Como Saber Quando A Mama Esta Vazia?

Na verdade, a mama nunca esvazia. O leite é produzido continuamente.

Mas é importante conhecermos o funcionamento das nossas mamas para saber se o bebê está chegando no leite posterior (mais gorduroso) ou não. O leite anterior (primeiro leite que sai) é mais rico em anticorpos e proteínas e é importante o bebê mamar os dois, para poder ganhar peso e crescer adequadamente.

No início é meio complicado de percebermos, a mama está sempre bem cheia.

Na verdade, o importante é entender quando há acúmulo de leite ou não. Eu mesma demorei  a perceber que a Marina não “esvaziava” a mama.

Como ela mamava toda hora, meu peito enchia muito por conta da estimulação e ela nunca dava conta de mamar tudo, ou seja, ela nunca tirava aquele “acúmulo” de leite, minhas mamas estavam sempre muito cheias, chegando a ficar entumescidas e não ficavam macias. Por isso, sou doadora do banco de leite. Tiro o excedente e faço uma boa ação!

Fica mais fácil perceber pela manhã, pois nem sempre o volume do peito indica se está cheio ou “vazio”. Acordamos sempre com a mama “explodindo”. Dê mamá para seu bebê e, depois que ele mamar, faça uma ordenha e veja:  – Se  a mama estiver bem amolecida (como se tivesse gel dentro), é sinal que o bebê chegou no leite posterior (mais gorduroso). Se sair ainda um jatinho ou uma gota mais gordinha e, você perceber, apalpando, algum nódulo, ainda há leite e, numa próxima mamada você pode dar ainda uns minutinhos desta mama ou pode ordenhar para esvaziá-la. Cuidado para não ficar esvaziando toda hora e o bebê não mamar este último leite, que é mais gorduroso e é o que faz engordar. 

– Uma outra opção é  deixar este restinho para ele e aí tirar um pouco da outra mama, caso esteja muito cheia ou já dolorida. Assim, você uma hora tira o leite do início, na outra hora, o do final.

Com o hábito de observar pela manhã, logo logo você verá que fica mais fácil visualizar se a mama está cheia ou vazia ao longo do dia.

Vejo também na hora do banho. Faço massagens suaves embaixo da ducha e ordenho um pouquinho. Aquela mama que estiver com o leite mais branco é que que está quase “vazia” e ainda precisa dar para mamar (é o finzinho do leite gorduroso). Aquela mama com o leite mais transparente é o que está “enchendo” e posso deixar para depois.  Por isso os especialistas dizem que é sempre bom dar a mama que se deu por último e, depois de uns minutos, colocar o bebê no outro peito, assim você tem certeza que ele mamou tudo. MUITO IMPORTANTE: Não reveze as mamas na mesma mamada, por exemplo, alguns minutos em uma mama e metade do tempo na outra (10 em uma 10 na outra, 20 minutos em uma 20 na outra, por exemplo) pois dessa forma, o bebê só mama o leite anterior (água e anticorpos).

A DICA É: uma mama por vez. O bebê vai mamando e a mama vai produzindo leite. Assim você nunca terá dúvidas se o bebê mamou a “gordurinha”. Assim seu peito vai se adequar a sempre produzir o quanto ele mama.

Com esse hábito logo fica fácil saber.

Ah, quando estamos com o colostro ainda fica praticamente impossível saber se está vazio, mesmo porque a quantidade produzida é pequena e, por não se ter o hábito de ordenhar, sai bem pouquinho.

Esta é a minha experiência!

Tem certeza de que quer apagar?

Como Saber Quando A Mama Esta Vazia? Acompanhe o desenvolvimento do seu bebê com emails semanais personalizados.Como Saber Quando A Mama Esta Vazia? Novidades do site, artigos interessantes e conselhos baseados na vida real. Como Saber Quando A Mama Esta Vazia? Receba descontos, promoções e informações dos parceiros comerciais do BabyCenter.

Você tem muito pouco leite materno? Como aumentar a produção de leite

Muitas mães se preocupam se têm baixa produção de leite, mas pode ser difícil saber ao certo. Continue a ler para descobrir se você tem mesmo baixa produção de leite e o que fazer a respeito

Como Saber Quando A Mama Esta Vazia?

“Tenho leite materno suficiente?” é algo com que as novas mães se preocupam com frequência. Mas, se seu bebê estiver saudável e se desenvolvendo bem, o mais provável é que esteja tudo certo.

No entanto, se você estiver preocupada com sua produção de leite, é importante procurar aconselhamento logo. Se estiver tudo bem, logo você ficará tranquila.

Além disso, evita a armadilha de dar fórmula ao bebê sem necessidade, reduzindo sua produção de leite.

