Como Saber Quando Guppy Vai Parir?

Como Saber Quando Guppy Vai Parir?

Se você tem um aquário, deve saber que os peixes podem dar cria de duas maneiras diferentes. A primeira é colocando os seus ovos escondidos em plantas ou em terra para que depois um macho espalhe o seu sêmen por cima e estes possam nascer. Por outro lado, outro tipo de peixes pode engravidar como se fosse um gato ou um cão. Portanto, para saber se seu peixe está grávida em primeiro lugar deve descobrir se é das que bota ovos ou das que dá à luz; depois, distinguir entre os machos e as fêmeas; e por último, prestar atenção a certas mudanças anatômicas no caso delas.

Também lhe pode interessar: Como os peixes se reproduzem

A única espécie de peixe que fica grávida é a de vivíparos. Se você não souber se a espécie à qual seu peixe corresponde é essa e dá a luz, ou se é ovíparo e coloca ovos, procure na Internet para averiguar essa situação.

Os peixes lebistes (guppys), xiphophorus (espada) e mollienesia (molly) são os mais comuns dentro da espécie dos vivíparos. Neste caso, as fêmeas formam primeiro os ovos em seu interior e depois cruzam com os machos. Por último, estes ovos se transformam em peixinhos e suas mães dão à luz.

Como Saber Quando Guppy Vai Parir?

Depois de reconhecer se seu peixe é vivíparo ou ovíparo, faça a distinção dos machos e fêmeas através de suas cores. Desta forma poderá saber quando um peixe macho está tentando cruzar com uma fêmea ou se, pelo contrário, dois peixes machos ou dois peixes fêmeas estão brigando.

Normalmente os peixes vivíparos machos têm uma cor mais elaborada e brilhante que as fêmeas e também contam com uma barbatana anal estreita e longa. Por outro lado, as fêmeas costumam ter uma cor marrom e sua barbatana anal é triangular.

Como Saber Quando Guppy Vai Parir?

Para descobrir se seu peixe fêmea está grávida, observe os seus peixes todos os dias para conferir se acontecem mudanças fisiológicas.

Quando a fêmea está grávida, desenvolve de 20 a 40 dias uma saliência por baixo do abdômen que indica que está gordinha e grávida, pois os ovos estão se formando em seu interior.

A sua aparência é alongada e redonda, mas também pode ser quadrada, principalmente quando está a ponto de dar à luz.

Assim, quando o peixe fêmea estiver grávida, notará a zona inchada, porém se for um peixe molly balão pode ser que confunda a sua gravidez com sua anatomia natural: esta espécie tem uma saliência na parte dianteira, logo abaixo das brânquias. Por outro lado, também é habitual confundir o sobrepeso dos peixes macho com uma gravidez, pois o evidenciam com uma saliência na zona peitoral.

Além disso, as fêmeas também podem mostrar uma espécie de mancha no abdômen de cor vermelha brilhante ou preta que indica que estão grávidas. Essa mancha são os olhos dos alevinos, que logo antes de nascer deslocam-se para a zona anal. No entanto, alguns peixes sempre têm esta mancha, que pode crescer durante a gravidez, mais escura ou brilhante.

Como Saber Quando Guppy Vai Parir?

Quando a fêmea vai dar à luz pela primeira vez, pode ser que fique um pouco nervosa. Ela demonstra esse nervosismo subindo e descendo pelo aquário até se cansar. Se desce até ao fundo e fica ali quieta por um tempo não se assuste: a dor das contrações a impede de estar ativa, mas então dará à luz e voltará ao normal.

Por outro lado, as que já tiveram crias antes e têm experiência procuram um pouco de tranquilidade se escondendo atrás da decoração do aquário.

Além disso, é normal que, durante as contrações, a respiração e o pulso da fêmea acelerem, por isso talvez ela suba à superfície para procurar por oxigênio.

Como Saber Quando Guppy Vai Parir?

