Como Saber O Que Fazer Da Vida Profissional?

Quando eu crescer, quero ser…”. Desde a infância, somos apresentados à pergunta que objetiva descobrir o que desejamos fazer da vida no futuro. Por anos, essa conversa é uma mera brincadeira ou algo ainda sem grande importância. Mas, e agora, você já sabe qual profissão escolher? 

Ter dúvidas quanto ao futuro profissional é natural. No decorrer da vida escolar, os estudantes nem sempre têm a oportunidade de conhecer as opções que o mercado oferece e descobrir com qual se identificam. Uma forma de solucionar essa questão é fazendo um teste de aptidão profissional.

Quer saber mais sobre o assunto? Continue a leitura! 

Como Saber O Que Fazer Da Vida Profissional?

O que é um teste de aptidão profissional, afinal?

Existe uma expressão popular que diz que quem sabe pra onde quer ir já tem metade do caminho feito. Vale a mesma lógica para sua escolha de curso universitário. E, vamos falar a verdade, há tantas opções de cursos superiores que, às vezes, fica até difícil decidir qual é o mais indicado para você.

Por isso, é importante entrar no mundo do teste vocacional e ter informações sobre essa ferramenta que pode ser muito útil para você saber, definitivamente, qual profissão escolher. Vamos lá?

O teste de aptidão profissional é também conhecido como teste vocacional. Essa aptidão é a “habilidade específica de cada indivíduo que vai determinar a escolha de sua futura profissão“. Indica, ainda, os “interesses, os valores e o talento” que apontam o futuro profissional de cada um.

Assim sendo, um teste para saber qual profissão seguir é um mecanismo que pode ajudar você a identificar quais são as suas principais habilidades e interesses, além de mostrar com quais atuações profissionais essas suas características se relacionam. 

Como funciona o teste de aptidão

Avalie sua vida profissional: 8 pontos para estar no caminho certo

Quem deseja obter sucesso na carreira e crescer com frequência precisa estar atento a alguns aspectos da vida profissional. Afinal, os bons resultados não aparecem naturalmente. Eles são gerados a partir de esforço e organização.

É essencial autoavaliar-se periodicamente, identificando suas vitórias e os próximos passos. Assim, o planejamento é uma grande ferramenta para sua vida pessoal e profissional. Ele ajuda a saber aonde você quer chegar e o que precisa ser feito para alcançar seus objetivos.

Então, que tal conferir algumas dicas profissionais para saber como avaliar se está no caminho certo? Mas antes de darmos essas sugestões, vale a pena se inspirar em uma história incrível como a do Jonathan, que mostra que a vida profissional pode te surpreender de várias formas! Ele aproveitou nossa plataforma do Canal Conecta.

Bacana, não?

Para ter uma história de sucesso como a dele, reunimos 8 aspectos que devem ser considerados.

1. Suas últimas conquistas

Muitas pessoas costumam avaliar sua vida profissional apenas pelo que não foi conquistado ainda. Esse é um passo necessário, afinal, olhar para o que nos falta permite realizar as estratégias necessárias para alcançar nossas metas. Entretanto, queremos começar este post no sentido oposto.

Você tem pensado nas coisas que já conquistou? Saiba que esse exercício também é fundamental para avaliar o sucesso na carreira. Ficar sempre de olho nos próximos passos, sem olhar para trás, pode atrapalhar a comemoração de conquistas importantes. Então, crie o hábito de avaliar suas últimas conquistas para saber se está no caminho certo.

Por exemplo, muitos estudantes aqui da Unopar não veem a hora de concluir o curso e começar a trabalhar. Com isso, podem ficar ansiosos pelo início da vida profissional e deixar de conferir as últimas conquistas, como a formatura. A importância da faculdade no seu crescimento é fundamental.

2. Sonhos que foram deixados de lado

Depois de analisar o que já conquistou, vale a pena sim olhar para o que ficou pelo caminho. Talvez, você tivesse sonhos relevantes que acabaram sendo deixados de lado por conta de outras demandas ou mesmo de dificuldades. Mas isso não significa que é preciso desistir.

Muitas vezes, depois de avançar mais um pouco na vida profissional, torna-se viável retomar sonhos antigos e realizá-los. É o caso de pessoas que sempre quiseram empreender e que não conseguiram fazer isso ainda. Ao avaliar-se, elas podem perceber que agora têm melhores condições para dar seguimento ao plano.

Semelhante ao exemplo, vale a pena separar um tempo para refletir sobre objetivos que você tinha antes. Veja se eles continuam fazendo sentido na sua vida hoje ou se outras metas parecem mais adequadas. Depois disso, pense sobre como torná-las realidade.

