Como Reter O Que Se Lê?

Como Reter O Que Se Lê?
“Alguém aí sabe como se estuda?” (Reprodução/Giphy)

Durante seus estudos, já aconteceu de você ler e reler um texto várias vezes e ainda assim não entender NADA? Se sim, pode ser frustrante, mas fique tranquilo: você definitivamente não é o único. Isso acontece porque, para realmente aprender uma matéria, não basta passar os olhos por páginas e mais páginas de texto. É preciso interagir com o que se lê.

Ao ler da forma certa, você pode absorver mais e melhores informações do material, bem como reter seus novos conhecimentos por mais tempo.

 Além disso, uma leitura dedicada provavelmente vai ser um pouco mais demorada do que simplesmente passar os olhos por uma página e sublinhar várias linhas, mas esse tempo é melhor aproveitado e diminuirá sua necessidade de ficar relendo o material depois.

Seria seu sonho? Então vamos às dicas práticas – que foram fornecidas originalmente pela Universidade Harvard para seus alunos (ou seja, gente com muita coisa para estudar em um lugar com um nível de exigência altíssimo).

Dê uma olhada geral no texto antes de começar a ler

E não estamos falando daquela folheada que costumamos dar em um texto para descobrir quão grande ele é e prever o tamanho do sofrimento quanto tempo vamos demorar para ler tudo.

A ideia, aqui, é obter informações que nos ajudarão a saber o que esperar da leitura – e isso nos permitirá ler com o foco certo, julgar se realmente compreendemos tudo e buscar o entendimento que ficou faltando, se for o caso.

Para isso, antes da leitura, procure responder estas perguntas (se puder fazer anotações para se lembrar das respostas, melhor ainda):

– O material contém um resumo, um prefácio, notas introdutórias ou coisas do tipo? O que elas sugerem sobre o conteúdo?

– O texto foi escrito por um autor conhecido? O que você sabe sobre ele e sobre o contexto em que o material foi feito?

– De que tipo de texto se trata e que tipo de linguagem ele usa? É um artigo de opinião escrito de maneira formal? É um texto de um livro didático? Que objetivos você consegue identificar para esse material a partir do seu formato? Um artigo de opinião, por exemplo, visa convencer o leitor a respeito de algum tema. Um livro didático tem o objetivo de apresentar e explicar um assunto.

– Como o texto está organizado? Ele está dividido em seções, capítulos, tópicos? Os parágrafos são grandes ou pequenos? Há ilustrações, fotos ou infográficos? Como todas as partes e elementos desse material poderão guiar você pela linha de raciocínio apresentada?

Continua após a publicidade

Prepare-se para fazer anotações úteis

Como Reter O Que Se Lê?
(Reprodução/Giphy)

Geralmente, fazemos anotações e marcações no texto pensando em como elas nos ajudarão a memorizar o conteúdo. Mas nossa intenção deveria ser dialogar com o autor e as ideias apresentadas.

E também dialogar com nós mesmos à medida que fazemos a leitura, registrando as questões que vêm à nossa cabeça e as coisas que achamos interessantes, importantes e até confusas ou duvidosas ao longo do texto.

Isso ajudará a ativar nosso raciocínio e manter nossa atenção naquilo que estamos lendo, o que é muito mais eficiente para que realmente aprendamos a matéria (e nos lembremos dela depois) do que se estivéssemos simplesmente recebendo passivamente as informações. Para conseguir fazer isso, você pode tentar seguir estas dicas:

Aposente seu marca-texto.

A menos que tenha um método e consiga lembrar depois por que aqueles trechos são importantes, marcar os textos de amarelo brilhante pode acabar distraindo você e dificultando a compreensão posterior caso queira fazer uma segunda leitura. Uma caneta ou lápis podem ser uma alternativa mais amigável para destacar pontos importantes e ainda assim não deixar suas páginas uma bagunça indecifrável.

Faça anotações nas margens do seu texto ou em post-its colados nelas.

Use as margens das folhas para fazer anotações que ajudem você a se lembrar de pontos importantes do texto, questões ou ideias que lhe surgirem e conexões entre o que está lendo e discussões ocorridas na sala de aula.

Se preferir, use post-its e cole-os ao longo do texto. Isso o ajudará a se manter atento ao que está lendo – e ao objetivo da leitura. E fará maravilhas pela sua memória caso você queira revisar o conteúdo depois!

Desenvolva seu próprio sistema de símbolos e marcações. Simplesmente grifar ou circular algumas palavras sem um critério específico pode não ser de grande ajuda – assim como encher suas páginas de texto com mais texto ainda.

Para manter um equilíbrio, pode ser útil desenvolver um pequeno código que dê agilidade à sua leitura conforme as ideias forem aparecendo.

Por exemplo, um asterisco (*) pode indicar uma ideia-chave contida no texto; um ponto de exclamação (!) pode indicar algo surpreendente ou bizarro; uma interrogação (?) pode indicar um ponto que precisa ser perguntado ao seu professor e assim por diante.