Se pretende ler mais artigos parecidos a Como saber se meu peixe está grávida, recomendamos que entre na nossa categoria de Animais de estimação.

Guppy – reprodução, alimentação, variedades e classificação quanto ao formato da cauda

Como Saber Quando Guppy Vai Parir?

Os machos do guppy são menores que as fêmeas, mas apresentam cores muito vivas e bonitas.

O peixe Guppy pertence aos Ciprinodontídeos, que incluem os vivíparos (platys, guppys e espadas) e ovíparos (killis). São originários da América Central e América do Sul. Possuem pequenos dentes nas maxilas, muitas vezes chamados carpas dentadas (toothcarps). As fêmeas alcançam até 6,5cm, mas já procriam com 2,5cm.

Os machos são menores e alcançam até 3,5cm. Entretanto, os guppies machos apresentam cores muito bonitas, ao contrário das fêmeas, que são pouco coloridas. Outra característica bastante importante é que os guppies apresentam uma grande variedade quanto à nadadeira caudal, dos mais diversos formatos.

São peixes muito ativos e cheios de vida, nadando a todo o momento.

Outra vantagem é quanto à rusticidade do guppy, pois não exigem muitos equipamentos no aquário e suportam condições adversas de vida por muito mais tempo que os demais peixes ornamentais.

No entanto, fêmeas de guppy grávidas ficam muito sensíveis ao frio, por isso a temperatura da água deverá manter-se a 24ºC. Caso contrário, elas podem sofrer o ataque de uma praga de íctio (ponto branco) ou mesmo fungos.

Nestes casos, além de elevar a temperatura da água, deve-se adicionar, por exemplo, sera-ectopur em conjunção com sera-costapur, conforme as instruções.

Reprodução

Um macho de guppy pode fertilizar de 3 a 5 fêmeas. Os ovos do guppy são fertilizados no corpo da mãe, permanecendo nele, até o momento do nascimento. Com 3 meses as fêmeas do guppy já atingem a maturidade sexual. Sua gestação fica em torno de 22 a 26 dias, sendo o intervalo entre os partos um pouco maior. Geralmente nascem de 30 a 60 alevinos de guppy. Isso depende do tamanho da fêmea e da qualidade da alimentação. A primeira gestação, independente de outros fatores, normalmente produz poucos alevinos. Há mães que ignoram os filhos, há as que os devoram prontamente (canibalismo). Alguma forma de proteção deve ser providenciada, como plantas densas, telas, escorredores plásticos de macarrão ou qualquer outro dispositivo que sirva de abrigo. Os alevinos podem ficar até 2 dias sem alimento, pois nascem com um saco vitelino.

Alimentação

Os guppys são omnívoros e gostam de carne e vegetais. Deve-se alimentá-lo várias vezes ao dia, desde que seja em pequenas porções. Eles adoram alimentos vivos, como artêmias salinas ou enquitreias. Mas também comem alimentos secos, em flocos, granulados ou liofilizados. Jamais deixe restos de comida no fundo do aquário.

Os guppys têm uma boca pequena e um intestino bastante comprido, por isso cerca de duas horas mais tarde já estão com fome, mas restos em demasia são um mau hábito que pode originar a perda da qualidade do aquário de que tanto gosta. Os recém-nascidos podem ser alimentados com sera-mikropan. Você pode fazer uma papa, misturando-o com água.

Da mesma forma, alimente-os várias vezes ao dia, alternando com artemia recém-nascida, para garantir um crescimento saudável. Utilize muitas plantas, umas com raiz e outras flutuantes, para que as crias possam esconder dos pais (que podem comê-los) e, ao mesmo tempo, crescer sem problemas.

Sagittarias, fetos americanos, synnemas, cabombas e muitas outras espécies servem perfeitamente.

Algumas variedades de guppy

A variedade Moscow Black possui cor de um azul intensamente escuro. As atuais variedades se distinguem principalmente pelo formato da cauda. Nesse aspecto, há grande diversidade, desde a delta, mais valorizada, até a véu, a espada, a lira, a bolha, entre outras.