3. Evolução no seu dia a dia

O sucesso na vida profissional não acontece de um dia para o outro. Ninguém pula da primeira aula na faculdade direto para um ótimo emprego em um cargo de liderança. Na verdade, a evolução constrói-se diariamente. Por isso, também é preciso avaliá-la.

Tente elencar algumas dificuldades que você tinha antes e que atualmente parecem mais fáceis. Talvez, fosse difícil falar em público durante as suas primeiras experiências em seminários na faculdade, mas, com o tempo, os desafios foram superados. Outro exemplo comum é evoluir na forma como se relaciona com colegas de trabalho.

Diversos avanços acontecem no seu dia a dia — várias vezes, sem que você se dê conta. Logo, nada melhor do que ponderar esse aspecto ao pensar se está indo no caminho certo. Aproveite as pequenas e as grandes oportunidades de melhorar e ter um currículo diferenciado.

4. Seus pontos fortes

A análise dos pontos fortes não pode faltar entre as dicas para a vida profissional. Infelizmente, é comum que os pontos negativos ou os aspectos a melhorar ganhem mais atenção no mercado de trabalho. Muitos feedbacks, por exemplo, focam apenas o que precisa ser mudado.

Entretanto, uma ótima estratégia para sucesso na carreira é focar a identificação e o fortalecimento cada vez maior dos seus pontos fortes. Se isso for feito, pode até mesmo ajudar a diminuir os efeitos dos seus pontos negativos. Então, procure conhecer profundamente suas qualidades e ficar ainda melhor nelas.

Dê atenção especial às habilidades que são tendências no mercado de trabalho. Entre elas, podemos citar: inteligência emocional, criatividade, versatilidade, pensamento crítico, comunicação e capacidade de fazer bons relacionamentos interpessoais.

5. Necessidades de melhoria

Agora sim, se você pretende ter sucesso na vida profissional, é fundamental assumir que sempre existem possibilidades de melhorias. Isso vale tanto para aquelas áreas em que já somos competentes quanto para os elementos com os quais temos dificuldades.

Para ter certeza de que está no caminho certo na sua vida profissional, avalie constantemente os pontos que podem ser melhorados. Uma boa dica para essa tarefa é valorizar os feedbacks que recebe. Seus colegas de faculdade e de trabalho podem ajudar muito na sua evolução.

Desenvolva também um senso de autocrítica. Saiba reconhecer quando fez um trabalho que poderia ter ficado melhor. Não é interessante depender apenas do olhar de outras pessoas para perceber seus pontos fracos.

6. Características da área de atuação

Lembre-se de que nem tudo na sua vida profissional depende apenas de si mesmo. Vários aspectos estão relacionados às características da área de atuação. Então, vale a pena avaliar isso com cuidado quando for pensar nas suas metas atuais e futuras.

Imagine um profissional autônomo que percebe que mudar de cidade traria mais oportunidades no mercado de trabalho. Essa análise da realidade pode prevenir dificuldades como o desemprego, além de trazer mais sucesso para sua vida pessoal e profissional, não é mesmo?

7. Aprendizagens necessárias para evoluir

Mais um exemplo de característica da área de atuação que pesa nas suas decisões profissionais é o avanço da tecnologia. Muitas profissões estão sendo modificadas pelo desenvolvimento de novas soluções tecnológicas — o que gera a necessidade de que as pessoas adquiram novos conhecimentos.

As aprendizagens são essenciais para evolução na carreira. Não deixe de incluir na sua autoavaliação as questões relacionadas a esse ponto. Analise as tendências do mercado na sua área e elenque quais habilidades precisam ser desenvolvidas na sua vida para continuar crescendo.

Nossa oitava dica é esta: o planejamento de carreira não tem fim. Ele não acaba com a conclusão da faculdade ou mesmo com a conquista do seu emprego dos sonhos. Durante toda a sua vida profissional será preciso reavaliar e planejar novas metas.

Afinal, você muda — e o mercado de trabalho também. Não passe muito tempo na zona de conforto. Continue analisando-se e adaptando seus passos para estar no caminho certo. Tenha novos objetivos, faça cursos, conheça histórias de sucesso e continue crescendo.

Temos certeza de que essas dicas vão ajudar a avaliar e a planejar sua vida profissional com mais eficiência. Esse é o caminho para o sucesso. Lembre-se de alinhar suas expectativas com as exigências do mundo do trabalho a fim de encontrar mais chances de reconhecimento!

E então, este post foi útil? Aproveite para compartilhar o texto nas suas redes sociais e discutir o tema com amigos!

9 passos para começar a vida profissional | VAGAS Profissões

Veja como mostrar que você tem habilidade e potencial para entrar no mercado de trabalho

Oferecimento: IBMEC

Começar a vida profissional é uma corrida contra o tempo, com vários obstáculos pelo caminho. É preciso tomar muitas decisões, encontrar oportunidades que tenham a ver com o que você está buscando e, claro, demonstrar que você tem habilidade e potencial para realizar o trabalho em questão.

