Como Saber Qual A Fonte De Alimentação Do Meu Pc?

Quando você está montando um computador ou precisa fazer um upgrade nele, a fonte deve ser um dos principais itens da lista. Além de fornecer a energia necessária para ligar a máquina, ela também é responsável pelo bom funcionamento do PC. Veja a seguir como calcular qual a fonte ideal para o seu computador.

O passo a passo é baseado em um site que ajuda a fazer os cálculos. Para seguir em frente, será necessário informar os componentes que serão utilizados no computador.

  • publicidade
  • Descobrindo o hardware
  • Se você já sabe quais são as peças que utiliza ou utilizará no computador, você pode pular esta etapa do tutorial e seguir adiante. Caso contrário, siga estes passos:
  1. Acesse este link e faça o download do CPU-Z Portable na opção “ZIP – ENGLISH”;
    Como Saber Qual A Fonte De Alimentação Do Meu Pc?
  2. Extraia o conteúdo do arquivo para uma pasta e execute o programa de acordo com a sua versão do Windows;
    Como Saber Qual A Fonte De Alimentação Do Meu Pc?
  3. O hardware do computador fica dividido por abas. Anote os principais elementos das abas: CPU, Memory e Graphics.
    Como Saber Qual A Fonte De Alimentação Do Meu Pc?

Fazendo o cálculo da fonte

Agora que você tem a lista de peças de hardwares utilizados, é possível fazer o cálculo da fonte necessária para que o computador funcione bem. Veja como prosseguir:

  1. Acesse o site Outervision Power Supply Calculator;
  2. Em “Motherboard” deixe a opção “Desktop”. Coloque “1” no campo “CPU” e procure o modelo do processador em “Instant Search CPU”. Logo abaixo, selecione o modelo da memória e a quantidade de pentes deles;
    Como Saber Qual A Fonte De Alimentação Do Meu Pc?
  3. Na parte “Video cards”, em “Select brand” escolha a marca da placa de vídeo e modelo dela abaixo. Em “Storage”, selecione os SSDs e HDs da máquina;
    Como Saber Qual A Fonte De Alimentação Do Meu Pc?
  4. Em “Other Devices”, escolha a quantidade de dispositivos USB 2.0 e 3.0 conectados à máquina. Já em “Fans” e “Liquid cooling kit”, selecione os coolers e qualquer sistema de resfriamento extra que você possua;
    Como Saber Qual A Fonte De Alimentação Do Meu Pc?
  5. Em “Monitor” selecione o display que você utiliza, coloque o tempo de uso do computador em “Computer utilization time” e se a máquina será usada em tarefas pesadas como jogos ou trabalhos de renderização;
    Como Saber Qual A Fonte De Alimentação Do Meu Pc?
  6. Por fim, clique em “Calculate” e veja o resultado.
    Como Saber Qual A Fonte De Alimentação Do Meu Pc?

Pronto! Desta forma, você já sabe qual será a fonte necessária para aguentar a configuração do seu computador. Uma fonte menor do que o resultado mostrado até poderá funcionar, mas o site leva em conta uma utilização de ao menos 90% da CPU para lhe dar uma margem de segurança.

Como descobrir a potência real da fonte do meu computador? Confira

por Itair Siqueira Para o TechTudo

Antes de fazer um upgrade no seu computador é muito importante saber calcular a potência real da fonte dele. Para te ajudar e evitar cálculos muito complexos, o TechTudo te ensina a maneira mais fácil e simples de descobrir esse valor. Confira.

Memória DRAM e SRAM: entenda as tecnologias e suas diferenças

Como Saber Qual A Fonte De Alimentação Do Meu Pc?Modelo da Corsair tem potência acima de 1000w (Foto: Divulgação/Corsair)

As fonte são classificadas de acordo com a sua potência, ou seja, podem ser de 300w, 430w, 500w e até acima de 1000w, como no caso da Corsair AX1200w. Essa capacidade total, normalmente vem escrita na caixa do produto. Então para que calcular a energia se já sabemos a sua potência total? A potência que vem anunciada na caixa não é a potência real que o produto entrega.

Quer dar dicas sobre como montar um PC Gamer compatível? Comente no Fórum do TechTudo.

Para saber a potência real de uma fonte é necessário fazer um cálculo muito simples e fácil. Tomaremos como exemplo a fonte Corsair CX430, que promete entregar ao consumidor 430w.

Toda fonte apresenta uma etiqueta colada com uma tabela que informa as correntes que passam em cada uma das saídas, sendo elas +3.3V, +5V, +12V, -12V e +5VSB. Para sabermos de forma simples e clara qual é a real potência do produto, basta que multipliquemos os amperes (indicados pela letra A) pelo valor da coluna da corrente (+12V).

Como Saber Qual A Fonte De Alimentação Do Meu Pc? Dados para calcular a potência real vêm em uma tabela (Foto: Reprodução)

No caso da Fonte Corsair CX430, a etiqueta já nos informa a potência real, que é de 336w, mas vamos fazer as contas: 12 x 28A = 336W de potência real.

Ou seja, a fonte que é comprada como se fosse de 430W, na verdade é de apenas 336w na corrente 12V, que é a que mais consome energia.

