Como Saber Quando A Carne Esta Estragada?

Como saber se a carne que você está comprando está boa para o consumo? Na hora de comprar a carne é preciso prestar bastante atenção no aspecto. Uma carne boa, fresca, tem que ser vermelha.

A temperatura ideal para as que ficam em exposição é até 5ºC.

O cheiro é fundamental: o produto bom para o consumo não pode ter cheiro ruim e nenhum produto químico é capaz de eliminar o odor de uma carne já fora do prazo de consumo.

Se a carne estiver esverdeada é porque teve proliferação de bactérias. Se estiver vermelho escuro, mais amarronzada, é porque a carne ficou exposta a uma temperatura menor do que deveria e não é recomendada para o consumo.

Como Saber Quando A Carne Esta Estragada?

Saiba como identificar se a carne está boa para o consumo

Veja algumas características que devem ser observadas em todos os tipos de carne (boi, porco e frango):

  • Cor
  • Maciez
  • Gordura tem que ser esbranquiçada
  • Cheiro
  • Data de validade
  • Textura – observar se existe alguma substância pegajosa

É preciso ficar atento também às carnes que já vieram embaladas. Saber a procedência da carne é uma garantia de qualidade para os consumidores.

Recentemente, por causa da greve dos caminhoneiros, e no ano passado, por causa da Operação Carne Fraca, a preocupação sobre a conservação das carnes aumentou.

Especialistas afirmam que é preciso cautela com alerta sobre o uso de produtos para vender carnes estragadas ao consumidor. Ao menos duas delas são regulamentadas e constam na lista de aditivos alimentares aprovados para uso: ácido sórbico e ácido ascórbico.

A substância altera a cor e a textura da carne. Ele é antibacteriano e geralmente é usado para evitar crescimento de bolores e fungos. O efeito secundário do ácido sórbico é clarear a carne escurecida pela oxidação do ferro.

O que é o ácido ascórbico?

É conhecido como vitamina C. O efeito é conservar a carne, mas pode ser usado para deixa-la com a cor vermelha por mais tempo. A carne pode parecer saudável para o consumo.

Como Saber Quando A Carne Esta Estragada?

Especialista dá dicas na hora de comprar carne

Como identificar carne estragada? Confira para se prevenir

Tempo de leitura: 3 minutos

O consumo de carne no Brasil quase dobrou desde 1990, superando vários países ocidentais, segundo algumas pesquisas. Quem não gosta de uma carne no almoço ou jantar? Somente os veganos e vegetarianos! Mas você deve se atentar a alguns aspectos antes de comprar e/ou consumir esse alimento. O principal é saber identificar a carne estragada.

É preciso verificar se a carne está estragada antes do seu preparo ou no momento que vai comprá-la no supermercado ou açougue. Atenção especial às carnes que já estão embaladas, pois elas têm prazo de validade. Se você perceber que ela não está em boas condições, não consuma. Existem várias doenças que podem ser adquiridas por meio da ingestão de carne estragada.

Neste artigo, vamos explicar como identificar a carne estragada e quais são os problemas que o seu consumo pode causar à saúde. Continue a leitura e saiba mais!

Como identificar a carne estragada?

Algumas características devem ser verificadas antes do consumo de qualquer tipo de carne (boi, porco, frango) — cheiro, cor, temperatura, textura, data de validade e fabricação. Então, separamos abaixo os principais itens para ajudar você nessa missão.

Cheiro

Essa é a forma mais fácil de identificar se a carne está estragada, pois ela geralmente apresenta um cheiro forte de mofo ou um odor azedo. Quando você abre o pacote, sente esse cheiro desagradável e rançoso de longe. Cada carne tem um cheiro característico, então preste atenção nisso.

Textura

Ao tocar na carne você também consegue identificar se ela está boa ou não para usar em sua receita. Cada tipo de carne apresenta uma textura diferenciada e de fácil identificação. Pensando nisso, fique atento quando o produto apresentar uma textura escorregadia, pegajosa e viscosa, pois são indícios de que ele está inapropriado para o consumo.

Prazo de validade

A primeira coisa que você deve olhar ao escolher uma carne no supermercado, açougue ou, até mesmo, na sua geladeira é o prazo de validade. Se ela estiver vencida ou muito perto de vencer, não compre! Geralmente, os supermercados colocam essas carnes em promoção para não terem prejuízo, mas elas podem fazer muito mal a você.

Cor

A carne de porco tem uma coloração rosada, a de boi tem uma cor avermelhada, já a de frango e a de peixe são brancas. Caso veja qualquer cor diferente dessas, não consuma. Quando esses produtos estão estragados, apresentam tonalidade esverdeada, amarelada, cinzenta ou descolorada. Essas cores indicam que eles estão contaminados por bactérias e fungos.

Quais são os problemas que podem ocorrer ao consumi-la?

