Como Saber De Quem E Um Terreno?

Tanto a escritura do imóvel quanto a matrícula, são documentos relativos à compra de um imóvel e que possuem suas particularidades, por isso, é de extrema importância não confundi-los para garantir a ausência de problemas futuros.

Já  falamos sobre o equívoco de reconhecer o contrato ou a escritura como sinônimo de transferência do imóvel. Ambos são importantíssimos, porém não asseguram a propriedade em relação ao bem.

Ainda que você tenha uma imobiliária de respaldo por trás de todo o processo, para assegurar a importância desses documentos e a propriedade do novo dono do imóvel é preciso reconhecer a escritura pública no cartório de registro de imóveis.  Além disso, é importante que os envolvidos também se atentem à conferência desta documentação.

Diferença entre Escritura do Imóvel e Matrícula

Como Saber De Quem E Um Terreno?

Baixe o modelo de Matrícula e Escritura do Imóvel e saiba identifica-los.

Como já dissemos em outro post, a escritura do imóvel é um documento público oficial que valida o acordo entre as partes e é elaborada no cartório de notas.

Já a matrícula, é o documento que individualiza o imóvel, a grosso modo, ela seria a sua certidão de nascimento onde constam informações essenciais para identificação jurídica, como por exemplo, localização, qualificação dos proprietários (se pessoa física ou jurídica), alterações ocorridas, transações de compra e venda (registro), inventários, doações, hipotecas/alienações fiduciárias, desmembramentos, desapropriações, ações judiciais, usufruto, ou seja, a matrícula contém o histórico completo de todas as ocorrências relativas a casa ou apartamento, inclusive o histórico de escrituras que o imóvel já sofreu por mudanças de proprietário.

No processo de transferência do imóvel, os documentos são utilizados na seguinte ordem: elaboração e assinatura do contrato de compra e venda (não obrigatório), escritura pública de compra e venda e, de posse dessa escritura e o registro da mesma na matrícula do imóvel.

E atenção: esse registro da escritura na matrícula é o que transfere efetivamente  a propriedade do bem!

É possível comprar um imóvel sem registro da escritura pública?

A matrícula contendo o registro da escritura é o documento que comprova quem é o proprietário do imóvel, se não há esse registro, quer dizer que o comprador pagou, mas não é realmente dono.

Sendo assim, é possível que a venda aconteça por meio de um compromisso de compra e venda, porém, ela não tem força diante da justiça, se tratando, então, apenas de um acordo entre os envolvidos. O mesmo acontece com a escritura pública quando não registrada na matrícula.

Já até ouvimos no mercado imobiliário um jargão humorado que diz: “Só é pai, perante a lei, aquele que registrou!”.

Este tipo de negociação, sem registro da escritura na matrícula, é comumente conhecido como “contrato de gaveta”. Assim, se outra pessoa fizer o registro do imóvel vendido anteriormente a você, dificilmente será possível provar a sua aquisição.

Não se esqueça! O que vale é o que consta na matrícula que está no Cartório de Registro de Imóveis.

Como Saber De Quem E Um Terreno?

Como comprar um lote com segurança? 5 dicas para não errar – IMG Empreendimentos Imobiliários

Como Saber De Quem E Um Terreno?Saber como comprar um lote com segurança é muito importante para filtrar as boas opções e ter mais eficácia na hora de procurá-las. Esse tipo de cuidado também traz tranquilidade para que você possa investir seu dinheiro em um bom local, que não cause problemas futuros.

Para tanto, é preciso tomar algumas precauções. Muitas delas parecem óbvias, mas quando determinado lote é ofertado a um preço abaixo do praticado pelo mercado, a demanda aumenta, sendo comum fazer a compra “no impulso” para não perder o negócio.

Pensando nisso, mostraremos 5 dicas para comprar um lote com segurança, reduzindo as chances de ocorrer algum problema. Continue a leitura!

1. Verifique as informações e os documentos

A primeira dica sobre como comprar um lote com segurança é analisar todas as informações sobre o empreendimento e os documentos do terreno. Isso é fundamental para saber se está tudo em ordem e não há nenhuma pendência — os conhecidos ônus do imóvel. Você pode exigir:

  • Certidão Negativa de Débitos (CND);
  • documentos pessoais do vendedor, caso seja pessoa física (como CPF, RG, certidão de casamento);
  • Certidão de Propriedade do Imóvel atualizada;
  • histórico do terreno;
  • carnê de IPTU;
  • matrícula no Cartório de Registros de Imóveis.