Existem ainda outras contas mais complexas para saber o resultado final, porém, esse é o método mais simples de se chegar ao número.

Certificado de Eficiência: fique ligado

Algumas fontes mais modernas vêm com o certificado 80Plus, que assegura que o produto entregua pelo menos 80% da sua capacidade, garantindo um melhor funcionamento da fonte e do seu computador. Foram criados também os selos 80Plus bronze, prata e ouro, que garantem fontes com mais de 80% de eficiência.

Portanto, antes de comprar uma fonte somente pela caixa, verifique sua real potência e também se a mesma apresenta o selo de qualidade 80Plus, que garante que seu computador, seja ele gamer ou não, funcione com boa performance e de maneira segura.

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.

  • Henrique Santos A grande verdade é que o consumo total da fonte vai depender dos periféricos conectados a ela, toda a informação contida na fonte
  • Pampaflyer A potência de uma fonte não pode ser medida apenas na linha de 12v. Deve ser estimada em todas as linhas. Afinal, não é apenas a linha de 12v que o computador utiliza. Também utiliza as linhas de 3.3 e 5v. Logo, não vejo nada de errado nessa fonte aí, que, inclusive, separou a potência por linha de voltagem. A matéria deveria ter focado apenas na eficiencia do circuito, porque esse sim engana o consumidor. Em uma fonte de baixa eficiencia não se consegue os 336w anunciados na linha, por exemplo. Já vi algumas fontes vendidas como se 500w fosse, que fritaram com menos de 300 watts de carga.
  • Manoel Filho NÃO PRECISA NADA DISSO! EU JÁ FICO SATISFEITO SE VOCES PENDURAREM UM RESISTOR DE 2R5 POR UMA HORA NOS 12 VOLTS E ELA NÃO “FRITAR”! DIFÍCIL? EU PODIA PEDIR PARA PENDURAR RESISTORES NAS OUTRAS TENSÕES TAMBEM….
  • Henrique Santos A grande verdade é que o consumo total da fonte vai depender dos periféricos conectados a ela, toda a informação contida na fonte
  • Pampaflyer A potência de uma fonte não pode ser medida apenas na linha de 12v. Deve ser estimada em todas as linhas. Afinal, não é apenas a linha de 12v que o computador utiliza. Também utiliza as linhas de 3.3 e 5v. Logo, não vejo nada de errado nessa fonte aí, que, inclusive, separou a potência por linha de voltagem. A matéria deveria ter focado apenas na eficiencia do circuito, porque esse sim engana o consumidor. Em uma fonte de baixa eficiencia não se consegue os 336w anunciados na linha, por exemplo. Já vi algumas fontes vendidas como se 500w fosse, que fritaram com menos de 300 watts de carga.
  • Manoel Filho NÃO PRECISA NADA DISSO! EU JÁ FICO SATISFEITO SE VOCES PENDURAREM UM RESISTOR DE 2R5 POR UMA HORA NOS 12 VOLTS E ELA NÃO “FRITAR”! DIFÍCIL? EU PODIA PEDIR PARA PENDURAR RESISTORES NAS OUTRAS TENSÕES TAMBEM….

Fonte de alimentação do PC: como escolher a certa para você – Intel

A unidade de fonte de alimentação (PSU) pode não ser o componente de PC mais frequentemente discutido, mas é uma peça fundamental de qualquer desktop. Fornecer energia para todo o seu sistema é uma função extremamente importante e usar a errada pode custar caro.

É por isso que vamos cobrir o básico sobre fontes de alimentação e fornecer a você as informações necessárias para entender por que ter a PSU correta é importante, e por que escolher a opção mais barata não é a melhor solução.

Vamos começar pelos diferentes cabos que as fontes de alimentação usam para fornecer energia para o seu sistema.

Embora a PSU que você compre deva vir com todos os cabos necessários, vale a pena saber como são as conexões individuais. Os cabos exatos que você usará dependerão das características específica de seu build, mas provavelmente verá o seguinte:

  • Placa-mãe de 24 pinos: a forma como a energia é alocada varia entre cada placa-mãe, mas o conector/cabo de 24 pinos é frequentemente usado para dar energia a importantes recursos, como chipset e PCIe*
  • CPU de 4/8 pinos: esse conector fornece energia para a sua CPU. CPUs modernas consomem mais energia que a configuração de placa-mãe de 24 pinos pode oferecer, e é por isso que o cabo de 4/8 pinos é utilizado. Embora possa variar dependendo do fabricante, o cabo do CPU geralmente é conectado ao lado superior esquerdo da placa-mãe, próximo a E/S em um layout padrão
  • 6/8 pinos (PCIe/GPU): algumas GPUs consomem energia suficiente a partir do slot PCIe*, enquanto outras exigem uma configuração de cabo de energia específica para funcionar corretamente. A maioria das PSUs resolvem essa flexibilidade necessária fornecendo cabos que podem ser usados em uma variedade de combinações, algumas delas incluem conectores com 6, 8, 6+6, 8+6 e 8+8 e até 8+8+8 pinos. PSUs, muitas vezes, fornecem múltiplas conexões em um único cabo para evitar ter que colocar cabos adicionais, e para a grande maioria dos usuários, isso funcionará da mesma forma que usar diversos cabos. Certifique-se de verificar se sua fonte de alimentação tem as conexões de que você precisa para a sua GPU antes de comprar
  • Alimentação SATA: este conector é usado para fornecer energia para dispositivo de armazenamento SATA. Outros dispositivos já adotaram os padrões também desde então, como hubs RGB e controladores de ventilação. Muitas PSUs têm diversas conexões SATA em um cabo, para reduzir a quantidade de cabos necessários
  • Molex de 4 pinos: este é um conector legado cada vez mais raro, que foi, em sua grande maioria, substituído por SATA. Conectores Molex são geralmente encontrados em acessórios menos comuns, como bombas de refrigeração de água

