Como Saber Quanto Gasta Um Aquecedor?

O verão já se foi e embora estejamos ainda no início do outono, para muitas pessoas isso praticamente significa que o inverno está chegando – e, com ele, o friozinho. Portanto, é bom garantir muito conforto para se aquecer; no entanto, isso, às vezes, tem um reflexo negativo na conta de energia.

Mas pode ficar calmo: para você não ter que passar frio ou aperto no bolso, separamos algumas dicas de como escolher um aquecedor econômico e eficiente!

O que faz um aquecedor consumir mais ou menos energia?

Dois fatores são os mais impactantes sobre a performance energética de um aquecedor de ambiente: a forma como ele funciona e o jeito como você utiliza-o.

Ou seja, existem modelos que consomem mais e outros que consomem menos energia e, além disso, há práticas e cuidados que fazem com que o aparelho economize luz (ou gaste mais, se não forem seguidos).

Entre os modelos que se destacam pela sua eficiência, pode-se optar pelos aquecedores a óleo e cerâmica. Essa eficiência ocorre porque eles têm formas de aquecimento bem próprias que otimizam o gasto de energia:

  • o primeiro possui uma resistência que aquece o óleo que há no interior do aparelho responsável por realizar a troca de calor com o ambiente;
  • já o segundo conta com uma resistência envolta em cerâmica que retém o calor e depois o dissipa através de uma ventoinha.

Outro modelo bastante popular é o elétrico de resistência incandescente, que é o mais comum no mercado. Ele aquece o ambiente apenas com a resistência que transmite o calor para o ar.

Por isso, costuma consumir mais energia se comparado a outros tipos desse aparelho.

A dica é ter atenção com o selo Procel; dê preferências para aqueles aquecedores com certificação A.

Como Saber Quanto Gasta Um Aquecedor?

Fonte: Adoro Decorar

Mas além do funcionamento, como você agora já sabe, o uso também influencia no consumo energético. Então, nada melhor do que ficar de olho em algumas dicas para utilizar seu aquecedor da forma correta:

  • lembre-se de desconectar o aparelho da tomada quando não estiver usando-o;
  • mantenha as portas e janelas fechadas para otimizar o aquecimento e reduzir o consumo de energia;
  • só use o aquecedor quando alguma pessoa estiver no ambiente, nada de ligar o aparelho para “pré-aquecer” seu quarto antes de dormir;
  • verifique o consumo de energia elétrica do modelo que você pretende comprar e dê preferência para aqueles que possuam o Selo A Procel.

Saiba mais sobre os tipos de aquecedores

Qual aquecedor é mais econômico?

Depois de entender de uma forma geral como saber se um aquecedor é econômico ou não, que tal algumas dicas de aparelhos que deixarão o seu lar ainda mais confortável mesmo nos dias frios e que não pesarão na conta de luz? Abaixo você confere três sugestões nos principais tipos desse eletrônico para escolher aquele que combina melhor com a sua necessidade.

Como Saber Quanto Gasta Um Aquecedor?

Fonte: WebContinental

O Aquecedor a Óleo Bordo 127v – 1500 W – Martau é uma ótima pedida para quem busca um aparelho econômico, eficiente e ainda por cima estiloso. Ele tem três ajustes de potência, tamanho portátil e compacto, termostato regulável, dispositivo de segurança que desliga o aquecedor em caso de queda e design moderno com acabamento na cor bordô.

Como Saber Quanto Gasta Um Aquecedor?

Fonte: WebContinental

Entre os modelos elétricos, um que se destaca é o Aquecedor Elétrico Enxuta Portátil Fun, e não apenas pelo seu consumo energético consciente (para os padrões de um aquecedor elétrico), mas também pelo seu design. Ele é um dos tipos mais portáteis, com tamanho muito compacto que permite que o aparelho seja utilizado tanto na horizontal quanto na vertical.

Como Saber Quanto Gasta Um Aquecedor?

Fonte: WebContinental

Já nos modelos que funcionam com aquecimento através da cerâmica, o Aquecedor Enxuta Elétrico Tower tem o formato de torre, que traz muita eficiência no aquecimento dos ambientes e também proporciona maior portabilidade. Além disso, possui proteção contra quedas, trava de segurança, tela digital e controle LCD.

Você sabe qual o melhor aquecedor de ar?

Agora que você já sabe como escolher um aquecedor de ambiente econômico e que deixe o seu lar confortável e livre do frio, é só escolher o modelo perfeito para você. E nessa hora, lembre-se de contar com WebContinental: temos as melhores condições de pagamento do mercado!

Qual o consumo médio do aquecedor a gás?

O inverno está chegando e o aquecimento da água de casa passa a ser uma preocupação em muitas casas.

