Como Saber De Que Geração É O Processador?

Quando encontramos problemas ou estamos verificando a possibilidade de um upgrade em nosso computador, saber qual é o nosso processador vale a pena. Veja em meu artigo como saber a geração do processador Intel, identificando nos sistemas operacionais e na caixa.

Como Saber De Que Geração É O Processador?

Chip Intel (Imagem: Slejven Djurakovic/Unsplash

Como saber no Windows?

Para identificarmos nosso processador no sistema Windows devemos buscar as informações do sistema.

  1. Pressionamos a tecla “Windows” ou digitamos no sistema de pesquisa a palavra sistema;Como Saber De Que Geração É O Processador?
  2. Caso a tecla “Windows” esteja desativada e a procura em seu sistema não estiver na barra, clique no símbolo do Windows no canto esquerdo ou “iniciar”. Role a barra de opções até encontrar “Sistemas do Windows”, após clicar, selecione “Sistema” na janela;Como Saber De Que Geração É O Processador?
  3. As informações sobre o seu processador estarão na janela do sistema.Como Saber De Que Geração É O Processador?

Como saber no Linux?

Para o Linux é necessário digitar um comando no prompt para acessar as informações do seu processador Intel.

  • Digite o comando: lscpu | | grep “Nome do modelo”; caso o sistema esteja em inglês digite: lscpu | | grep “Model name”.Como Saber De Que Geração É O Processador?

Como saber no MacOS?

Assim como o Linux, para obter informações sobre o seu processador Intel no MacOS é necessário digitar um comando no aplicativo “terminal”.

  • Digite o comando: sysctl -a | grep machdep.cpu.brand_string;
  • A informação sobre o seu processador Intel aparecerá em seguida.Como Saber De Que Geração É O Processador?

Sistema de nomes dos processadores Intel?

Os processadores Intel tem diversas famílias com suas respectivas gerações. Para identificar, é necessário observar o primeiro número após o nome da família do processador.

  • Ex:
  • O processador Intel® Core™ i7-1071OU é da 10ª geração porque o número 10 aparece depois de i7
  • O processador Intel® Core™ i9-9900 é da 9ª geração porque o número 9 aparece depois de i9
  • O processador Intel® Core™ i7-9850H é da 9ª geração porque o número 9 aparece depois de i7.
  • O processador Intel® Core™ i5-8600 é da 8ª geração porque o número 8 aparece depois de i5.
  • O processador Intel® Core™ i3-7350K é da 7ª geração porque o número 7 consta depois de i3.
  • O processador Intel® Core™ i5-6400T é da 6ª geração porque o número 6 está depois de i5.
  • O processador Intel® Core™ i7-5500U é da 5ª geração porque o número 5 está depois de i7 (esse é o meu).

Identificando fisicamente

Caso esteja tendo dificuldades, o usuário pode procurar as informações do processador na caixa do equipamento. No código de barras, na caixa do processador, está escrito o nome do modelo. Não tendo a caixa, as informações do modelo do processador Intel estão gravadas no corpo da peça.

Espero ter respondido a dúvida, como saber a geração do processador Intel. Boa sorte.

Com informações: intel

Intel Core i3, i5 e i7: entenda a nomenclatura e qual deles é o ideal para você

Tudo sobre

Como Saber De Que Geração É O Processador?

Intel

Como Saber De Que Geração É O Processador?

Saiba tudo sobre Intel

Ver mais

Chiradech Chotchuang / Shutterstock.com

Foi-se o tempo em que bastava saber o modelo de um processador e sua velocidade de clock para se ter uma noção do que se estava falando. Atualmente, entender as diferenças entre os diversos modelos disponíveis no mercado exige um esforço muito maior, sobretudo depois que a Intel adotou um estranho esquema de nomenclatura.

Afinal de contas, qual a diferença entre um processador Core i3, Core i5 e Core i7? E qual deles você deve comprar?