Alguns sintomas são comuns quando uma pessoa consome uma carne estragada, como vômitos, dor de cabeça, febre e diarreia. Eles são consequências da intoxicação alimentar causada pelas bactérias e toxinas presentes na carne ingerida. Se não for tratada corretamente, ela pode causar doenças infecciosas (salmonelose), câncer ou outras complicações, podendo, até mesmo, levar à morte.

Como destacado anteriormente, o consumo da carne estragada é muito prejudicial à saúde, principalmente para as pessoas que estão com o sistema imunológico fragilizado. Então, coloque em prática as dicas apresentadas neste artigo antes de comprar ou ingerir carne além de armazená-la corretamente em freezers ou geladeiras em temperatura de 0 °C a 2 °C.

Agora que você já sabe como identificar a carne estragada, que tal dividir esse conhecimento com seus amigos e familiares? Compartilhe este artigo nas suas redes sociais!

Como Saber Quando A Carne Esta Estragada?Powered by Rock Convert

Veja três dicas para saber se a carne está estragada

  • Com as denúncias feitas pela Operação Carne Fraca na última sexta-feira, 17 de março, é importante que, antes de comprar ou consumir, o consumidor saiba identificar características que podem denunciar a carne imprópria para o consumo.
  • A “Operação Carne Fraca”, criada para desmascarar crimes na área do agronegócio e da agropecuária, emitiu mandados de prisões depois de encontrar irregularidades nas vendas de carnes, como a adulteração de produtos que já estavam vencidos a partir do uso de uma substância que pode ser altamente cancerígena, mas servia para mascarar a má qualidade: o ácido ascórbico, conhecido como vitamina C.
  • Em entrevista ao Vix, a nutricionista Gabriela Zugliani ensina a reconhecer a qualidade das carnes de boi, porco ou frango.

Segundo ela, algumas medidas podem ser tomadas para tentar se proteger. Olhar o prazo de validade é o primeiro passo. “Se ela estiver muito perto do vencimento, não compre, mesmo que esteja com um valor menor”, aconselha.

Como Saber Quando A Carne Esta Estragada?

Como identificar carne estragada

Pela cor As carnes bovinas precisam ter um tom avermelhado. Já as de porco devem ter um leve cheiro de sangue e estar rosadas (não em tom vermelho escuro ou sem cor, por exemplo). Já o frango, “se estiver com a superfície descolorada, amarelada ou com textura viscosa, é um bom indício de que ela deve ir para o lixo”.

Se a carne estiver amarelada, esverdeada ou cinza, não tenha dúvidas: está estragada, afirma a nutricionista. Essas cores indicam que ela tem mofos e bactérias se formando, então, “é melhor não arriscar”, aconselha.

Pela textura Tocar a carne é outra forma de saber se ela está boa ou não para o consumo. “Quando está passada, ela possui uma textura viscosa, um pouco escorregadia, demonstrando um sinal de que as bactérias já se proliferaram ali”, diz Gabriela.

O frango é mais particular. “Ele pode ser considerado uma espécie de bomba-relógio da cozinha”, alerta ela. “Estraga em cerca de 48 horas, quando conservado cru na geladeira, e seis meses quando congelado. Atente-se para esses prazos e não consuma após ultrapassá-los.

Pelo cheiro Outra forma mais fácil de saber se a carne realmente está estragada é pelo cheiro. “Nosso olfato nunca nos engana em relação ao cheiro de comida estragada. Se a mesma estiver com cheiro de mofo ou algum odor desagradável, passe longe”, aponta. O frango podre, por exemplo, fica com um odor azedo e forte.

Fonte: MSN 

4 passos para identificar se a carne está estragada

Como Saber Quando A Carne Esta Estragada?

A maioria destes casos é resultado da ingestão de carne em mau estado

A possibilidade de ficar doente devido a uma doença transmitida por alimentos aumenta exponencialmente quanto mais velha for a carne. Saber distinguir quando a carne já não é fresca pode evitar os efeitos desagradáveis de uma intoxicação alimentar.

Instruções:

1º – Verifique a data em que foi embalada a carne ou o seu prazo de validade. Se a carne já tiver passado do seu prazo de validade, não a compre, não importa se o preço está muito baixo, simplesmente não a compre. Se não tiver ou não conseguir ver o prazo de validade, lote e dia em que foi embalada também não compre a carne.

2º – Verifique a cor da carne. Não precisa de ter passado o seu prazo de validade para que esteja em mau estado, nem a cor significa que a carne esteja má. A carne de aves pode variar desde o branco azulado até ao amarelo. Em condições ideais, a carne de porco crua é cinza-rosado.

A maioria das pessoas associa a carne picada fresca a uma cor vermelho brilhante. No entanto, esta cor vermelha não é a cor natural da carne fresca, apenas se torna assim devido à exposição ao ar. Se a carne picada fresca for embalada a vácuo e não tiver contato com oxigênio, a sua cor seria um vermelho-púrpura.

