Como Saber Qual O Melhor Processador?

Muitos podem não saber, mas o processador é um dos componentes mais importantes de um celular. Resumidamente, ele é o “cérebro” do aparelho responsável por realizar todas as operações, não só abrir aplicativos e rodar seus jogos, mas, também, processar vídeos e fotos tiradas pelas câmeras.

  • Há inúmeros processadores disponíveis no mercado de diversas marcas, mas, felizmente, a indústria os dividiu em três segmentos para facilitar o entendimento: entrada, que engloba aparelhos mais básicos; intermediário, no qual é possível encontrar celulares com um bom equilíbrio entre desempenho e preço acessível; e topo de linha, categoria para quem busca tudo do bom e do melhor.
  • As principais diferenças entre eles, como mencionamos acima, estão na frequência, naturalmente mais rápida nos celulares mais caros, e as tecnologias embutidas, como suporte para redes 5G e recursos exclusivos para gamers.
  • Se você está em busca de um celular topo de linha com tudo o que há de melhor na indústria mobile, destacamos abaixo os melhores processadores para celular disponíveis no mercado, de acordo com ferramentas de testes especializadas.

Atualmente, o chip Apple A14 Bionic é o mais potente do mundo. Primeiro processador mobile fabricado na tecnologia de 5 nanômetros da TSMC, o A14 equipa os recém-lançados iPhone 12 e o tablet iPad Air de 4ª geração.

A Maça não costuma divulgar números muito exatos do seu chipset logo de cara, mas afirma que ele é até 50% mais rápido em CPU e GPU, além de um mecanismo neural com velocidade 80% maior que o A13 Bionic, que equipa o iPhone 11.

Por ter fabricação em 5 nanômetros, o A14 Bionic também promete ser mais econômico que todos os outros chipsets disponíveis no mercado, inclusive os do Android. De acordo com resultados da plataforma Geekbench, o chip da Apple é superior ao Snapdragon 865 e 865+, da Qualcomm, nos testes de um único e de múltiplos núcleos.

Como Saber Qual O Melhor Processador? A14 Bionic é o 1º chip do mercado fabricado no processo de 5 nanômetros (Foto: Divulgação/Apple)

Como você já deve saber, o A14 Bionic é exclusivo dos smartphones da Apple, então será preciso ter um iPhone para aproveitar o que a Maça tem de melhor para oferecer. Até o momento, ele está presente nos quatro modelos do iPhone 12, ainda não disponíveis para venda, e no iPad Air de 4ª geração.

Qualcomm Snapdragon 865 e 865+

A Qualcomm é a maior fabricante de processadores de celular do mundo com 29% de participação de mercado, segundo dados da consultoria Counterpoint Research. Sua plataforma mais poderosa atualmente é a Snapdragon 865, presente em praticamente todos os principais smartphones de ponta do mercado.

E não, a afirmação acima não é exagero: de acordo com o ranking mais recente do AnTuTu, que lista os smartphones mais potentes que já passaram pela plataforma, o Snapdragon 865 e sua versão Plus equipam os modelos das sete primeiras posições.

Como Saber Qual O Melhor Processador? O Snapdragon 865+ é o chip Android mais poderoso do mercado (Foto: Reprodução/Qualcomm)

Fabricado no processo de 7 nm, o Snapdragon 865 tem um processador de oito núcleos, sendo um núcleo principal rodando a 2,84 GHz, três núcleos de 2,42 GHz, com foco em desempenho, e outros quatro de 1,8 GHz, responsáveis pela eficiência energética.

O Snapdragon 865+, por sua vez, traz um núcleo principal de 3,1 GHz, sendo o primeiro chip mobile do mundo a ultrapassar a barreira dos 3 GHz — ou seja, o desempenho exemplar é mais que esperado. Vale lembrar que ambos têm suporte para o 5G.

Felizmente, se você procura um celular de ponta com chip Snapdragon 865 no Brasil, o Motorola Edge+ 5G é atualmente o único modelo à venda por aqui. No entanto, importante mencionar que ele não é tão acessível quanto gostaríamos, disponível por aproximadamente R$ 6.000.

  • Confira ofertas do Motorola Edge 5G

Outros modelos, como o Zenfone 7 e o ROG Phone 3, também devem ser lançados no Brasil, respectivamente, com os chipsets Snapdragon 865 e 865+ — mas também não deve ter um preço tão diferente do smartphone da Motorola.

Samsung Exynos 990

A Samsung é a fabricante que concentra o maior número de smartphones de ponta aqui no Brasil e todas as opções utilizam seu próprio chipset, o Exynos 990, como os novos Galaxy Note 20 e Note 20 Ultra, além do S20 e suas versões Plus e Ultra.

Se você acompanha o Canaltech, deve ter visto nos últimos meses algumas notícias relacionadas ao Exynos 990 e seu possível desempenho inferior a rivais e até versões dos próprios celulares da empresa com chipset Snapdragon 865.

Como Saber Qual O Melhor Processador? Exynos 990 é o 3º chip para Android mais poderoso (Foto: Reprodução/Samsung)

Essa inferioridade já foi comprovada inúmeras vezes por mídias especializadas, é verdade, mas isso não tira o fato de que o chipset de ponta da Samsung é um dos mais potentes do mercado. Dados da plataforma AnTuTu, inclusive, listaram o modelo da Samsung na terceira posição entre os melhores processadores de celular de 2020, atrás somente do Snapdragon 865 e sua versão Plus.