Essas duas perguntas servirão de fio condutor da discussão que propomos neste artigo, cujo objetivo principal é desmistificar a série mais popular e confusa de processadores da Intel. Portanto, ajeite-se na cadeira e vamos entender essa nomenclatura estranha e saber, de uma vez por todas, qual processador você precisa.

Para começar, podemos dizer, de maneira bastante simplória, que um Intel Core i7 é melhor que um Core i5, que por sua vez é melhor que um Core i3. O prolema de verdade reside nas nuances existentes em cada uma dessas séries.

Esmiuçando um pouco mais as coisas, os Core i3 só possuem dois núcleos de processamento, portanto só podem ser dual-core. Já os Core i5 e Core i7 têm modelos tanto dual-core quanto quad-core, ou seja, com quatro núcleos de processamento.

Além disso, é importante destacar que a Intel tem o costume de lançar “famílias” de chipsets, como a mais atual sexta geração denominada Skylake, ou as antigas famílias Ivy Bridge, de quinta geração, e Haswell de quarta geração. E cada família dessas tem uma linha específica de processadores Core i3, Core i5 e Core i7.

E como saber a qual família um modelo pertence? Pelo primeiro dos quatro dígitos que indicam o nome do modelo. Por exemplo, um Core i3-5200 indica que o processador pertence à quinta geração e assim por diante.

Finalmente, os demais números do modelo servem de indicativo de desempenho daquele processador em relação a outros da sua própria linha. Por exemplo, um Core i3-5350 é superior a um Core i3-5200, já que 350 é superior a 200. Dessa forma, é possível saber quão melhor (ou pior) é um modelo em relação aos demais da linha.

As letras U, Q, H e K

Há algum tempo a Intel introduziu uma combinação de letras que são colocadas ao fim da numeração de modelo dos seus processadores. São elas: U, Y, T, Q, H e K. São poucas as pessoas que sabem o que exatamente cada uma significa, mas aqui vai uma breve lista explanando o que raios isso quer dizer:

  • U: Ultra Low Power. Especificação exclusiva para processadores de notebooks, indica que o componente consome menos energia que os demais e proporciona maior duração da bateria;
  • Y: Low Power. Característica de processadores mais antigos que equipavam computadores e dispositivos móveis. Também indica baixo consumo de energia;
  • T: Power Optimized. Indica alta eficiência energética para processadores desktop;
  • Q: Quad-Core. Utilizado somente em modelos que possuem quatro núcleos físicos de processamento;
  • H: High-Performance Graphics. Indicam chipsets com as melhores GPUs embutidas do mercado;
  • K: Unlocked. Indica processadores passíveis de overclock.
Leia também:  Como Conquistar Minha Melhor Amiga Que Tem Namorado?

Como Saber De Que Geração É O Processador?

Compreender a nomenclatura dos processadores ajuda na hora de decidir qual modelo levar para casa (Imagem: Reprodução / Intel)

Basta entender o sistema de numeração e letras empregado pela Intel para se ter uma noção de quais processadores atenderão melhor suas necessidades. Com isso, dispensa-se, também, a necessidade de ler o manual e especificações completas do chipset quando se está pesquisando preços.

Antes de chegar às vias de fato e comprar seu novo processador, o ideal é ir mais afundo no tema e verificar detalhes neste site da Intel.

Como pudemos ver, as siglas U e Q indicam tipos bastante específicos de processadores, sendo os primeiros específicos para notebooks e os últimos aqueles que possuem quatro núcleos físicos. Mas será que existe algum outro tipo além desses dois? Sim, há os que oferecem suporte a Hyper-Threading, uma tecnologia que cria núcleos virtuais de processamento.

Como Saber De Que Geração É O Processador?

