinte fórmula, prevista no artigo 271.º do Código do Trabalho: 
  • Salário hora = (Rm x 12 meses) / (52 semanas x n)
  • Rm é o valor da retribuição mensal e n o período normal de trabalho semanal (horas). 
  • Exemplo prático:
  • Se ganha € 1000 e trabalha 40 horas semanais:
  • (€ 1000 x 12) / (52 x 40) = € 5,77, em que:
  • € 1000×12 corresponde à remuneração anual; 
  • 52×40 corresponde ao número de horas anuais de trabalho, nas 52 semanas do ano.

Valor hora do ordenado mínimo

Em 2020

Em 2020, o salário mínimo nacional chegou aos € 635, para o setor privado, e o nível mais baixo da tabela remuneratória da função pública, aos € 645,07. Com base nestes valores, e aplicando a fórmula do artigo 271.º do Código do Trabalho:

  • O salário mínimo por hora para o privado é € 3,66, no caso de um trabalhador que trabalhe 40 horas semanais.
  • O valor hora do ordenado mínimo dos funcionários públicos é € 4,25 para um horário de 35 horas semanais.

Em 2021

Em 2021, o salário mínimo nacional é de € 665, para o setor privado, e o nível mais baixo da tabela remuneratória da função pública, é agora igual ao salário mínimo, isto é, € 665. A diferença no valor hora do ordenado estará apenas no número de horas semanais. Com base nestes valores, e aplicando a fórmula do artigo 271.º do Código do Trabalho:

  • O salário mínimo por hora para o privado é € 3,84, no caso de um trabalhador que trabalhe 40 horas semanais.
  • O valor hora do ordenado mínimo dos funcionários públicos é € 4,38 para um horário de 35 horas semanais.

Para que serve o valor da hora trabalhada?

O valor da hora trabalhada serve de base para o cálculo de algumas prestações pagas ao trabalhador, como sendo o subsídio de férias ou a compensação por trabalho suplementar (horas extraordinárias).

Licenciada em Economia pela Faculdade de Economia da Universidade do Porto. Experiência profissional em Banca de Investimento (corporate finance, fusões & aquisições e mercado de capitais), direção financeira e controlo de gestão. Atualmente presta assessoria financeira independente.

Como Calcular o Valor Hora – Vendus

O valor hora é a quantia recebida por cada hora de trabalho realizada. Normalmente, o cálculo do valor mínimo por hora, serve de base para determinar o valor que o trabalhador deve receber de subsídio de férias ou das eventuais horas extraordinárias.

Exemplos de Salário Mínimo por Hora

Fazer o cálculo da remuneração horária é simples, apenas precisa de saber algumas dados e efetuar algumas contas rápidas. Existem duas formas de calcular o valor por hora, uma mais simples, que permite ter uma ideia geral e outra que permite conhecer a quantia recebida com mais rigor.

Cálculo Simples do Valor Hora

Utilizando esta forma de calcular apenas é possível identificar o valor hora recebido em cada mês e não a quantia hora auferida ao longo do ano.

Assim, se o vencimento do colaborador da empresa for de 800€ e tiver trabalhado durante um mês (5 dias por semana e oito horas por dia), o cálculo do valor hora será o seguinte, dependendo dos dias do mês:

  • Janeiro (22 dias úteis) – 800€/(22X8) = 4,54€
  • Fevereiro (20 dias úteis) – 800€/(20X8) = 5,00€
  • Março (18 dias úteis) – 800€/(18X8) = 5,55€

Fature no seu escritório, restaurante ou loja desde 4€/mês? Experimente 30 dias Grátis!

Experimentar Grátis

Cálculo Complexo do Valor Hora

O artigo 271º do Código do Trabalho contempla uma fórmula que permite calcular o valor da hora normal de trabalho de forma mais rigorosa. Este cálculo é utilizado porque a maioria dos trabalhadores contratados de uma empresa não recebe em função das horas que trabalha. Pelo contrário, recebe todos os meses o mesmo vencimento, independentemente dos dias do mês.

  • Salário Mínimo Hora= (Remuneração base mensal/horas semanais)X (12 meses/52 semanas)
  • Assim, utilizando o mesmo valor base (800€), para um horário full time (40 horas semanais), o valor hora é calculado da seguinte forma:
  • Salário Mínimo Hora = (800/40)X (12 meses/52 semanas)= 4,60€

Valor Hora do Salário Mínimo

Desde janeiro de 2020 que o salário mínimo é de 635€ (666,75€ nos Açores e 650,88€ na Madeira). Com base nestes valores, e aplicando a fórmula do artigo 271.º do Código do Trabalho, o salário mínimo por hora (num horário de 40 horas semanais) é o seguinte:

  • 3,65€  em Portugal Continental;
  • 3,83€ nos Açores;
  • 3,74€ na ilha da Madeira.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*