O Exynos 990 é fabricado no processo de 7 nm da Samsung e também traz um processador de oito núcleos, sendo dois deles com foco em tarefas de inteligência artificial e aprendizado de máquina rodando a 2,73 GHz, dois núcleos de 2,5 GHz, responsáveis por alto desempenho, e quatro núcleos rodando a 2 GHz, estes focados em eficiência. Ele também conta com suporte a redes 5G.

Como mencionado acima, o Exynos 990 está presente nas versões brasileiras do S20, S20+ e S20 Ultra, além do recém-lançado Galaxy Note 20 e Note 20 Ultra. Todos os modelos já estão disponíveis para venda no Brasil por valores entre R$ 3.000 e R$ 7.000 — confira as principais ofertas abaixo:

O nome da MediaTek já foi associado a smartphones de qualidade duvidosa no passado, mas aos poucos essa concepção foi mudando e hoje ela é uma das principais responsáveis por democratizar a rede 5G no mundo com a linha Dimensity.

Sua principal linha atualmente é a Dimensity 1000, que traz oito núcleos de processamento, sendo quatro núcleos rodando a 2,6 GHz e outros quatro a 2 GHz, além de suporte a redes 5G.

Como Saber Qual O Melhor Processador? MediaTek é uma das responsáveis por democratizar o 5G (Foto: Reprodução/MediaTek)

Ele faz parte de alguns smartphones populares, principalmente no mercado asiático, como Redmi K30 Ultra, Realme X7 Pro e iQOO Z1 5G. Infelizmente, não há previsão de um celular com o chip da MediaTek ser lançado no Brasil.

Chipset mais recente da Huawei, o Kirin 9000 é o segundo do mundo fabricado no processo de 5 nanômetros, atrás apenas do iOS 14, da Apple. Segundo a própria empresa, o novo processador é 10% mais rápido que o atual modelo mais potente do mundo, ou seja, o Snapdragon 865 Plus.

O Kirin 9000 aposta em oito núcleos de processamento, liderados por uma CPU Cortex-A77 rodando a incríveis 3,13 GHz, contra 3,1 GHz da aposta da Qualcomm. Vale lembrar que a ARM já lançou os sucessores da A77 no mercado, que estão previstos para aparecerem no futuro Snapdragon 875, ou seja, é bastante provável que o chip da Huawei fique para trás quando ele for lançado.

Como Saber Qual O Melhor Processador? Novo chip da Huawei promete ser o mais rápido do mundo atualmente (Foto: Reprodução/Huawei)

De toda forma, o novo chip da Huawei traz diversas melhorias em relação a geração anterior e seus concorrentes, principalmente no processamento gráfico: são 24 núcleos, que prometem mais 52% mais performance em jogos que o Snapdragon 865 Plus. Embora não tenhamos como comprovar essa afirmação, a Huawei parece ter trazido evoluções consideráveis nesse setor.

  1. Importante mencionar os aprimoramentos do Kirin 9000 para os amantes de fotografias: o novo processamento de imagem promete reduzir até 48% de redução de ruído nos vídeos, além de entregar 50% a mais de taxa de transferência em comparação com o Kirin 990.
  2. As novidades, inclusive, parecem ter sido eficazes, uma vez que o Mate 40 Pro, primeiro smartphone equipado com o novo chip, alcançou o primeiro lugar no ranking dos celulares com as melhores câmeras do mundo, segundo avaliação do site DxO Mark — ele ultrapassou em 3 pontos o Mi 10 Ultra, até então o rei da fotografia.
  3. Fonte: AnTuTu (1, 2); India.com; Counterpoint Research; Nanoreview; Geekbench (1, 2); Android Authority

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.

i3, i5, i7 e i9: entenda a diferença entre os processadores da Intel

Intel Core i3, i5, i7, i9, Celeron, Pentium… a nomenclatura dos processadores da Intel não conhece limites. Há tempos a maioria das grandes fabricantes de PCs optam por usar processadores da Intel em seus produtos, mas, para o público menos inserido nesse mercado, é difícil entender a diferença entre os modelos apenas pelo nome.

Especialmente quando se está tentando comprar um novo PC ou montar seu próprio computador pela primeira vez. Não faltam opções de configurações no mercado, e nem sempre é fácil distinguir entre muitas delas. Escolher um processador, que é um dos principais componentes, pode ser desgastante.

publicidade

Nem sempre o mais caro é o melhor, por isso é importante entender as diferenças entre esses processadores. Pois então, vamos lá.

O que você precisa saber

A linha mais famosa da Intel é a que dá título a este artigo: Intel Core. Se você quer uma explicação curta para a diferença dos números, aí vai: o i3 é o mais básico, o i5 é intermediário, o i7 é mais completo e o i9 é o top de linha. Quanto maior o número, mais poderoso é o componente.

Como Saber Qual O Melhor Processador?

Você se engana, porém, se pensa que o assunto morre aqui. Nem todo mundo precisa pagar mais caro em um PC com Intel Core i9 só porque este é o melhor processador. Tudo depende do seu perfil e do que você pretende fazer com seu computador.