Tudo isso serve para verificar se o vendedor é realmente proprietário do terreno ou tem uma procuração e se não há nenhuma dívida ou mesmo alguma pendência judicial que tenha sido averbada na matrícula, como uma penhora.

Não esqueça de que você também deve apresentar alguns documentos exigidos para garantir a compra. Portanto, já providencie:

  • cópias autenticadas do RG e CPF;
  • certidão de nascimento atualizada ou, para os casados, certidão de casamento atualizada;
  • comprovante de residência atual (geralmente, recomenda-se dos últimos três meses, pelo menos);
  • comprovante de renda (carteira de trabalho, recibos de pagamento, declaração do Imposto de Renda etc.).

Outros documentos podem ser exigidos por quem está negociando o lote, como comprovante do fiador e do cônjuge. Então, é bom saber dessas questões com antecedência para conseguir providenciar tudo a tempo.

2. Visite o local

Pode parecer óbvio, mas visitar o lote é muito importante para que você feche negócio em segurança. Muitas pessoas costumam confiar somente na publicidade feita sobre o terreno e nas fotos tiradas pelo proprietário.

Mas lembre-se de que o vendedor sempre vai tentar valorizar sua propriedade, por isso as imagens são obtidas do melhor ângulo e podem esconder imperfeições. É claro que empresas confiáveis não omitirão nenhuma informação a respeito do local, mas a visita é fundamental ainda assim.

Tomando essa iniciativa, você vai saber exatamente a localização do terreno e como ele está posicionado em relação aos outros lotes. Além disso, será possível conhecer a região e verificar como é a infraestrutura de ruas, iluminação e segurança, além de observar a demarcação dos lotes.

Não deixe de visitar o local antes de comprar um lote. Alguns detalhes podem fazer com que você mude de ideia tanto para desistir da compra quanto para bater o martelo — e eles geralmente não podem ser vistos em fotos ou na publicidade.

3. Analise o histórico da empresa responsável pelo loteamento

Além de conhecer o lote em si, você deve saber como é o loteamento. Um procedimento essencial para fechar a compra com segurança é analisar o histórico da empresa responsável por ele: veja os outros empreendimentos, se há alguma reclamação dos moradores, como é a infraestrutura e se tudo foi feito dentro do prazo.

Isso é importante para ter ciência de algum problema com projetos anteriores e da maneira como a empresa se portou. Assim, você pode mudar seu planejamento e analisar se o valor pago pelo local realmente compensará o risco.

Companhias com pouca experiência ou má reputação podem não entregar o prometido com o loteamento ou mesmo omitir alguns defeitos da própria estrutura, como falta de ruas de acesso, disposição errônea dos lotes e demarcações equivocadas.

4. Confira o registro do lote

Depois de analisar o histórico da empresa responsável, o próximo passo para comprar um lote com segurança é conferir o registro junto ao Cartório de Registro de Imóveis. Isso também é imprescindível para saber se toda a área está de acordo com a legislação e tem todos os requisitos necessários.

O registro é tão importante que a Lei do Parcelamento do Solo Urbano — Lei n.º 6.766 de 1979 — considera crime contra a Administração Pública a venda de lote em área ou desmembramento que não conste no Registro de Imóveis.

Também é possível verificar a regularidade do loteamento junto aos órgãos ambientais, para saber se as regras dessa área foram cumpridas. Tenha em vista que, quando há alguma irregularidade, pode ocorrer até a desapropriação (como nas construções em Área de Preservação Permanente).

5. Consulte o Creci

Para comprar um lote com segurança, também é essencial consultar o Conselho Regional de Corretores de Imóveis (Creci). Verifique se a empresa que está negociando o terreno tem profissionais cadastrados no órgão.

Esse cuidado garante que quem está participando da negociação tenha a devida experiência e conhecimento sobre a área. Assim, é possível contar com um profissional capaz de conferir documentos, prestar informações e ajudar em todos os procedimentos necessários no momento de comprar um lote.

Infelizmente, é comum que haja alguma burocracia nessa hora. Afinal, são necessários vários registros e papéis para garantir que o lote é regular, tendo a infraestrutura necessária para uma construção e vias de acesso que estejam de acordo com as regras do município etc.

Portanto, contando com profissionais capacitados, todo o procedimento se tornará mais eficaz e seguro. Isso porque eles saberão onde encontrar os registros necessários, além de conseguirem resolver qualquer problema que possa aparecer durante a negociação.

