Como Saber Quando Vou Ter O Periodo?

A primeira menstruação, também conhecida como menarca, normalmente acontece por volta dos 12 anos, no entanto em alguns casos a primeira menstruação pode acontecer antes ou depois dessa idade devido ao estilo de vida da menina, alimentação, fatores hormonais e histórico menstrual das mulheres da mesma família.

O aparecimento de alguns sinais e sintomas podem indicar que a primeira menstruação está próxima, como aumento dos quadris, crescimento das mamas e aparecimento de pelos nas axilas, por exemplo, sendo importante acompanhar o desenvolvimento desses sintomas e ter sempre um absorvente por perto.

Como Saber Quando Vou Ter O Periodo?

Sinais e sintomas da primeira menstruação

A primeira menstruação normalmente é acompanhada por alguns sinais e sintomas que podem surgir dias, semanas ou meses antes da menarca, e acontecem devido às alterações hormonais que acontecem no organismo da menina. Assim, alguns sinais e sintomas que podem indicar que a primeira menstruação está próxima são:

  • Aparecimento de pelos pubianos e nas axilas;
  • Crescimento das mamas;
  • Aumento dos quadris;
  • Pequeno aumento de peso;
  • Aparecimento de espinhas no rosto;
  • Alterações de humor, podendo a menina ficar mais irritada, triste ou sensível;
  • Dor na região abdominal.

Esses sintomas são normais e indicam que o organismo da menina está sofrendo mudanças e, por isso, o uso de remédios, principalmente no caso de dor, não é recomendado. No entanto, caso a dor seja muito intensa, pode colocar uma bolsa de água quente na parte inferior da barriga para aliviar o desconforto.

É importante também que assim que surgirem os primeiros sinais e sintomas da menarca ou assim que a primeira menstruação “descer”, a menina tenha uma consulta com o ginecologista, pois dessa forma é possível entender quais são as mudanças que estão acontecendo nesse período e saber lidar melhor com a menstruação e os sintomas que podem surgir.

Como Saber Quando Vou Ter O Periodo?

O que fazer

Após a primeira menstruação, é importante que a menina consulte o ginecologista para que possam ser dadas todas as orientações necessárias relacionadas com a menstruação, sintomas que normalmente acompanham o ciclo menstrual, as mudanças no corpo e o que fazer durante o ciclo.

Assim, algumas orientações que podem ser dadas pelo ginecologista e que devem ser adotadas durante o ciclo menstrual são:

  • Usar absorvente para reter o fluxo menstrual, dando preferência aos absorventes noturnos durante os primeiros dias do ciclo;
  • Trocar o absorvente a cada três horas ou antes desse período quando o fluxo é muito intenso;
  • Realizar a higienização íntima com sabonete neutro;
  • Ter sempre absorvente dentro da bolsa, principalmente perto da data da próxima menstruação.

A menstruação é um processo natural e faz parte da vida da mulher, não devendo causar preocupação e nem constrangimento na menina. Além disso, a menstruação também pode ser considerada um sinal da fertilidade da mulher, ou seja, indica que os óvulos produzidos não foram fecundados, resultando na descamação da parede uterina, o endométrio. Entenda como funciona o ciclo menstrual.

Quantos dias dura a menstruação

A duração da menstruação pode variar de acordo com o organismo da menina, podendo durar entre 3 a 8 dias. Em geral, após 30 dias do seu fim, haverá uma nova menstruação, no entanto é normal que as menstruações seguintes demorem mais tempo para descer, já que o organismo da menina ainda está em processo de adaptação, principalmente relacionado às mudanças hormonais.

Assim, é comum que no primeiro ano após a primeira menstruação o ciclo seja irregular, assim como o fluxo menstrual, podendo variar entre mais e menos intenso entre os meses. Com o passar do tempo, o ciclo e fluxo vão se tornando mais regular, sendo mais fácil para a menina identificar quando a menstruação está próxima.

É possível atrasar a primeira menstruação?

