Como Pegar Um Gato Que Fugiu?

Como Pegar Um Gato Que Fugiu?

Gatos correm vários riscos ao sair de casa, por isso, é importante se esforçar para encontrá-lo o mais rápido possível

Gatos que têm acesso a rua se tornam grandes fãs da voltinha e costumam fazer isso com frequência. Alguns gatos sabem ir e voltar sem nenhum arranhão, mas outros acabam sumindo por mais dias e preocupando seus tutores, já que podem ou não voltar e não é possível ter certeza se vão voltar bem. Existem algumas razões para que os felinos tenham esse comportamento. Se o seu gatinho fugiu, fique calmo! Abaixo explicamos algumas coisas que você pode fazer para procurar pelo seu gato. Confira!

Meu gato sumiu! Separamos algumas dicas para você começar a procurar por ele:

  • Publique nas redes sociais

As redes sociais são instrumentos poderosos de comunicação.

Todos os dias, centenas de animais se perdem, fogem ou somem, e a internet bomba de compartilhamentos entre tutores e pessoas que acompanham esse nicho. Se o seu gatinho fugiu, aposte nas redes sociais para ajudar a encontrá-lo.

Poste fotos, explique o que aconteceu, coloque o local onde você acredita que ele se perdeu, coloque uma forma de contato e peça ajuda para compartilhar.

  • Coloque um pouco de comida próximo ao local onde ele fugiu

Alguns gatos costumam retornar para suas casas com comida. É uma boa ideia colocar sachê ou uma comida diferente em um potinho e deixar próximo ao local por onde o seu gato fugiu, para que ele seja atraído pelo cheiro e, caso esteja próximo, consiga retornar para casa.

  • Procure pelo seu gatinho na rua com comida na mão e uma caixa de transporte para gatos

Para começar a procurar pelo seu gato na rua ou em locais públicos, é importante estar com comida na mão.

Um pouco de petisco ou um pote com sachê vai atrair o seu peludo e pode ajudá-lo a retornar até você, já que com a fuga ele deve estar com fome.

Outra dica é sair para procurar com a caixa de transporte para gatos: quando você encontrar o pet, você poderá carregá-lo com segurança, sem correr o risco dele fugir ou se assustar com alguma coisa.

  • Use lanternas para procurar pelo seu gato em arbustos e embaixo dos carros

Procurar por um gato à noite pode ser mais difícil, por isso você deve carregar lanternas e objetos que possam produzir luz e facilitar a visão. Procure em arbustos, árvores, embaixo de carros ou buracos, existe sempre a possibilidade do gato estar machucado e procurar por um lugar seguro para se esconder.

  • Espalhe cartazes pelo seu bairro e pergunte aos comerciantes e moradores locais

Ainda que as redes sociais possam alcançar muita gente, o boca a boca sempre será uma forma de comunicação eficaz.

Pergunte aos seus vizinhos, moradores ao entorno e até comerciantes do seu bairro se eles não viram ou conhecem o seu gatinho. Às vezes, algum vizinho pode ter visto o seu bichano e o acolheu, mas não sabe que ele tem uma família.

Aproveite para entregar cartazes e colar em postes e muros para atrair a atenção de quem passar pela região.

  • Procure em clínicas veterinárias, ONGs, abrigos e no Centro de Controle de Zoonoses

É bem comum que ao encontrar um animal na rua, as pessoas o levem direto para o veterinário. Por isso vale a pena procurar por clínicas da região e perguntar se não apareceu nenhum gatinho por ali.

Em alguns casos, a clínica até já sabe que há um paciente ali que estava na rua e pode ter uma família. Outra opção é procurar em ONGs, abrigos e no Centro de Controle de Zoonoses da sua cidade.

Sempre há a possibilidade de que uma pessoa tenha encontrado seu gato, e tenha levado o bichano para um abrigo na intenção de conseguir ajuda para ele.

  • Mudou de casa recentemente? Volte para a sua residência antiga.

Gatos são animais territorialistas e costumam marcar todo o espaço onde vivem. Uma mudança de residência pode surpreender o seu gatinho e com isso, ele pode fugir por não conhecer o novo ambiente. É importante que você cogite a ideia de retornar para sua casa antiga e procurar pelo seu bichano por lá. Às vezes ele está sentindo falta do ambiente, que ele já considerava seguro.

Como Pegar Um Gato Que Fugiu?

Uma coleira com suas informações de contato é importante para caso alguém encontre seu gato perambulando na rua

Como Pegar Um Gato Que Fugiu?

Cuidados dos animais

O carrapato em cachorro, assim como as pulgas, é uma das principais causas de aborrecimento nos donos de pets. Mesmo usando coleiras ou remédio para carrapato, o animal não está livre de pegar esses parasitas tão incômodos e que podem causar problemas graves.

Às vezes, um simples passeio ao ar livre já pode gerar dores de cabeça se o local estiver infestado. Para controle, é importante não só proteger o animal, mas também fazer uma limpeza do ambiente: estudos mostram que os carrapatos podem sobreviver até 200 dias em um lugar sem se alimentar.