Poucas mães têm dificuldade em produzir leite materno suficiente devido a motivos médicos, como:

  • Perda de sangue excessiva (mais de 500 ml) durante o parto ou retenção de fragmentos da placenta podem atrasar a descida do leite (que geralmente ocorre cerca de três dias após o parto).1
  • Histórico de síndrome do ovário policístico, diabetes, distúrbios da tiróide ou outros distúrbios hormonais. Às vezes, as mães com essas condições têm baixa produção de leite.2
  • Hipoplasia mamária, uma condição médica rara em que não há tecido glandular mamário suficiente.3
  • Cirurgias mamárias anteriores ou traumatismo da mama – embora muitas mães que fizeram cirurgia amamentem com sucesso.4

Se alguma dessas condições for o seu caso, procure um consultor em aleitamento ou especialista em amamentação.

Assim que seu leite desce, os seios começam a produzir leite seguindo o processo de “oferta e procura”. Cada vez que é removido leite, seja pelo bebê ou por extração, seus seios produzem mais.

Por isso, dar mamadeira de fórmula pode reduzir sua produção de leite – seu corpo não recebe a mensagem para produzir mais, por não haver remoção de leite da mama.

A forma como seu bebê mama também afeta a produção. Quanto maior a frequência e a eficácia da amamentação, mais leite você produz. Se o bebê não ingerir leite suficiente durante a mamada, é essencial extrair regularmente para proteger sua produção. Confira mais conselhos abaixo.

Embora a baixa produção de leite seja rara, nas primeiras semanas o bebê pode ter dificuldades de ingerir o suficiente, por outros motivos.

Ele pode não estar mamando com frequência suficiente, ou durante o tempo necessário, principalmente se você estiver tentando seguir um horário em vez de amamentar por demanda.

Ele pode não estar pegando bem a mama ou ter uma condição que dificulta ingerir o leite.

Os seguintes sinais mostram que seu bebê não está recebendo leite suficiente:

  • Baixo ganho de peso. É normal nos primeiros dias o recém-nascido perder 5% a 7% do peso que tinha ao nascer – alguns perdem até 10%. No entanto, depois ele deve ganhar pelo menos 20 a 30 g por dia e voltar ao peso que tinha ao nascer, entre o 10º e o 14º dia.5,6,7 Se seu bebê perdeu 10% ou mais do peso de nascimento, ou se não começou a ganhar peso entre o 5º e o 6º dia, consulte um médico imediatamente.
  • Fraldas molhadas ou sujas em número insuficiente. O número de vezes que seu bebê faz cocô e xixi por dia é um bom indicador de que ele está recebendo leite suficiente. Leia nosso artigo sobre o padrão que o bebê deve seguir em Amamentar seu recém-nascido: o que esperar na primeira semana. Consulte um médico se você estiver preocupada, ou se tiver notado que as fraldas estão menos molhadas e mais leves.
  • Desidratação. Se seu bebê apresentar urina escura, boca seca ou icterícia (pele ou olhos amarelados), ou se estiver letárgico e não quiser mamar, ele pode estar desidratado.6 Febre, diarreia, vômito ou calor excessivo podem causar desidratação em bebês. Se você notar algum desses sintomas, consulte um médico imediatamente.

Normalmente os recém-nascidos mamam com muita frequência – cerca de 10 a 12 vezes por dia ou a cada duas horas – e isso não é sinal de que você não tem leite suficiente. Não se esqueça de que ele também mama por conforto, e é difícil observar quanto leite seu bebê ingere em cada mamada, pois a quantidade pode variar.

As seguintes situações são perfeitamente normais, e não são sinais de baixa produção de leite:

  • o bebê quer mamar com frequência
  • o bebê não quer sair do seu colo
  • o bebê acorda durante a noite
  • mamadas curtas
  • mamadas longas
  • o bebê toma mamadeira depois da mamada
  • seus seios estão mais macios do que nas primeiras semanas
  • seus seios não vazam leite, ou costumavam vazar e agora pararam
  • você não consegue extrair muito leite
  • você tem seios pequenos

Se você desconfiar que o bebê não está recebendo leite suficiente, procure um consultor em aleitamento ou especialista em amamentação.

O profissional irá avaliar se você tem baixa produção de leite e observar uma mamada, para verificar se o bebê pega bem a mama e ingere leite suficiente.

Ele pode sugerir um ajuste na sua posição de amamentar ou na forma como o bebê pega a mama, para aumentar a eficiência da amamentação.

Experimente também ter mais contato pele a pele com o bebê antes e durante as mamadas para estimular o hormônio ocitocina, que faz fluir o leite. Ou use técnicas de relaxamento, como ouvir uma música bem calma, para diminuir a ansiedade que pode estar afetando sua produção.8

Com apoio, a maioria das mães com baixa produção de leite consegue amamentar seus bebês parcialmente, e algumas até conseguem desenvolver uma produção de leite completa.