Conhecendo as nossas 5 dicas sobre como comprar um lote com segurança, você poderá procurar por opções de qualidade e saber se realmente está fazendo um bom negócio. Não se esqueça de que é fundamental priorizar empreendimentos de empresas experientes no mercado e com boa reputação, como a IMG.

Leia também:  Como Saber Qual A Minha Memoria Ram?

Depois de ler este conteúdo, você ficou interessado em comprar um lote? Então, entre em contato conosco para conhecer todas as nossas opções!

7 dicas para escolher um bom terreno

Comprar a parte de um loteamento pode ser um excelente negócio, sabia? Isso sem contar que construir um imóvel do jeitinho que você sempre sonhou é bem atrativo! Antes de fechar qualquer negócio, no entanto, você precisa saber como escolher um terreno que esteja de acordo com o que você precisa. Não sabe nem por onde começar? Então chegou ao post certo. Confira agora mesmo as dicas que preparamos!

1. Compare a metragem com seus planos

Comece avaliando a metragem do terreno, pois ele deve ser grande o suficiente para comportar seus sonhos. Você por acaso já viu a planta baixa de um imóvel? Constam ali os cômodos, com suas devidas metragens, bem como a área total da construção. Procure uma que se pareça com sua casa dos sonhos e tente visualizá-la dentro do terreno.

Pense também na área não construída. Você quer colocar uma piscina ou pretende ter uma horta no quintal? Gostaria de um playground ou um deck? Pesquise e veja se cabe tudo! Consulte também as leis municipais sobre o uso e ocupação do solo, que devem especificar o recuo mínimo da construção para as laterais. Leve isso em consideração na avaliação da metragem.

2. Avalie a localização

Além do terreno em si, analise também a área a seu redor. Nesse ponto, é bom ficar de olho em questões como:

  • histórico de segurança das redondezas;
  • acessibilidade para o terreno;
  • proximidade do trabalho e da família;
  • presença de uma boa infraestrutura na vizinhança.

Além disso, projetos de construções maiores na região, como shoppings centers, faculdades e supermercados, podem valorizar seu imóvel no futuro. Alguma dúvida de que isso seria um ótimo negócio?

3. Procure informações sobre a qualidade do solo

Um lote muito acidentado, com declive acentuado, pode exigir mais gastos com terraplanagem — processo para deixar o terreno todo no mesmo nível, pronto para construir. Tudo bem que um bom projeto pode aproveitar melhor esse relevo natural, mas vai exigir gastos mais altos para evitar acúmulo de água e favorecer a drenagem, ficando bem mais caro.

Também é importante contratar um profissional para fazer a sondagem do terreno. Esse especialista pode atestar se há muitas pedras na área, característica que faz com que a fundação precise ser mais profunda e, portanto, mais cara. Se houver rios ou córregos próximos, isso também vai exigir mais gastos para lançar os alicerces.

4. Observe a incidência solar

O lugar onde o sol bate é muito importante na hora de definir como você vai construir sua casa no terreno. O ideal é que a construção fique de frente para o nascente ou precisará de um projeto diferenciado.

5. Analise a posição do terreno no quarteirão

Caso existam outros lotes vagos ao redor, lembre-se: os vizinhos eventualmente também vão construir, podendo fazer sombra na sua casa e modificar a questão da incidência solar. Que tal fazer seus planos lembrando desse detalhe para não ter que lidar com frustrações mais tarde?

6. Cheque suas finanças

Comprar um terreno é ótimo, mas melhor ainda é construir nele! Assim, nada de se comprometer com o pagamento do lote se não tem sequer perspectiva de reunir condições para dar andamento à fase seguinte. Mesmo que não tenha pressa em morar lá, lembre-se: o terreno vazio pode trazer riscos de segurança.

O ideal, assim, é se preparar tanto para a compra como para a construção. E, ao contrário do que muita gente pode pensar, não há nada de impossível nessa missão! O segredo está no planejamento. Então que tal começar agora, livrando-se das dívidas acumuladas?

7. Busque alternativas viáveis de pagamento

Avalie o que é mais vantajoso na hora de escolher a forma de pagamento do seu terreno e já se programe para iniciar o planejamento da construção. Você pode optar por financiamentos bancários e empréstimos pessoais ou pela contratação de um consórcio. Pesquise, faça simulações, confira as exigências de cada opção e compare, escolhendo a que tiver melhor custo-benefício para seu bolso!

