Como Saber Qual O Centro De Saude Da Area De Residencia?

Para obtenção de visto é necessária a aquisição de um seguro médico internacional de viagem, válido pelo período que vai permanecer em Portugal. A apólice de seguro deve incluir a cobertura de repatriação por motivos médicos, necessidade urgente de atenção médica e tratamento hospitalar de emergência.

  • Adicionalmente, caso o requerente seja beneficiário do INSS (a segurança social brasileira), deverá ainda obter o Certificado de Direito à Assistência Médica – Brasil/Portugal, CDAM (anteriormente designado de PB-4).
  • O CDAM dá acesso aos serviços de saúde do Sistema Nacional de Saúde (SNS) em Portugal e tem que ser solicitado no Brasil junto das secretarias de saúde ou delegacias de saúde da cidade onde os estudantes residem.
  • Registo no SNS/ Centro de Saúde

O registo no SNS em Coimbra, para efeitos de acesso a centros de saúde, hospitais e outras unidades de saúde pública, é feito no Centro Pneumológico de Coimbra, Av.ª Bissaya Barreto, 3000-075, Coimbra. Para isso, deverá agendar previamente o registo através do telefone: 239487400.

O formulário CDAM, o comprovativo de autorização de
residência (para estadias superiores a um ano) e o documento de identificação são necessários para o registo.

Feito
o registo, os estudantes recebem um número de utente (para estadias superiores a um ano) e passarão a ter acesso aos
serviços médicos do SNS nas mesmas condições que os cidadãos nacionais.

Por exemplo, pagarão os mesmos valores, segundo as normas e tabelas em vigor, pelos cuidados de saúde prestados.

Os estudantes portadores de seguros de saúde privados, se assim o desejarem, poderão proceder da mesma forma, mas, não tendo o formulário CDAM, estarão sujeitos ao pagamento de valores diferentes daqueles aplicados aos estudantes abrangidos pelo SNS, de acordo com as normas e tabelas em vigor. Por isso, é muito importante obter o CDAM antes de viajar para Portugal.

Para
saber qual é o centro de saúde mais próximo da sua área de residência em Portugal, pesquise na web no Portal do SNS.

Como Saber Qual O Centro De Saude Da Area De Residencia?

O centro de
saúde é o local de primeiro contacto para problemas de saúde, que não impliquem
atendimento urgente.

Em caso de urgência médica, ligue 112 ou dirija-se aos Hospitais da Universidade
de Coimbra: Praceta Prof. Mota Pinto, 3000-075 Coimbra.

Se for portador de um seguro de saúde privado terá acesso, adicionalmente, aos serviços de saúde privados portugueses com os quais a seguradora celebrou acordos para o efeito.

Linha Saúde24

A Linha Saúde 24, iniciativa do Ministério da Saúde, disponibiliza aconselhamento e encaminhamento em situação de doença e medicação.

Profissionais de Saúde especialmente formados e qualificados dão os melhores conselhos, todos os dias, 24 horas por dia, sobre a forma de lidar com a sua situação de saúde em particular, ajudando-o a resolver o problema você mesmo ou encaminhando-o para o serviço de saúde mais adequado.

  1. Para contactar este serviço, ligue 808 24 24 24.
  2. Serviços de Saúde da Universidade de Coimbra
  3. Todos os estudantes da UC com a matrícula e inscrição em dia podem aceder aos serviços de saúde dos Serviços de Ação Social localizados no Pólo I.
  4. Seguro escolar da Universidade de Coimbra
  5. Todos os estudantes da UC com a matrícula e inscrição em dia estão abrangidos pelo seguro escolar com cobertura de acidentes durante as atividades letivas na UC ou no exterior desde que autorizadas pela universidade.
  6. Consulte a página dos Serviços Académicos para mais detalhes
  7. Farmácias
    de serviço:
    farmaciasdeservico.net



Saiba como escolher médico de família e tratar da inscrição num centro de saúde

Numa altura em que a situação pandémica limita ou cria várias dúvidas em relação aos procedimentos ligados às unidades de saúde, a Associação Portuguesa para a Defesa do Consumidor (DECO) elaborou um conjunto de informações que podem ser relevantes na hora de fazer a inscrição ou, até, caso pretenda escolher o médico de familia.