Faça perguntas ao texto. Ao contrário do que possa parecer, ter perguntas sobre um determinado assunto não é sinal de que você não entendeu nada. É sinal de que você está em vias de conhecê-lo melhor – e isso é ótimo.

Quando iniciamos uma leitura (e mesmo quando assistimos a um vídeo ou participamos de uma aula) com o objetivo de responder a determinadas perguntas, conseguimos um foco maior e nos tornamos mais ativos em relação à construção do nosso próprio conhecimento.

Adquira o hábito de criar e anotar questões a respeito daquilo que você lê e ouve.

Um texto pode sempre levantar aquelas questões prévias: Por que me pediram para ler este material? O que devo aprender dele? Por que esse aprendizado é importante? Qual é a grande questão sendo abordada neste texto? Que visão o autor quer passar em relação a ela? Que argumentos e fatos ele está usando para me convencer disso?

À medida que sua leitura avança, esforce-se para criar questões mais específicas – cujas respostas podem ou não estar no texto.

Escreva essas perguntas na margem do texto, em um post-it, um caderno ou onde achar melhor e volte a elas mais tarde. Ter essas perguntas em aberto o ajudará a manter o tema em mente por mais tempo.

Depois, você poderá pedir a ajuda do professor ou de seus colegas para respondê-las, ou fazer isso sozinho, após ter mais um tempo para digerir o que leu.

Continua após a publicidade

  • Dicas de estudo
  • hábitos
  • leitura

Truques Simples para Ler e Reter Informações mais Rapidamente

Qual o segredo para ler uma batelada de livros a cada semana? É mais óbvio do que você imagina: “nunca li nenhum dos meus livros do começo ao fim”, revela Nicholas Garcia.

Como então ele absorve informações sem ler um livro em sua totalidade? Descubra alguns dos truques que as pessoas usam para fazer com que pensem que elas realmente lêem enormes e espessos volumes dispostos em suas prateleiras.

Leia a conclusão primeiro

Muitos autores gostam de escrever de uma forma misteriosa, jogando com frases prolixas nas primeiras páginas do livro. É neste ponto que muitos leitores desistem de ler a obra toda. A chave é ser esperto: primeiro siga para o final do livro e encontre a conclusão.

Qualquer escritor interessante irá fornecer ao leitor um apanhado de seus argumentos e uma revisão rápida dos exemplos utilizados no livro. No entanto, o epílogo é uma questão completamente diferente – certifique-se de lê-lo, porque é geralmente usado para resumir o livro, e pode até mesmo fornecer informações extras a partir de edições posteriores.

Agora você pode ler e reter esse conteúdo importante de forma mais rápida.

Use um marcador

Um dos erros mais comuns que as pessoas cometem é não usar um marcador de texto, seja porque acabam marcando muitas coisas ou porque, algum dia, foram desencorajadas por seus professores. A verdade é que destacar o texto pode ser uma ótima ferramenta – se usada corretamente, claro.

Não se deve usá-la em tudo, e nem usá-la uma vez a cada cinquenta páginas. Ao invés disso, concentre seus esforços em destacar trechos de recapitulações do autor.

Um assunto certamente será discutido por várias páginas até chegar ao “clímax” final; destaque esse trecho e, em um momento de emergência, terá tudo o que precisa saber pronto em um piscar de olhos.

Use o índice e subtítulos

Esse truque também é muito conhecido. Muitos estudantes e alunos de faculdade acabam consultando o índice para ler apenas os capítulos que lhes interessam ou são relevantes para o que pesquisam.

Ou percorrem o livro e param quando vêem um subtítulo que lhes interessa. Isso torna a leitura uma tarefa menos laboriosa, uma vez que você está lendo apenas o que deseja.

Mas aqui ainda busca-se a essência do ponto central do autor da obra, que normalmente é reformulada de alguma forma em cada seção do livro.

Seja proativo ao invés de reativo

Clay Johnson, em seu livro “The Information Diet: A Case for Conscious Consumption”, tem uma passagem importante a respeito:

“O conselho número 1 que daria a uma pessoa é transformar sua relação com o consumo de informação em algo que possa ser feito de forma proativa, em vez de algo que acontece com você”.

Em outras palavras, isso quer dizer que devemos inverter a relação de busca por informação e conhecimento: você não deve forçar o caminho através de algo que não fala com você. Uma das maneiras de fazer isso, como dito antes, é pular as partes que são chatas e concentrar a atenção em seções que importam para você.

A leitura não é algo que proporcione diversão a menos que você se lance ao esforço de encontrar coisas que realmente deseje ler.

Não tente ler cada palavra

Esse é um erro muito comum que cometemos ao ler um livro.

Leia também:  Como Saber A Quem Pertence Um Terreno Em Portugal?

A maioria dos livros estão repletos de evidências ao invés de questões aprofundadas, o que é bom para você já que, enquanto a evidência é interessante, tudo passa a revelar a mesma tese.

Portanto, não se atole lendo fluxos intermináveis ​​de evidências que comprovam a argumentação do autor: encontre alguns que lhe interessam e passe para o próximo capítulo.