Contrariamente à crença popular, o fato de a carne de vitela picada se ter tornado castanha, não significa que esteja má. A carne dos animais mais velhos é mais escura que a dos animais mais novos.

Leia também:  Como Se Chama Uma Pessoa Que Quer Sempre Mais?

E para além disso, às vezes a iluminação da loja pode causar uma reação com a cor da carne, dando-lhe uma cor castanho-avermelhada.

3 – Cheire a carne. Esta é provavelmente a forma mais fácil de saber se a carne é ruim. Seja qual for o tipo de carne, se cheira a ranço, mofo ou algo desagradável, não é boa para comer. Você pode encontrar carne picada numa loja que pareça ser fresca, mas tem um ligeiro odor.

Isto poderá significar que a carne está começando a ficar ruim, ou que se utilizou monóxido de carbono durante o embalamento da carne para manter a sua cor avermelhada bonita, inclusivamente depois de se deteriorar. De qualquer forma, não deve correr esse risco.

A carne de aves de aviário tem um cheiro mais distinto quando começa a ficar má – um cheiro a podre que deverá desencorajar alguém a comê-la, inclusivamente os que têm um estômago de ferro.

4º – Tome o tempo que for preciso para inspecionar a carne. A carne podre frequentemente tem uma textura viscosa, que é um sinal de que as bactérias já começaram a multiplicar-se sobre a sua superfície.

A carne em mau estado, especialmente as aves, também se pode tornar pegajosa. Se vir alguma anormalidade na carne, ou se tiver zonas que estejam negras ou verdes, é sinal que os fungos já começaram a crescer.

Mesmo depois de confirmar se a carne está em bom estado é extremamente importante saber como conservá-la.

Conselhos

  • Deixar a carne no congelador demasiado tempo não o fará perder o produto, mas mudará a sua cor e vai eliminar os nutrientes da carne. Cozinhar a carne com a queimadura do congelador frequentemente resulta numa comida de sabor amargo e seco.
  • A carne mal cozinhada, não importa quão fresca seja, pode apresentar os mesmo riscos para os seres humanos que a carne em mau estado. Cozinhe bem as carnes para reduzir ao mínimo a probabilidade de contrair uma doença transmitida por alimentos.
  • Não confie nas datas de venda da loja onde compra a carne como um indício da sua frescura, uma vez que estas datas são fáceis de manipular. Use os seus sentidos (incluindo o senso comum) para decidir se a carne é fresca ou se está em mau estado.

5 sinais de que a carne bovina está estragada (mesmo sem parecer) | Familia

A carne pode parecer boa, mas não está. Veja estes sinais importantes na hora de comprar.

Como Saber Quando A Carne Esta Estragada?

Após o escândalo da operação “carne fraca”, os brasileiros estão com receio de comprar carne com medo que de ela esteja alterada ou até mesmo estragada. Segundo o R7, o varejo paulista já percebeu redução nas vendas de embutidos de carne e carne in natura.

  • Pedro Eduardo de Felício, da faculdade de Engenharia de Alimentos da Unicamp, explicou ao BBC que a polícia agiu mal com relação à divulgação das informações da operação Carne Fraca.
  • Segundo a engenheira de alimentos, Carmen Castillo, da USP, alguns ingredientes citados na operação “são necessários para o processamento dos alimentos e é preciso tomar cuidado para não demonizá-los”.
  • “Não é problema usar esses ingredientes (em alimentos processados e embutidos), o problema é não respeitar os níveis permitidos na lei”, disse à BBC Brasil.

A polícia descobriu que as empresas, JBS e a BRF, utilizavam esses ingredientes acima da quantidade permitida na regulamentação. Assim, eles conseguiam maquiar o aspecto físico do alimento estragado ou com mau cheiro.

A operação também descobriu esquema de propinas que supostamente liberava carnes vencidas e adulteradas.

Carnes estragadas podem transmitir doenças como o E-coli e Salmonella, o que causa intoxicação. O Centro de Referência da Pecuária Brasileira – Zebu (CRPBZ) listou alguns passos para identificar uma carne estragada:

1. Cor da carne

A cor da carne pode indicar se a carne está estragada ou não. É importante checar a data de validade, mas uma carne estragada não precisa ter passado da data de validade para estar estragada.

A cor ideal da carne é de vermelho púrpura, cor de sangue. Mas em contato com o ar, ela pode ficar mais escura. Dependendo do tipo da peça, a cor varia. Evite carnes com cor muito escura ou de vermelho brilhante. Cores pretas ou verdes na superfície da carne é um sinal de que bactérias começaram a crescer.