Pensando nisso, vamos te ensinar como acabar com carrapatos no quintal com ingredientes que você pode ter em casa.

Como Pegar Um Gato Que Fugiu?

Cuidados dos animais

Até mesmo os tutores mais experientes podem cometer alguns erros quando o assunto é cuidar de gato. Uma dúvida muito comum, por exemplo, é se a castração de gato é realmente necessária.

Além disso, muitos humanos cometem o erro de tratar os felinos como se eles fossem cães, embora eles tenham comportamentos claramente distintos.

No geral, os gatos são mais reservados, independentes e valorizam muito sua privacidade, diferente dos cachorros. P

Como Pegar Um Gato Que Fugiu?

Cuidados dos animais

Ter um cãozinho em casa é só alegria, mas é sempre bom que o dono esteja preparado para lidar com alguns comportamentos inconvenientes do animal. Um deles é o xixi fora do lugar para deixar o cheiro em todos os cantos da casa.

O que fazer para o cachorro parar de marcar território? O costume é desagradável e pode até tirar o sossego de muitos tutores por aí.

Para te ajudar, separamos algumas dicas para evitar que o cachorro marque território em casa e faça xixi onde não deve. Acompanhe!

Como Pegar Um Gato Que Fugiu?

Cuidados dos animais

Mesmo que muitas vezes sejam esquecidas na hora dos cuidados, as orelhas do seu cachorrinho são bem sensíveis e precisam de bastante atenção. De vez em quando, é comum que algum incômodo pontual faça o seu cachorro ficar coçando a orelha, mas quando isso se torna algo frequente e você percebe um incômodo maior no animal, vale a pena ficar atento.

Existem muitas razões que levam um gato a sumir. Gatos são animais que se assustam facilmente, um barulho alto ou desconhecido, como latido de cachorros ou fogos de artifício, pode deixar os animais em pânico e eles vão fugir na tentativa de se proteger. 

É bem comum que isso ocorra também com gatos e gatas que não são castrados. Na época do cio, esses felinos vão procurar por parceiros na rua para que possam cruzar e reproduzir – e essa procura pode levar dias ou até mesmo semanas. 

Uma mudança na rotina também pode surpreender o gato e tornar aquele momento em uma fuga. Gatos que mudam de uma casa para outra precisam de um tempo para reconhecer, explorar e marcar aquele território. Por isso, é bem comum que eles voltem à residência antiga no meio de uma fuga, já que aquela região já era dominada por eles. 

Meu gato sumiu: será que ele volta? 

Não é possível ter uma resposta concreta para essa pergunta. Uma vez que está livre, o gato pode retornar à residência quando desejar e você não precisa esperar para postar “meu gato sumiu faz uma semana” nas redes sociais. Já tem um dia que seu gato sumiu e ele não voltou? Então é hora de procurar por ele! 

Para evitar que o seu gato fuja, você pode tomar alguns cuidados.

A melhor maneira de impedir fugas felinas é investindo em uma tela de proteção para gatos nas janelas e basculantes, ou qualquer espaço que permita o acesso do seu gato às ruas. Se você mora em casa, não tem muita desculpa.

Algumas empresas que instalam telas de proteção conseguem adaptar o serviço para casas e quintais, pensando sempre na segurança do gato sem reduzir o espaço que ele tem. 

Outro ponto importante é usar uma coleira com identificação para gatos.

Existem muitos modelos no mercado e você pode procurar por aquele que não vai incomodar seu bichano, e nem correr o risco de se soltar caso ele resolva fugir.

Se o seu gatinho não se adaptar, se informe sobre a microchipagem. No chip, é possível colocar informações do gato e também do tutor, facilitando que ele volte para casa caso seja encontrado por alguém. 

E por último, é essencial castrar o seu gato. A castração evita fugas e diminui o instinto do animal de querer saber o que há na parte externa da residência.

Além disso, machos não vão mais atrás de fêmeas para cruzar, e as fêmeas também não vão miar para atrair os gatos para o local onde ela está.

A castração é um ato com enormes benefícios para a saúde e para o comportamento do seu filhote, já que reduz as chances de fuga e os riscos de contrair doenças fatais de outros bichanos, como a FIV, a FeLV e a esporotricose.

Redação: Júlia Cruz

Como Pegar Um Gato Que Fugiu?

Continuar Lendo

Meu gato fugiu? O que eu faço para encontrá-lo?

“GATO PERDIDO” ou “MEU GATO FUGIU!” Nenhum dono de gato gosta de ouvir essas palavras. Porém pode acontecer tão facilmente do seu gato fugir, um gato curioso pode se aproveitar de uma porta entreaberta, uma janela aberta de frente pra rua, buracos debaixo da cerca e fugir para explorar a vizinhança.

A vezes você até pode ver seu gato tentando fugir, isso pode acontecer durante uma festa ou durante uma mudança, por exemplo, o entregador pode deixar alguma porta do armário aberta e seu gato entrar la e depois fugir.