E então, pronto para escolher um terreno e começar a construir seu futuro? Prepare seu planejamento financeiro e pesquise as melhores condições! Para saber mais, entenda as diferenças entre consórcio e financiamento de terrenos e faça a melhor escolha!

Quais cuidados se deve ter ao comprar um terreno

A venda de áreas para construção é um dos tipos de investimento imobiliário que vem crescendo nos últimos anos.

Por isso, o número de terrenos à venda chama a atenção dos investidores, já que apresentam baixo custo de manutenção, sofrem grande valorização e podem trazer maior estabilidade ao proprietário — tanto para uma futura moradia quanto para se tornar fonte de renda.

Por isso, é importante entender todos os cuidados e os benefícios de investir na compra de terrenos. Quer saber mais sobre os cuidados ao comprar um terreno? Confira algumas dicas valiosas que separamos para você neste post!

Verifique o registro e a aprovação do imóvel

Um dos primeiros cuidados ao comprar um terreno é verificar o registro do loteamento, as licenças, inclusive a ambiental, e a aprovação do projeto, pois isso é uma garantia de que o terreno está regularizado em todos os sentidos. Outra dica é buscar na Associação das Empresas de Loteamento e Desenvolvimento Urbano (AELO) o “Selo de Regularidade de Aprovação” dado às obras regulares.

Após isso, é possível pedir uma certidão de propriedade, com negativa de ônus e alienações, que é a prova de que o imóvel está desembaraçado e pode ser comprado legalmente, sem que o novo proprietário herde dívidas anteriores. Verificar a matrícula individual do lote também garantirá ao comprador que o terreno não configura uma ocupação irregular.

Para quem procura terrenos em condomínio, é preciso, ainda, verificar as certidões pertinentes a ele e aos seus proprietários, como a quitação das mensalidades de condomínio e IPTU, pois as dívidas de taxas e mensalidades do antigo proprietário serão “herdadas” pelo novo.

Consulte a metragem do local

Seguindo o Plano Diretor de cada município, os lotes à venda devem conter uma metragem mínima – para Toledo-PR essa metragem é de 250 metros quadrados, com ao menos dez metros de frente.

No entanto, você precisa saber se esse espaço é o suficiente para o seu projeto de construção ou para investimentos futuros.

 Na hora de decidir, analise a construção que você pretende fazer, com todos os detalhes tanto dentro quanto fora de casa.

Não se esqueça de observar os recuos laterais e frontais da construção que estão previstos na lei municipal em vigor, assim você terá um parâmetro sobre o espaço a ser construído no terreno que você está buscando.

Analise a localização do terreno

Não compre nenhum terreno sem visitar o lugar antes! Avalie tudo o que está ao redor da área, já que a infraestrutura fará toda a diferença tanto se você quiser construir quanto se tiver a intenção de vender depois da valorização.

Fique atento a:

  • histórico de segurança da região;
  • acessibilidade ao terreno;
  • distância que você percorrerá para suas atividades diárias;
  • quais são os projetos de expansão da região. Por exemplo, terrenos que estão próximos a novas unidades de shoppings ou universidades tendem a ser mais valorizados.

Busque informações sobre a qualidade do solo

Fique de olho nas condições do solo! Se for mais acidentado ou estiver em um declive, por exemplo, você terá maiores gastos com terraplanagem na hora de construir.

Peça uma análise realizada por especialistas para entender quais serão os obstáculos na hora da construção, se existem pedras ou árvores nativas que não podem ser cortadas, além de identificar rios, córregos ou nascentes na região que atrapalhem a exploração do solo.

Observe a incidência solar

Pensar na posição do sol que o terreno recebe é fundamental na hora de fazer a planta da sua construção. Se a área não recebe boa incidência de luz, isso poderá aumentar os custos na hora de planejar sua casa!

Analise a posição do terreno

O local onde a área está localizada dentro do quarteirão pode influenciar diretamente o valor do terreno. Se outros terrenos estão vagos ao redor, as construções dos vizinhos podem interferir na sua planta, fazer sombra ou prejudicar a incidência de sol.

Busque sempre por terrenos que sejam de esquina, isso irá valorizar e ajudar a diminuir as alterações no seu projeto de construção.

Confira a estrutura do local

Nunca compre um terreno sem antes visitá-lo, assim é você tem a certeza de que ele não está localizado perto de brejos ou mesmo em áreas de proteção ambiental. Recomenda-se verificar também informações sobre prestação de serviços públicos como água, luz, coleta de lixo e transporte público.