Apesar de mais básico, o Core i3 se sobressai no quesito Hyper-Threading em relação ao Core i5: o modelo básico possui suporte à tecnologia, o intermediário, não (Imagem: Reprodução / PC Mag)

Basicamente, essa técnica faz com que um processador físico possa atuar como dois processadores virtuais. Dessa forma, ele pode se desdobrar para lidar com mais instruções simultaneamente sem ter de ativar o segundo núcleo, que, por sua vez, demandaria mais energia.

Embora essa prática seja “ecofriendly”, ela não é ideal para quem prioriza desempenho, já que núcleos físicos são mais rápidos que os virtuais, o que significa que um quad-core sempre terá uma performance superior a um dual-core com hyper-threading.

Nesse quesito, todos os Core i3 e Core i7 suportam hyper-threading, o Core i5, não.

Turbo Boost e mais velocidade de processamento

Embora se diferencie dos Core i5 por suportar o hyper-threading, os Core i3 não contam com a tecnologia Turbo Boost, presente tanto nos Core i5 quanto nos Core i7.

Trata-se de uma tecnologia proprietária da Intel que incrementa a velocidade de clock do processador automaticamente, de acordo com a demanda. Dessa forma, por exemplo, se você estiver um programa que exija bastante poder de processamento, o Turbo Boost será ativado para compensar essa demanda extra.

Dessa forma, pode-se dizer que o Turbo Boost é um recurso bastante interessante para quem trabalha com edição de vídeos ou costuma jogar bastante no computador, já que dá um fôlego extra para o processador nos momentos de aperto.

Como Saber De Que Geração É O Processador?

  • O que é Turbo Boost e Turbo Core?

Tamanho do cache

Além do Hyper-Threading e do Turbo Boost, outra característica que distingue os modelos da linha Core é o tamanho do cache. Explicando muito brevemente, o cache é uma espécie de memória RAM própria do processador, que a utiliza para agilizar suas operações.

Essa comparação com a memória RAM não é a toa, pois o processador armazena no cache as operações que executa mais comumente. Portanto, quanto maior o cache de um processador, mais operações e instruções ele poderá armazenar simultaneamente e, por isso, mais rapidamente as executará.

Os Core i3 geralmente contam com 3 MB de cache, enquanto os Core i5 têm entre 3 MB e 6 MB de cache. Já os Core i7 são os mais poderosos, contando com até 8 MB de cache.

Gráficos HD, Iris e Iris Pro

Já faz um bom tempo que a Intel começou a embutir, num único chip, processador e GPU. Mas, como você pode imaginar, ela tratou de tornar as coisas bem confusas aqui também.

Atualmente, há três tipos específicos de GPUs que vêm integradas com a CPU: Intel HD, Intel Iris e Intel Iris Pro. Tal qual ocorre com os processadores, essas GPUs têm nomes de modelo como Intel HD 520 ou Intel Pro 580, o que torna tudo ainda mais confuso.

Explorando um pouco mais o tema, percebemos que a coisa pode ficar ainda pior. Por exemplo: o Intel HD 520 é um modelo básico, já o Intel Iris 550 é melhor que o Intel HD 520, mas também básico. Já o Intel HD 530 é de alto desempenho e melhor que o Iris 550, mas pior que o Iris Pro 580.

A melhor dica que podemos dar aqui é: observe se o processador possui a sigla H. Em caso positivo, fique tranquilo, pois ele conta com uma unidade de processamento gráfico de alto desempenho.

Processador Núcleos físicos Tamanho do cache Hyper-Threading Turbo Boost Gráficos Preço
Core i3 2 3 MB Sim Não Básicos Básicos
Core i5 2 ou 4 De 3 MB a 6 MB Não Sim Intermediários Intermediários
Core i7 2 ou 4 De 4 MB a 8 MB Sim Sim Top de linha Top de linha

Resumidamente, e de maneira bastante genérica, podemos delinear o seguinte perfil de consumidor para cada tipo de processador:

  • Core i3: recomendado para usuários básicos. Trata-se da opção mais econômica de todas, indicada para quem quer utilizar o computador para navegar na internet, editar textos, apresentações e planilhas no Office, realizar chamadas de vídeo. Gamers e profissionais devem desconsiderar essa opção.
  • Core i5: recomendado para usuários intermediários. É a opção que melhor balanceia custo e benefícios. Os modelos HQ e Q com uma GPU dedicada são indicados para os gamers.
  • Core i7: Opção top de linha, indicada para profissionais. A melhor linha disponibilizada pela Intel na atualidade.