O atraso na primeira menstruação é possível quando a menina tem menos de 9 anos e já apresenta sinais indicativos de que a primeira menstruação está próxima, sendo essa situação também conhecida como menarca precoce. Assim, o endocrinologista pediatra pode indicar algumas medidas que ajudem a atrasar a menarca e a permitir um maior crescimento ósseo.

Normalmente, nessas situações, o médico indica a injeção de hormônios todos os meses até que a menina atinja uma idade em que já não se tem nenhuma vantagem em evitar a vinda da menstruação. Saiba mais sobre a menarca precoce e o que fazer.

8 sinais que podem indicar problemas de fertilidade nas mulheres

Para as mulheres que sonham em ser mães, nenhum problema de saúde assusta mais do que a infertilidade. O medo de descobrir que é infértil deixa muitas mulheres inseguras para visitar o médico e receber esse diagnóstico.

Apesar disso, o nosso organismo é muito sábio e, por isso, é capaz de nos enviar sinais biológicos que podem indicar que algo está errado.

Se você quer descobrir quais sinais podem apontar possíveis problemas de infertilidade nas mulheres, que tal conferir o nosso artigo sobre o assunto? Use essas informações a seu favor!

Condição ginecológica mais grave

As mulheres que apresentaram diagnóstico de endometriose ou de miomas ovarianos têm mais chances de apresentar quadro de infertilidade do que aquelas que não tiveram problemas ginecológicos.

A endometriose e o mioma, dependendo da sua localização e tamanho, podem afetar diretamente a produção do ciclo menstrual feminino, interferindo na sua capacidade de ovular e até mesmo de ter seu óvulo fecundado por um espermatozoide.

Menstruação sempre irregular

Você sempre apresentou menstruação irregular? Esse também pode ser um indício de que você tem problemas de fertilidade. A menstruação irregular pode ser uma consequência de vários fatores — que podem ser emocionais, hormonais e até mesmo nutricionais —, mas também sinalizam problemas como cistos ovarianos, que interferem na fertilidade.

Menstruação sempre irregular

Você sempre apresentou menstruação irregular? Esse também pode ser um indício de que você tem problemas de fertilidade. O ciclo menstrual da mulher tem cerca de 28 dias, podendo variar para um pouco menos ou mais, mas mantendo o ritmo do organismo de cada mulher.

Porém, algumas mulheres podem menstruar antes do previsto ou muito depois da data, e a menstruação pode falhar. Esses fatores caracterizam o ciclo menstrual irregular.

A menstruação irregular pode ser uma consequência de vários fatores — emocionais, hormonais e até mesmo nutricionais —, mas também sinalizam problemas como cistos ovarianos, que interferem na fertilidade.

Cólicas extremamente fortes

As cólicas menstruais são sintomas naturais do ciclo ovariano da mulher; entretanto, quando elas sempre se apresentam exageradas e lhe deixando pouco funcional durante esse período, elas podem indicar algum problema. Cólicas exageradas geralmente são associadas à endometriose, condição clínica que afeta a fertilidade.

Hábitos de vida completamente irregulares

Mulheres que fumam e/ou bebem muito, e se alimentam de maneira completamente desequilibrada, podem apresentar problemas significativos na hora de tentar engravidar. Esses fatores externos, como o tabagismo e a ingestão elevada de compostos danosos ao organismo, podem influenciar no metabolismo correto do corpo, resultando em baixa fertilidade na mulher.

Leia também:  Como Saber A Quantidade De Proteina Que Devo Ingerir?

Peso corporal diferente do ideal

Mulheres abaixo ou acima do seu peso corporal ideal podem ter dificuldades para engravidar, pois essa característica está diretamente ligada à produção hormonal. Quando os hormônios do corpo estão desregulados, a mulher pode ovular de maneira irregular e apresentar problemas de fertilidade.