Leia também:  Como Tratar Um Homem Que Nao Te Da Valor?

Analise o crescimento da vizinhança, do bairro, os investimentos que estão sendo ou serão feitos em termos de infraestrutura, comércio, acesso para a região e as construções do entorno. Tudo isso são fatores que ajudam na decisão de compra de um terreno.

Verifique a valorização

Comprar terrenos pode ser um investimento bem vantajoso a médio e longo prazo.

Ele é um bem durável que só tende a aumentar de valor por conta das melhorias em infraestrutura da região, crescimento do setor imobiliário, entre outros fatores que contribuem para essa valorização.

Além disso, todos os fatores citados anteriormente sobre a estrutura do local também ajudam na valorização o terreno.

Não só para moradia, mas também como fonte de renda, o investimento em terrenos pode gerar boa rentabilidade, principalmente devido à elevação do poder de compra da população e ao aumento salarial nos últimos anos.

Certifique-se de que a empresa é confiável

Quando estiver procurando terrenos à venda, sempre consulte o Conselho Regional de Corretores de Imóveis (Creci) para confirmar se a empresa corretora é idônea e tem boa reputação no mercado.

Esse ponto é muito importante, pois não adianta estar atento a todo o processo burocrático se ele não for fechado com uma empresa responsável e honesta.

Portanto, verifique o histórico da empresa, peça referências e visite outros loteamentos já lançados por ela.

É preciso estar atento! Na hora de fechar contrato, faça a leitura detalhada do documento e com muita atenção. Todas as cláusulas precisam ser claras e conter cada detalhe da transação. Procure um advogado se tiver dúvidas e faça uma compra segura e consciente.

Que tal, gostou deste post com os cuidados ao comprar um terreno? Então aproveite a visita ao blog para assinar nossa newsletter! Assim, você receberá informações atualizadas direto na caixa de entrada do seu e-mail.

Compra do terreno: O que precisa saber antes de fechar negócio

Antes de comprar um projeto de casa, é muito importante você estar familiarizado com tudo que envolve o terreno onde pretende construir. Ter em mente fatores físicos (dimensões, plano, aclives, declives, tipo de solo, argila mole, rocha, etc.

), ambientais (esgoto, aterros com dejetos, vegetação, árvores) e estéticos (beleza do terreno em si e da vizinhança), assim como as normas locais (plano diretor, ruas, calçadas, recuos, afastamentos, medidas mínimas, etc.) vigentes em cada cidade.

 Eles podem ter efeitos profundos na hora de construir o projeto de casa dos seus sonhos.

Para evitar problemas no futuro, a escolha do terreno pede muito cuidado e atenção. Por trás do que aparenta ser uma boa oferta, muitas vezes estão problemas escondidos. Problemas de todo tipo: pessoas mal intencionadas, terrenos com documentação irregular ou incompletos.

Uma má escolha do terreno pode comprometer e limitar opções de escolha de uma planta de casa  e da construção de sua obra. São problemas que podem envolver a execução de determinados estilos e formas, impermeabilização adequada, ventilação, topografia favorável ou restrições quanto a normas de construção vigentes no seu município.

Estude o terreno

Passe algum tempo no local. Caso tenha uma bússola, leve junto para marcar a direção norte. Vale também usar uma máquina fotográfica, bloco de notas, papel milimetrado, e fita métrica.

Registre informações importantes e suas impressões pessoais.

Se a tarefa parecer difícil, considere contratar um profissional experiente (arquiteto ou engenheiro) para fazer uma visita técnica no terreno que quer negociar.

O profissional pode apontar custos favoráveis ou desfavoráveis no orçamento da futura construção naquele terreno. Muitas vezes, o barato pode sair caro.

Seja na necessidade especifica das fundações com corte e aterros, muros de contenção, ou até mesmo avaliar se o terreno não se encontra em áreas de risco, ou sofre o risco de obras vizinhas, o que não é raro de acontecer. Ex.

: O muro do vizinho está com fortes rachaduras e prestes a desabar.

Anote as dimensões totais do local e as suas características topográficas. Ele fica próximo a um lago, um rio ou do oceano? Há porções dele impróprias para construção, como uma lagoa?  O terreno é plano? Ele possui inclinações acentuadas, como aclives ou declives?