Leia também:  Como Dizer A Alguem Que Cheira Mal?

Se seu bebê ainda não estiver ingerindo leite suficiente diretamente da mama, por ter sido prematuro ou ter necessidades especiais, você deve precisar extrair leite para proteger sua produção. Além disso, seu profissional de saúde poderá prescrever galactagogos (medicamentos para aumentar a produção de leite).

Se você ainda não conseguir extrair leite suficiente para o bebê, será preciso complementar com leite de dadora ou fórmula, com orientação médica. Um sistema de nutrição suplementar (SNS) pode ser uma forma satisfatória para que ele receba todo o leite necessário no peito.

Se for preciso estimular sua produção de leite nos primeiros cinco dias após o parto, você pode usar um extrator de leite elétrico duplo com tecnologia de iniciação, como o Symphony Medela. Esse extrator foi desenvolvido para imitar a forma como o bebê estimula os seios quando mama, e foi demonstrado que aumenta a produção de leite a longo prazo.9

Assim que seu leite desce, a extração dupla significa que você pode extrair mais leite em menos tempo.10 Esse método também drena melhor os seios, o que também ajuda na produção de leite.

Embora as mães sejam diferentes, em geral é melhor extrair leite logo após, ou uma hora após a mamada. Isso pode parecer sem sentido, porque normalmente é mais fácil extrair de uma mama cheia. Mas você deve pensar na sessão de extração como “uma encomenda de leite” para o dia seguinte.

No início você deve conseguir tirar pouco leite, mas não desanime – com a extração regular, a quantidade aumenta.

Procure retirar leite (com amamentação e extração) de oito a 12 vezes por dia, incluindo uma sessão à noite – é quando os níveis de prolactina, o hormônio produtor de leite, estão mais altos. Quanto maior a frequência da retirada de leite, melhor.

Após dois ou três dias de extração regular, você deve notar um aumento significativo na produção. Para conselhos sobre como obter mais leite em cada sessão de extração, leia as dicas de extração de leite materno.

Se seu bebê não estiver mamando diretamente, ou se você não consegue extrair leite suficiente, a técnica chamada “extração manual” pode ser útil. Foi demonstrado que essa técnica aumenta a quantidade de leite que as mães conseguem extrair numa sessão.11,12 Todo o processo leva de 25 a 30 minutos. Lembre-se: quanto mais vazios estiverem os seios, mais rapidamente eles produzem leite.

Siga estes passos simples:

  • Massageie os seios.
  • Faça extração dupla usando um sutiã de extração para manter suas mãos livres.
  • Durante a extração, use os dedos e o polegar para comprimir sua mama durante alguns segundos. Solte e repita. Faça compressões nos dois seios até que o leite comece a gotejar.
  • Massageie novamente os seios.
  • Termine extraindo manualmente ou fazendo extração simples, comprimindo alternadamente os seios para drená-los o máximo possível.

Assim que o bebê estiver ganhando peso e sua produção de leite aumentar, você pode passar para a amamentação exclusiva.

Referências

Referências

1 Pang WW, Hartmann PE. Initiation of human lactation: secretory differentiation and secretory activation. J Mammary Gland Biol Neoplasia. 2007;12(4):211-221.

2 Vanky E et al. Breastfeeding in polycystic ovary syndrome. Acta Obstet Gynecol Scand. 2008;87(5):531-535.

3 Neifert MR et al. Lactation failure due to insufficient glandular development of the breast. Pediatrics. 1985;76(5):823-828.

4 Neifert M et al. The influence of breast surgery, breast appearance, and pregnancy-induced breast changes on lactation sufficiency as measured by infant weight gain. Birth. 1990;17(1):31-38.

5 C Tawia S, McGuire L. Early weight loss and weight gain in healthy, full-term, exclusively-breastfed infants. Breastfeed Rev. 2014;22(1):31-42.

6 Lawrence RA, Lawrence RM. Breastfeeding: A guide for the medical profession. 7th ed. Maryland Heights MO, USA: Elsevier Mosby; 2010. 1128 p.

7 World Health Organisation. [Internet]. Child growth standards; 2018 [cited 2018 Feb]

8 Keith DR et al. The effect of music-based listening interventions on the volume, fat content, and caloric content of breast milk-produced by mothers of premature and critically ill infants. Adv Neonatal Care. 2012;12(2):112-119

9 Meier PP et al. Breast pump suction patterns that mimic the human infant during breastfeeding: greater milk output in less time spent pumping for breast pump-dependent mothers with premature infants. J Perinatol. 2012;32(2):103-10.