Muitas vezes, o chuveiro elétrico não dá conta de aumentar a temperatura o suficiente e quem o utiliza tem que tomar banho numa pressão muito baixa, perdendo qualidade na vazão de água.

Nesta hora surge aquelas dúvidas: Mudar ou não para o aquecedor a gás? Qual o consumo médio do aquecedor a gás?

É de se lembrar que, além do chuveiro, o aquecedor a gás também pode aquecer torneiras. Isso acaba com o sofrimento para lavar louça durante o inverno.

O maior empecilho na troca costuma ser o valor que a substituição pode representar ao bolso do usuário. O aquecedor a gás é conhecido como o vilão das contas, porém os gastos provenientes da sua utilização são colocados no papel, para de fato descobrir se trata-se de uma opção vantajosa.

Hoje falaremos um pouco mais sobre o consumo de um aquecedor a gás e descobrir se essa alternativa vale a pena!

Como Saber Quanto Gasta Um Aquecedor?

Consumo médio do aquecedor a gás

Obviamente, o consumo do aquecedor a gás dependerá da quantidade utilizada em uma residência. No entanto, para termos um parâmetro, utilizaremos alguns valores padrões para determinar um consumo médio em uma casa.

Contabilizado em metros cúbicos, cada unidade de gás custa R$2,89. Em uma casa com quatro pessoas que costumam tomar um banho diário, o consumo chega em média à 0,60 m³. Ou seja, em um mês, a conta desta família, considerando apenas o aquecedor a gás, será de R$52,08.

Os estudos divergem em relação à comparação do chuveiro a gás com o chuveiro elétrico. Além da diferença de tarifa, que pode ser estabelecida em cada período, também há a diferença de vazão de água, o que pode influenciar na quantidade utilizada em um banho, por exemplo.

A vazão média de um chuveiro elétrico padrão que você encontra por aí gira em torno de 6 a 7 litros por minuto. Enquanto a vazão de uma ducha padrão usada normalmente em aquecedores a gás gira em torno de 10 a 12 litros por minuto. E isso tem um impacto direto nos custos finais.

Instalação do aquecedor a gás 

Outro fator considerado na hora de aderir ao aquecedor a gás é a instalação. Neste caso, de fato não há como negar que a instalação desta modalidade custa mais caro do que simplesmente implantar um chuveiro elétrico.

Nesse sentido os valores podem variar bastante. Os aquecedores mais simples e com menor capacidade custarão por volta de R$ 600,00 a R$ 800,00 dependendo da marca, modelo e qualidade da mão de obra da instalação. Já os equipamentos mais dispendiosos, capazes de atender 5 ou 6 banheiros simultaneamente podem chegar ao valor de R$ 7.000,00.

Por isso é bastante importante o dimensionamento correto de cada demanda para não acabar gastando mais do que deveria.

Considerando a vazão de água proporcionada pelo aquecedor, bem como sua capacidade de alcançar temperaturas mais altas, a qualidade do aquecedor a gás costuma ser muito maior do que a do chuveiro elétrico, mesmo se comparada com os mais potentes.

Ainda que o investimento inicial seja relativamente maior, nem sempre o chuveiro a gás sai mais caro do que a utilização da eletricidade. Para isso, basta seguir algumas dicas para economizar na conta e manter a qualidade do seu banho. Confira algumas delas!

Como Saber Quanto Gasta Um Aquecedor?

1. Faça a manutenção do seu aquecedor a gás 

Assim como os chuveiros elétricos precisam ser trocados de tempo em tempo, o aquecedor a gás demanda manutenções periódicas. Mas calma: esse processo, no caso do uso residencial, deve ser realizado apenas uma única vez por ano, sem prejuízo para o seu funcionamento. Nessa manutenção é importante que peças como os dutos de chaminé e os bicos de entrada sejam revisados.

Neste processo, também é importante observar a vida útil do equipamento. Apesar de poder ser utilizado por um longo prazo, o ideal é respeitar a data estabelecida pelo fabricante para trocar de aquecedor. Mas não se preocupe! Essa troca não deverá ser tão frequente quanto a dos chuveiros elétricos.

2. Regule a temperatura

Em todo chuveiro a gás existem duas torneiras: a fria e a quente. Quando vamos a hotéis, por exemplo, é normal que tenhamos que abrir ambas para regular a torneira. No entanto, essa prática faz com que o consumo de gás seja maior durante o banho.

O ideal é regular a temperatura no próprio aquecedor a gás para que possa ser tomado um banho quente sem precisar abrir a torneira fria para regular. Desse modo, além de se tornar mais prático alcançar a temperatura desejada, é possível economizar na conta de gás no fim do mês. A prática também impacta na diminuição do consumo de água, uma vez que apenas uma torneira dará vazão.

Leia também:  Como Fazer Com Que Uma Amiga Se Apaixonar Por Mim?

