Como Saber Quando Mudar A Correia De Distribuição?

Como Saber Quando Mudar A Correia De Distribuição?

A correia de distribuição é um dos componentes mecânicos mais importantes na grande maioria dos automóveis, onde a manutenção e a respetiva mudança é essencial para que o motor do seu automóvel funcione de forma adequada. Existem automóveis com corrente de distribuição metálica e outros com correia (dentada) em borracha, e é em relação a estes últimos que iremos elucidar os leitores sobre o que é, para que serve, e quando deve ser mudado.

Este componente é sem sombra de dúvidas, uma das peças mais importantes para o funcionamento do motor, já que tem como principal tarefa a sincronização de todos os componentes que permitem que este trabalhe corretamente, sejam eles os êmbolos e o seu movimento, seja às válvulas e noutros casos até mesmo a bomba de água. O equilíbrio e sincronização de todos estes componentes só funcionam com a respetiva correia de distribuição.

Como Saber Quando Mudar A Correia De Distribuição?

Olhando mais em pormenor para a correia, esta é fabricada em borracha, não só pela resistência que possuiu como permite um baixo nível de ruído quando se encontra em movimento.

A correia trabalha com uma polie fundamental para o seu correto funcionamento, onde além deste, existe também um tensor cuja sua função é criar a tensão necessária na correia de forma a manter o seu alinhamento.

Por fim como referenciámos, em muitos automóveis também existe um terceiro componente que trabalha com a correia de distribuição, ou seja, a bomba de água. A função desta é fazer circular todo o líquido de arrefecimento pelo motor.

Como Saber Quando Mudar A Correia De Distribuição?

Manutenção da Correia de distribuição

  • Quando se muda a correia de distribuição é aconselhável mudar também a bomba de água (e o próprio tensor), mesmo sabendo que poderá estar a funcionar corretamente, pois pelo valor da mesma e longevidade possível, poderá poupar dinheiro senão tiver que pagar a mão-de-obra mais tarde só para mudar esse componente.
  • É importante frisar que as correias de distribuição devem ser substituídas de acordo com os prazos e recomendações do fabricante automóvel.
  • Estes prazos para a mudança deste componente variam de marca para marca, e até mesmo em vários modelos do mesmo fabricante.

Muitos aconselham a substituição ao fim 5 anos ou 100.000 kms, outros ao fim de 10 anos ou se o automóvel tiver percorrido uma distância de 240.000 kms. Ou seja conforme o que fizer primeiro, se percorrer poucos quilómetros terá que a substituir pela idade, e vice-versa.

Como Saber Quando Mudar A Correia De Distribuição?

A correta montagem da correia é essencial não só para o bom funcionamento da mesma, como pelo desgaste que esta irá ter durante o período de utilização. Mesmo depois de ter instalado o kit de distribuição, convém de tempos a tempos (se possível) verificar o estado da mesma, a fim de detetar se o desgaste desta não é anormal.

Problemas na correia de distribuição

Os problemas poderão ser facilmente detetáveis, e podem ser tão diferenciados como: desgaste excessivo, cortes na correia, residios de óleo ou outros. Se forem detetados a tempo poderão poupar-lhe muitas centenas de euros.

Se por acaso acontecer uma falha catastrófica neste componente, como a correia partir por exemplo, o motor irá sofrer consequências muito graves.

Esta anomalia danifica as válvulas, empena as árvores de cames, sendo isto causado pela dessincronização entre a correia de distribuição e o próprio motor.

Como Saber Quando Mudar A Correia De Distribuição?

Mesmos os fabricantes que usam correntes metálicas de distribuição, podem sofrer de uma falha do mesmo tipo, ainda que estes casos sejam menos frequentes.

Este sistema tem a vantagem de não necessitar de manutenção, e são poucos os casos em que são substituídos. Contudo a sua maior desvantagem em alguns casos, é provocar um maior ruído de funcionamento.

Existem inúmeras marcas no mercado de peças que fabricam e comercializam as peças que compõem o kit da correia de distribuição, e a grande maioria já oferece packs com tudo incluindo, como a correia mais a bomba de água, tensor e polie.

Para uma correta substituição da correia de distribuição e respetivos componentes aconselhamos que esta operação seja feita por profissionais especializados em oficinas credenciadas.

Roady – Serviços – Pack Serviços Oficina

Prolongue a vida do motor do seu veículo! Sabia que

A correia de distribuição tem a função de sincronizar o movimento da árvore de cames (válvulas de escape e admissão) com o movimento da cambota (pistons). É essencial que este órgão esteja em perfeitas condições, pois a rotura ou deterioração da correia de distribuição pode causar graves danos no interior do motor.