Leia também:  Como Saber Quem Visitou Meu Instagram Android?

Para ajudar nesse momento desafiador, Kenneth Nunes, diretor geral do Ibmec São Paulo, indica quais são os passos essenciais para entrar no mercado de trabalho da melhor forma. Confira!

Atitudes essenciais para começar a vida profissional

1 – Comece olhando para você mesmo

O que mexe com você? Qual é o seu propósito? Segundo Kenneth, quem não encontra algo que possa fazer com prazer, possivelmente, terá uma dificuldade maior para evoluir e conquistar cargos mais altos. “Autoconhecimento é o fator central para iniciar essa jornada profissional ”, afirma.

2 – Invista em uma boa formação

Procurar uma boa formação e se atualizar, o tempo todo, também são atitudes fundamentais. Investir em idiomas é indispensável. Inglês já é obrigatório, ninguém tem como fugir disso. “Parece brincadeira, mas durante toda a vida eu vi profissionais perderem oportunidades por não insistirem em uma formação mais sólida”, diz Kenneth.

O diretor geral alerta: ter uma boa educação não é privilégio de quem fez uma boa escola até o Ensino Médio.

“Eu mesmo fiz o Ensino Médio em escola pública e continuei buscando uma boa formação, porque entendi a importância que teria em minha carreira”, afirma.

Para ele, cada ano investido em educação significa quase um salário mínimo a mais na remuneração de um profissional. “São dados informais que aparecem de forma evidente nas pesquisas que temos feito no mercado de trabalho”, conta.  

3 – Tenha resiliência

Ter resiliência é não se incomodar tanto com os problemas que aparecerão em sua vida. Quem deseja ser um executivo de sucesso precisa entendê-los como etapas para a evolução profissional. “Por vezes, o resultado não é tão rápido quanto o esperado e a pessoa acaba deixando uma proposta de trabalho passar, prejudicando a evolução profissional”, afirma.

4 – Mostre que você tem capacidade de fazer acontecer

Em entrevistas de seleção e dinâmicas de grupo, as empresas buscam pessoas que tenham capacidade de lidar com situações problemáticas e oferecer alternativas. “Queremos profissionais que se mostrem disponíveis para o trabalho e aprendizagem”, afirma.

Kenneth ainda acrescenta que, normalmente, o profissional que cresce não é aquele que tem competência mais técnica, mas aquele que é “rainmaker”, ou seja, a pessoa que faz chover.

“É quem tem atitude, quem observa os colegas e consegue mudar o contexto”, explica.

5 – Seja empático no ambiente de trabalho

Ter empatia no trabalho significa respeitar o seu colega. O Ibmec integrou a “empatia” em seu Processo de Seleção de Novos Talentos, que substituiu o vestibular tradicional deste semestre, como um dos fatores centrais.

“É importante, desde o início, saber se colocar no lugar do outro e identificar suas necessidades, esse é um jogo de ganha-ganha”, afirma o diretor.

Ele explica que quem compreende as necessidades do colega tem mais chances de também ter suas necessidades compreendidas.

6 – Tenha uma visão global

O diretor também ressalta que as empresas buscam profissionais que façam mais do que resolver problemas em suas áreas.

“Elas querem pessoas com visão global, mas isso não impede que você se torne especialista em uma área”, afirma.

O importante é entender como as áreas se conectam e contribuir com os objetivos da instituição. “Ou você pode se tornar um profissional isolado dentro da empresa, complementa.”

7 – Pense no motivo do problema ter aparecido

De acordo com Kenneth, bons profissionais conseguem resolver problemas, mas excelentes profissionais identificam o motivo da ocorrência destes problemas. “São esses profissionais que as empresas procuram”, afirma. “Eles têm uma capacidade mais ampla de compreender o contexto, identificar o problema e promover soluções”, diz.

8 – Invista em networking da forma certa

Networking é um ponto crítico, desde o início da carreira. É preciso circular, conhecer pessoas de várias organizações e aprender com elas. “É exatamente dessa forma que o networking deve entrar na sua agenda, com perspectiva de aprendizado”, afirma Kenneth.

9 – Aceite desafios

Aceitar desafios pode ser uma maneira de dar um upgrade em sua carreira. O que você acha de passar dois anos na África? Muita gente escolhe o caminho mais óbvio e desvia de oportunidades que representam grandes riscos. “Essas oportunidades, que hoje parecem arriscadas, podem se tornar o grande diferencial de sua carreira”, conclui o diretor.

Clique Interessado Graduação Ibmec

null

aqui para saber mais sobre o Ibmec São Paulo.

Este é um conteúdo publieditorial apresentado por Ibmec São Paulo.