Estude a composição do solo: Consiste de areia? Terra firme? Tem pedras aflorando, há banhado, brejo ou mangue? Todos estes fatores terão impacto na escavação, capacidade de carga do solo, e principalmente do tipo e custos de fundação. Procure saber também se no terreno foi efetuado algum tipo de aterro no passado.

Tome nota de fatores ambientais

Considere o clima em termos de temperatura típica, extremos de temperatura, nebulosidade, umidade e ventos.

  O terreno recebe luz solar e ventilação em todo o período do dia?  Estaria a propriedade em uma planície sujeita a inundação? Tem alguma nascente de água no interior do terreno?  Nas proximidades, tem alguma grande indústria que trabalhe 24 horas e que possa liberar na atmosfera algum tipo de poluição sonora ou gases com cheiro desagradável.  O terreno está próximo a grande avenida com forte fluxo de caminhões e ônibus constantes que emitam carga sonora até altas horas?

Pesquisar os requisitos legais

Vá até o órgão municipal responsável pela habitação e urbanismo da sua cidade. Faça um pedido de Consulta Prévia para Construção no terreno que gostaria de comprar.

Verifique as leis de zoneamento, procure saber qual a cota (altura) de construção possível no local, o tipo e finalidade de construção permitida — se comercial, residencial ou mista.  Quais os afastamentos e recuos exigidos da obra em relação à rua e terrenos da vizinhança.  Qual a taxa de ocupação do solo posso poderá construir.

Se o terreno estiver dentro de área de condomínio fechado, procure saber sobre as normas e exigências de construção aprovadas pelo mesmo.

Antes de fechar o negócio do lote, é importante conferir a sua legalidade em um Cartório de Registro de Imóveis, verificar a existência de impostos atrasados na prefeitura da cidade, bem como se o terreno não é objeto de disputas jurídicas ou de penhora. Considere contratar um corretor de imóveis experiente da sua confiança, a fim de acompanhar documentos desta natureza.

Localização do Terreno

Uma dica especial é analisar sua localização considerando o bairro escolhido em relação à estrutura da cidade, se está mais ou menos próximo de supermercados, farmácias, ponto de ônibus ou metrô, bancos, praças e áreas de lazer.

Considere também as distâncias em relação ao local de trabalho dos membros da família e a principais vias de acesso para ruas e avenidas que terá que enfrentar todos os dias.   Na seqüência, deve considerar a disposição e localização do lote na quadra.

Lotes de esquina costumam ser mais valorizados, pois possibilitam duas fachadas e consequentemente maior ventilação e iluminação natural.

  Por outro lado, se a área do mesmo for pequena, você deve avaliar se os recuos exigidos nas duas fachadas não inviabilizam a área total que deseja construir, principalmente quando se deseja uma planta de casa térrea.

Saiba mais sobre os vizinhos

Verifique o que os arquitetos chamam de “entorno”. Quem são os seus vizinhos? Há edificações muito grandes? Bloqueiam o sol ou a vista? Como é a calçada, a rua, o comércio imediato? Existem serviços como padaria, locadora, lavanderia, em que você possa chegar a pé? Há algum parque ou praça agradável por perto?

Zoneamento: o que preciso saber ?

A partir da criação do Ministério das Cidades, novas normas foram exigidas dos municípios brasileiros quanto à implantação de um Plano Diretor, que determina o planejamento e crescimento futuro das cidades. E o zoneamento passou a ter um valor inquestionável em relação ao uso do solo urbano.

Portanto, antes de comprar um terreno, conhecer sobre o zoneamento no local é essencial. Ele representa o resultado da divisão da cidade em áreas distintas onde são permitidas a construção de edificações conforme alguns critérios de funções.

 Ele define áreas voltadas para espaços residenciais, outras áreas como comerciais industriais ou mistas.

Em cada área, bairro ou avenida principal, são especificados o percentual que a área construída pode ter em relação à área do terreno (taxa de ocupação), altura máxima das construções, número máximo de pavimentos, recuos em relação à rua, afastamentos da obra em relação à divisa com o vizinho, etc.

Estas normas do Plano Diretor variam conforme o bairro, região e tamanho da cidade, mas sempre orientam o que pode e o que não pode ser construído em determinado lote “x” da quadra “y” do seu município.

Nunca se esqueça de conferir antes de fechar o negócio.

Basta ir à prefeitura ou órgão responsável da sua cidade e protocolar o pedido de uma CONSULTA PRÉVIA de CONSTRUÇÃO no lote “X” da quadra “Y” que você quer comprar.