2. Cheiro

O cheiro é o fator mais importante. Segundo a rádio CBN, especialistas dizem que é muito difícil disfarçar o cheiro de uma carne estragada. Muitas carnes são vendidas embaladas, então o consumidor pode comprar a carne e assim que chegar em casa deve lembrar de cheirá-la. Se a carne tiver com um cheiro de ranço, mofo ou qualquer cheiro desagradável, ela não deve ser consumida.

3. Textura

A carne não pode ter uma textura viscosa ou pegajosa. Segundo o CRPBZ, isso é sinal de que bactérias estão começando a se multiplicar sobre a superfície da carne.

Mesmo após preparada, deve-se checar se a carne possui pedaços viscosos. Pedaços viscosos e manchas no interior indicam que a carne está ruim.

4. Temperatura

No mercado, verifique se o lugar de armazenamento da carne é apropriado e se tem uma temperatura baixa. A temperatura é de extrema importância para manter a carne fresca. A carne nunca deve ser mantida em um ambiente quente. A temperatura deve sempre ser inferior a 7 graus.

A rádio CBN informou que o consumidor também deve tomar cuidado na maneira que refrigera a carne em casa. Manter a carne na geladeira por 2, 3 dias pode sofrer uma contaminação, já que a temperatura de uma geladeira em casa pode não ser ideal.

5. Data de fabricação

Prefira comprar uma carne mais próxima da data de fabricação do que da data de vencimento.

Se você comprou uma carne e percebeu que ela está ruim, leve o produto com o recibo de volta ao supermercado.

Como Saber se a Carne Está Estragada

  1. 1

    Faça uma inspeção na embalagem e veja a data de validade. A vida útil da carne vermelha é de um a três dias quando está crua e de sete a dez dias quando está cozida. Jogue fora tudo o que estiver além da data de validade para não correr o risco de ter uma intoxicação alimentar.[1]

  2. 2

    Sinta o cheiro da carne. Se o cheiro é ruim, ela provavelmente está estragada. A carne vermelha tem um odor característico quando passa da validade. Nesse caso, jogue tudo fora.[2]

    • Não coloque o nariz contra ou perto da carne para sentir o cheiro. Passe a mão nela e depois aproxime os dedos das narinas.
  3. 3

    Jogue a carne fora se ela estiver na geladeira há mais de cinco dias. O tempo que a carne dura quando fica na geladeira depende da forma — moída ou cortada. A carne moída pode ficar de um a dois dias guardada, enquanto a cortada dura de três a cinco dias.[3]

    • A carne dura mais quando é congelada. Se não pretende prepará-la por um tempo, guarde tudo no congelador.[4]
  4. 4

    Não coma a carne se houver pontos esverdeados nela. Geralmente, quando a carne apresenta alguns pontos esverdeados ou marrons, é porque ela não está adequada para consumo — embora isso nem sempre seja o caso. Por fim, se ela estiver com cores cintilantes, é porque está contaminada por bactérias.[5]

    • Em caso de dúvida, jogue a carne fora.
  5. 5

    Sinta a textura da carne. A carne fica grudenta quando está estragada. Se for o caso, jogue-a fora — pois pode ser que as bactérias já tenham começado a se multiplicar.

  1. 1

    Fique atento a cheiros ruins fortes. O frango não tem cheiro quando está bom para o consumo. Caso contrário, jogue-o fora e limpe a geladeira ou o congelador. O mau cheiro costuma ficar na área quando ela não recebe a devida limpeza.[6]

    • Use bicarbonato de sódio para tirar o cheiro forte da geladeira.[7]
  2. 2

    Não coma frango se ele estiver cinza. O frango cru é rosado quando está em boas condições e branco quando está preparado. Se a carne ficar acinzentada ou descolorida, provavelmente não está boa mais.[8]

    • Tire a pele do frango que for servido a você em restaurantes para ver a cor.
  3. 3

    Sinta a textura do frango. O frango tem uma espécie de filme líquido, mas que não é mucoso. Se for o caso, jogue-o fora.[9]

    • Lave as mãos depois de mexer com frango cru, mesmo que ele não esteja estragado.
  4. 4

    Veja se há sinais de mofo no frango cozido. Além dos sinais citados acima, o frango cozido estragado pode começar a apresentar mofo. Não tente tirar o fungo e comer o resto — nesses casos, é sempre melhor jogar tudo fora para evitar a intoxicação alimentar.[10]

  1. 1

    Não coma frutos do mar com cheiro estranho. Ao contrário do que diz o senso comum, os frutos do mar frescos não podem ter cheiro de peixe. Eles podem até ter um cheirinho de mar, mas que não seja forte. Confie no seu nariz: jogue tudo fora se suspeitar de algo.[11]

    • Cheire os frutos do mar ainda no supermercado para ver se está tudo bem.
  2. 2