Primeiramente, é importante saber distinguir quais são os estabelecimentos de prestação de cuidados de saúde primários. Existem dois tipos – as Unidades de Saúde de Cuidados Personalizados, ou USCP (os antigos centros de saúde) e as Unidades de Saúde Familiar (USF).

Para fazer a inscrição numa destas unidades, dirija-se à que está mais próxima da sua área de residência.

Leve consigo o número de utente, um documento de identificação (cartão do cidadão ou passaporte), um comprovativo de morada e o número de identificação fiscal, assim como o(s) comprovativo(s) dos benefícios de saúde a que tem direito, como isenções e comparticipações, se for esse o caso.

No caso dos recém-nascidos, a inscrição e a atribuição de um médico de família são agora automáticas. A possibilidade foi introduzida pelo projeto ‘Nascer Utente’, que transferiu essas tarefas para a instituição com bloco de partos onde o bebé nasce.

Caso mude de residência, tem a possibilidade de permanecer no mesmo centro de saúde, mas prescindindo de serviços como os cuidados domiciliários. Caso deseje mesmo mudar, pode fazê-lo de forma gratuita no centro de saúde para o qual pretende ser transferido, levando os mesmos documentos que são pedidos na inscrição.

Em caso de mudança provisória de residência, pode fazer uma inscrição temporária noutra unidade de saúde. Para isso, terá de expor as razões da sua mudança no centro de saúde da área de residência temporária, levando os mesmos documentos de que necessita no ato de inscrição para, assim, fazer o pedido de transferência do seu processo clínico e um pedido de inscrição temporária.

Pode ainda escolher um médico de família entre os profissionais que trabalham no centro de saúde, caso ainda existam vagas. Se já tem médico de família, mas quer mudar, deve endereçar um pedido escrito, devidamente justificado, ao diretor do centro.

É importante sublinhar que os médicos de família podem recusar ou cancelar a inscrição de qualquer utente nas suas listas, via pedido escrito e justificado. Em ambos os casos, a decisão cabe ao diretor do centro de saúde.

Pedir e usar os serviços

Atualmente, a lei dispensa o pagamento de taxas moderadoras a todos os utentes que acedam a cuidados de saúde primários, sejam eles consultas ou meios complementares de diagnóstico e terapêutica (MCDT) – tais como exames ou cuidados curativos –, desde que os mesmos sejam prescritos no âmbito dessas consultas e realizados em instituições públicas de saúde.

Leia também:  Como Saber Qual O Meu Tipo De Rosto?

A marcação de consultas presenciais pode ser feita pelo utente, um familiar ou amigo, por telefone, internet (na área do cidadão do Portal do SNS), presencialmente, na USF/USCP onde está inscrito, ou ainda através da linha SNS 24 (808 24 24 24). Já as consultas urgentes implicam a deslocação do utente até à sua unidade de saúde ou ao serviço de atendimento permanente, ou urgente, do centro de saúde da área da ocorrência.

As USF e USCP disponibilizam ainda cuidados domiciliários, mediante solicitação. Têm direito a usufruir destes cuidados em casa os utentes que não conseguem deslocar-se até ao centro de saúde por doença súbita, incapacidade crónica ou velhice.

Como utente inscrito num centro de saúde, tem ainda acesso aos seguintes serviços: obtenção de receitas de medicamentos usados continuadamente por doentes crónicos (consulta sem a presença do utente), relatórios, como atestados comprovativos da aptidão física ou mental do utente (implica marcação de consulta) e a realização de exames complementares de diagnóstico, como análises clínicas e radiografias, mediante a prescrição médica e se a unidade de saúde estiver equipada para os fazer.