Ao selecionar uma nova PSU, uma das perguntas mais comuns é “Quantos watts são suficientes”? Como é frequentemente o caso no mundo de hardware de PC, a resposta varia amplamente dependendo das necessidades exclusivas de seu sistema.

Leia também:  Como Ter A Certeza Que Ele Está Interessado?

Em geral, sistemas mais complexos exigem mais energia para funcionar. Um desktop com loop de resfriamento líquido personalizado, uma placa-mãe de última geração e GPUs duplas, precisará de uma fonte de alimentação com potência em watts mais alta que um sistema mais simples.

É impossível dar uma recomendação exata sem saber especificamente com qual hardware você está trabalhando, mas usando uma Calculadora de potência de PSU ou determinando o consume de energia de seus componentes internos diferentes e somando com isso, é possível dar um insight de quantos watts você precisa.

Como regra geral, é melhor errar com uma potência em watts superior que tentar atender às suas necessidades exatamente. Se você calculou que o sistema usará 500 watts (um número comum para um build de jogos simples), escolher uma PSU com saída de 600 ou 650 watts pode ser uma boa opção, já que oferecerá alguma sobrecarga para trabalhar e, também, permitirá possíveis atualizações futuras.

Tenha isso em mente ao considerar PSUs com potência em watts superior: uma fonte de alimentação com 750 watts não consome 750 watts como padrão. Se o seu sistema está consumindo 500 watts, a fonte de alimentação fornecerá 500 watts, independentemente da saída de capacidade máxima.

A saída de potência em watts mais elevada não necessariamente significa mais energia consumida; significa que tem a capacidade de fornecer mais energia se o seu sistema exigir.

Dito isso, não há vantagem real em ter uma PSU altamente sobrecarregada se o seu sistema não precisar, portanto, você pode ser melhor servido selecionando uma PSU rica em recursos e de alta eficiência que tenha a potência em watts necessária.

Você também precisa considerar a alimentação contínua versus os recursos de potência de pico de sua nova PSU.

A potência máxima é a quantidade máxima de energia que a PSU pode liberar em curtos períodos de tempo, considerando que energia contínua se refere à quantidade de energia que a PSU foi projetada para liberar regularmente.

A potência máxima é geralmente alcançada ao levar seus sistemas aos seus limites, como quando você está executando jogos exigentes ou realizando comparações de hardware.

Se houver uma súbita demanda por mais potência, sua PSU deverá lidar com a grande liberação brevemente, mas não se deve esperar que ela seja executada em potências de watts mais altas continuamente. Certifique-se sempre de que a PSU que você comprar tenha saída de energia contínua suficientemente alta e não escolha somente pelos recursos de potência de pico.

Como seria de esperar de tudo o que lida com grandes quantidades de energia, a segurança do sistema é uma preocupação. Uma boa fonte de alimentação deve ter recursos à prova de falhas integrados, não apenas para proteger a PSU em si, mas também para manter o seu sistema seguro em caso de algo inesperado, como um pico de energia.

A fonte de alimentação e a placa-mãe são os únicos componentes do PC que se conectam diretamente a praticamente todas as outras peças de hardware em seu sistema. Devido à posição única da PSU no layout do PC, certificar-se de que ela tem proteção integrada pode ajudar a manter o restante de seu hardware seguro também.

Vale a pena observar se a fonte de alimentação que você está procurando tem uma proteção integrada, como OVP (proteção contra sobretensão), que desliga a PSU se uma tensão excessiva for detectada. Outros recursos de segurança incluem funções como proteção contra curto-circuito, que pode ser extremamente benéfico se você encontrar oscilações de energia.

Você também deve conectar seu PC a um protetor contra picos. Estes dispositivos protetores de hardware foram projetados para adicionar outra camada de proteção ao seu sistema, desviando possíveis picos de energia prejudiciais de seus componentes valiosos.

A potência em watts é, sem dúvida, uma consideração importante ao escolher uma fonte de alimentação para desktop, mas a eficiência da PSU também é. O fornecimento ineficiente leva ao desperdício de energia e mais calor, o que pode potencialmente diminuir a vida útil de seus componentes.

Devido a essa consideração ser muito importante, há um sistema de classificação independente simples pronto.

Você pode ter observado a classificação “80 Plus” em diversas fontes de alimentação, frequentemente listada ao lado de um metal precioso.

Para receber essa classificação, uma fonte de alimentação deve ser pelo menos 80% eficiente, significando que um máximo de 20% de energia é perdido como calor.

Essa eficiência é determinada pelo desempenho em um sistema de 115 volts e as classificações são ainda mais aumentadas enquanto você sobre a escada de metais preciosos.