10 Prime DK et al. Simultaneous breast expression in breastfeeding women is more efficacious than sequential breast expression. Breastfeed Med. 2012;7(6):442-447.

11 Stanford University School of Medicine [Internet]. Stanford, CA, USA: Maximizing Milk Production with Hands-On Pumping; 2017. [Accessed 30.04.2018].

12 Morton J et al. Combining hand techniques with electric pumping increases milk production in mothers of preterm infants. J Perinatol. 2009;29(11):757-764.

Muito pouco leite materno? Como aumentar uma baixa produção de leite

Muitas mães preocupam-se que possam ter uma baixa produção de leite, mas pode ser difícil saber ao certo. Continue a ler para perceber se tem mesmo uma baixa produção de leite e o que pode fazer acerca disso.

Como Saber Quando A Mama Esta Vazia?

“Tenho leite materno suficiente?” é algo com que as novas mães se preocupam com frequência. Mas, se o seu bebé estiver saudável e a crescer bem, o mais provável é que esteja tudo bem.

No entanto, se estiver preocupada com a sua produção de leite, é importante pedir aconselhamento cedo. Se tudo estiver bem, mais depressa fica tranquilizada.

Além disso, evita a armadilha de dar leite de fórmula ao seu bebé, sem necessidade, o que pode reduzir a sua própria produção de leite.

Um pequeno número de mães pela primeira vez tem dificuldade em produzir leite materno suficiente devido a motivos médicos, que incluem:

  • Uma perda de sangue excessiva (mais de 500 ml) durante o parto ou a retenção de fragmentos da placenta podem atrasar a descida do seu leite (que geralmente acontece cerca de três dias após o parto).1
  • Um historial de síndroma do ovário policístico, diabetes, distúrbios da tiróide ou outros distúrbios hormonais. Por vezes, as mães com estas condições têm uma baixa produção de leite.2
  • A hipoplasia mamária, uma condição médica rara em que não existe na mama suficiente tecido glandular produtor de leite.3
  • Cirurgias mamárias anteriores ou traumatismos da mama – apesar de muitas mães que fizeram cirurgia amamentarem com sucesso.4

Se alguma destas condições se aplicar a si, consulte um consultor em aleitamento materno ou especialista em amamentação.

Assim que o seu leite descer, os seus seios começam a produzir leite seguindo um processo de “oferta e procura”. Cada vez que é removido leite, quer pelo seu bebé a alimentar-se, quer por extração, os seus seios produzem mais.

É por este motivo que dar biberões de leite de fórmula pode reduzir a sua produção de leite – o seu corpo não está a receber a mensagem para produzir mais leite, porque não está a ser removido nenhum.

A forma como o seu bebé mama também afeta a sua produção. Quanto maior for a frequência e a eficácia da sua amamentação, mais leite produzirá. Se o seu bebé não tomar leite suficiente durante uma sessão de amamentação, é essencial extrair regularmente para proteger a sua produção de leite. Veja mais conselhos abaixo.

Apesar de uma baixa produção de leite ser rara, durante as suas primeiras semanas, o seu bebé pode ainda ter dificuldades em tomar o suficiente, por outras razões.

Pode não estar a mamar com a frequência suficiente, ou durante o tempo suficiente, especialmente se estiver a tentar seguir um horário de amamentação, em vez de amamentar a pedido do bebé.

Pode não estar a agarrar bem a mama ou pode ter uma condição que torna mais difícil tomar o leite.

Os seguintes sinais mostram que o seu filho não está a receber leite suficiente:

  • Ganha pouco peso. É normal nos primeiros dias os recém-nascidos perderem 5% a 7% do peso que tinham à nascença – alguns perdem até 10%. No entanto, depois disso devem ganhar pelo menos 20 a 30 g por dia e ter de novo o peso que tinham à nascença por volta dos dias 10 a 14.5,6,7 Se o seu bebé perdeu 10% ou mais do peso que tinha à nascença, ou se não começou a ganhar peso por volta dos dias 5 ou 6, deve consultar um médico imediatamente.
  • Fraldas molhadas ou sujas insuficientes. O número de cocós e chichis que o seu bebé tem por dia é um bom indicador para saber se ele está ou não a receber leite suficiente. Veja o nosso artigo que explica o padrão que o seu bebé deve seguir em Amamentar o seu recém-nascido: o que esperar na primeira semana. Consulte um médico se estiver preocupada, ou se tiver notado que as fraldas sujas estão menos molhadas e menos pesadas.
  • Desidratação. Se o seu bebé tiver uma urina de cor escura, a boca seca ou icterícia (pele ou olhos amarelados), ou se estiver letárgico e relutante em mamar, pode estar desidratado.6 A febre, diarreia e vómitos ou o sobreaquecimento podem provocar a desidratação nos bebés. Se notar algum destes sintomas, consulte um médico rapidamente.
Leia também:  Sou Como Sou E Nao Como Querem Que Seja?