A variedade Gold Red possui o corpo dourado e as nadadeiras dorsal e caudal vermelhas. A variedade HB Yellow possui o corpo escuro e as nadadeiras amarelas. Já o Yellow possui o corpo cinza claro (original) e as nadadeiras amarelas. Há uma gama enorme de cores e combinações, algumas mais valorizadas, outras menos.

Leia também:  Como Juntar 2 Pessoas Que Se Amam?

Há também a variedade Moscow, totalmente azul, verde ou púrpura metálicos; a variedade  Mikariff, com o corpo todo amarelo (embora com a caudal pequena); o Full Red, totalmente vermelho. Existem padronagens bastante complexas, como as dos cobras (snakeskin) e dos multi.

O termo AOC (any other color) é empregado para as variedades que não se classificam entre as tradicionais, como o Leopardo. Há também variedades albinas, não menos importantes que as demais.

Classificação quanto ao formato da cauda

Guppy Veiltail (cauda véu):  A nadadeira caudal deve ter a forma de um triângulo isósceles de 45º, de 10/10 do comprimento do corpo.

Guppy Triangletail (cauda delta): A nadadeira caudal deve ter a forma de um triângulo de 70º, de 8/10 do comprimento do corpo.Guppy Fantail (leque/ventilador): A nadadeira caudal é delicadamente curva nas bordas superiores e mais baixas. Seu comprimento corresponde a 8/10 do comprimento do corpo.Guppy Scarftail (lenço/bandeira): A caudal tem uma forma retangular e seu comprimento corresponde a 8/10 do comprimento do corpo.Guppy Double Swordtail (cauda dupla espada): A caudal tem uma forma básica oval e duas  extensões em forma de espada nos raios superiores e inferiores da cauda. Guppy Top Swordtail (espada superior): A caudal tem uma forma básica oval e uma extensão em forma de espada no raio superior. Guppy Bottom Swordtail (espada inferior): A caudal tem uma forma básica oval e uma extensão em forma de espada no raio inferior.Guppy Lyretail (cauda Lira): A caudal tem a forma de uma lira. A forma básica é redonda e não deve exceder 4/10 do comprimento do corpo.Guppy Cofertail (cauda em forma de pá): A forma da caudal se parece com uma pá. O início da caudal é redonda e se abre paralelamente ao eixo do corpo.Guppy Speartail (forma de lança): A caudal tem a forma da ponta de uma lança. Seu comprimento corresponde 8/10 do comprimento do corpo. Guppy Roundtail (cauda redonda): A caudal é redonda com um diâmetro de 5/10 do comprimento do corpo.Guppy Pintail  (cauda alfinete): A forma básica da caudal é arredondada, com um diâmetro de 4/10 do comprimento do corpo. A dorsal é fina e se levanta, íngreme no início. Já a extremidade é pontuda e  se afina a partir do último terço de seu comprimento.
Como Saber Quando Guppy Vai Parir?

Características dos machos para concursos

O tamanho ideal é de 3,2 cm, o que faz com que o guppy receba 8 pontos. Se tiver 2,5 cm, receberá só 6 pontos. As fêmeas são maiores e o tamanho de corpo ideal é de 5,70 cm ou maior, o que faz com que receba 11 pontos por isso.

Forma do corpo

O corpo deve ser arredondado, e não curvado. Não pode ter calombos ou convexidades, pois, dessa forma, perderá pontos. Não deve haver depressões após os olhos. Visto de cima, o corpo deve ser reto, sem deformidades na espinha dorsal. O pedúnculo deve ser forte, na proporção de duas unidades de altura para três de comprimento.

Cor do corpo

A cor do corpo deve ser uniforme da dorsal até a caudal, indo até a cabeça. Se o peito do guppy não for colorido, ele perderá alguns pontos. A intensidade da cor é muito importante, o vermelho fraco terá menos pontos do que o vermelho intenso. Uma padronagem fechada terá mais pontos do que uma com falhas ou pouco definidas.