DICAS: Correia de Distribuição

Não deve adiar de forma alguma a substituição da correia de distribuição. Não deixe de visitar um dos nossos Centros-Auto Roady, fazemos o ciclo completo de manutenção, através do serviço de substituição das correias de distribuição. Substituímos ainda os componentes ligados à correia de distribuição: bomba de água, tensores, correia auxiliar, entre outros.

Como Saber Quando Mudar A Correia De Distribuição?

Preços válidos para a compra e montagem das peças no Centro-auto Roady e para peças em stock. As peças não podem ser vendidas abaixo do seu preço de custo. 2Packs válidos para viaturas apenas com uma correia de distribuição. Bombas de água com componentes elétricos não incluídos (preço sob consulta)

Consulte a disponibilidade nos Centros-auto Roady em https://www.roady.pt/lojas

Segurança na Travagem

Está na altura de verificar o sistema de travagem quando: a intensidade da travagem está mais reduzida, o pedal do travão fica com uma folga, quando trava o veículo desvia-se para um dos lados, o volante vibra quando trava, os travões chiam e fazem ruídos, entre outros. Sempre que as pastilhas de travão forem substituídas, deverá ser verificado o estado dos discos de travão.

Na compra das pastilhas para os travões, opte sempre por uma marca de pastilhas que ofereça confiança e qualidade.

Como Saber Quando Mudar A Correia De Distribuição?

Preços válidos para a compra e montagem das peças no Centro-auto Roady e para peças em stock. As peças não podem ser vendidas abaixo do seu preço de custo. 1Preços válidos para o eixo dianteiro ou traseiro. Avisadores de desgaste não incluídos.

Consulte a disponibilidade nos Centros-auto Roady em https://www.roady.pt/lojas

Higienização das condutas de ventilação Como Saber Quando Mudar A Correia De Distribuição?

Consulte a disponibilidade nos Centros-auto Roady em https://www.roady.pt/lojas

Saiba quando deve mudar a correia de distribuição – Compra Segura

Como Saber Quando Mudar A Correia De Distribuição?

A correia de distribuição é uma das peças do motor do seu carro mais importantes. Saiba quando a deve mudar e o que pode acontecer se não o fizer a tempo.

  • Apesar de não estar à vista desarmada, quando abre o capot de um carro, saiba que a correia de distribuição é, provavelmente, o componente mais importante de todo o compartimento do motor.
  • Esta peça, feita de borracha, está sujeita a uma enorme tensão e a um enorme desgaste ao longo da sua vida e, dada a importância e complexidade dos componentes a que está associada, caso se estrague, poderá provar danos irreversíveis no motor do seu carro.
  • Mas, antes de saber quando deve ser mudada, é importante saber exactamente o que é uma correia de distribuição e qual a sua função.

Correia de distribuição: o que é e quando mudá-la

Como Saber Quando Mudar A Correia De Distribuição?

O que é?

  1. A correia de distribuição é responsável pela sincronização do movimento de todos os componentes móveis do motor do carro.
  2. É responsável por sincronizar o movimento de várias peças do motor, entre elas os pistões, das válvulas e, em muitos casos, também da bomba de água.

  3. Embora existam correias (correntes no caso) fabricadas em metal que fazem o mesmo trabalho (embora as correntes raramente necessitem de manutenção ou de serem substituídas), este componente é, na maioria dos casos, fabricado numa borracha reforçada e isto acontece por dois motivos: redução do ruído ao trabalhar e redução dos custos de fabrico.
  4. O sistema da correia de distribuição é constituído por vários elementos, a saber: a correia dentada, um tensor e uma bomba de água.
  5. A correia dentada é responsável por sincronizar os movimentos do motor.
  6. O tensor tem a função de criar uma determinada tensão na correia de forma a que esta mantenha sempre o seu alinhamento e garanta o correcto funcionamento das restantes roldanas.
  7. Por fim, a bomba de água tem como função fazer circular o líquido de arrefecimento que é responsável por manter a temperatura do motor nos níveis ideais (perto de 90ºC).
  8. Agora que sabemos o que é a correia de distribuição, vamos saber quando é que deve ser feita a manutenção deste componente.

Quando mudar a correia de distribuição?

A manutenção das correias de distribuição varia muito de fabricante para fabricante e, para uma informação mais detalhada, deve consultar o manual de instruções do seu automóvel.