Ou também, você pode preparar o jantar dele com uma ração ou patê e ficar chamando por ele e ele não aparecer, ai você começa a procurar pela casa toda – dentro e atrás dos móveis, dentro do armário, embaixo da cama, debaixo do sofá, no quintal e nada…ai você conclui que seu gato fugiu, e agora, o que fazer?

Leia também:  Como É Que Os Dinossauros Se Extinguiram?

12 dicas para tentar recuperar um gato perdido:

1) Refaça os passos

Pense como e por onde seu gato pode ter fugido. Se seu gato é um gato que vive só dentro de casa, tente procurar pelo lufar que ele possa ter fugido, comece procurando pelas portas – incluindo a porta da garagem e janelas, se alguma delas estiver entreaberta, quase certeza de que foi por ai que seu gato fugiu.

A partir de encontrando o ponto pelo qual você acha que seu gato fugiu, você pode começar a procurar, geralmente gatos não vão muito longe, eles se escondem em lugares próximos ao de onde ele fugiu.

Se o seu gato não está acostumado em viver no exterior da casa, ele provavelmente irá correr para algum lugar onde ele possa se esconder e ficar quieto.

Já se o seu gato está acostumado a viver no exterior da casa, você precisa procurar entender o que aconteceu para que ele saísse de seu comportamento normal de voltar para casa sempre e fugir dessa vez.

Ele pode ter sido perseguido ou atraído por outro gato de rua, algum cachorro pode tê-lo perseguido,  ou alguém da carrocinha que também pega gatos, pode ter pego ele ou, também, leve em consideração que gatos externos ficam mais a vontade quando estão nas ruas do que os gatos internos, então ele pode ter ido bem mais longe do que você imagina, então aumente sua área de procura!

2) Procure no quintal e principalmente na garagem

Assim que você notar que seu gato fugiu, comece a procurar imediatamente. Comece procurando na sua casa mesmo, todos os móveis e vá direto para o quintal, se tiver uma piscina, veja se o gato não caiu nela, procure pela área do quintal todo, debaixo e na copa das árvores, no meio dos arbustos.

  • Depois vá para a garagem, procure debaixo do seu carro, debaixo de algum móvel que tenha, no parapeito da janela e em qualquer lugar que pareça silencioso e escondido, lembrando de ver dentro de caixas e da lata de lixo.
  • Lembre-se que provavelmente seu gato estará assustado, você pode até chama por ele, mas ele não vai miar ou sair do seu esconderijo, uma boa ideia é andar e ficar atiçando o seu gato com um petisco que ele goste muito.

 3) Procure nos seus vizinhos

Depois de procurar muito bem na sua casa, corra para conversar com seus vizinhos em um raio de três casas de distância. Mostre aos vizinhos uma foto e dia a eles que seu gato fugiu e pergunte se eles o viram, lembre-se de deixar seu nome e telefone e peça para que eles liguem para te avisar.

Mas não pare por ai, peça aos vizinhos para você procurar seu gato pela casa deles, se ele concordarem, procure nos mesmo lugares que procurou na sua casa e peça para que eles se mantenham atentos para qualquer sinal de um gato na propriedade deles.

4) Atraia seu gato para fora do esconderijo com comida ou petisco

Se o seu gato é um gato interno e você acha que ele pode estar se escondendo nos arredores, tente fazer uns barulhos que você faria normalmente na hora de preparar a comida dele, bata os potinhos, pegue a ração, uns patês.

Coloque o potinho de comida usual do seu gato no chão perto da porta nos horários do café da manhã e do jantar e deixe por um tempo, fique sempre de olho para que nenhum gato de rua ou outro animal coma a comida que você separou para atrair o seu gato.

5) Espalhe flyers

Assim que perceber que seu gato fugiu, também é uma boa ideia criar uma forma de chamar atenção para a causa. Crie um flyer de “GATO PERDIDO” e tire quantas cópias achar necessário – prefira usar papel neon, chama muito mais atenção de quem passa na rua.

No topo do flyer, coloque as palavras “GATO PERDIDO”em letras garrafais, abaixo coloque uma foto recente do seu gato, o local e a data que ele fugiu, a raça dele e as cores do pelo dele, coloque também o seu telefone em letras grandes com destaque.

 Se quiser, pode colocar uma recompensa, mas não especifique, diga “ofereço recompensa”, pois você pode acabar sendo vítima de algum espertinho querendo tirar vantagem da situação.

Cole seus flyer em postes, pontos de ônibus, peça para que os porteiros dos prédios ao redor peguem e colem na portaria, cole em orelhões, lojas, igrejas, escolas e centros comunitários. Peça para que locais de comércio contribuam para sua busca, deixando flyers em restaurantes, cabeleireiros e pet shops.

6) Visite abrigos, centro de controle de animais e pet shops da região

Vá a todos os abrigos de animais em sua região para ver se alguém mandou seu gato para lá. Tente também ir para abrigos mais longe, as vezes alguém achou seu gato, mas não levou para o abrigo mais perto, pode tê-lo levado para um abrigo de confiança ou algum que a pessoa ajuda. Procure em todos esses abrigos pelo menos uma vez por semana, já que animais entram e saem todos os dias.