São eles:

  • 80 PLUS
  • 80 PLUS Bronze
  • 80 PLUS Prata
  • 80 PLUS Ouro
  • 80 PLUS Platina
  • 80 PLUS Titânio

Quanto mais eficiente for sua PSU, menos energia ela usa e menos calor gera. Dito isso, uma eficiência mais alta geralmente significa um preço mais alto, portanto, encontre o equilíbrio que funciona para você.

No entanto, até mesmo a PSU mais eficiente ainda gerará calor e a maioria usa ventiladores para dispersas o calor. Muitas fontes de alimentação são projetadas para que o ventilador seja ligado apenas quando necessário, ou seja, quando a PSU chegar a um determinado limite. Recursos como esses ajudam a reduzir o ruído.

Para os que estão interessados em levar as coisas ao limite da praticidade, há até mesmo fontes de alimentação resfriadas por líquido para uma experiência verdadeiramente silenciosa.

Assim como na maioria dos hardwares de PC, há uma grande variedade de opções quando se trata de como é sua fonte de alimentação.

Uma consideração acerca do formato é o tamanho físico da unidade. Para a grande maioria dos usuários de PC desktop, fontes de alimentação ATX padrão devem servir, no entanto, ainda é necessário certificar-se de que a PSU caberá no gabinete, verificando os espaços adequados.

Se você for um entusiasta de PCs de formato pequeno (SFF), pesquise um pouco mais para garantir que sua PSU caberá. Existe uma grande variedade de tamanhos de SFF da PSU, como SFX, CFX e muito mais, portanto, certifique-se de encontrar a PSU que funcione com o seu gabinete, não importa o quão pequeno seja o seu PC.

Outra importante distinção quando se trata de atributos físicos de sua PSU é se é modular ou não.

Uma fonte de alimentação funciona convertendo energia de uma tomada de parede e roteando essa energia para cada um dos componentes individuais em seu sistema, por meio de uma variedade de cabos.

Se a fonte de alimentação não for modular, esses cabos já estarão soldados à placa de circuito, o que significa que você não poderá escolher os cabos que estarão em seu build.

Todo o cabeamento, mesmo o que você não usa, precisará ser armazenado em seu gabinete.

Não há nada inerentemente errado com isso a partir de uma perspectiva funcional, apesar de o mau gerenciamento dos cabos poder levar a um fluxo de ar menos eficiente, portanto, certifique-se de que esses cabos extras não fiquem no caminho.

Fontes de alimentação modulares, por outro lado, não vêm com os cabos conectados.

Isso muda o processo de instalação, já que você precisará conectar cada cabo à PSU e ao componente que está fornecendo energia, mas também significa que é possível otimizar para menos cabos.

Isso resulta em um build mais limpo e, possivelmente, um melhor fluxo de ar. A maioria das pessoas não usará todos os conectores fornecidos pela fonte de alimentação comum, o que torna as unidades modulares um pouco mais práticas também.

Há também uma terceira opção, criativamente chamada de fonte de alimentação semimodular. Ela é exatamente o que parece: alguns dos cabos mais frequentemente usados são conectados à PSU, embora alguns você tenha que conectar sozinho.

Para sistemas de energia modulares e semimodulares, tenha em mente que você não quer misturar e combinar cabos de outros fabricantes ou até mesmo diferentes modelos do mesmo fabricante, a menos que estabelecido de outra forma.

Embora as extremidades dos cabos que se conectam aos componentes em seu build sejam padronizadas, a extremidade que conecta a PSU não é, significando que diferentes marcas podem ter diferentes conexões.

É por isso que você deve usar apenas os cabos que vieram com a sua fonte de alimentação.

A construção de um PC se trata totalmente de personalização e as fontes de alimentação não são exceção.

Além de tudo o que discutimos, há uma grande seleção de recursos adicionais que você pode obter de fontes de alimentação premium.

Recursos como iluminação RGB, conexões adicionais, botões de teste e medidas de consumo de energia via conexões USB internas são mais luxos que necessidades, mas são opções se você estiver interessado.

Uma interessante melhoria pós-venda a considerar é personalizar as capas dos cabos da fonte de alimentação. Esses cabos personalizados permitem que o usuário decida a cor e o material dos cabos de energia, o que adiciona um nível extra de personalização ao seu build. Isso é puramente estético, mas é outra forma de adicionar alguma elegância a um componente muitas vezes esquecido.

Ligar

Escolher sua fonte de alimentação não deve ser uma consideração posterior.

Selecionar a certa para o seu sistema deve implicar mais que apenas encontrar a quantidade mais alta de watts pelo menor preço. Você precisa considerar formato, eficiência, amperagem, proteção e os cabos que precisará, juntamente com quaisquer outros recursos que está procurando.

Uma boa fonte de alimentação pode durar muitos anos e pode ter um grande impacto sobre a eficiência de seu PC, portanto, tome seu tempo para escolher sabiamente.

O PC agradecerá por isso.

Como escolher a melhor fonte para PC?

Imagine tentar ligar um carro com quatro pilhas AA. Eu sei, o exemplo talvez seja extremo demais, mas esse é um problema que passa despercebido por muitas pessoas que estão montando seus PCs para jogos. Quanto mais potente sua placa de vídeo, cooler e outros componentes em um desktop, mais você precisa ficar atento para escolher a…

Leia também:  Chá De Cavalinha Para Que Serve E Como Tomar?