Inscrever o bebé

A inscrição de recém-nascidos no Registo Nacional de Utentes é feita de forma automática pela instituição com bloco de partos onde nascem através do projeto ‘Nascer Utente’. Estes bebés são integrados na lista de utentes do médico de família da mãe e/ou do pai (caso estejam em listas diferentes, prevalece a da mãe).

Quando nenhum dos progenitores tem médico de família, a instituição com bloco de partos onde a criança nasceu deve comunicar o nascimento ao coordenador da USF ou UCSP mais próxima da residência da criança (Projeto Notícia Nascimento).

Nestes casos, o coordenador é o responsável pela inscrição do bebé na lista de utentes de um médico de família, preferencialmente de uma USF do agrupamento de centros de saúde (ACES) em questão.

Se, neste segundo cenário, os pais preferirem a inscrição numa UCSP, podem declará-lo expressamente.

Manter a inscrição

Um utente que não recorra ao centro de saúde durante cinco anos consecutivos e que seja notificado disso pelo Agrupamento de Centros de Saúde onde a sua unidade de saúde se insere fica sem médico de família atribuído, caso não informe que deseja permanecer inscrito num prazo de 90 dias após a data da receção da notificação.

A notificação é feita através da Área do Cidadão do portal SNS 24, e-mail ou SMS, caso tenha indicado um número de telemóvel, ou através de uma carta com um código de ativação.

Para manter o médico de família, o utente tem de contactar a sua unidade de saúde presencialmente, por telefone, e-mail ou correio para indicar o código de ativação e, se necessário, atualizar os seus dados (nome, morada, estado civil, etc.) e do seu agregado familiar.

O contacto do utente atualiza de imediato a sua inscrição na respetiva unidade de saúde.

Caso não o faça, é integrado na lista de “utentes inscritos no ACES [Agrupamento de Centros de Saúde] sem contacto nos últimos cinco anos” e é aberta uma vaga na lista do médico de família.

A alteração de classificação de “utente com médico de família atribuído” para “utente inscrito no ACES sem contacto nos últimos cinco anos” não prejudica o seu direito a, em qualquer momento, requerer a atribuição de médico de família na unidade de cuidados primários da sua área de residência.

Vacinação Covid-19 em Cascais

Nesta página encontra informações sobre a vacinação contra a Covid-19 no concelho de Cascais

Tem mais de 80 anos e ainda não foi contactado(a) para tomar a vacina contra a Covid-19? Tem um(a) familiar nesta situação? Ligue 800 203 186, de segunda a sexta, das 9h00 às 18h00. 

Desde 8 de março, a Câmara Municipal de Cascais para apoiar as autoridades de saúde, assumiu a tarefa de estabelecer contacto com todos os munícipes a serem vacinados contra a Covid-19.

Tal como até aqui, as listagens permanecem sob absoluta responsabilidade do ACES – Agrupamento de Centros de Saúde de Cascais e Serviço Nacional de Saúde. Porém, os contactos, passaram a ser feitos pela equipa do município, assim como o agendamento.

 Detetámos, porém, que há situações que urge corrigir e, por isso, se tem mais de 80 anos e ainda não foi vacinado(a), ou um(a) familiar nessa situação, ligue 800 203 186.

Não é cidadão(ã) nacional? Não tem número de utente do Serviço Nacional de Saúde? Inscreva-se aqui: https://servicos.min-saude.pt/covid19/vacinacao-nao-utente | A inscrição através deste formulário será encaminhada para o ACES da sua área de residência. Aguarde contacto dos profissionais de saúde para validação dos critérios de elegibilidade para vacinação

A Câmara Municipal de Cascais apoia o ACES de Cascais no processo de vacinação que irá decorrer ao longo do ano de 2021 e esclarece desde já: 

1 – Nesta fase estão a ser contactadas pessoas com 80 e mais anos, pessoas de idade entre os 50 e os 65 anos, com pelo menos uma das seguintes patologias: Insuficiência cardíaca, Doença coronária, Insuficiência renal (Taxa de Filtração Glomerular < 60ml/min), DPOC – Doença Pulmonar Obstrutiva Crónica ou doença respiratória crónica sob suporte ventilatório e/ou oxigenoterapia de longa duração.