Isso vale para a leitura de ficção também.

Não desista porque você entrou em uma parte chata do livro (por exemplo, aquelas cenas de Game of Thrones onde o autor descreve cada detalhe sobre o pato assado que seus personagens fictícios estão comendo).

Apenas passe rapidamente até encontrar algo importante. Claro, você pode perder alguma coisa, mas é melhor manter-se em movimento do que desistir da leitura.

Escreva o que lê

Enquanto a maioria das pessoas odeiam escrever, essa é uma das maneiras mais fáceis de reter muita informação em um curto espaço de tempo.

Uma das técnicas para se lembrar de pontos-chave de um livro é condensá-lo em uma espécie de resumo – que você, obviamente, escreverá com as suas palavras.

Assim como usar o marcador de texto para destacar trechos relevantes da obra, resumir alguns dos pontos-chave é uma tática poderosa para analisar rapidamente os aspectos mais impactantes de um livro.

Discuta o que lê com as pessoas

Conversar com amigos ou colegas sobre leituras também é uma boa forma de reter informações. Alguns de nós somos aprendizes auditivos e, como diz o autor Eric Holtzclaw, essas pessoas “compreendem melhor quando [ouvem] o conteúdo e novas informações”.

Por isso, conversar com um amigo sobre o que você leu é uma ótima ferramenta em termos de solidificar seus conhecimentos sobre o assunto.

É ainda melhor se você puder brincar com isso, porque terá então condensado essas informações em algo que para você é relacionável​​, o que faz com que seja mais fácil de lembrar da obra lida no futuro.

Anote perguntas para discussão durante a leitura

Mantenha um bloco de notas ao seu lado ao ler um texto difícil. Quando ler algo intrigante ou desagradável, pare e escreva uma pergunta relacionada com o problema que está lidando. A chave é nunca assumir que o autor está correto; você quer se manter atento ao que está lendo, e ser crítico é uma maneira eficaz de fazer isso.

Essa é uma tática que funciona tanto para livros de ficção como de não ficção. Basicamente, pergunte-se coisas como:

– Por que o autor escreve frases como essas?
– Será que essas evidências fazem sentido?
– Será que o parágrafo revela uma ideia pré-concebida de algum tipo?
– Como aquela defesa se amarra ao argumento geral do autor?

  • – Com qual público ele está falando?
  • É evidente que as questões podem ser mais profundas e complexas do que essas; tudo depende do que se está lendo.

Melhorar as habilidades de leitura e compreensão de texto é como se tornar um participante ativo. Encontre o que deseja ler e faça um esforço para absorver alguns dos pontos mais significativos. Com sorte, você depreenderá muitas odisséias em pouco tempo!

Fonte: Lifehack

Foto: Glasses_on_book_101.JPG/MorgueFile via mrg.bz

Técnicas de leitura: aprenda como ler mais rápido e melhor

Você está com a sensação de que quanto mais perto do vestibular, maior é a quantidade de textos a serem lidos? Esse período costuma ser bastante puxado para todo estudante, já que, além dos estudos referentes ao terceiro ano do ensino médio, muitas instituições cobram a leitura de livros em suas provas. Além disso, é preciso lidar com a ansiedade de, finalmente, “iniciar a vida adulta” e conseguir entrar na faculdade.

Para conciliar todas as atividades e ser capaz de dar conta do cronograma de estudos, é possível adotar algumas técnicas de leitura para ler melhor e com mais velocidade. Já pensou nisso? Para ajudá-lo, vamos explicar a importância de ler mais rápido e como fazer isso com eficiência! Confira!

Por que ler mais rápido?

Você precisa ler com bastante velocidade para dar conta de todas as demandas escolares e as cobradas nos vestibulares, mas ler mais rápido pode proporcionar a você outros benefícios. Um deles é o aumento da sua motivação. Sabe por quê? Quanto maior for o seu rendimento, mais motivado se sentirá para continuar lendo.

Outra razão para você ter vontade de ler mais rápido é que, quanto maior for a sua velocidade de leitura, mais conteúdos fixará. Mas essa leitura deve ser feita com cuidado, sem deixar que qualquer informação passe despercebida.

Por fim, essa é uma habilidade que será muito útil em toda a sua vida e não só no período antes do vestibular.

Na faculdade, você terá mais disposição para ler todos os textos recomendados pelos professores e não verá isso como um problema, porque saberá adotar as melhores técnicas de leitura.

Caso pretenda fazer um concurso público mais tarde, vai tirar de letra o estudo dos conteúdos indicados.

Como ler mais rápido?

Se você percebe que apresenta dificuldade para engatar e ter um ritmo adequado de leitura, não se preocupe. Essa é uma prática que pode ser treinada e aprimorada. Talvez esse seja um dos motivos para muitas pessoas afirmarem não gostar de ler. Na verdade, o problema é a falta de conhecimento de técnicas de leitura.