10 passos simples para descobrir sua vocação profissional – Blog daFaculdade FARO

Quem nunca ouviu aquela famosa pergunta: “o que você quer ser quando crescer?”? Encontrar a melhor resposta não é uma tarefa fácil, porque é necessário muito estudo e dedicação para identificar a vocação profissional.

Nem sempre um estudante está preparado emocionalmente para escolher a carreira. A falta de experiência e orientação, além da pressão para tomar uma decisão, aumentam as chances de ele optar por uma profissão com a qual não tem afinidade.

Para ajudá-lo a enfrentar essa situação da melhor forma, separamos 10 passos simples para descobrir a sua vocação profissional e ajudar na definição dos melhores rumos para a sua carreira. Continue a leitura e saiba quais são!

1. Busque o autoconhecimento

O autoconhecimento é o ponto de partida para descobrir a vocação profissional, mas não é simples alcançá-lo de maneira plena: esse é um processo constante na nossa vida. Mesmo assim, você pode analisar as suas características pessoais para visualizar a profissão que pretende exercer no futuro.

Por exemplo, uma pessoa extrovertida e com facilidade de comunicação pode avaliar a possibilidade de trabalhar com relações públicas ou jornalismo, que exigem essa desenvoltura.

No caso dos mais compenetrados e que gostam de fazer cálculos, os diversos segmentos da engenharia e outras profissões no ramo de tecnologia da informação podem ser alternativas interessantes.

Mas essa não é uma regra definitiva: o recomendado é unir as características mais presentes no seu comportamento com os aspectos essenciais para um bom desempenho na profissão. Seguindo essa dica, aumentam suas chances de acertar na escolha.

2. Mantenha-se bem informado sobre as carreiras

Se você gosta de animais, provavelmente já lhe disseram que poderia ser veterinário. Sem dúvida, esse é um fator que pode ser considerado ao optar por essa carreira, mas não é suficiente para definir o seu futuro profissional.

Antes de decidir, avalie os conhecimentos necessários para exercer uma profissão e veja as oportunidades disponíveis no mercado de trabalho. Quanto mais estiver informado sobre as atividades envolvidas na carreira, mais fácil será tomar uma decisão consciente, evitando falsas expectativas.

Você pode (e deve!) ouvir a opinião de familiares e amigos sobre qual carreira pretende seguir. Porém, a sua decisão deve ser feita avaliando os aspectos positivos e os negativos de seguir uma determinada profissão, de acordo com os seus desejos.

3. Converse com profissionais mais experientes

Imagine-se bastante empolgado em ser professor de inglês. Um dos motivos é que tem uma grande fluência nesse idioma, que é um ponto favorável para seguir essa carreira. Mas você já sabe como é o dia a dia da profissão? A rotina de preparar aulas, provas, fazer correções e lidar com alunos pode não ser adequada ao seu perfil.

Por isso, é interessante verificar como é a rotina dos profissionais da área, as condições de trabalho e a remuneração. Para não ter uma decepção, o indicado é conversar com pessoas que já estão no mercado de trabalho e esclarecer todas as suas dúvidas.

Elas vão ajudá-lo a mostrar como é a realidade da carreira, para que você identifique se essa é realmente a sua vocação profissional. Infelizmente, o fato de apresentar uma habilidade para exercer um cargo não é sinônimo de sucesso profissional, nem de realização pessoal.

4. Tenha calma para descobrir a vocação profissional

Como diz o ditado popular: a pressa é inimiga da perfeição. Ficar muito ansioso para definir a carreira não é o melhor caminho para resolver essa situação. Por isso, procure ler, com muito cuidado, os guias que falam sobre as características das profissões, como:

  • áreas do conhecimento mais cobradas durante a faculdade;
  • oportunidades de trabalho na área;
  • requisitos necessários para ser um profissional acima da média;
  • melhores instituições de ensino superior para fazer um bom curso e estar mais bem preparado para o mercado de trabalho.

Se você chegou ao ensino médio e não tem uma visão clara da profissão que deseja seguir, a dica é buscar informações em blogs, como o da Faculdade de Rondônia (FARO), e em sites especializados no auxílio a estudantes que querem descobrir a sua vocação profissional.

Essa é uma decisão que deve ser feita com calma, com base em várias informações e de forma consciente. Portanto, também não deixe para decidir somente no momento de se inscrever para o vestibular.

5. Saiba unir os interesses pessoais com os profissionais

Conhecer a vocação profissional é o primeiro passo para o sucesso. Portanto, escolher uma carreira que o deixe feliz consigo mesmo, inegavelmente, é uma grande vantagem. Apesar disso, você não pode ignorar algo importante para uma boa qualidade de vida: a remuneração.