    Faça uma inspeção nos frutos do mar para ver se eles estão frescos. Os frutos do mar são reluzentes quando são tirados da água, mas estragam quando ficam secos. Se eles tiverem olhos ou guelras, os olhos têm que ser transparentes (não turvos) e as guelras têm que ser avermelhadas, não roxas ou marrons.[12]

    • Não coma peixes que estiverem descamando.
  3. 3

    Não coma peixe de cor leitosa. Os peixes frescos são brancos, vermelhos ou rosados e têm a camada de filme líquido. Se a carne estiver azulada ou cinzenta e apresentar um filme viscoso, é porque está ruim.[13]

  4. 4

    Faça uma inspeção dos frutos do mar vivos antes de comer. Os frutos do mar que comemos vivos, como moluscos, estragam rápido depois de morrerem. Dê um peteleco nos mexilhões, nas ostras e nos mariscos para ver se eles fecham as conchas quando são tocados. Por fim, veja se os siris e as lagostas mexem as patas antes de cozinhá-los.[14]

    • Não coma moluscos que estejam mortos há algumas horas.
  1. 1

    Não coloque a carne para descongelar no balcão da cozinha. A carne tem altas chances de estragar quando fica de fora da geladeira ou do congelador por muito tempo. Descongele-a no micro-ondas, que é mais rápido e seguro, para não correr nenhum risco.[15]

    • Você também pode descongelar a carne na geladeira.
  2. 2

    Guarde a carne em uma temperatura adequada. Ela tem que ficar a 4° C quando está na geladeira. Caso contrário, pode estragar mais rápido. Jogue fora tudo o que ficar em temperatura ambiente por muito tempo.[16]

  3. 3

    Congele a carne se não pretende comê-la logo. Embora a carne estrague depois de poucos dias na geladeira, ela pode durar muito mais tempo no congelador. Coloque-a em um recipiente com tampa e conserve até chegar o dia do consumo.[17]

    • A carne congelada pode queimar no congelador, o que afeta o sabor (embora não seja nocivo à saúde).
  4. 4

    Não coma nada que esteja além da data de validade ou fora do congelador. Ela pode até parecer boa, mas ainda estar infectada com bactérias. Não a coma se ela tiver passado da data de validade ou estiver em temperatura ambiente há muito tempo.[18]

  5. 5

    Meça a temperatura interna da carne enquanto a cozinha.

    Como nem todas as bactérias alimentares são detectáveis, é essencial cozinhar a carne na temperatura certa para evitar quadros de intoxicação alimentar.

    Para a carne vermelha, essa temperatura fica entre 49 e 74° C (dependendo da forma de preparo e do ponto).[19]
    Para frango, é de 74° C.[20]
    Para os frutos do mar, é de 63° C.[21]

    • É normal comer alguns frutos do mar crus, como sushi. Nesse caso, siga as instruções de preparo à risca e jogue a carne fora se você notar algum sinal negativo.
  • Sempre lave as mãos antes e depois de tocar carne crua.[22]
  • Não coma carne com embalagens rasgadas ou com vazamentos de líquidos.[23]
  • Não coma a carne se você achar que ela está estragada. Nesse caso, envie-a de volta ao restaurante.[24]
  • Não experimente a carne para saber se ela está estragada. Você pode desenvolver uma intoxicação alimentar mesmo se só ingerir pequenas quantidades do produto.

Tem cheiro de quê? Aprenda a identificar os sinais da carne estragada

A Polícia Federal deflagrou no dia 17 de março de 2017 a “Operação Carne Fraca”, investigando frigoríficos possivelmente envolvidos com um esquema que liberava carnes em mau estado, produtos estragados, com o prazo de validade vencido e que foram “maquiados”, ou seja, fazendo com que uma mercadoria não tenha aparência, nem gosto, de estragada, burlando o sistema de fiscalização para a venda dentro e fora do país.

O assunto, bastante comentado nas mídias e redes sociais, trouxe muitas dúvidas em torno do tema: devo parar de consumir carne? Quais são os riscos à saúde? Existem maneiras de identificar a carne estragada?

A boa notícia é: você não precisa deixar de fazer aquele churrasco no final de semana! Porém, deve prestar bastante atenção no alimento que se consome, isso pode evitar muita dor de cabeça mais para frente.

Separamos algumas dicas para você identificar a qualidade da carne antes de comprar e na hora de consumir, e felizmente, é tudo sobre nossos sentidos: visão, tato, olfato e paladar!

A aparência ideal

Tudo começa no mercado. Na hora de escolher seu produto a coloração pode nos dizer muita coisa! A carne de gado pode ter várias tonalidades de vermelho, como cereja ou púrpura. Quando ela é resfriada ou congelada esse tom de vermelho fica um pouco mais apagado.

Existe muita variação da cor da carne: a carne dos bois mais novos é de um vermelho mais claro e vibrante, a do animal mais velho, mais escura. Carnes embaladas à vácuo podem ter um tom um pouco mais escuro, e até azulado, devido à falta de oxigênio na embalagem.