Tipicamente, os recém-nascidos mamam com frequência – cerca de 10 a 12 vezes por dia ou todas as duas horas – e isto não é sinal de que não tem leite suficiente. Não se esqueça de que o seu bebé também mama para receber conforto e é difícil perceber quanto leite toma em cada sessão de amamentação – a quantidade pode variar.

As situações abaixo são perfeitamente normais e não são sinais de uma fraca produção de leite:

  • o seu bebé quer mamar com frequência
  • o seu bebé não quer que deixe de o ter ao colo
  • o seu bebé acorda durante a noite
  • sessões de amamentação curtas
  • sessões de amamentação longas
  • o seu bebé toma um biberão depois de uma sessão de amamentação
  • sente os seus seios mais moles do que nas primeiras semanas
  • os seus seios não perdem leite ou costumavam perder leite e agora não
  • não consegue extrair muito leite
  • tem seios pequenos

Se suspeitar que o seu bebé não está a receber leite suficiente, consulte um consultor em aleitamento materno ou especialista em amamentação.

Eles irão avaliar se tem uma baixa produção de leite e observar uma sessão de amamentação, para ver se o seu bebé agarra bem a mama e toma o leite suficiente.

Poderão sugerir que ajuste a sua posição de amamentação ou a forma como o seu bebé agarra a mama para poder mamar melhor.

Também pode experimentar ter mais contacto pele com pele com o seu bebé antes e durante as sessões de amamentação, para estimular a hormona oxitocina que faz fluir o seu leite. Ou use técnicas de relaxamento, como ouvir a sua música repousante preferida, para reduzir a ansiedade que possa estar a afetar a sua produção.8

Com apoio, a maioria das mães com baixa produção de leite consegue amamentar os seus bebés parcialmente e algumas conseguem desenvolver uma produção de leite completa.

Se o seu bebé ainda não estiver a tomar leite suficiente diretamente da mama, talvez por ter sido prematuro ou por ter necessidades especiais, poderá ter de extrair leite para proteger a sua produção e o seu profissional de saúde poderá prescrever galactogogos (medicamentos para aumentar a produção de leite).

Se ainda não consegue extrair leite suficiente para o seu bebé, vai precisar de o complementar com leite de dadoras ou com leite de fórmula, sob a orientação de um profissional médico. Um sistema de nutrição suplementar (SNS) pode ser uma forma satisfatória de ele tomar todo o leite de que precisa na mama.

Se precisar de dar um impulso à sua produção de leite nos primeiros cinco dias após o parto, pode usar um extrator de leite elétrico duplo com tecnologia de iniciação, como o Symphony da Medela. Este tipo de extrator foi concebido para imitar a forma como o bebé estimula os seios quando mama e está demonstrado que aumenta a produção de leite a longo prazo.9

Assim que o seu leite descer, a extração dupla significa que pode extrair mais leite em menos tempo.10 Este método também drena melhor os seios, o que também ajuda na produção de leite.

Apesar de todas as mães serem diferentes, muitas vezes, é boa ideia extrair leite logo após ou uma hora depois de uma sessão de amamentação. Isto pode parecer um contrasenso porque geralmente é mais fácil extrair de uma mama cheia. Mas deve pensar na sua sessão de extração como “fazer uma encomenda de leite” para o dia seguinte.

No início, pode recolher apenas pequenas quantidades, mas não desanime – com a extração regular, as quantidades aumentam.

Procure retirar leite (através da amamentação e da extração) oito a doze vezes por dia, incluindo uma sessão à noite, quando os seus níveis da hormona prolactina, produtora de leite, estão mais elevados. Quanto maior a frequência da retirada de leite, melhor.

Depois de dois ou três dias de extração regular, deverá notar um aumento significativo na produção. Para aconselhamento sobre como obter mais leite em cada sessão de extração, leia as dicas sobre extração de leite materno.

Se o seu bebé não está a mamar diretamente de todo, ou se não consegue extrair leite suficiente para ele, uma técnica chamada “extração com a ajuda das mãos” pode ser útil.

Foi demonstrado que aumenta a quantidade de leite que as mães conseguem extrair numa sessão.11,12 Todo o processo demora cerca de 25 a 30 minutos.

Lembre-se de que quanto mais vazios estiverem os seus seios, mais rapidamente produzem leite.