Além disso, quando o peso corporal está muito abaixo do ideal, a mulher também pode apresentar uma queda nutricional no organismo. E não possuindo os nutrientes necessários para uma gestação, conseguir engravidar pode se tornar mais difícil.
Diagnóstico de doenças crônicas

Mulheres que apresentam diagnóstico de doenças como a diabetes, a hipertensão, a obesidade e até mesmo o colesterol alto, são classificadas no grupo de risco para ter baixa fertilidade. Isso acontece porque as doenças crônicas interferem de maneira significativa no metabolismo corporal, que pode ter, como uma de suas consequências, alterações na fertilidade feminina.

Tratamentos com radiação ou quimioterapia

Qualquer tipo de tratamento médico realizado com compostos invasivos e que apresentam efeitos colaterais, como a radiação ou a quimioterapia, podem influenciar na capacidade da mulher em se apresentar fértil.

Isso acontece porque a radiação ou quimioterapia, ao agirem nas células doentes, tentando eliminá-las, também agem em células boas como os gametas, podendo eliminar toda a reserva de óvulos que a mulher possui.

Mesmo conhecendo todos os possíveis sinais que indicam problemas de fertilidade nas mulheres, nenhum diagnóstico clínico pode ser fechado sem a avaliação e acompanhamento de um médico especialista em problemas de fertilidade.

Muitas vezes a dificuldade de engravidar pode ser uma consequência de uma soma de fatores encontrados na mulher e no homem, que não permitem que o casal seja considerado fértil.

Por isso, se você desconfia que apresenta um dos sinais acima, não hesite em procurar a orientação de um especialista.

Idade acima de 35 anos

Embora esse fator não seja necessariamente um problema e trate-se de um processo natural do organismo, mulheres acima de 35 anos podem ter mais dificuldade para engravidar.

Isso acontece por vários fatores, sendo um deles a queda na produção hormonal. Também há o fato de a quantidade de óvulos da mulher já estar bastante reduzida, podendo dificultar a fertilização.

Ao contrário dos homens, a mulher não produz suas células reprodutivas ao longo de vida. Assim que nasce, a mulher já traz consigo os óvulos para toda a sua vida. Eles são amadurecidos e liberados aos poucos, durante seu período fértil. Ao chegar aos 35 anos, ela já possui poucos óvulos e eles podem estar velhos, o que dificulta a gravidez.

Mesmo conhecendo todos os possíveis sinais que indicam problemas de fertilidade nas mulheres, nenhum diagnóstico clínico pode ser fechado sem a avaliação e o acompanhamento de um médico especialista em problemas de fertilidade.

Muitas vezes, a dificuldade de engravidar pode ser consequência de uma soma de fatores encontrados na mulher e no homem, que não permitem que o casal seja considerado fértil.

Por isso, se você desconfia que apresenta um dos sinais acima, não hesite em procurar a orientação de um especialista.

Qual é a sua opinião sobre esse assunto? Tem dúvidas sobre a manifestação da infertilidade na mulher? Comente e compartilhe suas ideias com a gente!

Equipe Médica Revisora do Texto

Dr. Ricardo Marinho, Dra. Hérica Mendonça, Dra. Leci Amorim, Dr. Fábio Peixoto, Dra. Luciana Calazans e Dr. Leonardo.

Período fértil: aprenda a identificar os sinais do corpo

Se um neném está nos seus planos para o próximo ano, este texto é para você!

Vamos entender mais sobre o período fértil, aquele intervalo de tempo em que as chances de engravidar aumentam.

Antes de começarmos, um alerta: apesar de ser bastante útil para as mulheres que querem engravidar, a compreensão sobre o período fértil não é suficiente para evitar uma gravidez indesejada. Afinal, o corpo humano não é uma máquina exata. Para saber mais sobre os métodos anticoncepcionais, confira em: Qual é o melhor anticoncepcional?

Aqui, vamos ver:

Como calcular o período fértil?

Sintomas do período fértil

Não consigo engravidar. O que fazer?

Como calcular o período fértil?

A regra não é absoluta, mas geralmente o período fértil ocorre na metade do ciclo menstrual regular, quando o óvulo é liberado pelo ovário.