O segredo está nas entrelinhas: um i3 normalmente vem com dois ou quatro núcleos de processamento, enquanto os i5 e i7 vêm com até seis ou oito, e o i9 ultrapassa todos os limites com até 18 núcleos. Quanto mais núcleos, mais tarefas o processador pode executar ao mesmo tempo.

A velocidade com que esse processamento é executado também faz diferença: um i3 mais moderno, de oitava geração, por exemplo, pode funcionar a 3,6 GHz. Já um i5 de oitava geração pode chegar a 4,3 GHz no modo “turbo”; um i7 pode fazer 4,7 GHz e um i9 pode alcançar até 4,8 GHz de frequência.

Leia também:  Como Fazer Quando Se Esquece De Tomar A Pilula?

Contudo, é possível encontrar um modelo de notebook com processador Intel Core i3 mais barato do que um outro PC que também usa Intel Core i3. Ou um i5 mais caro e mais rápido que um i7. Como explicar essa diferença? É disso o que vamos falar a seguir.

Gerações

A Intel começou a fabricar essa família de processadores em 2010. De lá para cá, a empresa já lançou oito gerações de Intel Core i3, i5 e i7 e duas do i9. Isso significa que é possível encontrar, em uma mesma loja, um PC com um i3 de quinta geração e outro com um i3 de sexta geração.

Isso explica, pelo menos em parte, por que dois PCs com um processador i3 podem ter performances e preços diferentes. Naturalmente, quanto mais novo, melhor é o processador, o que significa que um i3 de sétima geração certamente é melhor que um i3 de quinta geração.

Mas como saber qual a geração do chipset que estamos comprando? É aqui que entra aquele estranho número que a Intel coloca logo depois do i3, i5, i7 ou i9. É ele o que, normalmente, determina quão novo é aquele modelo. Um processador identificado como Intel Core i3-5XXX pertence à quinta geração, enquanto um i3-6XXX pertence à sexta – e assim por diante.

Como Saber Qual O Melhor Processador?
Como Saber Qual O Melhor Processador?

É possível encontrar modelos diferentes dentro de uma mesma geração, porém. Nesse caso, melhor é aquele que tem o número de identificação mais alto. Um Intel Core i3-6167 é melhor do que um i3-6100 porque, afinal de contas, 6167 é um número mais alto do que 6100, mesmo que ambos sejam da sexta geração.

U, Y, T, Q, H e K

Para complicar ainda mais o que já é complicado, a Intel coloca uma ou duas letras depois de toda essa numeração. São os chamados “sufixos”: U, Y, T, Q, H ou K. Às vezes, mais de uma dessas letras aparecem. E, sim, elas também fazem a diferença entre os modelos de processador.

Três delas têm a ver com quanto seu PC vai pesar na conta de luz. A letra U significa “Ultra Low Power”, o que significa que esse modelo consome menos energia; Y representa “Low Power”, que ainda consome pouco, mas mais do que o U; e T indica “Power Optimized”, para um consumo de energia mediano.

Já as outras três letras têm especificações mais brandas. A letra Q representa “quad-core”, isto é, quando o processador tem quatro núcleos; a letra H está ali para identificar “High-Performance Graphics”, quando o chip vem com uma boa GPU integrada; e K representa “Unlocked”, o que significa que o processador pode ir além de sua velocidade pré-determinada através de um overclock.

Portanto, se você se deparar com um notebook que diz na embalagem que vem com um processador Intel Core i5-5200U, você já sabe que ele usa um modelo intermediário de quinta geração e com um nível de consumo de energia mais baixo. Já um Intel Core i7-6920HK é um modelo top de linha de sexta geração, com uma competente GPU integrada, e é capaz de ir além da sua velocidade pré-determinada de clock.

Eis um dicionários simples para cada sufixo:

  • K – “Unlocked”, significa que o processador pode ir além de sua velocidade pré-determinada através de um overclock;
  • G – Inclui placa de vídeo integrada (apenas para laptops);
  • U – “Ultra Low Power”, ou baixo consumo de energia (apenas para laptops);
  • T – “Power-optimized”, economiza energia, mas não tanto quanto o modelo U;
  • H – “High performance graphics”, inclui placa de vídeo integrada um pouco melhor que o modelo G;
  • Y – “Extremely low power”, economiza ainda mais energia do que o modelo U;
  • Q – “Quad-core”, ou simplesmente “quatro núcleos”;
  • M – “Mobile”, modelo exclusivo para laptops;
  • C – Possui opção de overclock, soquete LGA 1150, placa de vídeo integrada básica;
  • R – Processor de desktop baseado no soquete BGA 1364 com placa de vídeo integrada avançada;
  • S – Otimizado para performance;
  • X – “Extreme Edition”, performance melhorada.

Cache

As diferenças entre os processadores, porém, não acabam aqui. Se você já saiu em busca de um PC novo, deve ter notado que muitas lojas indicam também o tamanho do cache. Esse “cache” nada mais é do que a memória temporária do processador, explicando de forma mais simples.

O cache é o local onde o processador armazena informações que ele precisa buscar a todo momento. Aquelas tarefas ou programas que você mais executa no PC, por exemplo, guardarão algumas de suas informações no cache do processador.