3. Desligue quando não for utilizar para evitar o Consumo maior do aquecedor a gás

Quem utiliza fogão a gás já sabe que isso é importante: desligar o registro de gás quando estiver fora por alguns dias é, além de uma prática de segurança, uma forma de economizar. Essa ação também vale para o chuveiro a gás. Dessa forma, você poderá evitar vazamentos que comprometam a saúde dos presentes e, também, um possível maior gasto enquanto não estivar utilizando o serviço.

4. Conte com profissionais especializados

Quando for realizar qualquer alteração no seu aquecedor de gás, certifique-se de que está realizando uma ação indicada para o usuário. Caso demande de qualquer prática que não seja de seu conhecimento, busque o auxílio de profissionais especializados. Com uma equipe técnica, você poderá garantir a segurança na manutenção, evitando vazamentos perigosos para a saúde dos presentes.

Além disso, toda manutenção realizada por pessoas que não possuem conhecimento na área está suscetível a problemas, como danificar o aquecedor. Desta forma, o que você economiza ao não contratar uma equipe técnica pode sair mais caro ao ter que substituir o equipamento ou, até mesmo, ao fazer alguma modificação na instalação do aparelho.

Como Saber Quanto Gasta Um Aquecedor?

5. Seja consciente no uso da água e diminuia o consumo médio do aquecedor a gás

Por fim, essa dica é válida para qualquer tipo de aquecedor. Mesmo com a redução do consumo elétrico que o chuveiro a gás representa, não significa que não devemos continuar economizando água. Apesar de o gasto não aparecer mais na conta de luz, o meio ambiente necessita que sejamos conscientes em relação ao uso deste recurso. Uma vez que já há tanto desperdício de água no planeta.

Obviamente, um menor consumo de água também tornará sua conta mais barata. Além de economizar gás, pois um menor número de litros será utilizado pelo aquecedor. Portanto, seja consciente e cuide da quantidade de água que você gasta.

Agora que você já conhece mais sobre o consumo médio encontre o seu aquecedor ideal. Preencha um formulário de orçamento da Aquecenorte e descubra o equipamento adequado para a sua necessidade.

[pt_view id=”e1df4823k0″]

Quanto gasta um eletrodoméstico? Uma lição de Física

Por vezes, queremos saber quanto gasta um aparelho elétrico. Não conseguiremos saber exatamente quanto, mas é possível saber o máximo que ele pode gastar (desde que não haja avaria).
O cálculo é simples:

energia (kWh) = potência (kW) x tempo(h)

A energia corresponde ao consumo que aparece nas faturas da eletricidade e que é medido em kWh (quilowatt.hora); a potência é aquilo que aparece em todos os eletrodomésticos e que é medido em W (watt) e o tempo deverá ser medido em horas (*).

Vamos a um exemplo:

Um aquecedor a óleo tem uma potência de 2000 W (2kW). Se este aquecedor estiver a funcionar durante uma hora e meia (1,5 h), ele vai gastar, no máximo, 2 x 1,5 = 3 kWh. Pode até gastar menos, e provavelmente gastará, porque ele vai ligando e desligando, durante essa meia hora de funcionamento.
Para calcular o custo deste consumo, basta multiplicar a energia pelo preço do kWh: custo = 3 kWh x € 0,1393 = € 0,4179. Ou seja, este aquecedor vai gastar, naquela hora e meia defunciomanento, no máximo, pouco mais de 41 cêntimos, para quem tiver tarifário normal.

A minha placa elétrica, por acaso, indica-me sempre a potência que o disco está a consumir:

Como Saber Quanto Gasta Um Aquecedor?

Neste caso, a potência indicada é de 0,6 kW. Se o disco estiver a funcionar durante meia hora (0,5 horas), então a energia que ele vai gastar é, no máximo, de 0,6 x 0,5 = 0,3 kWh.

Como tenho o tarifário bi-horário, o custo deste consumo vai depender da hora. Vamos admitir que é num período fora de vazio (energia mais cara). O preço do kWh é de € 0,1551.

Assim, o custo daquela meia hora de funcionamento do disco elétrico é de 0,3 x 0,1551 = € 0,05 (aproximadamente).

(*)

Como Saber Quanto Gasta Um Aquecedor? Para converter W em kW, basta dividir por 1000:

2000 W = 2000/1000 = 2 kW

Já agora, aproveito para fazer um esclarecimento quanto à classe energética dos eletrodomésticos. Ser de classe A ou A+ não significa que gasta menos, significa apenas que a percentagem de energia que é dissipada (desperdiçada) é inferior nestes eletrodomésticos do que nos de classe inferior.