Siga estes passos simples:

  • Massaje os seios.
  • Faça extração dupla usando um sutiã de extração para manter as suas mãos livres.
  • Durante a extração, use os seus dedos e o polegar para comprimir a sua mama durante alguns segundos. Solte e repita. Faça compressões nos dois seios até o fluxo de leite diminuir para apenas umas gotas.
  • Massaje de novos os seios.
  • Termine extraindo manualmente ou fazendo extração simples, comprimindo os seios e alternando de um para o outro, para os drenar tão completamente quanto possível.

Assim que o seu bebé estiver a ganhar peso e a sua produção de leite tiver aumentado, pode passar para a amamentação em exclusivo.

Referências

Referências

1 Pang WW, Hartmann PE. Initiation of human lactation: secretory differentiation and secretory activation. J Mammary Gland Biol Neoplasia. 2007;12(4):211-221.

2 Vanky E et al. Breastfeeding in polycystic ovary syndrome. Acta Obstet Gynecol Scand. 2008;87(5):531-535.

3 Neifert MR et al. Lactation failure due to insufficient glandular development of the breast. Pediatrics. 1985;76(5):823-828.

4 Neifert M et al. The influence of breast surgery, breast appearance, and pregnancy-induced breast changes on lactation sufficiency as measured by infant weight gain. Birth. 1990;17(1):31-38.

5 C Tawia S, McGuire L. Early weight loss and weight gain in healthy, full-term, exclusively-breastfed infants. Breastfeed Rev. 2014;22(1):31-42.

6 Lawrence RA, Lawrence RM. Breastfeeding: A guide for the medical profession. 7th ed. Maryland Heights MO, USA: Elsevier Mosby; 2010. 1128 p.

7 World Health Organisation. [Internet]. Child growth standards; 2018 [cited 2018 Feb]

8 Keith DR et al. The effect of music-based listening interventions on the volume, fat content, and caloric content of breast milk-produced by mothers of premature and critically ill infants. Adv Neonatal Care. 2012;12(2):112-119

9 Meier PP et al. Breast pump suction patterns that mimic the human infant during breastfeeding: greater milk output in less time spent pumping for breast pump-dependent mothers with premature infants. J Perinatol. 2012;32(2):103-10.

10 Prime DK et al. Simultaneous breast expression in breastfeeding women is more efficacious than sequential breast expression. Breastfeed Med. 2012;7(6):442-447.

11 Stanford University School of Medicine [Internet]. Stanford, CA, USA: Maximizing Milk Production with Hands-On Pumping; 2017. [Accessed 30.04.2018].

12 Morton J et al. Combining hand techniques with electric pumping increases milk production in mothers of preterm infants. J Perinatol. 2009;29(11):757-764.

O bebê está mamando bem? – como interpretar os sinais

A pergunta que toda mãe de bebê recém nascido quer saber (e às vezes não só de recém nascido…): quanto meu bebê mama? Será que meu leite está sendo suficiente? 

Entra a mamadeira que tem a quantificação milimétrica de quanto leite entra no estômago do bebê, amamentar é muito mais complexo do que se imagina!  Felizmente existem ferramentas objetivas e subjetivas para sabermos se o bebê está mamando bem!

Escrevi na primeira parte do post alguns parâmetros importantes que podemos avaliar, como ganho de peso, xixi ou cocô e avaliação da mamada. Acesse também! Hoje vamos falar um pouco sobre alguns sinais indiretos que a mãe pode e deve observar  no seu próprio corpo e em seu bebê.

Leia mais sobre como saber se o bebê está mamando bem 

Bebê relaxado: é o famoso bebê “mamado”. Lembra dessa expressão? Pois é, ela vem dos bebezinhos após mamarem. Após uma mamada efetiva o bebê fica molinho, a mãozinha aberta e solta, e você percebe o bebê completamente relaxado.

Como Saber Quando A Mama Esta Vazia?

Leozinho após mamar…(foto com autorização)

Mama vazia: esse sinal é um pouco mais subjetivo,  mas pode ser algo que ajuda a avaliar se o bebê está mamando! Caso a mãe não tenha a sensação de mama cheia, o que também pode acontecer, deixa de ser um bom parâmetro. Após as primeiras semanas, isso torna-se menos importante, pois a produção se ajusta à demanda do bebê.

Transferência de leite adequada: uma mamada efetiva depende de um bebê que suga e uma mãe que produz leite, certo? (Além de inúmeros fatores envolvidos entre esses 2 tópicos…)

Muitas vezes a produção de leite da mãe é muito boa, mas não acontece a transferência do leite! Isso pode acontecer quando o peito está muito cheio devido a ingurgitamento mamário, por exemplo. Imagina uma avenida enorme e completamente entupida de carros.