Imagine tentar ligar um carro com quatro pilhas AA. Eu sei, o exemplo talvez seja extremo demais, mas esse é um problema que passa despercebido por muitas pessoas que estão montando seus PCs para jogos.

Quanto mais potente sua placa de vídeo, cooler e outros componentes em um desktop, mais você precisa ficar atento para escolher a fonte para PC certa! E para te ajudar a não errar, selecionamos algumas informações sobre o assunto. Confira!

Por que escolher a fonte certa é tão importante?

Se você está levando a sério a montagem do seu computador, sabe como um PC gamer tem que ser um monstro. Você precisa do melhor processador, bastante memória, ventilação eficiente e a placa de vídeo mais potente que conseguir comprar.

E é de potência que estamos falando. Não adianta gastar todo o dinheiro nos outros componentes de hardware e não ter energia para fazê-los funcionar.

Fique ligado! Uma fonte genérica ou fraca pode simplesmente não ligar o seu computador, ou até danificar permanentemente seus componentes. Veja os riscos de uma fonte de baixa qualidade:

  • a fonte pode não aguentar o tranco e o sistema não ligar;
  • uma fonte de baixa qualidade pode ter tensões instáveis, prejudicando o desempenho e a capacidade de overclock da sua máquina;
  • em casos extremos, materiais e construção de má qualidade podem causar curtos ou até fazer com que a fonte pegue fogo!

Como escolher a potência certa da minha fonte para PC?

O cálculo para saber a energia necessária para alimentar seu computador não é difícil, mas você deve prestar atenção nas informações de fábrica de cada componente:

Placa de vídeo

Comece com o principal, a sua placa de vídeo. Em um PC gamer, ela é a responsável por consumir a maior parte da energia. Procure pelas informações de quantos Watts ela precisa no manual ou no site da fabricante.

É comum que as próprias empresas sugiram uma fonte mínima para usar a placa, como 400W, 450W ou até 600W. Mas você pode usar a indicação real de consumo de energia para colocar na conta uma fração desses valores.

Outros componentes

Em seguida, adicione à conta o consumo dos coolers, caso você precise de muito resfriamento. Normalmente, os outros componentes, como placa-mãe, processador, memória, entram em uma conta básica de 200W para alimentar o conjunto inteiro.

Some todos esses valores e você chegará a um valor mínimo para uma alimentação eficiente do seu conjunto. Mas lembre-se de sempre ter uma margem de segurança!

Existe alguma ferramenta para me ajudar nesse cálculo?

Se você não quer correr riscos fazendo a conta manualmente, o Power Supply Calculator é uma ferramenta excelente para fazer esse cálculo por você!

O site está em inglês, mas o processo é bastante simples. Basta acrescentar todos os componentes que você comprou e ele te indica a melhor fonte para o seu caso.

Certo, já sei do que preciso, como faço agora para comprar a melhor fonte para o meu PC?

Tendo feito os cálculos para saber o que você precisa, é hora de ter certeza que está fazendo a compra certa. Quando for pesquisar, procure por modelos com a quantidade de Watts que você calculou e um pouco mais acima, para ter uma base por onde começar.

O principal na hora de comprar é ter certeza que você não está adquirindo uma fonte genérica, de pior qualidade e com potência reduzida. Para isso, fique atento às informações da fonte e sempre compre em lojas confiáveis.

Uma boa dica é pesquisar se ela possui o selo 80 Plus, que garante ao consumidor que a fonte entregará no mínimo 80% da eficiência energética que promete.

Comprando de lojas confiáveis e escolhendo marcas certificadas, não tem como errar! É só pesquisar as opções dentro do consumo de energia que seu computador pede e escolher aquela com o melhor custo/benefício para você.

Do mesmo jeito que um carro não anda movido a pilhas, você não vai conseguir extrair o máximo do seu hardware se a sua fonte para PC é fraca demais ou de qualidade duvidosa.

Se você não tinha pensado nisso ainda, é hora de pesquisar! Comece conhecendo as opções de fontes que a Player ID tem para você!

4 sinais que confirmam problema na fonte do computador

Atualizado em 11 de setembro de 2018.

Como saber quando há um problema na fonte do computador? A frequência dessa dúvida tem justificativa: diferentemente do que ocorre na maioria dos componentes, as falhas envolvendo a fonte são indetectáveis pelo sistema operacional. Isto é, o computador não fornece notificações de erro precisas para nortear o usuário.

Outro agravante é a variedade de causas e sintomas que um problema na fonte implica. Praticamente, tudo que nos leva a suspeitas de danificação na memória RAM, no disco rígido e até mesmo na placa-mãe, pode ter sua raiz na fonte de alimentação. Afinal, ela está em contato com todos os componentes.

Sendo assim, como identificar um problema na fonte? Felizmente, quando isso acontece, a máquina fornece alguns indícios comuns em seu processo de funcionamento. Quer saber quais são eles? Então continue a leitura deste artigo e conheçaquatro sinais que confirmam problemas na fonte de alimentação. Vamos a eles?