Para você ter uma ideia, um adulto costuma ler cerca de 200 palavras por minuto. No entanto, de acordo com as demandas e, principalmente, após entrar na faculdade, é bastante comum que o número de palavras aumente para cerca de 300.

Isso mostra que uma leitura melhor envolve a questão de torná-la um hábito. Você precisa exercitar o seu cérebro e os seus olhos, porque quanto mais treinar, melhores serão os resultados.

Então, vamos colocar a mão na massa? Abaixo, apontamos algumas técnicas de leitura que vão auxiliá-lo a ler mais rápido e melhor!

Concentre-se apenas na leitura

Primeiramente, quando for ler algo, é preciso se concentrar apenas nessa atividade. Se a TV estiver ligada e o celular apitando do lado, você vai prestar atenção em tudo, menos no que deveria estar lendo.

Quando nos concentramos, a velocidade de leitura aumenta e, consequentemente, melhor será a compreensão e a memorização do conteúdo.

Portanto, vá para um ambiente tranquilo e livre-se de distrações quando for o momento de estudo e leitura. Desse modo, você perceberá como o seu rendimento será bem melhor.

Tenha uma postura adequada

Outra dica que vai influenciar na sua capacidade de ler mais e melhor é a postura adotada. Nós sabemos muito bem que pode ser muito confortável ler deitado, porém é a forma que vai te cansar mais rápido ou dar sono.

Por isso, vá para uma mesa e sente-se com a coluna ereta. Assim, você não sentirá desconfortos ou sonolência.

Leia um livro de cada vez

A leitura de mais de um livro pode fazer com que o seu cérebro se confunda. Ao se dedicar a apenas uma obra por vez, a sua capacidade de concentração naquela história será maior e, assim, terá uma compreensão mais qualificada do conteúdo.

Não releia trechos

É comum que, durante alguns momentos de leitura, percamos a atenção e, de uma hora para outra, percebamos que não nos lembramos do que foi lido nos últimos parágrafos. Mas se você achou que a solução para isso é reler os trechos, está enganado.

Essa tática atrasaria o seu rendimento e não seria tão benéfica para a memorização do texto. O ideal é seguir a leitura, pois, certamente, o que foi dito voltará a ser contemplado em algum momento.

Leia grupo de palavras

Vá aumentando, aos poucos, a quantidade de termos que contempla durante a leitura. Por exemplo, há quem vá lendo palavra por palavra. Nesse caso, estenda o seu campo de visão e passe a ler grupos de palavras. Essa é uma das técnicas de leitura que vai ajudá-lo a assimilar mais informações em menos tempo.

Pesquise antes sobre o conteúdo a ser lido

Outro procedimento que pode ser muito útil para aumentar a velocidade da leitura é pesquisar antes sobre o tema do texto ou livro.

Isso facilitará o entendimento do assunto e o deixará mais preparado para o que pode ser abordado. Desse modo, invista, antes, na leitura da introdução, tópicos, capítulos ou resumos.

O conhecimento prévio deixará a sua mente mais preparada para entender o tema da obra.

Não pronuncie as palavras

A leitura silenciosa é muito mais efetiva do que ler o texto em voz baixa. Isso se deve ao fato de que, quando você está lendo em voz alta, faz com que o seu cérebro gaste um tempo maior para assimilar a informação.

Utilize um dicionário

Essa dica é muito importante, porque ajuda a aumentar o vocabulário. É comum encontrar palavras das quais desconhecemos o significado, o que influencia no entendimento do conteúdo.

Com o dicionário, você tira as suas dúvidas sobre alguns termos e eleva a capacidade de compreensão. Isso vai ajudá-lo a ler melhor e com mais velocidade. Inegavelmente, você deve interpretar os textos com qualidade e reduzir o tempo de leitura para ser mais produtivo.

Respeite os próprios limites

Você pode adotar as melhores técnicas de leitura do mundo, mas não vai ter um bom rendimento caso não saiba o momento em que precisa dar um descanso para o corpo e a mente. Ao estar cansado, perderá capacidade de concentração e de assimilar as informações contidas no texto.

Essa situação acabará o obrigando a ler novamente a publicação, o que resulta em perda de tempo. Procure se dedicar a leitura em um período do dia em que está mais descansado e capaz de compreender o significado do conteúdo.

Ler mais rápido também envolve o seu estado físico e mental. Não adianta apenas passar os olhos em uma matéria de revista; é preciso captar as informações mais relevantes para adquirir conhecimento.

Leia também:  Ao Passar A Vida Eu Sei Que Nem Tudo Vai Ser Como Sonhei?

Adote a técnica de scanning

O scanning é um recurso utilizado no inglês instrumental e procura, inicialmente, identificar as palavras-chave, ou seja, os termos mais relevantes de um texto para facilitar a compreensão do assunto abordado.

Essa é uma das técnicas de leitura mais eficientes, pois permite um foco somente na parte do texto que julgar interessante. Por exemplo, você está lendo um artigo sobre as carreiras com mais destaque no mercado de trabalho.