Está lotada de carros que nem dá pra contar, mas ninguém anda! A mesma coisa com o leite empedrado no peito da mãe! Tanto leite e não sai uma gota! Nesse caso, uma boa massagem e colocar o bebê para mamar, garantindo uma mamada efetiva, é extremamente importante.

Leia também:  Como Se Chama As Pessoas Que Se Vestem De Preto?

Pode ser necessário ter ajuda profissional, com uma consultora de amamentação, ou corra para o banco de leite!

Mas…Isso é apenas uma via certo? 

A outra via é a sucção desse bebê. O bebê suga de forma efetiva? A pega está adequada? O peito está machucado e a mãe sente dor ao amamentar? O bebê passa horas no peito e parece nunca estar satisfeito? Ou suga e após menos de 5 minutos dorme? Todos esses são sinais de alarme que algo pode estar errado.

Existem inúmeros fatores que podem prejudicar a sucção desse bebê, mas um dos principais é a língua presa. O bebê nesses casos tem uma pequena membrana, chamada de freio lingual, que literalmente “prende”a língua ao assoalho da boca e impede que o bebê mame de forma adequada.

Isso pode causar inúmeros problemas, pois o bebê não consegue sugar de maneira adequada, causando desde dor para amamentar, com o posicionamento da língua de forma incorreta no peito, mesmo com a correção da pega e posição do bebê, o bebê pode não ganhar peso adequadamente, pois a língua presa gera um tremendo esforço para extrair leite, com uma efetividade pior…e por aí derivam vários outros problemas.

  • A avaliação da mamada, pega e posicionamento no peito são fundamentais, mas se os problemas persistirem para além daqueles primeiros dias ou numa proporção bem maior, procure ajuda!
  • Apesar a avaliação da linguinha do bebê ser feita na maternidade, fique atenta! Esse teste é apenas uma triagem e não consegue detectar todos os casos…
  • Saiba mais sobre língua presa do bebê
  • Avaliar se tanto a produção de leite para o bebê, a transferência de leite e a sucção desse bebê está correta requer um certo treino e experiência, então peça ajuda se necessário!
  • Consultório Espaço Médico Descomplicado – São Paulo: (11) 5579-9090/ whatsapp (11) 93014-0007

Como saber se o bebê esvaziou o peito? Uma grande dúvida na amamentação

E a verdade é que não tem como saber se o bebê esvaziou o peito da mãe simplesmente porque a mama nunca fica, de fato, “vazia”. O leite é produzido de forma contínua no peito e 80% deste leite, inclusive, é produzido durante a mamada. Lembra que o peito é fábrica e não estoque?

>> Mamadas frequentes: o bebê quer o peito sempre que chora?

Talvez saber se o bebê esvaziou o peito se torne algo confuso justamente por que ela não quer dizer literalmente o que esta escrito. Na verdade significa: como saber se o bebê mamou o suficiente.

>> Como ordenhar leite materno: aprenda a técnica

>> Produção de leite materno: como ela acontece?

Quando o bebê mama o suficiente em uma mama, você tem a sensação de alívio com o peito mais macio e leve. Se você aperta um pouco esta mama ela não sai mais aquele jato de leite forte, mas sim algumas gotas.

>> Técnica de compressão da mama ajuda o bebê a mamar mais

Se ao tocar suas mamas você sentir que elas estão duras e com algumas áreas duras, significa que ainda tem bastante leite nesta mama. Dependendo, você pode dar a mesma mama para o bebê na próxima mamada primeiro e logo em seguida a outra

Uma mama com o leite mais branco é a que provavelmente esta mais “vazia” e ainda precisa dar para mamar . A mama com o leite mais transparente é o que está “enchendo” e pode ser deixada para a próxima mamada ou dada depois desta se o bebê ainda quiser mamar mais.

É sempre bom dar a mama que o bebê mamou por último e, depois de uns minutos, colocar o bebê no outro peito, assim você tem certeza que ele mamou tudo

  • >> Tempo de mamada e troca de peito, como assim?
  • É importante o bebê mamar tranquilamente em uma mama até ele mesmo indicar a você que quer mudar de mama, ou seja, até você perceber que esta mama esta mais vazia e é era hora de trocar.
  • Quando o bebê mamou bem em um peito, ele começa a reclamar nesta mama e assim que você o coloca no outro peito, ele volta a mamar tranquilo.

Ter a consciência de peito vazio e peito cheio é algo que você começa a ter logo, não demora muito tempo depois que se inicia o processo de amamentação em livre demanda

Isto porque você passa a entender os hábitos de mamada de seu bebê, seu corpo passa a produzir de acordo com a demanda do seu bebê e caso ele “atrase” a mamada ou pule alguma, seu corpo sinaliza deixando o peito cheio e duro, que esta passando da hora de dar mamar.