2 – Detetámos, porém, que há situações que urge corrigir. Por isso, se tem mais de 80 anos e ainda não foi vacinado(a), ou um(a) familiar nesta situação, ligue 800 203 186.

3 – Os munícipes dos restantes grupos prioritários devem aguardar contacto da Câmara Municipal de Cascais.

4 – De acordo com os critérios definidos a nível nacional pelo Ministério da Súde, ao ponto 3 acrescentam-se outros grupos prioritários como por exemplo: profissionais de saúde, forças de segurança, bombeiros e pessoal docente e não docente.

Quando for tomar a vacina agasalhe-se bem. Os pavilhões são locais frios. Leve roupa adequada em que seja fácil expor o braço.

EM CASO DE SEGUNDA TOMA, AGUARDE SEMPRE CONTACTO TELEFÓNICO PARA SABER QUANDO SE DEVE DIRIGIR AOS CENTROS DE VACINAÇÃO.

Leia também:  Como Saber Qual A Motherboard Do Pc?

Confira as Perguntas Frequentes, em baixo, e outras informações para saber como agir.

Se tem dúvidas sobre a vacina, por favor visite o site da Direção Geral da Saúde. Se necessário contacte a Linha Cascais – 800 203 186. Estamos aqui para ajudar!

FAQ's

Quando posso receber a vacina? Toda a população portuguesa poderá ser vacinada. Os cidadãos devem aguardar pelo contacto das Autoridades de Saúde. 

Como posso saber em que fase serei vacinado(a)? Existem 3 fases de vacinação. Na página da Direção Geral da Saúde encontra um simulador (aqui) para saber qual a altura em que se prevê receber a vacina. Pode também encontrar informações úteis sobre a vacina.

  • Quais os requisitos para receber a vacina com prioridade a partir de fevereiro? São considerados prioritários os cidadãos que cumpram os seguintes requisitos:•  Pessoas de idade ≥80 anos
  • • Pessoas de idade entre os 50 e os 65 anos, com pelo menos uma das seguintes patologias: • Insuficiência cardíaca • Doença coronária • Insuficiência renal (Taxa de Filtração Glomerular < 60ml/min) • DPOC – Doença Pulmonar Obstrutiva Crónica ou doença respiratória crónica sob suporte ventilatório e/ou oxigenoterapia de longa duração.

Sou um(a) utente com critérios de fase 1 e estou a residir temporariamente em Cascais com familiares (filhos ou pais) e deslocado da minha área de residência. Pretendo ser vacinado(a) em Cascais.

O que tenho que fazer?  Se os seus familiares tiverem médico de família deverão contactar o respetivo centro de saúde. Será feita uma inscrição esporádica para atualização dos seus dados clínicos, devendo apresentar um relatório com os critérios para ter prioridade de vacinação.

Ficará em espera a aguardar disponibilidade de vacinas e será contactado pelo SNS.

Quem está acamado(a) vai ser vacinado(a)? As vacinas disponibilizadas até à data não permitem vacinação ao domicílio. Logo que possível os utentes serão contactados.

Preciso de ter médico de família para ser vacinado(a)? Não.