Comportamento

Um guppy prostrado no fundo do aquário obterá o mínimo de pontos. Já o que se movimenta com vivacidade obterá o máximo de pontos.

  • Simetria
  • Aprenda sobre peixes ornamentais, acessando o curso Produção de Peixes Ornamentais, elaborado pelo CPT – Centro de Produções Técnicas.
  • Por Andréa Oliveira.

Uma simetria excepcional terá o máximo de pontos. Já uma desarticulação entre as proporções das partes terá menos pontos quanto maior for o desequilíbrio. Como Saber Quando Guppy Vai Parir? Como Saber Quando Guppy Vai Parir? AVISO LEGAL

Este conteúdo pode ser publicado livremente, no todo ou em parte, em qualquer mídia, eletrônica ou impressa, desde que contenha um link remetendo para o site www.cpt.com.br.

Anatomia Externa

Como Saber Quando Guppy Vai Parir?

Anatomia Externa

    Nos machos, a nadadeira anal modifica-se com a chegada da maturidade sexual e transforma-se num órgão copulador, chamado de gonopódio. Nas fêmeas a nadadeira anal não se modifica.

-Anatomia interna

    Os órgãos internos do Guppy funcionam como nos outros peixes: O cérebro é pequeno e está ligado a um sistema nervoso bastante simples. Este sistema nervoso comanda os órgão sensoriais, bastante desenvolvidos no Lebiste, principalmente, os olhos e o paladar.

    O sistema digestivo faz uma digestão rápida e eficiente, onde atuam órgãos como o fígado, pâncreas, rins, intestino e o seu sistema excretor.     A bexiga natatória localiza-se no abdômen, um pouco para a frente, o que dá ao Lebiste uma posição ligeiramente inclinada de nado.

    As Brânquias são sensíveis e atuam na respiração, filtrando a água absorvida, retendo todo oxigênio dissolvido na água. Apesar de se adaptar aos ambientes mais inóspitos, este peixe não tolera grandes concentrações de cloro, o que destrói os finíssimos capilares das suas guelras.

    Os melanóforos são pontos são pontos microscópicos existentes nas células da epiderme, que dão as cores no Lebistes e agem por reflexão da luz, na pele do peixe.

-Comportamento

    Os Lebistes são ótimos, qualquer que seja o tipo ou tamanho de aquário que você queira montar, são ágeis, alegres, coloridos e estão sempre a se movimentar por todo o tanque.

É de um galanteador nato, e passa o dia inteiro se exibindo e correndo atrás das fêmeas, mordiscando algas pelo aquário e apesar de ser um peixe de superfície, quando está em cativeiro, geralmente perde esse hábito, pois devido as pequenas proporções dos aquários, eles povoam facilmente os espaços.

Apesar disso, os Lebistes são pouco territoriais quando criados em espaços relativamente grandes, mas isso não é problema, já que tivemos oportunidade de criá-los em pequenos lagos e quando um invade o território do outro, causa alegres e rápidas correrias pelo tanque, sem maiores conseqüências.

A sua manutenção com outros peixes é facílima, desde que, respeitadas as condições físico-químicas desta espécie (pH, dH, temperatura, etc.). Os peixes mais recomendados para se ter junto com os Lebistes são os platis. VOCÊ PODE TER AINDA, limpa-vidros, coridoras e pequenos cascudos que ajudarão você a manter seu aquário limpo.

Os POECILÍDEOS em geral, são ótimos para manter com os Lebistes, mas em aquários pequenos ou superpovoados não coloque espadas, pois são extremamente territoriais e em ambientes menores tendem a ficar agressivos, inclusive entre si. Os Lebistes machos geralmente são muito ativos para com as fêmeas e o ideal é manter, sempre, um número maior de fêmeas, na proporção de 3 (três) para cada macho. Com os Lebistes. Seu aquário vai ficar muito mais alegre.