Fuja das carnes quando seu tom é alaranjado, marrom ou esverdeado, ou quando parece manchada, com áreas escuras e outras claras. A coloração das carnes de aves varia, de um branco mármore, até branco um pouco amarelado. Quando estragada pode ficar um pouco esbranquiçada, mas não costuma ter grandes mudanças na coloração.

Carne de porco tem uma coloração cinza rosado, podendo variar, assim como a de outros animais, pela peça, temperatura, idade do animal e como foi criado.

O ponto da textura

Muitas vezes, a coloração apenas não consegue determinar o estado da carne, por isso, prestar atenção à textura do alimento é fundamental.

Quando a carne está estragada, sua textura fica viscosa, sinal de que está em processo de decomposição, e isso vale para todos os tipos de carne.

A carne de frango para o consumo deve ser firme, quando está estragada, se desmancha com mais facilidade. Carne de animais mais velhos são mais duras do que a dos mais novos.

Tem cheiro de quê?

Cada tipo de carne tem seu odor característico. Quando a carne passou do prazo de validade, ou está estragada devido ao mau condicionamento do produto, ela tende a ter um cheiro mais forte do que o normal, no caso das aves, esse cheiro pode ser mais ácido.

Nessa hora, precisamos permitir que nosso olfato nos guie. Se você sentir que o cheiro não é o de costume, ou que esse cheiro provoca enjoo, ou qualquer estranheza, então o produto, provavelmente, não é bom para o consumo.

Atenção: carnes embaladas à vácuo costumam ter um cheiro mais forte quando abertas, porém ele não deve permanecer no alimento, caso você abra o produto e o cheiro forte e incômodo persistir, ele, provavelmente, está estragado.

Sentindo pelo paladar

Muitas vezes deixamos passar algo enquanto verificarmos nosso alimento, ou até mesmo quando não temos acesso à proteína durante a preparação, comendo na casa de outras pessoas ou em restaurantes, e é na hora de prová-lo que sentimos algo errado.

Nossos sentidos, por si só, possuem um discernimento do que é bom e do que não é. Na hora de comer uma carne, seja ela qual for, se você sentir um gosto mais forte do que o habitual, ou até uma pequena estranheza na textura, pare por aí!

Os detalhes que fazem a diferença

  • Febre, dor de estômago, náusea, muito cansaço sem razão aparente, mal estar geral e dores de cabeça: esses são alguns dos sintomas da intoxicação alimentar. Se percebê-los, procure um médico;
  • Quando for ao mercado ou açougue, verifique sempre o ambiente! Se uma carne que deve ser mantida congelada, está descongelada, mesmo que parcialmente, sua qualidade pode estar comprometida;
  • Confira todos os alimentos que usou no preparo de seu alimento, às vezes, um legume ou tempero estragados podem impregnar na carne, trazendo a falsa impressão de que o problema é com a proteína em específico;
  • A carne fresca pode passar até duas horas fora da geladeira, mas esse tempo pode variar de acordo com a temperatura do ambiente. O ideal é armazenar o mais rápido possível, seja na geladeira ou no congelador;
  • Guarde na geladeira produtos que você consumirá durante a semana. Se comprou algo e não tem a intenção de usar logo, então armazene no congelador;
  • Procedência sempre! Gastar um tempo pesquisando sobre o produto, de onde vem, por quais processos passou e como é armazenado, é muito importante. Você tem um controle maior da qualidade do que compra, e essa atitude pode, e deve, se estender para outros alimentos além da carne.

Prestar atenção é a chave para uma alimentação saudável e de qualidade, e essa atenção deve ser voltada para todo o processo, desde o gado criado no campo até o freezer do mercado ou açougue. É nesse cuidado que você identifica o que serve ou não para sua vida e sua rotina. A alimentação de qualidade reflete em uma vida de qualidade e nenhum tempo gasto procurando informações sobre o que ingerimos é desperdiçado, pelo contrário, é tempo ganho!

Como identificar se a carne está estragada

Fonte: portal Minha Vida
(www.minhavida.com.br)

Ficou difícil sentir segurança para comprar carne depois da nova operação da Polícia Federal. Denominada “Carne Fraca”, a ação trouxe à tona a venda e distribuição de carnes estragadas por parte de grandes frigoríficos e companhias na última semana e teve, inclusive, mandados cumpridos em Bento Gonçalves.

Segundo as investigações, as carnes podres recebiam substâncias capazes de disfarçar a cor e a aparência do produto vencido, que depois era reembalado. Também estavam entre as irregularidades produtos contaminados por bactérias e até misturados com papelão. Alguns produtos também apresentavam excesso de água para aumentar o peso – e consequentemente o preço.