Não sei se tenho médico de família. Como faço? Aceda ao Portal do Utente (clique aqui) e consulte os seus dados de utente do SNS. Pode ainda utilizar a App MySNS Carteira. Em alternativa, poderá enviar e-mail para o Gabinete do Cidadão do ACES Cascais: [email protected]

Tenho médico de família. O que tenho que fazer para me vacinar contra a COVID-19? Se o seu processo clínico está atualizado, aguarde apenas um SMS enviado pelas Autoridades de Saúde. Garanta junto do seu Centro de Saúde que o seu contacto telefónico (n.º de telemóvel) e morada estão atualizados.

Não tenho médico de família, mas estou inscrito no Centro de Saúde. Devo atualizar os dados clínicos no meu Centro de Saúde? Sim.

Se houver informação clínica que não conste no seu Centro de Saúde, peça um relatório ao seu médico assistente (privado) e entregue-o no Centro de Saúde.

A maior parte dos médicos no setor privado também possui a opção de emitir uma Declaração Desmaterializada com as doenças elegíveis para vacinação para o Ministério da Saúde. Garanta junto do seu Centro de Saúde que o seu contacto telefónico (n.º de telemóvel) e morada estão atualizados.

Não estou inscrito(a) em nenhum Centro de Saúde de Cascais, nunca recorri ao Centro de Saúde. O que preciso fazer para me vacinar? Aceda ao Portal da Direção Geral da Saúde (clique aqui) e inscreva-se no campo assinalado.

Será emitido um alerta de que deve pedir uma Declaração Desmaterializada (DD) ao seu médico assistente privado (emissão através da plataforma PEM pequenos prescritores). Uma vez emitida a DD aguarde. Deverá ser contactado pelo Centro de Saúde para ser vacinado.

Sem prejuízo de ser acompanhado por um médico do setor privado ou não ter um médico assistente, poderá solicitar a inscrição ao Gabinete do Cidadão do ACES Cascais ([email protected]). 

Quando começa e quem vai ser vacinado na fase 2? A fase 2 está prevista iniciar-se a partir de abril de 2021. Vão ser vacinadas pessoas que apresentem uma das seguintes situações:• Pessoas de idade ≥65 anos (que não tenham sido vacinadas previamente)

• Pessoas entre os 50 e os 64 anos de idade, inclusive, com pelo menos uma das seguintes patologias: • Diabetes • Neoplasia maligna ativa • Doença renal crónica (Taxa de Filtração Glomerular > 60ml/min) • Insuficiência hepática • Hipertensão arterial • Obesidade • Outras patologias com menor prevalência que poderão ser definidas posteriormente, em função do conhecimento científico.

Quando arranca a fase 3? A última fase irá arrancar em data a determinar após a conclusão da fase 2. Nessa altura será vacinada toda a restante população elegível, que poderá ser igualmente priorizada.

Vacinação em Cascais

Onde vai decorrer a vacinação no concelho de Cascais? Existem dois locais preparados pela Câmara Municipal de Cascais em articulação com a equipa do Agrupamento de Centros de Saúde de Cascais e as equipas municipais do Serviço Municipal de Proteção Civil, Segurança, Logística e Comunicação, para receber a população com toda a segurança:

  • Pavilhão do Complexo Desportivo de Alcabideche
  • Pavilhão do Complexo Desportivo de S. Domingos de Rana (Massapés)

Que tipo de espaços vamos encontrar? Os pavilhões, amplos e arejados, estarão divididos em espaços de receção, salas de vacinação e salas de espera pós vacinação. Agasalhe-se pois os pavilhões são espaços frios. Leve roupa confortável em que seja fácil expor o braço.

Quanto tempo demora? A vacinação demora cerca de 5 minutos, porém, tal como acontece em qualquer outro processo de vacinação, para controlar eventuais reações, os cidadãos devem aguardar na sala pós-vacinação no mínimo 30 minutos.

Não há perigo de ajuntamentos? Não. Os espaços foram sujeitos a um criterioso processo de organização, sendo criados percursos e sinalética que impedem o cruzamento de pessoas.

É obrigatório o uso de máscara? Há dispensadores de álcool gel? Sim, em ambos os casos.