7) Ligue/entre em contato com veterinários locais

Se o seu gato fugiu e acabou sendo machucado, mordido ou atropelado, ele pode ter sido levado para um veterinário da sua região. Ligue para as clínicas da sua região para ver se algum gato com as mesmas características do seu foi levado para lá. Caso eles não tenham nenhum gato com as descritas por você, deixe seu telefone para entrarem em contato caso algum apareça.

8) Use as redes sociais a seu favor

Coloque posts na sua página pessoal de suas redes sociais, nas páginas e grupos de animais perdidos. Você pode procurar pelos grupos/páginas/sites/blogs para ver se alguém achou seu gato e postou lá. Uma vez cadastrado nos sites, vocês receberá notificações se alguém achar um gato que possa ser o seu.

9) Use os jornais também

Alguns jornais deixam as pessoas anunciarem seus pets perdidos – as vezes de graça, outras vezes cobrando uma pequena quantia. Vale a pena você colocar em um deles que sue gato fugiu, tente anunciar pelo período de uma semana ou mais, se você achar necessário. Coloque as mesmas informações que você colocou no flyer.

10) Fique atento na coluna de “animais encontrados”

Fique atento e responda a qualquer anúncio que você acha que possa ser o seu gato, outras pessoas podem achar seu pet e usar palavras diferentes das que você usaria, então olhos abertos!Lembre-se também, que seu gato fugiu e ele pode ter passado por algum trauma, pode estar sujo, machucado ou com algo no pelo que não tinha antes, atente-se!

11) Arme uma armadilha

Se você acha que sei gato está por perto da sua casa em algum lugar, tente montar uma armadilha. Alguns pet shops ou até abrigos, têm uma jaula que você pode colocar uma isca dentro para fechar o gato.

Coloque um pouco de atum, sardinha ou frango cozido dentro da jaula, amarre o pedaço de comida que será usado como isca em um barbante, de forma que fique pendurado – o gato prestará menos atenção na armadilha se tiver algo para ele puxa ou brincar antes de comer.

Coloque essa jaula perto de onde você acha que seu gato está escondido, lembre-se de também verificar se no local bate muito sol, assim se o seu gato cair na armadilha, ele não ficará exposto ao sol por muito tempo e lembre-se de checar a armadilha muitas vezes ao dia, pelo menos 4 vezes.

12) Nunca perca a esperança

Não desista logo depois de um ou dois dias, continue procurando por uma semana ou mais – a maioria dos gatos se cansa de se esconder ou acabam ficando com fome e voltam depois de um bom tempo.

Vai chegar uma hora que, se ele estiver por perto, ele entrará pela porta de trás, pulará na janela ou, se você tem o costume de ficar chamando por ele na região, ele aparecerá – geralmente isso acontece depois de uma semana ou duas, portanto não desista!

Mantenha sua mente positiva apesar da tristeza, mesmo que uma ou duas semanas tenham passado, lembre-se que seu gato ainda pode ser encontrado.

Previnir sempre!

Não há jeito de impedir que seu gato fuja, mas você pode prevenir que isso aconteça. Feche muito bem todas as portas, janelas e frestas quando for sair de casa, fique atenta com os móveis que entram e saem da sua casa.

Principalmente, não se esqueça de identificar o seu gato, uma coleira com pingente identificador é uma forma de prevenir que seu gato suma e seja irreconhecível.

Como Capturar um Gato Perdido

Baixe em PDF
Baixe em PDF

Para controlar a população de felinos, a Sociedade Americana para a Prevenção da Crueldade contra Animais (ASPCA em inglês) adotou oficialmente uma política chamada Apreender-Castrar-Retornar (TNR em inglês), segundo a qual é recomendado que todos os gatos de rua sejam capturados, esterilizados ou castrados para impedir a reprodução. Não importa se você está lidando com um gato imundo que senta e mia na frente da sua varanda, ou com um bichano malhado que brinca na grama alta do seu quintal, você pode precisar capturar o animal para ajudar a mantê-lo saudável e em segurança. Ele pode ser um bichinho de estimação perdido que pode ser devolvido aos donos ou um filhote feroz para quem você possa dar um novo lar, fazer a coisa certa ao pegar um gato de rua pode ser uma bênção para a sua comunidade e uma experiência gratificante. Aprenda a capturar o animal com segurança preparando-se eficazmente, atraindo o animal e mantendo-o seguro.

  1. 1

    Observe o gato por um tempo. Antes de pegar ou até mesmo se aproximar de um gato de rua, você precisa observá-lo para ver se há algum sinal de doença ou ferimento.

    Para a sua própria segurança e a do gato, é importante avaliar a saúde do animal e criar um plano viável para determinar quando e como ajudar. Se ele tem aparecido há alguns dias, fique um tempo observando-o de perto.

    Se o gato for amigável, o seu trabalho ficará bem mais fácil. Se não, você terá trabalho pela frente.