1. Sinais evidentes (ruídos, cheiro, fumaça etc.)

Assim como em boa parte dos aparelhos eletrônicos, sinais aparentes, como ruídos, cheiro de queimado, excesso de calor e fumaça, servem de alerta para o usuário identificar problemas na fonte de alimentação.

A manifestação desses sintomas é decorrente da sobrecarga no componente. Isso porque a fonte tem um sistema de ventilação para evacuar o ar quente que, quando atinge o seu limite, faz com que ela se superaqueça. Os ruídos causados pelo ventilador (fan), geralmente, precedem o cheiro de queimado / fumaça.

Diante dessa situação, a única alternativa é substituir a fonte queimada por outra nova. Entretanto, ao adquirir o produto, atente-se à eficiência energética que ele oferece. Dê preferência a fontes com certificação 80 Plus, pois elas garantem alto rendimento (mínimo de 80% da potência total).

2. Problemas com inicialização e reinicialização do sistema

A traumatizante “tela azul” acontece por diversas causas, como falhas na memória RAM, conflitos envolvendo drivers e problemas na fonte de alimentação. Ocorrências de reinicialização repentina ou incapacidade de inicialização do sistema são, também, sintomas de mau funcionamento da fonte.

Por que essas coisas acontecem? O computador é repleto de componentes que requerem bom desempenho energético para que funcionem. Logo, se a fonte apresenta falhas na distribuição de energia, o mesmo passa a acontecer em alguns setores da máquina, deixando o sistema lento e instável.

3. Mau funcionamento de componentes

Quando a fonte está danificada (porém funcionando) nem todos os componentes do computador recebem eletricidade. Sendo a carga insuficiente para sustentá-los, é comum que alguns deles parem de funcionar — principalmente os que requerem mais carga, como o disco rígido (Hard Disc – HD).

Quando isso acontece, o computador não liga em sua totalidade, podendo chegar a iniciar o sistema, mas o uso, cedo ou tarde, será interrompido pela falta de alimentação em peças importantes. Nesse caso, a única solução é substituir a fonte por uma nova — contanto que ela tenha a potência adequada.

4. Problema na fonte do computador portátil

Se o seu notebook está conectado à tomada e a bateria não está recebendo carga,  a fonte de alimentação pode estar com problema de sobrecarga (devido ao excesso de trabalho / tempo de uso) ou o cabo foi danificado — se for esse o caso, basta substituí-lo por outro compatível.

Porém, tratando-se de um problema na fonte em si, significa que ela não está mais transformando a energia de corrente alternada (alternating current – AC), que vem da parede, em corrente contínua (direct current – DC) da qual o computador necessita.

Observação: ao realizar a troca da fonte para notebook, é fundamental adquirir o modelo correspondente ao fabricante da máquina. Supondo que você tenha um Inspiron 1100, da Dell, opte pela fonte específica para o seu computador.

Os sintomas elencados no artigo são bastante comuns e denotam um problema na fonte do computador. A sua máquina está apresentando algum deles? Então é hora de substituir a fonte por uma nova — e de alta qualidade!

Caso tenha ficado com alguma dúvida sobre o funcionamento da fonte ou quaisquer defeitos no computador, deixe o seu comentário!

[uam_ad id=”1164″]

Fonte de alimentação do computador – tudo o que você precisa saber!

O que é fonte de alimentação do PC? A fonte de fonte de alimentação é o hardware que converte a energia fornecida pela tomada em energia utilizável para as várias partes dentro do gabinete do computador.

Saiba alguns detalhes que você deve saber antes de comprar a fonte certa pra você!

Antes de saber o que é fonte de alimentação do PC é bom saber que ela converte a corrente alternada da sua tomada em uma forma contínua de energia chamada corrente contínua necessária para os componentes do computador. Ele também regula o superaquecimento controlando a tensão, que pode mudar automática ou manualmente, dependendo da fonte de alimentação.

A fonte é uma peça crucial porque, sem ela, o restante do hardware interno não pode funcionar. Placas-mãe, gabinetes e fontes de alimentação são fornecidos em tamanhos diferentes chamados fatores de forma. Todos os três devem ser compatíveis para funcionar corretamente juntos.

CoolMaxCORSAIR e Ultra são os fabricantes de fontes mais populares, mas a maioria está incluída na compra de um computador ; portanto, você só negocia fabricantes quando substitui a PSU.

Uma fonte geralmente não pode ser reparada pelo usuário. Para sua segurança, nunca abra uma fonte de alimentação.

O que é fonte de alimentação do PC

A fonte de alimentação é montada logo na parte traseira do gabinete. Se você seguir o cabo de alimentação do computador, verá que ele está conectado à parte traseira da fonte de alimentação. É a parte de trás que geralmente é a única parte da fonte de alimentação que a maioria das pessoas jamais verá.

Há também uma abertura de ventilador na parte traseira da fonte de alimentação que envia ar pela parte traseira da caixa do computador.

O lado do PSU voltado para fora do gabinete possui uma porta macho de três pinos na qual um cabo de energia, conectado a uma fonte de energia, é conectado. Também costuma haver um interruptor de energia e um interruptor de voltagem da fonte de alimentação .

Pacotes grandes de fios coloridos se estendem do lado oposto da fonte para o computador. Os conectores nas extremidades opostas dos fios se conectam a vários componentes dentro do computador para fornecer energia a eles.