Geralmente, as correias de distribuição fabricadas em borracha reforçada são talhadas para percorrerem entre 100.000 a 120.000 quilómetros, sendo aconselhável que faça a sua alteração depois de percorrida essa distância.

Caso não utilize a viatura com tanta frequência, saiba também que por uma questão de data de validade dos componentes, a correia de distribuição, assim como todo o kit adjacente a este componente, devem ser mudados a cada 5 anos, ainda que não tenha percorrido a distância indicada pelo fabricante.

Recorde-se que a tarefa de mudar a correia de distribuição é um processo complicado e apenas deve ser feito por um mecânico qualificado. Jamais tente mudar este componente em casa.

A correia de distribuição é um elemento falível como qualquer outro e é importante que esteja atento ao seu comportamento ao longo do tempo. Ao menor problema que surja com o motor do seu carro, procure consultar um mecânico para que este lhe dê o seu parecer.

Leia também:  Como Fazer Com Que Um Rapaz Se Apaixone Por Mim?

O que acontece se não mudar a correia de distribuição, na altura certa?

Caso não faça a devida manutenção à correia de distribuição, os danos poderão ser vários e, em alguns casos, irreparáveis, podendo até fazer com que o motor do seu carro rebente.

Se não mudar a correia de distribuição na quilometragem indicada, esta poderá começar a apresentar sinais de fadiga – acabando eventualmente por rebentar -; danificar vários componentes, devido à tensão da corrente; e descoordenar o movimento dos pistões e das válvulas, fazendo com que estes entrem em colisão, podendo inclusive fazer com que o motor do seu carro entre em combustão.

Estas serão sempre as piores consequências. Contudo, não mudar a correia de distribuição na altura certa pode também causar fugas de óleo ou de água, que podem ocorrer por folgas e falhas no material. Tal pode fazer com que perca líquidos de lubrificação ou de refrigeração, causando também danos graves no “coração” do seu automóvel.

  • Sempre que ouvir um barulho estranho vindo do compartimento do motor do seu carro, deve visitar um mecânico, salvaguardando assim problemas de maior dimensão.
  • Recorde-se também que sempre que a correia de distribuição é mudada, os restantes componentes que integram este kit (tensores e bomba de água) devem também ser mudados.
  • Leia também:

Peças auto: Cuidados a ter com a correia de distribuição

Como Saber Quando Mudar A Correia De Distribuição?

As peças auto exigem uma manutenção cuidada, a fim de prolongar a vida útil dos automóveis. A correia de distribuição é uma das mais importantes para o funcionamento do motor dos veículos. É um componente em borracha, com forma dentada na face interior. Na maioria dos carros, é de fácil substituição, não implicando grandes custos.

Esta peça tem o papel de ligar, através de polies, a cambota à árvore de cames. É essencial para o sincronismo na abertura e fecho das válvulas de cada cilindro. Em alguns automóveis, liga ademais à bomba de água, responsável por fazer circular o líquido refrigerador no motor.

Há certas marcas e modelos de veículos que não vêm equipados com este componente. Ao invés, utilizam uma corrente metálica interna, que não requer os cuidados que a correia exige. Se tiver dúvidas, informe-se na sua oficina auto para saber qual o tipo de sistema de distribuição do seu carro.

Quais as consequências da quebra da correia de distribuição?

Por vezes, a manutenção destas peças auto é descurada pelos proprietários, o que constitui um erro crasso. É quando a correia de distribuição se quebra que as dores de cabeça surgem. As consequências do rebentamento são enormes para o motor, originando reparações extremamente dispendiosas.

Os efeitos dependem da velocidade e da rotação do motor na altura do rebentamento. O mesmo poderá danificar os pistões, válvulas e até conduzir ao empenamento da árvore de cames.

A substituição e reparação destes componentes acarretam um trabalho complexo, com custos consideráveis. Por vezes, o preço a pagar acaba por não justificar a reparação do motor, ditando o fim deste.

3 Sinais de uma correia de distribuição danificada

Para garantir uma boa manutenção automóvel, é importante estar atento a determinados sinais de alerta. Os mesmos poderão indicar problemas com a correia e outras peças auto que compõem o sistema de distribuição:

  1. Ruídos anormais provenientes do motor: Chiadeiras ou outros barulhos metálicos quando acelera ou coloca o carro a trabalhar podem indiciar dessincronia dos componentes do motor ou problemas nos tensores da correia;
  2. Desgaste da parte dentada ou fissuras: Pode sugerir que a correia não está a realizar um trabalho eficaz, impedindo, dessa forma, o funcionamento sincronizado do motor;
  3. Vestígios de óleo na correia: Podem ser sinais de alguma fuga através dos retentores das polies, o que prejudica o normal funcionamento do sistema de distribuição.