Isto quer dizer que um eletrodoméstico de 200 W (arca congeladora, por exemplo) gasta sempre menos do que um de 2300 W (forno elétrico), mesmo que o primeiro seja de classe C e o segundo seja de classe A. O que pode acontecer é haver uma arca congeladora com potência de 180 W e de classe A.

Ela fará o mesmo frio que a outra, mas gasta menos, isto é, a energia que ela gasta é mais bem aproveitada.

Para quem se preocupa com o ambiente, a opção deverá ser sempre pelas classes superiores, para haver menos desperdícios. Todo o desperdício é inimigo da natureza e do ambiente. Fazer boas escolhas na hora da compra e uma gestão correta do funcionamento dos eletrodomésticos também ajuda a poupar dinheiro.

Espero ter sido clara!

Consumo do aquecimento para piscina

  • Hoje vamos falar do consumo dos diferentes métodos usados para aquecer a piscina.
  • Em geral, a sensação inicial que sente ao usar uma piscina, é de um desagradável choque térmico causado pela diferença de temperatura da água da piscina em relação à temperatura do ar.
  • Para solucionar isso basta elevar a temperatura da água da piscina para que esse diferencial seja reduzido ao mínimo e para isso, um sistema muito interessante é o aquecimento para piscina conhecido no Brasil como trocador de calor ou bomba de calor.
  • São, na verdade, equipamentos que trabalham com um sistema de refrigeração que retiram temperatura do ar e transferem este calor para a água da piscina.

Escrevemos há algum tempo atrás, sobre as principais marcas de trocador de calor. Se quiser dar uma olhada, basta clicar aqui.

Comparativo de consumo dos tipos de aquecimento

A economia alcançada com trocadores de calor no aquecimento de piscinas em relação aos outros (aquecimento a gás, caldeiras a gás, caldeiras a lenha, etc.) é facilmente visível num comparativo.

Como Saber Quanto Gasta Um Aquecedor?Consumo do Aquecimento da Piscina

Além disso, outra grande vantagem em relação a esses sistemas é o de se tratar de um equipamento que não requer praticamente nenhum tipo de manutenção e que, dependendo de sua configuração, pode se tratar de um sistema totalmente automatizado.

Caso queira adquirir o aquecimento para sua piscina, ou esteja com alguma dúvida a respeito de aquecimento para piscinas, fale com a Sistema Manutenções Ltda.

Inclusive se não quiser gastar muito para aquecer sua piscina, eles estão com uma série de bombas de calor reformadas. Eles alugam e vendem, então, é só dar uma ligada lá e negociar com eles, ok?

Eles fazem instalação e manutenção de trocador de calor em todo estado de Minas Gerais.

Esperamos que tenha gostado do comparativo de consumo dos tipos de aquecimento para piscina!

O que gasta mais: aquecedor ou ar-condicionado? | Blog da Dufrio

por Dufrio Refrigeração • 28/05/2019

No inverno, todos buscamos ficar quentinhos. Seja através de um bom casaco, uma coberta ou até mesmo de aparelhos de climatização. É sempre bom ter um sistema que ajude a regular a temperatura dos cômodos, certo? Mas sabemos que com o frio, também vem a dúvida: o que gasta mais: aquecedor ou ar-condicionado?

Neste artigo, vamos mostrar os diferenciais de cada produto e também mostrar qual dos dois aparelhos cabe no seu bolso. Siga lendo e acabe com todas as suas dúvidas.

Como Saber Quanto Gasta Um Aquecedor?

A diferença entre aquecedor e ar-condicionado

Todos sabemos a semelhança entre os dois aparelhos, ou seja, mantém o ambiente quentinho e confortável. Contudo, existem diferenças entre os produtos que certamente irão guiar a sua escolha de compra. Afinal, as particularidades dos aparelhos são muito importantes.

sobre o ar condicionado:

Ao adquirir um ar-condicionado, você também estará levando para casa um produto que pode climatizar o ambiente também no verão. É um aparelho versátil, que não irá ficar parado e ocupando espaço durante uma estação inteira – sem uso.

Um aparelho de ar-condicionado de aproximadamente 9 mil BTUS (o que se assemelha a potência de um aquecedor) gasta segundo a INMETRO aproximadamente R$0,50 até R$0,90 centavos por hora de trabalho.

sobre o aquecedor:

O aquecedor é um aparelho portátil, podendo ser usado enquanto você está assistindo um filminho na sala até mesmo depois do banho – afinal, ninguém merece sair do banho e passar frio não é mesmo?

Hoje, a maioria dos aquecedores possuem recursos semelhantes ao do ar-condicionado, como por exemplo, a função de desumidificação do ar. Isso é essencial para regiões onde o inverno é muito úmido devido a forte presença de chuvas.

Quanto a valores, pesquisas do INMETRO afirmaram que um aquecedor a óleo gasta aproximadamente R$1,50 por hora de trabalho. O que pode acabar pesando no orçamento em comparação ao ar-condicionado.