A semana

A partir de 8 de março, o agendamento da Vacinação conta a Covid-19 passa a ser feito pela Câmara Municipal de Cascais. A partir desta mesma data, damos conhecimento semanal do número de vacinas administradas e critérios de prioridade adotados pelo ACES Cascais, entidade responsável pela elaboração das listas de munícipes a contactar.

Leia também:  Como Fazer Com Que A Menstruação Desça?

Semana de 29 a 1 de abril 

  • ● 29 e 30 de março  (2ª a 3ª feira) – Vacinação Grupos de Risco 
  • ● 31 de março (4ª feira) – Vacinação Grupos de Risco
  • ● 1 de abril (5ª Feira) – Vacinação +80 (2ª dose)

Semana de 22 a 28 de março (cerca de 10.000 doses previstas)

  • ● 24 a 26 de março (4ª, 5ª e 6ª) – Vacinação Maiores de 80 anos —-> 3.930 doses
  • ● 27 a 28 de março (Sábado de Domingo) – Vacinação de Professores —> estimam-se 2.400
  • ● 29 e 30 de março (2ª e 3ª feira) – Grupos de Risco

Semana de 15 a 20 de março 2021 (2ª feira a sábado)

Valores de vacinação previstos:

  • ● 1848 vacinas Astrazeneca (cancelado a partir de 16.03.2021 devido à suspensão desta vacina por parte das autoridades)● 3558 vacinas Fizer

Semana de 8 a 12 de março de 2021

 Valores de vacinação previstos:

  • ● 1220 Astrazeneca (previsto 4ª feira);● 1866 Pfizer (previsto 5ª e 6ª feira)

​A vacinação desta semana vai incluir, nas 1220 doses Astrazeneca, 3 grupos prioritários:

  • ● Profissionais de saúde com prática isolada● Forças de segurança● Órgãos de soberania

Avisos

Levantada suspensão da vacina AstraZeneca pela DGS e Infarmed (18.03.2021) – O Infarmed, I.P. e a Direção-Geral da Saúde acabam de anunciar que “o programa de vacinação com a vacina AstraZeneca [suspenso por precaução a 15.03.2021] será retomado já amanhã”.

“A pausa justificou-se nos termos do princípio de precaução em Saúde Pública”, esclareceu Graça Freitas, Diretora Geral da Saúde, porém, tendo em conta as garantias dadas hoje mesmo pela Agência Europeia do Medicamento, a vacinação será retomada de modo a “recuperar o tempo perdido”. Perante esta informação, serão retomados os agendamentos através da Linha Cascais.

De acordo com estas entidades, a vacinação de docentes e não docentes deverá ter lugar no fim de semana de 27 e 28 de março.

Pausa na vacinação com AstraZeneca (15.03.2021) – A vacina AstraZeneca contra a Covid-19 acaba de ser suspensa pela Direção-Geral da Saúde. Uma pausa para analisar “reações adversas”, acaba de esclarecer Graça Freitas, Diretora-Geral da Saúde.

A responsável acrescentou que “em todo o mundo já foram vacinados com esta vacina mais de 17 milhões de pessoas” (170.000 em Portugal) e que “é preciso manter a calma”. A Direção-Geral da Saúde e o Infarmed, I.P. informam que o processo de vacinação com esta vacina fica, para já, suspenso.

Em face disto, os agendamentos feitos para esta terça e quarta-feira nos centros de vacinação de Alcabideche e S. Domingos de Rana serão adiados.

O que é o Número de Utente do Serviço Nacional de Saúde (SNS) e como obtê-lo? – ArtigoDetalhe – ACM

O cartão de identificação do utente é o documento que comprova a identidade do seu titular, perante as instituições e serviços integrados no SNS.