É importante não esperar que estes sinais surjam nas peças auto do seu veículo, pois podem originar danos irreparáveis.

Quando mudar a correia de distribuição?

Para manter o motor do carro em perfeitas condições, o ideal é fazer regularmente uma revisão numa oficina da sua confiança. O técnico irá, com certeza, atestar o estado da correia, bem como de outras peças auto que fazem parte do sistema de distribuição. Em caso de necessidade, irá sugerir a sua mudança ou manutenção.

Ainda assim, certifique-se de que o seu mecânico faz essa vistoria. Mesmo que não haja sinais evidentes de desgaste, deverá solicitar a substituição da correia nos seguintes casos:

  • Quando atingir a quilometragem recomendada pelo fabricante do seu carro. Geralmente, dependendo da marca e modelo do veículo, a substituição deverá acontecer a cada 100 mil quilómetros. Desse modo, consulte o manual para esclarecer eventuais dúvidas;
  • Quando exceder o prazo de validade. Em média, os fabricantes automóveis recomendam a troca da correia de distribuição a cada 5 anos.

Dicas para a manutenção e substituição destas peças auto

Quando chegar a hora de substituir a correia, tenha em conta os seguintes aspetos:

  1. O trabalho deve ser feito por um profissional devidamente credenciado. Apesar de ser rápido, o serviço requer alguns cuidados;
  2. Nunca faça a substituição na sua garagem. A probabilidade de ser realizada de forma incorreta é grande, correndo riscos desnecessários;
  3. Para além da correia, substitua o chamado kit de distribuição, composto por tensores, polies e bomba de água. Mesmo que estas peças auto estejam em boas condições, uma vez que têm maior durabilidade, convém substituí-las. Poupará dinheiro em mão de obra.

Sempre que tiver dúvidas em relação à manutenção do seu veículo, consulte um profissional. Evitará certamente constrangimentos futuros, prolongando a vida útil do carro.

Se deseja saber mais sobre problemas e questões comuns, subscreva o nosso blog. Escrevemos regularmente sobre veículos, manutenção automóvel e oficinas auto.

A Espogama está comprometida com a implementação do RGPD. Para podermos tratar os seus dados pessoais, necessitamos do seu consentimento. Clique aqui para conhecer a nossa Política de Privacidade.

Correia de distribuição: tudo o que precisa saber (o guia completo)

Normalmente, não é um dos componentes que recebe muita atenção devido à sua longa vida útil. Porém, a correia de distribuição é de vital importância para o funcionamento de qualquer automóvel devido às suas funções.

Logo, não pode ser negligenciada e, apesar de muitos condutores a desconhecerem, vale mesmo a pena estar atento ao seu funcionamento.

Com efeito, para este artigo preparamos um guia sobre a correia de distribuição. Saiba, então, o que é, a sua importância, como funciona, sinais a que se deve estar atento, quando (e como) mudar e quais os seus preços.

O que é e como funciona a correia de distribuição

O que é?

A correia de distribuição é uma componente essencial para o bom funcionamento do seu carro. Este componente é responsável pela sincronização de várias peças, sejam eles os êmbolos e o seu movimento, seja às válvulas e noutros casos até mesmo a bomba de água.

O equilíbrio e sincronização destes componentes só funcionam com a respetiva correia de distribuição. Por isso, esta correia não pode sofrer qualquer dano, sob pena de danificar irremediavelmente o motor.

Por norma, as mais comuns são fabricadas em borracha, não só pela resistência que possuiu como permite um baixo nível de ruído quando o automóvel se encontra em movimento.

Qual a sua importância?

Pela sua definição, já consegue perceber a importância deste componente para a vida do motor e funcionamento do mesmo.

Por outras palavras, a correia de distribuição é a principal responsável por tudo o que se passa no motor. Por essa razão, é muito importante que nada de errado aconteça com a correia de distribuição. Caso contrário, os danos no motor serão enormíssimos e muito dispendiosos.

Como funciona a correia de distribuição?

Ao nível mecânico, o funcionamento resume-se a estabelecer a ligação mecânica entre o bloco e a cabeça do motor. Para além disso, transmite o movimento de rotação da cambota para a árvore de cames, que aciona as válvulas.

Por outras palavras, sincroniza os quatro tempos do motor, a abertura e o fecho das válvulas (admissão e escape) e a ignição do motor, sejam velas de combustão ou sincronização dos injetores no caso do diesel.