    • Se o gato for imprevisível, respirar com dificuldade, babar excessivamente ou se geralmente tiver um comportamento letárgico e incomum, ligue para um estabelecimento responsável. Não tente chegar perto de animais que exibam sinais de doença.[1]
      Há algumas doenças que gatos carregam que são zoonóticas — transferidas de humanos para animais e vice-versa. A raiva é uma doença assustadora e virtualmente incurável transmitida pela saliva através de mordidas ou cortes na pele.[2]
      Outro risco se refere às perigosas infecções que as mordidas de gato podem passar. Profissionais que trabalham com controle de animais têm o equipamento necessário para capturar gatos de rua doentes com segurança.
    • Nem todo gato precisa ser capturado. Não tente pegar gatos bem nutridos e usando coleiras. Em vez disso, ligue para os vizinhos e pergunte se alguém perdeu um bichano.

    DICA DE ESPECIALISTA

    Pippa Elliott, MRCVS

    Veterinária A Dra. Elliott é uma veterinária com mais de 30 anos de experiência. Formou-se na University of Glasgow em 1987 e trabalhou como cirurgiã veterinária por 7 anos. Depois disso, a Dra. Elliott trabalhou como veterinária em uma clínica por mais de uma década.

    Pippa Elliott, MRCVS Veterinária

    Pippa Elliott, veterinária, explica: os gatos de rua que já foram capturados e castrados têm uma orelha mais baixa do que a outra, pois é uma marca médica de identificação. Se o gato que encontrar estiver assim, não é necessário pegá-lo.

  2. 2

    Consiga uma armadilha viva. As armadilhas vivas são extremamente seguras e possuem simples mecanismos que captura gatos de maneira fácil e humana.

    Você coloca comida como isca, e então as portas da gaiola fecharão quando um animal caminhar para dentro dela, prendendo-o com segurança.

    Após apreender um gato de rua, deixe-o na armadilha viva e leve-o ao veterinário. Não remova o animal da gaiola até que tenha feito isto.

    • Os médicos veterinários da região e os abrigos de animais te emprestarão uma armadilha viva para capturar gatos perdidos. Você não precisa comprar uma, embora possa ser uma boa ferramenta para se ter à mão caso você viva em uma área rural e geralmente encontre gatos perdidos e outros animais que necessitem ser transferidos.
    • Se você não conseguir encontrar ou usar uma armadilha de maneira alguma, utilize uma caixa para transporte de gatos ou uma caixa para atrair o gato com comida e prendê-lo. Confira com o seu veterinário antes de usar uma caixa de transporte, pois alguns médicos só aceitam gatos que chegam em gaiolas. Este tipo de armadilha é mais segura e eficaz, mas outras opções servem em caso de apuros.[3]
  3. 3

    Evite métodos pouco garantidos de se capturar um gato. Não tente capturar um gato de rua com as mãos, usando uma fronha ou outro tipo de saco.

    Estes métodos podem deixar os gatos com raiva e agitados, assim como machucá-los e arriscar que você mesmo se machuque. Nunca, sob nenhuma circunstância, você deve lidar com um gato de rua com as mãos desprotegidas.

    Trate destes animais como você faria com um animal selvagem, mesmo se você deseja domesticá-lo a longo prazo. Dê tempo ao tempo.

  4. 4

    Prepare a área na qual o gato ficará. Você precisará ter um local adequado para colocar o bichano, mesmo se planejar levá-lo ao veterinário e liberá-lo em seguida.

    O ideal seria capturar o gato o mais perto possível da data da castração ou esterilização, para que você possa levá-lo imediatamente para o consultório veterinário.

    No entanto, caso você precise abrigar o animal por um tempo antes disso, será necessário preparar um cômodo silencioso na casa para ele ficar.

    • Os gatos de rua devem ficar em áreas pouco movimentadas da casa onde você possa manter o silêncio para que o animal se acalme e se sinta seguro. Porões, quartos extras e outras áreas de temperatura amena e que possam ficar no escuro ajudarão a acalmar os gatos e fazer com que eles se sintam protegidos.
    • Caso você vá levar o gato ao veterinário em menos de 12 horas, não se preocupe em alimentá-lo. Ele ficará bem e será muito mais seguro evitar abrir a gaiola e arriscar ter que conter o bichano novamente. Dê um pouco de água limpa e deixe o gato de rua na armadilha.
  5. 5

    Marque uma consulta para castrar o gato. Agora a Sociedade Americana promove uma política chamada Apreender-Castrar-Retornar (TNR em inglês). Independentemente do que você planeja fazer com o animal depois de capturá-lo, este precisa ser o primeiro passo após prendê-lo.[4]

  1. 1

    Comece a alimentar o gato alguns dias antes de capturá-lo. Você precisa garantir que ele terá uma razão para ficar na região, e então terá um motivo para pegar a comida que você colocou na armadilha.