Porém, você está interessado apenas em aprofundar o conhecimento sobre medicina e odontologia. Ao usar o scanning, identificará os dados sobre essas duas áreas com mais facilidade, o que ajuda a ler mais rápido e a fixar o conteúdo.

Opte pelos resumos

De que maneira constatar que as técnicas de leitura estão apresentando um bom resultado na compreensão dos textos? A resposta envolve a elaboração de resumos sobre o que você acabou de ler.

Não precisa fazê-los em um caderno — você pode gravá-los. Contar para si mesmo o que entendeu de um assunto é uma alternativa válida para analisar o próprio desempenho e ter mais incentivo para ler mais rápido.

À medida que for avançando na capacidade de memorizar as informações relevantes, você poderá fazer novos testes para aumentar a velocidade da leitura e assimilar novos conteúdos com extrema rapidez. Lembre-se de que os resumos são essenciais para aumentar o seu potencial de obter conhecimento.

Tenha foco na prática

O planejamento é primordial para atingir os objetivos, não é mesmo? Por isso, reserve um período do dia para ler publicações que sejam interessantes no momento para você.

Essa medida vai ajudá-lo a verificar as técnicas de leitura mais adequadas para apresentar um desempenho notável. Com certeza, a organização e o foco em resultados contribuirão para ler com mais produtividade e em menos tempo.

Cronometre o seu tempo de leitura

Como você saberá que realmente está melhorando o desempenho? Cronometrando quantas páginas consegue ler em determinado tempo. Assim, ao ter ciência do tempo gasto, adotará um parâmetro para superar os próprios limites.

Viu só como é possível ler mais rápido e melhor? Basta colocar em prática as técnicas de leitura apresentadas. Em pouco tempo, você logo perceberá os resultados! É importante, porém, que você torne essas dicas em hábitos o quanto antes, de modo que se torne algo fácil e recorrente em sua vida!

É inegável que as nossas sugestões serão muito valiosas para você ler de maneira mais rápida e eficiente. Por isso, não deixe de compartilhar este post nas redes sociais agora mesmo! O conhecimento é peça-chave para vencer desafios e evoluir a cada dia!

Você lê, mas esquece rápido? Esta dica fará sua memória funcionar melhor

Sempre foi importante ter uma comunicação cativante e envolvente. Hoje, com a presença da tecnologia atuando nos contatos pessoais, essa habilidade se tornou ainda mais necessária.

Pessoas articuladas, simpáticas e espirituosas são recebidas com alegria em qualquer roda de conversa.

Com esse comportamento, sobressaem de maneira positiva nas reuniões corporativas e no relacionamento social.

Para isso é preciso que tenham voz firme, com bom ritmo. Vocabulário amplo, pronto e adequado a todas as circunstâncias. Domínio da expressão corporal, para que os gestos sejam elegantes e harmoniosos. Expressão facial arejada. Pensamento bem ordenado, com raciocínio lógico e concatenado.

Para que todos esses aspectos possam efetivamente contribuir com o sucesso da comunicação é fundamental que a pessoa tenha conteúdo. Se não tiver o que dizer, o indivíduo será repetitivo, vazio, prolixo e apenas um falador chato. Quem possui informações, naturalmente associa e complementa as ideias com facilidade, e torna seu discurso mais atraente.

Alguns, entretanto, reclamam que não conseguem guardar as informações que leem. Em pouco tempo, o que parecia tão interessante para ser usado em uma conversa desaparece da mente. Já me disseram que, depois de ler um romance, não conseguem contar a história que no momento da leitura parecia ser tão fascinante.

Para solucionar essa questão e conseguir reter as informações relevantes apreendidas em uma leitura, vou sugerir um recurso que me caiu às mãos de maneira curiosa.

Ganhei um livro de oratória que havia pertencido ao poeta Guilherme de Almeida. A obra, com o título de “El Arte de Hablar Bien” (A Arte de Falar Bem) é de autoria de Paul C. Jagot e J. C. Noguin.

Foi publicada na Argentina em 1943 e traduzida do francês para o espanhol por J. C. Guiñon.

Embora seja uma obra relativamente comum, Guilherme de Almeida fez dela uma espécie de livro de cabeceira. Leu cada uma de suas páginas e assinalou a lápis todas as passagens que julgou interessante. Observe que não estamos falando de qualquer pessoa, mas sim de um dos mais brilhantes poetas brasileiros de todos os tempos.

Guilherme de Almeida nasceu em Campinas, no Estado de São Paulo, em 1890 e faleceu na capital paulista em 1969. Deixou uma vasta produção literária e, em 1930, teve o mérito de se tornar o primeiro poeta moderno a ingressar na Academia Brasileira de Letras. Foi figura de destaque na Semana de Arte Moderna de 1922.

Não se encontra uma página sequer do livro que não tenha pelo menos uma pequena anotação feita de próprio punho pelo poeta. Em alguns casos, Guilherme de Almeida chama a atenção que determinado trecho deveria ser lido várias vezes. Um deles assinala com destaque uma sugestão dos autores de como reter as informações lidas em um livro.