Dessa forma, ele pode executar a tarefa mais rapidamente, porque o processador não precisa ir até o HD para buscar informações importantes. Os dados mais indispensáveis já ficam no “bolso” do processador, que é essa memória de cache.

Nesse ponto não tem segredo: quanto maior o cache, mais informações o processador pode guardar num local de fácil acesso e mais rapidamente ele vai executar tarefas corriqueiras. Normalmente, um i3 vem com 4 MB ou 6 MB de cache, enquanto um i5 pode chegar a 9 MB e um i7 ou i9 alcança até 12 MB.

Outros detalhes

É importante destacar que cada modelo de processador pode vir com um atrativo a mais, um recurso que os outros não têm para compensar uma deficiência, por exemplo. É o caso do Turbo Boost, um sistema da Intel que permite ao processador alcançar velocidades mais altas quando a tarefa executada no PC for mais complicada.

Existe também o Hyper-Threading, que basicamente permite a um processador de dois núcleos, por exemplo, “criar” um terceiro núcleo virtual para ajudar no processamento. Esse terceiro núcleo nunca é tão potente quanto um núcleo físico, mas pode quebrar o galho em alguns casos.

Outro detalhe que pode pesar no momento da compra é a GPU que acompanha a CPU. No caso dos modelos da Intel, é comum que a unidade central de processamento venha acompanhada da unidade de processamento gráfico, tudo no mesmo pacote, como a chamada “placa de vídeo integrada”.

Nessa linha, a Intel costuma usar três modelos: Intel HD, Intel Iris e Intel Iris Pro. Nenhuma é tão boa quanto uma placa de vídeo dedicada, como as da AMD ou da Nvidia, por exemplo, só são úteis se você não estiver interessado num PC para jogar. Se quiser rodar games na máquina, uma placa de vídeo dedicada é o ideal.

Como Saber Qual O Melhor Processador?

Qual comprar?

Vamos para um comparativo final, portanto. Um processador Intel Core i3 é o mais barato, e é recomendável para boa parte do público, oferecendo desempenho suficiente para tarefas simples e intermediárias. Junto de uma placa de vídeo poderosa, ele pode ser inclusive o bastante para sustentar um bom PC para jogos.

Enquanto isso, o Intel Core i5 é a opção intermediária, recomendada para quem precisa fazer mais coisas ao mesmo tempo. A diferença em desempenho para o i3 convencional não é tão grande, mas tarefas que se beneficiam bastante do processador podem ser executadas de uma forma melhor.

Se você quer jogar games de última geração e levar seu notebook para trabalhar com edição de imagens e vídeos, então você precisa de um Intel Core i7 – quanto mais novo, melhor. Para a maioria dos usuários, o ganho de desempenho não é suficiente para justificar o custo extra, mas, para profissionais e empresas, o bônus de velocidade pode valer a pena.

O Intel Core i9, por sua vez, é o cúmulo da potência. Além de mais poderoso do que o i7, ele é consideravelmente mais caro e mais exigente, consumindo muita energia e recursos de refrigeração da máquina. Este processador é indicado para PCs profissionais, não para usar em casa, e para lidar com tarefas de altíssima demanda, como produção de animações em 3D.

Se encontrar dois PCs com o mesmo Intel Core, mas de preços diferentes, vale a pena dar uma olhada nos outros detalhes que destacamos neste texto. Em muitos casos, um chipset melhor e mais barato pode estar escondido por trás daquelas pequenas letras e números.

CPUBoss ajuda você a descobrir qual é o melhor processador | Tecnoblog

Como Saber Qual O Melhor Processador?

O processador AMD FX 8350 tem oito núcleos e frequência de 4,0 GHz. O Core i7-3770K tem só quatro núcleos e trabalha a apenas 3,5 GHz. O que isso revela sobre o desempenho dos dois processadores? Isso mesmo: absolutamente nada, já que o Intel é mais rápido. Para escolher um processador sem se perder em números irrelevantes, o CPUBoss pode ser uma bela ajuda.

O CPUBoss possui um grande banco de dados com processadores para servidores, desktops e notebooks.

Ele reúne várias especificações técnicas dos chips, como frequência e tamanho do cache L3, mas também coleta dados de benchmarks para mostrar como os processadores se saem na hora de renderizar um vídeo, comprimir um arquivo ou processar gráficos de jogos.

Sites especializados em hardware publicam benchmarks ao analisar um processador; o CPUBoss junta esses dados e facilita a comparação num layout bem agradável.

Também é possível ter acesso a dados que os fabricantes não fornecem, como a performance por watt. Isso é bem legal, afinal, não vale a pena ter o processador mais rápido do mundo se você precisar comprar uma usina hidrelétrica junto, assim como não é interessante ter um chip que faça a bateria do notebook durar várias horas se você conseguirá fazer seu trabalho no dobro do tempo.

Como Saber Qual O Melhor Processador?

Ele também possui uma seção processadores para dispositivos móveis. Como o desempenho de um smartphone ou tablet não depende apenas do clock, mas também do sistema operacional e de várias tecnologias adotadas pelos fabricantes de hardware, é difícil afirmar se um aparelho é mais rápido que outro sem testá-lo.