    • Após marcar uma consulta com o veterinário para tratar o gato, negue comida por um ou dois dias antes da consulta e antes de montar a armadilha para o bichano.[5]
    • Use comida seca ou enlatada para gatos para alimentar os animais. Em um imprevisto, uma pequena quantidade de atum ou outro peixe enlatado também atrairá os gatos, caso você prefira não comprar comida específica.[6]
    • Não dê leite aos gatos. Ao contrário do que diz a cultura e crença populares, os gatos têm dificuldade de processar laticínios, e você pode acabar com um problema nas mãos ao alimentar os bichanos com leite. Dê comida sólida e apropriada para os gatos de rua.
  2. 2

    Monte a armadilha e coloque uma isca. Use o mesmo tipo de comida ou petiscos para gatos que foi utilizado para alimentar o animal. Estenda papel ou uma fronha para amaciar o chão gradeado da gaiola e coloque a comida nos fundos da mesma para que o gato entre completamente para comer, deixando uma pequena quantidade na entrada como chamariz. Em seguida acione a armadilha.

    • Cada armadilha funcionará de maneira diferente, mas todas são bem básicas. Na maioria das vezes, será necessário apenas abrir a porta da armadilha e prendê-la com a barra de liberação. Quando a porta fechar, o animal ficará preso lá dentro.
    • Cubra a armadilha com uma toalha ou pano sem obscurecer a entrada para ajudar a disfarçar a gaiola e fazer com que ela pareça menos óbvia. Alguns gatos são desconfiados e preferem conseguir ver através dos fundos da gaiola. Se você estiver tendo problemas em capturar um bichano, tente retirar a cobertura ou deixar a parte traseira exposta.
    • Não coloque a comida em uma tigela. Uma vez capturado, o gato poderá se rebelar e se machucar com quaisquer objetos que estejam presos dentro da gaiola.
  3. 3

    Confira a gaiola regularmente. As armadilhas vivas são muito seguras, no entanto você não vai querer deixar um gato do lado de fora e exposto dentro de uma gaiola por um período longo de tempo, abandonado.

    Por isto é importante conferir a armadilha com regularidade e ver se você conseguiu ou não fazer a captura.

    Em caso positivo, traga o animal para dentro, para a área reservada, ou leve-o para o veterinário imediatamente se tiver consulta marcada.

  4. 4

    Leve o gato para dentro. Assim que o animal for capturado, cubra a armadilha com um pano e mova-a rapidamente para a área reservada. O bichano ficará mais calmo se mantido no escuro ao ser transportado, portanto diminua as luzes e mantenha uma coberta sobre a gaiola.

    • Deixe o gato dentro da gaiola. Não deixe o animal sair da armadilha nem tente transferi-lo para uma caixa de transporte, ou você terá que começar o processo todo novamente. Após ser capturado e transferido, os gatos irão querer se esconder em um espaço pequeno e apertado de qualquer maneira, fazendo com que a gaiola seja o lugar ideal para eles neste momento. Ele ficará bem!
  1. 1

    Faça com que o gato seja castrado e tratado se necessário. Castre o gato e, no mínimo, aplique vacinas antirrábicas, antiparasitas (pulgas ou vermes), contra a cinomose e faça exames para descobrir se o animal sofre de leucemia felina. Há lugares com políticas de controle de animais que oferecem tais serviços gratuitamente.

  2. 2

    Volte a liberar o gato. Gatas devem ser mantidas sob observação em uma gaiola com acesso a uma caixinha de areia e comida e água por cinco dias após a castração. Os machos devem ser liberados um dia após a operação. Você pode devolver o animal ao habitat de onde ele saiu ou levá-lo a outro lugar.[Image:Catch a Stray Cat Step 11 Version 3.jpg|center]]

    • Caso você pretenda soltar o gato em uma área nova, um cuidador precisará estar disponível para ajudar o animal a se acostumar ao novo ambiente, o que pode levar várias semanas. Geralmente, esta política é promovida pela Sociedade Americana para ajudar a controlar a população de gatos. Se o animal parecer estar se dando bem no ambiente, liberte-o e coloque comida, água e abrigo do lado de fora regularmente. Os animais liberados em áreas que não lhe são familiares estão propensos a não sobreviverem pois não têm uma fonte de comida, água ou abrigo. Além disso, outros gatos podem atacar o animal que adentrou o habitat por conta de disputas territoriais.
  3. 3

    Entre em contato com uma organização que resgata animais ou um abrigo que preserve a vida dos bichinhos. Caso você viva em uma área urbana, liberar um gato de rua pode ser um ato irresponsável. O serviço de resgate de gatos e os abrigos que preservam a vida são opções muito melhores. Estas pessoas provavelmente ficarão felizes de ter o trabalho de encontrar um bom lar para o bicho.

    • Os gatos selvagens quase nunca são adotados dos abrigos, e têm o mais alto índice de eutanásia dentre todos os animais abrigados, mais de 90%. Se o bichano tiver pequenas chances de ser adotado, é melhor liberá-lo na área onde ele foi apreendido.
    • Muitos regates pagarão o custo dos procedimentos veterinários para você. Guarde os recibos.
    • Se você puder, se ofereça para abrigar o gato até que um dono seja encontrado. Algumas organizações têm mais gatos do que lares temporários. Apenas não se ofenda caso eles prefiram o abrigo de alguém que tenha experiência com este tipo de animal.
  4. 4

    Tente encontrar um novo lar para o gato, se necessário. Caso você tenha certeza de que o bichano não tem dono, não se sentir à vontade e nem puder levá-lo para outro lugar, encontre um lar adequado para ele você mesmo. Você pode divulgar, sair perguntando e encontrar um candidato adequado para manter o gato como animal de estimação.