Reprodução

    O Lebiste se reproduz de maneira peculiar aos ovovivíparos (ou vivíparos), ou seja, os ovos são fecundados dentro do corpo da mãe e aí mantidos até que os alevinos (filhotinhos) estejam formados e prontos por vir ao mundo, quando rompem a membrana do ovo e são projetados para fora do corpo da mãe.

    As fêmeas já estão prontas para reproduzir a partir dos três meses (é a maturidade sexual) e a gestação se faz de 22 a 26 dias, (30 dias em média) dependendo da fêmea e de condições, tais como, a temperatura da água, que quanto mais fria, mais retarda a gestação.

Leia também:  Como Descobrir Número Privado Que Me Ligou?

    As ninhadas, geralmente variam de 20 a 60 filhotes por vez, mas já houve fêmeas em nossos aquários a parir de uma só vez só 98 filhotes, e há autores que citam ninhadas em torno de 120 alevinos.

20 a 40 peixinhos é o que normalmente ocorre em nossas criações, o que já é um número razoável, pois, determinadas condições, fazem uma fêmea sadia as vezes ter 15 filhotes e um mês depois ter mais de 50.     Quanto a proporção entre sexos, invariavelmente nascem 50% de machos e 50% de fêmeas.

Nos aquários as fêmeas sobrevivem em maior número e não há motivo aparentes para que isso ocorra.     Já na natureza o risco de predação é maior para os machos, já que são mais afeitos a passeios por águas abertas, são mais coloridos e por isso acabam vítimas de predadores, enquanto as fêmeas são mais cautelosas e vivem mais agrupadas e escondidas.

Portanto no ambiente selvagem a proporção de fêmeas é maior do que machos.      Qualquer aquarista que já tenha tido crias de Lebistes, provavelmente presenciou a mãe comer seus próprios filhotes, assim que ele nasce: ela vira e o engole. Isso faz parte de seu controle de natalidade natural, onde num certo espaço só viverá bem, uma quantidade compatível de indivíduos.

     Os aquaristas inventam mil e umas maneiras de contornar o problema, usando criadeiras dos mais diversos modelos e tamanhos.

Estes problemas podem ser resolvidos se você usar um aquário de uns 20 litros, bem plantado e com piso de pedrisco médios, onde os alevinos terão onde se refugiar da voracidade da mãe que deverá estar bem alimentada (evite neste período de reprodução, alimentar a fêmea com alimentos vivos ou carnes, pois isso excitará o seu instinto de comer os filhotes).

Comportamento Sexual

     Os machos perseguem muito as fêmeas. “Ao que parece, todo macho de Guppy, exceto quando está comendo ou dormindo, só pensa em perseguir e fazer corte às fêmeas”, já dizia Uwe P. Kohnem no seu livro “Guppy, criação e desenvolvimento, (o qual aconselhamos a leitura a todos que queiram iniciar no cultivo de Lebistes).

Este corte tem um esquema definido e imutável, o que certifica que, seja hereditário este comportamento. O macho persegue a fêmea e quando a alcança passa a nadar ao seu lado. Se a fêmea lhe der atenção ele passa a nadar na frente dela, distendendo ao máximo as nadadeiras e exibindo sua belas cores.

     A cópula ocorre depois de todo esse processo e se não acontecer, o macho reinicia tudo de novo. A corte, por diversos motivos, pode ser interrompida em qualquer dos estágios e o macho sempre a reinicia.

     As cores também tem o seu papel na reprodução, pois, geralmente as fêmeas são seduzidas pela conformação das cores na pele do macho e isso ocorre principalmente em espécimes selvagens. Podemos achar lindo um macho de Lebiste-cobra, mas vai saber se o conceito de beleza que as fêmeas tem, são iguais aos nossos? Certamente não.