Contudo, este processo tem de ser muito preciso. Para isso, a tensão da correia de distribuição tem de estar sempre de acordo com os parâmetros indicados pelo construtor, para que o excesso de folga não provoque desgaste prematuro ou desengrenagem da própria correia.

Tal como referido, em muitos automóveis também existe um terceiro componente que trabalha com a correia de distribuição, ou seja, a bomba de água. A função desta é fazer circular todo o líquido de arrefecimento pelo motor.

Sinais de desgaste da correia de distribuição

  • Com efeito, ao chegar a este ponto, já entendeu que o bom funcionamento da correia é essencial para a vida útil de qualquer motor automóvel.
  • Embora não sejamos mecânicos, existem alguns sintomas que podem ajudar a identificar possíveis problemas e evitar males maiores. Eles são:
  • Por norma, uma forma fácil de identificar um problema na correia de distribuição é verificar se há danos físicos, como o desgaste excessivo ou rachas nas partes dentadas.
Leia também:  Como Descobrir Que Esta Sendo Traido?

Além disso, se algumas áreas estiverem muito claras é devido ao desalinhamento ou tensão incorreta.

Logo, sempre que identificar danos físicos visíveis, deve contactar o seu mecânico. Este passo pode salvar o seu motor.

Ainda que a maior parte das correias sejam de borracha reforçada, existem ainda algumas que são metálicas. Ou seja, não precisam de muita manutenção, mas podem também vir a necessitar de substituição.

Ruído vindo da zona do motor pode indicar problemas na correia, mas este sintoma já não é muito comum.

Com a evolução da mecânica, o barulho criado pelo coração das nossas máquinas tem vindo a ser cada vez menor. No entanto, se verificar algum som diferente do habitual, não ignore o assunto.

Um famoso sintoma de que algo se passa com o carro é a presença de vestígios de óleo. Isso indica que há uma fuga que vai fazer com que o tempo útil da correia seja mais curto.

  1. Como tal, sempre que encontrar vestígios de óleo na correia de distribuição não os deve ignorar.
  2. Se com o carro parado são percebidas vibrações que não deveriam ocorrer, é sinal que a correia está em mau estado.
  3. Neste cenário, quem paga são os pistões, válvulas e todo o sistema de condução, incluindo o condutor.
  4. Quando a correia tem uma vida útil identificada marcada, é provável que o veículo precise de mais persistência ao arrancar, caso passe essa idade.
  5. Por outro lado, se a correia estiver danificada, simplesmente deixa de funcionar.
  6. Dada a enorme fricção que os milhares de componentes que compõem o motor suporta, não há razão para se assustar caso existam manchas de óleo na correia.
  7. Contudo, é possível que a junta entre o bloco e a correia ganhe folga com o tempo e uso, e o óleo comece a fazer mossa.

Se a correia está prestes a “partir”, não se cumprem, devidamente, os tempos do ciclo de combustão. Assim, causarão falhas de ignição.

Mudar a correia de distribuição

Como Saber Quando Mudar A Correia De Distribuição?

Quando é que se deve mudar?

Além dos sinais em cima identificados, o processo de mudança da correia de distribuição deve ser cíclico. Logo, é fundamental realizar uma manutenção periódica.

Com efeito, muitos condutores perguntam-se com que frequência se deve mudar a correia de distribuição. A velha regra era a cada 90 mil quilómetros. Mas desde que a tecnologia foi melhorada, muitos fabricantes recomendam que se faça a alteração da correia em intervalos de até 160 mil quilómetros.

No entanto, não se pode apenas ter em conta o número de quilómetros. Uma vez que, esta peça também se desgasta com o tempo, independentemente da sua utilização.

Por exemplo, se forem feitos 100 mil quilómetros em dois anos, deve-se mudar a correia. Mas se forem feitos 50 mil quilómetros em quatros anos, também se deve mudar, visto que a borracha vai-se estragando com o tempo, mesmo que tenha sido menos utilizada.

Por segurança e precaução, deve sempre consultar, junto do fabricante, de acordo com a marca e o modelo, qual o período e a quantidade de quilómetros a ter em conta para mudar a correia.

O que acontece se não a mudar?

  • Se decidir não mudar a correia de distribuição, no máximo, o motor do carro vai simplesmente deixar de funcionar e vai ficar parado no meio da estrada.
  • Na pior das hipóteses, algumas das peças descoordenadas do motor vão interferir umas com as outras, podendo chegar até a danificar o motor de forma irreparável.
  • A prevenção é sempre a melhor solução.

Quanto custa a correia de distribuição?