    • Pergunte por aí informalmente para ver se algum dos seus amigos ou parentes está interessado em tomar conta do gato. Comece perguntando os amigos de confiança e conhecidos. Desta forma o bichano consegue um bom lar e você pode visitá-lo de vez em quando.
    • Anuncie o gato na região. Coloque-o em websites de adoção. Certifique-se de que o perfil diz a verdade sobre a situação do animal. Você também pode colocar um anúncio online ou nos classificados da região.
  5. 5

    Pense em ficar com o gato. Alguns gatos de rua se tornam ótimos animais de estimação uma vez que estão adaptados à vida em uma casa com humanos. Pense com cuidado se você tem tempo, dinheiro e um bom ambiente para abrigar um animal de estimação. Se você planeja ficar com o bichano, assegure-se de que ele será bem cuidado no veterinário e que é seguro ficar perto do animal antes de deixá-lo entrar na sua casa.

  • Vista roupas grossas para o caso de o gato tentar te agarrar.
  • Não leve o gato para uma pet shop ou para um abrigo que pratica eutanásia. Pesquise qualquer organização antes de entregar o animal a eles.
  • Alguns serviços de resgate e organizações de bem estar animal te emprestarão uma armadilha viva gratuitamente.
  • Os gatos podem ser exigentes com relação às pessoas. Se o animal não gostar de você, peça para um amigo tentar no seu lugar.
  • Domesticar gatos selvagens pode ser difícil. Se o bichano fizer parte de uma colônia de gatos selvagens, a Sociedade Americana para a Prevenção da Crueldade contra Animais recomenda o método Apreender-Castrar-Retornar. Capture-o, leve ao veterinário e em seguida retorne-o à colônia para viver o resto de sua vida.
  • Determine se o gato é de rua ou selvagem. Você pode precisar da ajuda de um grupo de resgate para fazer isto. Uma dica: gatos selvagens quase nunca miam.
  • Os gatos de rua podem ser portadores de doenças como a Leucemia Felina, portanto lave as mãos e a roupa completamente antes de lidar com seus próprios animais de estimação. Mantenha-o afastado dos seus bichinhos e dos objetos deles, incluindo a caixa de transporte, até que você tenha a oportunidade de levá-lo ao veterinário.
  • Tome cuidado ao separar os filhotes de suas mães. Os gatinhos não devem ser retirados de suas mães antes de 4-6 semanas de vida. Por outro lado, se você capturar uma mãe que está amamentando, os filhotes dela podem morrer se ficarem sozinhos.
  • Mordidas de animais são coisa séria! Se você for mordido, procure atendimento médico e mantenha o gato em quarentena para o caso de ele ter raiva ou alguma outra doença contagiosa.
  • Está tudo bem pegar os filhotes pelo cangote, todavia fazer isto em um gato adulto irá engasgá-lo.
  • Nunca alimente um gato que tenha dono a não ser que você tenha permissão do mesmo. O animal poderá ter problemas de saúde que requeiram uma dieta, como diabetes. Ou então ele pode se acostumar a ser alimentado do lado de fora e abandonar sua casa.

Este artigo foi coescrito por Pippa Elliott, MRCVS. A Dra. Elliott é uma veterinária com mais de 30 anos de experiência. Formou-se na University of Glasgow em 1987 e trabalhou como cirurgiã veterinária por 7 anos. Depois disso, a Dra. Elliott trabalhou como veterinária em uma clínica por mais de uma década. Este artigo foi visualizado 41 674 vezes.

Categorias: Artigos em Destaque | Gatos

Esta página foi acessada 41 674 vezes.

10 dicas para encontrar um gato perdido – CAT CLUB

Apesar de toda a informação que existe hoje na internet sobre a criação de gatos indoor – sem acesso à rua – ainda existem muitas pessoas que permitem que seus gatos dêem as famosas “voltinhas”. Acreditando que eles sempre retornarão para casa, muitas pessoas acabam perdendo-os.

Ao contrário do que se imagina, gatos se perdem sim, ainda mais se for um gato que está acostumado a estar dentro de casa, no primeiro contato que terá com a rua, é bem possível que não consiga achar o caminho de volta.
Além disso, muitos outros motivos podem fazer um gato não voltar pra casa.

Ele pode ter se machucado ou sofrido algum acidente, por exemplo, e estar assustado entocado em algum lugar, com medo de sair. Outra possibilidade é alguém tê-lo pego, e isso diminuirá muito as suas chances de encontrá-lo.
Mesmo quem cria seus gatos somente dentro de casa corre esse risco, infelizmente.