Analise seus desejos estéticos

Qual é a vista que você quer ter a partir de cada ambiente da casa? Avalie se a imagem da sua futura casa estará contemplada nas dimensões do terreno para as suas necessidades atuais e se no futuro poderá acomodar possíveis ampliações.

Leia também:  Como Descobrir Que Tipo De Pele Eu Tenho?

   Reveja, com um profissional engenheiro ou arquiteto, todas as características de seu lote – incluindo os regulamentos e normas urbanas locais.

Mantendo estas considerações em mente, use as dicas a seguir para analisar como a casa que deseja construir pode ser projetada para se adequar naturalmente ao terreno.

Trabalhar com os contornos existentes

Tire proveito de qualquer inclinação natural ou obstrução ao invés de tentar combatê-lo. Pode ser menos caro e mais fácil de incorporar uma grande rocha na fundação, por exemplo, do que explodir e retirá-la do local.

A encosta rochosa pode ser contornada com um design criativo, e pode até ser melhor do que a terra plana para maximizar ou minimizar pontos de vista. Mas é claro: estes procedimentos precisam se adequar ao seu orçamento. Se quiser uma obra econômica, o melhor terreno é o plano ou com pequenos aclives ou declives.

Ele dispensa a construção de muros de contenção, seja em aterros ou cortes de terra.

Incorporar a vegetação existente

Árvores e plantas podem ter um impacto grande em como você situaria sua casa. O desafio de construir uma casa de campo, por exemplo, pode ser solucionado sem eliminar completamente as árvores. A paisagem faz parte do cenário natural de beleza do modo de vida no campo e devem ser preservadas e em harmonia da construção da casa e o seu entorno.

Características importantes a considerar:

O tipo de Solo

Cada terreno tem características geológicas próprias, e é formado basicamente pela maior ou menor concentração de areia, silte e argila.  E o seu conhecimento prévio é determinante para a futura obra. Em especial, saber se o seu terreno é classificado como arenoso argiloso ou siltoso, com ou sem a presença de água.

Estes fatores são determinantes para conhecer a resistência de um terreno e sua capacidade de receber cargas das fundações. Por isso é fundamental contratar uma empresa para realizar a sondagem do local.

Com os dados sobre a estrutura do solo em mãos, o engenheiro de cálculo estrutural da edificação pode especificar o tipo de fundação mais indicada para o seu projeto de casa.

Considerações sobre a Topografia de um terreno

Este item tem influência direta na forma e nos custos de construção da sua obra. A sua escolha pode seguir três opções de terreno:

TERRENO PLANO

Situação em que o nível do terreno está muito próximo do nível da rua.  Opção adequada para quem busca uma casa térrea e considera o fator economia. Um terreno plano costuma dispensar grandes movimentações de terra e a construção de muros de contenção.

TERRENO EM ACLIVE

Situação em que o nível do terreno está acima do nível da rua.  Terreno favorável a construções com mais de um piso.  Geralmente necessita de cortes no terreno, muros de contenção e drenagem de águas pluviais no seu entorno. A construção de mais um piso implica o emprego de degraus ou escadas, o que pode acarretar um acréscimo no custo da obra.

TERRENO EM DECLIVE

Situação em que o nível do terreno está abaixo do nível da rua.  Assim como o terreno em aclive, favorece a projeção de pisos em patamares. No entanto, pode aumentar custos com muros e escadas ou rampas de acesso a pisos inferiores.

Tanto em terrenos em aclive como terrenos em declive, você deve considerar o escoamento de água das chuvas. Em terrenos em aclive, verifique como é feito o escoamento das águas dos terrenos que estiverem acima do seu.  Nos terrenos em declive, avalie se há canalização adequada das águas da chuva que correm pela rua, evitando que adentrem no seu terreno.

Quanto à insolação

Especialistas recomendam que a moradia deva ter uma boa luminosidade, além de beneficiar uma moradia mais saudável, garante o conforto térmico e valoriza o imóvel. Por isso é importante saber a posição norte magnético do terreno. Ou seja, saber onde nasce o sol.

 Com estas informações precisas, é possível definir uma maior proteção com varandas ou beirais mais avançados para proteger o lado norte e oeste onde se tem maior insolação no decorrer do dia. E buscar a luminosidade e a energia saudável que vem do leste com o sol da manhã.

  O lado Sul é o que recebe menos calor e onde se pode projetar grandes janelas e aberturas.