“Ao acabar de ler o capítulo de um livro resuma o conteúdo, o significado da mensagem da mesma maneira como se precisasse expô-lo diante de uma centena de pessoas.” Quem seguir essa sugestão assinalada por Guilherme de Almeida, terá dado um passo importante para assimilar com mais facilidade o conteúdo de suas leituras.

O resultado é impressionante. Ao resumir o capítulo de um livro, ou um artigo de jornal ou revista, imaginando que precisará apresentá-lo diante de uma plateia, aprenderá o conteúdo com mais tranquilidade. Esse recurso faz com que a pessoa tenha domínio da matéria que acabou de ler. O exercício será ainda mais eficiente se for feito em voz alta.

Dessa forma, além de fixar as informações que leu, terá oportunidade também para aprimorar a comunicação. Depois desse treinamento, quando falar em público fazendo uso do conteúdo aprendido, as exposições se revestem de uma qualidade diferenciada.

A leitura é uma das mais importantes fontes de conhecimento. Quem se dedica a essa tarefa de resumir o que acabou de ler e faz o exercício de apresentar as informações como se estivesse falando em público, incorpora definitivamente esse conhecimento, que passa a ser muito útil quando se apresentar diante da plateia.

Superdicas da semana

  • De nada adianta aprender a falar se não tiver o que dizer
  • O hábito de ler livros, jornais e revistas amplia o conhecimento
  • Depois de ler o capítulo de um livro, faça um resumo e imagine que irá apresentá-lo falando em público
  • Assim que adquirir uma nova informação, aproveite a primeira oportunidade para transmiti-la. Assim terá o seu domínio

Livros de minha autoria que ajudam a refletir sobre esse tema: “29 Minutos para Falar Bem em Público”, publicado pela Editora Sextante e “Conquistar e Influenciar para se Dar Bem com as Pessoas” e “As Melhores Decisões não Seguem a Maioria”, publicados pela Editora Saraiva.

Para outras dicas de comunicação, entre no meu site (link encurtado: http://zip.net/bcrS07)Escolha um curso adequado as suas necessidades (link encurtado: http://zip.net/bnrS3m)

Siga no Instagram: @reinaldo_polito 

8 truques para você lembrar tudo que ler

Muitas pessoas admitem que esquecem grande parte do que leram, não importa o quanto gostaram do texto. Mas, só porque o esquecimento é um fenômeno humano, não quer dizer que você deveria simplesmente aceitar.

Leia também:
» 5 livros que me inspiraram no trabalho
» 101 filmes para inspirar
» 5 dicas para ler 100 livros por ano

De fato, há diversas estratégias simples e criativas para guardar o que você lê – seja romances, artigos ou livros científicos. Para descobrir quais são algumas dessas técnicas, nós examinamos a discussão do Quora, “Como você se lembra do que acabou de ler?” e vasculhamos a internet à procura de conselhos de outros leitores.

Abaixo estão oito das técnicas mais práticas (parabéns se você puder lembrar todas as oito amanhã):

1.Faça anotações na página

“Nunca leia sem um lápis”, diz o usuário do Quora Deniz Ates. “Grife frases que são confusas, interessantes ou importantes. Risque linhas ao lado de parágrafos importantes. Desenhe diagramas para ver a estrutura das ideias principais”.

2. Faça perguntas a si mesmo sobre o material

Ingrid Spielman recomenda interagir com o texto fazendo perguntas a si mesmo enquanto lê.
Se estiver lendo um livro, a pergunta pode ser simples como “Qual é a ideia principal dessa parte?”.

Se estiver lendo uma ficção, você pode se perguntar “Quais são os motivos do personagem?” e “Se pudesse reescrever, como seria sua versão?”.

3. Dê uma olhada rápida primeiro

Um usuário anônimo citou o artigo de Bill Klemm, professor de neurociência, que destaca a leitura dinâmica como estratégia principal para se manter informações.

A ideia aqui não é pular o processo inteiro de leitura. Ao invés disso, você vai vasculhar o texto atrás de topicos importantes e palavras-chave antes para que saiba o que esperar quando, de fato, começar a ler. Estar familiarizado com os temas gerais, afirma Klemm, irá ajudá-lo a se lembrar das particularidades.

4. Impressionar, associar, repetir

Um usuário do Stack Exchange diz que a memória é um processo de três partes. A primeira parte é a impressão. Você pode aumentar a impressão que o texto causa ao desenhar a situação em sua mente ou se imaginar participando dos eventos descritos.

A segunda parte é a associação ou conectar o material com algo que você já conhece. Por exemplo, talvez um dos personagens tenha o nome parecido com o do seu amigo.

Leia também:  O Que É O Instagram E Como Funciona?

A terceira parte é a repetição. Quanto mais ler o material, mais forte será sua memória. Se você não quer reler um livro inteiro, tente realçar algumas partes do texto onde você pode voltar.

5.Apresente a informação aos outros

Especialistas dizem que se você quer lembrar o que experienciou é importante fazer algo com essa informação.