Entretanto, acessando esta página do CPUBoss, é possível ver que no BrowserMark, um aplicativo que testa o desempenho em navegação na web, o dual-core Apple A5 de 1,0 GHz se sai um pouco melhor que o quad-core Nvidia Tegra 3 de 1,4 GHz. Também há testes do GeekBench (mede o desempenho do processador e da memória) e do GLBenchmark (mede o desempenho gráfico).

Leia também:  O Que É Reiki Como Funciona?

Como Saber Qual O Melhor Processador?

O CPUBoss é gratuito e pode ser acessado aqui. Se você é um profissional que edita vídeos e precisa de um chip potente, ou apenas gosta de acompanhar os lançamentos de hardware, ele é um ótimo candidato a entrar nos favoritos do seu navegador.

Qual é o melhor processador de celular? Entenda as configurações!

Como Saber Qual O Melhor Processador?

Você já se perguntou qual o melhor processador de celular? Pois aqui respondemos a exatamente esta pergunta. Afinal, quando compramos um novo aparelho, muito se confunde acerca dos atributos que cada modelo apresenta.  

Da mesma maneira que um computador, o celular contém uma série de componentes de hardware que são fundamentais para seu funcionamento. No entanto, nem sempre eles são levados em conta no momento da compra. Um deles é o processador.  

Neste artigo, faremos um tour pelo universo dos processadores, marcas, modelos, especializações, entre outras características. Ao final, depois de ter uma base sobre eles, você poderá verificar qual o melhor processador de celular, assim como um ranking de outros modelos. 

Se você está pensando em trocar de celular, dar um de presente ou simplesmente tem curiosidade sobre o tema, este texto pode te ajudar. Confira! 

Leia também: Veja quanto custa um chip da TIM e saiba com cadastrá-lo

CONFIRA OS MELHORES PLANOS DA TIM COM OFERTAS PERFEITAS PARA VOCÊ

O que faz um processador de celular?

Para entender o que faz um processador, partiremos do fato de que qualquer celular é, em essência, um minicomputador. Sendo assim, um aparelho celular precisa deste componente essencial a todos os computadores, sejam notebooks ou desktops.  

O papel do processador em um dispositivo é receber informações (dados) e emiti-las novamente em sinais processados. Na verdade, essa função é desempenhada por qualquer chip. Placas, pen-drives e até jogos de cartucho possuem pequenos processadores.  

No caso de um computador ou dispositivo móvel, o processador é uma espécie de “chip principal” que recebe praticamente todos os dados das atividades desempenhadas pela máquina. Sendo assim, sua potência determina a capacidade que a máquina tem de realizar atividades, sobretudo simultaneamente. 

Quanto melhor o processador para celular, mais programas e ações podem ser realizados ao mesmo tempo. Para termos um parâmetro do que é melhor ou não, é importante considerarmos algumas características.  

A frequência, a capacidade de armazenamento e processamento gráfico, por exemplo, são algumas delas. A seguir, veja especificamente sobre duas, que são determinantes ao examinar em uma compra, por exemplo. 

Quantidade de núcleos

Entre os processadores de celular, existem as seguintes opções: 

  • Single-core – tem um núcleo (unidade central do processador) 
  • Dual-core – tem dois núcleos 
  • Quad-core – tem quatro núcleos 
  • Octa-core – tem oito núcleos 

Mas o que significam esses núcleos? Como isso pode me ajudar a saber qual o celular com o melhor processador? Bom, vamos explicar.

A quantidade de núcleos de um processador está muito atrelada a seu desempenho. A regra geral é que, quanto mais núcleos ele tem, mais capaz ele é de executar várias atividades ao mesmo tempo. Isso quer dizer que, se você vai fazer um uso básico de seu celular, como receber mensagens e ligações, um processador single-core já vai dar conta do recado.

À medida que o número de núcleos aumenta, espera-se que o celular execute mais ações simultaneamente. Um celular Octa-core, por exemplo, de oito núcleos, geralmente é o preferido dos gamers.  

Esses núcleos de processamento são muito importantes para que o uso do celular como um todo seja satisfatório. Por isso, deve-se prestar muita atenção a esta medida, pois se não, você corre o risco de adquirir um celular que não serve para o objetivo que você deseja almejar com ele. 

Saber o melhor processador para jogos, por exemplo, é indispensável para que você possa jogar tranquilamente e sem problemas, e com um bom desempenho gráfico. O processador octa core é bom para estes fins. 

Frequência do melhor processador de celular

Outra especificação importante de processadores de celular, a frequência é sempre indicada em valores com unidade de medida em Herz (Megaherz ou Gigaherz). Esses valores mostram a capacidade do processador em relação ao tempo. Ou seja, determinam o quanto ele pode estar ocupado (quantas instruções e processamentos ele recebe) dentro de um certo período de tempo. 

Naturalmente, quanto maior for a capacidade do processador em Herz, melhor será o seu desempenho. No caso da busca por um bom processador para jogos, sem dúvida você vai precisar recorrer às frequências em GigaHerz (GHz). 

Dessa maneira, quando temos uma noção de alguns atributos importantes, estamos mais perto de responder a pergunta: qual é o melhor processador de celular? 

A seguir, veja um pouco mais sobre as principais marcas de processador de celular. As marcas são do mundo todo, com diversas características diferentes em seus processadores. Veja abaixo. 