Como fazer a escolha certa?

É evidente que falamos apenas de algumas características básicas dos processadores da Intel, de maneira que você, que está montando um novo computador ou quer apenas atualizar sua CPU, tenha o mínimo de conhecimento e evite ciladas na hora de adquirir um componente tão caro como esse. Além disso, nosso objetivo foi esclarecer a confusão de nomenclatura que existe atualmente nos modelos Core i3, Core i5 e Core i7 para que todos possam compreender, ao menos minimamente, como tudo funciona.

Leia também:  Como Se Chama Quem Faz Autópsia?

Certamente, mesmo assim você ainda se encontrará dividido entre duas opções: uma delas mais básica da geração atual, e outra mais avançada da geração anterior e que custam o mesmo preço.

Nesse caso, vale visitar o site da Intel para comparar as tabelas desses modelos, de maneira a se certificar qual opção melhor atende suas necessidades.

Busque por análises em sites especializados em hardware e vídeos no YouTube, que ajudam bastante na hora de fazer a escolha certa.

E você? Tem alguma dica ou conselho para quem está procurando por um novo processador? Deixe sua opinião na caixa de comentários aqui embaixo, participe!

Curtiu o texto? Então não deixe de conferir:

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.

i3, i5, i7 e i9: entenda a diferença entre os processadores da Intel

Intel Core i3, i5, i7, i9, Celeron, Pentium… a nomenclatura dos processadores da Intel não conhece limites. Há tempos a maioria das grandes fabricantes de PCs optam por usar processadores da Intel em seus produtos, mas, para o público menos inserido nesse mercado, é difícil entender a diferença entre os modelos apenas pelo nome.

Especialmente quando se está tentando comprar um novo PC ou montar seu próprio computador pela primeira vez. Não faltam opções de configurações no mercado, e nem sempre é fácil distinguir entre muitas delas. Escolher um processador, que é um dos principais componentes, pode ser desgastante.

publicidade

Nem sempre o mais caro é o melhor, por isso é importante entender as diferenças entre esses processadores. Pois então, vamos lá.

O que você precisa saber

A linha mais famosa da Intel é a que dá título a este artigo: Intel Core. Se você quer uma explicação curta para a diferença dos números, aí vai: o i3 é o mais básico, o i5 é intermediário, o i7 é mais completo e o i9 é o top de linha. Quanto maior o número, mais poderoso é o componente.

Como Saber De Que Geração É O Processador?

Você se engana, porém, se pensa que o assunto morre aqui. Nem todo mundo precisa pagar mais caro em um PC com Intel Core i9 só porque este é o melhor processador. Tudo depende do seu perfil e do que você pretende fazer com seu computador.

O segredo está nas entrelinhas: um i3 normalmente vem com dois ou quatro núcleos de processamento, enquanto os i5 e i7 vêm com até seis ou oito, e o i9 ultrapassa todos os limites com até 18 núcleos. Quanto mais núcleos, mais tarefas o processador pode executar ao mesmo tempo.

A velocidade com que esse processamento é executado também faz diferença: um i3 mais moderno, de oitava geração, por exemplo, pode funcionar a 3,6 GHz. Já um i5 de oitava geração pode chegar a 4,3 GHz no modo “turbo”; um i7 pode fazer 4,7 GHz e um i9 pode alcançar até 4,8 GHz de frequência.

Contudo, é possível encontrar um modelo de notebook com processador Intel Core i3 mais barato do que um outro PC que também usa Intel Core i3. Ou um i5 mais caro e mais rápido que um i7. Como explicar essa diferença? É disso o que vamos falar a seguir.