Qual tipo de aquecedor é mais econômico?

Apesar de parecer mais caro, os aquecedores possuem valores mais baixos que os ares-condicionados e não tem custo de instalação. Você compra o aparelho na loja, liga na tomada e pronto, ele já começa a fazer o trabalho de climatização do ambiente.

Leia também:  Como Ver Qual A Minha Placa Grafica Windows 10?

Os aquecedores a óleo costumam ser os mais econômicos, seguidos pelos aparelhos elétricos e por último, os de cerâmica. Todos eles possuem modelos estilosos, de fácil manutenção e que ofereça segurança para a sua família. Confira alguns modelos:

  • Aquecedor de ar mondial;
  • Aquecedor mondial confort.

Ar-condicionado no quente gasta mais?

O ar-condicionado quente não gasta mais energia do que seu modo de operação frio. Ele possui um valor maior que os aquecedores, mas uma vida útil muito maior, além de ser um produto que será usado em todas as estações.

Nossa equipe recebe muitas dúvidas sobre o assunto, por isso, criou este artigo que esclarece se o ar-condicionado quente gasta realmente mais energia. Lá, é possível conferir os hábitos que podem fazer com que um ar-condicionado precise de mais potência para funcionar.

Afinal, qual aparelho comprar?

Agora que você já sabe a diferença e os gastos de cada produto, vale a pena pensar na sua rotina. Avaliando suas necessidades, você irá escolher entre um aquecedor ou ar-condicionado. Pense nas seguintes questões:

  • Você procura um aparelho somente para climatizar sua casa no inverno?
  • Você quer que todos os cômodos da sua casa fiquem quentinhos?
  • Quanto você pretende gastar desde a compra até a conta de luz?
  • Qual a temperatura mínima que sua cidade irá alcançar?

Se você adora o inverno, está localizado em uma cidade com temperaturas realmente muito baixas e quer todos os ambientes da sua casa quentinhos, vale a pena pensar em adquirir um aquecedor. Ele poderá ser seu melhor amigo nesta estação.

Contudo, se você não gosta do inverno, mora em uma cidade com temperaturas medianas e deseja somente um cômodo específico da sua casa aquecido, vale a pena optar pela compra de um ar-condicionado. Ele irá acompanhar você até o verão, onde provavelmente você irá querer um ambiente mais fresco na sua casa.

Afinal, O que gasta mais: aquecedor ou ar-condicionado? Agora você tem a resposta para esta pergunta na ponta da língua. Aproveita e compartilhe este artigo no grupo da família ou com aqueles amigos que não querem passar frio no inverno (e também com aqueles que querem fazer uma boa economia).

Quer economizar? Aprenda como calcular o consumo de energia

Todo mundo sabe que o vilão no consumo de energia elétrica em uma residência é o chuveiro, que gasta muito! Mas, felizmente, existe a grande solução com vistas à economia no orçamento doméstico: o uso do aquecimento solar. 

No entanto, existem muitos outros aparelhos além do chuveiro com os quais você gasta energia elétrica em sua casa.

Que tal se você soubesse como calcular o consumo de energia e o quanto pode economizar no chuveiro adotando um aquecedor solar, além de saber também quanto de energia (e dinheiro) os demais aparelhos consomem?

As unidades envolvidas

O consumo de energia elétrica de um aparelho é diretamente proporcional à sua potência. A potência (kW = “quilowatt”) de cada aparelho vem indicada em uma etiqueta, junto com alguns aspectos técnicos, quase sempre no mesmo local em que se vê a voltagem do aparelho. 

O tempo de utilização é medido em horas (h = “hora”). A unidade utilizada para indicar o consumo de energia elétrica dos aparelhos é o “quilowatt-hora” (kWh).

Por força da Física que estuda o assunto, tem-se que Potência (kW) = Consumo de Energia Elétrica (kWh) / Intervalo de Tempo (h).

Desse modo, um chuveiro médio tem um consumo de energia elétrica de 5,4 kWh.

O cálculo do consumo de energia

Quanto maior a potência de um aparelho elétrico, maior o seu consumo de energia quando está em funcionamento. Assim, a sua potência e o tempo que passa ligado vão indicar o consumo de energia desse aparelho.

Agora, veja como calcular o consumo de energia:

Um banho de 15 minutos (1/4 de hora ou 0,25h) naquele chuveiro médio consome, portanto: 5,4 kWh x 0,25h = 1,35 kWh (esse valor é a quantidade de energia elétrica consumida em um banho de 15 minutos em um chuveiro de consumo 5,4 kWh).