Melhor processador de celular: as principais marcas

  • Nvidia Tegra – Começando por essa que é super indicada para quem procura o melhor processador de celular para jogos. Além de processadores de celular, a marca também desenvolve processadores para videogames. Um bom exemplo é o console Nintendo Switch, que usa um processador Nvidia Tegra. 
  • Apple AX – Processador da multinacional norte-americana Apple. E por esta razão, assim como todos os produtos Apple, seu processador também é exclusivo para uso em aparelhos da marca. O Apple AX já é tradicional, sendo presente no iPhone desde sua primeira versão, lançada em 2007. 
  • Atom Intel – Provavelmente a marca mais famosa e tradicional do mundo no que diz respeito a processadores de desktops, a Intel também investe fundo no ramo de processadores de celular. No entanto, eles estão presentes (por enquanto) apenas em modelos da marca Motorola. 
  • Qualcomm Snapdragon – Assim como a Intel, a Qualcomm também é tradicional no ramo. Em relação a celulares, a marca produz tanto processadores básicos quanto os mais avançados, de alto desempenho. Seus modelos podem ser usados em celulares Android, em geral.

Leia também: Como bloquear anúncios de aplicativos no celular: descubra já!

Top 4 do melhor processador de celular

Agora que você já tem um bom panorama de processadores para celular, é possível ter mais clareza ao observar o ranking de processadores de celular que preparamos para você.

Como já demonstrado, as marcas são muitas e a diversidade de usos e capacidades também. Ademais, existem processadores específicos, como os para jogos. 

1 – Apple A13 Bionic

Comecemos com o melhor processador celular. Este processador é, sem dúvidas, o que tem a mais alta performance, em todos os quesitos: velocidade, economia de bateria e capacidade de processamento. 

Ele está presente no iPhone 11 Pro Max. Estima-se que o Apple A13 Bionic execute 1 trilhão de operações por segundo. Além disso, o processador também utiliza Inteligência Artificial. 

2 – Snapdragon 855+

Outro processador com recarga bastante rápida e Inteligência Artificial, esse modelo da Snapdragon trouxe bastante inovação em 2019, com sua capacidade de conexão por 5G.

Ele foi o primeiro a apresentar este atributo. Ele está no modelo de celular ROG Phone II, da marca ASUS.

3 – Huawei Silicon Kirin 9000

Este é o último modelo da Huawei. Trata-se de um processador octa-core (oito núcleos). Sem dúvida, é um dos processadores mais rápidos do mundo, e pode competir facilmente com os modelos Apple e Snapdragon mencionados acima. É também um dos menores do mundo (5 nanômetros).  

4 – Exynos 9810

Modelo da marca Samsung, este processador é bastante veloz quanto à velocidade de downloads, desde que haja uma boa conexão de internet. Ou seja, se você usa aplicativos como Spotify, Netflix, entre outros, nos quais se faz bastante downloads, esta é uma ótima opção.

Melhor custo-benefício entre processadores de celular

Por fim, sabendo mais sobre os principais modelos, é possível ter uma ideia de qual o melhor processador de celular. Estes processadores têm alto desempenho e certamente terão prosseguimento com modelos mais velozes e potentes ainda.  

Em relação ao custo-benefício de um processador de celular, é preciso saber que tudo depende do uso que você quer fazer dele. Ou seja, não adianta querer saber qual o melhor processador para celular se você não imagina um uso específico para ele. 

Ou seja, um processador com apenas um núcleo pode ser o melhor possível se você só precisa realizar e receber chamadas ou mensagens. Sendo assim, é preciso se perguntar qual o melhor processador para celular em uma certa categoria.  

Entre tanto, no geral é o Snapdragon 855+ que apresenta o melhor custo benefício entre a maioria dos modelos do mercado. É o segundo de nosso ranking, e com sua conexão por 5G, este modelo atinge ótimos resultados, sem que haja um custo exorbitante.  

E então, gostou de conhecer dicas para escolher o melhor processador de celular? Conte para a gente a sua opinião. Esperamos ter lhe ajudado. Se você gostou do nosso conteúdo, então acompanhe o blog Mais TIM.

ASSINE AGORA MESMO UM DOS PLANOS DA TIM FEITOS PARA VOCÊ

Como Saber Qual O Melhor Processador?

Como escolher o processador ideal? Veja dicas antes de comprar

Além disso, há opções no mercado como os Intel Celeron e AMD Athlon, que podem ser interessantes para computadores mais básicos, mas pouco indicados para máquinas de performance intermediária, ou até os Intel Xeon e Ryzen Pro, mais voltados para máquinas poderosas. Pensando nisso, o TechTudo separou dicas que podem ajudar o usuário a escolher o melhor processador para montar ou melhorar seu PC.

1 de 8
Saiba como escolher o processador ideal para seu PC — Foto: Divulgação/Intel

Saiba como escolher o processador ideal para seu PC — Foto: Divulgação/Intel

Quer comprar celular, TV e outros produtos com desconto? Conheça o Compare TechTudo

Saiba o tipo de uso desejado

O processador é o componente central de seu computador, e suas capacidades têm impacto direto no desempenho da máquina.

Portanto, entender o tipo de uso desejado vai fazer a diferença na hora de comprar, evitando gastos excessivos ou até mesmo limitar o PC.