 Alguns são projetados especificamente para serem conectados à placa-mãe, enquanto outros possuem conectores que se encaixam em ventiladores, unidades de disquete, discos rígidos , unidades ópticas e até algumas placas de vídeo de alta potência .

Leia também:  Como Se Chama O Actor Que Fez O Gladiador?

As unidades de fonte de alimentação são classificadas por potência para mostrar quanta energia elas podem fornecer ao computador.

 Como cada parte do computador requer uma certa quantidade de energia para funcionar corretamente, é importante ter uma fonte de alimentação que possa fornecer a quantidade certa.

 A muito útil ferramenta Calculadora de força da Cooler Master pode ajudá-lo a determinar quanto você precisa.

Padrões de fontes de alimentação

Assim como qualquer tecnologia produzida por mais de um fabricante, as fontes de alimentação devem ser fornecidas dentro de padrões estabelecidos pela indústria de forma a garantir sua compatibilidade com outros dispositivos e o seu funcionamento regular. No caso das fontes, o padrão mais utilizado nos dias de hoje é o ATX (Advanced Tecnology Extendend), que surgiu em meados de 1996 e que também especifica formatos de gabinetes de computadores e de placas-mãe.

Com essa padronização, uma pessoa saberá que, ao montar uma computador, a placa-mãe se encaixará adequadamente no gabinete da máquina, assim como a fonte de alimentação.

Também haverá certeza de provimento de certos recursos, por exemplo: as fontes ATX são capazes de fornecer tensão de 3,3 V, característica que não existia no padrão anterior, o AT (Advanced Tecnology).

O padrão ATX, na verdade, é uma evolução deste último, portanto, adiciona melhorias em pontos deficientes do AT.

Isso fica evidente, por exemplo, no conector de alimentação da placa-mãe: no padrão AT, esse plugue era dividido em dois, podendo facilmente fazer com que o usuário os invertesse e ocasionasse danos. No padrão ATX, esse conector é uma peça única e só possível de ser encaixada de uma forma, evitando problemas por conexão incorreta. Bom saber estes detalhes caso você precise testar a sua fonte.

O que é a fonte de alimentação PC que você precisa ter

As fontes ATX também trouxeram um recurso que permite o desligamento do computador por software. Para isso, as fontes desse tipo contam com um sinal TTL (Transistor-Transistor Logic) chamado PS_ON (Power Supply On).

Quando está ligada e em uso, a placa-mãe mantém o PS_ON em nível baixo, como se o estive deixando em um estado considerado “desligado”. Se a placa-mãe estiver em desuso, ou seja, não estiver recebendo as tensões, deixa de gerar o nível baixo e o PS_ON fica em nível alto.

Esse sinal pode mudar seu nível quando receber ordens de ativação ou desativação de determinados recursos, por exemplo:

  1. Soft Power Control: usado para ligar ou desligar a fonte por software. É graças a esse recurso que o sistema operacional consegue desligar o computador sem que o usuário tenha que apertar um botão para isso.
  2. Wake-on-LAN: permite ligar ou desligar a fonte por placa de rede. O sinal PS_ON depende da existência de outro: o sinal +5 VSB ou Standby. Como o nome indica, esse sinal permite que determinados circuitos sejam alimentados quando as tensões em corrente contínua estão suspensas, mantendo ativa apenas a tensão de 5 V. Em outras palavras, esse recurso é o que permite ao computador entrar em “modo de descanso”. É por isso que a placa de vídeo ou o HD, por exemplo, pode ser desativado e o computador permanecer ligado.
  3. Power Good que tem a função de comunicar à máquina que a fonte está apresentando funcionamento correto. Se o sinal Power Good não existir ou for interrompido, geralmente o computador desliga automaticamente. Isso ocorre porque a interrupção do sinal indica que o dispositivo está operando com voltagens alteradas e isso pode danificar permanentemente um componente. O Power Good é capaz de impedir o funcionamento de chips enquanto não houver tensões aceitáveis. Esse sinal, na verdade, existe desde padrão AT. No caso do padrão ATX, sua denominação é PWR_OK (Power Good OK) e sua existência se refere às tensões de +3,3 V e de +5 V.
  4. ATX12V 1.x: essa nova especificação surgiu em meados de 2000 e consiste, basicamente, em um conector adicional de 12 V formado por 4 pinos, e outro, opcional, de 6 pinos e tensão de 3,3 V ou 5 V. Essa versão foi sofrendo pequenas revisões ao longo do tempo. A última, a 1.3, teve como principal novidade a implementação de um conector de energia para dispositivos SATA.
  5. ATX12V 2.x: série de revisões que lançou um conector para a placa-mãe de 24 pinos (até então, o padrão era 20 pinos) e adicionou, na versão 2.2, um plugue para placas de vídeo que usam o slot PCI Express, recurso necessário devido ao alto consumo de energia desses dispositivos. Neste padrão, o conector opcional de 6 pinos foi removido.
  6. EPS12V: especificação muito parecida com a série ATX12V 2.x, definida pela SSI (Server System Infrastructure) inicialmente para ser aplicada em servidores. Seu principal diferencial é a oferta de um conector adicional de 8 pinos (que pode ser uma combinação de dois conectores de 4 pinos) e um opcional de 4. Para atender de forma expressiva o mercado, muitos fabricantes oferecem fontes que são, ao mesmo tempo, ATX12V v2.x e EPS12V.