Por um momento de descuido, seu ou até por parte de outras pessoas, um gato pode escapar e se perder, e é aí que começa o pesadelo. O sentimento de ter um gato perdido por aí, provavelmente assustado, sem comida e sem saber pra onde ir tira o sono de qualquer um.

Então, reunimos aqui algumas dicas que podem ajudar a encontrar um gato perdido. Mas lembre-se, a melhor forma de evitar que esse tipo de coisa aconteça é impedindo seu gato de ir à rua, telando as janelas e quintais. E tão importante quanto: Colocar nele uma coleira com plaquinha de identificação, com nome e telefone de contato.

1- Pode parecer óbvio, mas cheque nos lugares mais inusitados dentro de casa. Dentro do guarda-roupa, embaixo da cama (e até em buracos secretos que eles podem fazer nos estofados), no sofá, atrás de móveis e até de portas. Certa vez, meu primeiro gato, o Oliver, desapareceu.

Procuramos em todos os lugares possíveis, até na rua. Fomos encontrá-lo atrás da porta de entrada da casa, que estava aberta e com um peso de porta segurando-a, impedindo que ele saísse ao ouvir nossos chamados.

Só descobrimos quando fomos fechar a porta para dormir, depois de um dia inteiro de buscas.

2- Ligue ou vá até as clínicas veterinárias mais próximas, e pergunte se algum gatinho como o seu foi levado até lá. Muitas pessoas, ao encontrarem um animal perdido, levam direto à clínicas veterinárias. Ou, caso ele tenha sofrido algum acidente, alguém pode tê-lo levado pra lá também.

3- Poste foto e informações de contato nas redes sociais, divulgue para seus amigos e peça para eles divulgarem também. Existem grupos locais de busca de animais perdidos, procure e divulgue também em grandes páginas. Quanto mais detalhada for a foto e quanto mais rápido for o seu pedido de ajuda, maiores são as chances do seu gatinho ser encontrado.

4- Caminhe pela vizinhança chamando o nome do seu gato, leve petiscos e ração, que façam sons que ele está acostumado a responder. Mesmo que seja de dia, leve uma lanterna para iluminar cantos escuros, como buracos, embaixo de carros e bueiros.

Um gato assustado ou machucado tende a se entocar e a não responder aos chamados, pois está assustado. Por isso, chame-o bastante pelo nome enquanto caminha, e fique atento a possíveis sons que ele possa fazer que possam te ajudar a localizá-lo. Olhe sempre para cima e para baixo.

Em cima de árvores, embaixo de carros e arbustos, etc.

4- Como dito anteriormente, um gato machucado ou assustado pode não responder aos seus chamados, por isso, faça a mesma coisa à noite, pois é nesse horário que eles estão mais atentos e podem responder melhor aos chamados. Não desista, repita a busca diariamente, ele pode estar por perto mas muito assustado, e com a frequência das suas buscas, ele acabará respondendo uma hora ou outra.

5- Pergunte à pessoas que trabalham na rua, como lixeiros, carteiros, donos de bancas de jornais… Tenha sempre uma foto para mostrar e um cartãozinho com seu contato para que te liguem caso o localizem. Bata também na porta dos vizinhos e peça para que verifiquem em suas casas, pois o gato pode ter pulado o muro e ficado preso no quintal vizinho.

6- Imprima cartazes e cole pela vizinhança, coloque alguns também em caixinhas de correio. Se possível, ofereça uma recompensa, o que pode ajudar a deixar as pessoas mais atentas.

7- Busque em abrigos de animais da sua área, mande fotos ou vá pessoalmente até lá verificar se por acaso seu gatinho não acabou sendo resgatado e encaminhado para lá. Com a força da proteção animai crescendo a cada dia, muitas pessoas têm resgatado e encaminhado animais à abrigos ou à Lares Temporários, para que possam ser adotados.

8- Se você se mudou recentemente, procure no seu endereço antigo e deixe cartazes por perto também. Muitos gatos, após se mudarem para uma nova casa, acabam fugindo para o endereço antigo, onde estavam acostumados a morar.

9- Deixe comida e algum objeto dele, como uma caminha que ele goste, na entrada de casa, e fique atento aos barulhos durante a noite.

10- Não perca as esperanças! Sabemos que é uma situação muito difícil e dolorosa, mas por mais difícil que possa parecer, existem muitos casos em que mesmo depois de meses o gato acaba retornando.

Claro que muita coisa ruim pode acontecer nas ruas, mas ele também pode ter a sorte de encontrar alguém de bom coração que vai abrigá-lo e cuidar dele até que você fique sabendo e possa buscá-lo.

Mas, como é sempre melhor prevenir do que remediar, assim que ele voltar pra casa, promete que você vai colocar uma plaquinha de identificação na coleira dele com seu telefone de contato?

  • Ou quem sabe até colocar um chip, para que ele possa ser identificado e devolvido caso alguém o leve ao veterinário.
  • Boa sorte!
  • Se você tem uma história desse tipo ou conhece alguma, conta pra gente aí nos comentários ????

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*