Imagine que você deseje se casar e ter dois filhos. Porém, a carreira que escolheu não oferece uma renda familiar que garanta o padrão de vida que espera. Nesse caso, existem duas opções: buscar complementar a renda com outras atividades ou procurar outra profissão que lhe permita dar melhores condições para os seus familiares.

Leia também:  Como Saber Que A Pessoa Tem Olhado?

É fundamental conciliar os interesses profissionais com os anseios da vida pessoal e o padrão de vida desejado. Assim, você conseguirá ter um desempenho melhor na carreira e poderá construir bons relacionamentos com amigos e familiares.

6. Busque ajuda para escolher uma profissão

Conversar com profissionais renomados, dialogar com parentes e estudar bastante o mercado de trabalho são iniciativas que ajudam a definir a melhor opção.

Se isso não for o suficiente para facilitar a escolha, você também pode fazer uma orientação de carreirapara encontrar as mais adequadas para o seu perfil.

A internet oferece diversas opções de testes, com perguntas simples que podem dar uma boa noção sobre a sua vocação.

Outra opção interessante é o apoio profissional de psicólogos, pedagogos ou coaches. Eles auxiliam na busca pelo autoconhecimento e na identificação de afinidades. Além disso, aplicam testes mais complexos e profundos, analisando as suas características e habilidades para encontrar as opções mais adequadas para o seu perfil.

Com base nessas informações, você consegue limitar as alternativas e pesquisar mais profundamente cada profissão. Assim, também fica sabendo as áreas de atuação e habilidades necessárias em cada uma, facilitando a sua escolha.

7. Considere a possibilidade de tornar o hobby uma profissão

Você tem algum hobby? Muitas vezes, eles podem se tornar uma profissão ou, ao menos, ajudar a encontrar uma boa carreira. Por exemplo, se você gosta de leitura, escrita e interpretação, o curso de Direito oferece diversas áreas de atuação. Por outro lado, se você gosta de cálculos ou de desenvolver projetos e desenhos, a engenharia pode ser uma boa alternativa.

Porém, se seus hobbies são mais específicos, como pintar, fazer artesanato ou cozinhar, também vale a pena investir.

Você pode começar a fazer itens para vender e escolher um curso que ajude na profissionalização do seu negócio.

O curso de administração, por exemplo, pode ajudar a montar uma empresa de sucesso e monetizar o seu hobby, para que tenha ótimos rendimentos e inicie uma carreira de sucesso.

8. Tenha atitude para mudar de ideia

Pense que seus pais sejam médicos exemplares no segmento em que atuam. Por isso, você optou, inicialmente, por seguir a trajetória deles no âmbito profissional, mas, com os anos de estudo no colégio, percebeu que tinha mais afinidade com carreiras da área de ciências humanas (advocacia, publicidade, jornalismo etc.).

Isso é muito comum, mas algumas pessoas ficam com medo ou vergonha de mudar de ideia e reavaliar a sua vocação profissional. Com certeza, é necessário coragem para isso, principalmente porque alguns familiares e as pessoas mais próximas podem não compreender essa mudança.

Por isso, se você quer encontrar sua verdadeira vocação, é fundamental que analise o que realmente quer, e, se mudar de ideia, mostre as razões que influenciaram a sua decisão. Explique-as com calma e clareza para transmitir confiança e provar que está no rumo certo.

9. Esteja sempre estudando

O mercado de trabalho passa por constantes transformações, principalmente nos últimos anos, por causa do avanço tecnológico e da nova mentalidade das empresas, que agora priorizam a inovação e o consumo consciente, reduzindo despesas desnecessárias.

Entender a dinâmica das profissões e definir a ideal para você exige bastante estudo. A construção da carreira é um processo constante, por isso, a vocação profissional é tão importante. Afinal, escolher uma profissão da qual realmente goste facilita esse processo de buscar sempre novos conhecimentos e acompanhar a evolução do mercado.

Isso é importante para planejar a sua trajetória no mercado de trabalho da melhor maneira possível e manter expectativas alinhadas às possibilidades reais da sua carreira.

10. Permita-se mudar

Um erro muito comum ao escolher uma carreira é acreditar que essa deve ser uma decisão para a vida toda. É certo que várias pessoas conseguem escolher uma profissão ao sair do ensino médio e trabalham felizes com essa decisão até a aposentadoria.

Porém, tenha em mente que é possível mudar de ideia e descobrir outra vocação profissional no futuro. Isso é normal e não significa que você errou na primeira decisão: muitas vezes, a sua própria evolução na carreira indica novos caminhos para seguir.

O importante é estar pronto para traçar novas metas e buscar as qualificações necessárias para ingressar na nova profissão. Uma segunda graduação ou uma especialização podem ajudar a atingir esses objetivos.