Quanto você vai pagar por essa energia consumida

Para calcular o custo da energia elétrica consumida pelo chuveiro do exemplo, é necessário saber o valor da tarifa de energia elétrica que a concessionária de energia cobra. Esse valor vem discriminado em sua conta de luz.

Supondo-se um valor de R$0,4 / kWh (um valor médio para o Brasil), no exemplo anterior, como a quantidade de energia consumida em um banho foi de 1,35 kWh, então, R$0,4/kWh X 1,35 kWh = R$0,54.

Isso significa que cada banho de 15 minutos no chuveiro do exemplo (5,4 kWh) custa R$0,54.

Se morarem 4 pessoas na casa e cada uma tomar 2 banhos por dia, tem-se R$0,54 X 4 X 2 = R$4,32. Esse é o valor dos banhos por dia nessa residência.

Desse modo, no final do mês (30 X R$4,32), só o chuveiro será responsável por R$129,60 na conta de luz. Eis porque ele é o grande vilão da história doméstica do consumo de energia elétrica. 

Então, o chuveiro é o primeiro componente da residência que deve ser adicionado em uma estratégia de economia. 

Por meio da tecnologia do aquecedor solar, a captação de energia solar substitui o trabalho do chuveiro elétrico, reduzindo significativamente os gastos com esse aparelho. Isso é economia!

Agora que você já sabe como calcular o consumo de energia elétrica — e como começar a poupá-la — que tal compartilhar este post nas suas redes sociais e ajudar mais pessoas a economizar? 

Ar-condicionado ou Aquecedor: Qual escolher? | Facilita

Sentiu que o clima na sua cidade está mudando? Então agora é uma boa hora para investir em algo para deixar a sua casa mais quentinha, não acha?

Embora a gente já tenha dado algumas dicas de como aquecer a casa no inverno, se a casa ficar muito gelada, vale a pena investir em um eletrodoméstico para te ajudar nessa tarefa.

Por isso, resolvemos te ajudar a escolher qual é o melhor: aquecedor ou ar-condicionado.

Ar-condicionado

Além de regular a temperatura de um ambiente maior, o ar-condicionado possui uma eficiência energética melhor do que um aquecedor, já que a sua distribuição de ar funciona melhor para cômodos ou salas maiores. Outra vantagem do ar-condicionado é que ele também pode ser usado para tirar a umidade do ambiente.

Ar-condicionado quente e frio

Por ser mais versátil, esse tipo de aparelho é indicado para aquecer ou refrescar sua casa ao longo de todo ano, de acordo com a temperatura da época. E, se você acha que por ter uma função de aquecimento o ar-condicionado quente e frio consome mais energia que o tradicional, você se enganou. O consumo é o mesmo de um modelo que só esfria.

Instalação do ar-condicionado

A instalação de um ar-condicionado split ou de janela possui alguns pontos de atenção. O local onde ele vai ser instalado precisa ser pensado com antecedência para que o produto
tenha um desempenho melhor e consiga refrigerar ou aquecer a sua casa com mais eficiência.

Consumo de energia

O consumo de energia de um ar-condicionado está bastante ligado ao BTU dele. Se você não sabe o que é BTU, nós já explicamos por aqui. Escolher a potência certa para o cômodo onde ele vai ser instalado vai te ajudar a não desperdiçar energia elétrica!

Outro fator a favor é o modelo de ar-condicionado Split Inverter, que possuem uma tecnologia que mantém uma temperatura constante, ou seja, ele não vai ficar ligando e desligando tendo picos de consumo de energia.

Aquecedor

Em uma rápida pesquisa, você vai encontrar vários modelos de aquecedores, de diferentes marcas. Por ter uma distribuição de ar quente concentrada em uma pequena área, esse tipo de produto é indicado para aquecer espaços pequenos como escritórios ou quartos menores.

Instalação do Aquecedor

A instalação do aquecedor é a sua principal vantagem em relação ao ar-condicionado. A maioria dos modelos são elétricos e portáteis, ou seja, você só precisa ter uma tomada por perto que ele pode ser usados em qualquer lugar da casa.

Consumo de energia

Em um primeiro olhar, o consumo de energia de um aquecedor é menor do que de um ar-condicionado. Porém, se a gente for comprar a eficiência de aquecer um cômodo inteiro, aí o ar-condicionado acaba tendo mais vantagem.

O calor do aquecedor é bastante concentrado, e por isso é indicado para menos horas de uso e para esquentar pequenos espaços.

Aquecedor ou ar-condicionado, qual é o melhor?

Vai depender do que você está procurando! Se for para aquecer lugares grandes, como salas e quartos maiores, o mais indicado é um ar-condicionado. Para locais pequenos ou para poucas horas de uso, um aquecedor vai dar conta do recado.

Leia também:  Como Saber Quanto Pagar Segurança Social?