É possível separar três grandes grupos de usuários com variados níveis de exigência: aqueles que trabalham com edição de vídeos e modelagem 3D, gamers em geral e usuários domésticos em geral.

Enquanto profissionais de design, por exemplo, precisam de um computador poderoso para lidar com as tarefas exigentes, gamers também podem aproveitar um alto desempenho, apesar de ser possível aproveitar uma máquina intermediária para jogar. Já para usar o PC no dia a dia, o foco é em agilidade para o sistema e boa fluidez para acessar a Internet, assistir a filmes e séries ou até aproveitar alguns títulos mais básicos.

2 de 8
Saber qual é o perfil de uso para o processador evita irritação com PC lento e jogar dinheiro fora com processador caro — Foto: Divulgação/Intel

Leia também:  Como Tirar Publicidade Que Aparece No Pc?

Saber qual é o perfil de uso para o processador evita irritação com PC lento e jogar dinheiro fora com processador caro — Foto: Divulgação/Intel

No primeiro caso, o ideal deve ser um processador com boa quantidade de núcleos – e também mais caro. Se o foco é jogar com alta qualidade, o maior investimento pode ser feito em uma boa placa de vídeo.

De qualquer forma, vale procurar por uma CPU com suporte a overclock e um bom número de núcleos.

Já para uso casual, um dual-core mais acessível pode ser suficiente, o que não impede a compra de um bom Core i7 mais recente, por exemplo.

Por faixa de preço – e considerando opções de boa capacidade para cada tipo de uso –, é possível dividir assim:

  • Casual: Core i3 9100F (R$ 499) ou Ryzen 3 3300 (R$ 559). É possível encontrar até opções mais baratas, se não for um problema comprar um chip antigo;
  • Games: o Ryzen 5 3600X (R$ 1.700) é visto como uma das melhores opções de custo-benefício para um PC gamer em 2020. Um Core i5 9600K (R$ 1.235) também pode valer a pena;
  • Exigente: Ryzen 9 3900X (R$ 3.860) ou Core i9 9900K (R$ 2.732) são opções para não decepcionar até mesmo os mais exigentes;

Fique de olho no hardware que você tem

3 de 8
Em caso de upgrade, certifique-se de que o processador novo funciona com o hardware que você já tem em casa — Foto: Divulgação/AsRock

Em caso de upgrade, certifique-se de que o processador novo funciona com o hardware que você já tem em casa — Foto: Divulgação/AsRock

Caso você esteja pensando em realizar um upgrade de CPU, é importante atentar à compatibilidade do hardware. Gerações mais recentes podem não encaixar fisicamente na placa-mãe, ou até mesmo não funcionar no soquete ali disponível.

Esses “encaixes” costumam ser fáceis de identificar: basta pesquisar a documentação relativa ao modelo da sua placa no site da fabricante para encontrar dados como LGA1151 ou LGA1200, usados em chips de 8ª e 10ª gerações da Intel, respectivamente.

A AMD também tem diferentes soquetes, mas, desde 2016, a marca lança todos seus processadores com o padrão AM4. A questão aqui é que processadores mais recentes, como os Ryzen 4000, podem até encaixar fisicamente na placa-mãe mais antiga, mas mesmo assim não funcionar. Dessa forma, é importante conferir se o Ryzen ou APU AMD desejado tem suporte por parte da placa.

Medida em Watts, a TDP de um processador é muitas vezes confundida como uma medida de consumo de energia. O termo é, na verdade, uma sigla em inglês para “Energia Térmica de Design” (ou de Projeto), e está relacionada à medida máxima de calor que o sistema de refrigeração do computador precisa dar conta.

Ou seja: se um determinado chip tem TDP de 95 Watts, isso significa que o mesmo vai liberar aquela quantidade de energia na forma de calor, que precisa ser trocado com o ambiente de forma eficiente. Caso contrário, a temperatura pode subir descontroladamente e levar a travamentos ou até danificar a peça.

4 de 8
TDP não mede o consumo, mas pode ter ser um bom indicativo; chips que esquentam muito podem significar um PC mais barulhento — Foto: Divulgação/AMD

TDP não mede o consumo, mas pode ter ser um bom indicativo; chips que esquentam muito podem significar um PC mais barulhento — Foto: Divulgação/AMD

Essa temperatura tem relação com consumo e performance. Apesar de não ser uma regra, é comum que processadores com alta TDP tenham maior consumo e, consequentemente, desempenho. Portanto, é um indicador relevante a se avaliar.

Processadores no formato “box”, por exemplo, costumam ser acompanhados por um cooler próprio da fabricante, e que pode dar conta das necessidades da CPU. Se a ideia é investir em um modelo OEM, mais barato, o chip vem sem essa solução extra.

Nesse caso, é importante comprar um cooler de acordo com o perfil térmico necessário.

Outro detalhe importante é que um processador que tende a esquentar mais vai fazer com que o cooler trabalhe por mais tempo e em rotação mais alta. Isso, na prática, pode representar um computador mais barulhento, característica que pode ser bem ruim se você está pensando em usar um PC para consumir filmes e séries.

Se a ideia é montar uma máquina para produtividade e entretenimento, pode ser melhor buscar um modelo de chip que tenha uma solução gráfica integrada.