Como vimos, escolher uma profissão não é uma tarefa fácil, mas existem diversas formas de tornar essa missão bem mais simples, como seguir essas dicas sobre como descobrir a sua vocação profissional. Basta ter foco, dedicação, planejamento e vontade de aprender para colocar todas em prática.

Se você gostou deste texto e deseja acompanhar outros conteúdos sobre o assunto, assine agora mesmo a nossa newsletter. Você vai receber nossas atualizações por e-mail e, com certeza, encontrará textos incríveis que vão ajudá-lo a escolher a carreira perfeita para concretizar os seus sonhos!

Você sabe o que quer para a sua vida profissional?

Para quem está entrando no mercado de trabalho ou para quem já está inserido, ter em mente os objetivos da vida profissional é bastante importante. Algumas vezes surge aquela dúvida “estou fazendo o que realmente gosto?” ou “tenho qualidade profissional para seguir essa carreira?”.

É normal ter esses questionamentos em relação à vida profissional. Um coaching de carreira pode ajudar a encontrar as respostas desejadas e esclarecer essas dúvidas. Alguns exercícios podem ser feitos por você mesmo antes de procurar a orientação de um especialista.

VOCÊ SE CONHECE BEM?

Por mais que tenhamos consciência de quem somos, é importante conhecer-se muito bem antes de fazer uma decisão de carreira.

Por exemplo: Você sabe quais são os seus pontos fracos e fortes? O que você precisa melhorar em relação a eles? Quais são as suas qualidades profissionais? Quais são os seus planos e o que os impedem de ser realizados? O que te dá medo? O que te motiva?

São inúmeras reflexões que precisam ser feitas. É necessário fazer uma análise pessoal bastante profunda para determinar a sua “missão”. Pois não faz sentido você desejar ser piloto de avião e ter pavor de altura.

O coaching de carreira recomenda colocar tudo isso no papel. Escreva suas competências, fraquezas, expectativas, metas e objetivos. Enfim, anote tudo que deseja ser a partir deste momento.

Esse é um passo importante para determinar o que você quer para a sua vida. E também vai indicar o que te motiva, e, principalmente, quais qualidades profissionais você tem a explorar. Você está planejando tudo que deseja fazer nos próximos anos ou para o resto da sua vida?

PERCORRA O CAMINHO ATÉ CHEGAR AO OBJETIVO

Partindo da reflexão pessoal feita anteriormente, em que foram definidas as suas metas e o objetivo final, é hora de trabalhar em cima desse propósito. Por exemplo, você deseja deixar de ser assistente de comércio exterior e assumir o cargo de analista de comércio exterior, mas não ser fluente em inglês te impede de ser promovido. Então, estude e domine essa língua.

O conselho dado pelos coachees de carreira é enxergar os obstáculos que estão no meio da jornada e eliminá-los. Portanto, é necessário trabalhar suas qualidades profissionais com a intenção de alcançar seu objetivo.

Mantenha-se sempre firme no seu foco, qualifique-se para obter melhores resultados, desenvolva as competências e lute pelo o que almeja. Mas seja ético e profissional, não prejudique ninguém para obter o que deseja.

TENHA FOCO E CONTROLE SOBRE A SITUAÇÃO

Muitos coachees de carreira dizem que saber gerenciar o tempo é fundamental. O planejamento já foi desenvolvido por você, ou com a ajuda de um especialista, então é fundamental seguir o caminho sem cair em tentações.

Por mais que a ânsia de atingir as metas seja grande, é necessário ter calma e cumprir cada etapa que foi criada. Mesmo que surjam situações adversas, nunca desvie do seu objetivo final.

Nessas horas, ter uma boa rede de networking poderá ajudar a contornar os problemas, sem precisar desistir. E claro, a coragem para superar todos os desafios se faz mais do que necessária.

Você pode percorrer boa parte desse percurso sozinho, mas em certas ocasiões, apenas a ajuda de um profissional de coaching vai poder contribuir para o seu desenvolvimento. Um especialista vai poder dizer quais qualidades profissionais você precisa aprimorar, quais os melhores caminhos a seguir e com certeza, mostrar as soluções mais eficazes para o seu plano.

Pronto! Agora que você está dominando o assunto, nós vamos disponibilizar para você 15 dias grátis de Backup na nuvem.

Aproveite!

http://materiais.allanisnetworks.com/allanis-backup

Não gosto de nada, nenhuma carreira. Não sei o que fazer!

Estou passando por uma série de problemas com relação à escolha da profissão. Terminei o segundo grau com 18 anos e fiquei o ano seguinte apenas trabalhando, porque precisava de emprego.

No ano seguinte iniciei Sistemas da Informação e depois do primeiro período eu tranquei e fiquei 6 meses parado. Voltei em outro curso de Design Gráfico, no qual fiz 1 semestre e troquei novamente para Ciências Contábeis.