     Depois da corte, a fêmea que consegue em cruzar, inclina ligeiramente o corpo de lado com a cabeça mais baixa que o resto do corpo, e macho por sua vez, introduz o gonopódio no orifício genital da fêmea e aí deposita o seu esperma. No oviduto acontece a fecundação e posteriormente nascem os filhotes.

A fêmea tem capacidade de armazenar espermatozóides ativos do macho no seu oviduto por um longo período, o que faz com que possa ter várias crias subsequentes sem a participação do macho.

Alguns autores afirmam que as crias obtidas com o esperma armazenado pode chegar até 12, nós particularmente, comprovamos 8 crias por este meio e não aconselhamos a sua utilização. O motivo é que em nossos aquários, a mortalidade de alevinos crescia a cada cria que a fêmea tinha por este processo.

          Como já foi dito, o Lebiste tem uma gestação de aproximadamente 26 dias e após o nascimento dos alevinos (4 dias aproximadamente) a fêmea já pode cruzar novamente. Com uma nova cópula, os espermatozóides que ela tem no oviduto não serão utilizados nesta nova concepção.

     Por serem muitos ativos sexualmente, podemos ter de cada casal uma criada a cada 4 ou 5 semanas, sem que haja algum problema … apenas aconselhamos que durante 3 ou 4 dias; após a fêmea ter dado cria, deixá-la separada e alimente-a bem com artemia salina e coração de boi cru raspado finamente … isso ajuda a fêmea e repor energias e com isso manter-se sempre sadia para futuras gestações.      Para saber quando a fêmea está grávida é só olhar para a mancha escura que ela tem no ventre, que fica mais escura e a partir do momento e que os ovos começam a desenvolver.

  •      Podemos até saber quando ela vai parir, com até três dias de antecedência, pois com esse tempo já é possível distinguir os olhinhos dos alevinos através da pele da mãe, que está muito gorda e com sua respiração acelerada.
  • -Os Alevinos (filhotinhos)

     Assim que nascem já são suficientemente espertos para fugir da mãe, que em aquários pequenos costuma comê-los, por isso retire-a do aquário assim que terminar o parto.

     A medida em que forem nascendo, vão a superfície para tomar a primeira golfada de ar que irá encher a bexiga natatória, órgão responsável pelo peso específico dos peixes na água. Depois disso escondem por algum tempo e mais tarde começam a sair para procurar alimento.

     Eles nascem todos iguais e só depois de algum tempo, nos machos aparecem os primeiros de coloração e o terceiro raio da nadadeira anal engrossa e alonga, preparando-se para o que ao final; de dois meses será um gonopódio. Nas fêmeas a principal característica é a mancha no ventre, que já em um mês começa a se formar.

     Para evitarmos cruzamentos fora de época (isso para a reprodução seletiva) aconselha-se, separá-los por sexo assim que for possível, pois o Lebiste amadurece muito rápido (2meses) e não é muito bom, nem para as fêmeas e nem para as crias, uma gravidez antes, que ela atinja os quatro meses de vida.

Para termos ninhadas mais satisfatórias é imprescindível que a fêmea esteja plenamente desenvolvida, o que não aconteceria se ela engravidasse muito cedo.      Mesmo estando bem desenvolvida a fêmea, a sua primeira ninhada é de número baixo de alevinos (geralmente entre 10 e 15).

Este número cresce, a medida que ela vai tendo mais e mais crias.      Ah… o “parto” pode levar até duas horas, com alguns intervalos entre uns filhotes e outros, e as ninhadas prematuras, freqüentemente sobrevivem. Só que os filhotes nascem com saco vitélico que é absorvido completamente em alguns dias e que serve como alimento.

     O aquário para a desova deve ter uma coluna de água baixa, para facilitar a primeira golfada de ar dos peixinhos, que nascem com mais ou menos 5mm. Uma coluna de 20 cm é o ideal

Como saber quando o guppy está prestes a dar à luz?

Escrito por: Debra L Turner

Escrito em: February 04, 2019

Como Saber Quando Guppy Vai Parir?