De acordo com a nutricionista Andréa Marim, o momento pede atenção. “O cenário é preocupante e é necessário ficar em alerta, pois as carnes contaminadas podem causar infecções gastrointestinais sérias, como a salmonela, que em pessoas com um sistema imunológico mais delicado, como crianças, idosos e gestantes pode trazer sérios danos à saúde e até risco de morte”, conta.

Fatores como embalagem, data de validade, aparência, cheiro, textura e até mesmo preço devem ser levados em consideração. “Se o valor do produto estiver muito barato, é sinal de que a carne pode não estar em boas condições”, afirma a nutricionista.

Como identificar se a carne está estragada
Carne de boi e porco, quando estão estragadas, apresentam coloração cinza e manchas esverdeadas. Elas também podem exalar odores fortes e apresentar textura viscosa e rançosa.

Já quando o assunto é carne de frango, o diferencial é o odor azedo que remete ao amoníaco. No aspecto visual, apresenta-se descolorado e com textura viscosa. Em relação à cor, pode apresentar nuances amarelas e esverdeadas.

“Muitas vezes a carne de frango está com uma aparência bonita e um gosto bom”, explica Andrea.

Esse “disfarce” torna mais difícil a identificação da carne estragada, por isso é sempre importante se atentar ao cheiro e consumir a carne bem passada.

O mesmo acontece com a carne de peixe, que quando estragada, fica com cheiro de amônia. Além disso, ela normalmente apresenta alguma descoloração – amarronzado, amarelado ou acinzentado – ou mesmo cor opaca. Em relação ao aspecto, se o peixe não estiver duro e começar a descamar também é um sinal de que está estragado.

Poder do Cheiro
Mesmo com a tentativa de algumas empresas de “maquiar” o aspecto da carne com conservantes, Andrea explica que essas substâncias não são capazes de disfarçar completamente o cheiro. “Independente do conservante que tenha sido usado, o cheiro sempre denuncia, por isso é tão importante prestar atenção nesse aspecto”, orienta.

CONHEÇA ALIMENTOS QUE SUBSTITUEM A CARNE

Ovos 
Um ovo de galinha pode ter até 9g de proteínas, poucas calorias, além de vários nutrientes e certa quantidade de vitamina b12 (encontrada principalmente nas carnes vermelhas). Porém, evite consumi-los fritos em muito óleo ou bem passados demais (quando as bordas começam a se queimar é sinal de que o alimento está cheio de gordura saturada). 

Cogumelos
Uma porção de 100g de cogumelo pronto (já sem a água) têm a mesma quantidade de proteína que um pedaço de 100g de carne vermelha. Pode ser consumido de duas a três vezes por semana. 

Grãos
Consumir grãos de vários tipos ajuda a sustentar uma alimentação rica em proteínas.

“Arroz e feijão, por exemplo, é uma ótima combinação proteica, mas também dá para variar o cardápio com lentilhas, ervilhas, milho e muitos outros”, enumera a nutróloga Tamara Mazaracki. Entre os grãos, a quinua merece destaque.

Com altíssimo teor de proteína, ela é também muito versátil: pode ser consumida em flocos no suco ou no iogurte e a semente pode ser cozida e consumida em substituição ao arroz ou até mesmo complementando outros grãos.
 

Brotos

“O broto é um alimento que faz muito bem em qualquer tipo de dieta”, revela a especialista Tamara. Porém, é importante saber que ele sempre deve ser consumido cru, porque algumas vitaminas são desnaturadas durante o cozimento. Eles podem ser consumidos em saladas e sanduíches com outros ingredientes saudáveis.

Laticínios
Além de serem muito saborosos, leite e seus derivados, como queijos e iogurtes, ajudam a enriquecer qualquer refeição.

“Eles são compostos por três partes praticamente iguais de proteínas, carboidratos e gorduras, o que os torna alimentos muito completos”, enumera a nutróloga.

Nesse caso, a opção é misturar com outros ingredientes e deixar o prato ainda mais completo, como em uma omelete. Mas prefira as opções de leite e iogurtes desnatados e versões de queijo branco. 

Sementes
Alguns alimentos são mais bem aproveitados pelo corpo quando consumidos crus. Esse é o caso de muitas sementes, e a chia é uma das mais conhecidas.

“Ela é cheia de proteína e cálcio, e tem muito ômega-3, que protege o coração”, explica a nutróloga.

Sementes de abóbora e girassol, amêndoas e pistache, além de conhecidas fontes de gordura, ajudam a incluir proteínas na dieta vegetariana. 

Folhas
Já que a palavra-chave é 'variedade', não é surpresa que o ideal seja diversificar também os tipos de folha nas diferentes refeições. Uma compensa o nutriente que a outra não oferece.