Vale ressaltar que há ainda vários outros formatos menos comuns para atender determinadas necessidades, como variações do ATX (EATX, microATX, etc), EBX, ITX (e suas versões), entre outros.

Mais detalhes sobre fontes de alimentação ATX vs ATX12V

ATX e ATX12V são especificações de configuração que são importantes para diferenciar ao lidar com fontes de alimentação. Para a maioria das pessoas, as diferenças visíveis são apenas o plugue de conexão física na placa-mãe. A escolha de uma sobre a outra depende do tipo de placa-mãe que está sendo usada. Saiba mais detalhes sobre as diferenças entre ATX e ATX 12v.

O padrão mais novo, o ATX12V v2.4, está em uso desde 2013. As placas-mãe que usam o ATX12V 2.x usam um conector de 24 pinos. As placas-mãe ATX usam um conector de 20 pinos.

Uma situação em que a contagem de pinos entra em ação é ao decidir se uma fonte específica funciona com o seu sistema.

 As fontes de alimentação compatíveis com ATX12V, embora tenham 24 pinos, podem realmente ser usadas em uma placa-mãe ATX com um conector de 20 pinos.

 Os quatro pinos restantes não utilizados ficarão apenas fora do conector. Se o gabinete do seu computador tiver espaço, essa é uma configuração totalmente viável.

No entanto, isso não funciona ao contrário. Se você tiver uma fonte de alimentação ATX que possua um conector de 20 pinos, ela não funcionará com uma placa-mãe mais nova que exija a conexão de todos os 24 pinos.

 Os quatro pinos extras foram adicionados com esta especificação para fornecer energia extra através de trilhos de 12V, portanto, uma fonte de alimentação de 20 pinos não pode fornecer energia suficiente para executar esse tipo de placa-mãe.

ATX também é um termo usado para descrever o tamanho de uma placa-mãe .

Outra coisa que diferencia as fontes de alimentação ATX12V e ATX são os conectores de energia que eles fornecem. O padrão ATX12V (a partir da versão 2.0) requer um conector de alimentação SATA de 15 pinos . Se você precisar usar um dispositivo SATA, mas a PSU não tiver um conector de alimentação SATA, precisará de um adaptador Molex de 4 pinos para SATA de 15 pinos.

Outra diferença entre o ATX e o ATX12V é a classificação de eficiência de energia, que determina quanta energia é extraída da parede em comparação com a saída do computador.

 Algumas PSUs ATX mais antigas têm uma classificação de eficiência abaixo de 70%, enquanto o padrão ATX12V exige uma classificação mínima de 80%.

Como a eficiência da fonte de alimentação do PC pode reduzir os custos de eletricidade 

Conheça a pinagem das fontes de alimentação ATX 12v

Outros tipos de fontes de alimentação de PC

As unidades de fonte descritas acima são as que estão dentro de um computador desktop. O outro tipo é uma fonte de alimentação externa.

Por exemplo, alguns consoles de jogos têm uma fonte de alimentação conectada ao cabo de alimentação que deve ficar entre o console e a parede. Aqui está um exemplo de uma fonte de alimentação Xbox One que tem a mesma função que uma fonte de alimentação de desktop, mas é externa e, portanto, completamente móvel e muito mais fácil de substituir do que uma PSU de mesa:

Outros são semelhantes, como a fonte embutida para alguns discos rígidos externos , que são necessários se o dispositivo não pode extrair energia suficiente a partir do computador através de USB .

Fontes externas são benéficas porque permitem que o dispositivo seja menor e mais atraente. No entanto, alguns desses tipos de unidades de fonte de alimentação estão conectados ao cabo de alimentação e, como geralmente são grandes, às vezes dificultam o posicionamento do dispositivo contra a parede.

Uma fonte de alimentação ininterrupta (UPS) é outro tipo de fonte de alimentação. Eles são como fontes de alimentação de backup que fornecem energia quando o PSU primário é desconectado de sua fonte de energia comum.

 Como as unidades de fonte de alimentação geralmente são vítimas de picos de energia e picos de energia, porque é onde o dispositivo recebe energia elétrica, você pode conectá-lo a um no-break (ou protetor contra surtos).

Quais são as três tensões que geralmente são fornecidas pela fonte de alimentação para vários componentes dentro do computador?

Os dispositivos que compõem um computador requerem níveis diferentes de tensão para o seu funcionamento. Assim as fontes de alimentação fornecem, essencialmente, as seguintes tensões: +3,3 V, +5 V, +12 V, -5 V e -12 V (as antigas fontes AT não oferecem a tensão de +3,3 V).

Não deixe de conhecer as tolerâncias de tensão das fontes de alimentação mais comuns do mercado. Saiba mais sobre o que é fonte de alimentação do PC em nosso setor de dicas especializadas.

O que é fonte de alimentação do PC – Perguntas Frequentes

Preto: 0v (Terra, GND);Laranja: +3,3v;Vermelho: +5v;Amarelo: +12v;Azul: -12v;

Marrom: 0v (não usado);

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*