Embora seja útil saber o momento exato que a guppy fêmea concebeu a ninhada, isso nem sempre é possível.

O período médio de gestação para essa espécie é de 28 dias, mas isso pode variar entre eles e de ninhada para ninhada da mesma espécie, dessa forma, o nascimento pode ocorrer a qualquer momento entre 21 e 40 dias. É mais prático observar o peixe em busca de sinais de que o parto está próximo.

Leia também:  Como Lidar Com Uma Pessoa Que Se Acha Superior?

Olhe a guppy grávida todos os dias e observe-a por alguns instantes. Olhe para a barriga do peixe. Esta estará larga e bem redonda, e se apresentará bulbosa de acordo com o progresso da gravidez e a aproximação do parto.

Step 2

Observe a barriga de perto e de todos os ângulos possíveis. Procure por um ponto preto largo que se desenvolverá na parte posterior do abdômen quando o nascimento estiver próximo. Essa área preta é chamada de ponto gravídico. Você deverá ver a silhueta de alguns dos corpos da prole no interior do abdômen distendido.

Preste atenção nos padrões comportamentais da guppy. Quando o abdômen pesado ganhar uma aparência um tanto quanto rígida, ela ficará parada por um tempo. Observe o ponto gravídico de perto e você o verá dilatar momentos antes dela começar a dar à luz.

  • Referências
  • Dica
  • Mova a guppy grávida para um aquário próprio, com capacidade de nove a 18 litros, equipado com um filtro de canto que esteja funcionando, pelo menos alguns dias antes do parto. Ela vai sofrer menos estresse em uma área livre. Essa guppy deve ser mantida sozinha, já que outros peixes se alimentariam da prole assim que ela nascesse. Se você não tem certeza do dia do nascimento, separe-a do resto dos peixes assim que ela aparentar estar bem pesada.
  • Coloque plantas vivas ou de plástico que boiem no aquário da guppy grávida. As plantas devem formar um tapete grosso na superfície. Assim que ela der à luz, os filhotes descerão para o fundo do aquário. Dentro de alguns momentos, a prole irá nadar em direção a superfície onde eles podem se esconder nas plantas. Muitas mães guppies são canibais e comerão a própria prole avidamente.
  • Instale uma rede reprodutora no aquário caso não seja possível relocar a guppy grávida. Coloque plantas que boiem na superfície dentro dos limites da rede reprodutora.

Sobre o Autor

A full-time writer since 2007, Axl J. Amistaadt is a DMS 2013 Outstanding Contributor Award recipient. He publishes online articles with major focus on pets, wildlife, gardening and fitness. He also covers parenting, juvenile science experiments, cooking and alternative/home remedies. Amistaadt has written book reviews for Work At Home Truth.

Créditos Fotográficos

Hemera Technologies/PhotoObjects.net/Getty Images

Como saber e por quanto tempo dura a gestação da Molinésia?

Como saber e por quanto tempo dura a gestação do peixe Molinesia? Não faz ideia? Então confira esse artigo que nós criamos!

Na natureza, os peixes se reproduzem de diferentes formas, por exemplo, os bettas costumam colocar seus ovos em ninhos de bolhas na superfície da água, outros criam os alevinos na boca e tem até aqueles que deixam os ovos grudados em vidros e decorações do aquário.

Afinal, como saber que minha molinésia está grávida?

No início, é difícil saber se a fêmea está grávida ou não, principalmente se você não tiver muita experiência em reproduzi-los. A Molinésia é relativamente difícil de saber, ainda mais nos primeiros dias.

De um modo geral, a gestação típica de uma molinésia dura entre vinte (20) e quarenta (40) dias, variando entre as diferentes espécies.

Cada ciclo de gestação, uma fêmea saudável dará à luz em qualquer local de vinte (20) a 100 alevinos, e pode continuar a se reproduzir por até 2 anos e meio; sua expectativa de vida gira em torno dos 3 anos.