Hoje estou no segundo semestre de Contábeis, porém não sei se é isso que quero para mim. Já pensei em trocar novamente para Economia, porém não tenho certeza se eu me identificaria com o curso.

Nesse troca-troca já perdi muito tempo! E não tenho certeza de nada do que gosto. Já procurei psicólogos e saber sobre profissões. Não sei mais o que fazer da vida! O que faço neste caso?!
Enviado por Igor

Comece identificando a forma pela qual você realizou suas últimas escolhas.

Leia também:  Como Saber Quando Um Homem Te Deseja?

Você tem “arriscado” para ver se dá certo ou, em outras palavras, tem utilizado o método de tentativa e erro? Suas escolhas ocorreram por forte identificação com as áreas de conhecimento e com as atividades profissionais que cada carreira permitiria? Em que medida a maior ou menor concorrência no vestibular foi determinante em suas escolhas? As carreiras foram escolhidas por, de alguma forma, darem continuidade às suas atividades profissionais atuais?

Reflita e responda estas questões. É possível que você encontre parte das razões que o levarem a escolhas equivocadas.

A seguir, comece o processo passo a passo: autoconhecimento, conhecimento das profissões e análise da dinâmica do trabalho na sociedade são os três pilares para uma escolha consciente.
Faça como se estivesse escolhendo pela primeira vez.

Observe todo o universo das profissões. Comece por pesquisar a descrição de cada uma delas – você pode contar com a ajuda da publicação e do site do Guia do Estudante para isso.

Descarte aquelas que estão bem longe de seus interesses, considerando as experiências já vivenciadas nos cursos iniciados.

Avance e busque avaliar sua história pessoal no sentido de que valores vocês traz consigo, que experiências foram positivas ou trouxeram desafios que você deseja superar, que contatos com profissões você já teve e como você os avalia.

Busque então se informar sobre a dinâmica do trabalho em nossa sociedade: as variações determinadas pela economia, os projetos políticos em jogo, o desenvolvimento de novas tecnologias, as formas de vínculo trabalhista que existem. Imagine os ambientes de trabalho, as rotinas, o tipo de relações com outras pessoas que as profissões estabelecem, a que objetivos sociais elas se destinam.

Toda escolha envolve sempre algum grau de risco. Para diminuí-lo é necessário refletir sobre o maior número de elementos que estão envolvidos e assumir corajosamente uma decisão. Se isto ocorrer, a chance de você persistir na escolha realizada será grande.

Leia mais:
– Confira dicas para escolher o futuro profissional
– Universitários felizes com seus cursos dão dicas de como escolher a profissão certa

Continua após a publicidade

Insatisfação profissional: cheguei aos 30 e não sei o que fazer

A insatisfação profissional pode ter efeitos negativos em várias áreas da nossa vida, por isso, não podemos nos conformar com esse tipo de situação. Como passamos boa parte do nosso tempo trabalhando, não tem jeito: é muito difícil estarmos bem quando não estamos felizes com os rumos da nossa carreira.

É claro que nem tudo dá certo o tempo todo. Ainda assim, precisamos garantir que, como regra, nossas atividades profissionais sejam vistas como um aspecto positivo do nosso dia a dia. Então, se você não tem tido ânimo para trabalhar e sente-se cada vez mais desmotivado, é hora de mudar!

O post de hoje foi preparado justamente para ajudar quem anda insatisfeito com o trabalho e está consciente de que precisa dar uma guinada na sua carreira. E aí, vamos ver o que fazer para aumentar a sua satisfação profissional? Continue lendo e confira!

Entenda as razões da sua insatisfação profissional

É impossível, claro, ter alegrias o tempo inteiro no trabalho. São tantos os desafios que enfrentamos diariamente que é normal termos períodos de altos e baixos. Porém, se os seus períodos de insatisfação profissional estão se prolongando cada vez mais, é sinal de que algo anda errado.

Ser bem-sucedido profissionalmente depende muito do autoconhecimento. Quanto mais condições você tem para analisar a sua situação, melhores são os resultados. Dito isso, sua primeira atitude deve ser identificar se a sua insatisfação tem sido gerada pela empresa ou pela profissão escolhida.

Uma dica importante: se os problemas têm sido recorrentes e já aconteceram em diferentes estruturas, é sinal de que a recolocação profissional não vai resolver o seu dilema. Você deve avaliar a opção de mudar de área ou, no mínimo, fazer um upgrade na sua carreira!

Qualquer que seja a sua decisão, lembre-se de que saber valorizar os seus propósitos é um dos requisitos para ter um bom emprego. As empresas mais bem colocadas no mercado geralmente incluem a análise dessa questão em seus processos de seleção.