O ciclo menstrual começa no primeiro dia da menstruação e acaba no começo da próxima. Ou seja, é contínuo. Para saber o tempo do seu ciclo é só contar o número de dias entre uma menstruação e a do mês seguinte. Em geral, a duração do ciclo menstrual varia entre 24 e 38 dias.

Observação: considera-se o primeiro dia da menstruação já a primeira “borra” ou “sujeirinha” antes do sangramento mais forte.

Para exemplificar o cálculo do período fértil, vamos considerar o ciclo regular “clássico” dos livros de biologia: de 28 dias. E, para facilitar a conta, vamos imaginar que a menstruação desceu no dia primeiro de janeiro.

A metade do ciclo de 28 dias ocorrerá no dia 14. É o dia da ovulação. Daí se considera 3 dias antes e 3 dias depois para descobrir a semana fértil. Nesse caso hipotético, teremos o período fértil do dia 11 ao dia 17 de janeiro.

No caso do ciclo irregular, quando a duração varia muito de um mês para o outro, o cálculo é mais complexo e muito menos preciso. Ele depende da observação e anotação de, no mínimo, seis ciclos para ter uma estimativa.

Se um ciclo teve 26 dias, o outro 30, outro 28, outro, 35, e assim por diante. Considera-se o período de ciclo mais curto e subtrai-se 18 dias, e o mais longo, para subtrair 11 dias.

O período fértil será o intervalo entre esses dois resultados, que será bem amplo.

Por exemplo, se o ciclo de menor duração for de 26 dias (menos 18 dias = 8) e o maior for de 35 dias (menos 11 dias = 24), o período mais propenso para engravidar será entre o 8º e 24º dia de cada mês.

Dica: Independentemente da intenção de engravidar, é interessante anotar sempre a data de começo e término para identificar se seu ciclo é regular ou não e ter maior consciência sobre as alterações naturais do corpo. 

Dica 2: Apesar de ser normal, o ciclo irregular pode sinalizar alguns problemas de saúde, como diabetes descontrolada, obesidade ou subnutrição. Por isso, é importante levar as informações para um médico averiguar com ajuda de exames.

Sintomas do período fértil

O calendário e a matemática não são taxativos na definição do período fértil, mas alguns sinais do corpo podem dar uma ajudinha para quem está planejando ter filhos.

Leia também:  Vinho Caseiro De 14 Graus Como Saber Que E Bom?

Os principais sintomas de que a mulher está no período fértil são: secreção vaginal mais fina, leve aumento na temperatura basal, leve dor no baixo ventre e/ou pelve e aumento da libido. Vamos falar sobre os sintomas:

Secreção vaginal com consistência de clara de ovo. Trata-se do muco cervical, o fluido que ajuda a “conduzir” o espermatozoide rumo ao óvulo. Essa secreção sem odor ocorre durante todo o ciclo, mas fica mais fina durante o período fértil.

No teste de toque do muco usando o polegar e o indicador, ele tende a se estender até 8 cm. Depois de passada a ovulação, fica mais grosso e “estica” menos. Mas atenção: o teste não é totalmente preciso, pois infecções vaginais podem alterar a viscosidade.

Leve aumento na temperatura basal, que é a temperatura do corpo da pessoa assim que acorda, antes mesmo de levantar. Durante o período fértil, a temperatura tende a ser 0,5 graus mais elevada que o comum por causa do aumento dos níveis do hormônio progesterona. O nome do hormônio é sugestivo: pró-gestação.

A análise da curva da temperatura basal requer bastante disciplina: é preciso medir a temperatura pela boca todos os dias, de preferência no mesmo horário, antes de levantar.

A temperatura tende a ser regular, quando se eleva cerca de 0,5 graus pode indicar a ovulação.

Mas atenção: mais uma vez é importante ressaltar que o indicador não é totalmente preciso, pois qualquer resfriado ou infecção também pode alterar a temperatura corporal.

Aumento da libido, que é a vontade de manter relações sexuais, provocada em parte pelo aumento nos níveis de estrogênio no corpo.