Dois usuários do Quora listaram que falar sobre o que você lê é útil para processar novos materiais. Venkatesh Rao sugere escrever um blog ou tentar explicar aos outros o que você acha que aprendeu.

E mais: se você descobrir que não consegue explicar, talvez precise reler.

6. Leia em voz alta

Outro usuário anônimo disse “Eu tenho que ler em voz alta a maior parte do tempo para entender e lembrar o que li”.

Escritor da Psychology Today, o psicólogo Art Markman afirma que essa estratégia funciona melhor quando há poucos itens importantes a serem lembrados. Isso ocorre porque as frases que você fala (ou sussurra) em voz alta têm uma característica distinta. Você se lembra de falar e de ouvir os itens, então sua memória é diferente da memória de quando você leu em silêncio.

7. Leia no papel

E-readers são ferramentas convenientes para quando você quiser levar uma tonelada de livros nas férias e para baixar histórias em um instante.

Mas pesquisas indicam que eles podem enfraquecer suas memórias. Um estudo descobriu que, quando pessoas leem a mesma história no papel ou em um Kindle, os leitores do papel se melhor lembraram da cronologia da história.

A principal autora do estudo, Anne Mangen, afirma que isso é possível porque a pilha de páginas em suas mãos cria um “senso tátil de progresso” que você não sente em um Kindle (claro, é possível que pessoas acostumadas com o Kindle não apresentem esse problema).

Enquanto isso, outra pesquisa de Mangen descobriu que colegiais performaram melhor em um teste de leitura e compreensão quando leram o texto impresso em vez de na tela do computador.

8.Se familiarize com o tópico primeiro

O blogueiro Ryan Battles recomenda adquirir algum conhecimento prévio antes de mergulhar em um texto.

“Quanto mais você entender sobre um tema em particular mais ‘ganchos’ manterão os fatos”. Presumidamente, isso ocorre porque você será capaz de fazer associações entre novas informações e o que você já sabe.

  • Está sempre em busca de novos conhecimentos?
  • Combinanos as habilidades mais requisitadas pelo mercado de trabalho com especialistas de cada área para oferecer programas de aprendizagem baseado nas experiências de quem lida com estes desafios no dia-a-dia.
  • veja os cursos abertos

Texto originalmente publicado no site Business Insider. Traduzido e adaptado pela equipe do Tutano.

Como Absorver o Que Você Lê

Baixe em PDF
Baixe em PDF

Com as copiosas e incessantes distrações do mundo moderno, absorver o que se lê pode ser bem difícil.

Isso acontece tanto com leituras acadêmicas e técnicas como com o que se lê por prazer. Para absorver o que você lê, comece criando um ambiente calmo, propício à leitura. Depois, esforce-se para ler com calma e atenção.

Faça anotações para fixar e concatenar melhor certos detalhes, se julgar necessário.

  1. 1

    Encontre um lugar calmo e isolado, no qual saiba que ficará sossegado e livre de distrações. Ele pode ser o seu quarto ou aquele cômodo inutilizado de sua casa. É preferível que ele fique longe da sala de estar e da cozinha. Na escola, você pode procurar uma mesa tranquila na biblioteca ou na sala de estudos.[1]

    • Tente encontrar um cômodo de paredes grossas e em que se possa ficar a portas fechadas para se proteger melhor de sons que possam perturbá-lo.
  2. 2

    Proteja-se de ruídos e distrações. Se você antecipa que haverá barulho no seu ambiente de leitura, além de fechar portas e janelas, use fones com cancelamento de ruído ou protetores auriculares para ficar ainda mais focado.

    • Desligue o telefone e a internet para não se distrair com redes sociais nem mensagens de texto.
  3. 3

    Avise outras pessoas de que gostaria de não ser perturbado. Você pode comunicá-las verbalmente de que quer concentrar-se na leitura ou pendurar um aviso de “não perturbe” na maçaneta da porta. Sem ninguém a entrar e sair do cômodo, você poderá dedicar toda a sua atenção à tarefa.

    • Você pode estabelecer um período pelo qual não quer ser perturbado, 30 minutos ou uma hora, digamos, o que é uma garantia a mais de que nada tentará disputar a sua atenção.
  1. 1

    Leia a versão impressa do texto em vez da digital. Os tipos impressos são focalizados mais facilmente pelos olhos. Caso não haja uma versão física do material ou do livro, simplesmente imprima o arquivo digital que você tem. Ler em telas de computadores, tablets e telefones exige mais dos olhos.[2]

    • Para economizar papel, use a opção de imprimir em frente e verso. Usar papel reciclado também seria preferível.
    • Ou você pode ler o texto num leitor eletrônico cuja tela seja propícia para a leitura prolongada. Havendo qualquer problema de leiturabilidade, aumente o tamanho da fonte.
    • Sendo necessário ler numa tela, diminua o brilho dela o máximo que for possível sem prejudicar a visibilidade do texto.
  2. 2