Este documento deve ser apresentado na prestação de cuidados de saúde, na requisição de meios auxiliares de diagnóstico e terapêutica e prescrição e aquisição de medicamentos. Quem pode obter o número de Utente do SNS? Todos os estrangeiros possuidores de autorização de residência.

Para efeitos de obtenção do cartão de utente do SNS, deverão os cidadãos estrangeiros exibir, perante os serviços de saúde da sua área de residência, o documento comprovativo de autorização de residência, em território nacional, conforme as situações aplicáveis.

Onde posso obter a ficha de inscrição com o número de utente? O número de utente, a constar na sua ficha de inscrição, pode ser obtido no Centro de Saúde da sua área de residência. Em que Centro de Saúde me devo inscrever? Os centros de saúde encontram-se distribuídos por áreas.

As pessoas devem dirigir-se àquele que corresponde à área da sua residência, e informar-se dos horários de atendimento, tipos de serviços, hospitais de referência e meios auxiliares de diagnóstico disponíveis.

O Centro de Saúde da área de residência emite aos imigrantes com situação regular, uma ficha de inscrição com nº de utente, que deve ser sempre apresentado no Centro de Saúde ou em qualquer outra unidade de saúde.

Fonte: Ministério da Saúde

Fique em casa. Opte pelos canais digitais (e-mail e app My CNAIM) e telefónicos (Linha de Apoio a Migrantes)

Linha de Apoio a Migrantes 808 257 257 (a partir da rede fixa) 21 810 61 91 (a partir de rede móvel e para quem efetua a ligação do estrangeiro)

Centro Nacional de Apoio à Integração de Migrantes (CNAIM)

Atendimento presencial condicionado. Evite deslocações desnecessárias. Opte pelas canais digitais (e-mail e app My CNAIM) e telefónicos (Linha de Apoio a Migrantes)

CNAIM Lisboa Atendimento presencial apenas por marcação

Rua Álvaro Coutinho, 14 1150-025 Lisboa

Fax: 21 810 61 17

Website: www.acm.gov.pt E-mail: [email protected]

CNAIM Norte Atendimento presencial apenas por marcação Av. de França, 316 Edifício Capitólio

4050-276 Porto

Tel: 22 207 38 10 Fax: 22 207 38 17 E-mail: [email protected]

CNAIM Algarve Temporariamente encerrado Contacte a Linha de Apoio a Migrantes 808 257 257 21 810 61 91 Loja de Cidadão Mercado Municipal, 1.º Piso Largo Dr. Francisco Sá Carneiro 8000-151 Faro

E-mail: [email protected]

Avisos PO ISE: [email protected] Avisos FAMI: [email protected]

Tabela do Plano de Desconfinamento também disponível em Árabe (ar), Bangla (bn), Francês (fr), Hindi (hi), Inglês (en), Mandarim (zh), Nepalês (ne), Romeno (ro) e Russo (ru).

Guia sobre o COVID-19 da Associação Médicos do Mundo Portugal:

. Alemão (de) . Árabe (ar) . Bengali (bn) . Espanhol (es) . Finlandês (fi) . Francês (fr) . Fula (ff) . Hebraico (he) . Hindi (hi)  . Inglês (en) . Italiano (it) . Japonês (ja) . Mandarim (zh) . Mandinga (man) . Neerlandês (nl) . Nepalês (ne) . Polaco (pl) . Português (pt) . Romeno (ro) . Russo (ru) . Sueco (sv) . Tigrínia (ti) . Turco (tr) . Ucraniano (uk) . Urdu (ur)

Folheto OIM sobre COVID-19, em mais de 30 idiomas.

Três documentos OIM sobre Covid-19 para migrantes, em vários idiomas.

As informações apresentadas são de caráter meramente indicativo, tendo como principal finalidade disponibilizar orientação genérica, sem qualquer propósito de exaustividade, não dispensando, em qualquer caso, a consulta junto das entidades competentes e o recurso a aconselhamento profissional no âmbito das temáticas que dela são objeto.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*