Avalie as condições atuais do seu trabalho

Se você gosta do que faz no dia a dia, mas não consegue se manter motivado, é importante analisar os fatores que têm lhe desagradado. Questione-se:

  • O salário atual é condizente com suas competências profissionais?
  • Você sente que a empresa reconhece o seu valor?
  • Você entende e concorda com a cultura empresarial da operação?
  • Seus horários de trabalho são adequados para suas condições atuais de vida?
  • Você sente que está usando todo o seu potencial na empresa?
  • Entende que poderia render mais se o seu chefe agisse de forma diferente?
  • Você tem prazer no desenvolvimento das atividades diárias?

Fique atento: no dia a dia, se o profissional não consegue analisar de maneira honesta as suas condições de trabalho, ele tem dificuldades para descobrir o que precisa fazer para alterar a sua trajetória profissional. E a pessoa que não reconhece os seus problemas tende a jogar toda a “culpa” na empresa, o que não faz nada bem para quem almeja uma carreira de sucesso.

Fazer esse tipo de diagnóstico pode ajudar, inclusive, a corrigir eventuais falhas no seu comportamento profissional, aspectos que podem prejudicar o seu desenvolvimento.

Invista no seu aperfeiçoamento profissional

Não importa de onde vem a sua insatisfação profissional — saiba que é preciso agir para mudar a sua situação.

Se resolveu que o mais adequado é permanecer na empresa atual, não há problema. Contudo, é importante avaliar as medidas que podem ser adotadas para melhorar o seu dia a dia.

Nem sempre nos damos conta disso, mas acredite: os líderes gostam quando o profissional tem uma posição mais ativa e propõe mudanças que podem melhorar a sua produtividade.

Inclusive, mesmo se você tentar esse caminho e não for bem-sucedido, ainda vai sair ganhando, porque terá certeza de que precisa investir numa recolocação profissional. Então, vamos ver como fazer isso da forma certa?

Analise as oportunidades no mercado de trabalho

Identificada a necessidade de deixar a empresa, o recomendado é não agir de forma intempestiva. Prepare-se bem para fazer a mudança, porque assim ela terá mais chances de gerar bons resultados.

Parece óbvio dizer isso, mas muitos profissionais reclamam da empresa sem, contudo, se darem ao trabalho de pesquisar se as condições oferecidas por ela estão dentro dos padrões do mercado. E esse é um grande erro, porque é possível que, em pouco tempo, eles enfrentem na nova empresa os mesmos problemas de insatisfação.

Se a pessoa fez uma investigação básica, pode descobrir, por exemplo, que para conquistar posições mais adequadas é preciso investir na própria carreira. Fazer cursos complementares, cursar uma segunda faculdade, ampliar o seu networking profissional — enfim, não faltam opções para quem almeja se desenvolver.

Aliás, não é à toa que muita gente tem recorrido às mentorias. Nem sempre quem está envolvido nos problemas consegue ter uma visão mais clara sobre o que precisa fazer para valorizar as suas competências.

Organize a sua recolocação profissional

Lembre-se de que, por melhor que seja determinada organização, manter-se motivado depende muito dos seus esforços pessoais. Assim, quanto mais conhecimento você tiver, mais condições terá para fazer escolhas profissionais que vão deixá-lo satisfeito.

Em primeiro lugar, você deve se preparar para trabalhar na empresa que considera adequada para as suas pretensões. É isso mesmo: hoje os bons profissionais têm um papel mais ativo na condução de suas carreiras.

Além do aprimoramento técnico, é importante se organizar para cumprir o seu objetivo, entendendo melhor, por exemplo, as competências que são exigidas naquela empresa que você pretende atuar.

Hoje, com as redes sociais, os candidatos têm como se conectar com as operações que despertam o seu interesse e, a partir daí, trabalhar para se aproximar delas. Sem dúvida, iniciativas desse tipo podem favorecer diretamente a sua recolocação.

Bom, ainda há quem acredite que, depois de certo tempo, não há mais jeito; que as pessoas são obrigadas a se manter na mesma atividade profissional. De fato, o networking e a experiência são importantes, mas, com um bom planejamento, qualquer um pode alterar os rumos da sua carreira.

A maior prova disso é que, principalmente nos momentos de crise, vemos muitos profissionais se reinventando e — o que é mais interessante — sentindo-se mais realizados do que na ocupação anterior.

Até porque ser bem-sucedido nem sempre resolve os problemas de insatisfação profissional. Vemos hoje funcionários altamente qualificados, que ganham bem, mas não se veem mais exercendo aquele tipo de atividade.

No final, essa história tem muito mais a ver com os propósitos de cada um. Por isso a importância de delimitá-los! Então, gostou do artigo? Já enfrentou esse tipo de problema na sua carreira? Deixe o seu comentário e compartilhe suas experiências conosco!

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*