    Leia o texto por alto à cata de palavras-chave, ideias centrais, temas recorrentes. Procure termos que sejam reiterados várias vezes, conceitos importantes, temas retomados página a página. Essa leitura preliminar facilitará a compreensão do texto quando você o ler na íntegra.[3]

    • Ter essas palavras-chave e ideias centrais em mente vai guiar melhor a sua leitura.
  3. 3

    Leia em voz alta. Isso aplaca o ritmo de leitura, permitindo-se assimilar melhor cada elemento e ouvir a cadência do texto. Assim, será mais fácil identificar repetições, volteios e o tipo de linguajar empregados pelo autor.[4]

    • Para deixar tudo mais interessante, você pode revezar a leitura em voz alta com um colega ou amigo. Assim, você poderá analisar o som e o ritmo do texto de maneira mais pura.
  4. 4

    Releia o que não ficar claro. É normal deparar-se com palavras e frases complicadas à primeira vista, mas basta relê-las calmamente, sempre atento às relações entre os significados delas.

    Destrinche a passagem com paciência, e ela ficará clara. Faça anotações acerca de ideias importantes e elementos difíceis de entender. Não menospreze nada (trechos, palavras, conceitos etc.).

    Guiando-se pelas anotações, você poderá voltar a elas e absorvê-las melhor.[5]

    • Feita a releitura da passagem difícil, tente situá-la melhor no texto propondo a si mesmo perguntas tais quais: “De que modo este trecho se relaciona com o livro como um todo? Como o autor articula nele os conceitos ou ideias-chave?”. Ou crie um questionário para avaliar o seu domínio do texto.
  1. 1

    Sublinhe ou grife frases interessantes. Tenha à mão uma caneta ou um marca-texto para fazer as marcações em todas as passagens que, por qualquer razão, lhe pareçam surpreendentes ou importantes. Não tenha medo de rabiscar o texto — isso o ajudará a ler de maneira mais compenetrada.

    • Sublinhe só o que parecer de fato importante. Se as marcas forem muito abundantes, será difícil, nas releituras subsequentes, identificar as ideias realmente essenciais.
    • Grife o texto apenas se você for o dono dele e se isso não incorrer em nenhum problema. Jamais faça isso em livros e textos emprestados e publicações antigas ou valiosas.
  2. 2

    Faça anotações na margem do papel. Cuide para que elas sejam breves. Isso pode propiciar uma melhor reflexão acerca do conteúdo conforme você avança. Desenhe pontos de interrogação ao lado de trechos pouco claros e anote os questionamentos suscitados pelo texto.[6]

    • Faça anotações que indiquem o papel de cada parte: “elemento-chave”, “desenvolvimento do tema principal”.
    • Cumpre reforçar: faça anotações diretamente no texto apenas se você for dono dele e isso for apropriado. Não rasure publicações emprestadas da biblioteca ou de outras pessoas.
  3. 3

    Faça anotações num caderno, num bloco ou num papel se não puder fazê-las diretamente no livro. Reescreva os trechos importantes que você gostaria de poder grifar e escreva os seus comentários acerca deles. Para simplificar, você pode escrever o número da página ao lado de cada anotação para se localizar melhor.

    • Depois de anotar a página e o parágrafo e, ao lado, o seu comentário: “discussão do tema proposto no título”, “momento de virada para a personagem”.
    • Separar um bloco ou caderno apenas para fazer anotações acerca do texto, mesmo que este possa ser rasurado, vai ajudá-lo a se localizar melhor depois.
  4. 4

    Elabore uma série de questões acerca do material para interpretá-lo melhor. Imagine-se a travar uma conversa direta com o texto. Pergunte-se a respeito de passagens que o tenham intrigado ou confundido. Liste essas questões à medida que avançar.

    • Pergunte-se, por exemplo: “Como esta frase articula o tema do texto?”, “Por que este exemplo foi incluído pelo autor?”, “Que sensação este trecho causa ao leitor?”.
    • Liste as perguntas numa parte separada do caderno ou bloco de anotações para consultá-las novamente depois.
  5. 5

    Faça uma lista das palavras com as quais tenha pouca familiaridade ou cujo significado desconheça. Consulte-as no dicionário para poder entendê-las dentro do contexto da frase. Isso enriquecerá a sua interpretação.[7]

    • Deixe um dicionário por perto para poder consultá-lo rápida e facilmente.
    • Se quiser, crie uma lista de termos difíceis e consulte-os todos ao fim do texto para não quebrar o fluxo de leitura.

Coescrito por :

Mestra em Escrita Criativa

Este artigo foi coescrito por Stephanie Wong Ken, MFA. Stephanie Wong Ken é uma escritora que mora no Canada. Seus textos já foram publicados por Joyland, Catapult, Pithead Chapel, Cosmonaut's Avenue e outras publicações. Possui um Mestrado em Ficção e Escrita Criativa pela Portland State University. Este artigo foi visualizado 14 775 vezes.

Categorias: Estudo

Esta página foi acessada 14 775 vezes.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*