Gerações

A Intel começou a fabricar essa família de processadores em 2010. De lá para cá, a empresa já lançou oito gerações de Intel Core i3, i5 e i7 e duas do i9. Isso significa que é possível encontrar, em uma mesma loja, um PC com um i3 de quinta geração e outro com um i3 de sexta geração.

Isso explica, pelo menos em parte, por que dois PCs com um processador i3 podem ter performances e preços diferentes. Naturalmente, quanto mais novo, melhor é o processador, o que significa que um i3 de sétima geração certamente é melhor que um i3 de quinta geração.

Mas como saber qual a geração do chipset que estamos comprando? É aqui que entra aquele estranho número que a Intel coloca logo depois do i3, i5, i7 ou i9. É ele o que, normalmente, determina quão novo é aquele modelo. Um processador identificado como Intel Core i3-5XXX pertence à quinta geração, enquanto um i3-6XXX pertence à sexta – e assim por diante.

Como Saber De Que Geração É O Processador?
Como Saber De Que Geração É O Processador?

É possível encontrar modelos diferentes dentro de uma mesma geração, porém. Nesse caso, melhor é aquele que tem o número de identificação mais alto. Um Intel Core i3-6167 é melhor do que um i3-6100 porque, afinal de contas, 6167 é um número mais alto do que 6100, mesmo que ambos sejam da sexta geração.

U, Y, T, Q, H e K

Para complicar ainda mais o que já é complicado, a Intel coloca uma ou duas letras depois de toda essa numeração. São os chamados “sufixos”: U, Y, T, Q, H ou K. Às vezes, mais de uma dessas letras aparecem. E, sim, elas também fazem a diferença entre os modelos de processador.

Três delas têm a ver com quanto seu PC vai pesar na conta de luz. A letra U significa “Ultra Low Power”, o que significa que esse modelo consome menos energia; Y representa “Low Power”, que ainda consome pouco, mas mais do que o U; e T indica “Power Optimized”, para um consumo de energia mediano.

Já as outras três letras têm especificações mais brandas. A letra Q representa “quad-core”, isto é, quando o processador tem quatro núcleos; a letra H está ali para identificar “High-Performance Graphics”, quando o chip vem com uma boa GPU integrada; e K representa “Unlocked”, o que significa que o processador pode ir além de sua velocidade pré-determinada através de um overclock.

Portanto, se você se deparar com um notebook que diz na embalagem que vem com um processador Intel Core i5-5200U, você já sabe que ele usa um modelo intermediário de quinta geração e com um nível de consumo de energia mais baixo. Já um Intel Core i7-6920HK é um modelo top de linha de sexta geração, com uma competente GPU integrada, e é capaz de ir além da sua velocidade pré-determinada de clock.

Eis um dicionários simples para cada sufixo:

  • K – “Unlocked”, significa que o processador pode ir além de sua velocidade pré-determinada através de um overclock;
  • G – Inclui placa de vídeo integrada (apenas para laptops);
  • U – “Ultra Low Power”, ou baixo consumo de energia (apenas para laptops);
  • T – “Power-optimized”, economiza energia, mas não tanto quanto o modelo U;
  • H – “High performance graphics”, inclui placa de vídeo integrada um pouco melhor que o modelo G;
  • Y – “Extremely low power”, economiza ainda mais energia do que o modelo U;
  • Q – “Quad-core”, ou simplesmente “quatro núcleos”;
  • M – “Mobile”, modelo exclusivo para laptops;
  • C – Possui opção de overclock, soquete LGA 1150, placa de vídeo integrada básica;
  • R – Processor de desktop baseado no soquete BGA 1364 com placa de vídeo integrada avançada;
  • S – Otimizado para performance;
  • X – “Extreme Edition”, performance melhorada.
Leia também:  Como Reaproveitar Roupas Que Não Uso Mais?