Estrutura Pública com Água, Luz e Esgoto

Principalmente em loteamentos novos é importante saber se os terrenos já contam com a infra-estrutura de água encanada, energia com iluminação pública, rede de coleta de esgoto e pavimentação das ruas.  A pavimentação valoriza mais o seu imóvel e a iluminação garante maior segurança.

Tem alguma dúvida específica sobre terrenos? Participe da enquete!

O que você precisa saber antes de comprar um lote

Seja para construir sua moradia, abrir seu negócio ou simplesmente para realizar um investimento com bom potencial de valorização com o passar o tempo, a compra de um terreno é um sonho para muitos brasileiros. Mas antes de chamar um pedacinho de chão de seu, é preciso ficar atento às exigências legais e ter atenção com possíveis vendedores mal intencionados.

1) Matrícula

A primeira coisa a ser feita quando você encontra um lote que se adequa aos seus objetivos é identificar junto ao proprietário ou empresa o número da matrícula individual do lote. Em poder dessa informação, você poderá atestar, junto ao Cartório de Registro de Imóveis que aquele lote é legal, ou seja, que não é fruto de uma ocupação irregular.

A matrícula individual de um lote conta toda a história do espaço. Através dela é possível apurar quando o lote surgiu, a partir do fracionamento de um terreno, e também acessar informações sobre donos anteriores. Funciona como a certidão de nascimento de um lote e checar essa informação evita a maior parte dos problemas que podem surgir numa compra.

2) Restrições

O Estatuto da Cidade, lei federal que entrou em vigor em 2001, estabeleceu uma série de regras para as cidades com mais de 20 mil habitantes, entre elas, a elaboração dos Planos Diretores Municipais (PDM). São esses documentos que determinam que tipo de construção pode ou não pode ser feita em cada área da cidade.

Por exemplo, em algumas zonas definidas pelos planos diretores, os imóveis têm limitação de altura e de quantidade de andares. Em outras, por conta do maior risco de alagamento, a prefeitura determina que uma porcentagem do terreno não pode ser impermeabilizada, para facilitar a drenagem da água pelo solo. E essas condicionantes podem interferir decisivamente no sonho do seu imóvel.

  • Além disso, a legislação impede que áreas de proteção ambiental e/ou próximas a mananciais sejam ocupadas, logo, consultar a legislação ambiental também é uma importante precaução a se tomar antes de efetivar uma compra.
  • 3) Alvarás
  • Se você está interessado em um lote que está sendo vendido por uma empresa especializada e as obras ainda não estão concluídas, informe na prefeitura e depois procure o setor jurídico da empresa para checar se ela possui todos os alvarás e licenças.
  • Se uma empresa comercializa uma área com vários lotes, ela deve entregar o local com infraestrutura de energia, água, esgoto, asfalto e drenagem instaladas.
  • 4) Pechincha

Preços muito baixos devem deixar o comprador alarmado com a possibilidade de um golpe. É comum que pessoas mal intencionadas façam o loteamento de terrenos irregulares e vendam os lotes a preços mínimos.

Como muitos compradores não checam a documentação, acabam pagando por um produto que, juridicamente, não existe. Diante das fiscalização das prefeituras ou de mandados de reintegração de posse, de nada adianta para o comprador exibir recibos de pagamento de um terreno irregular para comprovar a posse.

5) Anúncios

A empresa fez alguma promoção e anunciou nos meios de comunicação? O Código de Defesa do Consumidor determina que toda a oferta veiculada para um produto ou serviço obriga o fornecedor a cumprir o que for anunciado e integra o contrato que vier a ser celebrado.

Se o fornecedor se recusar a cumprir a oferta anunciada por meio de publicidade, o consumidor pode entrar na Justiça para exigir o cumprimento forçado, aceitar produto equivalente, ou receber a restituição dos valores.

6) Visite

Nunca feche a compra de um terreno sem antes fazer uma visita pessoal ao local. Certifique-se de que o terreno é, de fato, da forma como informado.

Se estiver comprando lote de uma empresa especializada na venda desse tipo de produtos, procure referências e visite também loteamentos comercializados anteriormente, informando-se sobre a satisfação dos clientes com o produto entregue.

Consulte ainda o Conselho Regional de Corretores de Imóveis (Creci) da sua região e pesquise sobre o histórico da empresa.

Descobriu algum cuidado novo? Não sabia da necessidade de alguma dessas precauções? Compartilhe!

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*