Dor leve no baixo ventre e na região da pelve: leves pontadinhas, às vezes imperceptíveis, podem sinalizar que o óvulo está se soltando e se preparando para receber o espermatozoide.

Não consigo engravidar. O que fazer?

Você já sabe qual é o seu período fértil, mantém relações sexuais sem proteção contraceptiva há pelo menos um ano e, ainda assim, a gravidez desejada não aconteceu? Isso não necessariamente indica problema de fertilidade, mas é importante consultar um médico para averiguar a fertilidade do casal.

De cada seis casais, um tem dificuldade para engravidar. As causas da infertilidade podem ser femininas, masculinas ou mistas. A proporção é de cerca de 30% para cada um, sendo que cerca de 10% dos casos são de causa desconhecida.

Apesar da investigação médica sobre a fertilidade do casal normalmente ser indicada após um ano de tentativas, ela pode ser antecipada em casos de mulheres com mais de 35 anos, ciclos menstruais irregulares, história de doença inflamatória pélvica, diagnóstico ou suspeita de endometriose, cirurgias abdominais anteriores. E, no caso dos homens, se houver histórico de hábitos, doenças ou cirurgias que possam estar relacionados.

Fonte: Febrasgo, Manual do período fértil, Agenda da Mulher, Manual de Orientação Reprodução Humana 2011

Revisão técnica: equipe médica da Unimed do Brasil

Período Fértil

O período fértil inicia 5 dias antes do dia da ovulação. Este “período” de ovulação calcula-se num ciclo regular como um número de dias após a menstruação. Este dia fértil e os 5 dias prévios (anteriores) são a melhor altura para engravidar.

A maior probabilidade de engravidar atinge-se com relações sexuais imediatamente antes da ovulação, ou seja, um a dois dias antes de ovular.

Isto porque os espermatozoides conseguem sobreviver até vários dias no sistema reprodutivo feminino sem fecundação. O ovócito, por outro lado, tem uma janela de possível fecundação de pouco mais de 12 horas.

Isto significa que, após a ovulação, existem cerca de 12 horas para um espermatozoide fecundar o ovócito.

O período fértil não é a única altura em que pode engravidar, é antes a que proporciona maior probabilidade de uma gestação acontecer.

Ao analisar pelo menos os 3 últimos ciclos (3 últimas menstruações) poderá saber se o seu ciclo menstrual é regular e, com isso, calcular os seus dias férteis depois da menstruação e controlar a eficácia de vários métodos que a ajudam neste cálculo.

Como calcular o período fértil?

A fase mais “regular” entre mulheres é a fase lútea, ou a segunda fase. Então a ovulação ocorrerá cerca de 14 dias antes da menstruação (numa mulher que ovule).

Numa mulher com ciclos de 28 dias será sensivelmente a meio, ou 14º dia.

No entanto, uma mulher com ciclos menstruais de 25 dias terá a ovulação por volta do 11º do ciclo, enquanto uma mulher com ciclos de 35 dias terá este evento perto do 21º dia do ciclo.

Ao ter uma ideia sobre a data ou altura de ovulação mais provável, identificamos o período em que as relações sexuais têm maior probabilidade de gravidez: esse dia e os 5 dias anteriores.

Quantos dias dura o período fértil?

O período fértil tem uma duração de 6 dias. O dia da ovulação e os 5 dias anteriores constituem a altura de maior probabilidade de gravidez, o que constitui quase uma semana fértil em cada ciclo menstrual.

É possível, no entanto, engravidar fora deste período, mesmo que a data da ovulação não se altere muito.

Como saber se estou no período fértil?

Existem algumas formas de identificar o período fértil. Cada método funciona de maneira ligeiramente diferente e estes podem ser complementados para se saber os dias mais férteis do ciclo menstrual. Estes métodos, e sobretudo a sua conjugação permitem avaliar os dias onde existe uma maior probabilidade para a mulher engravidar.

Note que a maior parte dos métodos são aproximações, sendo muitas vezes difícil identificar precisamente a ovulação, que pode variar de mês para mês.