Leia também:

Uau Uau Gostei Gostei Amei Amei Ouwn Ouwn

Quanto tempo deve durar a mamada (e outras dúvidas sobre amamentação)

Olá, amigos do Mil Dicas de Mãe!

Foto: Getty Images

Logo que a Catarina nasceu, uma das maiores dúvidas que eu tinha era quanto tempo deveria durar a mamada. No fundo a gente não sabe se o bebê está mamando direito, se está tomando leite suficiente, se já é hora de trocar de peito… Será que devo deixar 30 minutos? 45? 1 hora? Ou só 15 minutos? Ai, que dúvida!

Bom, com o tempo você vai pegando o jeito do bebê, e aprende a saber quando deve trocar de peito. Uma coisa é fato: você deve sempre começar pelo mesmo peito que o bebê mamou pela última vez.

Isso porque é importante esvaziar todo o reservatório de leite daquela mama, aproveitando tanto o leite chamado de anterior (rico em proteínas e anticorpos, importante para o desenvolvimento de ossos e cérebro) como o posterior (rico em gordura, ajuda o bebê a ganhar peso), que sai quando a mama já está quase vazia.

Durante os primeiros meses eu mantive um registro de todas as mamadas da Catarina, escrevendo os horários e o tempo de duração em cada peito.

Eu me sentia mais segura com isso, até porque logo que chegamos da maternidade eu não sabia nem meu nome, quanto mais o último peito que ela tinha mamado.

Se você é do tipo de mãe que precisa escrever para se situar, vá em frente e anote também (aliás, hoje tem aplicativos de IPhone e IPad só para isso).

Bom, mas se você está lendo esse post e é mãe de primeira viagem, provavelmente quer saber pelo menos uma estimativa do tempo que a mamada dura, certo? Então para servir apenas como referência (há bebês que demoram mais e outros menos), deixo aqui uma tabela do livro A Encantadora de Bebês, que achei bem realista (aliás, fico devendo uma resenha sobre esse livro, que tem dicas interessantíssimas e outras coisas que achei uma viagem completa da autora). Comparei com minhas anotações e o resultado foi bem parecido. Confiram:

  • Bebê de até 6 semanas: a mamada dura até 45 minutos (as minhas duravam 45-50 minutos; nos primeiros dias até 1 hora).
  • Bebê de 6 semanas a 4 meses: até 30 minutos (o bebê vai ficando mais rapidinho e sua eficiência em sugar aumenta).
  • Bebê de 4 a 6 meses: até 20 minutos (Catarina era bem rapidinha; em no máximo 15 minutos já tinha acabado o peito e o complemento que eu dava em mamadeira).

Mas e quando trocar de peito? Você aprenderá a perceber quando sua mama está vazia ao palpá-la. E outro indício que percebia com a Catarina era que o ritmo de sugar mudava, e parecia que ela estava só chupetando (aliás, não parecia, estava mesmo!).

E se o bebê dormir? Nos primeiros dias o bebê fica muito dorminhoco durante a mamada. É importante, no entanto, que ele mame bem, para ganhar peso. Tente mantê-lo acordado fazendo delicadas cócegas no pescoço, debaixo do bracinho ou nos pés. Tirar um pouco da roupinha também surte efeito.

Qual deve ser o intervalo entre as mamadas? Embora muita gente diga que é em torno de 3 horas e que esse intervalo aumenta com o tempo, o ideal é seguir o ritmo do seu bebê e amamentá-lo sempre que ele solicitar.

A isso é dado o nome de livre demanda, e está cada vez mais demonstrado que essa prática só tem benefícios ao bebê (que fica mais tranquilo, confortado e ganha peso com maior facilidade). Com o tempo naturalmente ele poderá esticar o tempo entre mamadas durante o dia e também à noite.

Isso também varia de bebê para bebê (exemplo: durante o dia nunca consegui passar de 3 horas com a Catarina, que era uma esfomeada; mas há bebês que facilmente mamam a cada 4 horas depois de 1 ou 2 meses).

Devo acordar o bebê para mamar durante a madrugada? Resposta: converse com seu pediatra. A minha recomendava que eu acordasse nos primeiros meses, para que ela ganhasse peso.

Hoje, se eu tivesse um segundo filho com um bom peso de nascimento, consideraria muito a ideia de deixá-lo dormindo.

Mas isso dependerá do seu bebê, e nada melhor do que o médico para lhe indicar o caminho a seguir.

Você que é nossa leitora, conta para a gente como foi com você! Quanto tempo durava a mamada? Seu bebê mamava com qual intervalo? Você o acordava à noite? Compartilha com as outras mães sua experiência e ajude as mães de primeira viagem!

Gostou? Quer ler mais sobre amamentação? Clique aqui.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*