Para finalizar, em caso de necessitar de mudança, saiba que os preços da correia de distribuição variam, por norma, entre os €15 e os €75, dependendo de alguns fatores.

A mudança de uma correia de distribuição, no entanto, pode chegar a valores ainda mais altos, entre os €250 aos €500, dependendo da cilindrada do veículo em questão e da mão-de-obra cobrada. O preço do serviço inclui todo o kit e a bomba de água.

Antes de se comprometer com a compra e o serviço de manutenção, deve sempre verificar os preços da correia de distribuição em vários locais. Comparar preços é uma prática a adotar, seja em que tipo de compra for.

Dizer ainda que a substituição da correia de distribuição deverá sempre ser feita por um profissional. Apesar de ser tentador tentar fugir aos maiores valores e ficar-se pelos preços da correia de distribuição em si, se a peça for mal colocada, poderá vir a ter problemas e despesas maiores.

O Ekonomista disponibiliza e atualiza informação, não presta serviços de aconselhamento fiscal, jurídico ou financeiro.

O Ekonomista não é proprietário nem responsável pelos produtos e serviços de terceiros apresentados, por conseguinte não será responsável por quaisquer perdas ou danos que possam resultar de quaisquer imprecisões ou omissões.

A informação está atualizada até à data apresentada na página e é prestada de forma geral e abstrata, tratando-se de textos meramente informativos, pelo que não constitui qualquer garantia nem dispensa a assistência profissional qualificada. Se pretender sugerir uma atualização, por favor, envie-nos a sua sugestão para: [email protected].

Sabe quando deve mudar a correia de distribuição e que cuidados deve ter?

Por ser um assunto do interesse de todos aqueles que têm um veículo, entendemos dar uma explicação mais profunda acerca deste tema. Mas, antes de saber quando é que tem de mudar a correia de distribuição, há que saber o que é uma correi de distribuição.

Então o que é a correia de distribuição?

A correia de distribuição é provavelmente a peça mais importante do motor, esta tem por finalidade a sincronização de todo o motor. Dizemos todo o motor, porque a correia sincroniza o movimento dos pistões, válvulas e em muitos casos a bomba de água, como por exemplo os Renault.

Esta sincronização é vital para um correcto funcionamento do motor.

Quanto à sua composição, a correia normalmente é fabricada em borracha. O objectivo é claramente a redução de ruído. Esta encaixa na polie e trabalha sob uma tensão constante.

Existem também alguns automóveis, como por exemplo os Mercedes e BMW que recorrem ao uso de uma corrente de distribuição metálica, este sistema tem a vantagem de não necessitar de manutenção e raramente são substituídas, no entanto, ao contrário da correia de borracha, tem a desvantagem de provocar maior ruído em alguns casos.

  • O sistema de correia de distribuição é composto por vários elementos:
  • O primeiro elemento é a uma correia dentada “Correia de Distribuição” que sincroniza os movimentos do motor.
  • O segundo é o tensor e cuja função é criar uma determinada tensão na correia por forma a manter o seu alinhamento.

O terceiro elemento é a bomba de água e a sua função a de fazer circular o líquido de arrefecimento. Por esta razão é muito importante que sempre que vai efectuar a substituição da distribuição da distribuição do seu carro, faça também a substituição da bomba de água.

Isto posto, quando é que deve efectuar a substituição da correia de substituição do seu carro?

As correias de distribuição devem ser substituídas segundo a recomendação do fabricante.

No entanto a frequência para a sua substituição varia de acordo com as marcas dos automóveis e até em veículos da mesma marca. Os prazos para a sua substituição são diversos, podendo em alguns casos ser, por exemplo, ao fim de 10 anos ou os 240 000 km percorridos.

Assim, imagine que o seu automóvel teria de mudar a correia ao fim de 24 meses ou 120 mil km. Se o se carro tivesse percorrido 120 mil km no primeiro ano, teria que ir substituir a correia. Mas, se o seu carro ao fim dos 24 meses ainda não tivesse percorrido esses 120 mil km, teria que mudar a correi na mesma.

Depois de mudada é importante vigiar o estado da mesma, pois se a correia for mal montada, ela vai apresentar índices de desgaste anormais.

Explicados os pontos relacionados com a substituição da correia com base nos quilómetros percorridos e anos decorridos, é essencial a observação visual da mesma.

Assim, se esta revelar por exemplo, dentes com desgaste excessivo, fendas no perfil da correia, vestígios de óleo na correia, entre outros, deverá ver de onde é que está a vir o problema e resolver o quanto antes.

Alguns destes sintomas resultam por uma tensão excessiva na correia de distribuição.