Método do calendário

O método do calendário permite-nos construir uma tabela de fertilidade feminina individualizada, que funciona do seguinte modo: conhecendo as datas das últimas menstruações (por ex. 3 últimos meses, idealmente mais), podemos prever a data esperada para a próxima menstruação (quando irá ter o próximo cataménio ou período).

Calcular o período fértil com base nesta data num ciclo regular (cujo número médio de dias não varie muito) torna-se fácil. Este método pode ajudar muito na identificação da fase mais fértil da mulher.

Tendo as últimas menstruações podemos calcular a duração de cada um desses ciclos, contando quantos dias passaram desde uma menstruação até à seguinte – Por exemplo: 28;30;29;29;31;40;28 dias. Se tirarmos o número 40, que, claramente, foi um ciclo fora do habitual, a média dá muito próxima de 29 dias.

Assim, se esta mulher menstruar no dia 1 de janeiro, irá menstruar novamente a 30 ou muito perto desse dia. A ovulação ocorrerá cerca de duas semanas antes da menstruação seguinte. Como já vimos, a fase lútea, ou segunda fase, é a mais regular entre mulheres.

Assim, num ciclo de 32 dias, ou seja, a ovulação dar-se-á por volta do dia 18 do ciclo (cerca de 18 dias desde o início da menstruação anterior). 

Leia também:  Como Tirar Papel De Parede Que Não Quer Sair?

No nosso exemplo, com uma média de 29 dias, a ovulação dar-se-á por volta do dia 15 do ciclo. Isto significa que, sendo o dia 1 do ciclo o dia em que veio a menstruação, os dias 10 a 15 corresponderão ao período fértil.

  • Veja outro exemplo: Menstruei dia 24, qual o meu período fértil?
  • Usando os cálculos acima descritos, se a menstruação for regular, com 32 dias em média por ciclo menstrual e o mês atual tiver 30 dias, será previsível que ovule por volta do dia 11 do próximo mês.
  • Por outro lado, se a menstruação for regular, mas com 28 dias esta data será mais próxima do 7 do próximo mês, mantendo as restantes premissas.
  • Saiba, aqui, o que é ciclo menstrual.

Sintomas no período fértil e alterações fisiológicas

Quando a mulher está no período fértil pode notar diferenças, como as alterações do corrimento vaginal, mais fino, transparente, tipo clara de ovo, escorregadio e filoso (estica) perto da altura da ovulação (Spinnbarkeit). Pelo seu conteúdo em açucares, este corrimento, mais parecido com muco, cristaliza facilmente ao secar, formando um aspeto microscópico de folhas de fetos. O seu aparecimento indica uma ovulação em breve.

Por vezes, é possível inclusive sentir a ovulação (Mittelschmerz), como uma dor regular em determinada altura do ciclo.

Conheça, aqui, as fases do ciclo menstrual.

Teste de Ovulação (teste LH – fertilidade)

A hormona que despoleta a ovulação (ver fases do ciclo menstrual) pode ser detetada na urina antes da ovulação ocorrer, o que indica com elevada fiabilidade o período fértil. Esta hormona aparece na urina cerca de 24 horas antes da ovulação, o que torna o teste bastante útil para determinar o período de maior probabilidade de gravidez.

Existem vários kits disponíveis no mercado. O teste deve ser executado consoante as instruções, que podem variar entre kits, sempre à mesma hora, começando uns dias antes da ovulação prevista pelo método do calendário.

Isto permite que se tenha maior certeza que houve um pico hormonal quando o teste é positivo.

O dia do teste positivo e o seguinte são os dias com maior probabilidade de gravidez nesse ciclo.

Por vezes, o teste não identifica corretamente o pico de LH (nunca é positivo ou é positivo muitas vezes) o que pode requerer sensibilidades diagnósticas diferentes das tiras e interpretação no contexto clínico da mulher.