Cache

As diferenças entre os processadores, porém, não acabam aqui. Se você já saiu em busca de um PC novo, deve ter notado que muitas lojas indicam também o tamanho do cache. Esse “cache” nada mais é do que a memória temporária do processador, explicando de forma mais simples.

O cache é o local onde o processador armazena informações que ele precisa buscar a todo momento. Aquelas tarefas ou programas que você mais executa no PC, por exemplo, guardarão algumas de suas informações no cache do processador.

Dessa forma, ele pode executar a tarefa mais rapidamente, porque o processador não precisa ir até o HD para buscar informações importantes. Os dados mais indispensáveis já ficam no “bolso” do processador, que é essa memória de cache.

Nesse ponto não tem segredo: quanto maior o cache, mais informações o processador pode guardar num local de fácil acesso e mais rapidamente ele vai executar tarefas corriqueiras. Normalmente, um i3 vem com 4 MB ou 6 MB de cache, enquanto um i5 pode chegar a 9 MB e um i7 ou i9 alcança até 12 MB.

Outros detalhes

É importante destacar que cada modelo de processador pode vir com um atrativo a mais, um recurso que os outros não têm para compensar uma deficiência, por exemplo. É o caso do Turbo Boost, um sistema da Intel que permite ao processador alcançar velocidades mais altas quando a tarefa executada no PC for mais complicada.

Existe também o Hyper-Threading, que basicamente permite a um processador de dois núcleos, por exemplo, “criar” um terceiro núcleo virtual para ajudar no processamento. Esse terceiro núcleo nunca é tão potente quanto um núcleo físico, mas pode quebrar o galho em alguns casos.

Outro detalhe que pode pesar no momento da compra é a GPU que acompanha a CPU. No caso dos modelos da Intel, é comum que a unidade central de processamento venha acompanhada da unidade de processamento gráfico, tudo no mesmo pacote, como a chamada “placa de vídeo integrada”.

Nessa linha, a Intel costuma usar três modelos: Intel HD, Intel Iris e Intel Iris Pro. Nenhuma é tão boa quanto uma placa de vídeo dedicada, como as da AMD ou da Nvidia, por exemplo, só são úteis se você não estiver interessado num PC para jogar. Se quiser rodar games na máquina, uma placa de vídeo dedicada é o ideal.

Como Saber De Que Geração É O Processador?

Qual comprar?

Vamos para um comparativo final, portanto. Um processador Intel Core i3 é o mais barato, e é recomendável para boa parte do público, oferecendo desempenho suficiente para tarefas simples e intermediárias. Junto de uma placa de vídeo poderosa, ele pode ser inclusive o bastante para sustentar um bom PC para jogos.

Enquanto isso, o Intel Core i5 é a opção intermediária, recomendada para quem precisa fazer mais coisas ao mesmo tempo. A diferença em desempenho para o i3 convencional não é tão grande, mas tarefas que se beneficiam bastante do processador podem ser executadas de uma forma melhor.

Se você quer jogar games de última geração e levar seu notebook para trabalhar com edição de imagens e vídeos, então você precisa de um Intel Core i7 – quanto mais novo, melhor. Para a maioria dos usuários, o ganho de desempenho não é suficiente para justificar o custo extra, mas, para profissionais e empresas, o bônus de velocidade pode valer a pena.

O Intel Core i9, por sua vez, é o cúmulo da potência. Além de mais poderoso do que o i7, ele é consideravelmente mais caro e mais exigente, consumindo muita energia e recursos de refrigeração da máquina. Este processador é indicado para PCs profissionais, não para usar em casa, e para lidar com tarefas de altíssima demanda, como produção de animações em 3D.

Se encontrar dois PCs com o mesmo Intel Core, mas de preços diferentes, vale a pena dar uma olhada nos outros detalhes que destacamos neste texto. Em muitos casos, um chipset melhor e mais barato pode estar escondido por trás daquelas pequenas letras e números.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*