Caso ocorra uma falha na correia de distribuição, as consequências para o motor poderão ser extremamente graves, pois gera uma dessincronização do todo o sistema de distribuição, normalmente resultando na torção das válvulas e eventual empeno das árvores de cames.

A correia de distribuição é escolhida de acordo com o modelo do automóvel e o tamanho do motor.

Muito importante! A substituição da correia de distribuição deverá ser sempre feita por um profissional.

Tal como já referido, a bomba de água deve ser substituída ao mesmo tempo que a correia de distribuição. Em boa verdade, a vida útil da bomba de água é superior ao da correia, mas não é aconselhável deixar para a próxima substituição da correia. Não é muito dispendioso e poderá poupar-lhe alguns dissabores, assim, recomenda-se a sua substituição em simultâneo com o tensor da correia.

Leia também:  Como Fazer Referencia Bibliografica Quando Nao Tem Autor?

Retirado de automoveis online

Quando deve mudar a correia de distribuição?

Sabe quando deve mudar a correia de distribuição do carro? Sabe como funciona e tem noção da sua importância para o bom funcionamento do motor do seu automóvel e dos riscos que existem, caso este componente não se encontre em perfeito estado? Damos uma série de conselhos que respondem a estas perguntas, explicando a diferença entre carros com correia de borracha e veículos com corrente de distribuição em metal. Começamos pelo final. Antes de mais, é preciso saber se o carro tem corrente ou correia de distribuição.

Que diferenças existem e como posso saber? Até há alguns anos, era usual os carros utilizarem corrente de distribuição. Desde os modelos mais simples aos de luxo e até carros desportivos, quase todos a utilizavam. Mas, no final dos anos oitenta do século XX, muitos fabricantes começaram a apostar em correias de distribuição, por serem mais leves e menos ruidosas do que as de metal.

Trazem benefícios, mas também inconvenientes. Porque, enquanto as correntes de metal são praticamente livres de manutenção, a orreia de distribuição tem que ser mudada, devido à deterioração da borracha, que é causada pelo desgaste ao longo dos quilómetros e dos anos.

Não existe uma data exata para mudar a correia de distribuição e cada fabricante de automóveis tem uma regra própria, consoante o tipo de carro e de motor.

Há veículos em que tem que ser trocada rigorosamente a cada 20 mil km, noutros isso pode acontecer aos 80 mil quilómetros ou até mais.

Em primeiro lugar deve verificar no manual de instruções do seu carro se utiliza corrente ou correia de distribuição. Se utilizar a última, deverá confirmar então quando é necessário mudar a correia distribuição.

Depois de saber isso, pode calcular quanto tempo falta até que seja necessário substitui-la.

Mas tenha em mente que, se mesmo que o veículo não tenha ainda chegado à quilometragem determinada pelo fabricante, este componente também se deteriora ao longo do tempo.

Mas afinal, qual é a função da correia de distribuição?

Esta peça é essencial porque sincroniza as diferentes partes mecânicas móveis de um motor de combustão. Daí que seja importante ter consciência de que, se correia de distribuição partir, as consequências para o motor são nefastas, porque o mais certo é os componentes colidirem entre si e partirem-se.

De qualquer modo, se não ficou esclarecido ou continua com dúvidas se deve ou quando deve mudar a correia de distribuição, dirija-se à oficina Euromaster mais próxima. Aí, os nossos especialistas poderão aconselhá-lo da melhor forma.

Sabe quando deve mudar a correia de distribuição? – Automóveis Online – A Sua Revista de Automóveis

A correia de distribuição é, provavelmente, o órgão mais importante do motor do seu carro. Pelo que é extremamente importante saber quais os cuidados a ter, quando a deve mudar e de que forma o deve fazer. Por ser um assunto do seu interesse entendemos dar-lhe uma explicação mais profunda sobre este assunto.

Sabemos que está mais interessado em saber quando é que deve mudar a distribuição de um automóvel. Mas antes dessa informação é importante saber o que é uma correia de distribuição.

O que é a correia de distribuição?

A correia de distribuição é, provavelmente, a peça mais importante do motor do seu automóvel. Esta tem por finalidade a transmissão sincronizada de movimento a todos os órgãos internos do motor.

Dizemos todo o motor, porque a correia sincroniza o movimento dos pistões, válvulas e em muitos casos a bomba de água, como por exemplo os Renault.

Esta sincronização é vital para um correcto funcionamento do motor.

Quanto à sua composição, a correia é, normalmente, fabricada em borracha reforçada. O objectivo é claramente a redução de ruído e custo. Esta encaixa na polie e trabalha sob uma tensão constante.