Veja também:

  • Como cuidar de filhotes de Guppy?

Quais são os sinais de que ela está grávida?

As molinésias grávidas ficam arredondadas e apresentam um pequeno ponto conhecido como “mancha da gravidez” em sua abertura anal.

Abaixo, listaremos alguns sinais clássicos que você poderá notar nas molinésias grávidas:

  • Uma molly grávida terá uma mudança repentina de comportamento, ou seja, se tornará mais lenta, e passará mais tempo escondida do que o normal, saindo apenas para se alimentar;
  • Elas podem se tornar mais agressivas com outros peixes que cheguem muito perto de seus esconderijos;
  • Você notará uma mancha triangular escura perto da abertura anal da fêmea, chamada de “mancha da gravidez”. Mas, pode ser difícil de enxergar esse ponto em espécimes mais escuras, no caso das molinésias negras, por exemplo. Então, se for o caso, confie nos outros sinais para ter certeza;
  • Como é de se esperar, a “mancha da gravidez” se torna cada vez mais escura à medida que o peixe se aproxima do “parto”. Então, se estiver muito visível, ela estará pronta para soltar os filhotes;
  • A molinésia grávida também possui uma forma mais arredondada, e o estômago fica especialmente maior, parecendo esticado;
  • Em molinésias mais transparentes, você conseguirá até ver os olhos dos alevinos através da barriga conforme ela vai se esticando.

Quanto tempo dura a gestação de uma molinésia?

Como mencionamos acima, as molinésias geralmente ficam grávidas por um período de 20 a 40 dias (em média 30 dias). Claro, isso seria o tempo desde a concepção até o nascimento dos filhotes.

Mas antes desse período, elas passam um tempo namorando os machos, que pode durar alguns dias. Normalmente, esse período de namoro é marcado por algumas perseguições, muitas vezes acompanhadas por leves demonstrações de agressão.

Esta dança só termina com o início da reprodução, seguindo-se os 30 dias (em média), onde a fêmea carrega os ovos até dar à luz pequenas miniaturas dos pais.

Como saber quando a Molinésia vai dar à luz?

As molinésias costumam se esconder quando estão próximas de dar à luz.

Ao longo do período de gestação, a molinésia apresentará várias mudanças comportamentais (conforme já mencionamos na introdução), embora algumas delas fiquem mais acentuadas próximas do nascimento do que outras.

Veja também:

  • Quais peixes eu posso colocar com camarões no aquário?

A mudança no comportamento começará no momento em que seus peixes se reproduzem, às vezes no namoro, e aumentará conforme se aproxima do “parto”.

No entanto, o sinal mais claro que você pode perceber quando ela está próxima de dar à luz, é a famosa “mancha da gravidez” que fica visivelmente escura e grande.

Além disso, quando estão próximas de dar à luz, elas se escondem em qualquer lugar no aquário, evitando o contato com outros peixes. Portanto, certifique-se de que haja uma boa quantidade de decorações, plantas, troncos ou rochas para que elas possam ficar escondidas durante esse período.

Se quiser criar os alevinos, você pode separá-la em um outro aquário e aguardar o “parto”, porém, elas podem comer os filhotes, por conta disso, você deve providenciar uma criadeira ou colocar alguma rede para que os alevinos fiquem separados da mãe.

As molinésias cuidam dos seus filhotes?

  • Infelizmente, não!
  • Os alevinos não recebem nenhum cuidado parental e, portanto, podem ser comidos por elas e também por outros peixes do aquário.
  • Por isso recomendamos o uso de criadeiras ou um aquário especial para reprodução, por que qualquer peixe que estiver ao alcance de um alevino, tentará comê-lo.
  • Como saber e por quanto tempo dura a gestação de uma molinésia não é um bicho de sete cabeças, mas você precisa ficar atento, caso queira criar os alevinos, pois elas não deixarão um único filhote vivo no aquário, caso este não tenha proteção para eles.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*