Temperatura basal

A temperatura basal da mulher sobe após a ovulação, cerca de 0,5º, o que é identificável. No entanto, este método só será útil para demonstrar que terá existido ovulação e, eventualmente, melhorar o método do calendário.

Depois da ovulação ocorre um aumento da progesterona e consequente subida de temperatura, a probabilidade de fecundação já diminuiu drasticamente para novas relações sexuais. (ver Otimizar a Fertilidade).

Calcular período fértil com ciclo irregular

Para saber os dias de maior probabilidade de engravidar, com um período irregular, poderá usar também um dos métodos que descrevemos acima. 

As alterações ao longo do ciclo poderão ser observadas em ciclos ovulatórios (normais) e os testes de ovulação (LH) funcionarão de igual forma. Note que pode engravidar de forma fácil mantendo relações sexuais regulares 2 a 3 vezes por semana a iniciar pouco após a cessação da menstruação. Se tudo o resto estiver bem (se ovular, nomeadamente), será igualmente rápido.

Note que um ciclo menstrual muito irregular pode estar relacionado com patologia (doença) pelo que deve ser avaliado pelo seu médico (ver ciclo menstrual).

Veja mais informações em cálculo de período fértil.

Quantos dias antes / depois da menstruação posso engravidar?

Já vimos que alguns dias após a menstruação inicia o período fértil (dias em que ocorrem as alterações que precedem a ovulação). Este período não é igual em todas as mulheres.

Isto significa que existe uma probabilidade acrescida de gravidez nesse conjunto de dias, não invalidando, no entanto, que a gravidez possa ocorrer noutros períodos.

Ou seja, as relações sexuais fora do período fértil podem igualmente originar gravidez, ainda que com menor probabilidade. A probabilidade de engravidar fora do período fértil diminui à medida que nos afastamos do período calculado, em qualquer direção (antes e depois), mas tal não significa que uma gravidez não possa ocorrer.

Após a menstruação é sempre “possível” engravidar com relações desprotegidas e, em algumas situações mais raras, é possível engravidar nos últimos dias da menstruação.

Isto quer dizer que uma relação sexual desprotegida nestas alturas pode levar a que um espermatozoide se mantenha viável o tempo suficiente para algumas mulheres, com ciclos curtos e que ovulem cedo, engravidarem.

São, no entanto, situações de muito menor risco de gravidez, que estão na origem do método do calendário como método de contracepção.

Seja 1 dia depois da menstruação ou mais, a probabilidade de gravidez já tem a ver com o período fértil esperado para determinada mulher. 3 dias depois da menstruação algumas mulheres já poderão estar dentro do seu período fértil. Nomeadamente mulheres com ciclos menstruais de 25 dias ovularão por volta do 11º dia de cada ciclo, pelo que no 6º dia poderão estar a entrar no período fértil.

Dias inférteis são dias em que a probabilidade é muito menor de gravidez. Estes serão mais facilmente determinados se, com certeza, foi identificada a ovulação.

Mais de dois dias após a ovulação ocorrer, a probabilidade de gravidez decresce muito (sendo muito menor do que em qualquer altura antes daquela ocorrer) até aos primeiros dias da menstruação, depois da progesterona descer

Os métodos baseados no calendário falham muito, pelo que as mulheres que não desejam aumentar ou constituir família devem usar contraceção eficaz em todas as relações sexuais. Se possível um método de barreira (ou também), como o preservativo masculino, que previne ainda doenças sexualmente transmissíveis.

Como otimizar a minha fertilidade?

Se pretende engravidar não se deve preocupar demasiado. A ansiedade não ajuda. Se tudo estiver bem com o casal, a gravidez ocorrerá de forma natural em alguns meses, e não deve ser motivo de preocupação se tal não acontecer nos primeiros tempos.

A programação de relações sexuais causa desconforto no casal e raras vezes ajuda. Ausência de gravidez após 1 ano antes dos 35 anos da mulher, ou 6 meses se mais de 35 anos, merece investigação por um médico ligado à fertilidade.

Saiba, aqui, tudo sobre otimização da fertilidade feminina.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*