Isso porque o investimento em uma placa de vídeo é mais necessário para usuários exigentes ou gamers, que precisam de processamento dedicado para uma boa experiência.

Portanto, vale buscar por uma CPU equipada com Intel UHD Graphics ou APUs da AMD com uma opção de Radeon integrada.

5 de 8
Processadores Ryzen da AMD não trazem gráficos integrados — Foto: Divulgação/AMD

Processadores Ryzen da AMD não trazem gráficos integrados — Foto: Divulgação/AMD

Embora não tenha a mesma capacidade de uma placa dedicada, a GPU aliada ao processador não vai fazer falta para o uso no dia a dia.

Atualmente, há modelos com fôlego suficiente para controlar várias telas simultâneas e até suporte para vídeos em 4K, seja em arquivo local ou via streaming.

Mas, vale lembrar: para jogos mais recentes, a placa integrada vai ficar devendo, assim como para editores de vídeo em geral.

Considere a relação entre núcleos e velocidade

Processadores com múltiplos núcleos são cada vez mais comuns, e comprar um chip dual-core pode não ser mais tão interessante a longo prazo. Isso porque muitos softwares estão sendo desenvolvidos para tirar proveito dos variados núcleos. Já é possível encontrar modelos de entrada quad-core, por exemplo, tanto entre os Ryzen 3 quanto Core i3 ou Core i5.

Outro fator a ser considerado é a taxa de transferência, medida em gigahertz (GHz), e que precisa ser considerada de forma mais cuidadosa. O número faz sentido de fato quando são considerados chips equivalentes, ou seja, de uma mesma família. Portanto, embora seja importante para o processador, esse dado não é o único que reflete a velocidade real.

6 de 8
Relação entre quantidade de núcleos e velocidade é fundamental no processo de escolha — Foto: Divulgação/AMD

Relação entre quantidade de núcleos e velocidade é fundamental no processo de escolha — Foto: Divulgação/AMD

Dessa forma, se o processador precisa dar conta de tarefas exigentes em pouco tempo, como é o caso de um uso mais exigente, o ideal é priorizar a contagem de núcleos em favor dos GHz alcançados. Os Ryzen, por exemplo, têm tido um bom desempenho multicore, superando rivais da Intel nos últimos anos.

Em contrapartida, a velocidade bruta em GHz ainda é mais relevante que a contagem de núcleos no caso de PCs gamer ou para o dia a dia. Dessa forma, processadores da Intel vêm oferecendo um melhor desempenho por núcleo, o que faz a marca apontar o novo Core i9 10900K, de dez núcleos e até 5,3 GHz de velocidade, como o processador gamer mais rápido do mundo.

Também é importante considerar a função turbo, apesar de não ser essencial. Em geral, o recurso é aplicado em situações específicas e de acordo com a energia disponível no sistema. Por conta disso, a velocidade mais importante a se conferir na hora de comprar um novo processador é o clock base.

Quanto mais recente, melhor

7 de 8
Gerações mais atuais entregam melhor desempenho, suportam novas tecnologias, consomem menos energia e são mais seguras — Foto: Divulgação/Intel

Gerações mais atuais entregam melhor desempenho, suportam novas tecnologias, consomem menos energia e são mais seguras — Foto: Divulgação/Intel

Entre um processador quad-core de 2,0 GHz lançado há dois anos atrás e um chip de 2020, também quad-core, mas com 1,8 GHz de velocidade, o modelo mais recente é o mais rápido.

Apesar do clock menor, um chip de hardware atualizado tem ajustes de design e ganhos de eficiência que permitem fazer mais coisas que a opção antiga em um determinado intervalo de tempo.

Isso acontece porque os GHz são uma medida de quantos ciclos a CPU pode realizar dentro de um segundo, e não da quantidade de processamento efetivamente realizado nesse espaço.

Portanto, na hora de comparar modelos, vale considerar não apenas a velocidade indicada, mas também a geração dos chips e também a marca.

Testes e comparativos de benchmark em sites especializados podem ajudar, já que mostram detalhes como a situação em que foram utilizados e se foram melhores ou piores em determinado cenário.

Além de maior eficiência, gerações recentes terão suporte a tecnologias atuais, como PCle 4.0, memórias DDR4, entre outras. Outra vantagem é a segurança, já que correções a nível de hardware são necessárias em alguns casos.

8 de 8
Mesmo processadores mais baratos da AMD permitem overclock (desde que instalados numa placa-mãe compatível) — Foto: Divulgação/AMD

Mesmo processadores mais baratos da AMD permitem overclock (desde que instalados numa placa-mãe compatível) — Foto: Divulgação/AMD

Overclock é um cenário em que o usuário altera configurações internas do processador para atingir velocidades superiores.

A prática tem alguns riscos, e pode até encurtar a vida útil do chip, além de exigir uma refrigeração mais robusta.

Nem todos os modelos têm suporte ao recurso: a Intel reserva o acesso a linhas específicas, identificadas pela presença das letras K e X na nomenclatura, casos do Core i9 9900K ou do Core i7 7740X, por exemplo.

Já a AMD permite overclock em todos os modelos Ryzen, mas não em todas as placas-mãe. Há versões compatíveis com chips da marca que não têm suporte à função, e o usuário que busca realizar essa alteração precisa buscar informações sobre sua disponibilidade também ao escolher a placa.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*