Existem também alguns automóveis, como por exemplo os Mercedes e BMW que recorrem ao uso de uma corrente de distribuição metálica.

Este sistema tem a vantagem de terem uma duração muito superior à da correia de distribuição.

É comum dizer-se que uma corrente de distribuição não necessita de manutenção e que raramente é substituídas. Mas isso não é verdade. A corrente de distribuição é igual à correia de distribuição, com a diferença da sua durabilidade.

Ou seja, enquanto se substituiu uma correia de distribuição a cada 100, 120 ou 160 mil kms, dependo dos carros e marcas, a corrente de distribuição poderá ser mudada, em muitos casos, aos 300 ou mais quilómetros, só a utilização que a viatura tiver é que vai determinar a sua substituição.

Prazo de substituição pelo espaço temporal

Existe ainda a substituição pelo espaço temporal. Ou seja, para os condutores que andam pouco, os construtores determinam que as correias de distribuição ao fim de 4, 6 e 10 anos têm de ser substituídas. Já a corrente de distribuição não tem esta limitação temporal.

Vídeo sobre correia de distribuição

O sistema de correia de distribuição é composto por vários elementos:

O primeiro elemento é a uma correia dentada, “Correia de Distribuição”, que sincroniza os movimentos do motor. O segundo é o tensor e cuja função é criar uma determinada tensão na correia por forma a manter o seu alinhamento.

O terceiro elemento é a bomba de água e a sua função a de fazer circular o líquido de arrefecimento.

Por isso é, sempre que esta apresente indícios elevados de desgaste, importante a sua substituição quando se procede à muda da correia de distribuição.

Quando é que deve efectuar a substituição da correia de substituição do seu carro?

As correias de distribuição devem ser substituídas segundo as recomendações do fabricante. No entanto, a frequência para a sua substituição varia de acordo com as marcas dos automóveis e até em veículos da mesma marca. Os prazos para a sua substituição são diversos. Podendo em alguns casos ser, por exemplo, ao fim de 10 anos ou os 240 000 km percorridos.

Imagine que o seu automóvel teria de mudar a correia ao fim de 24 meses ou 120 mil km. Se o seu carro tivesse percorrido 120 mil km no primeiro ano, teria que ir substituir a distribuição. Mas, se o seu carro ao fim dos 24 meses ainda não tivesse percorrido esses 120 mil km, teria que mudar a correia de distribuição na mesma.

Outro factor importante para determinar um prazo diferente daquele que o construtor determina é o sistema Start&Stop. Este sistema interfere no desgaste prematuro do tensor da distribuição.

Assim, um carro em que a sua utilização seja mais de cidade, pára-arranca, o desgaste do tensor da distribuição é acelerado pelo que é necessário uma manutenção à distribuição mais prematura do que aquele que é usado em autoestrada.

Importante

Se uma correia de distribuição for mal montada, o motor simplesmente não funciona. Não há possibilidade de a distribuição ser mal montada e o motor funcionar. Se isso acontecer, o motor não pega ou pega de forma complemente descomandado e o carro não anda.

Explicados os pontos relacionados com a substituição da correia com base nos quilómetros percorridos e anos decorridos, é essencial a observação da mesma. Se detectar, que os dentes estão com desgaste excessivo, existência de fendas no perfil da correia, vestígios de óleo na correia, entre outros, tem de resolver o problema o quanto antes.

Consequências caso a correia de distribuição parta

Caso ocorra uma falha na correia, as consequências para o motor poderão ser extremamente graves. Isto porque, a quebra da correia cria uma dessincronização do todo o sistema de distribuição, normalmente resultando na torção das válvulas e eventual empeno das árvores de cames.

Muito importante! A substituição da correia de distribuição deverá ser sempre feita por um profissional.

Escolha da correia de distribuição

A correia de distribuição é escolhida segundo as recomendações do fabricante da marca do carro. Há que ter em conta o modelo do automóvel e o tamanho do motor.

Tal como já referido, recomenda-se a substituição da bomba de água, sempre que esta apresente indícios de desgaste, ao mesmo tempo que a correia de distribuição.

Em boa verdade, a vida útil da bomba de água é superior ao da correia, mas aconselha-se a sua substituição, mais por uma questão financeira do que por uma questão técnica.

Isto porque, quando se está a substituir a distribuição, aproveita-se para trocar a bomba de água e assim só se paga a mão-de-obra de um serviço. Não é muito dispendioso e poderá poupar-lhe alguns dissabores.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*