Outro ponto que também deve ser levado em consideração é o investimento que você pretende fazer. Isso porque deve ser colocado na conta outros fatores como manutenção do produto e vida útil.

Para dar uma última ajuda, selecionamos algumas dicas para economizar energia elétrica no inverno!

Pronto! Com as nossas dicas ficou mais fácil de saber qual dos dois é melhor pra você. Agora é só escolher o modelo ideal de ar-condicionado ou aquecedor para sua casa.

Aquecedor elétrico | Aquecimento elétrico

Encontra-se aqui:  trotec.com  –  Produtos e Serviços  –  Productos ‑ HomeComfort  –  Aquecimento  –  Aquecedor elétrico

  1. Produtos e Serviços
  2. Productos ‑ HomeComfort
  3. Aquecimento
  4. Aquecedor elétrico

Seja na cada de banho, na sala de estar, na cave de lazer ou no quarto de hóspedes – os aquecedores elétricos proporcionam temperaturas agradáveis de modo rápido e limpo e, ao mesmo tempo, oferecem opções de uso flexíveis. Para que tal aparelho seja capaz de cumprir a sua finalidade na íntegra, é importante selecionar um modelo adequado para as respetivas condições operacionais. Deve considerar que tipo de calor quer, quanto espaço tem à sua disposição e se simplesmente quer instalar o aquecedor no chão ou montá-lo na parede ou no teto. Criamos um apoio decisivo com este guia onde foram considerados todos os critérios relevantes para a sua compra.

Um aquecedor elétrico gera o calor emitido por meio de eletricidade. A maior vantagem destes aquecedores é a utilização fácil como aquecimento adicional ou de substituição. Pode usá-los em todo o lado onde há uma tomada por perto.

Além disso, os aquecimentos elétricos não requerem nenhuma manutenção, necessitam pouco espaço e não gerem sujidade. Mas os aquecedores deste tipo são também totalmente independente dos combustíveis fósseis como óleo, gás ou carvão.

Como os convectores emitem o calor imediatamente depois de ligar, eles são ideais para recintos onde não está constantemente, por exemplo, para quartos de hóspedes ou caves de festas raramente usadas.

Como o ar ambiente arrefece rapidamente após o desligamento do aparelho, deve certificar-se de que a potência de aquecimento é ajustável por um termóstato com termóstato ambiente e onde a velocidade do ar pode ser regulada gradualmente.

Deste modo, o convector aquece adicionalmente conforme a necessidade, não produzindo calor de excesso.

Termoventiladores são aquecimentos elétricos diretos. Eles produzem calor ao ser ligados.

Devido às suas dimensões geralmente pequenas, são particularmente adequados para salas de habitação e escritórios, casas de banho, caves de lazer, caravanas ou oficinas mais pequenas. Como estes aparelhos trabalham com uma ventoinha, a vantagem é dupla.

No inverno aquece em segundos, porque o calor gerado é rapidamente distribuído no recinto. Nos dias quentes a função de ventilação proporciona uma brisa agradavelmente refrescante.

Um calor especialmente agradável é distribuído pelos termoventiladores de cerâmica. Como não há partículas de pó ou pêlos de animais nos seus elementos de aquecimento, o ar ambiente permanece particularmente limpo, inodoro e livre de substâncias irritantes.

Por isso, este aparelhos também são recomendados para pessoas asmáticas e alérgicas. Ainda mais segurança oferecem os modelos com desligamento automático no caso de sobreaquecimento e o interruptor de proteção contra queda integrado.

O último ponto é altamente vantajoso em casas com crianças ou animais não presos.

No radiador um agregado de aquecimento elétrico aquece um meio de armazenamento (p.ex. óleo) que depois emite o calor ao ar ambiente.

O consumo destes aparelhos é dos 600 a 2 000 watts e pode ser regulado gradualmente. Quanto mais níveis de potência forem ajustáveis, mais flexível poderá adaptar o radiador às suas necessidades de aquecimento.

Mas também o consumo de eletricidade pode ser minimizado desta forma.

Embora o tempo de aquecimento seja mais longo que com o convector, o radiador continuará emitindo calor por algum tempo, mesmo depois de ter sido desligado. Recomenda-se operar estes aparelhos no nível mais alto apenas até que a temperatura ambiente desejada seja atingida e, em seguida, reduza-os para um nível de potência mais baixo.

Ao contrário dos radiadores, termoventiladores e convectores, os raios infravermelhos que emanam destes aquecimentos não aquecem o ar ambiente, mas sim os corpos sólidos que encontram – de acordo com o princípio natural da radiação solar.

Como resultado, os aquecedores elétricos por infravermelhos podem ser usados com precisão e requerem menos energia do que outros aquecimentos adicionais elétricos.

A emissão de calor orientada apresenta ainda mais vantagens: A humidade do ar não é afetada por este tipo de aquecimento.