“Tanto faz consumi-las cozidas, refogadas ou cruas, na salada – o importante é incluir todas elas na alimentação”. Apesar de não serem substitutas das carnes, elas têm nutrientes que ajudam a proteína dos outros alimentos a ser mais bem absorvida, o que também é essencial em uma dieta vegetariana.

Além disso, são ricas em carboidratos, água e fibra, o que dá energia para fazer as atividades do dia a dia e facilita a digestão.

Como saber se a carne está estragada? – 4 dicas para descobrir na hora!

Como saber se a carne está estragada? Esta é uma dúvida que se estendeu a maioria dos consumidores logo após a polêmica da operação “Carne fraca”, lembra?

Hoje em dia os brasileiros estão super inseguros para comprar e escolher a melhor carne para o consumo. Será que a carne que você compra naquele supermercado de confiança está estragada? Como procurar indícios e deixar de ser enganado?

Algumas vezes é quase impossível identificar se a carne está estragada ou não, pois indústrias clandestinas podem aplicar substâncias que disfarçam a aparência e a coloração da carne. O perigo é eminente, carnes estragadas podem causar doenças graves e deixar sua saúde comprometida.

Portanto, atenção na hora da compra e seguir algumas dicas que estarei te dando aqui é a principal maneira de se prevenir e ter a certeza de que estará consumindo um alimento saudável. Confira atentamente.

Como Saber Se a Carne Está Estragada Através de 4 Sinais

1 – Coloração da carne

O primeiro indício que você pode facilmente descobrir se a carne está estragada ou passada do ponto de consumo é a coloração.

Principalmente carnes vermelhas, devem apresentar uma coloração totalmente avermelhada (como a cor de sangue). Porém, se a carne apresentar uma coloração de vermelho muito escuro, quase preto, já é um indicativo de que a carne está estragando ou estragada.

A cor da carne você já pode observar no momento de compra e evitar levar pra casa uma carne já passada. Cor esbranquiçada não é muito segura para comprar.

No caso de frango e carne de porco é a mesma coisa. Carnes de frango e de porco que costumam ser mais claras, portanto devem apresentar uma coloração mais rosada e não amarelada ou totalmente esbranquiçada.

2 – Atenção ao cheiro da carne

Sempre antes de preparar sua carne, é extremamente importante cheirar a carne para saber se está no ponto de consumo. Se a carne estiver com uma coloração avermelhada, é essencial que ela apresente um cheiro parecido com cheiro de sangue.

Este é um indicativo de carne fresca e saudável para o consumo. Se não apresentar esse cheiro e tiver com um cheiro de ranço, levemente azedo ou aproximado de mofo, a carne já está estragada. Jogue-a no lixo.

3 – De olho na textura da carne

  • A textura da carne também é um sinal que pode te ajudar muito a identificar se a carne que você comprou está estragada ou não.
  • Se a carne apresentar uma textura pegajosa, escorregadia ou viscosa, é um indicativo de que existe ali uma ação de bactérias, e é um passo muito próximo para estragar a carne.
  • Sendo assim, uma boa carne deve apresentar uma textura mais palpável, apresentando camadas fáceis de visualizar, marmorizações e também não aparentando estarem secas demais.

4 – Verifique a refrigeração do açougue

Carnes que ficam armazenadas em ambiente sem refrigeração adequada têm mais chances de estragarem rapidamente.

A temperatura ideal para a refrigeração saudável da carne precisa ser inferior a 7°C. Se você perceber que o local de armazenamento das carnes não está adequado e um tanto abafado, passe longe do açougue.

Cheque também a temperatura de sua geladeira, se não estiver adequada possivelmente será arriscado guardar as carnes por mais de 4 dias.

Peixe – Como Saber se a Carne Está Estragada?

A carne de peixe é a mais fácil de ser identificada. O primeiro indício é o odor inconfundível, que normalmente se aproxima de um cheiro de amônia. Porém, você só conseguirá saber se ele apresenta um cheiro estranho quando descongelar a carne.

Aliás, para armazenar adequadamente, o peixe precisa ser mantido em ponto de congelamento. Duvide de açougues que vendem peixes sobre leve congelamento alegando serem frescos, pode ser um risco.

Ao limpar o peixe, você também precisa observar a textura da carne, que deverá se apresentar firme e de coloração saudável (branca). Qualquer variação de amarelado ou acinzentado é um indicativo de que a carne de peixe está estragada.

Se ao observar a textura da carne, você sentir que a carne começa a descamar e se desfazer também é um indício que está passando do ponto de consumo.

Mesmo com a tentativa repugnante de indústrias “maquiarem” a coloração e aparência das carnes, o odor ainda é quase impossível de ser disfarçado.

Portanto, muita atenção a estes detalhes antes de comprar qualquer tipo de carne para o consumo da sua família. Gostou de aprender mais sobre como saber se a carne está estragada? Então aproveite para espalhar essas informações e deixar mais pessoas cientes deste perigo.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*