As aplicações possíveis destes aquecimentos por infravermelhos não são tão flexíveis como nos outros tipos de aparelhos, porque são principalmente instalados fixamente na parede ou no teto. Mas existem também os radiadores de aquecimento por infravermelhos que pode colocar onde é preciso.

O consumo elétrico dos aquecedores elétricos e os custos de eletricidade resultantes dependem, por um lado, da potência e, por outro, da tarifa do contrato de eletricidade. Pode calcular o consumo aproximado do seu aquecedor elétrico através de simples fórmulas.

Para tal, multiplique a potência em watts do aparelho com o tempo operacional e, deste modo, obterá o consumo elétrico em horas de watt (Wh). Para calcular o consumo em horas de quilowatt (kWh) tem de dividir o resultado por 1 000.

Para calcular os custos de energia, multiplique o consumo em horas de quilowatt (kWh) com o atual preço de eletricidade por hora.

  • Potência em Watt (W) x duração (Horas) = consumo elétrico em horas Watt (Wh),dividido por 1 000 = consumo elétrico em horas Quilowatt (kWh).
  • Consumo elétrico em horas Quilowatt (kWh) xEletricidade Preço por kWh (0,28 €) =  custos de eletricidade por hora 
  • Exemplo:
  • 60 watts (consumo de energia em W) x 10 horas (duração em h) = 600 (Wh)600 Wh (consumo de energia) / 1 000 = 0,6 (kWh)0,6 (kWh) x 0,28 (preço por kWh) = 0,168 €

Caso queira indicações mais precisas sobre o consumo de eletricidade, recomendamos um medidor de consumo elétrico como o Trotec BX09 ou BX11. Com a sua indicação elétrica mínima possível de apenas 0,1 watt, o próprio BX09 deteta mesmo os gastadores de energia mais pequenos como os consumidores no modo standby.

Necessita apenas de inserir o aparelho de medição na tomada e ligar o consumidor elétrico a ser verificado para detetar o seu atual consumo de energia. Ainda mais funcionalidades oferece o BX11, que permite a deteção conforme a hora do dia e que dispõe um modo de registo para medições prolongadas.

Os aquecedores elétricos podem ser usados tanto no setor privado quanto no comercial, tanto em ambientes interiores quanto exteriores. Para a casa de banho, o quarto de hóspedes, a cave de lazer e o jardim de inverno são igualmente adequados como para a varanda ou o terraço, a garagem, a oficina, o armazém ou o pavilhão de produção. 

Se gostaria de montar um aquecedor elétrico fixamente ao ar livre, certifique-se de escolher um modelo aprovado para o uso no exterior. Os respetivos aparelhos dispõe da classe de proteção IP65 bem como uma proteção contra pó, salpicos ou jatos de água.

Uma solução especialmente elegante para o jardim, terraço ou a varanda são radiador de aquecimento tipo Blacklight, cuja fonte de calor é invisível. Então eles não perturbam nem o seu conceito de iluminação existente, nem atraem insetos noturnos.

Aparelhos estacionários portáteis podem ser usados ao ar livre sem dificuldade em condições climáticas adequadas, pois pode colocá-los novamente sob o teto rapidamente, se necessário.

Nos espaços interiores tem a livre escolha. Só em ambientes húmidos precisa de um aparelho designado com a classe de proteção correspondente. No entanto, durante a instalação, certifique-se de que os radiadores de aquecimento estão bem fixos à parede ou ao teto ou que estão estáveis.

Aquecedores elétricos da Trotec – estas são as suas vantagens

Sempre que precisar de calor rápido e fácil, a Trotec é o seu parceiro confiável e competente.

Nos temos aquecedores elétricos de fabricantes conhecidos, desde convectores a aquecedores por infravermelhos e termoventiladores de cerâmica e radiadores a óleo.

Além disso, oferecemos termoventiladores elétricos particularmente eficientes para o setor industrial, que atendem plenamente às altas exigências deste campo de aplicação.

Graças aos seus controlos térmicos graduais os nossos convectores TCH portáteis podem ser utilizados como proteção contra geada. O termostato ativa automaticamente o aquecedor em temperaturas frias para manter as suas instalações livres de gelo ou para as proteger contra refrigeração excessiva.

Não apenas proprietários e empresas imobiliárias beneficiam da função de proteção contra geada, mas também pessoas privadas e de negócios que procuram proteção segura e eficiente contra geadas para recintos vagos ou garagens.

O funcionamento de proteção contra geada é particularmente adequada para recintos, jardins de inverno e caves que não estão ligados a um sistema de aquecimento central e que, dessa maneira, podem ser seguramente mantidas quentes e sem geada.

  1.  Equipamento de série
  2.  adquirível como opção
  3.  não disponível

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*